Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

19 de jun de 2008

JOFIEL – 19 de junho de 2008



DO SITE AUTRES DIMENSIONS.


Eu sou o Arcanjo Jofiel, Arcanjo da Luz Dourada e do Conhecimento.
Eu venho prosseguir, junto a vocês, certo número de informações que eu já lhes comuniquei há alguns meses.
Eu venho, hoje, prepará-los.
Vocês estão, de fato, na aurora de um dia novo.
Quem diz «aurora de um dia novo» significa que, presentemente, vocês estão na noite, na obscuridade na qual a Luz não brilha.

Devido às escolhas de suas encarnações, vocês experimentam, em graus diversos, em espaços diversos, a experiência da separação, a experiência da Sombra, e buscam, ardentemente, a Luz.
Seu globo, no qual vocês estão encarnados, acompanha-os nessa viagem e nesse caminho.
Ele fez, tanto quanto vocês, a promessa de voltar, um dia, à Luz.
Assim como vocês fizeram, um dia, a promessa de voltar à Luz.
Os múltiplos jogos de suas encarnações desembocaram em uma opacificação de sua Luz interior, para viver, em graus diversos, a experiência, como eu já disse, do peso.

Sua Terra e vocês mesmos estão, realmente, agora, na aurora de um dia novo, mas, antes que a aurora chegue, vocês devem descer ao mais profundo de sua interioridade, para ali encontrar o impulso necessário ao seu retorno à Luz, se tal é sua escolha, se tal é seu destino.
Ninguém vem forçá-los, ninguém vem constrangê-los a escolher a Luz.
Estejam bem conscientes de que o período que foi inaugurado no início deste ano, confirmado no início do mês de maio deste ano, que vai durar certo tempo, é um processo de maturação, de maturidade, que deve conduzi-los, pouco a pouco, de maneira gradual, para um processo chamado «ascensão» ou «despertar».

Não se trata de um despertar limitado à sua dimensão, mas um despertar que comporta um acesso amplo à sua transdimensionalidade.
Não se trata, unicamente, de um retorno ou de uma reconexão à sua essência, mas, efetivamente, de uma ampliação a estados múltiplos do ser, aos quais vocês não tinham acesso até o presente.

Eu disse, em uma intervenção anterior, que, progressivamente e à medida das semanas que se escoam, doravante, inúmeros de vocês terão acesso a essa transdimensionalidade, à dimensão de contatos transpessoais, em especial com o mundo de onde eu venho, que é o mundo angélico.
Isso poderá fazer-se de diferentes maneiras, por diferentes vias, em diferentes momentos, que alguns de vocês já experimentam, que é o contato com o Anjo.
O contato com o Anjo não é o despertar, mas, simplesmente, a promessa, se tal é sua escolha, de ajudar-se, nessa viagem nova desse dia novo que vem para vocês.

Eu gostaria de dizer-lhes, também, que eu vim, neste ano que vocês vivem, inaugurar o que eu chamei, quando de minha primeira intervenção, o ano da revolução.
De fato, deixar um estado para aceder a outro estado, por mais luminoso que seja, necessita, sempre, de fazer um luto.
Trata-se de um novo nascimento e, portanto, também, de uma nova morte, para aqueles que o desejarem.

Vocês são, todos, confrontados, e vocês serão, cada vez mais, confrontados às necessidades imperiosas de escolha, de decisão, que chamam, por vezes, revoluções imediatas e importantes de seus caminhos de vida.
Progressivamente e à medida que vocês avançarem neste ano (e no período de quarenta e dois meses, já mencionado), vocês deverão, se tal é sua escolha, despojar-se.
Despojar-se quer dizer pôr-se a nu, tirar as Sombras, tirar o que obstrui, até o presente, a manifestação do ser de Luz que vocês são.
Para isso, vocês deverão vencer alguns apegos, alguns comportamentos.
Vocês deverão superar algumas condições.
Vocês deverão estar afirmados em sua vontade e sua certeza de Luz.

Progressivamente e à medida da irrupção da Luz, progressivamente e à medida que se aproximarem da aurora de um dia novo, vocês observarão, no interior de suas vidas, no interior de seus campos vibratórios, até o nível o mais físico, a presença de tensões contraditórias entre a vontade de Luz e a vontade de Sombras.
Ninguém os julgará.
O Anjo apresenta-se para que, em todo conhecimento e em toda consciência, vocês tenham acesso à livre escolha de decisões que tenham formulado já há alguns anos.
Mas, hoje, são necessários atos.
Hoje, não se trata mais de decisão mental, mas de decisão concreta que engaja, totalmente, para uma duração longa, o caminho que vocês tomaram na nova dimensionalidade ou, ao contrário, em campos de experiências da terceira dimensão.

Não há qualquer juiz, se não é sua própria escolha.
O único problema, através dessa aurora que faz irrupção em breve em suas vidas, em seu planeta, traduz-se por certo número de tensões para dimensões que tudo opõe: dimensão de Sombra (que não é escuridão, mas que é apenas ausência de Luz e continuação da experiência da encarnação) e, do outro, a escolha da Luz, a escolha de transportar esse corpo que os anima na Luz.
Por vezes, para alguns de vocês, será a escolha da Luz, mas sem o corpo.

Eu não lhes esconderei que a maioria da humanidade, presentemente encarnada na superfície desse planeta, decidiu prosseguir a experiência da encarnação.
É a liberdade deles, ela é imprescritível, ela é inviolável e é respeitável.

Hoje, vocês estão nos instantes em que devem colocar os atos concretos, reais, materiais de suas escolhas.
Vocês não podem permanecer entre duas escolhas.
Isso não é mais possível.

Lembrem-se, também, de que eu falei de luto, de deixar um estado para aceder a outro estado.
Qualquer que seja a Luz do estado a vir, se vocês a escolhem, não se enganem, porque será preciso separar as coisas, por vezes, de maneira dolorosa.

Mas a experiência que lhes é proposta é única, na história das almas.
Trata-se de grandes instantes, de grandes momentos que se apresentam a vocês.
A alma humana, quando de sua descida à encarnação, nesse ciclo ou em ciclos anteriores, encarnações decididas de sua própria escolha, prometeu e recebeu a promessa do Anjo de que, no momento oportuno, a reconexão estaria, novamente, ativa.
São esses momentos que vocês vivem agora.
Cada um à sua maneira, cada um ao seu modo vive, hoje, o reencontro com o Anjo que vem lembrá-lo de sua promessa e da necessidade imperiosa de escolher a ascensão ou o prosseguimento da experiência.

Não se trata de um ato intelectual, não se trata de um ato emocional, trata-se de um juramento e de um ato concreto que engaja, ainda uma vez eu o repito, o destino da alma.

