Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

25 de set de 2008

JOFIEL - 25 de setembro de 2008

DO SITE AUTRES DIMENSIONS.

Eu sou JOFIEL, Arcanjo da Luz e do Conhecimento.

Eu lhes transmito minha paz.
Eu lhes transmito minha radiância.

Eu venho a vocês, agora, de múltiplos modos, desde o início de seu ano terrestre de 2008.

Eu assinalei, em numerosas reprises, que este ano que vocês vivem é um ano portador de alguns movimentos.
Esses movimentos têm por nome confrontação, revelação.
E eu falei de certo número de trabalhos que se desenrolaram e que vão continuar a desenrolar-se durante este ano.

O primeiro desses trabalhos foi chamado trabalho no amarelo e foi ligado a certo número de liberações que afetaram, de maneira definitiva, as próprias estruturas do plexo solar do planeta.
Isso foi seguido por um segundo trabalho, chamado trabalho no vermelho, que o sucedeu e que começou a instalar-se no plano da Terra desde 15 de agosto.
Essa data corresponde ao início do que foi adequado chamar a ignição de seu coração.
É o momento em que a Luz se faz e a Luz vem transcender, iluminar e desmascarar os jogos da Sombra e da ilusão.

A contar de 21 de dezembro vocês entrarão no trabalho no branco, que é o trabalho da Luz branca.

O que vive sua Terra, seu mundo, desde esta data e por algumas semanas que lhes restam está ligado à confrontação, no exterior de vocês e no interior de vocês, que vai colocá-los frente às suas escolhas, frente às suas decisões.

Tudo o que estava escondido está em curso de revelação.

O plano da Luz, o plano dos servidores da Luz, o plano dos grandes seres de Luz que dirigem e canalizam essas energias de confrontação e de ascensão estão no trabalho de maneira decuplicada, doravante e nas semanas que vocês têm a viver.

A ignição do fogo do coração é a etapa que eu chamei, no início do ano, um momento em que o reencontro com o Anjo pode ser feito.

Quem é o Anjo?
Trata-se, antes de tudo, da consciência e do nível da Unidade retransmitido por minha radiância que pode revelar-se em vocês de diversos modos, mas cuja finalidade é devolver à superfície de sua consciência a noção de seu juramento.

Há muito tempo de seu tempo vocês realizaram o maior sacrifício que criadores possam realizar: vocês fizeram o juramento de mergulhar no esquecimento de sua divindade para mergulhar nos planos da densidade, nos planos da materialidade nos quais vocês evoluem.
Para isso, vocês foram seres suficientemente grandes para aceitar até o esquecimento de sua divindade, no objetivo de adquirir e desenvolver ainda mais Amor, ainda mais lucidez, ainda mais grandeza.

O paradoxo é que, nesta encarnação desse mundo, desses instantes, a grandeza que vocês são pode e poderá manifestar-se apenas através da humildade, através de sua vontade e de sua determinação de reencontrar a Luz que vocês são.

Vocês estão todos a par, sem exceção, de que existem datas que foram dadas há extremamente muito tempo.
Essas datas correspondem a eventos astronômicos sem precedentes, sem medida comum com o que pôde existir até o presente nesse mundo de manifestações, nesse mundo de ilusões.

Vocês entraram, desde 15 de agosto, nos efeitos desse evento astronômico.
Entre agora e o final de seu ano, a humanidade, em sua totalidade, sem exceção alguma, será confrontada ao retorno do juramento.

A questão que sua consciência deve se colocar é unicamente esta: vocês querem voltar a ganhar os domínios e os campos de experiência do Amor ou vocês querem continuar a experiência da dualidade?
Isso necessita uma escolha distinta.
Não haverá outra alternativa que essa escolha.
Isso não é para mais tarde.
Isso é para agora.

O fenômeno de ignição do fogo do coração do planeta correspondendo, também, à ignição do fogo dos outros planetas desse sistema solar, está agora em curso de realização.

Cabe a vocês encontrar a paz, cabe a vocês encontrar seu ser interior, sua Verdade e sua escolha.

