Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

11 de nov de 2006

O.M. AÏVANHOV – 11 de novembro de 2006


DO SITE AUTRES DIMENSIONS.


Bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los.
Então, se quiserem, vamos começar, agora e já, a responder às suas questões.

Questão: o fato de ter sido considerado como um grande mestre durante sua vida mudou algo em seu caminho, após sua morte?

Então, caro amigo, vou responder-lhe de uma maneira que é extremamente simples.
O fato, a maneira pela qual você é considerado desse lado no qual você está do véu não tem qualquer espécie de importância.
A progressão faz-se, unicamente, em função do bem que você terá feito ao seu redor.

Eu não gosto muito da palavra amor, porque nela colocaram muitas coisas que não são do amor, mas de coisas diferentes, então, progressivamente e à medida de cada um de seus feitos, você o nutrirá, você o regará dessa vontade de bem, você crescerá em sua aura e crescerá em seu potencial espiritual.
É a única coisa que importa e em relação à evolução de sua alma e de seu espírito.

Então, não o julgarão e você mesmo não será julgado através da noção de mestria aparente, mas da mestria real que você tiver colocado para aportar o bem ao seu redor.
É a única coisa que permite crescer na evolução espiritual e, absolutamente, nada mais e, sobretudo, não o papel conhecido ou desconhecido que você teve em sua vida.

O bem que eu fiz, caro amigo, fez-se através do ensinamento, mas, também, através de todos os seres que eu pude encontrar em minha vida, para os quais eu sempre tentei aportar vontade de bem, não, necessariamente, através de palavras, não, necessariamente, através de grandes discursos nem de conferências, mas, simplesmente, a cada encontro que eu dava.
Isso influenciou meu caminho de alma da maneira em que, progressivamente e à medida que vocês nutrem outros seres humanos no sentido da Luz e do bem, progressivamente sua alma expande-se e junta-se às fronteiras de seu Espírito, que é o reflexo do Espírito da Unidade.

Vocês devem ter certo número de caminhos, digamos, de experiências de vida para chegar a fazer o bem por toda a parte em que vocês passem, independentemente, como dizia o Cristo, de noção de julgamento, da noção de cartesianismo.
É preciso chegar a avançar na vida, portando o máximo de bem a todos os seres que vocês encontram, tanto amigos como inimigos.
É a única coisa que entra em conta na pesagem, no peso da balança.
Os poderes espirituais são apenas a consequência disso.

Vocês não serão julgados sobre a utilização de sua doação (porque não é uma doação, é algo que é natural), vocês serão, unicamente, julgados sobre a qualidade de bem que vocês tenham feito ao seu redor.
Quando eu digo ao seu redor não é, unicamente, a família, são todos os seres que vocês vão encontrar.

O importante não é estar próximo ou afastar-se, o importante é o que vocês fazem em Espírito, em relação a essa pessoa.
Vocês podem dar-lhe uma bofetada na cara e amá-la muito, e enviar a ela o máximo de bem e de Luz, isso é o Espírito que age.
Mas vocês podem, também, tomar uma pessoa em seus braços, dizer a ela que vocês a amam e emitir pensamentos de morte, de inveja, de julgamento.
O importante é o que acontece em seu Espírito.

Questão: o que acontece quando a expansão da alma vem tocar o Espírito?

Naquele momento, vocês vão descobrir os inúmeros poderes da alma, os dons místicos múltiplos que foram descritos por diferentes santos e vividos por diferentes santos ou diferentes pessoas consideradas como santas ou que viveram em um odor de santidade.

Então, primeiramente, vocês vão ouvir o canto da alma e o canto do Espírito em seus ouvidos, em sua cabeça.
Em seguida, vão afinar as percepções vibratórias, mas, isso, é a consequência.
Aqueles que têm percepções vibratórias ou de dons não estão, necessariamente, na Luz, é preciso, efetivamente, compreender isso.
É preciso que isso se torne uma consequência e não a causa, isso é extremamente importante a compreender.

Então, a partir do momento em que vocês fazem o bem e, cada vez mais, o bem, a partir do momento em que o julgamento deixa sua cabeça, em que vocês estão em uma neutralidade benevolente, vocês vão adquirir certo número de potencialidades novas, que vão despertar-se a vocês.
Mas não é preciso procurar adquirir essas potencialidades se vocês não fazem o bem porque, aí, vocês entram em esquemas que não vão ao sentido da Luz.
Porque potencialidades psíquicas podem desenvolver-se sem que haja qualquer evolução da alma.

Você pode tornar-se clarividente, poderá ter acesso a fontes de informações situadas ao nível astral, portanto, emocional, mas que não estão em relação com a evolução espiritual.
Os dons e a ilusão do dom são duas coisas que podem confundir-se quando se está no ego e na personalidade.
É preciso, efetivamente, ver que, mesmo o potencial da alma, a partir do momento em que há abertura à vontade de bem, isso não quer dizer que tudo seja bem sucedido naquele momento, porque isso vai depender, também, do uso que é feito do dom.

Se esse dom é utilizado para manipular o outro, se esse dom é utilizado em seu proveito pessoal, naquele momento, há desvio da Luz.
A dificuldade e a armadilha no caminho da mestria situam-se nesse nível.
Inúmeros médiuns foram tentados a utilizar seu próprio dom em proveito próprio e, portanto, transformar a realidade do que era recebido para favorecerem o que eles queriam.

Questão: eu estou na distorção de meus potenciais ou não?

O caminho permanecerá, sempre, claro, a partir do momento em que vocês chegarem ao cerne da questão, tal como você coloca.
Isso quer dizer que, progressivamente e à medida de sua expansão para a Luz autêntica, para a vontade de bem, enquanto vocês se colocam a questão, isso quer dizer que o ego está, ainda, no guard-rail e que a alma, também, está no guard-rail.

A partir do momento em que há a certeza, em que não há mais a dúvida (o que não quer dizer não ter a fé), isso quer dizer que o ego tomou a frente.
Não confundir o ensinamento do mestre e os poderes do mestre e crer que esse mestre de sua vida não tenha experimentado a dúvida.
Eu mesmo, quando estive na prisão, acreditem, efetivamente, que eu duvidei, não houve um dia de minha vida, quaisquer que fossem os eventos vividos, qualquer que fosse a mestria, quaisquer que fossem os contatos, em que eu não tenha duvidado da correção de meu caminho.
E, no entanto, Deus sabe que a fé jamais me deixou.

Não confundir o que se chama a fé em Deus, a fé na Luz e a fé em si, são duas coisas totalmente diferentes.

Questão: por que seus ensinamentos são tão perturbantes para algumas pessoas?

Cara amiga, há algo que é importante a compreender, há uma emanação áurica de casulos de Luz na sala, que está escutando o que eu digo e vocês sabem, efetivamente, que os bla-blas são coisas, mas a atmosfera vibratória é outra coisa.
Independentemente de minhas palavras, isso vai impactar, diretamente, como em minha vida, os seres que cruzam meu caminho e que cruzam o caminho de qualquer mestre encarnado.
E, frequentemente, há seres que vão duvidar – o que é bom –, mas há outros que vão tomar o caminho inverso.

É preciso lembrar-se da história de Judas: não foi por acaso que Judas existiu.
Então, cada mestre vai encontrar apóstolos em seu caminho, que vão seguir seu caminho, mas, também, Judas que vão tentar, a todo custo, apagar essa Luz que os põe em face do próprio ego.

Então, sim, minha presença é impactante, mas não mais do que a presença de Maria ou não importa de qual ser de Luz realizada que desça, realmente, em sua dimensão.

Questão: como explicar que pessoas que vivem certa forma de consciência basculem tão rapidamente no ego?

Mas, cara amiga, para todo ser humano há risco de queda.
Mesmo os seres os mais despertos podem correr o risco da queda.
O ego é o que mantém a vida na terceira dimensão; se não houvesse mais ego, completamente, não haveria mais vida na terceira, vocês teriam ascensionado, diretamente, com seu corpo ou sem seu corpo, mas vocês passariam ao outro lado do véu.

O ego é o que mantém a vida.
A partir do momento em que vocês ainda estão na vida, o ego está presente, então, o ego pode, a qualquer momento, tomar a dianteira.
O Cristo também pediu ao Seu Pai para afastar o cálice, durante a agonia.
Então, compreenda, efetivamente, que um ser humano que não tem a consciência do Cristo está, mesmo se seja um mestre, sob a influência, mesmo mínima, de seu ego, até o último dia de sua vida encarnada.

Questão: como reconhecer um «mestre»?

Obviamente, a primeira coisa que caracteriza um mestre desperto e realizado ou, em todo caso, um mestre, é a humildade, é a primeira das virtudes que deve transparecer, pelos dons, lembrem-se.
Os dons são apenas a consequência e não a causa.

Então, isso é o mais importante.
Um ser que não está na humildade, que não é capaz de olhar uma criança, que olha as coisas do alto, não é um mestre.
Há outros, obviamente, mas ele é aparente a partir do primeiro olhar.
Uma coisa que é importante a saber é que, quando vocês estão no caminho para o despertar, no caminho para a mestria, a partir do momento em que aparecem, realmente, novas potencialidades da alma na encarnação, então, o ego não pode fazer aparecer uma falsa humildade.
Portanto, a humildade é um critério real, quando os dons estão aí.

Agora, obviamente, isso exclui aqueles que trapaceiam ou que iludem a eles mesmos.
Aqueles que estiverem na falsa humildade, ou seja, nos meios conectados um pouco à new-age, como vocês dizem hoje, são pessoas que vão apresentar-se com um lado meloso, um lado de grande adepto da liberdade, um meio de liberados, como se diz, mas que estão completamente envelopados em modos de funcionamento esclerosados.

Então, eles podem apresentar-se com um grande sorriso e dizer-se «não, não, eu nada sou» e apresentar-se como muito doces, digamos.
Entretanto, não é, de modo algum, a realidade do que eles são.
Basta, para isso, pô-los em face do próprio ego, simplesmente, indo contra o que eles pensam ou contra o que eles dizem, e eles se colocarão em cóleras escuras, porque eles, absolutamente, nada controlam e, sobretudo, não as próprias emoções.

Bem, caros amigos, vou deixá-los.
Eu lhes aporto, como de hábito, todo o meu amor, toda a minha bênção, toda a minha vontade de bem e desejo-lhes muita fluidez da unidade nos dias que vêm, e eu lhes digo, certamente, até muito em breve.
Fiquem bem.
___________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

Um comentário:

  1. Então, cada mestre vai encontrar apóstolos em seu caminho, que vão seguir seu caminho, mas, também, Judas que vão tentar, a todo custo, apagar essa Luz que os põe em face do próprio ego.

    Um ser que não está na humildade, que não é capaz de olhar uma criança, que olha as coisas do alto, não é um mestre.

    A partir do momento em que vocês ainda estão na vida, o ego está presente, então, o ego pode, a qualquer momento, tomar a dianteira. O Cristo também pediu ao Seu Pai para afastar o cálice, durante a agonia.

    ResponderExcluir