Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

19 de dez de 2015

ASCENSÃO – Dezembro de 2015 - GEMMA GALGANI (Parte 2)



Eu sou Gemma Galgani.
Irmãs e irmãos presentes na carne, permitam-me, em primeiro lugar, depositar em seus corações o beijo do Amor e da Alegria.

... Silêncio...

Eu estou com vocês e em vocês.
Eu retorno a vocês não para fazer grandes discursos, eu venho, por minha Presença e sua Presença, favorecer a instalação do novo e do desconhecido.
Eu venho, por minha Presença conjunta ao Coro dos Anjos e ao Espírito do Sol, fazer ressoar, em vocês, o canto da Liberdade e da Eternidade.

Eu estarei, doravante, disponível para cada um de vocês sobre a Terra, para fazer o bem ao seu coração.
Chamem-me à vontade, chamem-me quando seu coração estiver pesado.
Quando a Graça parece afastar-se, por uma razão ou por outra, então, chamem-me.
Eu me revelarei em vocês, aproximando-os dessa Verdade que lhes parece, talvez, por vezes, tão próxima e tão distante.
Ou, então, que pode afastar-se, no decurso das imagens desse mundo e de sua vida, por momentos.

Eu represento, em vocês, a esperança, a certeza do Espírito, a certeza do Amor inabalável, a certeza da Unidade verdadeira e magnificada em sua carne, mesmo.
Eu sou Unidade, eu sou o Espírito, eu sou sua Estrela, que brilha em seu coração, quando todo o resto não está mais.

Eu não venho, desta vez, falar-lhes de mim, de minha experiência de vida ou das funções que eu contribuo a despertar, mas eu venho realizar minha Presença em vocês.
Eu venho completar e afirmar o Caminho da Infância.
Eu venho dar-lhes a força consecutiva à humildade e à simplicidade, a força do Amor, aquela que, doravante, pode absolutamente tudo, porque o Amor não conhece mais barreiras.
De diferentes modos, muitos de vocês o vivem ou entreveem.

Eu venho, em vocês, sorrir em seus lábios pelo beijo do Amor, pela Graça de Maria, libertá-los do que pode, ainda, ser dual ou resistente.
Eu curo suas feridas com o bálsamo da Unidade, que os leva a si mesmos e a reconhecer a potência do Amor.

Eu estou à sua disposição.
Eu me junto, nesses momentos, ao Arcanjo Uriel, anjo da Presença, é claro, anjo das Reversões, anjo do Evangelho da Liberdade.
Eu venho, portanto, também, revelar o anjo que está em vocês.
Eu sou aquela que, em vocês, restaura o que ainda pode restar de separado e de dividido.

Recorram a mim, seja em seu Canal Mariano, seja pela Estrela ou pela Porta correspondente à Unidade.
Eu sou o paráclito e o Espírito que se revelam, nesse momento, em vocês, na totalidade, e ao qual é possível recorrer, em qualquer acontecimento íntimo ou em qualquer acontecimento desse mundo.

... Silêncio...

Eu respondo e eu responderei, onde quer que estejam, aos seus pedidos.
Eu venho, também, assistir à sua Ressurreição.
Eu sou aquela que vem saciar a sede de Liberdade, que os ajuda a viver na Luz e pela Luz, e da Luz.
Eu aporto, em você, a doçura, tanto nas provas da pessoa como na alegria de seu coração.

... Silêncio...

Eu sou, também, aquela que vem sustentar a Chama de Eternidade que vocês são, em manifestação, na superfície desse mundo.
Eu venho fazê-los descobrir a verdade de nutrir-se de Amor, de nutrir-se de si mesmos.
Eu aporto, aos seus ouvidos, o Coro dos Anjos, que ressoa quando o Espírito revela-se, na totalidade, quando o Manto Azul da Graça cobre-os, quando o coração abrasa-se e eleva-se.

Eu venho, em silêncio, e venho com força, se vocês me abrem a porta.
Eu sou, também, de alguma maneira, em vocês, o cimento da Eternidade.
Eu venho aportar o brilho aos seus olhos, o brilho ao seu olhar e a beleza do Amor vivido na carne e na célula.

... Silêncio...

Eu me dirigirei, intimamente, a cada um de vocês, não tanto por palavras, mas por sinais identificáveis, sempre em ligação com a doçura, o branco, a brancura, com a beleza e com a alegria.

Eu os ajudo, em vocês, a tornar leve o que pode restar de peso, como o que pode ser pesado ao seu redor.
A Luz emana de vocês, e ela vem reforçar a revelação da Luz, aí, onde seus olhos colocam-se, aí, onde seu olhar se volta.

Eu sou o canto da Liberdade, em vocês.
Quando o Coro dos Anjos ressoa e eleva seus corpos e seus corações, eu venho sustentá-los, no interior de vocês, na vivência do Amor incondicionado.

... Silêncio...

Nós somos, vocês o sabem, mais e mais manifestas e manifestos em vocês.
Nós somos, nós, Estrelas – assim como os Anciões, claro –, cada uma das facetas de seu coração.

Eu venho, também, se necessário, consolá-los, consolar o coração efêmero que pode, ainda, sangrar, e deixar, assim, o coração eterno e ascensional emergir de vocês.

Chamem-me no silêncio de seu coração.
Encontrem um momento, antes de fazerem-me ressoar em vocês, para meditar ou orar, mas, em todo caso, esvaziar-se do que aparece aos seus sentidos, colocando-se no Coração do Coração e, aí, chamem-me.
Façam-no.
Não creiam, sobretudo, mas vivam-no.
Vocês serão a prova viva disso, onde quer que estejam.

Frequentemente, foi-lhes dito para não se preocuparem com outra coisa que não a Luz.
Afirmem sua Liberdade interior, antes que ela apareça no grande dia, quando do Evento.
Façam cantar a Verdade em vocês e a Verdade varrerá tudo o que não é verdadeiro.

Eu sou, também, o ar e o movimento, o movimento da Graça em desenvolvimento.
O Ar, o sopro do Espírito, aquele que os delicia no êxtase e no contentamento.

Eu os ajudo, então, por minha ressonância interior a vocês, a colocá-los na nudez do Amor absoluto de sua própria consciência.
Assim, vocês terão a prova da potência do Amor nesses tempos.
Não, unicamente, em seu ser interior, mas, também, nas circunstâncias em que ela seja necessária.

Eu venho convidá-los, também, a deixar exprimir-se a verdade da Graça.
Quer ela se exprima por palavras, por gestos intencionais, por seus olhos, por seu olhar ou por seus lábios, e por essa irradiação, essa radiância, que emana, tanto de vocês como de mim.
Eu venho facilitar seu ouvir e sua escuta, o ouvir e a escuta do canto de Verdade, do canto do Espírito em vocês.

Eu assisto ao seu próprio parto ou Ressurreição.
Eu, facilito, também, essa Passagem.
Isso não lhes demanda qualquer esforço, nem qualquer esforço para mim, porque os tempos da Graça tornam tudo fácil, para o Amor, e difícil, para o que não é Amor.

Eu posso vir, também, ajudá-los a viver o silêncio, antecâmara do Verbo.
Eu venho ajudá-los a colocar-se, para terem o impulso suficiente para sua Ressurreição.
Eu me dirijo a vocês na Verdade, eu me dirijo ao seu coração e à Luz que vocês são.

... Silêncio...

Minhas palavras, agora, fazem-se escassas, aí, nesse instante, porque meu silêncio porta, até vocês, a realidade de minha Presença e a verdade de nosso Amor.
Em seu silêncio e em meu silêncio, eu reconheço, em cada um de vocês, meu Amado, meu Esposo.
Eu venho convidá-los, é claro, a viver e a ver a mesma coisa, não por uma decisão de sua cabeça ou por uma projeção, qualquer que seja, mas, sim, como a realidade de seu coração nesse instante.
Você, que escuta, você que me lê, eu venho convidá-lo para o reino do Amor e para o reino da Luz, que reinam e iluminam na Eternidade.

Meu coração ardente de Alegria torna-se seu coração ardente de Alegria, alimentado pelo Manto Azul da Graça e por nossos reencontros, onde quer que sejam.

No tempo em que a Luz faz-se premente em sua vida, em seu mundo, não sejam, jamais, apressados.
Instalem-se, inteiramente, na plenitude da Graça, da Luz e da Verdade.
Não hesitem em nada sobre o amor da Verdade.

Eu venho, também, consumir tudo o que pode restar de fragmentado e dividido em vocês como em seu mundo.
Eu venho, também, convidá-los a orar, não a oração estéril que se repete, mas a oração silenciosa do coração, que é um agradecimento perpétuo para a graça da Vida e da Luz, e de sua própria Ressurreição.

... Silêncio...

Eu venho apoiá-los para cumprir o tempo que se consumou.

Eu venho, também, reerguê-los, se vocês imaginam que caem, mas nada mais cai que não o que é falso; vocês, vocês não podem cair.
Onde quer que estejam, é a Liberdade que vocês escolheram.
Mesmo se isso ainda não seja evidente para vocês, vocês o verão claramente.

O Evento de que nós falamos não é somente a aparição de uma estrela ou o Apelo de Maria, mas é um sinal identificável entre todos, que virá atingi-los pela doçura do Amor.

Eu venho, também, convidá-los a fazer cair todas as barreiras que ainda possam permanecer nesse mundo.
Não por uma ação contrária à Unidade, mas como a manifestação concreta da Unidade e da Alegria.
Cada minuto de sua vida, doravante, é uma ocasião única e renovada de crescer na Verdade, de crescer no Amor que sempre esteve aí.

A Unidade e a Liberdade são sinônimos.
A Unidade e o Amor são da mesma natureza.
Vocês sabem disso, até o mais profundo de sua vida íntima, porque nas relações íntimas, que eu jamais conheci, é evidente que há, como quando eu me casei com Cristo, o momento em que o dois torna-se um.
Mas esse dois que se torna um não é apenas uma experiência que tem a necessidade de reproduzir para satisfazer o que quer que seja, é uma evidência que se instala em vocês e que não tem necessidade de vocês.

Aí, nesse instante, quer vocês escutem ou leiam, há a mesma capacidade para viver tudo o que eu digo e exprimo, porque é o Verbo verdadeiro e porque é o momento.
Nutram-se do que vocês são na Eternidade, aí está a única nutrição agradável ao corpo, como agradável à consciência.

... Silêncio...

Não há alternativa que não a de viver o que há a atravessar.
Não há retrocesso, não há mais passado.
Todos os eventos da Terra leva-os, inexoravelmente, a si mesmos.
Tudo é ocasião e pretexto, sem qualquer exceção, para deixar crescer sua chama na manifestação, nesse mundo, como no mundo novo que será o seu, para cada um de vocês.

... Silêncio...

Lembrem-se, enfim, dessas palavras que são, mais do que nunca, de atualidade, e que o Comandante tanto pronunciou: a borboleta está a ponto de voar, esquecendo-se de tudo o que vem da lagarta que, no entanto, ela foi.
É o mesmo para sua Ressurreição.

Vocês são o Caminho, a Verdade e a Vida, como Ele o foi; cada um de vocês.
Ao ser o Caminho, a Verdade e a Vida, que espaço pode restar para qualquer dúvida que seja ou qualquer incompreensão que seja?
O Espírito do Sol vem apagar o que não tem mais lugar no Amor. Cabe a vocês dizer «sim», para atravessar, em toda quietude, o que vocês têm a atravessar.

... Silêncio...

Permaneçam com o coração leve, eu estou em vocês para isso.
Eu sou a parte de seu coração que está em ressonância com todas as outras partes, porque a Unidade é a lei de Um, é a lei do Amor, que não sofre qualquer outra lei.
Porque é a única lei verdadeira, que não foi redigida, que não foi interpretada.

Escutem o silêncio do coração que ascende no Amor.
Não está aí, tudo o que é necessário e suficiente, que faz passar, mesmo as palavras as mais doces, em um estrondo inútil?

A Unidade chama vocês.
A Luz, em sua Inteligência, organiza-o.
Assim cresce a Alegria, a cada instante e a cada minuto que passa, cada vez mais evidente.
Tal é a ação do Manto Azul da Graça, tal é a ação do que vocês são, em vocês e em seu mundo que, eu os lembro, foi, muito tempo, o nosso, nós, também, Estrelas.
Nós todas conhecemos, qualquer que tenha sido nosso destino, a mesma dose de sofrimento, a mesma dose de falta, a mesma dose de incompreensão.
A Unidade, o Amor, Cristo, o Absoluto, como vocês dizem, é a última compreensão, aquela que abate todos os castelos de cartas construídos pelo mental e pela própria pessoa.

... Silêncio...

Minhas irmãs e irmãos, amem.

... Silêncio…


Em breve, todas as nossas palavras, todos os nossos discursos não terão mais necessidade de ser pronunciados.
Eles cantarão, espontaneamente, no interior de seu coração.
Então, vocês terão a certeza de que vocês se revelaram a si mesmos.
Vocês não verão, real e concretamente, mais que o Amor e, unicamente, o Amor.

… Silêncio…

Então, sim, tenham-se prontos, porque tudo está pronto, agora.
Tudo está aí.

Eu abençoo cada um de vocês, porque vocês são abençoados, e no silêncio de nossos corações unificados e reunificados, não há mais distância, não há mais necessidade de palavras.
O Verbo e a Evidência cantam em vocês, natural e espontaneamente.

... Silêncio...

Então, eu os amo e eu os abençoo, e desejo, a cada um, Amor e bênção.
Não vejam aí qualquer necessidade, mas a realidade do que é a Vida: uma bênção permanente.

Esqueçam-se de minhas palavras e mantenham sua Presença e minha Presença reunidas no mesmo presente.

... Silêncio...

Irmãs e irmãos da Terra, muito amados, eu rendo graças ao seu Amor e à sua bênção, porque a vida é uma bênção permanente, quando ela não está mais amputada ou confinada.

... Silêncio...

Que a Paz, o Amor e a Verdade sejam, para sempre, sua Morada de vida, onde quer que estejam, quem quer que sejam.
Eu os beijo com o beijo do coração e Gemma saúda-os e permanece em vocês.

Publicado por:


4 comentários:

  1. Afirmem sua Liberdade interior, antes que ela apareça no grande dia, quando do Evento.

    Façam cantar a Verdade em vocês e a Verdade varrerá tudo o que não é verdadeiro.

    No tempo em que a Luz faz-se premente em sua vida, em seu mundo, não sejam, jamais, apressados.

    Eu venho, também, convidá-los a orar, não a oração estéril que se repete, mas a oração silenciosa do coração, que é um agradecimento perpétuo para a graça da Vida e da Luz, e de sua própria Ressurreição.

    Eu venho apoiá-los para cumprir o tempo que se consumou.

    O Evento de que nós falamos não é somente a aparição de uma estrela ou o Apelo de Maria, mas é um sinal identificável entre todos, que virá atingi-los pela doçura do Amor.

    Cada minuto de sua vida, doravante, é uma ocasião única e renovada de crescer na Verdade, de crescer no Amor que sempre esteve aí.

    Não há alternativa que não a de viver o que há a atravessar.

    Então, sim, tenham-se prontos, porque tudo está pronto, agora.

    Esqueçam-se de minhas palavras e mantenham sua Presença e minha Presença reunidas no mesmo presente.

    Que a Paz, o Amor e a Verdade sejam, para sempre, sua Morada de vida, onde quer que estejam, quem quer que sejam.

    ResponderExcluir
  2. Então, sim, tenham-se prontos, porque tudo está pronto, agora.
    Tudo está aí.

    ResponderExcluir
  3. “Chamem-me à vontade, chamem-me quando seu coração estiver pesado.

    ... Porque o Amor não conhece mais barreiras.

    ... Os tempos da Graça tornam tudo fácil, para o Amor, e difícil, para o que não é Amor.

    ...Vocês não podem cair.

    ...Dizer «sim», para atravessar, em toda quietude, o que vocês têm a atravessar.

    Então, sim, tenham-se prontos, porque tudo está pronto, agora.

    Rendo-me, ao Cristo, a Inteligência da Luz, e ao Sagrado Manto Azul. Gemma, magnífico tudo!!!!

    ResponderExcluir
  4. "Eu venho, por minha Presença e sua Presença, favorecer a instalação do Novo e do Desconhecido.
    "Eu venho, por minha Presença conjunta ao Coro dos Anjos e ao Espírito do Sol, fazer ressoar, em vocês, o Canto da Liberdade e da Eternidade.
    "Eu represento, em vocês, a esperança, a certeza do Espírito, a certeza do Amor Inabalável, a certeza da Unidade verdadeira e magnificada em sua carne, mesmo.
    "Eu sou a Unidade, eu sou o Espírito, eu sou sua Estrela, que brilha em seu Coração, quando todo o resto não está mais.

    "Eu me junto, nesses momentos, ao Arcanjo Uriel, anjo da Presença, é claro, anjo das Reversões, anjo do Evangelho da Liberdade. Eu venho, portanto, também, Revelar o anjo que está em vocês.
    "Eu sou o Paráclito e o Espírito que se Revelam, nesse momento, em vocês, na totalidade, e ao qual é possível recorrer, em qualquer acontecimento íntimo ou em qualquer acontecimento desse mundo.

    "Eu venho, também, assistir à sua Ressurreição.
    "Eu sou aquela que vem saciar a sede de Liberdade, que os ajuda a Viver na Luz e pela Luz, e da Luz.
    "Eu aporto, aos seus ouvidos, o Coro dos Anjos, que ressoa quando o Espírito Revela-se, na totalidade, quando o Manto Azul da Graça cobre-os, quando o coração Abrasa-se e Eleva-se.

    "Eu venho convidá-los, também, a deixar exprimir-se a Verdade da Graça.
    "Eu venho facilitar seu ouvir e sua escuta, o ouvir e a escuta do Canto de Verdade, do Canto do Espírito em vocês.
    "Eu assisto ao seu próprio Parto ou Ressurreição.
    Eu, facilito, também, essa Passagem.
    "Eu venho ajudá-los a colocar-se, para terem o impulso suficiente para sua Ressurreição. Eu me dirijo a vocês na Verdade, eu me dirijo ao seu Coração e à Luz que vocês São.

    "A Unidade chama vocês.
    A Luz, em sua Inteligência, organiza-o.
    "A Borboleta está a ponto de voar, esquecendo-se de tudo o que vem da lagarta que, no entanto, ela foi. É o mesmo para sua Ressurreição.
    "Escutem o Silêncio do coração que Ascende no Amor."

    ResponderExcluir