Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

28 de mar de 2005

MARIA – 28 de março de 2005

DO SITE AUTRES DIMENSIONS

Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui


Eu os amo e eu os abençôo.
Eu sou Maria, Rainha da Terra e dos Céus.

Queridos filhos, há, em vocês, uma parcela de divindade que pede apenas para sair, para manifestar-se.
Há obstáculos postos apenas por vocês mesmos para essa manifestação, em função de suas diferentes encarnações.

Meu Filho bem amado prometeu-lhes, através do sacrifício da encarnação, através da presença dele em seu planeta, através de Seu sangue derramado, a possibilidade de resgatar, instantaneamente, graças à lei do amor, todos os carmas, quaisquer que sejam.

A título individual, como ser que vive sobre um planeta que ainda não está completamente sacralizado, vocês não podem escapar do que se poderia chamar uma ação/reação coletiva, mas, pela potência e a graça de meu divino Filho, é-lhes possível, a cada instante, entrar, em toda sinceridade e em toda humildade, nesse caminho de ação de graça, ou seja, de ação sem reação, ou seja, numa lei de amor, ou seja, numa sincronia total entre sua vida encarnada e o objetivo e a finalidade de sua encarnação.

Caras almas, quando vocês entram na dimensão de amor, quando vocês entram em seu templo interior, quando aceitam, em vocês, deixar falar sua feminilidade, a polaridade feminina de seu amor, naquele momento, vocês são capazes de viver em perfeita simpatia com os outros planos espirituais.
Quando vocês entram nessa dimensão, quaisquer que sejam os obstáculos, eles não vão desaparecer como por encanto, mas vocês têm, em si, a força para enfrentá-los; vocês têm, em vocês, a possibilidade de ter o que chamam «a fé que desloca montanhas»; de ter, em vocês, a certeza, a precisão de seus pensamentos.

Quaisquer que sejam os obstáculos externos, eles não existem mais, devido à sua atitude interior.
Essa atitude interior é a lei a mais essencial de todos os mundos e de todas as manifestações nos mundos vivos, nos mundos encarnados e nos mundos que não conhecem sua forma de vida.

Há um plano, há um projeto, há uma determinação total quanto ao sentido da vida, quanto ao sentido da experiência.
Essa determinação, esse sentido tem por única origem, por única ligação, por única finalidade, por única fonte a palavra Amor.
Amor, já, de vocês mesmos, como divindade atingida pelos horrores e sofrimentos da encarnação, a fim de reencontrar, nos pesos da matéria, a liberação não da matéria, mas a liberação de suas almas e de seu amor que está em vocês.

Através dessa resistência, através do que vocês chamam «sofrimento», através dessa luta aparente de sua alma, o amor polariza-se para um caminho de saída das profundezas, para chegar à exteriorização de seu amor autêntico, porque é daí que vocês vêm, caras almas, e é aí que vocês esperam ir.

Hoje, como isso é possível, de tempos em tempos, sobre este planeta, em tempos extremamente curtos em relação à escala de seu tempo, em algumas vidas, na escala coletiva, é-lhes possível, total e livremente, aceitando essa eventualidade, deixar as portas abrir-se ao amor incondicional, que é a própria essência de sua alma, manifestar em sua vida encarnada, nessa vida de dualidade, a Unidade que é sua.

Caras almas, há, em vocês, todos os potenciais, todas as qualidades que permitem abrir em vocês – quaisquer que sejam as circunstâncias de suas vidas, quaisquer que sejam as circunstâncias de suas provas, de suas experiências – esse amor e manifestar, nesse mundo dual, sua unidade essencial de alma e de espírito.

Cabe apenas a vocês, caras almas, aceitar que minha presença, que minha energia abre, em vocês, as portas as mais sutis, as mais essenciais de sua experiência de encarnação, a fim de deixar transparecer a unidade de sua alma, a fim de suprimir toda resistência e de entrar em ressonância perfeita entre o que vocês são e o que manifestam, realmente, nesse mundo.

É importante, para isso, não julgar nem a si mesmos, nem ao exterior de vocês mesmos, mas, simplesmente, aceitar estar nesse estado, que eu poderia chamar de graça, de compaixão e de qualquer outro termo que lhes dê prazer, mas cuja única palavra autêntica é amor.
Amor de tudo o que se apresenta a vocês porque, quando vocês aceitam o caminho de ressonância, esse caminho que leva à sincronia total de sua alma com o plano do universo e fora do universo, na encarnação e fora da encarnação, vocês têm a possibilidade, em si, caras almas, de deixar escoar-se, através de vocês, esse amor por seu maior bem e pelo maior bem de toda parcela viva, em todos os mundos manifestados e não manifestados.

