Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

18 de fev de 2012

IRMÃO K – 18 de fevereiro de 2012

Mensagem publicada em 19 de fevereiro, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Áudio da Mensagem em Francês

Link para download: clique aqui



Eu sou IRMÃO K.
Irmãos e Irmãs presentes, eu lhes peço que aceitem homenagens e bênçãos.

O quadro de minha intervenção inscreve-se como uma lógica em relação a muitos elementos que eu lhes comuniquei no ano passado, concernentes a duas palavras (ou duas expressões, mais exatamente): Liberdade / Autonomia, de outra ATRAÇÃO/VISÃO, que conduz a um terceiro termo (ou uma terceira expressão) que é: a Responsabilidade.

Hoje, muitos de vocês (que estão presentes na carne) vivem – de maneira mais ou menos pronunciada – transformações importantes.
Qualquer que seja a expressão dessas transformações, elas são, como vocês sabem, certamente, a expressão do Apelo da Luz para uma revolução (Revolução Interior, é claro, e não exterior).

O Apelo a essa Revolução toma diversas formas e diversas manifestações: seja o Fogo, seja a percepção de Vibrações, seja um sentimento (uma intuição), sejam simples sonhos, seja um Impulso para a mudança (decidido pela Alma ou pelo Espírito).
Todos, em um grau ou outro, têm a viver algo.
Esse algo a viver (e que decorre, diretamente, de sua Liberdade) deve permitir inscrever o que vocês são numa realidade (e eu não falo de real) diferente.
Essa realidade diferente (futura ou potencial ou atualizada) é, de maneira comum, chamada uma mudança de paradigma.

Os diferentes Apelos da Luz (ou as diferentes injunções da Consciência) têm resultados extremamente variados, para cada ser humano consciente sobre esta Terra.

O conjunto dessas manifestações são, muito exatamente, o que SRI AUROBINDO havia nomeado como o choque da humanidade.
Em toda mudança concernente a esse mundo existe, sempre, certo número de etapas.
Essas etapas podem, raramente, permutar-se.
Sua duração é diferente, de acordo com cada entidade, de acordo com cada vivência, de acordo com cada experiência e, eu diria, em definitivo, de acordo com cada estado Vibratório.

O estado de um não é o estado do outro.
Em todo caso, do lado em que vocês estão.
Qualquer que seja seu estado e sua etapa (negação, negociação, cólera, aceitação ou outra), cada mudança de paradigma, além da Liberdade e da Autonomia, chama-os a uma forma de responsabilidade porque, em definitivo, vocês são, estritamente, responsáveis por suas escolhas.

Essa escolha (como vocês sabem), não é mental nem afetiva, mas, puramente, Vibratória.

O Apelo da Luz, hoje, em sua última acepção (ou seja, o Manto Azul da Graça), é um Apelo à responsabilidade, que os faz superar o conjunto de suas encarnações, o conjunto de suas suposições, o conjunto de suas vivências, que os conduz e aporta-os, num primeiro tempo, a uma Consciência mais ampla (ou expandida) da realidade.
Expansão que pode, em alguns casos, conduzi-los a transcender as noções de realidades para penetrar o Real que está além de toda ação / reação e de todas as causas e de todas as consequências.

A palavra que foi empregada por UM AMIGO é o Absoluto, da qual ele lhes disse que vocês não podiam dela ter uma definição (ainda menos uma compreensão) e que vocês podiam, talvez, dela apreender o sentido e a Verdade.
Isso vai de par com a Responsabilidade.

Nesse mundo, como em toda criação (mesmo dita Unificada), como em todas as Dimensões, existe um princípio inalienável, invariável, impermanente e permanente (quando se trata de mundos instalados numa duração linear), que é a Responsabilidade.
Essa Responsabilidade ilustra-se por essa frase: «vocês são responsáveis por sua criação, o que quer que criem».

Vocês sabem disso, nesse Plano, quando vocês criam um filho, quando criam uma profissão (através de estudos) ou quando criam uma relação afetiva.
Do mesmo modo, a mudança de paradigma chama-os a uma nova Responsabilidade, que subentende, portanto, um novo espaço da Criação e, talvez, um novo tempo.

A Responsabilidade, nesse mundo (no qual nós passamos, nós também), é uma carga, um peso, por vezes, um florescimento e, frequentemente (o mais frequentemente), o conjunto dessas três coisas, ao mesmo tempo.

A Responsabilidade de que eu falo exprime-se, desta vez, ao       que vocês vão criar (ou criaram).
Vocês criam, de algum modo, o que vocês Vibram.

Existem, pelos mundos Múltiplos, o que se chamam Criadoras (em linguagem mais próxima da sua: formas de Consciência dotadas de Consciência e capazes de criar a Consciência).
Existe, também, uma Responsabilidade dessas formas de Consciências, que geram outras Consciências, de conscientizar-se de que toda Consciência deve ser religada («religada» é aceito, aqui, em seu sentido o mais absoluto, que nada tem a ver com a noção de relação, mas, efetivamente, confiança).
A confiança confere a Liberdade.

Qual é essa famosa Liberdade?
Aquela de não perder o fio, justamente, da confiança.
O que é, muito exatamente, o inverso do mundo em que vocês estão, ainda, encarnados, uma vez que esse mundo foi – como vocês sabem – alterado pelo eixo ATRAÇÃO-VISÃO (pelos sentidos), a fim de criar o que se chama um esquecimento (um esquecimento da causa, um esquecimento da Verdade) e, portanto, uma falsificação que foi chamada Ilusão ou Maya.

Tornar-se Responsável e restabelecer a confiança é restabelecer a Liberdade, não como conceito, projeção, mas na realidade vivida.
Essa Responsabilidade exprime-se na abertura de novos campos de percepções e de apercepções da Consciência, em ressonância direta com a confiança, a identificação ao Absoluto.

Cada Consciência é Livre e Autônoma.
Ela é, portanto, Responsável por sua própria Criação, por sua procriação, por sua recriação e sua não criação.

Segundo esse Absoluto, a Responsabilidade não é um peso, mas é uma leveza, uma vez que ela os desincrusta, literalmente, da Ilusão.
Ela descristaliza o mundo (suas crenças), para fazê-los viver, justamente, o que está além da limitação.

Ser Responsável é, portanto, uma Liberação.
Ser Responsável recorre a virtudes que eu nomearia cardinais.
Virtudes cardinais que recorrem a elementos que estão bem além do que é nomeado discernimento ou intuição, e que poderiam ser chamados pelo nome de Estrelas: CLAREZA, PRECISÃO, KI-RIS-TI, VISÃO.

A Visão de que eu exprimo a Responsabilidade – e que se exprime na Responsabilidade – não é nem a visão dos olhos (alterada), nem a Visão Etérea (em curso de instalação), nem a Visão do Coração, ainda menos uma visão Interior ou exterior.
É uma Visão direta da Consciência.

KI-RIS-TI é a realização do estado de Christos, ou seja, de CRISTO Solar ou de Logos Solar.

CLAREZA e PRECISÃO são a transcendência do Bem e do Mal, tal como é concebido (aceito ou não), vivido, em todo caso, nesse mundo em que vocês estão encarnados.

A Responsabilidade é, portanto, reencontrar a Liberdade, reencontrar a confiança, que permite desatar, de algum modo, o que deve sê-lo, igualmente, no que é nomeada a personalidade, no que é nomeada a individualidade.

Tornar-se Responsável é, portanto, estar consciente da função essencial do Absoluto que é: a criação, descriação, recriação.
Vocês têm sido nomeados, por alguns intervenientes: Filhos da Lei de Um, em oposição, de algum modo, aos Filhos de Bélial (ou os filhos rebeldes), que consideram que a Dualidade é a única probabilidade e a única possibilidade de vida.

Os Filhos de Um (ou Filhos da Lei de UM) constituem uma confiança e uma Responsabilidade, que pode ser manifestada, tanto aqui como em outros lugares, apenas através da Autonomia e da Liberdade, ou seja, apenas com a cessação da atividade do eixo falsificado ATRAÇÃO-VISÃO, do complexo inferior, como o ilustram as Portas ATRAÇÃO e VISÃO, situadas na parte inferior do tórax (ao nível diafragmático, estágio inferior ou denso ou pesado).

A Responsabilidade é tornar-se centrado e retornar, é claro, ao eixo restabelecido, chamado AL-OD, que os faz dizer, então, como Verdade Absoluta, como o CRISTO disse: «eu sou o Alfa e o Ômega, o início e o fim, sem início e sem fim», em todo caso, não localizado no tempo e no espaço.
Nesse caso, o Alfa e o Ômega não estão separados (nem divididos), mas participam e procedem da mesma Verdade que é, é claro, Absoluta.

Ser Responsável é ser Alfa e Ômega.
É retificar o que deve ser retificado.
É estar alinhado e religado, bem além do Alinhamento corpo/Alma/Espírito.
É estar religado, novamente, à FONTE, ao Alfa e ao Ômega.
Isso é um elemento de Liberação, de leveza e que confere o estado além da Alegria: a Felicidade, o estado além dos Samadhi.
É a Consciência além da Consciência.
É a Consciência que, após estar estabelecida, no Sat Chit Ananda, torna-se a Consciência Absoluta, além da Consciência, que a tradição – dita Oriental – chama de Parâtman, Parabrahman, e que nós nomearemos (por necessidade de facilidade para nosso auditório, aqui, e Ocidental, sobretudo) a Realização Crística.

Essa Realização não deve recorrer, em vocês, a uma noção de dinâmica que parte de um ponto A e transfere-se a um ponto Ômega, uma vez que esse eixo Alfa / Ômega não é um eixo linear, mas um eixo elipsoidal, que repassa pelo mesmo ponto.

Assim é a Consciência: sempre a mesma e jamais a mesma.
Isso não é um antagonismo, mas, efetivamente, da ordem da Verdade Absoluta, em ressonância direta com a Responsabilidade.

Onde eu quero chegar é que ser Responsável vai conferir, ao que vocês são, a capacidade para deixar-se penetrar pela Unidade, para deixar morrer a Dualidade e para instalar-se no novo paradigma que é, eu repito, unicamente, sua capacidade de Criação e, portanto, de Responsabilidade.

Do mesmo modo que lhes disse UM AMIGO (ndr: sua intervenção de hoje), minhas palavras não demandam reflexão, mas demandam, elas também, ser, de algum modo, confrontadas à sua experiência (se ela já foi vivida, ou sua experiência a vir), devido à ação do Manto Azul da Graça e da Dissolução desse mundo, que não é o fim do mundo.

Esse mecanismo de Responsabilidade foi chamado, mais correntemente: Ascensional, Ascensão, ou, ainda, Transação Dimensional.
A Ascensão, pela adição do Manto Azul da Graça (nessa última etapa final: Núpcias de Luz), é inscrita numa das faces da Vibração cúbica Metatrônica, em relação com CLAREZA / PRECISÃO, KI RIS TI / VISÃO.
O que há a viver é, muito precisamente, o que vocês têm a viver, individualmente e, doravante, coletivamente.

Sua Presença, estabelece, ela também, a Responsabilidade.
Os agentes dela são: o Fogo do Coração, o Fogo do Éter (ao nível do Kundalini) e o Fogo do Espírito (na Coroa Radiante da Cabeça) e o que eu nomearia, por comodidade, a ignição das Estrelas da cabeça.

Assim, a etapa que vocês estão vivendo, hoje, após terem passado por seu próprio choque (se já não foi feito, cujo testemunho o mais pesado é a Noite Escura da Alma), chama-os e convida-os a liberar-se da opressão da personalidade e estabelecer-se na Responsabilidade (que é outro nome da Autonomia e da Liberdade).

Tudo o que eu acabo de dizer não são ações a efetuar, ainda menos coisas a discorrer ou a compreender.
E, aliás, como eu pude dizer, em minha última encarnação, a alguém que me fazia a pergunta «como é, do outro lado?»: eu poderia fazer-lhes todas as descrições do outro lado, não é por isso que vocês viveriam o outro lado.
O único modo de viver o outro lado é atravessar e, portanto, mudar de lado.
Isso se chamaria truísmo e, no entanto, dito desse modo, é o único modo para proceder.

Assim, portanto, e sem sobrecarregar ou fazer voltar sua memória, eu os lembro de que o fim do eixo ATRAÇÃO/VISÃO é ligado à retificação desse eixo, na qual o eixo AL / OD vem estabelecer-se.

Nesse eixo AL / OD existe uma Cruz da Redenção.
O outro eixo é HIC e NUNC.

Existem, também, uma Cruz anterior e uma Cruz posterior.
Essa Cruz anterior é constituída por AL / OD e CLAREZA / PRECISÃO.
As cruzes posteriores, inscritas, eventualmente, entre UNIDADE e PROFUNDIDADE, são, sobretudo, inscritas entre o eixo AL / OD e KI-RIS-TI / VISÃO, dando-lhes a viver pela ação do que foi nomeado o Triângulo da Terra (ao nível das Estrelas, eu os lembro), em ressonância com KI-RIS-TI / VISÃO e OD, que ilustra a Passagem da Porta Estreita, entre o ego e o Coração, pela Porta OD: a Crucificação.

Transfiguração prévia e Ressurreição ulterior.
Esse mecanismo (porque é um) estabelece-se, de algum modo, por si mesmo, a partir do instante em que vocês não põem mais distância entre a Luz e vocês.
Isso quer dizer que a percepção da Luz, numa primeira etapa, os faz considerar como exterior à Luz.
Numa segunda etapa, os faz ressoar à Luz.
Revelação da Luz, instalação da Vibração do Supramental.

Terceira etapa: Identificação, Fusão, Dissolução na Luz.
Realização do Maha Samadhi, de diferentes Êxtases e finalidade, por vezes diferente para cada um, mas nessa lógica, que é o Absoluto.

Ser responsável, exercer a responsabilidade é apreender e, também, compreender que vocês são, vocês mesmos, aqui e em outros lugares, o teatro de operações e que nada há, absolutamente, no exterior de quem vocês São.

Que todo o resto, mesmo o que vocês criaram (filhos, profissão, relações afetivas) representa, em definitivo, apenas extensões de vocês mesmos.

Se cada Consciência, cada ser humano encarnado se responsabilizasse nisso, a Ilusão do mundo desapareceria, instantaneamente, com um efeito de alavanca considerável.

O Cristo havia dito: «quando vocês forem dois ou três reunidos em meu nome, Eu estarei entre vocês».
Hoje, Ele os convida a verificar essa afirmação, a tornar-se Livres, a tornar-se Autônomos e, portanto, em definitivo, a ser Responsável.

Essa Responsabilidade exerce-se através da ilusão da escolha, uma vez que, em definitivo, não há escolha.
Ser-lhes-á feito segundo sua Fé, segundo sua Vibração, e, será que, realmente, é uma escolha?
Absolutamente não.

Eu os engajo a reler, com calma, além mesmo de minha Presença, o que eu lhes disse.
Se, contudo, emerge suficiente lucidez de vocês para colocar-me questões em relação a isso, e se tivermos, ainda, tempo, eu os escuto.

Questão: a ausência de escolha significa que o livre arbítrio é uma ilusão?
 
Sim, inteiramente.
O livre arbítrio consiste, simplesmente, em crer que vocês têm a escolha.

O único livre arbítrio que vocês têm é saber quanto tempo vocês vão levar para compreender que são Livres.

O livre arbítrio remete-os à Dualidade.
A Liberdade remete-os à Graça.

O livre arbítrio é apenas o jogo do ego (ou o Eu/Sombra, tal como foi chamado, há pouco tempo).
Vocês são, inteiramente e na totalidade, determinados pelo que vocês São e não pelo que creem ser.

A única responsabilidade é, portanto, passar da ilusão do livre arbítrio para a Verdade da Liberdade.
Não pode haver Liberdade com o livre arbítrio.
Não pode haver o livre arbítrio com a Liberdade.

O livre arbítrio é apenas um jogo.
A Liberdade é uma Graça.
O livre arbítrio decorre da ilusão da escolha, em ressonância com o confinamento da Consciência.

A Liberdade resulta da Autonomia, da Graça e da Responsabilidade.

No relativo e no efêmero, vocês têm o livre arbítrio.
No Absoluto e no Ilimitado (e além), vocês são determinados.
É exatamente o inverso do que vocês creem e é exatamente o inverso da maior parte dos ensinamentos que recorrem à reencarnação, ao carma, à ilusão Luciferiana, ao espelhamento astral e ao conhecimento.

Como vocês podem conhecer o que quer que seja, dado que vocês são o Conhecimento?
Se vocês aceitam isso, vocês saem da ignorância e entram na Liberdade.

Questão: se o livre arbítrio permite-nos fazer escolhas de orientação nessa vida encarnada, é que ele permite, apesar de tudo, uma liberdade em nossas responsabilidades?

Enquanto creem nisso, vocês permanecem confinados, e isso pode durar muito longo tempo, em termos terrestres, e isso, aliás, durou muito longo tempo.
Eu posso dizer que isso pode, mesmo, durar a eternidade.

Enquanto vocês creem nessa noção de responsabilidade ou de carma, enquanto creem que têm que pagar todas as ações e as reações que realizaram nesse mundo, vocês estão presos.

Mas que são essas escolhas no efêmero?
Se seu ponto de vista é efêmero, vocês continuam no efêmero.

Crer-se Livre, nesse mundo, é uma heresia.
Vocês são Livres?
Vocês vão às outras Dimensões?
Vocês estão conscientes de ser o Absoluto?

Portanto, vocês não são Livres.
A Liberdade, tal como vocês a concebem, exprime-se entre dois limites, que são o nascimento e a morte.
E a repetição eterna desse nascimento e dessa morte.
Há, simplesmente, um sistema de falsificação que os fez crer (indevidamente) que, se vocês fizessem o bem, vocês sairiam desse mundo e que, se fizessem o mal, seriam confinados nesse mundo.

Eu os tranquilizo, quer vocês façam o bem ou o mal, estritamente, nada muda em sua posição nesse mundo.
Ela faz apenas reforçar.
Isso foi exprimido, em numerosas reprises, pelo próprio princípio da vontade de bem.

Vocês poderiam conhecer o conjunto de suas encarnações, conhecer os prós e os contras de todas as ações/reações efetuadas nesse mundo, vocês não teriam mexido um milímetro desse mundo.
É a ilusão do conhecimento, chamado Luciferiano.

Eu os remeto, para isso, ao conjunto do que havia sido dito pelo Arcanjo JOFIEL, em especial, no fim do ano de 2008.
É o ego e a personalidade que creem nisso.

Mas vocês não são nem o ego nem a personalidade, nem essa vida e, ainda menos, o conjunto de suas vidas, que não existem.

Enquanto vocês são persuadidos de ser esse corpo ou esse conhecimento, enquanto são persuadidos de ser um homem ou uma mulher de tal idade, enquanto são persuadidos de estar em tal família, em tal profissão: quando vocês dizem “eu sou um homem” vocês têm consciência de quem diz “eu sou um homem”, se não é o ego?
Quando vocês dizem “eu sou médico”, vocês têm consciência de que não são, absolutamente, o que dizem ser?
Quem é esse Eu que se exprime, se não é o ego e a personalidade?

Enquanto vocês jogam o jogo do ego, vocês estão presos e confinados e, portanto, privados de responsabilidade.
Vocês não podem sair da prisão (e muitos de vocês não têm, mesmo, consciência de que estão na prisão, o que é extremamente prejudicial).

O Manto Azul da Graça propõe-lhes o acesso a esse Ilimitado, que é uma primeira etapa para o Absoluto.
Vocês devem, portanto, ir ao outro lado.
Enquanto vocês estão desse lado, podem apenas definir regras do jogo que pertence a esse lado, mas que não são as leis do Universo, mas desse mundo falsificado e, unicamente, desse mundo falsificado.

Vocês estão além do Espírito, vocês são Eternos.
Portanto, como vocês podem aceitar nascer e morrer?
Quem aceitou nascer e que, ainda menos, aceitou morrer?
Vocês são isso?

É a isso que os chama o Manto da Graça: a ir ao outro lado, verificar, por si mesmos, e não ser o resultado de simples crenças, de simples aceitações de condições desse mundo.

Vocês não são desse mundo.
Vocês não são esse corpo.
Vocês não são esse livre arbítrio.

O próprio princípio da falsificação foi de fazê-los crer e aderir ao que não existe.
E muitos se divertem nisso, há éons.
E vocês repetem, sem parar, a mesma história, mudando, simplesmente, elementos do cenário: morte, nascimento, morte, nascimento, morte, nascimento.
É isso que vocês aspiram?

Questão: a Liberdade é saber que não se tem a escolha?
 
Enquanto vocês estão nesse mundo, efetivamente, a Liberdade é saber que vocês não têm qualquer escolha e qualquer Liberdade.

A partir do instante em que vocês põem o ato de não mais crer, a partir do instante em que não são mais identificados (sobretudo agora) ao que creem ser, instantaneamente, vocês realizam o Absoluto.

Vocês devem, portanto, como dizia UM AMIGO, renunciar a tudo o que creem ser, porque vocês são tudo, exceto o que creem.
Enquanto vocês dizem eu sou tal nome, tal sobrenome; enquanto vocês dizem, tenho tal idade; enquanto dizem, tenho tal profissão, tenho tal dor, vocês não estão no Ser, vocês estão na aparência.

O peso da crença e do confinamento é tal que vocês, realmente, perderam o fio.
É livre a vocês crer-se livres, é sua escolha.
É a única liberdade que vocês têm.
Mas, pensando assim e vivendo assim, vocês não são Livres.
É, simplesmente, o ego ou a personalidade que se crê Livre, mas nenhum ego, nenhuma personalidade, mesmo a mais despertada, não pode ser livre.
Vocês são Livres, única e exclusivamente, apenas quando vão ao outro lado.
É o único modo de pôr fim à Ilusão.

Mesmo o acesso à Unidade, pela Luz Vibral, é, já, uma experiência que os faz viver a Alegria, o Samadhi.
Mas isso não é o Final, é uma etapa.

A questão que vocês devem colocar-se é, já, definir tudo o que vocês creem ser e, em seguida, fazê-lo desaparecer.
Quando vocês tiverem feito tudo desaparecer do que creem ser, quando nada mais restar de todas as suas crenças, naquele momento, vocês viverão o Absoluto.
Não antes.

Questão: se tudo está consumado nos outros Planos, e se não temos a escolha, como se situa o efeito do Manto Azul de Maria?
 Ele se inscreve, eu diria, na atualização desse “tudo está consumado”.
Quando eu digo, e quando lhes foi dito que tudo estava consumado, vocês estão, vocês mesmos, consumados?
Se vocês estão do outro lado, estão consumados, porque não são mais concernidos por esse corpo, por essa vida, por tudo o que faz esse mundo.
Isso não é uma negação, mas é uma transcendência.

Não há outro modo de realizar o Si, de viver a Unidade e de viver o Absoluto.
Vocês não podem ser uma personalidade e viver o Absoluto.
Vocês não podem ser suas crenças e viver o Absoluto.
Vocês não podem ser esse corpo, ser essa pessoa, ser essa função e viver o Absoluto.
Mas são apenas palavras, enquanto vocês não as vivem.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

A última questão a colocarem-se é esta: eu sou Livre?
E olhem.
E observem.

Vocês estão apegados ao que quer que seja desse mundo?
Então, se a resposta é sim, vocês não são Livres.

Vocês querem ser Livres?
Se a resposta é sim, então, Liberem-se.

É a isso que o Manto Azul da Graça convida-os.
É a isso que, através de nossos termos desta noite, UM AMIGO e eu mesmo os convidamos.

É livre a vocês aceitar ou recusar.
Mas não venham pretender ser o Absoluto sendo uma pessoa.

IRMÃO K saúda-os.
Saudações e bênçãos.
Até uma próxima vez.
Até breve.

__________________________________
Abaixo, os esquemas que retomam os diferentes Pontos evocados na intervenção de IRMÃO K: 

 

__________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.


8 comentários:

  1. Bem, aqui sou suspeito. O Irmão "K" consegue ser ainda mais incrível do que quando era apenas "K", um estilo e conteúdo que me completou nos meus velhos tempos de busca. Agora é assim, ele ainda vai mais além (impressionante). Vou parar por aqui porque sou realmente suspeito (é ressonância demais). Mas, apenas esta frase, bem ao seu quilate, de pura transcendência, não obstante a lógica e simplicidade de sua abordagem: "Assim é a Consciência: sempre a mesma e jamais a mesma. Isso não é um antagonismo, mas, efetivamente, da ordem da Verdade". Mas, ainda mais esta: "Tudo o que eu acabo de dizer não são ações a efetuar, ainda menos coisas a discorrer ou a compreender". Em P&R, o tema básico foi livre-arbítrio (escolhas), e aí, a coisa parece ser a sua especialização, tal a inacreditável beleza do que foi dito. Demais (um presente ilimitado)...

    ResponderExcluir
  2. Pode-se resumir as palavras de nosso Irmão K assim: fazer escolhas não é ser livre, mas Ser a LUZ e abandonar-se à LUZ é realmente ser livre.E também o "eu" deve morrer, vc pode ser tudo, menos você mesmo.
    Então, eu sou Irmão K, eu sou os Anciões, eu sou os Arcanjos, Eu sou a FONTE, eu sou os irmãos e irmãs que são parte da minha consciência, eu sou livre, nós somos livres. Alegria e confiança a todos.

    ResponderExcluir
  3. "Hoje, muitos de vocês vivem transformações importantes. Qualquer que seja a expressão dessas transformações, elas são, como vocês sabem, certamente, a expressão do Apelo da Luz para uma Revolução ( Revolução Interior, é claro, e não exterior ).
    "Todos, em um grau ou outro, têm a viver algo. Esse algo a viver deve permitir inscrever o que vocês são numa Realidade Diferente. Essa realidade diferente é, de maneira comum, chamada uma Mudança de Paradigma.
    "A Mudança de Paradigma chama-os a uma Nova Responsabilidade, que subentende, portanto, um Novo Espaço da Criação e, talvez, um Novo Tempo.
    "Essa Responsabilidade exprime-se na abertura de novos campos de Percepções de Apercepções da Consciência, em ressonância direta com a Confiança e a Identificação ao Absoluto.
    "A Responsabilidade de que eu falo exprime-se, desta vez, ao que vocês vão Criar (ou Criaram). Vocês criam, de algum modo, o que vocês VIBRAM.
    "Cada Mudança de Paradigma, além da Liberdade e da Autonomia, chama-os a uma forma de Responsabilidade porque, em definitivo, vocês são, estritamente, responsáveis por suas Escolhas. Essas escolhas, (como vocês sabem), não é mental nem afetiva, mas, puramente, VIBRATÓRIA. ... << Vocês são responsáveis por sua criação, o que quer que criem >>.
    "Ser Responsável vai conferir, ao que vocês São, a capacidade para deixar-se penetrar pela Unidade, para deixar morrer a Dualidade e para instalar-se no novo Paradigma que é eu repito, unicamente, sua Capacidade de Criação e, portanto, de Responsabilidade.

    "Assim, a etapa que vocês estão vivendo, hoje, após terem passado por seu próprio choque ( se já não foi feito, cujo testemunho o mais pesado é a Noite Escura da Alma ), chama-os e convida-os a liberar-se da opressão da personalidade e estabelecer-se na Responsabilidade que é outro nome da Autonomia e da Liberdade."

    AMOR LUZ a todos.

    ResponderExcluir
  4. Bem entendo que o ponto está justamente em não questionar:como posso me tornar livre se tenho tantas responsabilidades??
    Mas,como não questionar?Como tornar a questão menos cerebral?Como?Como?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, caro anônimo, esta é uma etapa que só você pode cruzar. Eu tenho
      responsabilidades, creio que todos têm. Mas, vc pode executar suas responsabilidades, sabendo que vc não é estas responsabilidades, o problema é dar pesos as nossas responsabilidades, dar pesos aos medos
      e todos os problemas do mundo. Já foi dito, não é preciso abandonar quem ou qualquer coisa que seja. VC não pode vencer isto buscando mais perguntas e respostas, o que eu fiz e consegui fazer foi deixar os medos e dúvidas para trás, é impossível vencer qualquer medo, como diz O.M. Aïvanhov, é necessário soltar os amendoins, depois disso, a leveza prevalece, a dúvida se surgir, não perdura, logo é consumida. Em minha vida, os problemas existem, a diferença agora, é que eles não me atingem, mas enquanto vc quiser controlar suas responsabilidades, vc não está solto ou livre. Deixe a Luz fazer por você.

      Excluir
    2. Todo o mistério e estas dificuldades todas só existem enquanto a consciência pessoal (ego) não se percebe como a síntese da ilusão. Quando isto for visto, e não apenas compreendido, surge a real humildade, e o sujeito necessariamente cessa o seu pseudo existir. Enfim, enquanto existir o "eu", a luta continua, a Graça não é reconhecida (de Verdade), o Absoluto não passa do plano teórico. O fim do "eu" é o primeiro e o último passo. É claro que isto não invalida todas as etapas de aproximações sucessivas rumo à crucificação egoica, cujo efeito é a própria ressurreição. Para aquele que se percebe, em um dado momento, sendo o centro da ilusão, o caminho do Despertar se torna diminuto, daí em diante; mas, enquanto isto não acontece, a coisa se arrasta, naturalmente, e nada tem de errado, apenas não chegou o momento de ver a sua real condição humilde, de uma consciência puramente dissociada.

      Excluir
    3. Gostaria de finalizar a questão que amigo(a) anônimo se colocou. Vc está no bom momento, no bom lugar, pois vc está naquele estágio chamado
      "tensão para o abandono', o coração parece que está apertado, e a cabeça parece que vai explodir, isso passa, depois vem a leveza, o equilíbrio, vc se apercebe que os medos eram apegos e ilusões, tudo fica claro depois. Continue firme na LUZ.

      Excluir
  5. Irmão K: "Eu os engajo a reler, com calma, além mesmo de minha Presença, o que eu lhes disse."
    Amados irmãos e irmãs, depois de uma deslocalização no domingo a tarde, quando eu tirei um cochilo, antes de acordar e já tentando acordar eu estava dizendo a mim mesmo: eu não sou nem mesmo o Luiz Antonio"; e agora ao reler esta MSG com calma, eu me lembrei de uma mensagem, acho que é de Aïvanhov ou Anael, na qual foi feita uma pergunta assim: "Quem me criou? e foi respondido: Vc mesma se criou", aqui a ficha caiu, tudo fez sentido além das palavras de nosso Irmão K. Mas, aqui nesse ponto, isso é íntimo de cada um. Apenas gostaria que vocês relessem esta MSG com toda tranquilidade, e essa questão das escolhas que tanto nossos irmãos franceses focaram, não terá mais sentido. E eu não sei se aconteceu com todos, mas esses últimos dias eu tenho tido dificuldades em parar o mental, não liguem pra isso. Eu amo vocês. Eu sou consciência pura.

    ResponderExcluir