Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

4 de jul de 2015

NO FOGO DO AMOR – LI SHEN: A DANÇA DO FOGO




Junho de 2015


Eu sou Li Shen.
Eu saio, pela última vez, de meu silêncio.
Permitam-me comungar com vocês.

… Silêncio…

Eu lhes comuniquei, hoje, a última parte da Dança dos Elementos.
Vocês puderam, talvez, experimentar algumas ou a totalidade das três primeiras.
É preciso, efetivamente, compreender que o Fogo que acaba de ser revelado é o elemento o mais transmutador.

Praticar a Dança dos Elementos, na sequência uma da outra, na ordem em que lhes foram reveladas, permitirá, para muitos de vocês, perceber e sentir o coração ascensional e o desenvolvimento de sua Merkabah interdimensional, que aporta, é claro, por intermédio do Fogo, o elemento motor, se posso dizer, da transfiguração final que vocês nomeiam Ressurreição.
Como vocês sabem, não há nem obrigação nem assiduidade que seja requerida.
Há apenas que sentir e perceber a harmonia dos movimentos, em seu encadeamento, de elemento a elemento.

Se lhe for possível, após ter encadeado a Dança dos quatro Elementos, ser-lhe-ia agradável passar um momento sentado ou deitado, para deixar viver-se, em vocês, o que se deve viver quando do apelo, pela postura e o movimento de seu corpo, dos quatro arquétipos dos elementos que vocês nomeiam, em algumas circunstâncias, Hayot ha Kodesh, Cavaleiros ou qualquer outro nome em referência a essa noção de número quatro.

O Fogo, se posso dizer, é o agente que nutre os outros elementos.
O Fogo é o que vai permitir a vocês, literalmente, queimar, eu diria, os últimos obstáculos, as últimas resistências, quer elas estejam inscritas em seu corpo ou em qualquer camada de seus envelopes sutis.
A ação do Fogo situa-se tanto no envelope etéreo como no que vocês nomeiam o envelope causal.
O Fogo é o agente, portanto, da elevação, o Fogo é o agente da Ascensão.
Esse elemento, em sua pureza e em sua completude, vai dar-lhes a viver os sintomas e os sinais precisos da consumação do que pode restar a consumir e que deve ser consumido.

A movimentação de seu corpo, através do elemento Fogo e as posturas que lhes foram dadas, assim como os movimentos é, certamente – em caso de dificuldade – pela utilização de seu corpo, o que vai permitir-lhes, no instante presente, consumir as resistências e as oposições presentes sob a forma de memórias, presentes sob a forma de sentimento de falta de liberdade, presentes sob a forma de apego, qualquer que seja.

Assim, portanto, pela graça da Luz, pela graça do que se revela atualmente nesta Terra há, portanto, uma ferramenta que, talvez, ser-lhes-á mais útil do que qualquer outra ferramenta, porque ela não faz intervir o mental nem mesmo as emoções, e dirige-se, diretamente, às suas estruturas causais, e vem lavá-las, se posso dizer, no Fogo do Espírito e Fogo da Verdade.

A liberação da ilusão vivida em tempos mais antigos do que os seus, e, isso, isso, tanto na Ásia, no Oriente como no Ocidente, são os elementos os mais eficazes na percepção do Fogo e no crescimento, se posso dizer, da expansão de sua consciência até o momento no qual o supramental, assim como ele foi nomeado, virá lavar, como é dito em suas escrituras ocidentais, suas vestes no sangue do cordeiro.

O Fogo é o apanágio de Cristo.
Ele é o apanágio dos Filhos Ardentes do Sol.
Ele é o apanágio dos Elohim.
Ele é o apanágio daqueles que não hesitam em percorrer os planos da Criação, que não hesitam em provar-se e provar à existência que o Amor é mais forte do que tudo, mesmo no confinamento terrestre.

Hoje, o Fogo toma outro aspecto porque, vocês sabem, ele vem do céu.
Ele não nasce, unicamente, de seu Templo interior.
Ele não nasce, aí, unicamente a partir do princípio elementar que enquadra o Canal do Éter ou outra Coroa radiante, qualquer que seja, mas ele é, também, o que vai acrescentar, eu diria, uma última etapa na fusão das estruturas vibrais que vocês conhecem e que nomearam e descreveram e viveram durante esses anos.

Assim, portanto, pode-se, realmente, falar, no encadeamento dos movimentos que eu lhes comuniquei, da capacidade para gerar o Fogo da combustão espontânea e natural do Fogo do Amor.

Eu devo, contudo, insistir no fato de que, independentemente de suas resistências passadas, de suas memórias cristalizadas ou de seus apegos, fazer esses movimentos e seu encadeamento deve fazer-se em momentos de paz, ou nos momentos nos quais vocês se recentraram, em momentos nos quais vocês se colocaram e prepararam, se posso dizer, para viver isso.
Se eu ousasse, eu diria quase, em sua linguagem, trata-se de um ritual sagrado.
A meu ver, trata-se, mais, de uma ginástica que transcende as leis desse mundo, que se apoia, no entanto, no que pertence a esse mundo, ou seja, seu corpo.

Isso não necessita, como até agora, de uma prática, para alguns de vocês, regular, mas, a partir do instante em que a harmonia for encontrada entre esses quatro elementos em seu centro, a eficácia do Fogo virá fazê-los viver, realmente, o que foi descrito por algumas Estrelas concernentes ao Fogo.

Essa Dança dos quatro Elementos, é claro, junta-se, de algum modo, e vem, aí também, estabilizar a vibrância do Coro dos Anjos e ligar-se ao Espírito do Sol.
É claro que nenhum movimento é indispensável, assim como nenhuma atividade é indispensável para viver, doravante, o que a Terra propõe a vocês, em sua consciência limitada.
Contudo, trata-se de uma ajuda apreciável para aqueles de vocês que teriam tido, até agora, certa dificuldade para perceber, para sentir e viver o vibral.

Trata-se, portanto, de uma oportunidade de levar a efeito o que, talvez, não tenha sido vivido até agora e que, contudo, apresenta, hoje, como foi dito, uma importância secundária em relação ao aspecto da pura consciência ou do que vocês nomeiam a a-consciência e que eu prefiro nomear o Tao.
É claro, são apenas palavras, mas que tentam descrever, em função da época e da cultura, a mesma realidade transcendente e que escapa do real desse mundo.

O Fogo, quer seja pelos movimentos, quer seja no momento em que o Fogo do Céu tocar vocês, implica as mesmas percepções que convém, talvez, reconhecer, para não despertar qualquer medo ou qualquer apreensão naquele momento.

Pode existir um sentimento de ser atraído, mais ou menos fortemente, para a parte superior do corpo, como se vocês se sentissem partir pelo coração ou pelo alto do corpo, na globalidade.
Isso é, simplesmente, ligado à Coroa radiante do coração, mas, também, ao coração ascensional que se revela.
É claro, os sons em seus ouvidos, se eles estão presentes, podem modificar-se de modo extremamente importante, desembocando, aí também, no Coro dos Anjos da Infinita Presença.
O conjunto de manifestações que podem produzir-se podem dar-lhes, também, o sentimento não de mal estar, mas de perda de referência ao nível do corpo.
Não se trata de uma vertigem, não se trata de um mal estar, mas, bem mais, da realidade do Fogo.

A partir do instante em que vocês praticarem a Dança dos Elementos de maneira correta, e isso não necessita de um aprendizado muito longo, se vocês desejam fazê-lo, dar-lhes-á a viver os sintomas precisos do momento de sua Ascensão e do momento do Apelo de Maria.
Isso lhes dará, também, se posso dizer, um teste real, para aqueles de vocês que se colocam, ainda, questões e diferenciar, realmente, o que resta de memórias do que resta de apegos reais e concretos, o que lhes dá a viver e a ver, a sentir, se isso se produz na calma e na serenidade ou, então, com hesitação – no momento em que esses sintomas aparecem – o que lhes permite, talvez, aí também, posicionar-se ao mais exato de sua Verdade, ao mais exato de seu ser presente nesse instante.

A Dança dos Elementos, assim como o que vocês haviam recebido há alguns anos, as chaves Metatrônicas, a Dança dos Elementos é uma ferramenta que revela os princípios elementares e não, unicamente, os corpos espirituais, mas dá a viver, real e concretamente, a quintessência dos Elementos.
Essa quintessência que, eu os lembro, enquadra a Fonte, põe em forma a Fonte e é ligada à organização de toda dimensão, de toda experimentação como de toda criação.

O Fogo, enfim, neste período que vocês vivem, de uma maneira geral, quer seja aquele que nasce de seu exercício de Dança dos quatro Elementos, quer seja aquele que corresponde ao que se desenrola de maneira coletiva na Terra nesse momento, dará a vocês oportunidades, se posso dizer, de deixar desaparecer o que deve desaparecer com maior facilidade.
Isso lhes dá, talvez, a ver e a conscientizar-se, enfim, do que podia restar de erro de apreciação, tanto em seu comportamento como em seu alinhamento, se tal é o caso.

A Dança dos Elementos, enfim, quanto a ela, leva-os ao Éter restaurado.
A Lemniscata sagrada, que vocês conhecem, é, também, implicada nessa Dança dos Elementos, quando ela é efetuada inteiramente.

Aí estão as algumas palavras que eu desejava acrescentar, em relação a essa Dança dos Elementos, e que finalizam, portanto, assim, se posso dizer, essa forma de ensinamento específico que visava, sobretudo, propiciar-lhes e fazê-los viver o que, talvez, não foi vivido, ou insuficientemente, até agora.

Eu terminarei por essas palavras: qualquer que seja a importância do que vocês manejam como ferramenta, lembrem-se de que são apenas ferramentas, e que a única Verdade emana de seu coração, de seus quatro pilares, da estabilidade deles, da solidez deles, e de absolutamente nada mais.
Praticar os quatro Elementos é despojar-se do supérfluo e acelerar, de algum modo, essa Liberação, dela viver e sentir as premissas, se já não foi feito pela Onda de Vida.

Há mais um elemento essencial que não concerne, eu diria, ao seu aspecto espiritual, mas, bem mais, à reparação do que vocês nomeiam o DNA, em seus aspectos fisiológicos ou patológicos.
Há, portanto, um poder resolutório, além do Fogo da transmutação e da Ressurreição da Dança dos quatro Elementos, que lhes cabe verificar, por si mesmos, eu repito, e experimentar, por si mesmos, além desse objetivo que corresponde à Ascensão.
Isso não é insignificante quando existe, em vocês, ainda, certo número de zonas de resistência ou de zonas de sofrimento, que há, de algum modo, a transcender, ao invés de, simplesmente, aliviar.

Li Shen volta ao silêncio e agradece-lhes por sua atenção.

Comunguemos, de coração a coração.

… Silêncio…

Li Shen retira-se.

---------


3 comentários:

  1. O Fogo é o que vai permitir a vocês, literalmente, queimar, eu diria, os últimos obstáculos, as últimas resistências, quer elas estejam inscritas em seu corpo ou em qualquer camada de seus envelopes sutis.

    O Fogo é o agente, portanto, da elevação, o Fogo é o agente da Ascensão. Esse elemento, em sua pureza e em sua completude, vai dar-lhes a viver os sintomas e os sinais precisos da consumação do que pode restar a consumir e que deve ser consumido.

    O Fogo é o apanágio de Cristo. Ele é o apanágio dos Filhos Ardentes do Sol. Ele é o apanágio dos Elohim. Ele é o apanágio daqueles que não hesitam em percorrer os planos da Criação, que não hesitam em provar-se e provar à existência que o Amor é mais forte do que tudo, mesmo no confinamento terrestre.

    O Fogo, quer seja pelos movimentos, quer seja no momento em que o Fogo do Céu tocar vocês, implica as mesmas percepções que convém, talvez, reconhecer, para não despertar qualquer medo ou qualquer apreensão naquele momento.

    O Fogo, enfim, neste período que vocês vivem, de uma maneira geral, quer seja aquele que nasce de seu exercício de Dança dos quatro Elementos, quer seja aquele que corresponde ao que se desenrola de maneira coletiva na Terra nesse momento, dará a vocês oportunidades, se posso dizer, de deixar desaparecer o que deve desaparecer com maior facilidade.

    Qualquer que seja a importância do que vocês manejam como ferramenta, lembrem-se de que são apenas ferramentas, e que a única Verdade emana de seu coração, de seus quatro pilares, da estabilidade deles, da solidez deles, e de absolutamente nada mais.

    ResponderExcluir
  2. "Essa Dança dos quatro Elementos, é claro, junta-se, de algum modo, e vem, aí também, estabilizar a vibrância do Coro dos Anjos e ligar-se ao Espírito do Sol.
    "Trata-se de uma ajuda apreciável para aqueles de vocês que teriam tido, até agora, certa dificuldade para perceber, para sentir e viver o vibral.

    "Praticar a Dança dos Elementos, na sequência uma da outra, na ordem em que lhes foram reveladas, permitirá, para muitos de vocês, perceber e sentir o coração ascensional e o desenvolvimento de sua Merkabah interdimensional, que aporta, é claro, por intermédio do Fogo.

    "É preciso, efetivamente, compreender que o Fogo que acaba de ser revelado é o elemento o mais Transmutador. ... O elemento motor, se posso dizer, da Transfiguração Final que vocês nomeiam Ressurreição.

    "O Fogo, se posso dizer, é o agente que nutre os outros elementos. O Fogo é o que vai permitir a vocês, literalmente, queimar, eu diria, os últimos obstáculos, as últimas resistências, quer elas estejam inscritas em seu corpo ou em qualquer camada de seus envelopes sutis.
    "A ação do Fogo situa-se tanto no envelope etéreo como no que vocês nomeiam o envelope causal.
    "O Fogo é o agente, portanto, da elevação, o Fogo é o agente da Ascensão.

    "O Fogo é o apanágio de Cristo.
    Ele é o apanágio dos Filhos Ardentes do Sol.
    Ele é o apanágio dos Elohim.
    Ele é o apanágio daqueles que não hesitam em percorrer os planos da Criação, que não hesitam em provar-se e provar à existência que o Amor é mais forte do que tudo, mesmo no confinamento terrestre.

    "A Dança dos Elementos, enfim, quanto a ela, leva-os ao Éter Restaurado."

    ResponderExcluir
  3. "Eu saio, pela última vez, de meu silêncio. É preciso, efetivamente, compreender que o Fogo que acaba de ser revelado é o elemento o mais transmutador. O Fogo é o que vai permitir a vocês, literalmente, queimar, eu diria, os últimos obstáculos, as últimas resistências, quer elas estejam inscritas em seu corpo ou em qualquer camada de seus envelopes sutis. Ele é o apanágio daqueles que não hesitam em percorrer os planos da Criação, que não hesitam em provar-se e provar à existência que o Amor é mais forte do que tudo, mesmo no confinamento terrestre ... Ao que se desenrola de maneira coletiva na Terra nesse momento, dará a vocês oportunidades, se posso dizer, de deixar desaparecer o que deve desaparecer com maior facilidade."

    Elemento Fogo, é uma 'Manifestação do Amor'!!!!

    ResponderExcluir