Os momentos que a Terra apronta-se para viver são momentos solenes, são momentos únicos, são momentos inesperados.

As ilusões desaparecem sob seus olhos, dia após dia: os valores sobre os quais foi construído esse mundo, que são a separação, a divisão.
As ilusões nas quais sua consciência e a consciência de alguns os mantiveram numa forma de escravidão não estavam, elas, previstas no programa de partida, iniciado por muito grandes seres, mas assim é a experiência.
O passado é o passado.
O futuro não deve inquietá-los, ele será apenas a resultante de seu estado interior no momento em que se revelar.

Não haverá atraso, não haverá suspensões ao que vem.
Vocês são filhos do eterno, vocês são o Eterno, vocês são a Unidade, são muito maiores do que creem.

É-lhes pedido para recentrar-se no interior de seu ser.
Fujam dos alaridos e dos barulhos desse mundo que desaba sob seus olhos.
Não deem qualquer importância, qualquer atenção ao que é colocado na Luz pela Luz.
Não pode ser de outro modo.

O mundo e os planetas que constituem a ronda de suas vidas vivem, eles também, um processo de expansão sem precedente na história da humanidade e desta Terra.
Em breve não haverá mais lugar onde a Sombra poderá existir.
O que vem para vocês é a Luz.
O que vem para vocês é o Amor.
O que vem para vocês é a Verdade.

Vocês aceitarão a Luz?
Vocês aceitarão superar a dualidade da encarnação para reencontrar sua Unidade perdida?
Coloquem-se, em sua consciência a mais íntima, esta questão.
Não há outra.
Não há nenhuma outra.

Vocês não têm que se preocupar com o alarido do mundo e com o alarido ao redor de vocês.
A Luz tem um único objetivo: revelá-los à sua Luz, desvendá-los à sua imensidade.

Mas vocês são seres livres, de toda a eternidade, e em toda escolha.
Nós podemos apenas propor-lhes a liberdade.

Se vocês se centram em seu coração, em sua qualidade essencial, nada, absolutamente nada poderá extraviá-los ou enganá-los.
Não se deixem extraviar ou enganar pelas sirenes desse mundo.

Essa confrontação entre a Luz e a Sombra, para além de sua individualidade (mas na escala, agora, planetária e do conjunto de seu sistema solar) vai mostrar as falhas sem nome que acrescentaram ilusão à ilusão, que os dominaram nessa ilusão, que os acorrentaram a uma vida limitada, construída no medo da falta, na posse em todos os sentidos aceitáveis, através de regras impostas pelo medo.
Essa ilusão terminou.
Isso está à sua porta.

A proposição da Luz está a caminho.
Percebam isso no silêncio de seu coração porque, em vocês, encontram-se todas as respostas, não às questões de seu mental, mas à questão essencial: vocês aceitam entrar na Verdade e na Luz ou vocês estão ainda apegados às suas próprias convicções e às suas próprias crenças, ou apegados às crenças e aos apegos desejados por suas regras, ou vocês aceitam tornar-se a pura Luz que vocês são?
Isso está a caminho.

Inúmeros intermediários, médiuns, inúmeros fatos históricos anunciaram o advento de um novo sol, de uma nova dimensão, para uma data que foi dada, em seu calendário, de 21 de dezembro de 2.012.
Isso não é mais válido.

Vocês estão nos tempos reduzidos.
Vocês estão nos tempos da revelação.
Vocês estão nos tempos do coração, onde o fogo da Luz, o fogo do Amor deve possuí-los totalmente, a fim de restituí-los ao que vocês são: seres de eternidade.

A única estrada, o único caminho para realizar isso se encontra no silêncio do coração, em nenhum outro lugar, e, sobretudo, não nas imagens projetadas de seus diversos meios de comunicação.

Não se deixem guiar pelas forças brutas do inconsciente coletivo, cuja carga emocional dos eventos a vir representa, eu repito, o evento o mais maravilhoso que a Terra conheceu.
Essa revelação não deve conduzi-los a ter medo, a projetar o que quer que seja, a pensar em algo que seria da ordem da sombra e do mal.
Há sombra e mal apenas nas ilusões desse mundo, absolutamente não na Verdade do Amor.

