Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

19 de mai de 2009

ANAEL – 19 de maio de 2009

DO SITE AUTRES DIMENSIONS

1ª PARTE

Questão: a que correspondem as sensações de expansão do cérebro direito?

A expansão sentida ao nível do cérebro direito corresponde a um dos pontos das chaves Metatrônicas.

Como vocês o constataram sobre o selo, e como Ram lhes deu para o coração, existem, ao nível do chacra coroa, seis pontos de ancoragem da vibração Metatrônica e da chave Metatrônica.

Dois desses pontos estão efetivamente situados na parte lateral de seu hemisfério direito, do mesmo modo que existem dois na face lateral do hemisfério esquerdo.

A ativação sentida sob forma de vibração, de pressão ou de expansão, em relação com o hemisfério direito do cérebro, corresponde à ativação de zonas precisas, de relacionamento com a Divindade.

Em particular ao nível do cérebro direito, há duas zonas, das quais uma que é conhecida, situada sobre uma região pré-rolândica, uma fissura precisa ao nível de sua constituição cerebral.

Outro desses pontos está situado na zona parieto-occipital, ele não é ainda reconhecido por sua ciência moderna.

São os dois pontos que permitem ativar, em vocês, dois dos pontos Metatrônicos.

Eles participam da ativação total, do mesmo modo que os seis pontos de acesso, à chave de seu coração.

Existem seis pontos de acesso à chave de seu coração.
Existem seis pontos de acesso ao coração de seu cérebro, que, eu os lembro, ao nível de seus chacras, é a imagem do chacra do coração.

As chaves Metatrônicas vão então permitir, quando os seis pontos estiverem ativados, realizar a fusão entre a cabeça e o coração, não ao nível do terceiro olho, mas ao nível do controle do tempo e do veículo ascensional, o que lhes permitirá efetuar, em toda consciência, de maneira lúcida e desperta, as translações de consciência entre seu corpo de 3ª densidade e seus outros envelopes sutis, mas também em seus corpos que existem e que preexistem em outras dimensões.

Isso significa que existe uma outra realidade, na qual vocês vivem, sem a perceber a consciência.

A liberação e a fusão da imagem do chacra do coração em seu chacra coroa lhes permite, a partir do momento em que isso constitui o que eu chamei o canal do éter, pela agregação de partículas adamantinas, tomar consciência de sua realidade em outras dimensões, no mesmo tempo em que vocês vivem, nesse momento, na 3ª dimensão.

Sua consciência vai se tornar capaz de viajar, devido a esta configuração ligada ao que vocês chamam Merkabah, em suas outras realidades.

Essas realidades podem ser em números múltiplos, obviamente.
Elas são dependentes ao mesmo tempo de sua Fonte, ao mesmo tempo de seu caminho e ao mesmo tempo de sua capacidade, é claro, para ali aceder.

A ativação desses pontos vai se completar progressivamente e à medida dos dias, para realizar a ativação dos seis pontos, permitindo-lhes então engajarem-se, com lucidez, por seus próprios desejos, nos caminhos da ascensão.

Questão: essa vivência em outras dimensões se faz através dos sonhos?

Inicialmente pode ser uma abordagem da realidade no momento, não de um sonho, tal como vocês o concebem, mas, efetivamente, durante suas noites porque, naquele momento, o mental, a que vocês chamam inferior não pode controlar o processo de sua própria consciência revelando-se a vocês.

Portanto, bem certamente, esses processos ocorrerão de maneira privilegiada durante suas noites, mas não se trata de sonhos, no sentido comum.
Quer dizer que não se trata de projeções, de seus medos, de seus conflitos não resolvidos ou de quaisquer outras projeções, mas, efetivamente, de uma realidade vivida por sua consciência pura, liberada de seu mental.

Essa é uma primeira fase do aprendizado de seus veículos multidimensionais.

Não se esqueçam que todas as tradições, e em particular a tradição oriental, sempre lhes disseram que vocês viviam num mundo da ilusão e que vários Mestres, Sábios, Despertos, que tiveram acesso a esses mundos multidimensionais, reforçaram-nos na convicção e na compreensão que o que vocês vivem era uma ilusão.

Mas, entretanto, se vocês são parte integrante desta ilusão, vocês vivem esta ilusão como, necessariamente, a única realidade, mas isso não é a única realidade, mesmo no instante em que eu lhes falo.

Vocês são, realmente, agora e já, seres multidimensionais.

A visão mecânica que consistia em compreender que vocês deixam um ponto para aceder a outro é uma visão dual.

