Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

19 de fev de 2011

ANAEL – 19 de fevereiro de 2011

Mensagem publicada em 21 de fevereiro, pelo site AUTRES DIMENSIONS.

Áudio da Mensagem em Francês

Link para download: clique aqui


Eu sou Anael, Arcanjo.

Bens Amados Filhos da Luz, Bem Amadas Sementes de Estrelas, eu venho a vocês, esta noite, neste instante, no Amor e na Paz.

Venho, em primeiro lugar, dar uma iluminação nova e suplementar sobre a ação da Luz em sua Consciência e, num segundo tempo, responder às suas perguntas, seus questionamentos concernentes, justamente, ao que vou desenvolver neste primeiro tempo.

A Luz Adamantina ou Luz Verdadeira, nós o dissemos, derrama-se sobre esse mundo, sobre esta Terra, em seus céus e, também, mesmo em suas estruturas físicas como sutis.

A Luz permite, portanto, um processo, mesmo em sua Consciência como na sociedade, de desvendamento.
Esse desvendamento é uma iluminação que vem pôr fim às zonas de Sombra.

Existe, portanto, uma iluminação, cada vez mais evidente e forte, permitindo colocar na Luz, iluminar, desvendar e revelar o que, até o presente, não parecia como evidente ou como visível ao olho de sua consciência.

Esse desvendamento, pela Luz, das zonas de Sombra existentes, em vocês como sobre esse mundo, já havia começado, há certo tempo, pela ação dos Casamentos Celestes.

Mas, hoje e desde pouco tempo, esse processo toma um circuito novo, circuito novo que permite impedir que a Sombra se dissimule, novamente, noutro lugar, ainda mais profundamente.

Assim, eu poderia dizer que a Sombra volta a subir à superfície de sua consciência, assim como desse mundo, permitindo ser iluminada, reabsorvida e ser dissolvida e transmutada pela ação da Luz.
Isto se produz em vocês, como por toda a parte.

Convém, portanto, acolher essas zonas de Sombra, não como uma punição, não como uma culpa, e ainda menos como erros, mas, bem mais, como a capacidade da Luz para redimir, para reorientar, o que a consciência percebe.

É através desse trabalho que a passagem da dualidade, que a passagem da 3ª Dimensão dissociada à 5ª Dimensão realiza-se, para vocês como para a Terra.

É, portanto, um trabalho de iluminação, de colocação na Luz, em todos os sentidos desta expressão.

Esta colocação na Luz permite, justamente, a tomada de consciência lúcida, o desmascarar e, enfim, a transcendência dessas ditas zonas de Sombra.
Que elas estejam em vocês ou no exterior de vocês, não há a julgar, não há a condenar, não há a agir, porque a ação da Luz se faz por si, a partir do momento em que o homem, ou a sociedade, ou o sistema, qualquer que seja, aceita ver as coisas tais como elas que são e não mais tais como eles creram que elas eram.

Não há, portanto, através disso, que manifestar quaisquer reações, mas apenas deixar estabelecer-se a Luz, acompanhando-a na não ação, no ser, mas, também e por vezes, no fazer.

Esse fazer não estando inscrito como reação, mas na pró-ação agindo e permitindo o desvendamento e a instalação da Luz de maneira ainda mais evidente e ainda maior.

A Luz chama a Luz.
A Luz transcende a Sombra e é justamente desse jogo Sombra / Luz, novo para vocês, que decorre a realidade da instalação da Unidade, a realidade da instalação da Verdade.

Deixem a Luz agir e iluminar, tornarem-se vocês mesmos esta Luz, aceitando, em Unidade e em Verdade, não mais ser a presa de suas próprias Sombras, aceitarem olhá-las, porque, olhando-as, com o olho, assim como com o Coração, vocês se tornam cada vez mais transparentes, cada vez mais Luminosos, não deixando qualquer possibilidade à Sombra para perdurar ou persistir.

A Sombra não requer um trabalho, no sentido da liquidação, no sentido da reação, mas, bem mais, um trabalho de transcendência, realizado pela própria Luz, realizado pelo seu olhar Luminoso, realizado pelo seu Coração Luminoso, aceitando ver a Verdade de frente, sem qualquer noção de culpa, sem qualquer noção de remorso, simplesmente como um estado de fato, simplesmente como o estabelecimento de um novo mundo, de sua nova Verdade, onde nada mais há a esconder, onde nada mais há a ocultar, onde há a se tornar, cada vez mais, esta Luz que vocês recebem, tornar-se cada vez mais transparentes, cada vez mais verdadeiros e cada vez mais autênticos.

Assim, a Luz vem iluminar, vem desvendar e revelar e, sobretudo modificar os mecanismos íntimos de sua Consciência de seres Vibrantes, a fim de restituí-la ao que ela é, a fim de restituí-los à Verdade que vocês são.

É esse processo que vive, nesse momento, a Terra, como os sistemas e como a consciência do próprio Homem.

Certamente, através desta ação da Luz, inúmeros seres humanos verão apenas a Sombra, mas não a ação da Luz que permite à Sombra manifestar-se, não para reinar, mas, bem mais, para desaparecer.

Assim, de acordo com a qualidade do olhar humano, assim, de acordo com sua capacidade para ver em Verdade, ser-lhes-á permitido tornar-se esta Luz ou então dar mais pesos a essas Sombras.

Cabe a vocês definirem, cabe a vocês se posicionarem, cabe a vocês saberem verdadeiramente o que querem ser, o que querem se tornar e qual é seu caminho.

O jogo da Luz será sempre, nesse mundo como em outros mundos, reunir, Unificar e liberar, permitir a relação, a comunicação, o Amor e a Verdade, reinar, inteiramente.

Só a Sombra tinha necessidade de ser ocultada e mascarada, a fim de poder estabelecer uma influência contrária à Luz.

Hoje, a Sombra não pode mais agir assim, porque a Sombra é desvendada, porque a Sombra aparece ao olho da Consciência humana, ao olho do Homem, ao olho da Terra.

Esse processo é uma forma de parto, um processo de liberação total do que mantinha a Terra, como seus habitantes, em certo confinamento, limitando a expressão da Consciência, a expressão da Alegria e o acesso à multidimensionalidade, o acesso à Verdade.

Hoje, mais que jamais, vocês serão chamados, pela Luz, a deixarem essas Sombras surgirem.
Vocês não poderão mais tê-las fechados, mascaradas, aos outros como a vocês, porque elas eliminam-se desvendando-se, iluminadas pela Luz.

Há, portanto, apenas que acompanhar o movimento.
Não há que querer o que quer que seja.
Não há que ter medo.
Há apenas, ainda e sempre, que confiar na Inteligência da Luz que está aí para desvendá-los, para revelá-los a vocês mesmos; que não está aí nem para fazer sofrer, nem para levá-los num mundo de crenças, mas, bem mais, para restabelecer a Verdade original da Consciência, que é Liberdade e Eternidade.

Isto se realiza sob seus olhos.
Isto se realiza em vocês assim como sobre o que lhes é permitido observar sobre este mundo.

Então, cabe-lhes, cada dia um pouco mais, estarem lúcidos quanto a esse processo de desvendamento e de revelação.
Trata-se de uma colocação na Luz.
Trata-se do estabelecimento do Reino da Luz e da Realeza da Luz.

Existe aí, em todos esses processos que aparecem, em vocês como no exterior de vocês, unicamente um processo que Unifica, apenas um processo Unitário.

É claro, aquele que adotar uma visão não Unitária, uma visão privada de Luz, verá, uma vez mais, o jogo da dualidade e da Sombra que se apreende do que não existe.

A Luz estabelece-se, mas, estabelecendo-se, ela pode apenas caçar, pode apenas eliminar, devida à sua presença, tudo o que permanecia de escondido, de oculto, de fechado e de não revelado à sua própria Consciência.

Cabe a vocês aceitarem o que é revelado.
Cabe a vocês aceitarem esse desvendamento porque, nos Mundos Unificados nos quais penetram, nada há a esconder, nada há que permaneça secreto, porque tudo é evidência, tudo é Verdade, tudo é Alegria.

Então, efetivamente, a Consciência do Homem a caminho para a Luz pode, por vezes, hoje, ser impregnada de hesitações, tergiversações, até mesmo de medos.
A Luz é seu apoio.
A Luz é sua força.

É do que vocês são constituídos, em Verdade, e é graças a ela que se estabelece a Verdade do que vocês são, porque é graças a ela que vocês penetram sua Morada de eternidade.

Esse trabalho realiza-se em vocês, e por toda a parte na superfície desse mundo, como em seus céus.

Cabe-lhes permanecerem abertos ao que se produz e acolherem a revelação da Luz como uma graça, como uma revelação total da Verdade.

A Sombra não pode mais esconder-se porque a Verdade está aí.
Suas Sombras evacuam-se desta maneira.

Vocês cruzaram uma etapa.
A última Reversão ocorreu.

O ritual da boca permitiu, hoje, à Luz, iluminar os recantos, ainda não explorados, dos jogos que vocês jogaram nesse mundo, constrangidos e forçados.

Não há que julgar, tampouco, porque o passado é letra morta.
Não há que condenar.
Há somente que a ser o autor e o espectador do que se joga, em vocês e ao redor de vocês.
Vocês são a Luz do mundo.
Vocês são a revelação da Luz.

É nesse sentido que, tendo permitido a ancoragem da Luz, tendo permitido à Luz se multiplicar, hoje, a Luz vem, em vocês como no exterior de vocês, terminar sua obra de revelação e permitir-lhes estabelecerem-se numa Consciência nova, onde nenhuma Sombra pode persistir, existir ou manifestar-se, onde ela será apenas mais uma lembrança bem distante, apenas algo que se destaca de vocês a fim de deixá-los resplandecer da Verdade que vocês são.
Vocês devem apenas aquiescer.

Eu exprimi longamente o abandono à Luz.
Eu exprimo hoje esta aquiescência à vontade da Luz, à vontade da Unidade, para que o Reino dos Céus estabeleça seu reino, sobre esta Terra, em sua nova Dimensão.

Vocês têm, todos, um caminho e uma evolução específica que lhes são próprios.

Seu caminho não é o caminho de seu Irmão, ainda que vocês sejam constituídos da mesma Essência, da mesma Vibração.

Os caminhos que vocês tomam não serão jamais os mesmos, porque eles lhes são próprios, mesmo na Unidade.

Não há, portanto, que julgar, avaliar ou pesar o caminho de um Irmão ou uma Irmã, mas permitir-lhe viver o seu caminho, em toda Liberdade, em toda serenidade e em toda Alegria.

Nesse sentido, vocês participarão, uns e outros, por sua ressonância comum de Luz, para fazer com que o Reino dos Céus estabeleça-se sobre a Terra, cada vez mais rapidamente, cada vez mais facilmente, favorecendo assim a etapa final da Terra.

Vocês entraram nesses tempos finais que não são o fim, mas o início de uma nova era, de um novo estado e de uma nova Consciência.
Isto se realiza sob seus olhos, em sua carne, em sua Consciência e em suas estruturas sutis.

Existe, portanto, um fenômeno de novo nascimento, eu deveria dizer de renascimento, a vocês mesmos, bem para além das mortes e renascimentos desse mundo.

Vocês penetram as esferas da eternidade, em toda lucidez.
Vocês têm, portanto, simplesmente, que ali se estabelecerem, deixando de lado o que não pertence a esses mundos de Liberdade e de Unidade.
Nisso, vocês devem se despojar do que não é Luz, não por um ato de vontade, não por um ato consciente de querer, mas, bem mais, acolhendo a Luz, deixando-a se efusionar através de vocês, deixando-a difundir-se, deixando-a cobri-los, deixando-a fazê-los realçar o que vocês são, em Verdade, ou seja, um corpo de Eternidade, uma Consciência Livre, um corpo de Existência, uma Consciência Unificada.

Isso vocês vivem, nesse momento mesmo, cada um, aí também, ao seu ritmo, em sua própria frequência e em sua própria cadência.

Cada um de vocês o vive.
Vocês podem observá-lo no mundo.
Podem observá-lo em vocês.
Vocês o observam, com mais ou menos resistências, junto aos seus parentes.

É nesse sentido que não devem julgar.
É neste sentido que devem aportar sua própria irradiação, sem querer, sem decidir para o outro, sem influenciar diferentemente além da própria Presença de sua própria Luz.

Assim, o Reino dos Céus estabelece-se nesta Terra, permitindo o reencontro tanto esperado e anunciado já pelo Arcanjo Miguel em 29 de setembro de seu ano precedente.
Isto se realiza sob seus céus, em sua Consciência, no Interior como no exterior.

Vocês têm que tomar parte ativamente deste reencontro novo, permitindo-lhes estabelecer-se com cada vez mais segurança, facilidade, em sua Eternidade.
O antigo morre.
O que vocês foram não são mais.

Vocês são o Homem e a Mulher novos.
São o Homem e a Mulher regenerados pela Luz que deve nascer, inteiramente, para esta regeneração, para sua nova Presença, para sua nova Verdade.
Isto se produz agora.
Agora é o único tempo que conta.
Agora é o único tempo que existe, permitindo-lhes liberar-se do peso de seu próprio passado como do peso do passado da Terra, a fim de penetrarem, livres, a Luz que vocês penetram.
Esta trabalha em vocês a cada minuto.

O que vocês percebem como pontos de Vibração, como estados de Consciência, como Consciência nova, em vocês como ao redor de vocês, prova a realidade que vocês vivem.

É claro, inúmeros de seus Irmãos e de suas Irmãs que não vivem ainda essas transformações não se sentirão referidos nem implicados pelo que se produz e, no entanto, eu lhes garanto que, pela sua própria qualidade de irradiação, vocês servem, bem para além das aparências, quaisquer que sejam as reações contrárias à Luz que pode existir em seu ambiente, assim como nesse mundo.

Isto participa, em definitivo, apenas de um único e mesmo objetivo que é a revelação da Luz e a dissolução da Sombra.
A Sombra não pode mais ser fechada.
Ela é obrigada a ser iluminada, em vocês como ao redor de vocês.
Então, aí tampouco, não julguem.
Aí tampouco, não condenem.

Contentem-se de irradiar, contentem-se de ser, de aquiescer à Luz e deixar as Sombras serem dissolvidas, por sua Luz, como pela Luz que se espalha sobre esses céus e sobre esta Terra.

A cada revelação de Luz, a cada evaporação de Sombra, vocês se tornarão cada vez mais leves, cada vez mais Conscientes, cada vez mais lúcidos e, sobretudo, cada vez mais felizes.

Progressivamente e à medida que penetrarem os mundos de Luz, os mundos da densidade e da Sombra vocês não poderão de modo algum afetar o que vocês estão se tornando.

Aí também há uma noção fundamental de confiança e de aceitação da Luz, bem para além do soltar, evocando uma etapa nova do Abandono à Luz que é, antes, um mecanismo de Realização da Luz, bem para além da revelação em curso.

Assim, realizando sua própria Luz, vocês se tornam o que jamais deixaram de ser, de toda eternidade.
O parêntesis, chamado falsificação, apagar-se-á por si na revelação do que vocês são.

Nada há a fazer, a dissolver o que quer que seja.
A Luz o faz para vocês.
É nesse sentido que, sob a influência da Onda Galáctica de Luz, sob a influência da irradiação solar e das diferentes irradiações vindas de diferentes partes do que vocês chamam o cosmos, há apenas que se deixar penetrar, há apenas que se deixar transformar, há apenas que aceitar, há apenas que se tornar o que vocês sempre foram.

Esse despertar, porque é um, acompanha-se de uma grande Alegria, a partir do instante em que vocês aceitam deixar esse despertar se fazer sem lutar, sem se opor, sem procurar compreender, simplesmente aceitando viver o que é para viver, como um processo qualquer que há de mais natural, porque é o que é.

E é assim que, em pouco tempo, vocês o perceberão, a partir do instante em que tiverem aceitado vivê-lo, inteiramente.

Assim, mais nenhum medo poderá interferir com esse desvendamento de quem vocês são.
Mais nenhuma Sombra poderá impor qualquer ponto de vista.
Só a Luz ditará e regulará o que vocês são, pela qualidade do Amor e da Vibração.

Vocês se estabelecerão em sua nova Dimensão de vida, sem qualquer dificuldade.
Para isso, convém também deixar morrer o que deve morrer: as ilusões de suas vidas passadas, as ilusões do instante de antes, as ilusões do que permitiu construí-los, até o presente, nesse mundo, como personalidade.
Isso também deve ser transcendido e irradiado pelo Amor e pela Verdade da Luz.
Cabe apenas a vocês realizarem este estado de Realização, de revelação, com facilidade.

Esta facilidade será procedente da simplicidade, da humildade também que vocês serão capazes de acolher e manifestar, em vocês como no exterior de vocês, a cada sopro, a cada reencontro e a cada dia que vivem sobre esse mundo.

Uma etapa suplementar (se é que eu posso chamar assim) será realizada a partir do fim desse mês.
Ela lhes permitirá entrar diretamente num mês rico: rico de revelações, rico de Luz, rico de transformações e rico, se vocês o desejam, de Realização, porque quase mais nada se opõe ao estabelecimento da Luz.
Somente algumas Sombras residuais, ligadas a egrégoras (ditas coletivas ou crenças coletivas) são ainda ativas nesse mundo.

A tela da Ilusão se mantém por apenas mais alguns fios.
Esses fios, cabe-lhes deixá-los se consumir por si, estabelecendo-se cada vez mais em sua própria Verdade, em sua Realização e em sua revelação.
É para isso que o conjunto do Conclave Arcangélico e eu mesmo os convidamos.
Nós os convidamos a serem realmente o que vocês são.
Nós os convidamos a deixarem se instalar o novo, que não é outro além do retorno do que vocês sempre foram e que vocês, ainda para alguns de vocês, esqueceram.

É claro, o mental crerá que não é verdade.
É claro, os restos de apego crerão que vocês não podem viver sem esses apegos.
Mas isso não é verdade.

A Luz é efetivamente mais forte que todos os apegos que podem existir nesse mundo falsificado como no que vocês criaram.

Nada pode se opor à Verdade da beleza, à beleza da Verdade.
É para isso que vocês são prometidos, é para isso que vocês são chamados e é para isso que vocês responderão, nós estamos seguros disso, porque conhecemos a beleza do que vem, porque conhecemos a beleza do que é estabelecido, já, nos Planos os mais etéreos nos quais vocês não estão ainda estabelecidos.

Resta, simplesmente, a concretizar, em sua Dimensão, a instalação da Luz já realizada nos mundos os mais etéreos, nos mundos já Unificados.

É mais apenas uma questão de tempo, uma questão de distância moderada entre a Vibração final e a Vibração que se realiza hoje.

Aí estão, Bem Amados Filhos da Luz e Sementes de Estrelas, os alguns propósitos concernentes ao que vocês vivem atualmente.

Se existe em vocês questionamentos com relação a isso, vamos então, juntos, tentar avançar sobre esta Realização de Luz.


Questão: poderia desenvolver sobre o termo de pró-ação ativa?

A pró-ação é uma ação que não decorre de qualquer reação que os faça sair da dualidade.

A pró-ação é, de algum modo, algo que vai preceder a Luz, por sua própria criação de Luz.

Não há, portanto, propriamente falando, reação, mas, bem mais, uma ação concomitante ou precedente à ação da Luz.

Ela consiste, não em projetar seus desejos, mas em estabelecê-los, cada vez mais, em sua própria Luz, a fim de criarem, vocês mesmos, sua própria realidade de Luz, não em reação a algo que se apaga, não em reação às Sombras iluminadas, mas, bem mais, manifestando, com isso, sua própria Unidade que eu chamo pró-ação ativa.

Ela não é, portanto, condicionada por qualquer reação.
Não é condicionada pela dualidade, não é condicionada pela Sombra, mas unicamente uma ação liberada e Livre, da Luz, concorrendo para sua própria Realização.

Questão: como a nossa parte de Sombra vai se revelar a fim de ser transcendida pela Luz?

Bem Amado, as partes de Sombra são o que pode surgir de vocês.
É o que vocês veem com um olhar novo, que não deixa de ser separado da Fonte.
São suas próprias atuações, seus próprios comportamentos, aparecendo-lhes de repente, como dissonantes e não claros.
É, portanto, uma colocação na Luz.
É também uma aceitação de suas próprias Sombras, não para deixá-las viver, mas para deixá-las transcender pela própria Luz.

É, por vezes, uma atuação, que era, no entanto para vocês coisa corrente que, de um dia para o outro, aparece-lhes como ineficaz, inadequada.
É a colocação na Luz desses comportamentos, dessas ações que não estavam, justamente, sob a influência da Luz, mas sob a influência de suas próprias Sombras, permitindo assim colocar na Luz o que tem necessidade de sê-lo.

Assim, alguns comportamentos, alguns mecanismos de defesa presentes na personalidade, aparecerão a vocês de repente como caducos ou como não tendo mais que prosseguir.
Isso lhes tirará um grande peso e concorrerá para sua Realização.

Não há a procurar essas Sombras, não há a trabalhar, no sentido em que vocês o entendem, sobre suas Sombras, porque estas voltam a subir à superfície, sozinhas.
Há apenas que acolhê-las, da mesma maneira que a Luz.
Considerem isso como uma evacuação, porque é o que é.

Não há a procurá-las.
Elas voltam a subir sozinhas, agindo como por um processo de decantação que faz com que o leve suba e o pesado evacue-se.

Questão: estar lúcido na Luz, depois perder esta lucidez, faz parte desse processo?

Isso pode fazer parte, bem Amada.
Mas é outro processo que está em obra: não se esqueçam de que sua consciência fragmentada se apaga e que a Consciência da Unidade se estabelece.

Isso passa também por momentos em que vocês podem se sentir como desconectados de sua realidade comum habitual.

Há momentos em que vocês estão plenamente lúcidos desta desconexão e momentos em que estão, literalmente, entre dois mundos.

Isso faz parte do processo de estabelecimento da Luz nesse mundo.

Então, sim, há, por esse processo e através dele, por vezes, subidas eliminações de Sombras, mas, também, passagem de um estado de consciência a outro.

Questão: o abandono de nossas Sombras provoca o abandono de nossa personalidade?

Bem Amado, o próprio princípio da individualidade ou da personalidade é uma condição sine qua non de sua presença nesse mundo falsificado.

O que desaparece são, antes de tudo, mecanismos de funcionamento.
O que desaparece são, antes de tudo, mecanismos mentais de controle que não têm mais lugar na Unificação em curso de estabelecimento.

A personalidade transmuta-se.
Não se pode dizer que ela desaparece totalmente até ao momento em que vocês não tiverem completamente consciência desta personalidade, de sua vida encarnada, mas, naquele momento, vocês estarão num estado de Consciência profundamente diferente e, de algum modo, terão passado inteiramente na sua nova Consciência.

Mas, entretanto, esses processos intermitentes que vocês vivem, correspondem ao estabelecimento real desse processo.

Enquanto vocês tiverem um pé sobre este mundo, a personalidade está presente, mesmo transformada.
O que é diferente são os mecanismos de funcionamento desta personalidade onde, mesmo ao seu nível, a Sombra não pode mais se manifestar tranquilamente devido mesmo à presença da Luz.

Questão: é útil amar essas partes de Sombra para que elas desapareçam?

Bem Amada, não há qualquer diferença entre amar suas Sombras e deixar a Luz agir sobre suas Sombras, porque se trata do mesmo processo.

O Amor é Luz.
A palavra perdão é impregnada da noção de dualidade, da ação/reação.

Nós estamos, aqui, para além da noção de perdão, porque tocamos o que é chamado a Graça, em sua linguagem o Amor, na minha, a Luz, porque se trata exatamente do mesmo processo e dos mesmos mecanismos: Luz, Amor e Graça.

Questão: sentir-se percorrido de arrepios gelados, é ligado a uma presença ou à Luz?

Bem Amada, as proposições que você apresentou podem todas ser possíveis.
Pode haver presença, pode haver interação entre o corpo de Existência e o corpo de personalidade manifestando-se, para você, por esse arrepio.

O arrepio nem sempre é uma presença.
Ele corresponde a um mecanismo de reação energética, chamado emocional, antes de tudo, a tradução deste emocional, podendo ser tanto a passagem da personalidade à Existência, ou ainda a manifestação de uma presença.

O arrepio, em si mesmo, corresponde a um processo ativo de escuta Vibratória.
Esse processo de escuta Vibratória pode ser a tradução de um número importante de coisas.

No que concerne a você, esse processo de arrepio corresponde à mudança de estado de consciência e ele lhe é próprio.

Há algum tempo, Sri Aurobindo falou do fenômeno e do mecanismo de switch da Consciência.
Esse mecanismo de switch da Consciência pode se manifestar, e é o caso para você, desta maneira.
Mas isso não é uma regra.

Questão: nossas emoções inconscientes fazem parte de nossa parte Sombra?

Bem Amado, a maior parte das emoções são conscientes, porque elas são uma reação a algo.
Mas existem, assim como você assinala, emoções memoriais ligadas a vivências passadas.
Algumas delas, como fenômenos de aversão ou de medo, não encontram uma explicação satisfatória na consciência da pessoa.
Neste caso, a ação da Luz será, também, de fazer desaparecer o que pode ser chamado, como qualquer outra emoção, as partes de Sombra.

Questão: sentir, ao acordar, emoções muito fortes, dores no coração, emoções ligadas a vivências passadas ou a um sentimento de abandono, faz parte dos mesmos processos?

Sim.
Trata-se, aí também, de subidas qualificadas de emocionais memoriais.
Obviamente, a ação da Luz será tanto mais rápida que não há luta consciente contra esse processo de manifestação.

Aí está toda a nuance a apreender, vocês que estão no caminho de Luz, é que, no modo de funcionamento da personalidade, quando uma emoção desse tipo se manifesta, a personalidade vai procurar, literalmente, desembaraçar-se disso, por técnicas de acompanhamento, quaisquer que sejam, e, portanto, lutar contra.

O processo que eu evoco é profundamente diferente, porque se trata de uma iluminação das zonas de Sombra e esta iluminação, em si mesma, pela ação da Luz, basta para fazer desaparecer essas partes de Sombra.

Esta ação da Luz nada tem a ver com a ação da própria personalidade.
Num caso há vontade, no outro caso há Abandono.

A dificuldade, eu diria, hoje, através do que eu digo, é que o ser humano, na sua personalidade, tem tendência a reagir a um sofrimento, a uma emoção, a um problema, pelo mental, pela razão, pela lógica.
É, portanto, uma ação pessoal da própria personalidade em seu âmbito de referência habitual e comum.

O que propõem, hoje, a Luz e a revelação da Luz é totalmente diferente, porque esse processo de Realização da Luz sugere e impõe, finalmente, que não há mais necessidade de reagir a uma Sombra, qualquer que seja, mas, bem mais, deixar a Luz agir para dissolvê-la totalmente.
O princípio de ação estritamente nada tem a ver com a ação da própria personalidade em seu âmbito de referência habitual.

Questão: a necessidade de verbalizar as manifestações dessas zonas de Sombra é correta?

Bem Amada, para alguns, sim, para outros, não.
A verbalização não é a Luz, mas, entretanto, pode ser qualificada de Luz, em alguns casos.

Eu repito, qualquer que seja o mecanismo que vocês utilizem, o mais importante é aquele que deixa agir a Luz em vocês, mesmo se há necessidade, para vocês, de visualizar, falar, verbalizar ou exprimir a referida emoção.

Questão: que você preconiza quando se sente num sofrimento intenso e que se tem a impressão de ter necessidade de uma muleta?

Há então, para os seres cujas Lareiras de Luz estão abertas (uma, pelo menos, dessas Lareiras), a capacidade e, desta vez, pela vontade consciente, de dirigir a Luz sobre esta zona de sofrimento.

Este ato de vontade pessoal não é oposto à Luz, neste caso preciso, mas compreende também a ação da própria Inteligência da Luz que será, de qualquer modo, sempre mais potente, se é que se possa falar em termos de potência, como sua própria vontade pessoal.

Mas nós concebemos perfeitamente que alguns humanos, em alguns momentos, mesmo no seu caminho de Luz, tenham necessidade de agir, pela vontade de Luz, sobre as zonas de Sombra.

Questão: qual é o equilíbrio entre o Abandono, o soltar e o fato de manter o sentido das responsabilidades?

Bem Amada, o Abandono à Luz não será jamais um abandono de suas responsabilidades, mas, bem mais, uma transcendência de suas responsabilidades.

A partir do instante em que há Abandono, real e total, à Luz, a Luz se encarrega, inteiramente, de sua vida.
O que não quer dizer que vocês nada têm a fazer, mas que suas próprias ações serão transcendidas pela ação da Luz.

Vocês irão para as linhas de menor resistência e para as soluções as mais eficazes.
Existe, contudo certo número de situações onde o Abandono à Luz vai criar impulsos da alma e do Espírito para modificar algumas coisas.
Nesse caso, caberá a vocês então decidir o que fazer.

De maneira geral, e na conduta de uma vida que não necessite reajuste importante ou essencial, o fato de estar abandonado à Luz criará, em sua vida, as circunstâncias as mais fáceis, as mais fluidas que vocês possam imaginar.

Obviamente, o mais frequentemente possível, se vocês são capazes de abandonar-se à Luz, esta agirá e ela agirá sempre no sentido de uma melhoria, qualquer que seja o primeiro julgamento que vocês poderiam ter sobre uma circunstância de sua vida, seja uma separação, seja uma partida ou uma mudança, qualquer que seja.
Ainda que, nos primeiros tempos vocês não percebam a utilidade ou a finalidade, saibam que, quanto mais estão abandonados à Luz, mais há, para vocês, uma facilitação, bem para além da aparência e do que poderia lhes aparecer como contrário à Luz.
Mas isso, vocês podem se aperceber apenas após certo lapso de tempo.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

_____________________

Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário