Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

22 de mar de 2016

ANAEL – Março de 2016




Eu sou Anael, Arcanjo, Arcanjo do Amor e da Relação.
Bem amadas luzes vivas, bênção e comunhão, de cada um a cada um.

… Silêncio…

Como Arcanjo do Amor, da Relação e segundo termo da Tri-Unidade arcangélica, eu me revelo em vocês, em sua Presença.

Eu venho ressoar e elevar, em vocês, a chama de Vida, em curso na ação de Uriel e de Miguel, que passa o testemunho do antigo ao novo.

Eu venho colocar-me em sua Morada de Eternidade.

Eu venho, em pleno dia, anunciar aquele que virá na noite, no êxtase final da dissolução.

Eu confirmo e assento, em vocês, o Apelo de Maria.

Eu venho dizer-lhes que tudo está consumado.

Cada minuto, cada sopro, cada instante pode, doravante, ser «o instante», aquele no qual nada mais pode ser esperado em um quadro temporal.

O que não é condicionado por qualquer tempo ou data a vir, porque tudo está pronto, em seu Templo, para a Eternidade que está aí.

Eu venho atiçar, pela Tri-Unidade arcangélica, o Sopro do novo, o Fogo do verdadeiro e a Água do feminino, sagrada entre todas...

… que lhes dá a ver sua eternidade, que lhes dá a viver, com intensidade, o Fogo do Espírito.

Eu estou aí como vocês estão aí, fora de todo tempo, preenchendo todo o espaço do Amor desvendado, do Amor autêntico, do Amor santificado.

Eu venho ressoar o que vibra e vive na chama da Eternidade.

Como disse Uriel, resta apenas a vocês colocar e depositar o que passou e o que há a vir.

Eu venho vivificar o brilho e a Presença de sua chama eterna.

Minhas palavras, neste dia, serão pouco numerosas, porque a palavra torna-se Verbo e o Verbo não tem necessidade de palavras, porque ele é evidência, infalível e eterno.

Eu venho, de algum modo, redizer-lhes sua verdade, que é nossa.

Meu Verbo diz a você: «Levante-se.».
Levante-se em sua eternidade, levante-se em sua vida, que não depende, de modo algum, do que você crê ou do que você vive em sua pessoa.
A cada segundo que se engrena, Ele vem para você.
A cada segundo que se escoa, a Verdade cresce e o Amor é evidência, a cada dia renovada.

Eu venho dizer-lhe: «Olhe e veja. Toque e perceba.».

Eu o convido a provar e a beber do néctar de imortalidade, que põe fim a toda sede e a tudo o que faz apenas passar.

Eu venho celebrar com você, assim como Uriel e Miguel, o sopro de vida da Ressurreição.

Eu venho, se você o aceita, a render-se a si mesmo, se você abre bem a porta de seu Templo.

Eu o convido a dissolver o que é fútil, o que é efêmero, o que não oferece qualquer eternidade nem qualquer duração.

Eu o convido à Alegria, eu o convido ao Amor.

Lembre-se de que você não tem necessidade de mais nada, nem de busca, nem de aquisições, nem de conhecimentos.

Eu o convido a ser, inteira e integralmente.
Assim é a Liberdade que, talvez, você já viva em si, que, talvez você já viva na relação a cada um, amigo como não amigo.

Ao manter-me aí, no topo da chama do Fogo da alma que se consome, que deixa aparecer o Espírito do Sol que entoa, então, o canto de alegria do Coro dos Anjos...
… eu o convido a festejar, agora e já, a festa que se anuncia.

Permita-me, hoje, mais do que qualquer outro dia, abençoar a chama pelo Amor de minha chama.

... Silêncio...

Eu o convido a ver o Fogo do Céu, que percorre seu céu, que porá fim e que põe fim ao sacrilégio da separação e à ofensa feita à Vida, no confinamento desse mundo.

Eu o convido à sua própria Liberdade, aquela da alegria, aquela do sem forma como de toda forma.

... Silêncio...

Eu o convido, também, a depositar as armas de suas próprias incertezas que possam restar.
Não sobre o que você é, mas, bem mais, sobre a conclusão da ilusão.

... Silêncio...

Eu venho convidá-lo a desviar-se do que pode, ainda, ofendê-lo na ilusão.

Você que escuta, você que lê e você que ouve além das palavras, eu o convido a deixar desmoronar-se os muros que o incomodam, ainda, na ilusão.

Eu o convido à celebração da Alegria e da Graça, que não termina jamais, e que jamais terá fim.

... Silêncio...

Eu o convido, enfim e sobretudo, tal como você é, a celebrar Cristo; bem mais do que aquele da história, aquele que você é em sua Existência de Filho Ardente do Sol.

Revestido de seu veículo de Eternidade, você reencontra suas faculdades, aquelas da Verdade, aquelas do Amor.

Nada mais espere desse mundo que desmorona.
Espere tudo de si, do que você é, revestido de suas vestes de Luz, revestido da fé e da alegria, revestido da certeza de sua chama eterna.

Não há melhor momento que não nos momentos restantes, do que ser, na integralidade, sua eternidade reencontrada e atualizada.

Permita-me cantar em seu coração o canto da libertação, que acompanha os sons do céu e da Terra e que abre a terra interior para a eterna beleza e o eterno Amor.
Não espere amanhã nem qualquer instante seguinte.
Nada há a preparar, nada há a percorrer, unicamente, deixar a Vida percorrê-lo em cada célula.

Eu o convido, eu também, ao sorriso de seu Verbo, e eu lhe redigo, em você, a cada inspirar, o Amor que você é.

Não tema seu último sopro, que, de fato, restitui-o ao seu sopro original.

Olhe como – se você aceita isso – o que podia parecer-lhe duro e difícil não existe, simplesmente, mais para você, o que faz de você o guerreiro invencível da Paz e do Amor, que não tem necessidade de qualquer arma, exceto seu sorriso e seu coração em fogo.

Eu o convido a soprar nas cinzas ainda quentes das ilusões desse mundo.

Eu o convido ao Amor verdadeiro, que não conhece nem limites, nem entraves, nem condições.
Que se dá a ele mesmo e a cada um, sem distinção, com a mesma intensidade, para que você avance, sem temor, no braseiro do Amor que vem e que já está aí, em você.

... Silêncio...

Eu o convido, enfim, a não mais refletir em uma condução, em uma data ou em uma suposição, mas deixar, claramente, a Evidência surgir.
Não há necessidade de nada mais.

O Amor vem apanhá-lo.
Não para arrancá-lo de qualquer posse, mas, bem mais, para restituí-lo a si mesmo, sem condições e sem limites pertencentes a esse mundo.

Eu o convido a celebrar e a criar o Amor que você é, através do silêncio de seu ser e de seu coração, no êxtase íntimo do Apelo de Maria e da vinda Daquele que vem e que já está aí.

Eu venho beijar seu coração e sua fronte, animando o sopro do Verbo.

... Silêncio...

Aí está você, ressuscitado no Amor e no Espírito.

... Silêncio...

Eu venho permitir-lhe concluir seu Face a Face consigo mesmo, como com o mundo, com amigos como com inimigos.

... Silêncio...

Ouça o que meus silêncios dizem a você, no segredo de seu coração, que não tem segredo para ninguém, tanto o Amor é verdadeiro.

... Silêncio...

Acolha o céu sobre a Terra como em sua terra, porque você é o terreno e o assento de onde emerge sua eternidade.

... Silêncio...

Assim, por minha voz e minha Presença, ressoam em mim, como em você, a Presença de Uriel e de Miguel, eu lhe dou a ver a Verdade nua.

Há apenas o Amor.

... Silêncio...

Cada um de nós, aqui e alhures, nós abençoamos as chamas de cada um, ignorando medos e resistências, ignorando todas as ilusões.

... Silêncio...

Eu o convido a fazer-se ouvir em seu Verbo de Amor e de Verdade, pondo fim às palavras e aos males que o afetam, talvez, ainda.

... Silêncio...

Eu o convido a sorrir sem temor, como eu o convidarei, doravante, a cada minuto, a preparar-se para seu acolhimento, que é seu acolhimento, para que, sempre, essa seja sua única intenção, que lhe permite atravessar os espasmos desse mundo com o mesmo sorriso e a mesma integridade.

Eu o convido, também, a pôr fim a todas as hipocrisias, a todas as regras que você se impõe ou que lhe são impostas, porque o Amor não tem necessidade de regras, ele tem apenas necessidade de que você seja verdadeiro, e sincero, e justo, não segundo os critérios desse mundo ou de seu efêmero, mas, bem mais, ao olhar do Amor incondicionado.
Assim, sua casa permanecerá limpa e sem falha, no momento do Apelo.

... Silêncio...

Eu venho, enfim, oferecer-me a você, até que tudo esteja perfeito.

Contente-se em ser o sorriso da vida, em qualquer circunstância, feliz ou terrível que seja, porque tudo isso faz apenas passar.
E tudo isso deve perecer.

Não se apegue a nada, porque o Amor não pode ser apegado nem, mesmo, regulado.

... Silêncio...

Seja livre, porque seu nome é Liberdade e Amor.

Seja disponível para Ele e para você, como para cada um, mas não seja mais disponível a qualquer ilusão, a qualquer compromisso, como para qualquer traição.
O Amor não pode trair, o Amor não pode comprometer-se, de modo algum.

Eu o convido a ser forte, porque o Amor é forte.

Eu o reconvido, como Uriel, à paz, porque o Amor é paz.

Eu o convido a escutar a Luz, o que quer que ela lhe peça, e em toda circunstância.
Não pode haver derrogação a um pedido da Inteligência da Vida e do Amor.

... Silêncio...

Dizer sim à Vida é aquiescer a si mesmo e aquiescer ao Amor.

Assim você deixará queimar o que queima, que consome a ilusão e aumenta o Amor, por seu sopro e seu calor.

... Silêncio...

Então, acolha, e aquiesça com um «sim», sem falha e sem reserva, ao Amor que você é.

... Silêncio...

E aí, no silêncio, deixe ser o que é, deixe ser sua Infinita Presença como sua Ausência.

Nada retenha.

... Silêncio...

Sinta o Amor que eu lhe porto e que cada irmão humano porta a você, abolindo, assim, as últimas distâncias de um ao outro, e do outro ao um, para fazer o milagre de uma única coisa: o Amor.

Todo o resto passará, mas o Amor não se apagará, jamais.

... Silêncio...

Volte a tornar-se e reencontre, realmente, sem procurar, o Imaculado sem mancha que você sempre foi.

Mantenha sua lâmpada acesa, tanto de dia como de noite, instante após instante, sopro após sopro, reencontro após reencontro, alegria após alegria.

Você aí está.

Renuncie de procurar outra coisa, renuncie de justificar o que quer que seja, porque o Amor não se justifica.
Ele é sem causa, sem objeto e sem sujeito, sem forma como com forma.

Em qualquer reino aparente aos seus olhos nesse mundo, como nos reinos sutis dos habitantes da natureza que, talvez, você já tenha encontrado, quer eles venham do ar, da água, do fogo ou da terra, isso não faz qualquer diferença.

Quaisquer que sejam suas linhagens, qualquer que seja sua origem estelar, não há diferença alguma.
Toda diferença desaparece para deixar lugar à integralidade do Amor, sem restrição e sem reserva, e isso é agora.

Qualquer que seja o estado do céu, qualquer que seja o estado da Terra, qualquer que seja o sentido da história, o que quer que tenha sido anunciado pelos profetas, o tempo chegou do Amor livre e integral.
Revele-o, ele está aí.
Não por momentos, não por alguns dias, mas a cada sopro, sem esforço.

Para que cada um de vocês deixe sair o canto da alegria de sua Ressurreição na Eternidade.
Nada mais espere, porque aquele que espera põe uma distância, agora, entre ele e a Verdade.

As sequências temporais, tais como eu as descrevi, estão inscritas nos atos da Terra, sem atraso, sem espera e sem temor, porque o Amor é livre de toda espera e de todo temor.
O que você tem a temer?
Nada mais há a perder que não ilusões e quimeras.
Mesmo se você não o veja, ainda, na totalidade, isso já está presente em você, como em cada parte desse mundo.

Nossa Tri-Unidade arcangélica estabiliza, se você o deseja, o Amor permanente e verdadeiro, aí onde você está.

... Silêncio...

Não se esqueça, jamais, do que você vai verificar – se já não foi feito – muito em breve, que o tempo é uma quimera que força o Amor a condicionar-se, o que não pode ser.

Você que está aí, a ler-me e a ouvir-me, eu leio, em você, a sede do Amor.
Não aquele que você conhece, não aquele que você imagina, mas aquele que põe fim a toda sede.
Ele está aí.

... Silêncio...

E, enquanto minhas palavras desaparecem, permanecem o Verbo e a verdade do Amor.

Assim você reencontra seu Coração Sagrado e sua estrutura perfeita.

Então, eu paro as minhas palavras e deixo o silêncio preencher o espaço de nossa Presença, do Amor indizível e incondicional da Criação como do Incriado, e permaneçamos assim, onde quer que você esteja, você e eu, aí.

... Silêncio...

Eu sou você na Eternidade, como você é eu.

... Silêncio...

Eu terminarei por essas palavras e por esse Verbo.
Amor sempre você foi, você é e você será, em qualquer estado, em qualquer espaço, em qualquer vibração que seja.
Mesmo a relação justa entre cada um de vocês desaparece, pondo fim à ilusão da distância e a ilusão de um percurso de coração a coração, porque há apenas um único coração.

... Silêncio...

Eu o amo.


Publicado por:


7 comentários:

  1. Eu venho, em pleno dia, anunciar aquele que virá na noite, no êxtase final da dissolução.

    Eu confirmo e assento, em vocês, o Apelo de Maria.

    Eu venho dizer-lhes que tudo está consumado.

    Levante-se em sua eternidade, levante-se em sua vida, que não depende, de modo algum, do que você crê ou do que você vive em sua pessoa.

    Lembre-se de que você não tem necessidade de mais nada, nem de busca, nem de aquisições, nem de conhecimentos.

    … eu o convido a festejar, agora e já, a festa que se anuncia.

    Eu o convido a ver o Fogo do Céu, que percorre seu céu, que porá fim e que põe fim ao sacrilégio da separação e à ofensa feita à Vida, no confinamento desse mundo.

    Nada mais espere desse mundo que desmorona.

    Não espere amanhã nem qualquer instante seguinte. Nada há a preparar, nada há a percorrer, unicamente, deixar a Vida percorrê-lo em cada célula.

    Eu o convido a soprar nas cinzas ainda quentes das ilusões desse mundo.

    As sequências temporais, tais como eu as descrevi, estão inscritas nos atos da Terra, sem atraso, sem espera e sem temor, porque o Amor é livre de toda espera e de todo temor.

    O que você tem a temer? Nada mais há a perder que não ilusões e quimeras. Mesmo se você não o veja, ainda, na totalidade, isso já está presente em você, como em cada parte desse mundo.

    Mesmo a relação justa entre cada um de vocês desaparece, pondo fim à ilusão da distância e a ilusão de um percurso de coração a coração, porque há apenas um único coração.

    ResponderExcluir
  2. "Como Arcanjo do Amor, da Relação e segundo termo da Tri-Unidade arcangélica, eu me revelo em vocês, em sua Presença.
    Eu venho ressoar e elevar, em vocês, a chama de Vida, em curso na ação de Uriel e de Miguel, que passa o testemunho do antigo ao novo.
    Eu venho colocar-me em sua Morada de Eternidade.
    Eu venho, em pleno dia, anunciar aquele que virá na noite, no êxtase final da dissolução.
    Eu confirmo e assento, em vocês, o Apelo de Maria.
    Eu venho dizer-lhes que tudo está consumado."
    (...)
    "Eu o convido, também, a pôr fim a todas as hipocrisias, a todas as regras que você se impõe ou que lhe são impostas, porque o Amor não tem necessidade de regras, ele tem apenas necessidade de que você seja verdadeiro, e sincero, e justo, não segundo os critérios desse mundo ou de seu efêmero, mas, bem mais, ao olhar do Amor incondicionado.
    Assim, sua casa permanecerá limpa e sem falha, no momento do Apelo."

    ... Silêncio...

    Profunda e amorosa gratidão, querido Arcanjo Anael!!!

    ResponderExcluir
  3. Arcanjo Anael, quanta doçura nas suas colocações ...
    Estas são as ’senhas’, mais aguardadas...

    “Eu venho, em pleno dia, anunciar aquele que virá na noite, no êxtase final da dissolução”

    “Eu confirmo e assento, em vocês, o Apelo de Maria.”

    “Eu venho dizer-lhes que tudo está consumado.”

    ‘Cada minuto, cada sopro, cada instante pode, doravante, ser «o instante», aquele no qual nada mais pode ser esperado em um quadro temporal.”

    “Eu venho vivificar o brilho e a Presença de sua chama eterna.”

    “A cada segundo que se engrena, Ele vem para você.”

    “A cada segundo que se escoa, a Verdade cresce e o Amor é evidência, a cada dia renovada.”

    “Eu o convido a provar e a beber do néctar de imortalidade, que põe fim a toda sede e a tudo o que faz apenas passar.”

    “Nada mais espere desse mundo que desmorona.”

    “Permita-me cantar em seu coração o canto da libertação, que acompanha os sons do céu e da Terra e que abre a terra interior para a eterna beleza e o eterno Amor.”

    “Não tema seu último sopro, que, de fato, restitui-o ao seu sopro original.”

    “Eu venho beijar seu coração e sua fronte, animando o sopro do Verbo.”


    Teve um tempo que a ‘Porta do Templo’, estava escancarada...

    Agora, com Anael, o ‘Templo, está sem Porta’... E num sentir, de preenchimento ‘Sagrado’, que nada que refere-se ao mundo, tem ressonância... Formamos a ’Legião dos Guerreiros Pacíficos e Sorridentes’... Estamos tomados pela Paz, Amor, Entrega ... Como podemos resistir tanto esta doçura, ficarmos distanciados, desconfiados do Bem Amado? Impossível ... Nosso tempo ilusório acabou ...

    O Amor é tão consistente, que Ele, preenche o Templo e transborda pelo corpo físico, inundando cada célula...

    Fim das cinzas da inconsciência... Era da Luz, do Amor, da Eternidade

    ResponderExcluir
  4. "Eu venho Ressoar e Elevar, em vocês, a Chama de Vida, em curso na ação de Uriel e de Miguel, que passa o testemunho do antigo ao Novo.
    "Eu venho Atiçar, pela Tri-Unidade Arcangélica, o Sopro do Novo, o Fogo do Verdadeiro e a Água do Feminino, Sagrada entre todas... que lhes dá a ver sua Eternidade, que lhes dá a Viver com Intensidade, o Fogo do Espírito.

    "Eu venho dizer-lhes que tudo está consumado.
    "Eu venho Vivificar o Brilho e a Presença de sua Chama Eterna.
    "Meu Verbo diz a você: "Levante-se."
    Levante-se em sua Eternidade, Levante-se em sua Vida, que não depende, de modo algum, do que você crê ou do que você vive em sua pessoa.
    "Eu venho Celebrar com você, assim como Uriel e Miguel, o Sopro de Vida da Ressurreição.

    "Eu o convido à sua própria Liberdade, aquela da Alegria, aquela do Sem Forma como de Toda Forma.
    "Eu o convido à Celebração da Alegria e da Graça, que não termina jamais, e que jamais terá fim.
    "Eu o convido, enfim e sobretudo, tal como você é, a Celebrar Cristo; bem mais do que aquele da história, aquele que você É em sua Existência de Filho Ardente do Sol.

    "Revestido de seu Veículo de Eternidade, você Reencontra suas Faculdades, aquelas da Verdade, aquelas do Amor.
    "Nada mais espere desse mundo que desmorona.
    Espere tudo de si, do que você É, Revestido de suas Vestes de Luz, Revestido da Fé e da Alegria, Revestido da Certeza de sua Chama Eterna.
    "Aí está você, Ressuscitado no Amor e no Espírito.

    "Eu o convido a ser Forte, porque o Amor é Forte.
    Eu o reconvido, como Uriel, à Paz, porque o Amor é Paz.
    "Eu o convido a Escutar a Luz, o que quer que Ela lhe peça, e em toda circunstância. Não pode haver derrogação a um pedido da Inteligência da Vida e do Amor.

    "O tempo chegou do Amor Livre e Integral.
    Revele-o, ele está aí. Não, por momentos, não por alguns dias, mas a cada sopro, sem esforço. Para que cada um de vocês deixe sair o Canto da Alegria de sua Ressurreição na Eternidade.
    "Nada mais espere, porque aquele que espera põe uma distância, agora, entre ele e a Verdade.
    "Nossa Tri-Unidade Arcangélica Estabiliza, se você o deseja, o Amor Permanente e Verdadeiro, aí onde você está. ... Assim você Reencontra seu Coração Sagrado e sua Estrutura Perfeita."

    ResponderExcluir
  5. Eu o convido a ser Forte, porque o Amor é Forte.
    Eu o reconvido, como Uriel, à Paz, porque o Amor é Paz.
    "Eu o convido a Escutar a Luz, o que quer que Ela lhe peça, e em toda circunstância. Não pode haver derrogação a um pedido da Inteligência da Vida e do Amor.

    ResponderExcluir