A visão unitária consiste em conceber e viver, quando isso for possível, a realidade de seus veículos multidimensionais.

Esta abordagem é realizada, num primeiro tempo, no estado de noite ou de sono, mas, entretanto, eu confirmo, isso absolutamente não é um sonho.
É sua própria realidade multidimensional, à qual vocês não tinham acesso anteriormente, que se manifesta a vocês.

Nesse sentido, quando vocês penetrarem, de maneira mais direta e mais consciente, esses veículos multidimensionais, vocês poderão, efetivamente, compreender a ilusão do tempo que vocês vivem.
Compreende-lo é uma compreensão que está bem além da ferramenta lógica e racional de seu cérebro.

É nesse sentido que lhes será extremamente difícil comunicarem-se sobre esta experiência pelas palavras, porque ela está, obviamente, bem além das palavras e dos conceitos habituais da vida em sua ilusão.

Questão: Ram disse para irradiar sobre um assunto, após ter realizado a abertura de nosso Templo Interior. Considerar assim um assunto exterior não coloca na dualidade?

Enquanto vocês concebem o coração e a irradiação do coração como separados é efetivamente uma dualidade.

Passar da ignição do coração para a irradiação do coração deve participar da mesma Unidade, da mesma realidade.

Enquanto vocês concebem a irradiação do coração como distinta de seu coração, não é de modo algum a irradiação do coração.

A irradiação do coração é uma vibração que se instala a partir do momento em que vocês vão liberar algumas chaves que lhes foram comunicadas.

Entretanto, e graças ao trabalho realizado pela efusão e a pressão da radiação do ultravioleta que iniciamos atualmente sobre a Terra, tornou-se muito mais fácil a vocês estarem ao mesmo tempo em sua irradiação e na própria radiação de sua irradiação.
Isso participa do desaparecimento de seu sentimento de estarem isolados em sua realidade e participarem, já, à multidimensionalidade mesmo nesta dimensão.

Isso participa da expansão máxima de sua consciência, sendo capaz de apreender, não mais pelo intelecto, não mais pelo poder, mas unicamente pela radiação, a totalidade dos outros seres, mas também de todas as formas de vidas existentes, ao nível deste planeta e nesta ilusão.

Assim, sua consciência torna-se capaz, pela irradiação de seu coração e unicamente pela irradiação do coração, unificada com seu estado de ser, de conhecer, no sentido o mais nobre do termo, sem passar pelo mental, todas as consciências que estão em relação com sua própria consciência.

Isso lhes dá acesso, na condição de que vocês permaneçam na humildade e na simplicidade, ao conhecimento íntimo do outro.

O mais duro, naquele nível, sendo, obviamente, quando de seu aprendizado, ali se manterem porque, obviamente, assim que uma informação lhes chega à consciência, da intimidade do outro, seja quem for esse outro, aí, o mental vai tentar, uma vez que vocês estão ainda na dualidade, fora desses espaços privilegiados, apropriar-se desta forma de conhecimento para utilizá-la ao próprio serviço dele.

Obviamente, o aprendizado, aqui, corresponde ao que eu chamei o não julgamento ou, se preferem, não interferência, quaisquer que sejam os elementos que são percebidos, vistos, ouvidos ou compreendidos.
O aprendizado situando-se nesse nível.

Questão: pode-se considerar, pouco a pouco, que nosso coração se tornará, guardadas todas as proporções, um pequeno sol?

O coração, a Essência de seu ser é destinado, devido à origem e devido à sua Fonte, a se tornar, um dia, um verdadeiro sol, tal como aquele que vocês observam no céu.

Assim, as palavras do Cristo, assim as palavras apresentadas no Antigo Testamento dizem que vocês são construídos à imagem de Deus, e, portanto, da Fonte, é pura realidade.

Entretanto, convém perceber isso em verdade e não unicamente em espírito.
Entretanto, lembrem-se que, mesmo a forma deve ser destruída.
O sol é ainda uma forma.
Existem mundos para além da forma.

Questão: a irradiação está para além da forma?

A irradiação segue uma forma.
A irradiação manifesta-se, em sua dimensão, pela tomada de forma.
Esta tomada de forma é dependente das condições desta dimensão.

Do mesmo modo, a irradiação da Fonte se percebe em alguns momentos a que vocês chamaram ciclos zodiacais ou ciclos siderais.

Entretanto, a irradiação é onipresente.

Somente o olhar lançado, colocado sobre a irradiação, o faz aparecer como distante ou presente.
A irradiação participa, portanto, da forma em sua dimensão.

Existem dimensões em que a forma não é mais.
A irradiação torna-se, então, a própria Essência da forma, mas não é, no entanto, a forma.

Assim é Metatron.

Não temos mais perguntas. Agradecemos.

Grato a vocês.


2ª PARTE:

Eu lhes transmito todas as minhas homenagens e saudações.

Bem-vindos na Essência da nova vibração.

Com relação a Metatron, eu tenho a esclarecer certo número de coisas.
Metatron, como ele lhes disse, dirige o tempo.
O tempo em que pode se manifestar, de maneira preferencial, o Arcanjo Metatron, à sua consciência, é necessariamente o fenômeno em que a obscuridade reina.

Metatron é a emergência da Luz no coração e no pensamento do Pai.

Como vocês sabem, a vibração e a radiação da pressão do ultravioleta, insulada e efusionada pelo Arcanjo Miguel, quando de nosso Conclave, corresponde à ativação, em vocês, de suas próprias partículas de Divindade, também chamadas partículas adamantinas.
h
As partículas adamantinas estão também presentes nos oniuniversos.

Sua Terra era desprovida da manifestação prânica etérea e nas manifestações ditas supramentais.
A efusão da energia do ultravioleta permitiu a entrada em manifestação das partículas adamantinas, chamadas também, em outras tradições, Agni Deva.

A particularidade desses Agni Deva é, sob a influência conjunta do Conclave, permitir a essas partículas elementares aglomerarem-se em suas estruturas densas e sutis a fim de constituírem, durante o tempo da presença do Arcanjo Miguel, se tal é seu desejo, o que se convencionou chamar o canal do éter.

O canal do éter é uma camada associada ao canal mediano de sua coluna vertebral, chamado, em inúmeras tradições, o Sushumna.

A integração de partículas adamantinas nesse canal mediano é, de algum modo, e para empregar uma palavra correspondente à sua linguagem, o reator que permitirá, no momento vindo, desencadear o fenômeno a que vocês chamam ascensão e que nós preferimos, de nosso lado, chamar translação.

Esta translação está em relação direta, de um lado, com a constituição desse canal do éter e, em seguida, pela disposição tornada possível pelas forças Metatrônicas (que são as forças criadoras primordiais da Luz e a disposição da Luz, assim como lhes foi dito) a fim de permitir ao seu veículo rudimentar (ou sutil, conforme o caso) participar desse fenômeno de translação e tornar possível esse fenômeno de translação.

O fenômeno de translação é um processo que está diretamente ligado à constituição desse canal do éter e, obviamente, à ignição de certo número de chaves que levam a acender o que eu chamei de lâmpadas, as sete lâmpadas, ou seja, seus sete chacras.

É importante compreender que esse trabalho é um trabalho real da Luz e da organização da Luz.
Ele se tornou possível pelas chaves Arcangélicas, mas também, obviamente, pelo trabalho que vocês aceitam fazer, vocês mesmos, para irem para sua Divindade.

Eu recordo que o elemento o mais fundamental, assim como eu lhes dei quando de minha advertência, é o princípio essencial de não julgamento e de não intromissão de sua consciência na consciência do outro.

É através desse princípio de não julgamento que se encontra a chave a mais fundamental e a mais essencial ao processo de ascensão.

Isso será vivido, por aqueles de vocês que não o viveram ainda, no momento em que vocês acenderem realmente a vibração de eu coração.

Ter ou não o coração na mão não é ter a vibração do coração.
A vibração do coração é uma realidade da consciência, uma realidade da disposição da Luz, uma realidade da constituição do canal do éter que ali é ligado pelo princípio da Cruz, ou seja, a parte vertical correspondendo ao canal do éter ou à nova camada associada ao Sushumna.

Vocês têm a possibilidade de realizar a fusão da horizontalidade com a verticalidade acendendo o estágio dito de irradiação Divina, tornado possível devido à ativação, em vocês, da energia Serafínica, em outros termos, do fogo solar.

Vocês devem realizar essas etapas da Cruz, necessariamente, antes dos fenômenos de natureza elementar, e, sobretudo, solar, devendo ocorrer no momento da ascensão definitiva.

A partir de hoje, e já desde alguns dias, algumas semanas mesmo (aparentemente desde a data de 25 de março e, sobretudo, desde a data de 7 de maio), certo número de veículos constituíram esse corpo dito de Luz inteiramente e, portanto, foram capazes, obrigatoriamente, de ascensionar e se transladar com seu corpo ou sem seu corpo no mundo da quinta dimensão, inteiramente.

Vocês estão, atualmente, a cavalo entre dois mundos, como o disseram algumas entidades.
Entretanto, estar a cavalo entre dois mundos necessita tomar consciência, imperativa e rapidamente, de sua própria dualidade de comportamento, em algumas ocasiões.

Isso não é um julgamento, nem uma condenação.

Os elementos que vocês vão reencontrar, através das pessoas que lhes serão colocadas no caminho, vão lhes permitir compreender e aceitar algumas coisas distorcidas que podem existir mesmo na constituição de seu corpo de Luz.

Assim como o Cristo disse: “Pai, perdoa-os, eles não sabem o que fazem”.

Aquele que se permitisse julgar um comportamento inadequado estaria, ele também, na inadequação.

Convém, antes de tudo, engajar um processo de confiança quanto à ausência de julgamento.

A Luz, lembrem-se (e esse será, sobretudo o papel do Arcanjo Jofiel demonstrar-lhes), é hoje inteligente, inteligente no sentido o mais nobre.
Quer dizer, jamais a Luz poderá ir contra a Luz.
É tão simples assim.

É-lhes, portanto, solicitado, além da confiança na Luz, o fenômeno de abandono à Luz.

É através desse processo de abandono à Luz que vocês realizarão, primeiramente, certo número de erros inerentes à sua posição interior entre dois mundos.

Isso concerne a alguns traços de caráter ou de comportamentos ou alguns modos de funcionamento ligados aos esquemas prescritos que vocês transportam, de geração em geração.

São esses esquemas que vocês não percebem na totalidade.
Entretanto, estejam certos de que aqueles a quem vocês se dirigem percebem isso em vocês e, entretanto, eles não podem lhes dizer ou lhes afirmá-lo porque eles se colocariam, eles mesmos, no desequilíbrio e, portanto, na dualidade com relação ao que eles observaram.

Convém, naquele momento, que vocês estejam na posição daquele que vê ou daquele que é visto em seu defeito, confirmar seu abandono à Luz e deixar a Luz trabalhar em vocês, a fim de lhes revelar o que deve ser revelado, a fim de lhes permitir irem para o caminho da constituição desta cruz gloriosa em sua interioridade, ou seja, juntar-se ao caminho do Cristo.
Não há outra coisa a fazer além disso.

O resto são apenas construções mentais, jogos ligados à ilusão da 3D dos quais vocês participam ainda, agora, com relação a esse processo.

Antes de ir mais adiante na apresentação do Arcanjo Jofiel, gostaria de saber se vocês têm coisa a dizer, em sua língua.
Essas coisas a dizer podem tanto se referir aos questionamentos, mas, também, como dizer..., à ocasião de lhes permitir descarregarem-se de algumas coisas em consciência e em verdade.

Não se esqueçam de que o que vocês desejam esconder nos é profundamente visível e, em alguns casos, profundamente desagradável.

Entretanto, nós obedecemos ao princípio que eu acabo de enunciar, portanto, nós não apontaremos jamais o dedo, nós não acusaremos jamais, nós esperamos simplesmente que a vontade da Luz se manifeste, inteiramente, na integralidade, em seu ser interior.

Questão: como perceber os antigos esquemas para poder remediar isso?

É, no entanto simples aceitar e realizar o abandono à Luz.

Isso passa por uma primeira etapa que é, eu diria, uma espécie de confiança, mas também de fé na Luz.

A partir do momento em que você dá esse primeiro passo, você constatará, de maneira rápida, ou brutal, em alguns casos, que a Luz é verdadeiramente o elemento curador e o único capaz de transcender alguns de seus limites, impostos por você mesmo quando de sua educação ou, também, pelo que vocês chamam as diferentes linhagens.

Não se esqueça de que você passa (e isso foi repetido em várias vezes) de um governo humano para um governo espiritual, de um tempo humano para um tempo espiritual.
Isso se traduzirá, necessariamente, por uma transparência que deverá ser manifestada, conscientizada, concretizada, ao nível de sua vida encarnada, antes de passar, real e totalmente, na nova dimensão, se tal é sua possibilidade e se tal é seu anseio (e não desejo).

Entretanto, não é nada que não possa ser transcendido pela Luz.
Não é nada que não possa ser colocado na Luz pela Luz.

Lembre-se de que é você, e unicamente você, quaisquer que sejam os níveis de consciência que nós os fazemos experimentar e viver, que pode desencadear o processo de aceitação total da Luz.

O ser humano de boa vontade que avança para a Luz e que compreendeu os mecanismos de Luz, estaria ainda num plano puramente emocional ou mental, vai tudo fazer para suprimir o que é evidente, o que é flagrante.

Entretanto, do exterior, aqueles que já engrenaram de maneira um pouco mais avançada, eu diria, o caminho de retorno para a Unidade, veem nos outros certo número de defeitos.
Mas eles não podem apontar o dedo, ou falar desse defeito, senão, vocês compreenderam, eles se colocariam, eles mesmos, na dualidade e, portanto, voltariam a descer, eu diria, de um estágio bastante importante.

É preciso efetivamente compreender que vocês passam de linhagens humanas às linhagens espirituais.

Vocês não podem manter as linhagens humanas e pretender participar das linhagens espirituais.
Isso significa que vocês devem eliminar toda noção de filiação humana.

Enquanto vocês permanecerem sob a influência da filiação humana, vocês não poderão participar à filiação espiritual.

Do mesmo modo, os esquemas de funcionamento, ancorados em você e invisíveis aos seus olhos e à sua consciência, para você mesmo, mas visível do exterior (mas, no entanto, não podendo ser mostrado por aqueles que os veem em vocês, sob pena de dualismo), obviamente, necessitam um abandono ainda maior à Luz.

A Luz, a partir do momento em que você aceita seu trabalho no interior de você, agirá realmente, profundamente, para apagar essas zonas de sombra.
Mas, em particular, as filiações humanas (ou seja, tudo o que concerne às relações afetivas, familiares, genéticas, transgeracionais e ligadas aos apegos) devem desaparecer e cessar, de maneira irrevogável.

Vocês não podem pretender manter um nível de consciência elevado e continuar a manter os esquemas vindos do que se chama a 3ª dimensão que foi necessária durante um tempo suficientemente longo.

Hoje, aí está o que importa, não talvez a compreender, mas, ao menos, a terem escutado, para lhes permitir, a uns e outros, passarem desta filiação humana à filiação espiritual.
Isso não querendo dizer, obviamente, que é preciso rejeitar aqueles a quem vocês chamam seus parentes ou suas relações afetivas, mas, ao contrário, transcendê-los para vê-los com um olhar novo, aquele que restitui a liberdade ao outro e que não o sujeita ao próprio modo de pensamento de vocês ou a um modo de pensamento ligado a uma linhagem humana, qualquer que seja.

Isso é válido para as correntes espirituais do passado.

Vocês se tornam seres capazes de lucidez e convém encarar tanto os princípios eminentemente importantes, como o princípio Crístico ou o princípio Budista com um olhar novo, despojado totalmente de qualquer noção de filiação a uma Ordem ou a uma religião.
Não pode ser de outro modo.

Vocês viveram sob a influência de certo números de raios que foram necessários, durante fases precisas de sua evolução, mas não se esqueçam de que o Pai é transformação, de que a Luz é transformação.

Nos multiuniversos vocês não podem, portanto, pertencer a um modo de funcionamento passado e pretender aceder a um modo de funcionamento novo.
Tudo o que vocês vivem hoje é novo.
Tudo o que vocês vivem hoje é uma página nova.
Tudo o que vocês vivem hoje é uma nova etapa de seu crescimento e de sua vida.

Trata-se de uma revelação do que vocês são.

Vocês não podem manter o que, no entanto, foi necessário, e muito útil, e recomendável, nos tempos pertencentes ao passado desta 3ª dimensão e acederem, ao mesmo tempo, à 5ª dimensão.

Vocês devem, como lhes foi dito em outros lugares e em outras circunstâncias, lavar suas vestes, a fim de se cobrirem com seu corpo de Luz.
Esse não pode ser constituído com os esquemas antigos, preconceitos antigos e apegos que vocês mantêm de maneira artificial.

Questão: você disse: “tudo o que vocês vivem hoje é novo”. Deve-se aplicar isso ao conjunto dos dias novos que se apresentarão a nós?

Sim.
A partir do momento em que vocês começam a se abandonar à Luz (qualquer que seja o estágio deste abandono, que ele seja total ou incompleto) vocês observarão certo número de mecanismos colocando-se no trabalho para lhes “facilitar”, a tarefa e a alegria.

Isso é uma bênção.
Vocês estão lúcidos, vocês são seres conscientes, independentemente mesmo da Luz e independentemente de sua posição a cavalo entre duas dimensões.

Vocês devem compreender que progressivamente e à medida que vocês aceitam o abandono à Luz, progressivamente manifestar-se-á a vocês a nova filiação, as novas sincronias, os novos significados e os novos reencontros e as novas energias.

Mas é um momento em que é preciso saber soltar.

Questão: toda intenção exterior é então excluída?

A intenção, se é manifestada pela Luz, é estrita verdade.
Se ela é manifestada por qualquer vontade, inconsciente ou consciente, de manipulação, vocês se aperceberão muito rapidamente que esta intenção não é da ordem da Luz.

Seu aprendizado será extremamente rápido para permitir diferenciar a intenção da Luz e a intenção do ego, em vocês, através dos resultados das sincronias e da fluidez que se instaurarão na ocasião desta experimentação.

Ainda uma vez, compreendam efetivamente que não é questão nem de julgar, nem de condenar, mas de experimentar o que participa do que eu chamaria a intenção vinda da Luz e a intenção vinda do ego.
Os frutos não serão absolutamente os mesmos e, disso, vocês tomarão consciência, eu diria, como o nariz no meio de sua cara.

Questão: pode-se considerar que tudo é novo em todo momento?

Nem tudo é novo e há regras, mas as regras são feitas para serem transcendidas a outro nível.
Portanto, a novidade corresponde, de fato, ao aprendizado que vocês fazem, mas, entretanto, este aprendizado se faz nas estruturas antigas que devem ser modificadas, transformadas, e, algumas, efetivamente abandonadas.

Assim como eu exprimi, muitas coisas, efetivamente, são novas.
Muitas coisas novas chegam à sua consciência, mas vocês devem levar um olhar lúcido sobre as manifestações que ocorrem no desvio de um determinado comportamento.

É através do que vocês observarem, no exterior, com relação a vocês mesmos, que vocês saberão, de maneira inabalável, se vocês estão na precisão da Unidade ou ainda na inexatidão da dualidade.

Entretanto, sem condenar nem o exterior nem você mesmo, mas simplesmente fazendo a experiência, há casos em que a experiência desagradável pode se repetir.
Isso implica, naquele momento, outra virtude da Luz, que é a paciência.

Questão: é então o abandono à Luz que nos permite ter uma neutralidade como expectador no que diz respeito ao exterior e ao interior?

É mais do que a neutralidade.
A neutralidade pode ser uma saída com relação a uma falta de responsabilidade.

A palavra mestre é verdadeiramente o abandono à Luz.

Entretanto, o importante é compreender que vocês jogam o jogo do aprendizado.
O jogo do aprendizado necessita compreender, com seu coração, e também com seu intelecto mais sublimado, como se arranjam as peças do quebra-cabeça e ver o momento em que o quebra-cabeça não está montado de modo correto.
Ver quer dizer, novamente, desconstruir e reconstruir de outro modo, mas não é acusando o exterior de seu erro de construção que vocês desconstruirão o que vocês têm que desconstruir em vocês mesmos.

Assim, nada vem do exterior, mas, efetivamente, de seu interior.

O que se manifesta a vocês, no período de efusão de radiação do ultravioleta, são necessariamente mecanismos de sincronia que são colocados em seu caminho a fim de lhes permitir irem para mais desconstrução e mais reconstrução nova.

Mas vocês devem aceitar, a partir do momento em que viram, a etapa a desconstruir e realmente a desconstruir, mesmo se isso provoca a repetição de uma construção anormal.
Vocês têm certo tempo, e certa presença pela orientação da Luz, que lhes permite realizar isso.

Questão: o abandono à Luz faz-me sentir uma grande alegria, mas, ao mesmo tempo, um medo que reforça a dúvida e o controle.

Sua pergunta junta-se, efetivamente, à própria natureza do não abandono total à Luz.

De onde vem esta oposição?
Ela vem do jogo de seu mental.

Não é um jogo emocional, é um jogo de sua estrutura mental que funciona de acordo com o modo da razão.
A razão funciona sempre no modo dualista, porque, para uma escolha, haverá sempre duas soluções, mas a noção de coloração e de escolha oporá sempre a noção de prazer ao desprazer.

Portanto, se vocês permanecem sob a influência desta noção, vocês persistem nos esquemas de funcionamento ligados à dualidade.

A Unidade não conhece nem prazer nem desprazer.
A Unidade não conhece a noção de utilidade ou de inutilidade.
A noção de agradável ou desagradável.
A Unidade é tudo.

Simplesmente, isso corresponde ao que lhes estabeleceu, ao nível vibratório, o Arcanjo Metatron, ontem à noite.

O famoso Eu Sou.

Estando no Eu Sou, pronunciado, em hebraico, Heieh, o Heieh permite apagar a dualidade.
Isso participa do abandono à Luz.

O que faz com que, pelo momento, vocês tenham a impressão de não se abandonarem à Luz?
É, obviamente, o que vocês chamam o pequeno eu, seu ego, que recusa entrar no Si-Unidade.

