Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

15 de abr de 2007

MARIA – 15 de abril de 2007


DO SITE AUTRES DIMENSIONS.


Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.
Eu estou entre vocês para permitir-lhes encontrar sua interioridade, encontrar sua Divindade ao nível do coração, para permitir-lhes reunificar, em vocês, o que deve sê-lo, para reunificar, em vocês, sua dimensão tripla/única, de Divindade, de clareza e de transparência.
Assim, antes de dirigir-me a vocês, antes de interagir em um modo que é sua palavra, eu desejaria, primeiramente, transmitir-lhes essa energia específica do coração unido de meu divino Filho e de mim mesma, mãe dos universos, para permitir-lhes reunificar-se, para permitir-lhes recentrar-se e permitir-lhes sentir essa graça inefável que é aquela do humano que reencontra sua dimensão de Divindade, que reencontra sua dimensão de unidade, sua dimensão de fluidez, sua dimensão de eternidade.

Assim, eu lhes proponho portar sua atenção, sua consciência ao nível do meio de seu ser, ao nível de seu templo interior, ao nível de seu coração.
Assim, no silêncio e na graça que vem para vocês, eu lhes peço para acolher meu divino coração e o divino coração de meu Filho, para reunir o três em um, para reunir em nós essa chama divina, que é essência de seu ser, que é essência de sua Divindade, que é essência de Luz, essência divina.

Filhos da Lei de Um, filhos do Pai, eu venho a vocês como mãe, eu venho a vocês como irmã, também, para aportar, através da vibração de minha palavra, um elemento de resposta para seu caminho encarnado nesse planeta, como alma e espírito encarnado nesse corpo, responder não às suas interrogações futuras, mas pôr a Luz, iluminar, por meu coração de mãe, sua Divindade interior.

Assim, eu me tenho pronta, queridos filhos, durante esses alguns instantes, para vir reconfortar, pela vibração de minha palavra, reconfortar, pela vibração de meu ser inteiro de mãe, para ajudá-los a aliviar o peso da vida, para ajudá-los a iluminar o caminho que é o seu, para revelar seu ser interior, seu ser luminoso, seu ser transcendente.
Assim, queridas almas, eu acolho, em meu coração, suas palavras e seus questionamentos.

Questão: qual é o resultado de toda a nossa jornada?

Querida filha, a experiência que vocês vivem sobre esta Terra é uma experiência que foi desejada e decidida há extremamente muito tempo.
É uma decisão de sacrifício, de sacrifício comum, desejada não pelo Pai, desejada não pela Luz, mas por sua Luz.

Vocês tiveram necessidade de experimentar esse afastamento da Fonte, esse afastamento de sua Divindade para, um dia, que agora chegou, retornar à Fonte, enriquecidos da experiência da não Fonte.
Essa etapa de divisão, de separação, essa época de esquecimento de sua Divindade foi o meio de reforçar sua Divindade.
O sentido da queda, o sentido do sacrifício da encarnação foi decidido por uma multidão de almas, a um momento preciso de sua história.

Esse caminho foi acompanhado pelos regentes planetários, por meu divino Filho e por mim mesma, para acompanhá-los, para andar ao seu lado, para apoiar seus esforços nessa vida que é tão luminosa, mas, ao mesmo tempo, que foi um período de esquecimento de sua Divindade.

Assim, algumas almas esqueceram-se tanto de sua Divindade, que é, hoje, difícil a elas voltar para essa Luz de que elas jamais deixaram de ser e, no entanto, quantos sofrimentos, quantos sacrifícios não foram necessários para voltar a esse ponto máximo de ruptura que deve permitir-lhes voltar à Fonte.
A promessa que vocês se fizeram, a si mesmos, é a promessa que meu divino Filho ou eu mesma ou o regente planetário ofereceu: a promessa do retorno à casa, a promessa do retorno a mundos vibratórios nos quais a sombra não existe mais, a promessa de um retorno à unidade.
E, no entanto, alguns de vocês desviaram-se no caminho, mas não podem perder o caminho da própria Fonte, estão, simplesmente, no que vocês chamam, não no mesmo comprimento de onda vibratória do retorno à casa, e têm necessidade de concluir essa experiência da encarnação.

Há numerosas moradas na casa do Pai, e essas moradas não passam por todas as vias da encarnação, mas é o caminho que suas almas escolheram.
Almas de Luz que tiveram necessidade de viver a experiência da separação, para reforçar a ligação à Fonte, assim é o paradoxo da encarnação, que os afastou, de maneira aparente da Luz, mas, ao final, reforça-os em sua Luz e em sua explosão de alma de Luz.

Aí está, querida filha, o objetivo da encarnação nesse planeta e nesse universo.

Questão: os sofrimentos são necessários no caminho?

Querida alma de Luz, querida filha, querida irmã, é importante compreender que os caminhos de sacrifício devem, um dia, parar; os caminhos de sofrimento, tais como eu os descrevi nas jornadas da alma em encarnação sobre este planeta e nesse Sistema Solar devem, um dia, deixar o lugar para o retorno à casa.
O retorno à casa não significa desencarnação, mas basta desvendar a Luz que você é.

É-lhe solicitado, vigorosamente, querida alma, para abandonar essas armadilhas do sofrimento, abandonar as armadilhas da sombra, para reintegrar sua herança divina, para reintegrar sua Luz.
É preciso, nisso, desenvolver, é preciso, nisso, aceitar que você é Luz, não há, em você, qualquer defeito, se não são aqueles que você aceitou portar e pôr, você mesma porque, de toda a eternidade, você é Luz, de toda a eternidade, você é Divindade.

É tempo de abandonar as dores, os afastamentos da Fonte, é tempo de retornar à sua casa porque seu lugar ali é inscrito, de toda a eternidade, no Livro da Vida.
É importante rejeitar para longe o que os havia afastado da Fonte, porque a hora do retorno chegou.

Aí está, querida alma.
Então, vá em paz, aceite sua herança, aceite sua realidade, sua multidimensionalidade e sua Divindade.

Questão: você pode dar sua proteção ao meu filho?

A diligência, hoje, querida filha, é importante, para saber que cada alma individual deve, ela mesma, pedir minha proteção.
Eu atribuo minha proteção a toda pessoa que a pede.

É-me muito mais difícil intervir e pôr meu manto em uma alma que faria, eu diria, o pedido para outra alma, porque é um caminho que se chama a liberdade individual, e eu não posso ir contra a liberdade imprescritível de cada alma, eu não posso satisfazer o pedido de uma alma para outra alma.

É importante, hoje, que a liberdade imprescritível de sua encarnação, de seu desejo de retorno à unidade ou sua necessidade incontrolável de experiência e de encarnação seja respeitada.
Não há ponto de julgamento, não há ponto de pesagem de almas, há escolhas livremente iluminadas, livremente consentidas, e cada alma é diferente, querida filha, mesmo se ela seja sua descendência.

É importante compreender que cada alma pode ter necessidades diferentes de outra alma: almas têm necessidade, ainda, de experimentar a matéria, de experimentar a separação, o sofrimento, e outras almas têm sede do retorno à casa.
Não me cabe decidir, cabe-me, simplesmente, velar para que cada um de meus filhos que se volte para mim beneficie-se de minha proteção, beneficie-se de minha Luz de mãe, mas eu não posso impor a um filho que se desvia de minha face voltar a mim, porque é sua livre escolha e sua liberdade de experiência de encarnação.

Questão: é preferível orar com o «eu a saúdo Maria» do catecismo católico?

Querido filho, isso são apenas fórmulas.
Então, essas fórmulas repetidas e repetidas possuem o peso da repetição e, portanto, efetivamente, criaram canais de comunicação, eu diria, até mim.
Mas estejam certos de que vocês não têm necessidade dessas fórmulas, basta-lhes, simplesmente, dirigir-se a mim, de alma a alma, de coração a coração, e eu responderei, sempre, presente.

Então, exprimam-se com suas palavras, com suas intenções, mas não sejam apegados a fórmulas, mesmo se elas tenham certo peso, certa realidade, porque essa realidade e esse peso pertencem, já, a um mundo que se vai, a um mundo que se desintegra.

É-lhes permitido, hoje, dirigir-se, diretamente, de alma a alma, de coração a coração, então, façam-no, ousem-no.
Sua liberdade está aí.

Queridos filhos, creio que, após ter recebido as bênçãos de sua mãe, não pode mais haver questionamento, pode apenas haver aceitação, pode apenas haver comunhão.
Assim, nós vivemos essa comunhão, esse partilhar da Divindade.

Ainda uma vez, sejam abençoados, estejam certos do amor de sua mãe, mas cabe-lhes voltar seu olhar para mim, para beneficiar-se, totalmente, desse amor que é sua herança, sua filiação, seu direito.

Queridos filhos, sejam abençoados e estejam certos de que minha palavra é realizada em vocês.
Queridas almas, queridos filhos, recebam toda a minha gratidão por seu acolhimento, por sua abertura, continuem a caminhar nesse mundo de sombra e de Luz e que, entretanto, é uma criação que vocês desejaram, experimentaram.

Retenham, efetivamente, que, contrariamente ao que afirmaram alguns homens que fizeram das palavras de meu Filho uma religião, não há julgamento outro que não aquele que vocês mesmos portam sobre si mesmos.
Não há qualquer Luz que os condenaria à sombra, não há qualquer ser divino que lhes imporia algo que vocês não desejariam.

Acontecer-lhes-á apenas o que vocês desejam e, se algo lhes parece em desacordo com o que vocês desejam, não vejam esse desacordo no exterior, mas como um desacordo interior, entre sua triplicidade corpo/alma/espírito.

Sejam abençoados, meus filhos, e eu lhes digo até breve.
__________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

3 comentários:

  1. A experiência que vocês vivem sobre esta Terra é uma experiência que foi desejada e decidida há extremamente muito tempo. É uma decisão de sacrifício, de sacrifício comum, desejada não pelo Pai, desejada não pela Luz, mas por sua Luz.

    O retorno à casa não significa desencarnação, mas basta desvendar a Luz que você é.

    É importante rejeitar para longe o que os havia afastado da Fonte, porque a hora do retorno chegou.

    Acontecer-lhes-á apenas o que vocês desejam e, se algo lhes parece em desacordo com o que vocês desejam, não vejam esse desacordo no exterior, mas como um desacordo interior, entre sua triplicidade corpo/alma/espírito.

    ResponderExcluir
  2. O retorno à casa não significa desencarnação, mas basta desvendar a Luz que você é.

    ResponderExcluir
  3. Mãe é Mãe, só jorra Amor. Mas essa nossa experiência, afastados da Fonte, foi muita ousadia. Mas pela Graça do Amor, estamos 'retornando'.

    Ufa! Até que enfim...

    Últimos dias do Apocalipse.

    ResponderExcluir