Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

5 de set de 2008

RAM – 5 de setembro de 2008

DO SITE AUTRES DIMENSIONS.

Eu sou RAM.
Recebam a paz.
Recebam a plenitude.

Eu venho prosseguir com vocês os ensinamentos e as transmissões.

Eu já abordei com vocês certo número de ideias: o silêncio, o Despertar, a plenitude.

Hoje, eu venho falar-lhes do que é a relação, a ligação e a justificação do conjunto da criação e do não criado.
A própria justificação de sua forma, na qual vocês estão.

Essa justificação vai permitir-lhes apreender o que eu chamei, em minha última vinda, a finalidade.
A finalidade é o Amor.
A finalidade é a Luz.

Eu falo, obviamente, da Luz não criada, da Luz original, do Espírito do Pai, se preferem, ou da Divindade.

Há, em primeiro lugar, um conceito que vocês devem apreender inteiramente e, se vocês o permitem, eu os farei viver esse conceito, primeiro com as palavras, mas, também, através da plenitude, do silêncio e da Luz.

Não existe manifestação na forma que não seja o Pai.
O Anjo é o Pai.
As próprias dimensões e os conteúdos dessas dimensões é o Pai.
O Pai (a Luz, o Espírito) preenche todas as coisas, todo instante, toda eternidade e toda negação mesmo de Sua presença.
O Pai é presença, imanência e transcendência.

Vocês estão no caminho da forma e da encarnação para encontrar o Pai.
Ora, o Pai já está aí.
O Pai está na borboleta; o pai está no respirar; o Pai está em tudo o que é manifestado em sua dimensão.
E, no entanto, vocês devem encontrá-lo.

O que isso significa?
Isso significa simplesmente que vocês devem revelá-lo.
Ele está no silêncio e na plenitude e vocês, vocês estão no barulho e na incompletude.

Nesse sentido, a meditação, nesse sentido, o que vocês chamaram oração são espaços de tempo privilegiados que vão dar a vocês acesso à reconexão a esse Pai que, no entanto, é também parte integrante da totalidade do que vocês são.

A projeção de sua consciência nessa dimensão os fez sair da imanência e da eternidade.
O objetivo de toda dimensão, eu digo sim, de toda dimensão, é desenvolver inteiramente a imanência do Pai.
Isso concerne, em sua dimensão, tanto aos reinos ditos inferiores como aos reinos situados diretamente acima de vocês.

Vocês devem, portanto, através de um conceito que é a polarização da consciência e a reversão do sentido dos valores, ir para o reconhecimento da transcendência e da imanência do Pai em sua dimensão.

A dimensão da Sombra, que é a manifestação também de sua dimensão, é também portadora da totalidade do Pai.
Assim, muito numerosos Mestres e neófitos disseram para não julgar, não levar um olhar que separa e que divide, porque esse olhar separado e dividido afasta tão seguramente da imanência do Pai como a descrença a mais total.

Vocês estão aqui para realizar a completude do Pai.
Tão paradoxal como isso possa parecer-lhes, com seu resto de divisão e de separação, vocês são a totalidade dos universos e da criação.
Há, em cada átomo, em cada corpúsculo, em cada chama, em cada alma, a totalidade dos possíveis, e não pode ser de outro modo.

É uma coisa aceitar isso através de palavras e através de conceitos, mas é outra coisa vivê-lo na Verdade da plenitude, do silêncio e do Amor.

Entretanto, essa etapa é uma etapa preliminar, porque vai criar uma tensão de seu ser para um objetivo que vocês vislumbram, num primeiro tempo, como exterior a vocês, projetando-se no objetivo a atingir, tanto através da imagem de um Mestre, de uma religião ou de qualquer outro conceito que vai permitir-lhes exercer essa tensão para esse objetivo.
Mas isso é uma ilusão.

Vocês são, na instantaneidade do instante, a totalidade da divindade.
Não pode ser diferentemente.

Não há espaço sem o Pai; não há vida sem Espírito.
Não poderia haver vida sem Luz.

A Luz é, eu os lembro, a ligação e a coesão da manifestação e do não criado.
Existe um filtro ligado à sua encarnação que os faz encarar sua existência como separada do Pai e da Verdade.
Não é nada disso.
E, no entanto, não é porque eu o digo que vocês o vivem.
Porque o que vocês já conhecem e que foi chamado as concepções (mas também as crenças, quaisquer que sejam) afasta-os pouco a pouco dessa Verdade essencial que é a imanência, a transcendência do Pai.

O Pai está além de um conceito.
O Pai está além de qualquer definição.
Ele é, ao mesmo tempo, a totalidade e a Unidade.
Vocês são, portanto, ao mesmo tempo, a totalidade e a Unidade.

Vocês se exteriorizaram através de uma forma, porque o Espírito, há tempos imemoráveis, decidiu essa exteriorização.
Mas, mesmo nessa exteriorização, vocês devem reencontrar a imanência e a transcendência.
É o único objetivo verdadeiro de sua vida.

Todo o resto são apenas elementos de dissipação e elementos que vão acrescentar crenças sobre outras crenças.
E, de crenças em crenças, vocês se separam cada vez mais dessa Verdade que, no entanto, jamais se separou de vocês.

Compreendam, efetivamente, que se trata unicamente de suas crenças.
Mas essas crenças, essas ideias às quais vocês aderem, constroem ao redor de sua exteriorização, chamada encarnação, um muro, uma separação que existe apenas para vocês, porque o Pai não pode ser separado de vocês.
Vocês creem que há um obstáculo intransponível entre a forma e o Pai, mas isso não pode ser verdadeiro.

Obviamente, quando vocês estão enredados no que chamam suas relações interpessoais (a relação sendo definida, por princípio, pela relação entre vocês e algo que é exterior a vocês), tudo o que se mantém através das relações é a distância, porque estar na relação necessita de uma exteriorização suplementar que os faz perder de vista a essência da Verdade primeira.
Quando vocês percebem a ilusão disso, sua vida e sua forma e sua encarnação não podem mais jamais ser as mesmas.

Como se reconhece que vocês entram num caminho, não mais de tensão, mas, desta vez, de abandono à Verdade primeira?
E bem, simplesmente porque suas resistências, que fazem parte mesmo de suas relações, liquefazem-se e dissolvem-se na Luz que vocês se tornam.
Isso se produz a um determinado momento.
Eu falo de determinado momento porque há um antes e um depois desse momento.

Antes, vocês estavam separados, ou sua crença os fazia crer.
E, depois, as crenças, as tensões resolvem-se totalmente.
Trata-se tanto de tensões ligadas à relação como de tensões em seu corpo.

Quando vocês aceitam conceitualmente, já, a não-separação e a não-separatividade, seu corpo não pode mais estar na resistência.

A quantidade de Luz presente nas células vai aumentar de maneira exponencial.
O resultado visível para sua consciência analítica será o desaparecimento de tudo o que eram as resistências.

Que são as resistências?
Elas são as doenças.
A Luz vai curá-los instantaneamente por Sua presença, assim como eu já os fiz sentir, alguns de vocês, há alguns dias.

O Pai não é resistência.
O Pai é Luz, sincronia, harmonia, cura e total transparência.

Tornar-se o Pai é tornar-se transparente.
Tornar-se transparente é não mais fazer cortina, com os muros construídos, à Luz que vocês são.

Quanto mais vocês entram na transparência, mais os obstáculos de suas construções do mental, de suas crenças, de suas ideias mesmo vão deixar lugar à plenitude e à imanência do instante.

Então, nós exprimimos isso através de palavras.
Vou, agora, exprimi-lo no silêncio, primeiramente, se efetivamente quiserem.

...
Efusão de energia...

Vamos, agora, exprimir a mesma coisa pela Luz.

... Efusão de energia...

E vamos, agora, exprimi-lo pela plenitude do instante.

... Efusão de energia...

Entrar na transparência é esse estado, ao mesmo tempo de plenitude e de Luz, e de insipidez do mental e das emoções.

O Pai não pode revelar-se no mental e na emoção.
Ele aparece em sua consciência quando seu mental e suas emoções fazem silêncio.

O Pai aparece também a partir do momento em que o corpo não está mais em resistência ou tende a não mais estar em resistência.

Vocês estão vivendo esse início de transparência, através da vibração da Luz branca que se manifesta agora em vocês.

A Luz ilumina e torna transparente.
Eu esclareço também, porque isso é importante para muitos de vocês que assistem à minha presença (seja desde algumas vezes ou pela primeira vez), que minha linhagem é a linhagem de uma característica do Pai, chamada RAMA.
Eu deposito em vocês, eu distilo em vocês, a cada consciência de minha presença, uma conexão voluntária e desejada à origem dessa linhagem.
Vocês são parte integrante de minha manifestação.
Não vejam ali, sobretudo, uma relação, mas, efetivamente, uma oferenda de minha linhagem à sua forma.
Isso está ligado à importância do que vocês vivem e ao interesse que nós trazemos, de nossa dimensão, para vê-los irradiar esse estado de transparência sobre o maior número.

Para isso, vocês devem também manter esse estado.
A manutenção realiza-se pelo silêncio, pela Luz e pela plenitude.

Quando vocês conectarem sua consciência ao nível do coração, doravante, vocês estarão imediatamente religados à minha radiância.

Eu, portanto, criei, numa oferenda específica, uma abertura extremamente precisa, ligada ao silêncio, à Luz e à plenitude, em seu coração.
Cabe-lhes, coletiva e individualmente, fazer crescer e manifestar cada vez mais isso.

Vocês podem também, pelo que instilei em vocês e que vou continuar a instilar agora, recorrer à minha presença.

Certamente, para cada forma diferente que vocês são, minha presença pode revelar-se pelas palavras, por minha Luz, por minha plenitude ou por meu silêncio.
Numa dessas quatro manifestações vocês terão, instantaneamente, a resposta às suas interrogações.

