Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

15 de ago de 2014

IRMÃO K (Por Jacob) – 15 de agosto de 2014


Eu sou Irmão K.
Irmãos e irmãs na humanidade, na carne, tomemos alguns instantes de silêncio e de comunhão, antes que eu me exprima, na sequência de Metatron, para, com minhas palavras, dar-lhes, eu diria, uma linha diretriz.
Referindo-se, é claro, a elementos históricos, mas bem mais do que isso, à similaridade de cada uma de suas vidas com esses momentos históricos de seu passado e de nosso passado nessa Terra.
Comunguemos.

Há muitos milênios que numerosas entidades vieram aportar seu testemunho sobre esta Terra.
Pela verdade da vivência deles, bem mais do que seu próprio ensinamento – uma vez que ditos ensinamentos, frequentemente, foram, sempre, transformados –, mas, voltando à origem dessas histórias, embora diferentes, concernentes a esses seres, quer vocês os chamem de Boddhisattvas, de avatares, de mestres, de profetas, pouco importa, muitos foram, tanto no Oriente como no Ocidente, aqueles que vieram transmitir-lhes sua palavra, concernente aos reinos que não são desse mundo e que são, no entanto, bem mais importantes do que tudo o que vocês tinham a viver nesse mundo.

Se vocês observam, e se têm o conhecimento de alguns desses seres, através do que foi dito ou através de sua experiência pessoais, vocês observarão que, qualquer que seja a coloração, houve, sempre, a mesma intensidade de Luz ou, mesmo se as palavras não fossem as mesmas, concernentes aos reinos da Luz, os reinos do além.

Numerosos são esses seres que os convidaram a imitá-los, a segui-los, não como vocês seguiriam uma pessoa, mas, mais, como seguir um modelo.
Esses seres mantiveram, à maneira deles, essa conexão à Fonte para o conjunto da humanidade.

Esse aporte e esses apoios, hoje, vocês compreenderam, não lhes são mais de qualquer utilidade porque, hoje, é a cada um de vocês que cabe ser o profeta do Amor e da Verdade, sem distinção de origem, sem distinção de idade, sem distinção de nível.
Onde quer que vocês estejam, aí onde vocês estão, vocês têm a testemunhar, vocês tem que sorrir, vocês têm que abrir, totalmente, sem condições, a eternidade de seu coração.

Os sinais que se acumulam, em cada uma de suas vidas, como nesse mundo, estão aí para provar-lhes que nada pode durar no efêmero, em relação à Vida, em relação ao Amor.

Seu posicionamento e seu ajustamento vão desenrolar-se da maneira a mais pacífica que seja e a mais natural que seja, a partir do instante em que vocês aquiescerem, a partir do instante em que vocês disserem Sim a Cristo, a Buda, a Maria e, sobretudo, a si mesmos, em sua eternidade.
A partir daquele instante, nenhum sofrimento, nenhuma coação, nenhum limite desse mundo poderá mais, jamais, afetar, de maneira alguma, o que vocês são.

Para isso, nada há a fazer, apenas reconhecer sua impotência e sua grandeza na humildade.
Do mesmo modo que esse corpo nasce, cresce e, um dia, perece, do mesmo modo desenrola-se a vida nesse mundo e toda a vida nesse mundo.

A Luz é simples, o Amor é simples, ele não conhece qualquer entrave, qualquer laço, qualquer subordinação, como qualquer apego.
Porque o Amor torna livre, e põe fim a toda organização, a toda estrutura, a toda submissão, como a todo poder.
É isso que, em um plano prático, vai viver-se, se esse já não é o caso.
Em qualquer circunstância de sua vida, desde a maior das alegrias como o maior dos sofrimentos, vocês serão chamados a dar-se conta de que nada disso é duradouro e de que nada disso pode manter-se diante do Amor.
Não o amor que vocês projetam, não o amor que vocês emanam, não o amor que vocês pensam, não o amor que vocês experimentam, mas, realmente, o Amor que vocês são.
Há uma diferença fundamental entre amar e ser amado e, sobretudo, com o Amor que vocês nomearam incondicional, que não tem necessidade de qualquer causa, de qualquer condição e de qualquer circunstância para ser.

Vocês são convidados, portanto, a deixar seus fardos à ação da Graça.
Vocês são convidados, cada semana, a viver isso de maneira cada vez mais intensa, de maneira cada vez mais fácil também, se o aceitam.

O Amor não se conquista, o Amor não é uma prova nem uma manifestação, ele é o que nós somos, todos, o que é toda a vida, qualquer que seja sua forma, qualquer que seja sua expressão.
Tanto no átomo como no maior predador, há a mesma quantidade de Vida e de Amor, simplesmente, a expressão e a expansão da consciência não é a mesma.
Mas tudo é UM, em Verdade.

Depositando seus fardos, mesmo aqueles que, hoje, possam parecer-lhes, ainda, afetar o Amor, vocês demonstram, simplesmente, que seu posicionamento em face do Amor não é, absolutamente, o Amor.
Porque o Amor transcende e apaga todo sofrimento, porque o Amor que vocês são é capaz de dissolver todas as oposições, todas as resistências, todas as ilusões.

Se vocês aquiescem ao Amor, no princípio de que vocês são ele, vocês constatarão, muito rapidamente, que nada pode ter tomada em sua Presença, que nada pode ter tomada nesse mundo, nos reinos do alto.

Meu lembrete é, uma vez mais, hoje, um lembrete à evidência, à evidência do Amor que vocês são, justamente, quando nada fazem, quando sua vontade própria é aniquilada, não para desaparecer em um anonimato, mas, bem mais, para desaparecer no Fogo do Amor, aquele de sua eternidade.
Vocês têm vivido certo número de experiências, de manifestações, de sincronias; hoje, vocês devem ir mais longe, ao centro de si mesmos, em um espaço no qual nenhuma circunstância que vocês vivam possa afetar isso.

Nesse sentido, o Face a Face resolve-se em uma união de contrários e de opostos, se posso dizer, para viver a Unidade.
O despertar do Espírito, total, o Fogo da alma como o Fogo do Espírito estão em vocês e dão-lhes a viver neste período, a partir do instante em que vocês estiverem reunidos em Seu nome, quer vocês o nomeiem Cristo, avatar, Boddhisattva, mestre, profeta, pouco importa.
São apenas denominações que traduzem, de algum modo, a caricatura, pelo próprio véu da consciência daquele que observa.
Aquele que é livre nesse mundo não vê qualquer nuance na eternidade entre Cristo, Buda ou qualquer outro profeta ou Filho do Um revelado a si mesmo, que se manifesta nesse mundo.

Reconhecer isso não pelo pensamento, mas, sim, como uma realidade essencial vivida, conduz vocês a esse último ajuste.
O impulso Metatrônico, o conjunto de chaves Metatrônicas em uma oitava superior do que havia sido realizado até o presente, permitirá a vocês, durante as sete semanas a vir, de seu tempo, compreender isso, vivê-lo.
Se devemos falar de manifestação na consciência, da energia e da vibração, isso apenas pode ser pela reunificação, como foi dito, da Onda de Vida, do Espírito Santo, da irradiação da Fonte e da radiação do Ultravioleta em seu Templo interior.

Além de todas as manifestações que sobrevêm nesse lugar, o fim do Face a Face e a aproximação de Cristo traduzem-se pela fusão, em seu Canal Mariano, com seu corpo de carne, o que põe fim aos últimos véus, às últimas separações.

Vocês podem favorecer isso; os encontros com Metatron são um dos favorecimentos, a humildade é o mais seguro.
Tenham a humildade de reconhecer nada ser nesse mundo, ao mesmo tempo estando, plenamente, nesse mundo, em cada olhar, em cada pensamento, em cada gesto que vocês emitam para consigo mesmos e para com cada um de vocês.

A fusão do Canal Mariano, perceptível em sua carne, a presença, por vezes, dolorosa da Porta Ki-Ris-Ti em suas costas, e do impulso Metatrônico vão dar-lhes a reconhecer, cada vez mais, os reinos da Eternidade, não mais, unicamente, para pesar o pró e o contra, da Eternidade em relação ao efêmero, mas, bem mais, para aportar-lhes a certeza, traduzida por uma Alegria e uma Paz que eu qualificaria de inextinguível, incomensurável, contagiosa, que ganha, de próximo em próximo, o conjunto da humanidade.

Aí está seu único recurso, em face da dissolução desse mundo.
Os elementos visíveis desse mundo, a partir de hoje, qualquer que seja o lugar onde vocês estão na superfície desse mundo, vão tomar uma importância e uma intensidade a nenhuma outra similar.
Seu único recurso é o que vocês são no interior e em nossa fusão, e em nossas comunhões.
A única força maior que a dissolução desse mundo é, justamente, o Amor.
Porque é o Amor que dissolve o que está corrompido, o que está alterado.
Isso lhes aparecerá cada vez mais claramente, cada vez mais com insistência.
Ao longo desses momentos, não recaiam, em caso algum, no julgamento de si mesmos ou do outro, ou de circunstâncias desse mundo, mas entrem, cada vez mais, em si mesmos, entrem, cada vez mais, na evidência e na Vida, porque é a única porta de saída que os preencherá e que os levará ao que vocês já experimentaram, mas, não mais, como simples experiência, mas como um estado definitivo que não depende mais de qualquer circunstância desse mundo e dessa vida.

Nós estamos aí, com vocês, o conjunto de irmãos e irmãs, o que quer que ele lhes traga, uma flor ou um fuzil, não tem outro objetivo, em definitivo e por trás das aparências, do que levá-los ao Amor, de uma maneira ou de outra.

Esse convite à interioridade vai fazer-se cada vez mais premente porque, progressivamente e á medida de suas vivências e de suas experiências, vocês constatarão, por si mesmos, que o único recurso útil e eficaz será o Amor.
Nenhuma outra força, mesmo do conhecimento o mais brilhante, do histórico o mais intenso, do passado o mais memorável ou do futuro o mais fantástico nada pesarão, estritamente nada, diante da eternidade do Amor.
Isso não é para adotar como um princípio ou como uma ideia, mas para viver, e vocês vão vivê-lo, se já não é o caso.
Mas lembrem-se de que, qualquer que seja a intensidade, na dor ou na Alegria exprimível por uma emoção humana, são apenas ferramentas que os levam ao Amor incondicionado, total e absoluto.

Certamente, nos últimos momentos, o próprio Cristo e muitos outros depois Dele ou antes Dele, perseguidos por sua luz, que é aquela do Pai, podem, até o último momento, exprimir o que exprimiu Cristo na Cruz.
Quando vocês chegarem nisso, nesse momento de sua vida, então, para vocês, tudo será liberado.
Lembrem-se de que nenhuma parcela de sua inteligência, nenhuma parcela do que lhes serve nesse mundo ser-lhes-á de qualquer utilidade para realizar isso.

Cristo disse: «Ninguém pode penetrar o reino dos Céus se não volta a ser como uma criança».
Nenhuma de suas propriedades, nenhuma de suas regras nesse mundo, muito lógicas para viver nesse mundo, poderá mais manter-se, de qualquer maneira que seja, em face da evidência do Amor.
É nesse sentido que tudo o que lhes foi dito, por diversas vozes, durante o período que se abriu há algumas semanas, vão, todas, ao mesmo sentido.

Dito em termos mais simples: soltem.
Soltar tudo não quer dizer, com isso, desviar-se da vida, mas, bem ao contrário, aceitar a vida, deixar a vida conduzi-los ao invés de conduzir sua vida, com o mesmo humor, sem julgamento, sem emoções.
Aceitem isso e a magnificência de Cristo ser-lhes-á revelada, completamente.

O abandono à Graça, como disse Metatron, é bem mais do que o abandono à Luz.
É aceitar que o Amor e a Vida conduzem-nos e que não são mais vocês que conduzem sua vida e o Amor, como vocês aspiram, como vocês o desejam, mas que vocês se apagam diante da majestade do Amor incondicionado, indo às suas ocupações, indo às suas obrigações, mas com o coração leve, desapegado de todo condicionamento, de toda suposição, de todo julgamento.
Aí está o Amor verdadeiro, todo o resto não é do Amor ou, em todo caso, um amor condicionado por suas experiências, suas crenças, seus anseios.
Esse amor, que era um sucedâneo do Amor, não tem mais lugar de ser.
Porque o Amor está aí, em abundância, mesmo se as circunstâncias de seu corpo, de sua vida ou desse mundo poderiam dar-lhes a pensar o inverso.
Mas se vocês pensam isso, eu lhes perguntaria, então, quem se exprime, o ego ou a Eternidade?
E vocês verão, cada vez mais distintamente, a diferença entre os dois.
Tanto em vocês como no exterior de vocês.

Cuidado com qualquer julgamento, porque Cristo havia dito: “À medida com a qual você julga, você será julgado”.
Eu acrescentaria mesmo: “À medida com a qual você julga, você se julgará a si mesmo”.
O Amor não tem necessidade de qualquer julgamento, de qualquer comparação, de qualquer manifestação, de qualquer condicionamento.
É essa evidência da Graça à qual vocês são convidados.

Chamem-nos, venham a nós, nós estamos aí para isso, vocês estão aí para isso.