Vocês viveram, quando das primeiras efusões da radiação do ultravioleta que nós emitimos para vocês, a capacidade de realizar, ao nível de seu Manipura chacra, o Si-Unidade.

Eu os remeto às palavras que foram pronunciadas naquela ocasião pelo Arcanjo Miguel, porque elas lhes darão todos os esclarecimentos, a fim de realizar, antes de penetrar a etapa da Unidade ao nível do coração, o Si-Unidade ao próprio nível de seu ego.

Questão: que significa esta alegria interior espontânea, sem motivo exterior?

Não há necessidade de explicação com relação à alegria interior.

A alegria interior participa do Eu Sou.
Ela é a alegria da Presença reencontrada, a alegria da irradiação da Unidade reencontrada.

Ela não tem necessidade de significado outro além do que ela é mesmo.

Querer colocar palavras e encontrar uma explicação com relação à alegria da Unidade, ao que vocês chamam o Samadhi, os faz instantaneamente sair do Samadhi, porque não se trata de modo algum do mesmo nível de referencial.

Vocês não têm que colocar palavras no Eu Sou.
O Eu Sou é um estado que se vive.
Sendo um estado que se vive, ele se basta por si, por sua conexão à Fonte.
Não há significado, não há significação, além do ser o Eu Sou.

Questão: a experimentação não arrisca nos queimar as asas?

O fogo espiritual nada tem a ver com o fogo material.

O abandono e o medo de se queimar, ou o medo de se enganar, faz parte do jogo de seu mental.

Colocar esta questão significa que permanentemente vocês estão na noção de controle entre a noção de prazer / desprazer, de eficácia / ineficácia, ou ainda de bem e de mal.

Não pode haver mal na Luz.
A visão do mal é uma visão que eu qualificaria de maniqueísta, que foi necessária devido à experimentação que vocês escolheram e decidiram desde certo numero de ciclos, para alguns.

Entretanto, convém compreender que, a um dado momento, o modo de conduta de sua vida é diferente.
Isso pode corresponder, se gostam de imagens, a passar da bicicleta ao automóvel.

Vocês não têm mais necessidade de pedalar quando vocês estão num automóvel, se não estão num automóvel a pedais, o que concerne a uma idade específica de suas vidas.
É como se vocês estivessem num automóvel potente e vocês procurassem ainda os pedais.

Questão: como educar o melhor possível os filhos sem estar num jogo de poder?

Se você estivesse suficientemente na realidade da Luz na 5ª dimensão (o que não é ainda o caso, obviamente), você poderia, simplesmente por sua irradiação, sem poder, sem outra orientação além daquela da Luz, educar e criar seus filhos.

Para aqueles de vocês que são pais, qualquer que seja a idade dos referidos filhos (que não são seus filhos, eu os lembro), antes de tudo, cultivar sua Luz, cultivar seu abandono, e vocês constatarão que as coisas acontecerão de maneira muito mais fluida.

Eu não quero dizer com isso que elas acontecerão de maneira conforme a suas expectativas, com relação aos comportamentos dos filhos que seriam inadequados, porque eles participam também, mesmo se estão, já, antes de certa idade, na Luz, a formas matriciais induzidas, obviamente, por sua sociedade, que tende a afastá-los da Luz autêntica.

Mas se você mesmo volta a se tornar esta Luz e esse farol, bem, eles irão para onde houver a Luz, espontaneamente.
Mas isso necessita fazer um trabalho de abandono importante de você mesmo.

Você não pode exigir dos filhos que eles se comportem segundo suas regras, se você mesmo não se comporta de acordo com o que você quer, ou seja, as regras da Luz.

Você não pode pretender, em outros termos, o abandono de seus filhos à sua vontade, se você mesmo não está abandonado à vontade da Luz.

Se você não está abandonado à vontade da Luz, isso significa que resta em você, assim como eu o exprimi, certo número de oposições ou, se prefere, zonas de Sombra.

Como você quer, nessas condições, que seus filhos sigam a Luz, uma vez que você mesmo manifesta a Sombra, qualquer que seja a idade desses filhos?

Questão: o afastamento do cônjuge é uma consequência de uma dissonância das vibrações ou de uma falta de abandono à Luz?

Há situações ligadas às pessoas, ligadas aos apegos, ligadas aos lugares de vida, ligadas aos comportamentos, que se afastam necessariamente de vocês porque vocês não participam do mesmo plano vibratório e do mesmo plano evolutivo.

Entretanto, seria um erro fundamental querer fazer participar, a todo custo, o cônjuge, ou uma relação afetiva, ou uma relação filho / pai, de sua própria evolução.

Você prejudicaria, com isso, a própria evolução da alma que vocês querem, assim dizendo, proteger ou elevar.

Essa é também uma forma de manipulação.

Vocês devem, portanto, aceitar, entregando-se à Luz, que alguns caminhos (que foram, em alguns momentos, apaixonantes, enriquecedores) possam, aí também, morrer.

Vocês devem efetivamente morrer para certo número de apegos, que eles sejam ligados a lugares, a comportamentos, a associações, a funções.

Mesmo tudo isso foram apenas jogos que lhes permitiram aceder ao momento que você vive.

Entretanto, é preciso aceitar fazer o que eu chamaria os lutos.

O que é permitido pela noção de luto é ser capaz de se desapegar.

Não se esqueça jamais que o abandono à Luz se acompanha de uma fluidez, de uma sincronia e de uma aplicação da alegria.
Todo acontecimento, ou toda circunstância que ocorre em suas vidas provocando uma perda da alegria, necessita uma compreensão maior de sua parte, como do evento que desencadeou isso.

A partir do momento em que você estiver totalmente abandonado à Luz, tudo se produzirá de maneira simples.

O Amor é simples.
A Luz é simples.
A vontade do Pai é simples.
Ela pode ser um grande rigor, como você a experimentou com a energia Metatrônica e a consciência do Arcanjo Metatron, mas, entretanto, ela segue o que se chama a linha de menor resistência.
Isso é, hoje, verdadeiro.

Isso não era talvez verdadeiro segundo os modos de funcionamento da 3D, mas, indo para outra dimensão, para uma translação dimensional em outro espaço e em outro tempo e, por vezes, em outro corpo, você deve aceitar as regras do jogo da mudança.
Daí decorrerão coisas muito mais simples em suas vidas.

Nós compreendemos que, devido ao dualismo em suas estruturas cerebrais e vibratórias, vocês possam estar, em alguns casos, em oposição ou em conflito com relação a algo que vocês não compreendem.

É-lhes solicitado, naquele momento, rever sua cópia e não voltar a funcionar como antes, qualquer que seja a ferida, qualquer que seja o sofrimento, qualquer que seja a irritação que isso gera em vocês.

Há, naquele nível, a oportunidade de rever sua cópia, em todos os sentidos do termo, a fim de reconstruir o que deve ser novamente desconstruído.

A fase de desconstrução que vive seu planeta, e de reconstrução, se faz não em uma etapa (isso não quer dizer, quando tudo está desconstruído, que algo reconstruído é perfeito, obviamente), pode haver um conjunto e uma sucessão de desconstruções permitindo reconstruções, eu diria, incompletas, a fim de conduzir à construção a mais de acordo e autêntica com a Luz.

Questão: o único apego autorizado é o apego à Luz?

Crer que o apego à Luz não é um apego seria um erro.

O abandono à Luz não é um apego à Luz.
Abandonar-se não é se ligar.
Abandonar-se não é se apegar.
Abandonar-se é ser.

Questão: qual é o significado ou o impacto do que foi infusionado ontem por Metatron?

Metatron infusiona, em vocês, as novas formas, os novos paradigmas ligados à translação dimensional.

Entretanto, ele não pode permitir, sozinho, a emergência desta nova consciência.
Isso é realizado, inteiramente e na finalidade, pelo último Arcanjo que intervirá, que é aquele ligado à noção da reversão.

Assim, portanto, eu voltarei nesta noção de reversão antes da intervenção e da concretização do Arcanjo Uriel, como chave de suas lâmpadas, naquele momento.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

____________________
Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

Um comentário:

  1. Eu recordo que o elemento o mais fundamental, assim como eu lhes dei quando de minha advertência, é o princípio essencial de não julgamento e de não intromissão de sua consciência na consciência do outro.

    Aquele que se permitisse julgar um comportamento inadequado estaria, ele também, na inadequação.

    Vocês não podem manter as linhagens humanas e pretender participar das linhagens espirituais. Isso significa que vocês devem eliminar toda noção de filiação humana.

    Nos multiuniversos vocês não podem, portanto, pertencer a um modo de funcionamento passado e pretender aceder a um modo de funcionamento novo.

    Você não pode exigir dos filhos que eles se comportem segundo suas regras, se você mesmo não se comporta de acordo com o que você quer, ou seja, as regras da Luz.

    O abandono à Luz não é um apego à Luz. Abandonar-se não é se ligar. Abandonar-se não é se apegar. Abandonar-se é ser.

    ResponderExcluir