Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

30 de jun de 2010

O.M. AIVANHOV - 30 de junho de 2010

Mensagem de 30 de junho (publicada em 26 de julho de 2010)
DO SITE AUTRES DIMENSIONS




E bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los e vê-los.

Então, transmito-lhes minhas bênçãos, meu Amor e venho escutar o que têm a me perguntar.


Pergunta: na 3D unificada, o modo de Vida será semelhante àquele dos ameríndios?

Perfeitamente e eu sei que vocês tiverem ontem um magnífico réquiem da Terra de Snow.

Obviamente, ela falou de uma época passada para vocês, mas isso será um tempo futuro para a 3D unificada.


Pergunta: quando as árvores Mestres ascencionam, em qual Dimensão elas vão?

As árvores vem unicamente a 5ª Dimensão, portanto, uma árvore permanece uma árvore mesmo se o que é visível na 5ª Dimensão nada mais tem a ver com o que vocês denominam uma árvore aqui.


Pergunta: sob que forma aparecem na 5ª Dimensão?

Com a Luz Interior, frequentemente de cor azul ou verde, mas com a mesma arborescência que apresentam em sua Dimensão.

A arborescência sendo a malha energética da árvore, mas não há mais necessidade de ter folhas à medida que não há mais síntese de oxigênio.

Pergunta: ela apenas teria o equivalente de um tronco e galhos?

Sim e de Luz, de energia, se preferem.


Pergunta : na 3D dissociada, como produzir ações que não causariam reação?

Muito simples, querida amiga: estando em ação de Graça.

Quando você vive o Fogo do Coração, suas ações vivem na Graça.

O princípio de atração e ressonância a colocará, muito rapidamente, unicamente, frente à fluidez, à Unidade, à sincronia.

Não haverá mais fenômenos tais como vivem.

Alguns de vocês já a vivem.

Evidentemente, se você deixa cair uma maçã, ela continuará a cair no chão, devido à existência das forças gravitacionais, mas, você, você será submetida, ao nível do seu corpo, às forças gravitacionais, mas, ao nível do seu Espírito, ao nível da sua conduta, tudo o que produzir como ação na Graça ser-lhe-á restituído cem vezes na Graça.

É muito simples: a partir do momento em que vivem a ação de Graça e o Fogo do Coração, sua Vida se desenrola na bondade, na Alegria, na facilidade.

O que é resistência e dificuldade vem do ego e da ação/reação.

Penetrar os mundos da Graça é se encontrar si mesmo projetado na Graça.

É viver em Alegria, em Samadhi.

Viver sem contradição, sem resistência, na facilidade.

É uma experiência maravilhosa que corresponde a um novo estado de Consciência, mesmo nesta Dimensão.

Muitos seres humanos, entre os que estão mais despertos, já vivem isso, por toda parte sobre o planeta.

Quando vocês estão sob a influência da Graça, sua Vida se torna simples e simplicidade.

Se lhes chegam coisas desagradáveis, são apenas resistências e jogos do ego, nada mais.


Pergunta: a coragem pode estar ligada a formas de poder?

Completamente.

É muito simples: o que denominam coragem, nesta Dimensão, é, por exemplo, a coragem para ir ganhar sua Vida.

É a coragem para levantar-se de manhã, mesmo se estão fatigados ou doentes.

Ou, a coragem apenas faz traduzir forças de resistências, porque vocês vão lutar contra ou lutar com, mas, de todo modo, é uma luta.

Portanto, vocês chamam isso de coragem, de força, de perseverança.

Você pode mesmo se auto-gratificar que é muito corajoso, não é?

Mas, se você examina o que encara em relação à coragem, à luz do que acabo de responder, cara amiga, para a questão anterior, você faz de imediato a ligação.

Se vocês estão sob a influência da Graça, hoje, vocês não têm mais que lutar.

A luta é o inverso do abandono.

Vocês não têm mais que resistir, pois a Luz se encarrega de tudo em sua Vida.

Naturalmente, isso não significa dizer para ficar abanando as mãos, não é?

Isso quer dizer simplesmente que tudo o que empreendem sob a influência da Graça, se faz na evidência, na simplicidade e na facilidade.

Então, qual coragem há ali para viver isso?

A coragem é a aplicação de uma tensão.

A Luz é tudo, exceto tensão.

Vocês acham, claro, com razão, ao nível de sua Ilusão, que ter coragem é essencial para conseguir criar seus filhos, para exercer o melhor sua profissão e, toda sua Vida, vocês lutam para manter o que têm como ideal, portanto, vocês são muito corajosos.

E, quanto mais vocês são corajosos, e mais o ego se fortalece.

A Vibração da Luz que lhes é proposta hoje é um abandono à Luz, porque vocês aceitam entregar sua vontade e sua coragem à vontade e à coragem da Luz, mas não são mais vocês que estão agindo.

A reversão que têm que viver é uma mudança completa de valores e de paradigma, total.

Isso faz parte do abandono à Luz.

Enquanto estão nas resistências, enquanto estão na vontade, enquanto estão no desejo mesmo da Luz, é a personalidade que se expressa, sempre, quaisquer que sejam as experiências que vivem que podem ser, aliás, muito luminosas e muito agradáveis.

Mas, chegar ao Fogo do Coração, como nós os incitamos agora, é outra coisa.

Não é unicamente uma questão da energia, como isso, que vocês percebem ou das visões que podem captar.

É outro nível que lhes é solicitado, agora, que nada mais tem a ver com o funcionamento habitual.

É preciso, portanto, substituir a tensão pelo abandono.

A tensão corresponde ao 2º ou ao 3º chakra.

O abandono corresponde ao 4º. chakra.


Pergunta: você poderia dar exemplos de outras situações de poder distorcido?

Todos sem exceção, sob essa forma que chamam de coragem.

Vocês recorrem às suas energias que se denomina o Hara.

É ali, aliás, que se encontram as supra-renais.

É aí que se encontra a força vital e vocês dizem que vocês têm a força.

Sim, é sua força.

E a força da Luz?

Por que querem pensar que vão tomar a Luz e que terão mais força nesse local?

É exatamente o inverso.

Se vocês fazem isso, isso se denomina também o ego.

É a mesma coisa que deixar a Luz ao nível do 3º olho.

É também o poder do ego, o que é chamado de poder espiritual do qual Buda disse: “quando encontrares o poder, salva-te depressa”.

Estar no Fogo do Coração é uma Graça, e viver essa Graça é aceitar essa Graça e vocês não podem viver a Graça e decidir que são vocês que decidem.

Na Graça, tudo é simples. Tudo é fácil.

Tudo se faz conforme a Lei de Fluidez.

Tudo se faz segundo a Lei de atração e de ressonância.

A Graça atrai a Graça.

O Coração é um espaço de resolução.

Nesse espaço de resolução, não existem tensões.

A partir do momento em que fazer qualquer coisa se torna um esforço, vocês não estão mais na Graça.

Na Graça, as coisas se fazem como que por milagre.

Vocês têm a energia para fazê-lo, mas essa não é sua energia, é a energia da Luz.

Eu não sei me fiz efetivamente compreender.

A única diferença, vocês a vêem uns e outros, é em função de como está sua Vida, sobretudo hoje.

Ela está fácil ou ela está complicada?

Ela se faz  na resistência?

Ela se faz na facilidade?

Então, não vale a pena colocar a culpa no outro ou nas circunstâncias.

Isso também, é o ego.

Se, na Vibração, no que vocês vivem, vocês vivem a Consciência e as energia ao nível da Coroa radiante da cabeça e vocês se instalam no Coração, tudo tornar-se-á fácil, sem exceção.

Se está difícil, a Luz mostra-lhes as próprias zonas de resistências.

É a iluminação da Luz sobre suas zonas de Sombra

Pergunta: a ação sem intenção, em função do que se apresenta, é uma ação de Graça?

Isso se chama a não ação.

A ação é intenção, mas, ou a intenção se faz na Fluidez e na Graça, ou ela se faz na ação ou na reação.

A diferença para compreender é simples.

O ser que está na ação de Graça tem sua Vida que é simples.
Isso se chama não agir, não mais.
É a fluidez.
Você pensa em tal pessoa e, de um golpe, ela se manifesta, por exemplo.

Pergunta: você disse que, quando se encontra o estado de Existência [Estado de Ser], tudo se torna fácil. Mas trabalhar a Terra, fazer a limpeza, tudo isso demanda um grande esforço físico...

Justamente.
Quando vocês estão na Luz, isso não é mais um esforço.

Quando vocês estão realmente na Vibração do Coração, qualquer que seja sua idade ou suas deficiências físicas, isso se torna fácil.

Enquanto há esforço, isso não é Luz.

É isso que vocês têm, como dizer, dificuldade para integrar e assimilar.

Pergunta: porque nada como a força da gravidade, para se abaixar e tudo...

Mas ela não mais existe, com a Luz.

Aos 80 anos, eu andava como um garoto.
Ninguém conseguia me acompanhar.

Então, que é isso?

Na Unidade, tudo é fácil e, mesmo se admitindo que vocês tenham, por exemplo, uma deficiência física que faz com que isso lhes torne difícil, por exemplo, cultivar seu jardim, e bem, a Graça vai enviar-lhes um jardineiro.

É tão simples assim.

A Luz provê suas necessidades.

Isso vale para tudo.

Pergunta: portanto, se meu acidente aconteceu é que eu não estava então na Luz?

Então aí, é uma interpretação.

Por que é que a Luz faria de modo que você não tivesse jamais o menor problema?

Sob a influência da Graça, o problema que vai lhe chegar, que lhe é imposto, tem sempre sentido, para além do que seu mental possa tentar apreender e compreender.

Talvez, para você, fosse necessário parar.

Pergunta: como devem evoluir os zumbidos nos dois ouvidos?

Isso deve se tornar um canto magnífico: o coro dos Anjos.

Há milhares de violinos e coros de Anjos que cantam ao mesmo tempo.

Os sons dos ouvidos, lembrem-se, vivem nesse momento uma preparação no Antakarana que deve lhes permitir ouvir a doce voz de Maria.

Vocês são, efetivamente, muito numerosos, aqui como em outros locais, a perceberem as flutuações desses sons.

Pergunta: quando eu me concentro sobre o 13º corpo, isso ativa meu Coração. É mental?

Não, é uma realidade.

Caro amigo, há o que se denomina o Antakarana.

Há o cordão que conduz à alma e o cordão que conduz ao Espírito.

São os chifres das vacas.

E ao centro, entre os chifres, se encontra a coroa solar que há em algumas representações egípcias, não é?

Existe realmente, independentemente do que denominam o cordão de prata, o cordão de ouro, existe também um cordão de diamante que parte do 13º Corpo e que chega diretamente ao centro da cabeça e que conduz, é claro, diretamente ao Coração.

Pergunta: como fazer para colher o benefício?

Isso é simples, basta parar de agir como salvadores.

É tão simples assim.

O Coração é leve.

Ele não se coloca a questão de colher o que quer que seja.

Eu repito que estar no Coração, não é fazer o bem, é Ser e quando você está no Ser, o bem se faz por si mesmo.

Mas não é o mesmo bem que aquele que espera uma recompensa que, ele, torna pesado, e não alivia.

Pergunta: os Melquizedeques encarnaram-se sobre o continente africano, a África Negra?

Esta é uma questão muito pertinente.

Há, ao nível desta Terra, o que é chamado de diferentes raças, de diferentes cores.

Há, no continente africano, descendentes da Lemúria que estão extremamente ligados à corrente de evolução da Lemúria.

Eles não necessitam dos Melquizedeques.

Simplesmente, eles são muito infelizes neste mundo porque eles não evoluem de acordo com as mesmas regras.

Mas isso não é de modo algum uma forma de racismo.

Isso nada tem a ver.

São unicamente questões de linhagem e de evolução que são, digamos, diferentes.

Assim como vocês percebem que os Asiáticos são também muito raros.

E há eles.
E houve eles.

Os Asiáticos também seguem linhas evolutivas um pouco diferentes.

Pergunta: qual é a origem dessa evolução específica?

É como acabo de dizer, não vem do mesmo lugar.

Pergunta: poderia desenvolver?

Isso seria extremamente complicado.

Basta simplesmente responder que o povo negro africano, em sua grande maioria, não necessita viver uma energia ligada aos 24 Anciões.

E os níveis Vibratórios não são os mesmos.

Isso não quer dizer que eles sejam superiores ou inferiores, longe disso.

Significa dizer simplesmente que eles evoluem eu outras freqüências Vibratórias, é tudo.

Pergunta: eles são acompanhados de seu próprio Conclave, de suas próprias Assembléias?

Perfeitamente.

Pergunta: de alguma forma, vocês não se misturam com o que outros se encarregam?

Perfeitamente.
É como se eu quisesse tomar o lugar de um Arcanjo.


Pergunta: então as raças humanas seriam de origem, de linhagem diferente?

Não generalize.

Há, no continente africano, almas que se encarnaram em um corpo negro, mas que não fazem parte dessas linhagens negras.

Isso é algo bastante frequente.

Portanto, o que é válido para um continente, não é válido a título individual.


Pergunta: de onde vêm, então, as diferentes raças humanas?

Trata-se de criações genéticas diferentes, ao nível dos corpos, eu digo, físicos, biológicos.

Quando eu falei da Lemúria, eu recorri a escalas de tempo muito anteriores à história recente, ou seja, 320.000 anos.

Mas são dados históricos que iriam sobrecarregar sua cabeça.


Pergunta: como funciona a Lei de causa e efeito?

Ela não funciona no sentido em que acreditam.

E o único objetivo da Lei de causa e efeito, ou de ação/reação, é manter, de maneira eterna, as forças de atrito e de resistência e de oposição.

Pergunta: então, isso significa que a Lei de causa e feito foi criada pelos Dracos?

Sim, como tudo o que é atração gravitacional, é a mesma coisa.

