Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

1 de out de 2015

OMA (Por OMA) – Parte 1


Setembro de 2015

Bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los, e dá-me alegria acompanhá-los neste período que vocês vivem, ao mais perto de sua encarnação e do que vocês têm, eu diria, a ver, a enfrentar, a superar e a transmutar durante este período específico que eu havia anunciado, se vocês se lembram, entre 15 de agosto e o fim de seu mês, até o São Miguel e, mesmo, um pouco depois.

Então, se quiserem, eu vou, durante todo este período, tentar responder às suas interrogações, esperando que suas interrogações concirnam a muitos de vocês e que muitos de vocês ali encontrem respostas para o que eles se colocam como questões em relação à sua vivência, é claro, para além de todas as vicissitudes mentais, para permitir-lhes ajustar-se ao mais próximo do que vocês são em sua eternidade.

Permitam-me, primeiramente, apresentar-lhes as minhas homenagens, as minhas bênçãos e, primeiro, beneficiar-se da Presença do Espírito do Sol e do Coro dos Anjos, entre nós e conosco, antes de começar a trocar.
Façamos, primeiro, o silêncio, alguns instantes, e deixemo-nos penetrar, uns e os outros, pela divina Luz do Espírito do Sol, de Cristo, do Coro dos Anjos e do conjunto da criação.

… Silêncio…

Muito bem.
Vamos poder, agora, começar a trocar e, então, vamos escutar, uns e os outros, as questões que vocês se colocam, e vamos tentar ali aportar respostas pertinentes em relação ao cenário que se desenrola sob os seus olhos, em sua própria vida e ao nível das grandes regiões do planeta Terra, mas, também, do conjunto da Terra, a que ninguém poderá escapar, é claro, como vocês sabem e, talvez, temam ou esperem há muito tempo.

Então, estou à sua disposição e eu escuto o que vocês têm a transmitir, que eu escuto de maneira precisa, e vamos tentar satisfazer não sua curiosidade, mas, verdadeiramente, suas interrogações, que eu qualificaria de legítimas, no que se produz, atualmente, em vocês e por toda a parte ao seu redor.
Então, podemos começar.
O primeiro que tem uma questão a colocar, ele a transmite, e aquele que está ao meu lado vai poder repetir-me o que vocês têm a perguntar-me.

Questão: você poderia falar da fase que chega, três semanas ou mais, em um plano global?

Bem amado, no plano global, basta que você olhe em seus meios modernos de informação para saber que há, verdadeiramente, mais coisas que giram em círculo.
Tudo o que estava, ainda, escondido, é ou exacerbado ou revelado, e cada irmão, cada irmã e cada consciência presente na superfície desse planeta está se mostrando em suas verdadeiras cores, eu diria, despojado dos véus da ilusão.
As situações vão aparecer-lhes, mesmo se aconteçam, como dizer..., coisas que possam parecer-lhes surpreendentes ou, mesmo, bizarras, ou mesmo inéditas, que se inscrevem, perfeitamente, nos processos de penetração da Luz, das partículas adamantinas, no mais profundo da matriz falsificada da Terra, em todo caso, ao nível do que dela resta.
Eu os lembro de que a Luz está dissolvendo as camadas as mais externas, que os isolavam da Confederação Intergaláctica, o que lhes dá a ver, como eu já havia dito há alguns meses, sinais celestes em abundância, quer seja nas nuvens, quer seja através dos Irmãos Intergalácticos que vocês veem, mas, também, através da manifestação exacerbada dos Elementos, quer seja em vocês ou ao nível da natureza.

Paralelamente a isso, vocês observam, também, para muitos e irmãos e irmãs, uma capacidade maior para entrar em contato com os Elementos e os habitantes desses Elementos, se posso dizer.
É claro, isso se traduz, também, pela dissolução de tudo o que fazia a coesão e a coerência aparentes dos diferentes sistemas sociais, religiosos, morais e, também, das consciências da humanidade, de maneira geral.

É claro, vocês veem que se prepara, ativamente, o que eu havia anunciado há muito numerosos anos, concernente aos Elementos, ou seja, os ventos a velocidades desconhecidas até agora, sucessões de furacões, de cataclismos climáticos ininterruptos em algumas regiões do mundo.

Em vocês, também, vocês podem viver a mesma coisa, ou seja, ao mesmo tempo esclarecimentos no interior de si mesmos, mas, por vezes, também, espécies de cataclismos que tomam diferentes formas, que os leva não a julgar-se, não a procurar porquê, mas a ver a evidência da Luz em sua obra, agora, quotidiana, não, unicamente, ao nível dos vórtices de quinta dimensão habitados pelos povos da natureza, mas, também, por sua própria vivência, por seus próprios sentidos e, também, ao nível das manifestações vibratórias, das manifestações energéticas, mas, também, das manifestações, diretamente, de sua consciência.
Parece-lhes, por vezes, andar na montanha russa, mas eu os lembro, também, de que eu havia dito que o período que é agora ia ver uma acentuação crescente da vibração da consciência, das energias, dos Elementos e, isso, até o momento que eu qualificaria de inicial ou final – é a mesma coisa – ou seja, o advento, visível aos olhos de todos, da segunda Estrela, ou seja, do segundo Sol, como alguns de vocês o chamam, ou, ainda, Nibiru, Hercolubus, planeta X, e isso são apenas os elementos.

Mas o que é importante a identificar, além da intensidade, é a sucessão e a aceleração dos processos Elementares, quer concirna aos vulcões, quer concirna ao granizo, que faz parte dos elementos importantes da dissolução da matriz falsificada arcôntica em seus últimos redutos.
E vocês assistem, em si, como em seu exterior, eu diria, os últimos sobressaltos entre o efêmero e a Eternidade, e isso vocês portam em si, vocês o vivem em si, e vocês o assumem mais ou menos.
Mas tenham certeza de que, se vocês têm fé na Luz que vocês são, tudo isso se resolverá muito facilmente.
Tudo isso lhes permite testar, em si mesmos, suas resistências, as zonas de sombra que podiam, ainda, estar escondidas no interior de vocês.

Além disso, isso lhes permite ir exatamente à sua atribuição, se ela não lhes apareceu claramente.
E eu os lembro de que são vocês que decidem.
Quer dizer que, na simples observação de seu corpo,do que se desenrola em sua vida ao nível o mais simples, vocês veem, efetivamente, que as coisas evoluem: coisas que vocês não percebiam são percebidas, outras, que eram percebidas como desagradáveis, desaparecem de seu campo de consciência.
Isso é válido tanto nas relações entre uns e os outros como nas relações entre vocês, em sua eternidade e tudo o que vocês construíram no efêmero, tanto nas relações afetivas, familiares, mas, também, profissionais ou, mesmo, na escala de toda sua vida.
Tudo isso são injunções da Luz para ir para onde vocês são, realmente, em acordo com o que vocês são.

Portanto, o cenário é uma acentuação, uma majoração dos fenômenos que se produzem tanto no interior de vocês como em seu exterior, de maneira cada vez mais violenta, cada vez mais importante e cada vez mais visível.
É tudo isso que vocês observam na tela de sua vida.
O importante em tudo isso é permanecer, de algum modo, centrado no coração do coração, alinhado em si mesmo, e deixar desenrolar-se a ação da Luz, tanto em você como nesse mundo, para não participar, eu diria, de uma maneira ou de outra, das últimas convulsões da dualidade, das últimas oposições sombra/Luz, bem/mal, e aproveitar, diretamente, da efusão de Luz em cada uma das células de seu corpo, em cada uma das partes de sua consciência, para ser liberado, na totalidade, no momento vindo, de tudo o que pode interferir, de uma maneira ou de outra, com sua eternidade.

Então, eu diria, é claro, viva a vida, viva o efêmero, mas deixe morrer o efêmero que morre ao seu redor ou em você.
Não se apegue a nada, esteja disponível e seja leve para viver o que há a viver, quaisquer que sejam os sofrimentos sentidos, quaisquer que sejam as contradições que possam, ainda, aparecer em seu caminho encarnado, não se ocupe disso.
Veja-o, em contrapartida.
Aceite vê-lo, aceite perdoar e aceite superar e transcender tudo isso, e você apenas ficará melhor.
Agora basta, eu repito, ver o que se desenrola, tanto em seu corpo como na Terra para, obviamente, dar-se conta de que as coisas não giram, absolutamente, em círculo.
Mas é normal, elas vão começar a girar em quadrado, com o impulso de Metatron, que arredonda os ângulos e que põe os ângulos em ângulos retos também, tanto em você como em seu exterior.

É claro, nós não havíamos, jamais, dito que este período seria fácil no exterior, mas, ao contrário, quanto mais isso lhes parecer, por vezes, difícil no exterior, mais o caminho da facilidade será aberto em você, na condição de aceitar voltar sua consciência, mesmo efêmera, à dissolução de sua própria eternidade em seu corpo de Existência.

Nós não vamos voltar, nem eu nem os outros, aos Triângulos Elementares, as linhagens, os movimentos que vocês receberam.
Vocês viveram, eu diria, durante muito numerosos anos, e receberam muito numerosas muletas, muito numerosos suportes que os levaram a apresentar-se diante do Guardião do Limiar, do grande Limiar.
É muito exatamente aí que vocês estão, e será preciso, agora, atravessar isso para emergir em plena Luz e em plena Liberdade.
Ou quando do momento coletivo, ou agora e já, porque alguns de vocês terão, realmente, o sentimento e a percepção de que deixam esse mundo.
Aliás, vocês observam que muitos de vocês têm, de maneira repentina, episódios de desaparecimento, de sonolência, de impressão de não mais saber quem vocês são e onde estão, sem que isso provoque confusão, ao menos, é preferível.
Mas, mesmo se há confusão, deixem isso se desenrolar: vocês nada têm a fazer, nada mais têm a fazer do que viver o que a vida propõe a vocês e atravessar tudo isso e, sobretudo, entrar em si mesmos, uma vez que os apelos da Luz fazem-se, agora, cada vez mais prementes.
Quer seja através de uma doença, quer seja através de um conflito, qualquer que seja, quer seja através de um evento feliz ou infeliz, isso não tem mais qualquer espécie de importância.
Em todos os momentos que vocês têm a viver, onde há uma forma de abalo, vocês são capazes de voltar-se para sua Luz interior, entrar no coração do coração e deixar isso passar, como a Luz o entende, como a Inteligência da Luz mostra a vocês, se vocês aceitam vê-lo?

Portanto, o cenário da dissolução desse mundo chegou, verdadeiramente, ao seu extremo.
Vocês têm as percepções que vocês vivem, têm as manifestações desse mundo, as manifestações de seu corpo, vocês têm diferentes manifestações da Luz nesse corpo.
Tudo isso é perfeitamente normal, e anunciado e, talvez, esperado ou temido, por inúmeros de vocês, mas é exatamente o que se desenrola, já, desde 15 de agosto.

Então, é preciso, eu diria, fazer rapidamente, para resolver o que há a resolver, não para si mesmo, mas pelo que lhe intima a Luz, pelas injunções da Luz, pela pressão da Luz da Liberdade, fazer o que é o mais fácil para você, ou seja, voltar-se para seu Coração Radiante, para o Fogo do Coração, para a vibração ou para o Absoluto, ou para a Infinita Presença, segundo sua atribuição, porque aí se encontra o bálsamo, se quiser, de todo sofrimento, de toda dificuldade, de toda incompreensão.

Você não terá mais respostas exteriores.
As respostas exteriores, mesmo por nossos planos, eu diria, não têm mais lugar de ser, uma vez que você é a Luz e a Luz está aí.
Você não tem necessidade de ninguém agora.
Você é suficientemente grande, você não tem necessidade de mim, você não tem necessidade de Maria, mesmo se as Presenças tenham ajudado você a elevar-se até nós, mesmo mantendo seus pés sobre a terra.
Agora, como disse Irmão K, você deve demonstrar sua Autonomia e sua Liberdade.
Isso não quer dizer, é claro, que seja preciso parar o que eu estou fazendo, mas que você não deve depender de nada mais do que de seu próprio coração.
Não através de seus desejos, através de sua personalidade, mas em todos os setores de sua vida.
Vocês veem, efetivamente, uns e outros, que, se vocês estão na Graça, as coisas produzem-se sem que você tenha que fornecer esforço.
Porque a Luz é fácil, a Luz é simples, a Luz é humilde.
Ela não se embaraça em cogitar, ela não se embaraça no hesitar.
Ela é, e é tudo.

É isso que, talvez, alguns de vocês descobrem nesse momento.
Você não pode ser o salvador de ninguém, mesmo não de si mesmo, uma vez que a pessoa deve desaparecer.
Portanto, esqueça-se disso, esqueça-se de todos os mecanismos que você aprendeu que lhe permitia, eu diria, até agora, dirigir-se em sua vida, elevar suas vibrações, obedecer a convenções sociais ou morais ou as leis editadas do exterior, porque a única lei que é verdadeira, você sabe disso, é aquela do Amor e da Luz, não há outras.
As outras eram apenas subterfúgios para desviá-los da Luz, quer seja pelas leis, quer seja pela alimentação falsificada, quer seja por relações que não eram transparentes etc. etc.

Portanto, o cenário, se ele não lhe apareceu plenamente até agora e desde algumas semanas, deverá chegar, necessariamente, antes do fim deste mês.

Outra questão.

… Silêncio…

Então, como suas questões não vêm, de momento, se quiserem, vamos considerar diferentes setores de transformação final atual.

Primeiramente, é claro, o corpo físico, o Templo no qual vocês sacralizam sua Presença, o saco de carne, como dizia Bidi, pouco importa como vocês o nomeiam.
Esse Templo sagrado abriga a Luz, cada vez mais e, é claro, ele se manifesta.
Vocês têm os Triângulos elementares da cabeça, vocês têm as Coroas radiantes, vocês têm os diferentes componentes da Onda de Vida e, para aqueles que não vibram tudo isso, vocês têm, diretamente, a consciência que vê claramente.
É um mecanismo muito específico, que não passa pela reflexão, não passa pelo mental, não passa pelas emoções, mas que se produz, em vocês, cada vez mais frequentemente, eu diria, sem o seu conhecimento, de momento, no qual as coisas iluminam-se por si mesmas.
As relações entre os seres: vocês veem, claramente, sem julgar, como vocês se conduzem e como se conduzem os outros, o que lhes dá a ver, igualmente, a realidade do Amor junto a alguns, e a falsidade do Amor junto a outros, porque todos os véus foram-lhe retirados.
Não restam mais véus, exceto os últimos hábitos de seus comportamentos e, eu diria, os últimos apegos, talvez, à ilusão desse mundo.

Vocês descobrem a verdadeira vida, mesmo em sua encarnação, durante este período.
Então, é claro, nem todos os dias são todos róseos, vocês sabem disso.
Há dias nos quais o corpo manifesta-se, há dias nos quais há irmãos e irmãs que parecem entrar em contradição ou em oposição, há, também, o que acontece ao nível das últimas egrégoras, as mais arcaicas.
Eu os lembro de que as egrégoras as mais arcaicas e as mais confinantes são as egrégoras das comunidades religiosas.
E há essa confrontação direta, que começa a aparecer no mundo, entre aqueles que acreditavam nisso, outros, que acreditavam naquilo, e essas crenças que não se seguram mais, enfrentam-se, realmente, e elas se enfrentarão, cada vez mais violentamente, em todos os países, em todas as áreas e em todas as regiões de todos os países, porque é normal resolver tudo o que há a resolver.
Mas não vocês, vocês, que têm vivido o coração, vocês, que nos têm escutado, que nos têm lido, vocês têm todos os elementos que lhes foram dados há muito tempo, para ajustá-los o melhor possível ao que se desenrola.

Vocês vão aperceber-se, também, sempre em relação a esse corpo, que, se vocês resistem à Luz, mesmo se pensem bem agir, o corpo vai fazer cada vez mais dor e, de uma maneira ou de outra, quer seja, mesmo, pela vibração ou por sofrimentos preexistentes, quaisquer que sejam, em qualquer zona de seu corpo ou em qualquer órgão de sua psicologia, de sua personalidade.

Em seguida, vocês o constatam, é claro, na escala das famílias.
Vocês o constatam na escala dos grupos, quaisquer que sejam, mas tudo isso é normal.
O Arcanjo Miguel cedeu seu lugar, vocês sabem, quando de sua manifestação através dos meteoritos que chegam, ao Arcanjo Uriel.
Metatron começou a revelar-se, e ele é revelado, doravante, para aqueles que têm a chance de saber onde estão ou que vivem não muito longe, ao nível dos Círculos de Fogo dos Anciões.
Do mesmo modo que vocês podem entrar em contato com os seres da natureza, que são retransmissores da quinta dimensão, em especial, ao nível dos Elfos ou dos Dragões de Fogo ou Dragões da Terra, há a mesma coisa, é claro, em diferentes lugares da Terra.

Há alguns entre vocês que, de repente, encontram-se a mover-se, sem terem desejado mover-se; outros, que desejariam mover-se e que não se movem, tudo isso é a Inteligência da Luz.
Então, nada temam, lembrem-se de que é uma cena de teatro, que a única sombra que pode manifestar-se diante de seus olhos, como eu disse: «é aquele que diz que é».
Assim que você discerne uma sombra, assim que você discerne uma oposição, assim que você discerne algo que não vai bem, em você ou no exterior, é que isso deve revelar-se na tela da consciência, e você apenas pode reconhecê-lo, com cada vez mais consciência, se esse algo já está em você.
É um convite para voltar-se, cada vez mais, para a Luz que você é e não mais, simplesmente, em sua interação com nossas Presenças, com as Presenças dos seres da natureza ou com os seus irmãos e irmãs encarnados da Terra.

E, até o momento em que você não abandonar as últimas resistências, você será confrontado, cada vez mais violentamente, à ausência de soluções, ao fato de girar em círculo.
E, a partir do instante em que você entra em sua eternidade de seu coração, tudo isso desaparecerá.
Aliás, alguns de vocês recomeçam, a partir deste período, a desaparecer à vontade.
Então, é claro, por vezes, isso provoca inadequações com esse mundo.
Eu lhes diria: nesse caso, o que vocês preferem? O eterno ou o efêmero? Vocês não podem continuar algumas coisas e estar, ao mesmo tempo, na totalidade e permanentemente, na Luz de Vida.

Eu escuto suas outras questões.

Questão: é mais um testemunho que eu gostaria de aportar, que pode ser útil a alguns.

Nós o escutamos, irmão.

Questão: eu tenho, por vezes, várias vezes por dia, dor de cabeça, principalmente do lado direito.
Se eu me ponho, imediatamente, na paz, e eu me centro, isso desaparece, quase instantaneamente.

E eu lhe garanto que isso é válido para tudo, mesmo para, eu diria, um irmão ou uma irmã que o aborreceria um pouco, nesse momento.
Faça a mesma coisa, deixe-o em face dele mesmo.
Você não pode salvar ninguém, você não pode mais resolver problemas dos outros, isso não é um problema de autonomia, é um problema de responsabilidade de cada um.
E é válido, como você diz, para as dores, mas você deve ter observado, também, que, mesmo sua consciência ou, mesmo, melhor, seu corpo, que está, agora, saturado de Luz e que dá percepções de calor, de frio, de formigamentos, de dores na cabeça, no coração, nas costas ou não importa onde, seu corpo manifesta uma consciência supraluminosa antes de desaparecer.

É preciso estar à escuta, não de suas dores, mas, se você se volta para seu coração e se, por exemplo, você tem uma ideia de ir a tal lugar, comer tal coisa...
No ano passado, eu falei da resposta do coração, mas não é mesmo mais isso agora, você não tem mais necessidade de colocar a questão.
O corpo sabe, porque seu corpo é um corpo que está se tornando, antes de desaparecer, bioluminescente.
Alguns de vocês começam a ver ou as partículas adamantinas, ou a Luz Dourada que se deposita sobre a pele, que isso seja, preferencialmente, ao nível dos pelos, ao nível dos chacras, à noite também.
Isso vocês veem, vocês estão empanturrados de Luz e, se deixam a Luz trabalhar, seu corpo saberá o que é bom para ele, e sua própria consciência saberá onde está o que é bom para ela, sem ter que decidi-lo, sem ter que se colocar questões.

Há, nesse aspecto de co-criação consciente, essa noção de imediatismo que é, ao mesmo tempo, por vezes, um lembrete à ordem e, sobretudo, a evidência da ação da Luz.
É isso, hoje, que é preciso fazer, é seguir essa humildade, essa simplicidade, essa vibração, se você a percebe, que o conduz, em sua vida, muito precisamente, a viver o que é o mais adequado para o que você tem a terminar.