Assim que as coisas se compliquem, elas não estão mais no Amor.
Vão para o simples, qualquer que seja a dose de Alegria ou a dose de sofrimento aparente.
O Amor está aí, destrancado pelas Chaves Metatrônicas e pelo retorno Daquele que vem, anunciado por seus céus e por sua Terra, assim como por nossas presenças multidimensionais, como físicas, aliás, agora junto a vocês.

Se lhes agrada observar as manifestações vibrais, observem, sobretudo, a presença ou a ausência de seu Canal Mariano, a distância desse Canal Mariano em relação ao seu limite corporal porque, quanto mais Ele se aproxima, mais vocês estão próximos do Amor incondicionado e mais Ele está próximo de Seu retorno.

Minhas palavras pararão aí, elas não requerem outras palavras nem outros comentários.
Permitam-me, novamente, fazer silêncio, render Graças por sua presença, aqui e em outros lugares, como por toda a parte.
Comunguemos, então, no silêncio.

Eu lhes digo, quanto a mim, até sempre, em nossa Eternidade comum.
Vocês são o Amor, o resto o é apenas de modo efêmero.
Mesmo se as manifestações dele sejam presentes e dolorosas, elas não têm sentido algum em face do Amor.

Eu sou Irmão K.
Comunguemos juntos, no silêncio da Graça.
Eu os saúdo.

---------------------

----------------------

3 comentários:

  1. Meu lembrete é, uma vez mais, hoje, um lembrete à evidência, à evidência do Amor que vocês são, justamente, quando nada fazem, quando sua vontade própria é aniquilada, não para desaparecer em um anonimato, mas, bem mais, para desaparecer no Fogo do Amor, aquele de sua eternidade.

    A única força maior que a dissolução desse mundo é, justamente, o Amor. Porque é o Amor que dissolve o que está corrompido, o que está alterado.

    Soltar tudo não quer dizer, com isso, desviar-se da vida, mas, bem ao contrário, aceitar a vida, deixar a vida conduzi-los ao invés de conduzir sua vida, com o mesmo humor, sem julgamento, sem emoções. Aceitem isso e a magnificência de Cristo ser-lhes-á revelada, completamente.

    ResponderExcluir
  2. "A partir do instante em que vocês aquiescerem, a partir do instante em que vocês disserem Sim a Cristo, ... sobretudo, a si mesmos, em sua Eternidade ... seu posicionamento e seu ajustamento vão desenrolar-se da maneira a mais pacífica que seja e a mais natural que seja.
    "A partir daquele instante, nenhum sofrimento, nenhuma coação, nenhum limite desse mundo poderá mais, jamais, afetar, de maneira alguma, o que vocês São.

    "Nesse sentido, o Face a Face resolve-se em uma união de contrários e de opostos, se posso dizer, para viver a Unidade.
    "O Despertar do Espírito, Total, o Fogo da alma como o Fogo do Espírito estão em vocês e dão-lhes a Viver neste período, ... vocês podem favorecer isso; os encontros com Metatron são um dos favorecimentos, a humildade é o mais seguro.

    "Hoje, é a cada um de vocês que cabe ser o profeta do Amor e da Verdade.
    "Onde quer que vocês estejam, aí onde vocês, vocês têm a Testemunhar, vocês tem que sorrir, vocês têm que abrir, totalmente, sem condições, a Eternidade de seu Coração.
    "Vocês são convidados, portanto, a deixar seus fardos à Ação da Graça. Vocês são convidados, cada semana, a Viver isso de maneira cada vez mais intensa, de maneira cada vez mais fácil também, se o aceitam.

    "Mas entrem, cada vez mais, em si mesmos, entrem, cada vez mais, na evidência e na Vida, porque é a única porta de saída que os preencherá e que os levará ao que vocês já experimentaram, mas não mais, como simples experiência, mas como um Estado Definitivo que não depende mais de qualquer circunstância desse mundo e dessa vida.

    "O Abandono à Graça, como disse Metatron, é bem mais do que o Abandono à Luz.
    " É aceitar que o Amor e a Vida Conduzem-nos e que não são mais vocês que conduzem sua vida e o Amor, como vocês aspiram, como vocês o desejam, mas que vocês se apagam diante da majestade do Amor Incondicionado, indo às suas ocupações, indo às suas obrigações, mas com o coração leve, desapegado de todo condicionamento, de toda suposição, de todo julgamento.
    Aí está o Amor verdadeiro.
    "É essa Evidência da Graça à qual vocês são convidados."

    ResponderExcluir
  3. "Minhas palavras pararão aí, elas não requerem outras palavras nem outros comentários."

    ... !!!!!! Mensagem Manual, para leitura diária....Só isso... !!!!!

    ResponderExcluir