Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

19 de jun de 2016

O IMPESSOAL – Parte 2 – Junho de 2016



Meu amigo, meu irmão, eu saúdo seu ser essencial.
Permita-me instalar-me aí onde você está, onde quer que você esteja.
Em qualquer caminho, em qualquer destino, em qualquer via que você tenha escolhido, eu estou aí.

Eu o acolho em meu coração.

Assim, de coração em coração, de próximo em próximo, como de longe em longe, a mesma Presença, o mesmo Amor, a mesma sinfonia em suas múltiplas versões.

Eu me instalo em sua Paz.

Eu venho dizer-lhe o que seu coração já sabe e já ouve, nesses tempos da Terra e o tempo da Alegria.
Para além de toda imagem e para além de tudo o que é visto, veja, em você, o que você é.
Não mais por instantes, mas permanentemente, instale-se no coração de sua eternidade, aí, onde eu estou.

E abra em você, em duplo batente, a Porta Estreita.
Instale-se onde nada de sua consciência possa ser limitado ou refreado.
Instale-se no que você sempre foi.
Para além dos jogos de sua consciência, aqui e alhures, o que você é, sempre foi e será sempre.

Você, o amado do Amor, ouça, entre minhas palavras, o que é.

Na hora em que a Terra exulta, na hora em que os Elementos dançam sua ronda, que renova o que deve sê-lo, a Luz chama você, seu próprio coração chama-o, a cada minuto, a esquecer-se dos sofrimentos, não os rejeitando, mas iluminando-os pelo bálsamo do Amor, pela verdade do Amor.
Levante-se em sua eternidade.
Levante-se em sua Presença eterna e infinita.
Não seja mais, jamais, limitado por qualquer forma que seja, por qualquer laço que seja.
Você nasceu livre, o que quer que o remeta esse mundo, porque você não é desse mundo.
Não se esqueça, jamais, e nunca mais, do canto de sua Liberdade, do canto de sua Presença.

Mergulhe na Graça, na qual nada pode faltar e na qual nenhuma perturbação pode aparecer.
Você, que tomou esse corpo como múltiplos outros corpos nesse mundo, deixe-se vestir por sua veste de Eternidade.
Nada tema, porque o temor pertence a esse mundo e não à Vida.
Venha colocar-se aí, onde tudo é saciado, aí, onde nada pode faltar.

Eu estou em cada um de você, quer você o veja ou quer você o esqueça, pouco importa, porque o tempo é chegado de ser, definitivamente, o que você sempre foi: emanação da perfeição, Fonte, você mesmo.

No Último, a Rainha dos Céus e da Terra mostrará a você o que você ainda não viu nem experimentou, o que põe abaixo, então, o que pode restar de incerteza, de dúvida ou de confusão, o que vem, então, mostrar-lhe sua beleza e sua verdade.
Descanse com prazer, com êxtase.
Regue-se de sua própria Presença e, assim, de coração em coração, deixe florescer a flor que já contém, nela, além de sua própria forma, seu perfume, sua emanação sutil e, no entanto, tão tangível, tão real e tão potente.
Ouça seu próprio coração que canta sua Liberdade, que canta o Amor.
Descanse na felicidade.
Ouse.
Ouse transpor o que pode parecer-lhe, ainda, separar-nos, isso que é apenas uma construção que não tem qualquer realidade, a partir do instante em que você ousar.

Assim, a Graça preencherá não o ser aparente, mas o ser verdadeiro, que dá, então, à sua própria consciência, pela essência e por cada célula de seu corpo efêmero.
Deixe florescer.
Exale seu perfume, nada há de mais natural.

Nesse coração no qual cantam os Anjos e no qual o Espírito do Sol mostra-lhe sua Liberdade, aí, onde nada pode ser condicionado, onde nada pode colocar-se, eu estou aí, e eu lhe digo: «Paz a você».
A aurora nova está no limiar de sua consciência.
Deixe todo o lugar em seu coração, como em todo espaço.
Deixe a Verdade e deixe a Alegria.
Esqueça-se, assim, de todo cálculo, de toda suposição e de toda lógica inerente a esse mundo, porque aí, onde você está, nenhuma razão, nenhuma justificação é útil nem, mesmo, desejável.

Abra o que você pensa ter, ainda, a abrir.
Nada feche.
Não fique mais confinado.
Apenas você é que pode ver isso, e vivê-lo, a cada minuto que se engrena no calendário do final desses tempos.

Meu amigo, meu amor, não procure o sentido de minhas palavras, mas, bem mais, o sentido de nossa Presença, porque você não terá distância a procurar, mas apenas ver a Evidência, ver essa Verdade.

Na hora em que o céu desposa a Terra e deixa aparecer a nova vida liberada na dimensão de Liberdade e de Eternidade, eu o olho, não em seus desvios, não em suas feridas, não em sua história, mas na verdade de seu ser.

Doe-se no que você é.
Doe-se no Amor infinito.

… Silêncio…

Deixe-se amar pelo que você é e por minha Presença.
Eu, que não dependo de forma alguma nem de qualquer mundo, eu sou a Liberdade.
Não aquela que se pensa, quimera nesse mundo, mas, sim, aquela reencontrada em sua eternidade.
Alivie-se.
Bem presente aqui, na superefície desse mundo, eleve-se, os pés firmemente colocados no solo da Terra.
Paz a você.
Há apenas que reverter-se em você e ver-se, tal como você é, o que põe fim às histórias, o que põe fim às dúvidas, o que põe fim, enfim, ao sofrimento.

… Silêncio…

Você, o coroado da glória, não da glória efêmera que pode propiciar-lhe esse mundo, mas na glória que não cessa, jamais.
Comungue com cada um, com cada vida e com cada consciência.
Quaisquer que sejam os nomes, quaisquer que sejam as formas, quaisquer que sejam as aparências, isso não deve pará-lo, porque o Amor não poderá, jamais, pôr uma condição ou uma restrição a essa evidência.

… Silêncio…

Deixe a inteligência de seu ser prover o que é necessário nesses tempos da Terra tão específicos.
Nós somos inumeráveis a assistir ao seu nascimento.
Faça a paz com cada um e, antes de tudo, faça a paz consigo mesmo.
Dê seu perdão a qualquer forma que você reencontre, para além de toda inimizade, para além de todo rancor.
Deixe o que pertence ao efêmero retornar ao pó da terra.
Deixe o Fogo vivificante do Espírito manter sua vibração e sua consciência.
De nada mais se ocupe que não de sua Presença, porque todo o resto seguirá.
Por sua fidelidade à Graça, por sua fidelidade ao Amor e em seu reconhecimento em si mesmo, tudo se realiza.
Tenha-se tranquilo, permaneça no Amor e veja.

Meu amado, meu amor, esqueça-se do que pôde, até hoje, parecer freá-lo em sua Ascensão e em sua Liberdade.
Esqueça-se de seu nome, como se esquece de toda forma de Luz que vem exprimir-se em você e para você.
Permaneça aí, onde se tem o Silêncio, de onde nasce todo Verbo.
No começo, era o Verbo e, no fim, o Verbo é restaurado.
Viva, aqui mesmo, em sua eternidade reencontrada, e deixe-a revelar-se, quando da aurora nova.
Eu o amo, porque você apenas pode ser amado, você, o portador de Luz.
A Luz autêntica, sem desvio e sem alteração, é seu lote de vida na aurora nova.

Não tema os terrores do fim da noite, na qual o que recusa ser colocado na Luz pode, ainda, aparecer na tela de sua consciência.
Seja, simplesmente, verdadeiro.
Não procure qualquer vantagem e qualquer proveito dado por esse mundo, e não se esqueça de que, na medida com a qual ele lhe parece, por vezes, julgar, você poderia ser, você mesmo, julgado por si mesmo.
Você nada tem a julgar, nem a pesar nem a ponderar.
Você nada tem a remover nem nada a acrescentar, você é perfeito.
Quaisquer que sejam as falhas que lhe foram dadas a ver em sua vida nesse mundo ou em outra vida, isso é passado.
Isso apenas tem apenas o peso que você ali atribui, ainda hoje.

Veja, em cada um e em cada uma, a beleza essencial da Verdade.
Não se demore no que é pesado, no que pode parecer frear.
Ocupe-se, simplesmente, do perfume que exala de você.
Nutra-se de Verdade, nutra-se de palavras corretas, nutra-se de silêncio, nutra-se do que não pode ser visível alhures, apenas em seu coração.
Deixe o Fogo do céu atravessar, sem obstrução, seu ser efêmero.
Assim como a Onda de Vida já o fez, deixe o Fogo do céu vir desposá-lo nessas Núpcias sagradas.

Assim, a cada momento em que sua consciência manifesta-se nesse mundo, você percebe, nisso, não mais os erros e não mais os sofrimentos, mas o que há por trás da crosta da dureza: a magnificência de cada coração que vem transcender todas as histórias, todos os carmas, todos os erros e todas as insuficiências.

Coloquemo-nos, você e eu, no mesmo coração de cada vida em qualquer aparência e, mesmo, eu diria, em qualquer desordem que seja.
Tudo isso faz apenas passar, e tudo isso se apaga, na aurora do dia novo que emerge das profundezas da noite.

Deixe o Amor e a Luz guiarem cada um de seus passos, guiarem cada um de seus despertares como cada uma de suas noites.
Esqueça-se de todo esforço e de toda luta, repouse.
Eu estou aí, porque você está aí.
Reencontramo-nos a cada sopro, a cada olhar.

… Silêncio…

Meu irmão, meu amigo, eu o conheço à perfeição.
E você também, você me conhece à perfeição, a partir do instante em que você aquiesce e aceita a doação da Graça que emana de nosso reencontro, de nossa união e de nossa Liberdade.
Esqueça-se de si mesmo nesse personagem de meia tigela no qual você crê tanto tempo, a esperar ali encontrar uma saída, multiplicando as encarnações por aquelas que lhe mostraram suas faltas de amor, enquanto você é perfeição, de toda a eternidade.
Perdoe aqueles que o enganaram, aqueles que o desrespeitaram porque, jamais, eles puderam tocar sua eternidade.

Então, seja grande.
Seja grande em seu perdão, por seu Amor e por sua humildade.
Não calcule mais, não conte mais.
Abra-se.
Não, unicamente, no processo de Despertar, mas abra-se à sua Liberdade, porque o Amor é sinônimo dela.
Sem Amor não há Liberdade e, sem Liberdade, não há Amor, há restrição, e isso não pode haver, na perfeição de todas as criações.
Reflita, além de sua pessoa, além de suas peregrinações na superfície desse mundo, esqueça-se de você.
Você não é as histórias e as vidas que você passou nesse mundo ou, então, você deve conceber ser cada história, presente em cada coração, quaisquer que tenham sido as manifestações na superfície desse mundo.

Só o Amor é a verdadeira cura, só o Amor é a verdadeira Liberdade.
E não se esqueça de que você não tem que procurar muito longe, mas, simplesmente, reverter-se para si mesmo, inteiramente e sem condições.
Porque sua Liberdade está aí, porque o Amor está aí.
Todo o resto é apenas o címbalo retumbante.
Afogue-se na felicidade do Amor que você é, porque aqui nada há a temer, aqui nada há a esperar, aqui nada há a construir ou a desconstruir, há apenas a viver.
Veja, assim, além de sua aparência como de toda aparência.
Veja através das ilusões desse mundo, qualquer que seja a frágil solidez delas, qualquer que seja o peso.

O Batismo do Espírito, o Fogo do céu revela-se a você, mesmo na aparência desse mundo.
Não experimente qualquer cólera, porque nada há a perder, porque nada há que possa faltar nesse fogo.

… Silêncio…

É claro que, ainda hoje, você gostaria de nomear-me e identificar-me.
Você gostaria de saber como isso pode ser sem forma e sem identidade própria.
Lembre-se, é você que fala a si mesmo em seu íntimo, aí está o mundo.

Tenha-se aí.
E recolha, em seu Templo, o néctar de imortalidade, para voltar à sua essência, à Alegria perpétua.
Lembre-se, ela jamais o deixou.
Lembre-se.
Esqueça-se, mesmo, de minhas frases, esqueça-se de você e esqueça-se de mim, para que reste apenas Isso que é Tudo.

Juntos, recolocamo-nos na felicidade, juntos, no mesmo Fogo e na mesma Água do céu.
Eu o abençoo.
Por sua vez, abençoe cada um, com a mesma intensidade, com a mesma Graça.
Não se ocupe em saber se isso é merecido porque, no Amor, não há injustiça e tudo é justiça.

Ame sem limite.
Mesmo no que possa parecer-lhe ser o mais oposto ao Amor.
É, justamente, nisso que o Amor deve ser despertado.
Não restrinja a doação da Graça, não restrinja suas orações ao seu círculo próximo, àqueles que você ama nesse mundo porque, além desse mundo, você ama cada um e cada uma.
Mesmo se a forma que você ama não reconheça esse Amor, não se preocupe com isso.
Seja, você mesmo, essa fonte de juventude, essa fonte de cristal que rega cada vida com a mesma intensidade.
Não se limite no Amor que você vive.
Não se limite no Amor que você é, nem no Amor que você dá, porque quanto mais você dá, mais você recebe.
Ame o que lhe parece ser negado ao Amor.
Dê ao que lhe parece sem Amor, porque é ele que tem mais necessidade dele.
Em você, é claro, mas em cada vida e em cada forma.

Deixe assim, e desse modo, a Paz crescer, permanentemente.
Ame cada um do mesmo modo.
Mesmo o mais miserável de seus irmãos e de suas irmãs que se opõem ao Amor merece o mesmo Amor porque, além da casca da aparência, há seu coração.
Mesmo se você não o viva ainda, mesmo se você não acredite nisso ainda.
Eu não lhe peço para acreditar, eu lhe peço, simplesmente, para verificar, por si mesmo, a realidade de minhas palavras, a realidade de nossa Presença.
Assim, você poderá dizer: «Tudo é Amor», e você não verá, jamais, nada mais que não o Amor, em você, em cada forma, em cada consciência, em cada relação.
Não se ocupe daquele que não o ama, envie a ele o mesmo Amor porque, de fato, é assim que você se ama e que se mostra tal como você é, aqui mesmo, aí, onde você está.

… Silêncio…

No Amor, tudo é apenas Amor, e ele é o Tudo.
Nesse Amor sem limites e sem restrições, há a verdade de seu ser, a verdade de sua Presença, mesmo aqui, nessa Terra, na qual o denso está, ainda, presente.
Eu me dirijo ao seu coração.
Eu me dirijo ao que você é, não ao que você pode compreender e entender, mas ao que você pode viver, espontaneamente, sem esforço, na paz.

… Silêncio…

Seu coração é o combustível de sua própria Liberação ou de sua própria Ascensão, e seu coração deve ser idêntico para cada coisa, para cada relação, para cada ser.
O Amor não privilegia, jamais, tal forma ou tal outra forma, porque nada há de superior no Amor, assim como nada há de inferior no Amor.

O Amor é a chave de sua Liberdade e de sua Ascensão.

O Amor não pode ser compreendido, ele pode apenas ser vivido.
O Amor não pode ser condicionado, caso contrário, não é mais o Amor.
Ele não deve ser personalizado em função de circunstâncias, em função de afinidades, em função de crenças, ele é o mesmo, por toda a parte.
Se você ali vê uma diferença, então, eu o convido a colocar-se ainda mais em seu Templo, para ver que isso não é verdadeiro.
Só existe o Amor.

Não se esqueça de que tudo foi feito, nesse mundo, nesse corpo que você habita como nesse mundo no qual você está colocado, para ocultar-lhe essa verdade primeira.
Nada oculte, você mesmo.
Viva e veja, por si mesmo.
Esqueça-se de toda pessoa e de toda forma, e ame, sem qualquer condição, sem qualquer restrição, tudo o que se apresenta a você.
Porque tudo o que se apresenta a você, nesse tempo, na aurora do dia novo, está aí apenas para demonstrar-lhe a verdade do Amor.
Então, não conteste, não discrimine, não adapte o Amor às circunstâncias ou às relações, mas ame, sem distância, cada forma e cada consciência, na mesma justiça, na mesma verdade.
Assim, você se instala em sua realeza do Amor.
Assim, você experimenta a Verdade, bem mais sólida do que a parede a mais espessa desse mundo.
Eu não lhe peço, sobretudo, para crer em mim, mas viva-o, e você verá, por si mesmo.

Amar é tornar livre.

Amar é reconhecer o outro.
Além dos jogos da encarnação, além dos laços e além de todo sofrimento, ame sem contar, ame sem fazer diferença.
E, então, naquele momento, você apreenderá o que é ser Amor, o que é ser o Filho Ardente do Sol.
Assim, nesse espaço no qual nós estamos, os dois, verificamo-lo juntos, verificamos o que eu acabo de enunciar-lhe como uma verdade inalienável e imprescritível.

… Silêncio…

Ame, também, tudo o que você toca, do objeto o mais insignificante a todos os reinos da natureza.
Então, o Amor exalará de suas mãos sobre a flor que você colhe, sobre o ser que você trata, sobre o amor de sua vida como sobre o inimigo o mais irredutível.
Nada de tudo isso existe.
Há tanto Amor no fogo como no ar, como na terra, como na água.
A expressão é um pouco diferente, mas, na essência, não há qualquer diferença.
Apreenda isso e viva-o.
Não creia em mim, nem na palavra nem através de nosso reencontro neste dia como nos outros dias, mas viva-o.

Seja livre para amar à saciedade porque, quanto mais você ama o que pode, ainda, parecer-lhe exterior a você, quer seja a estrela em seu céu de noite, quer seja a criança que nasce, que você não conhece, quer seja seu amor que se afasta de você, permaneça na mesma radiância da Verdade e do Amor, porque o Amor é a única coisa que não pode dividir-se ou subtrair-se.
O Amor apenas pode ser uma adição, que traz, sempre, o mesmo resultado: tudo é Um.

Deixe-me portá-lo no Amor, que lhe permitirá suportar o que esse mundo tem a viver, o que seu corpo tem a viver, porque você não é nem desse mundo nem, mesmo, desse corpo que, no entanto, você habita.
Eu o convido à eternidade do Amor.
Eu o convido, você, onde quer que você esteja, porque eu estou com você.
Não feche, jamais, sua porta, a quem quer que seja.
Ponha o mesmo Amor em cada gesto, em cada olhar, em cada contato.
Assim, o Amor emerge.
Antes, mesmo, da aurora do dia novo, você está aí.

Não me nomeie.
Eu não tenho necessidade de nomeá-lo, porque nós nos conhecemos, como eu lhe disse, à perfeição.

… Silêncio…

Porque você sabe, sem Amor, toda vida apaga-se um dia.
Ora, isso é impossível, porque, sem Amor, não há qualquer vida, há, simplesmente, a aparência da morte, porque tudo recomeça.
Mas, mesmo a isso, não se apegue.
Seja verdadeiro, e só o Amor é verdadeiro.

Então, eu abençoo seu Templo, eu abençoo sua Presença, quem quer que você seja e onde quer que você esteja.
E eu lhe peço, em retorno, para amar-me, porque eu sou você, como você está em cada um, mesmo naquele que lhe parece o mais oposto ao Amor.
Experimente e viva isso.
Apenas você é que pode vivê-lo.
Apenas você é que pode prová-lo, porque o efêmero tem, sempre, necessidade de provas e, no entanto, essas provas desaparecem no fim desse corpo.

… Silêncio…

Ouça.
Ouça o Amor, ouça a Verdade que eu deposito em você, que é eu.

Deixe essa alegria do Amor apagar o que faz apenas passar.
Ouça o canto da Liberdade e da Verdade.
Agora, a cada sopro, a cada dia e a cada noite, não se restrinja mais, de maneira alguma e de modo algum.

Eu estou aí, como o ladrão na noite, mas eu nada venho roubar-lhe.
Eu venho iluminar, se você acolhe, e mostrar à sua consciência o Amor que você é e que está em cada um.
Reconheça-se em cada um e ame.
Todo o resto, então, é supérfluo, mesmo nesse mundo no qual seus pés estão colocados.
O Salvador já está em você, revele-o.
Ame e sirva ao conjunto da humanidade, sem pensar em você, sem pensar no outro, mas, simplesmente, no Amor.
Em cada coisa, faça o seu melhor, sem esforço e sem luta.
Em cada um, deposite o mesmo Amor, porque aquele que você ama assim é você mesmo, mesmo se você o recuse.
Aí, tampouco, não creia em mim, mas experimente-o, viva-o.

Acolha, nesse silêncio agora, o que é.
Acolha, nesse silêncio.

… Silêncio…

Lembre-se, também, de que o Amor não pode, jamais, nascer de qualquer conhecimento porque, quando mesmo você conhecer os mistérios desse mundo e da vida, em sua totalidade, isso para nada lhe servirá, se o Amor não está.
E o Amor apenas pode nascer em você, por você.

Desperte o Amor em cada um, em cada forma, não há melhor modo de ajudar-se a si mesmo.
Então, no Amor verdadeiro, você verá que não há necessidade de ajuda, que não há esforço, que nada há a construir, porque tudo é perfeito.

… Silêncio…

Eu o abençoo.
Abençoe-me em retorno.
Paz a cada um.

… Silêncio…

Meu amigo, meu irmão, meu amor, não veja, aí, marca alguma de posse, mas, sim, a afirmação de nossa liberdade.
Aí, imediatamente, nesse silêncio, eu danço em você.

… Silêncio…

De coração em coração, assim, a Luz surge.
De coração em coração, assim, o Amor emerge e entra em manifestação em cada interstício desse mundo, em cada coração, em cada vida e em cada consciência.

… Silêncio…

Escute.
Escute e ouça o canto de sua Liberdade, o canto da Eternidade.

Em seu coração está o Coro dos Anjos, em seu coração está cada consciência desse mundo como de todo mundo, em seu coração eu me dirijo a você, em seu coração eu acaricio a flor de sua eternidade.

… Silêncio…

Assim, aí onde você está, quem quer que você seja, oremos juntos.
Não para pedir o que quer que seja, mas pela oração do coração, que é ação de Graça e canto de Graça.
Ouça-se e ouça-me.
Nós falamos da mesma voz, nós dizemos as mesmas palavras, nós vivemos os mesmos silêncios.
Não há diferença, há apenas louvores.

Eu abençoo, em você, o Amor, eu abençoo, em você, a Verdade, eu abençoo, em você, a Eternidade, eu abençoo, em você, o Fogo de seu Espírito, eu abençoo, em você, cada outro como você.

… Silêncio…

Eu o deixo alguns instantes no silêncio de seu coração.
Nesse segundo dia, eu voltarei, após o silêncio, aportar-lhe outras essências e outras fragrâncias.
Eu o abençoo.
Meu amigo, meu amor, o mundo está em você, a partir do instante em que sua pessoa apaga-se na majestade do Amor.
Permaneça assim, no silêncio, sem palavras, sem movimentos, você que está aí, que me ouviu, você, que me leu, feche os olhos e deixe seu coração aberto à sua própria verdade enunciada por si mesmo, e repouse.
Eu lhe dou a minha Paz.
Abençoado seja você.

… Silêncio…

Deixe os olhos fechados e permaneça assim o tempo que lhe pareça necessário.
Eu voltarei logo após.
Eu o amo.


… Silêncio…

4 comentários:

  1. Sabemos o quanto o querer saber é instigante, no nosso velho padrão humano. Mas, o que fazer diante de textos tão impessoais, onde a menor tentativa de querer entender, já é pra lá de perturbador, além de ser de todo inadequado. Além do mais, como fazer, se o que resta é o desfazer. São mesmo novos tempos, onde não há como não se perder, sempre mais e mais, até se perder completamente. De qualquer modo, resta a certeza que assim é, e que nada poderia ser mais apropriado.

    Agora, uma P&R, talvez mais intrigante do que instigante (rs): “quem se perdeu deste mundo pessoal, ainda se acha? Certamente que sim, principalmente como ser impessoal, que é o seu próprio esta de ser, desde sempre. É claro, também, que neste estado de perdido, nada se perde; nem a pessoa, enquanto este mundo for mundo”.

    É CLARO QUE A MSG INTEIRA LEVA-NOS A UM BRINDE INCESSANTE, DE GRATIDÃO ETERNA; TÃO BEM ILUSTRADO, ENQUANTO SE LER, POR EXEMPLO, O TEXTO SEGUINTE: « No Último, a Rainha dos Céus e da Terra mostrará a você o que você ainda não viu nem experimentou, o que põe abaixo, então, o que pode restar de incerteza, de dúvida ou de confusão, o que vem, então, mostrar-lhe sua beleza e sua verdade »

    ResponderExcluir
  2. Só Amor....«Tudo é Amor»!!!!!!! Amor!!!!!!

    ResponderExcluir