Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

30 de mar de 2007

MARIA – 30 de março de 2007



DO SITE AUTRES DIMENSIONS.


Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.
Bem vindos a vocês, queridos filhos.
Eu me apresento a vocês porque vocês me chamaram.
Eu me apresento a vocês porque inúmeras coisas devem ser irradiadas de meu coração, para afirmá-los em sua fé e em sua certeza para a Luz.

De fato, nesses momentos perturbados, a Luz é, mais do que nunca, sua única tábua de salvação.
A Luz é o único elemento que deve conseguir fazê-los encontrar a solução ao problema da vida, ao problema dessa vida, nesse planeta, nesses tempos perturbados, nesses tempos torturados, eu deveria, mesmo, dizer.
É importante encontrar o caminho, a porta estreita que os conduz à abertura de seu coração, que os conduz à recepção da Luz de meu querido divino Filho.

É importante para vocês, queridos filhos, compreender que tudo o que vem, que tudo o que vem para vocês é destinado apenas a uma coisa: fazê-los voltar para seu coração, fazê-los voltar para o coração do Universo, para o coração do planeta, para o coração da vida, para a Fonte da vida que é Luz autêntica, que foi iniciada, preparada por meu divino Filho, há agora mais de dois mil anos.

Há, hoje, nesses períodos que vocês vivem, uma etapa extremamente importante, que é a etapa que deve conduzi-los ao limiar da Luz Crística.
Há, através do que vem para vocês e que, entretanto, já está aí, a possibilidade inerente a toda a vida de encontrar sua Fonte, de encontrar sua Luz e de encontrar o caminho que conduz ao Pai, à Luz autêntica, à Luz que vocês jamais deixaram de ser, mas que os véus sucessivos de suas encarnações sufocaram, que os véus do que vocês chamam ego de suas personalidades sufocaram, progressivamente e à medida de suas encarnações nesses mundos.

Há necessidade, hoje, de remover essas máscaras, de remover essas peles que foram colocadas sobre sua essência, sobre sua infinidade primordial de Luz, porque vocês são, não duvidem disso, filhos de Luz, Fonte de Luz.
Vocês são, ao mesmo tempo, os filhos da Luz e a própria Fonte da Luz.

Compreendam, através dessas palavras, que vocês jamais deixaram de ser o que são, para além da ilusão do tempo que passa nessa dimensão que é a de vocês.
Vocês são, de toda a eternidade, filhos de Luz e Fonte de Luz e, ao mesmo tempo, irradiados da Fonte e, ao mesmo tempo, Fonte irradiante.
Há necessidade, hoje, de fazer sua essa voz, de compreender que vocês são filhos da Luz, que vocês são, vocês mesmos, Fonte de Luz e, como seres multidimensionais, a herança que é a sua é aquela do retorno à Fonte, do retorno à Luz que vocês são e que jamais deixaram de ser, apesar dos véus que correspondem aos diferentes medos que vocês desenvolveram, progressivamente e à medida de suas encarnações.

É importante compreender que essa época abençoada dos deuses, que vocês vivem, não é, em caso algum, uma punição.
Aqueles que a viverem como uma punição são aqueles que não quiseram tirar as máscaras da personalidade, as máscaras do ego, as máscaras do mental, as máscaras das emoções que vêm quebrar o impulso da alma, o impulso da fonte que vocês são, o impulso da fonte de Luz que vocês são.
Se vocês se esquecem dos obstáculos inerentes à encarnação, se vocês se lembram do que jamais deixaram de ser, se conseguem deixar falar a criança que está em vocês, a Luz que está em vocês, o Divino que está em vocês, o Cristo que está em vocês, essa Luz inefável que vocês são, naquele momento, os véus da ilusão dissipar-se-ão e permitirão a livre expressão da natureza fundamental que vocês são.

Vocês são ajudados, nisso, pelos múltiplos anjos, coros e legiões celestes que estão ao redor de vocês e ao redor desse planeta, na espera desse instante abençoado que vem para vocês porque, creiam-no, efetivamente, queridos filhos, vocês chegaram, agora, ao termo de sua viagem, ao termo dessas peregrinações, do que lhes pareceu ser uma queda, que não é uma queda, mas, simplesmente, uma experiência que vocês decidiram viver, creiam, para acompanhar um projeto grandioso, que era o de experimentar a sombra e a Luz para, não permitir à sombra crescer, mas compreender que a sombra deve, também, tornar-se Luz.

Através do sofrimento, certamente, não necessário nos planos evolutivos, mas necessário nesse plano evolutivo da Terra que havia escolhido o afastamento da Fonte vem, hoje, o momento dos reencontros, o momento dos casamentos com a Fonte.
Os véus devem levantar-se ao nível de seus corpos, mas, também, desse corpo planetário que vocês chamam a Terra.

Queridos filhos, a hora abençoada que vocês vivem corresponde a eventos grandiosos que devem sobrevir, de maneira sensível, de maneira manifestada em seus éteres, em seus Céus e em sua Terra, para permitir-lhes deixar cair os véus, véus da ilusão, véus da ignorância.
Isso não é mais sofrimento, é revelação, no sentido em que a Luz desvenda-se, no sentido em que a eternidade revela-se, enfim, a vocês, fazendo-os sair da ilusão de um tempo linear, fazendo-os sair da ilusão que é a sua há tanto e tanto tempo.

Meu divino Filho, quando de Seu sacrifício na encarnação, permitiu restaurar a sacralidade desse planeta, foi o mesmo para seus veículos físicos e seus veículos sutis.
Simplesmente, esse grão que havia sido plantado, que devia acender um dia, vê esses dias vindos nesse período que precede a ressurreição do Cristo, ligada ao fenômeno da Páscoa mística.

É importante compreender que a Páscoa deste ano é um ano extremamente importante.
Este ano é o ano da revelação, é o ano da compreensão de sua Divindade, é o ano da manifestação de sua Divindade.
Só os seres que recusarem ver, que recusarem levantar o véu da ilusão estarão em sofrimento em relação a isso, mas a liberdade é inabalável.

Vocês têm escolha de alma, têm liberdade de alma para retornar à Casa ou prosseguir o que chamam de experiências, prosseguir a experiência de mundos de divisão entre sombra e Luz, mas, também, sair desse jogo que tanto os tentou, durante tanto e tanto tempo.
Cabe-lhes, hoje, nas semanas, nos meses e nos alguns anos que vêm, decidir retornar à Casa ou decidir prosseguir a experiência.
Não há julgamento através disso.

O que meu divino Filho havia chamado, assim como seu bem amado João, o julgamento final corresponde apenas a um processo de escolha que lhes é aberto agora.
Vocês irão para a Luz e o retorno à Fonte?
Vocês irão para a revelação de quem vocês são?
Vocês irão para a manifestação de quem vocês são ou vão decidir prosseguir a experimentação?
Aí está a liberdade de escolha, aí está o julgamento final que é, simplesmente, uma questão de afinidade, uma questão de desejo, também, desejo de Luz ou desejo de experiências.

A experiência que vocês têm vivido era um jogo, como eu dizia, entre a sombra a Luz, experiência necessária nesse mundo, porque desejada por alguns princípios que regem as encarnações e as tomadas de encarnação em diferentes mundos, em diferentes planetas, em diferentes sistemas, mas, hoje, a hora soou da revelação, a hora soou da ressurreição final de sua alma, de sua Luz e da revelação de sua Divindade.

Então, certamente, a revelação dessa Divindade que vocês são pode, para algumas almas não preparadas, não purificadas, não voluntárias, tampouco, a experimentar isso, pode ser vivida como elemento de sofrimento, como algo que vem chocar sua sensibilidade, eu diria, mas não vejam, ali, apenas isso.
Ao contrário, é através do que vem para vocês, a experiência única de fazer retorno à unidade, a experiência única de parar a experiência da terceira dimensão, para entrar em sua Divindade, em seu corpo de glória, em sua imortalidade, que vocês jamais cessaram de ser, contudo, e cabe-lhes fazer a escolha, e ninguém virá criticá-los da escolha que vocês farão e ninguém virá contrariar a escolha que vocês farão.

Algumas escolhas poderão parecer dolorosas, mas a dor é apenas temporária e ilusória.
A realização da escolha pode apenas seguir três caminhos: o caminho, como eu dizia, de seu retorno à Unidade, de seu retorno à sua Divindade, que jamais deixou de estar aí – o prosseguimento da experiência nesses mundos de divisão, nesses mundos de separação, nesses mundos da ilusão, certamente, também, mas repletos da mão do Criador e repletos de uma Luz, certamente, uma Luz não desviada, mas sombriamente desacelerada, sombriamente pesada, pesada pela experiência e o jogo necessários dessa dimensão de oposição ao mundo de Luz.
E o terceiro caminho é, obviamente, como o escolherão inúmeras almas sobre este planeta, passar pelas portas do que vocês chamaram a morte, para aceder ou a uma nova experiência nessa divisão de dimensões ou, ao contrário, o renascimento em corpo de Luz.

De fato, existem apenas três escolhas possíveis, e cada alma compreenderá, no momento vindo, a realidade dessa escolha.
Então, aqueles que não poderiam ver, de momento, essa escolha, começam caminhos de sofrimento, caminhos de doença, caminhos de desorientação, por vezes, mas não é preciso, certamente, julgar, porque os véus da ilusão são, neles, mais densos e mais pesados do que alguns outros de vocês.
Cabe deixar cada ser humano prosseguir seu caminho, mas, simplesmente, estarem, vocês mesmos, concentrados na Luz que vocês são, para poderem irradiar essa Luz, para poderem manifestar essa Luz, para serem um espelho para a Fonte divina que está em face de vocês e permitir-lhe compreender que o retorno à Casa é, doravante, possível.

Trata-se, doravante, de uma escolha de alma, uma escolha de vida, uma escolha de evolução, uma escolha de humanidade, e cabe-lhes fazer essa escolha.
Certamente, inúmeras ilusões têm-nos prisioneiros, de momento, da trama da encarnação de sistemas que foram construídos por algumas almas humanas que avançaram muito mais longe na separação da Fonte, que quiseram construir um mundo de ilusão, um mundo de separação ainda mais pesado, ainda mais denso.

Mas esses planos são planos de ilusões, que tentam arrastá-los à rede deles, para torná-los ainda mais pesados, mas a hora da liberação aproxima-se, agora, a grandes passos, a hora da revelação, a hora da compreensão de quem vocês são, a hora da compreensão das escolhas que vocês devem fazer para engajar seu retorno à Fonte, seu retorno à Divindade ou o prosseguimento de suas encarnações extensivas nesses mundos de divisão.

Alguns não poderão fazer a escolha e deverão passar pelas portas da purificação para fazer, realmente, a escolha.
Não julguem aquele que morre, não julguem aquele que decide pôr fim a esses dias nessa dimensão, porque ele renascerá onde decidir, em toda Luz e em toda lucidez, ou voltar a partir para um ciclo de encarnação em outros espaços e em outros lugares dessa terceira dimensão, ou renascer virgem e novo, nos espaços da Divindade, de dimensões outras, nas quais não existe a sombra.
Isso faz parte da essência de cada alma.

A decisão é livre e totalmente consentida pela vontade do Pai, pela vontade da Luz autêntica que jamais, oh jamais os forçará a fazer escolhas que não são as suas.
Simplesmente, a revelação da Luz é um ato importante para permitir-lhes fazer suas escolhas em todo conhecimento de causa.
Não lhes será, jamais, permitido fazer escolher entre a sombra e a sombra, sob o pretexto de que vocês não conhecem a Luz.

A Luz deve revelar-se em face da sombra, para permitir-lhes fazer as escolhas, ir para a Luz, ir para a sombra ou ir, ainda, uma vez, entre os jogos da sombra e da Luz, porque sua falta de experiência ou seu desejo de experiências não foi satisfeito.

Aí está, queridos filhos.
O que posso dizer-lhes mais, se não que nós desejamos, obviamente, os corações celestes, os anjos e as milícias, seus irmãos e irmãs do Intraterra e do Extraterra desejam apenas uma coisa, é que o máximo de almas junte-se às legiões e às regiões dos universos nas quais a sombra não tem mais lugar.
Mas essa é sua escolha final, sua escolha livre, totalmente consentida.
Nós não podemos, em momento algum, permitir que essa liberdade seja-lhes retirada.
Essa é sua herança espiritual, sua herança de Divindade, sua herança de Fonte.

Aí está, queridos filhos, o que eu tinha a exprimir, nesse período pré-pascal, extremamente importante nesse ano de revelação, porque creiam, efetivamente, que vocês entraram no período de revelação.
Nada do que está escondido ser-lhes-á escondido.
Nada do que foi escondido, profundamente, na Terra, ser-lhes-á escondido, tudo será revelado, nada mais será escondido.

Os mistérios de suas origens, os mistérios de sua Divindade, o mistério das civilizações, o mistério dos movimentos planetários, tudo isso lhes será revelado, porque lhes cabe fazer a escolha, em posse desse conhecimento, em plena posse da Luz que vocês são, em plena posse e iluminação de circunstâncias da vida que levaram ao seu caminho de revelação, agora, nesses tempos.

Aí está, queridos filhos, o que eu gostaria de fazê-los partilhar e, agora, eu me tenho pronta para responder aos seus questionamentos, se há questionamento, mas, por favor, mantenham presente que nós estamos nesse período de revelação, nesse período tão importante e tão esperado e, ao mesmo tempo, temido, por alguns de vocês.

Então, eu me tenho pronta para responder às suas questões que concerniriam a essa etapa importante de seu retorno à Casa.

Questão: como essas revelações vão fazer-se?

A revelação, querida filha, faz-se em múltiplos planos.
Ela concerne tanto aos eventos ligados ao que vocês chamam seus elementos e à manifestação desses elementos, ao parto desse planeta à sua dimensão de Luz, que acompanhará, obviamente, a revelação de planos da sombra, como eu dizia, ou seja, a revelação de maquinações e de usurpações que ocorreram na superfície desse planeta.
Isso corresponde a um período de revelação em seu foro interior, também.

O que acontece no exterior e que será visível acontecerá, também, no interior de vocês.
A revelação de coros de anjos, de milícias celestes, através dos fenômenos celestes e dos fenômenos Intraterrestres revelar-se-á no mesmo momento, no interior de vocês.
Os eventos disso são múltiplos, querida alma.
Eles concernem tanto às evoluções de sua vida em terceira dimensão, nessa encarnação, mas, também, o que será evocado, revelado, tanto no que vocês chamam seus meios de informação, também, de maneira visível, de maneira sensitiva, por seus cinco sentidos, portanto, ao nível de seu planeta e de seus modos de vida.

Questão: a que correspondem os odores de rosa que lhes são atribuídos?

Querida alma, o odor de rosas é característica de minha presença benevolente.
O porque dessa presença nem sempre deve ser justificado em uma razão lógica, mas, simplesmente, como a manifestação de um presente e de uma graça celestes.

Agora, vocês têm tendência, com seu mental, a interpretar isso como uma orientação para ir para tal ou tal coisa, o que nem sempre é o caso.
Os perfumes representam a quintessência de minha manifestação, que significa, simplesmente, minha presença de mãe ao seu lado.

Questão: sua energia continua presente em Lourdes?

Querida alma, há numerosas vidas em que eu apareci, em diferentes tempos, em diferentes épocas, sobre esse planeta.
Os lugares de aparição podem ser ligados a circunstâncias geomagnéticas específicas, mas, também, por vezes, a histórias de almas específicas, mas, também, em lugares consagrados por mim mesma.

A cada vez, as circunstâncias de minhas aparições foram profundamente diferentes, de acordo, justamente, com essas próprias circunstâncias.
Assim, um lugar de aparição pode permanecer desperto, eu diria, durante um tempo muito longo ou, ao contrário, existir apenas durante a presença encarnada de uma alma específica.
Por vezes, a mensagem corresponde a uma época precisa e apaga-se, uma vez que essa mensagem tenha sido transmitida.
Não há regra precisa, de acordo com meus lugares de intervenção e de aparição, quer esses lugares sejam públicos ou privados, aliás.

Querida filha, minha presença em Lourdes é revelada através da água, obviamente, mas, mais do que tudo, através da atmosfera geomagnética do lugar.
Esse é o caso para inúmeras aparições que eu qualificaria de públicas e reconhecidas pela Igreja católica.

A hora não é mais para a aparição em lugares, mas para a aparição em cada alma e em cada interioridade de alma.

Aí está o que explica que inúmeras almas, hoje, sejam portadoras de minha energia e de minha mensagem.
A água é portadora de uma memória.
Nesse lugar preciso existe uma informação que foi veiculada, o que explica que as propriedades vibratórias da água continuem presentes.

Questão: quais são os lugares em que sua energia está, ainda, presente?

Existem muito numerosos lugares nos quais minha energia está, ainda, presente, querida filha.
Nos Pirineus, o lugar o mais importante, certamente, é situado do outro lado dos Pirineus, na Espanha, em uma cidade que se chama Guarabandal.

Questão: você disse, há pouco, que teremos a escolha de repetir, ainda, essas experiências da sombra e da Luz; por que aceitar que almas vão para a sombra?
Será que uma mãe aceiraria que seu filho vá fazer-se mal?

Querida alma, uma mãe afasta seu filho do perigo, tenta evitar o perigo, mas, se essa alma tem necessidade de experimentar o perigo, se essa alma tem necessidade da sombra para encontrar ainda mais Luz, ninguém pode criticá-la.

Questão: por que se pode sentir uma revolta de estar aqui, nessa terceira dimensão?

A revolta faz parte, querida filha, de movimentos, cada vez mais, de almas que estão sedentas de redescobrir a Divindade, que estão sedentas da Luz e que experimentaram, suficientemente, a encarnação.
Assim, a hora da liberação está próxima, para essas almas.

Questão: você falou, há pouco, de um ano de revelação no qual, em especial, os véus deviam levantar-se ao nível de nossos corpos.
Poderia esclarecer o que é isso?

Ao nível dos corpos, apegos e desapegos devem revelar-se, de maneira mais precisa ao espírito e à consciência.
Isso quer dizer que, progressivamente e à medida dos meses vocês vão, todo ser vivo sobre este planeta, tomar consciência, de maneira mais ampliada, de maneira mais luminosa, do que são seus apegos reais a essa terceira dimensão, e são esses apegos que será preciso vencer, para desapegar-se, totalmente, e aceder à quinta dimensão.

Progressivamente e à medida do desvendamento, revela-se, cruamente, eu diria, a realidade de seus apegos.
É fácil dizer «eu não sou apegada a isso, àquilo», enquanto vocês têm isso.
É mais difícil renunciar, quando tudo isso não está mais aí.
Os verdadeiros apegos medem-se à luz da realidade do desapego em relação ao que está aí.

Questão: por que o coração volta a fechar-se, tão frequentemente?

Porque ele se fecha, a partir do momento em que o jogo da sombra e da Luz manifesta-se de novo.
Assim, mesmo conduzir um veículo é um jogo de sombra e de Luz.
Como vocês querem manter um coração aberto, conduzindo um veículo; como vocês querem manter um coração aberto, quando se servem de suas palavras para resolver problemas de terceira dimensão?
Isso é impossível, exceto para alguns grandes seres que representam, de algum modo, um sacrifício, porque manter o coração aberto, conduzindo os assuntos de terceira dimensão, como vocês compreenderam, queridos filhos, é extremamente árduo.
Isso necessita de um treinamento de várias vidas e um sacrifício de várias vidas.

A dimensão do coração é ligada à dimensão que está além da terceira dimensão, isso vocês compreenderam bem, porque o que é abertura do coração, na terceira dimensão, seria apenas desleixo, emotividade e não Amor.
O Amor é algo que é um estado e não um movimento; é algo que está em relação com uma qualidade vibratória.
Ora, essa qualidade vibratória não pode ter compromisso com fenômenos ligados à terceira dimensão.

Querido filho, como dizia meu divino Filho, é importante saber o mundo que vocês escolhem.
Ninguém pode servir a dois mestres ao mesmo tempo.
Vocês servem à terceira dimensão?
Vocês servem à Luz?
O mundo da terceira dimensão é um mundo de experiências, não é um mundo final ou finalizado.
Trata-se apenas de um mundo de passagem, um mundo extremamente temporário, na escala da Unidade, da Divindade.

Questão: o que é, então, para aqueles que acompanham, na terceira dimensão, da abertura para essa quinta dimensão?

Isso representa um sacrifício, querida filha, porque, a partir do momento em que a Divindade for suficientemente forte, a partir do momento em que a revelação for total, não será mais questão de trabalhar na terceira dimensão.
Trata-se, muito simplesmente, querida filha, de compreender que toda alma que tenha percebido a Luz em uma de suas dimensões, que tenha vivido o momento em que o coração abre-se, um momento em que a unidade da Divindade manifesta-se (o momento em que uma alma tem um reencontro com a Luz é um momento privilegiado), mas, quando essa alma decide voltar à terceira dimensão, trata-se de um sacrifício.

Então, a partir do momento em que vocês tenham vivido, ainda que apenas uma vez em sua vida, a abertura do coração ou o reencontro com a Luz, toda obra que os põe na terceira dimensão, mesmo no sentido do dever, mesmo no sentido do trabalho, é algo que se aparenta a um sacrifício.
O sacrifício tem a mesma raiz que a palavra sagrado.
Ele corresponde à santificação, ao sacrifício da Luz, não para a sombra, mas para o jogo da sombra e da Luz.

Questão: será possível trabalhar na terceira dimensão, a partir da quinta dimensão?

Os tempos espirituais podem manifestar-se, como foi o caso para mim, nessa terceira dimensão, mas o processo que está acontecendo é uma separação clara de diferentes planos, e não poderá mais ser questão, para aqueles que passarem à quinta dimensão, de manifestar-se nessa terceira dimensão, exceto algumas almas consagradas que terão por missão acompanhar um novo ciclo de humanidade.

Questão: por que algumas pessoas «no caminho» de repente, encontram reações típicas de terceira dimensão?

Isso pertence à liberdade de alma individual, querida alma, em face da Luz.
Quando seu coração irradia de Luz, aquele que está em face de você pode aceitar ou recusar essa Luz, porque ele não terminou o próprio caminho de experiências, porque ele quer prosseguir o caminho de experiências e esconderá a própria necessidade de experiências, através da difamação da Luz.
Assim foi com meu divino Filho, quando de Sua encarnação. Que foi considerado, obviamente, como fazendo parte da sombra, pelas forças supostas de representar a Luz.
Isso também é um sacrifício.

Convém permanecer no coração.
Permanecer no coração quer dizer não julgar; permanecer no coração quer dizer não emitir julgamento, não emitir energia nem boa nem má, através da liberdade de escolha que exprimiu uma alma ou outra.
Convém permanecer na neutralidade de coração, que corresponde a um estado de ser e um estado de ser não pode induzir ação, o estado de ser basta-se por si mesmo.

Questão: nos meios ditos espirituais, pareceria que as emoções estão em destaque?

Querida alma, é preciso, efetivamente, compreender que tudo o que é feito, hoje, em seu mundo, tudo o que sai como, dizem, técnica ou tecnologia ou meios ditos de desenvolvimento pessoal são apenas meios de prendê-los às suas próprias emoções, às suas próprias memórias e às suas próprias vivências.
O coração não tem necessidade de qualquer dessas ilusões para revelar-se.

Enquanto vocês correm atrás de uma própria liberação do que quer que seja, vocês não estão no coração.
O coração não tem necessidade de liberação; o coração tem necessidade apenas de uma afirmação nessa dimensão de estado de ser, mas, absolutamente não de liberar o que quer que seja porque, quando vocês estão no coração, são livres, por essência.
Isso corresponde às palavras de meu Filho: «busquem o reino dos céus, sua Divindade, e o resto ser-lhes-á dado em acréscimo».
Em contrapartida, busquem o que não é o coração, o que vocês chamam processo de liberação de memórias, processo de compreensão, processos mentais, processos emocionais, e vocês se afastarão do coração, ao mesmo tempo tendo a impressão de dele aproximar-se.

E vocês confundem emoção, confundem sentimento e coração.
O coração, o amor não é sentimento, o amor não é emoção, o amor não é mental, o amor é estado de ser, estado de ser na Divindade, na Unidade, na compreensão direta, instintiva e intuitiva de quem vocês são.
No coração não há lugar para o sentimento, no coração não há lugar para o apego, no coração não há lugar para a emoção.
O sentimento é, já, uma distorção da energia do coração.

Eu lhes aporto, agora e já, minha bênção e todo o meu amor, e eu lhes digo, certamente, até um dia desses.
__________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

24 de mar de 2007

O.M. AÏVANHOV – 24 de março de 2007



DO SITE AUTRES DIMENSIONS.


Bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los, e eu me alegro por estar com vocês, para poder responder, eu espero, aos seus questionamentos e poder, talvez, fazê-los avançar no caminho da Luz.

Então, eu lhes aporto meu bom dia, minha bênção e, obviamente, e como de hábito, eu os escuto.

Questão: por que há tantos problemas de saúde, nesse momento?

E é um período de grande transformação, para muita gente, atualmente, então, as energias de quinta dimensão vêm, eu diria, despertar, ou mesmo fragilizar, em alguns casos, os esquemas de funcionamento que são oriundos da terceira dimensão.

Então, isso pode provocar uma reativação de sintomas, reativação de alguns esquemas que nada têm a fazer na quinta dimensão.
Então, por vezes, a alma decidiu experimentar certo caminho, no qual algumas perturbações poderão aparecer, mas essas perturbações não têm mais lugar de ser, a partir do momento em que há uma busca da autenticidade da quinta dimensão.
Mas, como a energia da quinta dimensão, infelizmente, ainda não está, totalmente, aí, obviamente, vocês vão, alguns de vocês, reativar esquemas que são perturbados, antigos, que não têm mais razão de ser.
Então, as coisas, por vezes, muito desagradáveis, podem voltar a manifestar-se.
É, infelizmente, algo que não é ligado a um erro ou a uma falta, mas que é, puramente, conjuntural, eu diria.
É ligado a uma transformação, uma forma de purificação na qual o fato de repassar por esquemas de maneira mais forte permite resolver, eu diria, as últimas escórias que poderiam impedir o acesso à quinta dimensão.

A ação definitiva, ou seja, o desaparecimento de sintomas apenas poderá ocorrer quando a quinta dimensão estiver, totalmente, aí e, portanto, a purificação tiver ocorrido, totalmente.
As concepções da doença devem ser vistas à Luz de sua evolução pessoal.
Isso corresponde a uma realidade vibratória.
Os seres que estão preparando a própria ascensão à quinta dimensão, que vivem as transformações da energia da Luz autêntica e que se transformam ou que se aproximam da própria Fonte real de quem eles são, da Unidade, não podem aproximar-se, indefinidamente e sem perigo algum, dos outros que recusam essa vibração da quinta dimensão e que estão nas lutas da terceira dimensão, porque há risco de desgastes dos dois lados.

Então, os esquemas da Luz vêm ajudar aqueles que estão doentes e transformando-se, profundamente.
É extremamente importante compreender que não se pode, hoje, fazer como era o caso há dez, vinte anos, porque a energia da Luz de quinta dimensão não pode ser confrontada, permanentemente, às energias de terceira dimensão, que são energias de doença, porque a energia de terceira arrisca ser, ainda, mais perturbada pela energia da quinta, da qual vocês são portadores.
Mas, também, vocês mesmos, sua energia de quinta, que vocês tentam desenvolver, arrisca, eu diria, ser afetada pela doença de terceira.
Não há mais concordância e transmutação pelas forças crísticas de terceira dimensão sobre a doença, porque vocês passam às forças crísticas de quinta dimensão.
Não há mais lugar para a doença.

Vocês não podem tomar a Luz que vem de vibrações as mais altas para transmutar o que se recusa à Luz, porque a doença, geralmente, é um período de experiência, de purificação, mas a doença é um conflito que é ligado à terceira dimensão.
A quinta dimensão não conhece a doença.
Então, a partir do momento em que alguém que é portador da energia da quinta, mesmo se é, eu diria, ainda, portador de uma doença, e ele vai reencontrar e quer intervir sobre alguém que está na terceira, com uma doença, ele vai ali ter desagrados extremamente importantes que podem produzir-se.
Mas, quanto mais esse terapeuta subir à quinta dimensão, mais ele deverá desfazer-se da ação terapêutica, porque a ação terapêutica é a Luz, é Cristo que cura, mas não é querer curar.

Questão: como saber se poderemos suportar as energias da quinta dimensão?

E isso quer dizer?
Nenhum ser humano pode saber se vai suportar ou não as energias que aumentam, a oitava vibratória é diferente.
Agora, para o acesso à quinta dimensão, a outra vida, a outro corpo, a outra Terra, apenas será possível saber no momento em que isso se apresentar, realmente, a vocês.
Na fase preparatória, vocês fazem apenas integrar, submeter-se, preparar.

Questão: qual é a importância da aceitação?

A aceitação e o soltar, como queiram, mas o que eu prefiro como palavra é, mais, soltar, ou seja, deixar fazer.
Deixar fazer a energia de quinta, que é uma energia que vem a vocês.
Ela demanda apenas uma coisa: é um acolhimento sem resistência.

Então, as resistências são numerosas, elas são ligadas, qualquer que seja seu grau de evolução, de cada um, aos apegos que vocês tomaram nesse mundo, quaisquer que sejam.
Há alguns apegos que são mais luminosos do que outros, mas eles são, entretanto, apegos, por exemplo, apegos a figuras espirituais, apegos que eu não critico, porque são da sombra, obviamente, mas que devem ser, eles também, superados, ou seja, a adoração, o amor portado, mesmo ao Senhor desse mundo, ou seja, a Cristo, portado, mesmo, ao Senhor dos Universos, ou seja, a Orionis não deve cair no apego.

