Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

14 de jul de 2015

NO FOGO DO AMOR – Junho de 2015




No Fogo do Amor – Ma Ananda Moyi – O Fogo Vibral


No Fogo do Amor – Miguel – O Fogo do Coração


No Fogo do Amor – Uriel – Eu venho Assistir sua Ressurreição
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/06/no-fogo-do-amor-uriel-eu-venho-assistir.html


No Fogo do Amor com O.M. Aïvanhov – Trocas na Presença de nossas Presenças
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/06/no-fogo-do-amor-oma-trocas-na-presenca.html


No Fogo do Amor com O.M. AÏVANHOV – Sequência das trocas

No Fogo do Amor com O.M. AÏVANHOV – Questões e Respostas 1
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/07/no-fogo-do-amor-om-aivanhov_11.html

No Fogo do Amor com O.M. AÏVANHOV – Questões e Respostas 2
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/07/no-fogo-do-amor-om-aivanhov_14.html

No Fogo do Amor com O.M. AÏVANHOV – Trocas e Comunhões
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/07/no-fogo-do-amor-om-aivanhov_40.html

Li Shen - A Dança do Fogo e encadeamento dos quatro elementos.
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/06/o-retorno-da-fenix-elemento-fogo.html

No Fogo do Amor com
O ESPÍRITO DO SOL e o CORO DOS ANJOS
Primeira Parte: Ouça o Silêncio do Verbo
Segunda Parte: Juntos, vivamos o Instante Presente
Terceira Parte: Celebremos o Tempo do banquete
 http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/07/no-fogo-do-amor-o-espirito-do-sol-e-o.html



No Fogo do Amor – Hildegarde de Bingen – O Fogo do Espírito


No Fogo do Amor – Cristo – Eu deposito, em seu Templo, Meu Sagrado Coração
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/07/no-fogo-do-amor-cristo-eu-deposito-em.html


No Fogo do Amor – Li Shen – A dança do Fogo
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/07/no-fogo-do-amor-li-shen-danca-do-fogo.html

NO FOGO DO AMOR – ERIN, REI DOS ELFOS
-----------
Se puder, por favor, considere uma contribuição aqui

NO FOGO DO AMOR – O.M. AÏVANHOV


Junho de 2015

Trocas e Comunhões


Bem, caros amigos, estou animado de reencontrá-los e de partilhar, com vocês, um momento de trocas e de comunhão, é claro.
Queiram dignar-se a aceitar todas as minhas bênçãos, no Coração do Coração e de Coração a Coração, entre cada um de nós, no silêncio, alguns instantes.

… Comunhão…

Vamos poder, agora, trocar sobre o que vocês têm a colocar-me como questão ou como coisa algo a debater e a descobrir, talvez.
Eu os escuto...


Questão: durante os três dias, se eu estou na estase e meus parentes não estão, qual será o comportamento deles, vis-à-vis de mim?

Mas nós jamais dissemos que haveria seres humanos na estase, na totalidade, é claro.
Mas aqueles que não estiverem na estase não serão, verdadeiramente, muito valentes.
E, de qualquer modo, se você está na estase, você está na 5D.
Portanto, seu corpo de carne não tem a mesma visibilidade do que nas condições normais, sobretudo, para aqueles que resistirem à estase, que serão presas de qualquer outra coisa que, eu diria, que não o mental comum de sua vida habitual.
Quanto mais os seres estiverem despertados, mais eles estarão, eu diria, em oposição feroz à Luz e, para aqueles que estão completamente na estase, quer já estejam liberados de um corpo, ou seja, ascensionados, diretamente, no Absoluto, ou que passarem por evacuações sem o corpo, não têm que se preocupar com o corpo, mesmo em relação aos parentes.
Os parentes não os verão, e aqueles que estiverem, suficientemente, em contradição em relação à Verdade da Luz, não estarão no estado de aportar-lhes ou de prejudicá-los, de qualquer maneira que seja, o que quer que seja.
Como diria Bidi, há os que têm o ar de segurar-se, ainda, em seu saco de carne.


Questão: os Nefilim, quem são e qual será o papel deles?

Jamais foi dito que os Nefilim voltariam à Terra e que eles teriam um papel.
Os Nefilim são os Seres de Fogo, que esculpiram os Círculos de Fogo, antes de partir à sua morada de origem e à sua dimensão de origem.
É claro, houve misturas de feitos em alguns escritos que, voluntariamente, fizeram passar os Nefilim por maus anjos.
Mas não há outros maus anjos que não Yaldébaoth e seus bandos de anjos caídos, desviados, e os Arcontes que os acompanham.
É tudo.
Há os híbridos Annunakis, é claro, e é tudo.
O resto pertence, eu diria, à história, mas os Nefilim não têm interesse algum em voltar à Terra de 3D, mesmo para liberá-la.
Eles fizeram o juramento de voltar, mas uma vez que a Luz tiver concluído sua obra para todas as consciências, como para a Terra.

… Silêncio…

Não desapareçam todos ao mesmo tempo, senão, eu vou ficar sozinho aqui...


Questão: desde ontem, meu coração bate de forma anormal; isso é ligado às canalizações que foram feitas nesses últimos dias?

É claro.
O ritmo cardíaco muda.
Quando você encontra algo de agradável, você tem um sobressalto no coração ou, quando você tem medo, também, é claro.
Aí, a Luz vibral, eu o lembro que ela passa, também, doravante, não, unicamente, pelos circuitos que nós havíamos evocado, mas por toda a parte.
Ela se condensa, preferencialmente, você sabe, nas Portas, nas Estrelas.
Ora, você sabe que as Portas AL e Unidade estão em conexão direta com a alma e o Espírito, e que essa alma e esse Espírito têm ressonâncias e alojamentos, se posso dizer, virtuais, ao nível de uma parte do coração, na qual se situa, muito precisamente, o início do influxo nervoso.
Portanto, é perfeitamente normal.

Mas eu o lembro de que, para ascensionar no momento coletivo, o coração deverá, sim, parar, não?
Então.
Não se esqueça de que, talvez não no Ocidente, mas irmãos e irmãs vão começar a desaparecer, simplesmente.
Eles serão ascensionados com ou sem o corpo.
Mas, mesmo com o corpo, a passagem final, de uma dimensão à outra, acompanha-se, eu diria, de uma espécie de sobressalto do coração, de irregularidades importantes do coração, mas que não são, propriamente ditas, uma taquicardia.
É um sobressalto com, talvez, a percepção de batimentos anormais.
Então, é claro, se existem anomalias preexistentes, isso pode parecer anormal, é claro.
Mas não há qualquer inquietação a ter, quando você percebe esse gênero de coisa.
É como se você me dissesse: como eu adormeço e desapareço agora, quando você fala ou não importa quando, vou ver se eu não tenho a doença do sono.
É exatamente a mesma coisa.


Questão: o mantra budista «Om Mani Padme Hum» continua de atualidade, em relação à liberação dos seres?

Eu não sei onde você ouviu que qualquer mantra que seja propiciaria a liberação dos seres, qualquer que seja o mantra.
Um mantra pode elevar as vibrações, mas, crer que a liberação virá de um mantra ou de um rosário, ou de um japamala ou de um terço que você vá recitar, é apenas para provocar uma sideração da consciência comum.
Mas isso jamais liberou ninguém, isso se saberia.
Caso contrário, não importa quem cantasse Mani Padme Hum seria liberado?
A liberação é o sacrifício.
É tudo.

É claro que existem mantras, existem bênçãos, por exemplo, arcangélicas, com mantras que vocês pronunciam, talvez.
Aí, é uma subida vibratória.
É claro que a subida vibratória é agradável.
Isso foi, mesmo, indispensável, para muitos de vocês, durante todos esses anos, porque a consciência era vibração, é claro.
Mas nenhuma consciência, nenhum mantra, nenhuma forma pode liberá-los, porque vocês já estão livres.
Há, já, apenas que reconhecê-lo.
A liberação não depende de qualquer ser, de qualquer consciência.

E eu diria, mesmo, que vocês não podem liberar o que quer que seja, porque, querer ser liberado é, já, considerar que não se está livre.
Mas você é livre em si.
É claro que esse mundo não está livre, mas você, você é a liberdade, além, mesmo, de todas as funções de ancoradores e de semeadores de Luz.
Você não pode pôr uma distância com algo que já está aí e que sempre esteve aí.
Simplesmente, o sonho coletivo fez com que vocês todos aderissem, coagidos e forçados, a uma ilusão coletiva na qual se entrechocavam os pensamentos, as emoções de uns e de outros, que conduziram ao aparecimento de alguma coisa que não existe, jamais, nos mundos livres, ou seja, as noções de bem e de mal, de pessoa, de identificação a essas ilusões.

Se você quer mantras, faça, mais, mantras, quaisquer que sejam – eu não os conheço, necessariamente, ao nível de todas as tradições ou de todas as filosofias – mas faça um mantra que vá permitir-lhe, se quer, nada pedir, mas afirmar a verdade de seu ser, que ela se revele, enfim, porque ela sempre esteve aí.

Mas você pode, sempre, fazer-se bem com o Om Mani Padme Hum, mas, jamais, esse mantra, como qualquer outro mantra, mudará o que quer que seja se a alma está presente.
Ela vai melhorar, é claro, ela pode melhorar algumas coisas.


Questão: o que se tornaram Padre Pio e São Francisco de Assis?
Eles têm um papel, e pode-se pedir ajuda a eles?

Mas você pode pedir ajuda a qualquer consciência, passada, presente e futura.
Mas eu repito o que eu disse anteriormente, antes de dizer-lhe o que eles se tornaram.
Esqueça-se da noção de pedido.
Você está na co-criação consciente.
Então, não ponha uma distância aí, tampouco.

Você pode chamar Padre Pio, não como um apelo a ele, mas é você que sobe a ele.
Então, pouco importa, na ultratemporalidade, se é, eu diria, a energia, a vibralidade de Padre Pio, quando ele estava encarnado, ou Padre Pio, o que ele se tornou.
Agora, você me pergunta em relação a São Francisco de Assis, mas Padre Pio foi São Francisco de Assis, e Padre Pio, agora, é o que você nomeia, de seu ponto de vista, uma esfera planetária, mas ele é, certamente, Absoluto também.

Eu diria que não há mais qualquer limite.
Isso lhes foi enunciado, eu diria, de diferentes modos, durante três dias, pelo Espírito do Sol e o Coro dos Anjos, e vocês verão, quando escutarem, atentamente, o que vocês leem ou as vibrações que são emitidas, vocês verão que há uma progressão nesses três dias, nessas três sequências, se preferem, que, como por acaso, está em ressonância direta com o que foi nomeado, em numerosas profecias e, mesmo, por nós, «os três dias».
É uma preparação vibral.

Tudo isso para dizer que Padre Pio e São Francisco de Assis, a consciência, a energia, a presença desses seres passam a outra dimensão.
Então, ela não é tributária de suas dimensões, de você, exceto se você cria uma distância em relação a eles, o que eu exprimi em relação à noção de pedido.
A co-criação consciente não é um pedido diferido no tempo, em função dos carmas e da possibilidade de estabelecer um contato.
A co-criação consciente é a imediaticidade da manifestação.

… Silêncio…

Isso desaparece, cada vez mais.


Questão: eu tenho sentido, várias vezes, meus tornozelos como cercados.
Continua de atualidade essa situação?

Em todo caso, para você, sim.
Há os que quereriam fugir como os espertos.
Vocês são livres, mas alguns de vocês não se lembram, completamente, não da liberação, uma vez que são livres, mas do teor do Juramento e da Promessa que vocês se fizeram a si mesmos, também.
Então, é preciso esperar, ainda, o final do filme.

É preciso ir até os três dias, obrigatoriamente?

Não, eu disse que havia seres que desapareciam.
Mas, se você não desaparece, e se cada um de vocês desaparece, unicamente, quando me escuta ou vocês nos escutam e voltam depois, é que você não desapareceu desse mundo, de momento, mesmo se você esteja livre.
Isso não concerne, de momento, a essa parte do mundo.
Os povos que desaparecem são ligados a vocações ou funções específicas ou, então, está em relação com eventos precisos, ao nível geográfico, que necessitam, eu diria, de um desaparecimento preliminar.
Vocês estarão, de qualquer modo, no lugar que é preciso, vocês sabem.
Mas se aí, onde você está, atualmente – não deve mais haver lugar, ou seja, há apenas a água – eu não sei como você vai fazer para passar os três dias, não é?
Então, esses seres desaparecem, sim, é claro.

Eu esclareço, uma vez que falamos dos três dias.
Você sabe, já, há um tempo, que tudo é possível, a cada instante, absolutamente tudo.
Mas não se ponha a esperar esse evento.
Aproveite para viver o que a Luz faz você viver.
Desinteresse-se de seu cenário pessoal a vir.
Ocupe-se do cenário da Luz no instante presente, cada vez mais, porque todas as respostas estão aí, elas não estão em outros lugares.


Questão: você pode, por favor, desenvolver sobre a última lua da tétrade de fim de setembro?

A tétrade de quê?
De que você fala?

Da última lua vermelha de setembro.

Ah, isso faz parte de algumas profecias que são conhecidas na tradição cabalística.
Sim, é um evento astronômico como outros.
Mas você sabe, todos os anos, em setembro, há o São Miguel e, se você percebe, as atmosferas vibratórias, você pode dizer e observar, aliás, que o período que corresponde ao mês de setembro é, sempre, o período no qual é suscetível de acontecer algo de importante.
Sim, é claro, porque são ciclos.
Há, já, a órbita da Terra, a órbita do que acontece.
Há, também, essa noção de repetição.
Então, você sente períodos, se posso dizer, e cada ano é assim, há vários anos.
Simplesmente que, aí, há concordância entre muitas coisas, que nos fizeram dizer – por exemplo, no ano passado, no fim do ano – nós havíamos falado da atribuição vibral ou do Apelo.
E aí, agora, nós não falamos, sobretudo, mesmo, mais, da revelação do corpo de Luz e da Existência, no qual você pode apoiar-se nas estruturas, na constituição, em seus desenvolvimentos elementares, mas nós insistimos muito na vivência do que a vida propõe a vocês, e tudo isso para propor-lhes o que a vida proporá a todo ser humano a qualquer momento, quando Maria quiser, quando a Terra tiver decidido, quando as circunstâncias estiverem reunidas para atualizar tudo o que já está realizado nos planos sutis, nas linhas, eu diria, ultratemporais da Eternidade.

Então, isso pode ser agora.
Você sabe, também, uma vez que eu o disse e repito, que há, no máximo, um ano entre a primeira Estrela e a segunda Estrela.
Mas, do mesmo modo que havia uma reserva da primeira estrela (de cometas), do mesmo modo, a segunda estrela pode ser tanto Hercobulus como outro evento planetário, visível a partir da Terra, em sua totalidade.
Então, você vê esse evento, pode ser um ou outro.
Isso nada muda no significado em relação ao Apelo de Maria e em relação aos tempos finais dessa dimensão, não do mundo, é claro, o fim desse mundo.

Então, isso pode ser não importa quando, você compreendeu, com um período privilegiado, se você gosta dos termos científicos, estatísticos, eu diria, efetivamente, durante esse período de setembro, que corresponde, aliás, a São Miguel, a todas as festas religiosas, a algumas festas religiosas que, como por acaso, este ano, estão, todas, reagrupadas.
Mas isso já se produziu, eu creio, durante o ano de 2011, o que fez evocar, a alguns, uma data no mês de outubro, correspondente à cessação da terceira dimensão.

Vocês puderam ver que a terceira dimensão continua aí.
Não se trata de um atraso.
Não se trata de um erro.
Não se trata de algo que foi retardado.
Trata-se, simplesmente, como sempre dissemos, de um processo interior que, se ele está presente junto a mais irmãos e irmãs, permitirá, como sempre, aniquilar, de algum modo, os cenários os mais detestáveis, não em relação à Liberação que é obtida, mas em relação ao que geraria o sofrimento que, eu o lembro, é um motor para esses maus rapazes.

Questão: após tê-lo escutado, alguém me colocou uma questão, e eu respondi com sua voz e com seu sotaque, e as palavras que eu lhe disse não era eu que as pensava, será que era você que falava?

Quem pode falar com minha voz se não sou eu, é claro?
Então, o que eu quero dizer, e isso foi dito, é que a Inteligência da Luz deixaria, a cada um de vocês, por sua vez, falar a Inteligência da Luz.
Mesmo se você não seja canal, mesmo se você não seja médium, mesmo se você não esteja em comunicação, habitualmente.
A um dado momento, a pressão da Luz torna-se tal, que o que vai sair, é claro, não é oriundo de seu cérebro, mesmo se as palavras ali sejam formadas.
Não é oriundo de sua limitação, de sua pessoa.
Isso pode ser, diretamente, seu coração que fala, pela Inteligência da Luz e, naquele momento, isso se chama um Satsang, porque o que fala não é a pessoa, mesmo se a pessoa continue aí.

Então, é claro, esses momentos de comunicação vão tornar-se cada vez mais evidentes, quer seja com os elfos, quer seja com o Apelo de Maria, individual, que se reproduz atualmente, para muitos irmãos e irmãs ou, ainda, por um contato pelo Canal Mariano ou pelo Coração, com um elfo, com um de nós e, mesmo, por vezes, vocês farão um processo de deslocalização de consciência, como uma espécie de walk-in bidirecional no qual eu vou tomar seu corpo e você vai, também, reencontrar-se, em consciência, ou no corpo de Existência ou na consciência pura, em outro lugar que não aí onde você está.
E são processos nos quais, do mesmo modo que nós havíamos dito que havia rupturas da matriz, através dos bugs, em relação às repetições de coisas, em relação a vozes que aparecem quando você fala com alguém mais em você em você, em aparelhagens.
A matriz racha, por toda a parte, você sabe, e isso dá manifestações cada vez mais tangíveis em suas vidas.

Tudo isso faz parte, também, de ver quando é você, como pessoa, como história que se exprime, portanto, quando é o mental que intervém, não em um sentido pejorativo, mas para, efetivamente, ver de onde vem o que emana.
E, depois, quando o mental ali estará, estritamente, para nada, quer seja a Inteligência da Luz, quer sejam as palavras que saem assim, e que são as mais corretas em relação a uma situação ou a um irmão, a uma irmã, mas nas quais você não pensava, ou uma entidade de Luz exprime-se através de você, ou passando pelo Canal Mariano, por uma incorporação ou, diretamente, no Coração.


Questão: será sempre a Luz ou uma entidade dependente dela?

Ah sim, na condição, é claro, de que suas estruturas vibrais estejam abertas.
Na condição, é claro, de que você não tenha feito tournicoti-tournicota com demasiado exagero, entre o ego e o Si.
É claro que há os pequenos astutos.
Mas você tem, agora, a capacidade, se isso se produz, para não ser enganado.
É muito simples: ou você fica na paz depois, ou você não fica na paz, qualquer que seja a surpresa.
Ou você é nutrido ou nutrem-se de você.
Nós nutrimos vocês, nós não nos nutrimos de suas vibrações, é claro.
Coisa que fazem, é claro, os Arcontes, coisa que fazem os Pequenos Greys, coisa que fazem as entidades astrais residuais ou os demônios intraterrestres que são evacuados, agora, de seus esconderijos.


Questão: há aproximadamente dois anos, eu tenho períodos nos quais eu não sei se estou sonhando ou se eu vivo essa realidade, e isso me acontece frequentemente.

Isso corresponde à tomada de consciência de que esse mundo é, efetivamente, um sonho, uma ilusão, como nós dizemos.
Alguns xamãs e alguns povos originais nativos da Terra falam, se quer, de sonho.
O mundo é um sonho, é claro que ele é um sonho.
Quando você acorda, você vê o sonho pelo que ele é, algo que não tem qualquer consistência e que resulta de um hipnotismo coletivo e que tem a particularidade, é claro, de que não pode ser destruído por qualquer combate que seja contra ele.
Caso contrário, ele se regenera, para cada um, como para o conjunto da Terra.
Mas não é mais possível regenerar-se para o conjunto da Terra, desde que a principal força de predação foi afastada para muito longe desse Sistema Solar.


Questão: durante as canalizações, ou eu sentia vibrações, ou eu desaparecia e, agora, ao invés disso, tenho o sentimento de que as coisas vêm-me com cada vez mais dificuldade, um tempo mais longo.

Quais coisas?

O conteúdo das canalizações aparece-me com um tempo de latência.

Sim, porque, quando você fala de conteúdo, você fala de quê?
Das palavras que eu emprego e/ou da vibração que acompanha?

Das palavras.

Sim, é claro, porque vocês não estão mais disponíveis para as palavras.
Vocês estão disponíveis para o desaparecimento.
O desaparecimento está além da vibração.
A vibração pode conduzir ao desaparecimento ou não, então, as palavras, a compreensão racional do que nós dizemos, ela intervém depois.
O importante não é, eu o lembro, o que nós trocamos, não é, propriamente dito, um ensinamento, mas, mais, uma vivência de algumas coisas, e o mais importante é o aspecto vibral.
É claro que há um conteúdo lógico que corresponde ao que vocês vivem.
Mas é claro que o que passa é bem mais importante do que isso, e é, diretamente, ligado à Presença em vocês, em nosso reencontro e em vocês, do Coro dos Anjos e do Espírito do Sol.
É o que soa essa densidade de Luz na qual, finalmente, vocês têm a impressão ou de nada compreender, com um atraso, ou de desaparecer, ou de palpitar ou de vibrar, ainda.
Mas o mais sábio, efetivamente – e, aliás, o mais lógico, não é, mesmo, o mais lógico – é o desaparecimento puro e simples.
Não há anomalia alguma.
Alguns permanecem aí, ou põem-se neles pequenos braceletes nos tornozelos e uma parte deles parte ou não consegue mais partir, outros partem mais facilmente, à vontade.
Há muitas possibilidades diferentes.

… Silêncio…

Será que todo mundo desapareceu?


Questão: qual é a diferença entre o fato de partir agora ou esperar os três dias?

Mas não é para você, é para os outros que lhe restam.
Imagine, eu já expliquei um pouco isso.
Imagine que você esteja perfeitamente liberado vivo e tenha, por razões x ou y, mulher, filhos, netos, situação, pouco importa, qualquer coisa a fazer nesse mundo, mas essa qualquer coisa a fazer nesse mundo não lhe concerne.
Você está liberado.
Mas àqueles que estão ligados a você, seria, talvez, bom ajudá-los, não por palavras, mas por sua presença.
Isso os ajudará, certamente, no momento vindo, a eles também, a cortar os apegos, os laços, os sofrimentos muito mais rapidamente.
Então, não pense em si.
Aí está, também, o sentido do serviço.
Você tem a Eternidade depois.
E você participa, dessa maneira, da elevação das consciências do conjunto da Terra, e você favorece, à sua maneira, a chegada desse famoso momento.
Então, não reclame.
Faça tudo isso com alegria, com prazer.
A vida, lembre-se, põe-no, muito precisamente, onde você deve estar.
E, se você ainda está aí e não em outro lugar, é que há algo a fazer.
Não para si, mas no serviço ao outro.
Porque sua presença vai, talvez, ajudar, sem justificação, sem explicação, a resolver, ainda, as coisas que estão ligadas a você, mesmo se você não esteja ligado a elas.
É claro que elas não podem ligar-se a você e incomodá-lo, porque você está, talvez, liberado, mas aquele que está ligado no outro extremo arrisca não melhorar se você não está mais aí.
As condições serão diferentes, quando isso concernir à coletividade, é claro.
E é por isso que alguns, por momentos, ainda, têm algemas nos tornozelos e que, outros, têm, ainda, um desaparecimento das visões das coisas que davam muito prazer a eles.
A Inteligência da Luz põe a você, exatamente, o que é preciso para você, nessas circunstâncias, mas não para você, para todo o resto que, também, está, ainda, na ilusão.
Você vê a diferença?

… Silêncio…

Eu creio que vocês têm muito sono, não é?


Questão: no ambiente social, vê-se muitas pessoas que desaparecem por AVC, isso é acidental ou, de algum modo, isso faz parte do processo de liberação para essas pessoas?

Os dois ao mesmo tempo, é claro.
Os processos de liberação podem fazer-se de inumeráveis modos, mesmo antes do evento coletivo, uma vez que, de todo modo, cada irmão e cada irmã que falece é, doravante, liberado, com circunstâncias diferentes, eu havia falado disso no mês passado, nós não vamos voltar a esse assunto.
Mas, obviamente, esses desaparecimentos correspondem a alguma coisa.
Mas, é claro, há, também, seres que desaparecem de modo perfeitamente natural e independentemente da ação direta da Ascensão, mas, uma vez que eles estejam mortos, o que é que eles fazem?
Ou são colocados na estase ou eles são liberados.


Questão: as crianças que nasceram recentemente têm ou não um laço cármico com seus pais?

Tudo pode existir.
Nos casos correntes, sim.
Mas há, também, seres, como eu já disse, que vêm assistir ao espetáculo, que nada têm a ver com a falsificação da Terra, de maneira alguma, e que tomam um corpo de carne para viver o processo da liberação.
Tranquilize-se, não há mercado negro para vender lugares.

Você vê bem, aliás, que você está desparecendo, do mesmo modo que os animais desaparecem, por toda a parte, os insetos, a Terra, também, desaparece, ela faz buracos, os vulcões que evacuam o excesso de pressão e de confinamento.
E, mesmo ao nível humano, sem falar desses eventos, você se dá conta, efetivamente, em todo caso, nesse país, como em toda a Europa e em todas as partes ocidentais, que o que você chamava, simplesmente, o humanismo, no sentido o mais nobre: o interesse portado ao outro, a refeição que é colocada e pronta para o vagabundo ou o viajante, as pessoas que se interessavam pelos outros.
Há tantos desvios, de uma maneira geral, pela sobrevivência, pelo fato de ganhar a própria vida, pelo fato que se toma todo o seu dinheiro, tudo isso é a escravidão.
E a escravidão toma tempo.
Isso impede de pensar na liberdade, na liberação, porque na sobrevivência há o medo da morte, também, há o medo de faltar.

Então, você vê, as forças ditas iluminadas são apenas forças demoníacas que inverteram, totalmente, os princípios que eles enunciam, sobretudo, na França: «Liberdade, Igualdade, Fraternidade».
Você vê, efetivamente, que ninguém mais é livre.
Você vê, efetivamente, que não há mais qualquer fraternidade e você vê, efetivamente, que não há mais qualquer igualdade.
Mas isso é o humor negro dos Arcontes.
Põe-no na moeda exatamente o inverso do que você vive.
É uma manipulação de consciências, uma manipulação de palavras, uma manipulação de sentido das palavras, uma manipulação da vibração das palavras.

Você sabe muito bem, outro exemplo que se havia dito há anos, eu creio: fala-se da Organização das Nações Unidas.
Na França, isso dá três letras porque, se se colocasse as letras inglesas, você veria «United Narions: UN».
Você vê, eles chamam a isso a lei de Um.
É, verdadeiramente, o lado malicioso, por vezes, de algumas forças que os fazem enganar-se, porque, quanto mais elas os enganam com as palavras, com os conceitos e com as ideias espirituais, mais isso nutre a eles.
Eu diria, aliás, que vocês não são, unicamente, nutrição emocional ou carnal deles, vocês são, também, o prazer deles de apostar nas coisas, um pouco como alguns de vocês apostam nos cavalos ou nos números.
Mas são vocês o objeto da aposta.
É como se vocês fizessem experiências com ratos de laboratório para observar seu comportamento.
Mas, aí, no caso, eles os consideraram, a todos, eles nos consideraram, a todos, como ratos de laboratório.
E, ainda, o rato, em seu laboratório, ele não trabalha, dão-lhe de comer.
Vocês são obrigados a trabalhar para ter o que comer e um teto e uma segurança e um carro e vestimentas e presentes.
Isso havia sido dito há muito tempo, por Maria: assim que o dinheiro porta um interesse, o mundo torna-se luciferiano e satânico.
É a essência, mesmo, do princípio da usura que, de qualquer forma, foi criada, eu lhes assinalo, pela Kabala.
Os Egípcios não conhecem a usura, nem o empréstimo.
Vejam que é uma regra constante, em todo caso, para muitos povos na Terra.
É dar valor a algo que é apenas um objeto de circulação, de pagamento e de troca.
É o que vocês chamam a finança, mas não se vai voltar a isso, porque tudo isso já está ultracarbonizado, antes mesmo do planeta grelha.

… Silêncio…

Eu os lembro de que, desde o início deste ano, em todos os períodos de silêncio, o Espírito do Sol, quando ele chegou e a Luz vibral e o Coro dos Anjos, mais recentemente, tomavam lugar nesse silêncio.
E, portanto, é normal que, quanto mais avançamos no tempo que passa e mais há espaços de silêncio, mais vocês desaparecem ou mais põem-nos «âncoras» para que vocês não desapareçam.

… Silêncio…

Eu vejo que vocês têm o ar saciado...


Questão: falando do fim dos tempos, nas Escrituras, Jesus disse que Ele enviará seus Anjos para reunir os Escolhidos nos quatro cantos da Terra, mas Ele acrescenta: alguns estarão nos campos, dois estarão dormindo, um será tomado, o outro será deixado, duas mulheres estarão aí, uma será tomada, uma será deixada, quem são aqueles que são deixados.
O que é que eles se tornam?

Mas aqueles que terão que viver os cento e trinta e dois dias!
É o sentido, Ele queria dizer campo, porque, naquela época, falava-se de campo, mas isso será, igualmente, nas casas como nos metrôs, como num veleiro.
Toda a Terra é liberada, mas, no fim, depois dos cento e trinta e dois dias, não antes.

Mas alguns são pré-removidos da superfície dessa dimensão para ir a outros lugares ou eles se pré-removem, eles mesmos, se são capazes de liberar-se no momento dos três dias.


Questão: alguns de nós terão alguma coisa de especial a fazer durante esses cento e trinta e dois dias, aqueles que permanecerão durante os cento e trinta e dois dias?

Sim, cento e trinta e dois dias é uma grande festa.
Não é um trabalho nem uma ocupação, nem uma tarefa.
É, simplesmente, experimentar e viver o Amor.
Não esperem ir à escola, vamos, simplesmente, trocar, uns com os outros.
É claro, há alguns que serão tomados à parte, aqueles que brincaram de tournicoti-tournicota, porque eles assinaram um belo contrato, então, é preciso que se explique a eles.
Lembrem-se do que havia sido dito: a Luz não mente, jamais, mas ela é equívoca para aquele que não é Luz, totalmente.


Questão: por que o nome da «matriz Crística»?

Uma matriz é um modelo de forma, um molde, se quiser.
Nós mantivemos essa palavra «matriz Crística» porque ela significa a forma de perfeição do corpo de Existência.
Uma matriz Crística, pode-se dizer, sem entrar nos detalhes técnicos, é a constituição do corpo de Existência que, eu os lembro, é idêntico, para todo mundo, em sua estrutura, e não em sua manifestação, conforme as dimensões e, além disso, há, obviamente, nesse corpo crístico, essa matriz de Existência, se preferem.
O que nós nomeamos a matriz Crística é o corpo de Existência, mas com uma ressonância específica, que corresponde às condições desse mundo, mas é Cristo, se quiserem, exceto que a matriz Crística é o molde.
É o ponto de partida, se preferem, no qual se agencia seu corpo de Existência e, portanto, a totalidade das novas vidas nas novas dimensões.

O Espírito do Sol é Cristo, menos a forma.
É uma forma de inteligência, mas que não é uma inteligência suportada por uma consciência, mas, eu diria, pela ordem das coisas na Luz.

Vocês não têm outras questões?

Questão: falou-se de meteoritos que deviam cair no final de setembro.
Pode-se falar disso, desenvolver?

Eu não estou certo de ter a detalhar algumas dessas coisas.
Eu o lembro, simplesmente, de que o próprio Miguel falou de pequenas belas pedras que iam chegar sobre a Terra, parece-me.
É claro, se você é observador ou se é curioso do que se produz sobre a Terra e no Céu, à noite, não é, necessariamente, em setembro.
Isso já começou há vários meses.
O balé dos céus é quotidiano, os meteoritos, as bolas de fogo que havia antes; eram alguns períodos e, fora os meteoritos específicos ligados a algumas chuvas deles que se viam no céu, você vê, efetivamente, que há cada vez mais bólidos que se veem, que são enumerados.

Vocês passaram, independentemente dos períodos específicos como o mês de agosto, desse lado na Europa, havia meteoritos que caíam na cadência de várias dezenas por noite, mas algumas noites perfeitamente conhecidas, quando a órbita da Terra atravessava a órbita desses restos meteoríticos.
Em contrapartida, o que acontece, agora, por momentos, é o numero incrível de meteoritos que se tornam visíveis, e cada vez maiores.
Então, sim, é claro, os meteoritos que são a concreção de Miguel vão, necessariamente, tocar a Terra, e a um ritmo muito mais importante.
Tudo isso foi inaugurado há dois anos, por um meteorito que caiu sobre a Terra e havia certo número de danos.
Mas são as forças Micaélicas em ação em sua ilusão isso... entre outras.

Nós chegamos ao fim de nossa, de sua intervenção, perdão.

Pode-se dizer nossa intervenção comum, é claro.
Então, permitam-me render graças ao seu silêncio, ao seu desaparecimento, à sua Luz e às questões também, é claro.

Eu lhes transmito todas as minhas bênçãos, e eu lhes desejo toda sorte de reencontros agradáveis nos diferentes planos de vida nos quais vocês estão.
Todo o meu Amor acompanha-os, todas as minhas bênçãos e vocês veem, alguns não quiseram vir ver-me, bem, eu venho vê-los, e eu lhes digo até breve.
Com todo o meu Amor.

-------------------



NO FOGO DO AMOR – O.M. AÏVANHOV



Junho de 2015

Questões – Respostas (2)

Bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los, e eu me regozijo de poder tentar responder aos seus questionamentos, suas interrogações e, sobretudo, de estar com vocês e de trocar, porque é um grande prazer, diante de sua Presença, diante de sua atenção e, também, a alegria de reencontrá-los.
Então, é claro, todas as minhas bênçãos, e vamos escutar o que vocês têm como questionamento, neste período específico, sobre o que vocês vivem, sobre o que foi dito, também, ou tudo o que vocês têm vontade de perguntar.

E, é claro, nos silêncios, há o Coro dos Anjos e o Espírito do Sol.


Questão: foram os Arcontes que utilizaram o tabaco para aprisionar algumas pessoas?

Então, caro amigo, o tabaco faz parte da inversão.
Você sabe que os Arcontes e aqueles que são os maus rapazes, por sua irradiação distorcida e sua falta de amor, apenas podiam fazer coisas distorcidas.
Eles tomaram uma planta sagrada para dela fazer um objeto de consumo corrente, mas, é claro, há coisas muito mais confinantes do que o que você nomeia o tabaco.
Há, é claro, tudo o que está nos alimentos, tudo o que está nas ondas, as ondas que viajam, vocês sabem, de seus aparelhos eletrônicos tão sofisticados, tudo isso representa nocividades, eu diria, bem mais graves do que o tabaco, porque o tabaco jamais confinou ninguém.

Há seres, e eu não vou falar daquele que gritava, sempre, não é?, mas parece-me que ele fumava.
E ele fumava pior do que o tabaco.
No entanto, foi ele impedido de ser liberado ou ele permaneceu confinado?
Eu o lembro de que Cristo disse que o mais importante é o que sai de sua boca, não é o que entra.
Mas, é claro que as condições da alimentação são, eu diria, agora você tem a prova disso, ou seja, todos os meios foram bons para reforçar seu confinamento, para evitar que, neste período específico, vocês não reencontrassem sua Liberdade e, também, para controlar, se posso dizer, a massa da humanidade, através das mentiras e das técnicas muito variadas.
A alimentação faz parte disso, o medo faz parte disso, o prazer faz parte disso, quando você procura, por exemplo, a alegria, através do incentivar uma equipe de não importa qual esporte, você participa da nutrição dos Arcontes, mas bem mais gravemente do que o tabaco.
Então, é preciso relativizar.

Há, é claro, inúmeras coisas, eu não vou voltar a falar das egrégoras, não vou voltar a falar das crenças, mas tudo é feito pelo mental, mesmo se ele não o saiba, para manter o confinamento.
E não, unicamente, o mental dos Illuminati, o mental de todos porque, enquanto o mental comanda, ele vai sugerir, por vezes, insidiosamente, coisas que não são, talvez, necessariamente, contrárias à Luz, e não é contrário à Luz ter prazer, é claro, mas é, talvez, contrário à Luz ter prazer em uma competição e haver milhares ou milhões de pessoas a encorajar uma estrela de tal esporte ou tal outro esporte.
Isso é da predação, isso é da inversão, bem mais do que a fumaça de cigarro, é claro.
Mas, é claro, também, tudo é questão de seu corpo, do que ele pede, do que ele lhe diz, quer seja em relação à internet, quer seja em relação ao tabaco, em relação ao esporte, porque cada um é diferente.

Então, o tabaco não foi criado ou imaginado pelos Arcontes, mas é o raciocínio distorcido do conjunto da humanidade, que conduz, por exemplo, ao que vocês viveram, há numerosos anos, que foi chamado «a vaca louca».
Tudo isso é ligado a erros mentais.
E, aliás, eu diria que, mesmo a ciência, é um erro mental, porque ela passa pela análise e nada reconhece da visão espiritual que engloba, ao mesmo tempo, o átomo, ao mesmo tempo, a fisiologia, ao mesmo tempo, a psicologia e, ao mesmo tempo, coisas as mais sutis.
É como se conhecer cada vez mais coisas ao nível fino, você sabe que saber, por exemplo, a estrutura do átomo, a estrutura de algumas coisas, a ação de algumas moléculas, naturais ou não, tudo isso é ver apenas uma parte das coisas, é desdenhar a lei de correspondências que é, certamente, ao nível desse mundo em encarnação, mesmo na falsificação, o elemento o mais certo, ou seja, ver a globalidade, não ver das coisas apenas uma pequena parte, o que arrisca criar crenças como a questão que você exprimiu, que não representa sua vivência.
Se você fumasse um cigarro e se você se encontra com um Arconte, você poderia dizer isso, porque você o viveu.

Mas há manobras muito mais sutis do que a grosseria do tabaco para atrair os Arcontes.
Aliás, os Arcontes detestam o tabaco, e eu o lembro de que, de qualquer forma, junto a alguns povos, o tabaco era uma planta sagrada, que afastava os espíritos, isso não é por acaso.


Questão: eu recebi elementos concernentes às linhagens ou origem estelar: visão da palavra «delfinoide», estátua de um leão, uma águia dourada, muito alto no céu, uma águia branca muito mais próxima, um cavalo branco alado.
Como diferenciar as linhagens estelares da origem estelar?

Eu creio que nós falamos muito, muito, muito longamente disso, há quatro meses.
Seria preciso, portanto, que essa pessoa relesse o que foi dito naquele momento, porque eu redirei exatamente a mesma coisa.
Mas vou tomar o exemplo específico das coisas que foram vistas, certo?

Então, há algo que é ligado à Água: os delfinoides; há algo que é ligado ao Ar: as duas águias; o leão remete-o ao Fogo, e o cavalo remete-o à Terra, mesmo com suas asas.
O fato de que haja duas águias não é, absolutamente, contraditório.
Você pode ver todas as formas de águias ou de aves de rapina que..., em geral, são as águias ou os falcões, mas pode ser, também, outros animais, por exemplo, quando você vê os golfinhos, lembre-se de que seu cérebro registrou as imagens que você viu quando era pequeno.
E eu creio que havia, naquele momento, eu devo ter visto passar isso na TV, isso me divertia, o que se chamava «Flipper o golfinho».
«Flipper o golfinho» colocou, na cabeça de todo mundo, a cabeça do golfinho que vocês conhecem comum, que nada tem de comum, porque não é o mais frequente.
E, portanto, é claro, as imagens que chegam, ligadas às ressonâncias vibratórias, são tomadas em seu cérebro, mesmo se seja animada, é preciso uma imagem que se forma, que seja reconhecível.
E vocês vão, todos, ver golfinhos como «Flipper».

Tente encontrar um irmão ou uma irmã cuja linhagem dos golfinhos revelou-se por um golfinho rosa ou um beluga, isso não existe.
Simplesmente, porque não está presente nas egrégoras e na memória da humanidade.

Aí, houve uma águia branca e uma águia de outra cor.
Pouco importa.
Agora, para dizer qual é a origem estelar, não é possível, simplesmente, com isso.
Eu sempre disse que se via a revelação das linhagens.
A revelação da origem estelar faz-se, frequentemente, como uma atração muito forte para um desses animais e, aí, para seu domínio de evolução.
Será que você é atraído, por exemplo, pela água?
Será que você é atraído mais pelos deslocamentos no ar, o fato de voar, por exemplo, em um avião, ou será que você tem sonhos de vôo?
Quer dizer que não é um animal que é significativo, em sua representação, da linhagem estelar, mas a origem estelar dá, além disso, uma afinidade específica; mas a origem estelar, ela lhe é revelada ou não.

Portanto, não há que refletir ou cogitar, porque o que é importante não é que você veja o animal e que seu mental, se ele se encontra aí, diga «ah sim, eu venho daí» ou «eu tenho uma linhagem aqui», mas é o que isso induz, ao nível de suas estruturas vibrais, que é importante.
E isso, você vive através da ressonância dos Triângulos dos quatro elementos ou dos quatro pontos da quintessência elementar, mas, também, agora, ao nível de todas as Portas do corpo.

Portanto, é importante identificar não tanto a linhagem, mas vê-la, ou seja, no momento em que você se beneficia do aspecto vibral do que você encontrou, quebrando as cadeias da ilusão e desembaraçando-se de alguns véus.
Mas, hoje, do mesmo modo que nós falamos dos Triângulos elementares, do mesmo modo que vocês perceberam sua ativação e seus movimentos, do mesmo modo que sentiram as diferentes Portas de seu corpo, aqueles que percebem a vibração, hoje, tudo isso é transcendido pela consciência pura.
Eu não diria, mesmo, a Morada de Paz Suprema, mas a consciência pura.
Essa consciência pura é aquela que o põe na paz, na alegria, independentemente de qualquer vibração, porque eu o lembro de que isso toca a Infinita Presença, é o momento no qual a vibração que lhe acendeu isso ou aportou até desaparecer por si mesmo, diante da magnificência do Amor.

Então, aí está o que eu posso responder a essa questão, mas é preciso, obviamente, ver tudo o que foi dito, porque nós falamos muito, muito longamente disso, nos meses anteriores, sobretudo, no início deste ano.


Questão: eu tive a visão de um Vegaliano durante a intervenção de Miguel, a que isso corresponde?

A um Vegaliano.
E isso foi dito, também, mas para sua memória que se apaga, vou refrescá-la.
Foi dito, durante o período das Núpcias Celestes, até o período do fim de 2011, que alguns de vocês teriam a visita dos Vegalianos.
Hoje, você vê um Vegaliano.
O que é que eu acabo de dizer, na resposta anterior?
Falou-se de animais, mas eu o lembro de que há linhagens que são humanoides, que não têm os traços de animais, no caso, os Vegalianos.
Então, ou é ligado a um elemento, ou seja, uma linhagem estelar, ou à sua origem estelar, ou seja, Vega da Lyra.

À época, era mais para trabalhar em vocês, se você se lembra.
Há os que tiveram a visita de dois ou três Vegalianos (eles se deslocam em três), que vinham operar vocês, trabalhar em algumas de suas estruturas para prepará-los ao que se desenrola agora.
Aí, vê-los, assim, é um pouco diferente de quando eles vinham vê-los durante a noite.
Aí, isso assinala, verdadeiramente, ou uma origem, ou uma linhagem estelar.


Questão: Li Shen esclareceu que, se fazemos, assiduamente, a Dança dos Quatro Elementos, podia haver uma mudança do DNA e, mesmo, uma combustão instantânea.
O que é disso?

A combustão espontânea é o planeta grelha, um pouco adiantada para aqueles de vocês que não têm necessidade de viver o que se desenrolará durante a primeira batalha Gogue e Magogue, como é dito um pouco por toda a parte, nem viver o que é conhecido como o ensinamento das novas chaves Metatrônicas, para aqueles que querem retornar à sua origem estelar.
Há outros entre vocês que não tem mais, absolutamente, vontade de jogar com tudo isso e, portanto, será a combustão espontânea ou, se prefere, não haverá restos, haverá desaparecimentos, como houve durante as Núpcias Celestes, sobretudo, na América Latina.
Tudo isso vai reproduzir-se a uma Velocidade com V maiúsculo.
Os seres estão aí e, a um dado momento, não estão mais.
Eu creio, mesmo, que alguns chamaram a isso «o arrebatamento».
E sim, é o tempo dos arrebatamentos.
Para todo mundo.
Todo mundo vem procurar seus pacotes.

Então, a combustão espontânea, eu penso que Li Shen fazia referência à combustão espontânea tal como ela pode produzir-se em algumas pessoas, em geral, do sexo feminino, quando se encontra, unicamente, pedaços de pernas ou pedaços de tecidos.
Exceto que, aí, a combustão espontânea é a Luz vibral e muito mais limpa: não há resto algum e pedaço algum de tecido.
Tudo desaparece, de repente.


Questão: qual é a modificação do DNA em relação aos movimentos dos quatro Elementos?

Mas eu o lembro de que os quatro Elementos correspondem às quatro bases do DNA, que há dois filamentos, que vocês devem ter, assim que a Liberdade seja adquirida, mesmo se seu corpo desapareça, pouco antes, você tem doze filamentos, doze pares, se prefere.

Você tem um par de DNA, de momento.
E aí, os movimentos dos elementos, a ativação dos Elementos através não, unicamente, dos movimentos de Li Shen, mas, também, através de tudo o que você tem vivido, transformou, muito profundamente, seu DNA.
Não, unicamente, suas estruturas energéticas, suas estruturas vibrais, sua consciência, mas, também, é claro, aí, onde se registra toda a vida, ou seja, no DNA.
Aí está o que ele queria dizer, eu acho.

Cada Elemento está em relação com uma das bases, é nomeado assim, eu creio, eu não conheço os nomes, pouco importa, mas há quatro delas, não há cinco, há quatro.
Lembre-se de que a vibração, antes de tomar forma, é um Verbo e que, a primeira forma, antes de ser uma forma geométrica, é a vibração da forma, que é ligada ao número.

Então, mais do que combustão espontânea, poder-se-ia dizer «combustão transcendental», isso fica mais bonito.
Assim, não se pensa nos restos.

… Silêncio…

Vocês observam que, progressivamente, já há algum tempo, que os momentos em que há o Silêncio são quase tão importantes que os momentos nos quais vocês falam e os momentos nos quais eu respondo.

… Silêncio…


Questão: na Espanha, a medicina oficial reconheceu o Reiki nos hospitais, como um método de tratamento; no entanto, parece que isso não é recomendado.
Qual é seu ponto de vista?

Então, pessoalmente, eu jamais disse que não era muito recomendado.
Se o Reiki é aceito no hospital, é que ele age, é claro.
Nós tivemos a oportunidade de falar do Reiki, é claro, em outros termos, porque, aí, nós falávamos da espiritualidade, falávamos do coração, falávamos da Liberação, da Realização, do Despertar, mas não da cura de alguma coisa de orgânico.

É como os antibióticos, são, por vezes, úteis, quando há uma grave infecção.
Mas é como se se perguntasse como os antibióticos podiam, por exemplo, abrir a consciência – é claro que é impossível.
O problema do Reiki é que ele abre nas portas que não são da Luz vibral, ele abre nas forças Luciferianas.
Mas essas forças Luciferianas são, também, atuantes na matéria, e bastam, perfeitamente, para curar o corpo físico.
Aliás, a maior parte dos seres que acreditam dirigir-se à Luz dirigem-se, de fato, à luz invertida Luciferiana, o que é o caso do Reiki, entretanto, isso tem um efeito terapêutico, mas, por outro lado, isso o confina ainda mais.

Mas é preciso saber o que você quer.
Ou há o Reiki que cura a pessoa, ou há o Fogo da combustão transcendental; não é o mesmo gênero de cura, não é?
Cabe a você saber qual cura você quer obter e ver em si.
É muito fácil dizer que se pode ter a cura dos dois, isso não é possível.

Então, é claro que há inversões, é claro que há coisas, eu diria, feitas expressas, que seja no Reiki, mas eu não estou fixado no Reiki, você sabe, todas as terapias, quaisquer que sejam, têm esse componente Luciferiano, caso contrário, elas não seriam eficazes.
Apenas o milagre instantâneo, tal como, por exemplo, fazia viver Mestre Philippe ou tais como o fazem viver alguns xamãs, que têm uma ação direta na matéria, sem passar por rituais ou beberagens, são capazes de fazer isso, ou alguns magnetizadores.
Mas não se deve crer que todos os magnetizadores sejam seres de Luz, longe disso, mesmo se eles sejam eficazes e, mesmo, muito eficazes.
Porque a maior eficácia quotidiana não é, absolutamente, a Luz vibral, é claro, é a luz Luciferiana.
Então, eu repito, é preciso ver mais longe do que a ponta de seu nariz.
Será que você quer curar, em verdade, nesse corpo?
Ou será que você quer curar, em verdade, no Espírito?

Os dois não se combinam.
É claro que a Luz ou a bondade ou o magnetismo que não está invertido vai aliviar o corpo, vai curar algumas doenças e vai fazer de modo a que você fique melhor.
Mas isso não tem qualquer função em relação com o Despertar ou a abertura espiritual, o que quer que se diga.
É uma ilusão crer que uma técnica como o Reiki ou outras vão propiciar-lhe o despertar dos chacras.
Sim, o despertar dos chacras ao nível da luz falsificada.
Então, é claro, isso dá muitos potenciais espirituais, muitos poderes, mas, como dizia Buda: «Salve-se rapidamente».

O que você procura?
Melhorar esse mundo?
Ou viver a Verdade?
E atenção, porque isso vai tornar-se cada vez mais de atualidade.
Isso vai fazê-los dar não tournicoti-tournicota, mas giros completos em si mesmo, porque isso lhes aparece com, eu diria, com violência ou, em todo caso, de maneira crua, se posso dizer e, talvez, cruel, em alguns casos, mas é você mesmo, não somos nós.

Mas é similar, eu diria, não importa em qual função.
Se se toma, por exemplo, um exemplo específico, que é o acompanhamento nos fins de vida, há seres que encontraram coisas notáveis nos acompanhamentos de fim de vida.
E essa pessoa, que foi muito conhecida em sua vida (Ndr: Elisabeth Kübler Ross), a um dado momento, viveu experiências nas quais ela reencontrou todos os pacientes que ela acompanhou e eles fizeram a ela uma crítica, uma única.
Não de tê-los acompanhado mal, mas de não ter dito a eles toda a verdade sobre o que eles iam enfrentar no momento da liberação de seus corpos, não, necessariamente, a liberação do astral, mas, pelo menos, o que ia acontecer depois.

Então, você vê, algo que aparece como benéfico, a um dado momento, porque vai aliviar, porque vai curar, isso vai permitir-lhe, talvez, morrer mais facilmente, pode, também, ter o outro lado da moeda, ou seja, não, unicamente, a imediaticidade da ação que é aportada, mas algo que é muito mais vasto e muito mais amplo.
Que, obviamente, quando você está na energia, na vitalidade, na terapia, você não perceba, porque o importante é cuidar, o importante é curar, mas o importante, nesses casos, não é liberar-se, contrariamente ao que alguns podem crer.


Questão: seria melhor dizer aos moribundos para irem para a Luz, ao invés de voltar-se para seus parentes, que virão procurá-los do outro lado?

É claro, é, aliás, a crítica que havia sido escrita, e que havia sido escrita por essa própria pessoa que era muito conhecida.
São coisas, se quer, que sempre existiram.
Por que é que existiram os livros dos mortos?
«Os livros de mortos tibetanos», «Os livros de mortos egípcios», mas estava presente em todas as tradições.
Era, justamente, para que os seres não se fizessem prender nas armadilhas do caminho, por tudo o que é intermediário, tudo o que é falso.

E é claro que a cultura Ocidental, através de sua negação da morte e da perpetuação do que havia sido chamado de comemorações, no último mês, você se lembra, tudo isso, é claro, participa de uma vasta pilantragem, como diria Bidi.
Não lhe dizem a verdade.
É como se fossem cegos que, aí, guiam os caolhos, é ainda pior.
Há os que estão morrendo e que devem viver, teoricamente, a Luz, sobretudo, nesses anos que vocês vivem, e há, do outro lado, pessoas que dizem a eles para não se inquietarem, que tudo vai bem, e que dizem que eles vão reencontrar os pais, que eles vão ver os filhos, que eles vão ver o pequeno Jesus, que eles vão ver o pequeno Buda, e que tudo vai passar muito bem.
Mas é um ponto de vista extremamente relativo, é uma verdade relativa, não é uma verdade absoluta.

E, mesmo se você tem a impressão..., vou tomar um exemplo específico: imagine que você acompanha alguém e você lhe bate no ombro e diz a ele: «Ah, bah, então, aí, eu gostaria de estar em seu lugar, porque, amanhã, você parte na Luz, você percebe.», mesmo se ele o tome por um louco, eu lhe garanto que, no momento em que ele partir, ele se lembrará do que você lhe disse na véspera, o que não é o caso se ele não foi prevenido e que o adormeceram com ideias de ir reencontrar os próximos, que tudo vai passar bem, ou que ele vai voltar.
Veja como se pode orientar a vida das pessoas e ser implicado no que se crê ser um serviço ou uma ajuda, mas que é a pior das ajudas e dos serviços.

Mas é claro, eu repito, são cegos que guiam caolhos.
Não é, mesmo, o caolho que guia o cego, nesse caso.
E vocês estão, exatamente, na mesma situação, tanto na esfera científica como na esfera política, como na esfera econômica, é normal, tudo está invertido nesse mundo.
Como você quer que as coisas vão normalmente?
Tudo apenas pode ir ao inverso, exceto a Vida, mas, para isso, é preciso extrair-se, em consciência, de todas essas armadilhas ilusórias, não recusando a vida, eu repito, não vamos voltar a isso.


Questão: não há amais astral, então, a ilusão dessa mentira não pode mais perpetuar-se...

Perfeitamente.
Exceto que, como você morre?
Como você se deita?
Como você se levanta?
Como você morre, e nós sempre dissemos isso, condiciona o que você é.
Se você morre no medo, qualquer que seja a presença ou não do astral, você será liberado, mas no que é nomeada a 3D unificada.
Eu repito, isso não é uma punição.
As circunstâncias da partida não são, verdadeiramente, as mesmas, aliás, conforme como você aborda sua partida nas diferentes etapas do Choque (Ndr: as etapas do Choque da humanidade, descritas por Sri Aurobindo).

E, aliás, a espada de Verdade e o Verbo deveriam fazê-lo ver, a si mesmo, que, se você o vive, você não poderá mais trapacear, você não poderá mais mentir, nem a si nem ao outro.
E isso vai provocar algumas tomadas de consciência um pouco amargas, eu diria.
Mas não é grave, isso faz parte do jogo da vida.
Não há que culpar, como se diz, nem complicar inutilmente uma coisa simples, basta ver e, uma vez que é visto, em contrapartida, se você é, verdadeiramente, o que você diz e o que você vive, você não poderá mais continuar as mesmas coisas, é claro.


Questão: praticar a Dança dos quatro Elementos pode fazer subir a Onda de Vida que está bloqueada no primeiro chacra?

Sim, é claro, na condição de que você solte.
Porque, eu o lembro de que os dois primeiros chacras são, ao mesmo tempo, as energias reptilianas e, ao mesmo tempo, tudo o que é ligado ao medo e ao ego.
Então, necessariamente, se foi percebida a Onda de Vida, mas ela se acumula ao nível dos dois primeiros chacras, isso quer dizer, eu diria, com uma expressão figurada, que há uma grande parte a limpar.
Mas, eu repito, é a Inteligência da Luz que o faz, não é você que diz «eu quero liberar meu primeiro chacra, meu segundo chacra ou eu quero ver o que há dentro».
Em contrapartida, se você faz a Dança dos Elementos, se você pratica, também, montes de outras técnicas, é claro, ligadas ao seu desaparecimento, à sua dissolução, é claro que a Onda de Vida subirá, o que quer que se encontre ao nível desses dois primeiros chacras.

… Silêncio…


Questão: ao cuidar do corpo, retarda-se a dissolução?

Em algumas circunstâncias, era o caso antes.
Mas não é mais, absolutamente, o caso, porque, agora, o que predomina, nós o dissemos, não é, de modo algum, o estado de seu corpo.
É claro que, se você tem um corpo que é perfeitamente sadio, em circunstâncias comuns, seu corpo poderia permanecer na vida e ser conectado a ela pela corda de prata, ao mesmo tempo ficando livre para ir explorar as dimensões unificadas.

De fato, não é você que não quer morrer, é o corpo que está em muito boa saúde para morrer, mas eu o tranquilizo, para a maior parte de vocês, com o que vocês têm absorvido como radiações, como pesticidas, como anomalias nesse mundo, não há problema para fazer morrer esse corpo.
Apenas aqueles que foram, verdadeiramente, muito escrupulosos, se posso dizer, mas, ainda, era válido há alguns anos, não mais agora, muito escrupulosos com seu corpo, e esse corpo nutrido pela Luz vibral, para irmãos que para os irmãos que foram despertados ou liberados em sua vida, quando o corpo partiu, por uma razão ou por outra, quando eles partiram, eles se aperceberam de que seu corpo não queria morrer, enquanto eles já haviam partido.
Mas esses casos não existem mais agora.

Mas eu creio que alguns de vocês estão muito bem temperados pelos Arcontes, também.
Mas qual importância?
A menos que considere que seu corpo seja eterno e que você acredita apenas no que você é, ou seja, esse corpo, aqui, nesse mundo.


Questão: o que significa «muito bem temperado pelos Arcontes»?

Quer dizer pronto para ser degustado.
Você não sabe o que isso quer dizer: temperar uma galinha?
É, exatamente, o mesmo processo, em uma escala industrial planetária.
E, além disso, eu não estou brincando, absolutamente.
Qual é o interesse, se você ascensionou, o que você quer fazer com um corpo?
E eu o lembro de que Cristo havia dito que não é aquele que come que é o vencedor, é aquele que é comido.


Questão: foi dito que íamos reencontrar nossos carismas.
O que são esses carismas?

É tudo o que é chamado por um nome das Estrelas.
Os carismas ligados a essas vibrações são os potenciais espirituais que não serão mais, naquele momento, poderes espirituais, mas que são conhecidos.
É a capacidade para ver além dos limites do corpo, é ter os sentidos que funcionam além dos sentidos comuns, corpo ou não corpo, é o acesso à ultratemporalidade, é o acesso à visão direta, a visão do coração, é o acesso à vibração do Amor em sua continuidade, é a capacidade para comunicar-se conosco, é isso os carismas espirituais.


Questão: com ou sem corpo?

Eu não compreendi o que isso quer dizer.
Mas há os que são obcecados por seu corpo, pobres coitados!


Questão: são os corpos que têm esses carismas ou o ser que permanece após a consumação do corpo?

Mas eu espero, para você, que você já tenha os carismas que são ativados porque, estando liberado ou desperto, se não há carisma algum, é preciso preocupar-se.
Portanto, são carismas no corpo, enquanto o corpo está aí, e são carismas sem o corpo, assim que o corpo não esteja mais aí.
Mas eu o lembro de que, na implicação dessa dimensão de 3D em curso de resolução e de dissolução, e a dimensão da 5D, não acima, você poderá falar-se, apertar-se nos braços do mesmo modo, uma vez que seu corpo estará suficientemente eterizado, se você ainda está vivo, de outro modo, esse corpo terá queimado.

O Fogo é o mesmo para todo mundo.
Não há qualquer exceção, mesmo junto àqueles que estarão enterrados nos subsolos, mesmo junto aos seres liberados, mesmo junto àqueles que em nada creem, o Fogo é exatamente o mesmo, não há mais Fogo, a um dado momento, para aqueles que estão abertos ou aqueles que estão fechados, é o mesmo Fogo.
Simplesmente, o Fogo encontra o combustível que vai alimentá-lo: os medos, os apegos, e, naquele momento, a matéria não resiste, ela desaparece, ou ela se sublima, ela se eteriza e, naquele momento, você desaparece, pura e simplesmente, do plano físico, não resta mais corpo.
Ele transmutou, ele se transubstanciou, inteiramente, e isso se chama, isso foi explicado: «a Ascensão com o corpo».

Mas o que você vai fazer com um corpo?
Talvez, alguns continuem a ter necessidade dele, para os cento e trinta e dois dias, outros, porque vão dar um pequeno olá junto aos Arcturianos, porque eles são portadores de memórias e de experiências que são importantes.
Mas, globalmente, não há razão para ter necessidade de um corpo de 3D, lá aonde vocês vão.
Sobretudo, também, temperado.

Não se esqueça de que tudo isso é uma cena de teatro, então, eu lhes descrevo do ponto de vista dos observadores, de vocês mesmos, ou seja, nós, o que vai desenrolar-se; cabe a vocês saber se querem desempenhar o papel daquele que come ou daquele que é comido.
E é aí que vocês verão a que vocês se seguram, ainda.


Questão: eu senti uma perfuração muito forte ao nível do ponto ER da cabeça, como se ela fosse apunhalada, e isso incorporava, também, o nariz, em seguida, durante umas doze horas, eu me senti como invertido, ao nível de minhas percepções, eu via tudo ao inverso...

O que é que isso quer dizer, ver tudo ao inverso?

Ao invés de ver as coisas verticalmente, eu as via horizontalmente.

Então, isso é muito específico.
Isso corresponde, precisamente, ao que pode produzir-se em alguns estados de consciência nos quais há um basculamento da consciência a 90° e, naquele momento, você penetra outro mundo de 3D, no qual há realidades paralelas, que nada têm a ver com a Terra, mas das quais você também faz parte: é o princípio do holograma.
São vidas parasitas, eu diria, elas não têm mais realidade do que a que você vive aqui.
Mas o que é surpreendente é que isso tenha passado pelo ponto ER e pelo nariz.
O nariz, eu o lembro, de qualquer forma, é o lugar da androginia primordial, é o lugar no qual as polaridades fundem-se, não é o momento no qual elas basculam a 90°.

E, portanto, aí, houve, efetivamente, um basculamento a 90°, que você descreve perfeitamente, mas isso não é fisiológico.
É, provavelmente, ligado a medos inscritos em outros lugares, que desviaram o processo normal, porque a ativação do ponto ER, a revelação das quatro quintessências elementares traduz-se, efetivamente, também, por uma ressurgência da ativação do décimo segundo corpo no trajeto da aresta que se junta ao ponto AL e, portanto, o ponto ER.
Então, é preciso fazer uma revisão aí.

Então, eu não tenho explicação, se não é, talvez, esses medos ou alguma coisa que raspou, naquele momento.
Porque a ativação do ponto ER e do décimo segundo corpo não conduz a isso, ela conduz a ver, sobretudo, a memória de suas vidas passadas, os rostos que desfilam, mas, certamente, não a uma visão alterada a 90°.

Aliás, é uma das técnicas que você vai descobrir, simplesmente, portando a consciência no ponto ER da cabeça e, em seguida, no décimo segundo corpo.
Você vai sentir o que você descreveu e, aí, naquele momento, vão aparecer os rostos de suas vidas passadas.
Mas atenção para não exercer demasiada curiosidade, eu o lembro de que as vidas passadas pertencem à ilusão.
Mas, bem, há os que ainda estão curiosos.


Questão: foi logo após ter lido uma canalização de Uriel.

Sim, mas isso não quer dizer que foi Uriel ou a canalização que desencadeou isso.
Você descreve o processo perfeito e encontra-se em algo que é imperfeito, o processo é absolutamente real.
Se prefere, girou-se a ignição do carro, as velas transmitiram a corrente elétrica e os pistões puseram-se a subir e a descer, mas, aí, eles não se puseram a subir e a descer, a ignição foi bem feita, mas há um pistão que falhou.
E, quando eu falo de revisão, isso quer dizer, geralmente, não é o óleo que é preciso trocar, é a alma que é preciso purificar, porque a alma é veiculada pelo sangue.
E aí, como eu dizia, são, geralmente, os medos, os resíduos ligados a ganchos ou o que vocês nomeiam, eu creio, «implantes reptilianos» ou sua origem estelar ou uma de suas linhagens que é ligada a isso e que vem obliquar a Revelação;
Isso você verá, sobretudo, junto aos seres que, por exemplo, ao mesmo tempo, têm uma linhagem reptiliana e uma origem reptiliana.
Eu não digo que é isso para você, mas é uma das hipóteses possíveis.


Questão: qual é a finalidade da revelação, nas mídias, do processo de extinção global em massa?

Primeiro, tentar produzir medo.
Mas, é claro, você vai observar: ninguém tem medo.
Porque ninguém crê nisso, é claro.
A desinformação foi tal, na história da humanidade, que muitos seres humanos veem essa desinformação, mas nada têm a fazer com isso e, entre os mais – como vocês dizem – paranoicos da desinformação, eles vão acreditar que é, ainda, a desinformação, é claro.
Apenas aqueles que são informados, por sua vivência, desse processo final, é que saltam de alegria, eu poderia dizer.
Mas bem, há outras razões bem anteriores a essa extinção em massa que os juntarão, enfim, depende...

Então, o objetivo era, verdadeiramente, transmitir uma informação que é, ao mesmo tempo, a verdade, mas que, ao mesmo tempo, pode dar medo e que, ao mesmo tempo, não é crível, é maravilhosa.
Eles são cada vez mais maquiavélicos, mas isso não é grave; tem-se o hábito, a cada fim de mundo que é liberado, eles nos fazem a mesma coisa.
Eles são, eu não diria de criatividade, mas de uma imaginação completamente desconcertante.
Mas, aí, isso nos faz rir.
Como a vocês, aliás.

Se querem, é como tudo o que vocês veem, o que acontece em torno do Sol, vocês veem as embarcações que entram nos vulcões e, aí, isso não pode ser das ilusões, é a verdade, é filmado por webcams oficiais e, é claro, ninguém quer acreditar ou não pode aceitar que uma embarcação possa entrar em um vulcão.
Mas, aliás, o conjunto de embarcações vai entrar em seu coração.
Aí também, como vocês podem compreendê-lo com seu cérebro?
É impossível.


Questão: após o reencontro de uma pessoa, eu perdi a faculdade de desaparecer à vontade, e eu sinto como um capacete sobre a cabeça, que me bloqueia.
Essa pessoa havia alegado que minha personalidade não estava mais ali, mas que havia muita gente em meu canal...

Sim, isso, ainda, são magos de mau agouro, como de hábito.
Aquele que quer puxar tudo para si, para sua própria experiência, e que não é capaz de ver um ser que está liberado.
É maravilhoso.
Agora, isso não é, necessariamente, ligado a essa pessoa, mas, mesmo se é ligado a essa pessoa, é que era algo de necessário; a Inteligência da Luz trabalha, também, nesse nível.
E, talvez, haja, em você, desaparecimentos, talvez, um pouco demasiado intempestivos, um pouco demasiado importantes para você e que se tinha necessidade de você aqui, nós sempre dissemos isso.

Aqueles que desaparecem, tanto melhor.
Mas aqueles que desapareceram e que não desaparecem mais, não vale a pena desaparecer a cada cinco minutos, tampouco.
Tem-se, talvez, necessidade de você aqui, no Aqui e Agora, justamente.
Então, agradeça, mesmo se seja algo que foi feito, isso devia ser feito, não pode ser de outro modo.
Para todos aqueles que vivem a Liberação, que estão liberados, mesmo se vocês tomem um tijolo na cabeça, é que ele era justificado, não há erro.
Jamais.

E o objetivo não é o desaparecer antes de todo mundo todo o tempo.
O objetivo é ter vivido pelo menos algumas vezes o desaparecimento, para compreender o que acontece naquele momento.
Mas não é a repetição do desaparecimento que vai dar-lhe ainda mais liberação, é o fato de estar plenamente aqui e de desaparecer ou quando a Luz lhe pede, ou quando você o decide.
Mas, se é para decidir desaparecer todo o tempo, a cada ocasião, felizmente que esse gênero de energúmeno encontrou-se em seu caminho.
E, é claro, eu espero, efetivamente, que haja muita gente em seu canal.
Haja o universo todo, inteiro.

E, imediatamente, você pode ver que aquele que diz isso é apenas um orgulho espiritual, porque ele atraiu sua atenção dizendo-lhe «oh, aí, aí você não está enraizado, você não está aí e, além disso, há muita gente, portanto, você é parasitado.», mas isso não é o parasitismo.
A pessoa que diz isso está, ela própria, invertida, é claro.

Aliás, não há entidades no canal, há, simplesmente, ressonâncias vibratórias ligadas às Presenças que estão no canal Mariano.
O canal mediano: não há qualquer entidade, mesmo os Arcontes, eles se pressionam por trás do canal mediano, eles não penetram o canal.
É preciso que sejam entidades que eu qualificaria não Arcônticas, mas invertidas no plano astral, seriam mais servidores dos Arcontes.
Mas um Arconte não vai sujar-se, segundo ele, penetrando o canal mediano de um humano, qualquer que seja.
Ele quer, sim, dirigi-lo, controlá-lo, mas há uma espécie de repulsa espontânea entre a pele de um réptil e uma pele humana, vocês sabem, isso funciona nos dois sentidos.
O ser humano, em geral, tem medo das serpentes, mas os Arcontes, também, têm medo dos humanos.
É preciso relativizar.

Eu já disse, um ser de Luz não penetra pelo canal, pelo canal mariano, antes de aparecer, diretamente, no coração; é a energia que se ativa ao nível da pequena Coroa ou da grande Coroa, mas não há Presenças ali dentro, e felizmente.

Então, não veja os inconvenientes do que aconteceu, porque esse é o ponto de vista da pessoa, mas veja, mais, a utilidade, ao nível de sua Eternidade do que se desenrola.
Porque você não pode reivindicar ser transparente, a um dado momento, e, depois, nessa transparência, uma força sombria chegaria a parar nessa transparência.
Não, não é possível.


Questão: ao praticar os movimentos de Li Shen desde o início chega-se, sistematicamente, à combustão espontânea?

Oh não, é mais raro, de momento, isso é mais o planeta grelha que provoca combustões espontâneas ou alguns solos específicos, atualmente, que são muito ricos em ferro; isso não lhe concerne, é mais na América do Sul, é mais na Ásia, alguns países da Ásia ou da Indonésia que são concernidos por esses desaparecimentos de massa, que eu chamei de combustões transcendentais.
Mas tranquilizem-se, os Franceses vão passar por isso também.


Questão: quando eu passeio na natureza, em um lugar preciso, há como um odor de metal, de ferro, ou de metal queimado.

Você sabe, há, de qualquer forma, minerais que estão em alguns solos, que podem cheirar isso, sobretudo, se é um lugar único, é a composição química e as interações químicas do lugar.
Há odores místicos, é claro, mas, em geral, isso não cheira o metal queimado, hein?
Então, ou são odores nauseabundos de enxofre e outros, o que vocês chamam de bombas fedorentas, ou são odores de perfumes, de lírio, de rosa e de diferentes óleos ou de incensos, eventualmente.
Agora, apenas você é que pode saber se é um odor místico ou um odor concreto desse mundo.

E esse gênero de odor de metal queimado, se é, realmente, o metal queimado, é mais, de qualquer forma, de natureza terrestre, ou seja, ao nível da estrutura dos solos.
Mas podem ser, também, odores místicos, mas, naquele momento, eu diria que não é um odor místico puro.
Em geral, isso sente, mais, o enxofre, quando são más entidades, ou a caca.

Há apenas um odor que poderia aproximar-se disso, talvez, com alguns olfatos: é o odor do repolho podre, isso pode ser um odor místico.
O repolho já cheira forte e, quando ele apodrece, pode cheirar, efetivamente, o metal queimado.


Questão: a que corresponderia esse odor, se é, realmente, místico?

Esse odor corresponderia, por exemplo, a uma reminiscência do lugar, poderia ser uma reminiscência de violência, de morte violenta, de entidades, eu não acredito muito nisso, mas, mais, circunstâncias locais ligadas a estresse, a manifestações violentas que se produziram no lugar.
Mas não tenho certeza alguma em relação a isso, é claro.


Questão: é possível estar em um corpo de carne e ter uma parte da consciência no trabalho em sua próxima morada?

É claro.
É claro, vocês são multilocalizados.
Falou-se, à época, de deslocalização da consciência, que lhes permitiu viver alguns estados.
Hoje, vocês são multilocalizados, são, ao mesmo tempo, isso, ao mesmo tempo, o corpo de Existência, ao mesmo tempo, sua origem estelar, ao mesmo tempo, suas linhagens, ao mesmo tempo, emergindo da Fonte, ao mesmo tempo, a Fonte e, ao mesmo tempo, o átomo no outro extremo de todos os universos.

Então, alguns de vocês começam a viver algumas multilocalizações, já, dois lugares fica bizarro, mas isso irá muito rápido.
Vocês vão aperceber-se, de algum modo, de que a única coisa que está presente nesta Terra é a Vida e o Amor, e que o que vocês creem ser, através desse corpo de experiências, de memórias e tudo..., é apenas um fragmento, um pequenino fragmento do que vocês são.
O problema é que esse pequenino fragmento sufocou todo o resto nesse pequenino fragmento.

Então, é claro, são coisas perfeitamente possíveis, e que são, mesmo, perfeitamente realizáveis.
Eu posso muito bem estar falando com você aqui e, ao mesmo tempo, estar tratando de alguém na China.
Nós não somos limitados por uma dimensão ou por uma forma, mesmo se tenhamos sido isolados, eu os lembro, em uma esfera, uma bolha interdimensional, eu diria, para levar a efeito a operação de Liberação.

Do mesmo modo que você tem, por vezes, a impressão de, talvez, viver vidas passadas, através dos rostos que desfilam ou das cenas específicas, é preciso, efetivamente, compreender que, mesmo se haja datas, isso não se desenrola no passado, isso se desenrola no mesmo instante.
E, como sua consciência é cada vez menos prisioneira dessa ilusão, você vai dar-se conta, efetivamente, de que, por exemplo, nas dimensões intermediárias, não na Liberdade, hein?, mas nas dimensões intermediárias, você vai aperceber-se de que, aí, você está em um corpo, que você vive uma vida com uma mulher, filhos, uma profissão, talvez, e, depois, você vai reencontrar-se a bascular em outra dimensão específica, de 3D ou outros lugares, mas, no exemplo de 3D, é, ainda, mais perturbador, e você vai se reencontrar em outro corpo, outra consciência, casado com outra mulher e com outros filhos e em outra profissão, que se desenrolam ao mesmo tempo.
Uma vez que tudo é Um, você vê onde eu quero chegar.
Tudo isso são apenas fantasmas, ou seja, tudo o que se vive assim, como final fragmentado.
Como as dimensões, que são reais, que são planos de manifestação e de criação, mas, em definitivo, são experiências sustentadas pelo Absoluto.

E, então, você é, ao mesmo tempo, tal Arcanjo, tal outro Arcanjo.
O problema, nesse mundo, é que não se deve identificar-se, tampouco, a isso.
Aqueles que querem desempenhar papéis serão servidos, em breve, não se inquiete com isso.
Mas o que eu quero dizer, também, com isso é que não se deve estar apegado.
Então, é claro, acontecem coisas surpreendentes, você vê animais aparecerem, você se reencontra em ambientes que nada têm a ver com aquele que você conhece.
Então, você vai chamar a isso de um sonho ou símbolos ou imagens, mas é tudo tão real como sua vida nesse mundo, mas você não tem consciência disso.


Questão: se desejamos não ter corpo em nossas moradas futuras, esse desejo basta?

Oh, certamente não, certamente não.
Não é você que decide, é o que você é, na Eternidade.
Ou você se junta a esse ponto que você é na Eternidade e, naquele momento, não há mais razão alguma de viver em um corpo carbonado, exceto se você tem vontade de divertir-se, mas você pode desaparecer desse corpo carbonado à vontade.
Alguns de vocês têm necessidade de areia quente, outros, têm necessidade de voltar a mergulhar no oceano de Sírius, outros, têm necessidade de voar nos ares de Altair e, outros, têm necessidade da matéria, mesmo estando liberados.

Mas alguns tomam suas necessidades por realidades, então, não é o que você pensa hoje, é mais, eu diria, o que você vive hoje que assinala, eu diria, sua espécie de futuro, sua atribuição vibral, mais do que dizer «eu não quero ter corpo carbonado».
Porque você pode ter todos os corpos carbonados que quiser, nos mundos livres.


Questão: a que corresponde a imensa mancha solar que se encontra, atualmente, no Sol e o que induz para a Terra?

Bem, é uma mancha solar.
Como isso, o que isso induz?
É uma irradiação solar aumentada.
Como todas as manchas solares, quando elas explodem.
É um afluxo de Luz vibral ou de irradiação do ultravioleta, ou de radiação do Espírito Santo, uma vez que isso vem do Sol.
Mas isso pode vir, também, de trás do Sol, quando há, especificamente, o que é chamado um alinhamento galáctico com o centro de todas as galáxias, ou seja, Alcyone, o que é o caso nesses dias presentes.
Há o centro galáctico, há um planeta, o Sol, um planeta e a Terra logo no extremo, que encaixa tudo isso.

Nós atingimos a hora de nossa partida.

Perfeito.
É você que vai ou sou eu?

Então, eu vou transmitir-lhes todas as minhas bênçãos, e eu voltarei, se a oportunidade apresentar-se, é claro, porque a prioridade, vocês têm vivido, é o Coro dos anjos e o Espírito do Sol em cruzamento vibratório.
Vocês verão a graduação que vai produzir-se durante essas três intervenções.
Quanto a mim, eu lhes transmito todas as minhas bênçãos.
Eu lhes digo: bom Sol, bom banho, boa combustão, conforme o que vocês são.
Até breve.

-------------------
https://lestransformations.wordpress.com/2015/07/03/dans-le-feu-de-lamour-juin-2015-o-m-aivanhov-questions-reponses-2/