Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

31 de dez de 2005

INTRATERRA – 31 de dezembro de 2005


DO SITE AUTRES DIMENSIONS.


Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui




Bem vindos a vocês, caros irmãos de superfície.

Há extremamente muito tempo, eu não me encontrava em tão boa companhia e, novamente, nessa superfície planetária que, parece-me, não está no melhor de sua forma, pelo que pudemos observar em nossos mundos intraterrestres, com os diferentes Governadores de diferentes regiões.

Nós temos observado, efetivamente, que as redes magnéticas e terrestres tinham dificuldade para conformar-se – devido à resistência da humanidade, em sua totalidade indivisa – para reajustar-se nas novas frequências harmônicas que chegaram há alguns dias de seu tempo terrestre de superfície, e que invadiram cada parcela viva ao nível desse Sistema Solar.

Um trabalho enorme foi, no entanto, efetuado, há agora quarenta dias de seu tempo, para preparar esse advento do que alguns de vocês chamam a energia do Sol Central, que nós mesmos chamamos, em linguagem antiga, Shekina, e que corresponde a uma efusão do Espírito Santo: papel pré-ascensional que era previsível neste fim de ano.

Entretanto, pareceu que a totalidade da humanidade coletiva indivisa/una não pôde, de momento, aceitar e integrar, totalmente, essa qualidade energética, essa qualidade vibratória, para poder realizar um fenômeno pré-ascensional, tal como vocês o descrevem em sua linguagem.

O que nós podemos dizer, ainda, é que esse conjunto de modificações que sobrevieram ao nível sutil corresponde, também, a uma abertura essencial de portas ao nível de mundos intraterrestres de quinta dimensão.

De fato, as portas de acesso estão, doravante, abertas, permanentemente, para permitir vai-e-vens e, sobretudo, irrupções em sua realidade de terceira dimensão que se preparam para poder intervir nos momentos oportunos e agir no mundo de superfície, o que é uma coisa extremamente nova e extremamente constrangedora para nossas individualidades coletivas do Intraterra, em todo caso, para nós, povo delfinoide desta parte do Intraterra.

Os atrasos inerentes à natureza humana, ainda uma vez eu o repito, frearam, de maneira considerável, e obstruíram, de maneira considerável, a possibilidade da Terra e de seu núcleo intraterrestre poderem, não ascensionar, mas pré-ascensionar num modo de quarta dimensão.
Isso não poderia ser retardado demasiado longo tempo, sob pena de desgastes importantes que nós não poderemos, obviamente, tolerar, de maneira alguma, seja quanto ao futuro deste planeta, do Intraterra e do conjunto de seres vivos, onde quer que eles estejam situados (tanto na superfície como em dimensões outras do Intraterra, ou em outros lugares).

Há, ao nível do Intraterra, nesse momento mesmo, uma reunião extremamente importante de seres do Intraterra, mas, também, de hierarquias que vêm de sistemas solares extranéens, que estão em relação com a evolução sagrada deste planeta, para determinar até quando podemos manter a elasticidade e a distorção existentes nessa rede geo-magneto-telúrica e sagrada que permite evitar que a onda Luz, que vocês têm recebido desde certo número de dias, seja, em sua polaridade feminina encarnante, desviada para algumas forças que não iriam ao sentido da Luz autêntica e desejada pelas dimensões galácticas e intraterrestres da Luz autêntica.

Para alguns de vocês há, agora, possibilidade concedida de poder interrogar, quanto ao conjunto de fenômenos chamado pré-ascensão.

Questão: como facilitar a comunicação com vocês?

A comunicação consciente entre o mundo de superfície e o mundo intraterrestre de quinta dimensão torna-se possível devido ao fenômeno de elevação, em consciência, à quinta dimensão.

Essa elevação da consciência à quinta dimensão, devido à sua expansão, permite, ela mesma, tocar nosso contato, porque, lembrem-se de que nós vivemos há 320.000 anos na quinta dimensão.

Vocês começam, unicamente, a abrir as portas para nossa dimensão e para nossa diferença mórfica, conceitual, funcional.

Um conjunto de diferenças existentes entre o mundo humano e o mundo dos delfinoides que evoluem na quinta dimensão faz uma ligação entre o que vocês chamam, caros irmãos, os 24 anciões.
Os 24 anciões fazem referência ao concílio que representa os Senhores e Juízes do carma, que velam pela aplicação de regras estritas de funcionamento da humanidade de superfície, em relação a regras predefinidas de funcionamento na terceira dimensão.

O próprio fato de elevar sua consciência, regularmente, progressivamente, de maneira intermitente, também, permite-lhes, progressivamente, ativar canais de comunicação, de maneira extremamente natural.

A técnica, agora, que vocês devem empregar para facilitar essa comunicação corresponde a algo que eu já havia dado a meu walk-in, que é tentar funcionar em consciência individual a 24 Unidades.

A Unidade coletiva de 24 consciências, que vai rearranjar suas moléculas atômicas, rearranjar sua Luz ao nível das auras, de maneira a permitir-lhes funcionar, agora e já, em algumas ocasiões, em alguns momentos, em modo quinto.

Penso ter respondido à interrogação.

Questão: como, concretamente, criar essa sinergia de 24?

Na vida, caro irmão, que vocês qualificam de habitual e comum, isso me parece, efetivamente, muito difícil.

Convém criar espaços, momentos, nos quais esse modo de comunicação seja possível.
Convém reunir-se, primeiro, em 6, em seguida, em 12, e, depois, em 18, e, enfim, em 24; trabalhar, primeiro, numa unidade de 6.

Lembrem-se de que a Luz possui seis faces na quinta dimensão.
A partir do momento em que seis seres estão reunidos, em momentos não comuns, momentos que vocês poderão chamar, caro irmão, momentos de oração ou momentos de meditação ou, em todo caso, momentos de comunhão, nesses momentos privilegiados e especiais, o simples fato de reunir-se a seis, adotando uma disposição geométrica perfeita de hexágono e na qual cada um vai levar sua consciência, simplesmente, aos cinco outros seres humanos presentes.
Cada um fazendo isso nos cinco outros, isso estabelecerá uma comunicação de consciência individual coletiva a seis Unidades.
Isso pode tomar algumas respirações, alguns minutos, ou algumas sessões.

Quando isso for conseguido e realizado ao menos uma vez, vocês o saberão, instantaneamente, devido à qualidade vibratória emitida, recebida por cada um dos participantes da consciência coletiva.

Quando o princípio de seis for realizado ao nível do objetivo vibratório, vocês poderão, naquele momento, integrar um grupo de seis outros indivíduos que, ou já fizeram, previamente, eles mesmos, o trabalho entre eles ou absolutamente não, e recriar um duplo hexágono, agrupados em pares.
Naquele momento, no duplo hexágono, cada um deverá, primeiro, levar sua consciência e sua atenção ao par ao lado de si e, em seguida, e unicamente após, aos outros pares e os dois constituintes de cada par.

Assim, vocês criarão uma consciência coletiva indivisa individual e, entretanto, unificada, a doze entidades humanas.

O mesmo esquema reproduzir-se-á por triângulo de três, para os 18, e, enfim, pelo quaternário de seis, ou seja, 24, sempre no mesmo processo em triângulo ou em quaternário, antes de passar à totalidade de 18 ou de 24.

Tranquilizem-se, não é um processo abstrato, mas, realmente, energético e de consciência, que se produzirá no momento em que isso se realizar.
Vocês compreenderão, em sua consciência, que conseguiram ativar, em vocês, alguns circuitos que não poderão, nunca mais, desaparecer em vocês.
Quando vocês tiverem a consciência coletiva individual unificada de 24 entidades, vocês terão atingido, totalmente, seu objetivo.

Não há algo de extraordinário nisso, nem algo de mágico, mas, simplesmente, o objetivo de consciências, que é o de funcionar, não mais de maneira distanciada, separada, compartimentada, mas, bem ao contrário, unificada.

Questão: uma consciência unificada implica pensar a mesma coisa, ao mesmo tempo?

Caro irmão, absolutamente não, felizmente.

Vocês não têm que atingir o nível de consciência para poder funcionar em consciência coletiva de maneira permanente.

A partir do momento, em contrapartida, em que isso se produzir uma vez, os canais serão definitivamente ativados em vocês.
Vocês o compreenderão, sentirão e viverão de maneira perfeitamente lógica.
Vocês não podem assimilar, intelectualizar algo que ainda não assimilaram, intelectualizaram e, ainda menos, viveram.

Os canais que se ativam nesses momentos de comunicação são canais que jamais foram implementados no ser humano, na raça humana, devido aos fatores limitantes da terceira dimensão.
Entretanto, o fato de ter trabalhado e ativado em vocês alguns canais extremamente precisos que permitem a ativação da recepção da Luz ao nível da cabeça, a ativação de alguns canais que permitem a criação de raízes de Luz ao nível de seus pés, é um argumento extremamente potente sobre a facilidade que vocês terão para estabelecer essa consciência coletiva nesses momentos, eu repito, ainda uma vez, privilegiados, e não comuns.

O importante não é funcionar, permanentemente, assim, mas ativar, em vocês, esses canais que serão bem úteis, posteriormente.
Mas lembrem-se de que o objetivo não é reunir, fusionar consciências, mas, verdadeiramente, constituir uma consciência coletiva.
Não é, de modo algum, o mesmo objetivo.

O importante é criar, ativar, despertar esses novos canais de comunicação que lhes serão bem úteis no momento vindo.

Questão: as vibrações transmitidas atualmente são ligadas ao Sol Central?

Caro irmão, elas podem apenas vir do Sol Central.

A energia esperada quando do São João, que é impactada sobre a Terra desde 27 de dezembro, corresponde, real e totalmente, à polaridade feminina da energia Divina fecundadora, que permite fecundar as células de toda parcela viva sobre este planeta, de maneira a despertar à sua dimensão a mais espiritual.
E essa energia está, obviamente, em relação com o Sol Central da galáxia, apropriadamente, nomeado Sírius A.

Questão: quais serão os impactos físicos dessas evoluções?

Bem, caro irmão, se vocês pudessem ver o aspecto de delfinoides de quinta dimensão, compreenderiam, perfeitamente, qual tipo de evolução pode ser visível na matéria, nessa matéria de quinta dimensão, após o impacto da energia do Espírito Santo e do aparecimento da consciência coletiva de quinta dimensão.

Há certo número de modificações corporais que sobrevém, conforme o tipo de raça e o tipo humanoide ou não humanoide que vive essa transformação.
Nós podemos, entretanto, esquematizar.
Uma das transformações as mais importantes sobrevém ao nível do próprio funcionamento do receptáculo da energia, que é o cérebro.

Há, primeiro, efetivamente, uma comunicação de maneira muito mais intensa, direta e fácil entre os dois hemisférios do cérebro, que corresponde ao aparecimento de uma ponte de substância que une, de modo muito mais intenso, o que o ser humano, atualmente encarnado, chama os dois hemisférios cerebrais.

Há, em seguida, desenvolvimento de uma parte específica, acima das orelhas do ser humano, o que explica o aparecimento de um apêndice (existente nos golfinhos), que poderemos chamar terceiro lobo do cérebro (de fato, terceiro e quarto lobos do neo-córtex, que são as zonas paralímbicas) e que corresponde à percepção de sinais sensoriais, que nada têm a ver com seus cinco sentidos, mas que integram, neles, o sentido elétrico e o sentido magnético correspondente ao sentido do Divino.
 
Essas modificações são extremamente centradas numa modificação vascular que sobrevém ao conjunto da cabeça da raça que vive essa transformação, que se vive por fenômenos congestivos extremamente marcados ao nível dos orifícios sensoriais, que podem induzir sangramentos de nariz, congestões ao nível ocular, congestões ao nível dos ouvidos, mas, também, das gengivas, provocando, por vezes, sangramentos importantes nos seres submetidos a essa transformação.

Há, efetivamente, outras transformações que sobrevêm aos níveis bioquímico, biológico, celular, genético também, mas seria extremamente fastidioso, de momento, entrar mais adiante em detalhes dessa transformação, que é perfeitamente mensurável, quantificável com seus meios técnicos atuais existentes na superfície de sua Terra.

A transformação é transitória.
O resultado será permanente, ao nível de estruturas, mas a vida necessita do retorno ao equilíbrio e à própria homeostasia, se o nível de consciência está profundamente diferente e o nível vibratório está profundamente elevado.
Conclui-se, daí, que, após uma semana de desaparecimento desses fenômenos congestivos e de estases ao nível da cabeça, o retorno ao normal, ao nível bio-condutivo, será a regra.

Questão: qual é sua relação com O.M. Aïvanhov?

Eu, pessoalmente, encontrei o Mestre Aïvanhov em sua vida, quando de sua estada na Índia.
Ele foi para Agartha.
Ele foi recebido pelo conselho de 24 anciões.

É necessário, aliás, saber que a última encarnação do Mestre Orionis sobre este planeta – eu deveria dizer, antes, fenômeno de walk-in com transferência de consciência dos corpos – foi realizada no curso do século XX, na vida de seu próprio Mestre, que era Peter Deunov.
Assim, Peter Deunov era a totalidade da encarnação do Espírito de nosso Mestre, de todos, Orionis.

Questão: quais seriam as consequências de um atraso nas efusões de energia?

O atraso de tempo poderia estender-se de 15 dias a três semanas.
As consequências poderiam ir até a perda total da Terra e do conjunto de seus habitantes de superfície.
Não do Intraterra, obviamente, que terá tido, amplamente, o tempo de evacuar este planeta, que teria falhado em seu papel de sacralização.

Questão: poderia explicar o que são essas energias?

Caro irmão, a energia, a potência do Sol Central, que é derramada há tantos anos e que encontrou seu apogeu no momento do São João de inverno, não era destinada a fazê-los funcionar em consciência coletiva, mas era destinada a elevar o nível vibratório da Terra, de maneira a permitir a ela passar à quinta dimensão, pela quarta, num primeiro tempo.
Mas, antes de passar à quinta, é necessário, já, subir à quarta.

Ora, certo número de forças de resistências, ligadas aos seres de superfície, conteve a expansão do nível quarto e impediu o aparecimento e a eclosão do nível quinto, com um atraso que já é de vários dias.

As redes magnéticas e as redes sagradas terrestres, que são mantidas, eu repito, pelos povos do Intraterra (delfinoides ou não) estão aí para velar pelo agenciamento eletrônico de estruturas de superfície, em relação, obviamente, com as estruturas do núcleo cristalino do planeta, em relação, ele mesmo, com o Sol Central.

O que nós pudemos constatar, infelizmente, é a dificuldade de fazer vibrar o núcleo e, portanto, fazer ressoar os mundos de superfície em relação à distorção e à intensidade existente dessa distorção entre o limiar necessário à ativação quântica dessa quarta dimensão e a realidade do que foi observado em 27.

Isso traduz algo de extremamente prejudicial para a evolução do conjunto do planeta, obviamente, mesmo se esse processo já se produziu em outros tempos e em outros lugares, em outros planetas, se preferem.

Questão: poderia fazer-nos um relatório do nível vibratório, hoje, sobre a Terra?

Isso se resume a uma incapacidade para atingir, devido a essa distorção existente, o nível desejável e indispensável para passar a esse nível intermediário quarto.
Um impulso vibratório extremamente importante foi induzido pelo Sol Central, que induziu, por reação, um impulso do núcleo que corresponde, aliás, a um aumento observado ao nível da camada intermediária, chamada magma.
Esse aumento de pressão deveria induzir, obviamente, um impulso ao nível da casca e, portanto, um conjunto de modificações geológicas elementares ao nível do conjunto do planeta, que, infelizmente, absolutamente, não se produziu, tendo induzido, com isso, uma incapacidade da Terra para responder, ao nível da casca de superfície, ao impulso espiritual que foi dado.

Os estragos, de momento, não são irreversíveis ao nível do núcleo, mas a pressão aumenta, muito rapidamente.
Imaginem uma pressão extensiva, à qual se opõe uma pressão compressiva.
Quem vai ganhar?

Questão: podemos ajudar esse processo?

Todo ser humano, tomado a título individual, pode ajudar o fenômeno coletivo.
Mas as forças de compressão impedem-se, elas mesmas, de encontrar a Luz, impedindo, também, as forças de expansão do núcleo.
Elas são ligadas, eu dizia, precedentemente, ao conjunto de consciências encarnadas que vivem no mundo de superfície.

Obviamente que cada pensamento de Luz, obviamente que cada emissão positiva de Luz vem aliviar o fenômeno compressivo, mas o esforço necessário, de momento, é, sobretudo, demandado ao nível daqueles que já tiveram acesso.

Nós podemos apenas reforçar, ainda mais, o nível do Intraterra e do núcleo, a força de expansão influenciada e semeada pelo Sol Central, até um ponto de distorção extrema entre as forças expansivas e as forças compressivas.

Nós estamos nesse período de incerteza quanto à hesitação de diferentes energias, num sentido ou no outro.

Questão: o que pode acontecer?

Caro irmão, existem três casos de hipóteses possíveis: ou as forças de expansão conseguem imprimir e irradiar, sobre a casca terrestre, a totalidade de energias recebidas do Sol Central, caso em que haverá reajustes elementares e geológicos essenciais, mas não finais, que permitem à Terra alinhar-se, realinhar-se sob as influências cósmicas, eu diria, um pouco mais positivas, caso em que é o resultado esperado pelas forças da Luz autêntica e a confederação intergaláctica.

Segunda hipótese: o nível de compressão, força de oposição, torna-se tal que nada possa ser feito para evitar o que se chama uma explosão planetária.

Terceira hipótese, o mais difícil de obter, que consiste em equilibrar, em um fenômeno de status quo, as forças compressivas e as forças expansivas até um novo limiar de influência de energias expansivas, agora, a crosta terrestre, a casca terrestre, num nível de tensão extrema, entretanto, suportável, esperando que um novo limiar, que deve reproduzir-se antes do verão do ano de 2006 [inverno, no hemisfério sul] permita, enfim, às forças de expansão chegar ao seu objetivo.

Agora, se o status quo é mantido até uma próxima efusão, isso se traduzirá, entretanto, ao nível do ser humano, por fenômenos de tensões cada vez maiores, de distorções cada vez maiores ao nível da alma humana, entre essas polaridades compressivas de atração para a matéria e expansivas de expansão para a Luz.

Mas tudo é possível, porque esse episódio de status quo, de equilíbrio entre as duas forças em presença é um fenômeno extremamente instável por natureza.
 
Mas isso depende de todas as vontades, orientadas num sentido ou no outro, tanto ao nível do mundo de superfície como de diferentes facções existentes no Intraterra.
Isso depende, unicamente, de forças em presença e da realidade da confrontação de forças em presença.

Questão: os cristais podem facilitar a integração dessas energias?

Há, nesse nível, caros irmãos e irmãs, não pedra específica a cada alma, mas, efetivamente, alguns cristais que podem permitir-lhes realizar um alinhamento mais favorável para a livre expressão do processo expansivo de descida da irradiação do Sol Central Sírius no interior de suas estruturas

Por exemplo, a pedra que vai permitir-lhes alinhar suas estruturas físicas, mentais e espirituais com essa vibração e, ao mesmo tempo, enraizá-los: a obsidiana celeste, levá-la, permanentemente, não, necessariamente, em lugares precisos (chacras ou outros), mas, simplesmente, com vocês.

Será tempo, para mim, de voltar à minha região de quinta dimensão, e deixar meu walk-in voltar, após sua pequena viagem.

Eu os saúdo.
__________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

27 de dez de 2005

O.M. AÏVANHOV – 27 de dezembro de 2005

DO SITE AUTRES DIMENSIONS.


Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui



Bem, caros amigos, aqui estou, extremamente contente por encontrá-los novamente, como previmos ontem. 

Eu os saúdo.

Como observaram, inúmeros eventos que devem produzir-se, ainda não chegaram.

Isso corresponde a algo que é uma distorção entre a realidade do impacto energético que se produziu no momento previsto e que, no entanto, não provoca, de momento, a reação desejada ao nível da Terra.
Mas, quanto mais o espaço de tempo cresce entre o advento da energia e a reação das energias opostas a essa energia, mais as consequências disso são extremamente prejudiciais para o planeta.
Isso é algo extremamente importante a compreender.

A partir do momento em que uma qualidade de energia manifesta-se, a um dado momento, e que não há reações e ressonância, reação de implementação do que deve produzir-se, para permitir a eclosão da energia na matéria, isso traduz um fenômeno de desarmonia extremamente importante.
Se preferem, um momento de não resposta em relação à ignição, isso traduz uma inércia muito maior de sistemas que vão provocar, no momento em que a explosão do espancar ocorrer, uma onda de choque muito mais violenta, muito mais intensiva, muito mais extensiva do que o que foi previsto inicialmente.

Em nenhum momento, antes da entrada nas camadas sutis do planeta, nós podemos decidir o momento da adequação dessas energias que vêm da décima oitava dimensão à sua terceira dimensão.
Isso quer dizer e isso implica que os eventos (cinturão de fogo do Pacífico, circulação de massas aéricas extremamente importantes, sismos extremamente importantes e, enfim, maremotos) que devem produzir-se, produzir-se-ão, necessariamente, mas a amplitude excederá o que havia sido previsto, porque o nível de inércia de diferentes camadas da terceira dimensão do planeta teve muita dificuldade para reagir, devido à densidade, à materialidade, muito demasiado compacta, muito demasiado densa, que necessitam de um afluxo de fogo muito mais intenso do que havia sido previsto.

Compreendam, efetivamente, que a descida do Espírito Santo não é algo que se produz e que se para.
Ela começou há mais de dez anos.
E ela continua, para chegar ao seu apogeu, o paroxismo da descida que ocorreu hoje.
E agora, essa energia acumula-se na matéria, acumula-se nas células, acumula-se na humanidade, até o momento em que ela permitirá a eclosão do fogo da Terra.

Ora, o fogo da Terra é, agora, adiado de certo número de dias, não muito mais, mas certo número de dias, aparentemente.
Isso se traduzirá, inexoravelmente, por confrontações extremamente importantes entre os elementos, entre os homens, entre as células do corpo.
Isso não se fará sem desgastes importantes.
Isso é algo de extremamente solene.
Isso corresponde a uma desarmonia, a uma não recepção do Espírito Santo na matéria.

O fogo aquece a matéria.
E a matéria reagirá, não por uma subida progressiva, mas por uma onda de choque, extremamente potente e devastadora.
Convém, agora e já, caros amigos, estar na realidade, preparar-se para algo que será, certamente, muito mais importante do que um espancar cósmico.
Nós devemos ter-nos prontos para qualquer eventualidade.

Quanto mais o tempo passa em horas, em dias (e nós não esperamos mais), mais isso traduz a dificuldade para subir na vibração do planeta, a subida em vibração dos planos sutis do planeta, o que é extremamente prejudicial, ao menos num tempo relativamente curto.
Mas isso não deve impedir-nos de regozijarmos por receber esse Espírito Santo, mas deve, também, atrair nossa atenção a eventos que serão, certamente, um pouco menos controlados do que deveriam ser e do que havia sido anunciado desde várias semanas, percebido por inúmeros médiuns sobre o planeta, e por numerosos canais.

Aí está o que eu tinha a dizer-lhes.
Instante extremamente importante, instante de gravidade.
Nós não podemos mais assegurar a ordem de manifestação de elementos, entretanto, isso se produzirá.
Nós esperamos, ainda, através do reajuste de redes magnéticas fornecidas pelos povos do Intraterra, poder dirigir esse fogo a lugares de menor população, mas, também, a zonas de menor estrago ao nível da casca terrestre a ao nível dos mantos sutis do planeta.
Aí está, onde estamos hoje.

Agora, caros amigos, que isso não nos impeça de discutir, como de hábito, sobre sua evolução, sobre sua conduta a ter e adaptação de seus organismos físicos e sutis.
Vamos, portanto, estar à sua escuta, nas questões e interrogações que surgem no interior de suas consciências.
Eu os escuto, portanto.

Questão: o futuro existe?

Aí está uma questão extremamente grave.
Na terceira dimensão, nas limitações cármicas, ação/reação, nas quais vocês foram forçados a evoluir, nas quais nós fomos forçados a evoluir há 52.000 anos, mais de 52.000 anos, é evidente que o futuro existe.

Mas será que o futuro existe no presente, no passado ou em outra dimensão?

Na terceira dimensão, nós falamos de um tempo linear, passado/presente/futuro, que se sucedem no tempo, um após o outro.
Mas, em outro nível de consciência, em especial do nível em que eu lhes falo, é evidente essa trama linear (passado/presente/futuro) não existe, absolutamente.

Há, em contrapartida, eventos absolutamente certos.
Nós podemos dizer que a consciência planetária desloca-se de acordo com uma norma específica.
A consciência do humano desloca-se de acordo com uma norma específica que vem do futuro para o passado, para o presente, numa outra direção que não a que nós observamos na terceira dimensão.
Isso é extremamente difícil e árduo a compreender.

O futuro existe, sim.
Os eventos, quaisquer que sejam, como o nascimento, a morte ao nível de uma célula, ao nível de um indivíduo, ao nível de um planeta, ao nível de um Sistema Solar, ao nível de uma galáxia, obviamente, existem.
Eles são programados, mas como sendo programados e tendo, entretanto, a noção de liberdade para acontecer, os caminhos são múltiplos.
Entretanto, o futuro, obviamente, existe.

Aí está, sem entrar nas leis matemáticas extremamente complexas, que eu mesmo não conheço, lá onde eu estou.
Seria, para mim, difícil ir mais adiante na distinção sobre a existência do futuro.

Questão: o que se chama de espiritualização da matéria?

Isso, à primeira vista, é extremamente simples.
A espiritualização da matéria é o que está acontecendo com o impacto do Espírito Santo na matéria.
Trata-se de uma subida na vibração, que permite uma etereação da matéria, ou seja, a matéria torna-se mais ampla, mais flexível, mais arejada.

A matéria eteriza-se.
Ela passa da terceira à quarta dimensão.
Naquele momento, a consciência torna-se muito mais móvel, muito mais solta, muito menos engramada, enquistada, confinada na matéria e chega a desengajar da matéria, a evoluir, a espiritualizar, ou seja, a subir na vibração, ainda mais.

A espiritualização da matéria é o que vocês chamam a ascensão.
É o que, nos textos antigos, foi chamada a ressurreição, ou seja, a reconexão com sua própria Fonte Divina.
Mas, efetivamente, há transubstanciação da matéria, o que quer dizer que, na própria estrutura atômica, há uma modificação de movimentos eletrônicos, uma modificação da constituição dos próprios núcleos atômicos, um fenômeno de elevação.

Quando um ser humano espiritualiza seu corpo, seu corpo passa da terceira à quarta dimensão.
Sua consciência, que estava na terceira dimensão, passa, totalmente, à quinta dimensão.
Há etereação.
Há substituição de alguns átomos constituintes por outros átomos, muito mais leves.
Há, também, modificação vibratória do DNA, mas, também, do número de filamentos de DNA.
Isso nos levaria demasiado longe.

Aí está o que se pode entender por espiritualização da matéria.

Trata-se, obviamente, no que concerne, em todo caso, ao que está acontecendo ao planeta, de uma espiritualização total (habitantes, homens, almas, vegetais, animais): tudo o que deve elevar-se, deve elevar-se.
Tudo o que não puder elevar-se será reciclado e começará uma vida em outro lugar.
O planeta Terra é um planeta sagrado.

A ascensão planetária e o apelo do Espírito Santo que ela recebeu é uma revelação de sua sacralidade e, portanto, uma sacralização real de seus modos de manifestações de vida.
Portanto, o fenômeno de espiritualização da matéria não concerne, unicamente, ao ser humano, mas, obviamente, a tudo o que está presente na superfície, na altura, mas, também, nas profundezas da Terra.
É nisso que esse processo é único.

Questão: qual é o papel do som na espiritualização da matéria?

O som é extremamente importante.
Em minha vida, eu me exprimi muito sobre o que se chama a música das esferas, a música das esferas angélicas, a música das esferas serafínicas.
Cada esfera de emanação apresenta uma gama musical extremamente importante.
Obviamente que, na espiritualização da matéria, a energia do Espírito Santo é acompanhada por um novo som, eu diria mesmo, por novos sons.

A gama da terceira dimensão é uma gama a sete: sete notas musicais, sete dias na semana.
Ora, a passagem da terceira dimensão à quinta dimensão acompanha-se de uma passagem de referencial sete para um referencial doze.
Obviamente, há cinco novos sons que estão em encarnação de manifestação.

Questão: poderia explicar a diferença entre o canto da alma e o canto do Espírito?

Perfeitamente.
O canto da alma é algo que corresponde ao momento em que a alma entra em contato com o coração.
O canto do Espírito corresponde ao momento em que a alma entra em contato com o Espírito.
O som é muito mais alto e muito mais agudo.

Progressivamente e à medida que esse canto (porque é um canto, também) aproxima-se do nível das esferas as mais elevadas do Espírito, ele se torna quase um infrassom.

Questão: como fazer a diferença entre uma «verdadeira» mensagem ou uma projeção?

Pergunte: Espírito Santo, é você?
Shekina, é você?
E Shakti, você está aí?
Sobretudo agora.

Questão: por que Cristo manifesta-se, enquanto estou mais atraído para o budismo?

Porque há apenas um único mestre: é Cristo.
Porque há apenas um único mestre: o Pai.
E apenas o Filho é o Filho do Pai.

Caro amigo, seu caminho está ligado à energia Crística.
A libertação de toda alma passa pelo Cristo, mesmo se ele for chamado diferentemente, mesmo se se queira chamá-lo de Tartampion, é sempre Cristo.
Não há outro caminho.

Não é por acaso se esse grande neófito disse: «Eu sou o caminho, a verdade e a vida».
Não há alternativa além da passagem pela energia Crística e, no seu caso, a presença Crística, devido à sua filiação.

Você pode encontrar-se com todos os Mestres que quiser, mas não há outros mestres que não você, em relação com o Filho, Ele mesmo em relação com o Pai, ou seja, com sua Fonte.
Sua filiação é uma filiação Crística e não se pode renegar a filiação.

Agora, não me pergunte, hoje, o que é a filiação Crística; reflita um pouco sobre isso.

Pergunte ao Espírito Santo!

Questão: como entrar em contato com os gnomos?

Eu falei deles em numerosas conferências de minha vida.
É preciso honrar os reinos da natureza e os habitantes da natureza.
Agora, esse tipo de habitante é sensível às oferendas.
Qual tipo de oferenda pode-se fazer aos habitantes da Terra, aos gnomos?
Convém aportar a eles presentes, e presentes muito simples.
Pode ser um pequeno biscoito, algo que você tenha feito com suas mãos, e que você vai levar no lugar.

Em meus livros, eu falei de Espíritos elementares da natureza, e eu dei certo número de indicações sobre os papéis e as funções das sereias, dos silfos, das salamandras, dos elfos e dos gnomos.
Releiam.
Vocês verão.

Há certo número de elementos que são extremamente importantes a compreender quanto à sua atribuição e ao seu papel precisos.
Vocês não podem, absolutamente, molestar o mundo e a dimensão deles.
Vocês podem apenas entrar em ressonância, na condição de aportar-lhes presentes.

Cada Espírito elementar tem um amor imoderado pelo que ele reina e sobre o qual ele vive.
No que concerne aos gnomos, é o amor da Terra, o amor da floresta, o amor das madeiras.
No que concerne às sereias e aos silfos, é o amor da água.
No que concerne às salamandras, é o amor do fogo, e assim por diante.

As sereias e os silfos são muito sensíveis aos metais e o que foi fabricado por si mesmo com um metal, com uma forma.
Não necessariamente uma joia de grande valor, mas algo que foi trabalhado pela mão daquele que oferece.
As sereias e os silfos são ligados a diferentes tipos de água.
Agora, chamam-nos, indiferentemente, na tradição, sereia e silfo.
Há uma pequena diferença, de acordo com a procedência.
Entretanto, eles participam do mesmo reino.
É como os elfos e os gnomos, é a mesma coisa, sensivelmente.

Às salamandras, é preciso oferecer algo que queimou e que passou pelo fogo, por exemplo, pegar a cinza, fazer uma modelagem em cinza, misturando a cinza e massa para modelar, fazer uma modelagem extremamente precisa, à mão, sempre, e aportar esse presente, no lugar onde vivem as salamandras, que não é muito longe da água.

Para os elfos, é um pouco mais complicado.
Geralmente, é preciso fazer uma coroa tecida com plumas e aportar a eles, ao pé de uma árvore, o mais alto, exposta ao ar, sempre feita pela mão daquele que quer entrar em contato.

Aí está, caros amigos, eu já me exprimi suficientemente sobre coisas que já escrevi em minha vida, em algumas conferências, não indo mesmo mais longe sobre os presentes ritualísticos e magias precisos, que podemos fazer para entrar em contato com as energias elementares.
Esses mundos da natureza são extremamente importantes.

Eu lhes agradeço, agora.
E eu penso, agora, que vamos deixar-nos, e ver-nos-emos quando vocês o desejarem.

Eu lhes aporto a minha bênção e, sobretudo, a minha coragem.

Eu lhes digo até breve.

__________________

Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.