Ora, o problema do ser humano na terceira dimensão é que tudo o que ele ama, tudo o que ele venera transforma-se em apego.
Então, a energia de quinta demanda uma coisa: é não desviar a face, é compreender que se é apegado e viver, enfim, o desapego.
O que não quer dizer que vocês perderão seus apegos.
Vocês perderão uma forma de apego e encontrarão uma fusão, que é completamente diferente, com Cristo, com Maria, com Orionis, com outros.
Não é, de modo algum. O apego ligado à terceira dimensão.

Então, as experiências que foram vividas por alguns, por outros, por mais luminosas que sejam, é preciso, também, deixá-las pelo que elas são.
O que fez uma abertura para a quinta dimensão ou para a Luz. Se preferem, mas que foi puxado de volta à terceira, isso, também. É uma forma de apego.
Então, é preciso ser totalmente livre, como dizia Krishnamurti, para passar ao outro lado.
Não é preciso mais ter qualquer modelo, qualquer marcador, qualquer referencial, se não é estar, si mesmo, desembaraçado de tudo o que fez o que se é: as crenças, a educação, os pais, os filhos, tudo.
Vocês devem estar totalmente nus, sem isso, não poderão aceder à quinta dimensão.

Jesus disse, no entanto, ele mesmo: «ninguém pode penetrar o Reino dos Céus se não volta a tornar-se como uma criança», ou seja, desembaraçado de todos os condicionamentos, desembaraçado de todos os apegos, quaisquer que sejam, por mais luminosos quanto sejam.

E obrigado a vocês e boa evolução para essa quinta, para essa Luz autêntica que se aproxima a grandes passos, e estejam certos de que vocês não estão, jamais, sós, e que não são, jamais, abandonados, e que, sobretudo, nada arriscam.

O que é que arrisca acontecer-lhes?
Na pior das hipóteses, morrer, e se vocês morrem, estão na Luz.
Na pior das hipóteses, continuar e, se continuam, abandonando tudo o que faz seus apegos, bem, vocês estarão, também, na Luz.
Apenas que, se vocês resistem, se estão apegados ao seu passado, às suas experiências, às suas casas, aos seus bens, quaisquer que sejam, vocês não poderão aceder à quinta dimensão.
Então, isso necessita de soltar, isso é extremamente importante.

Então, eu lhes digo até breve, eu lhes aporto a minha bênção e até a próxima vez.
__________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

8 de mar de 2007

O.M. AÏVANHOV (1/2) – 8 de março de 2007



DO SITE AUTRES DIMENSIONS.


Bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los e, primeiramente, recebam, obviamente, todo o meu amor, a minha bênção e, antes que abordemos o modo habitual pelo qual nós trocamos, a cada vez, através das questões e respostas, gostaria, primeiramente, de dar-lhes alguns elementos, eu diria, que são extremamente importantes, antes da chegada da primavera.

Vocês estão, e já sabem disso, a maior parte de vocês, em um período importante; esse período é um período de revelação, é o período de pré-ascensão, é o período no qual vocês estão a cavalo, eu diria, sobre uma dimensão que vocês conhecem há extremamente muito tempo e uma dimensão que alguns de vocês apenas fazem descobrir, de momento, o que se convencionou chamar a quinta dimensão.

Então, o período que se anuncia durante este ano é um período extremamente importante, porque um período de grande transformação interior, um período no qual será necessário fazer as escolhas, ou seja, colocar os prós e os contras de suas decisões, que vão levá-los a escolher, ao nível de sua alma, qual é o caminho que vocês querem experimentar.
Ou vocês decidirão continuar a experiência da terceira dimensão, ou decidirão deixar morrer, em vocês, essa terceira dimensão, para aceder a outro estado de ser, a outra dimensão, que será outro campo de vida, outro campo não de experiências, mas de expansão.

Então, inúmeros de vocês vivem, já há várias semanas, um período, por vezes, extremamente perturbado, com coisas não habituais, tanto ao nível do corpo como ao nível do psiquismo, como ao nível das emoções, porque isso corresponde, também, a esse período de transformação.
Em numerosas reprises, no ano passado, eu já disse que o que acontece no exterior é, exatamente, a mesma coisa que o que vocês vivem no interior.
Todas as modificações, todas as manifestações ligadas aos elementos desse planeta estão, como vocês o veem, completamente desregradas e correspondem, também, a reajustes que se produzem no interior de vocês.
Não é questão de punição, não é questão de carma, é questão, aí, simplesmente, de período de reajuste que é, de algum modo, preparatório às escolhas.

Eu lhes dizia, na última vez, parece-me, que havia períodos que iam crescendo ao nível de manifestações, ou, o termo mais exato, eu diria, de efusão da energia na quinta dimensão que se aproxima de sua terceira dimensão.
Então, houve o período que correspondeu até 27 de fevereiro, que culminou com manifestações de alinhamentos planetários extremamente precisos.
Vocês vão, depois, e muito em breve, viver o período que vai de 18 a 20 de março, período extremamente importante e extremamente carregado, no plano vibratório e, imediatamente após, encadearão com o período Pascal, o fim de semana Pascal, e um impulso de energia ligado à subida na vibração e, também, ao fenômeno preliminar à ascensão que sobrevirá, não ao nível físico, ainda, mas ao nível etéreo e astral, desta vez, durante o período da ascensão, real desta vez, ao nível do calendário.

Então, vocês veem que, para os dois a três meses que vêm, vocês vão viver fenômenos de reajustes, eu diria, importantes.
Então, convém preparar-se.
Preparar-se, isso quer dizer o quê?
Isso quer dizer fazer o claro em si, estar, si mesmo, na clareza a mais total para acolher essa efusão de energia, para preparar os processos ascensionais.
É extremamente importante encontrar períodos de repouso interior, períodos de cura no interior de si para fazer a calma, para acolher o que está acontecendo, mas isso vocês viverão, também, através de manifestações extremamente potentes, no exterior de seus corpos, ao nível do que pode produzir-se ao nível deste planeta, mas isso faz parte, eu repito, de processos de reajustes preliminares aos fenômenos diretamente ligados à ascensão, ascensão em um plano etéreo, para este ano, e ascensão total, nos anos que vêm.

Então, só o Pai conhece a data, e nenhum ser multidimensional, mesmo nas dimensões mais altas do que eu, pode dar uma data precisa, porque, a cada minuto, as coisas reajustam-se, em função da resposta de todo ser humano presente e a vida nesse planeta porque, quanto mais os seres humanos acolhem essa energia de quinta dimensão, mais a transição será facilitada, mais o processo de expansão e de contato com a quinta dimensão será facilitado e será mais fluido, eu diria, e manifestar-se-á em certa forma de harmonia interior.

Então, obviamente, há, na superfície desse planeta, fortes resistências, eu diria, ainda.
É um eufemismo, quando eu falo de fortes resistências, eu diria, oposições violentas a essa emergência dessa nova consciência, mas, também isso, isso faz parte do que acontece no interior de vocês.
Vocês não sentem, em alguns momentos, que há zonas que não querem morrer em vocês?
Há, alguma vezes, o ego que se manifesta e que tem medo, medo do desconhecido, medo desse novo estado de vida de existência que lhes é proposto.

O que acontece no exterior é apenas o reflexo, também, de lutas que vocês têm a abandonar no interior de si, as lutas entre as zonas de sombra que permanecem no interior e que não foram, ainda, iluminadas e que podem traduzir-se por certo fenômeno de tensão, de depressão e de período, por vezes, extremamente difícil de desafio em relação ao próprio sentido de sua existência e ao sentido do destino da alma.
Mas tudo isso, caros amigos, creiam, é estritamente normal.

Todo processo de mudança acompanha-se de grandes interrogações.
No momento em que se anuncia a alguém que ele vai morrer, porque há uma doença terminal, há, obviamente, grandes resistências que se produzem, mesmo quando é chegado no fim de vida, ninguém aceita facilmente, mesmo se seja profundamente crente, profundamente médium, aceitar perder o que foi, de algum modo, seu veículo durante tanto tempo.