Tentem atrasar-se o menos possível nas Sombras que os prendem.
Mas, eu repito, se vocês devem escolher o caminho da experiência de encarnação novamente, será preciso, de qualquer modo, também, viver o luto da Luz, desta vez.
Tanto em um caso, como no outro, dito em outros termos, qualquer que seja sua escolha, ela é tão respeitável quanto a outra escolha, mas não os fará economizar a sensação de luto e de novo nascimento.

Existe um único modo, para a alma que decide prosseguir a encarnação, lembrar-se da promessa do Anjo: é fazê-la reviver a promessa do Anjo.
Assim é a cada fim de ciclo e a cada novo ciclo.
Eu repito, também: não se atrasem no alarido do mundo, não se atrasem nos ruídos desse mundo.
Qualquer que seja a natureza dos eventos que chocaram, chocam ou chocarão as multidões de seres humanos, em diferentes lugares do globo, tais como eu os defini quando de minhas últimas intervenções, o que choca não choca ao acaso, mas corresponde a escolhas de grupos de almas.
Não vejam, aí, infelicidade, mas vejam, efetivamente, uma liberação para permitir viver a promessa do Anjo e para fazer a escolha de permanecer sem corpo na ascensão ou retomar corpo, para continuar a experiência.

Essa passagem é uma passagem obrigatória.
Não há alternativa.
Essa passagem não é nem uma punição nem uma recompensa.
Essa passagem faz parte da própria existência dos ciclos.
Ciclos ilustrados pelo dia e a noite, ciclos ilustrados pelas estações, ciclos ilustrados pelos elementos e pelos próprios movimentos dos sistemas solares.

Vocês estão, realmente, na aurora de um dia novo.
Vocês devem penetrar a energia do Anjo.
Certo número de estruturas fisiológicas modifica-se em vocês, para permitir essa passagem e essa escolha.
Todo ser humano, eu digo, efetivamente, todo ser humano viverá essa passagem.
Não existe qualquer alma que seja poupada por essa passagem.

Eu repito, o alarido do mundo não lhes concerne de maneira exterior, mas, sim, interior.
O que vocês observam no exterior digam-se, efetivamente, que isso acontece no interior, em algum lugar em seu corpo.
Em breve, vocês compreenderão que o mundo que observam no exterior de si nada mais é do que vocês mesmos, que para nada serve criticar tal ou tal ação, tal ou tal pessoa, porque tudo isso lhes pertence e é você mesmo.

Caros seres de Luz em encarnação, minha presença é destinada, sobretudo, a favorecer essa transdimensionalidade, o acesso ao seu Anjo.

Antes de fazê-los comungar nesse espaço de transdimensionalidade, pela irradiação da Luz Dourada que me anima, se vocês têm interrogações concernentes, de maneira exclusiva, ao que eu acabo de falar-lhes, gostaria de tentar aportar uma iluminação suplementar.

Questão: o que você entende por «ato concreto»?

Eu entendo por «ato concreto» a noção de concretizar, de tornar reais, de tornar manifestadas uma decisão e uma escolha.
O ser humano em encarnação tem tendência, regra geral, a tomar decisões em sua cabeça, em seus campos vibratórios sutis e, bem frequentemente, jamais levá-las a termo porque, muito frequentemente, parece-lhes ter todo o tempo.

Existem períodos da história da alma em que os tempos da encarnação são contados.
O ato concreto é a confirmação de suas escolhas.
É um engajamento marcado pelo selo de sua alma e de seu Espírito.

Esse aspecto concreto pode tomar, conforme as almas, caminhos diferentes.
Ainda uma vez, elas podem necessitar de certas formas de rupturas em relação aos seus próximos, em relação ao seu país, em relação aos seus hábitos, em relação aos seus modos de funcionamento, porque se trata de uma mudança completa de paradigma, de visão e de vida, simplesmente, que não é amanhã, que é hoje.

Questão: qual é a diferença entre ascensionar com ou sem o corpo?

Até o presente, o processo da morte não era um processo de ascensão.
O processo da morte era um processo de liberação de certa materialidade, que permitia o acesso a certa dimensão, qualificada de intermediária, mas, em caso algum, uma ascensão, diretamente, na Luz.
Uma visão da Luz, um acesso a alguns mundos infraluminosos, para alguns.
Hoje, toda alma que deixa sua vida, seu corpo, vê-se propor-se a escolha da reencarnação ou da ascensão.
Agora, no que concerne ao processo de ascensão com o corpo, é um processo extremamente luminoso, extremamente potente.

Eu os remeto, para isso, às palavras gravadas por São João no Apocalipse.
A ascensão com o corpo necessita de certo número de preliminares.
Lembrem-se das palavras de São João: «haverá muitos chamados, eles serão marcados na fronte».
Os escolhidos, o que quer que esse termo possa parecer presunçoso, correspondem, entretanto, a uma realidade: os seres que tiverem feito a escolha consciente, deliberada, concreta da ascensão com o corpo levarão o corpo físico à nova dimensão, que é outra forma de corporeidade, mas que não está mais submissa às mesmas leis que vocês experimentam na encarnação sobre este planeta.

Esse processo é um processo energético que recorre a fenômenos de abertura que utiliza chaves ascensionais que já foram evocadas (ndr: canalização do Intraterra, de 23 de maio de 2008).
Eu repito, vocês não estão aí.
É-lhes solicitado, neste ano, estar no concreto de suas escolhas e de suas decisões.
É um período, para aqueles que permanecem na encarnação, no qual a transdimensionalidade, o contato com o Anjo é essencial.

Para nada serviria detalhar o processo ascensional em si, enquanto vocês não estiverem nos últimos instantes da noite que precede a emergência da aurora.
Retenham, simplesmente, que aqueles que decidiram ascensionar sem o corpo (trata-se, nesse caso, do que vocês chamam de partidas em massa), fazem-no em toda lucidez.

As duas rotas, os dois caminhos são mostrados: prosseguir a experiência da encarnação ou escolher a ascensão, de maneira a voltar com um corpo ascensionado na nova Terra, em um tempo relativamente próximo.

Questão: aqueles que vão ascensionar com o corpo terão por papel acolher aqueles que vão ascensionar sem o corpo?

Em certa medida, para certo número, a resposta é «sim».

Questão: há uma relação entre o que você chama a ascensão e o que nós chamamos física quântica?

Eu posso responder «sim», mas de maneira extremamente vaga.

Questão: como se pode traduzir o contato com o Anjo?

Por uma percepção, por uma visão concreta de seu Anjo.
Geralmente, em um primeiro tempo, sob a forma do que vocês chamam «sonho».
Para a maior parte de vocês, em um fenômeno que sobrevém de maneira noturna, pela ativação preliminar de alguns canais de transcomunicação que podem traduzir-se por vibrações ao nível de suas estruturas corporais, ao nível da cabeça, mas, também, do coração.

Mas trata-se de um reencontro real.
Um Anjo não é um homem, exceto se ele venha tomar corpo, mas, naquele momento, ele estaria em encarnação de carne, como vocês.
Eu falo de transdimensionalidade, de transcomunicação, portanto, de contato com um ser de pura Luz.

Questão: como estar no soltar total, para estar em coerência com nossa alma, apesar de nossos medos, de nossos apegos?

Se eu respondesse a essa questão eu interferiria com a vinda daquela que, em sua vida, chamava-se Ma Ananda Moyi.
Eu a deixarei responder a essa questão, que é, aliás, o objetivo de sua intervenção.
(ndr: canalização de Ma, no mesmo dia, 19 de junho de 2008).

Questão: vibrações fortes, pesos, podem refletir uma comunicação com o Anjo?

Sim.

Questão: essa forma de comunicação com o Anjo não é bloqueada por nosso próprio psiquismo?

Em alguns seres, sim.
A revelação da presença do Anjo não é suficiente, em si mesma, para propiciar o despertar ou a liberação ou a ascensão.
Ela está, simplesmente, aí, para lembrá-los da promessa, quaisquer que sejam suas escolhas.

Questão: como facilitar, o melhor possível, essa transcomunicação?

Ela não necessita de trabalho específico.
Ela é inscrita na lógica de eventos inevitáveis de fins de ciclo.
Ela se manifesta neste ano de revoluções, porque o reencontro com o Anjo é uma revolução.

Questão: como se articula a escolha da encarnação com aquela da ascensão?

Eu repito: a escolha da encarnação faz-se em um ciclo no qual vocês estão, presentemente, uma vez que estão encarnados.

Nesse ciclo, que se estende sobre várias dezenas de milhares de anos de seu tempo, vocês têm várias encarnações.
A escolha, que é proposta hoje, nada tem a ver com uma escolha de encarnação.
É uma escolha entre a ascensão – com diferentes modalidades – com a escolha da encarnação da experiência, de novo, ou seja, prolongar o ciclo (recomeçar um ciclo, mais exatamente).
Enquanto, entre duas encarnações no mesmo ciclo, vocês não tinham a escolha.
A diferença essencial está nesse nível.

Questão: o nível de consciência pode intervir?

Sim.
Quanto mais o nível de consciência é expandido, mais a maturidade da consciência é grande, mais a consciência é consciente, mais o reencontro com o Anjo é fácil.

Mas não se enganem: a consciência pode ser extremamente ampla e, entretanto, apresentar numerosos apegos ou alguns apegos extremamente sólidos.
Enquanto, ao contrário, para outras almas encarnadas que teriam uma consciência menos expandida, mas cujos apegos seriam mais frágeis na encarnação, para esse tipo de almas, também, a transcomunicação do Anjo poderia ser muito mais fácil.

Questão: para facilitar essa transcomunicação, pode-se pedir, no momento do adormecimento, para estar em contato com o que se chama o alto astral?

O alto astral pertence à sua dimensão de vida e de experiência.
Ela não está além da terceira dimensão.
É, mesmo, a especificidade dela, mesmo em seu nível o mais alto.
A transdimensionalidade de que eu faço referência situa-se em níveis vibratórios ou dimensionais muito mais elevados, que são, mesmo, bem mais elevados do que os níveis que vocês chamam, em sua encarnação, a quinta dimensão.

Assim, portanto, conviria, ao invés disso, pedir, antes de dormir, um acesso não ao alto astral (que é a mesma dimensão que a sua, em um nível mais etéreo), mas o acesso á transdimensionalidade e, portanto, o acesso ao reencontro com o Anjo.

Questão: pode-se estar em contato com aquele a quem se chama Cristo?

Sim, e de múltiplas maneiras, na condição – em uma expressão que vocês empregam – de não se enganarem [a expressão, em francês, utilizada, foi: “prendre des vessies pour des lanternes”, literalmente, tomar bexigas por lanternas].

Cristo é uma alta entidade.
Cristo é um nível vibratório e uma presença que está bem além do que alguns creem transmitir, através de algumas denominações de tipo Oriental ou hinduísta, que são apenas paródias bem lúgubres do que é Cristo.
Entretanto, todo ser humano encarnado tem a possibilidade, real, de contatar e de comunicar-se com Cristo.

Ele disse, efetivamente, em Sua vida: «quando vocês forem três reunidos em meu nome, eu estarei entre vocês».
Isso era e é uma realidade.
É preciso, entretanto, usar de discernimento e não de julgamento, para reconhecer o que vem da Luz e o que não vem da Luz.

Cristo é, também, um estado interior, que necessita de uma pureza absoluta do coração e não do canal.
O que explica que entidades humanas encarnadas, profundamente degradadas ao nível do próprio corpo físico, tenham podido reencontrar Cristo, em todas as nações, em todas as épocas.

A comunicação com Cristo é uma comunicação que passa pelo coração e não pelo canal.

Questão: Cristo está, verdadeiramente, presente na igreja católica?

Cristo está presente no ser humano.
Ele não está, jamais, presente em representações ou associações, quaisquer que sejam.
Cristo está presente na hóstia, se o sacerdote que oficia é o corpo do Cristo.
Não basta elevar uma hóstia para que, através de um ritual, o corpo de Cristo esteja.
Entretanto, a pessoa que tem suficiente fé nessa hóstia e em Cristo, então, ela terá o Cristo.
Mas tudo depende da fé daquele que oficia, mas, sobretudo, da fé daquele que recebe.
Mas, em caso algum, Cristo está presente nessas associações humanas que reivindicam a presença de Cristo.
É uma coisa reivindicar um estado, é outra coisa vivê-lo.

Questão: Cristo acompanha as mudanças que vivemos?

Cristo disse, no Apocalipse, que Ele voltaria como partiu.
Cristo ascensionou com Seu corpo físico.
Ele voltará tal como partiu, com o corpo de Glória, tal como Ele disse, tal como escreveu São João.
Cristo chegará depois, no momento final.
As etapas preparatórias que vocês vivem há numerosos anos são orquestradas, antes de tudo, pelas dimensões arcangélicas, mas, também, por aqueles a quem vocês chamaram, à sua maneira, seus irmãos galácticos.
Cristo está presente no homem que tem o coração puro.
Cristo estará presente, de maneira exterior (ou exteriorizada, se preferem), no momento propício em que o dia se levanta, mas não antes.

Questão: os Evangelhos são fiáveis?