Eu repito: vocês são seres de eternidade, vocês são Luzes que aceitaram fazer o sacrifício da Luz e no mais profundo do que vocês são, o que é agora iminente.

Cada ser humano, cada entidade de vida presente na superfície da Terra é chamada a escolher o Amor, a Verdade, a Luz e a Unidade.
Trata-se de uma grande graça que pode ser vivida apenas no coração e em nenhum outro lugar.

Vocês perceberão, aliás, de maneira extremamente fácil que, em função de seus comportamentos, em função de seus atos, de suas palavras, essa Luz que se desvenda, esse fogo do Amor que se revela pode estar mais ou menos presente no interior de vocês.
Não se trata de um jogo de esconde-esconde.
Trata-se de fazer o aprendizado do momento e dos momentos em que vocês passam na Unidade.
Porque, quando vocês passam na Unidade, a vibração de seu coração os invade das energias da graça e do Amor.
Vocês penetram, naqueles momentos, na felicidade, na completude.
E se suas ações, seus comportamentos afastam-nos desse estado de ser, essa graça afastar-se-á de seu coração.
Naquele momento, vocês farão a escolha de ali permanecerem ou a escolha de desviarem-se.

Eu lhes proponho, excepcionalmente, de emitir-lhes o que me é possível emitir como informação, sabendo que a informação deve ser captada por seu coração e não pelo mental, nem pelos medos, nem pelas crenças.
Então, sim, antes de acender o fogo do coração, o que é o caso para alguns de vocês, eu lhes proponho canalizarem-se para esse lugar onde reina o Amor e a Luz, que está ao centro de vocês.

Eu lhes proponho permanecer no silêncio do coração durante a radiação do fogo do Amor que vai agora efusionar-se em vocês, em nós.

... Efusão de energia...

Filhos da Luz, que seu coração viva a graça, que sua alma resplandeça do Amor que vocês são.

Nós estamos ao seu lado, nós estamos com vocês, nós estamos em vocês, nós os ajudamos, nós estaremos aí.

Paz em suas vidas, paz em seus caminhos, paz em suas almas, paz em sua eternidade.

Recebam minha radiação.

___________________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo, se deseja divulgá-lo, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

RAM – 25 de setembro de 2008

DO SITE AUTRES DIMENSIONS.

Bem amados irmãos nesta humanidade encarnada, eu sou o veículo e a manifestação de uma das qualidades da Divindade.
Não se percam na interrogação de quem é a manifestação.
O mais importante é escutar, no silêncio do coração, o que tenho a transmitir-lhes, a dar-lhes, a compartilhar.

A maior parte de vocês não me conhece.
Eu venho ensinar com palavras simples, com vibrações simples, o caminho da Unidade, o caminho do coração.

O caminho do coração é o que, hoje, nesse espaço e nesses tempos que vocês vivem, deve ocupar a totalidade de seu tempo.
Não há mais espaço para o que não seja isso.

Encontrar o coração é tocar a Verdade.
Penetrar em seu próprio coração é encontrar a Fonte e a Alegria.

O único obstáculo para isso é você mesmo.
É você mesmo, através dos vestuários da ilusão, os vestuários de sedução que vocês, por vezes, vestiram, tomaram.

O caminho do coração necessita uma coisa essencial, que é o silêncio, o silêncio das palavras, primeiramente.
O silêncio dos olhares, em seguida, que conduzem, ambos, ao silêncio do mental.

Vocês não podem progredir e tocar a Verdade enquanto o mental age em vocês.
A divindade que vocês são, o Amor que vocês são não pode eclodir no barulho e na agitação.

Toda veleidade de compreensão, toda tentativa de apropriação, toda tentativa para controlar o que vem afasta-os do que vem.
O que vem é puro Amor, pura Luz, transcendência, imanência, totalidade.
O acolhimento disso necessita a colocação em repouso, a colocação no sono, a colocação na morte de seu mental.

Eu disse e repeti que isso necessita que vocês se retirem do mundo, a fim de voltarem para seu seu mundo, que é interior.

Retirar-se do mundo não quer dizer deixá-lo.
Retirar-se do mundo não quer dizer isolar-se.
Retirar-se do mundo quer dizer voltar o olhar do exterior para o interior.
A reversão desse olhar não pode ter lugar enquanto vocês voltam seu próprio olhar para o exterior.

Por que seu olhar e sua consciência olham para o exterior?
Isso faz parte do jogo da encarnação, em que houve tal projeção, tal vontade de projeção de vocês mesmos, fora de vocês mesmos, ou seja, fora da Luz, que conduziu à experiência da encarnação que vocês vivem.

A reversão, a confrontação é uma mudança de olhar.
É necessário passar do barulho ao silêncio: primeira reversão.
É necessário passar do olhar exterior ao olhar interior: segunda reversão.
A terceira reversão é uma reversão que vai fazê-los passar da dualidade, da multiplicidade à Unidade.

A Unidade reencontrada necessita, eu repito, do silêncio das palavras, do silêncio do olhar e de que o olhar exterior seja substituído pelo olhar interior.
Isso é simples.
Isso é evidência.

Obviamente, vocês são ajudados para ir para isso.
Grandes seres, muito numerosos servidores da Luz, muito numerosos trabalhadores da Luz, trabalham nesse momento mesmo sobre o conjunto da Terra para ajudá-los a fazer essa reversão, se tal é seu desejo.

A passagem da dualidade à Unidade é um momento inesquecível para uma alma que escolheu a separação da Fonte.
Esse momento é único.
Ele os transformará, num espaço de tempo extremamente reduzido, em um ser de pura felicidade, de pura alegria, de pura Unidade.
Isso tornou-se possível, na escala coletiva, devido a circunstâncias específicas que eu chamaria de instantes de graça, instantes de milagre.

O único trabalho que vocês têm a fazer é justamente parar todo o trabalho com o mental, deixar iniciar em vocês, deixar Despertar em vocês o fogo da Unidade.
Apenas vocês é que podem permitir isso.
Apenas vocês é que podem impedir isso.

Essa é a resposta do que eu chamo as palavras.
Minha manifestação é também capaz, na condição de que vocês estejam na escuta, de fazê-los ouvir o que acabo de dizer, não através de palavras, mas através do silêncio.

Assim, eu lhes proponho, agora, o ensinamento do silêncio em relação a isso.

... Efusão de energia...

Vocês são seres de Luz e de Amor que percorrem um mundo desprovido de Luz e desprovido de Amor.

Felizmente, a Criação colocou esse Amor na beleza, em algumas formas de atividades humanas e em alguns seres que velaram para que a experiência da encarnação pudesse ser vivida, apesar de algumas armadilhas e de algumas ilusões.

Quanto mais vocês se dirigirem para a Luz, mais vocês se extrairão facilmente das ilusões desse mundo.
A condição essencial, eu repito, é o silêncio.
O silêncio não é o vazio.
O silêncio não é o nada.
O silêncio é transparência.
O silêncio é eternidade.
O silêncio é Unidade.
Nesse espaço vocês tocam, vocês vivem a única Verdade.

Eis o ensinamento do silêncio, após as palavras:

... Efusão de energia...

Retomemos as palavras.

É-lhes solicitado urgentemente sair da duplicidade, sair dos mercados de tolos, dos apegos fictícios, dos medos múltiplos, porque o medo é gerado unicamente pela ilusão e pela resposta que seu mental a ele aporta.

Não pode haver lugar para o medo num coração centrado no Amor.
Não pode haver falta naquele que vive na Unidade.
Não pode haver ilusões àquele que vive na Verdade.

A própria oposição e o jogo entre a Sombra e a Luz não pode mais subsistir na Unidade.

O que lhes parece inacessível, o que lhes parece fora de alcance é, no entanto, a única coisa verdadeira, a única coisa real.
Nada mais existe na eternidade que o Amor, a Verdade e a Unidade.
Somente a projeção de sua atividade mental teve êxito em criar totalmente o que vocês vivem e absolutamente nada mais.

Quando minha manifestação diz que vocês são a Luz encarnada, vocês são, em Verdade, isso.
Vocês são, em Verdade, apenas isso.
O resto é edificado e construído pelos jogos do mental, pelos jogos da ilusão, pelos jogos do medo.

Essa é a resposta das palavras.
Eis, agora, a resposta do silêncio:

... Efusão de energia...

Se vocês fazem a escolha de sua divindade, isso implica em renunciar à multiplicidade e renunciar à ilusão.
Vocês devem desapegar-se de tudo o que não é você mesmo.

Vocês são Amor, Luz.
Vocês devem afastar-se do que não é isso.

Vocês são ajudados para isso.
Vocês são inundados de graça, vocês são inundados de Amor, vocês são inundados de Verdade.

A manifestação que eu sou vem insuflar em vocês uma qualidade específica da consciência, destinada a ajudá-los a encontrar o silêncio.
No silêncio do coração não há lugar para falatório, não há lugar para a dúvida, há lugar apenas para a Luz.

Nesse estado de alegria interior, nesse estado de felicidade, as próprias palavras perdem o sentido, as ilusões perdem o sentido.
Nessa vibração vocês se tornam transparentes e podem ver apenas a transparência.

O filtro do ego estando dissolvido impede, muito naturalmente, que a dualidade possa ser percebida, uma vez que ela é a ilusão criada pelo próprio mental.

Esse ato de consagração e de abandono à energia do Amor passa por esses silêncios que são a etapa final do desapego de suas últimas crenças, que permitem ao fogo abrasar o coração, ao Amor invadir sua vida, a fim de realizar a Unidade em vocês e também, pelo estado de ser, no ambiente.

Mesmo se isso seja precedido por um período de confusão, não de vocês, mas do próprio efeito dessa Luz, isso deve afirmá-los ainda mais na Verdade de seu coração.

Não há, no coração do ser, qualquer espaço para a ilusão, qualquer espaço para o engano, qualquer espaço para o que é falso.
A Verdade do coração é imutável.
É o lugar mesmo de seu juramento.
É seu templo o mais sagrado, o mais secreto.
Aquele que, quando se revela ao mundo, quando revela sua presença, muda literalmente o mundo.

Quando vocês abrem em vocês essa dimensão, o desenvolvimento da vida revela-se.
As engrenagens dos mundos e dos seres revelam-se inteiramente a vocês.
Vocês se tornam, enfim, lúcidos e conscientes num mundo de inconsciência e de opacidade.

Vocês são destinados, se tal é sua escolha, a esse destino e a esse fim que é, de fato, o início.
Tudo é questão de perspectiva.
Tudo é questão de polaridade de consciência.

Eu lhes dou, agora, a resposta para isso no silêncio.

... Efusão de energia...

Se, agora, vocês têm perguntas em relação ao que acabo de dar-lhes, gostaria de ali aportar as respostas das palavras e as respostas do silêncio.

Não temos perguntas, agradecemos.

Bem amados irmãos na humanidade, nesse mundo, eu desejo, antes de retirar-me desse veículo, propor-lhes um momento de comunhão no silêncio e no olhar interior, na paz, na Unidade.

Recebam.
Eu os amo.
Eu os abençôo, agora e já.

... Efusão de energia...

Vocês são abençoados, vocês são preciosos.
Que o espírito da Eternidade, que a Luz do Amor preencha-os de suas graças e de seus benefícios.

Sejam abençoados.

___________________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo, se deseja divulgá-lo, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

6 de set de 2008

RAM – 6 de setembro de 2008

DO SITE AUTRES DIMENSIONS.

Eu volto a vocês para prosseguir o ensinamento, através de palavras, através da Luz, através do silêncio e da plenitude.

Vamos, esta noite, abordar, de maneira mais profunda, certo número de conceitos em relação com o silêncio.

Como todas as tradições nesta Terra afirmaram e demonstraram, o silêncio é o ato essencial que acompanha os momentos espirituais específicos chamados iniciações.

Toda passagem, toda revelação, toda transformação pode ser vivida apenas através do silêncio.

Para além dessa simples palavra, quais são as noções veiculadas pelo fato de fazer silêncio e aquelas que não o são?

A primeira das coisas é compreender que o silêncio é plenitude.
O barulho é a ausência de plenitude.
As palavras, as músicas, os pensamentos, as relações fazem parte do barulho.
O barulho é feito para manter um estado.
O silêncio é feito para transformar e passar de um estado a outro.

O que significa que, para passar de um estado a outro, de densidade vibratória mais forte ou mais densa, será necessário cessar o barulho da dimensão correspondente.

Na encarnação de forma onde vocês estão, o barulho é essencialmente composto de suas palavras, do alarido de seus pensamentos, de seus movimentos e de tudo o que mantém a dualidade.

Todos os ritmos da forma e da encarnação são, por essência, duais.
Eles participam da manutenção da dualidade.

O barulho é, portanto, de essência dual.
O silêncio participa, quanto a ele, da Unidade.

Fazer silêncio é o primeiro passo para a parada de uma determinada manifestação que prepara uma passagem à Unidade.

Os mundos chamados espirituais são definidos pela presença da Luz e pela presença do Espírito.
O mundo dual e os mundos duais são caracterizados pela ausência dessa dimensão própria ao silêncio.

Isso quer dizer que os mundos espirituais são silenciosos?
Não.
A passagem necessita, em contrapartida, do silêncio.

Vocês vivem, na escala individual, na escala coletiva, um momento de passagem.
Momento de passagem extremamente importante, uma vez que ela concerne ao acesso a uma forma e manifestação de vida situadas para além da dualidade.
A passagem apenas pode se fazer no silêncio.

Vocês devem, portanto, aprender a cultivar o silêncio.
O silêncio é o elemento motor e desencadeador da passagem.

Vocês devem, portanto, buscar ativamente o silêncio.
Eu diria mesmo que vocês devem arranjar espaços de silêncio.

O silêncio não é a meditação.
O silêncio não é a oração.

Algumas meditações têm por objetivo ir para o silêncio.
O silêncio interior é algo que deve criar-se e desenvolver-se.

Criar o silêncio vai passar, primeiro, pela realização e pela concretização de momentos privilegiados, onde nada mais existe no exterior: nem a palavra, nem os gestos, nem as pessoas, nem os objetos, nem as atividades.
É um momento específico ligado a uma reversão do exterior para o interior.

Esse momento deve durar, obviamente, para além de uma simples respiração.
Esse tempo e esse momento são eminentemente variáveis de acordo com os seres.
Ele deve durar certo tempo, porque é no silêncio que se manifestam a revelação, a realização, a iluminação, o Despertar, a fusão e a ascensão.

O silêncio é, portanto, um elemento essencial e motor de acesso à sua divindade.
Isso poderia ser chamado de uma pequena morte.

Vocês devem morrer de modo temporário às suas atividades, aos seus companheiros, às suas relações, aos seus pensamentos.

Vocês devem pôr-se no silêncio para escutar a vibração superior.

O silêncio é um feito essencial que permite a ele, sozinho, realizar, devido às circunstâncias vibratórias específicas coletivas, a situação propícia ao Despertar.

Aí está porque, através de minha presença e da plenitude que eu lhes ofereço, vocês se aproximam, apesar das palavras, do silêncio.

Aí está porque minhas respostas se fazem pelas palavras, mas também pelo silêncio.

Vocês se aperceberão que, se se aproximam do silêncio, voltando sua consciência para o interior, tornar-se-á, então, muito mais fácil parar as turbulências dos pensamentos e do mental.

No momento em que vocês se decidem a entrar no silêncio, o mental sofre uma sideração de sua própria atividade, porque o mental é o barulho que os mantém na encarnação.

A forma na qual vocês estão é uma criação de seu mental, antes de ser uma criação específica de experiências.
Essa criação tornou-se possível unicamente pela atividade do mental, porque não há emoções fora do corpo.

Em contrapartida, existe um mental fora do corpo.
Mental que é, ele mesmo, subdividido em duas porções: uma porção extremamente vibrante, que vibra bem além dos limites da encarnação e que é a representação do Espírito; e uma outra parte, ligada à adesão a crenças específicas que vão precipitar sua irrupção na forma.

Essas crenças que os precipitam no barulho da encarnação têm por nome reencarnação; têm por nome vontade de experiências; têm por nome desejo de ajudar aos outros.

Trata-se de crenças, e não de uma lei ditada pelo Espírito.
Vocês se identificaram às suas crenças.
Isso explica sua presença na forma.
Toda forma em encarnação é a resultante de uma crença.
Vocês materializam, através da forma na qual vocês estão, através da morfologia que vocês apresentam e que dão a ver, a encarnação total de suas crenças.
A vida na encarnação, a experiência da dualidade é também uma crença que os afasta, progressivamente, do silêncio, mas que, inexoravelmente, como um elástico que se estica e que volta ao ponto de partida, reconduzi-los-á para o silêncio.

A tensão é um barulho, a passividade é silêncio.
Vocês não podem encontrar sua eternidade no barulho.
Mesmo que vocês tenham a chance de viver alguns momentos luminosos correspondentes ao Despertar, ao reencontro consciente com a Luz, não é, entretanto, que vocês tenham chegado ao fim da experiência.

O reencontro com a Luz é o início de uma experiência que deve terminar pelo desaparecimento da forma e do conjunto de crenças.
O melhor modo de eliminar as crenças não é, certamente, parar de crer, porque elas serão imediatamente substituídas por outras crenças, o que é próprio, mesmo, desse nível de manifestação no qual vocês estão, que é a crença.

A crença é uma emanação do mental.
A crença é algo em que vocês creem e ela chega mesmo a fazê-los crer na perenidade da forma, se não é da sua, em todo caso, da perenidade de uma montanha, de uma pedra, de um reino inteiro.
E, no entanto, é apenas o véu do mental que recobre o pensamento.

A etapa coletiva que vocês vivem engaja-os a retirarem-se dessas crenças.
O único modo de ali chegar é o silêncio, qualquer que seja, eu repito, o nível de Despertar que vocês viveram, qualquer que seja o modo pelo qual isso é revelado e realizado, vocês, no entanto, não chegaram.

Entretanto, a experiência do silêncio aproxima-os a grandes passos do objetivo.
Lembrem-se de que isso se atém à época e ao momento no qual vocês evoluem.
O silêncio é plenitude.
É um lugar onde a Luz não pode encontrar obstáculos.
É um lugar onde a Luz se torna, de algum modo, completa, fixa e imutável.

Vocês devem fazer o esforço a cada dia de repousar no silêncio.
De fato, o silêncio é regeneração.
O silêncio é, portanto, plenitude, Luz e regeneração.

Assim, eu lhes proponho, antes de abrir um espaço de questionamentos, de preencher nosso espaço de manifestação pelo silêncio.

Vamos viver isso, agora, antes que eu os engaje a entrar nas perguntas.

... Efusão de energia...

Vamos, agora, sair desse silêncio para acolher suas perguntas.
Mas vocês vão, também, aperceber-se de que, uma vez posta a questão, a resposta encontra-se no silêncio.

Quem quer, efetivamente, começar esse jogo de questões?

Questão: como manter o silêncio na vida material?

Eu começarei respondendo pela resposta do silêncio.

... Efusão de energia...

A resposta das palavras é ainda mais simples: se vocês aprendem a gerar o silêncio no silêncio, tornar-se-á extremamente mais fácil e rápido encontrar o silêncio no barulho.
É preciso, para isso, um treino extremamente modesto: aproveitem dos momentos de calma, de calmaria, para viver o silêncio.

Uma vez que vocês tenham vivido a reversão que acompanha a passagem do barulho ao silêncio nos momentos de barulho restritos, tornar-se-á extremamente fácil reencontrar esse estado, qualquer que seja a algazarra do mundo, quaisquer que sejam os constrangimentos impostos pelos objetos ou pelas pessoas.

Eis, agora, a resposta da Luz:

... Efusão de energia...

Outra questão.

Questão: a parada do movimento amplifica a experiência do silêncio?

Não é uma obrigação, mas isso pode ser necessário para algumas pessoas, em particular aquelas que têm o hábito de acompanhar as palavras com movimentos do rosto, dos músculos, dos braços.
Isso se vê em alguns temperamentos onde não pode haver palavras sem gestos.

Agora, se vocês permanecem sem gestos, vocês podem ser levados a exprimir pensamentos que os afastam do silêncio.
Portanto, isso é um negócio de caso pessoal.

Agora eu lhes dou a resposta pela plenitude.
 
...
Efusão de energia...

Outra questão.

Questão: o silêncio pode permitir atenuar os medos e os sofrimentos?

Resposta das palavras: o silêncio é transcendência.
O silêncio é suspensão dos medos e do sofrimento.

Se vocês se mantêm suficientemente no silêncio, o sofrimento desvanecer-se-á, qualquer que seja sua causa.

Para as pessoas no sofrimento, esse é um guia precioso, que vai permitir-lhes saber em qual momento vocês tocam o silêncio porque, naquele momento, o sofrimento não pode mais manifestar-se à sua consciência.

Eis a resposta do silêncio e da Luz ao mesmo tempo:

... Efusão de energia...

Questão: períodos de silêncio podem ser vividos na alegria e na plenitude?

Tudo isso é inteira Verdade.
O silêncio, associado à reversão, é o lugar onde vocês podem viver estados místicos os mais autênticos que sejam.
O Samadhi, o êxtase, o íntase é um momento de silêncio intenso.

Eis a resposta:

... Efusão de energia...

Outra interrogação.

Ndr: nenhuma pergunta.

Através das diferentes vindas, vocês começam a experimentar a passagem do barulho ao silêncio e do silêncio ao barulho.
Isso é destinado a fazê-los perceber os mecanismos íntimos e as engrenagens que permitem passar de um ao outro e do outro ao um.

Há um fenômeno bem real de aprendizagem do silêncio.
As próprias variações da intensidade das respostas pelas palavras, pela Luz, pelo silêncio ou pela plenitude põem sua consciência e seu corpo no fenômeno do aprendizado para a realização do silêncio.

Isso é, certamente, a parte a mais importante do que eu tinha a dar-lhes e a transmitir-lhes.

Obviamente, isso participa de minha radiância e de minha orientação junto a vocês.
Lembrem-se do que eu lhes dizia ontem, quanto à inserção em vocês dessa gota, desse cristal, que os religa à minha Essência.
Isso não é uma ilusão, mas uma Verdade essencial.

Eu os ajudo, através disso, a irem para o silêncio e para a plenitude, porque é o único objetivo aqui embaixo.

Vocês buscam primeiro a Luz, em seguida, o Despertar e, em seguida ainda, a realização.
Isso já é extraordinário em si, sobretudo nesse mundo da forma e da dualidade.
Isso mostra a potência e a tenacidade do que vocês são.

Além disso, vocês devem ligar-se novamente com sua Fonte, sua origem, sua filiação e sua afiliação.
Isso é possível pelo silêncio, que permite alegria, plenitude, subida na vibração e essência que vocês são.

Então, eu lhes proponho agora viver, não mais o silêncio, mas a comunhão do silêncio, porque no silêncio também se encontra a abolição da distância entre as consciências, tanto entre suas diferentes consciências como entre a totalidade de suas consciências com a totalidade das outras consciências vividas até o presente como exteriores a vocês.

Então, agora e já, vamos viver isso e, agora e já, eu lhes digo Paz, Amor e fraternidade.

Vivamos isso alguns instantes, antes que eu os deixe por esta vez.

... Efusão de energia...

Recebam minha paz, recebam a graça e recebam a plenitude.

Trabalhem para o silêncio, e eu lhes digo até muito em breve.

___________________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-lo, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com