Então, o acesso à quinta dimensão representa uma mudança de estado vibratório extremamente importante, extremamente nova, também, para a maior parte de vocês.
Então, isso não se faz sem resistências, sem conflitos interiores.
É, também, a mudança do sentido de valores, tudo o que foi a regra, as regras de funcionamento, as leis espirituais que prevaleciam durante essa encarnação de terceira dimensão, há mais de cinquenta mil anos, vai encontrar-se varrido pela emergência da nova Luz e do novo Sol.

Mas tudo isso vocês sabem, então, eu tinha, simplesmente, a dizer-lhes que, durante os dois a três meses que vêm, é preciso tentar encontrar a calma, mesmo se isso não seja, sempre, muito fácil, eu concebo isso.

Então, após o meu bla-bla, agora, vou deixar-lhes a palavra, para seus questionamentos, se quiserem.

Questão: você teria explicações a dar-nos, sobre os crop-circles?

Esses crop-circles, como vocês dizem em inglês, correspondem, como o sugeriram inúmeras pessoas, à intervenção de planos multidimensionais em sua realidade de terceira dimensão.

Se vocês observam, eu diria, a progressão desses desenhos, progressivamente e à medida desses anos, constatam que há um aumento da beleza, um aumento da complexidade do que aparece.
Há, através desse processo, como que uma espécie de condicionamento para prepará-los para a vinda de dimensões outras que não a sua, para facilitar-lhes o caminho para a quinta dimensão.
É a intervenção e a irrupção, eu diria mesmo, de dois campos de consciência totalmente diferentes, do ser humano da terceira dimensão que é persuadido de estar só (ou, em todo caso, mesmo se crê em Deus, crê que a Divindade não pode manifestar-se na realidade tangível ou de modo tão excepcional como o que se chama o milagre).

Então, essas manifestações são, de algum modo, preâmbulos para a imersão total da terceira dimensão na quinta dimensão e, portanto, para a intervenção maciça do que vocês chamam os irmãos do espaço, os irmãos extraterrestres, mas, também, os irmãos do Intraterra.
São as premissas, se querem, um modo de significar-lhes, de uma maneira suave, a presença e a intervenção iminente dessas forças que, de momento, apenas deixaram poucos vestígios ao nível desse planeta ou, em todo caso, nessa civilização.

Questão: poderia falar de pontos cósmicos importantes na França?

Perfeitamente, isso corresponde a lugares de ancoragem na quinta dimensão.
Na terceira dimensão, esses lugares existem, então, primeiramente, há lugares de que se fala muito, nesse momento, mas que são, de algum modo, enganos, são lugares nos quais se vai atrair os seres para mascarar outro lugar.
É como a contraespionagem, se querem.
Vão-se designar lugares, porque eles são muito fortes para que todo mundo vá olhar ali, o tempo que a subida na vibração dos outros lugares – que, eles, são autênticos – faça-se, de maneira serena, para que eles não sejam, eu diria, invadidos.

Então, não é questão de dar-lhes, em um plano preciso, onde se situam esses lugares de emergência que são vórtices de quinta dimensão.
Há dois deles, extremamente precisos, na França, que vão corresponder, aliás, a lugares de reagrupamento para toda a Europa.

Inúmeras aparições da virgem, já nos séculos precedentes, assinalaram a Grã-Bretanha como algo de extremamente importante.
Então, há lugares de ressonância que não são vórtices de quinta dimensão, mas que são lugares de ancoragem, eu diria, da quinta dimensão, efetivamente, em alguns pontos da Grã-Bretanha.

Mas outros pontos, extremamente importantes, não estão nesses lugares; eles estão situados, eu diria, de uma parte, não muito distante dos pés dos Pirineus, mas não à beira-mar, no interior das terras.
Aí está o que eu posso dizer, de momento.
É uma primeira localização, certamente, muito vaga.

A segunda parte está situada em uma região que não é muito distante de lugares que foram extremamente importantes, em especial, para a emergência de energias de catedrais.

Então, esses pontos, no momento de hoje, bastam-lhes, porque não é questão que centenas ou milhares de pessoas façam como nos lugares como o Bougarache ou como outros lugares que são lugares vibratórios, certamente, mas que nada têm a ver com a emergência da quinta dimensão.
Então, não é questão que eu lhes diga é em tal lugar.
De momento, saibam que esses lugares existem e que, no momento oportuno, penso, sinceramente, que será antes ou após esse verão, vocês terão definições um pouco mais precisas desses lugares, mas, também, vocês devem dar-se conta de que inúmeras pessoas começam a ser chamadas para esses lugares, sem saber porque; porque, talvez, elas tenham sentido um apelo de uma região específica e, mesmo, se não são esses lugares, pode ser outro lugar, que são, talvez, lugares mais preservados em relação a alguns tipos de eventos que foram descritos em múltiplas ocasiões.

Então, esses vórtices não estão, unicamente, presentes na França, obviamente.
Há um pouco deles por toda a parte nos continentes, outros continentes, por exemplo, nas regiões que estão situadas na Meso-América, extremamente importantes; há outro no Canadá, há outro na Nova Zelândia, há outro para a região Ásia-Pacífico.
Mas não me cabe, de momento, desvendá-los de maneira precisa.
Regra geral, cada continente ou subcontinente possui um lugar de vórtice de quinta dimensão que vai permitir, no momento desejado, a atualização da quinta dimensão na terceira dimensão, ou seja, no momento em que a dimensão que vocês chamam terceira vai desaparecer, para deixar o lugar à quinta dimensão.

Questão: poderia falar-nos da reversão do eixo do planeta?

A reversão é extremamente importante, porque essa reversão vive-se, também, no interior de si, a reversão do sentido de valores: os valores materiais serão substituídos pelos valores espirituais, os valores familiares serão substituídos pelos valores galácticos e, também, reversão de polos, obviamente, que vocês conhecem, porque inúmeros profetas já falaram disso, inúmeros canais e médiuns evocam-no sem parar.

Mas vocês têm, diante dos olhos, a realidade do que está se produzindo, então, o polo magnético foi, já, deslocado, de maneira extremamente importante.
Há, também, como preliminar ao basculamento desses polos, algo que acaba de ser descoberto pelos cientistas, que é o fato de que a região a mais alta dos polos está completamente aberta. Há comunicação com o Intraterra.
A região não está fechada pelos gelos, contrariamente ao que se poderia crer.

Então, essas reversões acompanham-se, tranquilizem-se, do abrigo de seres que vão semear a nova dimensão quinta, quando o planeta terra tiver feito sua transição.
O basculamento dos polos é algo que não se faz de um minuto para o outro, é um deslizar progressivo, é um deslizar que já começou, obviamente, e, a um dado momento, quando a influência do Sol Central da galáxia estiver com um ângulo extremamente preciso ao nível dos planetas desse Sistema Solar, desenrolar-se-á uma modificação importante da mecânica planetária, de mecânicas planetárias que fazem com que certo número de rearranjos produza-se ao nível das órbitas, ao nível da reabsorção pelo Sol do planeta Mercúrio, mas, também, do afastamento da Terra da órbita atual na qual ela está.

Mas esses processos, se querem, desenrolar-se-ão em um tempo em que os seres humanos terão, já, escolhido ou prosseguir a experiência na terceira dimensão, ou fazer a transição para a quinta dimensão com o corpo ou sem o corpo.
Nós ainda não estamos aí, isso pode sobrevir entre os prazos que vocês conhecem, ou seja, entre imediatamente e, o mais tardar, 21 de dezembro do ano 2012, mas de tudo isso, vocês já sabem, inúmeras pessoas falaram.

Então, o processo de reversão corresponde, também, a uma reversão no interior dos corpos que vocês têm, atualmente.
Atualmente, vocês têm um corpo de terceira dimensão, esse corpo de terceira dimensão corresponde a um átomo específico constituinte, que é o carbono.
A transição de corpo de terceira dimensão ao corpo de quinta dimensão acompanhar-se-á de uma transmutação do núcleo carbonado.
Para aqueles que continuarão com o corpo na quinta dimensão, que ascensionarão com o corpo, há uma passagem preliminar de todos os núcleos carbonados em núcleos silício, sílica, isso permitirá uma transparência do corpo.

Paralelamente a isso, haverá uma modificação da estrutura DNA, as duplas hélices começarão a duplicar-se, para quando a quinta dimensão estiver totalmente estabilizada.
O número de fitas de DNA será profundamente aumentado, ou seja, a Divindade e a vibração da quinta dimensão nada mais têm a ver com a estrutura física, tal como vocês a vivem hoje, o que não quer dizer ausência de estrutura física, mas estrutura física muito mais etérea, muito mais transparente, com regras de propagação da vida, de propagação da Luz que serão profundamente diferentes.

Então, a reversão é uma reversão profundamente interior, primeiro.
Ela é ligada à influência direta da energia de quinta dimensão sobre a terceira dimensão.
A terceira dimensão é uma dimensão de experiência, é uma dimensão na qual vocês vivem há agora cinquenta mil anos, mas é uma dimensão, como diziam os orientais, de ilusão, de maya, que permite experimentar a ausência de Luz.
Mas o objetivo do humano, do ser único que está no interior desse ser humano, não é experimentar a privação de Luz tão longo tempo.

Então, há um dado momento, no qual a experiência deve terminar, para aceder ao seu verdadeiro estado de ser multidimensional.
A ilusão é esse corpo, entretanto, a vida está presente e a Luz está presente nessa terceira dimensão, mas é preciso, efetivamente, compreender que o acesso à quinta dimensão não evolui mais, de modo algum, na mesma linearidade de tempo.
Os princípios de causalidade que vocês conhecem não terão mais qualquer sentido, os princípios de passado, presente, futuro não terão mais, tampouco, qualquer sentido.
Inúmeros paradigmas, inúmeras coisas mudaram, é por isso que é preciso ter-se pronto, ou seja, viver, como dizem os orientais, no desapego, e inúmeras pessoas entre vocês vivem situações nas quais o desapego é como desejado do exterior, com, por vezes, provas, certamente, difíceis a viver, mas isso faz parte da evolução espiritual, porque ninguém pode penetrar o reino dos céus, como dizia Jesus, se não volta a tornar-se como uma criança.
Ninguém pode penetrar a quinta dimensão com resíduos da sombra da terceira dimensão.

Aí está o que vocês estão vivendo, em diferentes níveis, todos, uns e os outros.

Questão: o que se tornarão as pessoas que não desejam ou que não poderão aceder a essa quinta dimensão?

Então, ou um meio ciclo de vinte e seis mil anos, ou um ciclo inteiro, de cinquenta e dois mil anos.
Elas o farão em outra Terra porque, quando vocês veem a Terra, têm a impressão de que ela existe apenas em terceira dimensão, mas é uma visão do espírito, porque vocês estão fechados para a percepção de outras dimensões.
Mas todo ser humano é um ser multidimensional que reuniu seus corpos nesse corpo de terceira dimensão.
Assim como a Terra, vocês veem seu corpo físico, mas a Terra é um ser espiritual, com um coração espiritual, com múltiplas dimensões possíveis de vida.
É, efetivamente, por isso que eu falei de translação ou de transição.

A Terra de terceira dimensão não desaparece, mas é, antes, os seres que se tornarão transparentes, se acedem à quinta para reencontrar-se em uma Terra de quinta dimensão.
Então, eu diria, é um pouco difícil a explicar com palavras, é como se, a um dado momento, algo está aí e, em outro momento, não está mais aí.
O que não quer dizer que desapareceu, são vocês que ascensionaram, vocês ascensionaram para juntar-se à Terra, na dimensão sagrada dela.

Então, aqueles que não quiserem fazer a escolha, ou porque terão a liberdade de alma para permanecer na terceira dimensão, ou porque têm a vontade de prosseguir a experimentação da sombra e da Luz, ou porque não estão suficientemente prontos, ou porque têm demasiado apegos, bem, prosseguirão essa experiência de terceira dimensão.
Não há qualquer julgamento aí, não há qualquer fatalismo, eu diria, é, simplesmente, a livre escolha de cada um em face de prazos que, de qualquer modo, não concernem, unicamente, ao ser humano, a título individual, mas concernem ao conjunto desse Sistema Solar.

Questão: assim como há lugares que são preparados para a ascensão e que são dedicados a isso, há pessoas que irradiam essa dimensão e que são dedicadas a esse acompanhamento?

Mas a maior parte dos seres humanos ou aceita ou recusa, mas submetem-se à energia da quinta dimensão, então, há os que vão absorver muito dessa quinta dimensão e que vão começar a irradiar e a viver na quinta dimensão, pelas transformações que são as deles, ainda que apenas pelas mudanças de hábitos, seja alimentar, seja de modo de vida, seja por experiências que implicam a quinta dimensão.
Porque a quinta dimensão é, também, uma renúncia a algumas formas de manifestações da vida em terceira dimensão, não unicamente ao nível alimentar, mas, também, em todos os níveis de vida, o sentido o mais amplo (emocional, mental, comportamental).

E, efetivamente, há muitos seres humanos (infelizmente, não o bastante, ainda) que são capazes de vibrar nessas frequências de quinta dimensão, cada vez mais frequentemente.
Felizmente, porque, se nós não tivéssemos os retransmissores humanos para assentar, para cristalizar, de algum modo, eu diria, enraizar, se preferem, essa energia de quinta dimensão na terceira dimensão, isso seria um problema insuperável.

Questão: poderia desenvolver essa noção de escolha?

Então, a noção de escolha leva a falar de determinismo e livre arbítrio.
Então, aqueles que não passarão pela transição de quinta porque, ou o nível de consciência é demasiado baixo, ou porque há medo, ou porque há um nível – entre aspas – de evolução que não é o mesmo, eles viverão a ascensão em outro tempo, outro espaço, que corresponde, em tempo terrestre, a vinte e seis ou cinquenta e dois mil anos.

Portanto, pode-se dizer que se tem a escolha de aceitar ou de recusar ir para a quinta dimensão.
Mas em momento algum há noção de julgamento.
Nem todo mundo passará à quinta dimensão, porque há os que não quererão, porque há os que quererão prosseguir a experiência, porque haverá os que terão medo, porque há, também, os que não estarão prontos, mas estes continuarão a viver em terceira dimensão, não há problema.

Quando os seres humanos, por exemplo, são arrebatados por um sismo ou por eventos de natureza x ou y, ao nível do que acontece sobre esta Terra, pode-se dizer, também, que, talvez, eles não tivessem a escolha, naquele momento, que, talvez, eles tivessem a escolha de não estar nesse avião que explode ou nesse lugar no qual há tremores de terra.
Vocês abordam, aí, a noção de determinismo e de livre arbítrio.

O ser humano é completamente determinado, sua determinação é a de juntar-se à Divindade e, para isso, ele tem a eternidade, e essa eternidade é indefinida.
Seres estão prontos para subir à quinta dimensão, não há qualquer julgamento aí; eles estão prontos e esperam, há extremamente muito tempo, essa ocasião de acompanhar o Sistema Solar em sua transição para a quinta dimensão.
E outros não estão prontos, de modo algum, para viver isso, nesse espaço e nesse tempo, então, eles prosseguirão a experiência da terceira dimensão.

