Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

15 de abr de 2015

Março de 2015 – Terceira Parte

Diversos Intervenientes


Questões / Respostas


Bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los, eu diria, quase a cada dia, é um verdadeiro regozijo, e para vocês, mas, sobretudo, para mim.

Hoje, nós vamos, se quiserem, eu vou intervir, talvez, nas questões escritas que vocês colocaram.
Mas tranquilizem-se, eu deixarei o lugar, também, àqueles que querem exprimir-se em relação às suas questões.
Eu voltarei, quanto a mim, na última parte de hoje, para permitir dizer algumas coisas que serão, talvez, orientadas, aí também, por suas questões diretas e espontâneas.

Agora e já, eu escuto a primeira questão e vamos ver quem vai responder.
Vamos.


Questão 1: à noite, eu tenho pesadelos ou sonhos penosos. Isso pode produzir-se após estados vibratórios elevados, é como se eu não fosse mais mestre de meu mental. O que acontece?

O.M. AÏVANHOV

Acho que vou ficar e responder.
A primeira coisa a compreender: você fala de subidas vibratórias, de alinhamentos e de meditações, em suma, de processos nos quais o Supramental, a supraconsciência é conectada.
E, nesses momentos, depois, à noite, há manifestações que são muito lógicas, ou seja, quanto mais a subida vibratória é consequente, sobretudo, durante este período, e isso será, eu lhes disse, durante o mês de abril, aqueles que gostam das vibrações, eles serão servidos, isso quer dizer o quê?
Isso quer dizer que, quando da reunião entre sua supraconsciência e sua consciência comum há, eu diria, evacuações que se criam e que acontecem em você, à noite.
Isso quer dizer que, nos recantos de seu ser há, ainda, pequenas poeiras, como eu já disse, não há mais tapete, não há mais possibilidade de pôr as poeiras sob os tapetes, e retirou-se, mesmo, o chão, não é?
Então, você é obrigado a ter e você as tem – para alguns de vocês, como eu o disse ontem, eu acho –, manifestações que lhe parecem fortes, não é?
Isso não é nem uma regressão nem uma meia-volta do Si.
São, sobretudo, e quase sistemáticos, processos de eliminação.

Os pesadelos, os sonhos que são perturbadores, são uma eliminação que eu qualificaria de suave, mesmo se você tenha terrores noturnos.
Porque a eliminação, eu diria, a mais forte, mesmo se ela o incomode menos, é ao nível do corpo.
Quer seja por um acidente, quer seja por um traumatismo, as manifestações que sobrevêm, de maneira brutal, de modo incisivo, qualquer que seja a natureza, são, aí também, durante este período, eliminações.
Há apenas que atravessar isso.
Há apenas que vê-lo.
A um dado momento você verá que essas manifestações, durante suas noites, afastam-se, inteiramente.
Isso não é o marcador de uma patologia, qualquer que seja, que tenha restado, mas, bem mais, a iluminação e a erradicação, de algum modo, do que pode restar como poeiras.
Simplesmente.
Não há outra explicação necessária ou possível em relação a isso.

Tudo o que se desvenda a vocês, como foi dito, em sua vida, em seus aspectos, no entanto, os mais comuns e, mesmo, nos acidentes da vida: pesadelos, traumatismos, fraturas são, nesse momento, elementos, por vezes, brutais, mas que os liberam à maneira deles, pela Inteligência da Luz e não por sua explicação, ou não pelo fato de querer compreender ou apreender-se disso.

Portanto, estar sempre, se possível, na fluidez da Unidade, qualquer que seja a dor da manifestação ou o problema que se produz em pesadelos ou em algumas relações, atravesse-os, tranquilamente.
Isso demanda apenas isso.
Não há que reajustar-se a propósito disso ou daquilo, há apenas que deixar fazer o que se faz.
E eu o tranquilizo, mesmo se isso lhe pareça cada vez mais invasivo ou violento nas manifestações, quanto mais você ficar tranquilo em relação a isso, mais você deixar, em relação a essas manifestações inéditas...
É claro, não é a mesma coisa que se houvesse pesadelos todas as noites há vinte anos.
É, portanto, bem específico, nessa questão, deste período.
Concordamos, não é?

Tudo o que surge de maneira inesperada, brutal ao nível do corpo ou da consciência, é apenas um espaço de resolução espontânea ligada à Inteligência da Luz e que não necessita, absolutamente, voltar a tornar-se uma pessoa para apreender-se disso, para explicá-lo ou para interpretá-lo.
Atravesse-o, tranquilamente, e você verá que isso vai desaparecer.
Mesmo para algo que seja físico, digamos, exceto, é claro, os mecanismos dolorosos os quais convém tratar, de modo os mais habituais, o único significado possível é a eliminação via o corpo ou via o psiquismo de alguma coisa que freava o desenvolvimento do corpo Ascensional, e em relação, é claro, com os Triângulos elementares concernentes ao conteúdo.

Agora, você sabe, talvez, também, que, em função da localização, por exemplo, se você fratura a perna ou o fêmur do lado direito, independentemente de uma eliminação, isso o remete, também, a um chacra específico, o que não quer dizer que seja preciso ali trabalhar.
Você pode encontrar porque isso se produz nesse lugar, porque alguns tipos de pesadelo, mas isso não tem qualquer interesse, hoje, uma vez que a Inteligência da Luz ocupa-se, se posso dizer, de tudo.
Há apenas suas próprias resistências.
E, aí, a resistência, eu não a situo no passado, mas, bem mais, na vontade, no momento em que se produz um acidente ou uma emergência psicológica, ou um sonho, não reagir, atravessar isso sem procurar compreender, sem procurar apreender-se, sem procurar explicá-lo, não é?

O que não o impede de tratar nos chacras, tratar, tomar medicamentos, a homeopatia, o que você quiser.
Mas não procure uma causalidade outra que não essa emergência, essa descristalização violenta que se produz durante este período.
Não fique aflito por isso, não fique na raiva, tente permanecer neutro, eventualmente, se isso se torna incômodo, para cuidar da manifestação.
Então, se são os chacras, é claro, se é a perna direita, isso vai remeter ao segundo chacra.
Se é o ombro esquerdo, isso vai remeter ao sexto chacra e, talvez, ao baço, mas é tudo, não vá mais longe.

Para os sonhos e os pesadelos, ou você tem a capacidade ou você é acordado no momento em que ele se produz, porque é aterrorizante.
Nesses casos, volte a mergulhar, se você tem a possibilidade, no sono e no sonho, porque a resolução far-se-á, também, no sono e no sonho.
Não na interpretação ou na emoção que o acordou, mas, bem mais, no «deixar atravessar-se», atravessar, você mesmo, esse sonho ou esse pesadelo, terminá-lo e concluí-lo.
E, se há vários deles, isso será, exatamente, o mesmo processo a cada vez.
Aí está o que eu tinha a dizer.

Vou escutar a segunda questão, e essa para alguém outro responder.


Questão 2: a linhagem dos Leopardos corresponde a qual Elemento?

O.M. AÏVANHOV

Os Leopardos, como todos os felinos, podem ter duas ou três origens.
As mais conhecidas, é claro, são Arcturius para os Leões e os Gatos e outros felinos correspondentes a Sírius B.
Há, também, em..., não Andrômeda, mas nesse canto aí, mas isso representa muito poucas pessoas na Terra.
Lembre-se de que, quando você vê, por exemplo, o Leopardo, antes de falar do animal em si, reencontre a classe que é.
Um pássaro, por exemplo, para Altair, é, talvez, a Águia, mas pode ser de maneira mais, digamos, diferente, agenciado diferentemente, um Falcão ou uma Coruja, que remete, sempre, à linhagem do Ar.
Em contrapartida, os felinos remetem-no, então, é aí que há pequenas diferenças, é que o Leão remete-o ao Fogo, o Gato remete-o, também, ao Fogo, mas ao Elemento que está ao lado, ou seja, a mediunidade, ou seja, a Água, ou seja, Sírius A.

Então, você pode ter, muito bem, um Leopardo que é ligado a uma linhagem de Fogo ou que é ligado a uma linhagem da Água.
Não pode haver correspondência total entre um animal, ou um tipo de animal, para alguns animais, e um Elemento.
Por exemplo, o Cão vem de Sírius C, os canídeos, entre outros.
Mas eles são ligados ao Elemento Terra.
E, em contrapartida, ao nível de outras linhagens, outros tipos de animais, há correspondências que são mais frequentes, por exemplo, Elefante, é a Terra também.

Não acredite que o animal que você vê seja, sistematicamente, ligado a esse animal, mas, bem mais, à natureza do animal.
O mamífero marinho, por exemplo, os felinos, os felídeos, os canídeos etc.
Isso é, a mesma origem e o mesmo sentido.
Então, por vezes, pequenas diferenças, por exemplo, entre o Gato e o Leão.
O Tigre, por exemplo, por que não?, vai remetê-lo ou ao Leão de Sírius, mas Sírius B, e, portanto, é mais próximo da Água.
Será que isso quer dizer que é o Elemento Água ou que é o Elemento Fogo?
Isso vai depender das outras linhagens.
Se há uma linhagem da Água, como um mamífero marinho, não pode ter duas linhagens, mesmo se seja Sírius, que sejam ligadas ao mesmo Elemento.
Haverá, por exemplo, o Golfinho, ou o mamífero marinho, ao nível da Água, em relação a Sírius, essencialmente, em todo caso, para a maioria dos humanos, e pode haver, muito bem, um Tigre, que é ligado ao Fogo e que remete a Sírius B.
Tendo duas linhagens em Sírius, por exemplo: uma Água e, a outra, de Fogo, você pode, nesse caso preciso, concluir que sua Origem estelar é Sírius.
Há pouca chance de que ela seja de outro lugar.
Com um reforço de Sírius, se quiser, tanto A como B e C, porque há, também, Gatos no A.
Você vê o que eu quero dizer.

Então, isso quer dizer que,quando há animais que pertencem à mesma classificação, ou eles estão colocados no mesmo Elemento, ou eles estão colocados em outros Elementos.
Então, é claro, não é questão de dar-lhe todas as correspondências entre as linhagens ou as Origens estelares e o conjunto de animais, porque, eu lhe disse que essa revelação deve fazer-se no interior de si, é depois que se deve colocar a questão, por exemplo, no que eu acabo de responder.

Acho que eu respondi de novo, hein? Eu sou terrível.


Questão 3: a que corresponde uma vibração de aparência espiralada, nos dois ouvidos?

Eu vou deixar algum outro responder, caso contrário, eles não vão ficar contentes.
Eu lhes digo, talvez, até a próxima questão.


UM AMIGO

Eu sou Um Amigo.
De meu coração ao seu coração, na Paz de Cristo e na Paz da Luz, e pelo Espírito do Sol, vivamos um momento de Paz, antes que eu me exprima sobre a questão colocada.

… Silêncio…

Bem amado, ao nível dos ouvidos encontra-se, obviamente, um conjunto de funções.
Além da escuta, encontram-se funções mais sutis, das quais tivemos a oportunidade de falar, concernente ao Yoga da Unidade.
Ao nível do ouvido encontra-se, em um plano sutil, o que é nomeada a Ampola da clariaudiência ou chacra da clariaudiência, cuja manifestação é um pouco diferente daquela desencadeada pela presença do Canal Mariano.
Além dos sons pode existir, efetivamente, certo número de percepções que passam ao nível dos ouvidos, que vão, mesmo, por vezes, de um ao outro, em linha direta ou, então, passam pelo flange que eu nomearia subauricular, que passa sob o maxilar inferior.

Quer seja pelo flange, quer seja, diretamente, no interior da cabeça, de um ouvido ao outro, quer seja passando por um ponto de vibração que corresponde ao décimo primeiro corpo, situado sobre o lábio superior, o conjunto de manifestações, nesse nível, corresponde à ativação dos chacras situados na região anterior dos ouvidos, até a frente dos ouvidos.
Assim, portanto, perceber uma rotação, uma espiral ou uma circulação, ou uma vibração da energia entre os dois ouvidos, qualquer que seja o trajeto, assinala, simplesmente, o desenvolvimento, ao nível do corpo Ascensional, do que é chamada a clariaudiência, que os prepara, de algum modo, para ouvir Maria, se você já não a ouviu.
Quer seja no momento coletivo, quer seja em outros momentos.

Assim, portanto, a energia da espiral ou vivida como tal, a energia que conecta os dois ouvidos ou que se manifestam, unicamente, no exterior do ouvido, ou penetrando o ouvido, é diretamente ligada a essa ativação, provando, com isso, que a passagem da garganta foi realizada as três vezes.
Primeira vez, pela passagem do anjo Uriel, reversão ao nível da garganta.
Segunda passagem, realizada pela passagem do ego ao coração, situada mais abaixo no corpo, mas que corresponde, também, como toda passagem, à noção de garganta.
Terceira parte, acrescentada nesse momento, é ligada à terceira passagem, que se produz entre a Porta KI-RIS-TI posterior e o chacra do coração à frente, que ativa e revela, aí também, a Ampola da clariaudiência, em ressonância com o chacra da garganta.


Questão 4: Omraam, você nos dizia ontem, que nós reencontraríamos dois guardiões do Limiar. Poderia desenvolver?

Vou, então, saudá-los e transmitir-lhes todo o meu Amor, porque eu acho que Omraam está voltando, ele já está aí.

O.M. AÏVANHOV

Eu volto, imediatamente, porque, se quiser, essa questão concerne a mim, diretamente.

Há, primeiramente, o que é nomeado o pequeno guardião do Limiar, ou o primeiro guardião, que se encontra quando da passagem do ego ao coração, que pode tomar, é claro, todas as formas de manifestação.
O grande guardião do Limiar, qualquer que seja a manifestação e a vivência, corresponde à última passagem, ou seja, o momento da Liberação, que corresponde, precisamente, à travessia e perfuração do Arcanjo Uriel, de trás para frente, que se manifesta, também, ao nível do chacra da garganta, também, ao nível do chacra do coração.
O grande guardião do Limiar é aquele que vai colocá-los em face do que eu chamaria o néant [o nada].
Quando você passa do ego ao coração, você descobre o Si.
Você vive o Si por experiência.
Esse estado estabiliza-se mais ou menos, e pode, por vezes, aparecer como não mais existente, mas é uma ilusão.
O primeiro guardião do Limiar dá-lhe a ver a diferença entre o ego e o coração, o seu.

Mas, se descobrindo o Si, você recai, porque você está, pela presença da alma, na dualidade, você não terá acesso à travessia do último guardião.
Isso quer dizer o quê?
Que, naquele momento, tendo voltado a descer, com a Luz que você viveu, na dualidade, para você, o grande guardião do Limiar, você vai transformá-lo e chamá-lo o mal, o vazio, qualquer coisa que dê, horrivelmente, medo.
Qualquer que seja a forma que isso possa tomar, o mais importante é o arquétipo que é atravessado.
Esse arquétipo, quer seja um lobisomem, quer seja o diabo em pessoa, é, exatamente, a mesma coisa.
E, se você não vê qualquer entidade, mas há essa espécie, como dizer..., de medo, de apreensão, desse salto no vazio terminal, você não encontra, ou seja, você dá meia-volta, vendo o guardião do grande Limiar.
Isso quer dizer, simplesmente, que, em você, o sacrifício final, naquele momento, não é possível.
Não porque você não está Liberado, mas porque a alma tem, ainda, coisas a viver, seja nos mundos carbonados liberados ou ao nível de outras dimensões, que necessitam da presença, eu diria, da alma.

A alma pode existir na quinta dimensão, em especial para aqueles de vocês que são destinados a viver no Intraterra.
Mas isso concerne, sobretudo, eu diria, à maior parte dos povos sul-americanos, porque eles têm uma função específica em relação à Terra.
E, mesmo se você não é sul-americano, e você é, não sei, um chinês que vive na América Latina, não é por acaso.

Portanto, ao nível dos destinos da Liberação, você sabe que eles são inumeráveis.
Então, encontrar o guardião do Limiar dá-lhe a ver, qualquer que seja a representação, primeiro do ego ao coração, para perceber o ego, para perceber os momentos nos quais você está no coração, a oscilar e a flutuar entre o Si e a personalidade.
Em contrapartida, se você está estabelecido no Si há suficientemente muito tempo, e estabilizado na capacidade para reencontrar o Si, você encontrará o segundo guardião, se já não foi feito, que, de algum modo, no imaginário, eu diria, da consciência, é aquele que fecha a entrada aos Liberados vivos, àquele que considera a Liberação, vivendo.

Mas compreenda que esse guardião do Limiar, esse grande guardião está no seu interior.
E é você mesmo que vê se você é capaz.
Naquele momento, você observa ou um terror, porque você encontrou uma entidade que corresponde à sua ressonância, talvez, também, a uma de suas linhagens que não está integrada como, por exemplo, os répteis.
Ou, então, você tem não visões de entidades ou de linhagens que lhe dão medo, mas, simplesmente, você vê a Luz e, quando você vê o que não é Luz, mas não teve, você mesmo, acesso ao que não está além da Luz, ou seja, além do bem e do mal, ou seja, o Absoluto, o que está além dos mundos da manifestação, o que é que vai acontecer?
Esses seres verão o que não é como eles e que foi liberado, como a escuridão a mais total.
E eles vão assimilar a Liberação ao desaparecimento, sim, da alma, mas, como eles estão inscritos na alma e não são capazes, por causa do caminho deles, de transmutar certo número de elementos neles, bem, eles vão dar meia-volta.
Esses seres não são negativos nem positivos, eles fizeram a escolha, em todo conhecimento de causa.
E isso quer dizer que a alma deles é uma alma muito forte, que viveu a Luz e que tem que ir liberar, como instrutor espiritual, participar de um ciclo de Liberação.
É a liberdade desses seres.

Em contrapartida, se você passa os dois guardiões do Limiar, aí não há mais problema algum.
Você sabe onde você está, mesmo se haja, ainda, coisas que se eliminam, como quando eu respondi à questão anterior, que se eliminam, se você quiser, a partir do corpo ou a partir da psique.

Eu escuto a questão e não respondo, a menos que se dirija a mim, diretamente, porque, aí, eles nada poderão dizer.


Questão 5: manter-se tranquilo na vida corrente parece atingido. O que há, quando a personalidade decide organizar festas e férias familiares para as semanas e os meses a vir?

Então, aí, eu não respondo.
Vou deixar Anael vir, que já não está contente de não ter vindo ontem.

ANAEL

Eu sou Anael, Arcanjo.
Bem amados filhos da lei de Um, juntos e na Unidade, recolhamo-nos, no Silêncio da vacuidade e no Espírito do Sol.

… Silêncio...

Bem amado, se você mesmo situa-se na personalidade, efetivamente, naquele momento, isso lhe parece contraditório em relação ao fato de que você se mantenha tranquilo.
Mas isso não é de sua responsabilidade, mas de uma personalidade exterior: relação, amigo, família ou outro.
Nesse caso, se isso lhe é proposto e se você quer permanecer na fluidez da Unidade e na manifestação de sua supraconsciência nesse mundo, é necessário, nesse caso, ir para as linhas de menor resistência.

Você parece dizer que não lhe pediram sua opinião e, no entanto, isso se produz.
A personalidade pode estar em acordo ou não.
A Existência nada tem a ver com isso.
Porque, o que quer que aconteça e o que quer que se decida, a personalidade pode, sempre, protestar, mas o espírito de verdade conduzirá você a assumir, sem qualquer dificuldade, o que tomou o ritmo que lhe parecia alterar ou desviar sua tranquilidade.
Mas é a experiência que lhe será dada para mostrar-lhe, a si mesmo, que essa tranquilidade pode permanecer, independentemente do que é programado por outra pessoa que não você.

Não há, portanto, que ficar chocado nem encontrar-se confrontado a uma escolha, uma vez que ou você está em sua Existência e seguirá as linhas de menor resistência e, talvez, reencontrar-se-á nessas férias, eu diria, descontente.
Mas a Vida sempre fornecerá, nessas circunstâncias que o deixam descontente, elementos de contentamento que são ligados, justamente, à sua própria capacidade de tranquilidade, quaisquer que sejam os lugares, quaisquer que sejam as pessoas e quaisquer que sejam, mesmo, as oposições que possam manifestar-se devido à sociedade, devido a um elemento familiar, de um elemento de amizade ou do que quer que seja mais, ao nível social.

A Vida é a divina providência, a partir do instante em que o Supramental é revelado e que o Si esteja mais ou menos instalado claramente.
Nesses casos, a Vida vai aportar-lhe, do mesmo modo que ela lhe aporta por traumatismos, por sonhos ou por outros elementos que lhes exprimiu o Comandante dos Anciões, é o mesmo para os eventos, tanto agradáveis como desagradáveis que sobrevêm em sua tranquilidade.
Não foi você que provocou, não foi você que decidiu, alguém mais decidiu por você.
Estando estabilizado no Si, o que quer que aconteça, isso é tomado com a mesma equanimidade.
Essa será, para você, a oportunidade de demonstrar-se, a si mesmo, que, em meio à algazarra, como em meio a certo número de convenções e de organizações sociais desse mundo, a tranquilidade é atingida, ou não.

Eu escuto a próxima questão.


Questão 6: durante dois dias, eu tive fortes dores de cabeça, conjuntamente ou sucessivamente, nos Triângulos da cabeça. Isso é devido à sua ativação?

Eu lhes digo até já e volto a deixar o lugar.

O.M. AÏVANHOV

Caros amigos, eis-me de novo.
A percepção consciente, com, mesmo, por vezes, um mecanismo doloroso ao nível de um dos Triângulos da cabeça, qualquer que seja, assinala, obviamente, a ativação do Elemento que você percebe.
Não pode haver, ao nível dos Triângulos elementares da cabeça, bloqueio porque, quando a Coroa radiante da cabeça tenha sido ativada, quando da descida do Espírito Santo, talvez, antes das Núpcias Celestes, ou, talvez, após, a partir do instante em que há a percepção de um Triângulo, mesmo se não seja preciso, ao nível da zona que você percebe na dor, mas é ou à frente, no meio, ou atrás, no meio, ou acima das orelhas, à esquerda ou à direita.
Você não tem que pensar em nada mais, imaginar o que quer que seja mais que não a ativação em curso e o desenvolvimento do Elemento correspondente.

Então, você não tem..., é claro, se essa ativação, em alguns momentos como, por exemplo, a vir no mês de abril, torna-se muito quente, muito ardente e incômoda; aí, efetivamente, você pode trabalhar, eu diria, na integração do desenvolvimento do Triângulo.
Você tem, para isso, a possibilidade de trabalhar com os cristais.
Por exemplo, você sabe que, se você reproduz, no chão, o protocolo da atribuição vibral, que consiste em criar uma coluna de Luz Supramental que liga os planos intermediários e que nos põe em contato, você, conosco ou com as Estrelas ou com os Arcanjos, quer você veja ou não o veja, assinala sua possibilidade, se quiser, de Liberação.
O que quer que lhe peçam e que lhe digam, mesmo para aqueles que tiveram medo, não é?

O que eu quero dizer com isso é que, se você retira uma dessas quatro pedras, das quais eu não conheço, mesmo, o nome, se você retira a pedra que está à frente, entre as quatro pedras, você vai trabalhar na Terra.
E, se há uma dor no Triângulo da Terra, ligada ao desenvolvimento dele, você pode facilitar o desenvolvimento, por exemplo, sentando no interior desse Triângulo de pedras, com uma pedra à esquerda, uma pedra à direita e uma pedra atrás de si.
E, para cada Elemento, é a mesma coisa: você retira a pedra do outro lado.
Se eu retiro a pedra à direita, eu ativo o Triângulo do Ar; se eu retiro a pedra à esquerda, eu ativo o Triângulo da Água.
E, enfim, se eu retiro a pedra de trás, eu ativo o Triângulo de Fogo.

Quando eu digo que eu ativo, não é, absolutamente, exato.
Não é ativar, é, mais, desenvolver.
O que quer dizer que os Triângulos elementares devem desenvolver-se para o alto, para a dimensão a mais pura do arquétipo, ou seja, os pontos situados diretamente acima da ponta dos Triângulos, na pequena coroa ou no corpo.
Ambos se fazem, em geral, ao mesmo tempo.
Portanto, se a dor é muito intensa, ou você fluidifica o Elemento, favorecendo seu desenvolvimento com as pedras que você conhece, ou você faz os movimentos da cabeça.
Ou os movimentos, a lemniscata com a cabeça, isso nós havíamos dado há muito tempo, ou você passa pelos movimentos laterais e terá, talvez, já amanhã, certo número de elementos dados ao nível dos movimentos comunicados por Li Shen, concernentes, pelo menos a um ou dois Elementos.
Porque você sabe que os quatro Elementos, se você os vive ao mesmo tempo no desenvolvimento, isso quer dizer que você está livre para dizer adeus a todo mundo.
Mas eu o lembro de que – se você me escuta, você me lê – de que você está aí, sua missão de estar presente até o termo dessa transformação é evidente.

Mas se a dor é muito forte, isso não assinala um problema, é que há um desenvolvimento importante do Elemento em você.
Não, unicamente, na consciência, mas, também, no corpo físico e nos envelopes sutis que eu chamo de casulos de Luz.


Questão 7: nosso grupo sanguíneo tem uma relação com nossa Origem?

Acho que, aí, vou deixar a resposta para outro alguém, não é?
Eu lhes digo até já.

PHILIPPE DE LYON 

Eu sou Mestre Philippe de Lyon.
Irmãos e irmãs, aproveitemos, juntos, de nossa Presença, para estabelecer nossa Reunião, entre nós e com Cristo.

… Silêncio…

Eu intervenho entre vocês como Melquisedeque da Terra.

O sangue.
O sangue é o que anima a vida, pelo oxigênio, pela cor.
A alma veicula sua presença e suas informações pelo sangue.
A noção de grupo sanguíneo remete a uma origem terrestre e, em nenhum caso, a uma linhagem estelar.
É claro, existem diferenças, segundo a natureza de seu sangue, ao nível do que vocês nomeiam grupo sanguíneo, que dá uma polaridade ou uma coloração da alma em encarnação, mas que nada tem a ver com a Origem estelar, mas, bem mais, com o DNA que você porta nesse mundo e, portanto, inscrito no princípio de ação/reação de carma.

Assim, portanto, não há qualquer relação nem qualquer ressonância entre o grupo sanguíneo e as linhagens.
Tanto mais que o número de grupos sanguíneos na Terra é profundamente limitado.
A única diferença importante não está ao nível do grupo sanguíneo, mas do que é nomeado fator rhesus, porque alguns fatores RH são ligados às linhagens predadoras.
Alguns fatores RH (+), são ligados às linhagens não predadoras.
Existe, portanto, uma coloração que é ligada à predação, que é ligada a certo rhésus.
Eu o deixarei descobrir, por si mesmo, porque isso é conhecido nesta Terra.

Portanto, o grupo sanguíneo nada tem a ver com a Origem Estelar.
O fator rhésus está em relação, diretamente, com a presença de linhagens ditas predadoras.
A linhagem predadora não é, necessariamente, a predação, tal como é compreendida nesse mundo, neste período de revelação.
Quer dizer que as linhagens predadoras não são, exclusivamente, correlacionadas aos Dracos.
Existem outras linhagens predadoras sobre as quais eu não me estenderei.
Isso os remete não, necessariamente, aos Dracos, mas a potenciais de predação que existem em linhagens nomeadas predadoras, mas que não têm, absolutamente, a denominação de predador nesse mundo, e que, entretanto, existem em outras circunstâncias.

Vou tomar um exemplo muito simples: entre os predadores da Terra há o que nós nomeamos os Felinos, que vêm, no entanto, de Sírius ou alhures.
Se essa linhagem está presente, efetivamente, mesmo se haja, em você, nenhuma predação, o fator rhésus é alterado pela presença da capacidade de predação na linhagem, na Origem da qual você é oriundo.
É um ou o outro.
Em contrapartida, para os grupos sanguíneos nomeados A, B, O e AB, não há, absolutamente, esse aspecto de coloração da alma ligada às linhagens, mas, bem mais, as colorações ligadas à sua filiação genética, aqui mesmo, nesta Terra.

O Comandante pede-me para prosseguir pelas questões orais e, portanto, continuar a troca com respostas que serão função do que é necessário.
Eu escuto, então, a próxima questão.
Questão oral que você me retransmite.


Questão 8: quando da ativação do Triângulo da Água, tive fortes náuseas que, em seguida, acalmaram, e reativaram-se ao ir junto à água. A que isso corresponde?

Eu me retiro, e deixarei responder alguém mais.

MARIA

Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.
Instalemo-nos, juntos, no Silêncio e na Paz do Um.

… Silêncio…

Meus filhos, a questão concerne, portanto, à ativação ou à revelação do Triângulo da Água, que desencadeia, então, mecanismos específicos ao nível do corpo e, como foi dito, que podem ser reativados e amplificados quando do contato com o elemento físico, aqui, no caso, a água.

As náuseas e as dores de cabeça são ligadas, provavelmente, à integração de um desses três pontos do Triângulo da cabeça.
Assim, portanto, a manifestação dolorosa de um Triângulo, ou ao nível corporal, qualquer que seja, pode representar dois elementos distintos que podem ser, além disso, associados.
O primeiro elemento é, talvez, que o desenvolvimento ou a ativação do Triângulo da Água, de modo completo, põe-no em antagonismo de consciência, se existe, em você, uma linhagem reptiliana.
A náusea, em si mesma, é responsável e é ligada, diretamente, às Portas Atração e Visão.
Eu o lembro de que a falsificação desse mundo é ligada ao desvio do eixo Atração/Visão, que dá uma inclinação da Luz quanto à sua recepção.
Mas, também, uma inclinação anormal de polos da Terra – coisa que é vivida pela Terra há trezentos e vinte mil anos – mesmo quando de mecanismos regulares de basculamento magnético ou físico dos polos.


Assim, portanto, revelar uma náusea, revelar uma dor amplificada pelo elemento, mesmo, o mais material que está em ressonância, assinala, frequentemente, que existe, em você, uma linhagem que eu qualificaria de diametralmente oposta à linhagem da Água e em relação com Sírius (frequentemente, mas não sempre), que vai enfrentar-se, em você, com, de um lado, o Feminino sagrado, que é ligado ao Triângulo da Água que se revela, e, de outro lado, uma linhagem predadora, geralmente, reptiliana, que vem entrar em conflito aberto nos diferentes componentes que você é.
Assim, portanto, há, simplesmente, um reajuste, por intermédio das Portas Atração/Visão que vem, de algum modo, reequilibrar o eixo de predação e responsável por náuseas, o que significa que a alma foi tocada em seus fundamentos, pela revelação de elementos que são a transcender e a superar.

O segundo elemento, distinto, concerne a outra coisa que pode, de outro lado, ali ser associado se, em você, presente na superfície desse mundo, exista, por seus componentes genéticos, materiais e não mais espirituais, um desequilíbrio entre a Água e o Ar.
Se existe um desequilíbrio em sua constituição, independentemente de qualquer linhagem ou confrontação de linhagens, isso vai traduzir-se, para você, aí também, por náuseas.
Por exemplo, se, segundo seus componentes, há uma insuficiência de Água ou, mesmo, um excesso de Água.
É, portanto, um processo, nesse caso, de harmonização dos Elementos em você.

Não há, portanto, necessariamente, outra coisa que não isso, nem mesmo, obrigatoriamente, os dois juntos.
Simplesmente, a dor faz parte do modo pelo qual se ativa e revela-se, em você, o coração Ascensional e, portanto, a fusão dos Elementos.

… Silêncio…

Filhos bem amados, eu escuto a próxima questão.


Questão 9: quando de leituras de alma, dão-me, frequentemente, posições da boca aberta. Isso é para favorecer a passagem da garganta ou outra coisa?

MARIA

Filhos bem amados, devido à minha posição, eu continuarei a responder, também, a essa questão.

No tempo do Egito existia um ritual chamado a abertura da boca, que, efetivamente, permitia o retorno da alma às suas Moradas eternas, até sua dissolução e, de algum modo, evitava a reencarnação nesse mundo.
Esse ritual de abertura da boca era praticado há muito tempo, pelos padres egípcios, mas, também, quando de Atlântida e, também, da Lemúria.

O fato de respirar com a boca aberta ao invés de fechada ou entreaberta, efetivamente, não tem a mesma implicação.
Respirar de boca aberta ativará o Triângulo do Ar.
Respirar de boca fechada ativará o Triângulo do Ar, o Triângulo da Terra e o Triângulo do Fogo, em proporções diferentes, segundo suas capacidades de Ascensão do elemento considerado ou de revelação, se prefere, de sua dimensão arquetípica.

… Silêncio…

Eu escuto a questão seguinte.

Antes de deixar o lugar, não estou certa de ter apreendido a questão, então, deixarei Aquele que vem responder para isso.


O ESPÍRITO DO SOL

Juntos no Um, no Espírito de Verdade, vivamos nossa Presença.

… Silêncio…

O Espírito do Sol escuta, agora, o questionamento.

Questão 10: eu voltei a um lugar que eu deixei há quinze anos, e só o som da maçaneta da porta apagou, em alguns segundos, os quinze anos passados. O que aconteceu?

Filho do Sol e filho do Um, a partir do instante em que, aqui embaixo, nesse mundo, você reencontra o que foi vivido no passado de sua vida ou em outras vidas, concernente, tanto aos lugares como às pessoas, é, diretamente, ligado a um processo que vocês nomeiam a memória, tanto feliz como infeliz.

O importante não está aí.
O importante é que você reencontre, nessa ocasião, quer isso concirna a esta vida, a esta pessoa, quer concirna a esse lugar, significa, exatamente, a mesma coisa.
Mais do que reativar a memória ligada à revisita de um lugar ou ao encontro de uma pessoa que tenha sido, eu diria, perdida de vista, vai dar-lhe a viver ou a confrontação e, portanto, o retorno da memória, ou, ao contrário, a dissolução da referida memória, porque seu estado de ser nada tem a ver com o que era na vida passada ou nesta vida, se se trata de um lugar ou de uma pessoa.

Assim, portanto, quando de reencontros com um lugar, com uma pessoa, quer ele concirna a esta vida ou ao que você nomeia vida anterior, trata-se, exatamente, do mesmo processo.
Ou o carma, a ressonância do que passou reativa-se no presente, o que lhe dá a viver não um desaparecimento, mas, bem mais, uma forma de nova confrontação.
Enquanto, se há Abandono à Luz, acontece, efetivamente, por um viés ou outro, um processo de desaparecimento.

O desaparecimento em face de uma relação, em face de um lugar concernente a esta vida como ao que você nomeia outras vidas desemboca, nesse momento, apenas em duas possibilidades: reativação cármica, manutenção da dualidade ou liberação em relação a um determinado elemento, a uma determinada situação ou a um determinado indivíduo.

Assim, portanto, você tem sua resposta.

… Silêncio…

No Espírito do Sol de nossos corações, eu escuto seu próximo questionamento.


Questão 11: após a última reunião, eu tive corrimentos importantes do nariz, depois, catarro na garganta e, enfim, catarro e sangue no nariz e saindo pela boca. O que é isso?

O Espírito do Sol saúda-os e deixará a resposta a outra, que não eu.

… Silêncio…

MA ANANDA MOYI 

Eu sou Ma Ananda Moyi.
No Silêncio e no Amor, comunguemos.

… Silêncio…

Bem amado, quando de algumas passagens, existem modificações anatômicas que sobrevêm nesse corpo perecível, a partir do instante em que a Luz é recebida, pela primeira vez, pelo topo do crânio.
Essa Luz vai abrir o que são nomeados chacras, realizando bem mais do que uma modificação de consciência e energética, mas toca, também, a estrutura física.

Quando da descida da Luz do Espírito Santo, há uma perfuração do que é nomeada a bainha dos chacras, na parte de trás do corpo.
Para os chacras superiores, essa bainha não é aparente, uma vez que ela se situa não ao nível da energia, mas, diretamente, ao nível do que é nomeado o piso das fossas nasais.
A perfuração dessa fina membrana óssea sobrevém, uma primeira vez, quando da descida do Espírito Santo, quando se ativa o som da alma, que se traduz, também, quando da perfuração do piso das fossas nasais, por sangramentos de trás do nariz, mas, também, que pode sobrevir da boca, e não dura muito tempo, podendo ser sangue vermelho ou sangue colorido de outro modo, mas que é a tradução da primeira perfuração do piso das fossas nasais.

Quando da revelação dos Triângulos elementares da cabeça, bem após a ativação da Coroa radiante da cabeça, pode reproduzir-se o mesmo mecanismo de ativação ao nível do piso das fossas nasais.
Desta vez, não se trata, unicamente, de uma abertura do chacra, mas de uma forma de oxigenação bem mais importante da matéria cerebral, mas, também, do conjunto do corpo, que não passa mais pelos pulmões, mas, diretamente, pela membrana que está presente ao nível do fundo das fossas nasais, ou seja, do piso das referidas fossas nasais.

Esse processo foi vivido, no passado, tanto por mim mesma como por Teresa, como por outras irmãs que vivem esses processos místicos, qualquer que seja seu grau de manifestação, quer eles sejam muito limitados, como foi o caso para Teresa, muito pouco exteriorizados ou, então, extensivos como os meus.
O sangramento do nariz, naquele momento, corresponde, portanto, a uma forma de liberação do oxigênio, ou seja, do ar, não mais, unicamente, pela via pulmonar, mas, bem mais, diretamente pelo nariz.
Naquele momento, esse é o sinal, como quando da abertura para a descida do Espírito Santo, de uma liberação em curso, ligada, portanto, ao elemento anatômico que eu lhe dei.

… Silêncio…


Questão 12: quando do protocolo com os cristais, apareceu o rosto de Jesus com sua coroa de espinhos.
Da mão esquerda, ele mostrou essa coroa e disse-me: «Você pode retirar-me isso? Eu poderia ter um elemento de informação sobre isso?

Bem amado, eu me retiro, e deixarei responder alguém que conhece bem a história de Cristo.

HILDEGARDE DE BINGEN

Eu sou Hildegarde De Bingen.
Irmãos e irmãs, na Paz de Cristo nós permanecemos alguns instantes.

…Silêncio…

Bem amados, deixem-me falar-lhes do Reencontro com Cristo.
Quer seja em sonho, quer seja no sono, quer seja quando de uma ativação específica, como você o diz, com cristais, o Reencontro com Cristo traduz-se por vários elementos, que é uma mudança total de paradigma em sua vida.

Cristo, por Sua presença, perguntará, sempre, apenas uma coisa: «Você quer ser meu Amigo?, ou «Você quer ser minha Esposa?».
Qualquer que seja a apresentação desse Cristo.
Quer Ele esteja em glória com o Coração reluzente, quer Ele esteja coroado de espinhos, o que é seu caso, o significado disso é o mesmo.
Cristo chama você à Sua Realeza e, para isso, como você sabe, é preciso imitá-Lo, tornar-se Ele.
Ele lhe propôs, portanto, retirar Sua coroa de espinhos que é, ao mesmo tempo, a dor da Crucificação, mas, também, a Realeza.
Eu o lembro de que algumas irmãs que viveram o Casamento místico com Cristo e não eram, no entanto, Estrelas, teriam implorado à Luz para receber mesmo se fosse apenas um espinho de Cristo, como esse foi o caso para uma de minhas irmãs.

No que lhe concerne e, como entidade masculina nesse mundo, Cristo propõe a você ser coroado como Ele.
Ele lhe pergunta, portanto, desse modo: «Você quer ser meu Amigo?», ou seja, você quer juntar-se à sua dimensão de Eternidade?
Não para portar Sua cruz, mas tornar-se, realmente, de algum modo, um Esposo místico de Cristo, uma vez que Ele lhe propôs sua coroa.

Assim, portanto, é a você, no segredo e silêncio de seu coração, que cabe a Ele responder, por um sim franco e sólido, ou por um não.
Não há qualquer condenação aí, mas, simplesmente, Cristo que se apresenta desse modo, considera que você é digno de viver em Seus pés e em Seu Coração.
Ele lhe propõe, portanto, depositar a Luz que está em você aos Seus pés e Nele, para tornar-se Ele, na Verdade de seu ser.
Só você conhece a resposta.
Só você pode dizer sim ou não.

Dito de outro modo, Cristo pede-lhe para escolher, Ele sabe que você está maduro.
Ele vem, portanto, colhê-lo, para propor-lhe a Aliança eterna de sua reunião a Ele e, portanto, à sua Eternidade.
Cabe a você, portanto, decidir e a Ele responder.

Eu esclareço que essa questão de Cristo, qualquer que seja o modo pelo qual isso se produz, nada tem a ver com um caminho terrestre nem com qualquer posição nesse mundo terrestre, mas, bem mais, isso traduz, simplesmente: «Será que sua sede de Mim é maior do que a sede de vida nesse mundo?».
Você tem a escolha, porque você se tem diante Dele e Ele respeita sua decisão e aquiescerá ao seu sim como ao seu não.

… Silêncio…

Eu sou Hildegarde de Bingen, e eu rendo graças por seu Amor.
Eu me retiro para deixar voltar o Comandante, que deseja responder à próxima questão.


O.M AÏVANHOV

Bem, vocês não terminaram comigo, é claro.
Há uma questão para mim, talvez?

Questão 13: eu sinto, regularmente, um feixe de Luz branca que parte do coração, sobe acima da cabeça, pelo ponto ER, até o Bindu, e recai ao meu redor. O que é isso?

Caro amigo, para aqueles que conhecem, realmente, que estão atentos às manifestações vibrais, nós já havíamos dito que a energia da Onda de Vida, que sobe até o coração, subia, em seguida, até o Bindu.
Assim que a Onda de Vida tenha se juntado ao coração, o Canal Mariano aproxima-se do centro, para fazer-nos fundir, uns e os outros, na realidade do coração.

Em seguida, produziu-se certo número de processos, sobretudo, após a liberação da passagem postero-anterior, mas isso pôde produzir-se, como você o viveu, já, antes que nós o anunciássemos, não é?
Isso corresponde a quê?
Isso quer dizer que a chave foi colocada na porta e que a energia da Onda de Vida subiu até o alto e forneceu, ao nível do veículo Ascensional ou do Bindu (chame como quiser, é a mesma coisa), ela forneceu o impulso da ignição do desenvolvimento do corpo Ascensional nesse mundo.
Isso se traduz por percepções entre o chacra do coração e o topo do crânio, que passa, geralmente, pela frente ao invés de pelo Triângulo da Terra, na parte de trás e por KI-RIS-TI.
Está em sobreposição, grosso modo, do que foi chamada a Lemniscata sagrada que, eu o lembro, era ligada à ativação dos Novos Corpos, que libera, de algum modo, um fluxo de energia que ia até o ponto ER da cabeça.

Quando a informação do Núcleo Cristalino da Terra reencontrou o coração, ela vai, em seguida, subir até o Bindu, assim que a passagem seja feita, o que assinala sua Liberação adquirida e eterna.
Isso se traduz como?
Naquele momento, não há mais Onda de Vida, há apenas um calor intolerável nos pés, que se acompanha de uma nova descida da Luz, seja pela Coroa da cabeça, seja pelos Triângulos, seja diretamente associado a isso no desenvolvimento da Luz vibral, na totalidade, em seus casulos de Luz, que o torna, definitivamente, Livre e Liberado.

Aí está o que isso significa.
É, também, o que é nomeada a Crucificação.
É por isso que você tem os pés que queimam e que você terá, também, em breve, as mãos que queimam.
É o planeta grelha.
É a revelação e a fusão dos quatro Elementos, é o retorno ao Éter primordial, portanto, à sua Eternidade.
E, portanto, você é, através desses sintomas, como todos aqueles que os viviam, a prova patente e flagrante das energias da Liberação, independentemente do que resta a viver nesse caminho terrestre.

Não é mais a Promessa e o Juramento.
A Cruz Crística, a Cruz da Crucificação e da Ressurreição foi revelada.
Há marcadores físicos, vibrais, energéticos que são, exatamente, desse modo que você descreveu.
Isso quer dizer que, aí, não há mais possibilidade de jogar entre o Si e o ego, ou seja, dar meias-voltas ou retroceder.
O que está aberta é a certeza de sua Eternidade e de sua Liberdade total reencontrada.
É um pouco similar a uma questão que eu ouvi, na qual se falava de Coroamento de Cristo, que propunha dar Sua coroa.
É melhor que Ele lhe dê a coroa do que a cruz, aliás, porque é um pouco mais pesada.

Eu vou permanecer, também, para a próxima questão.


Questão 14: eu fiz três protocolos com as fluoritas, e nada acontece, mas eu sinto pinçar ao nível dos tornozelos. Por que esse protocolo bloqueia-me ao nível das sensações?

O.M AÏVANHOV

Simplesmente, sobretudo se você sente essas pinças nos tornozelos, é que, de momento, você não tem que nos reencontrar.
Isso não é nem negativo nem positivo.
Isso quer dizer, simplesmente, que, em seu programa de Espírito ou de alma, há, ainda pequenas coisas a integrar no interior de si.
E se, em especial, há essa pinça, como você descreve, ou esses anéis que apertam um ou os dois tornozelos, isso quer dizer que a atribuição vibral é tão determinada, tão feliz, eu diria, que, se a dão a você, bem, você pararia de fazer o que você faz.
Como foi dito para alguns de vocês, vocês estarão aí, até o último minuto dessa dimensão.
Então, isso não quer dizer que você seja privado de nossa reunião, uma vez que eu estou aí, mas que você não tem o direito de vir ver-nos.
Isso não é uma punição, isso quer dizer que, simplesmente, o sentido do Serviço tem necessidade, ainda, de sua presença aqui mesmo.

Mas isso quer dizer, simplesmente, que, se você me reencontrasse lá em cima e não aqui, onde você está, talvez, você quereria desposar-me e não mais voltar.
E, como nós já temos doze Estrelas, é preciso esperar um pouco.
Mas não para desposar-me, hein?, isso está fora de questão.
Há apenas Cristo que desposa.
É uma forma de proteção, porque o processo cristalino da atribuição vibral gera movimentos energéticos muito específicos que, eu o lembro (quando isso funciona), chegam ao nível da fronte, aí, onde se encontram as luzes estroboscópicas brancas que chegam, nas quais você passa através.
Isso assinala que o Elemento Fogo está liberado, que a alma está liberada.
Mas a alma liberada, você está livre para aceder ao Espírito.
Mas, se isso não se produz, porque há as pinças, é que é uma medida que protege, eu diria, de sua partida, e que é importante respeitar isso, porque haveria, talvez, em seu caso, uma demasiada facilidade para permanecer conosco lá em cima, ou com as irmãs Estrelas, mas não é para o momento.

… Silêncio…

Ei, vocês não têm outras questões, mesmo que não seja para mim?


Questão 15: quando de um cuidado com Li Shen, eu senti laços nos tornozelos e nos pulsos. O que isso significa?

O.M AÏVANHOV

Eu creio que posso responder, porque está na mesma linha que a resposta anterior.

Aí, isso se produziu não quando de uma transferência de consciência em nossas embarcações, mas isso se produziu quando o venerável Li Shen veio trabalhar em você.
A potência vibral de Li Shen atinge seu máximo ao nível da Terra.
Alguns de vocês têm sido cuidados, de modo específico, por Li Shen, que é o que eu chamaria a Luz Branca, mas não localizada em um centro, não localizada em um lugar ao qual você tenha pedido uma ação, mas, diretamente, na totalidade do corpo.
É, portanto, um impulso de Luz vibral total, que é capaz de veicular Li Shen, pela mestria dos Elementos, tanto nesta Terra como lá em cima.
Então, ele vem fazê-los viver isso.
E o fato de sentir as argolas, os laços, ao mesmo tempo, nos tornozelos e nos pulsos, é certo, aí também, que isso foi feito para que você não vá embora, para curá-lo, mantendo sua presença aqui mesmo, na Terra, no chão.

Isso não é, aí tampouco, uma punição, mas, eu diria, mais uma precaução em relação ao nível vibratório e aos níveis de Luz vibral com as quais nós agimos quando de curas ou quando de outros trabalhos, quer seja, por exemplo, como o fez o Espírito do Sol ou alguns de nós nos momentos de Silêncio ou nos momentos de comunhão, mesmo respondendo, por vezes, às suas questões.

Então, eu me retiro e deixo vir aquele que quer vir para a próxima questão.

É o Espírito do Sol.

ESPÍRITO DO SOL

Questão 16: as crianças que vêm ao mundo, atualmente, e para elas, é a primeira encarnação, elas têm um papel específico no que vem?

Bem amado, o único papel dessas crianças é, simplesmente, sua presença, e não uma função no sentido de uma pessoa.
A presença delas, amorosa e irradiante, ancora a Luz, mesmo se essas crianças sejam percebidas, hoje, pelas forças arcaicas, como um erro.
Isso não tem qualquer importância.
As crianças que se encarnam hoje, quer seja sua primeira ou última encarnação, qualquer que seja sua dimensão de origem, qualquer que seja sua origem e qualquer que seja sua constituição elementar, estão aí apenas para viver o que está aí.
Elas não têm outro objetivo que não ser, talvez, seus guias no que vem.

Você daria a mesma resposta para uma criança que tenha uma anomalia cromossômica?

Eu diria, mesmo, que essa resposta seria ainda mais evidente, ao mesmo tempo fator de superação do amor filial junto aos pais.
Para a alma portadora de uma anomalia cromossômica ou genética é, exatamente, a mesma coisa.
Neste período, e a partir da Liberação da Terra, a encarnação não está mais sujeita às leis de carma.
O que se manifesta nesse mundo é desprovido de carma, sobretudo, para as crianças que tenham menos de cinco anos.

Assim, portanto, uma anomalia genética não é nem uma punição nem uma retribuição, mas o meio de servir àqueles que conceberam essa criança.
O único papel dessas crianças, qualquer que seja a sua anomalia ou sua presença, está aí apenas para favorecer a Passagem.
Elas não têm outro objetivo que não esse, mesmo se elas não tenham a capacidade, de momento, para reconhecê-lo ou sabê-lo.


Questão 17: em um self-drive, Cristo veio ver-me e significou-me que ele era tomado entre mim e o outro em cada relação. Sua presença é o significado da vibração que sai de meu coração e que mana ao redor de mim?

O ESPÍRITO DO SOL

Bem amada, Luz eterna aqui presente, antes de responder a essa questão, porque a resposta é muito simples, eu desejo instalar-nos um no outro, antes, também, de retirar-me.

… Silêncio…

Minha resposta tem-se nessas algumas palavras: é claro que sim.

Minha Presença saúda-os, e eu deixo voltar aquele que quer voltar.


O.M. AÏVANHOV

Bem, caros amigos, vocês têm, ainda, outras questões?, sabendo que eu voltarei, um pouco mais tarde, para uma pequena exposição, porque vocês não me deram oportunidade de transmitir a minha exposição agora.
Vocês têm outras questões, entretanto?


Questão 18: em alguns momentos, mesmo nesta sala, eu vejo como uma névoa leitosa, que se densifica por momentos. É a densificação das partículas adamantinas ou outra coisa?

Mas é a conjunção de sua Luz, de nossa Luz, de nosso alinhamento e, também, da Ascensão.
Eu já disse, você sabe, a partir da atribuição vibral, vocês estão em Ascensão.
A Ascensão é a Luz Branca, portanto, parece-me lógico que haja, cada vez mais, Luz Branca, que assinala sua presença, nossa presença e nossa reunião em nossos corações e, também, a presença da Luz Branca.
Eu o lembro de que você a vê cada vez mais, aqui ou alhures, em sua vida, no teto, na natureza, nos vórtices elementares.
Então, é claro que é a Ascensão.
E depois, a um dado momento, o que é que vai acontecer?
Haverá pluf, nada mais, nada mais que a Luz Branca, e, depois, cama.

Então, você verá, cada vez mais, a Luz Branca, no interior de si, no exterior de si, junto aos seus irmãos, junto às suas irmãs, encarnados, na natureza, junto aos elementais.
E você vai, mesmo, ter a surpresa, se tenta tirar uma foto, no momento em que a Luz Branca está aí, você vai desaparecer na foto.
Você vai estar luminoso, com uma coloração ligada à encarnação, é claro, porque, no aparelho moderno de foto, você não verá o branco, apenas as orbes que se vê em branco, em contrapartida, você verá a coloração da alma.
Se a alma está, totalmente, liberada, a luz será dourada, magnífica.
Mas você a vê, como você está no Supramental, como a Luz Branca.
Mas o aparelho não é Supramental, portanto, ele vê as cores visíveis no espectro, mesmo se seja invisível aos seus olhos de carne, ele vai traduzir esse branco que aparece ao seu redor, Cristo que aparece em você, pela Luz que é nomeada a Realização nesse mundo, que é essa magnífica luz dourada, por vezes, um pouco branca nas extremidades, mas, em especial, ao redor da cabeça e ao redor do peito, será dourada.

Você pode vê-la, mas você a verá em branco.
E, é claro que, em breve, você vai reencontrar-se no Branco uniforme e integral: é o planeta grelha, não o final, mas o primeiro, aquele que está em ressonância com a Estrela no céu e com a estase, e o Apelo de Maria.
Mas você vai ver que vai ver isso... você vai ver apenas o Branco e o Fogo.
É maravilhoso.

É claro que tudo isso se realiza em você e ao seu redor.
Você vai vê-lo, em todos os sentidos do termo, cada vez mais, a cada dia agora, e espere receber o espancar cósmico do mês de abril.

Ei, eu vejo alguns que começam a sair de seu alinhamento.
Vocês têm necessidade, talvez, de um pequeno momento de repouso, antes que eu venha encher-lhes os ouvidos e os corações com minha intervenção, e antes de deixar, prometo o lugar a Anael, porque ele, também, quer intervir.
Então, eu lhes transmito todas as minhas bênçãos e, depois, eu volto, mas quando vocês estiverem, digamos, restaurados ou esvaziados de alguns emunctórios.

Eu os abraço e aperto-os em meu coração e, em nome de Cristo, bravo!

Até breve.

----------------------



10 comentários:

  1. Célia, gostaria de agradecer o esforço e a rapidez nas traduções.
    Sou grata.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o que disse a Anônima, quanto a esta rapidez e este esforço de tradução, onde a Célia tem demonstrado, como sempre, a sua extraordinária determinação no cumprimento dessa sua voluntariosa e importante tarefa. Por vezes sinto que ela traduz mais rápido do que eu leio (rs). Então, para a caríssima Célia, não tenho como não continuar a render Graças e mais Graças...

    ResponderExcluir
  3. Caramba! Assim vocês me deixam encabulada...
    Eu até acho que estou demorando demais...
    Mas rendo Graças a vocês pelo reconhecimento e à Luz pela oportunidade de prestar esse pequeno Serviço.

    ResponderExcluir
  4. Sim Célia, tem sido maravilhoso todo este momento que estamos vivendo.
    E você colaborou para que isso se tornasse realidade. Rendo Graças!
    Do contrário, teríamos uma ideia apenas com as traduções hispânicas.
    E essas últimas mensagens, de fevereiro e março/2015, não sentia algo assim desde dezembro de 2012 com as do AD, elas possuem a mesma vibração.
    Está sendo mais do que a cereja do bolo!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Célia acompanho as mensagens desde o tempo do AD, gostaria de agradecer por seu empenho, e esforço em traduzir estas mensagens, muitas vezes altas horas da noite, pois saiba que nós vemos os horários que você posta, e realmente é de se admirar o trabalho que você tem feito, espero mesmo que nossos irmãos que nos ajudam nessa travessia possam recompensar-lhe muito, restituindo a você tudo o que você merece.

    Mais uma vez obrigado.

    Abraços.

    Ricardo.

    ResponderExcluir
  6. Céli, rendo graças ao seu esforço e dedicação,e estes momentos de graça que vivemos, grato pelas traduções que nos trazem informações por este momento que estamos passando, de coração a coração, na Paz e na Luz Crística

    ResponderExcluir
  7. Irmã Amada!!!! Você é um relâmpago, na sua tarefa... Eu sou uma tartaruga, ruminando as letrinhas... Você consegue passar nas traduções, todo o Amor, a Graça, dos nossos Intervenientes...

    RQ1- "Isso quer dizer que, nos recantos de seu ser há, ainda, pequenas poeiras, como eu já disse, não há mais tapete, não há mais possibilidade de pôr as poeiras sob os tapetes, e retirou-se, mesmo, o chão, não é? São, sobretudo, e quase sistemáticos, processos de eliminação. Porque a eliminação, eu diria, a mais forte, mesmo se ela o incomode menos, é ao nível do corpo.
    Quer seja por um acidente, quer seja por um traumatismo, as manifestações que sobrevêm, de maneira brutal, de modo incisivo, qualquer que seja a natureza, são, aí também, durante este período, eliminações.Há apenas que atravessar isso. Há apenas que vê-lo. Portanto, estar sempre, se possível, na fluidez da Unidade, qualquer que seja a dor da manifestação ou o problema que se produz em pesadelos ou em algumas relações, atravesse-os, tranquilamente. Isso demanda apenas isso.”

    RQ3- "Assim, portanto, perceber uma rotação, uma espiral ou uma circulação, ou uma vibração da energia entre os dois ouvidos, qualquer que seja o trajeto, assinala, simplesmente, o desenvolvimento, ao nível do corpo Ascensional, do que é chamada a clariaudiência, que os prepara, de algum modo, para ouvir Maria, se você já não a ouviu. Quer seja no momento coletivo, quer seja em outros momentos.”

    RQ4- "Em contrapartida, se você passa os dois guardiões do Limiar, aí não há mais problema algum.
    Você sabe onde você está, mesmo se haja, ainda, coisas que se eliminam, como quando eu respondi à questão anterior, que se eliminam, se você quiser, a partir do corpo ou a partir da psique.”


    RQ5- "A Existência nada tem a ver com isso.
    Porque, o que quer que aconteça e o que quer que se decida, a personalidade pode, sempre, protestar, mas o espírito de verdade conduzirá você a assumir, sem qualquer dificuldade, o que tomou o ritmo que lhe parecia alterar ou desviar sua tranquilidade.”

    ResponderExcluir
  8. RQ6- "A percepção consciente, com, mesmo, por vezes, um mecanismo doloroso ao nível de um dos Triângulos da cabeça, qualquer que seja, assinala, obviamente, a ativação do Elemento que você percebe. Porque você sabe que os quatro Elementos, se você os vive ao mesmo tempo no desenvolvimento, isso quer dizer que você está livre para dizer adeus a todo mundo. Mas se a dor é muito forte, isso não assinala um problema, é que há um desenvolvimento importante do Elemento em você. Não, unicamente, na consciência, mas, também, no corpo físico e nos envelopes sutis que eu chamo de casulos de Luz."

    RQ9- "Respirar de boca aberta ativará o Triângulo do Ar. Respirar de boca fechada ativará o Triângulo do Ar, o Triângulo da Terra e o Triângulo do Fogo, em proporções diferentes, segundo suas capacidades de Ascensão do elemento considerado ou de revelação, se prefere, de sua dimensão arquetípica."

    RQ11- " Essa Luz vai abrir o que são nomeados chacras, realizando bem mais do que uma modificação de consciência e energética, mas toca, também, a estrutura física."

    RQ12- "Cristo, por Sua presença, perguntará, sempre, apenas uma coisa: «Você quer ser meu Amigo?, ou «Você quer ser minha Esposa?».
    Qualquer que seja a apresentação desse Cristo.
    Quer Ele esteja em glória com o Coração reluzente, quer Ele esteja coroado de espinhos, o que é seu caso, o significado disso é o mesmo.​"​

    ResponderExcluir
  9. RQ13- "É, também, o que é nomeada a Crucificação.
    É por isso que você tem os pés que queimam e que você terá, também, em breve, as mãos que queimam.
    É o planeta grelha.​ É a revelação e a fusão dos quatro Elementos, é o retorno ao Éter primordial, portanto, à sua Eternidade.​ E, portanto, você é, através desses sintomas, como todos aqueles que os viviam, a prova patente e flagrante das energias da Liberação, independentemente do que resta a viver nesse caminho terrestre.​ Não é mais a Promessa e o Juramento.​ A Cruz Crística, a Cruz da Crucificação e da Ressurreição foi revelada.​ É melhor que Ele lhe dê a coroa do que a cruz, aliás, porque é um pouco pais pesada.​"

    RQ14- "Isso quer dizer, simplesmente, que, em seu programa de Espírito ou de alma, há, ainda pequenas coisas a integrar no interior de si. E se, em especial, há essa pinça, como você descreve, ou esses anéis que apertam um ou os dois tornozelos, isso quer dizer que a atribuição vibral é tão determinada, tão feliz, eu diria, que, se a dão a você, bem, você pararia de fazer o que você faz. Mas, se isso não se produz, porque há as pinças, é que é uma medida que protege, eu diria, de sua partida, e que é importante respeitar isso, porque haveria, talvez, em seu caso, uma demasiada facilidade para permanecer conosco lá em cima, ou com as irmãs Estrelas, mas não é para o momento."

    RQ15- "E o fato de sentir as argolas, os laços, ao mesmo tempo, nos tornozelos e nos pulsos, é certo, aí também, que isso foi feito para que você não vá embora, para curá-lo, mantendo sua presença aqui mesmo, na Terra, no chão."

    RQ16- "Bem amado, o único papel dessas crianças é, simplesmente, sua presença, e não uma função no sentido de uma pessoa. A presença delas, amorosa e irradiante, ancora a Luz, mesmo se essas crianças sejam percebidas, hoje, pelas forças arcaicas, como um erro. Isso não tem qualquer importância. As crianças que se encarnam hoje, quer seja sua primeira ou última encarnação, qualquer que seja sua dimensão de origem, qualquer que seja sua origem e qualquer que seja sua constituição elementar, estão aí apenas para viver o que está aí. Elas não têm outro objetivo que não ser, talvez, seus guias no que vem. O que se manifesta nesse mundo é desprovido de carma, sobretudo, para as crianças que tenham menos de cinco anos. Assim, portanto, uma anomalia genética não é nem uma punição nem uma retribuição, mas o meio de servir àqueles que conceberam essa criança. O único papel dessas crianças, qualquer que seja a sua anomalia ou sua presença, está aí apenas para favorecer a Passagem. Elas não têm outro objetivo que não esse, mesmo se elas não tenham a capacidade, de momento, para reconhecê-lo ou sabê-lo."

    RQ17- "O ESPÍRITO DO SOL - Bem amada, Luz eterna aqui presente, antes de responder a essa questão, porque a resposta é muito simples, eu desejo instalar-nos um no outro, antes, também, de retirar-me. Minha Presença saúda-os, e eu deixo voltar aquele que quer voltar."

    RQ18- "Mas é a conjunção de sua Luz, de nossa Luz, de nosso alinhamento e, também, da Ascensão. Então, é claro que é a Ascensão. E depois, a um dado momento, o que é que vai acontecer? Haverá pluf, nada mais, nada mais que a Luz Branca, e, depois, cama. Então, você verá, cada vez mais, a Luz Branca, no interior de si, no exterior de si, junto aos seus irmãos, junto às suas irmãs, encarnados, na natureza, junto aos elementais. Se a alma está, totalmente, liberada, a luz será dourada, magnífica. Você vai vê-lo, em todos os sentidos do termo, cada vez mais, a cada dia agora, e espere receber o espancar cósmico do mês de abril."

    ResponderExcluir
  10. Terceira Parte - Diversos Intervenientes

    Questão 1

    "A primeira coisa a compreender: você fala de subidas vibratórias, de alinhamentos e de meditações, em suma, de processos nos quais o Supramental, a Supraconsciência é conectada.
    "Isso quer dizer que, quando da reunião entre sua Supraconsciência e sua consciência comum há, eu diria, Evacuações que se criam e que acontecem em você, à noite. Isso quer dizer que, nos recantos de seu ser há, ainda, pequenas poeiras.

    "Sobretudo, durante este período, e isso será, eu lhes disse, durante o mês de abril. ... É, portanto, bem específico, nessa questão, deste período. Concordamos, não é?
    "Isso não é nem uma regressão nem uma meia-volta do Si. São, sobretudo, e quase sistemáticos, Processos de Eliminações.

    "Portanto, estar, sempre, se possível, na Fluidez da Unidade, qualquer, que seja a dor da manifestação ou o problema que se produz em pesadelos ou em algumas relações, Atravesse-os, Tranquilamente. Isso demanda apenas isso.
    "Não há que reajustar-se a propósito disso ou daquilo, há apenas que Deixar Fazer o que se faz.
    "Há apenas que Atravessar isso. Há apenas que Vê-lo.

    "Tudo o que surge de maneira inesperada, brutal ao nível do corpo ou da consciência, é apenas um espaço de Resolução espontânea ligada à Inteligência da Luz.
    "Atravesse-o, Tranquilamente, e você verá que isso vai desaparecer. ... "Deixar Atravessar-se", atravessar você mesmo, esse sonho ou esse pesadelo, terminá-lo e concluí-lo.

    "O único significado possível é a Eliminação via o corpo ou via o psiquismo de alguma coisa que freava o Desenvolvimento do Corpo Ascensional."


    Mais uma vez Célia, Rendo Graças pelo Canal de Serviço da Luz que você representa.

    ResponderExcluir