Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

30 de nov de 2010

UM AMIGO – 30 de novembro de 2010

Mensagem publicada em 11 de dezembro, pelo site AUTRES DIMENSIONS.

Eu sou Um Amigo.
De meu Coração a seu Coração, Irmãos e Irmãs na humanidade, que a Graça, a Paz e a Alegria estejam com vocês.

Caros Irmãos e Irmãs, eu venho para vocês, essa noite, exprimir certo número de elementos concernentes ao que eu chamei a mutação Interior.

Assim, nesse momento mesmo, sobre este planeta, o conjunto dos Irmãos e das Irmãs humanos vive, que eles estejam conscientes ou não, momentos específicos.
Esses momentos específicos não são tanto devidos ao que é observável (no entanto bem real na superfície desta Terra), mas, bem mais, a uma transformação Interior.
Esta transformação Interior está em ressonância com uma iluminação mais intensa do que constitui a vida humana.

O que significa que cada um e cada uma, que esteja interessada pela evolução espiritual ou não, vivem nesse momento mesmo certo número de questionamentos em relação direta com a iluminação do que é chamada a Vida.

Assim, um conjunto de desvendamentos, atualmente em curso, conduz hoje a um questionamento Interior em que o ser humano, de uma maneira geral, procura redefinir seu lugar.
Este lugar é fundamental para o ser humano nesta Dimensão.

De fato, nesse mundo fragmentado, o ser humano tem uma necessidade vital e imperiosa de encontrar seu lugar.

Então, obviamente, de acordo com os interesses existentes num caminho específico, alguns vão procurar seu lugar nos mundos que nada têm a ver com as esferas espirituais, seja ao nível social ou ao nível afetivo, ou ainda em outros domínios.

Cada ser humano, de fato, é empurrado para encontrar, de acordo com suas esferas de interesses e seus pólos de interesses, uma situação que vai lhe permitir se definir com relação, portanto, às situações exteriores.
Isso é próprio do ser humano que procura seu lugar.
Seja na família, na profissão, em suas buscas.

Qualquer que seja o domínio, a personalidade é assim feita, para que ela vá procurar comparar, definir, situar-se em seu ambiente, criar seu próprio ambiente que lhe permitirá estabelecer, eu diria, as fundações e as bases para o desabrochar da referida personalidade.

Hoje, as circunstâncias desse mundo, ligadas ao derramamento da Luz, implicam, para cada ser humano, em uma definição deste lugar, suscitando questionamento e, por vezes, impulso da alma, assim que exista um caminho dito espiritual, permitindo redefinir ou recondicionar e reconfigurar o que é chamado seu lugar nos ambientes existentes.

Isso acontece por vezes de maneira muito simples, por vezes de maneira muito difícil.

As circunstâncias de vida, tais como vocês as vivem ainda atualmente, nesta Dimensão dissociada, vão se traduzir, para os seres humanos, por contestações, permitindo, para alguns, descobrirem outros espaços, outras verdades e, para outros, entrarem, infelizmente, ainda mais na resistência com relação ao que parecem ser obstáculos colocados em seu caminho.

Para alguns, isso é o carma deles, para outros, isso são simplesmente as circunstâncias da própria sociedade.

Cada um vai, portanto, tentar encontrar ou reencontrar os elementos responsáveis, para si e de acordo consigo, as transformações e os questionamentos presentes no interior de sua personalidade.

Existe de fato uma mutação, uma transformação, assim como uma transformação em curso, atualmente, sobre o planeta.
Isso, muito numerosos intervenientes lhes falaram em termos diversos e variados.

Eu tenho, eu, que me colocar no plano, sempre, da diferença e a oposição entre o Eu e o Si, da complementaridade também existente entre o Si e a Existência, porque é nessas estruturas que atua a colocação do ser humano em sua Consciência.

Assim, face a esta transformação vindo, chamada por Sri Aurobindo a mutação Solar e a mutação planetária, ligadas à chegada de certo número de modificações que vocês, que me escutam aqui e em outros lugares ou que me leem, têm pertinentemente consciência e conhecimento.

Obviamente, a grande maioria dos seres humanos fechada nesses esquemas de funcionamento habituais (propiciando-lhe ou não uma certeza, propiciando-lhe ou não uma estabilidade) encontra-se a anos-luz, pode-se dizer, de seus próprios questionamentos.

Mas, entretanto, esses questionamentos existem no interior de todo ser.
Mesmo se isso não passe necessariamente pela esfera consciente, existe uma espécie de aumento de questionamentos.
Este aumento de questionamentos empurra os seres humanos, de maneira coletiva, a redefinirem, de maneira arquetípica, o próprio sentido do que é a Vida, não em seus questionamentos filosóficos, mas simplesmente no fato de redefinir seu próprio lugar no Universo, em sua própria personalidade ou nessas diferentes esferas nas quais evolui a Consciência.

Essa é uma ação normal, explícita ou implícita, de acordo com o caso, da chegada da Luz e da chegada das partículas novas, mesmo em seu ambiente.
Isso se traduz, já, para alguns de vocês, por contestações, seja de seu próprio caminho, seja de suas próprias crenças, seja de alguns ambientes.

Os impulsos da alma que, ela, é já afetada bem mais do que a personalidade, assim como o próprio Espírito, no Sol, abrindo outros espaços dimensionais, são conectados, hoje, à sua Consciência, que vocês o aceitem ou não.

Isso vai então se traduzir, para cada ser humano presente na superfície desta Terra, por uma necessidade de dar sentido, o sentido habitual estabelecido pela educação, pela família, pelos hábitos, pelas crenças, pelo conjunto do que vocês chamam empresarial, vai hoje se transformar por uma busca de sentido por vezes importante ou, em todo caso, criando não uma inquietação, mas um questionamento, bem real, Interior, por vezes manifestada exteriormente sobre o sentido da vida, o sentido dos apegos e o próprio sentido da evolução da Vida sobre este planeta.

Isso se traduz, obviamente, por uma modificação do que resta do que eu chamaria a egrégora coletiva ou o inconsciente coletivo, a noosfera, se vocês preferem esse termo, correspondendo ao conjunto da Consciência Unificada da humanidade, que é uma realidade, mesmo em sua fragmentação.

Assim, portanto, o afluxo de Luz ao nível das almas, o afluxo de Luz em seu sistema solar, Luz Vibral, mesmo se ela não é ainda perceptível, no sentido fisiológico, para muitos seres humanos, provoca então uma necessidade de sentido e de redefinição de objetivos, que isso se coloque na personalidade ou então levando a personalidade a se apagar, progressivamente, sob a influência da Luz Vibral, ao Abandono à Luz e, portanto, à revelação da alma e do Espírito.

Muitos seres humanos vão começar a sentir o que eu chamaria a pressão Vibratória da transformação, produzindo, que vocês estejam conscientes ou não, uma mutação, Interior, permitindo redefinir, de algum modo, as prioridades, as polaridades e os sentidos que deve tomar sua vida.

Qualquer que seja o tempo, nesta Dimensão ou em outros lugares, essa é uma realidade temporal à qual vocês não podem escapar.

Assim, as influências da Luz Vibral se fazem sentir sobre o ser humano, sobre a humanidade e eu diria sobre toda esfera de vida deste planeta, produzindo o que vocês observam exteriormente, confortando e explicando que o que acontece no exterior acontece também no Interior.

A modificação que lhes foi anunciada dos elementos, a aplicação dos quatro elementos desde este verão [inverno no hemisfério sul] induz já, ao nível planetário, certo número de transformações.
Não me cabe defini-las.

Vocês as têm sob os olhos, aqueles que se interessam no além de sua esfera habitual de vida.

Essas modificações são fatos indiscutíveis.
Elas se traduzem, necessariamente, pelas modificações no próprio interior de suas estruturas e de sua Consciência.
Isso concerne ao conjunto da humanidade.

Alguns apenas tocam de leve, pelo momento, esta pressão de transformação, mas ela vai se reforçar, dia a dia, conduzindo a uma espécie de tomada de Consciência ou uma revolução Interior da Consciência, o que não quer dizer que todo o mundo irá para a Luz.

De fato, esta pressão corresponde também à iminência, no sentido em que isso foi empregado.
Esta iminência, obviamente, não é um final, no sentido em que vocês poderiam entender, alguns de vocês, mas a iminência, efetivamente, de uma mudança de paradigma, de uma mudança de compreensão e, sobretudo, de uma mutação Interior sobre a qual eu estou me exprimindo.

Esta mutação Interior os chama não para uma agitação mental, mas, antes, para uma busca de equilíbrio.
Esta busca de equilíbrio traduz um desequilíbrio, esse desequilíbrio que chama, como sempre nesta matriz, o estabelecimento de um novo equilíbrio.

Este equilíbrio tem necessidade de se manifestar.
Ele vai então se traduzir por uma mudança de prioridades em suas vidas, tocando alguns setores que lhes parecem desequilibrados.

Alguns, obviamente, vão resistir a esta influência de mudança mutatória, a esta influência de transformação.
Isso vai se traduzir, naquele momento, por desequilíbrios cada vez maiores, podendo então chocar as crenças, as concepções, as adesões que tinham sido o feito da Consciência dissociada até o presente.
Isso não é nem um bem, nem um mal, mas uma realidade que se produz atualmente.

Alguns seres, devido a essa mudança de equilíbrio em curso, vão segregar, como lhes disse Sri Aurobindo, um medo.
Este medo é, por vezes, com um motivo, por vezes, sem motivo, correspondendo ao medo de perder isso ou aquilo, ao medo de permanecer assim ou assado.

Este medo nem sempre encontra um terreno propício para se exprimir, de maneira consciente, sobre um elemento exterior ou interior, mas efetivamente mais segregar, de maneira sutil, a espera, implicando para a alma num reajuste.
É esse reajuste que é chamada a mutação Interior.

Obviamente, não é ainda a mutação final do acesso a tal estado ou a tal outro estado, isso é para daqui a algum tempo.
Mas, agora e já, isso se traduz, ao nível da humanidade, por uma tentativa de redefinição dos próprios paradigmas que construíram o mundo, em seus fundamentos, que vocês vivem atualmente, que isso se refira às esferas profissionais, às esferas emocionais e mentais.

Há, portanto, fundamentalmente, uma busca de sentido, mesmo se esta busca de sentido seja, pelo momento, para o conjunto da humanidade, apenas aplicada na personalidade da vida fragmentária.

Mas este impulso é bem real, ele traduz realmente, para cada um, como para o conjunto, uma necessidade de redefinição.

Essa necessidade de redefinição se acompanha, como eu lhes disse e é lógico, tal como é construído o ser humano em sua personalidade, por um sentimento de medo.



Esse sentimento de medo pode encontrar um espaço de resolução na abertura a uma verdade espiritual diferente, mas pode também se exprimir diretamente como um medo vindo então perturbar o equilíbrio precário e afastando um novo equilíbrio.

É contra isso que lhes convém, não lutar, mas, antes, se estabelecerem no que eu chamei, há muito pouco tempo, a Morada de Paz Suprema, que lhes permite então ver claramente os prós e os contras, mesmo sem compreender necessariamente o alcance real, pelo momento, mas poder ver claramente em vocês o que está acontecendo.

De fato, a mutação não toca cada Irmão e cada Irmã da humanidade do mesmo modo.
Alguns vivem uma pressão para se reajustarem em suas crenças, alguns vivem uma pressão pare se reajustarem na localização geográfica de sua vida, outros, enfim, viverão uma pressão para se reajustarem através de sua vida familiar ou afetiva.
Cada um vai, portanto, provar uma forma de impulso da alma vindo modificar os equilíbrios preexistentes e conduzindo a alma a se colocar questões necessárias para uma transformação.
Porque, compreendam efetivamente que a Luz Vibral chegando até vocês, agora em quantidade cada vez mais importante, induz a esta transformação.

Esta transformação não pode deixar indiferente ninguém, mesmo se alguns resistem ainda e continuem a trabalhar em seus espaços de certeza exterior e Interior, nos quadros que elas eram definidas e fixas, mesmo se estão em plena desagregação e transformação.

Esta mutação Interior passa por um estado ao nível da personalidade, que eu não qualificaria de Abandono à Luz, pelo momento, mas, em todo caso, de aceitação de mudança.

Ora, todo o mundo sabe que, ao nível da personalidade, a mudança é, antes de tudo, portadora de medo e de estresse, que esta seja aceita ou não, aliás.

O estresse é uma forma de tensão para um novo estado de equilíbrio induzindo, portanto, a reajustes, qualquer que seja o setor que deva se reajustar.
Isso vai se traduzir, ao nível da Consciência dissociada, fragmentária da personalidade, por uma necessidade de mudança, recusada ou não.

Essa mudança, ligada ao impulso da alma, vai se traduzir, na vida de uns e de outros, de diferentes modos.

Quaisquer que sejam as mudanças aportadas exteriormente, a mudança nasce já no Interior.
É ela que vai impulsionar a modificação das circunstâncias de vida que devem ser impulsionadas nos diferentes setores que compreendem sua vida.

Esta mutação Interior vai se traduzir, antes de tudo, mesmo se isso não seja formulado assim, por uma busca de sentido, uma busca de certeza bem maior, necessitando também não mais mentir, não mais dificilmente suportar a noção de mentira, que seja a mentira com relação a si mesmo, a mentira com relação aos outros, a mentira com relação à vida, a mentira com relação à sociedade ou ainda a algumas de suas circunstâncias de vida.

Essa é uma mutação Interior extremamente importante, porque ela os recoloca, vocês compreenderam, instantaneamente, que vocês queiram ou não, em meio a seus quatro Pilares.

O problema e a problemática é que esses quatro Pilares, mesmo se eles não sejam assim nomeados, não têm de modo algum os mesmos interesses e as mesmas vantagens e as mesmas funções, de acordo com o que se coloca do ponto de vista da personalidade ou do Coração, quer dizer, do Si.

De fato, existe uma diferença fundamental, agora, de acordo com os humanos, de acordo com sua propensão para viver ao nível da personalidade ou para viver ao nível do Coração.

A definição dos quatro Pilares, na personalidade, vai conduzir paradoxalmente a uma forma de rigidez maior, a formas de manifestação emocional compreendendo tanto a raiva como a negação de alguns elementos, bem reais, no entanto.

Aqueles de vocês que já passaram, mesmo que por apenas de modo intermitente, ao nível da Consciência cardíaca (traduzindo-se pela ativação da Coroa Radiante da cabeça ou do Coração, ou ainda do Triângulo Sagrado) vão manifestar, de maneira mais exata, os quatro Pilares, dando então uma busca de sentido centrada na noção de Verdade, na noção de Ética e de Integridade, mas não mais com relação à personalidade, mas, efetivamente, bem mais, com relação à alma, traduzindo desta vez uma busca de sentido bem mais provada e vivida com relação à espiritualidade, redefinindo assim as crenças, devolvendo em equilíbrio e em causa os fundamentos que haviam guiado sua vida até o presente.

Assim o foi de algumas revelações que lhes foram comunicadas (tanto pelo venerável Comandante Omraam como por outros, também), concernentes a algumas crenças ou algumas adesões.

O ser humano, em sua busca de sentido atual (que ele seja, desta vez, ao nível da personalidade ou da alma), vai se traduzir, obviamente, por uma necessidade de esclarecimento.
Essa necessidade de esclarecimento vai conduzir, ela mesma, a uma busca maior de conformidade com o que é vivido, de uma maneira geral ou específica, pela alma ou por sua personalidade.

A mutação Interior é, portanto, uma mudança de paradigma traduzindo também uma modificação da Consciência que se dirige, eu diria, de acordo com os humanos, com facilidade, de alguma forma, ao nível da Consciência do Coração.

Isso corresponde também à passagem da porta estreita.
É o momento em que a alma e a personalidade sentem, inteiramente, que elas devem, de algum modo, passar para outra coisa, mas que passar para outras coisas não pode ser feito com as bagagens anteriores, com as crenças anteriores, com as certezas anteriores ao que se vive Interiormente no presente.

Obviamente, isso pode criar, ainda uma vez, uma incerteza sobre a estrada a tomar, uma incerteza sobre as decisões a tomar, ou ainda uma incerteza sobre a clareza do que se vive, com isso, atualmente.

Isso, ainda uma vez, concerne tanto à Consciência humana fragmentada como à Consciência de um país, como à Consciência de um partido, como à Consciência de uma família ou de um grupo espiritual.

Há, portanto, um impulso para uma redefinição dos sentidos, para uma redefinição dos quadros, para uma redefinição e para uma reorganização da Vida, mesmo nesta matriz falsificada, de acordo com novos critérios ou, em todo caso, critérios transformados e novos.

Esta situação vai durar algum tempo.
Ela vai durar algum tempo amplificando-se em todas as escalas, traduzindo ou a resistência para a transformação, ou o estabelecimento no sentido da transformação.

Obviamente, e vocês compreenderam, isso foi chamado, a um dado momento, pelo bem amado Comandante Omraam, a separação de duas humanidades.

Não é a Luz que quer a separação, mas é efetivamente a evolução da personalidade humana que cria dela mesma as condições desta separação.

Separação Vibratória e, em seguida, real, concernente àqueles que aceitam a mutação induzida pela Luz, para além mesmo das percepções Vibratórias da Luz e da transformação que vocês, aqui presentes, vivem.

Esta aceitação vai se traduzir, para essas pessoas e para as Consciências de alguns países, por uma melhor facilidade e uma melhor facilitação da adaptação às condições novas de Vida instalando-se no final desta Dimensão.

Enquanto que, paradoxalmente, outros vão entrar em oposição frontal à mutação em curso, indo até extrair nas imagens procedentes do antigo tempo, crenças em coisas que não vêm da Luz.

Existe, portanto, para alguns seres humanos, independentemente de toda vivência Vibratória, uma aceitação ou uma recusa da Luz Vibral.
Isso conduz necessariamente ao que eu chamaria uma confrontação.
Esta confrontação não é mais Interior a vocês mesmos, mas vai confrontar as duas humanidades que se separam.

Esta confrontação pode tomar todos os aspectos e pode tomar todas as formas.
É a isso que vocês assistem atualmente.

Esta confrontação não toca unicamente as duas humanidades que se separam, mas vai tocar, também, num grupo no entanto aderente a uma recusa da Nova Luz, tomadas de posição por vezes radicalmente opostos devido mesmo ao impulso ou à pressão da Luz, nessas estruturas pessoais, coletividades estatais, sociais ou outras.

Assim, portanto, o mecanismo de separação, tendo conduzido ao que o Arcanjo Anael chamou precipitação, está em fase de aceleração.

Alguns mecanismos de Consciência vão se encontrar face a certo número de equações a resolver com dificuldade, ainda uma vez, ou com facilidade.

Tudo o que for resistência à mudança provocará uma mutação de forma que será qualificada de violência.
Esta violência não é responsabilidade da Luz, compreendam bem, mas é responsabilidade, simplesmente, da resistência à mutação em curso.

Esta violência poderá tomar diferentes aspectos e cabe a vocês, vocês que estão despertos ou acordados, não dar corpo, não dar peso, não dar presença a esta forma de violência.
O que não quer dizer estar inativo.
Isso quer dizer, simplesmente, centrar-se em sua Paz, centrar-se em sua Unidade, irradiar esta Paz, a fim de que aqueles que estão prontos a acolher esta Luz não participem, de uma maneira ou de outra, ao que eu chamei esta violência.

A violência traduz o medo, a violência traduz a não compreensão dos mecanismos em curso.

Tudo foi feito por algumas Consciências fragmentadas, particularmente afastadas da Fonte, para que esta etapa aconteça segundo essas condições de medo e de violência.

De fato, algumas formas de Consciências podem encontrar um alimento mais intenso durante este período, com relação à violência gerada por aqueles que resistem.

Seu papel, como seres despertos, não é, sobretudo, se oporem ou participarem disso, mas, bem mais, estabelecerem-se, ainda e sempre mais, em sua mutação Interior, definida pela Alegria Interior ou pela Morada de Paz Suprema, a fim de se tornar ainda mais, sobretudo durante o período que vocês vão viver, os Semeadores e os Ancoradores da Luz sobre esta Dimensão.

Assim, portanto, por esse Serviço à Luz que vocês prestarão, estabelecendo-se em vocês mesmos, seja às 19h [16h – em Brasília] ou em qualquer outro momento que vocês julgarem bom, que vocês vão participar na limitação desta violência, que vocês vão participar na precipitação, cada vez mais rápida, mesmo, da Luz Vibral nesse mundo, favorecendo então a transmutação do planeta.

É para isso que vocês são convidados.

É importante pesar, em vocês, cada palavra que acabo de pronunciar, com relação a esta mutação Interior, porque vocês entraram, efetivamente, nesta fase específica de precipitação e também de confrontação.
Esta confrontação, infelizmente, não pode ser evitada.

Ainda uma vez, ela não é responsabilidade da Luz Vibral, mas sim, da oposição e unicamente da oposição à Luz Vibral.

Alguns seres vão mesmo até ver, nesta Luz Vibral, uma Sombra.
E como poderiam eles ver outra coisa, eles que residiram nesta Sombra e que não aceitam a Luz?

A Luz Vibral é, antes de tudo, um elemento de transmutação, um elemento de Alegria, mas ele pode, este elemento, tornar-se um elemento de violência Interior, quando é recusado, conduzindo, de algum modo, a um paroxismo da dualidade, fazendo com que as situações, as tomadas de posição, tornem-se cada vez mais cortadas, cada vez mais rudes.
Isso é lógico.
Isso, ainda uma vez, não é de responsabilidade da Luz Vibral, mas, bem mais, unicamente, da resistência à Luz Vibral.

O que eu acabo de dizer acontece também, obviamente, em cada Consciência individual, mesmo desperta.

Cabe-lhes, portanto, estarem particularmente atentos ao que vocês querem alimentar nas semanas que vêm.

Vocês querem alimentar a discórdia, seja com um parente, seja com suas próprias concepções de alguns setores de sua vida?
Ou vocês querem alimentar o que é luminoso, fácil, fluido e sincrônico?

Coloquem-se a cada vez a questão.

O que quer que ocorra em sua vida, o que quer que ocorra em seu ambiente, o que quer que ocorra em seu país, o que é que vocês querem alimentar?
O que é que vocês querem alimentar?

Disso dependerá seu lugar na mutação em curso.

Assim como lhes foi dito, cada um e cada uma estará estritamente no bom lugar, na precipitação e na confrontação que se instaura atualmente.

A ressonância atuará plenamente.

Se vocês alimentarem a violência, vocês serão confrontados à violência, mesmo se vocês estão, vocês mesmos, abertos ao nível de suas Coroas Radiantes.

Cabe-lhes estarem, mais do que nunca, atentos e vigilantes às palavras que vocês pronunciam, aos comportamentos que vocês adotam, às reações que vocês provocam e às ações que vocês efetuam, a fim de irem sempre no sentido da facilitação, irem sempre no sentido da Luz Vibral.

Naquele momento, não é mais a aceitação que atuará, mas sua capacidade, real e objetiva, para se abandonarem à Luz, quaisquer que sejam as situações que demandem uma ação ou uma reação de sua parte.

Em função disso, as ações e as reações que vocês realizarem serão marcadas de facilidade ou de dificuldade.

Lembrem-se também que a dissolução da matriz astral coletiva se traduz também por uma carência de amortecimento, de certo modo, da energia.

A energia e a Consciência Vibral tornar-se-ão cada vez mais percucientes e ativas, não tendo mais os planos intermediários para se dissolver ou se diluir.

Vocês serão cada vez mais impactados pela Luz Vibral.
Alguns de vocês percebem já o que acontece ao nível da cabeça, o que acontece ao nível do Coração, o que acontece ao nível do que foi chamada a pressão da Ascensão, ou também ao nível dos diferentes sinais correspondendo ao estabelecimento de sua conexão com sua alma e com seu Espírito.

Os zumbidos nos ouvidos estão se modificando.
A percepção das Vibrações modifica-se também grandemente, devendo conduzir, num futuro extremamente próximo, já atualizado nos planos os mais sutis, a certo número de precipitação de eventos sobre esta Terra.

Esta precipitação de eventos poderá ir nos dois sentidos, onde quer que vocês estejam: para a Alegria, para a Paz ou para o conflito.

É a cada minuto que lhes cabe definir, para sua própria vida, seu próprio ambiente, os lugares onde vocês querem se colocar.

Esta vigilância que lhes é demandada é, de fato, uma Atenção, colocando-se entre seus quatro Pilares, ao nível da alma e não ao nível da personalidade, permitindo-lhes exercer não um controle, não um domínio, propriamente dito, mas, bem mais, uma vigilância consciente do que é sua vida, as ações que vocês ali conduzem e as reações que vocês ali levam.

Aí está o que eu tinha a lhes dizer com relação a esta mutação Interior.
É bem evidente que ela acompanha a mutação Solar em curso, que ela acompanha a mutação planetária, que ela acompanha a modificação de seus Céus, como a modificação desta Terra, traduzindo-se, como vocês sabem, por um despertar dos elementos.

Os elementos se despertam no exterior, mas eles se despertam também em vocês, iluminando o que deve sê-lo, varrendo o que deve sê-lo, estabilizando o que deve sê-lo.

Cabe a vocês perceberem o que é da ordem do alívio e diferenciar do que é da ordem da gravidade e do peso.

Aí estão, Irmãos e Irmãs na humanidade, as algumas palavras que eu tinha a lhes dar com relação a esta mutação Interior.

Hoje, eu me aterei algum tempo à sua disposição, se existem questionamentos exclusivamente com relação ao que acabo de falar e que pode lhes servir, a vocês como a outros, em relação exatamente com o que acabo de lhes dar como elementos.

Assim, Irmãos e Irmãs, eu lhes dou a palavra.



Questão: você pode desenvolver sobre o que foi chamada a separação das duas humanidades?


Bem amado, meu caro Irmão, algumas almas decidiram prosseguir sua estrada nos mundos em carbono.
Alguns espíritos decidiram reencontrar sua liberdade dimensional.
Esse é um dos primeiros princípios da separação.

A segunda separação consiste em ou aceitar a mutação, ou recusá-la.
Isso conduzirá, obviamente, a situações por vezes explosivas.

A separação da humanidade de que eu falo não é uma separação no sentido físico.
Do mesmo modo, esse pode ser o caso num casal que não tem que se separar fisicamente, mas simplesmente tomar Consciência de que o caminho de um não é necessariamente o caminho do outro e assim aplicar o princípio de respeito da liberdade de cada um.

O respeito da liberdade de cada um é, portanto, fundamental, a fim de não participar das energias de violência da separação.

A humanidade é Una, mas os caminhos, como disse o Cristo: «há numerosas moradas na casa do Pai», «vocês estão nesse mundo, mas vocês não são desse mundo», encontra sua plena aplicação nos tempos que vocês vivem atualmente.

Questão: que vão se tornar os seres ainda apegados à ilusão desse mundo?

A Lei de Graça atua ainda por algum tempo.

Absolutamente todo ser humano que deseja sair da matriz, se ele se abandona à Luz, viverá sua saída da matriz.

Agora, cada evolução é profundamente diferente, seja mesmo para aqueles que aceitam e vivem e Luz Vibral, como para aqueles que a recusam e a rejeitam.

Cada ser viverá o que sua própria Vibração de consciência determina.
Não pode ser de outro modo.

O Cristo lhes disse, parece-me, em sua época: «que lhe seja feito segundo sua Fé».
E ele acrescentou: «que lhe seja feito segundo sua Vibração e sua Consciência» e isso atuará tanto para aqueles que aceitam a Luz Vibral como para aqueles que a rejeitam.

A Lei de Graça atua ainda inteiramente, até um momento em que se poderá chamar o basculamento.

Não é, propriamente falando, ainda, o basculamento dos pólos, mas o momento do basculamento da noosfera que fará com que, naquele momento, a lucidez de uma transformação e sua iminência seja bem real na humanidade em sua globalidade.

Esse momento se aproxima a grande passos.
Verto número de elementos, ditos exteriores, manifestar-se-ão.
Isso lhes foi anunciado.

A supervisão de seus céus, assim como os Arcanjos lhes disseram, não é um tempo perdido ou uma exteriorização de sua Consciência, mas, bem mais, o que lhes permitirá uma lucidez maior, a fim de compreender e viver que, justamente, o que acontece no Interior acontece também no exterior.

A revelação, em seus céus, da presença dita extraterrestre, correspondendo de fato às presenças de Luz (ou da Sombra, em alguns casos), participa, aí também, desta revelação.

Seja como for, no momento desse basculamento da noosfera, cada Consciência estará exatamente no lugar em que deve estar, nas circunstâncias de vida em que deve estar, nos papéis em que deve estar, nos lugares em que deve estar.

Questão: o que é das pessoas que estão no poder, mas querendo servir aqueles que as trouxeram ali?

Caro Irmão, sua questão chama duas observações, antes de responder.

A primeira, é que não pode existir ou coexistir um poder e uma noção de Serviço.

Todo posto de poder, qualquer que seja, eu digo efetivamente, qualquer que seja, não os coloca no Serviço, mesmo se isso é chamado serviço.

Em seguida, a segunda observação, que é também, portanto, a resposta à sua questão: atualmente, vocês desempenham todos e vocês têm todos os papéis, seja numa profissão, num círculo familiar, na vida empresarial.

Vocês são, portanto, totalmente identificados a um papel, a uma função.

O impulso da Luz, e o sentido que é buscado hoje (mesmo se isso é expresso de maneira muito inconsciente para a maior parte dos seres humanos), é a irrupção, na Consciência fragmentária, que vocês não são esse papel, que vocês não são esta função, que vocês não são, portanto, o papel que vocês desempenham, na Verdade.

Isso pode ser aceito ou recusado, isso pode acontecer na Alegria, na Paz, ou ao inverso, na violência.

Existe, portanto, um processo de desidentificação de função ou de papel.

O Ser não tem, de qualquer modo, o que fazer do papel, qualquer que seja, fosse ao serviço do bem, assim como vocês o nomeiam, porque o bem alimenta tanto a matriz como o mal.

Ser está além do bem e do mal.
Ser é um estado de Consciência que os faz Vibrar em uníssono com o que vocês são, em Verdade, para além da projeção da Consciência nesse corpo ilusório que é, no entanto, o Templo em que se vive sua transformação.

Questão: não haverá então mais hierarquia, como para os Melquisedeques?

Caro Irmão, o que você chama hierarquia dos Melquisedeques é uma Assembléia.

A Assembléia que nós constituímos teve por objetivo e por vocação, simplesmente, libera-los desta matriz e não perdurar no tempo.

A Consciência liberada é felicidade.
Ela não tem necessidade de qualquer organização, uma vez que é inteiramente livre.

Não existe qualquer limitação de forma, qualquer limitação de pensamento, qualquer limitação Dimensional, para aquele que vive e Vibra em sua Existência.

A organização é natural, ela não tem necessidade de ser projetada, hierarquizada ou valorizada.
Ela se estabelece por si, segundo a Vibração e segundo o que é natural, e absolutamente não segundo regras ou códigos definidos, mesmo em outras Dimensões.

Questão: fora a escolha do Coração, há elementos que permitam tomar as decisões? 

Independentemente da escolha do Coração, que permanece o elemento o mais importante em suas estratégia, se o podemos dizer, existem dois indicadores.

O caminho da Luz é um caminho fácil onde tudo se estabelece segundo as leis de fluidez, de facilidade, de ressonância e de Alegria.

O que é oposto à Luz torna-se difícil e conflituoso.

Alguns seres sensíveis às Vibrações e às Coroas Radiantes, independentemente do protocolo dado sobre o Coração por Mestre Ram, vai lhes permitir, através mesmo de seu estado Vibratório, seja a percepção do som da alma, seja a percepção das Vibrações do chacra do Coração, mesmo sem realizar o protocolo, ou ainda do chacra da Coroa, vai lhes dar, de maneira muito lógica, o que vai no sentido da Luz e o que não vai.

O mental não pode de modo algum lhes ser de algum socorro no período que vocês vivem.

Tudo o que for sujeito a uma escolha ao nível do mental lhes fornecerá uma estatística de 50%.
Vocês têm, portanto, uma chance em duas de se enganarem.

Então, se vocês seguem a linha de menor resistência, sem se colocar questões, sem fazer intervir o mental, se vocês seguem o som ou a Vibração, naquele momento, a estatística é de 100%.

É preciso ainda que seu mental aceite o que será, em alguns casos, contrário ao que ele teria pensado, sugerido ou decidido.
Mas, aí, é justamente seu aprendizado.

A Luz é simples, a Luz é fácil.

A oposição à Luz é exatamente o inverso.
E isso vale para todas as suas escolhas.

Não temos mais perguntas. Agradecemos.

Irmãos e Irmãs na humanidade, eu rendo Graça por seu acolhimento e por sua escuta.

Eu terminarei por essas algumas palavras, face a esta mutação Interior, simplesmente, convém provar e experimentar, pela Vibração do instante.

É apenas deste modo que vocês se aproximarão de sua Essência, da Verdade e do Coração.
Não há outra alternativa.

Queiram, de meu Coração a seu Coração, acolher a Paz.
Que o Amor esteja em vocês e que vocês estejam na Alegria.

_____________________
Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

2 comentários:

  1. Querida Célia,
    Expresso-lhe minha profunda gratidão...
    Essas mensagens foram postadas ontem no Autres Dimensions,e já podemos lê-las em português graças à sua constante dedicação ao serviço da Luz.
    Obrigada... Obrigada... Obrigada...
    Luz e Paz!
    Sílvia Aguiar

    ResponderExcluir
  2. Tenho observado que esta extraordinária e intensa atuação do site Autres Dimensions, com enorme frequência de ricas mensagens, somente poderia ter as suas traduções realizadas por quem se vê totalmente em missão. O bom é que você tem se mostrado à altura de tanta exigência. Isto até me faz lembrar dos seguintes dizeres: "Estabelecer-se e manter-se é somente para quem tem real competência".

    ResponderExcluir