Não há julgamento, eu diria, de valor, através da capacidade ou incapacidade, da vontade ou não vontade de penetrar a quinta dimensão.
O que é importante é estar consciente de que esse processo está a caminho e, isso, vocês veem, obviamente, todos os dias, no exterior de si, e isso vai, como vocês constatam, cada vez mais rapidamente.

Questão: o acesso à quinta dimensão corresponde à nova Terra de que fala São João?

Obviamente.
Vocês entraram em cheio na abertura do último salto, vocês entraram na última etapa já há muito tempo.
O período que vocês vivem começou quando do último eclipse do Sol, de 11 de agosto de 1999 e, durante esse período, de 1999 e até dezembro de 2012, vocês entraram no último ciclo, nas doze últimas etapas ou doze últimos anos que correspondem aos doze trabalhos de Hércules, aos doze degraus que vocês devem escalar para aceder à sua multidimensionalidade.

Os sinais estão presentes no céu, os sinais estão presentes sobre a Terra, os sinais estão presentes em vocês.
É evidente que a terceira dimensão é um beco sem saída, não pode haver paraíso na terceira dimensão, porque é um domínio de experiências da sombra e da Luz que, necessariamente, termina por um disparate, mas que era uma experiência desejável para aqueles que a viveram, obviamente.

Questão: por que não é feita referência à quarta dimensão?

A quarta é transitória, não é um lugar de manifestação de vida, é um lugar de ligação de vida, do mesmo modo que vocês têm um corpo de terceira dimensão, que é organizado, sustentado pela segunda dimensão, mas vocês não vivem na segunda dimensão.
Similar, do mesmo modo, vocês não vivem e não têm que experimentar dimensão em dimensão.
As dimensões de vida são vidas possíveis na quinta, sétima, nona, décima primeira, décima oitava e vigésima quarta dimensões.
As dimensões intermediárias são apenas apoios da manifestação da vida na dimensão correspondente.

Após a terceira é a quinta.
Após a quinta, sétima (para alguns, não para todo mundo), mas, sobretudo, nona, e assim por diante.
Então, a dimensão quarta é uma dimensão de apoio, de transição, se preferem, para a quinta dimensão, que é um lugar de experiência real e de primeira etapa.

A quinta dimensão é a primeira etapa da multidimensionalidade porque, na quinta dimensão, não há mais alternância entre o dia e a noite, não há mais alternância entre a vida e a morte, tal como vocês a concebem na terceira dimensão.
Há um fenômeno que é contínuo e que sai do tempo.
É difícil a explicar com palavras, entretanto, é a realidade, ou seja, que quinta dimensão é uma dimensão na qual todas as limitações que eram as suas na terceira dimensão são completamente abolidas.

Questão: antes dessa encarnação sobre a Terra, hoje, nós já vivemos essa experiência de quinta dimensão?

Obviamente.
Vocês vêm de onde?
Vocês vêm da Fonte, vêm do mais perto do coração do Pai, ou seja, vocês são a Luz, são Deus, são Um e decidiram afastar-se da Fonte e, para afastar-se da Fonte, é preciso descer as vibrações, descer as dimensões para aterrissar nessa fase que é a terceira dimensão e, enfim, através do impulso da experiência da sombra e da Luz, voltar a subir para a Luz.

Vocês estão no caminho do retorno, mas vocês fizeram a ida, obviamente, se se fala de retorno.
Vocês não nasceram da matéria.
Como dizia Cristo: «seu reino não é sobre esse mundo, nem desse mundo», «vocês vêm do Pai e retornam ao Pai».

Então, obviamente, nem todas as formas de vidas desceram até esse sacrifício da terceira dimensão (porque foi um sacrifício, o que alguns chamaram a queda).
É um domínio de experiências dolorosas.
A dor faz parte dessa dimensão, ela não faz parte de outras dimensões, porque nas outras dimensões não há ruptura em relação à Divindade, em relação à essência, há uma consciência permanente da Divindade.

Então, vocês não nasceram na terceira dimensão, mas nem todos os seres evoluídos, nem todos os seres divinos que vêm da Fonte passam, necessariamente, por essa fase de encarnação.
Mas a fase de encarnação é, como eu diria, uma escavada alquímica que vai fortificar sua vontade de Luz, sua vontade e sua sede de Unidade.
É uma experiência como uma escavada alquímica, é doloroso, é preciso dissolver, antes de voltar a coagular alhures, isso é importante a compreender.

Então, essa dimensão de vida de terceira dimensão foi a sua durante numerosas encarnações.
Para a maior parte de vocês, ela foi desejada por altas entidades que são os Melquisedeques, ou seja, a Ordem da Fraternidade Branca Solar, a Ordem da Fraternidade Branca de Melquisedeque, que autorizou a descida na matéria, como experiência de vida.

Então, foi a humanidade que decidiu seguir o que desejou esse grande ser, que decidiu a descida na encarnação, mas vocês tinham a escolha, naquele momento.
Em contrapartida, uma vez que vocês aceitam a encarnação, são obrigados a ir ao fim de um ciclo completo.
Mas, progressivamente e à medida que vocês descem à encarnação e às experiências de vida, vocês criam o que inúmeras tradições chamaram o carma, as leis de ação-reação, vocês se tomam no jogo da encarnação, criam leis, criam sistemas, criam mundos, civilizações que são mortais, por essência, uma vez que a terceira dimensão pode apenas ser mortal.

Lembrem-se de que é um beco sem saída, mas o beco sem saída não é inútil, é, simplesmente, o meio de voltar-se, total e livremente, para sua multidimensionalidade, enriquecidos de todas as experiências do jogo da sombra e da Luz.

Questão: nessa descida, nós deixamos partes de nós mesmos, de nossa Luz?

Toda a Luz está no interior de vocês, ela é, simplesmente, sufocada pelos véus da encarnação, pelo peso da encarnação, mas eu lhes garanto que todos aqui presentes são seres divinos, vocês estão em sua total Unidade.
Simplesmente, seu mental os fez crer que não era possível, mas vocês são totalmente inteiros, são totalmente únicos e um.
Vocês encarnaram corpo, alma, espírito, mas encarnados em tal grau de densidade que vocês se esqueceram de onde vêm.
O retorno à casa é o retorno à imersão na quinta dimensão.
Não há ser vivo sobre a Terra que esteja ignorante, no fundo dele, no mais profundo dele, da Unidade e da Divindade que ele é.
Mesmo as almas as mais sombrias que decidiram, voluntariamente, cortar o que vocês chamam o cordão de prata que os religa à sua alma (poder-se-ia chamá-las almas condenadas), elas também farão o retorno, um dia, à Luz.
É por isso que não se deve, jamais, julgar, porque vocês são todos os mesmos, as diferenças que vocês percebem são ligadas apenas ao véu colocado pelo ego.

Questão: a que correspondem as dimensões um e dois?

A dimensão um corresponde ao átomo, a dimensão dois corresponde ao movimento do átomo e à energia e às forças gravitacionais, às forças eletromagnéticas.
A dimensão três é aquela na qual vocês vivem, que é enriquecida do que vocês chamam emoção, e a dimensão cinco é a dimensão causal, é ao que se revela a Divindade.

Questão: pode-se considerar que, na dimensão cinco, a dualidade não existe mais?

Isso é perfeitamente exato, e vocês não podem entrar na quinta dimensão se há, ainda, o mínimo traço de dualidade em vocês, entre a sombra e a Luz.
A dualidade é um processo específico da terceira dimensão.
__________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.