A ação / reação, a reencarnação, é uma Criação de Yaldabaoth.

Isso não existe.

Quando vocês passam ao Estado de Ser [Existência], tudo isso é varrido.

Isso não tem qualquer sentido.

Isso tem sentido para a personalidade, que vai aderir a esse sistema e que vai se reencarnar de forma permanente porque vai acreditar que se reencarnando, vai se aperfeiçoar.

E é nisso que vocês creram, mesmo na espiritualidade.
E é no que todos nós cremos.

Porque esse sistema de crenças faz parte da matriz, mas a matriz, ela não está unicamente presente nas forças astrais.
Ela também está inscrita em seu próprio DNA.
É a parte reptiliana do humano.


Pergunta: isso significa que não se conhece qualquer Lei Divina?

Obviamente, uma vez que vocês estão em um corpo dissociado.

Em primeiro lugar, não são leis divinas.

Não há Lei uma vez que, ao nível do Estado de Ser [Existência], da Unidade, há permanentemente Graça.
A única lei é a Graça.
Não há outras leis.


Pergunta: se Yaldabaoth, inicialmente, « estava na Unidade », onde ele está agora?

Ele se esconde.
Procura-se.

Mas é aquele que vocês representaram por toda parte sobre a Terra, que vocês chamaram de Deus ou o diabo.

É a mesma entidade, Yaldabaoth, que usurpou a Criação.

Ele se apossou de uma Criação preexistente.

Ele não pode criar.

E é por isso que ele se denomina seu Criador, mas ele jamais criou.

Em contrapartida, ele os subjugou e os escravizou.

Ele os aprisionou, literalmente.

E o milagre é que ele fez vocês acreditarem que estavam no livre arbítrio e que o inferno não era aqui, mas quando vocês fossem para o outro lado, se vocês tivessem feito o mal.

É maravilhoso, não é?


Pergunta: é um ser que evoluiu na Existência?

No início, sim, é claro, mas ele criou dimensões desligadas, alteradas.

Ele se aprisionou a si mesmo em qualquer coisa.


Pergunta: ele então criou a própria prisão progressivamente e à medida que seu programa se desenrolava?

Perfeitamente.
Ele se trancou nele mesmo.
Isso se denomina obscurecimento.

E vocês poderiam chamá-lo também de o demiurgo.

Vocês não notaram, em todo caso, na língua francesa, silábica: Dieu e diable, é a mesma coisa.

Ele teve uma idéia, uma idéia muito malvada.


Pergunta: é uma forma de ego. Como essa forma de ego pôde existir?

Mas ele não o concebeu como o ego, ele o concebeu como uma Criação.

Estando louco furioso de não poder criar como Maria ou os Mestres geneticistas, ele se apossou de algo, não aqui, em muitos lugares.

E ele quis recriar uma Criação, colocando outras regras.
E essas regras, elas têm por nome carma, evolução, morte, reencarnação, sofrimento, tudo o que quiserem.

Mas ele nada criou.

Há mais de 320.000 anos, os seres que faziam a experiência da matéria eram livres.


Pergunta: como se pode, como você disse, estar louco furioso quando se está no Estado de Ser [Existência]?

Porque isso se denomina o orgulho, mas não o orgulho do ego, é o orgulho de qualquer um que tem um papel importante ao nível de Potências e que quer transformar essa Potência em Criação, mas a Potência não está aí para criar, ela está aí para manter.


Pergunta: isso poderia se reproduzir?

Não, é impossível porque o que permitiu a Fonte, e alguns Conclaves específicos ao nível da civilização dos Triângulos, não está pronto para se reproduzir.


Pergunta: tudo isso está ligado ao princípio de liberdade da Fonte, que faz com que a Fonte “deixe fazer”?

Não, a Fonte não deixa fazer.
A Fonte É.

Quando vocês estão no Estado de Ser [Existência], vocês estão também na mesma Dimensão e na mesma qualidade, se querem.

A Fonte deixa se estabelecerem todas as criações.

Há Consciências que são especializadas na Criação de Vida e de Dimensões.

Há Consciências que são especializadas no acolhimento da Criação: a Terra.

Há Consciências que são especializadas nos movimentos: os triângulos etc. etc..

Então, há uma liberdade total, mas, a liberdade, é estar em acordo com sua própria ressonância, sua própria forma e sua própria função.

Então, eu sei que é muito sedutor, quando se está na prisão, imaginar que não se vai mais estar na prisão.

Vocês, aliás, a maior parte, tão bem o imaginaram, que vocês não imaginam que possa existir outra coisa além da prisão.

É o que lhes repetem sem parar: saiam da prisão.

Mas vocês não podem sair da prisão com suas boas ações ou com as crenças sobre o bem e o mal, uma vez que as duas participam da manutenção da prisão.

Então, há prisões que são mais bonitas.
Elas são de cor mais vibrante que as prisões que são menos douradas, digamos.
Mas são sempre prisões.

Agora, como vocês querem que lhes expliquem isso ou que, nós mesmos, os façamos aderir a isso?
Não é possível.

Enquanto vocês não viverem o Fogo do Coração e o acesso à Existência [Estado de Ser], vocês permanecem em seus esquemas antigos, vocês permanecem na prisão.

Se nós tivéssemos, ou se a Fonte tivesse tido uma melhor idéia desde o que vocês chamam de todos os tempos, vocês acreditam efetivamente que isso teria sido realizado?


Pergunta: a matriz inclui todo nosso sistema solar?

Perfeitamente.
Pelos três envelopes.
Muito mais ampla mesmo que o sistema solar, uma vez que compreende a ionosfera, a magnetosfera e a heliosfera que é muito grande.


Pergunta: isso significa então que todo o sistema solar vai ascensionar?

Totalmente.


Pergunta: compreende o sol?

Perfeitamente.


Nós não temos mais perguntas. Agradecemos.


Então, queridos amigos, eu lhes transmito todas minhas bênçãos.

Eu lhes digo até breve.

************

Mensagem do Venerável OMRAAM (Aïvanhov) no site francês:

http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=661

30 de Junho de 2010

(Publicado em 26 de Julho de 2010)

***

Tradução para o Português: Zulma Peixinho
http://portaldosanjos.ning.com

REVISÃO: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

************

29 de jun de 2010

SNOW - 29 de junho de 2010

Mensagem de 29 de junho (publicada em 26 de julho de 2010)
DO SITE AUTRES DIMENSIONS



Eu sou Pluma Branca ou Snow.
Recebem o Amor de uma de suas Irmãs.

Irmãos e Irmãs presentes nesta assembléia, eu venho hoje, além mesmo da busca à qual eu os convidei, expressar certo número de elementos relativos à Terra e à natureza.

Os povos nativos, o meu, como tantos outros, sempre guardaram presente, em sua Consciência, a capacidade de perceber o Sopro da vida ou o Sopro do Grande Espírito.

Nós permanecemos próximos da Terra, por instinto e por intuição.
Porque nós sempre aceitamos que nossa vida nesse corpo era possível, de um lado, pela Terra, e de outro lado, pelo Sopro do Espírito e o sol.

Nós jamais procuramos outra coisa além desta harmonia.
Esta harmonia, certamente, não é, como o sabem, uma Verdade absoluta, mas, mesmo assim, na natureza as forças de Vida são muito mais facilmente captáveis e assimiláveis pela Consciência.

Hoje, a maioria dos seres humanos está cortada do Sopro do Grande Espírito na natureza, por seus modos de vida, por seu modo mesmo de encarar a Vida.

O dinheiro colocou, entre os homens, uma barreira e eu me explico: em minha tribo, como em todas as tribos e os povos nativos, quando você sonhava ou desejava algo que não tinha, era preciso propor outra coisa no lugar.

É a grande diferença, com relação ao que vocês chamam de compra ou de comércio e toda a diferença está aí, e ela é essencial.

Obviamente, não falaria do que jamais conheci, que vocês chamaram ainda de finanças, ilusão sobre ilusão.

Assim, portanto, quando um ser de meu povo queria algo, ele devia dar, no lugar, outra coisa.
Isso foi chamado de troca, que foi tão ridicularizada em suas sociedades.

Mas o importante não é a troca em si, era a intenção que estava por trás.

A saber, se eu queria, por exemplo, este bonito ornamento, esse belo animal, era necessário que eu fornecesse algo que era meu, algo que eu conhecia.

E, portanto, havia, nessa troca, uma relação que se estabelecia entre dois seres que trocavam e compartilhavam.
A relação era então direta.
Era um comércio equitativo e, sobretudo, pleno de sentido.

Então, hoje, vocês compram e compram, com algo que não foi criado ou que vocês não possuem.

O objeto que vocês cedem, na troca, é algo que lhes pertencia, que vocês cedem contra outro objeto.

Todas as sociedades tradicionais funcionam segundo esse princípio.
E aí está que o ocidental, desde algumas centenas de anos, não contente de ter criado, como pelas religiões, um intermediário na relação, além disso deram este intermediário todos os poderes sobre a relação.

Vocês perderam então o verdadeiro sentido da palavra comércio.

Então, certamente, àqueles de vocês que me responderiam que o valor de uma tenda não é o valor de um apartamento, eu responderia, certamente, a seus olhos, mas certamente não aos nossos.

E em nome de que o valor que vocês atribuem é mais real que aquele que nós atribuímos?

De fato, esse princípio de simplificação em todos os níveis, tornou tudo complexo.
A Vida se tornou algo que não é natural, porque é preciso ganhá-la.

É através dessas coisas muito simples, que são, para os povos nativos, tão evidentes, que vocês contribuíram, de algum modo, para manter e para desenvolver aspectos cada vez mais abstratos.

Nessa abstração, lhes parece que se desembaraçaram de certo número de obstáculos.

No início, quando tive a oportunidade de ver com meus olhos, por outro canal, quando compreendi que, ao invés de semear a Terra com suas fezes, vocês utilizavam da água limpa, não pude crer e, no entanto, era a Verdade.

Qual é o ser humano, no mundo ocidental, que tem consciência que ele polui a água ao invés de semear a Terra, deste modo?
Eu poderia multiplicar os exemplos ao infinito, mas meu objetivo não está aí.

Hoje, as coisas são profundamente diferentes com relação ao que vivi em minha última vida.
Simplesmente, vocês deverão retomar Consciência da pulsação da vida que existe na natureza, porque a natureza será seguramente sua maior ajuda no que vocês são chamados a viver.

Antes do retorno na Unidade, do Grande Espírito, vocês devem, eu diria, com urgência, domesticar de novo a natureza e se domesticarem de novo, a vocês mesmos, se reconectarem, em todos os sentidos do termo, com o pulso da Terra, o pulso dos vegetais, a vida dos animais.

Como o sabem, muito grandes entidades anunciaram a fase que vocês vivem como um período de dissolução de tudo o que não é natural, de tudo o que é artificial.

Assim como as frases muito conhecidas que foram pronunciadas pelas pessoas dos povos nativos, vocês chegaram a este extremo.

Quando lhes disseram que o dinheiro não se come, e fomos muitos a dizê-lo, olhavam-nos com olhos perplexos, dizendo-nos que não se tinha mais necessidade de ter alimentos sobre si, porque era suficiente sacar um bilhete para comprá-los.

Tínhamos verdadeiramente muita dificuldade para transmitir o que vivíamos.
Nós éramos então como todos os outros povos nativos: os selvagens que se opõem ao progresso, à evolução.

Em sua desmedida, o homem ocidental jamais viu que não era uma evolução, mas, bem mais, uma involução e uma degradação profunda de sua própria Consciência e de sua confiança e de sua orientação.

Vocês então, vocês todos, sem exceção (e mesmo nos povos nativos, em seguida, por avidez, por conveniência), foram cortados voluntariamente desta conexão à natureza, aos elementos.

Ora, na dissolução que vem a vocês, apenas isso restará.

A natureza é vida.
A natureza está bem mais próxima do que vocês chamam de Dimensão Superior que o ser humano.

Começando, já, pelo reino mineral que Vibra e que permite a própria coesão e a manutenção de certa dose de Sopro do Grande Espírito, sem o qual tudo seria apenas escuridão.

A vida, na natureza, está repleta de elementos, elementos que, seguramente, falam conosco.

Compreendam bem que o que falo não está ligado a uma visão que vocês chamariam de xamânica, mas bem além.
A natureza, em sua totalidade, é sinais e manifestações.

Eu lhes digo isso porque, no que vocês vivem hoje, o apoio o mais maravilhoso que vocês podem encontrar é, obviamente, vocês mesmos, em sua Dimensão Uma, interior.
Mas a natureza é uma grande ajuda para isso.

Vocês ali encontrarão reconforto, reconciliação, apaziguamento, o que jamais seus bilhetes ou seus plásticos poderão lhes trazer.

Os acontecimentos da Terra vão forçá-los a repensar, no pouco tempo que lhes resta nesse mundo, sua relação com esse mundo e com muitas coisas que vocês devem deixar para encontrar o Sopro do Grande Espírito e estar em acordo com ele.

Existem homens insensatos que não compreenderam mesmo que eles não podiam mais viver uma geração sem natureza.

Que digo eu uma geração?
Uma dezena de anos.

Como o sabem, alguns povos abandonam já a Terra: as abelhas, os golfinhos, as baleias.
Eles não abandonam a Terra para se salvar, mas eles abandonam a Terra para ir para a nova Terra.
Eles ali estão já, aqueles que devem ir.
Eles realizaram seu sonho.
Eles escaparam da ilusão e do sofrimento.

Nós sempre dissemos, como outros povos, que a vida é um sonho que se tornou um pesadelo.
É de fato possível, era de fato possível, mesmo no que vivo agora, em minha Consciência, com minhas Irmãs, que esse mundo era uma ilusão, mas uma ilusão que tinha sido ordenada, preparada, para a qual a vida podia se expressar e se religar ao Grande Espírito, antes que a Sombra chegasse.

A vida nesta dimensão pode ser mágica.

Muitos povos, irmãs das estrelas, vivem, aliás, em total liberdade, em comunhão com a natureza, nos mundos Unificados.

Em meio a todos os povos há necessidade de compreender o que é lógico, mas o problema vem que a necessidade de compreender veio substituir a necessidade de viver e a percepção da vida.

Não tendo mais esse sentido, o sentido não aparece mais, o significado, ainda menos.
É necessário portanto fazer intervir suposição, análise.

Eu intervenho essa noite para bem marcá-los no que é o mental e o que é a empatia.

Para bem fazê-los observar que o ocidente, como muitos povos nativos, infelizmente, escolheram o mental, o que vocês chamam de razão, de lógica.
E o drama é que o homem quer se apreender, com o mental, da vida e do sentido profundo da vida.
É um erro funesto que os leva a viver o que chamo, eu, de ruptura e a sede perpétua.

Vocês sabem essa palavra: «por que», «por que», «por que», «por que», que volta, mais ou menos conscientemente, durante o dia, esta injunção tão oposta à injunção da vida que é «Vida», «Vida», «Vida».

«Porque» não é a vida.
«Porque» é uma construção, que não é você e à qual vocês são identificados, tão identificados.

Certamente, sejam minhas Irmãs, sejam os Anciões, sejam os Arcanjos, nós transbordamos literalmente de amor por vocês.
Isso nada tem de excepcional, é normal.

E estamos entristecidos, não falo por vocês, em particular, neste espaço, mas pelo conjunto da humanidade, por ver que sempre e sempre, mesmo quando os sentidos da vida se instalam, para alguns de vocês, novamente, em seu Coração, a cabeça continua: «por que», «por que», «por que».

Será que a vida pergunta por que está viva?
Será que seu Coração pergunta por que ele bate?

Eu exprimo, com minhas palavras, certamente o que deveriam exprimir as formas de Consciência bem além da humana.

Vocês descobrirão que, hoje, se vocês querem ir para onde seu Coração quer conduzi-los, vocês devem redescobrir, com toda urgência, o que é a simplicidade.

A simplicidade não quer dizer sofrimento, ela quer dizer Alegria.
A Alegria só pode se instalar se vocês são simples.
Já em acordo com vocês mesmos, não com a cabeça que diz «por que», «por que», «por que», mas com o Sopro, esse Fogo que está em vocês.
Porque absolutamente tudo ali está, tudo, sem exceção.

Um dos grandes neófitos, pertencente mais ao ocidente que aos povos nativos, veio vê-los.
Não havia necessidade de vir nos ver, nós, porque sua mensagem nós a conhecemos desde o início dos tempos.
Ele veio lembrá-los, tentar ao menos lembrá-los, ele lhes disse que vocês deviam voltar a ser como crianças, maravilhadas pela vida, que não se preocupam nem com o amanhã nem com outra coisa que o que vivem, no instante em que vivem.

Mas, certamente, o mundo os levou em conceitos.

Ganhar a vida.
Como se se pudesse ganhar a vida, eis que a vida É, de qualquer modo.
Ela não tem necessidade de ser ganha.
Isso faz parte de crenças que falsificam ainda mais o pouco de vida que restou nesse mundo.

Era necessário, naquele momento, se proteger, eis que era preciso ganhar sua vida, da doença, da velhice e mesmo da morte, até ignorar o sentido e a função.

Até considerar que a morte não lhes concernia, que era algo tão distante que era indecente dela falar ou evocá-la.

Fizeram-nos então penetrar, com seu consentimento, em camadas muito mais pesadas, mesmo, que a armadilha inicial.
E vocês consentiram.
Nós consentimos.

Aquiescência à ilusão, aquiescência a uma maior falsidade, a tal ponto que alguns disseram que o homem era um lobo para o homem, e é a Verdade.

Então, sim, a natureza, contra ventos e marés, vive e prossegue seu papel.

O ser humano, entre os mais estúpidos entre eles, pensou mesmo em suprimir a natureza, suprimir as árvores, suprimir a vida.

Ali havia apenas essa palavra: negócios.

E, depois, negócio tornou-se negócio, como sempre (o negócio é a vida), enquanto é anti-vida.

As relações entre os seres se tornaram sem graça, não impregnadas de vida.

De fato, trocar um animal por um pulôver é trocar uma parte de si.
Comprar com uma peça, é anônimo.

Como vocês dizem, o dinheiro não tem cheiro.
O pulôver e o animal têm cheiro.
O cheiro daquele que o fez, daquele que o alimentou, que ali se investiu.
E, sobretudo, não há intermediário.

O que nos tem mais chocado, com a vinda do homem branco, é essa necessidade de se tranquilizar por ritos, por igrejas, eu creio, pelos tempos.
Como se o ser tivesse se tornado tão impuro que ele precisava outro ser se dizendo puro (mas, frequentemente, ainda mais impuro que ele mesmo) para entrar em contato com o Grande Espírito.

Mas o Grande Espírito está por toda parte.
Ele não pode ser fechado em nenhum lugar.

Então, sim, a natureza os restitui ao que vocês são, nesta dimensão, falsificada ou não.
Ela os restitui à Verdade.

A natureza é um inimigo, assim os ensinaram, assim vocês acreditaram.
A natureza, agora, apenas restituirá o que a humanidade abafou.
A natureza, nos tempos que lhes restam, se tornará cada vez mais seu salvo-conduto, seu meio de prover todas as suas necessidades.

É diferente voltar à natureza e em meio à natureza voluntariamente, do que esperar para ser forçado.
A natureza se abre a vocês, se vocês se abrem a ela.

Ela é paz, se vocês são paz.
Ela é violência, se vocês são violência.
Não há qualquer punição aí.
Há somente uma ressonância, somente uma evidência.

Na natureza não há “por que”.
Há somente evidência e a aceitação do Supro do Espírito que ali está.

A Terra é viva e a Terra não tem que aceitar e, aliás, ela não aceita, a visão deformada da vida.
A Terra vai se liberar, ela dá à luz.
Ela vai se liberar de certo número de forças que a forçaram a permanecer.
E se ela ali permaneceu, não é por ela, mas por vocês, para nós.

Vocês acreditam que, desde tanto e tanto tempo, a Terra não teve os meios de se liberar de todo parasita, de toda vida, em sua superfície?
Ela não o fez, por vocês.

Ela respeitou suas vidas até certo ponto, até o momento em que o Grande Espírito chegou, há quase 30 anos, e lhe disse: «agora é a hora, você deve se liberar».

A Terra bem que respondem ao Grande Espírito: «mas eu apoio muitas Consciências e vida, não posso, assim, mudar».

Então, o Grande Espírito disse à Terra: «eu a deixo viver ainda, o tempo que alguns homens despertem, que alguns homens aceitem reviver a verdadeira vida».

E a Terra esperou, pacientemente.

Ela suportou ver a natureza desfigurada.
Ela suportou ver seu éter poluído pelas ondas contrárias à vida.
Ela suportou tudo isso, por vocês, e unicamente por vocês.

O que lhes digo é a estrita Verdade.
Quem rende graças à Terra, quem agradece a Terra por ter esperado?
Quem se dá conta disso?

Os povos nativos, alguns Guardiões e Guardiãs da sabedoria.
Não todos, alguns.

Hoje, a Terra se libera e vai se liberar, inteiramente.
O momento chegou.
Ela lhes pergunta: «vocês querem fazer parte da vida, da nova vida?
Vocês querem se juntar a mim, à Unidade, às dimensões da liberdade?
Vocês querem ir também a outros planetas, outras dimensões?».

Para isso, é preciso mudar.
Para isso, é preciso parar: «por que», «por que», «por que».
E viver.
Viver.

Como em sua linguagem, vocês podem lhe dizer, saber é: ter a si mesmo.
O saber não é o conhecimento.

A mãe Terra dá.
Ela dá sem distinção.
Ela lhes deu tudo, apesar do constrangimento.
Vocês acreditam que a Terra pôde suportar tudo o que ela suportou se não tivesse, nela, um Amor imenso pelo conjunto de vidas que ela nutria?

Hoje, as coisas são diferentes, porque o momento chegou;

Então, sua busca, esta busca de vocês mesmos, os levará mais facilmente que vocês perceberão a vida da natureza, da Terra.
Porque, lembrem-se também que a Terra, em seus aspectos íntimos, em seu Coração, tem o cristal, a Fonte.

Hoje, esta busca de vocês mesmos deve se viver.
E viver é estar inteiramente imerso no Sopro do instante, no Sopro da Verdade.

Mas é a vocês que cabe viver a experiência de apreender o alcance, não com compreensão ou saber, mas com o Coração.

A Terra os levará para o mundo novo.
Ela conhece o caminho.
Ela conhece a estrada.
Aí também, dêem-lhe confiança.
Ela sabe qual povo ela deve levar primeiro, na nova dimensão.
Ela obedece à vida, ao Sopro.

Assim, a busca que vocês levaram, além do sentido pessoal, é um convite para se voltarem para o verdadeiro valor, que é a vida.

Certamente, a cabeça vai responder, ela responderá sempre, aliás: «eu devo ganhar minha vida, devo pagar isso ou aquilo. Eu devo.».

Mas quem disse?
As leis.
Quais leis?
Aquelas do homem ou aquelas da vida?
A Sociedade.
Qual sociedade?
Uma sociedade que fala de direito e que não lhes atribui nenhum.
Uma sociedade que fala de liberdade, enquanto vocês não têm nenhuma.
Onde está a liberdade?
Será que está no fato de comprar o que bem lhes parece, ou será que ela está no fato de viver?

Vocês vão viver em breve uma mudança de condições, uma mudança de vida, uma mudança de paradigma.

A chave, certamente, é o Coração.
Mas uma das chaves do Coração é a natureza.

Então, vocês me responderão: «eu não vivo na natureza».
Então, eu responderia: «é que você não sentiu a vida».

Certamente, assim que se fala de natureza, o humano civilizado vai compreender: perda de muitas coisas, perda da civilização.
E se eu dissesse que a Terra não se importa com suas sociedades, com suas civilizações?
Ela respeitou a vida que corre em vocês e nada mais.
A mulher sempre foi bem mais próxima da natureza que o homem, porque, inconscientemente, ela sabe o que é a vida e levar a vida.
O que faz a Terra.

Agora, não é mais tempo de voltar atrás e viver como os povos nativos, é muito tarde.
É simplesmente tempo de acolher, urgentemente, o Sopro, o Sopro e o batimento de sua própria vida, que vocês poderão reencontrar na natureza.

Dirijam-se à Terra, não para lhe pedir a cura das pragas que os homens lhe infligiram voluntariamente.
Isso a nada serve.
Mas, simplesmente, lhe dizendo que vocês querem entendê-la, rendendo-lhe graça pelo que ela é.

A Terra vai tomar uma importância essencial, a partir de agora, porque sua Consciência, para ela também, muda: ela se libera, como vocês.
Os seres que se liberam podem se compreender mais facilmente, porque vão já no mesmo sentido, com mais ou menos resistências, mais ou menos facilidade, mas vão no mesmo sentido.

O sonho da Terra vai se tornar sua Verdade.
Que vocês estejam sobre esta Terra ou em outro lugar, depois, vocês viverão no Coração.
Vocês assimilarão o papel da Terra, apesar da falsificação.
A Terra é o que há também em sua base, porque ela vem da Terra, não é?, mesmo se o homem transformou isso.

Como disse um dos filhos do Grande Espírito, vocês estão sobre esta Terra, sobre esse mundo, mais precisamente, mas vocês não são desse mundo.

Igualmente a Terra não é desse mundo.
Ela tolerou.
Ela esperou pacientemente a oportunidade de viver o que ela vive.

Então, sim, é preciso render graça ao céu, render graça aos guias, aos grandes seres que vêm vê-los, mas é preciso render graça, também, à Terra.

Ela jamais foi, voluntariamente, sua prisão.
Mas ela sempre tudo fez para que os filhos da Terra pudessem encontrar, em seu seio, consolação e vida.

Alguns seres fizeram, de maneira consciente, conscientemente, conscientemente destruíram as árvores, as florestas, a vida dos vegetais, dos animais.
Então, não é questão agora de desenvolver uma culpa que a nada serviria.
É simplesmente questão de se tornarem lúcidos e conscientes.

Lúcidos e conscientes, não quer dizer compreender e saber.
Lúcidos e conscientes quer dizer Ser.

Terem-se de pé.
Dentarem-se também, para sentir a Terra.
Pedir-lhe que os nutra, corpo, alma e Espírito.

Aí está, meus irmãos e Irmãs, o que tinha a lhes dizer.
Fui um pouco longa.

Se há respostas a trazer e eu possa trazê-las, então, eu as trarei de bom Coração.

Questão: como me lembrar de meus sonhos?

Cara irmã, estou mesmo ainda surpresa que você saiba o que é o sonho, porque, como vocês querem sonhar, dormindo fechados?

Você quer sonhar?
Então, durma sem obstáculos entre a Terra e o céu e você.
Reencontre o sono, fora.
Banhe-se dos raios da lua.
Recolha o raio da vida da Terra e, então, você percorrerá o espaço do sonho.

A maior parte dos sonhos que vocês vivem, fechados em suas casas, são bem insípidos, e apenas traduzem uma pequena fatia de vida.

Sonhar é possível, então, é preciso estar reconectado ao céu e à Terra.
Para isso, é preciso dormir sem uma estrutura acima de vocês e abaixo de vocês.
E o sonho se estabelecerá.

Não penso que haja muitos irmãos e Irmãs aqui que tenham pensado em dormir, como assim se chama, na bela estrela.
O sonho ali se encontra, eis que, instantaneamente, naquele momento, a Consciência indo para outros lugares, o espaço do sonho se abre, coisa que ele não pode fazer, ou então de maneira muito alterada, num espaço fechado.

Questão: como se pode o melhor possível render graça à Terra pelo que ela faz por nós?

Você pode acender um fogo, você pode cantar louvores.
O mais simples é ainda dar-lhe as palavras de seu Coração.
E vibrar por ela em seu Coração e dar-lhe esta Vibração.
Ela a tomará, ela a acolherá.
Simplesmente, muito pouco, no mundo ocidental, pensam.

Questão: para os Aborígenes Australianos, o sangue das regras das mulheres é importante?

Sim.
No sangue das mulheres, como no sangue da Terra, se esconde o mistério da criação.

Algumas tradições quiseram fazê-los crer que esse sangue era impuro, eu creio, no que vocês chamam de suas religiões monoteístas.
Obviamente, porque toda a magia da vida se esconde nesse sangue.
Mas eles sabiam o que faziam, privando-os desse sangue.

A tal ponto que, agora, não ocorreria a qualquer ser humano, no espírito, encarar esse sangue como puro e sagrado.

Certamente, certo número de poluições podem se eliminar nesse sangue, mas antes dessas poluições, o papel sagrado permanece.

Para além das tradições ou religiões monoteístas que os induziram nesta crença, o conjunto de povos da Terra, ditos primitivos, sabem e utilizam esse sangue sagrado.
Isso está tão distante, agora, do que é aceitável pelo homem civilizado, que não vale a pena ir mais longe.

Questão: os cantos ameríndios que ouvi durante sua intervenção são cantos de homenagem à Terra, em ressonância com sua Vibração?

Inteiramente.
Hoje, não cantarei, mas, em breve, eu lhes cantarei o canto da Terra.
Porque a Terra canta.
Ela canta verdadeiramente.

Assim como o cosmos canta, assim como as diferentes radiações cantam, cada uma, seu canto.
Assim como existe um canto em todas as partículas, a Terra, também, tem um canto.

Trata-se, portanto, certamente, do canto da Terra.
O cristal canta.
Mas, para ouvir esse canto, é preciso, certamente, estar na escuta.
E estar na escuta no Coração, e, portanto, no silêncio.

Questão: as estrelas, entre elas, cantam?

Sim.
Do mesmo modo que as árvores se comunicam entre elas pelos raios de Luz e pelos cantos.
A vida é canto.
Aliás, quando vocês conectam o Grande Espírito, em vocês, o som se faz ouvir.
São cantos.

Questão: na tradição ameríndia, que representa o lobo branco?

É o símbolo, como todo animal branco, de uma grande pureza.
É o símbolo também da renovação.

Assim, quando um animal branco aparece (para os Indianos, quando um visão branco nasce), anuncia grandes mudanças.
É a mesma coisa, em todas as partes sobre a Terra, para os povos religados.
O elefante branco, o urso branco, nas regiões onde não existe, quando aparece, assinala a renovação.
O lobo branco é a liberdade reencontrada.

Questão: a lua é uma Consciência à parte ou ela está incluída na Consciência da Terra?

Nem um, nem outro.
A lua não é uma criação natural.
A lua é uma embarcação criada do zero.

Questão: com qual intenção?

Remeter o fluxo e o refluxo e as forças gravitacionais.

Questão: qual é seu papel exato na dinâmica dos sonhos, eis que você preconizou dormir na bela estrela, portanto, a maior parte do tempo, sob a lua ou a irradiação da lua?

Não unicamente.
Antes de tudo, sob a irradiação das estrelas.
Mesmo se a lua possa, em alguns casos, e vocês o sabem, favorecer algumas visões, mas essas visões são apenas reflexos.

É aliás aconselhado evitar as noites de lua cheia para dormir fora.
Escolham antes, na bela estrela, um céu sem lua, onde as estrelas são mais brilhantes possível.

Questão: podem-se obter os cantos da Terra de que fala sob forma de gravação, isso já foi feito?

Isso foi feito, eu diria, em muito numerosos exemplares.
Segundo os povos índios, os cantos são muito diferentes, porque passam por um suporte para cantar a Terra.

Para alguns, eles cantam o ar.
Para outros, eles cantam a água ou as árvores.
Alguns cantam, podem cantar a Terra, inteiramente.

Algumas tribos foram mais centradas no canto da Terra, diretamente, eu diria.
Entre eles, os Lakotas, meu povo e, certamente, os Hopis.

Em meio a esses povos existem muitos cantos que cantam a Terra, diretamente.

Cabe-lhes fazer sua própria experiência.

Guardem, entretanto que, o que vão ouvir com seus ouvidos no que chamam de gravação, a mais autêntica e a mais pura que seja, não lhes retransmitirá jamais a cerimônia desse canto tal como é praticada na natureza.

Mas é, assim mesmo, uma aproximação.

Render graça à Terra, assim como foi pedido há pouco, pode se fazer cantando, vocês mesmos, esse canto espontâneo, aquele que sai de vocês, por exemplo, quando vocês cantam [vibram] de Alegria.

Questão: as cores do arco-íris têm um significado como os chacras no ser humano?

Qual relação, qual ressonância existe entre os chacras e o arco-íris se não é o elemento cor?
Mas a cor do arco-íris não é a cor de um chacra.

Questão: há uma ligação entre as cores do arco-íris e as funções específicas da Terra?

Quem agiria sobre a Terra?
Não, absolutamente não.

Questão: participei da criação de espaços de cura. Qual é sua contribuição?

A contribuição da intenção daquele que o criou.
Nada mais.

A própria Terra, sua natureza, é curadora.
Por que querer limitar?
O que é importante é a intenção.

A Terra tem vários espaços de cura, mas a Terra não tem necessidade de ser curada.
São vocês que têm necessidade de ser curados.

A Terra pode se curar de um dia para outro, sem qualquer ajuda exterior.

Questão: em sua tradição, a noção de sacrifício dos animais tinha um valor específico? Se sim, qual?

O sacrifício de um animal, como de uma árvore, particularmente em meio ao meu povo, era um ato maduramente reflexivo.
O sacrifício do animal é ligado a um agradecimento que oferecemos à Terra pelo alimento trazido.

Houve, certamente, tribos que sacrificaram animais com outros objetivos.
Mas, de uma maneira geral, o único sacrifício aceitável é aquele que permite de se nutrir.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Meus Irmãos e minhas Irmãs, terei talvez a oportunidade de voltar entre vocês.
O que quer que seja, Snow lhes transmite, agora, todo o Amor que este em meu Coração.

__________________________________
Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

ANAEL - 29 de junho de 2010

Mensagem de 29 de junho (publicada em 26 de julho de 2010)
DO SITE AUTRES DIMENSIONS



Eu sou Anael, Arcanjo.

Bem amados Filhos da Luz e Sementes de estrelas nesta densidade, hoje, vocês exploram a 3ª densidade Vibratória, que é, justamente, aquela em que vivem, chamada de 3ª Dimensão, mundo astral, mundo das emoções e, antes de tudo, mundo das Crenças e da Ilusão de que essas Crenças são Verdades.

Existe certo número de elementos que não lhes serão aparentes, enquanto vocês permanecerem na ação/reação.

A ação/reação não pertence à Vontade da Fonte.
A Vontade da Fonte é Una.
Ela é simplesmente que vocês realizem e vivam na Existência, na liberdade, na Alegria e na Unidade.
Qualquer outra Criação é uma falsificação.

Vocês estão, então, nesse corpo, em meio mesmo à falsificação.

Nesses tempos reduzidos chamados de Tribulação, Apocalipse e Final, é urgente, mais do que urgente, descobrir, na Vibração, a Verdade de seu Ser e não a verdade de suas crenças.

Vocês encontrarão sistematicamente justificação para suas próprias crenças, na ferramenta chamada mental, porque ela foi justamente criada e desenvolvida para isso: fazê-los aderir e crer no que não existe.

Assim, progressivamente e à medida de suas encarnações nesta matriz, vocês geraram, vocês mesmos, sistemas de crenças.

Vocês portanto reforçaram, e sem querer, sistemas que mantêm a ilusão.
A primeira dessas ilusões foi fazê-los aderir à ação/reação.
Fazendo-os crer que, até o fim, se vocês não se tornassem “melhores”, vocês teriam que viver os raios de todas as ações “más” que os afastaram do caminho certo.

Ora, não existe, nesta ilusão, qualquer caminho certo.

Na Luz Unificada não existe estritamente qualquer diferença entre aquele que subjuga multidões e aquele que subjuga uma pessoa.
Porque é a mesma coisa, com uma diferença Vibratória que não existe nos mundos Unificados, mas que é exatamente uma escala de valor existente em sua ilusão.

Assim, portanto, nutrir a matriz os faz participar, de maneira inexorável, de maneira infinita, do princípio de ação/reação.

Eu desenvolvi muito longamente o princípio do abandono à Luz, que lhes permite aceder à Unidade e à Verdade absoluta.
Vocês não podem participar da verdade relativa de sua vida e da Verdade absoluta de seu Ser.

Ser na vida não é estar na vida do Ser.
Ser na vida é sair da Existência, quer dizer, literalmente, ficar fora da Verdade.
Aí está seu lugar nesta Dimensão.

Até o presente, vocês não tinham os meios Vibratórios, conceituais, de se dissociarem da ilusão criada e à qual vocês deram corpo, por vocês mesmos, ainda que, obviamente, vocês não sejam, para muitos, absolutamente responsáveis deste estado de coisas.
Mas há responsabilidade, hoje, desde mais de 30 anos, pelo acesso a níveis de Conhecimento e de Vibração desconhecidos até então sobre a Terra, de se religarem à Unidade e não mais à ilusão do que vocês são.

Enquanto vocês dão corpo, peso e crença a qualquer ilusão de suas vidas, nesta vida como no passado, vocês não estão livres, porque vocês se estabilizam diretamente na reação, na ilusão.

Enquanto vocês reagem no instante ou ainda com relação a um passado, seja desta vida ou ainda de uma vida passada, vocês não estão livres.

A liberdade é ausência de reação.
A liberdade é estabelecimento na Vibração do Fogo do Coração.

O Arcanjo Uriel, cuja função nesse mundo é a reversão e revelar a Presença, se emprega, desde vários meses, a restabelecer a Vibração e a ressonância desta Presença para quem quiser.

Eu digo sim, quem quiser.
Ainda é preciso querer.
Vocês não podem querer algo na ilusão e querer Ser e viver na Existência.
Não há meias medidas.

Até agora, assim como o venerado Omraam, chefe dos 24 Anciões, lhes exprimiu, vocês tinham, literalmente, como ele diz, a nádega entre duas cadeiras.
Hoje, vocês devem escolher a cadeira.
E, em seguida, vocês devem não mais ter cadeira.

O estabelecimento no Ser é Vibratório.
É percepção Vibratória e realidade Vibratória.

Compreendam também, de maneira conceitual e, em seguida, de maneira direta, Vibratória, que vocês não podem ser o que vocês acreditam e Ser na Existência.

Isso significa que, enquanto vocês estão identificados a suas próprias emoções, a seus próprios pensamentos, a esse próprio corpo e à sua própria busca, vocês não estão no Ser.
Isso é evidência, isso é Vibratório.

A resposta apenas pode estar na Vibração e no estabelecimento da Vibração no som Interior, como no Silêncio Interior, e se manifesta a Vibração do Coração.

Vibração que passa na Essência, se alquimizando, como foi dito, com a pulsação do Coração e a pulsação respiratória, até emitir o Fogo do Coração.

O Fogo do Coração não é uma visão do espírito.
Não é um conceito, mas é um estado de Consciência.

É nesse estado de Consciência, traduzido pela palavra Samadhi, que se vive a Verdade absoluta.
Ir para isso é aceitar que todas as verdades que vocês exprimem dentro do relativo, enquanto ação, enquanto reação às suas feridas como aos outros, são apenas uma ilusão a mais, que lhes convêm colocar na Luz e dissolver na Vibração do Fogo.

Apenas o medo, assim como disse, que é um elemento criado por seu mental, que os mantêm na ilusão Vibratória desta densidade.

Se, no espaço de um instante, vocês acedessem à Existência e esta Existência fizesse, pela Vibração do Fogo, desaparecer o conjunto de feridas e de medos, vocês poderiam, literalmente, desaparecer, como alguns seres o fizeram, no Fogo, nesta Dimensão, para se estabelecerem, de maneira definitiva, na Existência.
Tranquilizem-se, é isto que acontecerá, e unicamente isto.

E é nisso que vocês dissolverão todas as ilusões que os mantêm, ainda que apenas por sua presença mesmo nesta assembléia.

Num primeiro tempo, há identificação.
Identificação com uma busca, identificação com uma ferida, identificação com um papel, identificação com uma função.

Todas essas identificações são apenas jogos que podem aproximá-los ou afastá-los da Verdade.
Até agora, isso os afastava.
A Verdade é Fogo do Coração.
A Verdade é Fonte.

Aceder à Fonte, se tornar si mesmo a Fonte está além do desempenho de um papel e além da identificação a qualquer ilusão.

Vocês dão corpo por seus pensamentos, vocês dão corpo pelas palavras, vocês dão corpo pelas emoções, vocês dão corpo à ilusão, enquanto a ilusão, sob seus olhos, está se dissolvendo nesse mundo.

Assim como Maria lhes disse, a Terra dá à luz.
A Terra dará à luz, independentemente do que vocês façam e do que vocês decidam nas Dimensões superiores.

Guardem que o período no qual vocês entraram, desde poucos dias, desde uma semana, é um período charneira.

Existem 12 trabalhos.
7 trabalhos são, na realidade, as Vibrações da ilusão desse mundo, que correspondem a 7 etapas, como ilustrado nas Etapas que vocês viveram pela Graça do Arcanjo Miguel e de nosso Conclave.

Existem 12 semanas no seu verão (inverno no hemisfério sul).
Do mesmo modo, existem 12 semanas.
Nessas 12 semanas se encontram as 7 etapas e a ignição das 5 novas lâmpadas, inteiramente.

Resta-lhes, portanto, 12 semanas para participar da Existência.
Resta-lhes 12 semanas para se estabelecerem na Verdade absoluta.

Que isso quer dizer?
Que dentro de 12 semanas será o final desta Dimensão ?
Não.
Mas que o modo com o qual vocês viverão a tribulação a vir será em função do que vocês terão sido capazes de estabelecer em seu Ser Interior, porque sua vida exterior decorrerá do que será estabelecido em seu Ser Interior.

Vocês serão confrontados ao grande princípio: “que seja feito segundo tua fé”.

É isso que vocês viverão, aceleradamente, durante um período muito mais importante que 12 semanas, podendo se estender até pouco mais de um ano, antes que o Fogo venha consumir esta civilização, esse mundo, esta ilusão e esta Terra.

Cabe-lhes então estarem lúcidos sobre o alcance dos desafios atuais.
Cabe-lhes estarem lúcidos sobre seu futuro, sobre sua Existência e sobre a ilusão da personalidade.

Vocês não poderão mais jogar, progressivamente e à medida do tempo que passa, com o ego, com os jogos de poder, quaisquer que sejam.
Ou vocês exercem seu poder sobre vocês mesmos, ou vocês o exercem em outros lugares.
Como outros lugares refere-se a uma pessoa ou ao conjunto da humanidade, o jogo é estritamente o mesmo, ao nível Vibratório.

Num caso [poder sobre si] vocês acedem à Existência e à Alegria eterna e indizível, no outro caso vocês se afastam por ciclos e ciclos.
E vocês serão constrangidos por qualquer outra autoridade exterior a vocês mesmos, a manter um corpo carbonado, a ali se estabelecerem e verem e terem a lucidez da Existência, sem, no entanto, poder ali se estabelecerem.

A lembrança da Existência é sofrimento.
A vida na Existência é Verdade.
Aí está o princípio da queda, do sofrimento da queda, mesmo se esta queda não foi sua responsabilidade.

Hoje, é tempo de sair de sua prisão.
É tempo, porque as portas estão abertas e a prisão será destruída.

Vocês querem fazer parte desta destruição ou vocês querem ir para a Verdade?
A única questão digna de ser colocada é esta, porque, no Coração, tudo é resposta.

Enquanto exista uma questão, enquanto exista um sofrimento, enquanto exista uma ferida, vocês não podem penetrar, em Verdade, no Templo Interior.
Guardem que isso não é uma crença.

Enquanto vocês considerarem que isso é uma crença, vocês associam um peso ao peso que faz com que vocês estejam nesta Dimensão.

O que lhes propomos, mas que apenas vocês podem realizar por vocês mesmos, é a liberdade.
O que vocês vivem nesta Dimensão não é a liberdade.
Isso se chama livre-arbítrio.
Vocês têm a impressão de serem livres.
Vocês não são livres.
Vocês têm a impressão de expressar um desejo da alma.
O desejo da alma não é a vontade do Espírito.
A vontade do Espírito é Fogo, ele é: se estabelecer no Fogo do Coração, no KI RIS TI, como Filho ardente do sol, lá, onde evolui Cristo.

Cristo, e como lhes foi anunciado, se aproxima de sua Dimensão e de alguns seres.
Esta Vibração Crística e esta Presença Crística fazem que, como São João escreveu sob o ditado do próprio Cristo, o que vem é a espada da Verdade.
Esta espada vem cortar.

Vocês vão estar do lado do ramo que é cortado ou vão estar do lado do tronco que permanece?
Cabe a vocês decidir.
Mas tomem esta decisão em sua alma e Consciência, como é dito.

Porque não haverá outra decisão e vocês estão no período da decisão.
Não aquela que os empurra, há quase 3 anos, insuflada pelo Arcanjo Jofiel no Conhecimento de certo número de leis, que nós nos esforçamos para lhes transmitir por esse canal como por múltiplos canais sobre a Terra.

Há, em vocês, todos os dados colocados diante de vocês.
Que vão fazer?
Que querem Ser ?

Não basta pretender ser e se conduzir, na ilusão, segundo as próprias leis da matriz, mas se conduzir, na ilusão, dentro da Existência.
Isso é muito diferente.

Vocês passam do conhecimento à Consciência.
Vocês passam da Consciência à implantação desta Consciência nesse mundo que concorre para a elevação e para a ascensão desse mundo.

Aí está, bem amadas Sementes de estrelas, certo número de elementos que tinha vontade de fazê-los compartilhar.

Agora, dentro de seus questionamentos, se há, quero tentar ali trazer um esclarecimento ainda mais importante, na Vibração e em minhas palavras.

Eu não os engajo a crer ou a aderir a essas palavras, mas vivê-las, o que é profundamente diferente, porque, enquanto vocês não as viverem, vocês estarão sujeitos e submissos a suas próprias feridas, que vocês não poderão superar de modo algum pelas técnicas procedentes de sua 3ª Dimensão.

Porque as feridas que vocês revelam hoje são as feridas as mais fundamentais que manifestaram nesta vida, como em todas as vidas que vocês estiveram encarnados.

Compreendam bem que mão é questão de colocar um bálsamo sobre um sofrimento, que não é questão de fazer um ato de reparação num sofrimento, porque o ato de reparação em si os mantém na matriz.

É questão de ir bem além e de se estabelecer além de todos esses jogos.
Sobre isso, eu lhes dou a palavra.

Questão: após relações difíceis com meus pais, não os vi mais. A atitude a mais correta seria a de retomar contato, ou isso levaria à ação/reação?

Bem amado, a resposta está no discurso que acabo de fazer.
Nas palavras e nas Vibrações que acabo de pronunciar.

Eu poderia traduzir isso de outro modo e, talvez, isso ressoasse mais dentro de você mesmo.

Seus filhos não são seus filhos.
Vocês são apenas os filhos de Maria e da Fonte.

Enquanto vocês assimilam uma relação a um peso (e toda relação nesta Dimensão é peso, quer queiram ou não), enquanto se desarranjam por uma relação vinda do passado, é uma reação da personalidade.

Na Existência, esse gênero de manifestação não pode existir.
Não pode haver emoção, na Existência.

Compreendam bem que não é indiferença.
Aqueles de vocês que pensariam na indiferença estão na ilusão também.

Na Existência, há liberdade.

Vocês superam o quadro familiar que não existe, ainda uma vez, senão nesta matriz.
A única noção de família é seu Pai e sua Mãe no Céu e suas linhagens, e absolutamente nenhuma outra.

Assim, portanto, colocar mesmo esta questão, mostra a você mesmo o lugar onde se situam suas feridas e a vontade de reparação, que é manutenção na matriz e que o impede de Ser.

Querer reparar participa da ação/reação.

Questão: nesse caso, qual é a “melhor” atitude?

Ser.
A partir do momento em que você penetra o Fogo do Coração, não há qualquer vontade de reparação que é, como disse, mundo ilusório do ego.

Não há, tampouco, desejo de romper o que quer que seja.
Há simplesmente que acolher o princípio de atração e de ressonância, que se manifesta a partir do instante em que você se estabelece no Fogo do Coração.
Porque, é na Inteligência da Luz que se estabelece em si que o conjunto das relações será dissolvido, queimado.

Enquanto vocês são portadores de pesos, vocês não podem atingir a leveza.
Enquanto vocês aderem a esses pesos, eles não podem deixá-los.

A resposta não é, portanto, nem uma nem outra das soluções propostas, mas, sim, se estabelecer no Ser, porque, no Ser, tudo é resposta.

E tudo o que se manifestar em sua vida será, então, atração e ressonância e, naquele momento, o que quer que aconteça (que seus pais telefonem, que seus pais escrevam ou que você decida fazê-lo), isso será correto, mas não antes de estar estabelecido na Verdade.

Questão: se não atinjo a Existência durante esta vida, as outras terão sido então desperdiçadas?

Bem amado, do ponto de vista da Luz e da Unidade, não há vida desperdiçada ou vida bem sucedida.
Há apenas vidas ilusórias na matriz.
Não é de forma alguma a mesma coisa.

Ao se definir numa vida, errada ou bem sucedida, em função de seu estado possível ou não de Existência, você se coloca a si mesmo, automaticamente, na dualidade.
E você porta um julgamento de valor sobre si mesmo, o que o afasta da Existência.

Nós seremos, como dizer..., cada vez mais incisivos e apoiaremos cada vez mais o que tem necessidade de apoio e colocar às claras.
Não temos mais tempo.
Vocês não têm mais tempo.
E nós não temos mais tempo, mesmo se o tempo não é o mesmo para nós, de tergiversar.

Enquanto vocês portarem um julgamento de valor sobre si mesmos ou no exterior de vocês mesmos, vocês estarão no bem e mal e, portanto, na dualidade.

E lembrem-se que, tanto o bem como o mal conduzem, ambos, para a ilusão desse mundo e para sua manutenção.

Questão: por que me sinto novamente bloqueada nas costas, esta noite?

Bem amada, o bloqueio das costas e da região lombar, que ocorre em plena noite, tem uma explicação muito lógica e muito simples.

Que acontece à noite?
Vocês se recriam na ilusão.
O renascimento, na ilusão, se faz cada noite, entre 2 e 4 horas da manhã.
A região na qual você é afetada corresponde à região do poder.
Isso demonstra simplesmente que uma parte de você aspira à liberdade e a Existência e a outra parte deseja manter o poder.
Assim, seu corpo expressa esta dicotomia e esta fratura que existe entre duas partes de você, uma que é ilusão e a outra que é Verdade.
Eu afirmo que não há nada a aprofundar.
Através dessas palavras, eu lhe disse tudo.

Questão: no acesso à Existência pode haver uma parte de imaginação?

Absolutamente não.
Quando vocês tocam os domínios Vibratórios do Fogo do Coração, do Samadhi, vocês sabem instantaneamente que é Verdade.

Não pode haver dúvida enquanto vocês estão na Vibração.

Obviamente, assim que vocês se afastam do Fogo do Coração e da Presença a si mesmos, na Existência, a personalidade ainda presente, eis que vocês estão presentes nesse mundo, vai provocar e vai tentar fazê-los crer que o que vocês viveram é ilusão.

Basta-lhes então, naquele momento, se remeterem ao Fogo do Coração, e vocês verão que, então, as dúvidas não podem resistir à Vibração.

Questão: Sri Aurobindo, em sua vida, disse: «quando a roupa está manchada, ao invés de lavar mancha por mancha, você deve mudar a roupa».

Essa é a estrita Verdade.

Questão: isso significa que cada passo ou cada vitória não tem mais importância, que ser trata unicamente, hoje, de mudar a roupa?

Isso é Verdade.
E corresponde ao processo descrito, aliás, pelo próprio Sri Aurobindo, quando ele foi São João.
O corpo de Ressurreição ou corpo de Luz ou corpo sem costura ou corpo imortal, lhes será apresentado no momento do Fogo final.

É naquele momento que você mudará definitivamente de roupa.
A lagarta se torna borboleta.

De nada serve reparar a lagarta, se isso a mantiver na vida e na ilusão.

Questão: quando se chega a dissolver as emoções pelo Fogo do Coração, a pessoa com quem se está em relação sente e chega a dissolvê-las igualmente?

Bem amada, certamente não.
Haverá mesmo, em seu estabelecimento na Existência, seres que vão querer a todo custo se pendurar no antigo.

A única diferença é que, estando na Existência, vocês não dão mais pesos a essas relações e elas não podem mais afetá-los, ainda que elas afetarem por vezes, ainda, de maneira mais profunda, aqueles que permanecem na dualidade.
O paradoxo e o fator de superação estão nesse nível.

Quanto mais vocês atingirem os estados Vibratórios ligados ao Fogo do Coração, mais seu ambiente próximo que não o vive vai querer, de maneira por vezes muito violenta, fazê-los descer novamente na ilusão.

Porque para eles, e compreendam bem que isso é verdadeiro em sua verdade relativa, são vocês que estão na ilusão.
E, portanto, para eles, vocês são ilusão.

Do mesmo modo que vocês mesmos, enquanto não tiverem penetrado a Verdade, vocês consideram, e com justa razão, e aliás é a razão que o diz, que vocês são, que aqueles que vivem isso estão na ilusão.

Apenas o aspecto Vibratório lhes permite discernir e aceitar que não é ilusão, porque, como qualquer ilusão poderia ser Vibração na Consciência?

Assim, o importante não é saber o que advirá de uma relação, porque vocês não estão mais preocupados com esta relação nas esferas da Existência.

Lembrem-se também que o princípio de atração e de ressonância vai fazer com que, num tempo relativamente curto, o conjunto de reações que podem existir em seu ambiente desapareçam, aí também, para que vocês se tornem, no Ser, uma Luz.
A Luz pode incomodar, mas, ao final de certo tempo, a Sombra apenas pode se apagar ou ser contaminada pela Luz.

Questão: a que corresponde o fato de se despertar entre 2 e 4 horas da manhã?

Aqueles que se despertam naquele momento estão sujeitos à influência do mito de Prometeu.
Isso está em ressonância e em relação com o mundo astral, com o mundo das emoções e o mundo das relações.

Eu digo que o mito de Prometeu e o renascimento que se produz, cada noite, entre 2 e 4 horas da manhã, faz parte dos sistemas de crenças inseridos pelo Arcanjo Lúcifer em pessoa, quando da Criação desta ilusão.

Assim como vocês são portadores da Vibração Micaélica e da Consciência Micaélica, do mesmo modo que vocês são portadores do DNA de Maria, do mesmo modo que vocês são portadores do Cristo Interior ou KI RIS TI, há também, em vocês, a marca de Lúcifer.

E, aliás, lembrem-se, o que está no alto é como o que está abaixo, falsisficado ou não.

Bem amado, vocês são, coletiva e individualmente, portadores da Vibração do Arcanjo Lúcifer.
Isso corresponde ao que se poderia chamar, de maneira pomposa, a redenção da matéria e sua espiritualização, tornadas possíveis pelo sacrifício do Cristo.
Vocês o vivem todos, pessoalmente.

O mito de Prometeu é vivido por cada um, mais ou menos lucidamente, mais ou menos conscientemente, segundo seu estado de fragilidade nesse mundo de emoções.

Questão: e quando se adormece somente às 4 horas da manhã?

Não é a mesma coisa.
Adormecer normalmente e se despertar entre 2 e 4 horas da manhã corresponde ao ciclo de Prometeu e, portanto, à ilusão prometéica.

Em contrapartida, adormecer somente a partir de 4 horas da manhã significa que, na alma, há um medo de não renascer na ilusão.

Há, portanto, desconstrução real em curso.
É como se, em algum lugar, a alma esperasse que esta desconstrução termine para estar certa de renascer na ilusão.

Não é de forma alguma a mesma coisa que manter o Fogo prometéico, mas apreensão.

Apreensão quanto a saber onde está a Verdade, onde está a ilusão.

Enquanto que, em seu mundo, lembrem-se, não existe Verdade absoluta.

A única Verdade absoluta é quando vocês penetram o santuário do Coração.
E enquanto vocês não chegam nesta etapa, através mesmo de conceitos que nós veiculamos e também através de Vibrações que chegam em seu mundo, vocês estão sempre na alegoria de mestre Aïvanhov, a nádega entre duas cadeiras.

Questão: sou ainda remetido a minha infância na noção de poder. Como parar?

Bem amado, concluo já, antes de ir mais longe, que você está identificado à sua infância.

Bem amado, há apenas uma porta de saída: o abandono à Luz.
E o abandono está estritamente no oposto do poder.

Não se pode controlar a Luz.
Não se pode dirigir a Luz.

Quando se torna a si mesmo Luz, é a Luz que age e não a personalidade ou qualquer poder.
Em outros termos, isso poderia se chamar de complexo de terapeuta.
Isso poderia se chamar também de: “ajuda-te e o céu te ajudará”.

A Luz é liberdade e não constrangimento.
Abandonar o poder é reencontrar a liberdade.

Você não é sua memória celular, você não é sua infância.
Enquanto você estiver sujeito a isso, você não poderá encontrar a liberdade.

E, portanto, é completamente concebível que isso possa ser estressante, em todos os sentidos do termo, mas, de outro lado, eu o lembro as palavras de Cristo: “vigiai e orai”.

Alguns seres são obrigados a ir, na personalidade, até o esgotamento de todos seus cartuchos, antes de jogar o fuzil.

Não se esqueça também que o princípio de atração e de ressonância vai colocá-lo, sistematicamente, face a face àquele que o fará ressoar nesse princípio.

Não há qualquer meio, efetivamente, de dali sair, estritamente nenhum.
Em particular para o que se refere a esse centro.
É o único centro sobre o qual você não pode agir por si mesmo ou por qualquer compreensão.

O centro do poder chama a passar no Amor.

Questão: a que correspondem as variações de densidade, no peito, sem sensação de Fogo do Coração?

Bem amado, quando da ignição do que é chamado de 9ª lâmpada, ou corpo de irradiação da Fonte ou do Divino, se estabelece uma mudança de densidade.

Essa mudança de densidade pode, por vezes, ser vivida como um peso e uma gravidade, existente acima do chacra do Coração, como uma barra transversal.
Isso é completamente normal e participa do estabelecimento da vibração do Coração, que conduzirá, ela mesma, à respiração do Coração e, finalmente, ao Fogo do Coração.

Aí também há uma relação certa com o mito de Prometeu(*), que vem furtar o Fogo.
O Fogo do Coração não é o Fogo do poder.

Questão: um bloqueio emocional pode criar bloqueios de compreensão?

Mas, bem amado, é o bloqueio da compreensão que quer dizer, para você mesmo, que você decide compreender e ter um sentido e, portanto, é isso que bloqueia.
Você é, portanto, identificado a suas emoções.

Questão: vi um olho que atravessei. A que isso corresponde?

Bem amado, isso significa que sua consciência, naquele momento, se polarizou no que é chamado de 3º olho.
A visão do 3º olho se ilumina em 7 níveis, desde as visões coloridas até a visão de olho penetrante, que corresponde à ativação do 7º subplano desse 6º chacra.

Existem, de fato, 7 etapas correspondentes à ativação do 3º olho.
A primeira etapa é a percepção da banda Vibratória que religa alguns pontos da Coroa Radiante da cabeça.

O segundo ponto é o aparecimento do que vocês poderiam chamar, em sua Dimensão, de efeitos estroboscópicos de Luz branca.

Aparece, em seguida, uma Luz amarela, em torno da qual gira uma Luz violeta.

Em, seguida, aparece uma Luz violeta ao centro, em torno da qual gira uma Luz amarela.

Em seguida, A Luz amarela e a Luz violeta se estendem cada uma lateralmente.

Em seguida, aparece um símbolo, eminentemente variável segundo os seres.

Naquele momento começam a desfilar, atrás dos olhos fechados, na meditação, rostos.
Trata-se de rostos que vocês tomaram em suas vidas passadas.

E, finalmente, a última etapa corresponde ao aparecimento de um olho que atravessa.
Isso significa, bem amado, que sua Consciência estava colocada, naquele momento, ao nível do 3º olho.

O fato de colocar a Consciência em um lugar do corpo corresponde à Vibração se ativando.
Esta Vibração se ativa em função de seu próprio nível de Consciência, no lugar em que se coloca sua Consciência naquele momento.

Mas, quando eu digo que ela se coloca, isso não é uma intenção mental, mas sim, uma realidade Vibratória que se estabelece no lugar em que você coloca sua Consciência.

A ativação, tal como foi realizada ao nível da Coroa Radiante do Coração e da Coroa de Fogo, se traduz também por uma colocação em Fogo e uma ignição da Coroa Radiante da cabeça.

A Consciência do Coração é, como muito frequentemente repetimos, a chave que permite o acesso à Existência.

Assim, colocar a Consciência no Coração deve ser sentido sob forma Vibratória, de pressão ou em diferentes níveis correspondentes à Alegria interior.

Nesta Alegria interior não há espaço nem para a raiva, nem para a rebelião, nem para qualquer dúvida do que quer que seja.

Assim, ao nível do Coração, se encontram a humildade, a simplicidade e a eficácia.

Obviamente, muitos seres, atualmente, vivem a ativação da Coroa Radiante do Coração ao mesmo tempo em que a Coroa Radiante da cabeça e, para alguns deles, ao mesmo tempo em que o Triângulo Sagrado.

Qualquer que seja o ponto de Vibração mais ativo, obviamente, o esforço da consciência comum é, sempre, o de tentar levar a Consciência a se manifestar pela Vibração, pela pressão ou pelo Fogo, na Coroa Radiante do Coração.

Questão: senti uma Energia subir do Sacrum para o Coração, isso acompanhado de Alegria, depois, um sentimento de reconexão misturado com dor. Por que?

Bem amado, a dor corresponde à ativação dos canais e circuitos que, até o presente, estavam tapados.
É então normal que desobstrução possa se traduzir por fenômenos dolorosos.

É importante, entretanto, apreender que, mesmo nesta compreensão que pode por vezes existir, seja ao nível do Sacrum, seja ao nível do Coração, o elemento Alegria permaneça, qualquer que seja a dor.

No momento em que o Kundalini se desperta, no momento em que ele cruza o que é chamado de bainha dos chacras, perfurando-as no sentido da subida, ele provoca certo número de coisas que não foram suficientemente purificadas.
Isso pode provocar também fenômenos de dor ou de medo, que ressurgem naquele momento, em outros níveis além do nível físico.

Mas isso corresponde, igualmente, a uma desobstrução de alguns canais e circuitos.

Questão: quando se torna uma estrela ou um planeta, se está em Samadhi perpétuo?

Bem amado, a partir do momento em que você conecta a Existência e penetra a Existência, sua vida é Samadhi, sua Consciência é Samadhi.

Não há necessidade de esperar um espaço de tempo que, em sua escala, representa éons e éons, para viver isso.

Você procura compreender algo que não pode ser compreendido por sua razão e pelo ego.
Apenas a Consciência pura, chamada de Sat Chit Ananda, que pode vivê-lo e não a consciência do humano, em sua razão e em seu mental discursivo, que é apenas ilusão.

Como você quer então esperar compreender algo do escalão do universo ou do escalão de um planeta?

A visão que você tem, de maneira geral, de um planeta como o seu ou daqueles que você vê à noite, ou das estrelas, é forçosamente redutora, em função do que seus olhos percebem.
E seus olhos não percebem a Verdade.
Seu mental ainda menos.

Querer compreender é querer tomar e se apropriar, o que não é jamais o caso da Luz.
A Luz é resposta no Coração.

Questão: a intensidade da Vibração do Coração é diferente para cada um?

Bem amado, ela é ao mesmo tempo diferente de acordo com os dias, ela é diferente segundo seu humor.
Se seu humor está azedo, a Vibração se apagará.
Se seu humor está em oposição à Dimensão do Coração, a Vibração não existirá, simplesmente.
Não pode ser de outro modo.
Voes não podem adquirir o que quer que seja nesse nível.

Vocês apenas podem Ser.
Toda a diferença de sua compreensão se situa nesse nível.

Falando-lhes de Ser, o mental compreende ego.
O Ser é Vibração, consciência ilimitada do humano.

A Vibração no Coração vai então se modificar, se modular em função de sua capacidade para se aproximar cada vez mais da Unidade, em função dos circuitos e dos canais, de seu estado de abertura também.

Não se esqueçam jamais que vocês são Semeadores da Luz nesta Dimensão.
O que significa que vocês são regados de Energia cósmica, de Energia telúrica, de Energia solar, mas também de Energias distorcidas da matriz existente em seu ambiente, como de vocês mesmos.

A Vibração do Coração apenas pode se estabelecer quando há abandono.

Vocês não podem dominar a Vibração do Coração.
É ela que os domina e os conduz à liberdade, e não o inverso.

Tanto que, durante este período e desde já vários anos, é extremamente fácil ativar e receber a Luz pelo alto, agora, que ela se torne Amor, Luz Vibral, depende apenas de uma coisa, de seu acesso à humildade, à simplicidade e ao abandono à Luz e absolutamente nada mais.

Não há, em sua linguagem, que tergiversar.
Há simplesmente percepção ou não percepção da Vibração.
Não há culpa a ter, nem repreensão, há simplesmente um mecanismo preciso no plano mesmo de sua humanidade, mesmo nesta falsificação.

A Luz se estabelece no Coração, ela vibra então no Coração ou ela vibra em outras partes.
Vocês não podem obrigar a Vibração do Coração a aparecer.

Isso se chama o abandono à Luz.

Questão: esta diligência de abandono corresponde às palavras de Cristo: «seja o que tu és e não deseje nada»?


Inteiramente.
Essa é toda a diferença que pode existir entre o próprio desejo da Luz, o impulso da alma e o abandono à Luz, que são três mecanismos de Consciência.
Mecanismos energéticos profundamente diferentes.

O desejo de Luz conduz ao ego e conduz à Luz na Vibração da cabeça e unicamente na cabeça.

O impulso da alma passa, obviamente, pelo plexo solar e conduz pela porta estreita, a passagem do ego ao Coração e, enfim, o abandono à Luz conduz a Luz diretamente ao Coração.

Vocês não têm outra possibilidade além dessas três possibilidades.
Não existe qualquer outra e não existirá jamais qualquer outra, nesse mundo como em todos os mundos.
Não há nada a compreender.

A palavra que empreguei desde o ano passado, de abandono à Luz, se basta a si mesma.
A compreensão mesmo desse conceito não é abandono, mas resistência.

Bem amado, isso não pode se fazer em um dia.
Alguns levaram, eu diria, anos, para chegar nesse ponto.
Em nome de que tal ser humano ali chegaria num instante?

O único modo de ali chegar num instante é estar no abandono à Luz.
E isso passa pelo silêncio mental.
E isso passa pela aceitação.
Isso passa pelo silêncio das emoções.
Isso passa pelo silêncio do ego.
Isso passa pelo silêncio do mental.
Isso passa, também, o tempo do estabelecimento desta Luz no abandono à Luz no Coração, pela não existência, mesmo temporária, das feridas interiores anteriores e todo desejo de projeção em qualquer futuro.

Basta, então, parar o tempo, o tempo de um instante e, quando nesse instante, o abandono à Luz seja real abandono à Luz, significando, assim, a frase de Cristo sobre a cruz: “que tua vontade se faça e não a minha”.

Sua vontade não os conduzirá jamais, jamais à Luz.
O que lhes é pedido, se vocês querem aceder à Luz do Coração e à sua Vibração e à sua Alegria, é um abandono total.
Ainda uma vez, não há qualquer outra possibilidade.

Pelo momento, isso pode permanecer nas palavras, mas quando vocês fizerem a experiência de maneira definitiva, vocês compreenderão isso como uma Verdade essencial, sem, para tanto, compreendê-lo, porque vocês o vibram.
Isso não passa pelo filtro mental.

O melhor seria, talvez, falar em termos de circuitos e de canais existentes nos diferentes corpos.

Questão: se a Luz se manifesta mais na cabeça do que no Coração, conviria, com a consciência comum, orientar esta Luz para o Coração?

Isso convém completamente.
Se vocês deixam a Luz na cabeça, mesmo se é uma garantia, de algum modo, de um acesso às Dimensões Unificadas, assim como foi dito, há muitos modos de chegar a esses mundos Unificados, no terror ou na Alegria.
Não há outro modo.
A única maneira de viver a Alegria no mundo no qual vocês vão viver, durante este período de tribulação, é simplesmente se estabelecerem Vibratoriamente no Coração.

Obviamente, a Luz que vem do Céu, seja a radiação do ultravioleta, seja a radiação da Fonte, seja a Vibração do Espírito Santo, só pode penetrar pela cabeça.

Eu os lembro que a cabeça é o que recapitula.
Que a cabeça é que está situada na parte superior de seu corpo, vocês que estão abaixo, existe então um gradiente elétrico ou eletrostático correspondente à própria estrutura da matriz.
A Luz apenas pode, realmente, pela cabeça.

Cabe-lhes, por seu trabalho de abandono, por seu trabalho sobre suas próprias emoções, mas, sobretudo, agora, sobre o abandono à Luz, que esta Luz se estabeleça no Coração ou no Sacrum.

Enquanto a Luz permanecer na cabeça, certamente, isso continua uma garantia de acesso às Dimensões Unificadas, mas, entretanto, assim como São João disse, haverá muitos chamados e poucos escolhidos.

Os chamados serão marcados na testa.
Este é o início do caminho e não o final do caminho.

Questão: levar a língua ao palato permite facilitar a canalização da Luz da cabeça ao Coração?

Completamente.
Do mesmo modo, o fato de inclinar a cabeça para frente, respirando com a boca aberta e com o conjunto de gestos que conectam as diferentes lâmpadas, que lhes foram comunicados, participa, obviamente, do mesmo e único objetivo (nota: protocolo intitulado “reunificação dos novos corpos”, na rubrica “protocolos”, de nosso site – e também aqui no blog - http://leiturasdaluz.blogspot.com/2010/04/protocolo-praticar-autres-dimensions.html).

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Bem amados, a sucessão do que vocês vivem é muito lógica.
Há um sentido, bem além de sua compreensão imediata.
O único sentido é de ajudá-los a ir para o Coração e nenhum outro.
Que a Luz os acompanhe, até breve.


(*) NOTA: Prometeu, um dos titãs que, segundo a mitologia grega, roubou o fogo do Olimpo e o deu aos homens, ensinando-os a empregá-lo, razão pela qual Zeus o castigou, acorrentando-o no cimo do Cáucaso. Fonte: NOVO DICIONÁRIO AURÉLIO da Língua Portuguesa; Editora Nova Fronteira.

__________________________________
Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

28 de jun de 2010

ANAEL – 28 de junho de 2010

Mensagem de 28 de junho (publicada e 22 de julho de 2010)
DO SITE AUTRES DIMENSIONS




Questão: a parada do mental permite o acesso ao Supramental?

Bem amada, a parada do mental é uma condição necessária e obrigatória, mas não é suficiente para tanto.

Questão: a parada do mental corresponde a uma saturação Vibratória? Se sim, se sim, provém das frequências emitidas pela corda Celeste?

A partir do momento em que o mental se acalma, antes mesmo de sua parada, existe, efetivamente, uma ampliação Vibratória que pode ser percebida, naquele momento, pela própria Consciência.

Esta ampliação Vibratória não é, propriamente falando, de origem Supramental, mas ela se manifesta a partir do instante em que o mental está em repouso, porque o mental, de modo geral, em sua Dimensão, é desperdício Vibratório.

De fato, o modo que o cérebro humano decodifica e compreende o que foi colocado num plano Vibratório sonoro, necessita que a Consciência seja voltada para o que é emitido e o que é recebido e não mais para a Vibração da Vida que pulsa no organismo.

Questão: se a ruptura de uma relação afetiva pode reforçar a ligação que se deseja cortar, como evitar este obstáculo?

Bem amada, convém compreender que, em suas relações estabelecidas nesta Dimensão, mesmo se lhe dá prazer falar de almas, falar de vidas passadas, uma relação, qualquer que seja, apenas se torna livre a partir do momento em que, como vocês dizem, a liquidação final é feita [saldo zerado].

Ora, bem frequentemente, numa separação, existe, para aquele que inicia a separação como para aquele que a sofre, de fato, há dependência que se cria ao nível Vibratório.

Não é porque você retira alguém de sua vida afetiva, sentimental ou outra, que a ligação se destrói.
Apenas o Amor pode permitir dissolver uma ligação.

E justamente, o que provoca o mais frequentemente a dissolução de uma relação, qualquer que seja, tal como a que você pensa, é exatamente a falta de Amor.

Assim, não está bem, apenas além da noção do perdão.

Apenas colocando-se vocês mesmos na Dimensão do Coração, em sua Vibração, que vocês poderão conduzir bem suas separações.
Porque todas as separações que vocês realizam em suas vidas, mesmo se fazem um trabalho Vibratório acima, mesmo se lhes é possível pensar que superaram uma problemática, esta lhes reaparecerá um dia ou outro, enquanto vocês não tiverem apagado, ou seja, transcendido, uma relação de Amor, qualquer que seja esta relação.

Assim é, bem frequentemente, nas relações de casais, nas relações de pais/filhos ou filhos/pais, que, eu os lembro, são sistematicamente relações de natureza cármica, em que há reparação pela instalação da relação.

E há perpetuação do carma pela finalização desta relação e o final desta relação, quando não é realizado na Vibração do Amor.

Assim, vocês estão num círculo vicioso quase perpétuo.

Vocês não podem se liberar, dentro de suas leis habituais, de todas as relações que estabeleceram em suas diversas vidas.
Isso faz parte da matriz aprisionante.

Então, seu mental ou seu Espírito pensa compreender que pode se liberar, mas vocês não podem se liberar, em Verdade, de maneira definitiva, do que quer que seja e de quem quer que seja, enquanto vocês não são vocês mesmos.

E assim, vocês voltam, de ciclo em ciclo, de vida em vida, tendo a impressão de avançar, mas vocês não avançam.

O único modo de avançar é aquele que lhes é oferecido doravante pela Luz e que lhes convém realizar em vocês.

Vocês não devem crer que a ausência de relação ou o fim de uma relação significa que ela não está mais operante nos planos os mais sutis.
Ela vai sempre no sentido da manutenção de uma ligação e não de uma liberação.

Podem parecer palavras extremamente duras para ouvir, para vocês que imaginam e percebem estar separados de seus ex-cônjuges, de seus filhos, de seus pais etc..

A trama da matriz é constituída dessas relações.
É por isso que nós lhes dizemos e repetimos que, nos mundos Unificados, as relações, tais como vocês estabeleceram nesta matriz, absolutamente não existem.

Assim, quando vocês acreditam ter acabado, Vibratoriamente, carmicamente, na pacificação das emoções ou das relações referentes a quem quer que seja, de fato, esta relação está, eu diria, quiescente [em descanso] e, enquanto vocês não tiverem, vocês mesmo, realizado o Despertar de seu Fogo Interior, todas essas ligações não podem ser queimadas e elas os seguem de vida em vida, conduzindo-os a reencontrar, sistematicamente, as mesmas entidades e as mesmas relações, ao longo de suas vidas.

Então, obviamente, vocês não serão confrontados, de vida em vida, ao mesmo elemento perturbador, mas trata-se sempre da mesma ligação.

É algo que não é para compreender, mas para desenvolver por vocês mesmos.

A partir do momento em que vocês se estabelecem no Fogo do Coração, não pode mais existir, pelo princípio de ressonância e de atração, uma ressonância em relação com suas problemáticas passadas.

Enquanto se manifesta a vocês uma situação, uma pessoa, um lugar que vai colocá-los em reação relativamente à sua vivência anterior, vocês não estão liberados, mas vocês estão plenamente na relação e na dependência de suas próprias emoções.

Apenas o Fogo pode, assim como aliás foi demonstrado nos sistemas iniciáticos, apenas o Fogo pode queimar as relações, e nenhum outro.
E esse Fogo é o Fogo do Amor.

Vocês podem, certamente, superar uma forma de relação e fazer crer a seu mental ou a suas próprias emoções vividas, que essa relação está dissolvida, mas é estritamente nada, enquanto vocês funcionam ao nível da personalidade.

E se uma pessoa ou uma situação ou um lugar desaparece de sua vida presente, ser-lhe-á novamente servido em outro momento ou em outro tempo, dentro desta matriz.

Existia, nos diversos sistemas de civilizações passadas, rituais muito eficazes que permitiram a seres se liberarem de qualquer ligação, mas não para viver o Fogo do Coração, mas, antes, o fogo de paixões, o que não é verdadeiramente a mesma coisa.

Hoje, certamente, as circunstâncias são diferentes, porque vocês penetram na época do Fogo e, portanto, na época da liberação, na condição, certamente, de querer ser liberado.

Assim, se insisti tão longamente sobre o abandono à Luz e se vários interventores lhes falaram do princípio de atração e de ressonância, é preciso bem compreender que, nos mundos Unificados, como no mundo em que vocês estão ainda atualmente, esse princípio joga plenamente e os eventos que ocorrem no curso ou no decurso de suas vidas, virão sempre ilustrar a realidade ou a não realidade do que vocês pretendem ter superado.

A personalidade nada pode superar.
Apenas a Existência pode superar.

Assim, portanto, na matriz não pode existir cura, porque toda cura de uma relação, como de uma anomalia, é apenas transitória, temporária e ilusória.

Mas, certamente, lhes é possível pensar que, num determinado momento, vocês são liberados de algumas situações, de alguns apegos, de algumas relações ou de alguns comportamentos.
E, efetivamente, eles são aliviados, apaziguados pelo que eu chamaria de caminhos de desvio.

Assim, por exemplo, uma problemática em relação com o segundo chacra poderá se desviar utilizando as funções do quinto chacra.
Mas vocês não poderão jamais apagar o mapa-mãe permanecendo no mesmo nível de funcionamento que aquele onde que existem as relações.
O que eu falo não é um conceito.

Olhem simplesmente, em sua vida, aquela que vocês conhecem, seus próprios comportamentos, suas próprias superações, suas próprias desordens, suas próprias doenças.
Apenas o Fogo pode realmente queimar isso.

Sem isso, todo o resto é apenas transposição e desvio, mas não cura, no sentido o mais real e autêntico do termo.

A matriz literalmente os fechou nesses funcionamentos.
O único modo, o mais adequado, de se aproximarem desse Fogo do Coração é o que foi expressado e vivido por alguns seres.

Então, eu sei que, obviamente, muitos seres que vivem algumas emoções vão, muito a propósito, recordar o caminho de Cristo e aquele que caça, por exemplo, os mercadores do Templo.
Mas vocês são o Cristo?
Vocês realizaram o Fogo do Coração em vocês?
Se tal é o caso, naquele momento, tudo lhes é aberto.

Sem provocar, para tanto, reação ou qualquer carma ou qualquer reação.
Mas, antes de viver isso, vocês estão presos, literalmente, ao que vocês são.

O próprio princípio do bem e do mal os provoca, de maneira inegável, a se instalar nesta matriz.

Vocês não podem se liberar do que quer que seja por vocês mesmos.
Esse é um jogo absurdo da personalidade, que os provoca, em meio mesmo de diligências muito lógicas, chamadas energéticas, psicológicas ou outra, mas que, definitivamente, apenas fazem transpor, apenas melhorar, mas não os curarão verdadeiramente jamais.

A única maneira de curar é aceder ao Fogo.
Não há outras.

Mesmo se é completamente compreensível que o ser humano tenha necessidade, às vezes, de ser tranqüilizado e aliviado.

Vocês não podem tratar, dito de outro modo, uma problemática ao nível em que ela está situada.
Vocês apenas podem tratá-la passando a outro nível de Consciência.

Isso dito, considerando a época que vocês vivem, a solução será definitiva.

É uma grande lei e terminarei, com relação a esta questão, com isso.
Com relação a um acontecimento que você viveu, em seu passado ou no instante presente, você tem sempre apenas duas escolhas e somente duas escolhas, na personalidade: se subjugar ou se subtrair.

Num caso como no outro, trata-se de uma reação e a reação, qualquer que seja, mesmo considerada como boa ou lógica ou amorosa, vai provocá-los, necessariamente, na reação.

Que vocês se submetam a uma injunção comportamental, que vocês se subtraiam de uma injunção comportamental, paternal, por exemplo, ela existirá sempre em sua vida.
Porque, como vocês querem imaginar que uma ação que provocou uma reação, há tempos imemoráveis, se solucione pelo mesmo princípio de ação e de reação?
É simplesmente impossível.

É o jogo do ego que os faz crer que isso é possível.

Certamente, há alívio.
Certamente, há transformação.
Mas eu posso lhes assegurar que, visto de mais alto, não há jamais cura no sentido em que vocês a entendem, jamais.

Assim, vocês poderiam dizer que retirar um órgão doente vai, obviamente, permitir fazer desaparecer a doença.
Mas o próprio fato de haver esta cicatriz vai permitir o surgimento de algo em ressonância com sua ação.
Se não for para esta vida, isso seria para uma vida futura.
E isso gira indefinidamente desta forma.

Questão: o que é a grande Cruz do Céu e qual será o impacto para a Terra e para os humanos? Por que há uma pequena antes?

Bem amada, é relativo, simplesmente, à posição dos astros em seu sistema solar Interior e exterior.

Existem alinhamentos que produzem o que é chamado, na astrologia, de quadrados e, na astronomia também.
Esse princípio de oposição provoca uma modificação considerável das forças gravitacionais.

Ora, como o sabem, as forças gravitacionais fazem parte das forças que foram colocadas em jogo pela matriz, para mantê-los na ilusão.

É em meio, aliás, dessas forças chamadas gravitacionais, que se exprime melhor o princípio de ação e de reação, ilustrando sua vida na matriz, que é ausência de liberdade.

A pequena cruz está ligada a influências em relação com o eclipse lunar.
A grande cruz corresponde ao alinhamento de planetas extremamente pesados de seu sistema solar e a aspectos que modificam as forças de tensão gravitacionais de modo extremo, implicando em várias modificações na superfície da Terra e também em suas Consciências.

Trata-se, portanto, antes de tudo, de um evento astronômico cujo alcance é astrológico, mas, antes de tudo, espiritual.

Questão: a Vibração do Coração é Consciência?

Toda Consciência é Vibração, assim como o disse quando de minha primeira resposta a suas questões.

Assim, quando o mental se cala, a Vibração aparece ao nível do corpo.
Do mesmo modo, com exercícios apropriados, vocês podem mesmo sentir as Vibrações e a circulação da Energia no que vocês chamam de meridianos e nadis de seus corpos e também de seus chacras.

A Vibração do Coração, percebida e sentida, é Consciência.
Ela não é Existência, porque esta deve passar no Fogo do Coração, que é uma modificação da Vibração percebida.

A passagem da consciência comum à Consciência do Coração, em sua Vibração percebida, sentida e manifestamente entendida, corresponde a uma primeira etapa que os conduz a viver o Fogo do Coração.

É nesse Fogo do Coração que se resolve a Cruz.
É nesse Fogo do Coração, do chacra do Coração e da nona lâmpada, por intermédio da irradiação da Fonte e do Fogo da Fonte, que se resolvem os antagonismos.

Apenas nesse nível que as forças de ação/reação cessam, para fazê-los entrar na lei de ação de Graça, onde tudo é Unidade e onde o princípio de atração e de ressonância vai fazer com que se manifeste a vocês o que está em acordo com a Unidade reencontrada.

Naquele momento, a vida é repleta de Graça.
Não pode ali haver emoção.
Não pode ali haver manifestação de elementos que venha contrariar o que vocês são, porque o que vocês são não está mais sujeito à ação/reação, somente naquele momento.

Questão: ver a Verdade pode querer dizer ter uma compreensão diferente desta ilusão?

Não.
A compreensão permanece e permanecerá sempre no mental.
Assim como disse e assim como vários dos anciões disseram, a compreensão não é resolução.
A compreensão é algo de que se apreende o mental, para se justificar a si mesmo de sua existência.

A verdadeira compreensão não é uma compreensão.
É uma vivência do aqui e agora, no Coração e na Verdade.

Assim que a compreensão entre, qualquer que seja, ela os afasta da Vibração do Coração.

Quando vocês estiverem habituados a perceber e a sentir sua própria Vibração cardíaca e o Fogo do Coração, vocês se aperceberão muito rapidamente que se vocês voltam a descer às questões ou à compreensão, o Fogo do Coração se apaga.

O Fogo do Coração é um estado de ser.
Neste estado de ser, há a Graça.
Não pode ali haver compreensão.
Há Ser e ser no Ser se basta por si.

Não há mais necessidade de qualquer compreensão, eis que é questão simplesmente de Ser na irradiação da Fonte e Ser si mesmo tornado em Unidade.

Lembrem-se, e guardem presente, em algum lugar em vocês, que aquele que quer compreender e justificar, que aquele que quer explicar, não é jamais a Existência e é sempre o ego.

É o ego que se orgulha sempre de compreender, de satisfazer sua curiosidade e que lhe dará a insinuação que vocês estão evoluindo.

Não pode haver evolução sem Vibração.
Pode haver, certamente, ampliação do campo de compreensão.
Pode haver ampliação de certo número de percepções, mas não há acesso à Verdade.

Porque a Verdade é unicamente Ser no ser, na Vibração do Coração e do Fogo do Coração.
Neste espaço, não existe qualquer questão, porque tudo é resposta e não surgirá no espírito da Existência deixar emergir a menor questão.
Porque num estado de ser onde tudo é resposta, não há utilidade em deixar emergir questões, quaisquer que sejam.

As palavras de Samadhi de que lhes fala Um Amigo, a vivência desse Samadhi por numerosos místicos, lhes dá a chave.

Eu poderia dizer que não há salvação sem Samadhi.
Não há Samadhi sem Fogo do Coração ou Vibração do Coração.

Compreendam bem que é sempre a personalidade que quer explicar, que quer amar e ser amada e que recusa, assim, Ser.
Porque ser dá medo.
Ser no Ser implica em passar pela morte das ilusões, pela morte das crenças, pela morte do mental, pela morte a si mesmo, também.

Se nós insistimos em lhes dizer, como o diz frequentemente Omraam, que há menos de dez por cento da humanidade que está mesmo vivendo isso e que haverá, no final, nós esperamos, talvez um pouco mais de dez por cento, é que a maior parte dos outros seres humanos está tão fechada em si mesma que não vê mais a prisão, nem as grades.

Para eles, eles se consideram num estado natural e todo o resto, para eles, é apenas ilusão astral ou quimera, e que podemos nós?
Absolutamente nada.

Enquanto vocês estão apegados à menor parcela do que vocês são nesse mundo, vocês não podem tocar a Existência.

O Cristo realmente pronunciou essas palavras, para seus apóstolos e aqueles que o seguiram em sua vida.
Ele lhes dizia sistematicamente: “Sigam-me, deixem os mortos enterrarem os mortos”.
Ele era o único a poder dizer “Siga-me”.

Mas, hoje, se vocês querem seguir seu caminho, vocês são obrigados a passar por esta morte.
Vocês aceitam morrer ou não?

Lembrem-se também que falei longamente das quatro etapas que conduzem a esta aceitação e a este abandono.
Não voltarei nisso hoje, mas eu os remeto à leitura do que enunciei há mais de um ano.
(nota: abandono à luz - http://leiturasdaluz.blogspot.com/2009/05/anael-11-de-maio-de-2009.html - terceira questão)

Porque, definitivamente, seja a morte física ou a morte da personalidade que vocês sejam chamados a viver, trata-se exatamente do mesmo processo.

Enquanto vocês estão apegados ao que quer que seja, ou uma pessoa, ou um objeto, ou um automóvel, ou uma situação, ou um lugar na rede social, vocês não estão prontos para morrer.

Essas palavras não são duras, elas são Verdade e Amor.

Compreendam bem que nós os esperamos e que nós os esperaremos sempre.

Nós lhes propomos, mas são vocês que realizam.
Então, muitos seres humanos, em seu caminho espiritual, querem encontrar a Luz, querem sim mudar algumas coisas, mas não querem morrer.

Vocês devem renascer novamente.
As palavras de Cristo não foram palavras vãs: “Ninguém pode penetrar o reino da Luz se não renascer de novo”.

Compreendam que essas palavras nada têm de simbólico, nada têm de um imaginário mental, mas são a estrita Verdade.

O Fogo do Coração, quando se acende, queima tudo em vocês, absolutamente tudo.
Apenas por esta purificação que vocês podem encarar considerar sua vida como podendo se apagar de um instante a outro, porque vocês tocaram a Verdade e a vivenciaram.

Naquele momento, e somente naquele momento, vocês são liberados de todas as leis de ação/reação e não antes.

O bem amado Omraam, em sua vida, insistiu amplamente no que ele chamava, à sua época, o ascetismo espiritual, a vontade espiritual.

É preciso que esta busca tome cada respiração de sua vida, o que não quer dizer se retirar do mundo, o que não quer dizer se colocar num lugar e não mais mover.

Isso quer dizer que vocês devem ser Conscientes, a cada minuto, a cada respiração, de seu objetivo e que nada, absolutamente nada, os afasta.

Nesses tempos reduzidos, nesses tempos de tribulações e de resolução do final desse mundo, resta-lhes pouco tempo para manifestar isso.

Cabe a vocês saberem onde querem ir e lembrem-se que, em definitivo, é a Vibração que vocês levarem, naquele momento, que determinará onde vocês irão.

Ou vocês estarão em adequação com o Fogo e irão no Fogo, na Existência, ou permanecem nas zonas de sombra, nas zonas de peso, nas zonas de tensões e, então, vocês não poderão aceder ao Fogo.

É este, de alguma forma, o julgamento final.

De sua capacidade para se elevar na Vibração do Fogo decorrerá seu lugar e, para isso, é preciso aceitar não ser mais nada.

Assim, como o disse Ki Ris Ti, ele era o menor dentre aqueles que estavam aí, nesse mundo, mas ele era o maior no Céu.

Vocês não poderão ter qualquer lugar nesse mundo e ter um lugar elevado no Céu.
É isso que é chamado humildade e simplicidade.

Mas, lembrem-se também que vocês são Sementes de estrelas.
Como Sementes de estrelas, vocês são os mundos, os universos em formação e vocês não podem ser o que creem nesse mundo e tornar-se este Universo.
Aí também, cabe a vocês escolher, sabendo que não é sua cabeça que escolhe, mas, sim, a Vibração.

Questão: a beleza, os perfumes, os sons da natureza fazem subir na Vibração ou vinculam mais à matéria?

Os sentidos podem conduzir à Existência.
Nos mundos Unificados, a beleza é onipresente.
Nos mundos Unificados, os perfumes são onipresentes.

Então, a natureza é um elemento de contato com uma Dimensão Unificada.

Mas é preciso também conceber e aceitar que alguns seres, à vontade nesse mundo, vão procurar, na natureza, um meio de ali se manter.
Tudo depende, aí também, de seu objetivo, de seu ponto de vista e do que vocês desejam.

A natureza pode ser um maravilhoso elemento para favorecer sua elevação Vibratória para a Existência.
A natureza pode também, segundo seu ponto de vista diferente, prendê-lo nesse mundo.
Os dois são possíveis.
Tudo depende de seu ponto de vista.

Questão: que significa, quando do acolhimento da Luz, formigamentos intensos na região do fígado?

A Luz, quando chega no Fogo e no Supramental, pode efetivamente revelar zonas de sombra, zonas que têm necessidade de ser iluminadas e queimadas pelo Fogo da Luz.

Assim, os formigamentos na zona hepática e vesicular traduzem a existência, nesse órgão que é, eu o lembro, a casa da alma, certo número de feridas de natureza emocional que não foram eliminadas.

O fato de sentir, nesse nível, formigamentos, Vibrações, não é sinal de anomalia, bem ao contrário, mas ao fato que o que deve ser purificado, o é.

Questão: o trabalho Vibratório feito pelo Arcanjo Uriel sobre o Coração, as células, é realizado mesmo quando o estado Interior não é estável?

É realizado, e esse trabalho Vibratório sobre o Coração pode, naquele momento, nutrir a personalidade e não a Existência.
Tudo depende de sua qualidade de acolhimento Vibratório.

Novamente, é uma questão de ponto de vista.

Para alguns, a pacificação será obtida, porque há uma tensão para a Existência.
Para outros, ao contrário, há uma tensão que existe para a personalidade, em relação com frustrações ou bloqueios.
Naquele momento, a Luz vai nutrir isso.

Mas é preciso bem compreender que não é a Luz que desencadeia o que quer que seja.
Sua tensão é mais intensa para a Existência ou para a personalidade?
E, definitivamente, o que é iluminado e se manifesta então, apenas traduz ressonâncias que estão ainda presentes no Interior e que, então, não são superadas ou transfiguradas pela Vibração da Existência.

Questão: existe um símbolo da pura Consciência? Se sim, qual é e como utilizá-lo?

Bem amada, a resposta me parece difícil.
O símbolo, etimologicamente, é o que é lançado.
São as duas faces de uma mesma peça ou os dois pedaços de uma peça que se montam para realizar a Unidade.

É o inverso, exatamente, do “diabole”.

Entretanto, além disso, a Luz não é símbolo, é Verdade.

Assim, querer utilizar um símbolo qualquer que seja, mesmo o mais elevado, os puxará para o emocional e para o mental.

É nesse sentido que, quando da questão anterior, eu lhes sugeri jamais querer procurar interpretação para uma imagem ou para um símbolo que chega, porque o mental se apreenderá sistematicamente.

Então, em contrapartida, é também possível imaginar que um ser humano, no momento de seu acesso ao Fogo do Coração, vai poder perceber ou ver um símbolo preciso que será, para ele, a marca do switch da Consciência e também da passagem para outro estado de Consciência.

Esse símbolo se basta para ele mesmo, pode ser completamente diferente para outra pessoa.
Ainda uma vez, o importante é que se manifesta, não o significado.

Guardem sempre que o que procura compreender um símbolo, definitivamente, é sempre apenas o mental.

Questão: que é a natureza espiritual ou a Consciência espiritual do Ser?

Bem amado, ela está além das palavras.
Quaisquer que sejam as palavras que ali colocasse, afastaria da Vibração.

Penso que o Arcanjo Uriel, como Um Amigo, lhes permitem aceder, por sua Presença, alguns estados Vibratórios que são, para muitos de vocês, uma aproximação da Existência.

Há, para tanto, palavras?
Mesmo se essas palavras são portadoras de Vibração.
A única importância é a intenção da Consciência de se colocar em alguns pontos do corpo, permitindo ali ativar algumas Vibrações que facilitam o acesso à Existência.

Eu não posso falar da Existência, eu apenas posso fazê-los se aproximar de algumas de suas qualidades.

Vocês devem admitir, porque vocês apenas o viverão deste modo, que o único acesso à Existência é o momento em que vocês capitulam inteiramente, ao nível das emoções, ao nível do mental.
É o momento em que vocês não controlam mais nada da Vibração da Vida que ela pode se instalar e que o Fogo do Coração pode se acender.

Isso corresponde à crucificação e à ressurreição.

Vocês não podem aceder à ressurreição sem passar pela crucificação;
Isso é impossível.

Vocês devem morrer a vocês mesmos, morrer à personalidade, inteiramente.
E vocês não podem manter um estado transitório e tocar o Eterno.

A abertura e a vivência no Eterno, na Consciência Supramental, na Existência apenas se pode fazer com o final do efêmero.
O que poderia ser chamado de pequena morte.

A única porta e a única chave é o Coração.
Não haverá jamais outras, nesse mundo ou nos mundos Unificados.

Questão: quando as lágrimas de Alegria sobem espontaneamente, elas provêm necessariamente do Fogo do Coração?

Geralmente sim.
Elas concorrem, quando de suas primeiras etapas de Samadhi, quando de suas primeiras entradas no Fogo do Coração ou da Vibração do Coração, na aproximação de sua Existência.
E isso é uma grande Alegria, dando efetivamente lágrimas, que não são de emoções ou então uma emoção final, aquela que se funde com a Alegria do Coração.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

__________________________________
Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com