Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

5 de nov de 2005

MARIA – 5 de novembro de 2005

DO SITE AUTRES DIMENSIONS.

Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui



Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.
Bem vindos a vocês, queridos filhos.

Eu estou aqui, obviamente, para aportar-lhes todo o meu amor e minha bênção de Mãe eterna.

Nesses momentos que vive a Terra, vêm momentos extremamente conturbados, que concernem, principalmente, à consciência humana e sua falta de humanidade e sua falta de amor, e sua falta de recursos.
Nisso, o que acontece ao nível dos elementos, um pouco por toda a parte por este planeta, ilustra, perfeitamente, o que acontece ao nível da consciência humana.

Há, nessa humanidade, que meu coração tanto ama, tão poucos retornos de amor, tão poucas transformações.

Obviamente, há seres que começam o caminho da liberação e o caminho de retorno ao amor e de retorno à Unidade.
Entretanto, inúmeros de vocês não conhecem, ainda, a mensagem de meu Filho, de meu Divino Filho, não começaram esse caminho do coração, no entanto, tão necessário, no entanto, tão indispensável à realização da fraternidade do amor neste planeta.

Inúmeras religiões vão contra essa lei de amor.
Inúmeras religiões vão para um sacrifício que não é um sacrifício sagrado, mas o sacrifício da vida, coisa que jamais foi pedida em algumas das religiões.
Há em seu mundo e em sua humanidade tanta desordem, tanta derrapagem e tanta falta de lucidez que, obviamente, a consciência humana está alvoroçada e os seres humanos, que portam esses movimentos, ilustram, perfeitamente, os caminhos de divisão, os caminhos de errância e de separação, que não é ir ao sentido da Unidade e da fraternidade.

Há, nesses seres, uma parte de sombra, efetivamente, maior do que a parte de Luz.
E, entretanto, quaisquer que sejam os eventos que sobrevêm e que sobrevirão, no prazo relativamente próximo, é-lhes solicitado não julgar, mas aportar seu amor o mais puro e o mais desinteressado a esses seres que, no entanto, estão no caminho de perdição.

O impacto desses eventos que sobrevêm ao nível das consciências humanas é, obviamente, majorado, amplificado pelos esquemas que vocês introduziram nos funcionamentos de sua sociedade ao nível de imagens, ao nível de palavras, ao nível de conceitos errôneos, que são veiculados por seus modelos, tanto no plano econômico como no plano governamental, e como no plano de humanidade, simplesmente.

Há, hoje, ao nível das consciências humanas, muitas coisas desviadas, muitas coisas vagando, que não vão ao sentido da Unidade.
Essas consciências humanas, acreditem, queridos filhos, são apenas os portadores das errâncias da humanidade.
Eles não são, inteiramente, responsáveis pelo que eles fazem, assim como meu Divino Filho disse: «Meu Pai, perdoe-os, eles não sabem o que fazem».
Do mesmo modo, vocês devem afirmar que os perdoam, e peçam, para eles mesmos, o perdão do Pai pelos seus atos insensatos, que os privam de vida e que privam de vida outros seres humanos, sem distinção.

Não há, aí, qualquer traço de Luz, mesmo se, no fundo dessas almas, brilhe a Luz.
Ela foi sufocada pelos véus da escuridão da humanidade, com os quais eles se adornavam, decoravam, a fim de emitir a imagem do que vocês permitiram, por suas covardias, por suas faltas de comprometimentos, manifestar-se neste planeta.

Queridos amigos e queridos filhos, há, em vocês, uma parcela dessa responsabilidade total da humanidade.
E meu coração de mãe sangra, novamente, diante de tantos desvios e de coisas que voltam as costas à Luz autêntica que, no entanto, está bem aí, de toda a eternidade, e que se reforça, ativamente, ao redor de vocês, por vibrações aceleradas, por modificações da influência da irradiação solar sobre este planeta, com a modificação da inclinação do ângulo em relação aos polos físicos do planeta.

Há, realmente, uma incidência mais forte de Luz, que surge agora.
E, entretanto, essa Luz não basta, de momento, para transformar essa parte de sombra presente nessa humanidade, uma vez que essa parte de sombra conseguiu cristalizar-se nas almas Divinas que ocultaram, completamente, sua humanidade, sua Divindade e sua Luz.

Mas não julguem, não julguemos.
Contentemo-nos de ser os espectadores dessas errâncias que apenas fazem manifestar aos nossos olhos e aos nossos corações e aos nossos ouvidos o que temos sido incapazes, nós todos, membros dessa fraternidade humana, por insuficiência de Luz, de transformar, completamente, e de iluminar, completamente.

Os elementos naturais, também, não são deixados, e as intrusões – a que vocês chamam raças bacterianas – que se manifestam, atualmente, são apenas o reflexo da falta de Luz, também, que toca, agora, as esferas animais, vegetais, mas, também, as esferas de decomposição da Terra e, também, sua animalidade,

Entretanto, nisso, convém manter, queridos filhos, o coração aberto, a consciência aberta e ir para mais lucidez, a cada respiração, a cada minuto que vocês passem sobre esta Terra; jamais desviar da Luz; reforçar, em vocês, sua humanidade, sua paternidade e seu sentido de ligação à sua Divindade.

Bem ao contrário, esses elementos e esses eventos que sobrevêm sobre esta humanidade devem abrir, iluminar, ainda mais, sua irradiação interior, a fim de dela fazer beneficiar-se o maior número no exterior.

Em cada ato de sua vida quotidiana, em cada respiração, convém estar religado à sua Divindade e deixar sair de seu ser a totalidade de sua Luz, a fim de irradiar e de transcender de beleza, mas, de momento, não está tão iluminado em vocês como no exterior de vocês.

Convém ser humilde porque, a partir do momento em que vocês deixarem o lugar para a mínima parcela de vaidade pessoal, de vontade pessoal, a sombra encontrará uma brecha na qual se esgueira.
Convém estar religado à sua Fonte, desenvolver, cada vez mais, seu controle de si mesmos (e não do exterior), de sua mestria interior, a fim de tornar-se uma lâmpada que brilha nas trevas, a fim de iluminar aqueles que se aproximarão de vocês.

Há, queridos filhos, a vontade de bem, estejam certos, como eu estou certa disso, devido aos seus amores maternais e suas filiações Divinas, de sua filiação ao meu Divino Filho.
Há, em vocês, essa Luz que pede apenas para irradiar, apenas apagar as sombras que possam restar, devido às suas encarnações sucessivas e suas vidas sucessivas, mas, também, e sobretudo, devido ao que os cerca, que procura oprimi-los, comprimi-los e impedi-los de chegar ao pleno potencial de alma ao qual vocês são destinados na encarnação.

Nisso, convém, também, preparar-se para o alívio ligado ao fenômeno de elevação, após a ascensão, que corresponde a esse processo tão esperado agora, e que deve desenrolar-se num futuro tão próximo que, para nós, em nossas dimensões, isso parece já estar aí.

E, nesse sentido, vocês devem manter sua casa limpa, seu interior, porque ninguém conhece o dia, ninguém conhece a hora, mas meu Divino Filho tem-se à sua porta.
E esse instante, fatídico ou maravilhoso, de acordo com o sentido em que o tomamos, é algo de extremamente próximo.

Essa iluminação total, essa revelação total na Luz de meu Filho, é algo que está à sua porta, que bate com insistência.

Os sobressaltos e as convulsões de consciências humanas que recusam ver essa Luz são as marcas, são os sinais esperados do fim dos tempos e dos tempos do fim, não da vida, mas, ao contrário fim da não vida e chegada da verdadeira vida em fraternidade, em humanidade, em Divindade.

Convém, nisso, estarem lúcidos sobre seus objetivos, sobre suas prioridades de vida, sobre as coisas simples que fazem a verdadeira vida e não as coisas supérfluas que obstruem suas vidas e que criam apegos e que criam ilusões suplementares que os arrastam para mais peso, para menos leveza e Luz, portanto.

Convém-lhes, também, velar por seus canais, religar-se à sua Fonte Mãe, à sua Fonte Pai, por aqueles ou aquelas a quem vocês chamam seus Mestres espirituais, não como seres que virão impor-lhes a vontade deles, mas aportar-lhes a iluminação suplementar para guiar seus passos nessa vida, a fim de permitir-lhes aumentar seu potencial de Luz, seu potencial de amor.
Nisso, eu já estou a par de que um ser, que faz parte da hierarquia dos Melquisedeques, bem anterior ao meu Divino Filho, assegura a proteção desse lugar e de suas pessoas (ndr: O.M. Aïvanhov).

Nesse sentido, ele é um mestre autêntico que, devido à sua encarnação recente, é capaz de aportar-lhes iluminações bem mais precisas e pontuais sobre o desenrolar de suas vidas, que eu mesma não posso fazê-lo do alto das dimensões nas quais eu vivo, porque meu coração de Mãe tem apenas uma única vontade, que é a de aumentar sua lâmpada interior, aumentar sua Divindade e sua humanidade ao nível de seu coração.

Nesse sentido, posso apenas revelar os caminhos de almas.
Posso apenas revelar as Luzes inerentes à Luz, o que faz com que eu tenha, obviamente, um papel de protetora, de despertadora, de revelação da Luz que vocês são e, talvez, um pouco menos nos fatos e gestos de sua vida quotidiana.

O que me importa mais, de fato, é abrir, totalmente, seu coração, a fim de que ele se torne uma fonte que jorra de amor, a fim de que ele se torne uma lâmpada que ilumina o mundo e, sobretudo, seu caminho e o caminho de seus próximos.

Há, de fato, em seu coração, a totalidade da Divindade.
Muito poucos seres humanos, hoje e até o presente, desde 2.000 anos, conseguiram imitar o caminho de meu Filho e fazer coisas tais como Ele as havia feito.
Eles eram tão pouco importantes que deixaram vestígios importantes na superfície deste planeta, na religião original que havia sido criada e que, depois, foi, efetivamente, corrompida e transformada, como de hábito, para ali pôr um poder temporal e não mais um poder espiritual, o que é a coisa a mais grave aos nossos olhos.

Substituir um poder espiritual por um poder temporal é um ato de trevas, um ato contrário à vontade do Pai.

Entretanto, nesses tempos de consciência conturbada da humanidade, os portadores de Luz tornam-se lanternas e tochas que são capazes de limpar, de transformar, de queimar as coisas que devem sê-lo.
E eu lhes peço, assim, para tornarem-se os portadores dessa Luz, as lanternas e as tochas de meu Divino Filho, irradiar essa energia de amor, que pede apenas para sair, apenas exprimir-se, apenas tornar-se uma fonte que jorra, que irradia tudo o que vocês tocam, tudo o que se aproximam.

Há, em vocês, almas humanas, a capacidade, através da vontade de bem que está em vocês, de transformar, de iluminar tudo o que vocês tocam, desde os alimentos, mas, também, tudo o que vocês olham.

Devido à potência de sua alma, devido à potência da Luz, vocês já são capazes de atenuar o alcance desses atos de barbárie, de violência, que se manifestam por toda a parte sobre este planeta, frequentemente em nome de um Deus vingador, que existe apenas nos Espíritos desses malucos que esqueceram a própria Divindade interior e que pensam servir a uma Divindade exterior, que nada tem a ver com a Luz, que nada tem a ver com a vida, mas, antes, tem a ver com as forças que vão ao sentido contrário à expressão da vida e à elevação, assim como à consciência.
Essas forças arrastam-os para um fenômeno de tornar mais pesado, para um fenômeno de descida e de queda ao mais profundo da involução.

Ora, hoje, o planeta encontra-se numa fase de sacralização, na qual é-lhes solicitado despertar seu pleno potencial Divino.
Não há qualquer temor a ter em relação ao que vocês afirmam ser como filho da Luz e Fonte da Luz porque, hoje, as consciências conturbadas que se fazem muitas perguntas são muito mais capazes de aceitar a mensagem de Luz que vocês emitirão.

Não é preciso ter vergonha de ser o que vocês são, ou seja, filhos da Divindade e Divindade, vocês mesmos, e filhos de Luz e Luz, vocês mesmos.
Vocês devem ousar afirmar a Luz que vocês são.
Vocês devem ousar deixar escapar de seu coração a totalidade da humanidade que vocês são: Humanidade, Divindade, Luz.

Suas palavras, seus olhares devem irradiar o que vocês são.
Não deve haver em vocês qualquer falha, qualquer dúvida sobre a realidade do que vocês são e sobre a realidade do que vocês vivem.

O que vocês vivem transforma-os, refina-os e purifica-os, leva-os para mais leveza, a fim de facilitar o fenômeno de elevação e de ascensão.

Olhem o caminho percorrido.
Olhem um pouquinho atrás de vocês, nesses alguns meses passados, no que vocês se tornaram, o que vocês vão tornar-se, e eu lhes asseguro que vocês poderiam ir muito mais rapidamente, se não estivessem na dúvida da Luz total e na afirmação, por outro lado, da Luz total que vocês são.

Nisso, convém a vocês deixar de lado a ferramenta mental, deixar, simplesmente, seu coração abrir-se, totalmente, à vontade de seu Pai e de meu Divino Filho.
Nisso, vai tornar-se possível a vocês irradiar essa Luz, permanentemente.
Vai tornar-se possível falar, olhar com as palavras e o olhar do amor.
Vai tornar-se possível tocar, irradiar o amor.

E eu gostaria, agora, meus queridos filhos, de ajudá-los a facilitar essa abertura do coração.
E vou pedir-lhes, agora, para centrar-se em seu coração, voltar-se para seu interior, aí, onde se encontra sua Divindade, no meio de seu peito, ao centro dos três corações encontra-se o átomo embrião, o Espírito Divino que vocês são, esse Espírito Divino que, hoje, pede apenas para irradiar, manifestar-se, espalhar-se, para conduzi-los, totalmente, aos mundos de esferas espirituais, nas quais não há mais sombra, não há mais divisão, não há mais julgamento.

E, como Mãe, hoje, é-me permitido, a cada intervenção, nutri-los, ainda mais, desse amor, dessa humanidade, dessa Divindade da qual vocês são os testemunhos.

Vamos fazer isso agora, durante alguns instantes de silêncio.
Não haverá, através de minha intervenção desta noite, a possibilidade de interrogação, porque meu trabalho está bem além da interrogação.

Eu vim aportar-lhes esse suplemento de Luz, esse suplemento de abertura de coração, a fim de permitir-lhes estar um pouco mais na alegria de sua Divindade interior.
Nisso, eu lhes peço para acolher, no silêncio da vibração de amor de meu Divino Filho e de meu coração de Mãe.

Bem, aí está, queridos filhos, após esse trabalho em seu interior, vou, agora, aportar-lhes meu amor e minha bênção.
Vou saudá-los e deixar o lugar àquele que lhes ensina, agora, em alguns minutos, junto ao qual vocês poderão dialogar e interagir.

Eu os amo e eu lhes aporto minha bênção.
Eu os abençôo e eu lhes digo até muito em breve.

E vou agora deixar o lugar. (ndr: a O.M. Aïvanhov)
__________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

Um comentário:

  1. Devido à potência de sua alma, devido à potência da Luz, vocês já são capazes de atenuar o alcance desses atos de barbárie, de violência, que se manifestam por toda a parte sobre este planeta, frequentemente em nome de um Deus vingador, que existe apenas nos Espíritos desses malucos que esqueceram a própria Divindade interior e que pensam servir a uma Divindade exterior, que nada tem a ver com a Luz, que nada tem a ver com a vida, mas, antes, tem a ver com as forças que vão ao sentido contrário à expressão da vida e à elevação, assim como à consciência <> Nisso, convém a vocês deixar de lado a ferramenta mental, deixar, simplesmente, seu coração abrir-se, totalmente, à vontade de seu Pai e de meu Divino Filho.

    ResponderExcluir