Nós já havíamos dito, há vários meses, que os reencontros na natureza eram extremamente proveitosos para vocês, não tanto para dialogar com os habitantes dos lugares que vocês visitam, mas, bem mais, para imergirem nessa quinta dimensão que é a sua.

Portanto, quaisquer que sejam os problemas, qualquer que seja o que lhe pareça difícil, cale-se, faça silêncio, vá ao coração, vá repousar, vá recuperar-se na natureza, não tome decisões intempestivas, não se confronte com seus irmãos ou irmãs.
Quando há algo que se produz, que lhe pareça contrário à Luz ou contrário aos seus desejos ou ao seu ponto de vista, não procure ter razão, não procure demonstrar o que quer que seja, vá à natureza, gire sua língua trinta vezes em sua boca antes de falar, porque o pensamento é operativo.

Eu o lembro de que o último corpo que se ativava, nessa Terra, que já está ativo, mas em outro grau, já há alguns anos, era o que nós nomeamos o décimo primeiro corpo ao nível do lábio, que é o Verbo Criador.
É isso a co-criação consciente.
Porque, se agora, você se diverte a dizer: «Você é estúpido», «Aquele ali, ele não me agrada», «Eu tenho medo», «Eu vou cair», isso vai acontecer, pelo simples fato de pensar.
Então, evite cogitar.
A Luz sabe, melhor do que sua inteligência, ao mesmo tempo, o que é bom para você, e conhece, muito melhor do que você, as soluções para as problemáticas que se apresentam.
É aí que você demonstra, de algum modo, a realidade de sua atribuição vibral, a realidade da Luz, mesmo nesse mundo, antes que ele se abrase, inteiramente.

Aliás, os abrasamentos, vocês os veem por toda a parte, em vocês e ao seu redor, quer sejam os abrasamentos do mental, quer sejam os abrasamentos de memórias passadas, com, por vezes, mecanismos violentos, ou os abrasamentos reais de diversos objetos na superfície desse planeta, antes que um sopro violento atice tudo isso, e antes que a água purifique.
E, se a água não basta, vocês tomam coisas mais duras na cabeça.
Eu falo em sua vida, mas, também, ao nível coletivo.
São ajustes permanentes, nesses mecanismos de Ascensão da Terra, em sua dimensão de destino, se posso dizer, e vocês também, cada um de vocês em sua finalidade, se posso dizer.

Questão: em uma mensagem de agosto, Anael dá duas datas precisas, entre 15 de agosto e 29 de setembro...

É o que eu havia dito, também, há algumas semanas.

… «Tempo final para desaparecer de toda pessoa».
Ora, no passado, as datas limites precisas não são reveladas.

Perfeitamente.

… poderíamos ser esclarecidos sobre essa noção de datas?

O mais importante, em todo caminho que você tenha vivido foi, vocês sabem, em 2011, a liberação da Terra, que garantiu, in fine, a liberação desse mundo e de vocês mesmos.
Agora, quando eu falo de momento final e inicial, se você quer entender, por aí, fim do mundo, você se engana.
Porque haverá coexistência de dois mundos, durante certo lapso de tempo e é aí que você se colocará ou no antigo, ou no novo, ou seja, esse famoso período que corresponde aos cento e trinta e dois dias.
Mas, enquanto não houve o Apelo de Maria, enquanto você não tenha visto a segunda Estrela, eu nada mais disse do que o que eu disse.
As datas limite, é preciso não assimilá-las à data de «desliga-se a tela da TV», não é isso.
Não coloque projeções que deformam, mesmo, o que eu acabo de dizer.
Foi por isso que eu falei de momento inicial ou final, o que é a mesma coisa.

A separação das duas humanidades está em curso, mas a separação desse mundo com o que está morrendo e que está nascendo é, também, efetiva.
Mas você sabe muito bem que as datas limite são reais, na medida em que as Estrelas, a primeira Estrela passou...
Eu lhes disse, a partir deste ano, a partir do início deste ano, que havia, efetivamente, uma data astronômica limite e, portanto, eu o lembro de que é 7 de janeiro do ano 2016.
Mas essa data limite, ela também, corresponde à inicialização dos cento e trinta e dois dias.
O planeta grelha final, eu jamais disse que seria agora.
Assim como o Apelo de Maria e a estase dos «três Dias» não é o fim desse mundo.
É, talvez, o fim de sua vida, para alguns de vocês, mas não todos.

O mais importante não é a data.
O mais importante é saber o que você vive, nesse momento.
Porque não há mais data, você está dentro, eu não sei como se pode dizê-lo melhor do que isso.
Mas não se ponha na pequena pessoa e no ego, dizendo, como eu o disse, em 2012: «Aí está, então, é o fim, aí, portanto, agora, eu faço o que eu quiser: eu não pago meus impostos, eu mato aquele que não me agrada etc. etc.».
Isso, é o ego que diz isso.
E, se você está, ainda, nessa interrogação, é que há, ainda, um ego que está presente e, portanto, uma pessoa.
A acentuação vibratória que foi dada por Anael e por mim, antes dele, é exatamente isso, você o vive todos os dias, não?

Então, o que é que você chama «data limite»?
A data limite, para mim, é o evento astronômico.
A data limite era a liberação da Terra.
Isso são datas limite que foram respeitadas.
Mas eu o lembro, de qualquer forma, de que ninguém conhece a data, nem mesmo Cristo.
Nós constatamos, como você, o desaparecimento total das linhas de predação coletivas e das egrégoras coletivas, das crenças em vocês, também.
Mas isso pode ser em um minuto, pode ser em um mês.
Mas eu o lembro de que há, ainda, cento e trinta e dois dias a passar.
Então, é claro, os lugares de estância de uns e de outros, durante este período, não serão os mesmos.
Mas você sente, efetivamente, a pressão da Luz que entra nesse corpo, você vê, efetivamente, para aqueles que percebem as vibrações, a modificação do canto da alma, se a alma ainda está presente, ou do canto do Espírito.
Tudo isso é real, concreto, as profecias realizam-se sob os seus olhos, nesse momento.

Lembre-se de São João, no Apocalipse: «Ninguém poderá comprar nem vender, se ele não está marcado com o sinal da Besta.».
Olhe o que acontece nos diferentes países.
Prepara-se você para isso.
É o fim da liberdade, mesmo no confinamento, da ilusão da liberdade.
Então, se você pensa em uma data em sua cabeça, você está cozido, mas, aí, no mau sentido do termo, porque você co-cria, em si, pela co-criação consciente.
Imagine, por exemplo, que você está, real e integralmente, conectado à Luz, e você diz: «Em 29 de setembro, esse mundo não existe mais, há o Apelo de Maria», bah!, você tem todas as chances de viver algo que aparenta a um estado de morte iminente e sair de seu corpo e viver a morte.
É assim que funciona a co-criação consciente.

Alguns de vocês estão ligados ao momento coletivo da Terra, outros menos.
E, aliás, esses outros sentem que podem partir a qualquer momento, à vontade, e diretamente, pôr fim, por eles mesmos, à vida desse corpo, não como um suicida, mas, bem mais, como uma transferência total da consciência ao corpo de Existência ou de Eternidade.
Então, não fale mais de data limite, com isso, é você mesmo que vai prender-se na armadilha com seus impostos, com seus desejos, e é a pessoa que age, nesse momento, não é, certamente, a humildade e a simplicidade.
Saiba, simplesmente, como nós, que nós estamos dentro.
Mas, a partir do instante em que você porta sua consciência no amanhã, você não está mais no hoje, e você age, unicamente, em função dessa projeção e não mais em função do instante presente.
É claro, você tem direito de informar-se e, mesmo, de projetar cenários, de divertir-se em sua cena de teatro, mas não creia em nada que concirna a esse mundo.
E, sobretudo, no aspecto linear temporal.

Vocês têm capacidades suficientes, uns e outros, para desaparecer da ilusão, através de seus alinhamentos, de seus reencontros com os seres da natureza, e vocês deveriam encontrar, aí, todas as fontes de seu regozijo e não em uma data limite que se realizará ou não.
Em contrapartida, as datas que eu dou foram a amplificação vibral e, também, da consciência, tal como vocês o vivem, realmente, na escala coletiva e individual no conjunto dessa Terra.
Isso é inegável, isso é adquirido, o resto, também, é adquirido, mas é preciso, para isso, que a engrenagem, se posso dizer, que é preliminar à dissolução da ilusão de terceira dimensão falsificada, seja perfeitamente ajustada.
Isso está em curso, e é evidente, para nós, de onde estamos, como para vocês.
Mas será, sempre, o ego que procura uma data, é, sempre, a pessoa.

Você não tem que magnificar sua pessoa, você tem que viver a vida da Eternidade em um corpo limitado.
Não é, absolutamente, a mesma coisa.
Será que a Eternidade importa-se em saber se a ilusão desaparece amanhã ou depois de amanhã?
Reflita nisso, é importante, porque muitos de vocês e alguns de nós já caímos com essas noções de datas não, unicamente, no período que vocês vivem, mas, já, à época de Cristo, porque alguns pensavam que o fim do mundo era naquele momento.
Não foi nada disso, é claro.
As visões proféticas, por exemplo, que vocês tiveram de Saulo, de Paulo, São Paulo de Tarso, sobre a queda de Damasco, todo mundo e esses seres que viveram, por exemplo, o Pentecostes, a descida do Espírito Santo, estavam persuadidos de que era o retorno de Cristo.
Eles não consideravam, um segundo, que esse mundo ia continuar dois mil anos.
Será que eles se enganaram?
Não.
O entusiasmo da Luz e de Cristo era tão potente que, neles mesmos, eles haviam posto fim a esse mundo.
Mas atenção às suas projeções.

Outra questão.

Questão: é uma vivência.
Eu tive a súbita consciência, em vários níveis ao mesmo tempo, de todos os meus mecanismos de predação, com pontos que ancoravam, ainda, a predação.
Havia muitas coisas a ver, e isso me entristeceu.
Em seguida, a Luz desceu ao coração.
Depois, fica muito mais leve, mas com o sentimento de que essas percepções de predação limitavam algo em mim.

Obrigado por seu testemunho, mas eu não sei se há uma questão.
O que eu posso dizer em relação a isso é que todos vocês vivem isso.
Lembrem-se do que havia sido descrito, de modo magistral, por Sri Aurobindo, concernente ao Choque da humanidade e suas diferentes etapas.
Eu os remeto a essa exposição que havia sido feita há numerosos anos, porque vocês têm todos os elementos de resposta.

E, aliás, se você está um pouco atento, inúmeras coisas que foram ditas nos anos 2010 e 2011, sobretudo, menos em 2012, mas, sobretudo, 2010 e 2011, era, exatamente, a preparação que vocês vivem, nesse momento.
À época, vocês a viviam de modo, eu diria, intermitente; agora, vocês a vivem na totalidade.
Portanto, vocês têm minas de ouro aí dentro, que vão, ao mesmo tempo, nutrir sua consciência e demonstrar-lhes a realidade, também, do que vocês vivem.
Porque o que não aparecia claro, naquele momento, aparecer-lhes-á cada vez mais claro, porque vocês o vivem.
Eu os engajo, sobretudo, a reler nossos Irmãos Melquisedeques, que lhes deram os elementos, eu diria, os mais estruturados, ou seja, Sri Aurobindo e Irmão K.
Reconciliamos a partir de...
É a grande reconciliação, vocês sabem.

Questão: no curso de um tratamento, Sri Aurobindo fez-me banhar em sua Luz azul para um reequilíbrio ao nível dos três pontos do coração.
A que corresponde esse banho de Luz Azul?

Então, como você sabe, efetivamente, Sri Aurobindo trabalha muito com a Luz Azul.
A Luz azul não é, unicamente, o Manto de Maria ou o Manto de Miguel ou a cor de Sírius.
É, também, a cor das Águias de Altair.
Portanto, há uma ressonância com a linhagem altariana.
Portanto, a Luz Azul é ligada ao Ar, ela permite a livre circulação, a capacidade para passar, eu diria, de maneira fluida, do efêmero ao Eterno e do Eterno ao efêmero, sobretudo, quando isso concerne aos três pontos da Nova Eucaristia.

Se há novos, eu volto a esclarecer, sem ir, a cada vez, procurar atrás, que não a Nova Eucaristia, são os três pontos de vibração: Cristo, Isis e Miguel, ao nível do centro do chacra do coração, da Porta AL e da Porta Unidade.
Eu o lembro de que a Luz Branca, pelo Espírito do Sol, atravessou-os, e que todos os canais e essas Portas, que se tornaram permeáveis – quer você as sinta ou não, aliás, quer você as tenha vivido ou não, porque é a nível coletivo, também – dá-lhe a viver esse sentimento de poder passar, ou de resistir, de um ponto a outro, do efêmero ao Eterno, de um ponto de vista a outro ponto de vista, e dá-lhe a ver, mesmo se isso resista, justamente, a existência de dois pontos de vista.

Do mesmo modo que há algumas Irmãs Estrelas que agiram, preferencialmente, com algumas colorações ao nível da aura delas ou de seus véus de Luz, que elas colocavam sobre vocês.

Outra questão.

Questão: antes de vir, questões emergiam, mas eu não conseguia formulá-las por escrito, como se algo me dissesse: «Para quê? Você conhece, já, as respostas.».
Eu não tenho, verdadeiramente, questões, mas é como se o mental tentasse prender-se ao que ele pode segurar.

Eu ouvi, por uma vez.
É um testemunho.
Mas o que você diz é perfeitamente exato.
Há, efetivamente, às vezes, e isso é não, unicamente, desta vez, talvez para você, mas já, nos anos que se escoaram, vocês tinham muitas questões na cabeça e, quando chegaram ao banho vibratório entre nós e vocês, bem, a questão se esvanecia.
Ela se esvanecia por quê?
Não, necessariamente, porque ela tenha recebido uma resposta, mas porque a realidade da Luz faz com que essas questões não tenham mais lugar de ser.
Não é porque o mental não tenha mais questões, é porque o mental apaga-se diante da Luz.

É o que eu disse há pouco: quando lhe parece que o mental toma a dianteira, quando lhe parece que as contrariedades tomam a dianteira, quando lhe parece que as dores tomam a dianteira, por qualquer razão que seja, volte-se ao coração.
Não haverá mais questões.
Mas não é o caso, tampouco, de levar a questão ao coração, para ter uma resposta, porque isso foi, ainda, no ano passado.
Aí, agora, terminou.
O coração é a resposta para qualquer interrogação.
Mas a resposta à interrogação não se fará de maneira, digamos, mental.
É uma resposta vibral, e isso basta para fazer desaparecer, pela co-criação consciente, tudo o que pode manifestar-se a você.

Eu o lembro de que você passa de uma sociedade dita patriarcal para uma sociedade dita matriarcal, na qual a ação/reação, a predação, a necessidade de subjugar o outro desaparecerá, totalmente, em proveito da noção do acolhimento.
Se você é capaz de acolher, eu não digo discutir ou argumentar, mas acolher a raiva do outro, eu diria, mesmo, os erros do outro, em seu coração, eles se transmutam, instantaneamente.
Você não procurou agir, retificar alguma coisa no outro, mas você o acolheu, mesmo colocando-o fora, no interior de seu corpo e de seu coração, e você verá que, naquele momento, tudo se resolverá.

É isso a Inteligência da Luz, eu diria, talvez, em uma intensidade que você jamais viveu ou, então, de modo extremamente raro.
E se você está atento, isso será a mesma coisa, não, necessariamente, para coisas espirituais, mas, mesmo, para as coisas as mais comuns da vida.
Você tem uma reunião com um organismo, digamos, de Estado, qualquer que seja.
Então, você começa a cogitar, a preparar as suas respostas, a interrogar-se sobre a saída dessa entrevista, por exemplo.
E você chega, você se coloca no coração, sem nada perguntar, e você vai ver que nada do que você projetou acontecerá e que tudo acontecerá pela Luz, mesmo nessas circunstâncias.

É isso o estado de Graça, não é mais fechar-se no interior de uma meditação que dura todo o dia e, depois, excluir-se do mundo.
É nesse mundo que você deve provar a realidade intrínseca de sua Luz.
É isso que vocês vivem, é isso a intensificação que há durante este período.
Eu o lembro de que há o dia de São Miguel, o Todos os Santos, portanto, você está nesse mês de setembro que é, obviamente, um mês importante – todos os meses são importantes: no mês de agosto há o 15 de agosto, depois, há o mês de Maria, depois, há o Natal etc. etc.
Mas, aí, é com uma acuidade muito específica.

E, depois, não se esqueça de rir de si mesmo, quando tenha superado ou transcendido alguma coisa, porque a vida é alegria, qualquer que seja a desconstrução das ilusões ou de suas projeções.
Aliás, se você está no coração, você apenas pode estar na alegria.
Mesmo se lhe batam, você está na alegria, mesmo se você tem uma dor, você está na alegria, e isso você vai constatar, cada vez mais.
Você vai perceber uma dor ou um sofrimento, mesmo na cabeça ou ao nível do mental e, paralelamente a esse sofrimento, que você percebe como real, você estará na alegria.
É isso, também, a transcendência da matéria, enquanto ela ainda está aí.

Questão: ao nível da matéria, eu tive uma vivência.
Minha companheira perdeu suas chaves do carro.
Alguns dias depois, eu perdi uma chave de cadeado.
Mais tarde, eu reencontrei as duas chaves juntas, em meu carro, em um lugar ao qual eu não vou, jamais.
Por quê?

Caro amigo, isso faz parte, eu diria, do maravilhoso da vida, nesse momento.
Vocês todos experimentaram, através, por exemplo, de um desaparecimento de chaves, através de reencontros fortuitos, coisas maravilhosas que transcendem o mental e que obrigam a vocês passar do mental, porque vocês não teriam, jamais, a explicação racional.
A explicação é, totalmente, irracional.
Os seres da natureza e, em especial, os Elfos, algumas Fadas e alguns Gnomos e alguns Dragões começam a pregar peças em vocês.
É absolutamente normal.
Olhe isso como uma criança, com admiração.

Deixe lugar, em si, para o novo.
Deixa lugar para o inesperado, para o desconhecido, mesmo nesse mundo.
É o melhor modo de estar pronto para o momento em que você viverá sua Ascensão, que está em curso, mas a finalidade dessa Ascensão que, eu o lembro, não é o fim desse mundo, de momento, que é colocá-lo na situação adequada, seja de ajudar os irmãos e irmãs, seja de ir aos Círculos de Fogo, seja de dar uma volta nas embarcações arcturianas ou, ainda, nas geladeiras dracos.
Tudo isso não tem importância alguma, são jogos.
Então, jogue o jogo da vida, plena e inteiramente.
As dores e as alegrias são as mesmas, mas elas não o afetarão mais.
Você será, simplesmente, afetado pelo lado maravilhoso, justamente, porque, quando é doloroso, isso se transcende quando você está assim, nessa atitude, eu diria, de espírito.

Questão: como ajudar os irmãos e irmãs, enquanto nada se pode fazer para eles, cada um está em face de si mesmo?

Unicamente, estando em seu estado de Presença que densifica a Luz, e, ao densificar a Luz, você acentua o processo da resolução entre a Luz, ou seja, entre a Eternidade e o efêmero.
Aliás, mesmo, eu diria, para aqueles que são terapeutas, parem de refletir em quadros de referência.
Amem, simplesmente, não procurem querer curar o que quer que seja no outro.
Ajudem-no, simplesmente, estando presentes com o sorriso, não querendo ajudá-lo.
A ajuda faz-se não através de vocês, mas através de suas Presenças reunidas.
Cristo dizia: «Quando vocês forem dois, eu estarei aí.».
É esse o trabalho da Inteligência da Luz.
É, sempre, a pessoa que quer ajudar outra pessoa, mas não há mais ninguém a ajudar.
É preciso sair dessa dialética, se você quer, mesmo se você é terapeuta, de ação/reação.
Mas é preciso deixar a Graça agir.
Não é como ajudar, é «você» ajudar, a partir do instante em que você mesmo está na Graça, e todos os seres e todas as situações que você vai reencontrar vão aparecer-lhe sob o lado maravilhoso deles.

Mas, a partir do instante em que você entrar na vontade de bem para um irmão ou uma irmã, você será confrontado à dualidade e à inação real dessa ação de ajuda.
É, sempre, a pessoa que quer ajudar.
Deixe a Luz ajudar por ela mesma.
Deixar a Luz ajudar por ela mesma é manter-se na Graça, no Fogo do coração, na vibração do coração, na Infinita Presença, na Existência, chame a isso como quiser.
A Autonomia e a Liberdade são, também, isso.

Lembre-se de Cristo, aí também.
A mulher que sangrava, seus sangramentos param quando ela toca o manto de Cristo.
Cristo diz: «Quem me tocou?».
E, para o cego, é similar.
Ele diz o quê?
Que não foi Ele que o curou, foi a sua fé que o salvou.
Não foi Ele que engendrou uma ação de salvar.
Porque, a partir do instante em que você engendra uma ação de ajudar ou de salvar, isso dá no mesmo, é o ego e a pessoa que há à frente, o ego e a pessoa que é necessária nas relações normais, profissionais, familiares ou outras, mas não é mais isso que lhes é solicitado.
Ajude-se, e o céu o ajudará.
Ajude-se, e o céu ajudará aquele que você quer ajudar, a Luz, diretamente, mas isso não tem que atravessar você.

Contente-se em ser a Graça.
Isso quer dizer que é preciso, de algum modo, banir de sua cabeça a ideia de salvar, ajudar quem quer que seja ou o que quer que seja, substituindo isso por uma única obsessão: «Eu sou Um», você chame como quiser, «Eu acolho a Luz Cristo».
Vocês tiveram, nesses anos, montes de suportes para manifestar isso por experiência.
Agora, você não tem mais necessidade de suportes, você deve ver claramente.
Porque, através da ajuda, há, aí também, a noção, ao mesmo tempo, de salvador, mas, também, de submissão e, portanto, de predação, quer você o queira ou não.
Nas outras dimensões, ninguém tem necessidade da ajuda de ninguém.
É a relação e a ressonância que são importantes, não a noção de ajuda.
Você deve reencontrar essa forma de espontaneidade natural nas dimensões unificadas, aqui mesmo, na Terra, neste período.

… Silêncio…

E eu esclareço que, no Silêncio, como de hábito, a Luz aproveita-se. O Espírito do Sol, o Coro dos Anjos põe você ao mais próximo de seu coração e no coração.

… Silêncio…

Questão: quando eu entro em minha sala de trabalho, alguns dias, há a presença de uma bruma leitosa.
Qual é essa manifestação?

Mas são as partículas adamantinas e a Luz adamantina.
Você as vê à noite, em sua cama, você as vê nos lugares, eu diria, um pouco privilegiados, você as vê na natureza, isso nada tem a ver com a bruma ou a umidade.
É a Luz.
E, em breve, tudo vai tornar-se assim.
Bem antes do planeta grelha, aliás.

Questão: por que alguns dias ao invés de outros?

Mas porque a Luz instala-se, mas ela nem sempre permanece nos mesmos lugares, exceto nas retransmissões, que são vórtices ao nível dos povos dos Elfos. Por exemplo, mas porque há, também, flutuações da Luz.
Mas o que você pode observar, que cada um de vocês pode observar, é que, quando ela volta, nos dias em que ela está aí, ela é cada vez mais intensa e cada vez mais presente, eu diria.
Porque isso depende não de sua presença a ela, mas de seu estado para você, porque, se você estivesse, permanentemente, na Graça, você a veria o tempo todo.
Mas ela, também, tem uma intensidade, um desaparecimento e um reaparecimento, que é ligado a muitos fatores que não o fator causal, propriamente dito.
É a evolução espontânea da Luz, em seu corpo, como em algumas salas ou em alguns lugares.

… Silêncio…

Então, é claro, quando nós estamos aí, nessas circunstâncias específicas, aqueles que percebem a vibração sentem, efetivamente, a potência do que está aí.
Você pode, mesmo, sentir, em alguns momentos, o fato de sentir-se esmagado pela densidade da Luz.
Mas, mesmo nesse caso, se você se põe no coração, você vai estar na alegria, quer você desapareça ou não, aliás.

… Silêncio…

Questão: Amma é uma Estrela não nomeada?

Qual nome você disse?

…Amma.

Eu me informo...
Disseram-me: «não».
Entretanto, é uma mãe, no sentido apaziguador.
Mas não é uma Estrela, isso não arrisca.
Talvez, depois...
Ela tem, talvez, ela também, no fim de vida, sua atribuição vibral, para ser uma futura liberadora de mundos.
Você sabe que se recruta, ainda, um pouquinho, hein?

Questão: como se pode recusar, se se é pressentido?

Fazendo o chamado, nós o dissemos.
Agora, é muito simples a ver.
Ao seu redor, entre seus conhecidos e entre os próximos do ex-Autres Dimensions, há quem quis desempenhar papéis.
Mas eles são os bem vindos, mesmo se o papel deles seja um pouco viciado, eu diria, nesse fim específico dos tempos.
Isso quer dizer que, se você tem necessidade, hoje, de tomar-se por Maria, como alguns, de tomar-se por um Melquisedeque, mas dizem-lhe bem vinda, mesmo se você está na ilusão, porque é uma ilusão.
Eu não vejo como Maria poderia estar em sua embarcação e aqui presente, na Terra, em uma mulher que tem uma vida, qualquer que seja.
Mas ela será bem vinda, nós a esperamos com impaciência para a sequência, porque haverá uma sequência, é claro.
Similar para os Melquisedeques aspirantes.
Aqueles que têm necessidade, você sabe, de desempenhar um papel, há muitos deles ao seu redor, nesse momento, eles são liberados, mas eles têm um papel.
Muito bem.
E, depois, há aquele que permanece na humildade, na simplicidade.

Questão: todos os gurus, na Índia, eles fazem parte da falsificação ou alguns trabalham para a Luz vibral?

Então, eu vou ser muito claro, e isso foi dito: todos os grandes mestres, reais, deixaram o plano da Terra nos anos 80 a 87, sem qualquer exceção.
Todo o resto são gurus de bugiganga, que se servem das energias atuais para glorificar-se e tomar-se por quem eles não são.
Eles nada compreenderam.
Eles têm necessidade de brilhar nesse mundo.
Bom para eles, eles irão liberar outros mundos.
Mas isso faz parte, também..., eles, também, têm, realmente, uma missão: é a de tentar levar, com eles, seres para a ilusão Luciferiana.
Mas eles conhecem as duas vertentes da força.
Conhecedores das duas vertentes da força, eles serão muito úteis nos mundos duais e confinados.
É o que eles escolheram, aliás, ao apresentarem-se como salvadores da humanidade.
Não, vocês não acreditam?

Olhe Irmão K, que era Jesus.
Será que vocês o viram, um dia, reivindicar o que quer que fosse?
Será que vocês o viram reivindicar ser ou ter sido, ou tornar-se isso ou aquilo?
Não, ele se apagou de tudo.
Você não pode viver a realidade do Amor e estar inscrito em qualquer função precisa nesse mundo, caso contrário, é o ego e a pessoa que falam, qualquer que seja a abertura do coração.
Eu repito: todos os grandes mestres, que são, hoje, Melquisedeques, para a maior parte de nós, deixamos a Terra antes de 1987, por volta da primeira descida do Espírito Santo, em 1984.

Há seres liberados, é claro, mas eles não têm necessidade de gritar isso nos telhados, nem tomar-se por isso ou aquilo.
Eles são eles mesmos, tal como eles são.
É verdade que, se você compara a vida de um Mestre Philippe de Lyon e daqueles que se tomam, hoje, por não sei o quê, ou seja, Maria ou Melquisedeque, há, de qualquer forma, uma sagrada diferença, não?
Estão onde, os milagres deles?
E está onde a força luminosa deles?
Nas palavras, na aparência, na necessidade de ser amado e admirado, simplesmente.
Aquele que é verdadeiro com ele mesmo não procura nem reconhecimento nem admiração.
Ele é ele mesmo, tal como ele é, e, sobretudo, neste período.
Portanto, ao desempenhar um papel, hoje, falso, eles serão levados a desempenhar esse papel em outra liberação, em outra história.
Mas não é com esse gênero de seres que você encontrará a Liberdade.

Questão: há, ainda, muitos mundos a liberar?

Mas a Terra está liberada, inteiramente!
Quanto mais o tempo passa, mais há possibilidade de redenção, é tudo...
Mas não há mais necessidade de ninguém, a quota foi atingida, há muito tempo.

Questão: eu falo de outros mundos a liberar que não a Terra.

Oh há ainda...
Eu havia anunciado quarenta ou quarenta e pouco, há alguns anos.
O número baixou, entretanto, não resta mais do que trinta e oito.
Você vê, há um trabalho, hein?, mas sem nós, obrigado.

Questão: nos outros mundos confinados houve, também, um personagem histórico correspondente a Jesus Cristo junto a nós?

Mas sempre.
É a matriz Crística, é o Cristo solar, o Logos solar, você o chame como quiser, portado por um ser humano, como foi o caso com Jesus.
Porque Ki-Ris-Ti é o Filho Ardente do Sol, é aquele que é a matriz de Liberação e a matriz de Liberdade.
Portanto, é uma figura onipresente.

Então, é claro, isso foi arranjado ao sabor dos répteis, se querem, de fazer dele um salvador exterior crucificado em uma cruz.
Mas era algo que é onipresente nos mundos a liberar.
Mas essa função, esse papel, essa encarnação existiu apenas do lado do ponto de vista confinado.
Ele é útil nesse mundo, mesmo se tenha sido ainda mais alterado.
É uma matriz original de Liberdade, a matriz Crística.

Você sabe que os mundos confinados são regidos pela lei de ação/reação.
E há estratégias que são desenvolvidas, progressivamente, que permitem substituir uma matriz alterada pela matriz de Liberdade que se chama a matriz Crística.
Então, sim, é algo que é uniformemente espalhado nos mundos da ação/reação.

Questão: há uma diferença entre o princípio Crístico e aquele que atinge um estado Crístico?

Não, é a mesma coisa, ou seja, para manifestar o estado Crístico, isso quer dizer que o princípio Crístico está inscrito nele, como foi o caso para Jesus Cristo histórico, como foi o caso para seres que têm imitado Cristo ao mais próximo Dele: Mestre Philippe de Lyon, os estigmatas diversos e variados que têm estado na Terra no curso da história, desde a encarnação de Jesus.
Mas Jesus não foi o primeiro a receber uma parcela do princípio Crístico.
Mas ele é o primeiro a ter manifestado o estado Crístico, na totalidade.
Mas houve precursores, de algum modo.
Há Mani, há Buda, há, também, Akhenaton e outros bem mais antigos, mas que não puderam ir, por razões diversas, até o fim, ou seja, a encarnação total do princípio Crístico e do estado Crístico.

Questão: eu li que Mestre Philippe de Lyon teria sido Akhenaton, precisamente.
Quem é ele?

Eu não sei, eu perguntarei a ele, na oportunidade.
Mas eu prefiro a cabeça de Mestre Philippe à cabeça de Akhenaton.
Mas são outros tempos e outros costumes.

Questão: qual é o papel dos Dragões de Fogo e da Terra, nesse fim de ciclo, e eles têm um papel em relação à cadeia dos Pirineus, na França?

Estabilizar a crosta terrestre e ancorar a rede cristalina Crística sobre a Terra, quando de seu processo de Ascensão, estabilizando algumas regiões, alguns lugares da Terra que são apoios da Luz e, em especial, como foi dito, a cadeia dos Pirineus.

Questão: é o mesmo para a região do Mont-Blanc?

Certamente não.
É uma região que deve ser completamente afundada sob a terra, assim como toda a região de Lyon.
Lamento pelos Lyonenses, e por todos os Parisienses, também, que não vão tardar a grelhar.

Questão: eu vivo nos Pirineus, eu não tenho mais água, a caldeira está em pane e, entretanto, eu não posso sair dali.
A Graça não me faz sair.
O que é isso?
Há uma utilidade para estar ali?

É claro.
Se você devesse ser ejetado do lugar você já teria sido.
Eu sei que não é a mesma coisa que uma ilha paradisíaca no meio do Oceano Índico.

Questão: então?

Bem, se eu fosse você, eu faria reparar a caldeira.
Isso não é uma questão de meios, é uma questão de oportunidade.
Se essa caldeira deve ser reparada, e que isso corresponde à Luz, ela será reparada, não por si mesma, mas por um reparador, é claro, mesmo se não há dinheiro.
Quem lhe disse que fará frio primeiro?
Isso arrisca, ao contrário, calor, não?
E, aliás, você fará como os yogis, sua Luz interior bastará para aquecer o lugar.
Isso não é uma ilusão, você tem calor nesse momento, hein? Não é?

Questão: eu vivo na Grã-Bretanha, eu posso contestar esse ponto.

Mas a Bretanha não está na montanha, parece-me.
Não ainda...
A Bretanha é um lugar, de qualquer forma, predestinado, olhe todas as profecias e todos os marialistas que apareceram nessa região, todas as aparições da Virgem e de Cristo.
Você está, de qualquer forma, na extremidade da Europa ali.

Questão: um pouco por toda a parte, os vulcões acordaram.
O que é dos vulcões de Auvergne?

Isso vem.
Eu o lembro de que, nesse canto, também, você está em uma zona vulcânica.
Eu havia falado, há muito tempo, do despertar do Cinturão de Fogo do Pacífico e da erupção do Cinturão de Fogo do Pacífico.
Isso é feito, já, há alguns anos, não é?
Não isso não queria dizer que terminava, há todos os outros.

Planeta grelha que eu evocava há alguns anos é, ao mesmo tempo, o Fogo do Céu, mas, também, o Fogo da Terra.
E é, também, o Fogo em vocês.

Questão: e o vulcão de Esterel?

Oh, bem, ele não existirá mais, ele estará sob a água, será um vulcão submarino.

Questão: entre as pessoas que seguem um guru, não há seres que procuram, verdadeiramente, a verdade, que seguem um mestre acreditando encontrar a verdade, e que são enganadas?

O único verdadeiro mestre é aquele que se desembaraça de seus alunos.
Enquanto há noção de mestre, quer você o nomeie Mestre Philippe, Cristo ou eu, você não está livre, porque isso quer dizer que você procura no exterior.
Pode-se aportar-lhe uma ajuda, mas não se pode ser você, jamais.
Então, é claro, há casos nos quais mestres autênticos transmitiram a outra pessoa a totalidade do que eles são, no momento de sua partida, mas é um fenômeno extremamente raro.
E eu lhes disse que todos os grandes mestres haviam partido entre os anos 85-87.
Portanto, tudo o que resta é o que eu nomearia de gurus de bugiganga.

Questão: e aqueles que seguem esses gurus de bugiganga e que procuram, verdadeiramente, a Luz?

Mas eles não procuram no lugar certo.
Mas isso faz parte do caminho deles.

Questão: como eles podem saber que esse não é o lugar certo?
Qual é o sinal?

Eles não podem sabê-lo.
Há o momento em que eles deixarão esse guru de bugiganga, em que eles perceberão que foram enganados.
O único verdadeiro mestre é aquele que os remete à sua própria mestria, e que não se põe em situação de desempenhar um papel de mestre, de sentar-se em um assento em ouro ou tomar-se por Maria ou não sei o quê.
Isso é uma vigarice, não são, mesmo, gurus de bugiganga, é uma verdadeira vigarice espiritual.
Seja ligada a aspectos vilmente materiais e financeiros, seja ligada à predação, à necessidade de ser adulado e de nutrir-se dessa adulação.
E se os seres e irmãos, irmãs caem ali, é que eles tinham que ali cair.
Não julguem isso.

Você não pode seguir um mestre e tornar-se um mestre, ou ser um mestre.
Porque você se põe, você mesmo, sob autoridade exterior.
Aliás, nós temos um dos Melquisedeques que escapou, eu diria, por um triz, em seu tempo, que era aquele que foi nomeado Ram ou, se prefere, pode-se dizer seu nome: Mestre Ram Candra Babuji, que teve suficiente humildade para não ser enganado.
Mas os mestres como esse são muito raros.
Olhe a minha experiência encarnada.
Olhe todos esses seres que me cercavam de maneira mais ou menos constante e permanente.
Eles jamais se tornaram autônomos, eles tinham necessidade de um pai, eles tinham necessidade de amor, mas eles não eram, ainda, capazes, à época, de viver a própria mestria.
Os tempos são profundamente diferentes.
Portanto, se você vê um mestre, você o põe na lata de lixo, não é?
Sobretudo, se ele se reivindica mestre diante de você.

Você sabe, as forças de predação são, por vezes, extremamente sutis.
Será que você olha tudo?
Mesmo os verdadeiros mestres?
Olhe, por exemplo, Sri Aurobindo, olhe o meu caminho, olhe Bença Deunov, olhe do lado da Índia.
Será que você viu muitos seres tornarem-se mestres após terem frequentado, mesmo esses verdadeiros mestres?
Não, absolutamente.
Enquanto, hoje, vocês estão em estado de Graça, para alguns de vocês, e são, realmente, mestres.
Mas a Graça opera por si mesma.
Não é porque você tem um rótulo de mestre ou de estar liberado que você vai poder liberar quem quer que seja.
Há, aliás, entre vocês, aqui e alhures, quem teve algumas decepções com alguns pseudos mestres.

O pseudo mestre tem sua utilidade, é a de forçá-los a voltar-se, enfim e definitivamente, para si mesmos.
Enquanto você procura a Luz no exterior, você apenas reencontrará desilusões, quer seja através das religiões, quer seja através dos gurus, quer seja através de uma filosofia, mesmo do Advaita Vedanta, porque está na moda, nesse momento.
Não basta pretender-se liberado para ser liberado, não basta saber falar para ser liberado.
É algo que deve verificar-se na vida de cada dia, em todos os gestos da vida quotidiana, não como uma mestria de si, mas como a evidência da Graça.

Seu único mestre é você mesmo, a partir do instante em que você acolhe a Graça.

Questão: qual é a eficácia do método de Ho’oponopono?
Continua correto utilizá-lo?

É muito New Age isso…
Se você quiser, é acreditar que uma frase vá fazer outra coisa que, talvez, ajudá-lo a ficar bem...
Jamais ninguém será liberado, jamais ninguém encontrará o Si com Ho’opononono [sic] ou não importa qual mantra.
Você encontrará, simplesmente, um apaziguamento, mas, jamais, uma liberação.
Então, quer você acenda uma vela ou recite Hopononono, é o mesmo princípio.
Você tem, você se atribui uma muleta para não ver a insuficiência de seu coração.
Porque, quando você está no coração, você não tem necessidade de nada mais que não a Graça que está aí.

É claro que há técnicas que podem ajudar a aproximar-se disso, e é, também, o que nós temos feito, quer seja, mesmo, através da Dança de Li Shen, quer seja através dos diferentes protocolos de cristais ou outros, que lhes foram comunicados.
Mas isso é apenas uma ajuda, uma muleta.
E crer que um mantra ou uma frase vá liberá-lo de sua condição humana falsificada e confinada é terrível, porque, aí, você se põe, a si mesmo, sob a influência de uma egrégora.
Então, efetivamente, as egrégoras, hoje, como essa, são muito mais potentes, mesmo, do que as egrégoras religiosas, hoje.
Mas para onde elas os levam?
Eu o lembro de que todas as egrégoras são recuperadas pelas forças arcônticas.
Então, de início, há algo que o nutre, de uma maneira ou de outra, e, em definitivo, é você que nutre.
Onde está a liberdade aí?
Onde está seu coração aí?

Você sabe, isso pode ir muito longe.
Olhe os yogis que passavam o tempo a limpar-se os intestinos com tiras de gase ou limpar-se de todos os lados, você acredita que, verdadeiramente, esses seres eram livres?
Eu prefiro, amplamente, ver a aura de um Mestre Philippe do que esses yogis que fazem asceses terríveis, que, mais frequentemente, são apenas imposições do próprio ego.
E muitos ocidentais caem sob o charme dessas ilusões, mas são fazedores de milagres, eu os chamo assim.
Aliás, ele não falarão, jamais, da Eternidade e de outros planos, coisas que nós fazemos, nós, há anos.
Não para melhorar sua sorte aqui embaixo, porque, se você olha do ponto de vista da pessoa, eu não acho que você possa dizer que nós melhoramos as condições de sua vida como pessoa nessa Terra.
É, efetivamente, o inverso, não é?
Ninguém pode penetrar o Reino dos Céus, não é?, enquanto lhe resta o menor pingo de crença ou de adesão a qualquer coisa de exterior.
Então, é claro, você tem, talvez, necessidade de fazer todos os Hopo-geringonça toda a sua vida, mas você não avançará um milímetro.
É preciso estar consciente disso.
Assim como nenhum mestre exterior propiciará a Liberdade a você, nem Liberação.

Eu o lembro de que Cristo tinha Apóstolos, mas será que Cristo liberou os Apóstolos?
Não, foi o Espírito Santo, a Shekina que os liberou e, certamente, não Cristo.
Cristo, em contrapartida, tratou de sofrimentos, reais, na carne.
Ele, também, impulsionou tudo o que aconteceu há dois mil anos.
Mas você pode ir à igreja todos os dias, fazer dez rosários por dia, você pode fazer boas obras o dia todo, você não será livre, contudo.
Você terá satisfação do ego que fez o bem, e que crê elevar sua alma, mas que, de fato, confina sua alma ainda mais.
Eu não disse que era preciso fazer o inverso, é claro, mas é preciso estar lúcido sobre tudo isso.

Questão: como se faz para estar no coração ou para abrir o coração?

O mais simples é ficar no instante presente, porque o instante presente é recentrar-se, permanentemente, no coração, mesmo se você não o sinta.
É não mais depender de uma projeção no futuro ou de um resultado do passado, não mais ser condicionado.
Aí se encontra a espontaneidade e a Liberdade.
Não mais julgar, é claro, mas, simplesmente, estar presente no instante, o que quer que você viva.
Aí está o coração.
Ainda uma vez, humildade, simplicidade.
Mas o instante presente ou o tempo presente é, certamente, o melhor aprendizado do coração, sobretudo, quando não se sente a vibração da energia vibral.

Questão: um irmão tem um sonho recorrente, no qual ele está no avião.
Há mudanças meteorológicas importantes que provocam turbulências intensas.
É um sonho premonitório?

Eu não conheço essa pessoa, mas é, antes de tudo, simbólico, ao nível, eu diria, de seu lado aéreo, ou seja, de sua espiritualidade hesitante, certamente, e flutuante.
Mas isso pode ser, também, profético.
Mas, em geral, no aviso profético pessoal, o sonho é potente e não tem necessidade de reproduzir-se.
Em contrapartida, se ele se reproduz sem parar, não é mais em relação com a esfera psíquica, mental ou espiritual, e isso traduz o fato de não estar em vôo equilibrado, simplesmente.
Mas, isso dito, é verdade que há muitos aviões que caem, nesse momento.
Tudo cai, aliás, não apenas os aviões.

Questão: qual foi o papel do Reiki nesse planeta?

Reforçar o poder dos Jesuítas, aportar soluções a esse corpo, porque é, efetivamente, terapêutico e, às vezes, de maneira muito eficaz, mas isso se faz em detrimento da alma.
O que quer dizer que se tomam as energias dos planos sutis para levá-las à matéria, sem qualquer transcendência.
Então, é claro, é muito potente, ao nível da energia, mas não é, absolutamente, do vibral.
É como Hopo-geringonça, é exatamente o mesmo princípio.
Aí também, eu creio que eles se chamam «mestres».
Isso demonstra, imediatamente, a presunção dessas pessoas, tudo isso para magnetismo com símbolos esotéricos.
Mas é verdade que o ocidental gosta muito das coisas assim, que vêm de longe.
Mas isso não vem de tão longe, porque nasceu em Roma, mesmo se tenha nascido, de maneira aparente, no Japão, entre outros.

Crer que uma figura geométrica ou que uma postura no corpo vá fazer de vocês seres liberados, isso é impossível.
Isso tem ações terapêuticas, é inegável, mas a custo de quê?
É bem pior do que os medicamentos.
Você sabe que os medicamentos curam alguma coisa, tomando alguma coisa alhures, bem, o Reiki é parecido.
Isso rouba alguma coisa na alma, mas você já viu seres liberados pela prática do Reiki?
Mesmo os preciosos «mestres» de Reiki?

Questão: como se pode ver se alguém é um liberado?
Não se pode, jamais, verificar isso do exterior em algum outro?

Ah! Jamais.

Questão: como você pode, então, pedir-nos para ver se alguém está liberado com o Reiki, enquanto não se tem método para verificá-lo?

Mas francamente, o coração é simples.
Será que você tem necessidade de teorias?
Será que você tem necessidade de mestres?
Será que você tem necessidade de símbolos?
Será que você tem necessidade de um Hopo-geringonça?
Enquanto você tem necessidade disso, é a pessoa que se exprime, portanto, não está livre.
É tão simples assim.
Nada há mais, e é válido para não importa o que, eu o disse, tanto para a oração como para o rosário como para o Hopo-geringonça. Como para o que você quiser.
Nós jamais dissemos, por exemplo, que repetir «Eu acolho a Luz Crística, em Unidade e em Verdade» ia fazer de vocês pessoas livres, é claro.
Era uma subida vibratória preliminar, nada mais.

Mas como você pode ser tão estúpido de acreditar, ainda, que uma técnica, qualquer que seja, vai liberá-lo do que quer que seja, exceto, eventualmente, fazer desaparecer uma doença?
Nada há que possa liberá-lo em seu exterior, uma vez que você já é livre.
Apenas a pessoa é que crê que ela não é livre, e, se ela acredita encontrar a Liberdade através desse gênero de mistificação, mas pior para ela, é a experiência que ela deve fazer.
Um ser livre não tem necessidade de nada reivindicar e, sobretudo, não técnicas, é sua Presença que age.
Você ainda não compreendeu isso?
Olhe Maharshi, olhe Um Amigo, as pessoas que vieram vê-lo.
Será que ele fazia alguma coisa?
Será que Babaji, a Fonte, fazia alguma coisa?
Ele estava aí, simplesmente, ele brincava com as crianças, ele trocava nas conversações normais em torno de uma xícara de chá.
Mas jamais eles praticaram coisas similares.
Será que você se dá conta da estupidez das coisas?
E você continua a prosseguir esses caminhos desviados...
Você se encadeia, a si mesmo, a ilusões terríveis.

Então, primeiro há, também, caminhos de conhecimento, você acredita que, porque você conhece certo quadro de referência, por exemplo, saber porque há tal ataque do corpo, mas isso é a glorificação do ego, nada mais, nada menos, a necessidade de ser amado ou de ter o dinheiro, é tudo.
Volte-se, ao invés disso, ao lado de um Padre Pio, de um Mestre Philippe.
Eles eram seres autênticos e, certamente, não gurus ou ilusões Luciferianas.
Agora, cada um é livre de viver o que vive, felizmente, isso se chama a liberdade; mas não a Liberação, certamente não.

E poder-se-ia ir mais longe, poder-se-ia falar de tudo o que existe nessa Terra, oficial ou não.
A maior parte das pessoas que se dedica a esse gênero de coisas, esperando encontrar, através de uma técnica, qualquer que seja, alguma coisa, está apenas na busca de poder e na necessidade de reconhecimento.
Nada mais há, é o vento.
É claro que isso tem benefícios nesse mundo, mas o que é que você procura?
O benefício ou a melhoria nesse mundo ou sua Liberdade?
É completamente contraditório.
Você não pode fazer duas coisas ao mesmo tempo.
Será que você compreende o que eu quero dizer?
Sobretudo, agora.
Ainda, antes que a descida do Espírito Santo acontecesse, antes de 1984, cada coisa tinha sua utilidade, mas, hoje, por que você quer ter necessidade de outra coisa que não o que você é?
Você está tão pobre de coração assim para ter necessidade de um olhar exterior, de uma ajuda exterior ou do que quer que seja de exterior?
A ajuda exterior é indispensável para tratar uma doença, mas não disfarce isso de poderes espirituais, de liberdade, do que quer que seja.
É uma trapaça, no sentido do Espírito.

Eu não digo, com isso, que o magnetismo ou todas as técnicas de cura sejam ilusórias.
Bem ao contrário, elas são úteis para mantê-los na saúde nesse mundo, mas elas não são de qualquer utilidade para encontrar o que você é.
Se você acredita encontrar o que você é ao seguir um guru, Hopo-geringonça ou não sei o que, Reiki, com todos os números de Reiki que há, isso prova, simplesmente, que você está perdido, que você mascara sua falta de coração desse modo.
O coração apenas sofre do interior.
Nenhum ser humano pode abrir seu coração, nenhum ser de Luz pode abrir seu coração.
É você que detém a chave, ao passar do ego ao coração.
Todo o resto é apenas do folclore, todo o resto é apenas ilusão, que o arrasta, cada vez mais, para coisas complicadas.
Guarde as coisas complicadas para as coisas que necessitam da técnica: conduzir um veículo, tocar um instrumento de música, no que, aí, há um aprendizado.
É como se você me perguntasse se tal instrumento musical provocava a Liberação.
Mas, mesmo os instrumentos sagrados, em todas as tradições, jamais provocaram a Liberação de ninguém.

Como você pode, ainda, acreditar em coisas parecidas?
Você se dá conta, para alguns de vocês, em que vocês embarcaram?
Em rituais.
Mas isso é porque você recusa...
Aqueles que adotam isso é, simplesmente, porque recusam a simplicidade e a evidência do instante presente, do coração.
Procure o Reino dos Céus, que está dentro de você, todo o resto é apenas mistificação em relação ao ponto de vista do Si, ou do Absoluto.
Mas cabe a você definir suas prioridades.
A espontaneidade, o instante presente nada tem a ver com crenças, nada tem a ver com rituais, nada tem a ver com técnicas, quaisquer que sejam.
É. Justamente, no momento em que você se despoja de tudo isso que você encontra seu coração.

E aquele que vive o coração, realmente, não tem necessidade de perder-se no Hopo-geringonça ou no Reiki ou não importa o que mais, ou tomar-se por isso ou aquilo.
Ele é, é tudo.
Ele vive sua vida de maneira a mais simples possível, ele nada tem a demonstrar ao mundo nem a mostrar, ele é ele mesmo.
Ele viu a ilusão desse mundo, ele viu bem além da falsificação, mas ele não pode traduzi-las porque apenas você mesmo é que pode ali ir, no coração.
Você deve, verdadeiramente, fazer entrar isso na cabeça muito, muito rapidamente, para aqueles que estão, ainda, seguindo geringoça-Nono ou, ainda, Maria encarnada sobre a Terra, ou as diferentes Marias que se batem entre elas, porque há dezenas delas, no mínimo, não é?, de Marias reencarnadas.
E você não se dá conta do absurdo dessas coisas?
Será que o coração se sobrecarrega com histórias, papéis, funções, rituais ou o que quer que seja mais?

Tudo isso são apenas ilusões, tipicamente, que se nomeava de Luciferianas, que os leva para a falsa Luz.
Então, é claro, isso melhora esse plano, mas jamais isso lhe mostrará a ilusão desse plano.
Ao contrário, isso o faz aderir a esse plano, e você se justifica dizendo que você está na vida, que você ajuda, que você serve.
Mas é uma paródia de espiritualidade, isso.
Agora, você é livre para seguir o que quiser.
Eu diria, mesmo, que é um pouco tarde para tentar refazer o caminho agora.
Aqueles que deram meia volta e que fizeram tournicoti-tournicota, eles o fizeram, eu diria, aproximadamente até o mês de junho-julho.
Mas, aí, terminou, as coisas estão congeladas.
Há apenas que atualizar o que vocês são, é tudo.

Eu creio que vamos, talvez, terminar nessas boas palavras.
Isso empurra atrás de mim, não é?
Então. eu vou transmitir-lhes todas as minhas bênçãos, todo o meu Amor, e gravem isso na cabeça, no fundo de vocês: o coração é simples, e ele está antes de tudo.
Tudo o resto é apenas geringonça, sucata que para nada serve, é do cenário.

Nisso, todo o meu Amor está com vocês, em vocês.




4 comentários:

  1. Parece-lhes, por vezes, andar na montanha russa, mas eu os lembro, também, de que eu havia dito que o período que é agora ia ver uma acentuação crescente da vibração da consciência, das energias, dos Elementos e, isso, até o momento que eu qualificaria de inicial ou final – é a mesma coisa – ou seja, o advento, visível aos olhos de todos, da segunda Estrela, ou seja, do segundo Sol...

    Portanto, o cenário da dissolução desse mundo chegou, verdadeiramente, ao seu extremo.

    Você não terá mais respostas exteriores. As respostas exteriores, mesmo por nossos planos, eu diria, não têm mais lugar de ser, uma vez que você é a Luz e a Luz está aí.

    Agora, quando eu falo de momento final e inicial, se você quer entender, por aí, fim do mundo, você se engana. Porque haverá coexistência de dois mundos, durante certo lapso de tempo e é aí que você se colocará ou no antigo, ou no novo, ou seja, esse famoso período que corresponde aos cento e trinta e dois dias. Mas, enquanto não houve o Apelo de Maria, enquanto você não tenha visto a segunda Estrela, eu nada mais disse do que o que eu disse.

    Mas você sabe muito bem que as datas limite são reais, na medida em que as Estrelas, a primeira Estrela passou... Eu lhes disse, a partir deste ano, a partir do início deste ano, que havia, efetivamente, uma data astronômica limite e, portanto, eu o lembro de que é 7 de janeiro do ano 2016. Mas essa data limite, ela também, corresponde à inicialização dos cento e trinta e dois dias.

    O mais importante é saber o que você vive, nesse momento. Porque não há mais data, você está dentro, eu não sei como se pode dizê-lo melhor do que isso.

    Então, o que é que você chama «data limite»? A data limite, para mim, é o evento astronômico. A data limite era a liberação da Terra. Isso são datas limite que foram respeitadas. Mas eu o lembro, de qualquer forma, de que ninguém conhece a data, nem mesmo Cristo.

    Saiba, simplesmente, como nós, que nós estamos dentro. Mas, a partir do instante em que você porta sua consciência no amanhã, você não está mais no hoje, e você age, unicamente, em função dessa projeção e não mais em função do instante presente. É claro, você tem direito de informar-se e, mesmo, de projetar cenários, de divertir-se em sua cena de teatro, mas não creia em nada que concirna a esse mundo. E, sobretudo, no aspecto linear temporal.

    As visões proféticas, por exemplo, que vocês tiveram de Saulo, de Paulo, São Paulo de Tarso, sobre a queda de Damasco, todo mundo e esses seres que viveram, por exemplo, o Pentecostes, a descida do Espírito Santo, estavam persuadidos de que era o retorno de Cristo. Eles não consideravam, um segundo, que esse mundo ia continuar dois mil anos. Será que eles se enganaram? Não. O entusiasmo da Luz e de Cristo era tão potente que, neles mesmos, eles haviam posto fim a esse mundo. Mas atenção às suas projeções.

    Ninguém pode penetrar o Reino dos Céus, não é?, enquanto lhe resta o menor pingo de crença ou de adesão a qualquer coisa de exterior. Então, é claro, você tem, talvez, necessidade de fazer todos os Hopo-geringonça toda a sua vida, mas você não avançará um milímetro. É preciso estar consciente disso. Assim como nenhum mestre exterior propiciará a Liberdade a você, nem Liberação.

    Mas você pode ir à igreja todos os dias, fazer dez rosários por dia, você pode fazer boas obras o dia todo, você não será livre, contudo. Você terá satisfação do ego que fez o bem, e que crê elevar sua alma, mas que, de fato, confina sua alma ainda mais. Eu não disse que era preciso fazer o inverso, é claro, mas é preciso estar lúcido sobre tudo isso.

    ... E gravem isso na cabeça, no fundo de vocês: o coração é simples, e ele está antes de tudo. Tudo o resto é apenas geringonça, sucata que para nada serve, é do cenário.

    ResponderExcluir
  2. muito bom, demaisssssssssssssss, rendo Graças

    ResponderExcluir
  3. AQUI SÓ MEDICAMENTOS, FORNECIDOS POR AÏVANHOV

    1/2


    “Portanto, quaisquer que sejam os problemas, qualquer que seja o que lhe pareça difícil, cale-se, faça silêncio, vá ao coração, vá repousar, vá recuperar-se na natureza, não tome decisões intempestivas, não se confronte com seus irmãos ou irmãs.”

    “Quando há algo que se produz, que lhe pareça contrário à Luz ou contrário aos seus desejos ou ao seu ponto de vista, não procure ter razão, não procure demonstrar o que quer que seja, vá à natureza, gire sua língua trinta vezes em sua boca antes de falar, porque o pensamento é operativo.”

    “Porque, se agora, você se diverte a dizer: «Você é estúpido», «Aquele ali, ele não me agrada», «Eu tenho medo», «Eu vou cair», isso vai acontecer, pelo simples fato de pensar. Então, evite cogitar.”


    “A Luz sabe, melhor do que sua inteligência, ao mesmo tempo, o que é bom para você, e conhece, muito melhor do que você, as soluções para as problemáticas que se apresentam.”


    “Mas, a partir do instante em que você porta sua consciência no amanhã, você não está mais no hoje, e você age, unicamente, em função dessa projeção e não mais em função do instante presente.”


    “Portanto, vocês têm minas de ouro aí dentro, que vão, ao mesmo tempo, nutrir sua consciência e demonstrar-lhes a realidade, também, do que vocês vivem.”

    “Porque o que não aparecia claro, naquele momento, aparecer-lhes-á cada vez mais claro, porque vocês o vivem.”


    “É o que eu disse há pouco: quando lhe parece que o mental toma a dianteira, quando lhe parece que as contrariedades tomam a dianteira, quando lhe parece que as dores tomam a dianteira, por qualquer razão que seja, volte-se ao coração.”


    “O coração é a resposta para qualquer interrogação.”


    “Se você é capaz de acolher, eu não digo discutir ou argumentar, mas acolher a raiva do outro, eu diria, mesmo, os erros do outro, em seu coração, eles se transmutam, instantaneamente.”


    “É isso a Inteligência da Luz, eu diria, talvez, em uma intensidade que você jamais viveu ou, então, de modo extremamente raro.”

    “E se você está atento, isso será a mesma coisa, não, necessariamente, para coisas espirituais, mas, mesmo, para as coisas as mais comuns da vida.”


    “E você chega, você se coloca no coração, sem nada perguntar, e você vai ver que nada do que você projetou acontecerá e que tudo acontecerá pela Luz, mesmo nessas circunstâncias.”


    “E, depois, não se esqueça de rir de si mesmo, quando tenha superado ou transcendido alguma coisa, porque a vida é alegria, qualquer que seja a desconstrução das ilusões ou de suas projeções.”


    “Aliás, se você está no coração, você apenas pode estar na alegria. Mesmo se lhe batam, você está na alegria, mesmo se você tem uma dor, você está na alegria, e isso você vai constatar, cada vez mais. É isso, também, a transcendência da matéria, enquanto ela ainda está aí.”

    ... “Coisas maravilhosas que transcendem o mental e que obrigam a vocês passar do mental, porque vocês não teriam, jamais, a explicação racional. A explicação é, totalmente, irracional.”

    “Unicamente, estando em seu estado de Presença que densifica a Luz, e, ao densificar a Luz, você acentua o processo da resolução entre a Luz, ou seja, entre a Eternidade e o efêmero. Amem, simplesmente, não procurem querer curar o que quer que seja no outro. Ajudem-no, simplesmente, estando presentes com o sorriso, não querendo ajudá-lo. A ajuda faz-se não através de vocês, mas através de suas Presenças reunidas. Mas é preciso deixar a Graça agir. Ajude-se, e o céu o ajudará. Contente-se em ser a Graça.”

    ResponderExcluir
  4. ...”Porque, se você estivesse, permanentemente, na Graça, você a veria o tempo todo.”( Luz Adamantina)

    “E, depois, há aquele que permanece na humildade, na simplicidade.”

    “Olhe Irmão K, que era Jesus. Será que vocês o viram reivindicar ser ou ter sido, ou tornar-se isso ou aquilo? Não, ele se apagou de tudo. Aquele que é verdadeiro com ele mesmo não procura nem reconhecimento nem admiração.”

    “Seu único mestre é você mesmo, a partir do instante em que você acolhe a Graça.”

    “Porque, quando você está no coração, você não tem necessidade de nada mais que não a Graça que está aí.”

    “O mais simples é ficar no instante presente, porque o instante presente é recentrar-se, permanentemente, no coração, mesmo se você não o sinta. Nenhum ser humano pode abrir seu coração, nenhum ser de Luz pode abrir seu coração. É você que detém a chave, ao passar do ego ao coração. Todo o resto é apenas do folclore, todo o resto é apenas ilusão, que o arrasta, cada vez mais, para coisas complicadas. Mas cabe a você definir suas prioridades. A espontaneidade, o instante presente nada tem a ver com crenças, nada tem a ver com rituais, nada tem a ver com técnicas, quaisquer que sejam. É. Justamente, no momento em que você se despoja de tudo isso que você encontra seu coração.”

    Bem, Segundo Sol, Anúncio de Maria, a estase, os 132 dias, ocorrerá, devido ao Momento do Sistema Solar... Aquilo que nos cabe, é desaparecermos, e darmos abertura total ao nosso Coração, e que a Luz, a Graça, ...

    ResponderExcluir