Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

21 de set de 2010

O.M. AÏVANHOV – 21 de setembro de 2010

DO SITE AUTRES DIMENSIONS

 E bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los.

Eu lhes transmito todo meu Amor.

Então, venho para ouvir o que vocês têm a dizer e a me perguntar.

Questão: qual é a origem do medo do invisível que eu sinto e como superá-lo? 

Então, aí, caro amigo, a origem, a nada serve, é do mental, não é?
O importante é superar o que parece paralisá-lo, para estabelecer um contato, como dizer..., transdimensional.

Aliás, eu constato que você não tem medo de mim, quando estou aí, não é?
É já um primeiro ponto.

Então, como fazer para superar o medo do que não se vê e que, no entanto, se pode perceber, não é?
Isso remete, de maneira importante, ao medo, como dizer..., de ser penetrado, no sentido espiritual do termo, porque vocês têm todos a noção de sua individualidade, na personalidade, não é?

Vocês têm sempre um funcionamento e, sobretudo junto aos terapeutas, do que é interior e do que é exterior.
Esta separação, certamente apenas existe nesta Dimensão na qual vocês vivem.

Quando vocês estão lá em cima, fora ou dentro, é a mesma coisa.
Quando vocês penetram as esferas da Existência, vocês são totalmente transparentes, quer dizer que, o que quer que vocês encontrem, como sistema solar, como Consciência, como Vibração, a Vibração vai atravessá-los, vocês se tornam penetráveis, enquanto que a personalidade, por definição, é impenetrável.

E, para muitos de vocês, existe certo medo da penetração.

Deixar sua pessoa, deixar a personalidade para uma outra Presença, para outra Consciência, dá terrível medo e, sobretudo, se você passou seu tempo a discriminar o que é bem, o que é mal, o que pode entrar, não pode entrar, com a alimentação, com as companhias, com a sexualidade, com a afetividade.

Tudo o que pode penetrá-los, literalmente, sem perigo e o que os penetram e desencadearia estragos.

Isso, são as Crenças, é o modo de vida da personalidade.
É o que há a superar, porque na esfera das Vibrações, dos contatos com o invisível, há necessariamente este medo, que é, por vezes, fundamentalmente ancorado, desde seu nascimento, nesta Dimensão.

E é o caso para todo o mundo.
O medo desta penetração é o único freio que existe junto a absolutamente todo o mundo, sem isso, vocês estariam todos canalizando o que eu lhes digo, não é?

Então, é um problema que excede amplamente sua problemática para você, eis que é universal, esta problemática.

É o medo do desconhecido, o medo do invisível.
E, no entanto, você não tem medo, como dizer..., do que se chamam de ondas de rádio e, no entanto, há por toda parte.
É como as ondas dos portáteis.

A única diferença é que, quando uma Consciência, Vibratoriamente, entra em interação com você, há interação, diretamente, sobre a Vibração e sobre a Consciência.
O que não é o caso, de maneira perceptível, para as ondas de telefone, as ondas elétricas etc.etc..

Esses têm desgastes sobre o corpo que, eles, são diferentemente mais graves do que entrar em contato com seres invisíveis, que eles venham de outros lugares do astral, da Luz, da Fonte, de outras Dimensões.
É exatamente o mesmo princípio.

Portanto, o medo, ele não é o medo do Diabo ou das Energias ditas negativas, é o medo da penetração e é o mesmo para todo o mundo, porque tanto os habituaram a discriminar o bem e o mal.
Mas o bem e o mal, mesmo ao nível alimentar, ao nível de suas relações, há o que é bom para vocês e há o que é mau para vocês.

E vocês projetaram, consciente ou inconscientemente, estritamente a mesma coisa ao nível dos mundos invisíveis.
É por isso que, atualmente, muitos seres se desconfiam de saber se o que chega em um Canal ou o que chega a você é bom ou mau.

É o primeiro reflexo, mas vocês devem transcender este medo, porque o medo, não somente não evita o perito, isso, vocês sabem, mas o medo bloqueia instantaneamente qualquer contato.

E o medo, ele vem de onde?
É claro, como sempre, do mental.

Portanto, vocês devem se re-apropriar desta capacidade Vibratória para entrar em contato com o desconhecido.
Sem isso, como vocês farão quando o corpo de Existência se apresentar a vocês, para aqueles que não o conhecem ainda?

Vocês saberão que é você, todos, sem exceção, sobre este planeta, durante a advertência.
Mas esse dia da advertência, se sua Vibração de medo é mais forte do que a Vibração da Luz, você não poderá penetrar esta Existência.

Portanto, há realmente um aprendizado de erradicação deste medo.

Ora, como isso vem do mental, não é o mental que vai ajudá-lo a suprimi-lo, bem ao contrário.

E aí eu os remeto ao ensinamento magistral do Arcanjo Anael sobre o princípio de abandono à Luz.
É exatamente a mesma coisa.

Lembre-se, a Luz Vibral não é aquela que vocês vêem quando fecham os olhos.
O mais frequente, é da luz astral, projetada.

A verdadeira Luz, ela é Vibração.
Esta, vocês a captam, muitos de vocês, na Coroa ou sobre o Sacrum ou sobre o Coração, mas porque vocês estão aclimatados.

Agora, esta penetração de Luz é já uma primeira etapa para superar e transcender o medo.
É algo que se constrói progressivamente e à medida de suas capacidades Vibratórias para se alinhar ao nível da Coroa Radiante ou das Coroas Radiantes ou, ainda, ao nível do Sacrum.
É o mesmo processo.
Não há técnica para superar, ao nível mental.
É o aprendizado da Vibração que vai desembaraçá-lo, literalmente, deste medo da penetração.

Questão: é exato que os dois medos fundamentais seriam o medo do vazio e o medo do barulho e que os outros seriam apenas construções mentais?

O medo do vazio é talvez verdadeiro.
Mas eu os tranquilizo, uma excelente notícia: o vazio não existe nos Universos e quaisquer que sejam as Dimensões.

Agora, o barulho, não.
Eu penso que o barulho não toca o cérebro do medo, ele toca o cérebro que está ligado às emoções.
Portanto, o barulho nada tem a ver.

O Universo não é silencioso, mesmo se exista um silêncio Interior.

O Universo é canto permanente, quaisquer que sejam as Dimensões.

Portanto, o som é onipresente em todos os Universos.
Portanto, o verdadeiro medo é o medo do desconhecido, ou do vazio.
É o medo do que não é conhecido, por oposição, é o único medo e daí decorrem todos os outros medos.

Mas lembre-se, o mais importante não é saber qual é o medo fundamental.
O que é preciso reter é que o medo é sempre uma projeção do mental que não tem objeto.
É, portanto, totalmente, uma construção do mental.

E o problema é quando você diz: “eu tenho medo”, você se identifica ao medo.
Mas o medo não é você, é o que é segregado pelas partes invisíveis.

Vejam vocês, vocês são penetrados sem o saber.
O inimigo está no interior, ele não está jamais no exterior.
O inimigo exterior é uma projeção ligada à Dualidade.

Questão: por que ouvir Uriel me dá por vezes vontade de fugir?

Então, o Arcanjo Uriel é Presença.
Ele é Clareza, Transparência e Emissão da Luz Branca.

Portanto, há medo de viver isso, simplesmente.
Porque a intervenção do Arcanjo Uriel em seu plano se faz num modo puramente Vibratório.

Eu sempre disse, por exemplo, que minha Presença, ela é Vibratória, mas ela é leve, porque, como Melquisedeque de Fogo, se eu descesse inteiramente, é ainda muito mais difícil para suportar do que, por exemplo, as Vibrações magníficas que vocês têm com Um Amigo, que tocam diretamente a Consciência.

Agora, se você me tivesse dito Maria, eu diria: «é como toda criança suja que fez bobagens, elas não querem ver sua mãe».

Questão: conviver com pessoas com uma taxa Vibratória mais frágil, pode ser incômodo? 

Caro amigo, é uma visão profundamente dualista.

Quando você está em sua Vibração, nem o Diabo, nem a Luz o incomodam.

Considerar que alguém de baixa Vibração abaixe suas Vibrações é participar à Dualidade daquele.

Considerar que uma Vibração outra possa incomodá-lo ou fazê-lo subir em Vibração, é também uma Dualidade.

Quer dizer que há, em você, uma distância que é colocada entre você e o resto do mundo, simplesmente.

Questão: como dissociar o que é emoção, de Coração? 

Caro amigo, por vezes, quando se coloca no Coração, dentro, realmente, do Coração, na Vibração do Coração, existe uma emoção transitória.

O que é necessário fazer é não confundir a emoção, qualquer que seja, com o Coração, mas não há nem culpa, nem anomalia de algum modo em estar no Coração e perceber uma lufada de emoção.

Mas esta lufada de emoção não é uma emoção comum, é uma aspiração para o Coração.

Agora, é preciso prestar atenção, efetivamente, de não confundir emoção e Coração, porque são dois domínios que são separados.

O domínio da emoção pertence sempre ao nível do ego e da personalidade.
O nível do Coração pertence à Existência e está situado acima da esfera da personalidade.

A emoção nasce no que vocês chamam de sistema límbico.
Esse sistema límbico se veicula ao nível do corpo pelo chacra da garganta e, é claro, pelo que vocês chamam de simpático e parassimpático.

O Coração absolutamente não está ligado a isso.
O Coração é Presença, ele é Vibratório e ele é Amor, Fogo, Verdade, Unidade.

Mas alguns seres abertos ao nível do Coração deixam passar, nesta abertura mesmo que se produz do Coração, um estado de emoção.
Mas esta emoção é uma emoção derivada, eu diria.
Ela não é a emoção que põe em balanço apenas a emoção.
Ela é a emoção que conduz ao Coração.
Eu a chamo assim.

Mas não confunda, tampouco, esta emoção que conduz ao Coração com o Coração.

Portanto, não há julgamento de valor a levar, nem a dizer que é contrário ao Coração, mas compreender que, no Coração, sobretudo quando de um fenômeno que eu chamaria de reconexão, a primeira vez em que Maria entra em contato com você, de maneira íntima, você chora.
É uma reconexão.
E é esta reconexão, esta ignição, de algum modo, que pode desencadear esta emoção, permanecendo ao mesmo tempo no Coração.

A característica desta emoção é que, por vezes, o mental vai intervir dizendo: «Oh lá lá, não é necessário que eu rache».

Mas, de todo modo, ela vai se dissipar e ela deixa, contrariamente a outra emoção, um gosto de plenitude.

A emoção do prazer, por exemplo, nada tem a ver com a Alegria.

Olhem, por exemplo, quando vocês têm um prazer imenso, após esse prazer, que é excitação e subida de energia, isso volta a descer.

No Coração, jamais.
Quando há um medo, a energia desce e, após, volta a subir.
É toda a diferença.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Então, eu lhes digo, até muito em breve.

___________________________
Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário