Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

19 de fev de 2011

O.M. AÏVANHOV – 19 de fevereiro de 2011

Mensagem publicada em 21 de fevereiro, pelo site AUTRES DIMENSIONS.

E bem, caros amigos, dá-me uma grande Alegria reencontrar-me entre vocês, como de hábito.

Apresento-lhes, em primeiro lugar, todas as minhas bênçãos e eu os agradeço por estarem aqui, em comunhão, todos juntos e é para mim (como sabem, para os que conheceram-me, ou que conhecem-me hoje), sempre, é uma muito grande Alegria mergulhar-me nas atmosferas desta humanidade.

Então, se vocês têm perguntas, dar-me-á um prazer responder, porque, como sabem, é a minha maneira, hoje, de tentar ajudá-los, na medida de meus modestos meios, para irem para mais Luz e autenticidade.

Então, todas as minhas bênçãos os acompanhem, agora e já, e eu lhes dou a palavra.

Questão: os períodos de Sombra e de Luz são ligados exclusivamente ao Eu?
 
Então, caro amigo, houve, como sabem, uma muito grande passagem que se efetuou durante o fim do ano.
A Passagem do chacra da garganta corresponde à última Reversão às premissas, em certa medida, de sua Ascensão.

O Arcanjo Uriel, e outras pessoas, falaram da abertura da Boca.
As Partículas Adamantinas (a Luz, a verdadeira Luz), hoje, chegam em quantidade cada vez mais importante sobre a Terra e, portanto, sobre vocês.

O que acontece com esta Luz?
Ela vai iluminar o que tem necessidade de ser iluminado em vocês, o que vocês chamam, eu creio, o jogo da Sombra e da Luz.

É, de algum modo, uma iluminação potente que permite ao ego desembaraçar-se, pela ação da Luz, concorrendo, portanto, de algum modo, ao Abandono à Luz, a fazê-los elevar seu nível Vibratório.

Então, obviamente, desde a Passagem da boca, desde esse período do mês de fevereiro, agora, e as modificações que ocorrem na atmosfera geral da Terra, muitas coisas que tinham passado despercebidas, em vocês, são às vezes iluminadas, de maneira mais intensa e de maneira mais violenta, de algum modo, reorientando o caminho que lhes resta sobre esta Terra para mais Luz, mais autenticidade, mais Verdade.
 
Então, sim, para alguns, isso pode ser extremamente
«desestabilizador», quer dizer que são iluminações, em certa medida, novas.

É necessário simplesmente deixar agir a Luz e compreender que o Jogo entre a Sombra e a Luz é uma maneira, para a Luz, de desalojar, em vocês como também para a sociedade, onde inúmeras Consciências sobre este planeta, mesmo sem terem imaginado o que acontece ou compreender o que acontece, vivem episódios de colocação na luz das zonas de Sombra.

Esse mecanismo exterior, que vocês observam fisicamente, produz-se, obviamente, também, no interior de vocês, em sua estrutura física, mas também, de maneira mais geral, nesse jogo entre a Sombra e a Luz.
É um período de iluminação intensa.
É um período de purificação intensa que, como sempre com a Luz verídica, Adamantina, obriga-os, de algum modo (mas na condição que vocês se abandonem a esta obrigação), a irem para mais autenticidade, mais transparência e mais honestidade, já com relação a você mesmo, Interiormente, mas também ao conjunto de seu ambiente.

Então, de acordo com o caminho que realizaram, de acordo com a estrada que percorreram, para alguns de vocês, isso pode chamar retomadas em questão fundamentais e, para outros, isso acontece muito mais facilmente.

Recordem-se também que o Arcanjo Miguel lhes deu encontro para um salto quântico, extremamente importante, no fim de fevereiro (ndr: a partir de 28 de fevereiro às 17h – hora francesa), porque o mês de março é um mês essencial na revelação da Luz, como vocês o constatarão.

Portanto, não é questão de tomar partido entre isso ou aquilo mas, de algum modo, deixar a Luz agir em si, como no exterior de si.

Hoje, é-lhes pedido para deixarem agir a Luz em vocês, para irem para mais transparência, simplicidade, autenticidade, Ética, Integridade, se querem, porque isso é fundamental a fim de ajustar-se individualmente, como o faz a Terra, aos fluxos e às ondas de Luz que se derramam do cosmos, do Sol e da própria Terra.
Aí está o que vocês estão vivendo.

Então, é claro, isso será mais ou menos fácil, de acordo com as resistências, de acordo com o ego que resta a purificar, a pacificar, mas isso vai muito rapidamente, efetivamente.
Isso vocês todos o constataram.

Houve uma grande passagem que se fez.
Como eu denominei (no mês de outubro e novembro), o mês de dezembro seria o mês de delírio [yoyottage de tuffe] máximo.

Há os que cruzaram e outros que não cruzaram, mas, eu repito, vocês não têm que julgar nem o outro, nem você mesmo, vocês têm que deixar trabalhar a Luz em vocês.

Questão: como estar na Alegria sabendo que todos os reinos são conduzidos a desaparecer?

Caro amigo, o que você chama de desaparecimento?
Tal como você apresenta as coisas, é a lagarta quem fala, não é a borboleta.

Nada há que desaparece.
Há uma transmutação da Vida para outro nível Vibratório.

Apenas o medo do ego ou a visão da personalidade é que fala de tristeza, de desaparecimento.

A partir do momento em que você sobe o nível Vibratório em seu Coração, há lugar apenas para a Alegria, porque o que vem é o retorno da Luz e o verdadeiro Nascimento e não o nascimento e a morte e a reencarnação nesse mundo.

Portanto, é o mental quem diz como estar na Alegria, porque, se o mental não trabalha, se você deixa aparecer, nascer e desenvolver-se a Vibração do Coração, a Consciência torna-se Vibratória e a Consciência torna-se Alegria.

Não é algo que se vai impor do exterior.

A Alegria não é uma emoção, é um estado transcendente que se vive quando se aquiesce à Luz e quando se aceita deixar a Luz estabelecer-se em nós.

Portanto, não há que se colocar a questão de como estar na Alegria, porque, a partir do momento em que não há Alegria, isso quer dizer que o Coração não está ativado à sua nova Vibração.
Porque a Alegria estabelece-se por si, logo que a Vibração do Coração passa a uma oitava Vibratória que o liga, de algum modo, à Unidade.

A Unidade é Alegria.
A Dualidade é sofrimento e isso é inegável e inexorável.

Portanto, se há sofrimento, isso significa simplesmente que há resistência à Luz e Dualidade.
O sofrimento não existe na Unidade.
Nos mundos Unificados, não há qualquer lugar para o sofrimento.
O sofrimento faz parte integrante da falsificação desse mundo, nada mais, à qual, obviamente, nós todos aderimos quando éramos vivos.

Mas, hoje, é uma mudança de ponto de vista.
Não é uma mudança mental, é uma mudança Vibratória e a Alegria estabelece-se por si, logo que você penetrar o espaço sagrado de seu Coração.

No ano passado, eu muito longamente exprimi (aliás, o que exprimi também em minha vida) a diferença entre a lagarta e a borboleta, mas, hoje, não se pode colocar a questão da Alegria.

Há duas maneiras de ver a partida de um ser humano.
A maneira da lagarta é dizer: «ele desaparece e, portanto, estou triste».
A maneira da borboleta é dizer: «ele sobe na Luz e é liberado».
E é o mesmo mecanismo que se produz, no entanto.

Mas, num caso, é a Consciência Dualista que se exprime e, no outro caso, é a Consciência Unitária.
Toda a diferença, hoje, está aí.

Enquanto vocês permanecem na Dualidade, há sofrimento.
Enquanto vocês permanecem na Dualidade, há oposição.

Se vocês vão na Unidade, há Vibração, há Alegria.
Não é algo que se decide na cabeça, é uma decisão do Coração.
O problema de muitos seres humanos, hoje, é que eles pensam com o Coração na cabeça.

Então, eles falam de bonitos conceitos, vão empregar a palavra Amor, mas é o amor do mental, não é a mesma coisa que o verdadeiro Amor da Unidade, espiritual, que é uma Vibração e uma Consciência.
Isso nada tem a ver com regras morais, regras de condução ou de adesão a crenças, quaisquer sejam.

O acesso Vibratório à Unidade é uma Liberação.
É o acesso à Alegria Interior, mas a Alegria Interior não se decreta com a cabeça, decreta-se quando o caminho Interior faz cessar todas as resistências e toda atividade mental.

Enquanto resta a atividade mental, enquanto a bicicleta continua a girar, vocês não podem estabelecer-se na Unidade, é matemático.
Não é uma visão do espírito, é um mecanismo Vibratório e um mecanismo de Consciência.
Vocês não podem escapar a isso, a única porta de saída é o Coração.

Noutro lugar, não há porta de saída, quaisquer que sejam os conhecimentos esotéricos, quaisquer que sejam os conhecimentos espirituais, quaisquer que sejam os conhecimentos científicos.
Os conhecimentos para nada servem, para penetrar no Coração.

Questão: pensava que era a luz falsificada que irradiava de si. O que é?

Mas mais agora.
Desde os Casamentos Celestes, as Partículas Adamantinas são onipresentes.
Há agregação, ao nível das estruturas, das Partículas Adamantinas.

Assim que o ego se apaga, naquele momento, há realmente uma transmutação que se efetua pelas Partículas Adamantinas, pela verdadeira Luz.

Portanto, não se irradia a luz falsificada, a partir do momento em que se está abandonado à Luz.
Não é mais de modo algum o mesmo referencial.

A luz falsificada vai utilizar o mental, vai utilizar as emoções, vai utilizar o próprio princípio da Dualidade que é o princípio de atração e repulsão, o carma (se preferem: ação/reação).

A Luz Unitária é a Luz da Graça.
Ela é Plenitude e é Alegria.

Portanto, é muito fácil fazer a diferença entre uma irradiação de luz falsificada e a irradiação da Unidade.
Num caso, há Alegria.
No outro caso, não há Alegria.

E a alegria não é uma criação do mental, é um estado Vibratório.

Mas está muito bem, não há a culpar, quer dizer que através do que você exprime, você vê claramente onde se situa a nuance e não é uma nuance, é uma diferença, eu diria, essencial, entre estar na Verdade e estar na Crença.

A Verdade é a Luz Unitária, não são as Crenças, quaisquer que sejam.

Viver um estado Interior Vibratório do Coração, através do Fogo do Coração, através da Vibração das três Lareiras, através da Cruz da Redenção da cabeça, é uma Verdade ligada à ação da Luz Vibral.
É totalmente diferente, mesmo, da percepção, eu diria, da Energia Etérea nos meridianos.
É totalmente independente de qualquer emoção ou qualquer energia emocional.
É para isso (e creio que alguns falaram, como Um Amigo e outros, dessa palavra, Vibração, que é capital): há Vibração ou não há Vibração.
E a Vibração é a Alegria.
Se a Vibração nasce, então a Alegria nasce.

Questão: a que correspondem 3 luzes que eu vejo perto de um carvalho onde eu medito?
 
Então aí, cara amiga, primeiramente, não sou arboricultor, não é?
Em segundo lugar, não estou sob sua árvore, mas o que eu posso dizer é que, a partir do momento em que você entra num estado, como você disse, de meditação (de alinhamento, de oração, de coerência Interior, ponham as palavras que quiserem, isso não tem qualquer espécie de importância), mas quando você conecta a Vibração, que sente o que se alinha em você e o que se desperta nesse processo de alinhamento, você se torna muito mais sensível às coisas invisíveis e, em particular, à Luz.

Foi dito que há uma diferença essencial entre a luz astral (para voltar à pergunta anterior), que é a luz falsificada (onde a luz está no exterior) e a Luz Unitária (onde a Luz não está no exterior): é objeto que é luminoso, em si mesmo, no Interior.

Houve ensinamentos importantes, não há muito tempo, eu creio, de No Eyes, uma das Estrelas, que lhes falou da Visão do Coração.

A visão do ego é uma visão fragmentária, quer dizer que ela os faz encarar uma diferença fundamental entre vocês, sujeito, e o objeto.

Quando vocês entram na Consciência Unitária, no alinhamento, na Vibração do Fogo do Coração, na Vibração do sacrum, da cabeça, da Cruz da Redenção, em resumo, quando vocês se alinham, o que acontece?

Vocês penetram espaços de percepção inteiramente novos, onde a distância entre o sujeito e o objeto, na ocorrência você e a árvore, tende a desaparecer e, naquele momento, neste estado que se aproxima da Consciência dita Unitária, na Graça, vocês começam a perceber, de maneira completamente real, as Partículas Adamantinas e as outras Dimensões.

Muito, entre vocês, começam a perceber os contatos Vibratórios com outras realidades, com Anjos Guardiões.

Muitos de vocês, sobre a Terra, foram operados pelo Vegalianos que intervieram, de maneira «telepática», mas por seu funcionamento Unificado.

