Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

28 de mar de 2011

O.M. AÏVANHOV – 28 de março de 2011

Mensagem publicada em 30 de março, pelo site AUTRES DIMENSIONS.

E bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los.

Então, e em primeiro lugar, eu lhes apresento todas as minhas bênçãos e vamos, se efetivamente quiserem, fazer como de hábito.

Vamos interagir juntos e ver se vocês têm questões a me colocar.

Questão: quando se reencontra a Consciência ou o Corpo de Existência, reconhece-se nele?

Então, aí, caro amigo, é claro.
O problema não é o reconhecimento, porque isso faz parte mesmo da Ressurreição.

A um dado momento cada um será colocado face a face em relação ao próprio Corpo de Existência.
Não pode haver qualquer dúvida sobre o que vocês são, naquele nível.

A única dificuldade, se pode-se falar assim, corresponde a que, para alguns, haverá defasagens existindo Vibratoriamente.

O Corpo da Ressurreição estará presente.
Alguns poderão ali se estabelecer de maneira definitiva e outros não.
Mas não há qualquer dúvida possível sobre o reconhecimento desse Corpo de Existência, é claro.

Questão: como desenvolver o que se chama a visão da borboleta?

Tornando-se borboleta.
Não há outra alternativa, ou seja, unicamente pelo Abandono à Luz.

A partir do momento em que a Consciência começa a penetrar as esferas da Unidade, da Existência, a Vibração da Consciência é estabelecida no Coração, ou seja, quando há, como dizer..., uma transubstanciação da personalidade.

É uma rendição sem condição para a Luz.

De outro modo não é possível, porque o ser humano é constituído e evolui sempre no ego e na personalidade que é separada, fragmentada, dividida.
Quando ela coloca seu olhar numa situação, numa pessoa, antes mesmo que se esteja consciente do que acontece, é sempre o ego que dita as condutas, os comportamentos e, portanto, o que você chama, em sua linguagem, a visão da lagarta.

Adquirir a visão, em sua linguagem, da borboleta necessita abandonar-se à Luz.
Isso tem sido desenvolvido muito longamente há dois anos pelo Arcanjo Anael, não é?

Tudo isso necessita o aparecimento de Vibrações no corpo.
Não é uma visão do espírito, não é, tampouco, uma imagem, não é, tampouco, uma projeção, é um estado de Consciência, e esse estado de Consciência não pode se desencadear pela personalidade.

Ele aparece e se manifesta apenas quando a personalidade está, justamente, abandonada à Luz, ou seja, que não há unicamente modificação das concepções da vida em geral e da Consciência, mas quando há verdadeiramente esta transformação real, vivida Vibratoriamente, da Consciência.
Não é possível de outro modo.

Questão: durante a sessão de alinhamento eu senti um calor repartir-se no corpo, na parte inferior, à direita, à esquerda, para a bacia e na parte superior, à direita, ao nível da cabeça.

Então, isso, cara amiga, não é preciso perder-se nos significados dos sentidos.

A Consciência é Vibração.
Hoje vocês vivem, todos, percepções Vibratórias que são eminentemente diferentes.

Agora, o que vocês chamam as percepções, ou seja, os sentidos de suas próprias Vibrações, podem ser profundamente diferentes para cada um.
A mesma Vibração pode ser captada por uma pessoa pelo calor e, por outra, como frio, não é?

Se vocês se afogam no significado vocês perdem, como disse Maria, a própria Essência do significado, ou seja, não é pelas palavras que vocês vão explicar.

Vocês podem ler todos os circuitos do mundo sem vivê-los.
O importante não é o sentido.
O importante são os efeitos da Vibração na Consciência.

Portanto, há toda uma nova mecânica que vocês devem adotar, que nós começamos a repetir.

A Vibração é uma coisa.
A Luz tem efeitos profundamente diferentes.
A resultante desses efeitos profundamente diferentes decorre diretamente da Inteligência da Luz, quer dizer que a Luz irá para onde é necessário, que os circuitos novos que vocês sentirão correspondem a funções novas.

Vamos tomar um exemplo que você vai compreender imediatamente.

Por exemplo, você tem uma mão e sua mão, ela se move.
É como se você me perguntasse qual seria o músculo que faz mover o polegar.
Não se tem estritamente nada a fazer.
O importante é que isso se conduza e que isso corresponda a uma função, não é?

O importante não é a análise de suas próprias percepções, é diretamente qual é a consequência Vibratória, a consequência na Consciência do que vocês vivem.

Então, é claro, muitos seres observaram, durante a Passagem da garganta, aqueles que a efetuaram, que houve muitos fenômenos dolorosos, físicos, que se produziram.

Há quem teve dor de dente, há quem teve dor de garganta, há quem tossiu, há quem teve dor nos membros superiores.
Tudo isso está ligado à Passagem.

E recordem-se do que nós dissemos, uns e outros: o que acontece ao nível do corpo físico não é nem uma cristalização, nem uma patologia, mas, bem mais, um processo de derivação da Luz permitindo à Luz instalar-se.

Portanto, é preciso sair, se quiserem, das mecânicas habituais da consciência fragmentada que quer sempre reagir na ação/reação, ou seja: «eu percebo isso, eu vivo isso, acontece isso, o que isso quer dizer?».
Isso é ação/reação.
E é sempre o mental que está envolvido nisso.

Vocês não podem viver o Abandono à Luz tal como ele lhes será proposto dentro de muito pouco tempo, inteiramente, se vocês estão se perguntando o que lhes acontece ao invés de vivê-lo.
É exatamente o mesmo processo.

Cada vez mais vocês devem confiar totalmente na Luz.
É para além da fé.
Quando vocês confiam na Luz, a Luz pode apenas conduzí-los à Luz.
É tão simples assim.

Contrariamente ao ego, que os conduz sempre na parede.

Questão: por quê não consigo mais fazer descer a Energia que sinto na cabeça?
 
Oh, caro amigo, não é um bloqueio.
Simplesmente, como foi dito ontem, por Miguel, vocês estão num processo de alinhamento e de sobreposição de Éteres, ou seja, de Vibrações Etéreas que haviam sido divididas pelas forças de separação, não é? E que são componentes eletromagnéticos ligados a Nibiru, mas isso vocês sabem.

O que acontece, aí, agora, desde vários dias, para aqueles que estão avançados, é que a Energia, efetivamente, tem tendência a voltar a subir e a se manifestar muito mais facilmente ao nível da Cabeça do que ao nível do Coração.
Isso não quer dizer que vocês perderam a Vibração do Coração.
Isso quer dizer que as Forças Etéreas estão em curso de fusão atualmente é exatamente o mesmo processo que se produz pela fusão nuclear que há atualmente em múltiplos lugares, não é?
E não unicamente ao nível do manto terrestre, mas também na profundidade e no cosmos e no Sol.
Tudo isso participa do mesmo processo.

E há uma Vibração, atualmente, que se impacta muito fortemente ao nível da Cabeça, em sua parte posterior, no trajeto que é chamado OD / ER, ou seja, é a limpeza das últimas memórias.

Há, no seguimento de Luz OD / ER, três coisas.
Há, primeiro, a Vibração da Alma e a cor da Alma.
A Alma transfigurou-se, nesse momento mesmo, pela Vibração do Espírito, o que explica essas percepções.

Em segundo lugar há, ao nível desta zona, entre o ponto OD e o ponto ER, o quadro de comando, o painel de controle dos chacras essenciais do corpo.

E, em terceiro lugar, e é o elemento o mais importante, a Passagem da garganta, que foi vivida no final do último ano, corresponde a uma limpeza de primavera que está em curso e que corresponde ao cerebelo.

O cerebelo é a sede de todas as memórias de suas vidas passadas, dos traumatismos vividos, das experiências de vida.
Tudo isso está se limpando e, portanto, há efetivamente um afluxo de Energia, talvez para muitos de vocês, mais forte nesse momento, ao nível da Cabeça.

Para outros serão outros pontos, mas, de maneira privilegiada, há efetivamente percepções Vibratórias extremamente fortes nos trajetos que estão se limpando, se pode-se dizer.
Portanto, não há que se inquietar.

Agora, como lhes disse Sri Aurobindo, vocês podem muito bem colocar-se frente ao Sol, diretamente, pela manhã, à noite, sobretudo na primeira parte do dia, para receberem no peito as Partículas Adamantinas e tranquilizarem-se sobre a qualidade de seu Coração.

Questão: como se desidentificar da dor e do medo da dor?

Então, aí, caro amigo, isso chama respostas mais de natureza médica ou energética.

Agora, a partir do momento em que se penetram as esferas da Unidade (talvez não no início, quando é intermitente), mais se vai para este Abandono à Luz, mais é fácil desacoplar-se da dor e desacoplar-se, sobretudo, do medo da dor, porque o medo da dor, querendo ou não, é um processo que existe ao nível mental e, de maneira privilegiada, ao nível do cérebro reptiliano que lhes foi, e que nos foi, a todos, implantado, ou seja, insinuar o medo do mal e da dor.

Portanto, o ser humano passa seu tempo, de maneira consciente e inconsciente, enquanto não está reunificado, a lutar contra isso e contra aquilo.
Mas é preciso já, num primeiro tempo, desidentificar-se do medo da dor, porque quem é que tem medo?
É, obviamente, a personalidade.

O medo não está presente quando se toca a Unidade.

Na Consciência da Existência, na vivência dos diferentes estados de Paz e de Samadhi não há lugar para a dor.
Isso quer dizer que, mesmo se houvesse uma dor, o ser que está suficientemente nesse estado Unitário não é mesmo afetado pela dor.
No plano fisiológico ela está sempre aí.

Olhem, por exemplo, os grandes místicos.
Houve um no meio desse século, que não tive a chance de encontrar, que viveu e que morreu de um câncer na garganta e ele continuou, até o último minuto, a falar e a ensinar.
Mas, quando se falava de sua dor, ele dizia: «mas eu não sou esta dor».

Portanto, há total, literal e realmente um processo de desidentificação.

Atenção, a desidentificação não é uma fuga da realidade, mas é o acesso a outro estado, um ponto de vista diferente, o ponto de vista (e como eu o disse em minha vida, como o digo sem parar agora) da borboleta.

Então, o problema: vocês vão me responder que vocês são ainda lagarta.
Sim, vocês são ainda lagarta, mas alguns de vocês começaram seriamente a tecer seu casulo de Luz.

Outros são já metade borboleta, porque viajam, e outros estão ainda nas limitações ligadas a essa lagarta.

A maior das limitações, é claro, é o medo e a segunda são as crenças.
Então, obviamente, eu não tenho método milagroso porque é apenas você, no interior de você, que pode realizar isso.

É claro, existem meios diversos e variados de afastar, de tratar a dor, mas, além do que é humano e lógico, ou seja, afastar a dor, afastar o incômodo, é preciso já, ao nível da Consciência, compreender que isso participa sempre da ação/reação e que subir na Ação de Graça, como sempre o dissemos, uns e outros, é totalmente independente de sua idade, de suas deficiências, de seus carmas, etc.

Mas o problema é que o ser humano é tão identificado a tudo isso.
Segundo suas crenças, ele crê que é afligido por um carma, ele crê que é o diabo que está nele, outros vão crer que o corpo é um limite que os impede de aceder à sua Consciência.

Vamos tomar outro exemplo: não é porque, por exemplo, que você não tem mais o órgão baço que o chacra do baço não existe mais, não é?

Agora, uma zona dolorosa é uma cristalização, o que se dizia antes.
Mas a cristalização não impede a Luz de penetrar o Coração.
É sempre o ego que, por sua polaridade, vai arrastá-los à adesão ao seu próprio sofrimento e ao medo do sofrimento.

É um mecanismo ao qual a cognição, a Consciência não tem acesso, porque está inscrito nos núcleos profundos do cérebro e nas zonas às quais vocês não têm a possibilidade de agir por si mesmos, mas, unicamente, pelo Abandono à Luz.

Quando o Abandono à Luz é real, vocês não são mais afetados, de maneira alguma, porque vocês vivem.

Eu repito, a desidentificação não é uma fuga da realidade, bem ao contrário, é o acesso à verdadeira realidade, para além da Ilusão.

Questão: como saber se alguém que se pretende Mestre é um, verdadeiramente?

Então, caro amigo, eu vou lhe responder muito simplesmente.

Você ouvirá todo o tempo falar de seres, quaisquer que sejam.
No domínio político vai-se ouvir falar de homens políticos e há rumores.
Há também rumores para seres espirituais.

Então, agora, qual a importância, para você, de saber se uma figura é um Ser de Luz ou um ser que não é da Luz?
Na Unidade isso não tem mais qualquer espécie de importância, porque ele tem seu lugar.

Portanto, a Sombra não pode existir sem nenhuma Luz.
Não é possível, mesmo nesta dimensão.

Portanto, cada um tem seu lugar.
Simplesmente, o lugar tido pela Sombra é um lugar ligado ao medo e à manipulação.
Mas ela tem seu papel, quer dizer que aqueles seres são capazes de desencadear mecanismos em alguns seres.

Agora, se você vive, em sua vida, uma fraude, uma trapaça no plano puramente pecuniário, ou no plano dito espiritual, se você mesmo condena isso, você está ainda na Dualidade.

Porque, se você toca a Unidade e se você vive na Unidade, nada, absolutamente nada do que pode ser oposto à luz, do mecanismo da Sombra, por exemplo, pode vir tocar sua Consciência, nem perturbar sua vida, quer dizer que a Existência, a Vibração da Luz é sempre destinada a fazê-los levar a Intenção para vocês mesmos.

A Atenção, a Intenção, a Ética e a Integridade, sempre.
Quando você está colocado ao centro disso, você está no Amor.

Portanto, você pode passar tempo a dizer que «aquilo é branco, aquilo é negro», mas, se você faz isso, você recai na Dualidade instantaneamente.
Portanto, tudo está em seu lugar hoje.
É tão simples assim.

Agora, com relação àquele ser, tudo o que eu posso dizer e o que disse Cristo: «reconhece-se a árvore por seus frutos», quer dizer que, se um ser humano atrai outros seres humanos e todos esses seres humanos se consideram como discípulos e não têm a própria mestria, tornam-se adoradores de uma entidade, naquele momento, eles não estão no caminho deles, esses seres que seguem essa entidade, porque a única pessoa a seguir é você mesmo.

Sobretudo não escutem jamais o que lhe diz se você não vive a quintessência disso, é claro, para vocês isso será falso.
Mas é sua verdade.

Então não há, ao nível da Unidade, esses julgamentos de valor, de saber se é um falso mestre, um verdadeiro mestre, um neófito, um Mestre Ascenso, um ser desperto, um ser despertado.

Vocês devem ter esta capacidade Vibratória em vocês, e mesmo quando a têm, não é para dizer «ele é bom» ou «ele não é bom», porque vocês sabem que cada coisa está em seu lugar e, quando vocês tocam os domínios da Unidade, isso não lhes concerne mais absolutamente.

O que lhes concerne é a Luz e nada mais.

Aquele ser é certamente, para alguns seres, um deus.
Por quê não?
Mas, enquanto vocês consideram que Deus é exterior a vocês, que a Fonte é exterior a vocês, vocês não são a Fonte e, portanto, vocês não estão em sua Unidade.

Em minha vida era não era similar, a Luz não era onipresente como o é agora.
Vocês não têm necessidade de nada, exceto da Luz, porque vocês são Luz.

Assim que vocês saem desse paradigma e desta Verdade essencial vocês recaem na Dualidade.
É tão simples assim.

Questão: tive a visão de um rosto meio felino, meio homem, durante a sessão de alinhamento.

Então, frequentemente isso corresponde, nesses espaços de alinhamento precisos, à percepção real e não ilusória do 3º olho, de uma ou de várias de suas linhagens.
Alguns vão ver, por exemplo, desfilar, nesse processo de alinhamento, sem querer necessariamente trabalhar no 3º olho, rostos que vão desfilar.
São rostos que vocês tiveram em suas vidas passadas.

Agora, se desfila uma imagem de estrutura leonina, uma estrutura delfinóide, é que uma de suas linhagens corresponde a isso.

Questão: pode-se discutir com a própria Alma, dialogar com ela?

Pode-se dizer isso.
Mas, para entrar em contato com a própria Alma, ou ela o faz durante o período do sono, nos sonhos, em alguns sonhos e os Impulsos, eu o disse há pouco, da Alma, vêm frequentemente deste modo.

Agora, quando o Antakarana se constrói, quando a Corda Celeste se constrói, há uma comunicação consciente com a alma.
Ela se traduz primeiramente por sons, isso vocês sabem, os Sons da Alma.

Agora, conversar, são frequentemente diálogos que não passam pelas palavras, são frequentemente o que eu chamei uma íntima convicção, um impulso, mas não diálogos tipo «blabla», não é?

Mas, efetivamente, conversar com a Alma, dialogar com a Alma é perfeitamente possível, é claro, uma vez que vocês estão em contato com a Alma assim que a Coroa Radiante da Cabeça é despertada.

Questão: por quê sentir o Impulso da Alma para parar uma atividade e depois, no dia seguinte ou na sequência, ver esta atividade desenvolver-se?

Cada caminho é profundamente diferente.
Então, o Impulso comum, eu diria, é para elevar-se para a Unidade e para a Existência e, portanto, parar «as atividades de projeção exterior».