As alegorias são importantes.
Não vejam, ali, uma história real e concreta, mas, efetivamente, a história de uma epopeia, não histórica, no sentido literal.
O importante é a alegoria, exceto para o Apocalipse dito de São João, que descreve, de maneira formal, extremamente precisa e detalhada, sua época.
Isso tem apenas pouca importância nos processos que vocês têm a viver hoje, porque esses eventos são os mesmos que vocês leram na Bíblia, no Corão, nas Escrituras Bíblicas ou qualquer outro tipo de escritura.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Se vocês o permitem, penso que é bom, agora, que procedamos à emissão da Luz Dourada, antes de deixar o lugar àquela que se faz presente, agora, e que foi chamada Ma Ananda Moyi (ndr: canalização do mesmo dia, de 19 de junho de 2008).

Caros seres de Luz em encarnação, eu lhes peço para descruzar braços e pernas, abrir seu sorriso interior, acolher a vibração da Luz Dourada que vai ser-lhes retransmitida agora.

Eu lhes apresento todas as minhas homenagens para seu caminho, todos os meus agradecimentos por sua escuta.
Eu teria, entretanto, necessidade, no momento da emissão, porque devo pôr em pé o canal, de um apoio lateral, à esquerda e à direita.
Bastará, quando esses apoios estiverem aí, segurar o braço do canal.

... Efusão de energia...
______________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/

MA ANANDA MOYI – 19 de junho de 2008



DO SITE AUTRES DIMENSIONS.


Meus bem amados, eu sou aquela que, em sua vida, foi chamada Ma Ananda Moyi.
Eu venho apresentar-lhes todas as minhas bênçãos, todo o meu Amor e dizer-lhes e redizer-lhes em qual ponto a Essência de seu ser é Amor e Luz, que fora dessa realidade, todo o resto é apenas ilusão.

A diferença que existe entre vocês, o que eu sou e o que vocês ainda não são, é tão fina como um papel de cigarro, que se tem ao não reconhecimento dessa verdade essencial de seu Amor e de sua Luz.

Os apegos, as experiências que animam sua vida são, por vezes, efetivamente, dificilmente superáveis, dificilmente transcendíveis.
Isso é apenas uma ilusão a mais.
Seu Espírito foi tão habituado a viver nesse estado de separação, nesse estado de sofrimentos, que lhes é difícil conceber a proximidade do estado de Amor e do estado de Luz e, no entanto, meus filhos, não há qualquer distância outra que não aquela que vocês creem que há.

São suas crenças que os mantêm na ilusão, que os mantêm nessa noção de distância que não existe.
Certamente, em determinados momentos da experiência de suas vidas, vocês escolheram jogar o jogo da separação, jogar o jogo do afastamento, mas é apenas um jogo.

A Luz é onipresente.
Se a Luz não estivesse aí, não haveria vida, simplesmente, não haveria experiências, tampouco.

Assim, mesmo no estado de desconhecimento ou de distância que vocês colocam entre suas vidas e a Luz, não há, aí, qualquer distância, exceto aquela que põe seu mental e a ilusão que vocês mesmos criaram.
O Amor é uma evidência.
O amor é uma realidade, e a única Verdade.

Meus bem amados, o que podem as palavras?
O que podem as frases?
Nada, para fazê-los aproximar-se dessa realidade.
As palavras não dão suficientemente conta da realidade de sua Luz.
Não existe frase, não existem palavras que possam queimar a folha de papel do cigarro, que é uma distância insignificante entre o que vocês creem e a realidade.
As palavras são uma forma extremamente limitada de comunicação.

A Luz e o Amor não estão nas palavras.
A Luz e o Amor são um estado, e um estado não tem necessidade de palavras.
A partir do momento em que há palavras, vocês saem do estado.
A partir do momento em que há frase, vocês se afastam do estado.
E, no entanto, meus bem amados, eu sou, efetivamente, obrigada a comunicar-lhes, por palavras, o incomunicável, o insondável, porque a Verdade passa das palavras, o Amor passa das palavras, a Luz passa das palavras.

Nesse estado de Ser, nesse estado de Amor, nesse estado de Luz não há distância, não há necessidade de palavras, há apenas o estado de Ser, o estado de Alegria interior.
Se vocês soubessem como essa Alegria Interior – que, para alguns de vocês, parece tão distante, tão inacessível – está, no entanto, tão próxima, está aí, no interior de seu ser, pede apenas para eclodir, apenas para inundá-los de sua graça!

É extremamente difícil ou, mesmo, impossível, compreender isso, porque a compreensão passa, justamente, pela ferramenta que os afasta desse estado, ou seja, seu mental, seus apegos, seus sofrimentos.
O estado de Alegria, o estado de Amor é um estado que não se importa com palavras, que não se importa com explicações, que não se importa com o que não é ele mesmo.

O Amor, a Alegria é algo que se basta a si mesmo.
Então, vocês põem, frequentemente, uma distância considerável entre a Alegria, o Amor, de um lado, e o que vocês vivem, do outro lado.
Vocês não perceberam que não há qualquer distância, que esse estado, esse Amor, essa Luz esteve, de toda a eternidade, presente.

Cabe a vocês, o que quer que pôde dizer o Arcanjo que se manifestou, buscar essa Luz.
A busca não quer dizer ir ao exterior, mas ir ao interior buscá-la.
A busca da Luz, do Amor é um ato interior.
Lembrem-se de que o Amor é um estado, a Luz é um estado que não se importa com palavras, técnicas.
As técnicas são apenas ilusões que, certamente, têm sua utilidade, a um dado momento, no caminho, que vão conseguir, em alguns casos, fazer calar o que impede a Luz de ser, fazer calar o mental, fazer calar as emoções.
Nada há a buscar, uma vez que tudo sempre esteve aí, que a distância que vocês creem ser uma separação não é uma.

A Luz, o Amor são sua Essência.
O Amor, a Luz são sua totalidade de experiências, sua totalidade de vida.
Essa Luz está aí, ela sempre esteve aí.
Esse Amor está aí, ele pede apenas expandir-se, irradiar, permitir ao que vocês chamam «os outros», seus irmãos e suas irmãs, reconhecerem-se nessa Luz.

Todas as Luzes são idênticas, elas remetem, todas, à mesma Luz, parcela de eternidade.
Luz, Essência, difratada e refratada ao infinito, em uma multidão de experiências de Luz e de Amor.
Cabe a vocês, hoje, fundir sua Luz, seu Amor consigo mesmos, identificar-se, totalmente, ao que vocês são.

E o que vocês são é, seguramente, Luz, Amor.
Isso não necessita de esforços, mas, bem ao contrário, um repouso, um repouso de seus pensamentos, um repouso de suas atividades incessantes.
Tomem o tempo de colocar-se, tomem o tempo de escutar-se, tomem o tempo, enfim, de irradiar a Luz que vocês são.
O Amor e a Luz que vocês são, são puros e sem manchas.
Não há qualquer imperfeição.
Não há qualquer véu, outro que não aquele que vocês creem, que obscureça a Luz que vocês são.

De todos os tempos, de toda a eternidade, jamais existiu outra verdade que não a Luz e o Amor.
Certamente, como lhes disse o Arcanjo, há momentos privilegiados que permitem, de maneira individual, mas, também, coletiva, fundir diferentes etapas e diferentes estágios da Luz e do Amor que, no entanto, é único.
Cabe a vocês, hoje, despertar a Luz e o Amor que vocês são.
Só as ilusões, as suas e aquelas daqueles que querem controlar, por ilusão, suas ilusões, impediram-nos, até o presente, de revelar o Amor e a Luz que vocês são.

Vocês são, todos, responsáveis.
Vocês são, todos, culpados e, no entanto, ninguém é culpado, ninguém é responsável.
Trata-se apenas de ilusões que foram construídas.

Bem amados filhos, a Luz que os anima é a mesma que aquela que me animou em minha vida, que aquela que me anima hoje, em mundos diferentes e sempre vivos.
É tempo, agora, de despertar o que vocês são.
Fazendo isso, vocês trabalham para o conjunto de seus irmãos e de suas irmãs.
Dirigindo-se ao essencial que é sua Luz e o Amor que vocês são, vocês prestam serviço à humanidade inteira.
Cultivando, deixando florescer o Amor que vocês são, vocês permitem a uma multidão de seres humanos cultivar o Amor que são eles mesmos.
Não há obstáculo para a realidade do Amor que vocês são.
Não há freio à realidade da Luz que vocês são.
Há apenas crenças errôneas.
Se seu corpo está pesado, se seu corpo de materialidade existe, é porque vocês acreditaram-no possível: ainda uma vez, um sistema de crenças que se materializou.

Vocês devem crer e viver a Luz que vocês são.
Vocês devem crer e viver o Amor que vocês são.
Nós temos necessidade de sua Luz, temos necessidade de seu Amor; seus irmãos e suas irmãs têm necessidade de sua Luz e de seu Amor.
É a única nutrição, a única necessidade que vocês têm, todos, uns e outros, que nós todos temos, de nosso lado, uns e outros.

Se os universos de almas criadas abandonassem suas crenças e revelassem seu Amor, não existiria mais que não um oceano de Amor que se basta a si mesmo.
O Amor e a Luz auto-geram-se, de maneira permanente.
A única realidade, o único caminho, o único objetivo é o Amor e a Luz.
Todo o resto são apenas crenças errôneas, em um nível ou em outro de manifestação, em um nível ou outro de afastamento.

Vocês estão, hoje, no momento em que a humanidade tem a liberdade de refutar algumas crenças.
As crenças, quaisquer que sejam, são apenas freios à sua realidade de Luz, à sua realidade de Amor.
A partir do momento em que vocês constroem crenças, vocês constroem muros que fecham seu Amor no interior de si e o obstruem.
Vocês devem liberar-se de todas as crenças, para aceder à sua Essência.
Mesmo suas certezas as mais ancoradas são apenas crenças.
Seu próprio corpo, esse corpo através do qual eu me exprimo é apenas uma crença entre tantas outras.

A Verdade é completamente outra.
A Verdade não é uma crença.
A Verdade é Amor.
A Verdade é Luz.

Aí estão, meus bem amados, as palavras que eu pude encontrar esta noite, para dirigir-me não ao seu ser, mas ao seu coração.
Não haverá, esta noite, no que me concerne, espaço de questões.
Eu deixarei isso, esta noite, ao último interveniente.

Meus bem amados, Amor, recebam o meu Amor, do mesmo modo que eu recebo o seu Amor, do mesmo modo que não há distância entre o meu Amor e o seu Amor, porque nós participamos do mesmo Amor.
Sejam abençoados.
Eu os amo.
Vocês são a Luz do Mundo.
______________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/

O.M. AÏVANHOV – 19 de junho de 2008



DO SITE AUTRES DIMENSIONS.


Bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los.
Eu creio que há intervenientes prestigiosos que vieram antes de mim.
Eu os escutei, também, e eles disseram coisas muito belas.

Então, se permitem, eu também lhes apresento minhas saudações, meu amor, minha bênção e tudo o que de uso normal na fraternidade que representamos ao nível da humanidade desse lado do véu ou do outro lado.

Então eu serei, esta noite, extremamente pragmático.
Eu virei responder às questões que os inquietam.
Questões, por favor, obviamente, em relação à sua abertura espiritual e em relação ao que eles disseram, os dois intervenientes prestigiosos antes de mim.
Eu venho tentar, através de palavras que são as minhas, ajudá-los a ir para esse mesmo objetivo, é claro.

Então, se quiserem, coloquem suas questões.

Questão: como superar as crenças que obstruem nosso desenvolvimento espiritual?

Então, é simples: se você tem crença, pare de crer nisso.
É tão simples assim.
Isso soa simples de dizer, mas é a verdade.

Questão: mas há interferências sociais, afetivas que bloqueiam isso...

Ainda uma vez, são crenças.
Se você crê em algo, basta parar de crer nisso.
Se você quer crer em outra coisa, o que é que o impede de crer naquilo?
Eu creio que é um problema fundamental, o problema das crenças, porque tudo o que vocês constroem é oriundo de suas crenças, de suas certezas, para alguns.
Mas, para chegar ao Amor, é preciso parar de crer em tudo, exceto no Amor.

Então, como deixar cair as crenças?
Eu creio que a resposta já está, também, na questão: se eu decido não mais crer, basta que eu não creia mais.
Então, você vai me responder: «se eu tenho uma pressão exterior, algo que está aí, diante de mim, que me faz mal, se eu suprimo a crença, será que o objeto que faz mal vai desaparecer?».
Não, não é tão instantâneo.

Enquanto isso lhes parecer difícil, mesmo se vocês afirmem o contrário, é que vocês ainda creem naquilo.
Há crenças que não se apagam de um dia para o outro, mas há crenças que são muito mais fáceis a apagar, eu diria.

Então comecem, já, a compreender que são apenas sistemas de crenças: a obrigação de trabalhar, a obrigação de participar da sociedade, de um modelo social, a obrigação de nutrir seus filhos, a obrigação disso e daquilo são apenas crenças.
Então eu creio que, quando Ma Ananda Moyi disse isso, ela destruiu tanto todas as crenças, que ela pôde ser o que ela foi (ndr: canalização de Ma Ananda Moyi, de 10 de junho de 2008).
A única diferença, e o que ela disse quando falava da folha de papel de cigarro entre vocês e ela, é a intensidade da crença.
Ela abandonou todas as crenças.

Tudo o que freia a expressão de seu ser autêntico, de sua autenticidade são apenas crenças.

Aí está, eu creio, o que ela quis dizer.
Então, como superar essas crenças?
Vocês vão substituir essas crenças por outras crenças, vão crer que vão encontrar uma técnica que será superior, para fazer desaparecer o que está diante de vocês, mas isso será, novamente, uma crença.
E é sem fim: vocês empilham crenças sobre crenças e não veem, jamais, o fim, obviamente, porque, a partir do momento em que colocam a questão de «como fazer desaparecer um apego» (que é, portanto, uma crença), vocês elaboram estratégias para fazer desaparecer essas crenças, vocês vão recorrer a outra elaboração de crenças.
E vocês passam sua vida a criar crenças e a substituir crenças por outras crenças.
É um jogo apaixonante, não é?

A maior parte de nós passou milhares e milhares de vidas a construir crenças, para nós e para os outros.
E é ainda melhor se se pode fazer crer a mesma coisa que se crê aos outros, porque é muito satisfatório para o ego, não é?
Têm-se as mesmas crenças, portanto, fazemos parte do mesmo grupo: «eu, efetivamente, disse que era verdade, a prova, vocês vivem a mesma coisa».

A doença é uma crença, então, vocês vivem na certeza de que a doença é inexorável.
Não, é, também, uma crença.

Então, depois, você tem o pensamento positivo: você vai dizer «eu estou em boa saúde».
Você vai, portanto, substituir a crença da doença pela crença na saúde.
Mas, quando você pronuncia a palavra «saúde», isso quer dizer, nesse mundo, que existe outra coisa que não a saúde, ou seja, a doença.
É, portanto, uma crença que se opõe a outra crença.
Vocês continuam em um fenômeno de dualidade.
Será que vocês creem no que eu digo?

Questão: mas, por trás de tudo isso há, sobretudo, uma forte crença no amor universal?

Mas a crença não é o Amor.
A crença no Amor e o Amor são duas coisas diferentes, não é?
Pode-se ter a íntima convicção, profunda, de que o Amor é a realidade final, mas não é por isso que se vai viver o Amor.
É, ainda, uma crença.
Não é demandado crer, é demandado viver o Amor.
Não é a mesma coisa.

Questão: a queda do homem começou com o pensamento humano?

É o quê, a queda?

Questão: a separação.

Eu prefiro essa palavra, de qualquer forma.
A separação começou com o pensamento humano, efetivamente.
A questão e a resposta são a mesma coisa, é prático.

Questão: quando Cristo disse «se vocês se reúnem a três, eu estarei entre vocês». Ele fazia referência a um número de pessoas ou à fusão corpo/alma/espírito?

Ele fazia, realmente, referência à multidão de seres que se reuniam no objetivo do Cristo.
Quando Ele dizia «quando vocês forem dois ou três reunidos em meu nome», Ele disse uma vez «dois», Ele disse uma vez «três».
Em todo caso, isso quer dizer mais de um.
Mas será que isso quer dizer que, sozinho, o Cristo não está aí?
Tampouco, isso não quer dizer isso.
Isso quer dizer, simplesmente, que, quando há intenção coletiva, ou seja, superior a um, nesse caso, Sua presença é muito mais tangível, mas não é a Trindade corpo/alma/espírito, são, verdadeiramente, pessoas.

Questão: o Pai é Trindade?

A questão é muito complexa, mas isso vai resolver-se muito facilmente: o Pai é três em um.
O Pai é Trindade na Unidade e Unidade na Trindade.

Questão: qual é seu olhar sobre as mídias?

É o quê, as mídias?

Questão: os meios de comunicação atuais.

É uma paródia de comunicação.
Vocês têm a impressão de comunicar-se, mas vocês se comunicam cada vez menos.

Então, vocês têm mídias, como vocês dizem, modernas, nas quais a informação circula de um extremo ao outro do planeta, instantaneamente.
Isso lhes dá a impressão de que se tornaram muito inteligentes, porque que não importa quem digite uma palavra em algum lugar, e há informações como se ele tivesse feito estudos durante trezentos anos.
Então, efetivamente, é muito satisfatório, de algum modo.

Vocês têm acesso a muitas coisas.
Mas a verdadeira comunicação não é uma comunicação visual, intelectual.
A verdadeira comunicação é uma comunicação de coração a coração, e isso não é possível com máquinas.

É, já, difícil, de corpo a corpo e de coração a coração entre dois seres humanos, então, se vocês põem em cima a tecnologia, é a informação ou, antes, eu diria, a deformação.

Questão: a instalação de redes magnéticas, segundo Kryeon, poderia servir para despoluir a Terra de ondas, em especial, ligadas à internet?

Primeiro, você fala de instalação de redes magnéticas terrestres.
Mas as redes magnéticas terrestres sempre existiram.
Sem isso, a Terra não existiria.
Primeira coisa.

Em contrapartida, essas redes magnéticas podem reposicionar-se, reprogramar-se.
Agora, você crê que redes magnéticas podem apagar redes elétricas, os dados que transitam via internet?
Mas não há apenas internet, há muitas outras coisas.
Você pode falar de ondas que correm sobre este planeta.

Hoje, é uma cacofonia de ondas.
Infelizmente, eu não creio, de modo algum, que as redes magnéticas terrestres sejam suficientes para suprimir a nocividade dessas diferentes ondas.
Isso pode, talvez, em certa medida, atenuar os efeitos delas, mas, em caso algum, fazê-las desaparecer.

Questão: como conciliar vida profissional e espiritual?

É impossível, exceto se você trabalha na espiritualidade, como eu o fiz.
Mas, naquele momento, não é mais, o trabalho, é o prazer.

Mas como você quer trabalhar e estar no espiritual?
É impossível.
Você pode ter compromissos, até certo nível.
Infelizmente, a partir do momento em que você trabalha, mesmo em algo que lhe agrada, que leva a sério, o trabalho, mesmo com prazer, é algo que vai tornar dificilmente conciliável o interesse intelectual, no sentido básico, e uma espiritualidade vivida.

Coloque-se a questão, se aqueles que se chamaram os Mestres espirituais, na vida deles, você conheceu quem trabalhava.
Então, coloque-se a questão: por quê?
E eu não falo, unicamente, do Oriente.
Olhem, também, do lado do Ocidente.
Será que os diferentes taumaturgos, os diferentes Santos, os seres despertos trabalhavam?
Dê-me um único exemplo de seres despertos que tenham trabalhado.

Questão: qual é o impacto de estruturas piramidais sobre as estruturas energéticas?

Eu não sou um professor para as formas, eu.

Questão: e pôr-se, a si mesmo, na própria pirâmide ou própria Merkabah?

Pessoalmente, eu não penso nada sobre isso, mas é preciso saber que não é uma moda passageira.
As pirâmides, sempre se falou delas.
Em minha vida, também, mesmo em meu jovem tempo, na Bulgária, à época, utilizavam-se, já, as pirâmides.
Isso tinha virtudes específicas.
Agora, se você crê que basta visualizar-se em uma pirâmide ou uma Merkabah é, também, uma forma de crença.
E lembre-se de que, quanto mais você crê em algo, mais está na realidade do que você é.

Questão: na astrologia, Plutão vai, em breve, chegar em Capricórnio.
Isso corresponde ao fato de que a Terra vai abrir-se?

É o quê, esse truque?
Isso subentende que há eventos inexoráveis, inevitáveis.
Há eventos inexoráveis, inevitáveis, que são etapas, mas a forma de manifestação é extremamente livre e variada.
Ela depende de certo número de ressonâncias e, também, da psique humana.

Então, quando eu ouço «a Terra que se abre», por que não quebrada em quatro pedaços?
Isso quer dizer o quê, uma Terra que se abre?
É uma visão do Espírito, não é?

A Terra, ela sacode, a Terra, ela se move, a Terra tem elementos que estão mais ou menos em cólera.
A Terra vive uma transformação.
Vocês vivem uma transformação.
Até aí, todos estão de acordo, não é?
Agora, por que vocês querem saber o que eu penso de um evento que ainda não ocorreu?
Por que vocês querem programar um evento que não está programado?

A posição dos planetas, ela é programada, é claro.
Isso significa algo de preciso, que os astrólogos conhecem e que tentam cercar, mas a virada do evento, em si, depende de milhares de coisas, outras, que nada têm a ver com a astrologia.
Isso vai depender de reações humanas, em relação a algumas luas cheias, já, sem mesmo falar de aspectos, de trânsitos, de planetas lentos.
Então, eu poderia falar-lhes de outros eventos que ocorrerão daqui até o final do ano, também.
Mas, eu repito, um evento que vai acontecer em dois anos, ligado a configurações astrais específicas não é nem definido, nem predefinido.
Ele dá uma orientação sobre o tipo de evento.

Efetivamente, simbolicamente, a Terra abre-se.
Ela se abre por quê?
Para deixar aparecer sua dimensão interior.
É uma reversão da Terra.
Reversão, vocês vão dizer-me «isso aí, são os polos que basculam, dê-me a data, rápido, para que se faça as provisões».
Isso seria um erro, porque pode ser assim como qualquer outra coisa.
Frequentemente, os astrólogos são capazes de predizer, na trama astrológica, um tipo de evento, mas não o evento em si mesmo, caso contrário, isso se saberia, hein?

Questão: quais seriam os eventos previstos para o fim do ano de que você falou?

Eu falo, desde o ano passado, da crise financeira, alimentar, da crise dos transportes.
Vocês estão em plena caca que veem todos os dias, e isso é apenas o começo.
Isso não é uma predição, é a realidade do que vocês vivem.

A realidade é feita do que vocês vivem.
Há países que estão submetidos aos elementos.
Atualmente, vocês compreenderam, o que domina é a terra e a água.
Muito em breve, será o ar e o fogo.
Os elementos são apenas a ilustração, ao nível terrestre, de transformações que vocês vivem no interior de seu corpo físico.

Então, para que lhes serviria saber que, em 24 de julho, às 12 horas, tal país da América Central será devastado por um ciclone?
O que é que isso vai mudar em suas vidas?
Expliquem-me o interesse em conhecer isso.
É do sensa.... não sei mais a palavra, encontrem-na para mim, é do sensacional, sim.
Mas, em momento algum, isso vai induzir qualquer transformação.

Olhem os eventos que se produzem, já, há alguns anos.
Todo mundo sabe, por exemplo, que seu sistema financeiro é corrompido, porque ele é construído ao inverso da verdadeira finança.
Vocês atribuem ao dinheiro o valor em função do tempo.
É um erro, e todo mundo sabe disso.
Todo mundo observa que as bolsas e os sistemas econômicos, financeiros, estão desmoronando, há mais de um ano agora.
Será que isso mudou algo?
Não.

Tudo está desmoronando.
O fato de saber não permite transformar-se.
É similar para os eventos importantes do planeta.
A transformação, vocês a sofrem, mas não a vivem, contudo, no interior, por antecipação.

O ser humano é assim feito que, mesmo se ele tenha sob os olhos (de maneira racional, eu não falo, mesmo, mais, de intuição), ele continua, de qualquer forma.
Então, o que é que vocês querem fazer com isso?
Por que querem conhecer os eventos?
Vocês os têm sob os olhos, os eventos.
Há colheitas que são destruídas, por toda a parte no mundo.
Eu dizia, já, no ano passado, que os alimentos vão diminuir.
Vocês viram o que aconteceu, no ano passado, com as colheitas.
Isso nada era, em relação a este ano.
Então, o que é que isso vai mudar em suas vidas?
Vocês vão fazer reservas, saindo daqui?

Questão: você está otimista sobre o futuro do planeta?

A um dado momento, em dezembro de 2005, eu estava assustado e extremamente pessimista, porque pensava, em alguns momentos (e, mesmo, ao nível de diferentes estruturas galácticas que existem e de diferentes Conselhos), que a Terra ia não para sua abertura, mas sua destruição, pura e simples.
Devo dizer que, agora, estou profundamente otimista, mas isso não quer dizer que as coisas que vão acontecer sejam agradáveis, não é?
Eu estou otimista quanto à finalidade para a Terra e para seus habitantes.

Questão: o que é que pode motivar uma alma a não fazer a escolha da ascensão?

Uma alma, por exemplo, que está em descensão.
Uma alma que não terminou seu caminho de descida na matéria, que não terminou sua experiência.
Vocês estão, todos, em momentos diferentes de experiências.
Há os que esperam a ascensão há centenas de anos e, outros, que chegaram sobre a Terra para viver um caminho de descensão.

Vocês não estão, todos, no mesmo estágio evolutivo.
Vocês não estão, todos, no caminho de retorno.
É por isso que é preciso não julga.
Jofiel falou de seres e de sua liberdade, mas há, também, seres que chegaram sobre a Terra há muito pouco tempo.
Eles são extremamente etéreos.
Eles estão aí para a descensão, que é o mesmo processo energético, ao inverso.

Portanto, as almas não estão, todas, no mesmo grau de maturidade, não estão, todas, no mesmo caminho.
Há as que estão em um caminho para baixo e, outras, para o alto.
Há almas muito evoluídas, que estão em um caminho para baixo, e há almas menos evoluídas, que já estão em um caminho para o alto.
Portanto, todas as almas sobre a Terra, presentes nesse fenômeno de fim de ciclo, não são, todas, almas que escolheram o caminho da ascensão ou o caminho da encarnação ou o caminho da experiência.
Há, também, caminhos de alma que são eminentemente diferentes.

Questão: nesse percurso, onde se situa, verdadeiramente, a escolha?

É uma questão extremamente ambígua, que remete à noção de determinismo e de livre arbítrio.
Ninguém os forçou a vir sobre esta Terra, absolutamente ninguém, se não é certo peso ao nível de seus apegos.
Mas, eu repito, não há qualquer obrigação.
Assim como, hoje, não há qualquer obrigação.

O único problema é que há pessoas que lhes dizem: «o livre arbítrio» é importante.
Então, eu lhes responderia que o livre arbítrio existe até certo grau de consciência porque, em outro grau de consciência (diferente, nem melhor, nem pior), não há mais qualquer livre arbítrio, há determinismo total.
Eu responderia, por um trocadilho, que o único livre arbítrio do homem é saber quanto tempo ele vai levar para compreender o que está, inteiramente, determinado.
Porque vocês estão determinados.
Vocês têm, todos, a mesma finalidade, mesmo as almas em descida, que estão se afastando da Luz.

O objetivo é o de voltar, um dia, para a Luz.
Portanto, vocês estão determinados para ir para a Luz.
Todos, sem exceção, vocês estão determinados, como dizia a Mãe, para ser a Luz e o Amor.

Onde está a liberdade, aí?
Vocês têm a liberdade de recusar, obviamente, mas até certo estágio de nível de consciência.
A um dado momento, vocês voltarão, de qualquer modo, ao que vocês são.
Portanto, vocês são, inteiramente, determinados.

Questão: o combate entre a Sombra e a Luz é real?

É uma realidade total, que dura uma eternidade, e que se libera, também, obviamente, no interior de cada ser humano em encarnação.
Não é uma visão do espírito, não é, tampouco, uma crença, é uma realidade, mas é uma realidade que é preciso superar.

Questão: como superá-lo?

Sendo Luz, Amor, Compaixão total.
Se vocês portam sua consciência nesse combate que existe no mais alto dos Céus, entre algumas formas de Arcanjos, para citar apenas eles, mas, também, sobre a Terra (através da dominação de alguns grupos sobre outros seres humanos), isso vai dizer que vocês ali aportam a energia, portanto, vocês nutrem isso.
O que quer dizer que o combate da Sombra e da Luz necessita de três etapas sucessivas no tempo.

Primeiramente, identificar o Bem e ter identificado o Mal, o que nem sempre é evidente.
Em seguida, é preciso aprender a combater o Mal ou o que se crê ser o Mal.
E, depois, há uma terceira fase, que é a superação do Bem e do Mal, ou seja, que não se tem mais que combater, porque a Luz torna-se tão forte, que o Mal não tem mais o lugar para estender-se.
Isso é ao nível da encarnação que vocês passam, necessariamente, por essas três etapas.

O que acontece, em outros planos, entre as forças arcangélicas, é apenas o reflexo do que acontece em seu pequeno ser interior.
Mas vocês devem, no final, superar a dualidade do Bem e do Mal.
Portanto, primeira etapa: identificação; segunda etapa: combate; terceira etapa: superação.

Questão: hoje, a massa crítica das forças da Luz supera aquela da sombra?

Não é uma questão de massa, é um pouco mais complexo.
Como eu disse, há quase três anos, eu estava extremamente pessimista e pareceria que a Terra, hoje, dirige-se para seu processo de ascensão.
Entretanto, é um eufemismo dizer que as forças escuras não existem mais sobre a Terra.

Quando vocês veem o que acontece, isso dá um pequeno arrepio.
Elas se sabem condenadas, mas vocês sabem, é como um animal que se sente condenado, ele não vai deixar-se condenar, é claro, sobretudo, se ele pertence à Sombra, suas propriedades de nocividade são exacerbadas.
Mas vocês não têm que se preocupar com isso porque, se vocês portam sua consciência sobre esses eventos, vão dar a eles ainda mais peso e ainda mais crenças.
Busquem o reino dos Céus, e o resto ser-lhes-á dado em acréscimo.
Não sou eu, hein?, isso vocês sabem.

Questão: hoje, você está, sempre, em acordo com os ensinamentos que dava em sua vida?

Eu estou em acordo com todos os ensinamentos que eu dei, exceto que, hoje, eles são não obsoletos, mas superados.
É como a palavra de Cristo: «meus escritos passarão, mas eu serei, sempre, a Verdade».
O que eu disse, o que pratiquei é a Verdade, também, entretanto, hoje, é-lhes solicitado superar tudo isso.

Questão: o que você pensa do que propunha Krishnamurti: viver o instante presente?

É por isso que eu não quero responder o que vai acontecer em dois anos.
É evidente que, quando a Mãe falava de Amor e de Luz, para isso, é preciso estar no presente.
Enquanto vocês têm crenças, vocês não estão no presente, porque as crenças fazem referência ao sistema passado, vocês estão no mental.

Quando vocês estão nas crenças, vocês não estão na realidade.
A realidade é parar o tempo, é o instante presente, quando vocês estão desembaraçados de todos os condicionamentos e de todas as projeções no futuro.

Obviamente, todo mundo sabe, mesmo aqueles que nada fazem, que algo está mudando.
Não é preciso tomar os economistas, os financeiros para embotar-se.
Eles sabem muito bem, todos, a título individual, mesmo se não o digam, que tudo está mudando.
Todo mundo sabe disso.
Não há um ser humano sobre o planeta que não o saiba.

Então, há os que põem a cabeça no saco, tudo vai bem, Madame a Marquesa.
E agora, Krishnamurti, para voltar à sua interrogação, através das palavras, utilizando a ferramenta mental, quando ele dizia que apenas havia Verdade no instante presente, é isso o que dizem todos os místicos, não, unicamente, Krishnamurti.
Fora do presente não há realização.
O problema é que vocês chegam a um período que é anunciado e esperado há muito tempo, no qual vocês têm tendência, sem parar, a projetar-se no futuro: «o que vai acontecer amanhã?».
E, para outros, será: « oh, eu quero purificar meu carma, eu quero purificar meu passado, para estar livre em meu presente».

Enquanto vocês oscilam assim, entre a limpeza de seu passado – quaisquer que sejam as técnicas – ou querendo, por exemplo, saber o que vai acontecer (para vocês, a título individual, ou para o planeta), é a mesma coisa: vocês não estão no instante presente, vocês fogem do instante presente.

Ora, a Luz e o Amor encontram-se apenas no instante presente.
Não no amanhã, não no ontem.
Aí está a última resposta.
Ela está um pouco mais feliz, aquela ali, não é?

Então, agora, será tempo de concluir nossas trocas.
Eu lhes digo, certamente, até muito em breve, é claro.
Eu lhes aporto todo o meu Amor, eu também, todas as minhas bênçãos, todos os meus encorajamentos para a Luz, todos os meus encorajamentos para seu Ser total.
Sejam abençoados, e eu lhes digo até breve.
______________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/