Eu posso chamá-los de meus filhos porque estou além dos dogmas nos quais quiseram confiná-los.

Eu sou a Rainha dos Céus, eu sou a Rainha da Terra, Rainha dos Céus e da Terra, porque tal é meu destino como arquétipo feminino dessa lei de amor, que ilustra, com mais amplitude, é claro, o amor ideal de uma mãe para seu filho, que a ele autoriza tudo e nada proíbe, a fim de que ele experimente, a fim de que ele vá à sua evolução, a fim de que ele se torne ele mesmo, sem muletas.
Quer essas muletas tenham por nome pais, tenham por nome religião, tenham por nome ritual, tenham por nome tudo o que vem apoiá-lo em sua diligência.

A um dado momento de sua evolução, caras almas, vocês devem voltar-se para seu interior o mais essencial, para essa centelha que está em vocês e que pede apenas para manifestar-se, apenas para exteriorizar-se, apenas para exprimir-se para amar.

Progressivamente e à medida que essa luz, que é a sua, manifestar-se, vocês entrarão, cada vez mais, nesse fenômeno de ressonância e nesse fenômeno de sincronia, no qual as coisas tornam-se fáceis, mesmo se são, aparentemente, difíceis, porque não há mais resistências.
Não há mais, nessa ótica, sofrimento possível, porque o sofrimento, naquele momento e, unicamente naquele momento, confunde-se com a Luz.
Não é algo que deva ser buscado. Há, aí, um dos grandes mistérios.

A um dado momento, quando vocês não compreendem mais, a um dado momento, quando lhes parece que isso é demais, naquele momento, vocês se voltam para seu Interior.
E, naquele momento, vocês encontram sua Luz autêntica, a Luz de sua alma e de seu espírito.
E, naquele momento, ela pode exteriorizar-se, pode manifestar-se e irradiar o conjunto de fenômenos vivos, e transformar, assim, totalmente, sua vida.

Caras almas, as palavras são sempre as mesmas, as atitudes de espírito são sempre as mesmas.
Sua época é uma época crucial, uma etapa importante na história da humanidade, mas, em todos os tempos, o motor principal de todas as dimensões, de toda a vida.
Mesmo aqueles que estariam na negação desse princípio, têm o mesmo motor.

Esse motor é a lei de atração, a lei de amor, a lei de empatia.
A lei que vai fazer compreender que há apenas um único Deus, apenas uma única Fonte, apenas uma única finalidade, uma única Luz, uma única possibilidade de evolução, uma única direção, quaisquer que sejam as experiências.

Caras almas, nesse dia abençoado, eu lhes trago minha bênção, a dimensão de mãe compassiva, a dimensão de mãe protetora, a fim de que vocês ativem, em si, esse olhar interior, a fim de que decidam, totalmente, confiar, entrar nessa sincronia, que pede apenas para exteriorizar-se em vocês, que pede apenas para aparecer em sua vivência de todos os dias, para fazer de vocês seres repletos de amor para consigo mesmos, para com a criação, para com toda parcela de vida sobre este planeta.

Não se esqueçam de que a medida com a qual julgam, vocês serão julgados, não por um jogo vingativo, mas por si mesmos.
Apenas vocês mesmos é que julgam a si mesmos.
Não há intervenção de qualquer vingança nem de qualquer punição, de qualquer retribuição de seus atos, a não ser por si mesmos e unicamente por si mesmos.

Os véus que foram colocados pelas encarnações sucessivas são – e foram – freios cada vez mais espessos e cada vez mais densos para bloquear a exteriorização de sua Luz autêntica.
E, hoje, pela graça de minha presença, pela graça da presença, sobre a Terra, do Arcanjo Miguel, pela presença, depois de dois mil anos, da energia de meu Santo Filho, é-lhes possível, a cada minuto, voltar-se para essa Luz interior e deixar aparecer a Fonte que está em vocês, a fim de tornar-se o objetivo.

Caras almas, eu os amo, eu lhes trago minha bênção, agora, a cada um de vocês.
Eu libero, em vocês, a potência de sua própria alma, a potência dessa Luz interior, a potência do «eu sou».

Almas divinas por essência, almas divinas por finalidade, almas de Luz pura, autênticas e verídicas, eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.
Eu os amo e eu os abençôo.
__________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.