Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

11 de jul de 2015

NO FOGO DO AMOR – O.M. AÏVANHOV



Junho de 2015


Bem, caros amigos, eis-me de novo.
Antes de qualquer coisa, vamos permanecer em silêncio alguns minutos, para impregnar-se desse silêncio.
Em seguida, eu escutarei, simplesmente, as questões que possam nascer em vocês hoje, através do que vocês ouviram e do que viveram.

… Silêncio…

Bem, eu escuto, agora, as suas questões porque, é claro, não são, necessariamente, suas questões pessoais, mas elas podem concernir, eu acho, com o que se desenrola sobre a Terra, a muitos irmãos e irmãs.

Então, eu escuto seus questionamentos.
Tudo o que toca ao Fogo.


Questão: Hildegarde disse que, quando se pede ajuda, basta estar, simplesmente, na Presença.
Isso significa que é preciso recusar as ajudas materiais que se apresentariam?

Não há qualquer implicação lógica nesse gênero de questão.
Eu não estou certo, mesmo, de ter, verdadeiramente, compreendido o que é dito.
A partir do momento em que você está em sua Presença, toda ajuda, noção de pedido, torna-se supérflua.
Mas jamais foi dito que se deveria recusar, justamente, o que a providência ou a Luz, ou seus irmãos, suas irmãs aportam a você.
Eu não compreendi bem, então, talvez?

Eu falava de pedir ajuda não para si, mas para alguém que teria necessidade.

Então, retoma-se desde o início, isso quer dizer o quê?
Porque, aí, eu compreendo ainda menos.
Foi dito por Hildegarde de Bingen que, até agora, era preciso, no mínimo, uma atenção e uma intenção e que, doravante, com os Fogos que se revelam, vocês têm apenas que estar presente, e a Inteligência da Luz agirá.
Não é mais você, de maneira alguma, que pede ou que age.
Você pode, é claro, continuar a fazê-lo, mas eu não compreendo bem com o fato de aceitar ou recusar o que quer que seja.

Eu compreendo agora.

Então, perfeito.
Eu continuo a nada compreender, mas não é grave.


Questão: não estaríamos, já, na sexta dimensão, pelo menos em alguns lugares?

O que eu quero responder aí é que, efetivamente, há alguns meses, eu havia dito que a Luz adamantina depositava-se, preferencialmente, onde se encontravam os elementais, mas, também, algumas estruturas.
Eu não vou voltar a isso, nem dar-lhes isso.
Os Círculos de Fogo, por exemplo, mas não unicamente.
Há, por exemplo, lugares nos quais estão presentes irmãos e irmãs liberados, já.
Aí, não precisa, necessariamente, ser vários, mas, efetivamente, um ser liberado torna-se, ele sozinho, um vórtice de Luz, não para ele, não para manifestar alguma coisa, mas, simplesmente, para servir de retransmissor.
Mas esse retransmissor não tem necessidade de que você peça para agir, isso completa, finalmente, o que eu compreendi na questão anterior.

Aí você coloca a questão em relação a lugares, mas é claro que há lugares, eu diria, um pouco mais favorecidos.
Eles são um pouco mais favorecidos pela Luz, independentemente, mesmo, eu diria, de qualquer intenção humana ou de qualquer presença humana.
Primeiro, há os vórtices e os depósitos de partículas adamantinas que se manifestaram e espalharam perto de tudo o que é ligado aos elementos naturais, ou seja, aos povos dos elementos, por exemplo, os elfos, por exemplo, as ondinas, por exemplo, os silfos ou os gnomos.
Isso é uma coisa.

Mas há, também, lugares que são predispostos, independentemente da presença de seus habitantes, a serem, de algum modo, os primeiros a manifestar essa qualidade vibratória, ou seja, essa consciência específica na qual, quando você penetra nesse lugar ou nessa atmosfera, você sente não a energia, não, unicamente, o coração ou uma estrutura vibral que se ativa, mas, realmente, um estado de paz, ou, mesmo, de irrealidade nesse lugar, porque esse lugar, efetivamente, ou esse lugar ou essa pessoa está passando à dimensão superior e existirá, de certa maneira, em outras dimensões.

Portanto, é perfeitamente normal que você experimente esse sentimento de paz, ou mesmo de irrealidade em relação ao real desse mundo, que pode manifestar-se quando de encontros de irmãos ou de irmãs, em alguns lugares, e eu creio, aliás, que você vai experimentar isso não em muito tempo, em lugares que são preparados para isso, pela presença dos elfos, não é?

Tudo isso você vai dar-se conta por si mesmo, muito proximamente, na experiência aqui, mas, também, nas múltiplas experiências que os irmãos e as irmãs vão viver.
Você vai aperceber-se de que, por exemplo, uma simples árvore, que não é uma árvore mestre, torna-se carregada dessa paz.
Obviamente, se você passa na floresta, será tocado pela graça da paz que emana desse espaço ou de uma pessoa ou de um vegetal.
Então, isso será cada vez mais corrente.

Você vai, também, ver que tomará, por exemplo, prazer ao reencontrar tal pessoa, tal irmão, tal irmã, e que você se colocará, ali, simplesmente, no Silêncio, na Presença.
Não haverá mais necessidade de tagarelices, não haverá mais necessidade de falar de espiritualidade, não haverá mais necessidade de falar, absolutamente.
Você estará ali, nessa paz, nessa felicidade.
Quando isso se produz com um irmão ou uma irmã, quando isso se produz com um lugar que você vai procurar ou que você encontra espontaneamente, agradeça, é claro, porque você está na graça de uma dimensão que não está, ainda, instalada por toda a parte.
É a sobreposição, nesses lugares ou em algumas pessoas, total e em concordância do Eterno e do efêmero.

