Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

22 de out de 2010

UM AMIGO – 22 de outubro de 2010

Mensagem publicada em 26-10-10, pelo site AUTRES DIMENSIONS.



Eu sou Um Amigo.
De meu Coração a seu Coração, gratidão à sua Presença.

Caros Irmãos e caras Irmãs desta humanidade, eu sou aquele que lhes deu o ensinamento desse novo conjunto de yoga.
Este conjunto é aquele que lhes permite, colocando em ressonância, no Interior mesmo de sua estrutura Ilusória, pelos gestos, pelas posições e pelas palavras, a capacidade de Vibrar além da Ilusão e da separação.

Eu sou, como alguns de vocês já sabem, um dos Anciões Melquisedeques.
Nós tentamos, todos juntos, emitir-lhes, para além de qualquer dogma religioso ou cultural, um conjunto de meios tornando-os aptos a Vibrar no Coração, a se aproximarem de sua Verdade, para além desta Ilusão.

Nós nos regozijamos com vocês porque, assim como lhes foi anunciado desde agora três semanas, há a capacidade nova para a humanidade, em sua totalidade, para irem ao nível do Si.

Eu insisti, há alguns dias, e eu desenvolvi longamente as diferenças que podem se manifestar entre o ego e o Si.

O Si, que é uma passagem obrigatória, de algum modo.
A realização do Si é, de fato, a Vibração que lhes permite aceder e que lhes permitirá aceder, no momento vindo, ao seu Veículo Eterno, seu veículo de Eternidade, aquele a que nós denominamos Existência.

A realização da Cruz e dos 4 Pilares (chamados, Atenção, Intenção, Ética e Integridade) é um quadro em meio ao qual vocês podem se aproximar de seu próprio Coração, de sua própria Essência e de sua própria Verdade.

Eu insisti, também longamente, sobre a ressonância e a relação existente entre a Consciência e a Vibração, onde a Consciência é a percepção de certo número de modificações existentes em suas estruturas físicas.

Hoje, um número cada vez maior de seres humanos ativou a Coroa Radiante da cabeça, o Triângulo do Coração, e esta última fase vê, atualmente, o despertar do Triângulo Sagrado e do sacrum, conduzindo ao seu retorno à Unidade, possível de um instante para o outro, em sua trama temporal.

O mais importante, contudo, é se aproximar e Vibrar em sua Presença, em sua Unidade, quer dizer, no Interior de sua Coroa radiante do Coração e do Triângulo da nova Tri-Unidade, revelando e desvendando em vocês a Vibração final, conduzindo-os a experimentar o Si.

Isso passa, obviamente, pela abertura de uma Porta específica, correspondendo à ativação, à passagem desta Porta Estreita.

Jamais as emoções, jamais o mental poderá facilitar-lhes a passagem desta Porta (ndr: passagem do 8º ao 9º corpo).

É, justamente, apenas na parada da atividade mental e emocional que pode se produzir a abertura e o renascimento à Verdade.

Jamais uma emoção, qualquer que seja, jamais uma atividade mental, permitir-lhes-á tocar este estado de Graça, de felicidade e de plenitude.

Não é questão de denunciar, de denegrir ou de prejudicar quem quer que seja, mas, simplesmente, de tomar Consciência de que a Verdade não estará jamais no conhecimento, qualquer que seja, nem na aplicação de qualquer esoterismo ou de qualquer conhecimento dito Interior.

A Verdade pode apenas ser tocada pela Vibração e pela própria Consciência, proporcionando, de maneira instantânea, a felicidade suprema.

A realização do Si não se importa de conhecer os diferentes meios que lhes foram dados em sua estrada, nesta Ilusão denominada matriz e que nós, orientais, a chamamos, desde já muito tempo, Maya.

Vocês não podem sair da Ilusão estudando a Ilusão.
Bem ao contrário, apenas soltando, abandonando-se a si mesmo à Inteligência e à potência da Luz que vocês poderão, no espaço de um instante, voltar sua consciência do ego ao Si.

De fato, a passagem da Porta Estreita é também, a seu modo, uma forma de reversão, um cruzamento, de algum modo.

Em um determinado momento, vocês estão numa consciência limitada, falsificada, onde predomina o medo, onde predomina a tristeza, onde predomina a atividade do mental e das emoções, confinando-os sempre mais nos esquemas condicionados, criados para vocês e condicionadores, fechando-os cada vez mais na Ilusão, na Ilusão também que, um dia, mais tarde, tudo irá melhorar.
Isso não pode ser verdadeiro.

Não pode haver Verdade, não pode haver Alegria no jogo das emoções, no jogo do ego e no jogo do mental.
Justamente apenas cessando todas essas atividades que pode se abrir a Porta do Si, conduzindo-os a viver a Alegria, o Samadhi, o estado de felicidade absoluta relativa a esta descoberta e ao estabelecimento da Consciência nesta Verdade.
É a isso que vocês são chamados, agora.

Obviamente, seu mental, suas emoções, suas estruturas de vida, suas próprias funções nesta vida Ilusória e matricial, vão tudo fazer para afastá-los do que vocês são.
Sejam os parentes que não vivem, evidentemente, a mesma coisa que vocês, sejam suas atividades, aquelas que os «alimentam».

Os jogos de papel e os jogos da sociedade, suas interações sociais são os elementos os mais bloqueadores e os que mais restringem seu acesso a esta Existência e, antes de tudo, ao Si.

Então, o que quer dizer isso?
Isso quer dizer que precisaria fazer desaparecer, de maneira exterior, tudo o que é seu ambiente?
Não, de forma alguma.

Trata-se, simplesmente, de deixar se estabelecer em vocês a Graça.
Não renunciar a viver, mas renunciar a expressar ou manifestar um poder no conjunto de sua vida, quaisquer que sejam os setores, a fim de reencontrar seu poder sobre você mesmo, sua própria mestria.

Isso não é, tampouco, controle.
Querer controlar, querer o bem, querer o mal, querer que tudo vá bem não é a Verdade da Graça.

O Si está bem além de tudo isso.
O Si é a realização de uma Vibração consciente, conduzindo-os a experimentar o Fogo do Éter e o Fogo do Coração, traduzindo-se pelas manifestações diversas e variadas referentes, essencialmente, à região de seu peito.

Alguns seres, atualmente, tocaram esses estados Vibratórios.
Tocar um estado Vibratório é uma experiência.
Viver a experiência não basta para se estabelecer na permanência deste estado.
Isso apenas pode ser mantido por uma Atenção, uma Intenção e, sobretudo, uma Ética e uma Integridade de cada instante, de cada sopro, visando, como eu o fiz quando de minha última vida, a velar, a cada sopro, a não perder esse sopro e esta Verdade.

Esta vigilância não é uma atenção do mental, mas uma Atenção direta da Consciência pura, da Consciência desprovida de qualquer objeto pertencente a esse mundo.

O que não quer dizer, ainda uma vez, que precisaria se retirar desse mundo, mas, bem ao contrário, ali estabelecer toda a Presença do Si, em meio mesmo deste ambiente.

É o único modo, para vocês, de deixar se emanar a Luz de vocês, a fim de se tornarem, como lhes disse o Arcanjo Miguel, os Ancoradores da Luz e os Semeadores da Luz.

Realizando o Si, isso se estabelece a cada minuto de sua vida, pela Vibração do Coração.

Apenas nesta Vibração e nesta Consciência de Alegria que pode se abrir, em vocês, o conjunto de seus potenciais espirituais novos e a promessa, sobretudo, de seu acesso ao seu corpo de Eternidade.

Cada um de vocês tem um destino e um caminho diferente.
Cada um de vocês tem uma origem diferente e um destino diferente.

Não creiam que todo o mundo deva ir ao mesmo lugar, porque não são vocês que decidem, é sua própria Consciência.
Do lugar onde se situa sua Consciência, de seu aspecto limitado ou ilimitado, decorrerá seu acesso ao Ilimitado ou sua manutenção no limitado.
Não pode ser de outro modo.

A lei de atração e de ressonância atuará plenamente.
Como o sabem, os tempos são descontados.
Resta-lhes extremamente pouco tempo para realizar o que vocês são.
Vocês não poderão realizar o que vocês são atrasando-se no que bloqueia, no que incomoda.
Vocês não poderão realizar o que vocês são apegando-se, vocês mesmos, aos seus conflitos, aos seus papéis, às suas Ilusões.

Apenas estabelecendo-se em sua Verdade final que vocês serão úteis ao serviço da Terra, na humildade e na simplicidade.

Assim, se nós insistimos longamente sobre a humildade e a simplicidade, é que não basta viver a experiência do Coração, desta Consciência Ilimitada.
É preciso, também, que esta experiência se torne um estado permanente, senão, há riscos, é claro, para todo ser humano, de se deixar arrastar pelos pólos cefálicos ou os pólos sexuais que são os dois pólos da Ilusão que virão se alimentar, enquanto vocês não estão estabelecidos em seu Coração, enquanto vocês não estão, de maneira definitiva, estabilizados na Vibração da Alegria.
É a época que é assim.

Como o sabem, a Luz vem a vocês e ela vem bater à sua porta.
Ela não pode abrir sua porta.
A porta do Coração, apenas você que pode destrancá-la do Interior e somente do Interior.
A tradução desta abertura, evidentemente, a manifestação da Vibração, quaisquer que sejam os aspectos e, sobretudo, o estabelecimento de sua Consciência na Alegria Interior onde, brutalmente, vocês tomam Consciência de tudo o que não é o real.
Vocês tomam Consciência de que sua existência, na totalidade, não é a Verdade e, no entanto, vocês aí estão.
Mas a diferença é capital, porque ela lhes permite colocar um olhar novo sobre o que vocês são, em Verdade, vem além dos papéis que vocês têm, bem além das funções que vocês ocupam.

É a isso que vocês são chamados e que vocês serão chamados cada vez mais frequentemente.

É claro, é lógico que os seres humanos que não seguiram até o presente um «caminho de despertar» (se é que se possa falar de caminho de despertar para esta Dimensão do Coração) estejam mais aptos a manter a própria Vibração na Consciência Unificada.

Muitos seres vão se encontrar atirados entre dois pólos.
Entre uma verdade ilusória que os arrasta na densidade, o peso, e uma Verdade eterna, que os arrasta para a leveza, para a Alegria Interior e para a felicidade.

É claro, o peso das crenças da Terra é tão grande que ele pode alcançá-los em alguns momentos e levá-los a reagir, a sair de seu estado de Unidade e a novamente se estabelecerem na Dualidade, na ação/reação e no mental.

Esse jogo de vai-e-vem é mais ou menos pronunciado para cada um de vocês.
Quanto melhor vocês conseguirem estabilizar sua Vibração e sua Consciência concomitantemente, ao nível do peito, melhor será e cada vez mais fácil e cada vez mais evidente estabelecerem-se em sua Presença e em sua Unidade.

Eu não desenvolverei mais as distinções e o que separa, opõe, inteiramente, o ego e o Si, porque isso foi dito.

Mas eu gostaria de abrir um espaço de trocas entre nós, se existe em vocês questionamentos relativos a essas manifestações e a essas transformações da Consciência, que vocês vivem, todos e cada um, cada um a seu ritmo.

Se eu posso trazer um esclarecimento, eu o farei, com grande prazer de meu Coração a seu Coração.

Não existe qualquer obstáculo, ainda uma vez, de idade, de condição física ou psíquica, de carma ou do que quer que seja mais, que possa impedi-los de se estabelecerem no Si.

Há apenas as relutâncias e as resistências preexistentes em seu próprio mental, em seu próprio ego, que fará sempre tudo para impedi-los de encontrar a Verdade.

Obviamente, após, uma vez que a experiência do Coração foi vivida, podem aparecer para alguns, não suficientemente pacificados e estabilizados no Coração, as armadilhas.

Evidentemente, alguns seres ali caem alegremente, ou de modo muito mais sutil e de modo invisível, nos primeiros tempos.

Lembrem-se de que a garantia de sua autenticidade e de sua Alegria é a Vibração de seu chacra do Coração e do centro do Samadhi, denominado 9º corpo.

Enquanto vocês não tenham voltado a fechar a porta de passagem do ego ao Coração, é possível, efetivamente, voltar a descer ao ego.
Esse basculamento, esse vai-e-vem entre o plexo solar (Manipura chacra) e o plexo cardíaco (chamado de Anahata chacra) se faz de maneira espontânea.

Ele é, contudo, um momento, localizável entre todos, onde vocês se estabelecem, de maneira definitiva, no Si.
Naquele momento, a Porta Estreita volta a se fechar, porque a Porta do Coração está escancarada e ela não poderá mais voltar a se fechar: vocês passam da experiência do Si para a concretização do Si.

Nesta concretização do Si, da estabilização do Si, o ego não existe mais.

Certamente, vocês podem jogar com o ego, vocês podem jogar, mas vocês sabem que vocês jogam.
Não é a sério, vocês não estão na adesão ao ego, mas seu ego se torna, de algum modo, o veículo do Si, inteiramente.
O que é diferente, obviamente, do que manifestar o ego, e unicamente o ego.

Aí está, meus caros Irmãos e minhas caras Irmãs, meu discurso foi curto porque eu desejo verdadeiramente, se há em vocês questionamentos profundos relativos a essa passagem e a esses dois estados profundamente diferentes do ser humano, de trazer-lhes o que eu puder trazer, agora.

Questão: quais poderiam ser as armadilhas invisíveis nas quais é possível recair mesmo após o Coração aberto.

A armadilha invisível relaciona-se com particularidades de algumas personalidades ou egos.

A primeira é, obviamente, a vontade do ego espiritual que queria o poder sobre o outro, que é o primeiro dos obstáculos a vencer.

Jamais buscar o poder sobre o outro, mas, unicamente a potência em Si.

A segunda armadilha é ligada às feridas passadas, em ressonância com as falhas ou as fragilidades denominadas sexuais.

A energia do Coração vai então ser desviada em proveito do que eu chamaria de sedução sexual e da atividade sexual desenfreada.
Esta é uma realidade, transformando então o Coração em uma atração sexual, coisa, obviamente, que ele não é.

Isso pode ser invisível para o próprio ser que ali está submisso, num primeiro tempo.
Mas, muito rapidamente, a Vibração existente, que foi vivida como experiência ao nível do Coração, desaparecerá.

Questão: quando se contatou o Si, se tem consciência de que a personalidade é apenas um jogo?

É exatamente o que eu disse: a Luz não está então mais ao serviço do ego, mas é o ego que se torna ao serviço da Luz.

Questão: poderia falar novamente da Ética e da Integridade?

A Ética e a Integridade foram definidas, antes de tudo, em outros termos que são o IM e o IS, chamados também, pelo Arcanjo Anael, Hic e Nunc, ou seja, o Aqui e Agora.

Apenas pode haver realização do Si, não simplesmente da experiência do Si, mas de realização do Si, se a Consciência está inteiramente centrada e re-centrada no Aqui e Agora.
Quer dizer que se ela escapa aos seus condicionamentos ou suas crenças vindas do passado e se ela escapa a toda projeção de um objetivo outro que aquele de Ser.
Assim funciona o próprio princípio da sedução sexual, conduzindo-os a encarar o outro como uma presa e para seduzir, de um modo ou de outro.
Esta é uma projeção no futuro, fazendo-os escapar ao Aqui e Agora.

Assim como o peso de seus condicionamentos passados, o peso de suas crenças em um salvador exterior, em uma sociedade com regras e leis estabelecidas por uma moral que estritamente nada tem a ver com a Ética.

A Ética se define com relação a si mesmo e somente com relação à Verdade, capaz que se é ou não, de estabelecê-la em nós e, portanto, no Si.

A moral é definida com relação às leis e às regras fixas existentes na 3ª Dimensão e que estritamente nada têm a ver com o que existe no Si.

O Aqui e Agora, ou a Ética e a Integridade, são dois Pilares que lhes permitem estar no Agora, ou seja, no Coração.

Enquanto vocês não estão alinhados entre a Ética e a Integridade, entre o Aqui e Agora, vocês não podem viver a Dimensão do Coração.

Obviamente, alguns seres, uma vez a realização e a estabilização do Si, uma vez que o chacra do Coração e o corpo de Samadhi são constituídos, podem viajar no passado, no futuro, mas eles estão bem conscientes de que isso é apenas um jogo e, sobretudo, isso não provoca para eles qualquer desperdício de energia.

O que é diferente daquele que vai se servir das energias do Coração e da Consciência do Si para atingir fins egóicos ou pessoais, não tendo nada a ver com o sentido do Serviço, da humildade e da simplicidade.
Isso se chama o ego espiritual, onde uma sexualidade também pode aparecer no âmbito de uma espiritualidade que eu chamaria de sexual.

A armadilha está no baixo e no alto.
É bem por isso que a Consciência do Si corresponde à Vibração estabelecida inteiramente, pela Consciência, no Coração.

A ignição das outras Lareiras é, obviamente, o risco, mas, enquanto o Coração está estabilizado no Coração, enquanto vocês permanecem centrados em seus 4 Pilares, nada de desagradável pode acontecer.
Senão a tradução de um ego espiritual traduziria a negação do abandono à Luz.
Isso foi escrito perfeitamente pela história, nos Evangelhos, daquele que foi chamado Judas.

Naquele momento, não é a moral que é traída, mas sua própria Ética, sua própria Integridade e sua própria Verdade.
A diferença essencial é que, enquanto vocês não tenham vivido a experiência do Coração, mesmo sem ali estar estabelecido e estabilizado, evidentemente vocês não podem conceber o que é a Verdade do Coração, porque isso não pode ser nem concebido, nem explicado pelas palavras.
Isso apenas pode se viver.

Todas as palavras que seriam expressas no assunto desta experiência ou desta estabilização no Si seriam apenas o pálido reflexo da Verdade.

Contudo, alguns seres, efetivamente, utilizaram a qualidade Vibratória do Coração para ali colocar um destino que nada tem a ver com o Coração.

Enquanto seu Aqui e Agora está presente em sua Consciência, a Vibração do Coração pode se estabilizar e se estabelecer de maneira definitiva.

Enquanto vocês estão na reação com um acontecimento, qualquer que seja em sua vida, em seu ambiente, vocês saem de seu Coração.

Lembrem-se de que o Coração não será jamais uma reação.
O Coração não será jamais uma atividade mental.
O Coração é e permanecerá, de maneira definitiva, um estado de ser, traduzindo-se pela Alegria, pelo Ilimitado e, sobretudo, pela ausência de território e de confinamento.

E, sobretudo, ainda mais, pela incapacidade de um ser vivendo ao nível do Coração querer tomar a ascendência ou o poder sobre um outro ser humano.

Aí está o que se pode dizer da Ética e da Integridade.

Questão: como se pode acompanhar no caminho?

Caro Irmão, isso foi repetido, eu creio, quase por todos os intervenientes que foram humanos um dia: não se preocupe com as crianças.

Não é você que as acompanha, são elas que os acompanharão, no momento vindo.

A criança, antes de 14 anos, está, espontânea e naturalmente, no Aqui e Agora, mesmo se o Coração não está ainda aberto.

Ele se abrirá necessariamente, porque a criança está centrada, totalmente e inteiramente, entre o Aqui e Agora.

No momento vindo, quando da chegada da Luz da Onda Galáctica, quando da chegada das diferentes manifestações das transformações finais, as crianças, muito naturalmente, serão seus mestres, no sentido de que elas terão dominado, nelas mesmas, o que for para dominar.

Apenas a Ilusão desta Dimensão na qual você está mergulhado que o faz crer que há um papel educativo, paternal.

A noção de filiação, no sentido genético, humano, existe apenas nesta Dimensão.
Ela não existe em outros lugares.

Todos os valores que lhes foram inculcados foram devidos mesmo à falsificação.

Alguns poetas disseram: «seus filhos não são seus filhos».
Esta é a estrita Verdade.

Questão: o canto e a música podem ser úteis como ferramentas de evolução?

Caro Irmão, a partir do momento em que você descobre o Si, você concebe e vive o fato de que não existe qualquer evolução nesta matriz.
Que o próprio princípio de evolução é uma falsificação, fazendo-os crer que vocês podem evoluir.

Então, obviamente, existem, mesmo nesta falsificação, elementos chamados beleza, que seja da natureza, que seja uma curva de um corpo, que seja mesmo a música ou outros aspectos criativos ou artísticos do ser humano que podem conduzi-los à porta do Coração.
Mas isso não bastará para abrir o Coração.
O Si é totalmente independente do belo, do bem ou do bom, porque ele é estabelecido bem além desses limites, impostos por esse mundo.

Questão: a música e o canto podem ser um freio ao nosso caminho?

Não.
Tudo depende de sua capacidade para se aproximar da Vibração Unitária, qualquer que seja o apoio.
Pode ser a música, pode ser o fato de colher uma flor, pode ser também o fato de se ocupar de um filho.
Tudo o que os coloca no instante presente, os afasta das projeções, os afasta das reações, os afasta de seu mental, é, atualmente, um elemento propício para aproximá-los do que vocês são.

Questão: é o mesmo para a dança?
 
Do mesmo modo como os Hayot Ha Kodesh, ou por vezes Sri Aurobindo, podem dar movimentos, da dança ou uma atividade artística para se aproximar do Ser.

Ainda uma vez, isso apenas fará, como eu o disse, aproxima-los.
A Porta apenas pode se destrancar do Interior.

Em resumo, pode ser dito, em outros termos, que vocês não podem contar com nenhum elemento exterior ao que vocês são para realizar o Si, absolutamente nenhum.

Enquanto sua Consciência está voltada para um objetivo exterior, mesmo se esse objetivo é assimilado para encontrar o Coração ou Vibrar o Coração, enquanto vocês projetam sua Consciência para o exterior esperando encontrar algo que vá abrir seu Coração, é um erro de percepção e de Consciência.

Então, é claro, existem capacidades de ressonância e de Vibração colocando-os na Presença, como o fez o Arcanjo Uriel, como eu pude fazê-lo em outras vezes, como vocês o viverão, certamente, através de alguns intervenientes que os colocam em ressonância.

Mas, ainda uma vez, se a ressonância se estabelece, não agradeça àquele que está lá, entre vocês (seja um Arcanjo ou eu mesmo), mas agradeçam-se a vocês mesmos.

O que é importante não será jamais o emissor, mas o receptor.
É uma Ilusão crer que vocês têm necessidade de algo de exterior a vocês para abrir seu Coração.

Questão: existe hoje uma forma de sexualidade que poderia aproximar do Ser?

A partir do momento em que há Ética e Integridade, a partir do momento em que isso se desenrola num âmbito de algo que é coletivamente adequado e não projetado, não há qualquer banimento possível de qualquer sexualidade.

Tudo depende, ainda uma vez, da Intenção segundo a qual é realizado.

A intenção chamada de Luciferiana remete ao poder sobre o outro, pela cabeça, pelo espírito, pela energia, o que dá no mesmo.

A sexualidade, quanto a ela, vai remeter ao poder sobre o outro, pelo jogo da sedução.
O que não é a mesma coisa, independentemente da sedução.

Obviamente, o ser humano, nas diferentes culturas e tradições que existiram, quaisquer que sejam os povos, sempre manifestou, através da sexualidade, um jogo de sedução inicial.

A sedução, qualquer que seja, é uma caricatura da Verdade, porque ela recorre a uma antecipação da própria consciência, num objetivo projetado que não é o estado de Ser.

Questão: a abertura do Coração, apenas podendo se fazer por si mesmo, isso me remete a um sentimento de solidão.

Esse sentimento provém do ego.
Aquele que realiza o Coração e se estabelece no Coração, mesmo se ele tem necessidade de certa forma de intimidade com o Si, vai, ao contrário, ao encontro do mundo, porque ele irradia.

O confinamento é talvez também, geralmente, uma prova do ego espiritual que tem a impressão sempre que há uma separação e uma distância entre o Coração e o exterior.

A realização do Si é um estado de dissolução onde não há mais distância e barreira entre, justamente o que faz o Ser e o resto do universo.

Por que haveria então uma necessidade de se excluir do mundo, de se fechar?
Bem ao contrário.
Essa é uma visão ligada ao ego e não ao Si.
O Si é abertura.
O ego é confinamento.
O ego é território, como eu o disse.
Esse território é circunscrito.

Em meio ao Si não há mais território, eis que não há mais distância, não há mais barreiras e não há mais tempo.

Questão: é preciso abandonar os eventos ou pessoas que nos afastam do Coração?

Não.
A partir do momento em que um ser é incomodado pelo ambiente e o faz carregar o peso de seu não acesso ao Coração, é o ego que se expressa.

O Si não se importa com o ambiente, ainda que seja o mais hostil do mundo e o mais agradável do mundo, isso não mudaria nada no seu estado de Ser.

Há, portanto, apenas a crença em uma perturbação exterior que os afasta do Si.

A realização do Si não é, ao contrário, ainda uma vez, querer se excluir ou fazer desaparecer o que incomodaria qualquer abertura.
A abertura depende apenas de vocês.

Quaisquer que sejam as circunstâncias de sua vida, elas são apenas o que vocês atraíram antes de Vibrar no Coração.

Agora, vocês não podem suprimir o que os incomoda e esperar encontrar o que quer que seja, se não é o ego reforçado.

Busquem o Reino dos Céus e o resto lhes será acrescentado.

O Reino dos Céus está no Interior.
Não há que se buscar no exterior.
Não há que se realizar em outro lugar além do Coração.

Ele é totalmente independente de todas as circunstâncias exteriores, ambientais, familiares, afetivas, de sofrimentos físicos ou psicológicos, devido mesmo à Luz que está presente agora sobre a Terra, com a qual lhes é solicitado se identificarem e entrar em ressonância.

Crer que algo vai poder limitar ou impedir seu estabelecimento na Consciência do Si é uma projeção do ego.

Questão: quando se está na fase onde o Si não está completamente conectado...

Não há possibilidade de Si não contatado ou meio contatado.

O Si está contatado ou ele não está.
Ele se estabelece ou não.
Este é um outro problema.

Mas, quando ele está contatado, ele está contatado.
Ele não pode estar contatado pela metade.

É justamente tudo o que faz a diferença entre o ego que não viveu a experiência do Si e o ego que tocou o Si e a revelação do Si.

Depois, tudo depende do que vai ser feito.

Será que há estabelecimento e perpetuação da eternidade na Presença no Si ou será que há desvio desta energia para outra coisa que não é mais o Si?

Mas a escolha não pode ser um ou o outro.
O Si é irremediavelmente contatado ou então ele não é contatado.

Não é um processo gradual.

Sri Aurobindo ou Mestre Ram lhes expressou em outras ocasiões: é um switch da Consciência que é perfeitamente localizável pelo ego e pelo Si.
Não há meia medida nesse nível.
Não pode haver.

Questão: assim que se tenha vivido esse switch da Consciência, pode-se «perdê-lo»?

Sim.
Enquanto não houve estabilização e estabelecimento definitivo no Si.
A maior parte de vocês oscila de um estado para outro, vivem a experiência do Coração, em algumas experiências de meditação ou de alinhamento.
Resta-lhes, depois, fazer este abandono final à Luz, para se estabelecerem, de maneira irremediável, definitiva e eterna, na Vibração do Fogo do Coração.

Questão: existe algo que nos estabeleceria definitivamente no Si?

Meu caro Irmão, sim, é claro: você mesmo.

Questão: sinto-me na confusão com relação ao Si.

Quem está na confusão é o ego.
O Si não pode ser, em nenhum momento, confusão.
O próprio princípio da intervenção significa que quem fala é o ego e não o Si.
Ora, o ego não pode apreender, de nenhuma maneira, o Si.

Questão: nesse caminho, onde é o lugar para os períodos de recolhimento?

Cara Irmã, a vacuidade, ao invés do recolhimento, é um estado propício ao estabelecimento do Si, mas não é o Si.

Questão: como saber que o Si está estabilizado?

Pela equanimidade da Consciência, pelo estado de Alegria permanente, pelo estado de Samadhi e, progressivamente, pela capacidade para viver as Dimensões outras que a Dimensão falsificada, a capacidade para viver o reencontro com o Anjo Guardião, para viajar na Existência e para reencontrar, de maneira lúcida e Consciente, os seres das outras Dimensões.

Questão: isso me parece muito distante para atingir.

A distância é o próprio princípio do ego, que faz aparecer algo como muito distante, enquanto que, justamente, isso não pode estar longe, eis que está ao centro.
Este é o próprio princípio da distorção do ego e desta falsificação, da ilusão na qual vocês vivem, de fazê-los crer que tudo é para amanhã ou para outro lugar, enquanto que tudo é Aqui e Agora, no centro, e em nenhum outro lugar.

Questão: pode-se encontrar o Si nesse corpo, nesta encarnação?

Mas vocês estão aí para isso.
Se vocês não estiverem mais nesse corpo, será tarde demais.

Questão: estar no Aqui e Agora é estar permanentemente na criatividade?

Cara Irmã, a criatividade é necessariamente uma projeção.
Ela não é o Ser.
A criação ou a criatividade se desenrola na imanência.

Portanto, o termo exato é criação, ao invés de criatividade.

A criatividade é projeção para o exterior de Si, de um objeto ou de um objetivo, portanto, uma manifestação no espelho.

A única coisa que seja para criar é você mesma.
E esta criação não é uma criação.
Ela é uma revelação e um desvendamento.

Questão: sob qual forma vamos nos manifestar em nosso novo destino?

A forma que é a sua em seu espaço dimensional onde você está estabelecido, no antropomorfismo ou para além do antropomorfismo.

Retenha, contudo, que nos mundos Unificados não há fixação e forma fixa, que é a característica de sua Dimensão dissociada.

Vocês não estão, portanto, limitados de modo algum por uma forma.

Seu veículo, mesmo interdimensional e multidimensional, ou corpo de Existência, tem uma forma mutável e transformável, segundo seus pensamentos, segundo o lugar onde vocês se encontram.

Isso é dificilmente concebível, vocês, que estão habituados a se identificar a esse corpo.

Questão: «do outro lado» o corpo será mantido para aqueles que partirão com o corpo?

Tudo depende de seu destino.
O fato de partir com o corpo não é um destino, mas é um meio.
Há, portanto, vários destinos, mesmo com esse corpo.

Questão: quais são os destinos que supõem uma conservação do corpo?

O que é chamada a 3ª Dimensão Unificada, para alguns de vocês.

Questão: na 3D Unificada inicia-se, de algum modo, no mesmo nível de evolução para o Si?

É claro.
É o objetivo para não mais estar fixo nesta Dimensão, mas viajar livremente como ser multidimensional.

Ora, o peso das crenças, o peso das adesões a esse mundo de vida fez com que alguns seres não pudessem se descristalizar, eles mesmos, desta Dimensão.

Eles devem, portanto, perpetuar a Presença do Espírito e da alma nesse corpo, o tempo de se reparar inteiramente.

Questão: a estrutura familiar será reproduzida?

Cada um, cada entidade de Consciência irá exclusivamente para onde a leve sua Vibração.
Será que, quando você passa pelas portas da morte, você leva seus filhos, seus pais, com você?

A partir do momento em que as relações, chamadas familiares ou de sangue apenas existem nesta Dimensão dissociada, elas não têm qualquer razão de existir, mesmo nos mundos de 3ª Dimensão Unificada, eis que esses mundos não conhecem a morte, no sentido em que vocês a entendem.

Questão: o que a Fonte espera de nós e como servir o melhor possível à Fonte?

A Fonte vem simplesmente lembrá-los de seu juramento e de sua promessa: o fato de lembrá-los do que vocês são, que não é absolutamente esse corpo que vocês são.

Que não é absolutamente o que vocês criaram nesta Dimensão onde vocês estiveram (e onde nós estivemos), de algum modo, presos e confinados.

A Fonte nada espera de vocês, simplesmente, que vocês sejam, que vocês realizem o que vocês são.

Ela nada espera, no sentido em que vocês entendem.
Há, simplesmente, que realizar o Si e a Existência.

No Si e na Existência, não há questão, porque não há resposta, tudo é evidência.

Assim, portanto, perguntar o que espera a Fonte, ao nível do Si, nada quer dizer.

Há somente o despertar da promessa e do juramento.
Há somente o ressurgimento do estado de Ser.
O final do véu do esquecimento, o final do véu da separação.

Mas isso é sua responsabilidade.

Questão: nas Hierarquias do universo, cada um tem um papel diferente?

O papel é ligado, justamente, ao Ser.

Assim, portanto, quando eu falo de destino dimensional, ou quando alguns outros falam de famílias estelares ou de suas linhagens espirituais, trata-se, obviamente, de seus papéis e funções.

Questão: por quem são definidos esses papéis e funções, pela Fonte?

Por sua própria Consciência e por sua própria Vibração, por suas próprias capacidades para Vibrar em tal universo, em tal multiuniverso, em tal Dimensão ou segundo tal linhagem.
A Fonte lhes deu a Liberdade e a Graça.

Questão: o objetivo seria ir explorar outra Dimensão quando se «terminou» de integrar a Consciência de uma Dimensão?

O objetivo não é explorar, mas vivê-lo, porque vocês são Livres.
Nada há a explorar, eis que tudo lhes é conhecido, inteiramente.

Questão: é normal não se questionar com relação ao que vai acontecer?

Cara Irmã, a partir do momento em que você se centra no Aqui e Agora, efetivamente, não há mais qualquer questionamento.

O questionamento é a urgência que nós chamamos, nós, que não vivemos esse tempo, é destinada de algum modo a ser a agulha que vai forçá-los a se recentrar.

A partir do momento em que o Si está realizado, ele está realizado, quaisquer que sejam as circunstâncias exteriores, qualquer que seja o tempo, quaisquer que sejam os acontecimentos, quaisquer que sejam seus acontecimentos.

A partir daquele momento, efetivamente, não há mais qualquer questão nem qualquer questionamento, eis que a realização do Si não é absolutamente limitada a esse tempo linear, mas não se importa com o desenrolar do tempo.

Cada um vive o Si, eu diria, como bem lhe pareça.
As manifestações do Si foram descritas por várias pessoas que as viveram.
Mas, ainda uma vez, vocês são Livres para vivê-lo, eis que vocês estão na Liberdade, como bem lhes pareça.

Não temos mais perguntas. Agradecemos.

Irmãos e Irmãs na humanidade, de meu Coração a seu Coração, a gratidão de sua Presença e de minha Presença nos preencha, a vocês, como a mim, de Graça.

Eu lhes digo, certamente, até um próximo dia.

_________________________
Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

Um comentário:

  1. Essa é uma das mensagens mais inspiradoras que eu já li,vários questionamentos que eu me fazia foram respondidos e houve muitos esclarecimentos quanto à importância de se focalizar a Consciência no nosso Interior,que é de onde virá a verdadeira abertura do Coração,por isso não dependeremos de nada que seja exterior a nós,só de nós mesmos!!!Namasté.

    ResponderExcluir