Portanto, vocês descobrem os funcionamentos da Unificação, que nada têm nada a ver, obviamente, com processos exteriorizados.
É por sua Consciência Interior que vocês têm acesso à interioridade, sua Interioridade, como a nova Interioridade da Terra que se manifesta, efetivamente, por Luzes.

Então, há quem verá Luzes ao redor de árvores, outros que verão Presenças diversas e variadas.

Lembrem-se de que as presenças astrais provocam emoções, arrepios, mas que a Luz Vibral os faz ver coisas que não podiam ver antes, onde a Luz vem do Interior.
Isso é capital e essencial.
A diferença é essencial.

Questão: é melhor prosseguir nossos projetos? Que fazer?

Então, caros amigos, o caminho de cada um é diferente.

Há quem hoje tem necessidade, porque sentem o impulso de estar no ser e outros que sentem ainda o impulso de fazer.

Não há seres que estão melhor colocados que outros.
Algumas Consciências têm necessidade, hoje, de estar no ser e se retiram do fazer.
Outros têm necessidade de prosseguir no fazer.

A finalidade é a mesma, o importante é seguir o impulso da alma quando ele chega.

E recordem de uma coisa: se vocês estão, sem o saber, numa forma de Dualidade, tudo será difícil, as coisas não se farão, as coisas que manifestam a ação/reação, atração/repulsão, a dificuldade e, como vocês dizem, vocês remam ou pedalam na bicicleta, ou seja, o mental se ativa.

Enquanto que, quando vocês estão no caminho exato, as coisas se tornam fáceis e extremamente fáceis.

A Unidade provoca e implica na facilidade.

Muitos de vocês, sobre a Terra, têm impulsos novos, tinham-se lançado, há algum tempo, num projeto e, depois, de um só golpe, este projeto não é mais, porque a Inteligência da Luz fez tomar Consciência que este projeto, que havia sido talvez determinado a um dado momento, não tem mais lugar de ser.
Ele permitiu compreender algo.

Portanto, é a vocês que cabe colocar-se esta questão.

As coisas que são ligadas à Unidade, seja no ser ou no fazer, fazem-se extremamente facilmente, sem resistência, sem dificuldade e na Alegria.

Se, hoje, pela ação da Luz, das Partículas Adamantinas, as coisas se tornam difíceis, pesadas, penosas, se a Alegria se afasta, se o questionamento está muito presente, então, ele é necessário seguir o impulso da alma.

Então, eu sei que, para alguns, não é fácil, porque há, como dizer..., compromissos (morais, afetivos, financeiros), mas vou lhes dizer algo: a Luz não se importa com isso, ela os quer inteiros.

Vocês estão em tempos ultra-reduzidos.
Então, vocês, seres humanos, quando há uma mudança de programa, olhem: a mudança de programa é fácil ou difícil?

Não tenham em conta as contingências ou as obrigações morais, sociais, afetivas, financeiras.
Tenham em conta unicamente a Vibração de seu Coração, porque vocês são obrigados a se ajustarem e a se adaptarem ao que se produz, de maneira extremamente intensa agora, desde vários meses, que é a chegada da Luz.

E esta chegada é maciça e é exponencial e vai levá-los, cada vez mais, em modos de percepção, em modos de vida que nada mais têm a ver com que vocês haviam ainda projetado há um ano ou há dois anos.

Portanto, sigam o caminho da simplicidade e da facilidade.

A Luz é facilitadora.
Se ela se manifesta em vocês resistências e oposições, é para que vocês as vejam e para que vocês se adaptem, o mais exatamente possível, seu alinhamento de Luz, a aglomeração das Partículas Adamantinas ao que está acontecendo sobre a Terra.

Então, obviamente, os que permanecem nos esquemas antigos, o que eles vão fazer?
Eles vão pisar.
Vão dizer-lhes: «Você é um canalha, você abandona» tal pessoa ou tal outra pessoa, mas nós já tínhamos falado disso, há muito tempo.

Eram as duas humanidades.

O que vocês podem ali fazer se alguém ao redor de vocês recusa a Unidade ou recusa a Luz?
Vocês não podem dirigir o destino de ninguém, pode apenas estar em sua irradiação.
E se sua irradiação de Luz autêntica não for aceita ou reconhecida, o que vocês vão fazer?

Vocês estão, todos, frente a essas escolhas, atualmente, de uma maneira ou de outra, e vocês ali estão cada vez mais frequentemente.

E não é um jogo da Sombra e da Luz, é o estabelecimento da Luz que mostra as Sombras.