Então, sim, é claro, você vai aperceber-se de que existem irmãos e irmãs, animais, árvores, situações, espaços específicos que já estão nessa paz.
Então, isso você poderá ver, talvez, também, cada vez mais, sob a forma de imagens na ultratemporalidade, que nada tem a ver com imagens astrais, mas que lhe darão, por exemplo, não sei, você imagine: «Eu gostaria de encontrar, ao lado de onde estou, um espaço de paz assim, que já está em outra dimensão».

Peça-o, simplesmente, como uma intenção, e você verá a resposta que terá, e você se aperceberá, aliás, que esses lugares não são tão raros assim porque eles não dependem de uma história passada, eles não dependem, unicamente, agora, da instalação dos povos elementares nesses lugares, eles não dependem, tampouco, da presença harmoniosa dos elementos, mas, simplesmente, são lugares nos quais, ao mesmo tempo, a Luz adamantina depositou-se, mas, ao mesmo tempo, a Luz adamantina do núcleo cristalino juntou-se a eles.

É o equilíbrio entre o Céu e a Terra.
São as duas polaridades da Luz vibral, no Fogo vibral e no Éter da Terra que sobe, e que o alinha no coração.
Alinhando-o no coração, isso põe você na vacuidade e na capacidade para viver a Liberação, bem mais do que pela vibração.
Porque a Liberação é ligada ao Absoluto, e o Absoluto não é ligado, unicamente, à vibração, porque isso concerne à a-consciência.

Se você apreende isso, torna-se-lhe acessível que alguns lugares, algumas pessoas, sem desejá-lo, sem querer, devido ao que emana, espontaneamente, desse lugar ou dessa pessoa, ou desse irmão ou desse animal, vai colocá-lo, por ressonância, no mesmo estado.
E, aliás, isso faz parte do que disse Hildegarde de Bingen, em relação a essa noção de repulsão.
Quando você tiver experimentado esses lugares, essas pessoas, de maneira suficientemente convincente para si, você verá que não poderá mais suportar tudo o que é falso, e cada vez menos.

Então, é claro, isso pode causar alguns problemas para aqueles que estão, eu diria, em ambientes muito materiais e muito fechados.
Mas, mesmo isso, a um dado momento, você verá que, se você consegue, você, pôr-se nesse silêncio, no Coro dos Anjos, no Espírito do Sol, sem nada pedir, o lugar não poderá mais permanecer tal como ele é, não porque você é mágico, não porque você quer transformar as coisas e fazer o espetáculo, mas porque isso está na natureza das coisas e na natureza da consciência.
E tudo isso, é claro, é ligado ao Fogo que se revela agora, e de maneira total, sobre a Terra.


Questão: inversamente, há lugares a evitar, como os castelos Cátaros?

Então, aí, caro amigo, eu acho que você tem bem mais chance de viver o que eu nomearia estados de consciência que são diretamente ligados à natureza e não a lugares históricos.
Os únicos lugares históricos válidos são aqueles que escaparam da falsificação ou dos conflitos, ou seja, por exemplo, os Círculos de Fogo dos Anciões – na condição de conhecê-los – mas, sobretudo, lugares nos quais não houve, justamente, essas histórias de confrontação entre a sombra e a Luz.
Isso não quer dizer que esses lugares sejam negativos, isso não quer dizer que esses lugares estejam alterados, isso quer dizer, simplesmente, que haverá muito mais facilidade na natureza, e eu diria, mesmo, em meios completamente fechados, mas que não conhecem a dualidade do combate, da oposição bem/mal, como ocorreu, por exemplo, como você disse, nos castelos Cátaros ou em alguns lugares religiosos.

Eu creio que Miguel foi muito claro, e outros também, antes dele, sobre essas noções de religião ou de lugares religiosos.
É preciso passar pela supressão total, não pela vontade, mas pela Luz, de tudo o que é ligado, eu diria, aos mecanismos de predação sob uma forma ou sob outra.
E, até prova em contrário, uma vez que você tomou o exemplo dos castelos Cátaros, mas é válido, também, em todo lugar no qual houve, ao mesmo tempo, a Luz e, ao mesmo tempo, o combate da sombra contra essa Luz, uma vez que não são lugares que sejam neutros.

Eu falo de lugares que são naturais ou de lugares que não foram invertidos ou que não estiveram em luta.
E você tem mais chance de encontrar isso com uma árvore, com um animal selvagem que você vai encontrar, com uma borboleta, ao invés de com lugares como esse.
O que não quer dizer que não seja possível – uma vez que é você que é importante –, mas não vale a pena dirigir-se para coisas que estão carregadas de memórias, quer essas memórias sejam positivas ou quer essas memórias sejam negativas.
Não é, de modo algum, a mesma coisa.


Questão: O Arcanjo Miguel disse que entregou a espada de Verdade a alguns de nós.
O que ele quis dizer com isso?

A espada de Verdade é o Verbo criador.
É o Verbo operador de criação.
É, ao mesmo tempo, o Verbo pronunciado pelas palavras, mas o Verbo do Silêncio, aquele que vocês vivem desde o início desta tarde, com alguns intervenientes, em momentos precisos.
É o Coro dos Anjos, é o Espírito do Sol que, eu os lembro, não são limitados a uma forma, mesmo a mais magnífica que seja.

Isso quer dizer que o Espírito do Sol e o Coro dos Anjos não representa qualquer matriz, mesmo uma matriz de Liberdade como Cristo.
É o canto da Vida e, isso, vocês têm mais chance de encontrar em lugares nos quais, de algum modo, semeou-se a Luz, ou as partículas adamantinas que se depositaram, ou as linhas de menor resistência do que emerge do núcleo cristalino da Terra, e isso não tem necessidade de história humana.
E isso, eu o lembro de que você mesmo pode ser, em si.

Então, enquanto você crê que é preciso ir procurá-lo no exterior, é claro que é útil reencontrar esses lugares, mas eu falei, efetivamente, de reencontrar esses lugares de maneira completamente natural, ou seja, por exemplo, você desce em sua rua, você cruza com uma borboleta, mas não decidir ir a tal lugar porque houve uma história ou porque se disse que ali você vai encontrar alguma coisa, uma vez que está em você.

Atenção para não desviar, ainda, para um princípio de dualidade que o faz procurar algo de excepcional.
O excepcional está na borboleta que virá colocar-se em seu dedo, não está nos castelos Cátaros.
Não está, tampouco, no Gólgota.
Não está, tampouco, em um lugar no qual o homem colocou sua memória, sua história, uma vez que essas vibrações, esse Fogo vibral escapa de toda noção de história nesse mundo e não é tributário de qualquer história.
Então, eu diria que é muito mais fácil encontrar na natureza do que em edifícios, quaisquer que sejam.


Questão: Em relação à espada de Miguel, ele disse que alguns de nós vão recebê-la.

Você não espera ter uma espada na mão como um garoto, não é?
A espada de Verdade de Miguel é a espada do Verbo criador, como eu disse.
É isso, a espada de Verdade.
É seu Verbo, é sua Presença, não através do que você diz, unicamente, mas, é claro, através de sua paz, através do que emana de você quando você é sacrificado, quando você é ressuscitado.
Mas não conte com um lugar para ressuscitar.
Você pode contar apenas consigo mesmo.
Mas, é claro, você pode estabilizar isso, como eu disse, perto dos elfos, perto dos rios, nas florestas, perto das flores, perto de alguns animais ou de alguns insetos, de maneira muito mais evidente do que no átrio do Vaticano, por exemplo.

… Silêncio…


Questão: todos os humanos que têm uma alma, mas que não estão preparados, receberão esse Fogo antes dos últimos dias?

Vocês o receberão, aqueles que não o viveram, seja agora, seja, efetivamente, antes do Apelo de Maria, mas isso não poderá mais ser após, porque isso estará realizado.
Após, vocês enfrentarão, ou não, as consequências dessa confrontação, não como punição ou como retribuição, como foi dito, mas, ao invés disso, como o que vocês têm a realizar para reencontrar sua inteira Liberdade e, talvez, a «sofrer», quando eu digo a «realizar».
Mas o que vocês sofrem nada é em relação à Liberdade.

… Silêncio…

E vocês veem, aliás, progressivamente e à medida de suas questões, que se continua a viver esse estado de paz que se instala.
E esse Fogo vibral, esse Fogo que devora a ilusão, esse Fogo insaciável que consome tudo o que não é verdadeiro e que os alegra ao extremo.

… Silêncio…


Questão: qual é o lugar do Espírito nesse mundo?

Atualmente ou a vir?
O lugar do Espírito nesse mundo é muito limitado.
O lugar do Espírito no que vem é a totalidade do mundo.
Não haverá meia medida.
Eu, efetivamente, chamei a isso, há muito tempo, o planeta grelha, mas é, também, a grelha consciente efêmera.
É a grelha de tudo, se você prefere, do que é falso.
O lugar do Espírito vai tornar-se total.
Não haverá lugar para outra coisa que não o Espírito, o que é o caso em todos os mundos livres, quer você permaneça em uma Terra ascensionada, quer você passe ao Intraterra, quer você passe à sua origem estelar, quer você vá a tal dimensão ou tal outra, quer você prefira ser o Absoluto, pouco importa, o Espírito preenche tudo.
Não só nesse mundo que o Espírito foi sufocado e alterado.
Nesse mundo e em outros, você sabe que havia outros sistemas falsificados.
Mas eu não compreendo bem o sentido dessa questão, aí também.
Isso quer dizer, simplesmente, que há algo por trás que eu, talvez, não tenha compreendido ou que você não tenha desejado dizer.


Questão: os homens que se desencarnam podem despertar, se não o fizeram antes?

E primeiro, o que é que se desencarna?

As almas de humanos.

Eu não compreendo como uma alma..., se você é uma alma encarnada, é que você está em um corpo físico.

As pessoas que se vão agora ou que partiram há pouco tempo.

Sim, é o caso há vários anos já.
Há os que estão nos Círculos de Fogo, há os que disseram adeus ao confinamento, há os que se reencarnaram para aproveitar do espetáculo e há outros que estão na estase, porque é preciso esperar o momento coletivo.
Eles não estão prontos para serem despertados.
Portanto, eles não podem mais vagar no astral, eles não podem mais estar sujeitos às forças Arcônticas residuais nem ser impactados pelas egrégoras das crenças existentes ao nível astral que, eu o lembro, estão em plena fase de deslocação agora, não é mais de dissolução.
Você bem vê, aliás, que a matriz temporal desse mundo quebra de todos os lados, no sentido próprio como no sentido figurado.
Tudo quebra.
Então, a questão é qual?

Eles não vão ser acolhidos pelos Arcontes, como antes, no mundo astral?

Não, já é assim desde as Núpcias Celestes, em parte.
Agora é na totalidade, desde que Shamballa foi arruinado, ou seja, no dia de Todos os Santos, em 2010, antes da liberação da Terra.
Tudo o que resta são servidores dos Arcontes ou servidores ditos de Lúcifer, mas que não sabem que Lúcifer já virou a casaca.
E restam algumas forças Arcônticas residuais e alguns demônios que se precipitaram para a Terra, porque eles não puderam reganhar a Luz e eles, também, devem passar os famosos cento e trinta e dois dias para dar-se conta, um pouco, do que é.

Mas é claro, há um contingente importante de almas humanas que deixaram o corpo e, sobretudo, há aproximadamente dezoito meses que, ou encontram-se nos Círculos de Fogo, a esperá-los, pacientemente, ou intervêm em seu plano para pôr, também, um pouco de ordem nesse lado sutil que não é o astral, mas que é, eu diria, o esquema ou as matrizes, mesmo se o termo não seja completamente exato, etéreos, ou seja, as sobras.
Não são entidades, mas são programas que evoluem, mini egrégoras ou maxi egrégoras que evoluem em roda livre, se preferem.
E aqueles que aceitaram, que estão desencarnados, alguns aceitaram fazer a limpeza.
Mas esses vão tornar-se cada vez menos importantes, progressivamente e à medida que as forças da Confederação Intergaláctica penetram, cada vez mais, sua dimensão.


Questão: os momentos de estase que nós vivemos estão aí para preparar-nos?

Os momentos de estase que vocês vivem são preparações para viver a verdadeira estase, é claro.
Há uma espécie de aclimatação, se posso dizer, a esse estado específico que, eu o lembro, está na fronteira entre a Infinita Presença, a Última Presença e o Absoluto.
É aí que você pode ter a visão panorâmica, não, unicamente, de todo mundo, mas de todos os mundos e de todos os possíveis da consciência.
Não é um espaço ou um lugar, é um estado da consciência, se prefere, que é preliminar ao seu futuro, se posso exprimir-me assim.


Questão: o que vão tornar-se aqueles que estão no Intraterra?

Mas quem está no Intraterra?
Eu o lembro, de qualquer forma, de que Ramatam e todos os guardiões do Intraterra não tinham mais razão alguma para permanecerem no Intraterra, assim que o núcleo cristalino da Terra foi liberado.
O Intraterra espera seus novos ocupantes, digamos.
É claro, isso permite a vocês verificarem, também, que alguns pequenos espertos fazem falar aqueles que não estão mais ali.

Então, não há mais ninguém no Intraterra?

Não, o espaço está pronto para vocês, para alguns de vocês.
Eu diria que isso não lhes concerne, desse lado do Ocidente, mas, mais, do outro lado, ou seja, na América Latina e na América do Norte.
Há muito, muito poucas entradas Intraterrestres reais desse lado da Europa.
A maior parte está concentrada do outro lado, tanto no lado Pacífico como do lado Atlântico da América do Norte e da América do Sul.


Questão: Desde a intervenção de Miguel, eu sinto um forte calor ao nível do chacra do coração.

Sente o queimado ou não?
Enquanto isso não sente o queimado e isso não faz fumaça, nenhum perigo.
Mas é completamente normal.
Parece-me que é o que fez Miguel.
Parece-me que nós falamos do Fogo e que vamos viver o Fogo...
Enfim, vocês vão viver e nós vamos viver, ao seu lado, cada vez mais, esse Fogo.
Isso foi, efetivamente, chamado o Fogo do coração, parece-me.
Isso lhe permitirá verificar a diferença, se posso dizer, e evitar as confusões entre o fogo vital, que é a energia que circula e o Fogo do coração, que não é uma circulação de energia, que é um estado de sua consciência.


Questão: como isso vai acontecer para os jovens que não conseguem adaptar-se a esse mundo, tomam substâncias como a cannabis ou estão na fuga da realidade?

Não, eles estão na fuga do real desse mundo, mas eles não estão na fuga da vida.
É preciso saber, de qualquer forma, entre todos esses jovens que são, de qualquer forma, seres que se encarnaram depois que o Espírito Santo – eu falo da faixa de idade que tem, no máximo, trinta anos hoje – não são, unicamente, todos jovens.
Quaisquer que sejam as experiências, qualquer que seja, como você diz, a fuga do real, através de produtos que você nomeia, entorpecentes ou enteogênicos, mas esses seres estão, certamente, muito menos enferrujados do que você para acolher a Luz.

Quando Ele diz que é preciso estar aqui presente, aqui e agora, é preciso estar no real da ilusão desse mundo, mas Ele jamais disse que é preciso aceitar tudo o que diz esse mundo.
Você vai aperceber-se disso, isso foi desenvolvido por Hildegarde de Bingen, uma vez que ela disse que vocês não poderão comprometer-se com o que é falso, em todos os seus assuntos, quer seja com o banqueiro, quer seja com o marido, quer seja com a mulher, quer seja com os filhos.
Não em relação ao seu ponto de vista de pessoa e seus interesses, mas em relação à Verdade.

E há, na jovem geração, seres que podem aparecer, eu diria, como completamente desenraizados, mas esses jovens, é preciso pensar, de qualquer forma, que, talvez, se eles utilizam esses produtos, não é para fugir da realidade, é para fugir das circunstâncias desse mundo, porque eles ali se sentem confinados.
Então, vocês foram formatados com energias diferentes, a predação não era tão intensa como hoje.
Uma aparência de liberdade existia, o que não existe mais, absolutamente, em qualquer país que seja.

Então, não se coloque questões em relação a esses jovens e seus produtos entorpecentes, porque há os que terão surpresas, e não é, necessariamente, o que você observa ou julga com o olhar dessa dimensão, por exemplo, em relação aos entorpecentes.
Mas há pessoas que estão na rejeição desse mundo, mas elas não estão na rejeição da vida, bem ao contrário.
Elas procuram a verdadeira vida e sabem muito bem de que não há qualquer verdadeira vida possível inserindo-se nesse quadro matricial que está morrendo.
Por que você quereria que elas se inserissem em um modelo social que não corresponde a elas?
Elas não recusam a vida, elas recusam seus mecanismos de predação, não é, de modo algum, a mesma coisa.
Há seres muito evoluídos aí.


Questão: há, no entanto, muitos desses jovens que não conseguem e que cometem suicídio.

É, também, uma forma de liberação.
A partir do instante em que você adota o ponto de vista do Absoluto, e esses jovens que não estão prontos a assumir, não há mais carma.
Aqueles que cometem suicídio agora, você acredita que o suicídio vá provocar uma punição?
Mas, para a punição, seria preciso que houvesse os Arcontes que os enganam e dizem: «Olhe o que você fez, você sacrificou seu corpo, você vai voltar».
Mas isso não existe mais.
Esses jovens e essas pessoas já saíram da ilusão desse mundo, em seus mecanismos de funcionamento, não da vida.

Eles não atentam contra a vida, uma vez que eles são imortais, eles atentam, simplesmente, e eles querem acabar com essa ilusão.
Não há, ali, qualquer culpa nem qualquer julgamento a ter para com isso.
Isso são as crenças que lhes foram inculcadas pelos Arcontes e por alguns mestres espirituais que os fizeram culpar em relação a essas noções, é tudo.
Uma vez que esse mundo é uma ilusão.
Na questão que você formula, você mesmo trai sua adesão a esse mundo e às leis desse mundo.

Os jovens não são joguetes, sobretudo, aqueles que têm menos de trinta anos e, mais especificamente, os muito jovens, que, digamos, estão na idade ingrata da adolescência.
Obviamente que eles recusam esse mundo!
Como é que alguém que está suficientemente desperto, em qualquer idade que seja, pode aceitar concordar com o funcionamento desse mundo?
É normal, a juventude é a revolta, é a revolução, é a ausência de comprometimento, mas não é uma fuga da realidade.

O que não quer dizer que se deva cometer suicídio, é claro, mas é preciso posicionar-se diferentemente, porque o que você exprime mostra, simplesmente, que você está, ainda, submisso ao carma desse mundo, pensando assim.
Eu o lembro, de qualquer forma, que nossos irmãos Arcturianos dão-se de coração alegre com os Arcontes, eles se passam no fio da espada todo o dia, eles se divertem como loucos.
Não há mal algum aí.
São as circunstâncias desse mundo que os fazem dizer: isso é errado.
Tudo depende do ponto de vista.


Questão: meu filho cometeu suicídio aos vinte anos, ele não compreendia esse mundo e não se adaptou.

Mas ele tinha razão.
Por que você quer forçar que alguém, mesmo seu filho, a concordar com a ilusão?
Em nome de quê?
Porque você era sua mãe?
Isso prova, simplesmente, um apego.
Um apego pertence a esse mundo.
Uma alma é livre.
E, se não há mais alma, então, aí, não há mais relação, mesmo, possível em relação a noções de paternidade ou de maternidade.
O problema é você, não é ele.
Será que você compreende isso?
É aquele que diz que é.

Mas não há qualquer punição, mesmo se esse suicídio tenha ocorrido, eu diria, antes das Núpcias Celestes e antes da Liberação da Terra.
Então, o que é que aconteceu naquele momento?
Ou ele reencarnou, o que era o mais lógico, ou ele estava na estase, mas, entre 2006 e 2009 houve exceções, é claro.

Porque há, por exemplo, jovens que não suportavam esse mundo, que cometeram suicídio sem, mesmo, falar de entorpecentes ou o que quer que seja.
E o que aconteceu?
Esses jovens tinham tal recusa, não da vida, mas desse quadro normativo desse mundo, uma vez que eles cometeram suicídio, eles escaparam.
Eles nem mesmo puderam ser parados pelos Arcontes.
Eles não acreditaram, tampouco, nesses pretensos senhores de luz que vinham dizer a eles que era preciso retornar à Terra.
Eles eram suficientemente autônomos e livres para saber o que faziam.

Então, o que você considera, efetivamente, com a dor da mãe, para ele, é uma grande liberdade.
Seu filho é seu filho apenas o tempo de uma vida.
Eu a lembro, sempre, que aquele que foi seu filho nesta vida – ou para um pai, é sempre os dois – é, necessariamente, alguém que você matou em uma vida passada.
Então, isso relativiza o carma, você vê.

Mas o Fogo do Espírito vai varrer tudo isso.
Todas as noções de filhos, de pais não existem nas outras dimensões.
Será preciso descondicionar-se desses hábitos de apego e de pertencimento ou de filiação.
São as circunstâncias desse mundo que fizeram isso.
Eu já tive a oportunidade de exprimir, há sete anos, certo número de coisas sobre essas leis de carma, de falar como acontecia, eu diria, a geração de um corpo nos mundos unificados, mesmo carbonados.
Isso nada tem a ver com o que se vive aqui.
Eu a remeto a isso, porque eu fui explícito, e de maneira muito longa durante certo período, sobretudo, quando falávamos do abandono à Luz, com o Arcanjo Anael e, sobretudo, durante as Núpcias Celestes.

Pode-se dizer que a filiação, nesse mundo, representa apenas a forma a mais bem sucedida da predação.
É difícil de encaixar, para aquelas que se consideram como mãe – ou aqueles, como pai –, mas é exatamente isso.


Questão: Não havia, jamais, relação de amor?

Mas é claro que sim, há uma relação de amor, mas um amor que pode ser justo, mas que continuará condicionado por essa relação cármica específica.
E, justamente, aquele que foi morto, como eu disse, aceita voltar no ventre – ou no meio, se é o pai o responsável por sua morte – portanto, o carma não funciona no sentido que você acredita.
Mas o carma é uma ilusão total desse mundo, criado a partir do zero pelos Arcontes.
Então, você vê a sabedoria budista, aí, ela pode ir recomeçar.

Não acredite em nada e, sobretudo, não nesse carma.
É claro que há uma retribuição nesse mundo, porque são as leis desse mundo, mas isso não tem realidade alguma, isso faz parte da ilusão, das quimeras desse mundo, das <palavras inaudíveis> que será preciso melhorar, vida após vida.
Mesmo eu acreditei nisso, em minha vida, apesar de meu reencontro com o Sol.
O peso dos hábitos, o peso das crenças, o peso da noção de maternidade, de paternidade, de hereditariedade.

Cristo disse isso, de qualquer forma.
Lembre-se do que Ele disse, no momento de Sua agonia.
Ele disse a Maria, que era Sua mãe: «Mãe, eis seu filho», mostrando-lhe João, e Ele disse a João: «Eis sua mãe».
Ele demonstrou, com isso, que os laços espirituais, a liberdade espiritual era completamente ao oposto da filiação no sentido humano, com a necessidade de perenizar-se, através de um filho, através do dinheiro, através de uma perenidade ou através de um carma.
Isso é o ego, e nada mais.
E todos aqueles que defendem isso nos ensinamentos apenas estão sob a influência do ego e dos Arcontes.
Nada mais, nada menos.

Você deverá habituar-se à verdade toda crua e toda nua, agora.
Aí está o Fogo vibral, aí está o fogo da Verdade.
Ele não está na complacência ou na explicação de seus carmas, de seus filhos, de seus pais.
A Autonomia e a Liberdade nada reconhecem de tudo isso como verdadeiro.

… Silêncio…


Questão: diz-se que, nessa vida, somos o resultado de todas as nossas vidas passadas.

No confinamento sim, é claro.

Isso nada tem a ver com o carma?

Mas não, é a resultante, simplesmente, de suas encarnações e das leis desse mundo, mas o carma não existe para aquele que é livre.
Então, enquanto você acredita ou adere ao carma, você não será, jamais, livre.
E é um argumento fácil, acreditar que tudo o que lhe acontece é apenas a consequência de um erro passado.
Tudo o que acontece é a consequência do confinamento – e não do carma – prioritariamente; o carma decorre do confinamento.
Nada mais Luciferiano, eu diria, no sentido Illuminati, crer que você é dependente das ações que você tem feito nesse mundo.
É claro que, hoje, o que acontece, ao nível do efêmero, é sua dissolução.
Ora, o melhor modo de dissolver o efêmero é o Fogo do Espírito, é tudo o que você tem vivido ao nível vibral, durante esses anos, mas é, sobretudo, aceitar e acolher, mesmo, a transcendência da ação/reação.

Isso quer dizer não acreditar nisso, mas quer dizer, também, atravessá-lo.
Mas não para aderir, mas, simplesmente, atravessá-lo.
Agora, é livre a você acreditar no carma ou crer-se sujeito a um carma, mas, enquanto você se crê, você mesmo, sujeito a um carma, você não será, jamais, livre.
Porque você se põe, automaticamente, sob a lei de ação/reação, que nada tem a ver, eu o lembro, com a lei de Ação de graça.
A Ação de graça nada tem a ver com o carma.
É um condicionamento, é um confinamento a mais.
Nos mundos livres, o carma, mas isso faz rir, é, mesmo, o objeto de piada, eu diria.

Creio que vamos parar.
Eu lhes transmito todas as minhas bênçãos, lembrem-se de que eu voltarei, de qualquer forma, dar-lhes um pequeno olá, em alguns dias, a menos que haja lugar que se libere, mas não creio.
Então, eu lhes transmito todo o meu Amor e, também, todo o Fogo do Amor.
No Fogo do Amor, aí está no que vocês entram.
Eu os abraço e aperto-os em meu coração, e eu lhes digo até breve.
--------------------



9 comentários:

  1. Quando você tiver experimentado esses lugares, essas pessoas, de maneira suficientemente convincente para si, você verá que não poderá mais suportar tudo o que é falso, e cada vez menos.

    Nos mundos livres, o carma, mas isso faz rir, é, mesmo, o objeto de piada, eu diria.

    ResponderExcluir
  2. "Quando você tiver experimentado esses lugares, essas pessoas, de maneira suficientemente convincente para si, você verá que não poderá mais suportar tudo o que é falso, e cada vez menos."

    Eu já tinha pensado em compartilhar isso. Há um ponto em minha casa, bem especial, onde eu senti a onda da vida, onde esta outra realidade veio a mim, também onde eu senti o estase. Vocês vão rir disso: é junto a pia da cozinha. E essas situações são engraçadas. Em qualquer momento que eu vou lá lavar um copo, as vibrações sobem espontaneamente, são momentos inesperados, muitas vezes quando se está na pia fazendo algo, você não está pensando em nada, e também há limoeiro no quintal onde eu me fusiono com a consciência das árvores e com outros.

    ResponderExcluir
  3. Questão -1

    "Foi dito por Hildegarde de Bingen que, até agora, era preciso, no mínimo, uma Atenção e uma Intenção e que, doravante, com os Fogos que se Revelam, vocês têm apenas que estar Presente, e a Inteligência da Luz agirá.
    "Não é mais você, de maneira alguma, que Pede ou que Age."

    ResponderExcluir
  4. Questão - 2

    "Efetivamente, há alguns meses, eu havia dito que a Luz adamantina depositava-se, preferencialmente, onde se encontravam os elementais, mais, também, algumas estruturas.
    "Os Círculos de Fogo, por exemplo, mas não unicamente.

    "Mas há, também, lugares que são predispostos, independentemente da presença de seus habitantes, a serem, de algum modo, os primeiros a manifestar essa qualidade vibratória, ou seja, essa consciência específica na qual, quando você penetra nesse lugar ou nessa atmosfera, você sente não a energia, não, unicamente, o coração ou uma estrutura vibral que se ativa, mas, realmente, um estado de Paz, ou, mesmo, de irrealidade nesse lugar, porque esse lugar, efetivamente, ou esse lugar ou essa pessoa está passando à dimensão superior e existirá, de certa maneira, em outras dimensões.

    "Há, por exemplo, lugares nos quais estão presentes irmãos e irmãs liberados, já.
    "Aí, não precisa, necessariamente, ser vários, mas, efetivamente, um ser Liberado torna-se, ele sozinho, um Vórtice de Luz, não para ele, não para manifestar alguma coisa, mas, simplesmente, para servir de Retransmissor.
    "Você vai, também, ver que tomará, por exemplo, prazer ao reencontrar tal pessoa, tal irmão, tal irmã, e que você se colocará, ali, simplesmente, no Silêncio, na Presença.
    "Não haverá mais necessidade de tagarelices, não haverá mais necessidade de falar de espiritualidade, não haverá mais necessidade de falar, absolutamente. Você estará ali, nessa Paz, nessa Felicidade.

    "Quando isso se produz com um irmão ou uma irmã, quando isso se produz com um lugar que você vai procurar ou que você encontra espontaneamente, agradeça, é claro, porque você está na Graça de uma dimensão que não está, ainda, instalada por toda a parte.
    "É a Sobreposição, nesses lugares ou em algumas pessoas, total e em concordância do Eterno e do efêmero.
    "Então, sim, é claro, você vai aperceber-se de que existem irmãos e irmãs, animais, árvores, situações, espaços específicos que já estão nessa Paz.

    "É o equilíbrio entre o Céu e a terra.
    São as duas polaridades da Luz Vibral, no Fogo Vibral e no Éter da Terra que sobe, e que o alinha no Coração.
    "Alinhando-o no Coração, isso põe você na Vacuidade e na capacidade para viver a Liberação, bem mais do que pela vibração.
    "Porque a Liberação é ligada ao Absoluto, e o Absoluto não é ligado, unicamente, à vibração, porque isso concerne à A-Consciência.

    "Se você apreende isso, torna-se-lhe acessível que alguns lugares, algumas pessoas, sem desejá-lo, sem querer, devido ao que Emana, espontaneamente, desse lugar ou dessa pessoa, ou desse irmão ou desse animal, vai colocá-lo, por Ressonância, no mesmo Estado.
    "E tudo isso, é claro, é ligado ao Fogo que se Revela agora, e de maneira total sobre a Terra."

    ResponderExcluir
  5. Questão - 5

    "A espada de Verdade de Miguel é a espada do Verbo Criador, como eu disse.
    " É isso, a espada de Verdade. É seu Verbo, é sua Presença, não através do que você diz, unicamente, mas, é claro, através de sua Paz, através do que emana de você quando você é sacrificado, quando você é Ressuscitado."

    ResponderExcluir
  6. Questão - 6

    "E vocês veem, aliás, progressivamente e à medida de suas questões, que se continua a viver esse estado de Paz que se Instala. E esse Fogo Vibral, esse Fogo que devora a ilusão, esse Fogo insaciável que consome tudo o que não é Verdadeiro e que os Alegra ao extremo."

    ResponderExcluir
  7. Questão - 7

    "O lugar do Espírito vai tornar-se total.
    "Não haverá lugar para outra coisa que não o Espírito, o que é o caso em todos os mundos livres, quer você permaneça em uma Terra Ascensionada, quer você passe ao Intraterra, quer você, passe à sua Origem Estelar, quer você vá a tal dimensão ou tal outra, quer você prefira ser o Absoluto, pouco importa, o Espírito preenche tudo."

    ResponderExcluir
  8. Parte 1-

    RQ2- “Foi dito por Hildegarde de Bingen que, até agora, era preciso, no mínimo, uma atenção e uma intenção e que, doravante, com os Fogos que se revelam, vocês têm apenas que estar presente, e a Inteligência da Luz agirá.”

    RQ3- “Aí, não precisa, necessariamente, ser vários, mas, efetivamente, um ser liberado torna-se, ele sozinho, um vórtice de Luz, não para ele, não para manifestar alguma coisa, mas, simplesmente, para servir de retransmissor... Mas há lugares que são um pouco mais favorecidos pela Luz,... Mas há, também, lugares que são predispostos, independentemente da presença de seus habitantes, a serem, de algum modo, os primeiros a manifestar essa qualidade vibratória, ou seja, essa consciência específica na qual, quando você penetra nesse lugar ou nessa atmosfera, você sente não a energia, não, unicamente, o coração ou uma estrutura vibral que se ativa, mas, realmente, um estado de paz, ou, mesmo, de irrealidade nesse lugar, porque esse lugar, efetivamente, ou esse lugar ou essa pessoa está passando à dimensão superior e existirá, de certa maneira, em outras dimensões. Quando isso se produz com um irmão ou uma irmã, quando isso se produz com um lugar que você vai procurar ou que você encontra espontaneamente, agradeça, é claro, porque você está na graça de uma dimensão que não está, ainda, instalada por toda a parte. Quando você tiver experimentado esses lugares, essas pessoas, de maneira suficientemente convincente para si, você verá que não poderá mais suportar tudo o que é falso, e cada vez menos. ... Em ambientes muito materiais e muito fechados. Mas, mesmo isso, a um dado momento, você verá que, se você consegue, você, pôr-se nesse silêncio, no Coro dos Anjos, no Espírito do Sol, sem nada pedir, o lugar não poderá mais permanecer tal como ele é, “...

    RQ4- “Eu falo de lugares que são naturais ou de lugares que não foram invertidos ou que não estiveram em luta."

    RQ5-“ A espada de Verdade é o Verbo criador. É o Verbo operador de criação... Mas o Verbo do Silêncio,... É o Coro dos Anjos, é o Espírito do Sol que, eu os lembro, não são limitados a uma forma, mesmo a mais magnífica que seja. É o canto da Vida e, isso, vocês têm mais chance de encontrar em lugares nos quais, de algum modo, semeou-se a Luz, ou as partículas adamantinas que se depositaram, ou as linhas de menor resistência ... E isso, eu o lembro de que você mesmo pode ser, em si... Uma vez que está em você.”

    RQ6-“ É seu Verbo, é sua Presença, não através do que você diz, unicamente, mas, é claro, através de sua paz, através do que emana de você quando você é sacrificado, quando você é ressuscitado."

    RQ7-“Vocês o receberão, aqueles que não o viveram, seja agora, seja, efetivamente, antes do Apelo de Maria, mas isso não poderá mais ser após, porque isso estará realizado. E esse Fogo vibral, esse Fogo que devora a ilusão, esse Fogo insaciável que consome tudo o que não é verdadeiro e que os alegra ao extremo.”

    RQ8-“ Não haverá lugar para outra coisa que não o Espírito, o que é o caso em todos os mundos livres, quer você permaneça em uma Terra ascensionada, quer você passe ao Intraterra, quer você passe à sua origem estelar, quer você vá a tal dimensão ou tal outra, quer você prefira ser o Absoluto, pouco importa, o Espírito preenche tudo. Não só nesse mundo que o Espírito foi sufocado e alterado. Nesse mundo e em outros, você sabe que havia outros sistemas falsificados.”

    RQ9-“ Há os que estão nos Círculos de Fogo, há os que disseram adeus ao confinamento, há os que se reencarnaram para aproveitar do espetáculo e há outros que estão na estase, porque é preciso esperar o momento coletivo. Eles não estão prontos para serem despertados. Portanto, eles não podem mais vagar no astral, eles não podem mais estar sujeitos às forças Arcônticas residuais nem ser impactados pelas egrégoras das crenças existentes ao nível astral que, eu o lembro, estão em plena fase de deslocação agora, não é mais de dissolução. E aqueles que aceitaram, que estão desencarnados, alguns aceitaram fazer a limpeza.”

    ResponderExcluir
  9. Parte 2-

    RQ10- “Os momentos de estase que vocês vivem são preparações para viver a verdadeira estase, é claro. Há uma espécie de aclimatação, se posso dizer, a esse estado específico que, eu o lembro, está na fronteira entre a Infinita Presença, a Última Presença e o Absoluto.”

    RQ11-“O Intraterra espera seus novos ocupantes,”...

    RQ12-“Eu diria que isso não lhes concerne, desse lado do Ocidente, mas, mais, do outro lado, ou seja, na América Latina e na América do Norte.”

    RQ13- “Isso lhe permitirá verificar a diferença, se posso dizer, e evitar as confusões entre o fogo vital, que é a energia que circula e o Fogo do coração, que não é uma circulação de energia, que é um estado de sua consciência.”

    RQ14-“Quaisquer que sejam as experiências, qualquer que seja, como você diz, a fuga do real, através de produtos que você nomeia, entorpecentes ou enteogênicos, mas esses seres estão, certamente, muito menos enferrujados do que você para acolher a Luz. Quando Ele diz que é preciso estar aqui presente, aqui e agora, é preciso estar no real da ilusão desse mundo, mas Ele jamais disse que é preciso aceitar tudo o que diz esse mundo. E há, na jovem geração, seres que podem aparecer, eu diria, como completamente desenraizados, mas esses jovens, é preciso pensar, de qualquer forma, que, talvez, se eles utilizam esses produtos, não é para fugir da realidade, é para fugir das circunstâncias desse mundo, porque eles ali se sentem confinados. Mas há pessoas que estão na rejeição desse mundo, mas elas não estão na rejeição da vida, bem ao contrário. Elas procuram a verdadeira vida e sabem muito bem de que não há qualquer verdadeira vida possível inserindo-se nesse quadro matricial que está morrendo. Por que você quereria que elas se inserissem em um modelo social que não corresponde a elas? Elas não recusam a vida, elas recusam seus mecanismos de predação, não é, de modo algum, a mesma coisa. Há seres muito evoluídos aí.”

    RQ15-“É, também, uma forma de liberação. Esses jovens e essas pessoas já saíram da ilusão desse mundo, em seus mecanismos de funcionamento, não da vida."

    RQ16-“Mas ele tinha razão. Por que você quer forçar que alguém, mesmo seu filho, a concordar com a ilusão? Em nome de quê? Porque você era sua mãe? Isso prova, simplesmente, um apego. Um apego pertence a esse mundo. Uma alma é livre. Porque há, por exemplo, jovens que não suportavam esse mundo, que cometeram suicídio sem, mesmo, falar de entorpecentes ou o que quer que seja.”

    RQ17-“Mas é claro que sim, há uma relação de amor, mas um amor que pode ser justo, mas que continuará condicionado por essa relação cármica específica. E, justamente, aquele que foi morto, como eu disse, aceita voltar no ventre – ou no meio, se é o pai o responsável por sua morte – portanto, o carma não funciona no sentido que você acredita. Mas o carma é uma ilusão total desse mundo, criado a partir do zero pelos Arcontes.”

    RQ18-“No confinamento sim, é claro.... Mas o carma não existe para aquele que é livre. A Ação de graça nada tem a ver com o carma."

    Que finalização... Levando nos ao ‘pico da compreensão, da liberdade,...’. Que Dimensão do Amor.....

    ResponderExcluir