Mas vocês estão ainda projetados para o exterior nesse mundo.
Vocês não estão ainda despertos inteiramente, não é? Uma vez que a Ilusão está ainda aí.

Portanto, alguns entre vocês, apesar deste Impulso da Alma, encontram-se confrontados ao inverso do que se produz.
Isso não quer dizer que há contradição em algum lugar, mas, simplesmente, que seu caminho é continuar a trabalhar até o final,

Questão: não mais inquietar-se sobre o lugar de vida não é uma maneira de renunciar?

É uma maneira de baixar o ego.
Isso prova, ao menos, que não há apego a um território chamado casa ou apartamento.
É uma transcendência, isso é muito importante porque, recordem-se do que sempre lhes dissemos: vocês serão tocados naquilo a que vocês são apegados.
Mas não é um processo vicioso, é um processo de Liberação.

Portanto, se você não está apegado a um lugar, se você não tem domicílio, como diz, fixo, você está já liberado de alguns apegos com relação a isso.

Há seres que estão apegados a isso ou àquilo, apesar de sua abertura.
Isso é assim.
Portanto, você não tem que se colocar a questão.
Basta-lhe deixar baixar o ego e tudo irá bem.

Questão: que é essa cápsula diante do Sol que me permite vê-lo?
 
Isso permite, efetivamente, ver o Sol.

Muitos de vocês se aperceberam que o Sol mudou profundamente de cor, é claro.
A qualidade de suas irradiações é diferente, uma vez que vocês captam as Partículas Adamantinas diretamente e alguns se aperceberam que podiam olhá-lo, que agora, o fato de olhar o Sol, há uma espécie de cápsula de proteção, um preservativo, que é ligado à proteção da retina, mas que não está no Sol.
Ele está ao nível de seus próprios olhos, que corresponde à ativação do 12º Corpo.

Questão: eu vivi a experiência de estar no Fogo, numa grande Alegria, mas, ao mesmo tempo, num grande medo. Isso então cessou. Isso não se reproduziu mais de modo algum.

Não se inquiete, isso volta em breve.
É a irradiação pela Luz, quer dizer que alguns seres sobre este planeta viveram já a irradiação da Luz, inteiramente.

Obviamente, o medo pára o processo, mas, devido ao fato de que isso se reproduziu várias vezes, a irradiação foi conseguida.

Esta sensação de Fogo que não queima, mesmo se é quente, de agulhadas muito rápidas sobre todo o corpo corresponde à efusão total da Luz.

Questão: sinto-me por vezes como atravessado por Vibrações frias que me dão medo.

Caro amigo, a Energia que você recebe é de tipo Fogo.
Você traduz, ao nível de seu corpo, por arrepios de frio.

Isso corresponde a medos que estão presentes em você que traduzem a irrupção do estado multidimensional, a percepção de outras formas, de outras formas de vida, de outros cenários que se desenrolam, correspondendo a medos unicamente.
Porque, quando você diz «eu sinto frio», isso não quer dizer que a Energia seja fria.
É sua percepção que está naquele nível.

Mas, a mesma Vibração e a Mesma Luz pode ser aceita e sentida como muito quente, como agulhadas, como se viu na questão precedente.

É frequentemente o caso junto a pessoas que vivem irrupções brutais da Luz durante os momentos de meditação ou não.

Se querem, é algo que vai poder se traduzir por diferentes percepções, eu repito, como eu dizia há pouco, com relação à análise das percepções.

Agora, em todos os processos que vocês vivem, que são repentinos assim, onde há irrupção da Luz, quando há irrupção da Vibração, a primeira coisa a fazer é não se perguntar o que é, porque se vocês estão próximos da Unidade e da Luz, se vocês estão ainda na Dualidade, vocês vão dizer «olha aí, irrupção de algo de exterior a mim», entidade, astral inferior, etc. etc.

Se vocês estão na Unidade e se vocês mantêm sua Unidade, sua Paz Interior, se é realmente aquilo, não poderá ir mais longe porque não pode penetrar: você está na Unidade.

E, por outro lado, se é a Unidade que gera aquilo, vai continuar e amplificar-se e vocês ficarão cada vez melhor.

Portanto, enquanto se está ao nível do questionamento não há resposta, porque é ainda a Dualidade.

O Abandono à Luz, o mecanismo de que lhes falou longamente Anael, corresponde estritamente a isso.

É este aprendizado que vocês efetuam.

Mas, como sabem, o tempo é ultra-curto agora, portanto, vocês não têm mais o tempo de repetir o aprendizado muito tempo.

Questão: quais são os arrepios que se podem sentir quando se alinha?

Os arrepios em geral traduzem (eu repito, sejam quentes ou frios), quando vocês se arrepiam, há uma reconexão e um reconhecimento.

É, em geral, por esse mecanismo, no qual vocês entram em ressonância com uma Consciência, com uma Presença, é também um dos sintomas que está presente nos Samadhis.

Portanto, isso pode ser, também, as premissas do Samadhi, como esse arrepio extremamente rápido que percorre o corpo.

Questão: ouvir um zumbido no ouvido releva do que se chama o Som?

Sim, há sete sons.

Tudo isso lhes foi dito em numerosas reprises.
Vai desde a impressão de ter uma concha sobre a orelha, de um som abafado que se modula, até ultra-sons e os Coros dos Anjos.

Eles participam todos da construção da Ponte de Luz que une o corpo, a personalidade com a Alma e o Espírito.

É também, como lhes disse Maria, parece-me, o Som da Terra e o Som da Unidade, o Som da Fonte.

Poder-se-ia dizer, sem fazer jogo de palavras, que a Criação é Som, porque o Som é Vibração.

No começo era o Verbo.

Questão: o Coro dos Anjos corresponde a um Som grave?

É agudo, não é grave, o Coro dos Anjos.

É como se houvesse milhares de violinos que tocassem ao mesmo tempo e milhares de crianças cantassem ao mesmo tempo, e tudo isso na mesma frequência.

É o penúltimo Som que precede a instalação no Maha Samadhi.

É frequentemente chamado um ultra-som, tanto que é alto.

Há quem o ouça, caro amigo, desde 1984.

Lembre-se, durante os Casamentos Celestes, há também o Silêncio.
É outra forma de Som.

E alguns de vocês estão, ou na acentuação desse Som, outros estão nas fases em que há o Som e depois há a parada.
Isso faz o Silêncio.
Tudo participa do mesmo processo.

Questão: que pode significar uma Vibração forte sentida nas costas, atrás do Coração?

É um dos pontos que corresponde ao chacra do Coração.

Quando a bainha dos chacras, pelo canal do Éter, é queimada ou dissolvida, há esses pontos precisos entre as omoplatas, bem acima, que se manifestam.

Por vezes, também, vocês sentem, de cada lado desse ponto, como linhas de Vibrações muito fortes dentro das omoplatas.
Isso são as asas que empurram (crescem).

Questão: por quê a Luz pode ser sentida como uma impressão de plenitude, de Paz, de Alegria e, igualmente, como uma impressão de Fogo?

Simplesmente ela é potenciômetro, segundo é girada no + ou no -.

A Dimensão do Espírito é o Fogo.

Quanto mais você vai para o Espírito, mais o Fogo está presente, um Fogo que pode ser, eu repito, uma explosão total de Fogo e de Luz.
Mas esse Fogo não consome.
Ele consome unicamente na Ilusão, ainda que seja muito intenso.

Portanto, é sempre a Luz, mas de acordo com o potenciômetro, de acordo com a intensidade do que você toca, ou seja, o Corpo de Existência, de acordo com a intensidade da aglomeração e aglutinação das Partículas Adamantinas, isso dá percepções que podem tomar toda uma gama, desde a Paz muito simples até a explosão de Alegria e de felicidade total.

É sempre a Luz, é claro, mas em diferentes graus de manifestações.

Questão: a quê corresponde o fato de cantar ou falar em uma língua desconhecida?

Oh, cara amiga, isso se chama, eu creio, um termo erudito que encontrarei..., isso se chama, eu creio, o «falar em línguas».
Há outro nome, pouco importa.

A partir do momento em que o Espírito Santo desce, ele pode se traduzir de diferentes modos, ou um modo interior e nós associamos a questão precedente, ou seja, uma manifestação de acordo com o potenciômetro de Paz e de Alegria.

Se isso se produz nos trabalhos em que você é canal, para cuidados ou outra coisa, naquele momento, isso pode se traduzir, efetivamente, pelo «falar em línguas», por cantos.

Isso nada tem a ver com uma memória passada.
É a expressão da Luz, naquele momento, para o exterior de você.

Não temos mais perguntas. Agradecemos.

Eu os agradeço por terem me acolhido entre vocês.

Eu lhes digo, quanto a mim, certamente até muito em breve.

Todo meu Amor os acompanhe e até muito em breve.

_____________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo, se deseja divulgá-lo, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com/

Um comentário: