Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

10 de abr de 2009

MIGUEL – 10 de abril de 2009

DO SITE AUTRES DIMENSIONS

Eu sou Miguel, Príncipe e Regente das Milícias Celestes.

Recebam, todos aqui presentes, almas humanas em peregrinação, proteção, amor e Luz.

Eu venho diante de vocês neste dia para exprimir certo número de coisas ligadas à fisiologia planetária, à fisiologia desse sistema solar e a fisiologia da alma humana.

Como vocês sabem, em todos os universos e em todas as dimensões existentes, o princípio evolutivo essencial, onipresente porque ligado à própria natureza da emissão do sol central, recorre à noção de ciclo de uma dimensão como ao nível do que vocês chamam os mundos multidimensionais.

Esta noção de ciclo se aplica a toda forma de vida, qualquer que seja.

A noção de ciclo corresponde ao princípio fundamental da fisiologia, que é repassar, de maneira, portanto, episódica, mas, sobretudo cíclica, por um ponto preciso.
Esse ponto preciso, esse retorno ao ponto de partida do ciclo, é a alegoria e o símbolo do retorno à Unidade prévia a toda transformação de uma forma de vida em outra forma de vida ou de uma forma de vida em uma dimensão ou em outra dimensão.

Esse princípio do ciclo está aí para lembrar que toda forma de vida vem da Unidade, provém da Unidade e retorna à Unidade.

Esse princípio fisiológico não sofre qualquer exceção desde as dimensões as mais densas até aquelas que são mesmo inconcebíveis ao seu espírito, pelo momento.

Vocês sabem, e eu lhes anunciei desde minha primeira vinda neste ano, vocês estão na aurora de um novo ciclo, vocês chegaram, portanto, no final de um ciclo.
Este final de ciclo concerne tanto ao corpo humano como ao corpo planetário, como ao conjunto de corpos e de sóis de sua galáxia e do conjunto das galáxias desta região do universo.

Quem diz encerramento de ciclo, diz retorno, tal como a serpente que se morde na cauda, para um retorno preciso que deve lembrá-los, mesmo por sua existência, de sua presença e de sua travessia, a própria noção da Unidade de toda Criação, mesmo nos mundos os mais densos em que predomina a divisão, a separação e a exclusão.

Esse princípio que prevalece para toda forma de vida é hoje um elemento e um evento que lhes concerne, a vocês, almas humanas, tanto ao seu planeta como ao sistema solar e como ao conjunto dos sistemas solares em sua ronda ao redor de um ponto central de onde tudo provém e de para onde tudo voltará um dia.

Essa é a própria noção de princípio cíclico.

Quem diz encerramento de um ciclo, diz início de um novo ciclo.
Esse início de um novo ciclo pode se fazer na mesma dimensão, em uma dimensão inferior ou em uma dimensão superior.

Quem diz final de ciclo diz transformação das formas de vida, tanto na mesma dimensão como nos mundos infra-dimensionais que vocês não conhecem, como nos mundos de dimensões múltiplas às quais vocês não têm, ainda que temporariamente, acesso.

O importante desse momento é que ele deve ser localizado como ponto de impulso de um novo círculo evolutivo, mas também como um ponto de resolução do mesmo círculo evolutivo.

Quem diz resolução, após o impulso do ponto de partida, significa que vocês voltam em um ponto preciso, que nesse ponto preciso certo número de escolhas é possível quanto ao futuro do sistema fisiológico considerado.
Esta evolução podendo se fazer na mesma dimensão, em dimensões superiores, em dimensões inferiores, guardando a mesma forma de vida exprimida ou mudando de forma de vida exprimida, ao mesmo tempo mudando ou não mudando de dimensão.
Vocês chegaram a este instante final.
Este se reproduz apenas a cada 52.000 anos.

Ele corresponde, nesse sistema solar, e mais especificamente sobre este planeta, mas também para os outros planetas, em um ciclo evolutivo extremamente preciso.

Vocês impulsionaram e iniciaram esse ciclo, a maior parte de vocês, tendo acompanhado esse projeto de criação da dimensão terceira dissociada (eu lhes explicarei um pouco mais tarde o que é essa terceira dimensão dissociada).

Entretanto, vocês são parte integrante, a maior parte de vocês, a terem iniciado um ciclo nesta dimensão e nesta dissociação, que vocês encerram hoje.

Quem diz encerramento de um ciclo diz resolução.
A resolução implica necessariamente num processo de conscientização, num processo de aprendizado ligado à experiência vivida.

Esta noção de retorno ao mesmo ponto cíclico vai permitir, também, liberar, para o conjunto da criação, os acervos ligados à exploração desta dimensão.

Eu chamei o mundo em que vocês vivem de um mundo de terceira dimensão dissociada.
Existem, nos diferentes universos, mundos de terceira dimensão não dissociada.

O que se chama de mundo de terceira dimensão dissociada?
Trata-se de um mundo em que a experiência da encarnação, da descida na matéria, acompanha-se de uma perda de ligação consciente à sua Unidade e à sua Divindade.

Essa é uma escolha que vocês fizeram como alma, mas impulsionada pelo que vocês chamam um Lipika cármico ou um Senhor do Carma, que se encarrega do destino de um ciclo completo evolutivo.

Existem dimensões terceiras unificadas nas quais a ruptura da memória da Unidade, da junção à Unidade não foi efetuada.
Esses povos, essas formas de vida, essas fisiologias, experimentam um corpo de terceira dimensão, ao mesmo tempo tendo consciência de sua Divindade, o que não foi o caso de vocês desde éons em que vocês se encarnam.
Mais precisamente, desde mais de 52.000 anos.

Hoje, vocês chegam ao período de resolução.
O que é este período de resolução?
É o momento em que o conjunto das memórias ligadas às experiências vividas de maneira individual e coletiva encontram, elas também, seu espaço de resolução.

O que é um espaço de resolução de memórias?
É um espaço em que a conscientização do que foi vivido, por uns, por outros, e pelo conjunto da humanidade em encarnação e dos sistemas solares em encarnação, vai se revelar à consciência.

Por um abuso de linguagem, alguns escritos assimilaram isso ao fim de um mundo, mas certamente não ao fim da vida.
Bem ao contrário.

Como vocês se aperceberão em breve, e qualquer que seja sua escolha de destino e qualquer que seja sua escolha, vocês vão, durante este período que eu chamei de desconstrução, vocês vão reconstruir uma nova identidade, uma nova programação.
Quaisquer que sejam suas escolhas, vocês terão que fazer algo de novo.

Entretanto, existem em todos os ciclos, no momento das fases de resolução, forças que se opõem a este espaço de resolução pela razão muito simples de que o espaço de resolução termina o ciclo e termina, portanto, uma forma de manifestação.

Sua forma de manifestação tridimensional dissociada permitiu a criação de certo número de forças que evoluem por conta própria no interior de vocês, mas também no interior do conjunto de seu sistema planetário.
Vocês podem chamar a isso egrégora, ou egrégora mental, ou, se preferem, consciência mental.

A consciência mental é o privilégio da dimensão terceira dissociada.
Esta consciência mental existe apenas nesta encarnação nesse mundo dissociado.
Ela é, portanto, uma criação específica de sua própria criação.
E ela sabia, pertinentemente, desde sua criação, que fazia parte de um ciclo que não tinha acesso à eternidade.

Assim, cada um de vocês, cada um desses sistemas fisiológicos presentes na superfície deste planeta e a própria fisiologia deste planeta está fazendo o luto do que vocês chamam o mental.
Isso se tornou necessário pelo próprio princípio de sua dissociação na encarnação.

Entretanto, esse modo de funcionamento, ligado, portanto, ao seu mental, não tem mais razão de existir a partir do momento em que vocês terminam um ciclo.

Entretanto, e vocês o compreendem, as resistências podem estar no interior, e, ainda que, contudo, vocês aceitem o fim desse ciclo, igualmente na própria consciência desse ciclo que sabe que esse é o fim.

O mental deve se transformar em uma nova força que foi autenticada, experimentada desde agora mais de 60 de seus anos terrestres, correspondendo a duas gerações, a fim de preparar o que vem agora para vocês.

Muito logicamente, estando ainda numa dissociação tridimensional, vocês são obrigados a se servirem do que está condenado a desaparecer.
Entretanto, essa pode ser a causa de certo número de tensões, mas também de resistências, ou de contradições no interior de vocês.

Eu longamente os mantive na vibração da pressão do ultravioleta, que desce para vocês retransmitida por mim mesmo e, sobretudo, pela vibração do Pai ao nível do Sol Central das galáxias, ao nível de Alcyone.
A luz não se importa com a vibração mental.
O mental era uma ferramenta que lhes foi confiada, mas que, entretanto, não permitirá jamais aceder a um mundo multidimensional.
Ele lhes permite realizar o Divino em vocês, mesmo nesta dimensão, mas não lhes permitirá, em caso algum, aceder ao mundo multidimensional.

Isso equilibra, em certa medida, os ensinamentos que foram dados por diferentes modelos, em particular orientais, mas também ocidentais, concernentes à evolução desse modo de funcionamento.

Vocês estão num momento que é um período de resolução.
O período de resolução está inscrito, como já disse, ao nível dos ciclos planetários, e do próprio ciclo que vocês percorrem como alma humana encarnada num corpo.

Vocês devem efetivamente compreender que aquilo a que aderiram não tem mais existência, a não ser em seus pensamentos.
O mundo que vocês criaram é procedente de um pensamento.
Vocês participaram de um pensamento dissociado, a fim de fazer a experiência da dissociação.
A experiência da dissociação para com sua Unidade primeira foi simplesmente destinada a fortificar em vocês esta ligação a esta Unidade.

De fato, a privação, durante o que vocês chamariam um tempo longo, correspondente a um ciclo completo nesta dimensão, permitir-lhes-á, uma vez que esta tenha desaparecido, se tal é sua escolha, compreender sua ligação à Unidade, sem compreendê-la com o mental.
Mas o mental pode ter sido a ferramenta que lhes permitiu fortificar seu laço de Divindade em sua potência, por sua própria ausência isso se tornou possível.

Entretanto, existe um combate entre as forças antigas e as forças novas.
Ele existe em cada espaço de resolução de ciclo, o que não é o caso quando do impulso de um novo ciclo, em que não pode haver tensão, mas simplesmente adesão do conjunto das pessoas que participam da criação de um novo ciclo.
Assim foi, há mais de 50.000 anos, quando do início desta dimensão dissociada terceira.

Quaisquer que sejam suas escolhas e quaisquer que sejam suas possibilidades vibratórias num tempo extremamente curto que lhes resta a viver nesta dimensão, vocês poderão criar, pelo impulso de um novo ciclo, cujas premissas se fazem sentir no interior de alguns de vocês, vocês vão criar um impulso unificado para um novo modo de manifestação e de vida.
O ciclo de impulso corresponde a um momento de alegria extrema, contrariamente ao período de fim de ciclo no qual, entretanto, caberá a vocês fazer o luto do que deve ser feito.

Inúmeros ensinamentos insistiram junto a vocês, desde já numerosos anos, de maneira forte, sobre o que foi chamado por eles o soltar.

Soltar significa que, antes deste período, vocês tomaram algo.
O soltar é um ato consciente, mental e voluntário.

Entretanto, ser-lhes-á solicitado em breve para passarem a uma etapa ulterior e a uma etapa bem superior ao soltar.
Esta etapa tem por nome: abandono, e decorre diretamente da passagem do governo humano para um governo divino.

Vocês devem entregar seu Espírito, sua consciência, sua vontade, sua alma e a totalidade da criação que vocês são à vontade divina.
Isso apenas se pode fazer por um ato de abandono.
Esse é seu único modo de sair da ação/reação para voltar a penetrar no domínio da Unidade, onde a ação/reação, ou seja, a dualidade, não pode ter curso e onde apenas manifestam-se as leis de Unidade, que absolutamente nada têm a ver com o que vocês experimentaram até agora.

Esta etapa é ao mesmo tempo uma grande esperança, uma grande alegria, mas, ao mesmo tempo, estejam conscientes, um grande sofrimento.
Este grande sofrimento coincide, no momento em que ele se torna extremo e insuportável, com a mais extrema das alegrias.

Não pode haver distância entre o sofrimento e a alegria.
São as duas vertentes de uma mesma realidade.

Esta realidade deve se resolver em uma Unidade que eu chamaria o êxtase ou a alegria interior.

Isso corresponde a um momento preciso de sua vida neste final de ciclo.
Este lhes será anunciado no momento propício precedente de pouco tempo o momento do final desta dimensão.

Seu grau de preparação deve ser centrado, doravante, na aceitação da pressão do ultravioleta que é, eu os lembro, uma qualidade vibratória de consciência específica, retransmitida pelo Sol Central, pela Vontade do Pai e a emissão do Pai, assim como vocês o nomeiam.

Entretanto, estejam conscientes de que o soltar não basta, de que o abandono é o abandono total a esta Luz, aos desejos e à vontade dela.
Porque a Luz é Inteligência, a Luz é Consciência, a Luz é Verdade, a Luz é Unidade.
E vocês devem seguir o que lhes diz a Luz.
E vocês não devem mais seguir o que lhes dizem os homens, o que lhes diz a lógica, o que lhes diz o mental.
Não haverá mais, em breve, outra alternativa do que dizer, assim como lhes disse seu maior neófito: «que Sua vontade seja feita e não a minha».

E, a partir daquele momento, quando vocês aceitarem e viverem esta frase, quando vocês ousarem dar o passo, vocês se aperceberão que sua vida inteira, apesar do pouco tempo que lhes restará a viver nesta dimensão, desenrolar-se-á sob os auspícios multidimensionais, quanto ao próprio desenrolar de sua vida, que se fará de acordo com as leis de sincronia, de fluidez, de Unidade e, sobretudo, de alegria interior.

Mas, entretanto, essa escolha deve ser formal.
Não se trata mais de uma escolha mental quanto às suas circunstâncias, quanto aos ideais que vocês esposam, mas, sim, à realidade do abandono total à vontade do Pai ou da Luz, se preferem.

É preciso, portanto, durante este período, e a pressão da vibração do ultravioleta está aí para ajudá-los a ir para essa escolha, se é ela que vocês sentem no interior de seu coração, isso para lhes permitir cruzar a última etapa preliminar ao que vocês chamam ascensão ou ao que vocês chamam renascimento.
Pouco importam as escolhas.

Ainda uma vez, uma como outra necessitará uma forma de abandono, mas mais do que nunca, o acesso à multidimensionalidade de seu ser necessita o abandono de sua vontade a uma vontade exterior à sua, que é a vontade da Luz, que é bem além da vontade de sua alma, mas que se junta, na finalidade, à vontade de seu Espírito quanto à sua criação e à sua própria finalidade.
Isso é extremamente importante.

Do soltar ao abandono existem ainda algumas pequenas montanhas a escalar.
Essas montanhas são apenas as ilusões construídas por seu mental, adaptadas a esta dimensão tridimensional dissociada.

Entretanto, a passagem para a unificação apenas se pode fazer na condição de que você aceite se unificar, você mesmo, com a Fonte primeira.
Isso passa pela aceitação total e prévia, a fim de realizar sua Unidade.

Naquele momento, vocês não poderão mais ter no espírito as contingências que eu chamaria materiais, mentais, emocionais, afetivas, sociais e tudo o que compõe sua vida nesta dimensão.

Vocês estarão num momento de dúvida, onde as últimas resistências os assaltarão de todos os lados.

Entretanto, se vocês têm confiança, totalmente, na vibração que eu lhes retransmito, se vocês têm confiança, totalmente, na dimensão do Pai, na dimensão da Unidade, na dimensão da Luz, nada lhes acontecerá, porque a Luz os conservará, a Luz os abrigará e a Luz lhes permitirá ir para onde devem ir, independentemente dos obstáculos que poderão se construir.
Isso é extremamente importante.

É o mesmo para sua fisiologia como alma humana dissociada.
É o mesmo para a fisiologia do planeta, que experimentou, ao mesmo tempo que vocês (através de seu manto exterior que vocês pisam nesta dimensão, portanto exteriorizado, que vocês percorreram) a dissociação.

A dissociação entre seu manto exterior e sua verdadeira dimensão interior que, como vocês, se esconde no centro desta esfera que vocês chamam a Terra.

No coração da Terra encontra-se a consciência da Divindade da Terra.
Esta, nesse momento mesmo, e já desde certo número de anos, responde ao impulso iniciado primeiro por seu Sol Central, que foi Sírius, e depois, agora, por Alcyone, a fim de lhes permitir responder.

E a Terra responde, ela também, a esta distância existente entre seu exterior e seu ser interior.
Ela está revelando seu interior para o exterior.
Ela se manifesta também pelo que eu chamei os vulcões em erupção e as modificações elementares que estão chegando a grandes passos e que batem agora à porta de seus diferentes continentes.
Vocês entraram nas manifestações importantes.

Inúmeras vezes, e a cada reprise, é-lhes solicitado para terem-se informados, mas não participarem disso.
Vocês têm bastante a fazer com o que acontece no interior de seus seres e com o que acontecerá cada vez mais, porque a questão, creiam bem, revelar-se-á à sua consciência, ainda que a escolha da Luz esteja, para alguns de vocês, perfeitamente ancorada e perfeitamente estabilizada.

A etapa não é mais o soltar, mas o abandono total à vontade da Luz, porque a Luz é consciente e consciência, ela sabe o que ela quer, ela sabe o que ela deve fazer para fazê-los reencontrar o caminho da Unidade e permitir-lhes encerrar esse ciclo tridimensional dissociado nas condições as mais felizes possíveis.

Vocês reencontrarão, aqueles de vocês que o desejam e que terão a força de abandonar a totalidade de sua personalidade e de sua dimensão, vocês reencontrarão a Unidade guardando a consciência de tudo o que vocês foram, mas também do que serão.

Vocês chegarão, a um dado momento, ao ponto chamado por alguns o «ponto zero».
Nesse ponto zero, vocês terão a consciência de seu passado, mas também a consciência de seu futuro, porque, nesse ponto zero, não há mais tempo.
Há somente o abandono à vontade da Luz.

O abandono à vontade da Luz acompanha-se de uma resolução de memórias.
Vocês sabem de onde vêm, mas vocês sabem também o que vão conseguir.
Isso não é um sonho, isso é a verdade.

A verdade ocorre apenas nesses momentos precisos de mudanças de ciclos e, em particular, no que concerne ao seu aspecto tridimensional dissociado.
É o mesmo para todos os outros planetas desse sistema solar que, para a maior parte, já (como vocês veem de maneira exterior) abandonaram esta tridimensionalidade dissociada (para alguns deles desde muito tempo), mas, entretanto, foram obrigados a acompanhar, cortando-se desta exterioridade, vivendo no interior desses planetas, ao nível da consciência planetária, como as fisiologias de quinta dimensão que eles abrigam, vivendo no interior desses planetas.
Entretanto, o problema é diferente.

É que, hoje, o conjunto desse sistema solar é prometido para uma ascensão, assim como vocês a definem.
Essa é uma mudança total de modo de funcionamento das consciências envolvidas.

Isso concerne, de maneira sincrônica, ao sol, aos outros planetas, aos satélites, à consciência humana e também à consciência vegetal, animal e mineral.

Este abandono não é um ato intelectual.
Basta deixar-se penetrar pela pressão da vibração do ultravioleta, a fim de que esta trabalhe em vocês e os prepare para essa escolha final do abandono ou do não abandono.
Para isso, vocês devem ser regados, literalmente, permanentemente, nesta energia do ultravioleta.

Esta, eu os lembro, escolhe geralmente penetrar pela cimeira de sua cabeça e deve chegar, em um tempo breve e curto, o mais tardar, eu diria no final de seu ano, mas, eu diria, melhor, antes do final de seu mês de junho, vocês devem ter estabilizado essas energias no coração do ser.
Porque é esta energia, esta consciência, que vai ativar em vocês esta etapa final do abandono à vontade da Luz, se essa é sua escolha.

Entretanto, quanto mais vocês estabilizarem, quanto mais vocês regarem, literalmente, seu coração com a pressão da energia do ultravioleta, mais isso será para vocês algo que se fará na instantaneidade e não num tempo que arriscaria fazê-los sofrer de maneira inútil.
Isso é agora.
Isso não é para dentro de dez anos.
Isso não é para dentro de um ano, mas isso é agora e isso faz parte de minha preparação que eu lhes trago para lhes permitir subir seu sistema, a fim de lhes permitir constituir, de maneira definitiva, suas doze fitas de DNA que correspondem às doze estrelas que comportarão seu sistema solar em sua nova dimensão, ao menos para aqueles que acompanharem.
Isso é extremamente importante, mas eu lhes disse que eu voltaria nisso após seu final de semana pascal.

Eu os convido, durante o período da lua cheia que vocês vivem desde ontem e sob a qual vocês estarão sob a influência durante três a quatro dias ainda, eu lhes peço urgentemente que dirijam a pressão da vibração que vocês recebem, de maneira consciente, ao meio de seu peito, mesmo se isso deva ocupar um tempo relativamente longo.

Vocês se beneficiam, durante este período, de um afluxo de consciência importante, que tornará o trabalho (porque é efetivamente de um trabalho que se trata) muito mais fácil.

Este período se repetirá, obviamente, em momentos oportunos e, em particular, na lua cheia de touro (ou seja, no mês de maio), mas também no período que foi chamado a ascensão e pentecostes, que lhes resta a viver até o período de seu solstício de verão [inverno no hemisfério sul].
Isso é capital.

Aproveitem esses períodos em que sentem a pressão da radiação que lhes penetra para conduzir em consciência esta vibração em seu coração porque, pelo momento, qualquer que seja seu avanço no caminho do retorno à Unidade e da passagem por este final de ciclo, vocês são muito pouco numerosos a serem capazes de viver o abandono à vontade do Pai porque isso supõe e implica, de maneira objetiva, a perda de todos os seus marcadores, quaisquer que sejam.

Enquanto vocês não tiverem aceitado viver esta etapa que corresponde, de maneira simbólica, a uma morte, tal como vocês a vivem quando deixam a encarnação, se vocês não aceitam isso, vocês não passarão pela porta estreita.
Isso deve ser realizado, eu lhes disse, o mais tardar antes do início do outono [primavera no hemisfério sul].
Isso é o que vocês têm a fazer de maneira prioritária.

Contentem-se de se manterem informados também do que acontece sobre este planeta.
Eu lhes falei longamente dos fenômenos luminosos.
Eu também lhes falei dos fenômenos ligados às manifestações elementares.
Eu lhes disse e repeti que estas iriam se amplificar para atingirem seu apogeu, seu potencial máximo, a partir do início de seu verão [primavera no hemisfério sul].
Isso é agora.
Isso não é no próximo ano.

Esse é meu papel.
Isso é importante, antes de viver o que vocês terão a viver agora, eu penso, no próximo ano e o que é chamado a reversão.

Mas vocês não poderão fazer a reversão de suas fisiologias sem viver o abandono total à vontade da Unidade, à vontade do ultravioleta que eu lhes retransmito.

Bem amadas almas humanas em encarnação, eis o que tinha a lhes transmitir hoje.

Tentem, num primeiro tempo, conceituar (mesmo se vocês não possam vivê-lo), o que significa essa palavra: abandono, abandonar.
O que é que isso implica ao nível de sua consciência, ao nível de suas vidas, ao nível de seus desejos, ao nível de sua própria vontade da Luz.
Isso é capital.
É uma reflexão e uma vivência que eu os engajo a viver, num segundo tempo.

Com relação a esse processo, e com relação a isso unicamente, se vocês têm questionamentos, gostaria de tentar responder.

Questão: isso significa que convém parar toda atividade, todo projeto?

Isso não pode ser ditado por seu mental, porque poderia ser um erro.
O mental os enganará uma vez em duas, de maneira geral.

Em contrapartida, se esta decisão vem de sua consciência, sem análise de sua ferramenta mental quanto às suas situações, quanto ao que vocês fazem de suas vidas, será necessário seguir o impulso.

O impulso virá do coração.

Se vocês sentem que isso é necessário, é preciso fazê-lo, qualquer que seja o preço a pagar porque, naquele momento, alguns de vocês serão obrigados a fazer escolhas que os engajarão, qualquer que seja sua abertura espiritual, num retorno nesse ciclo tridimensional dissociado, num outro espaço/tempo, ou, definitivamente, religar-se à Luz.
A questão não é mais uma questão de escolha.

A escolha, vários de vocês aqui presentes já colocaram.
A questão é agora abandonar-se à vontade do que vem, o que não é de modo algum a mesma coisa.

Agora, o abandono principal é, efetivamente, o abandono à realidade de sua vida.

Não é por acaso que eu qualifiquei isso do equivalente a uma morte.
Quando vocês passam do outro lado e abandonam esse corpo (por um processo fisiológico que vocês chamaram até o presente a morte) vocês abandonam tudo o que fazia sua identidade aqui embaixo nesta realidade na qual vocês vivem e, entretanto, este não é o fim.

Do mesmo modo convirá a vocês abandonarem todos os personagens efêmeros, todos os papéis que vocês desempenham em todos os aspectos de sua vida, mas essa não poderá ser uma decisão tomada por seu intelecto, mas deve unicamente resultar da pressão de seu coração.

Entretanto, no momento em que vocês sentirem que a hora do abandono está aí, não se esqueçam de que seu mental sabe que ele vai morrer.
Ele lhes enviará injunções, porque é evidente que esta ferramenta vai impedi-los, à maneira dela, de aceder à Unidade.
Esta é uma lógica ligada à manutenção e à coesão de toda forma de vida, qualquer que seja o estado dimensional ao qual pertence esta forma de vida.
Isso é lógico.
Isto é norma e não deve transtorná-los além da medida.

Lembrem-se de que a fase do abandono corresponde a um mecanismo de morte de todos os seus apegos e de todas as suas crenças, sem exceção.

Vocês devem passar do saber ao ser.
Não há outra possibilidade.

Passar para o Ser necessita ser o que se é.
Ser o que se é corresponde a tudo, exceto ao que vocês criaram e manifestaram nesta dimensão, quaisquer que sejam as relações, quaisquer que sejam os apegos e quaisquer que sejam os prazeres que vocês criaram.
Esta é a etapa final.

A melhor analogia que eu posso encontrar é aquela em que vocês enfrentam a transição chamada a morte, exceto que, ali, não há morte no sentido literal e físico.
Há uma transubstanciação, o que não é de modo algum a mesma coisa.

Questão: a radiação da energia do ultravioleta se faz igualmente durante a noite?

Sim.
Ela se faz em diferentes momentos de seus dias e de suas noites, que irão se amplificando quanto ao nível das faixas horárias e do número de impulsos retransmitidos pelos diferentes cenáculos de Luz.

Questão: você disse que esta radiação impacta prioritariamente o ponto o mais elevado do corpo...

Perfeitamente.

Questão: e durante a noite?

Do mesmo modo.
É exatamente a mesma coisa que se produz.

Questão: entraria, então, pela coroa?

Quando é possível e o mais exato é que entre pela coroa.

Questão: como o astral está em fase de dissolução, o que é das etapas intermediárias que existiam antes, após a partida desse plano pela morte?

Foi criada, nos confins de sua galáxia, uma peneira dimensional de retenção.
Essa peneira dimensional de retenção foi criada há sete anos.
É lá que são colocadas (eu ia empregar a palavra armazenadas), de maneira transitória, as almas que deixaram sem plano dimensional e que esperam a evolução final, ou seja, o fim do ciclo, para fazerem a escolha deles.

Questão: durante esta fase de espera, há processo de reconstrução?

Os processos de reconstrução são permanentes.
Esse não é um momento mais privilegiado.

Toda sua vida, e, sobretudo neste final de ciclo, são momentos de desconstrução e reconstrução.
Mas foi sempre assim.

Questão: quem está encarregado dessas fases de reconstrução?

Eu não vejo interesse em responder a esta questão.
Do mesmo modo que há múltiplos lugares de tratamentos na superfície deste planeta, existem, ao nível dos mundos não encarnados, sempre tridimensionais e não dissociados, múltiplas estruturas de acolhimento, de tratamentos e de transformações.

Questão: que vão se tornar as pessoas, as almas que não desejam essas transformações?

Esse é o papel delas, essa é a função delas, essa é a liberdade delas.
Essas almas são chamadas a recomeçar um ciclo de 52.000 anos, ciclo tridimensional dissociado, até o tempo em que elas encontrem a Unidade delas novamente.

Esse foi o juramento de alma no momento da primeira descida delas nesta dimensão dissociada.
O juramento de alma é ir até o final, até o momento do final desse ciclo (deste ou de outros), em que essas almas serão capazes de reencontrar sua Unidade.
Elas têm todo o tempo, no sentido do tempo tal como vocês o vivem.

Questão: como se explica a divisão entre as terceiras dimensões dissociada e unificada?

Parece-me ter já respondido nas explicações que lhes dei, notadamente que a diferença entre a terceira dimensão dissociada e a terceira dimensão unificada é simplesmente um problema de percepção, de conceito e de ligação real à sua Unidade presente ou ausente, num caso e no outro.

Não temos mais perguntas. Agradecemos.

Almas humanas em encarnação, eu lhes trago, ainda uma vez, toda minha proteção, todo meu amor e, antes de deixá-los em sua dimensão, eu desejaria fazê-los beneficiar-se de um afluxo desta pressão da radiação do ultravioleta e, se possível, conduzi-la bem abaixo de sua cabeça, orientá-la, no plano direcional, ao nível de seu coração.
Isso é agora.

Recebam minha graça, minhas bênçãos e meu Amor.

... Efusão de energia...

Eu os deixo agora.
Eu lhes digo até dentro de uma semana de seu tempo, quando começaremos a abordar o mistério das doze estrelas e, portanto, de suas doze fitas de DNA, porque isso faz parte de sua herança e das coisas que vocês devem, enfim conhecer e reconhecer.

Sejam abençoados.
Vocês são amados pela Luz.

_____________________
Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

Um comentário:

  1. Esse princípio do ciclo está aí para lembrar que toda forma de vida vem da Unidade, provém da Unidade e retorna à Unidade.

    O mundo que vocês criaram é procedente de um pensamento. Vocês participaram de um pensamento dissociado, a fim de fazer a experiência da dissociação.

    Vocês devem entregar seu Espírito, sua consciência, sua vontade, sua alma e a totalidade da criação que vocês são à vontade divina.

    Do soltar ao abandono existem ainda algumas pequenas montanhas a escalar. Essas montanhas são apenas as ilusões construídas por seu mental, adaptadas a esta dimensão tridimensional dissociada.

    Lembrem-se de que a fase do abandono corresponde a um mecanismo de morte de todos os seus apegos e de todas as suas crenças, sem exceção.

    ResponderExcluir