No entanto, nós não terminamos os ensinamentos e as transmissões.
Nós vamos crescer ainda em plenitude, a fim de estabilizar isso em vocês, em seu coração.

Então, se vocês têm interrogações em relação ao que acabo de dizer, gostaria de responder de boa vontade, enquanto a transparência aumenta.

E esse estado, é claro, deixa apenas pouco lugar para a interrogação, mas tenho, de qualquer modo, necessidade de algumas delas, para instilar-lhes ainda mais essa transparência.

Ndr: Nenhum questionamento.

Então, primeiramente, eu os agradeço por sua transparência e vamos, se efetivamente quiserem, prosseguir ainda um pouco.

Para além das palavras vamos, agora, se efetivamente quiserem, reforçar em cada um de vocês o que se convencionou chamar a inteligência suprema ou a inteligência criadora.
 
... Efusão de energia...

Há questões?

Questão: como deixar menos lugar possível para o mental?

Aprendendo a viver graças à oferenda que eu lhes fiz do estado de plenitude e de transparência.
É preciso cultivar esse estado o mais frequentemente possível, durante seus dias e durante suas noites.
É preciso arranjar faixas de tempo onde vocês vão deixar essa transparência exprimir-se no silêncio, no interior de vocês.

Progressivamente e à medida que vocês tomarem o hábito de deixar crescer esse estado, vocês crescerão na transparência e o mental não poderá mais ter tomada.

Vocês devem abandonar-se totalmente, não ao seu sentir, não ao seu prazer, não à sua vontade, mas ao que lhes dita esse estado de transparência.

Se ele diz para ir passear, vão passear.
Se ele diz para tomar tal ser humano em seus braços, tome-o.
Se ele diz, nesse estado, para dizer tal coisa a tal pessoa, diga.

Mas evitem tomar em seus braços, dizer, ir no embalo, nos momentos em que vocês não estão nesse estado.
Aprendam a escutar a via do silêncio e da plenitude.

Frente a uma interrogação, a resposta não está ligada a uma interrogação.
A resposta está ligada à atitude interior que vocês são capazes de manifestar, em relação direta com a transparência e a plenitude.

O problema é que o ser humano tem um raciocínio de tipo binário e analógico.
Para uma questão, vocês esperam uma resposta, mas a questão é mental e a resposta é mental.
Em contrapartida, se a questão manifesta-se nesses estados de transparência, a resposta pode ser apenas espiritual, o que é totalmente diferente, porque a transparência não pode enganá-los.

A transparência é Verdade, ela é totalmente independente do mental, de seus desejos, de suas emoções, de suas projeções e de suas crenças.
Isso necessita viver totalmente o instante presente.

Mesmo em relação a uma projeção de um futuro próximo, não se coloquem a questão do como nem do por quê.
Coloquem-se na transparência do instante e, aí, a resposta chega.

Na transparência, lembrem-se de que não há mais resistência, de que não há mais oposição.
A transparência é um estado de resolução.
A transparência é um espaço de fluidez.
A transparência é um estado de Unidade.

A partir do momento em que há dúvida ou interrogação entre tal coisa e tal outra coisa, entre tal pessoa e tal outra pessoa, entre tal escolha e tal outra escolha, isso vem apenas do mental.

A transparência é injunção clara, ela não é discursiva, ela não é interrogativa, mas é a solução.

Aprendam a cultivar as respostas que estão nesses momentos e esqueçam as respostas que ali não estão.
É um aprendizado que vocês poderão realizar extremamente facilmente, se aceitam as regras do jogo.

Quando vocês querem fazer algo, a primeira coisa que passa em vocês em relação à sua ação, em relação a vocês mesmos, é um julgamento de vocês mesmos e de sua ação.
Ora, a transparência não pode ser julgamento.
Ela é ação, é transparência total e é instantaneidade total, porque é divina.

Naquele espaço e naquele momento não pode haver dúvidas.
Aprendam a observar as respostas do estado de transparência.
Vocês terão, assim, a resposta para tudo o que pode se colocar no desenrolar de sua vida.

Nós vivemos isso agora na plenitude.

... Efusão de energia...

Se o permitem, vou agora regá-los à Fonte final, cada um de vocês, durante alguns instantes e, após, construiremos juntos um espaço de transparência.

Então, inicialmente, a primeira parte:

... Efusão de energia...

E eis agora esse espaço de transparência.
Após, eu os deixarei e vocês permanecerão alguns instantes nessa transparência, entre vocês.

Eu os preencho de minhas graças.
Sejam preenchidos de Luz, sejam preenchidos da plenitude e vivamos, agora, a transparência.

... Efusão de energia...
___________________________

Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

Um comentário:

  1. "Tornar-se transparente é não mais fazer cortina, com os muros construídos, à Luz que vocês são. Quanto mais vocês entram na transparência, mais os obstáculos de suas construções do mental, de suas crenças, de suas ideias mesmo vão deixar lugar à plenitude e à imanência do instante."

    ResponderExcluir