Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

2 de out de 2010

ANAEL – 2 de outubro de 2010

DO SITE AUTRES DIMENSIONS
PRIMEIRA PARTE
Áudio da Mensagem em Francês

Link para download: clique aqui


SEGUNDA PARTE
Áudio da Mensagem em Francês

Link para download: clique aqui


Questão: a qual Pilar pertence Aldebaran?

Bem Amada, os Pilares de que você fala são os Pilares correspondentes ao que existe na cabeça, correspondendo ao centramento de suas 4 Linhagens.

Os Pilares são, portanto, as Linhagens.

Aldebaran não é um Pilar.
Aldebaran é uma origem estelar, o que não é, verdadeiramente, a mesma coisa.

Não há um pertencimento preciso, embora alguns sistemas solares estejam religados, de maneira preferencial, a um dos Pilares.

Os Pilares que os constituem, correspondentes às suas quatro Linhagens, correspondentes à sua filiação, em Espírito, em Verdade e, por vezes, segundo a carne, nada tem a ver com a origem estelar.

Assim, é perfeitamente possível ter um Pilar em ressonância com o Ar e com Altair e sua origem estelar ser Aldebaran.

Não há, portanto, sobreposição entre as Linhagens e as origens.

Questão: poderia nos falar de Vênus?

Bem Amada, cada planeta desse sistema solar não é, necessariamente, procedente de dito sistema solar.

De fato, a rotação e a característica gravitacional de Vênus, tal como vocês o veem, já não é a Verdade do que é Vênus.

Não se esqueçam de que vocês estão num sistema falsificado e que o que vêem com seus olhos não corresponde, necessariamente, à realidade Vibratória.

Assim, no que concerne a Vênus, de nosso ponto de vista, o que vocês chamam de planetas são, para nós, embarcações.
E eles o são, em Verdade.

Do mesmo modo que um Arcanjo pode lhes aparecer ou ser representado, em seu mundo, com uma forma humanóide, nos multiuniversos e nas multidimensões um Arcanjo nada mais tem a ver com a forma que vocês o representam.

Do mesmo modo, o que vocês percebem e captam de Vênus, seja pelas leis físicas ou por sua visão, estritamente nada tem a ver com a realidade multidimensional de Vênus.

Não se esqueçam de que vocês veem através de um filtro, e que esse filtro os impede de ver a Verdade.

O verdadeiro Vênus é acessível pelo Coração, pela visão Interior e pela visão direta, Conhecimento Interior e imediato.

Entretanto, é, de seu ponto de vista, evidente que Vênus não pertence a esse sistema solar, em sua constituição original não falsificada.

Do mesmo modo que vários planetas, que existiam nesse sistema solar quando da criação original, não existem mais.
Eles foram pulverizados.

Questão: poderia nos falar do reino animal e de seu papel atual?

Bem Amada, convém já conceber que os animais não são animais.
Trata-se de uma paródia que os Arcontes, em sua linguagem, burlaram.

E vocês chamam a isso “animais”.
Mas, dentro da forma que eles lhes deram a ver, assim então, o que vocês chamam de golfinho não é um golfinho.
É um ser multidimensional.

O que vocês chamam de gato não é um gato, mas pertencente a Linhagens extremamente precisas chamadas de felídeos.
Do mesmo modo, um leão, que vocês chamam de rei dos animais, nas outras Dimensões estritamente nada tem a ver.
Trata-se, de fato, de algumas Linhagens Arcturianas.
Não há correspondência.

Os animais têm um papel.
Eles são seus acompanhantes nesta Ilusão.
Eles foram, alguns, criados de modo irônico por algumas Entidades que não queriam necessariamente o bem de vocês.

Assim, portanto, quando lhes é solicitado para não julgar, isso não concerne unicamente aos humanos, mas, também, obviamente, aos animais que estritamente nada têm a ver, nos mundos unificados, com o que vocês percebem.

Assim, portanto, será necessário que se habituem, em certo momento, a ver andar diante de vocês os leões, os felinos ou mesmo os golfinhos.

Assim, aqueles a que vocês chamam animais, como dizer..., são apenas uma paródia do que eles são nos Universos multidimensionais.

Há, portanto, realmente, nesse nível, uma magistral Ilusão que os faz dizer que os animais são animais.

Questão: como as partículas adamantinas trabalham em nossas estruturas?

Bem Amado, o primeiro portal Galáctico, aberto em 18 de agosto de 1984, permitiu estabelecer um corredor de conexão e de comunicação com o Sol de Sírius.

Em seguida, e de maneira muito mais recente, estabeleceu-se certo número de conexões com os sistemas solares e os sóis muito afastados, permitindo emitir, em meio a esse sistema solar, as partículas adamantinas ou irradiação do Ultravioleta, ou, ainda, partículas da Fonte ou do Espírito Santo, que são apenas especificidades, em definitivo, das referidas partículas adamantinas.

Elas então se derramam por ondas sucessivas e pela densidade cada vez mais importante e pela irradiação cada vez mais presente.

Eu recordo que Maria anunciou que a Onda Galáctica tocou os confins desse sistema solar em 7 de setembro de seu ano, dando-lhes acesso, sempre, a um número de partículas adamantinas cada vez maior, estabelecendo-se em suas estruturas.

Então, qual é o papel das partículas adamantinas?
Obviamente, nesse mundo falsificado, vocês chamam de Luz, «fótons», caracterizada por uma onda, por um corpúsculo e por certo número de características.

A luz, que vocês chamam luz, não é a Luz.
As partículas de Luz, nos Mundos Unificados, têm características de localização, de deslocamento e de forma que nada têm a ver com o que vocês chamam de fótons.

O fóton é a extrema rarefação da Luz, o que resta, devido à compressão da matéria, da cristalização em ressonância com as forças de atração e de repulsão que foram iniciadas pelo reino dos Arcontes.
Isso lhes dá a Ilusão da Luz.

A Luz, do mesmo modo como vocês veem de olhos fechados, não é a Luz.

A Luz é, antes de tudo, assim como nós o dissemos, Vibração, Unidade, Existência e Verdade.

As partículas adamantinas vão se agregar, literalmente, em suas estruturas densas falsificadas.

A primeira coisa a agregar as partículas adamantinas é o que é chamado de canal mediano da coluna vertebral ou Sushumna, transformando então esse canal em um canal de Cristal e de Luz, chamado de canal do Éter, ligado a ER, permitindo vibrar em outra frequência mesmo em suas estruturas.

Atualmente, as partículas adamantinas penetram sempre mais profundamente mesmo em suas estruturas.
Há derramamentos.
Esses derramamentos foram iniciados pelo Arcanjo Miguel em pessoa, quando ele atravessou o Sol e estabeleceu seu reino no Sol, permitindo e abrindo a porta para a Reunificação da Tri-Unidade, o que foi chamado de nova Eucaristia ou de novo Evangelho.

As partículas adamantinas desempenham, portanto, um papel de liberação, de desincrustação e de abertura (se tal é seu desejo de agregá-las em vocês) do que é chamado de matriz.

As partículas adamantinas são arranjadas por 24, criando uma Unidade de Consciência unificada.
Esta Unidade de Consciência unificada tem a capacidade de ser inteligente e de se arranjar seguindo as linhas de pensamento.

O pensamento se torna, portanto, realmente, criador, eis que a Luz segue o pensamento.

Naquele momento, essas partículas adamantinas, agrupadas por 24, vão se agrupar em múltiplos de 24, até dar o que é chamado de Agni Deva, os Agni Deva que são a constituição de um conjunto de partículas adamantinas.

Trata-se, portanto, de partículas adamantinas que têm as características de transformação na Ilusão.

Esta Luz das partículas adamantinas pode ser observada, algumas noites, a partir de 22h30, leste, correspondendo ao que vocês veem, que não é a Via Láctea, mas situado bem mais próximo de seu céu, tal como lhes deixa ver a magnetosfera.

As partículas adamantinas são partículas de transformação.
Elas correspondem, inteiramente, ao que nós chamamos de Inteligência da Luz e de ação da Luz Vibral em vocês.

Há, portanto, uma diferença fundamental entre as partículas fotônicas, que são apenas a luz rarefeita e distorcida, com relação às partículas adamantinas que são a realidade da Luz Vibral.

É graças a essas partículas – radiações do Ultravioleta, irradiação da Fonte e efusão do Espírito Santo – que se realiza a transmutação, se vocês aceitam, contudo, a liberação.

Questão: qual é a razão da separação entre Arcanjos e Arcontes?

Bem Amado, há tempos muito antigos, bem após a criação desse mundo, em 326.000 antes de Cristo, os Seres vindos de outros lugares (quer dizer, que não estavam implicados nesta criação de beleza, que era a criação dos Delfinóides de Sírius, essencialmente), chegaram nesse mundo para experimentar o que é chamado de separação.

Na ‘cabeça’ [liderança] se encontrava aquele que foi chamado de Yaldabaoth, que é quem arrastou com ele certo número de Arcanjos.

Na ‘cabeça’, havia Lúcifer que, depois, foi transformado, obviamente, e redimido.

O Lúcifer que vocês falam não é o mesmo Lúcifer que existiu em outros momentos.
Houve, aí também, confusão.

Mas, na partida, certo número de Arcanjos participaram desse princípio de separação.
O objetivo da separação era fazê-los crer (e, aliás, aqueles que a realizaram acreditavam, eles mesmos) que, comprimindo a matéria, que comprimindo a beleza existente nos mundos criados pela Vibração de Maria e de suas Irmãs, era possível fazer crescer a Luz.
O que, obviamente, era falso.

A Luz não tem necessidade de crescer, porque ela É, de toda Eternidade.

Progressivamente e à medida dos ciclos, houve uma separação cada vez maior, pela manutenção dessas forças gravitacionais, a manutenção das leis de atração e repulsão (ou lei de carma) que é a única a ter sido autorizada nesse mundo e a única manifestada.

Progressivamente e à medida dos ciclos que se desenrolaram durante esses 324 últimos mil anos, a separação foi cada vez mais profunda.

Alguns seres, alguns criadores, entretanto, mantiveram sua Presença.
Eles foram chamados de Elohim.
A maior parte vinha de Sírius, mas houve outras, também, ondas de Elohim que permitiram não apagar a lembrança desta Luz para que, no momento vindo, esta se restabelecesse.
Portanto, eles sacrificaram, de algum modo, sua Essência e sua Divindade, para acompanhar suas próprias criações até o retorno da Luz.
De fato, um criador é responsável pelo que criou, e isso é lógico.

Do mesmo modo que, mesmo nesta falsificação, os filhos que vocês geram, mesmo se não são seus filhos, em Verdade e segundo o Espírito, eles lhes são dependentes o tempo de seu crescimento.

Nos Mundos Unificados, um criador, vindo de algumas esferas e de algumas Dimensões, é habilitado a desenvolver a vida por todos os meios que lhe pareçam bons, na condição de que não haja ruptura com a Fonte.
E, aliás, não poderia existir criação se houvesse uma ruptura real e definitiva com a Fonte.

Entretanto, esta matriz reconstituiu-se.
Os Arcontes continuaram o jogo da falsificação, da Ilusão, até hoje.

Desde agora 2 anos, desde 15 de agosto de 2009 e, sobretudo, 15 de agosto de 2010, a matriz não se reconstituirá, porque as leis da Unidade se restabelecem, agora, inteiramente.

Alguns dos Arcontes que participaram, com aqueles que vinham da Ursa Maior (chamados de Dracos) foram redimidos depois, obviamente.
Eles se aperceberam, como alguns Arcontes e alguns Arcanjos, de seu erro e então se juntaram aos Mundos Unificados.

Do mesmo modo, aqueles que, desde um século, estavam fechados dentro da Ilusão matricial, fazendo-os crer que vocês sairiam da matriz pela vontade, estão, hoje, em curso de redenção e em curso de Reunificação com eles mesmos, com a Lei dos Filhos do Um.

Assim, portanto, não existe mais oposição formal, nem oposição constituída, ao retorno à Unidade, em Gaia.
Somente alguns humanos desempenham ainda esse papel.

Mas nós esperamos que, com a potência de seu trabalho de Unificação, com a Unificação de sua própria Unidade, com todas as outras Unidades presentes e despertadas nesse mundo, nós poderemos, muito em breve, juntar aqueles que ainda não aceitaram a Unidade.

Isso é uma questão, em seu mundo temporal, talvez de dias, talvez de semanas, talvez de meses.
Mas nós temos ainda tempo de restabelecer, inteiramente, a Unidade, sem ranger de dentes e sem sofrimento.
Isso depende de vocês, e não mais de nós.
E somente de vocês e de Gaia, é claro.

Questão: nesta nova realidade, que vai se tornar Shamballa?

Bem Amado, é tempo, agora, de lhe desvendar a Verdade, mesmo se ela possa feri-lo e chocá-lo.

Os Mestres de Shamballa, ou Mestres ascensionados, são Seres que realizaram uma etapa do Samadhi e do Despertar, em Verdade, e que, a um dado momento, creram terem chegado à liberação.

Eles então se fecharam numa criação que lhes é própria e que eles chamaram Shamballa (não confundir com a Agartha, que estritamente nada tem a ver).

Esses Seres então recriaram, dentro do que é chamada a 7ª sub-densidade do plano astral, um mundo real chamado Shamballa, chamado também governo de Luz do planeta.
O que não é, obviamente, dado que esses Seres jamais tocaram a Existência e jamais foram liberados da matriz.
A liberação da matriz nada tem a ver com a liberação nos mundos astrais.

Assim, vocês devem aceitar e viver alguns conceitos como não sendo aqueles que lhes foram afirmados e clamados ou declamados, mesmo dentro de alguns ensinamentos correspondentes ao que foi chamado de vontade de bem.

A vontade de bem não os fará jamais descobrir o Coração.
Ela os faria descobrir a Verdade Luciferiana.
Ela os faz descobrir o que foi chamado de Ilusão Luciferiana.

A Verdade não é a Ilusão.
A Verdade é Unidade.

Ela está além desse mundo e jamais o mundo da dualidade falsificada pode tocar a Verdade.
Esse foi o caso do tempo da criação dos Delfinóides de Sírius e de alguns outros Seres, antes da falsificação.

O mundo de carbono tem ainda belos dias diante de si, mas bem longe das falsificações que existiram nesse mundo.

Como o sabem, existem Seres estabelecidos nesta 3ª Dimensão unificada e que não estão fixos dentro do Espírito e desta forma.
Assim é, por exemplo, de algumas linhagens Arcturianas.
Assim é, obviamente, do que foi chamado de Anjos do Senhor, que são Vegalianos de 3D unificada (não confundir, é claro, com o que foi chamado, em seu mundo, os “short greys” ou pequenos cinzentos, que estritamente nada têm a ver, obviamente).

Agora, o que é chamado de Mestres Ascensionados, sediados em Shamballa, são Seres que atingiram uma forma de Despertar que não é a liberação.

Isso pode, por vezes, ser duro de ouvir.

Cabe-lhes verificá-lo por vocês mesmos e não por um boato, e não pela visão luciferiana, mas diretamente pela visão do Coração.
Não há Verdade, retenham bem, além da sua.

Enquanto vocês dependerem de uma autoridade exterior, seja ela Shamballa, seja ela Maria, seja ela Cristo, seja ela Miguel, vocês não estão em seu Caminho.

O que nós viemos lhes trazer é a autonomia e a Liberdade.

Vocês não podem ser Livres enquanto aderem a algo outro além de vocês mesmos.

A autonomia, a Liberdade, é uma responsabilidade.
Ela passa, necessariamente, pela destruição das Ilusões que lhes permitiram se nutrirem, até o presente, nesse mundo.

Cabe a vocês saberem o que querem ser e o que querem ser não é absolutamente dependente de suas crenças, quaisquer que sejam.

Crer na Fonte não os restabelece na Fonte.
Crer na Unidade não os restabelece na Unidade.
Crer na Ilusão não permite sair da Ilusão.

A única coisa que deve se viver é Ser.
E Ser é Vibração da Consciência atualizada, no Coração, conferindo o retorno à Unidade, em Verdade, e não em pensamento.
O que não é, reconheçam, a mesma coisa.

Assim, portanto, em meus propósitos, não é questão de dizer: isso não é a Luz, isso é a Luz.
Porque, em definitivo, vocês são todos Luz e que tudo o que existiu na Ilusão, finalmente e em definitivo, lhes terá permitido, se tal é seu desejo e sua Vibração, reencontrar sua Essência e sua Unidade.

Não há, portanto, que depreciar.
Não há, portanto, assim como foi dito, que julgar, nem levar julgamento.
Há que se estabelecer a si mesmo.

Busque o Reino dos Céus que está em você porque, quando você se estabelece em você mesmo e em sua Essência, naquele momento, tudo o que é Ilusão desaparece por si.

Não há mais necessidade, naquele momento, de denunciar.
Não há mais necessidade, naquele momento, de expressar qualquer desacordo porque, quando você está na Vibração de sua Unidade, tudo está bem e tudo está perfeito.

O que vocês realizaram, uns e outros, aqui presentes como em outros lugares ao redor desse mundo, através as efusões Micaélicas e que se concretizou e definitivamente se encerrou em 29 de setembro deste ano, foi reativar as redes cristalinas Unitárias, a fim de restituir esse mundo à sua Unidade e permitir a Gaia viver sua translação dimensional.
O resto, todo o resto, não tem mais qualquer importância.

Sejam felizes.
Sejam verdadeiros.
Sejam íntegros.
Estejam em sua ética.
Estejam em sua Verdade, porque não há Verdade além da sua.
Não há Unidade além da sua.
Todo o resto é apenas um olhar dual e exterior.

Você não tem que seguir ninguém.
Você não tem que seguir qualquer Mestre.
Você tem que seguir apenas a você mesmo, a fim de se encontrar a si mesmo.
Enquanto você não tiver aceitado isso, você projetará sua realização num Mestre exterior ou num conselho exterior.
Não creia no que nós dizemos.
Viva-o.

Questão: a era de Aquário ainda é uma realidade?

Bem Amado, as eras são uma realidade, dado que vocês estão inscritos num ciclo.

A passagem da era na qual vocês estão, para a nova era, corresponde ao verter de água.
Esse verter de água é o símbolo da Água benta, a Água do Alto ou Água do batismo, substituindo a matriz da Terra pela matriz da Água e permitindo reencontrar o Fogo.

Obviamente que isso tem um sentido porque, nas outras dimensões Unificadas, vocês percorrem, lá também, ciclos, mas de maneira totalmente diferente do que existe na matriz.

Os ciclos são uma realidade, inscrita no sentido biofísico e astrofísico que vocês vivem.

A era de Aquário corresponde ao derramamento da Água benta ou da Água do Alto, nesta dimensão, vindo através do que foi explicado pela Divina Maria: restabelecer o verdadeiro Triângulo matricial ligado à Água e não mais à Terra.

Questão: eu recebo mensagens em canalização. Quais conselhos você me daria?

Bem Amada, o processo de canalização, assim nomeado em seu mundo, pode tomar diferentes formas.

O que é importante a compreender e viver é que esse contato transdimensional deve se situar dentro da Verdade do que você vive em suas estruturas.

Assim, portanto, da qualidade do que é chamado seu canal, da qualidade do que é chamada sua própria Vibração existente nos chacras superiores e, sobretudo, no chacra do Coração, dependerá a Verdade do que é transmitido.

Sabendo que a canalização, no sentido em que vocês a denominam, é um processo que, em todos os tempos, existiu.

Assim, quando você telefona, você não disca um número ao acaso, e assim mesmo lhe é possível reconhecer a pessoa que está do outro lado do telefone, do mesmo modo, qual é a melhor prova de que o que você recebe é uma comunicação procedente da Luz e não do ego ou ainda de algo que seria da ordem da própria esfera matricial?
A diferença é essencial.

A partir do momento em que você penetra na Verdade que é sua Verdade, ainda uma vez, naquele momento, o que é canalizado, além das palavras trocadas, é, antes de tudo, Vibração, e esta Vibração deve ser perceptível, tanto por quem recebe as palavras enunciadas, como por quem transmite o que é enunciado.

Assim, uma canalização vinda das esferas da Luz Unitária Vibral vai se traduzir por uma ativação de certo número de sinais bem presentes.
Esses sinais são perfeitamente conhecidos.
Eles correspondem à ativação do Nada (ou canto da alma) percebido indistintamente em um ou outro ouvido.

Há ativação do chacra da Coroa, mas isso não basta, porque certo número de manifestações, procedentes dos mundos não Unitários, podem também manifestar-se pela Coroa da cabeça.

Convém, portanto, perceber e sentir esta Coroa existente na cabeça e ao nível do Coração, que é a única prova de que o que você recebe vem dos mundos Unitários.
Convém também compreender que, o que quer que você receba (seja de seu ego, seja da luz sombria ou seja da Luz clara), de todo modo, tudo tem uma razão, mesmo nesta Ilusão.

Assim, portanto, não existe Verdade absoluta, mas uma verdade relativa estabelecendo-a no que você recebe.

O importante é se lembrar da frase: «julgar-se-á a árvore por seus frutos».
E quem julgará se não é você mesma com relação a você mesma?

Se você está estabelecida em seus 4 Pilares: Ética, Integridade, Aqui e Agora, se você está no sacrifício de si mesma e se não há saída da humildade e da simplicidade, então, o que quer que você transmita será Unitário.

Assim, portanto, é preciso mudar de ponto de vista, não considerar, simplesmente quem está em relação com você, mas o que você é, você mesma, porque, em definitivo, se seu Coração é puro e simples, naquele momento, nada de desagradável pode chegar.

O perigo seria querer, a todo custo, o que dependeria da vontade e não do acolhimento à Luz Vibral.
Isso foi dito pela própria Maria, há muito poucos dias, que vocês entram numa era em que a comunicação, devido mesmo à era do Derramamento de Água, vai lhes dar acesso a suas próprias memórias, vai fazer aparecer (e isso está em curso atualmente, pela dissociação da matriz astral) uma comunicação direta com as esferas Angélicas, Arcangélicas e com o que vocês têm tendência a chamar de Mestres.

Mas, em definitivo, se vocês estão vocês mesmos Unificados em seu Coração e em sua Verdade, naquele momento, vocês podem estar, não mais num processo de canalização, vocês podem estar num processo de identificação, mas vocês se tornam, você mesmo, o Todo, que conectou e contatou a Vibração do Todo, traduzindo-se pelo alinhamento das 3 Lareiras: despertar do Kundalini, descida da Shakti e despertar do Fogo do Coração.

Naquele momento, você se torna o Todo e o impessoal e, naquele momento, quaisquer que sejam as palavras e qualquer que seja a comunicação, é a Vibração Unitária da Luz Unitária que se estabelece.

Tudo é questão de Vibração.
Preste atenção para não serem seduzidos pelas palavras, quaisquer que sejam, mas, bem mais, pela Verdade da Vibração, porque a Vibração não os enganará jamais: ela abre o Coração ou ela os afasta do Coração?
O seu, como daqueles que recebem ou daquele que recebe?

Questão: por que ter acesso às vidas anteriores, se nos pedem para esquecê-las? 

Bem amado, o acesso à memória, chamada akáshica, é uma etapa no caminho.
Alguns seres vivem o acesso total a suas memórias de vidas passadas, outros, absolutamente não.

O que era válido há muito tempo (descrito, aliás, nos processos iniciáticos), correspondendo à Transfiguração e, enfim, à Crucificação.
A crucificação apenas pode ser vivida quando o corpo causal está inteiramente queimado e destruído.
Quer dizer, justamente quando esta memória akáshica, dita akáshica, existente mesmo na matriz, está dissolvida inteiramente.

O que permite reencontrar o estado Unificado, Unitário, no impessoal.
Não há obrigação.
Há simplesmente uma passagem, por vezes obrigatória, por vezes não, que pode se reduzir a algumas visões fugazes como a um conhecimento absoluto e total do conjunto das encarnações.

Isso aparece a partir do momento em que não há identificação a esse passado, ainda uma vez, seja ele o mais prestigioso.

Enquanto vocês estão identificados a um eixo linear de tempo, mesmo se vocês têm o conhecimento do conjunto dos mistérios do universo, lembrem-se do que dizia mesmo São Paulo, em meio à falsificação, vocês nada ganham, falassem-lhes, mesmo, a língua dos Anjos.

Sempre o mesmo princípio de finalidade que é o Coração, e unicamente o Coração.

O conhecimento das vidas passadas pertence à matriz.
Ele não é Verdade, eis que as reencarnações são uma Ilusão criada mesmo na matriz.

Vocês não são feitos para viver e morrer, contrariamente ao que lhes foi ensinado e ao que vocês aderiram.

Vocês são feitos para viver eternamente, na Consciência de vocês mesmos, na Luz.

Assim, portanto, a um dado momento, penetrando as esferas do Fogo do Coração, as memórias cármicas, as memórias akáshicas são pulverizadas e destruídas, porque elas não têm mais qualquer sentido.

É isso que corresponde a se estabelecer na Liberdade, e não em suas lembranças.

Se você está centrado no Aqui e Agora, a Verdade se estabelece em você, a Alegria se estabelece em você e você é identificado apenas nisso: o impessoal, a Alegria, o Samadhi.
A única Verdade está nesse nível.

Enquanto você se projeta ao exterior, seja através de um desejo (e isso foi perfeitamente desenvolvido pelas tradições ditas orientais), enquanto você se projeta com relação a uma existência passada, você não é mais você mesmo, porque não está mais no Aqui e Agora.

Apenas colocando-se ao centro da Cruz de Redenção, entre o Alfa e o Ômega, o Aqui e o Agora, que você pode encontrar o Coração de sua Eternidade.

Enquanto o mental está ativo, num mundo exotérico como num mundo esotérico, a Verdade não pode atuar em você.

Questão: por que, nesta Ilusão, há cada vez mais sofrimento?

Bem amado, quem cria o sofrimento?
O que é o sofrimento, senão uma resistência à Luz?

A doença, mesmo, é uma crença.
Em um ponto de vista relativo, vocês se dizem que a doença resulta de certo número de desequilíbrios na alimentação, nos pensamentos, nas emoções, ou ainda de fatores que vocês chamariam, justamente, de cármicos.

É importante compreender que isso é um nível de verdade relativa.

O sofrimento existe apenas porque não há reconhecimento da Unidade.
Estabelecer-se na Unidade, em Verdade, a partir do momento em que você desperta sua Coroa Radiante do Coração, a partir do momento em que você está alinhado em suas 3 Lareiras, obviamente, qualquer que seja a infração existente, esta se torna inaparente à sua Consciência e, ou mesmo, desaparece inteiramente.
Esse é o princípio mesmo da Graça e das curas espontâneas existente nesses momentos de Unidade.

O sofrimento é apenas o resultado, ao nível coletivo e humano, da resistência à Luz e da oposição à Luz, ligadas ao medo do desconhecido e ao medo, simplesmente, da mudança, porque isso está inscrito, de maneira genética, em seu cérebro, foi ali implantado pelas forças que falsificaram esse mundo.

O sofrimento é também, em alguns casos, o que permite à Luz, pela compressão extrema, descristalizar e se elevar para as esferas da Unidade, da Leveza e da Alegria.

Não pode haver sofrimento na Unidade.
A Unidade é revelação da Alegria e vivência do Fogo Interior e do Fogo do Coração.
Isso se traduz de maneira irremediável pelo desaparecimento total das Ilusões, em vocês como no exterior de vocês, no que se constitui seu ambiente imediato.

Recordem-se do que nós sempre dissemos: «o que a lagarta chama de morte, a borboleta chama de nascimento».
O problema é saber que a lagarta sofre quando abandona o estado de lagarta.

Então, você quer ter sua Consciência no estado de borboleta ou da lagarta?
Uma vez que não há tempo, a borboleta já é.

Esse processo, que lhes aparece como dinâmico e linear está, de inscrito ao mesmo tempo, eis que o tempo é Ilusão.

É uma translação dimensional que é uma translação de Consciência.
Vocês podem perfeitamente se tornar borboleta passando de uma à outra, instantaneamente.
Apenas a crença em um processo dinâmico, temporal e doloroso faz existir esta dor.

Quando vocês estão estabelecidos no Samadhi, tudo desaparece, exceto o Samadhi.

Quando vocês se estabelecem em sua Presença e em sua Vibração Unitária, vocês redescobrem o que vocês são, em Verdade.

Vocês estão, contudo, presentes nesta Ilusão, porque é seu papel estar ainda presentes, se vocês ainda estão aí e, portanto, nesta Presença a vocês mesmos, não há mais espaço, nem tempo, para o sofrimento.

O sofrimento é apenas uma projeção em certo número de sombras que lhes pertenciam e não há que se culpar.

Para tanto, aqueles que sofrem, sofrem verdadeiramente, mas eles sofrem porque estão identificados a isso.

Assim, portanto, viver no Samadhi é o antídoto absoluto para a resistência e para o sofrimento.
Este antídoto não se colocando numa oposição, ainda uma vez, mas numa transmutação de um estado cristalizado para um estado descristalizado, fazendo-os passar da densidade e do peso para a leveza.

Questão: como isso acontecia para aqueles que faziam curas miraculosas? 

Bem amado, isso era um outro tempo, outra Verdade.
O que vocês descobrem hoje jamais existiu na humanidade desde mais de 50.000 anos.
Não pode haver referencial num passado, por mais prestigioso que seja, não pode haver referencial num caminho, fosse aquele do Cristo.
As circunstâncias Vibratórias e de Consciência estritamente mais nada têm a ver.

Você deve também se descristalizar a si mesmo do que foi esse passado.
Você deve se descristalizar a si mesmo de qualquer guia exterior a você mesmo e você deve entrar na Existência, ou seja, retornar a você mesmo.

Tudo isso são apenas projeções de você mesmo com relação a um salvador exterior e na fé que lhe foi inculcada ou que você colocou, por sua experiência e as tomadas de encarnações extensivas, sobre um salvador exterior.

Ninguém, absolutamente ninguém, hoje, e eu digo sim, hoje, virá salvá-lo.
Apenas você mesmo que pode se salvar, e ninguém mais.

O que não era, seguramente, o caso antes que a matriz estivesse em fase de dissolução.
Felizmente, alguns Seres, naquela época e em outras épocas, de algum modo canalizaram o Cristo, para outros.

Hoje vocês não estão mais nesses esquemas.
Vocês não estão mais nessas projeções de identificação a um passado.
É-lhes solicitado que se liberem, inteiramente, também disso.

Vocês não podem tocar o Si aderindo a isso.
Vocês podem se aproximar.
Vocês podem ter a emoção de se aproximar, o que dá momentos de exaltação, esses momentos de arrepio quando vocês se aproximam de algo, mas isso não será jamais uma vivência.
Isso permanecerá uma experiência efêmera, ocorrida em circunstâncias especiais.

O Cristo bem disse: «quando vocês forem 2 ou 3 reunidos em meu nome, eu estarei entre vocês», mas vocês devem se tornar e não viver, por momentos, este estado Crístico que lhes foi anunciado e detalhado.

Os tempos não são os mesmos.
Vocês estão saindo do tempo e esta saída do tempo não pode se fazer, em nenhum caso, aderindo a um tempo, qualquer que seja, fosse o mais prestigioso.

Agora, ainda uma vez, vocês são completamente livres para aderir a suas próprias crenças.

Lembrem-se de que a Verdade é Alegria.

Quando vocês tocam a Verdade, vocês vivem a Alegria e nada pode vir alterar esta Alegria, quaisquer que sejam as circunstâncias de sua vida que, aliás, estabelecer-se-á segundo as leis de Graça e da Liberdade, onde todo obstáculo dissolver-se-á, onde toda patologia dissolver-se-á por si.

Toda anomalia dualitária não existirá simplesmente mais.
Isso não é uma Ilusão, mas é a Verdade do que vive um número cada vez mais importante de Seres humanos.

Há, neste continente e, sobretudo, em outros continentes, Seres que não têm mais necessidade de comer, e eles são, no entanto, como vocês e como eu.

Quando eu digo «vocês e eu», eu falo: constituídos de Luz.
Quando vocês se conectam à sua constituição de Luz, tudo o que não é de Luz não tem mais razão de ser em sua vida.

Assim, portanto, os alimentos, mesmo, desaparecem.

Essa é uma Verdade que vive um número cada vez mais importante de Seres.
São eles, por isso, loucos?
Estão eles, por isso, doentes?
Não, eles descobriram os domínios da Existência.
Ainda uma vez, nós não estamos de forma alguma nos mesmos referenciais.

Não temos mais perguntas. Agradecemos.

___________________________
Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário