Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

10 de nov de 2013

O.M. AÏVANHOV – 10 de novembro de 2013


Bem, caros Amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los.
Regozijo-me por reencontrar-me ao mais perto de vocês, por falar com vocês.
Mas, antes de falar com vocês, vou apresentar-lhes, é claro, todas as minhas homenagens e todo o meu Amor, assim como todo o Fogo que lhes é necessário.

Vou exprimir-me em diferentes pontos, se querem.
O primeiro será, eu diria, minha conclusão deste período, que nós vivemos juntos, desde o mês de agosto do ano de 1984 no qual, eu os lembro que, naquele momento, eu tinha, ainda, um corpo de carne (eu parti pouco tempo depois).

Vamos ver o histórico, eu diria, para dar pontos de referência àqueles que, como dizer..., desembarcam, hoje, em estados da consciência que nada mais têm a ver com o que pôde ser anteriormente.
Então, primeiro, uma espécie de retrospectiva que, como eu dizia, será minha conclusão desse momento histórico, vivido há quase trinta anos sobre esta Terra, e que conduz ao que vocês vivem, em graus mais ou menos intensos, eu diria, no interior de si, em sua vida, em sua consciência, em seu corpo e, também, em suas relações, se se pode dizer, com os outros Irmãos e Irmãs, os outros humanos e o conjunto do coletivo humano.

Um pequeno preâmbulo, aliás.
Como vocês, talvez, ouviram, eu me exprimo há algum tempo, também, por outros canais.
Gostaria de dizer a esses canais que, se eu me tenho ao seu lado há vários dias é, talvez, porque eu tenho, também, coisas a dizer-lhes, não é?
Não é porque vocês assistem e Vivem, todos, a Presença de MARIA ao seu lado, que seja algo que os coloque em grande Alegria e que os anima, mas eu tenho, também, coisas complementares a fazê-los passar, para que o maior número de informações, se posso dizer, seja claramente colocado diante dos olhos daqueles que poderiam ler ou ser interrogados pelo que se desenrola, nesse momento mesmo, na superfície deste planeta e, também, no interior de seu próprio Templo, de seu próprio Coração.

Então vejamos, primeiro, um pouquinho dessas noções históricas.
Em um segundo tempo, eu responderei, com grande prazer, a todas as suas questões, se houver.
Em seguida, em um terceiro e último tempo, teremos um momento intenso de Comunhão, seja diretamente, para aqueles que estão se Alinhando nesse momento, mas, também, para os dias que vêm, para aqueles que desejarem ler minha exposição, se posso falar assim.

Voltemos, primeiramente, à noção histórica.
Em agosto de 1984, abriu-se um Portal.
Esse Portal correspondeu à primeira Descida do Espírito Santo, de maneira coletiva, um pouco similar, para um grupo mais restrito de pessoas, do que aconteceu e que foi descrito como o Pentecostes, a Descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos, que se acompanhou de certo número de carismas, de certo número de modificações, de certo número de processos que, hoje, já estão, certamente, descobertos, eu diria, por aqueles que estudam o cérebro em seu comportamento dinâmico, através de imagens.

Eu não voltarei a isso.
Vou ater-me às razões e às circunstâncias históricas.

Como vocês sabem, talvez, inúmeros de vocês que começaram, se posso dizer, um questionamento espiritual, certamente o fizeram porque havia um sentimento de doença no interior deles, um sentimento de não ser completo ou, então, um sentimento de medo em relação tanto à vida como ao que representa a morte.
O Pentecostes, a Descida do Espírito Santo, após a partida de CRISTO, traduziu-se, para esses Apóstolos, por possibilidades novas.
Eles tiveram a possibilidade de “falar em línguas”, a possibilidade de evangelizar, a possibilidade de levar a Mensagem original de CRISTO.

Ao longo da história humana, seja a cultura ocidental, oriental, muçulmana, hindu ou budista, temos, todos, na memória, imagens de seres que receberam esse Espírito Santo e que viveram transformações, mais ou menos importantes, mais ou menos definitivas.
Em todos os casos eles revolucionaram, esses seres e todos aqueles que os frequentavam, de certa maneira ou de outra, mesmo através de seus escritos, séculos ou milênios depois, uma espécie de impulso para ir para o conhecimento de si.

É claro, vocês têm o exemplo, quando eu estava encarnado, que essa necessidade de conhecimento de si pode passar por conceitos, preceitos, orações, meditações, exercícios, um questionamento sobre o sentido de si.
Em suma, tudo isso vocês conhecem, perfeitamente.

Então, o que aconteceu em 1984?
Houve a primeira descida do Espírito Santo ou Luz Azul de Sírius, a Radiação que vinha de Sírius, do Sol Central de nossa Galáxia.
Alguns seres, naquele momento, certamente, em número limitado, começaram a viver transformações.
No início dos anos noventa, certo número de intermediários desencarnados começou a falar dessa Chegada da Luz, já perfeitamente descrita, por exemplo, por Sri Aurobindo, mas há muitos outros, é claro.
Eu lhes falo de referências que vocês conhecem, talvez, por tê-las nos escritos deles, ao vivo ou, também, por intermédio de diferentes canais que se comunicam com vocês e conosco.

Então, essa Descida da Luz induziu certo número de manifestações, de modificações que, durante aquela época, eram limitadas em número, mas, também, em intensidade.
Foi a partir daquele momento que os primeiros Irmãos e Irmãs – que estavam abertos desde o início do ano de 1984 – começaram a perceber o que foi chamado não mais a energia, mas algo de diferente, que se chama a Vibração.

A esse propósito, eu os advirto porque, hoje, de maneira muito hábil, seres falam-lhes de Vibração enquanto, de fato, trata-se apenas de energia.
A energia nada tem a ver com a Vibração.
Isso foi explicado muito, muito longamente, por outros Anciões, em outras circunstâncias, nesses três últimos anos.

Mas não confundam Vibração e energia.
São dois planos de manifestação, cuja origem é, estritamente, diferente, cujo impacto é diferente.
Não considerem qualquer sensação de energia como uma Vibração.
Eu os remeto ao que já foi dito para isso.
Era importante atrair, primeiramente, sua atenção a isso, mas, também, uma segunda coisa.
As palavras ouvirão, sempre, e que vocês veem, sempre, são as palavras “amor” e “luz”.
Nós temos falado do Amor Vibral, porque esse Amor Vibral não pode sofrer qualquer comparação com o amor no sentido humano, com o amor no sentido emoção e sensação, que pode ser, efetivamente, uma emoção, portanto, uma energia que circula.
Mas isso não será, jamais, a Vibração do Coração Vibral que se traduz, vocês sabem, pela Coroa Radiante do Coração.
Em seguida, foi desenvolvido, progressivamente e à medida que a Descida do Espírito Santo atualizava-se sobre a Terra, no início do ano de 2009, portanto, bastante tempo depois (isso se estende há trinta anos, mas não vou dar-lhes todas as etapas, são apenas pontos de referência).

No início do ano de 2009 ocorreu o que foram chamadas as Núpcias Celestes.
MIGUEL disse-lhes que essas Núpcias Celestes eram, de algum modo, a faculdade não mais, unicamente, pelo Espírito Santo, mas pela Irradiação da Luz Branca de Alcyone, pela Irradiação do Ultravioleta pelo Sol, de pôr fim a uma espécie de aprisionamento e de confinamento.
Nós temos evocado, uns e outros, por pequenos toques, essas corças que vocês nomeiam arcônticas, os Arcontes também, e diferentes terminologias de consciências, como cada um de nós, que jogaram um jogo específico, que foi o jogo do confinamento e do esquecimento de quem nós somos, todos aqui, quando estamos em um veículo terrestre.

As Núpcias Celestes, como havia dito MIGUEL, iam conduzir à Desconstrução e à retirada progressiva dos véus, até certa finalidade.
Essa finalidade devia inscrever-se em um ciclo um pouco mais amplo, de sete anos, e que ia de 2005 até 2012.
Esse ciclo astronômico, extremamente preciso, vinha terminar, concluir o Derramamento da Luz.

A Onda de Vida, eu os lembro, a Energia da Terra Liberada, não mais confinada, estava disponível a partir do mês de fevereiro do ano de 2012.
Durante o início do ano de 2013 vocês começaram a viver não mais por pequenos toques, para aqueles de vocês que vivem esses processos ou, então, de maneira completamente inesperada e fortuita – sem nada perguntar a ninguém, sem nada, jamais, ter praticado – alguns de vocês, cada vez mais numerosos, encontraram-se, de algum modo, projetados em outra coisa que não o humano, em outra coisa que não a encarnação.

É claro, eles voltaram.
Eles foram obrigados, como dizer..., cada um à sua maneira, a reunir os pedaços, ou seja, adequar, de algum modo, manifestações da consciência que não tinham mais qualquer medida comum com uma consciência humana, mas que iam bem mais longe.
Com explicações que foram, também, explicadas – no comprimento, na largura e na altura – do ABSOLUTO, da Existência, do Corpo de Luz, dos novos chacras, das novas Frequências, do Kundaline e a Onda de Vida, das Coroas Radiantes, do que foram nomeadas as Portas, as Estrelas.

É preciso compreender que todas essas manifestações, sem qualquer exceção, são ligadas – e isso foi dito – à sua capacidade, primeiro, de Abandonar-se à Luz e, é claro, à Obra da Inteligência da Luz, no interior desse corpo de carne.
Isso foi dito: é a Espiritualização da matéria.

Quando a matéria é Espiritualizada, o que é que acontece?
A matéria desaparece.
Ela Vibra em outra Frequência, portanto, as Portas, as Estrelas, os Circuitos Energéticos, as Coroas Radiantes, a Onda de Vida, o Canal Mariano, os Antakaranas, as manifestações de Samadhi, as expansões de Consciência, as viagens.

Atualmente, vocês vivem a conformação final entre esse corpo, veículo terrestre, e o Corpo Ascensional ou a Merkabah Interdimensional, pessoal e coletiva.
As manifestações são numerosas, certamente, para vocês, hoje, que começaram a Viver isso há muito tempo ou mais recentemente.
Todos os sintomas – lembrem-se, “reconhecer-se-á, sempre, a árvore por seus frutos” – qualquer que seja a experiência da consciência, qualquer que seja a experiência que vocês vivem pela Inteligência da Luz (em suas Portas, suas Estrelas, seus Circuitos), levam-nos a posicionar-se.

Vocês o fazem por completo, talvez, inconscientemente, com facilidade ou dificuldade.
Vocês passam da consciência humana comum a esse estado de Consciência em que todos os marcadores habituais encontram-se, de algum modo, desconstruídos e dissolvidos.
Vocês passam de um ao outro e observam isso, talvez, cada vez mais facilmente.

Durante este ano e durante o período que acaba de abrir-se nós temos, todos, sem exceção – quaisquer que sejam as vias, as nossas e outras vias, também – insistido, de diferentes maneiras, bastante profundamente, sobre uma forma de Evento.
Evento que seria observável por todos.
Aí, tampouco, eu não voltarei ao que expliquei, de modo, por vezes, humorístico, como o planeta-grelha, como a transformação do Sol, a transformação de seu corpo, a transformação de sua consciência.
Pouco importa.

O mais importante é que, hoje, vocês fizeram, todos, sem exceção, algumas experiências agradáveis, para outros, desagradáveis, mas que conduzem, se vocês são honestos a, verdadeiramente, ver que há coisas que se movem.
É claro, não se esqueçam de que, nesse Advento, que é o Choque da Humanidade, que muitos de vocês têm Vivido, eu diria, antecipadamente, durante esses trinta anos passados, talvez, para ajustarem-se, ao mais próximo, desse Evento.

Esse Evento está à sua porta.
Eu sempre disse que ele seria ligado – e isso foi dito por diversos intervenientes – a uma Estrela que Anuncia outra Estrela.
É, também, de maneira mais direta, o que é chamado o Retorno de CRISTO, mas CRISTO Consciência, o CRISTO Logos Solar, ligado à erupção de três fontes de Radiação – Solar, Alcyone e Sírius – com um Impulso final.

Eu disse, há vários anos – aliás, ORIONIS aí está para algo, mas eu os deixo procurar – e ORIONIS disse que haveria um Impulso de Luz (como ele havia dito, para aqueles que se lembram disso, em 2009, com a embarcação Nibiru dos maus rapazes).
Esse primeiro Impulso de Luz, que vinha da Constelação de Orion, da Estrela Betelgeuse, produziu-se no mês de agosto do ano de 2009.
Isso foi, no mesmo momento, a entrega das chaves Metatrônicas, das cinco primeiras.
Então, é claro, elas se chamam OD, ER, IM, IS, AL.

Então, há pequenos astutos que acreditaram que era, simplesmente, uma inversão das notas (do, re, mi, si, la), mas não é, de modo algum, isso.
Eu os lembro de que uma nota – em todo caso, na convenção musical francesa – “do” não se chama assim em outro país.
“do” é, simplesmente, as duas primeiras letras que correspondem a uma Passagem específica, da qual um monge serviu-se na Idade Média para fazer um meio memo-técnico.
Mas são, também, as frequências Vibratórias que correspondem aos cinco Novos Corpos, que alguns de vocês ativaram durante as Núpcias Celestes, outros, entre vocês, muito mais recentemente, e outros, enfim, a partir do início da Recepção dos primeiros Raios do Espírito Santo que, de algum modo, Despertaram-nos a eles mesmos.

Muitos de vocês, desde os tempos em que eu disse que tudo estava Consumado, buscam, é claro, sinais.
Mas eu lhes respondo, através do que acabo de dizer: “Quais sinais vocês precisam mais, além daqueles que se vivem no interior de vocês?”
Bem, vocês têm razão.
Falta um Sinal.
É o Sinal do Céu, com as circunstâncias de aparecimento que foram, aí também, diversamente desenvolvidas.

Eu quero atrair sua atenção, dizendo-lhes que esse Sinal, efetivamente, está em seu céu.
Vocês o verão, muito em breve.
Além de vê-lo, é, sobretudo, o que isso provocará na consciência coletiva que é importante.
Esse Retorno de CRISTO, o Anúncio de MARIA, que foi nomeado o período de aprendizado de Novas dimensões.
Ele sobrevém entre o que foi nomeado, em diversos aparecimentos no mundo, o Evento ou o Aviso.
Isso provocará algo que é final.

Então, é claro, aquele que está na personalidade – vocês o veem ao seu redor – está na negação total, mas, se ele se coloca questões, ele vai estar muito zangado, o que explica que, mesmo seu estado natural, que é de Irradiar o que vocês São – essa Luz, esses véus que vocês perfuraram, esse Corpo de Existência que duplica seu corpo físico agora – é modificado.
Tudo isso modifica, sem o querer, eu esclareço, sua Irradiação, sua qualidade de Bondade e de Benevolência, o que quer que vocês digam ou façam.

Mesmo se vocês nada façam ou durmam, vocês Irradiam essa Bondade, essa Luz Vibral, esse Amor Vibral, que não depende, absolutamente, de condições da personalidade e, sobretudo, da vontade de sua personalidade.
Vocês não estão sem ignorar, muitos de vocês, que a Luz chama-os, não importa em qual momento.
Às vezes, em momentos que podem parecer-lhes difíceis, por exemplo, se vocês estão dirigindo ou outra coisa.
Então, é claro, os Irmãos que estão na negação ou na raiva vão ali ver outra coisa, porque eles não o vivem.
Portanto, sejam compreensivos, tentem não entrar em conflito.

O que é mais importante, ainda mais hoje, é o testemunho.
O testemunho pode fazer-se por palavras, mas, em função do que eu disse, ele se faz, sobretudo, pelo Silêncio Interior.
Quando vocês penetram em seu Templo Interior, quando deixam trabalhar a Inteligência da Luz, seja pela subida da Onda de Vida, seja pela Presença do Corpo de Existência, seja pelo Coração, seja pelo Sacrum, seja pela Cabeça, seja pelo Canal Mariano e as Presenças que estão ao seu lado (porque há cada vez mais delas, à sua esquerda, é claro), seja a modificação de seus Sons.
Tudo isso é um acesso real, concreto e quase definitivo à sua Eternidade, que nós Somos, todos.

É claro, muitos de vocês esperam, em uma esperança que não é estéril, porque é preciso, efetivamente, compreender que, a um dado momento – a título individual, vocês sabem muito bem, e nós todos sabemos – no momento de nossa morte – de velhice ou, então, mesmo de um acidente de automóvel, quer seja violento ou que se tenha o tempo de preparar-se – há, sempre, um momento em que se revê a própria vida.
Talvez, não de natureza fotográfica, mas repassa-se pelo cenário.
Não para interessar-se por isso, não para atrasar-se nisso, mas para deixar evacuar-se tudo isso.

Hoje, o mais importante é vigiar e orar, porque ninguém conhece a data.
Ele virá como um ladrão na noite.
Mesmo se nós todos saibamos, por nossa Vivência, lá em cima, como muitos de vocês sobre esta Terra, que há um Advento e um Evento que está aí, que bate à porta, de maneira cada vez mais tangível.
Olhem o que eu vou chamar o burburinho sobre esse mundo.
Comparem a antes do ano de 2009.
Comparem com dez anos atrás, vinte anos.
É muito fácil acusar os fantoches, acusar o capitalismo, acusar a falta de espiritualidade, a falta de paz do humano.
Mas é muito mais do que tudo isso.
Porque o que se desenrola é a Consumação de tudo o que sempre foi anunciado.

Essa Consumação nem sempre é vivida do bom modo, eu diria, porque há apenas um único bom modo de viver isso.
Eu tomei o exemplo da morte.
Você sabe que vai morrer, porque tem uma doença grave.
Você vai passar, do mesmo modo, pelas cinco etapas que definiu Sri Aurobindo, já, há três anos.
Essas cinco etapas vivem-se mais ou menos longamente.
Mas, se você permanece na negação, você ficará cada vez pior.
Se permanece na raiva, ficará cada vez pior.
Se você está na negociação, para saber se é verdade ou não, você não terá saída, tampouco.
E se você diz: ‘’Pai, que Tua Vontade faça-se!”, de todo modo, nós estamos, todos, sobre a Terra, em um corpo efêmero.
Nós todos sabemos, ao nascer, que ele terminará um dia.

Ora, hoje, o que está aí, em vocês, é o que jamais terminará.
Porque são vocês, para além do confinamento, para além das camadas isolantes que haviam sido colocadas nesse Sistema Solar, como em outros.
É uma Resolução.
Essa Resolução chama-se a Liberdade e a Liberação.

Então, é claro, muitos de vocês vivem, neste ano, sua Liberação individual.
Se preferem, compreendem que sempre foram Livres.
Simplesmente, os véus que obscureciam o ABSOLUTO, a A-Consciência (pouco importam as palavras que vocês usam) não estão mais presentes como antes.
Vocês têm facilidade para constatar isso.
Lembrem-se de que os melhores frutos que vocês podem encontrar são aqueles que se produzem no Interior de si.

Será que você ganha em Paz?
Será que você ganha em Felicidade?
Verifique, por si mesmo, o que foi dito durante anos e o que você vive, atualmente.
Não pode mais haver dúvida.
Mas, para aquele que recusa o inevitável, nada há a fazer.

Olhe, por exemplo, a humanidade, hoje.
Quando se acompanha pessoas que estão no fim de seu percurso Terrestre, não é necessário, sobretudo, que elas tenham a angústia da morte.
Tenta-se fazê-las evitar de pensar no próprio desaparecimento.
Hoje, como eu disse, vocês não desaparecem.
Vocês aparecem na Glória da Eternidade!
Na Glória de CRISTO, no Corpo de Existência, na Morada de Paz Suprema.

Será que a Morada de Paz Suprema não lhe traz mais frutos, mesmo em sua consciência comum, do que procurar compreender isso ou aquilo?

Haverá, sempre, coisas que estarão além das explicações.
Haverá, sempre, coisas que estarão além da compreensão.
Mas, quando vocês vivem a Existência, quando vivem as diversas manifestações que eu apenas passei superficialmente, vocês constatam, por si mesmos, os frutos, ou seja, a Liberdade.

Em minha vida, vocês sabem, insistiam em chamar-me mestre.
Mas o que isso quer dizer hoje?
As circunstâncias de há trinta anos, estritamente, nada têm a ver com as circunstâncias Interiores e exteriores desse mundo.
Portanto, o Choque da Humanidade é o momento em que o que vocês tenham vivido, Interiormente, de modo cada vez mais claro, materializa-se na consciência coletiva, mesmo no que resta do sistema de controle do mental humano.

Esse Evento, que é, verdadeiramente, um Advento, é, verdadeiramente, o toque final.
Esse toque final é um momento importante, porque é um momento em que vocês vão, cada vez mais numerosos sobre esta Terra, conscientizar-se do que vocês São.
Eu os lembro de que CRISTO não vem para salvá-los, porque são vocês mesmos que se salvam, a partir do instante em que aceitam ver-se face a face.

O que é o Face a Face, se não é reencontrar-se diante do Olhar da Consciência?
De um lado, algo de efêmero – a personalidade, a vida, a encarnação aqui sobre a Terra – e, de outro lado, reencontrar-se, nariz a nariz, com o que vocês São, na Eternidade.
É isso que foi nomeado de Promessa e o Juramento.

Essa Promessa e esse Juramento são ligados a um Sinal exterior, celeste, e todos os aspectos consequentes que vocês já observam, desde as Núpcias Celestes, sobre a Terra.
Eu não vou voltar aos eventos ligados aos Cavaleiros do Apocalipse, ligados a tudo o que vocês veem, por si mesmos, no exterior de si, mas, também, cada vez mais, no Interior de si.
O Apocalipse é a Revelação.
Nada pode mais ser escondido.

Então, ao longo desses anos, vocês tiveram outros tipos de testemunho, em especial, das Estrelas, sobre a Vivência delas, sobre o Abandono à Luz.
Os Arcanjos, também, atraíram sua atenção sobre a diferença entre o conhecimento e o Coração, que não se importa com o conhecimento, porque ele é o Conhecimento Supremo.
Encontrar isso é aceitar a ignorância e a futilidade do conhecimento, qualquer que seja.

CRISTO dizia: “Meu Reino não é desse mundo”.
Muitos de vocês vivem isso, mas vocês bem sabem que há muitos Irmãos e Irmãs que recusam isso, porque eles foram muito cortados, talvez, mais do que vocês.
Eles foram tão embarcados em uma negação, que é muito difícil aceitar, em definitivo, que nós estamos, todos, no interior uns dos outros, porque nós temos, todos, nosso próprio mundo.

Nosso mundo individual casa-se com o mundo individual dos outros, o que reforça, agora, o que foi chamado o sistema de controle do mental humano, com as linhas de predação.
Vocês se lembram, eu falei disso há mais de um ano agora.
Tudo isso estava saltando, eu já lhes havia dito.
Restava, efetivamente, a atualização, a Manifestação, absoluta, total, do que é a Luz.
É exatamente isso que vem para vocês.

Prestem atenção no Sinal do Céu, mas não vale a pena pegar um telescópio ou ir à sua internet.
Vocês podem fazê-lo, mas prestem atenção, também, no interior de si.
Porque Ela chega, Ela já está em vocês.

Alguns comunicam-se, cada vez mais facilmente, com MARIA, com CRISTO, e vivem êxtases cada vez mais intensos, ao mesmo tempo estando presentes nesse mundo, bem encarnados.
Vocês estão sobre esse mundo, mas não são desse mundo.
As Linhagens Estelares, um conjunto de corpus de conhecimento foi-lhes transmitido.
Mesmo isso, hoje, eu lhes digo: “Esqueçam-se”.
Porque não há mais Mestres exteriores.
Quando vocês penetram o que São, o que é que vocês fazem?
Vocês São vocês mesmos.
Por que querer seguir quem quer que seja ou o que quer que seja?

O mais importante não são minhas palavras.
O mais importante, como foi dito recentemente, é o Reencontro.
O Reencontro com o Fogo, o Reencontro com os Elementos, o Reencontro com os Arcanjos, com as Estrelas, com os Anciões, o Reencontro consigo mesmo.
Aí, são vocês que decidem.
Porque vocês têm os meios não, unicamente, de compreender, não, unicamente, de pensar, mas, efetivamente, de Vivê-lo.
A Verdade está aí.
Ela está em sua Vivência.

Atenção, quando eu falo de Vivência, eu não falo de um sentimento qualquer.
Porque um sentimento passa; vocês têm uma emoção, ela desaparece.
Isso é o sentimento.

Em contrapartida, quando vocês estão no Vibral, uma Energia chega, e ela se impacta em vocês, do mesmo modo que uma Consciência ou que um Reencontro com um Irmão ou uma Irmã encarnada ou com a Luz, quando a Onda de Vida sobe, ou com o Canal Mariano (nenhuma importância).
Vivam o que há a viver.
Aí, é da Vivência.
Por quê?
Porque não é uma energia que passa, mesmo se sejam experiências que tenham tendência a reproduzir-se, de tempos em tempos ou muito frequentemente.
É algo que se instalou.
Do mesmo modo que esse Evento, esse Advento que vem instala-se em seus céus.

Hoje, como foi, frequentemente, repetido, vocês vão para o mais simples.
O mais simples não é despojar-se e colocar-se em uma caverna; é Viver o que a Luz propõe a vocês para Viver, com mais evidência, com mais Abandono.
Mais como havia dito BIDI: esqueçam-se de si mesmos, desapareçam.
Não como um ato do ego que quer suprimir-se, mas como uma Graça que se revela quando, o que toma o lugar, e todo o lugar, é a Luz Vibral.

Naquele momento, vocês constatam e, certamente, constataram, nessas ocasiões ou de maneira mais direta, que a personalidade, mesmo se ela esteja aí, ainda, para servir a viver, não é mais ela que comanda.
Ela está aí porque vocês têm necessidade dela, enquanto um corpo de carne está aí, aqui, nesse mundo.

No que nós nomeamos a 3D Unificada (por exemplo, com os Arcturianos, com os Vegalianos) não há personalidade, no sentido que vocês entendem, ou seja, não há máscara.
A pessoa, a etimologia em Greco, é a máscara.
É o que é colocado à frente, para aparecer.

É claro que há um corpo, sintético ou biológico, conforme as raças (isso não tem importância alguma), mas um corpo real.
Eu entendo por corpo o que é limitado.
É um recipiente.
É algo que contém a Alma e o Espírito.
A Alma e o Espírito podem animar um planeta, um Sol.
O Espírito pode animar um Sistema Solar.
Nós todos somos isso.
Nós somos esse Grande Todo.

É claro, essa noção de ser um indivíduo, uma individualidade prosseguirá vocês aqui, nesse mundo, até seu último sopro, e é normal.
Como poderia ser de outro modo, mesmo se essa personalidade não esteja mais à frente, não seja mais o chefe, se preferem.

É diferente, nas Dimensões Unificadas, porque essa ruptura não ocorreu.
Os seres, por exemplo, Arcturianos, podem, muito bem, estar em uma Embarcação ao redor da Terra e estar, ao mesmo tempo, em outro corpo em Arcturius.
A Multidimensionalidade é a perda da localização em um corpo, preciso e específico.
É não mais ser tributário de uma única forma, de um único atributo de uma única função.
É ter toda a paleta possível de manifestações.
Como o faziam, antes do início desse período sombrio histórico da Terra, as Consciências que já estavam presentes sobre a Terra ou que visitavam a Terra, tomando um corpo biológico, humano ou outro.

Mas não havia ruptura, portanto, era muito fácil.
Naquele momento, visto do exterior, ou seja, da personalidade humana, há, um pouco, a impressão de um funcionamento comunitário, mas não é, de modo algum, isso.
Eu os remeto, para isso, ao que havia dito RAMATAM, sobre a noção de funcionamento das Unidades de Consciência a vinte e quatro unidades.

Não há perda de individualidade.
A perda da personalidade faz desaparecer os véus e as máscaras.
É tão simples assim, e é, exatamente, o que vocês Vivem.

Então, é claro, há Irmãos e Irmãs que não estão, de modo algum, nessa ótica de qualquer Liberação.
Eles estão apegados à matéria, eles estão apegados ao que eles conhecem.
É a Liberdade deles, mas lembrem-se do que lhes foi dito.
É um processo de Liberação coletiva, que passa por uma Ascensão, individual, e coletiva, a um dado momento.

Tudo isso se produz entre fins de outubro – ou seja, o que vocês Viveram de muito forte, há mais de uma semana – e, eu diria, o fim deste ano de 2013.
É claro, há, em seguida, o que eu nomeei essa espécie de aprendizado, que não é um aprendizado intelectual, mas que é um aprendizado Vibratório.
Vocês receberam, aliás, sem que se tenha informado disso de nossa parte, lá em cima (mas vocês encontraram, discutindo entre si), as sete Chaves Metatrônicas que faltavam, que se traduziram por uma modificação de seus sintomas.

Eu não vou descrevê-las, porque era necessário a um dado momento (a localização das Estrelas, a localização das Portas), mas vocês podem imaginar que, com o que vocês vivem agora, que é todo o corpo, toda a consciência que é concernida.
Portanto, não é necessário localizar e fazer portar sua consciência a essas novas coisas.

Eu repito, o mais importante é Vivê-lo, em toda facilidade.
A única facilidade para Vivê-lo assim é Abandonar-se à Luz.

É claro, há quem falará a vocês do bem, do mal, da sombra e da Luz.
Mas, desde quando a sombra e a Luz pertencem a outra coisa que não esse combate, aqui, nesse mundo, tanto em sua versão Terrestre, material, aí, onde vocês estão, como nos planos do astral que, eu os lembro, foram amplamente descontaminados e amplamente Liberados.

A Liberação da Terra, vocês sabem, ocorreu a partir do instante em que a Onda de Vida lançou-se a partir do Núcleo Cristalino da Terra.
Vocês viveram sua Liberação individual, para alguns de vocês.
Resta, agora, ao conjunto da humanidade viver esse Face a Face e, enfim, estabelecer, em sua dimensão, sua Dimensão Eterna, o que quer que aconteça a esse corpo físico.

Eu disse, efetivamente, que se trata de uma Espiritualização da matéria.
A Espiritualização da matéria começa assim que há esse Face a Face com a Luz (aquela que vocês viram, vocês sabem, as Partículas Adamantinas que se agenciaram, o que vocês veem quando estão na cama, à noite, ao seu redor, que se põe a Vibrar quando vocês estão deitados, as manifestações do Fogo do Coração, de Êxtase, de Alegria).

Há, também, por vezes, esse desencorajamento, para aqueles cujo mental tem tendência a pedalar, apesar da Existência.
A Existência diz-lhes: “Desçam, definitivamente, da bicicleta”.
Tudo está aí.
Vocês o Vivem no Interior.

Não se inclinem mais sobre uma coisa exterior: o Sinal.
Os sinais sobre a Terra são numerosos.
Eu creio que vocês tiveram numerosos ecos, durante mais de um ano, com SNOW ou, também, outras Estrelas, que lhes falaram da Ação dos Elementos.
Depois, vocês tiveram, a partir do início deste ano 2013, OSHO, que veio falar da Dança, do Fogo.
Nós temos insistido sobre o Silêncio.
Apliquem isso em sua vida.
O que pode acontecer-lhes de melhor do que a Luz?

Mesmo se vocês estejam no medo, mesmo se estejam apegados a tudo o que se pode imaginar que o humano possa estar apegado: ao seu cobertor, quando se é pequeno, ao seu mestre espiritual, ao seu ensinamento, à sua religião, às suas crenças.
Aqueles de vocês que penetraram a Infinita Presença ou que soltaram tudo, para ser o que eles são, vocês acreditam que exista algo que se aproxime de uma religião de uma crença, de um sofrimento nesse estado?
Vocês bem sabem que é impossível, que tudo o que é sofrimento, crença, ilusão encontra-se apenas nesse plano de realidade da consciência comum.

Então, depois, é claro, os Irmãos que estão na negação vão dizer-lhes que fujam, mas vocês de nada fogem, uma vez que estão plenamente encarnados e estão Espiritualizando sua matéria.
Portanto, é, efetivamente, o objetivo.

Tudo é perfeito na origem.
Quando vocês vivem isso, efetivamente, podem colocar-se questões engraçadas, quando a personalidade volta: “Para que serve, para que isso serve”?
Sim, mas enquanto vocês não estão do Outro Lado, não podem dizê-lo, apenas podem estar na raiva, na resistência, na negação, na negociação, no mental, se preferem, ou na argumentação.

Aquele que É, que vive a Infinita Presença, cada vez mais frequentemente, que Basculou, que está Liberado, mas ele não é afetado por isso!
Ele pode ter prazer em fazer o que ele quer, uma vez que a Irradiação que se faz dele é independente de sua vontade, independente de sua vontade de bem, independente de querer Servir ou de Servir, porque o Serviço faz-se espontaneamente, a partir do Coração do Coração, nesse Centro.

Lembrem-se de que o nono corpo, que corresponde ao que havia sido chamada a Vibração do ponto ER, sobre o esterno, no alto, é a Irradiação da Luz.
E vocês bem sabem que a Luz sai de vocês sem que vocês peçam o que quer que seja.
O que vocês querem fazer mais?
Contentem-se de estar nesse estado de Alegria, de Paz, de serenidade.
Aí estão os frutos.
Aí, isso lhes diz que é a Verdade.
Não são, absolutamente, as considerações de seu próprio mental, que vai, sempre, fazê-los hesitar entre duas escolhas ou fazê-los crer em uma escolha e fechá-los nessa escolha, que nada tem a ver com o Vibral, ou seja, com a Luz.

Então, é claro, vocês devem colocar-se questões sobre o Sinal do Céu.
Lembrem-se de que alguns de vocês, por vários anos tendem, desesperadamente, a consciência para esse Sinal do Céu.
Vocês serão mimados, porque ele está aí.
Aí está o que eu posso dizer disso.

Para nada serve que eu lhes diga, por exemplo, que é ISON, Betelgeuse, a Embarcação-Mãe de MARIA, ou Sol que vai explodir, ou Mercúrio que vai explodir, ou a Terra que vai explodir.
Qual importância isso pode ter?
Vocês preferem saber disso ou fazer crescer a Paz que vocês São, ou fazer crescer essa Alegria Interior?
Fazê-la crescer é uma grande palavra, uma vez que nada há a fazer, justamente.

Então, vocês querem fazer ou querem Ser?
É diante dessa questão que vocês se reencontram, todos, cada vez mais frequentemente.
Aí está, isso era muito importante.

Eu diria que é muito importante esse aspecto histórico.
Tudo está Consumado.
Tudo está em curso de atualização.
Como eu disse, aliás, a outros Irmãos e Irmãs que me recebem, que me ouvem, mesmo se, ainda hoje, haja alguns que estejam demasiado ocupados por MARIA ou por outra coisa, mas eles vão terminar por me ouvir (eu tenho os meios de persuasão necessários, não é?, vocês podem imaginar).

Portanto, esses Irmãos estão aí, também, para dar-lhes informações.
Não se pode mais falar de ensinamento.
Tudo foi dito.
Dão-se, simplesmente, informações para localizarem-se, porque localizar-se dá prazer a vocês, é claro, a todos, quando estamos sobre a Terra, nós temos necessidade de pontos de referência.
Fora, esse Evento vem quebrar todos os marcadores, tudo o que vocês conhecem na consciência comum.
Mas eu os tranquilizo, quando isso acontecer, vocês podem dizer como eu lhes digo esta noite, que isso não foi uma grande perda.
A Verdade é bem maior, bem mais ampla do que tudo o que vocês sonham, os sonhos os mais loucos que puderam imaginar, conceber ou esperar.

Concentrem-se em sua Vivência.
O resto faz-se naturalmente.
As confirmações são inumeráveis.
Eu não falo, unicamente, daqueles que se exprimem no que vocês nomeiam o Coletivo dos Filhos do UM, mas eles se exprimem, também, através de outras vozes.
Há uma espécie de sincronia, uma espécie de convergência para a Porta estreita, vocês compreenderam isso.
Essa Porta estreita não é mais individual, mas é coletiva.
Ela corresponde ao Face a Face, e inscreve-se na ordem do dia do que chega, em termos temporais humanos, eu esclareço.

Agora, contentem-se de estarem Presentes.
Contentem-se, quando a Luz chama-os, em responder ao Apelo.
Quando MARIA está aí, o que quer que vocês façam (é polido, aliás), escutem o que Ela tem a dar-lhes.
O que Ela lhes dá é Sua Presença, Sua Vibração.
Ela interage com sua Vibração em seu Coração, no Canal, nas células e em seu Espírito.
Será que isso não é mais importante do que todo o resto?

Cabe a vocês definir suas prioridades.
Não é mais tempo de tergiversar porque, vocês compreenderam, os tempos estão aí.
Os tempos dos profetas, mesmo se, como foi dito em numerosas reprises, vocês foram, muito amplamente, abrandados por sua Presença, por esse Despertar à Realidade de muitos Irmãos e de Irmãs encarnados, mas, também, por nossas Presenças, ao seu lado e em vocês, os Arcanjos também.

Tudo isso são marcadores, pontos de referência que foram traçados durante esses trinta últimos anos.
Cada um com um calendário que lhe é próprio, que lhe é pessoal.
Mas o que é que vocês constatam?
É que sua agenda, seu calendário pessoal, quer ele tenha trinta anos ou que ele tenha um mês, o que é que vocês constatam?
Que isso converge, que uns e os outros, em todo caso, aqueles eu não estão na negação, na raiva ou na negociação, vocês estão em uma Aceitação.
Vocês portam os frutos da Luz Vibral nesse mundo.
Nada mais há a compreender, nada mais há a imaginar ou a supor.

Agora, os Sinais do Céu, vocês vão ouvi-los, vê-los, senti-los e vivê-los.
Vocês já o vivem, há algumas semanas, aqueles de vocês que já receberam os últimos impulsos Metatrônicos, com o Impulso de Uriel e o Impulso Crístico, que está à sua porta, à porta KI-RIS-TI.
Tudo isso é agora.

Então, cabe a vocês, não abandonar tudo, mas saber, verdadeiramente, onde estão suas prioridades, eu diria.
Não suas prioridades, mas a única prioridade, qual é ela?
Porque aí, efetivamente, nós estamos no que foi nomeado, eu creio, na Bíblia, os tempos reduzidos.

É o tempo da Revelação Final.
A última trombeta soou.
Os sons do Céu e da Terra, que vocês ouvem, também, em si, pelos sons que se modificam nos ouvidos, tornam-se audíveis e vão voltar a tornar-se audíveis.
Todos os Sinais dos Cavaleiros estendem-se sob os seus olhos, a cada dia, no espírito humano torturado, nas revoltas, nas revoluções, na loucura, nos seres sábios, com um crescimento da Irradiação.

Aí está o que eu tinha a dizer sobre isso.
É o crescimento de sua própria Irradiação, que não depende de vocês, que se produz porque Nós Estamos aí, em vocês e ao seu redor.
Portanto, se quiserem, efetivamente, sair de uma visão melodramática, que concerne apenas à personalidade confinada, vocês estão, eu penso, a maior parte, de acordo para dizer que é, verdadeiramente, um grande momento.
É um grande Evento, como jamais houve sobre a Terra.
Isso foi dito por múltiplas vozes.
Isso acontece em vocês, já, e atualiza-se fora, na ilusão desse mundo.

Aí está o que eu tinha a dizer.
É uma intervenção um pouco formal porque, como eu já disse, em outras vozes que me recebem, e como disseram, também, outros intervenientes e dirão, também, cada vez mais, a vocês, cada um poderá ver, ouvir e viver.
Depois, cada um faz disso o que quiser.

Aqueles que querem permanecer no sacrossanto livre arbítrio do confinamento, é a liberdade deles.
Ser-lhes-á feito, exatamente, o que vocês são, naquele momento.
Portanto, guardem isso no espírito.
Não se deixem embarcar em algo que seria, como dizer..., demasiado constrangedor.

Aliás, vocês sentem isso, se devem ir fazer algo nesse mundo, por seu trabalho, por suas relações sociais ou afetivas – o que tem que ser feito – se há a fazer, isso se faz facilmente.
Se há resistências, obstáculos, é que isso não é fluido.
Vocês já sabem de tudo isso, talvez, com uma acuidade mais importante.
Mas, além mesmo de observar o que se desenrola em sua vida, vocês são, agora, perfeitamente capazes de fazer a diferença entre os momentos em que estão na verdadeira Paz e os momentos em que estão na personalidade.

Vocês veem, pertinentemente, que isso nada tem a ver, o que dá, para alguns de vocês, por vezes, a impressão de ser dois.
Mas não é, unicamente, uma dissociação, é uma dissolução.
Portanto, tudo isso é instaurado tranquilamente.

O que é importante, e isso eu havia dito logo no início de minhas intervenções, é que não precisava buscar uma data, porque ninguém conhece a data.
Nós lhes demos a data de eventos que se produziram nas Dimensões da Luz Vibral, ou seja, no plano causal e além, os efeitos sobre o corpo mental e o corpo astral do planeta, os envelopes isolantes.
Mas, sobretudo, vocês são capazes, hoje, de ver, claramente, em qual lugar vocês se situam no desenrolar de um dia, no desenrolar de suas experiências, de sua própria consciência.

Cada vez mais, vocês constatam que são coisas as mais simples que vocês nutrem o melhor possível, nos aspectos os mais comuns, como a alimentação, as relações com os outros ou sua relação com a Luz que vocês São.
Tudo isso se estabelece, progressivamente.

Se vocês tivessem a possibilidade de ver trinta anos atrás e sentir, muito precisamente, hoje, o que era de sua vida há trinta anos – se vocês estivessem encarnados, é claro – hoje, vocês não poderiam, mesmo, imaginar, mesmo com o recuo, todas as transformações que ocorreram.
Então, o olhar da personalidade, que é o que verá, vai ver o combate do bem e do mal, sem parar.
Ele verá o mal da Terra, os combates entre as forças sombrias, os iluminatis, os fantoches e as forças da personalidade ou as forças da Luz.
Não são os mesmos combates, é claro.

Há aqueles que querem opor-se; há aqueles que querem combater a Luz, mas a Luz não combate, jamais.
MIGUEL combate.
Ele foi representado assim, que ele combate, mas ele combate por sua Presença.
Não é um combate no sentido que vocês entendem, como um combate do humano em sua vida de todos os dias, seja na escola, quando é preciso atritar-se com os colegas, seja no trabalho, onde é preciso, como vocês dizem, defender seu bife, seja no casal, quando é preciso verificar que não há amante etc., quando nada é certo.

A Paz é certa.
Ela está aí, à profusão, em abundância, para todos, para cada um.
Mas ainda é preciso que vocês parem de jogar esses jogos estéreis – para aqueles que nada vivem – do bem e do mal, da personalidade, do combate da sombra e da Luz.
A Luz não se impõe.
Ela se descobre e, para descobri-la, é preciso aceitar deixá-la Trabalhar.
A partir do instante em que vocês saem de si mesmos, seja por uma vontade de bem, por uma vontade de projetar-se para lutar contra a sombra, para aumentar a Luz, é o ego que fala.
Vocês são livres de fazer com o ego, como se diz, exercícios, sadanas, como diriam nossos amigos orientais.
Mas, hoje, vocês descobrem, muitos de vocês, que não há mais necessidade de tudo isso, que eram, em última análise, muletas, artifícios.
É como os cristais ou todas as técnicas energéticas que demos, também (não eu, mas outros), durante este período.
Tudo ao que vocês se seguram, tudo o que lhes permitiu, a um dado momento, Vibrar um pouco mais, elevar sua Vibração (da Luz, não a vibração, unicamente, física ou espiritual), naquele momento, isso necessita de um esforço.
Olhem, hoje, para a maior parte, será que vocês têm necessidade de tudo isso?
Será que vocês têm, mesmo, necessidade de minhas palavras?
Eu estou ao seu lado.
É porque vocês têm, ainda, em algum lugar, uma parte de incerteza sobre não seu potencial, mas sobre sua realidade, ou seja, de Semente de Estrela, de Estrela, de Ancorador de Luz, sua Origem Estelar, a Eternidade e tudo.

Se isso não se produz é que vocês mesmos, em sua personalidade – sobretudo nesse momento, desde algumas semanas – vocês se põem, de imediato, sob a lei de ação-reação, ou seja, no livre arbítrio, na lei que, eu os lembro, é a própria essência da falsificação.

O Amor é Graça.
Ele é Luz.
O Amor é perfeito, de todos os tempos, de toda origem, de todo espaço e de toda dimensão.
Em nome de que vocês teriam que reconquistar o que vocês São?
Pelo princípio da queda, pelo princípio da redenção?
Mas isso nada quer dizer.
Deem-se conta disso!

Aliás, todos aqueles de vocês que se instalam na Infinita Presença ou no estado real de Desaparecimento Total, o Jnani, como diria BIDI, o Liberado Vivo, o ser liberado das forças da matriz, é claro que ele habita um corpo.
Ele não está na recusa da encarnação.
Simplesmente, ele deixa viver esse corpo.
O interesse, o único interesse é a Luz Vibral.
É o Amor, mas não o amor no sentido em que o humano a travestiu, reforçou (ajudado, para isso, pelos Arcontes), mas o Amor Vibral, que é um Fogo, que é um Fogo que devora tudo, um Amor insustentável e tão delicioso, e tão a única verdadeira Força do Universo.
Todo o resto são apenas sucedâneos, todo o resto são apenas consertos, eu diria, da Criação.

A vida é criação, em todas as dimensões e em todos os domínios.
Disso, vocês se esqueceram.
Então, para nada serve crer nisso, porque crer nisso a nada os levará.
Vivam-no.
Se vocês devem Vivê-lo, como nos diria nossa pequena Teresa: Humildade, Simplicidade.
Aceitem Desaparecer, como dizia MESTRE PHILIPPE, nada ser, completamente.

Vocês não podem ser algo aqui e ser algo Alhures.
Isso não é possível, sobretudo agora.
Isso era possível em meu tempo, porque as condições não eram as mesmas.
Hoje, cabe a vocês escolher.

Vocês querem ser alguém de muito significante nesse mundo, através de sua pessoa?
A porta é aberta para vocês, porque vocês têm o “'star system”.
Apressem-se!
Não há mais muito tempo.

Eu lhes digo isso assim, mas tudo estava aberto durante esses anos, qualquer que seja o setor, mesmo ao nível espiritual, no qual se erigiu um número considerável de pessoas que se nutriram do que nós tentamos demonstrar, como a luz oposta à Luz Vibral.
Essa luz que brilha, que cintila, mas que não é a Luz.

Tudo isso vocês sabem, se o Vivem, mas, infelizmente, vocês não o sabem se não o Vivem.
Vivam-no!

Todas as respostas estão na Vivência.
Vocês não têm mais necessidade, hoje, de colocar pedras, de fazer isso ou aquilo.
Façam-no, se isso lhes dá prazer, mas o essencial não está aí.
O essencial é a Vivência, Aqui e Agora.
É aí que se encontra a solução, para aqueles que ainda não a encontraram.
Para isso, vocês devem renunciar.
Então, atenção, porque o ego, ele ouve sempre, há anos, através disso, a necessidade de mudar de família, de lugar, de casa, de vestimenta, de país.
Isso nada quer dizer!
As circunstâncias da vida, desde alguns anos antes das Núpcias Celestes, levaram-nos a posicionar-se diferentemente na vida, a mudar de região, a mudar de modo de funcionar.

Aí, agora, não é mais isso.
Diz-se, sem rodeios, a você: você quer funcionar como uma personalidade ou quer funcionar como a Eternidade que você É?
É tão simples assim.
Não há necessidade de conversa fiada, de justificação, de sentimento emocional.
Não há necessidade de pensar, mas de Estar aí, e unicamente aí.
Aqui e Agora se encontra a chave.
Para isso, para nada serve lutar contra seu mental, para nada serve lutar contra suas emoções.
Olhe-as passar e elas passarão sem afetá-los.

É isso que vocês vivem, alguns de vocês, mesmo sem saber.
Vocês constatam bem os frutos, nas diferenças de comportamentos, de seus afetos, de suas emoções.
Vocês veem, efetivamente, o que os põe na Alegria e o que os afasta dessa Alegria que vocês São.
É terrivelmente simples.
Era menos simples antes, porque havia muitas camadas isolantes.
Hoje, é muito fácil.

Apesar disso, há, ainda, Irmãos e Irmãs que defendem as concepções da prisão.
Cabe a eles ver.
Eu repito, nenhum de vocês poderá escapar, encarnado ou não encarnado, enterrado em um buraco da Terra ou escondido alhures, no espaço desse Sistema Solar, ao Impulso Crístico.

Aí está o que eu tinha a dizer-lhes.
É, também, de algum modo, uma forma, através dessa retrospectiva e do que eu digo também, independentemente da retrospectiva, um esquema, uma cena que eu lhes descrevi.
Cabe a vocês tentar ver onde estão, mas não tentar ver, no sentido da visão.
Tentem Viver.
Ver é Viver, não ver com os olhos (não fazer disso uma imagem), mas apropriar-se disso porque é você, sua natureza, sua Essência que Vive isso.

Então, quanto aos Sinais do Céu, ainda uma vez, eu vejo as questões chegarem: qual é esse sinal do Céu?
Eu já disse: pode ser um único, como o conjunto.
O principal é que haja um Sinal Celeste, visível para todos.
Ele está à sua porta.

Aí está a primeira parte do que eu tinha a desenvolver com vocês.
Então, vamos fazer, agora, uma segunda parte, que será mais focada na resposta às suas questões, porque eu posso imaginar que aqueles que colocam questões neste instante têm questões que vão – pelo menos estou quase certo disso – no sentido que toca o que eu exprimi.
Então, caros Amigos, gostaria de começar pela primeira questão.

Questão: Existem numerosas questões sobre a natureza de ISON.
Os astrônomos são de opiniões divergentes.
Qual é a natureza de ISON; cometa, outra coisa?

É muito simples.
Nós temos falado, em numerosas reprises, dos cometas.
Eu o disse, aliás.
A cada ano, como por acaso, mais ou menos na mesma época, há, sempre, cometas que chegam, não é?

Os cometas – é preciso voltar à essência de um cometa.
Vocês sabem que – como vocês chamam isso, os americanos que olham – a NASA, eles dizem que os cometas são de água, de gelo, de neve suja.
Depois, há outros que dizem que os cometas são algo que tem um efeito muito poderoso no Sistema Solar, de ressoador.
Outros, que dizem que não é nada disso, que isso nada faz.

Eu os remeto, simplesmente, ao que dissemos, mas, antes de nós, havia, de qualquer forma, pessoas sensatas.
Eu penso, por exemplo, em Rudolf Steiner, quando ele falava da missão de MIGUEL, com a forma que toma MIGUEL na 3D, que é um cometa.

O cometa, mergulha-se na história desta Terra, em especial no que eu nomearia as astrologias primitivas.
Mesmo se a astrologia corresponda ao cinturão zodiacal, ou seja, às próprias forças do confinamento, é possível descrever, nesse cinturão de treze signos, doze mais um, uma vez que há a Constelação de Ophiuchus.

Vocês têm a possibilidade de descrever leis, as leis da prisão.
São as casas, é a irradiação desse cinturão zodiacal sobre o qual, no interior de seu Sistema Solar, foi colocada a camada a mais fina do confinamento eletromagnético que, eu os lembro, foi rompido em 2009, pelo primeiro flash de Bételgueuse.
Mesmo nisso, vocês estão sujeitos a influências vibratórias, cármicas, a configurações específicas, a agenciamentos específicos de planetas e de constelações que vão dar conta de sua vida.

Nas astrologias antigas, era feita referência de uma influência maior dos cometas, então, vocês podem imaginar que, nesses tempos antigos, em todo caso, para a memória desse ciclo de humanidade de seis mil anos, não havia lente aperfeiçoada para observar o que é invisível a olho nu.
Era necessário que um cometa fosse visível.
Um cometa visível assinala muitas coisas.
Eu não vou fazer um curso de astrologia.
Esse não é meu propósito.

Conforme o lugar preciso em que se situa o cometa, é quando ele se torna visível.
Enquanto ele é invisível, ele não toca a consciência comum.
Vocês vivem a aproximação do cometa ISON e de outros cometas, de diferentes modos, no Interior de si.
Alguns, com Alegria e, outros, com muita dificuldade.

Como vocês constatam, eu dei esse período de alguns dias a partir de 30 de outubro, em que isso empurra forte, não é?
É cada vez mais insistente, a Luz, não?
Portanto, tudo isso para dizer-lhes que, de momento, isso não é visível.

Tranquilizem-se: se não é ISON, será outro.
ISON ou todos os cometas são a precipitação de uma consciência Micaélica, de uma energia Micaélica e de uma Vibração Micaélica.
Não vou voltar a cometas que foram visíveis no céu, há mais de quinze anos sobre a Terra.

A astrologia antiga nos diz que, conforme a constelação que é atravessada pelo cometa no fundo do céu, os planetas que estão no âmbito, no Sistema Solar, desse cometa, isso vai dar efeitos profundamente diferentes.
Então há, mesmo na roda zodiacal do confinamento, o que se chama de graus simbólicos.
Ora, há, mesmo, astrólogos que deram uma simbologia extremamente precisa para cada grau zodiacal.

Há um sinal do zodíaco que é extremamente importante, primeiro, porque ele lhes foi escondido, é Ophiuchus, o Serpentário, e que está exatamente antes de Sagitário.
Há Nostradamus, Michel de Notre-Dame (que, eu os lembro, era o Walk-In de ORIONIS, naquele momento), que deixou certo número de coisas incompreensíveis para o comum dos mortais, mas, aí dentro, ele havia dado, também, o Retorno da Luz.
Esse retorno da Luz faz-se de dois modos diferentes, no cinturão zodiacal visível.
Esses dois períodos de manifestações prováveis da Luz e algumas da Luz, ligadas, também, aos corpos cometários e, portanto, a Miguel, situam-se no Ophiuchus e no Sagitário.
É, exatamente, o período que vocês atravessam, em muito pouco tempo e, mesmo, agora.

Portanto, através de todo esse período, até 21 de dezembro, se não é ISON será outro signo celeste.
Não se tem apenas ISON como representação do que acontece lá em cima.
Há outros cometas, há outras possibilidades de ver coisas no céu, de modo cada vez mais evidente.

Mas, eu repito, não fiquem no simbólico.
Não fiquem na observação exterior.
Olhem o que se desenrola em vocês desde alguns dias, desde algumas semanas.
Alguns de vocês estão cada vez melhor.
Outros estão, talvez, aparentemente, cada vez pior.
Qual é a diferença entre os dois?
Há aquele que se Abandona e há aquele que quer manter as preeminências de seu mental e que quer, com seu mental, mesmo se ele Viveu a Existência, tranquilizar-se, dar-se conceitos, dar-se representações simbólicas, zodiacais, energéticas.
Se houvesse confiança real, será que vocês teriam necessidade disso?
Não, porque isso acontece Dentro.
Vocês esperam, simplesmente, o exterior, mas o exterior está aí.
Eu digo que ele está à sua porta.
Isso não se codifica em anos, não é?

Agora, e eu não responderei a essa questão, porque há, entre vocês, os que vivem a Vibração, a Luz, e que esperam, com uma impaciência sincera, que tudo isso desapareça, completamente.
Quem sabe?
Há referências que lhes foram comunicados, mas não se esqueçam de que o som do Céu e o que será visto no céu é a preliminar e a manifestação do Apelo de Maria, do Impulso do CRISTO e da ação do Real na Última Reversão.
Reversão, primeiro, dos polos do Sol, que está se produzindo e, em seguida, Reversão Final de sua consciência e, acessoriamente, da Terra.
Tudo isso nós dissemos, durante anos.

Existem inumeráveis provas científicas, reais, concretas de que isso ocorreu em inúmeras reprises sobre a Terra.
Coisa que todos os maus rapazes estão bem ansiosos de impedi-los de conhecer, através da dissimulação, através da falsificação da história.
Mas, sinceramente, isso não tem importância alguma, porque a própria história da falsificação, que eu lhes descrevi aceleradamente, não tem importância alguma para o que vocês Vivem agora.
Ela pode, simplesmente, ainda uma vez, dar-lhes uma pequena muleta, porque vocês acreditam que tropeçaram.
Mas vocês não podem tropeçar.

O que vocês nomeiam de Ascensão, o que nós nomeamos, com vocês, a Ascensão, o que nós nomeamos a Liberação é um processo dos mais naturais no Universo.
Do mesmo modo que vocês têm a imagem, todos os dias, nesse mundo: vocês nascem, morrem, as estações nascem e morrem, as árvores nascem e morrem, os animais nascem e morrem.
O que vem é a imortalidade do que vocês São.

Como vocês podem imaginar ter medo?
Ter medo do sofrimento, mas quem é que sofre, se não é a personalidade?
Vocês acreditam que os Místicos passados ou vocês, hoje, os Místicos que vivem isso...?
De onde vem o medo, exceto das crenças, exceto das memórias passadas que, por vezes, sobem, ainda, nesse momento?

Se, objetivamente, vocês ficam na Vibral, Aqui, Presentes, e esse Vibram mantém-se, o que quer que vocês façam na vida, qual razão haveria de ter qualquer medo, qualquer dúvida, qualquer resistência?
Coloquem-se essa boa questão.

Aí está!
Agora, eu paro de falar e escuto as questões.
Qual era a primeira questão?
Ah, sim, era ISON.
Se não é ISON, será outro.
Se não é ISON, será o Sol.
Se não é o Sol, será Bételgueuse.
Se necessário, será uma Embarcação da Frota Intergaláctica, de dimensão bem maior do que seu planeta.

Vocês veem, agora, que há a Descida do corpo de Existência, do planeta e do seu, que há esse ajuste que se faz entre a Eternidade e o efêmero.
Nós temos todos os meios à nossa disposição, mas não é mais uma questão de decisão da Terra, de sua decisão individual ou de qualquer decisão dos Arcanjos ou das diferentes Assembleias.
É uma questão de conjunção astronômica.

Se não é aquela com ISON, será com uma das Embarcações da Confederação, com o Sol, com Mercúrio.
Pode-se, sempre imaginar, uma vez que nada mais há, compreendam, quem nos fecha ou qualquer possibilidade de ser fechado em nossa ação sobre a Terra.
O que não era o caso antes, é claro, porque, a partir do instante em que, mesmo um ser que vem de uma dimensão “muito alta” (mas o muito alta, não o vejam como mais Vibrante, mas digamos, de uma abstração em relação à consciência humana tão alta como o véu do esquecimento que lhe caía por cima, a partir da aproximação do Sistema Solar)... hoje, vocês o veem em seus céus, os Vegalianos vagam, à vontade.
Nós estamos ao seu lado, à vontade.

Será que era o caso há dois anos?
Não, nós não arriscamos mais nada, e vocês não arriscam mais nada.
Há apenas seus medos e seus apegos que os fazem arriscar, mas nada do exterior pode fazê-los arriscar o que quer que seja.
Isso é uma armadilha e um artifício do ego, e a armadilha final que resulta dos condicionamentos de seu próprio confinamento, de nosso próprio confinamento e de nossa ruptura com a Eternidade, a
Fonte, a Luz Vibral.

A natureza de ISON, qual importância?
Não foquem em ISON.
Se não é ISON, será outra coisa.
Isso faz parte das configurações astronômicas, zodiacais, nas constelações além do zodíaco, em relação à sua influência real na consciência da Terra.
Um pouco como houve, como eu disse, em agosto de 1984, a primeira acoplagem do Espírito Santo, vindo de Sírius, sobre a Terra.
É o mesmo para o Impulso Crístico, que está às suas portas e à nossa porta.

Quando o Impulso Crístico estiver aí, vocês verão que a porta não existe, a partir do instante em que vocês aceitam olhar.
Portanto, ISON ou outra coisa, nenhuma importância.
Isso faz trabalhar o mental.
Isso faz trabalhar a representação simbólica.
Como eu disse, para o zodíaco, por exemplo, divirtam-se com isso, mas não vão demasiado longe com isso, não se fechem com isso, porque vocês arriscariam ficar muito decepcionados.

Questão: Dada a aceleração em curso, dos eventos e do Choque da Humanidade, gostaria de saber se a Reversão acontecerá no primeiro trimestre de 2014.

Creio que deram a vocês muitos elementos.
Tudo seria concluído entre 2005 e 2012, de julho de 2005 a julho de 2012 ou dezembro de 2012.
Isso vocês viveram.

Em seguida, é a atualização.
A atualização é a manifestação tangível, exterior, de tudo o que acontece aí.
Portanto, quando eu digo que há um Evento, é preciso compreender que há um Evento inicial, que está aí, e um Evento final que não está aí.
O Evento final que se situa em um período que pode ir de um minuto até pouco mais de quatro meses.
Portanto, basta contar.

Questão: Sendo dona de casa, o mental é, frequentemente, solicitado para ocupar-me dos filhos.
Eu vivo, no entanto, cada vez mais frequentemente, deslocalizações da consciência e uma perda de toda referência de tempo e de espaço, o que torna impossível, então, qualquer ação.
Como viver, o melhor possível, esses estados, sem ter a impressão de fugir de meu papel de mãe?

Essa questão é muito boa, porque ela atrai a atenção para a diferença de tratamento dos indivíduos.
Há indivíduos, hoje, que estão muito tranquilos.
Eles estão aposentados ou estão na calma.
Eles não têm necessidade de trabalhar; eles não têm filhos; eles estão, plenamente, nessa tranquilidade.
E, depois, há outros que são obrigados a movimentar-se, com filhos em baixa idade, a necessidade de ganhar a vida, de manter uma família, relações humanas, sociais, afetivas.

O Apelo da Luz é, exatamente, o mesmo.
Digam-se que cada um está em seu exato lugar.
Aquele que deve movimentar-se e debater-se na vida de todos os dias não é mais molestado ou não está mais em desvantagem ou vantagem do que aquele que tem todo o tempo.

É preciso retornar o problema: talvez, aquele que tem todo o tempo para viver isso, é, talvez, porque ele tinha necessidade de todo esse tempo, e aquele que deve levar uma vida ativa não tem necessidade de vivê-lo todo esse tempo.
E digam-se, também, que alguns Irmãos e Irmãs que, estritamente, nada vivem, em tudo o que vocês testemunham entre si, uns e outros, e o que nós dizemos, não têm, tampouco, necessidade de viver isso.

Não julguem ninguém porque, talvez, alguém que em nada crê de tudo isso e que fala mal de você às suas costas, talvez, amanhã, ele estará mais “liberado” (entre aspas, é uma imagem) do que você.
Vocês sabem que isso nada quer dizer, «mais», é uma imagem, também.

Portanto, as circunstâncias de sua vida, sobretudo depois do mês de dezembro de 2012, são exatamente aquelas que são as mais úteis para vocês.
Quer você esteja no fundo de um leito, com uma doença terminal, quer esteja em canteiro de obras e trabalha, quer seja mãe de família incomodada por seus filhos, quer esteja junto de um mestre que o confina através das próprias crenças dele e não através da Irradiação do que ele é, você está, muito exatamente, no bom lugar.

Então, é claro, há, entre vocês, os que, talvez, nada fazem e que gostariam, efetivamente, de fazer algo.
Depois, há, entre vocês, os que, efetivamente, fazem muitas coisas e que gostariam muito de ter mais tempo para, justamente, ficarem tranquilos, dançarem e ficarem em silêncio.
Cada coisa está em seu lugar.
Do mesmo modo que nós havíamos dito, todo esse tempo, que será feito, exatamente, a cada um, segundo sua Vibração e sua consciência.

Hoje, mais do que nunca, desde dezembro, eu posso dizer-lhes que vocês estão, muito exatamente, no bom lugar.
O que lhes é colocado à frente, quer seja nada, quer vocês estejam completamente imersos em Shantinilaya, ou seja a maior parte dos problemas que possam acontecer a um ser humano, seja o fisco, seja o oficial de justiça, sejam os divórcios, a morte, isso não tem mais importância alguma.
Vocês estão nas circunstâncias que são necessárias para cada um.
Não adotem o olhar exterior daquele que vai invejar aquele que está em repouso ou daquele que está em repouso que inveja aquele que se move muito.
Vocês estão, muito exatamente, onde é preciso, para Viver isso, para Viver o Apelo, a Promessa e o Juramento, se preferem.

Questão: Poderia falar-nos das últimas Chaves Metatrônicas?

Eu disse, há pouco, parece-me, que eu não daria a precisão das Chaves Metatrônicas, porque é, antes de tudo, para Viver e para observar em si.
E depois, aliás, o que é que vai acontecer?
Há, entre vocês, os que já viveram essas sete Chaves.
Outros, que não viveram qualquer das doze.
Vocês se dão conta do que isso vai introduzir como interrogação?

Eu posso apenas repetir que o mais importante é Acolher: ''Eu Acolho a Luz CRÍSTICA, em Unidade e em Verdade”; “Eu me Abandono à Luz”; “Eu Sou”.
Vibração do Coração, Canal Mariano, Presenças, contactos, Comunhão, trocas, Dissolução.
O resto é bla-bla-bla.

Portanto, eu nada darei sobre essas Chaves, outra coisa do que dizer: essas Chaves foram entregues para alguns de vocês, na totalidade.

Questão: Pode escoar-se, ainda, vários anos de nosso tempo terrestre, antes da Ascensão coletiva ou os três dias ou o Apelo de MARIA?

Vocês estão dentro!
No ano passado, estava Consumado.
Aí, está em atualização, mais do que evidente.
Olhem o que acontece ao seu redor.
Olhem na França.
Olhem no mundo.
Olhem os Elementos.
Olhem tudo o que acontece.

Vocês veem, efetivamente, que esse mundo está sofrendo de um confinamento máximo.
Visto da personalidade, isso pode parecer bizarro, porque se fala a vocês de Liberdade.
Muitos de vocês vivem a Liberdade, o Samadhi, o Êxtase e, ao mesmo tempo vivendo isso, eles continuam uma vida ativa.

O que vocês veem?
Que é cada vez mais difícil, que há de cada vez mais peso, mas é normal.
Vocês não acreditam, de qualquer forma, que o que resta do sistema de controle humano, as linhas de predação que lhes são pessoais, eu os lembro, e que impedem a Onda de Vida subir..., tudo isso são elementos de resistência que se misturam uns aos outros, agravamento, assim, as circunstâncias de vida sobre a Terra, que ninguém pode negar, exceto aqueles que têm muito dinheiro e nenhuma consciência.
Todo mundo, a maioria bateu nisso, em um grau ou em outro: a falta de caridade, a falta de Amor, a falta de honestidade, a ditadura dos pensamentos, a ditadura dos modelos econômicos ou outros.

Portanto, quanto mais vocês descobrem a Liberdade Interior, coletivamente e, sobretudo, individualmente, mais vocês observam o confinamento, talvez, por vezes, cada vez mais difícil a viver, ao mesmo tempo mantendo, efetivamente, a distância entre esse confinamento e sua capacidade para viver a Alegria, seja na natureza, seja à beira de um curso d’água, seja reencontrando um Irmão ou uma Irmã, ou trocando as Vibrações com MARIA ou comigo.

Não há paradoxo.
Simplesmente, é claro, aquele que vê e vive apenas o que se desenrola no plano do humano, no plano da Terra, e que tem apenas a sensação das emoções, a sensação de seus pensamentos e que não vive a Paz, como vocês querem que ele aceite que nós estamos em Liberação?
Coloquem-se no lugar dele, um pouco.
Tudo isso acontece agora.
Tudo isso não é em um ano, vocês o Vivem.

Há, efetivamente, um momento identificável.
Justamente, pelo Evento em que vocês verão a concordância total do que Vivem, talvez, por episódios ainda, de momento, ou, talvez, não.
Com o que será vivido naquele momento, ninguém poderá dizer que não sabia.
Até o presente, muitos Irmãos e Irmãs estão, ainda, em um estado de letargia total (metrô – trabalho – sono), nada veem, não querem ver, porque eles estão na ideia, se são espirituais, de que há uma Era de Ouro que chega, que tudo vai ficar melhor.
É uma heresia dizer isso.

É preciso, verdadeiramente, ser estúpido para ver que tudo vai cada vez melhor sobre a Terra.
Eu os remeto, para isso, ao que dizia o Arcanjo MIGUEL, durante todas as intervenções dos Casamentos Celestes.
Eu repito, nada mais será similar, não mais a título individual, mas para o conjunto do coletivo humano.

Após o Sinal Celeste, as condições de vida serão profundamente diferentes, aqui ou alhures.
Será aqui ou alhures?
Aí, isso remete à liberdade de cada um.
É isso o livre arbítrio, mas, também, a Lei da Graça.

Mesmo se eu lhes fale desse Advento, ou desse Evento exterior, desse Sinal Celeste, dos Sinais do Céu – mesmo se esse Evento esteja aí e vocês, no Interior, não estão Abandonados – eu lhes garanto que isso não será uma liberação que vocês viverão naquele momento.
Mas a totalidade da humanidade é Liberada, mesmo se não Ascensione, coletivamente, no mesmo lugar e do mesmo modo.

Há numerosas Moradas na Casa do Pai, vocês sabem disso.
A liberação não pode vir do exterior.
O exterior é uma ressonância, uma adequação.
A Liberação é Interior, e ela não depende de mestre algum.
Ela não depende de qualquer autoridade exterior.
Ela não depende de qualquer carma.

Vocês acreditam que aqueles que estão Liberados, verdadeiramente, hoje, ou seja, que não têm mais essa influência do mental, da personalidade, que eles esperam esse evento como vocês, ou temem-no, como aqueles que não querem vê-lo?
Aquele que viveu o pré-Evento, ou seja, o Absoluto, o Desaparecimento total de toda referência, qual importância isso tem para ele?
O importante é para o coletivo porque – quer se queira ou não – se vocês estão Liberados, não são mais influenciados pelo coletivo da humanidade.
Vocês são influenciados, entre aspas, afiliados ao Coletivo do Um, ou seja, a Merkabah Interdimensional coletiva, a Fonte, Alcyone, sua Origem Estelar, a Ronda dos Arcanjos, a Ronda dos Anciões e a Ronda das Estrelas.

Mas, para aquele que nada vive de tudo isso, eu duvido muito que esse Evento Cósmico, Celeste, faça com que todo esse coletivo vá para a Liberdade.
Porque a Liberdade, a verdadeira, dá muito medo àqueles que foram tão privados de Liberdade.

Olhem alguns pássaros ou alguns animais que se fazem viver em cativeiro.
Eles têm a mesma forma, a mesma pelagem, as mesmas plumas.
Mas, se os soltam, a maior parte é incapaz de viver, porque eles não adquiriram isso.
O Evento, ou o Advento, é a aquisição, mas, depois, vocês fazem disso o que quiserem.
Vocês retornam à prisão ou não.
Mas, jamais, a prisão será como antes.
Ela estará com a porta aberta, todo o tempo.

Mensagem de Louis:
Eu lhes transmito, assim como a todos os Intervenientes, nossas saudações, assim como nossos agradecimentos por seu trabalho, tão preciso e precioso, no bom caminho do Advento.
Nós lhes dizemos até muito em breve.

Caro Amigo Louis, eu lhe digo, também, até muito em breve.
Eu aproveito, também, para dizer algo de muito importante.
Isso era válido quando eu estava em um corpo de carne.
É fácil olhar um ser como um Mestre, mas será que o Mestre seria um Mestre, se não houvesse tantos Servidores que servem não ao “Mestre”, mas à Luz?
Portanto, vocês falam de Louis, mas vocês são inumeráveis.

Todos aqueles que têm transcrito o que eu disse, e todos aqueles que, de uma maneira ou de outra, através da internet, através de cópias, através de sua Irradiação serviram tanto àquele que transmitia como aqueles que transmitem a minha voz hoje.
Não há, no Serviço, noção de mais ou de menos.
Vocês estão no Serviço ou vocês não estão.

Para nós, não há diferença alguma.
É isso que é importante apreender.
Portanto, não há um que é e o outro que seja menos.
Aquele que tem faculdades para ouvir-me não tem, talvez, faculdades para organizar, para apresentar.
Portanto, que seja você, caro Amigo, ou o conjunto de anônimos ou menos anônimos que Servem à Luz.

Mas atenção, isso não quer dizer que os outros não Servem à Luz.
Simplesmente, eles não estão, ainda, Despertos e Revelados à própria Luz, que está no Interior.
Tudo está no Interior.

Mesmo essas resistências!
Se você tem, por exemplo, um marido, uma mulher ou um parente que os coloca em raivas escuras, porque ele(a) recusa o que você Vive – para ele(a) você é louco(a) – abençoe-o, agradeça-lhe, porque ele o faz progredir, ainda mais rapidamente do que aquele que o acaricia.
Isso é evidente.

Não há ninguém a retirar, ninguém a banir de seu ambiente, mas, simplesmente, a integrar.
Você verá que, quando fica nessa tranquilidade, nesse Silêncio e, mesmo, no observador, se você observa o que diz ou manifesta um Irmão que não está de acordo com você (quer ele tenha o componente afetivo ou não, aliás), contente-se de Acolhê-lo.
Não entre em uma discussão.
Não entre na confrontação.
Diga sua verdade.
Acolha a verdade dele, sem qualquer julgamento.
Vocês estão no tempo em que podem falar-se, uns e os outros, porque, de qualquer modo, o Evento coletivo é o mesmo para todo mundo.
Alguns de vocês têm um muito pequeno avanço.

Para terminar com os agradecimentos de Louis, vocês estão, todos, no bom lugar.
Não há um lugar que seja superior ou inferior a outro.
Ou sua consciência Acolhe ou ela não Acolhe.

Acolher não quer dizer aceitar o que diz o outro.
Isso quer dizer Acolher o Coração dele, não as palavras que os assassinam, talvez.
Mas vão além disso, para perceber o Apelo do Coração, que está por trás.
Não é apenas aqueles que escutam a minha voz que podem fazê-lo.
São todos aqueles que estão em contato com MARIA, todos aqueles que estão nos horrores da dúvida hoje.
Porque, se vocês os Acolhem, mesmo rejeitando as crenças deles – não é questão que elas os penetrem – é, simplesmente, o Acolhimento do Coração, sem julgamento, sem nada.

Qual conflito pode haver no Coração?
Portanto, se há conflito, ou você está Liberado e gerou-o, irritando.
Mas, aí, é sua liberdade de Liberado, porque você não é mais afetado por qualquer carma.
Olhe, por exemplo, nosso Irmão OSHO que, de meu ponto de vista, é claro, quando eu estava encarnado, tinha uma conduta totalmente fantasmagórica.
Hoje, visto com a Consciência que é a nossa, Lá em Cima, em seu Interior, por que é que eu faria uma diferença entre ele e eu?
Isso não impede as diferenças.

Eu já lhes disse que, por exemplo, com o Bem amado Sri Aurobindo, nós tínhamos, por vezes, nada de oposições.
O Amor é escutar o outro.
Escutar não quer dizer concordar.
É, simplesmente, Acolher.
Se você é capaz de Acolher, não há razão alguma para que isso o afete.
Não há razão alguma para que você saia de seus trilhos ou de seus gongos.

Contente-se de Irradiar o que você É.
Em qualquer circunstância que seja, escute, Acolha, Dance e Viva o Silêncio.
Naquele momento, tudo é possível.
A Graça não floresce senão pelo Fogo, a Dança e o Silêncio.

Então, se a personalidade quis, em sua encarnação, manifestar elementos que, em minha vida, eu qualificava de incongruentes, talvez, isso fez mais bem do que em sua vida.
Mas não se faz julgamento de valor.
Quando se chega na Liberdade, não se diz: “Olhe minha mesa de caça!”.
Não é, de modo algum, assim.
A única coisa que você se perguntará, a si mesmo, nesse Face a Face – a única coisa, lembre-se! – é: “Eu Amei?”.
E, aí, não há ninguém para julgá-lo.
É você que verá como Amou, não no sentido humano, mas no sentido do Amor, no sentido do Serviço, no sentido da devoção.

Então, aquele que lê, aquele que nada vive, atualmente, não é mais importante ou está mais distante do que aquele que é Liberado.
Lembre-se de que é apenas uma questão de ponto de vista.

Com o Evento coletivo, tudo isso aparecer-lhe-á bem ridículo.
A única preparação é Acolher a Luz e Estar em Paz.
Como você quer estar em Paz se nutre os conflitos da personalidade, quaisquer que sejam?
Ninguém está errado, ninguém tem razão.
A única Verdade é a Luz, mas não a Luz tal como vocês a concebem, imaginam, pensam ou refletem.
É a Luz que vocês São.

Quando você É a Luz, qualquer que seja o que, aparentemente, vem agredi-lo, é apenas o efêmero.
Você está na Luz.
Então, você não tem necessidade de defender, não tem necessidade de colocar argumentos.
Você tem apenas que continuar a Ser.
Não haverá mais qualquer aspereza ou qualquer tomada ao que quer que seja.
Tudo o que podia ser vivido, anteriormente, como uma agressão ou um impeditivo de dar a volta na Luz será visto como, simplesmente, algo a integrar.
É bem mais do que o perdão.
É, verdadeiramente, nesse nível que se situa a verdadeira Transcendência.

Nesses tempos finais – não é o fim do mundo, hein?, porque, se eu ouço isso uma vez mais, é o fim de um mundo! – ’é a Espiritualização da matéria.
As regras do jogo, as regras de vida mudam.
Na própria história humana, tudo muda.
As civilizações sucedem-se, as vidas sucedem-se: vocês nascem, vocês morrem.
Seus pais, mais idosos morrem antes de vocês, geralmente.
Tudo isso faz parte do que se chama o ciclo da vida.

Aqui, sobre a Terra, tudo é cíclico.
Vocês são a Eternidade.
Vocês são Imóveis.
Vocês são Absolutos.
Vocês são a Morada de Paz Suprema.

Então, se vocês são afetados nos estados que vivem, e se são afetados nessa permanência que se instalou para alguns de vocês, qual é o interesse?
Isso não é uma negação.
É, ao contrário, a plena Aceitação: “Pai, que tua Vontade faça-se, e não a minha”, que havia dito, parece-me, CRISTO, não é?

Não temos mais questões.
Nós lhes agradecemos.
Então, caros Amigos, vamos instalar-nos alguns minutos.
Esse será meu modo de render Graças por sua escuta e, também, para todos aqueles que lerão essa perspectiva que eu lhes dei, contextualizada na história da Terra.
Eu a analisei superficialmente, mas isso teria virado muito tempo para vocês.
Os grandes discursos, agora, para nada mais servem.
O mais importante é o Silêncio.

Como vocês estão em vários estágios de seu Despertar – eu não falo de Liberação ou de Absoluto – de seu Acordar, há quem tenha necessidade desses elementos, não para neles crer (para nada serve crer, se vocês não o vivem), mas para aproximar-se dessa Vivência.

Aí está o que eu tinha a dizer-lhes.
Eu lhes transmito todas as minhas Bênçãos.
Eu terminarei por essas palavras: espero que aqueles que tenham que me ouvir dizer o que eu tenho a dizer façam-no esta semana, porque eu ainda tenho coisas e não posso passar tudo nesse instante.

Eu lhes transmito, a todos, todos, sem qualquer exceção, o Amor de meu Coração ao Amor de seu Coração.
Até breve.

---------------------------

Transmitido por: O Coletivo do Um.
Transcrição no francês: Nicole Tremblay
Publicado por:


2 comentários:

  1. Quem quer que tenha sido Crucificado, significando com isso o fim da suposta regência do eu, não tem como deixar de reconhecer o quão colossal é esta MSG do Aïvanhov. Nesta de se propor a atualizar e resumir tão grandioso conteúdo, bastante incompreensível para a grande maioria, tal MSG conseguiu realçar, ainda mais, o que já era vasto, extraordinário, e amplamente diferenciado.

    Apenas para brindar, eis um trecho dos mais animadores, de MSG tão completa: "Portanto, quando eu digo que há um Evento, é preciso compreender que há um Evento inicial, que está aí, e um Evento final que não está aí. O Evento final que se situa em um período que pode ir de um minuto até pouco mais de quatro meses. Portanto, basta contar".

    ResponderExcluir

  2. Aïvanhov, arrebentou nesta Mensagem Néctar, Ele, não está mais vestido de Branco, e sim Luz!!!

    "Mesmo se vocês nada façam ou durmam, vocês Irradiam essa Bondade, essa Luz Vibral, esse Amor Vibral, que não depende, absolutamente, de condições da personalidade e, sobretudo, da vontade de sua personalidade."

    "Portanto, sejam compreensivos, tentem não entrar em conflito." ( Reconheço,que fui 'salva'.)

    "Hoje, o mais importante é vigiar e orar, porque ninguém conhece a data."

    "O que pode acontecer-lhes de melhor do que a Luz?"

    "Concentrem-se em sua Vivência."

    "Diz-se, sem rodeios, a você: você quer funcionar como uma personalidade ou quer funcionar como a Eternidade que você É?"

    Bem, impossível terminar o Interminável. Sinto-me: Lotada, Transbordando, Derramando o que 'Há de Mais Precioso'.

    Amém!

    Obs: Célia, você como participante da 'Equipe de Solo', sua tarefa, está perfeita !!!!

    ResponderExcluir