O objetivo de há dois anos não é o objetivo de hoje.

O fazer que foi posto em balanço há dois anos permitiu aproximar-se deste instante presente.
Não há erro de percurso, não há falsa orientação.
Há simplesmente experiências que foram efetuadas para chegar a esse momento preciso que é o momento da escolha.
E vocês vivem tudo isso, em diferentes etapas.
Seja para as relações que vocês criaram, seja para livrá-los, liberá-los de uma situação, de um ser, etc.etc.

Vocês não podem reivindicar a Luz e forçar a Luz, não é possível.

Então sim, às vezes, é doloroso, mas o que é que se libera após?

Recordem-se que a Luz não duvida.
Quando a dúvida se exprime, é o mental e unicamente o mental, porque as pequenas bicicletas têm tendência a querer surgir, nesses períodos em que a Luz é muito forte.

Então, o que faz a pequena bicicleta?
Ela vai fazê-los duvidar, duvidar de vocês, duvidar de suas decisões e mesmo duvidar de sua própria Luz.

Mas se vocês deixam desabrochar, como é o caso para muitos também, cada vez mais a Luz, seu caminho será um caminho de Verdade, de simplicidade e de Alegria total.
Não pode ser de outro modo.

Questão: quando se medita sobre o Coração, a que corresponde o fato de ter a cabeça que parte adiante e de perder consciência?

Isso corresponde a modificações, efetivamente, do estado de Consciência.
A Vibração da Existência, como hoje vocês sabem, vem a vocês.

Vocês são bolsas de Partículas Adamantinas, cada vez mais gordas, cada vez mais luminosas e, por vezes, a Consciência fragmentária do ego, a Consciência do Eu, é obrigada a ser obliterada, a desmaiar diante da potência da Luz.

É exatamente o que acontece, quer dizer que a Luz tem necessidade, para ainda mais desenhar, materializar, de algum modo, o Corpo de Existência, que a Consciência do ego desapareça, de maneira temporária.

Portanto, não tenham escrúpulo ou sentimento de culpa se vocês desmaiam, literalmente, durante o trabalho de alinhamento sobre o Coração ou sobre a Cruz da Redenção.
Para alguns de vocês, é estritamente normal, o trabalho se faz, de qualquer modo, e faz-se mais facilmente sem vocês.

Questão: é importante conhecer o nome espiritual e seu significado?

Para além do significado, ele tem Vibração.
Portanto, o mais importante é a Vibração, não é o significado.

É o mental que quer um significado, sempre, mas a Vibração é portadora, em si mesma, de um sentido.
Este sentido está para além do significado, porque é um sentido Vibratório.

Então, obviamente, vocês têm nomes.
Se eu tomo, por exemplo, alguém que se chama Velgan, nesse nome, obviamente, reencontra-se Vega da Lira.

Agora, há nomes, outros nomes, que são seus nomes, espirituais, Vibratórios, de sua origem estelar ou de sua Essência estelar.

Em alguns casos, pode-se reencontrar a Vibração comum a tal ou tal sistema solar e às vezes não.
Portanto, não há que procurar mentalmente, há, sobretudo a impregnar-se Vibratoriamente.

As palavras são sempre portadoras de males e de doenças, nesta humanidade, porque, para além da 3ª Dimensão, não há palavras, há Vibrações diretas emitidas pelo Coração ou pelo cérebro, para os que estão na 3ª Dimensão Unificada.

E o sentido não é o significado, porque o significado está sempre sujeito à interpretação e quem é que interpreta?
É a cabeça e o mental, jamais o Coração.
O Coração se nutre da Vibração e o Coração é Conhecimento direto, ele não tem necessidade de interpretação, ele não tem necessidade de símbolo, ele não tem necessidade de construção.

Portanto, através de um nome que lhe é dado por um mensageiro, ele deve Vibrar no Interior de você e é seu nome, antes de ser um significado.
É o sentido de sua Presença e do que você é.

Questão: há uma graduação na abertura do Coração?

Completamente, cara amiga.
Em qualquer processo, há uma gradação.

Isso foi descrito nos escritos Védicos antigos.
Vocês não passam da tristeza da Dualidade ao Maha Samadhi, de um golpe.

Há etapas Vibratórias de integração da Luz e de integração da Consciência.

Então, obviamente, há uma diferença fundamental entre sentir o chacra do Coração, sentir a Coroa Radiante do Coração ou sentir o Triângulo do Coração.

Da mesma maneira, ao nível da Consciência ou mesmo dos sons que vocês percebem nos ouvidos, há sete patamares Vibratórios.

Alguns seres vão, imediatamente, do primeiro ao sétimo, mas, o mais frequentemente, vocês vão de nível em nível.

Vocês voltam a descer também de nível, o tempo de integrar e voltar a subir para outro nível.

É a mesma coisa para a Alegria Interior, não há uma Alegria Interior.
De acordo com a qualidade da Vibração do Coração, vocês vão passar de um estado de satisfação, digamos, até estados de Alegria intensa, até ao Maha Samadhi, ou seja, a capacidade para fundir na ausência total de diferença entre vocês e o resto do Universo.

É que eu fazia todas as manhãs, em minha vida, quando ia meditar ao Sol.

Hoje, vocês podem fazê-lo não importa quando, mas não é dito que vocês iriam chegar, de um instante para o outro, de sua Consciência egóica a esse Maha Samadhi, porque tudo isso se instaura no ritmo que lhes é próprio.

Portanto, alguns seres, sim, vão sentir, por momentos, a Coroa Radiante do Coração, mas eles não vivem necessariamente o Fogo do Coração e não vivem necessariamente a Alegria Interior a mais pura, porque tudo isso se instala, justamente, em função da capacidade das zonas de Sombra do ego deixarem-se irradiar pela Luz Vibral.

Por conseguinte, cada um vai ao seu ritmo, mas, quando vocês estão realmente no Fogo do Coração, no Triângulo da Reunificação das três Lareiras, vocês chegarão a experimentar, cada vez mais facilmente, os estados Interiores de Alegria.

Mas, aí também, é necessário diferenciar entre o ser e o fazer, porque assim que vocês entram no fazer, vocês perdem, obviamente, a intensidade da Unidade e da Alegria Interior.

A Alegria Interior, alguns místicos tentaram conservá-la toda a vida, como, por exemplo, Um Amigo.
Há outros, como eu, que eram obrigados, todas as manhãs, a reviver este estado, para poder dele se beneficiar e fazer dele se beneficiarem, ao máximo, os seres que eu frequentava e quem me frequentava.

Portanto, aí também, vocês não podem manter o Maha Samadhi e continuar a conduzir um automóvel, isso seria extremamente perigoso.
É necessário escolher.

Alguns seres têm capacidades maiores para voltarem a mergulhar na Vibração da Unidade e para irem cada vez mais profundamente.
E depois há seres que não têm ainda a autorização para aceder a esse Maha Samadhi nem para ir viajar nas estrelas, sem isso, não os recuperaríamos sobre Terra, não é?
E o momento não chegou completamente de partir, isso vocês sabem, porque vocês estão aí para irradiar a Luz e as Partículas Adamantinas que estão com vocês, agora.

Questão: a Fonte havia previsto a falsificação pelos Arcontes?

Na medida em que o tempo não existe, nos mundos Unificados, a falsificação era, na partida, uma experiência de Criação sobre uma Criação preexistente.

Mas, muito rapidamente, apareceu (quando digo muito rapidamente, é uma noção Vibratória e não temporal) que esta noção de falsificação privava as Consciências da sua liberdade multidimensional e que, pouco a pouco, aparecia um processo que foi descrito perfeitamente e que vocês vivem, hoje, sobre de Terra, para a grande maioria do humanos, que é o próprio esquecimento da dimensão do Espírito do homem e da dimensão espiritual do Ser e da Vida.

Aí está porque a falsificação foi chamada assim, em seguida.

O princípio de ruptura da Fonte era uma experiência, no início, certamente um pouco forçada, mas que necessitou, como toda Criação, deixar uma evolução se fazer.

Ora, não houve evolução, houve confinamento, houve privação, houve sofrimento.

Não se esqueçam de que todas as leis físicas que existem sobre esse mundo e todos os mundos falsificados não existem absolutamente nos mundos Unificados.
O sofrimento não existe.
No Corpo de Existência não há nem início nem fim, nem nascimento nem morte.

Há apenas acesso ao conjunto da Criação e ao conjunto das possibilidades criadoras de uma Consciência Livre, o que não é o caso quando vocês estão fechados nesse mundo.

Os ensinamentos sagrados da Índia falaram de Maya, da ilusão.
É a estrita Verdade.
Mas a ilusão tornou-se palpável e tangível porque o acesso ao que está para além da ilusão lhes foi fechado.
Ele se reabriu desde 1984, reforçou-se ao nível da abertura, desde os Casamentos Celestes.

Questão: pontos sentidos à frente e na parte traseira do Coração são resistências à Luz ou podem ser o reflexo da aproximação de um outro ser?

Caro amigo, tudo o que se manifesta, ao nível físico, não é uma cristalização, hoje.

Os pontos de Vibração nas costas e na frente correspondem à ativação dos seis pontos que deu o Mestre Ram, há algum tempo, que é a ativação da Coroa Radiante do Coração a um nível que jamais foi vivido.

Sem fazer jogo de palavras, pode-se dizer que as asas crescem também nas costas, portanto, não são resistências.

As resistências, e nós já o dissemos em dezembro e já no início deste ano, exprimem-se ao nível psicológico.

Uma dor no corpo, ao nível do Coração ou da cabeça não é uma resistência, é uma abertura, é uma colocação na Luz.

As resistências, para os seres despertos, manifestam-se, sobretudo ao nível psicológico.
A dificuldade para deixar um modo de funcionamento antigo, a dificuldade para mudar de capacidade, isso, são resistências à Luz.

Mas o que o corpo manifesta, hoje, geralmente, ou seja, quase todo o tempo, é ligado justamente a essas ativações da Consciência nova.
Vocês são um pouco apertados, digamos, mas não são resistências, bem ao contrário.

Questão: a que corresponde a sensação de levar uma coroa sobre a cabeça?

É a Coroação.
É a ativação do 7º chacra, é a ativação dos quatro Cavaleiros da Cruz da Redenção com o ponto ER central.

Haverá muitos chamados, dizia São João.
Os eleitos são os que foram capazes, e que serão capazes, cada vez mais, de alquimizar a Vibração da Coroa da cabeça com a Vibração da Coroa do Coração.
É o que está se produzindo.

E já desde as primeiras irradiações de Sírius, ou seja, de descida do Espírito-Santo, desde agosto de 1984, seres viveram a Coroação da cabeça, mas não ao nível no qual vocês a vivem hoje, porque os diferentes pontos desdobraram-se.

A falsificação do 3º olho terminou, o confinamento ao nível do 3º olho terminou, é por isso que vocês sentem uma Coroa e os pontos de Vibração que são ligados ao que foi chamado as Estrelas de Maria, que são, de fato, as doze virtudes do DNA espiritual.

Questão: a que correspondem sensações de vertigens quando se muda de posição?

Mas muito simplesmente porque a Terra oscila.
A Terra se move cada vez mais, ela vacila sobre seu eixo.
Por conseguinte é normal que vocês também oscilem um pouco nas mudanças de posição e às vezes, de só um golpe, quando andam ou estão deitados, mesmo sem mudar de posição, há como algo que se move.
Mas isso se move realmente.

Questão: como ajudar aqueles que não chegam a viver as mudanças atuais?

Mas nem todos vivem as mudanças, cara amiga.
Há seres que são refratários às mudanças, porque há o medo, porque há a incompreensão e porque há também certa forma de peso da Consciência que não está ainda desperta.

Então, é necessário continuarem otimistas, porque «os primeiros serão os últimos», não é? e «os últimos serão os primeiros».

Agora, a título pessoal, eu sei que isso pode colocar problemas, por exemplo, nas famílias, num casal, onde há um que evolui e o outro que não se move.

O que vocês podem fazer?
Vocês podem apenas ser vocês mesmos na Vibração e propor a Vibração.

Vocês não podem estar de modo algum na vontade pessoal de mudar o que quer que seja porque, naquele momento, vocês voltam a descer, vocês mesmos, na Dualidade.

E com que direito vocês vão querer que alguém vá para onde ele não quer ir?

Há seres que recusam a Luz, ainda hoje, sobre a Terra.
É a experiência e é também a liberdade deles.
Vocês não podem forçar ninguém, podem apenas propor.

Então, há seres que vão dizer: «eu quero, eu quero, eu quero». Justamente, não é necessário querer.

São talvez seres que estão demasiado na vontade.

Não falo daqueles que recusam a Luz, mas dos que querem a Luz e que não vivem a Luz.
Onde está o problema?
Vem da Luz?
Não.

A Luz da Unidade não é uma vontade, é um Abandono.

Ora, enquanto se estiver na vontade, não se pode viver o Abandono à Luz, inteiramente.
É tão simples assim.

Portanto, há vários casos.
Há seres que recusam a Luz por medo, incompreensão, ou qualquer outra razão e que recusarão até no limite, porque preferem permanecer na ilusão.
E é a liberdade mais estrita deles.

Há seres que estão numa diligência dita espiritual, mas ligada a Crenças, ligada a esquemas de funcionamento que estão totalmente ao oposto do Abandono à Luz.
A estes tampouco, vocês nada podem fazer.
Vocês podem apenas estar vocês mesmos na Luz, no alinhamento, na sua Presença a si mesmos e talvez, por simpatia, por sintonia, eles vão se abrir.

Há seres que recusam a Luz, ainda hoje, que dizem e que podem dizer: «como é que conta tolices, esse velho», e que, de um dia para o outro, vão se abrir-se, porque a abertura não se decide mentalmente, ela se decide Vibratoriamente.
E, aí também, é necessário compreender que são gamas de Vibrações.

A Consciência fragmentária do ego é uma consciência pesada, extremamente limitada.
Basta que esta Consciência pesada, por vezes, se expanda um pouco, que a pessoa afrouxa-se, de modo que chegue a captar as Vibrações da Luz Unificada e, naquele momento, tudo vai se desencadear.

É necessário efetivamente compreender que os primeiros seres que foram abertos, nos anos 80, exatamente antes de minha partida, viveram transformações que duraram quase trinta anos.
E há hoje seres que desembarcam, se pode-se dizer, mas que são muito novos.

Eles não têm crenças, não têm preconceitos, não têm vontades.
Eles são, como vocês dizem e como eu poderia dizer, «open» [abertos] e quando vocês são «open», tudo pode se produzir, o que não é o caso quando são fechados.

E não é uma questão de vontade, é uma questão, realmente, Vibratória.

Portanto, vocês nada podem fazer por aquele que não está pronto, é impossível.
Senão, vocês recaem, vocês mesmos, na Dualidade e vão sofrer imensamente, o que é o caso de muitos seres, hoje, que viveram fases de abertura e que, no último momento, recusaram a Luz porque tinham medo, simplesmente.
Portanto, recaíram na personalidade e na Dualidade, temporária ou definitivamente.
Mas isso não lhes concerne.

A única maneira de servir, e eu já o disse, a única maneira de ajudar, é irradiar o que vocês são.
Qualquer outra vontade de ajuda que viria do ego não vai no sentido da Luz e isso é talvez difícil compreender através de certos tipos de ensinamentos que os levaram na vontade de Bem.

A vontade de Bem não é a Unidade, ela mantém a oposição Bem/Mal, permanentemente.

Questão: é por vezes difícil viver as mudanças.

Cara amiga, eu a recordarei das palavras de Cristo: «busquem o Reino dos Céus e o resto lhes será dado em acréscimo».
Segunda frase: «o pássaro se preocupa com o que vai comer amanhã? Tem medo da morte?».

Toda a questão está aí, não em outro lugar.

O que é privilegiado em você?
A Luz ou o confinamento?
A necessidade de segurança ou a necessidade de liberdade?
Não há outra alternativa.

Quando a Luz estiver aí, e isso vai grelhar um pouco, o que você vai fazer?
«Ah sim, mas eu não sabia».

Quando vocês estão sob a influência e sob a ação da Luz Vibral, inteiramente, a Graça estabelece-se e nada lhes faltará jamais, jamais, jamais.

O medo induz à falta, a confiança induz à segurança, é tão simples assim.

Quando vocês estão na Alegria, quando estão na Vibração da Unidade, vocês não podem de modo algum estar desprovidos, não lhes faltará nada, jamais.
Essa é uma regra absoluta da Luz, mas necessita um Abandono à Luz e uma confiança na Luz, total.
É bem para além da fé.

A Luz os quer inteiros ou a Luz não os aceita.
É um ou o outro.

Se existem medos, então, não procurem a Luz.
Mas haverá cada vez menos meias-medidas.
Cada dia que vai passar os confrontará cada vez mais com isso e isso é inegável.

Não temos perguntas. Agradecemos.

Então, caros amigos, eu lhes transmito todo meu Amor e também da parte dos Melquisedeques, todos os nossos encorajamentos.

Aí está, eu lhes desejo, a todos, muito Amor, muita Luz, muita Liberação.

Até muito em breve e que a Luz esteja em vocês porque vocês são a Luz.

_____________________

Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário