Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

2 de jul de 2015

NO FOGO DO AMOR O ESPÍRITO DO SOL E O CORO DOS ANJOS



Junho de 2015


Primeira Parte
Ouça o Silêncio do Verbo

E eis que o Verbo do Amor levanta-se e eleva-se, juntos, no mesmo coração, no Espírito do Sol, eu saúdo e rendo graças.
Em minha voz e em meu Verbo, junta-se o Coro dos Anjos, entremeando e entrelaçando a Liberdade, para que a comunhão instale-se em todo lugar e em todo coração.
Então, juntos, elevados no Verbo, nós acolhemos o Coro dos Anjos.

… Silêncio…

Escutem e ouçam o que diz o silêncio do Verbo, elevado ao Coro dos Anjos.
Eu saúdo, em vocês, a beleza, eu saúdo, em vocês, a Eternidade.
Juntos, no coração do Um, no Amor eterno e infinito de nossa natureza Una, que celebra a Luz, que celebra o Amor.

Em cada Verbo e em cada palavra revelar-se-á o espaço do Silêncio, no qual nada pode ser dito e, no entanto, tudo é dito.

Nos espaços da Criação, aos ateliês da Vida, vocês são convidados.
Escutem e ouçam, porque, em Verdade, eu lhes digo: amem.
Não como uma ordem, não como uma súplica, mas como a evidência de seu Verbo e de seu coração elevado, elevado para Ele.

Escutem e ouçam o canto do Apelo, o canto da Liberdade, inscrito, para sempre, na Eternidade, e em toda dimensão de Liberdade.
Em Verdade, eu lhes digo, a Vida está aí.

… Silêncio…

Filhos Ardentes do Sol, levantem-se em sua Verdade, levantem-se no Caminho, na Verdade e na Vida, e ouçam o Verbo que vibra nos espaços do Amor.

Também, pelo Verbo, revelado e elevado, eu os nomeio «Emmanuel», aquele que nasceu de novo, aquele que é como Ele e como cada um, na pureza de sua Verdade.
Escutem e ouçam, porque a Verdade o diz, no Templo do silêncio da Verdade revelada.

Em cada Verbo e em cada palavra dança a Vida, que dá o ritmo à matéria e à consciência.
Filhos do Um, portadores do sacro da Verdade, elevem-se, porque aí está sua majestade, porque aí está o Verbo do Verdadeiro.
Amados do Um, escutem e ouçam, em cada canto e recanto do ser, como no Todo do não-ser, há apenas isso: Amor, só verdade que não pode desaparecer.
Então, levantem-se.

Porque o Verbo amplifica a Graça.
Porque o Verbo que vibra é palavra de Vida, que não seca, jamais e que jamais falha.
Beber dessa Água de Vida e ser, para sempre, saciados, o que instala vocês no imutável, no qual nada pode faltar e no qual nada, ainda, apareceu e, no qual, no entanto, tudo já apareceu.

Vocês, os renascidos no coração, o Verbo convida-os à ronda dos anjos e à dança do Sol.
E, aí, escutemos, juntos, o que o Coro dos Anjos tem a dizer no Templo de sua Eternidade.

Escute, escute a Luz, escute o Amor.
Ele é sagrado, ele é a Vida.
Escute e seja abençoado, você, Verbo de Vida, Verbo do Verdadeiro, olhe bem e ouça bem, nesses tempos tão intensos, onde está a Verdade, onde você está, Filho do Um, Verbo criado.

… Silêncio…

Porque você bebeu da Água de Vida, que o batiza quando da passagem do efêmero ao Eterno.
Na Liberdade, você decidiu ir para Ele e ser Ele.
Então, não retenha o sopro do Verbo da Verdade e da Vida.

Veja e perceba, nos ritmos de nossas palavras, o fim de seus males, aqueles ilusórios, que nada apresentam diante da densidade do Amor e do esplendor do Verbo.

A cada palavra, como a cada silêncio, a chama desperta e levanta-se.
A Água do céu saciou sua Água de baixo, pacificando, assim, todo temor.
Assim, ao abrir-se ao Silêncio e ao Verbo, você trabalha nos ateliês da Criação, nos ateliês da Vida, que lhe oferecem, assim, todos os possíveis e os impossíveis na Liberdade do Amor, no Verbo do Verdadeiro.

Amigos do Amado, nós, anjos e Presenças angélicas, honramos sua dança e o Verbo de sua graça, nos espaços sagrados da Luz Una.

Ouça o Silêncio.
Nós, que viemos para você, para coroar sua Ascensão e glorificar seu Verbo, rendemos as homenagens aos dignos Filhos do Sol, levados até esse ponto pela ardente sede de Verdade e de beleza.
Então, nós o convidamos, nós dois, a unir-se a si mesmo, para selar o livro da Promessa e do Juramento, na Verdade que você é.

Então, ouça a dança dos anjos, animada do Espírito do Sol, que aureola sua cabeça e seu coração, que lhe dá a viver a aspiração do Coração Ascensional.
O Coro dos Anjos cantará, então, em sua cabeça, em uma ronda de Amor e uma guarda de honra.
Escute o Espírito do Sol.
Dance conosco.
Escute e veja, porque a Água de Vida lavou seus olhos de tudo o que é falso.
Assim, você é batizado no selo da Ressurreição da Água do alto.

Amor do Amado, ouça.
Escute o silêncio da Água do alto que se derrama, em profusão, no conjunto desse plano, no conjunto de suas células, no conjunto de tudo o que é.
Assim, você se instala no trono do presente, no qual nada mais pode aparecer.
Coloque-se.
No Verbo do Amor há a Alegria, no Verbo do Amor há, aqui embaixo, o sorriso e o olhar.

Aí, onde você estará, doravante, cada vez mais, aí, onde nós estamos, porque nunca mais nós poderemos estar separados ou divididos.
Você, eu e eles, realizando, juntos, a nova Eucaristia, aquela da Ressurreição.
Escute e perceba a ronda dos anjos.
Escute a Água de Vida e a Água de Alegria que se espalham.
Assim canta a Vida, assim canta a Fonte, no Silêncio de seu coração.

… Silêncio…

Nós os acolhemos nos espaços de vida, nos quais não pode haver nem esquecimento nem falta.
Assim é o reino da Verdade, nenhuma mancha pode ali estar; assim são as Moradas do Pai; assim são os pavimentos do Amor presente no Templo de cada coração.

Amado do Um, então, ouça-nos e escute o que diz seu coração, porque ele é palavra de Verdade, ele é o novo evangelho, no qual só uma palavra é gravada: Amor, que celebra, assim, a Vida, que celebra, assim, a Verdade.

Então, nós lhe dizemos: escute e ouça o calor do Espírito do Sol, que consome na Alegria eterna do Amor.
Então, queime na Alegria da Verdade que forja, para sempre, a espada de Verdade.

Amado do Um, juntos, aí, agora, você, eu e o Coro dos Anjos, colocamo-nos, para levantar-nos no canto do Apelo.
Escute o Verbo de Vida em nosso Silêncio.

… Silêncio…

Que porta, exatamente aí.
Inebrie-se do néctar de Vida.
Aí está o bálsamo.

… Silêncio…

Eis que veio o tempo do abrasamento, o tempo da Alegria.
Eis que veio o que põe fim ao tempo e abre para a verdadeira Vida.
Ouça, o Espírito do Sol está aí.

… Silêncio…

E aí, em nossa ronda Una, você o vivo pleno de Vida, você, o vivo em êxtase do canto do espírito do Verbo, você, que entra na era do Verbo, você, que entra no Fogo do Amor, você, cujo coração levantou-se, escute o Verbo do Espírito do Sol e veja a dança dos anjos.

Em nome da Fonte Una, como em nosso nome, e em seu nome, no Fogo do Amor, acolha e recolha a Água de Vida.
Nós nada temos a pedir-lhe, nós temos apenas tudo a dar-lhe, porque é a Doação da Graça e a Doação da Vida, do Amor ao Amor.
Então, aceite o presente de nossa Presença e da sua, no coração do Um, no coração de Cristo.
Levante-se.

O Verbo chama-o à Vida.
O Coro dos Anjos chama-o à Criação, como, igualmente, ao Absoluto, no qual nada pode ser separado nem mesmo retirado, no qual tudo é Doação.
E aí está nosso canto de graça, sua Presença e nossas Presenças, na atemporalidade de nossa reunião, tanto hoje como em todos os dias, revela-se a você o que foi dito.
Receba isso.

… Silêncio…

Coloque-se aí, onde não há mais palavras, coloque-se conosco e aticemos, juntos, o Fogo de nossas Presenças, o Fogo de nosso Amor, o Fogo da Verdade, o Fogo do Espírito.

… Silêncio…

É tempo, agora, de estabelecer-nos para sempre, se você nos acolhe, no Espírito de Verdade de seu Verbo revelado, no Amor do Um e em comunhão de espírito.
Nós depositamos, em você, a chama eterna de nosso reencontro, então, regozije-se.

… Silêncio…

E aí, nós nos instalamos em sua chama sagrada, porque você é isso.
Seja rico do que você é e da chama eterna de nosso reencontro.

Assim fala a Vida, pelo Verbo eterno.

Até breve.



Segunda Parte
Juntos, vivamos o Instante Presente

O Espírito do Sol honra sua Presença e a chama de seu coração, na bênção do Um, na bênção da Vida.
Acolhamos, juntos, no coração elevado, o Coro dos Anjos, para viver, nesse instante como em todo instante, a partir do instante em que você ler, a partir do instante em que você ouvir, o Coro dos Anjos saúda, em você, a Eternidade.
O Coro dos Anjos rende graças ao brilho de sua Luz e à verdade de seu coração.
Juntos, reunidos aqui, reunidos em você, revela-se a Verdade e revela-se a Beleza.
Aqui e agora se vive o instante, no qual tudo está contido, no qual tudo é vibrância, no qual tudo é verdadeiro.

Então, assim, no coração do coração, em um e no outro, pelo milagre Dele, de Sua Presença e de Sua bondade, para que você, também, seja elevado ao título de Filho do homem, Filho ardente do Sol, homem transcendido e que transcende a ilusão, que passa de seu efêmero à sua Eternidade, que escuta, assim, o canto da Verdade, clamado e declamado pelos Anjos.

Ele vem perguntar-lhes se vocês estão prontos a reintegrar as Moradas do Pai, as Moradas da Eternidade, as Moradas da Alegria, a Morada do Absoluto, que não tem qualquer morada se não todas.
Assim, na paz do instante e na eternidade do instante vem Cristo, vem Maria e vem Miguel, que os chamam com o canto de Verdade, com a verdade do Amor.

Você, que está aí, você, que coloca tanto os seus olhos como sua consciência no que emana da música das esferas e do canto da Liberdade, sente sua própria verdade.
Torne-se lúcido, para que nada mais possa obscurecer a pura clareza de sua própria Presença.

Assim, como Amado do Um, é-lhe aportado o sentido da Vida que você sempre foi, antes de viver a vida nesse mundo.
E aí, no tempo do instante, no silêncio e na paz de seu coração reencontrado, incendeia-se o Espírito, o que o faz degustar, agora e já, o canto do êxtase, aquele da Liberdade e aquele do Amor.

Escute o que nós temos a dizer-lhe, no silêncio de seu coração.
Escute o que nós temos a entregar-lhe.
Escute o que diz seu coração, em face desses presentes que são apenas Justiça e Verdade.
Escute e ouça o que se desenrola no caminho do presente, que é o caminho da Eternidade, que não tem nem início nem fim.

Escute o que seu coração, que se levanta, sussurra ao seu Espírito e à sua alma.
Faça o silêncio e escute o que nós dizemos em você, que nada mais é do que o que você é.
Então, deposite, fora de você, o que não é verdadeiro e o que pode ofuscar o Amor que você é.
Hoje, não há outro lugar que não aquele oferecido pelo Amor ou aquele oferecido pelo medo.

Escute, o que você prefere?
A alegria da vida na Eternidade ou a satisfação do efêmero?
O que você escuta em si?
Deixe-nos, Espírito do Sol e Coro dos Anjos, ser o cenário de seus templos interiores.
Deixe-nos aquecer, em você, se já não foi feito, o vento da Liberdade, o vento da Verdade.
Em cada espaço no qual nós nos calamos, revela-se a Paz.
Uma Paz da qual nada pode estar ausente, uma Paz que não depende de nada mais que não de seu próprio coração.

Assim, o Espírito do Sol vem queimar o que não pertence à Verdade e vem dissipar as últimas dúvidas do efêmero para com o Eterno.
Então, filho de Verdade, coloque-se na palavra de Cristo, coloque-se nos passos de Cristo, para que você possa dizer, também: «Pai, que sua vontade seja feita».
Assim, esquecendo-se de si mesmo em seus problemas e em suas ilusões, e levantando o véu que mascara o que você é, você se tornará o Caminho, a Verdade e a Vida, e você se tornará, também, o que sempre foi.

Escute e ouça.
Escute e viva no Fogo do Amor, atiçado pelo Coro dos Anjos.
Não se desvie do que você é e permaneça aí, onde nada do que é ilusão pode atingir o Fogo de seu coração.
Queime, assim, do ardente Sopro do Espírito.

E aí, no instante de nossa Presença, vibra o canto de sua Liberdade.
E aí, no centro e na plenitude de seu ser, deixe a dança da Vida levá-lo à sua morada de origem, à sua morada que emerge.

… Silêncio…

Na dança do Sol encontra-se Cristo e o Espírito do Sol.
Então, deixe-se dançar pela dança do Sol e pelo Apelo do sacro e pelo Apelo de Cristo.
Nada mais escute que não a Verdade em seu coração.
Nada mais escute que não o que lhe diz a Luz e Sua Inteligência, que vem guiar e estimular seu Espírito.

Aí onde você está, aí eu estou.

… Silêncio…

Aí está a Paz, que não conhece qualquer entrave, aí está a Paz, onde tudo é dado.

… Silêncio…

Então, juntos, agora, celebremos a oferenda perpétua da Vida à Vida, de seu coração ao Coração.
Você, o Filho do Homem, que se tem em pé para viver o que vai forjá-lo em sua Eternidade.
Aí está a grandeza da verdade da Luz que, em sua imensidão, atinge o menor e o mais ínfimo e o mais íntimo, porque aí está a fonte de tudo o que pode preenchê-lo na Eternidade.

… Silêncio…

E aí, em pé, elevado no sagrado do coração, revela-se o Coro dos Anjos que o acompanha aí, onde você está.

… Silêncio…

Coloque-se assim, enfim, na evidência do que está aí, na evidência Daquele que vem.
Deixe subir, em você, o canto da Graça, o canto de seu Espírito.
Permita-se ser você mesmo, permita-se ser Livre, porque Ele vem chamá-lo à Liberdade.
Permita-se ser Alegria, porque Ele é Alegria, e permita-me ser você.
E permita, também, ao Coro dos Anjos ser o testemunho, não mais das núpcias, mas da aliança mística na qual tudo está consumado e na qual tudo é celebrado, o que lhe dá a esquecer-se, sem dor nem remorso, o que pertence à história, o que pertence ao que está morto no espírito e na verdade.
Porque não há outro modo de estar vivo do que não mais estar morto no espírito e na verdade.

… Silêncio…

E descubra, assim, o sorriso eterno que floresce nos lábios de seu Espírito.
Filho do Um, eis o que você é.
No Fogo do coração elevado, emana de você a bondade e a Verdade, sem mesmo nela pensar, sem mesmo querer, sem mesmo supor.
Simplesmente, deixando ser e deixando florescer o que eclode de seu Templo.

… Silêncio…

E aí, no sorriso da Eternidade, o Coro dos Anjos leva-o a outra oitava da mesma Verdade, na qual toda forma desaparece, na qual existe apenas o Amor no estado puro, independente de você, independente de nós e independente de tudo.

E reconheça-se no que se vive, aqui e agora.
E reconheça-se, e para sempre.
Então, eu o repito, escute e ouça a esfera do Silêncio, aquela que o conduz à fonte do Amor e à fonte da Luz, aí, onde nenhuma forma pode residir, mas onde toda forma nasce.

E aí, no ritmo da Vida, no inspirar e expirar da Criação, você se reencontra no ponto de equilíbrio, aquele da Paz eterna, aquele do Silêncio que precede o Amor e que está na origem do Verbo, aí, onde se tem a Espada de Verdade, aquela que corta o que não é verdadeiro e o que não é eterno.

Deixe-se levar por Aquele que vem colhê-lo no efêmero, para deixá-lo estar em sua Morada de Eternidade.
Deixe-se escolher, pela graça de seu sorriso, pela ardência de seu coração no qual você mostra, por sua experiência aqui mesmo onde você está, sua capacidade real para não mais pôr barreiras e não mais separar e não mais dividir.

E aí, nessa Paz, e aí, nesse instante, escute o canto de seu coração, que é canto de êxtase e canto de Alegria.
E aí, no silêncio do instante e na plenitude Daquele que vem, que nós aportamos a você por nossos corações e por nosso Espírito, viva o Amor infinito e sinta a essencialidade do Amor, a essencialidade da Vida.
Lembre-se de seu Reino, porque ele é sem mancha.
Lembre-se da simplicidade do Amor.

… Silêncio…

Aqui e agora, descubra o Alfa e o Ômega, inteiramente.

… Silêncio…

Aí, onde nasce a dança dos elementos, aí, onde nasce o Coro dos Anjos, aí, onde o Espírito anima e vivifica, aí você está.
Nesse tempo, nesse espaço, como em todo tempo e em todo espaço, o tempo do Apelo revela-se aos seus sentidos, revela-se ao seu coração e revela-se à sua vivência.

Escute.

… Silêncio…

E o Fogo do Amor que é seu direito vem acrescentar sua mordida e seu sopro à incandescência, em você, da Verdade, queimadura de Amor, que o estende ao infinito, no espetáculo da Vida.
Na hora em que o Sol cantar sua melodia, seu coração torna-se o Sol, que contém o Amor de todos os possíveis, de todos os criados, como de todos os incriados.
Nós o convidamos ao Amor, nós o convidamos à Vida.

… Silêncio…

E aí, os Quatro Vivos, enfim, de maneira sincrônica, trabalham em seu Templo, como na vida dessa Terra, e vêm, eles também, celebrar o retorno da Fênix.
Fogo de alegria e fogo de vida, fogo de alegria que consome, sem fim, o Amor, sem parar, renovado, e sem parar, regenerado, e que jamais pode apagar-se.
Então, seja doce consigo mesmo, como o Amor é doce com você.

Escute e ouça.
O que nós temos a transmitir-lhe vai bem além das palavras, vai bem além do que você ouve e do que você escuta.

E aí, sinta a fulgurância da Vida e a fulgurância do Amor que se derramam em cada lugar do que você é.

Deixe-se ser.
Consuma, na alegria, o falso e a falta.
Consuma toda aparência que poderia mascará-lo a essa Verdade.

E aí, agora, na alegria de estar aí, na alegria de escutar, não há mais palavras necessárias, há apenas uma Presença.
Então, façamos silêncio de toda ausência, façamos silêncio de toda falta, para preencher o que é.
Escute e ouça, no tempo de nosso silêncio.

… Silêncio…

E nós, você, Espírito do Sol e Coro dos Anjos, reunidos na mesma tri-unidade, nós lhe dizemos, uma última vez: «Lembre-se».

… Silêncio…

E aí, eu abençôo sua Presença, o Espírito do Sol retira-se, em vocês, e abençoa-os.
E nós, Coro dos Anjos, permanecemos no canto percebido em vocês.


Até breve.



Terceira Parte
Celebremos o Tempo do banquete

No Espírito do Sol e no Coro dos Anjos, em vocês e em nós, o canto de Vida, o canto da alegria, a paz do coração.
Comunguemos e elevemos, e celebremos o tempo do banquete.

… Silêncio…

Em cada coração, a coroa de glória elevada prepara a vinda Daquele que jamais partiu e que, no entanto, deve ser reencontrado na liberdade da Existência, na liberdade da consciência.
Aí, onde nada pode vir fazer sombra, aí, onde nada pode opor o que quer que seja à presença da Luz, à vida do Amor e à Presença.

Assim, «o que vem» é o que está aí e sempre esteve aí.
De fato, vocês se aproximam do que foi nomeado, há um tempo, o tempo da Reversão, o tempo do último tempo, o tempo no qual a Verdade vem espalhar-se, revelar-se e ancorar-se na nova dimensão, na vida eterna.
Aí, onde não existe qualquer limite e qualquer propensão a ver outra coisa que não o que é, ou seja, a beleza da Vida e de todas as criações que cantam a sinfonia dos mundos, a sinfonia dos anjos e a alegria da manifestação da Luz.

Assim, cada um de vocês, pouco a pouco ou de maneira brutal, distanciou-se, sem recusar a realidade desse mundo, para ver a verdade da Luz e não mais ser seduzido pelos jogos de sombra e luz, os jogos de privações e de satisfações que se manifestaram na ilusão na qual tudo foi apenas jogos de enganos e jogos de trapaças.
Hoje, isso termina, na glória de Cristo e na glória da Verdade.

Ouçam e sintam isso, no apelo do coração, na abertura às dimensões invisíveis, mesmo de seu mundo, o que lhes dá a ver, a perceber e a viver reencontros a nenhum outro similares.
Abram-se para essa realidade, porque é sua própria morada.
Mesmo se ela não seja aquela que você reencontra, ela possui a mesma essência, a mesma vibração e a mesma liberdade que canta o canto da alegria e que os veste com Fogos do Amor, em qualquer veste, em qualquer imagem e em qualquer emanação que seja.
Aí está a Liberdade, em vocês e não em outros lugares que não em vocês.

E o único modo, para vocês, de viver isso, é conhecer seu coração, reconhecê-lo no Amor, na Verdade, na Humildade.
Por sua Presença, por sua quietude, por sua paz, por sua irradiação e por sua atitude desenrola-se, em vocês, a oferenda da Vida e a oferenda do reencontro com Cristo, como com tudo o que lhes havia sido escondido na ilusão desse mundo.

Então, abrem-se, em vocês, todas as formas de comunicação.
Então, abre-se, em vocês, se já não foi o caso, a certeza do futuro glorioso da Eternidade, nesse corpo no qual vocês estão e nesse mundo no qual vocês estão.
Assim desenrola-se, em vocês, o tempo da metamorfose, real e concreta, que lhes dá a ver, como por milagre, ao mesmo tempo, o que é antigo, ao mesmo tempo, o que se revela e, ao mesmo tempo, o que será, no momento em que vier o Apelo daquela que gerou a criação desse mundo.

Amados do Um e filhos do Um, na graça dos Anjos, acompanhados pelos cantos de louvor dos povos da natureza, a luz do verão, aquela do Fogo do Céu, revela-se em sua alma, revela-se em seu Espírito e marca-se a ferro em brasa na beleza de sua carne, tocada pelo ser, tocada pela Luz Vibral, tocada pela subida da Onda de Vida, tocada pelo Canal Mariano, tocada pelo Amor vivido entre irmãos e irmãs.
Revelam-se, por toda a parte, na mesma Verdade, na mesma beleza.

É claro, alguns de vocês veem, ainda, apenas os horrores da separação, apenas o sofrimento do mundo, apenas a realidade bem triste da ilusão desse mundo, através de sua falsificação e através da predação.
Cabe apenas a vocês, caros irmãos e irmãs, que não vivem isso, doravante, desviar-se disso e retornarem, inteiramente, na totalidade e em permanência para o Belo, para o Verdadeiro, para a verdade do Amor, para o Coro dos Anjos, para o Espírito do Sol e para tudo o que fala da Verdade e da simplicidade.

Assim, pouco a pouco ou de maneira brutal, esse mundo prepara-se para receber sua efusão final de Luz, aquela que destrancará o último selo e que permitirá, então, a revelação brutal e total da Verdade, da majestade e da potência do Amor como causa e fundamento dos mundos e como de toda criação.
Aí, onde não pode existir qualquer ação/reação, qualquer punição, qualquer carma.
Aí, onde tudo é Vida, tudo é criação e tudo é Liberdade.
Nesses espaços, como no espaço de repouso infinito, aí, onde não existe qualquer diferença em qualquer forma de manifestação, em qualquer dimensão que seja.
No trono de Parabrahman, que engloba os mundos e as dimensões, em todos os seus aspectos e em todas as suas consciências, a Verdade será Una para vocês, quando nada mais pode ser separado, mesmo pelas dimensões, mesmo pelas distâncias, se ainda elas existam, ou, mesmo, pela diferença de forma ou, ainda, de expressão da Vida.

Assim é constituída a Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres, que, de um extremo ao outro da escala das dimensões e das criações, vela para que a Liberdade não seja uma vã palavra e que nunca mais a experiência Arcôntica possa alterar o que é imutável, o que é da ordem do Amor.
Para que o Coro dos Anjos ressoe e retumbe de uma extremidade à outra das criações realizadas há tempos imemoriais, que não se contam mais em tempo, mas que se manifestam de maneira simultânea em todas as esferas da Criação.

Assim, o Espírito do Sol, através da matriz Crística, dá-lhes a viver e dá-lhes a ver a eternidade de Cristo, a eternidade da Vida, a eternidade do invisível e, sobretudo, o diálogo do coração que, de fato, é uma simbiose de forma de vida a forma de vida, que não se transforma, jamais, no desaparecimento dos componentes, mas que representa, bem mais, uma sarabanda e uma dança sagrada, que traz sempre mais consciência, sempre mais Alegria, sempre mais do que é evidente na Inteligência da Luz.

Isso acontece nesse momento, e isso vai acontecer cada vez mais frequentemente, quer seja em suas noites, quer seja em seus sonhos, quer seja em seus momentos na natureza, quer seja em suas relações, o que lhes dá sempre mais a ver coisas e comunicar-se de outros modos que não o que era habitual, mesmo em potenciais espirituais desenvolvidos recentemente.

A consciência descobre-se verdadeiramente presente em todas as coisas, em todas as esferas, em todas as formas de vida, em toda Inteligência da Luz, abolindo, assim, as separações das dimensões, abolindo, assim, as separações do indivíduo em relação a outro indivíduo, em uma comunhão a nenhuma outra similar, da qual a alma humana não pode, mesmo, imaginar ou supor os fatos.
Isso acontece agora, e permaneçamos alguns instantes no silêncio, antes de prosseguir o que temos a dizer-lhes, nós dois.

… Silêncio…

Assim se realiza a abertura do último selo, que lhe dá a ver bem após do julgamento final, como um elemento de certeza e de conforto concernente à verdade do que nós temos dito, aqui e alhures, concernente ao ser eterno e à verdade do Amor, sob qualquer forma que seja.
Obviamente que não pode, jamais, existir, na ilusão desse mundo e, no entanto, realiza-se e revela-se, mesmo, na ilusão desse mundo e, mesmo, no efêmero.

Assim se revela, em vocês, a Coroa de glória, as doze Estrelas de diamante, as doze Portas da Verdade, a estrutura da consciência e a verdade do Absoluto.
Felizes os simples de espírito que, doravante, verão isso, por pequenos toques, por experiências, e que aportará, no entanto, o sentimento de uma mudança enorme, na qual mais nenhuma prova será necessária, quaisquer que sejam os eventos dessa Terra, qualquer que seja o sofrimento desse mundo.

Assim sobrevém a Ascensão daqueles que aceitam viver a simplicidade e viver a verdade de seu coração, bem antes do momento coletivo.
Isso corresponde à Graça e à glória a mais completa, que acompanha o retorno de Cristo e o Apelo de Maria.

Então, filhos da Luz Una, unam-se na Liberdade, unam-se na simplicidade, para comungar à Luz Una, não, unicamente, para aproximar suas vidas, seus pensamentos e suas emoções, mas, bem mais, para ver além das aparências e comungar ao santo dos santos, de coração a coração, aí, onde está Cristo, aí, onde está a verdade da matriz de Vida Crística, Livre e branca, virginal e imaculada, que permite todos os possíveis e todos os impossíveis.
Isso lhes dá a verdade do Amor, onde quer que vocês virem, onde quer que vocês se desloquem, para que, jamais, a música das esferas possa interromper-se, possa evocar uma mínima dúvida quanto ao estabelecimento e à perpetuação da verdade do Amor, tanto nessa criação como em toda criação.
O que traz, certamente, o desaparecimento de setores inteiros da ilusão, mas assim será a Terra ascensionada, invisível e cadavérica aos olhos daqueles que a verão apenas com os olhos da carne.
Ela se tornará um paraíso, situado na quinta dimensão, para todos os seres que vêm viver a comunhão dos santos, a comunhão das raças, a comunhão dos Espíritos, as comunhões de consciência para além de toda separação de dimensões, de formas ou de origens.

Assim será a sacralidade dessa Terra, diretamente, que reencontra seu nome, aquele de Urântia, aquele de Gaïa, aquela que jamais falha, mas que, no entanto, foi alterada.
Hoje, a dimensão de Sírius, a dimensão das Mães que semearam esse mundo revela-se a vocês na virgindade e na pureza de seu reencontro, nos elementos da natureza.
Primeira etapa para a revelação coletiva do choque frontal da humanidade com a Verdade.

Assim, sejam abençoados, assim, sejam leves.
Assim, o que quer que vocês vivam, a inteireza ou um aspecto parcial, essa é a doação da Graça, realizada por seu esforço e por seu abandono à Verdade do Um.
Sejam abençoados e, no silêncio de minhas palavras, permaneçamos e continuemos, antes que eu continue.

… Silêncio…

Assim, o Coro dos Anjos, que lhes é desvendado e acessível, quer seja pelo som ou pela Paz, pela presença ou, ainda, pela ausência de todas as coisas, o Coro dos Anjos leva-os a viver a Verdade, independentemente de qualquer demanda, simplesmente, colocando-os no tempo do ser, no tempo do eterno presente.

Assim, quando vocês estão aí, nada mais há a perguntar, porque a própria pergunta é uma distância com a Verdade, porque os mantém na ilusão do tempo e seu desenrolar linear, que os leva a projetar sua consciência e, portanto, sair de sua Unidade primeira, aquela na qual o Coro dos Anjos não para, jamais, de cantar ao seu coração o louvor da Vida e o louvor de sua Eternidade.

Assim, se vocês respeitam isso, ser-lhes-á permitido perceber e sentir.
Não se esqueçam de que nada há a pedir, há, simplesmente, que pensar, e isso será, porque aí está a co-criação consciente.
Ela não tem mais necessidade de pôr distância entre vocês e um pedido de ajuda, ela não tem mais necessidade de imaginar uma forma ou pretender conhecer a forma da consciência que vem.
Mas estejam certos de que, naquele momento, vocês se beneficiam do que se desenrola nos planos da Unidade na qual nada há a procurar, na qual nada é necessário, porque tudo já está presente, a partir do instante em que isso emane da consciência, sem esforço, pela graça da Luz, pela Inteligência da Luz, pelo Coro dos Anjos e pelo Espírito do Sol.

Assim se estabelece, nesse mundo, a co-criação consciente da quinta dimensão da Terra, ascensionada e ressuscitada.
Tudo o que vocês vivem, doravante, até o Apelo de Maria, estará aí apenas para provar-lhes a intensidade e a verdade da Luz, e o peso do que é obsoleto, do que é alterado, tanto em vocês como no exterior de vocês.
Então, ser-lhes-á cada vez mais fácil, se vocês não se desviam, seguir as linhas de menor resistência, as linhas de Alegria, as linhas de Paz e, também, as linhas de contato com as realidades que lhes eram, até agora, nesse mundo, desconhecidas.

Tudo isso faz parte da revelação da Luz.
Tudo isso faz parte, muito precisamente, do processo da Ascensão, que lhes dá, através do que lhes têm dito os intervenientes, em consciência, ao longo desses anos, a verificar, por si mesmos, a veracidade do que foi enunciado, a veracidade do que vocês vivem e, em breve, a veracidade coletiva do choque da humanidade, em sua inteireza e em sua majestade.

Então, trabalhemos no silêncio, para acolher o que se desenrola no Coro dos Anjos; eu retomarei após o tempo do Coro dos Anjos.

… Silêncio…

E juntos, aí, aqui e agora, e juntos aí, lendo e escutando o que nós dizemos, vivamos o que, de momento, vocês chamam de palavras e de conceitos e que, pelo Coro dos Anjos, tornaram-se inteligíveis à sua consciência, para além de todo sentido e para além de toda representação.
Assim é o que vocês nomeiam a quinta dimensão.

… Silêncio…

Recolhamos o néctar do Amor de Verdade...

… Silêncio…

Assim é a vibração do mundo dos elfos...

… Silêncio…

Assim é a vibração do Espírito do Sol, em suas esferas de Liberdade, ele, que anima a Inteligência da Luz, aí, onde se encontram as matrizes da criação dos Mundos Livres, no núcleo cristalino dos planetas, no núcleo dos sóis e nas franjas da criação que o Senhor Metatron prefigura em cada mundo.
Aí, no silêncio do coração...

… Silêncio…

Escutem.
Assim, quando o Coro dos Anjos e o Espírito do Sol aparecem nesse gênero de mundo, aí, onde vocês estão, eles inauguram os cantos do Céu e os cantos da Terra, anunciando-os, eles mesmos, não exteriormente, mas interiormente a vocês, o que assinala a elevação de seu coração nos domínios de Paz Suprema, nos domínios da Liberdade.

… Silêncio…

E assim, em cada oitava da Liberdade vive-se a consciência do que está estabelecido ou do que ali passa.
Assim é o canto dos Elohim.

… Silêncio…

E assim, de oitava em oitava, aparece o canto dos Nefilim.
E o Coro dos Anjos, no coração da Inteligência da Luz, agencia sua consciência e sua Liberdade.

E, em seguida, vem o coro dos Agni Deva, aqueles que acompanham os Hayot Ha Kodesh.
Os Deva, criadores que inspiram as matrizes geneticistas a exprimir a Liberdade.

E, de oitava em oitava, assim se desvenda a Liberdade, que lhes dá a Alegria, na qual nada pode perecer, na qual nada pode parar.

… Silêncio…

E assim aparece, à sua consciência, o Coro dos Anjos, que rodeia Cristo e que lhes dá acesso ao silêncio da pureza, aquele do primeiro impulso, aquele da Infinita Presença.
Escutem e ouçam.
Assim, vocês serão saciados para sempre e não terão, nunca mais, sede, porque a Água de Verdade fluirá em vocês, como fluirá em tudo o que vocês verão, tocarão e criarão.

… Silêncio…

E, na densidade do Amor, o Espírito do Sol e o Coro dos anjos testemunham, em vocês, o Amor.

… Silêncio…

Juntos, nós e vocês, juntos, vocês e nós, juntos.
O Espírito do Sol e o Coro dos Anjos saúdam sua beleza e retiram-se, no silêncio da plenitude de seu coração, porque aí está, também, nosso Templo.

Até breve.

-------------------------



10 comentários:

  1. Veja e perceba, nos ritmos de nossas palavras, o fim de seus males, aqueles ilusórios, que nada apresentam diante da densidade do Amor e do esplendor do Verbo <> A Água do céu saciou sua Água de baixo, pacificando, assim, todo temor <> Escute e veja, porque a Água de Vida lavou seus olhos de tudo o que é falso <> Assim, você é batizado no selo da Ressurreição da Água do alto <> Escute o silêncio da Água do alto que se derrama, em profusão, no conjunto desse plano, no conjunto de suas células, no conjunto de tudo o que é <> Eis que veio o tempo do abrasamento, o tempo da Alegria. Eis que veio o que põe fim ao tempo e abre para a verdadeira Vida. [1ª Parte]

    ResponderExcluir
  2. Primeira Parte

    "Ouça o Silêncio do Verbo. Então, juntos, elevados no Verbo, nós acolhemos o Coro dos Anjos. Escutem e ouçam, porque, em Verdade, eu lhes digo: amem. Filhos Ardentes do Sol, levantem-se em sua Verdade, levantem-se no Caminho, na Verdade e na Vida, e ouçam o Verbo que vibra nos espaços do Amor. Escutem e ouçam, porque a Verdade o diz, no Templo do silêncio da Verdade revelada. Porque o Verbo amplifica a Graça. Vocês, os renascidos no coração, o Verbo convida-os à ronda dos anjos e à dança do Sol. Escute, escute a Luz, escute o Amor. Porque você bebeu da Água de Vida, que o batiza quando da passagem do efêmero ao Eterno. Na Liberdade, você decidiu ir para Ele e ser Ele. A Água do céu saciou sua Água de baixo, pacificando, assim, todo temor. Então, ouça a dança dos anjos, animada do Espírito do Sol, que aureola sua cabeça e seu coração, que lhe dá a viver a aspiração do Coração Ascensional. O Coro dos Anjos cantará, então, em sua cabeça, em uma ronda de Amor e uma guarda de honra.​ Escute o Espírito do Sol.​ Escute e veja, porque a Água de Vida lavou seus olhos de tudo o que é falso.​ Assim, você é batizado no selo da Ressurreição da Água do alto.​ Aí, onde você estará, doravante, cada vez mais, aí, onde nós estamos, porque nunca mais nós poderemos estar separados ou divididos.​ Amado do Um, então, ouça-nos e escute o que diz seu coração, porque ele é palavra de Verdade, ele é o novo evangelho, no qual só uma palavra é gravada: Amor, que celebra, assim, a Vida, que celebra, assim, a Verdade.​ Inebrie-se do néctar de Vida.​ Então, aceite o presente de nossa Presença e da sua, no coração do Um, no coração de Cristo.​ É tempo, agora, de estabelecer-nos para sempre, se você nos acolhe, no Espírito de Verdade de seu Verbo revelado, no Amor do Um e em comunhão de espírito.​ Nós depositamos, em você, a chama eterna de nosso reencontro, então, regozije-se.​ Seja rico do que você é e da chama eterna de nosso reencontro."​

    É uma Oração ... Um Arrebatamento ... Um Reencontro ... Mais uma Graça ...

    ResponderExcluir
  3. Segunda Parte

    "Juntos, vivamos o Instante Presente. Aqui e agora se vive o instante, no qual tudo está contido, no qual tudo é vibrância, no qual tudo é verdadeiro. Assim, na paz do instante e na eternidade do instante vem Cristo, vem Maria e vem Miguel, que os chamam com o canto de Verdade, com a verdade do Amor. Torne-se lúcido, para que nada mais possa obscurecer a pura clareza de sua própria Presença. Então, deposite, fora de você, o que não é verdadeiro e o que pode ofuscar o Amor que você é. Deixe-nos, Espírito do Sol e Coro dos Anjos, ser o cenário de seus templos interiores. Não se desvie do que você é e permaneça aí, onde nada do que é ilusão pode atingir o Fogo de seu coração. Nada mais escute que não o que lhe diz a Luz e Sua Inteligência, que vem guiar e estimular seu Espírito. Aí está a Paz, que não conhece qualquer entrave, aí está a Paz, onde tudo é dado. Então, juntos, agora, celebremos a oferenda perpétua da Vida à Vida, de seu coração ao Coração. Deixe subir, em você, o canto da Graça, o canto de seu Espírito. Permita-se ser você mesmo, permita-se ser Livre, porque Ele vem chamá-lo à Liberdade. Permita-se ser Alegria, porque Ele é Alegria, e permita-me ser você. Porque não há outro modo de estar vivo do que não mais estar morto no espírito e na verdade. No Fogo do coração elevado, emana de você a bondade e a Verdade, sem mesmo nela pensar, sem mesmo querer, sem mesmo supor. Simplesmente, deixando ser e deixando florescer o que eclode de seu Templo. Nós o convidamos ao Amor, nós o convidamos à Vida."

    Núpcias, com Aliança Mística ... Consumado ... Celebrado ... Aleluiaaaa!!!!

    ResponderExcluir
  4. Terceira Parte

    "Celebremos o Tempo do banquete. No Espírito do Sol e no Coro dos Anjos, em vocês e em nós, o canto de Vida, o canto da alegria, a paz do coração. Aí, onde nada pode vir fazer sombra, aí, onde nada pode opor o que quer que seja à presença da Luz, à vida do Amor e à Presença. De fato, vocês se aproximam do que foi nomeado, há um tempo, o tempo da Reversão, o tempo do último tempo, o tempo no qual a Verdade vem espalhar-se, revelar-se e ancorar-se na nova dimensão, na vida eterna. Assim, cada um de vocês, pouco a pouco ou de maneira brutal, distanciou-se, sem recusar a realidade desse mundo, para ver a verdade da Luz e não mais ser seduzido pelos jogos de sombra e luz, os jogos de privações e de satisfações que se manifestaram na ilusão na qual tudo foi apenas jogos de enganos e jogos de trapaças. Hoje, isso termina, na glória de Cristo e na glória da Verdade. Abram-se para essa realidade, porque é sua própria morada. E o único modo, para vocês, de viver isso, é conhecer seu coração, reconhecê-lo no Amor, na Verdade, na Humildade ... Retornarem, inteiramente, na totalidade e em permanência para o Belo, para o Verdadeiro, para a verdade do Amor, para o Coro dos Anjos, para o Espírito do Sol e para tudo o que fala da Verdade e da simplicidade. Aí, onde tudo é Vida, tudo é criação e tudo é Liberdade. Assim se revela, em vocês, a Coroa de glória, as doze Estrelas de diamante, as doze Portas da Verdade, a estrutura da consciência e a verdade do Absoluto. Assim sobrevém a Ascensão daqueles que aceitam viver a simplicidade e viver a verdade de seu coração, bem antes do momento coletivo. Isso corresponde à Graça e à glória a mais completa, que acompanha o retorno de Cristo e o Apelo de Maria. Ela se tornará um paraíso, situado na quinta dimensão, para todos os seres que vêm viver a comunhão dos santos, a comunhão das raças, a comunhão dos Espíritos, as comunhões de consciência para além de toda separação de dimensões, de formas ou de origens. Mas estejam certos de que, naquele momento, vocês se beneficiam do que se desenrola nos planos da Unidade na qual nada há a procurar, na qual nada é necessário, porque tudo já está presente, a partir do instante em que isso emane da consciência, sem esforço, pela graça da Luz, pela Inteligência da Luz, pelo Coro dos Anjos e pelo Espírito do Sol."

    Juntos ... Amorosamente ... Juntos!!!!

    ResponderExcluir
  5. Então, deposite, fora de você, o que não é verdadeiro e o que pode ofuscar o Amor que você é <> Deixe-nos, Espírito do Sol e Coro dos Anjos, ser o cenário de seus templos interiores. Deixe-nos aquecer, em você, se já não foi feito, o vento da Liberdade, o vento da Verdade <> Assim, o Espírito do Sol vem queimar o que não pertence à Verdade e vem dissipar as últimas dúvidas do efêmero para com o Eterno <> Então, filho de Verdade, coloque-se na palavra de Cristo, coloque-se nos passos de Cristo, para que você possa dizer, também: «Pai, que sua vontade seja feita» <> Assim, esquecendo-se de si mesmo em seus problemas e em suas ilusões, e levantando o véu que mascara o que você é, você se tornará o Caminho, a Verdade e a Vida, e você se tornará, também, o que sempre foi <> Aí está a grandeza da verdade da Luz que, em sua imensidão, atinge o menor e o mais ínfimo e o mais íntimo, porque aí está a fonte de tudo o que pode preenchê-lo na Eternidade <> E aí, os Quatro Vivos, enfim, de maneira sincrônica, trabalham em seu Templo, como na vida dessa Terra, e vêm, eles também, celebrar o retorno da Fênix. [2ª Parte]

    ResponderExcluir
  6. De fato, vocês se aproximam do que foi nomeado, há um tempo, o tempo da Reversão, o tempo do último tempo, o tempo no qual a Verdade vem espalhar-se, revelar-se e ancorar-se na nova dimensão, na vida eterna <> Assim, cada um de vocês, pouco a pouco ou de maneira brutal, distanciou-se, sem recusar a realidade desse mundo, para ver a verdade da Luz e não mais ser seduzido pelos jogos de sombra e luz, os jogos de privações e de satisfações que se manifestaram na ilusão na qual tudo foi apenas jogos de enganos e jogos de trapaças. Hoje, isso termina, na glória de Cristo e na glória da Verdade <> Assim desenrola-se, em vocês, o tempo da metamorfose, real e concreta, que lhes dá a ver, como por milagre, ao mesmo tempo, o que é antigo, ao mesmo tempo, o que se revela e, ao mesmo tempo, o que será, no momento em que vier o Apelo daquela que gerou a criação desse mundo <> Assim, pouco a pouco ou de maneira brutal, esse mundo prepara-se para receber sua efusão final de Luz, aquela que destrancará o último selo e que permitirá, então, a revelação brutal e total da Verdade, da majestade e da potência do Amor como causa e fundamento dos mundos e como de toda criação. Aí, onde não pode existir qualquer ação/reação, qualquer punição, qualquer carma <> Assim é constituída a Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres, que, de um extremo ao outro da escala das dimensões e das criações, vela para que a Liberdade não seja uma vã palavra e que nunca mais a experiência Arcôntica possa alterar o que é imutável, o que é da ordem do Amor <> Felizes os simples de espírito que, doravante, verão isso, por pequenos toques, por experiências, e que aportará, no entanto, o sentimento de uma mudança enorme, na qual mais nenhuma prova será necessária, quaisquer que sejam os eventos dessa Terra, qualquer que seja o sofrimento desse mundo. Assim sobrevém a Ascensão daqueles que aceitam viver a simplicidade e viver a verdade de seu coração, bem antes do momento coletivo. Isso corresponde à Graça e à glória a mais completa, que acompanha o retorno de Cristo e o Apelo de Maria <> Tudo o que vocês vivem, doravante, até o Apelo de Maria, estará aí apenas para provar-lhes a intensidade e a verdade da Luz, e o peso do que é obsoleto, do que é alterado, tanto em vocês como no exterior de vocês <> Tudo isso faz parte da revelação da Luz. Tudo isso faz parte, muito precisamente, do processo da Ascensão, que lhes dá, através do que lhes têm dito os intervenientes, em consciência, ao longo desses anos, a verificar, por si mesmos, a veracidade do que foi enunciado, a veracidade do que vocês vivem e, em breve, a veracidade coletiva do choque da humanidade, em sua inteireza e em sua majestade. [3ª Parte]

    ResponderExcluir
  7. realmente depois de toda esta vivencia acredito que não há mais palavras, acredito que só resta agradecer A Inteligencia da Luz por todos os Seres que trabalharam, aos que se juntaram e continuaram acreditando em Nosso Maravilhoso Planeta Azul. Abençoados sejam todos, ou melhor sejamos Todos.
    obrigada. Luz e Liberdade Eterna

    ResponderExcluir
  8. Primeira Parte
    Ouça o Silêncio do Verbo

    "Vocês, os Renascidos no Coração, o Verbo convida-os à ronda dos anjos e à dança do Sol.
    "Escutem e ouçam o que diz o Silêncio do Verbo, elevado ao Coro dos Anjos.
    Eu saúdo, em vocês, a Beleza, eu saúdo, em vocês, a Eternidade. Juntos, no Coração do Um,
    no Amor Eterno e Infinito de nossa natureza Una, que Celebra a Luz, que Celebra o Amor.

    "Filhos Ardentes do Sol, levantem-se em sua Verdade, levantem-se no Caminho, na Verdade e na Vida, e ouçam o Verbo que Vibra nos espaços do Amor.
    "Também, pelo Verbo, Revelado e Elevado, eu os nomeio "Emmanuel", aquele que Nasceu de Novo, aquele que é como Ele e como cada um, na pureza de sua Verdade.

    "Então, Levantem-se.
    "Escute e seja Abençoado, você, Verbo de Vida, Verbo do Verdadeiro, olhe bem e ouça bem, nesses tempos tão intensos, onde está a Verdade, onde você está, Filho do Um, Verbo criado.
    "Porque você bebeu da Água de Vida, que o Batiza quando da Passagem do efêmero ao Eterno.
    Escute e veja, porque a Água de Vida lavou seus olhos de tudo o que é falso. Assim, você é Batizado no Selo da Ressurreição da Água do alto.

    "Nós, Anjos e Presenças Angélicas, honramos sua dança e o Verbo de sua Graça, nos espaços sagrados da Luz Una.
    "Ouça o Silêncio.
    Nós, que viemos para você, para Coroar sua Ascensão e Glorificar seu Verbo, rendemos as homenagens aos dignos Filhos do Sol, levados até esse ponto pela ardente sede de Verdade e de Beleza.
    "Então, nós o convidamos, nós dois, a unir-se a si mesmo, para Selar o livro da Promessa e do Juramento, na Verdade que você É.

    "Assim Canta a Vida, assim Canta a Fonte, no Silêncio de seu Coração.
    "Amado do Um, então, ouça-nos e escute o que diz seu Coração, porque ele é palavra de Verdade, ele é o Novo Evangelho, no qual só uma palavra é gravada: Amor, que Celebra, assim, a Vida, que Celebra, assim , a Verdade."

    ResponderExcluir
  9. Segunda Parte
    Juntos, vivamos o Instante Presente

    "O Espírito do Sol honra sua Presença e a chama de seu Coração, na benção do Um, na benção da Vida.
    "O Coro dos Anjos rende Graças ao brilho de sua Luz e à Verdade de seu Coração. Juntos, reunidos aqui, reunidos em você, Revela-se a Verdade e Revela-se a Beleza.
    "Aqui e Agora se vive o Instante, no qual tudo está contido, no qual tudo é Vibrância no qual tudo é Verdadeiro.

    "Faça o Silêncio e escute o que nós dizemos em você, que nada mais é do que o que você É.
    "E aí, no tempo do Instante, no Silêncio e na Paz de seu Coração Reencontrado, Incendeia-se o Espírito, o que o faz degustar, agora e já, o Canto do Êxtase, aquele da Liberdade e aquele do Amor.

    "Escute e ouça o que se desenrola no caminho do presente, que é o caminho da Eternidade que não tem nem início nem fim.
    "Escute o que seu coração que se Levanta, sussurra ao seu Espírito e á sua alma.
    "Em cada espaço no qual nós nos calamos, Revela-se a Paz. Uma Paz da qual nada pode estar ausente, uma Paz que não depende de nada mais que não de seu próprio Coração.

    "Escute e ouça.
    Escute e viva no Fogo do Amor, atiçado pelo Coro dos Anjos. Não se desvie do que você É e permaneça aí, onde nada do que é ilusão pode atingir o Fogo de seu Coração.
    "Queime, assim, do ardente Sopro do Espírito.
    "Nada mais escute que não a Verdade em seu Coração.
    Nada mais escute que não o que lhe diz a Luz e Sua Inteligência, que vem guiar e estimular seu Espírito.

    "Então, juntos, agora, Celebremos a Oferenda perpétua da Vida à Vida, de seu coração ao Coração.
    "E permita, também, ao Coro dos Anjos ser o testemunho, não mais das Núpcias, mas da Aliança Mística na qual tudo está Consumado e na qual tudo é Celebrado, o que lhe dá a esquecer-se, sem dor nem remorso, o que pertence à história, o que pertence ao que está morto no Espírito e na Verdade.

    "E descubra, assim, o Sorriso Eterno que floresce nos lábios de seu Espírito.
    "Filho do Um, eis o que você É.
    "No Fogo do coração Elevado, emana de você a Bondade e a Verdade, sem mesmo nela pensas, sem mesmo querer, sem mesmo supor. Simplesmente, deixando ser e deixando florescer o que Eclode de seu Templo."

    ResponderExcluir
  10. Terceira Parte
    Celebremos o Tempo do Banquete

    "Em cada coração, a Coroa de Glória Elevada prepara a vinda Daquele que jamais partiu e que, no entanto, deve ser Reencontrado na Liberdade da Existência, na Liberdade da Consciência.
    "Abre-se, em vocês, se já não foi o caso, a certeza do futuro Glorioso da Eternidade, nesse corpo no qual vocês estão e nesse mundo no qual vocês estão.
    "Assim desenrola-se, em vocês, o tempo da Metamorfose, real e concreta.

    "Assim, o Espírito do Sol, através da matriz Crística, dá-lhes a viver e dá-lhes a ver a Eternidade de Cristo, a Eternidade da Vida, a Eternidade do Invisível e,
    "Sobretudo, o diálogo do coração que de fato, é uma Simbiose de forma de vida a forma de vida, que não se transforma, jamais, no desaparecimento dos componentes, mas que representa, bem mais, uma sarabanda e uma dança sagrada, que traz sempre mais consciência, sempre mais Alegria, sempre mais do que é evidente na Inteligência da Luz.

    "Assim se Revela, em vocês, a Coroa de Glória, as doze Estrelas de diamante, as doze Portas da Verdade, a estrutura da consciência e a Verdade do Absoluto.
    "Felizes os simples de espírito que, doravante, verão isso, por pequenos toques, por experiências, e que aportará, no entanto, o sentimento de uma mudança enorme, no qual mais nenhuma prova será necessária, quaisquer que sejam os eventos dessa Terra, qualquer que seja o sofrimento desse mundo.

    "Assim sobrevém a Ascensão daqueles que aceitam viver a Simplicidade e viver a Verdade de seu Coração, bem antes do momento coletivo.
    "Isso corresponde à Graça e à Glória a mais completa, que acompanha o Retorno de Cristo e o Apelo de Maria.
    "Então, filhos da Luz Una, unam-se na Liberdade, unam-se na Simplicidade, para Comungar à Luz Una ... para ver além das aparências e Comungar ao Santo dos Santos, de Coração a Coração, aí, onde está Cristo, aí, onde está a Verdade da matriz de Vida Crística, Livre e branca, virginal e imaculada, que permite todos os possíveis e todos os impossíveis

    "Assim será a Terra Ascensionada.
    "Ela se tornará um paraíso, situado na Quinta Dimensão, para todos os seres que vêm viver a Comunhão dos Santos, a Comunhão das raças, a Comunhão dos Espíritos, as Comunhões de Consciência para além de toda separação de dimensões, de formas ou de origens.
    "Assim será a Sacralidade dessa Terra.
    "E assim aparece, à sua consciência, o Coro dos Anjos, que rodeia Cristo e que lhe dá acesso ao Silêncio da Pureza, aquele do primeiro impulso, aquele da Infinita Presença.

    "Escutem e ouçam.
    "Assim, vocês serão saciados para sempre e não terão, nunca mais, sede, porque a Água de Vida fluirá em vocês, como fluirá em tudo o que vocês verão, tocarão e criarão.
    "Juntos, nós e vocês, juntos, vocês e nós, juntos.
    O Espírito do Sol e o Coro dos Anjos Saúdam sua beleza e retiram-se, no Silêncio da Plenitude de seu Coração, porque aí está, também, nosso Templo.

    "Comunguemos e Elevemos, e Celebremos o Tempo do Banquete."

    ResponderExcluir