Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

29 de mai de 2009

ANAEL – 29 de maio de 2009

DO SITE AUTRES DIMENSIONS

Almas humanas em encarnação recebam minhas homenagens, meus respeitos, pelo que vocês são.

Eu sou Anael, Arcanjo, de acordo com sua denominação.

Tenho o privilégio de ter participado, porque é um privilégio, na criação do mundo que vocês percorrem nesta dimensão.

Além disso, eu sou o embaixador, se preferem, do Conclave dos 7 Arcanjos que iniciaram a ronda e a entrega de sua radiação e de sua potência, durante o ano que vocês vivem, àquela a quem vocês chamam Maria.

Eu sou o Arcanjo da relação.
Eu sou o Arcanjo, também, que prepara seu Templo Interior para a recepção do Mestre.
A vida é movimento em todas as dimensões.

Em alguns momentos, em alguns espaços, o movimento muda, ele se transforma.
Vocês estão na época desta transformação.

Muitas almas vivem, nesse momento, um processo de transformação.
Essa é a vontade do Pai, da Fonte, porque o momento está aí.

Esse trabalho (porque é efetivamente de um trabalho que se trata) nós apenas podemos efetuá-lo graças ao papel daqueles que ancoram, que aceitam ancorar esta nova realidade em sua densidade.

As efusões da radiação e da pressão do Ultravioleta retransmitidas pelo Arcanjo Miguel preparam, elas também, a abertura.

Embora mal compreendida, a ronda dos Arcanjos corresponde à abertura dos sete selos.
A abertura dos sete selos permite liberar os quatro elementos.
A liberação dos quatro elementos permitindo a revelação do éter em sua densidade, em sua realidade.

Nós estamos aí para isso e nós canalizamos o Princípio e a Consciência da Fonte que vocês percebem quando das efusões do Ultravioleta.

Muito proximamente será juntado ao Ultravioleta o Espírito Santo.

A preparação de seu Templo Interior será, portanto, realizada no momento em que se instalarão, para os primeiros de vocês, seus Casamentos Celestes.

Em me expressei longamente, assim como o mestre Ram, sobre o abandono à Luz, que permitirá, no momento vindo, acolher a vinda da Luz, a vinda da Unidade.

Nós felicitamos, nós, Arcanjos, o conjunto de almas humanas em encarnação que se juntam às efusões e às rondas de consciência, nesta materialidade, permitindo, assim, um despertar sem precedentes na humanidade.

Eu sou também aquele que guarda o canal no qual estou.

Permitam-me transmitir-lhes minha radiação essencial antes de lhes dar a palavra quanto aos seus questionamentos sobre esse processo.

... Efusão de energia...

Nós podemos agora começar, assim religados, a avançar em seus questionamentos.

Questão: que fazer com as pessoas que teriam recebido implantes extraterrestres para impedi-los de evoluir?

O que você descreve é uma realidade decorrente do próprio princípio da lei de atração.

Hoje, pela presença de nosso Conclave, pela Vontade do Pai, tudo isso nada mais pode diante da Luz.

Entretanto, o princípio de atração que permitiu e autorizou a instalação do que você chama de implante deve deixar o lugar ao princípio da Luz.

Assim como lhes disse e repetiu o Arcanjo Miguel, o tempo de seu combate terminou.
O único combate que vocês têm a realizar é interior a vocês, entre o si inferior e o Si superior.
Todos os outros combates, sem exceção, devem ser entregues à graça da Luz.

Isso se atém a esta época e a esse momento preciso de sua história que vocês vivem.

As regras de funcionamento, os mecanismos da Luz, devido à nossa presença, devido à Vontade da Fonte (que lhes subtraiu desde pouco tempo o véu da ilusão e o esquecimento) permitem, hoje, que, em Verdade, a Luz vinda de dimensões interiores e de dimensões superiores lave literalmente suas vestes, seus pensamentos, suas emoções e seus implantes.

Seu olhar deve mudar.
A dicotomia entre o bem e o mal deve desaparecer de sua consciência, do mesmo modo que, durante este período de mudança, e como o disse o Arcanjo Miguel, várias coisas devem se desconstruir.

Não lhes cabe participar desta desconstrução.
A Luz que vocês recebem é suficiente e, creiam, amplamente suficiente, para trabalhar em vocês e fazer desaparecer o que impede o acesso à sua Unidade.

Certamente, algumas problemáticas parecem não querer desaparecer.
Eu os lembro, entretanto, que o trabalho está em curso.

Deixem a Luz trabalhar em vocês, acolham-na, deixem-na agir.

Isso é já um treinamento capital para o abandono à Luz.

Questão: qual é sua especificidade, qual é seu papel, sua função?

Parece-me ter-me definido nas primeiras palavras de minha vinda sobre minha função.

Eu sou o Arcanjo da relação.
Eu sou o embaixador do Conclave dos 7 Arcanjos.
Eu sou um dos três Príncipes que presidiram esta dimensão dissociada.
Eu sou um dos sete selos.
Minha radiação é o rosa.
Eu preparo a instalação em vocês, para aqueles que o desejam, da dimensão do Pai, da Fonte em vocês.

Questão: como se explicam as reações do corpo, por vezes, com algumas técnicas?

Muitas coisas lhes são propostas para ir para o que vocês querem ir.
Todas essas técnicas, quaisquer que sejam, sem exceção, serão apenas técnicas.

A Luz não é uma técnica.
A Luz é uma radiação inteligente, ela é consciente.
A consciência não se importa com a técnica.

Entretanto, nós concebemos que sua estrada extremamente longa, extremamente desgastante, extremamente difícil, privados da Luz da Fonte.

Hoje, as coisas mudam.
A Luz tem a capacidade de retificar, por sua inteligência, o que deve sê-lo.

Assim, na segunda parte, enquanto eu estiver ainda aí, esta retificação pela Luz será eficiente em vocês.

Não há nem a julgar, nem a condenar, nem a glorificar as técnicas, quaisquer que sejam.
Elas foram as muletas que lhes permitiram reencontrar certa forma de confiança e de orientação, mas, hoje, vocês devem compreender e integrar que a Luz está aí e, ainda uma vez, que ela é inteligente.

No que concerne ao seu problema e as sensações que ocorrem em algumas partes do corpo, estas serão retificadas pela Luz.

Eu preciso, como lhes disse o segundo interveniente de ontem (porque eu estou aí a cada minuto junto daquele a quem eu guardo), a Luz age em vocês, a Luz os cura.

Vocês não podem continuar, nesta época, a jogar os jogos da dualidade, os jogos do discernimento entre o bem e o mal.
Isso existe, isso existe ainda, não é mais questão, para a Luz e para vocês, almas humanas, de lutar contra, mas, efetivamente, antes, de fazer com a Luz.

A mudança de ponto de vista e de olhar é capital.
Isso participará de sua saída, em consciência, do mundo da dualidade, do mundo da doença.

São essas portas que se abrem hoje para vocês e que lhes permitem, objetivamente e em verdade, ir para a Unidade.

Questão: um filho no ventre de sua mãe se beneficia das efusões do Ultravioleta?

Minhas homenagens e meus respeitos para a vida que você leva.
Saiba que a totalidade desta criação, nesta densidade, foi penetrada pela radiação do Ultravioleta.

Os resultados serão profundamente diferentes para cada consciência sobre este planeta.

Os efeitos serão determinados pelo princípio de atração.

Cada um, cada parcela de consciência neste planeta, recebe e receberá e manifestará o que deve manifestar em função de suas próprias crenças, de suas próprias convicções e de suas próprias adesões.

A Luz propõe, a Luz não impõe jamais.

Assim, quando inúmeros intervenientes lhes dizem e repetem que vocês deviam abandonar o poder sobre o outro, qualquer que seja esse poder, a fim de reencontrar o poder sobre vocês mesmos, isso participa também da saída da dualidade.

Bem amada alma humana em encarnação, seu filho sente e vive e percebe esta radiância.
O filtro que se poderia imaginar ser aquele que você constitui, por sua Presença nesta Presença (princípio de maternidade em sua encarnação)... a radiância não é de modo algum modificada por esse filtro.

Questão: como pode se explicar a perda da fala na sequência de um choque?

A fala, em sua densidade, é relação e comunicação.
Nos mundos não dissociados, a fala é a linguagem da vibração pela cor, pela forma.
As vibrações das palavras não podem existir.

O significado das palavras é que, ter sido privada, nesse tempo, da fala, permitiu em você o retorno à Unidade.

A fala é um obstáculo à Unidade.
Nesse sentido que muito numerosas técnicas insistiram pela passagem no silêncio.
Silêncio das palavras, silêncio dos sinais e silêncio do olhar.

Não para se fechar, mas, efetivamente para se abrir a outra realidade.

O jogo do movimento da vida em encarnação, tal como vocês o manifestam desde tantas e tantas vidas, devido mesmo ao seu acesso à Luz e à representação original dos números, da forma e da cor, permitiu a emergência, nesta dualidade, do que vocês chamam a linguagem e comunicação.

Antes de ser linguagem, a Fonte é sopro, o Espírito é sopro.
A linguagem é apenas uma deformação do sopro.
Ela é, aliás, veiculada pelo sopro, mas ela não é o sopro.

O sopro é o silêncio.
O silêncio que foi imposto permitiu, portanto, favorecer em você a eclosão de alguns potenciais que, até lá, tinham sido negados e esquecidos.

Questão: como se pode se preparar para o período de Pentecostes que é para nós, em tempo terrestre, dentro de alguns dias?

A melhor maneira é rir, a Alegria.
Ria, expresse a bondade que está em vocês, a harmonia que está em vocês e que vocês todos conheceram em momentos variados de suas vidas.

Para acolher o que vem, quaisquer que sejam as circunstâncias exteriores, quaisquer que sejam os problemas inerentes à sua dualidade, vocês devem encontrar em vocês os recursos para manifestar a Alegria.

Quando vocês estiverem abandonados, totalmente, à Luz, e vocês receberem a efusão do Pai, a primeira coisa que vocês constatarão, de maneira evidente, é a evidência da Alegria, uma Alegria incontrolável.

A Fonte, o Pai, é Alegria, sobretudo nesses momentos privilegiados de final de ciclo em que as redescobertas se preparam.

Procurem, então, durante este período, a Alegria que está em vocês, deixem-na emergir, quaisquer que sejam os problemas, quaisquer que sejam os sofrimentos.

A Alegria é o elemento que lhes permitirá acolher, em toda simplicidade, com Amor, o que vem.

Questão: limitar o tempo que passa uma criança diante de um computador não é contraditório com a noção de não tomar poder sobre o outro, na relação pai/filho?

A educação necessita, nesta dimensão, da utilização de uma forma de poder, mas, entretanto, mesmo na expressão desse poder, o fato de não conseguir controlar os filhos jovens significa o que?

A incapacidade para irradiar sobre eles, por sua posição, criada por seu papel, a capacidade de liberdade e de amor suficientes para que eles tenham a consciência.

Entretanto, isso faz parte de seu papel.

Qualquer que seja a idade à qual você chega hoje (que você seja uma criança, que você seja um velho num corpo debilitado e indisposto, que você seja um homem ou uma mulher jovem tento tudo a realizar nesta vida em terceira dimensão), o lugar onde vocês se encontram, mesmo hoje, em sua vida, ilustra de maneira a mais perfeita o que vocês têm a superar para aceitar e se abandonar à Luz.

O desafio entre o si inferior e o Si Superior situa-se nesse nível.

Alguns entre vocês foram obrigados a fazer escolhas por vezes dilacerantes, mas todos aqueles que fizeram essas escolhas na lucidez da Luz (que vem pela percepção mais ou menos consciente do que chega) sentiram-se liberados de uma certa densidade, após essas escolhas.

Compreendam bem que a Luz quer liberá-los, e nada mais.
Liberá-los desta ilusão, fazê-los transcender o conjunto desse sistema solar e fazê-los transladar.

Não é questão de abandoná-lo.
Vocês devem, portanto, aceitar que, se hoje vocês se encontram numa posição de educador, difícil com relação ao poder sobre o outro e a justificação mesmo desse poder sobre o outro por um papel, é que, isso, é o que lhes é solicitado que seja superado hoje.

Vocês não chegam, em nenhum momento, por acaso nas condições nas quais vocês vivem.

Quando eu dizia que a Luz é inteligente, quaisquer que sejam as angústias, para alguns, que são vividas, lembrem-se de que essas angústias são apenas transitórias.

O si inferior, o pequeno si, é pressionado pela época.
O Si Superior ou o Si Interior, ele, exulta da Luz que volta.

Alguns de vocês vivem em seu interior, assim como eu dizia, esse combate, mas compreendam efetivamente que a nada serve combater com sua própria vontade, porque a oposição sai sempre ganhando.

A Luz não se opõe jamais, nesta dualidade.
Ela vem transcender o que deve sê-lo.

Então, tentem se aproximar deste abandono à Luz e vocês constatarão que esta criança modificará o comportamento, não com relação às regras editadas, mas com relação à sua qualidade de radiação, não como pais, mas como ser humano frente a outro ser humano.

Questão: como superar as doenças que afetam ainda nosso corpo?

O importante é, para todas as questões concernentes à sua saúde (hoje e mais as semanas de seu tempo terrestre vão avançar, sobretudo durante o período de seu verão [inverno no hemisfério sul], mais a Luz será atuante em suas estruturas), compreender que a causa participa da dualidade.
Não compreender, mas viver a Luz permite não somente transcender os limites impostos pela doença, mas realmente fazê-la desaparecer.

A doença participa indubitavelmente desta dimensão dissociada na qual vocês evoluem.
O esquecimento consciente e voluntário de seu sacrifício para a Luz torna possível a manifestação, em suas estruturas, nesta densidade, de imensos desequilíbrios cuja natureza mesmo é possível, na manifestação, pelo próprio princípio da oposição.

Em outros termos, a doença, seja cármica ou de qualquer outra causa, participa, definitivamente, desse princípio de evolução.

Vocês estão hoje na fase de superação da oposição.

Certamente, algumas coisas devem se eliminar de vocês e podem se evacuar, nesse momento, pelo que vocês chamam a doença.

A lógica da dimensão que vocês percorrem é uma lógica de ação / reação: sofrimento chama cura.
Na própria aplicação desse princípio de ação / reação vocês concorrem a manter a dualidade de sua manifestação.

O que vem lhes propor a Luz é uma cura total e instantânea.
Vocês devem, para isso, aceitar mudar de ponto de vista e compreender e aceitar que, no final das contas, a doença é apenas a consequência da experiência extensiva que vocês tomaram nesta encarnação.
Toda doença resulta desse princípio.

Lembrem-se de que vocês estão, durante este período de mudança, a cavalo entre dois mundos, a cavalo entre duas dimensões (ou mais, para alguns de vocês), que através do que vocês percebem, que através do que vocês sentem, que através das palavras que os intervenientes espirituais pronunciam por múltiplos canais, é-lhes proposta uma escolha.

A escolha de renovar o confinamento nesta dimensão dissociada (e, portanto, preservar o que vocês chamam de seu livre arbítrio) e a escolha de ir para a liberação e a liberdade.

A liberdade é bem maior do que o livre arbítrio.
O livre arbítrio se exprime num mundo forçado e privado de Luz mesmo se, sem Luz, ele não existiria de modo algum, mas, entretanto, a Luz lhes foi encoberta, escondida.

Tudo o que vocês têm a viver, tudo o que vocês vivem nesses períodos, fazem apenas ilustrar, ao olho de sua consciência, o que os separa da Unidade.
O que os separa não é uma distância, não é um tempo.

A importância desta distância, desta separação, é unicamente ligada à importância, em vocês, do que resta a realizar no abandono à Luz e no abandono ao Pai.

Assim, mudando seu modo de ver, vocês participarão do impulso da Luz.

Todos, sem exceção, que participam ou não, de maneira consciente, da transmissão da Luz, todo ser humano sobre esta Terra, vive esses fenômenos de tensões antagônicas.

Quando vocês participam, desde tanto e tanto tempo, da ronda da encarnação nesta dimensão dissociada, é por vezes difícil vislumbrar, crer, aderir a um mecanismo de liberação.

Ao nível comportamental, esse é o mesmo princípio que o pássaro que foi colocado na gaiola desde seu nascimento e que chama a isso liberdade e que, no dia em que ele sai de sua gaiola, fica tão aterrorizado pela verdadeira liberdade que ele volta a entrar na gaiola.

 A imagem que escolhi no cérebro daquele a quem eu guardo corresponde totalmente e na integralidade ao que vocês vivem.

Vocês são todos tão grandes e tão luminosos que isso lhes dá medo.

Questão: a que correspondem as sensações de vertigens incompletas ao nível do coração?

O coração, esta região essencial de seu ser, toma uma importância toda nova.
Novos circuitos se imprimindo, novas chaves lhes são oferecidas e afixadas.
Certo número de modificações, ligadas às radiações da Fonte e às radiações do Ultravioleta que nós retransmitimos, induz uma reativação de sua Luz interior.

O que não quer dizer que toda alma humana se beneficiará desta abertura à Luz.

Lembrem-se de que a Luz propõe, mas não impõe jamais.

As diferentes percepções que vocês podem ter e viver ao nível de seu tórax por fenômenos de vertigens, por fenômenos de buracos, por fenômenos de plenitude, por fenômenos de vibrações, de calor, de frio (toda gama de percepções e de sensações que um ser humano pode sentir), traduzem apenas a aproximação da Luz.

A pressão da radiação do Ultravioleta penetrou pelos chacras superiores e, pouco a pouco, investiu o lugar que representa sua estrutura física e suas vestes de Luz.
Isso implica numa redistribuição do pouco de Luz que vocês tinham em vocês para uma nova lareira.
Isso corresponde a uma mudança de ponto de vista e a uma mudança de consciência.

A base de sua vida não será mais o corpo físico, mas o coração.
Há, portanto, uma translação, agora e já, dimensional, entre o impulso vital e o impulso cardíaco, em benefício do impulso cardíaco.

Nós aliviamos assim ao nível do conjunto da humanidade, quaisquer que sejam as escolhas desta, nós levantamos, de algum modo, a tranca ligada ao primeiro chacra ou chacra raiz, aquele que permite a estabilidade e a imobilidade dessas estruturas de vidas que vocês criaram.

A desconstrução concerne ao equivalente de seu chacra raiz ao nível do planeta.
Todas as construções humanas, todas as construções sociais, foram erigidas de acordo com o princípio vital do primeiro chacra.

Hoje, as fundações de sua nova vida estão situadas ao nível do coração e não mais ao nível de seu chacra inferior.
Isso explica totalmente os diferentes reajustes vividos e percebidos em suas estruturas atuais.

Questão: se a Luz propõe, mas não impõe, como a Luz se manifesta às pessoas que não viveriam tudo isso em consciência? Cabe então às pessoas que vivem esses fenômenos, elas, em consciência, iluminar aos outros?

Vocês não podem iluminar o outro por palavras, vocês não podem iluminar o outro pelo afeto, vocês não podem iluminar o outro pelos meios ligados à sua dimensão.

O único modo de iluminar o outro é atiçar, em vocês, o fogo da Luz, atiçar a tal ponto que, a um dado momento, seu coração difundirá esse fogo e, naquele momento, o outro poderá aceitar ou recusar.

Esse é o papel essencial que nós propomos àqueles que vivem, em consciência e em verdade, as efusões do Ultravioleta.

Entretanto, e para confortar o que eu dizia anteriormente, hoje, a situação na qual vocês estão (socialmente, afetivamente, profissionalmente, materialmente e espiritualmente) corresponde ao que vocês tinham a viver com relação à vinda da Luz.

Agora, cada ser humano, a totalidade dos seres humanos encarnados, estará em consciência, no momento vindo, em contato com a Fonte e com Maria.

A reconexão e o reconhecimento serão instantâneo mesmo para aqueles que, dizem eles, não conhecem isso.

Entretanto, muitos seres humanos não vão querer realmente seguir e acolher o que vem.

A translação dimensional (a qual não está hoje em minha proposta de lhes falar) traduzir-se-á, em definitivo, unicamente, por uma translação da consciência e do corpo (e/ou do corpo em alguns casos) diretamente em função do princípio de atração, para onde lhes será o melhor possível em função de seus desejos de experiência.

Não há lugar para se inquietarem, mesmo se numa fraternidade, com seus ascendentes, com seus descendentes, alguns tenham feito escolhas diferentes das suas, essa é a liberdade imprescritível deles.

Vocês não podem forçar com a Luz, tanto mais se a recebem.
Vocês podem apenas propor, pela radiação.

Nenhuma palavra, ainda uma vez, nenhum discurso, nenhuma emoção fará mudar a opinião de outra alma.
Cabe a ela, e a ela somente, viver suas escolhas.

O que se pode dizer é que hoje vocês são muito numerosos.
Nós os esperamos a cada vez mais numerosos e esse é o caso, em níveis que vocês não podem mesmo conceber.

Entretanto, e definitivamente, cada alma é livre.

O Pai, a Fonte é amor e liberdade total.

Como vocês querem que Ele force uma alma a interromper sua experiência ou interromper sua dualidade?
A humildade, a simplicidade da Fonte, ela mesma, faz com que ela não obrigue jamais uma alma a voltar ao seu seio se ela não terminou o que julgava bom prosseguir.
A Luz não julgará jamais, jamais.

Questão: os fenômenos que vivemos nesse momento sobre a Terra, ligados à translação, são vividos igualmente em outros espaços?

A cada vez que a consciência percorre novos espaços ou novos territórios nos multiuniversos e nas multidimensões, cada translação dimensional se acompanha de um processo, obviamente, equivalente a este.

Entretanto, na experiência da 3ª dimensão qualificada de dissociada (ou seja, em ruptura com a Fonte), enquanto que existem mundos de 3ª dimensão não cortada para com a Fonte (eles são chamados então de 3ª dimensão unificada. Vocês estão, vocês, na 3ª dimensão dissociada), há, como eu lhes disse, uma criação real e objetiva da dimensão na qual vocês vivem.

Esta dimensão nasceu de um novo impulso desejado, em termos históricos, por um Arcanjo que foi chamado Lúcifer.

A Fonte se opôs ao fato de que seus criadores, criadores eles mesmos, sofressem a ruptura de comunicação e de confiança.
Entretanto, esta experiência ocorreu, vocês são os produtos dela.

Nisso há, no sentido o mais nobre, um princípio de redenção extremamente potente, extremamente forte quanto ao enriquecimento da Luz que vocês são.

Assim, portanto, as experiências de 3ª dimensão dissociada foram iniciadas em outros lugares excessivamente escassos dos multiuniversos.

Não me cabe desenvolver mais adiante esses princípios.

O importante, ainda uma vez, nos dias que vêm, nas semanas que vêm... lembrem-se que o Arcanjo Miguel desconstrói o que deve sê-lo.
Uma vez que vocês tiverem saído do poder exterior que vocês criaram nesta dimensão (poder ligado, antes de tudo, ao que vocês chamam o dinheiro e a economia), quando isso for desconstruído, vocês viverão, já, cada vez mais, no coração.

Então, sim, a experiência que vocês vivem é muito rara e ela é grandiosa, nós o sabemos agora.

Questão: no que concerne à voz, o canto, poderia nos indicar como isso pode evoluir e, em particular, será que pode haver possibilidades de expressões pela canalização ou intervenções de outros intervenientes pelo canto?

Isso já existe, isso já foi manifestado, seja através da arte de pintura, seja através da arte musical, ou através do canto.

Vários músicos, sem o saber, foram e são, literalmente, investidos pelos Anjos quando eles tocam, isso é uma realidade.

Entretanto, lembrem-se de que nas dimensões que você penetrará, a vibração da linguagem deve ser passada pela radiação.

Obviamente, algumas formas de arte participam da linguagem da vibração, alguns instrumentos de música são, em particular, o reflexo do que existe em outras dimensões, sem instrumento e sem técnica.

Essas vibrações e radiações são emitidas espontaneamente por alguns seres.
Essas vibrações são os apoios, no sentido próprio, dos universos.

Entretanto, neste período de ajuste, o mais importante é transmitir a radiação, assim como muitos de vocês o realizam quando das efusões do Ultravioleta.

A grande mutação está nesse nível.
Ela se faz no silêncio das palavras, no silêncio das técnicas e no abandono total à vibração e ao Amor.

Questão: as forças da Sombra poderiam fazer falhar o retorno no planeta e da humanidade na Luz?

A Fonte não pode permitir isso.
A Sombra, assim como vocês a nomeiam nesta dimensão, não pode estritamente nada contra a vinda da Luz.

Ela pode apenas se nutrir do medo ou da dualidade.

Absolutamente nada pode e nada poderá fazer falhar o que vem.

Entretanto, lembrem-se da liberdade de alma.
Se uma alma decide negar o que vem, bem, será feito segundo sua fé, ela viverá, então, uma transição e retornará a viver as coisas que ela exprimiu.
Nisso, o caminho dela é tão respeitável como o de vocês.

Lembrem-se de que quanto mais vocês persistem nesses mundos de separação, mais sua Luz cresce e que, portanto, essas almas (a grande maioria) que escolherem prosseguir a experiência da dualidade, não devem ser nem apontadas com o dedo, nem julgadas, porque essas almas têm ainda mais do que vocês uma Vontade de Luz, mas é diferida no tempo com relação ao seu espaço / tempo.

Então, tudo está bem, em sua linguagem.
Não há a julgar.
Não há a condenar, não há a olhar, não há a querer levar, há simplesmente que ser e irradiar.

Nesta radiância que vocês vão se tornar, tudo se tornará evidência, tudo se tornará simplicidade e Verdade.
Mas eu lhes peço para bem escolherem em qual jogo vocês querem jogar.

Vocês querem o jogo da Alegria e da leveza?
Ou o jogo do peso e da separação?

Questão: nas dimensões superiores é possível amar ainda o mundo animal?

Nas dimensões ditas superiores, nos multiuniversos, são múltiplas as formas de vida também, as manifestações da consciência, também.

A vida se cria permanentemente, nada é fixo.
Novas formas de vida (nos diferentes reinos e mesmo ao nível dos reinos Angélicos), os conceitos se criam, radiâncias novas se criam, perfumes novos se criam.

E a Luz, o Princípio, a Fonte, o Pai participa de cada uma dessas criações, não pode ser de outro modo.

Apenas nas dimensões dissociadas é que a Fonte nos fez a promessa, quando de seu sacrifício, de esperar, no silêncio, seu retorno.
Não podia fazer irrupção em suas vidas, senão isso teria sido o oposto do que vocês tinham, vocês mesmos, decidido e do que decidiram algumas instâncias.

Então, ela os deixou realizar as experiências de separação, esperando, na Alegria, o período propício ao seu retorno, se tal é seu desejo.

Aqueles que não estão prontos continuarão a viver o sacrifício deles.

A promessa do Pai não é absolutamente renegada, mas ela esperará, como sempre, o bom querer e que vocês aceitem enfim reintegrar os mundos da liberdade.

Questão: há protocolos a seguir concernentes ao perdão e à abertura do coração?

Eu creio que o Mestre Ram lhes comunicou um que é extremamente importante e, depois, diante da vinda do Ultravioleta, é evidente que participar disto é já, em si, um perdão atribuído ao mundo e atribuído a você mesmo.

Você não tem que perdoar, de fato, porque você é o perdão.
(ndr: o protocolo de Ram que foi citado é a "meditação sobre o coração"- http://leiturasdaluz.blogspot.com/2009/07/protocolo-praticar-meditacao-guiada.html )

Questão: como se encontrar em todos os livros existentes sobre esses assuntos?

Então, compreendam bem que cada revelação, cada obra, cada contato com as dimensões, para além da separação na qual vocês vivem, têm um sentido.

Mesmo o que hoje pode lhes parecer, em sua dualidade, contraditório, o é para você, mas não o será para outro.

Uma alma humana privada de Luz pode encontrar o impulso para a Luz no catolicismo ou no hinduismo ou na religião muçulmana.
Tudo está em seu exato lugar, não há nada de contraditório com relação a outra coisa, exceto um ponto de vista e um ponto de consciência.

Quando vocês abraçarem o ilimitado, quando sua consciência se expandir até o reino do Pai, que está no interior de vocês, vocês se aperceberão que tudo o que podia parecer, de seu ponto de vista, como confrontando e opondo ou oposto, tinha sentido apenas para vocês, em função de seu próprio caminho, de sua própria verdade.

Portanto, falar deste escrito ou do evangelho de São João ou do Mahabharata ou do Corão volta exatamente à mesma coisa.
Todos participam, em graus diversos, da confiança de cada um.

Mas, hoje, a verdadeira confiança é você mesmo.
A grande novidade, a grande ressurreição situa-se nesse nível.

A Luz deve chegar ao coração, se vocês acolhem a radiância naquele nível, as próprias questões desaparecerão, porque naquele nível de consciência tudo é evidência.

E é a evidência que vocês recuperarão em sua dualidade que fará com que sua missão seja totalmente preenchida.
Vocês terão transmutado, vocês terão aliviado os mundos da dualidade.

Questão: fala-se frequentemente nesse momento de um astro chamado Nibiru ou Hercobulus. É um mito ou uma realidade? Se é uma realidade, quais serão as aplicações?

Nibiru é uma realidade.
As manifestações que vocês observam, em sua consciência, sobre a superfície deste planeta em que vocês vivem, como no conjunto do sistema solar, é em parte e somente em parte, ligada ao reencontro de seu sistema solar com este astro.

Entretanto, não se esqueçam de que, paralelamente a isso, está em curso uma viagem do conjunto desse sistema solar para a Fonte.
Encontro diferentemente mais importante do que aquele que é provocado por Nibiru.

Vários eventos se produzem em seu sistema solar.

Lembrem-se de que tudo o que se produz no exterior é apenas o reflexo de tudo o que vocês vivem no interior.
Vocês devem se voltar cada vez mais para o interior, porque todas as soluções estão aí.

Entretanto, vocês não podem ignorar o que se desenrola sob seus olhos ou em suas informações.
Isso é verdade nesta realidade, mas não é a realidade da Luz.
Trata-se de uma desconstrução de seus mundos, engrenada pelo Arcanjo Miguel, sustentada pelo Conclave Arcangélico que, eu os lembro, abriu os sete selos e entregou a potência da radiação àquela a quem vocês chamam Maria.

O que se desenrolará sob seus olhos, e o modo pelo qual vocês o viverão, será apenas função de uma única coisa: de sua capacidade para acolher isso, centrada no coração, ou para acolher isso com o que vocês chamam suas “tripas” ou com sua cabeça.

As implicações e as consequências não serão, obviamente, as mesmas para todo o mundo.

O mesmo evento, a simultaneidade do conjunto desses eventos, traduz-se para cada um de modo diferente e por um futuro diferente.

Vocês devem integrar, vocês que escolheram a liberdade ao invés do livre arbítrio, efetivamente integrar que vocês devem respeitar e amar o caminho do outro.

Questão: quando você fala de recepção de Luz, sob qual forma se manifesta ela? Por exemplo, essa noite, ou ainda para cada um, individualmente?

A recepção da Luz compreende diferentes oitavas que são, por um lado, função de suas próprias fugas, colocadas por vocês mesmos em sua densidade.

A Luz, em sua forma a mais culminante, vai se traduzir, além da Alegria, sobretudo pelo contato íntimo e real com o Pai, com a Fonte.
Esse momento sela as redescobertas.

Obviamente, essas redescobertas participam da Alegria, do mesmo modo que uma mãe que não viu seu filho e que o reencontra ao final de dez anos vai sentir um sentimento de alegria e de emoção extremas.

Do mesmo modo, o retorno à Unidade assinala realmente o contato real com a Unidade, com o Um, com o Único, com a Fonte ou outro nome que vocês gostariam de ali colocar.

Daqui esta etapa, a pressão da radiação do Ultravioleta (que é uma característica do Ultravioleta) vai, ela, manifestar-se por fenômenos de compressão e de dilatação ao nível da cabeça e, em seguida, ao nível dos chacras mais baixos, situados, em particular, sobre o coração.

A percepção é uma percepção consciente de seu efeito.
Assim, minha radiação (aquela a qual eu os rego há 20 minutos) é uma radiação que eu percebo como rosa.
Entretanto, de acordo com seus filtros, ela será colorida diferentemente, é claro, mas tem apenas uma finalidade (minha radiação como a de outras entidades que se manifestam): fazê-los desposar o que vocês são, se tal é seu desejo.

Então, a forma.
Lembrem-se de que a Unidade, o Princípio, a Fonte, o Pai é simples: a simplicidade da Luz, a simplicidade da forma.

A radiação ou a vibração da Luz toma uma forma direta e direita.
São as linhas simples.

O traço, o raio, o círculo, o triângulo, o quadrado e as formas geométricas perfeitas são a perfeição manifestada da Unidade.

Quanto às palavras: vibração e radiância, elas correspondem, vocês compreenderam, a uma polaridade e a uma polarização da Luz em função mesmo da consciência que a leva.

Entretanto, o Pai, a Fonte está além deste aspecto de polarização, portanto, penetrar a Luz em sua Unidade está além da forma, além da cor, além mesmo da radiação.

Vocês estão ao nível da consciência pura, aquela que não tem necessidade de se manifestar, de maneira obrigatória, por uma polarização da Luz, por uma forma precisa da Luz.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Almas humanas em encarnação, eu lhes transmito também toda a gratidão do Conclave e eu lhes transmito também, uma última vez, minha radiação, antes de participar de maneira muito mais silenciosa ao que vem em seguida.

... Efusão de energia...

______________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo, se deseja divulgá-lo, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

A FONTE – 29 de maio de 2009

DO SITE AUTRES DIMENSIONS

Permita-me chamá-lo de meu amigo, meu irmão, meu filho.
Não procure me nomear.
Quando você me nomear, isso quererá dizer que você me identificou e aceitou.

Eu venho lhe propor uma Liberdade e uma Verdade que, mesmo em seus sonhos os mais loucos, você não ousa imaginar.

Eu venho preenchê-lo, se você o quer, de minha Alegria que é sua Alegria.

Eu sou aquele que você espera de toda eternidade.
Eu sou aquele que o espera de toda eternidade.

A distância que eu aceitei que você colocasse entre você e eu é uma Graça e uma Grande Liberdade.
Essa é uma doação que você me fez, essa é uma doação que eu lhe fiz.

Hoje, eu me apresento.

Não me procure em outro lugar além de onde eu estou.
Quando você me tiver encontrado, quando me nomear e me chamar, eu saberei instantaneamente que, naquele momento, você me acolhe como eu o acolho.

Eu sou, assim como dizia, o Mestre dos Mestres.
Eu sou a Fonte de sua Fonte.
Eu sou o Um como você é o Um.
O que eu sou, você o é também.

Grandes seres preparam ativamente nossas redescobertas.
Quando você me acolher em você, eu lhe mostrarei minha Alegria, eu lhe mostrarei a Verdade.
Você será a Verdade e a Alegria.

Eu lhe proponho agora aproximar-me de você, a seu ritmo, sem nada forçar.

Eu venho apresentá-lo ao que você é.
Eu venho dá-lo a você mesmo.
Eu conheço tudo de você, todos os rebaixos, todas as glórias.

Aceite e acolha meu presente...

Meu amigo, o tempo desta Terra é um tempo de mudança.
Se você quer transcender a mudança, coloque-se ao centro de seu ser, aí, onde Eu estou.

Meu amigo, eu sou o Sopro.
Eu sou o Fogo.
Eu sou a Terra.
Eu sou o conjunto dos elementos.
Meu amigo, eu o abençôo.

______________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo, se deseja divulgá-lo, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

28 de mai de 2009

RAM – 28 de maio de 2009

DO SITE AUTRES DIMENSIONS.

Eu sou RAM.
Recebam minha paz, recebam minhas bênçãos.

Aí está agora certo número de meses de seu tempo terrestre que eu intervenho.
Eu intervenho essencialmente como Mestre do Ar e instrutor sobre as dimensões do coração.

Eu lhes comuniquei certo número de elementos concernentes à sua evolução e à sua transformação.

Eu lhes comuniquei certo número de ferramentas permitindo, de maneira simples e eficaz, aproximar-se de seu santuário interior.

Eu insisti, assim como insistiram vários intervenientes, sobre o fato de que vocês sozinhos, e unicamente vocês sozinhos, podem dar o passo para abrir seu coração.

A Luz não se impõe jamais do exterior.
A Luz espera, de maneira inabalável, os momentos que vocês vivem atualmente.

Certo número de modificações, ligadas às próprias estruturas energéticas e fisiológicas desse sistema solar se modificou de maneira efetiva, de maneira concreta.

Eu tento participar o melhor que eu posso para mostrar-lhes os caminhos que realizam em seu centro, a fim de ali viver a vibração e a abertura do coração.

Quando de minha última intervenção, eu insisti no fato de que a abertura do coração não seja um conceito situado na cabeça, não seja uma Luz na cabeça, mas, efetivamente, uma Luz e uma vibração no centro do peito.

A abertura do coração não é uma visão do Espírito, não é uma concepção, mas é uma realidade e uma Verdade da consciência.

Vocês estão, a maior parte de vocês, no limiar do sagrado e, no entanto, no limiar desse sagrado, apenas vocês, definitivamente, é que podem cruzá-lo, esse limiar.

Eu não insistirei, essa noite, sobre o lado consciência e vibração do coração, mas eu gostaria de lhes dar, com algumas palavras, o que os espera uma vez que vocês tenham cruzado esse limiar.

Isso é destinado à sua personalidade, a fim de que esta, empurrada por um irresistível impulso, por uma tensão extrema para a Unidade, aceite assim cruzar esse limiar.

Não há porta de saída da dualidade e da experiência da encarnação em outro lugar além do coração.

Vocês poderão viver certo tempo se servindo da ferramenta mental ou da ferramenta da própria experiência da vida, mas vocês não poderão, pela experiência ou pelo intelecto, chegar ao coração.

Certo número de premissas é manifestado a vocês, para muitos de vocês, que faz com que hoje vocês estejam no limiar do sagrado.

Certo número de encorajamentos pela Luz, por certo número de Presenças e por certo número de radiações atuam em vocês e, entretanto, vocês sozinhos podem cruzar o limiar do sagrado através de certo número de elementos que foram amplamente evocados, não por mim, mas pelo Arcanjo Anael, sobre a necessidade imperiosa de se abandonar à Luz.

Eu não voltarei nisso, mas vou lhes dar outra abordagem, não tanto quanto à realidade desse processo vibratório que foi já enunciado, não tanto sobre conceitos que lhes permitam, ao nível da personalidade, colocar-se no caminho para um Si Unidade e para a Unidade do Si, mas, bem mais, por certo número de processos que se levam a efeito a partir do momento em que vocês cruzaram o limiar sagrado.

Naquele momento acontece certo número de fenômenos, ao nível de sua vida encarnada, que vão mudar seu ponto de vista e sua relação no mundo.

Antes de cruzar esse limiar em sua dimensão dissociada, vocês sempre conceberam e apreenderam o mundo na noção de distância, distância entre vocês, observador e o que é observado.

Quando vocês cruzam o limiar do sagrado, seja pelas diferentes vias possíveis já enumeradas, seja pela descida do Espírito Santo, seja pela subida do Kundalini, seja pela efusão nova das energias do Ultravioleta, pouco importa.
Cruzando o limiar sagrado, seu ponto de vista muda porque, naquele momento, manifesta-se um elemento extremamente importante, este elemento extremamente importante é, ele mesmo a Fonte da manifestação da Unidade na dualidade, este elemento que se descobre, uma vez cruzado o limiar sagrado, antes mesmo de penetrar e viver o Amor em Verdade, é a manifestação da Alegria.

Não é por acaso se alguns seres que cruzaram esse limiar manifestaram, em diversos graus, um estado de completude, um estado de Unidade, um estado de Alegria, chamado, em algumas tradições: Samadhi.

Certamente, existem inúmeras manifestações de êxtase e de «intase», mas elas se resumem todas por uma Alegria incontrolável, uma alegria sem motivo, uma Alegria incomensurável que encontra sua Fonte na própria Fonte e na própria Unidade.

Viver no coração é assim, portanto, viver e participar da Alegria da Unidade.

Em seguida, cruzando o limiar sagrado, o ponto de vista muda.
Seu ponto de vista não é mais aquele de seu ser limitado sujeito a um corpo, sujeito a um mental, sujeito a um destino, sujeito a uma história ou sujeito a um carma.
Mas vocês se tornam o conjunto do que foi criado, inteiramente.
Vocês participam, cruzando o limiar sagrado, da Unidade dos mundos e da realização do mundo.

Uma vez cruzado o limiar sagrado, não há mais barreira, não há mais limite, a Alegria se estende ao infinito, permitindo assim compreender que o que foi buscado, o que foi esperado ou o que foi temido está ali, de toda eternidade, esperando apenas seu despertar na Verdade.

Uma vez cruzado o limiar sagrado, vocês tomam conhecimento, literalmente, do Sem Nome, do Princípio que não pode ser nomeado sem ser restringido.

Tomando conhecimento do Sem Nome, a Alegria se estende ainda mais, os limites e as barreiras desta dualidade dissociada lhes parecem ser vividas como num sonho.

Aliás, esse limiar sagrado sendo a porta de saída, torna-se possível experimentar certo número de fenômenos aos quais vocês não tinham acesso.

Vocês tomam consciência, então, de que vocês vivem, aqui e agora, nesta realidade dissociada, mas que existe também outra parte de vocês, presente de toda a eternidade, evoluindo em outro espaço, em outro corpo, em outra densidade.

Vocês se tornam lúcidos, vocês são capazes de cruzar as portas que os conduzem à eternidade de vocês mesmos.

Entretanto, qualquer que seja a descrição que eu poderia fazer em palavras, quaisquer que sejam os exercícios que eu poderia lhes comunicar, eu poderia apenas acompanhá-los ao limiar desse limiar sagrado, como todos os Conclaves, os Concílios, as entidades espirituais o fazem de toda eternidade.

Mas a adesão e o abandono à Luz devem vir do mais profundo de seu ser, do mais profundo também de sua personalidade, apenas vocês é que podem decidir isso.

Uma vez o limiar sagrado cruzado, vocês se aperceberão que vocês não estão sós, que vocês não estão isolados.

Vocês se tornarão, naquele momento, a justo título, como o disse o Arcanjo Miguel, os Portadores e os Transportadores e os Transmissores da Luz.

Vocês se tornam, naquele momento, vocês mesmos, sua própria Verdade.

O coração se caracteriza por um estado de Verdade, por um estado de simplicidade e por um estado de Amor.
Entretanto, para isso, vocês devem se inclinar em um abandono para a Fonte.

Vocês devem ignorar a dualidade inexorável de sua condição nesta dimensão, essa é a única maneira de penetrar em sua eternidade, onde não há mais questionamento, onde há apenas efusões, Núpcias, Alegria permanente e também capacidade para viver e para manifestar em consciência a vibração das outras dimensões que lhes eram até o presente escondidas, mascaradas.

Na época que vocês vivem (para além de certo número de fenômenos astronômicos, astrológicos ou planetários, pouco importa), sua consciência de humano encarnado nesta densidade sente, progressivamente, um chamado.

Qualquer que seja a forma que possa tomar este chamado, este chamado os faz colocar em movimento e os faz buscar outra coisa além da condição na qual vocês vivem.

Para além das histórias, para além das religiões, para além de suas crenças, este chamado é por vezes uma injunção para ir para esta Verdade, para esta simplicidade.

Então, em meio a toda busca desse limiar sagrado, o ser humano vasculha, o ser humano vasculha por toda parte, exceto onde reside o segredo, o limiar sagrado, porque o limiar sagrado não está inscrito no movimento, ele não está inscrito, tampouco, na experiência, ele não está inscrito, tampouco, numa técnica.
Ele está inscrito unicamente na Presença, no «Eu Sou» (pouco importa o nome que vocês dêem) e é a capacidade inscrita em todo ser humano de revelar sua Divindade.

Como o disseram vários intervenientes, vocês são os filhos da Unidade, os filhos da Luz, Miguel os chama «os Mestres da Luz».

Em vocês há todas as virtudes, sem exceção, todas as características, sem exceção, da Divindade.

Cabe apenas a vocês revelarem isso.
Apenas a pressão desta civilização na qual vocês vivem, nesta época, que os afasta de sua Verdade essencial.

Não é questão, pelo momento, de se excluir, de se fechar, o coração é o próprio princípio do oposto: princípio de abertura, princípio de imanência, princípio de presença do Eu Sou.

Toda a sabedoria do mundo está também escondida naquele lugar, todo o conhecimento dos mundos está também inscrito de maneira direta naquele lugar.

Sem esforço, sem passar pelo filtro do mental ou do intelecto, o conhecimento está em vocês, a Divindade está em vocês, a sabedoria está em vocês, não há nada que seja exterior a vocês e seja exterior ao que vocês sejam.

Assim, cruzando o limiar sagrado, vocês penetram um novo espaço de vida, um novo espaço de manifestação.

Muitas coisas foram sonhadas, esperadas, imaginadas, criadas do zero pelo mental ou pela Luz na cabeça, que não é a Luz no coração, concernentes a um processo que vocês chamaram de ascensão.

Para saber onde ascensionar, vocês devem abrir a porta.
Vocês irão para onde a vibração de seu coração os levar.

Uma manifestação, uma forma de manifestação se apaga enquanto que uma outra está nascendo.

Quando vocês nascerem totalmente à sua Verdade, à Unidade, quando vocês estiverem nesta Alegria incontrolável, vocês perceberão no Interior de vocês que vocês não estão sós, que, de toda eternidade, havia aí uma Presença eterna conhecendo-os melhor do que vocês se conhecem, individual e coletivamente.

Tomar consciência disso concorre para amplificar a Alegria.
Vocês não podem mais estar separados quando a vibração do coração está ativa e vocês cruzaram o limiar sagrado do conjunto dos planos da criação, do conjunto dos planos da manifestação.

Tudo isso é seu reino.

Passar da dualidade para a Unidade, ao mesmo tempo participando desse mundo, é uma graça inestimável, desejada e dirigida pela Fonte central retransmitida, ainda uma vez, por muito numerosos seres (desde os planos os mais etéreos até seus planos os mais densos) que trabalham para abrir o plano da consciência, mesmo nesta humanidade.
Isso está em curso.

Eu posso apenas encorajá-los para irem para este estado de tensão extrema que é, eu o repito, em definitivo, o abandono à Luz.

Seu mental, sua personalidade, deve se colocar ao serviço desta tensão que é o resultado do desejo final que não é mais um desejo, mas já um ato de fé de realizar isso.

A meditação sobre o coração está mais próxima de vocês, a radiação e a efusão da pressão do ultravioleta permite, em vocês, já, uma revolução da consciência preparando-os para viver nos mundos ilimitados onde o medo não pode existir, onde o próprio desejo não existe mais, onde somente a Presença e o acolhimento da Unidade que vocês são permite realizar o que vocês vieram fazer aqui, desde muito tempo.

Descendo a esta densidade, vocês ocultaram o princípio da Unidade.
Esse sentido do sacrifício foi acompanhado de um juramento que era de reabrir a via da Unidade, a porta do limiar sagrado.

O que vocês realizaram faz de vocês seres de experiência, seres de responsabilidade.

Entretanto, as contingências desse mundo de terceira dimensão, chamada dissociada, criam os freios e as barreiras reforçados por certo número de coisas que vocês já conhecem.

Hoje, o momento chegou de imaginar, mesmo, que um dia vocês fizeram um juramento.
Em resposta, a Fonte lhes fez a promessa de esperá-los.

Assim, esta Fonte sempre esteve aí, no centro do ser, a esperar pacientemente seu despertar e seu acordar.

Esses momentos importantes, mesmo se pelo momento vocês sintam apenas a pressão, a urgência, necessitam, de vocês, uma coragem que é aquela de ousar construir sua Vida na eternidade.

Não lhes é solicitado para abandonar nada, a não ser a parte ilusória de vocês mesmos, a parte fragmentada, a parte que tem medo, a fim de se voltarem e de regressarem para o que faz de vocês os seres de pura Luz, de pura radiância e de pura eternidade.

Passar o limiar sagrado é, portanto, uma tensão para o abandono e é, sobretudo, fazer ato de Verdade, de simplicidade e de humildade.

Apenas a esse preço é que vocês reencontrarão sua Alegria interior, este estado onde o rir é permanente.

Com relação a esses alguns elementos (bem simples, com as palavras que eu lhes dei concernentes ao que acontece), uma vez que a vibração do coração está ativada, uma vez que vocês estão abandonados à Luz, se vocês têm, com relação a isso, algum questionamento, eu gostaria de tentar ali aportar uma iluminação pelas palavras e também pela vibração.

Questáo: poderia desenvolver o que você chama o abandono de Si à Luz?

Na encarnação, muitos seres humanos afirmam querer buscar a Luz.
Esta busca é, geralmente, uma busca exterior, através de sistemas de conhecimento, quaisquer que sejam.

Esta busca pode ser mais ou menos rápida, mais ou menos ávida.

O abandono à Luz é um ato em que você decide, vocês também, como ser humano, entregar sua orientação quanto ao seu destino não mais com relação à lei de ação / reação (cármica ou presente), mas aceitar que a Luz guie seus passos e o ilumine.

A Luz os quer inteiros e na totalidade.

Vocês não podem, nesta época, participar da Luz e participar da dualidade.

Há engajamentos, há escolhas que vocês têm toda a liberdade de colocar desde tempos imemoráveis, mas há escolhas, ações que devem ser postas agora, porque a Luz lhes pede, mas não pode obrigá-los.

Ela lhes propõe ela vem para vocês, ela vem tentar lembrá-los, em consciência, de seu juramento.

O abandono à Luz é se entregar totalmente à Luz, ao que ela decide.
Ela é inteligente para o que ela quer para vocês e não pelo que vocês querem, vocês.

A Luz é, novamente, um sacrifício, mas um sacrifício inverso, que necessita sacrificar seu ego, sua personalidade, não para fazê-lo morrer, obviamente, mas para deixá-lo se impregnar, se embeber, literalmente, de Luz, para que sua vida, seu destino não seja mais um destino pessoal, mas um destino de Luz.

Vocês devem aceitar que a Luz dirija sua vida e não vocês mesmos dirijam sua vida.
Isso, também, representa um sentido do sacrifício, mas que conduz, em definitivo, à única Alegria verdadeira e, entretanto, vocês não podem aceder a esta Alegria verdadeira enquanto haja em vocês o menor desejo pessoal existente.

Este engajamento não é uma montanha a escalar em outro lugar a não ser em sua cabeça.
Este engajamento promete, de maneira inabalável, a realização da Alegria, mas, para isso, vocês devem deixar os mundos da dualidade, da tristeza, os mundos da ilusão, o mundo das emoções, o mundo das construções, ligados ao mental.

Vocês devem, de algum modo, parar o movimento, porque vocês não são o movimento, vocês têm a ilusão, vocês a criaram.

O abandono à Luz é também abandonar sua própria vontade à vontade da Luz.

A Luz apenas poderá, aliás, estabelecer-se uma vez que o limiar sagrado seja passado.

Passar o limiar sagrado assinala o abandono também da dualidade.
Estar abandonado à Luz é penetrar os domínios do Sat Chit Ananda, ou seja, em termos ocidentais, penetrar as moradas de Paz suprema, os domínios da Alegria eterna, assim como a realizaram vários seres sobre esta Terra.

A diferença hoje se atém à tonalidade coletiva do processo, mesmo se nós não entendamos por coletivo a totalidade, porque a Luz não impõe jamais.

Entretanto, o abandono à Luz é o princípio fundador de sua nova realidade.

Em alguns mundos chamados multidimensionais (nos multiuniversos, para além desta dimensão dissociada na qual vocês vivem e evoluem), o abandono à Luz é a regra, que isso se refira às dimensões antropomorfizadas, ou às dimensões de longe superiores ou à dimensão mesmo da Fonte.

Tudo é Alegria.
Tudo é Luz.
Tudo é Graça.
O conjunto de qualificativos que não me parece participar, até o presente, desta dualidade, no entanto necessário, porque desejado por vocês todos que aceitaram o princípio.

Entretanto, o próprio princípio da precipitação nesta densidade acompanhou-se de um princípio inverso do retorno à Unidade.

O que vocês sentem no interior de vocês, seja ao nível da cabeça ou de outros lugares de seu corpo, as circunstâncias que lhes são propostas hoje pela vida, são um desafio ao seu abandono à Luz.
Entretanto, vocês sozinhos, e ainda uma vez isso é importante, vocês sozinhos, podem cruzar esse limiar.

Quaisquer que sejam os reencontros, a Luz não pode se impor, é nisso que ela lhes pede o abandono.

Dirigir-se para o abandono à Luz não é uma visão do Espírito ou uma visão da cabeça, é uma visão do coração e unicamente isso.

Resposta da vibração.

... Efusão de energia...

Questão: Paris é um lugar propício para a ascensão ou deve-se deixar esse lugar?

A única ascensão passa pela porta do coração, não há outra.
Não há lugar, não há outro espaço, não há outro tempo para isso, a não ser a abertura do coração.

A translação dimensional (assim como nós preferimos, nas palavras que encontramos) é um processo que consiste em deslocar o ponto de vista do exterior para o interior.

O Arcanjo Miguel, o bem amado, desde o início, afirmou que somente o interior era importante.

A desconstrução do mundo poderia ser fonte de conflitos, de medos, mas, nesta desconstrução, brilha a maior das Luzes, ela está aí, ela apenas espera vocês.

Isso é totalmente independente das circunstâncias exteriores de uma vida ou de outra.

O princípio do coração sendo realizar a Unidade, esta Unidade, uma vez cruzada ao nível do limiar, permite ser totalmente criada para o que deve sê-lo.

Certamente, uma vez que vocês tiverem iniciado e percebido a vibração do coração, certo número de escolhas se imporá a vocês, isso concerne tanto aos lugares, aos espaços, às pessoas e à evolução mesmo de sua vida.

Entretanto, querer colocar certo número de escolhas antes de ter vivenciado a vibração do coração estritamente a nada serve, porque os afasta ainda mais do coração que vocês buscam.

Não há nada a salvar, não há nada a perder, há somente a realizar o que vocês desejam e o que vocês querem.

Resposta da vibração.

... Efusão de energia...

Questão: não seria mais simples viver na Alegria, aqui e agora e não se deixar arrastar nas teorias?

Quem fala de teorias?
O aqui e agora, a Alegria do aqui e agora é permanente?
Se sim, se isso é independente das circunstâncias exteriores, se isso é independente dos sofrimentos ocasionados pela dualidade, então, bem-vindo no aqui e agora.

Resposta da vibração.

... Efusão de energia...

Questão: como fazer, uma vez que vivemos na dualidade, para atingir a unicidade ou então tratar-se-ia de um simples soltar?

Isso é muito mais do que soltar.
A dualidade é feita para encontrar a Unidade, ela não tem outro objetivo além desse.

Encontrar a Unidade corresponde a certo número de mecanismos fisiológicos, vibratórios e de consciência de que já falei e ainda essa noite.

Não há paradoxo em estar na dualidade e viver a Unidade, mas há uma diferença fundamental entre o aqui e agora ou uma teoria e a realidade do que se vive no coração.

O que se vive no coração não tem necessidade de palavra.
O que se vive no coração não tem necessidade de se confrontar.
O que se vive no coração não tem necessidade do sofrimento.
O que se vive no coração não tem necessidade de doença.
O que se vive no coração escapa à dualidade.

A translação dimensional é efetivamente esse princípio que permitirá passar do mundo exterior ao mundo interior.

É difícil explicar em palavras o que é o coração, porque, a partir do momento em que uma palavra é pronunciada, afasta-se, com isso, do coração.

O coração não fala em palavras.
O coração vive na vibração e na presença.
O coração fala amor.
O coração fala a linguagem da Unidade.

A própria palavra que se pronuncia, seja eu ou vocês, coloca instantaneamente na dualidade, porque o filtro que é então utilizado é o intelecto.

Vocês não podem compreender o coração pelo intelecto.
Vocês apenas podem viver o coração.

Resposta da vibração.

... Efusão de energia...

Questão: o abandono à Luz supõe, preliminarmente, o abandono do exercício da escolha que você preconizou antes de cada ação ultimamente, a escolha pelo coração?

Esse é um modo, efetivamente, de colocá-los na situação, de fazer as escolhas que vão no sentido da Luz ao invés que no sentido da dualidade.

As algumas palavras que eu exprimi essa noite eram, sobretudo destinadas a fazê-los pressentir o que acontece estando na Unidade.

As palavras que eu pronunciei são ouvidas, obviamente, pelo cérebro e também pela consciência.

As únicas palavras do coração que eu teria podido pronunciar são as ressonâncias que vocês conhecem todos, quaisquer que sejam os modelos, as tradições ou as religiões que vocês seguiram.

E, no entanto, essas palavras simples, com poder de ressonância enorme, não bastaram, porque as palavras jamais bastarão.

A aproximação do limiar sagrado, assim como eu já disse, se faz através do silêncio, silêncio de palavras, silêncio de sentidos, silêncio de tudo o que não é Unidade.

Esse é o abandono do barulho, o abandono da duplicidade, o abandono da mentira, o abandono da complexidade, o abandono das teorias, o abandono das palavras para penetrar, enfim, a essência da vibração.

Eis, aliás, a resposta do silêncio.

... Efusão de energia...

Como vocês sabem, mesmo se eu preferisse que vocês não conhecessem o nome real de minha última encarnação, em me apresento com um nome, esse nome é uma distância para vocês, por minha coloração.

Pelo meu papel na dimensão onde eu evoluo, há já uma distância.

Entretanto, esta distância deve ser a menor possível, porque é desta distância que nasce a confusão, que nasce a ilusão da separação.

Eis a resposta da Luz.

... Efusão de energia...

Questão: nos ensinamentos Crísticos, o desejo é considerado como emanando da Fonte. Ora, há pouco, você disse que, para atingir esse limiar do sagrado, convém superar os desejos. Não é contraditório? Como os dois podem se articular ?

A própria Fonte exteriorizou-se pelo desejo.
Vocês se manifestaram, nesta dualidade, pelo desejo.
O que é mais normal do que expressar um último desejo que é o retorno à Unidade, na condição de que esse desejo seja o único desejo?

Resposta da vibração.

... Efusão de energia...

Questão: qual é o lugar da sexualidade no processo da ascensão?

No próprio processo da ascensão, nenhum.

A sexualidade, tal como é vivida nesse mundo dissociado e qualquer que seja o teor (da mais elevada à mais baixa), percorre todas as gamas do possível, no sentido da relação entre dois seres.

A abertura do coração se traduz por algo que deixa em vocês, com relação à sexualidade, qualquer que seja o nível, um sentimento, uma percepção de um gozo bem além de qualquer coisa ligada a uma função, por mais sedutora que seja.

Eu não nego, com isso, a sexualidade, tendo sido, quando de minha última encarnação, casado.

Eu digo simplesmente que a sexualidade, mesmo a mais sagrada, é a expressão de uma forma de busca de completude, o que volta a pensar que nesta sexualidade se exprime também a noção de dualidade, pela própria presença dos dois intervenientes.

A passagem ao coração, que não é uma negação da sexualidade, acompanha-se de uma mudança de ponto de vista.

O fogo inicial é transmitido da esfera pélvica para a esfera cardíaca.

A coexistência dos dois fogos é possível, mas, chegando à abertura do coração (que corresponde a certo número de elementos mais místicos dos quais não falei essa noite, chamados fusão das linhagens, fusão espiritual, reconexão à Fonte, ao Cristo ou a outro nome, se preferem), ela se acompanha de uma modificação fundamental das prioridades dos impulsos, desde a esfera pélvica até a esfera cardíaca.
Essa é uma realidade.

Resposta da vibração.

... Efusão de energia...

Questão: é verdade que seríamos levados a beber a água em garrafa, de fonte, em lugar de beber a água da torneira? Isso é exato e, se sim, por que?

Não estou certo de ter compreendido o sentido desta questão.

Existem inumeráveis águas neste planeta.
A água (sem entrar nos detalhes, que vocês conhecem certamente ao nível simbólico e ao nível da função deste elemento), de uma maneira geral, é o reflexo, no sentido próprio como no figurado, das intenções do Espírito humano.

Eu os remeto nisso à primeira frase de um dos Livros Sagrados, chamado Antigo Testamento, onde é dito: «o Espírito de Deus flutuava sobre as águas».

O Espírito do homem flutua sobre a água, a sua, mas também as águas.

A água, as águas são o reflexo das vibrações que ali inscrevem em relação com as vibrações que animam e manifestam o homem nesta dualidade.

Assim, a água pode ser poluída de diferentes modos, ela pode também ser despoluída pelo Espírito.

A questão concernente à água em garrafa ou à água da torneira não porta, de minha parte, uma resposta distinta e nítida.

A água é diferente, tanto em garrafa como na torneira, de acordo com os lugares do planeta, de acordo com as vibrações que capta essa água, que não unicamente o Espírito do homem, mas também certo número de radiações específicas ligadas à Luz e não unicamente ao jogo da sombra ligado à dualidade e ao medo.

Compreendam bem que a água não pode ser totalmente escurecida, porque ela é o princípio fundador da vida, ela permanecerá sempre uma parcela luminosa.

O homem não pode viver sem água, ele é constituído de água, isso vocês sabem.

O que está no exterior está também no interior, o que quer dizer, assim, que não é apenas a água que pode ser perigosa, tudo é perigoso na dualidade, tudo é felicidade efêmera.

Somente a Alegria, somente a vibração do coração lhes permitirá transcender todos esses limites impostos pelo homem ou pela dualidade.

O abandono à Luz fará com que a escolha não poderá mais ser mental, entre a água da torneira e a água engarrafada, mas resultará da manifestação tangível de sua Verdade com relação a tal água ou tal outra água.

Eis a resposta da Luz.

... Efusão de energia...

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Então, bem amados Mestres, bem amados filhos da Unidade, eu lhes transmito, ainda uma vez, minha paz, minhas bênçãos e meus encorajamentos pessoais para irem para o inefável, para a Alegria.

As condições jamais foram tão propícias do que este período específico para lhes permitir ir para a essência.

Sejam abençoados.

______________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo, se deseja divulgá-lo, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com