Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

30 de out de 2013

PHILIPPE DE LYON – 30 de outubro de 2013 – 21h


Trechos para todos.

Eis novas informações coletivas transmitidas pelo Mestre Philippe de Lyon, quando da reunião de 30 de outubro.

Por respeito à confidencialidade dos participantes, tudo o que concerne às intervenções individuais foi, naturalmente, retirado desses trechos.

Eu sou o Mestre Philippe de Lyon.
Estou radiante de acolhê-los em meu espaço, e radiante por seu acolhimento em seu espaço.

Esta noite, estarão presentes comigo Maria, assim como o conjunto de Estrelas.
Quando interviermos em cada um de vocês, o que faremos estará em ressonância com a humanidade.

Eu lhes agradeço, portanto, por sua participação nesse círculo, e eu os convido a começar em um instante de comunhão com o conjunto de Presenças que nós somos.

[Comunhão]

Há muito tempo, em seu tempo, vocês decidiram afastar-se de seu Corpo de Existência, de sua Eternidade.
Isso deve parar, vocês sabem.
Neste período, especificamente, nós os convidamos a fundir seus diferentes corpos, inscrevendo sua Eternidade nessa humanidade.

O homem não é, em caso algum, uma criatura destinada à fragilidade.
Em caso algum ele é destinado à precariedade na qual vocês se inscreveram.
O homem possui, em si, o conjunto da Criação.
É esse aspecto de si mesmo, o Homem Divino, que se inscreve em cada um de vocês quando seus corpos fundem-se.

[…]

Para fundir seus diferentes Corpos, é desejável suprimir as tensões no interior do corpo físico.
[…]

Ofereça ao Fogo de seu Coração o conjunto de seu passado, o conjunto de cristalizações.
Isso será, sem dúvida, desenvolvido por Osho, quando de sua intervenção no fim de semana.
Assim, vou ficar aí, no que concerne à informação relativa ao Fogo.
Eu posso, simplesmente, acrescentar que o Fogo é o Elemento determinante para reencontrar seu Corpo de Luz.
A Luz é o Fogo.

[…]

Reencontrar a Mãe Divina é reencontrar o casulo a partir do qual vocês emergem no Amor.

[…]

Juntar-se à sua Eternidade é colocar a Ilusão na lareira do Fogo.
Então, a Visão do Coração instala-se.

[…]

Os elementos do passado nada têm a aportar-lhes nesse mundo, se não é vir nutrir o Fogo em seu Coração.
Não tenham temor algum de ser consumido: o Fogo da Terra consome, o Fogo do Céu cria.

[…]

A Onda de Vida que vem ressoar, arder, em todos os espaços de seu corpo, chama o retorno de seu Corpo de Existência.

[…]

No «espaço fora de qualquer espaço», a comunhão torna-se fusão: é aí que Maria recebe-os.

[…]

Esse reencontro com o Corpo de Existência e o corpo físico é Alegria, é prazer, mas pode ser, igualmente, algo pouco doloroso, se resistências apresentam-se.
Mas o que dominará, de qualquer modo, é a Alegria, o êxtase.
Isso havia sido desenvolvido há muito tempo por Ma Ananda Moyi, falando de um instante em que não se sabe mais se o que se vive é sofrimento ou prazer.

[…]

Quando os Elementos tiverem encontrado o exato lugar no Coração, no coração do Coração, no corpo, então, o corpo físico e o Corpo de Existência unem-se, por sua vez.

[…]

A Repulsão é, para a Atração, o que Cristo é para a Visão.
O Estado Crístico é estar ao mais próximo da Fonte, é emanar o Mais Alto dos Céus.
Aí, a Visão pode apenas ser Amor.
Tudo é reconhecido além dos sentidos.
Naquele momento, intervém a frase: «Eu sou o Alfa e o Ômega», essa verdade que se revela em cada célula do corpo.

[…]

O Corpo de Existência possui a particularidade de poder reimprimir, reiniciar cada uma das células de seu corpo físico.
Esse é o segredo da longevidade ou da boa saúde.
Mesmo se o Corpo de Existência não esteja, ainda, instalado permanentemente, para a maior parte de vocês, vocês têm a possibilidade de chamá-lo, de fundir seus corpos com ele, permitindo, assim, aliviar seu corpo físico e prepará-lo para reencontrar seu Corpo de Eternidade.

[…]

Maria e o conjunto de Estrelas vêm, novamente, depositar seu Manto sobre os ombros de vocês.
Elas se retiram.

[…]

Eu os convido a portar uma atenção específica à relação que vocês têm com seu Corpo de Existência, à relação que vocês têm com seu Corpo de Existência, à relação que têm com o Fogo, tal como Osho voltará a falar em breve.

Eu lhes digo até muito em breve.
----------------------
Transmitido por Ar.

MARIA – 30 de outubro de 2013 (por Coletivo do UM)



Eu sou MARIA, Rainha dos Céus e da Terra.
Bem amados Filhos do Amor, eu intervenho entre vocês e em cada um de vocês, nesse momento mesmo.
Vários de vocês, cada vez mais numerosos, veem minha Presença acompanhar sua Presença.
Por nosso contato, por minhas palavras, por vezes, inúmeros Irmãos e Irmãs realizaram essa Ponte, essa União e o próprio sentido de meu Chamado, que nada mais é do que minha Natureza, em nossa Realiança e em nossa Liberdade.

Eu venho a vocês, nesses Tempos.
Não há mais tantos elementos a dar-lhes e a transmitir-lhes, outros que não sua própria percepção, em nossa própria Realiança e nossa própria União, que se exprime de diferentes maneiras, para cada um de vocês, mas cujo resultado é, certamente, inevitavelmente, o mesmo.
De nossa Realiança, de nossa União, de nossa Presença ao lado de suas Presenças revela-se o Milagre do Amor, aquele de sua Eternidade.
Neste fim de ano que vocês nomeiam 2013, e na véspera de um dia que evoca a Santidade e todos aqueles que os precederam nesse mundo e que deixaram marcas, bem mais amplas do que o que os doutores da fé quiseram nomear e estabelecer, cada Irmão e cada Irmã que, nesse mundo, levantou em si o conjunto de véus à sua própria Divindade é, a nosso ver, o que vocês nomeiam um Santo.
Não no sentido de uma perfeição, mas no sentido de uma santificação e de um testemunho.
Inúmeros deles (uma frágil proporção) exprimiram-se sobre isso de certa maneira, seja entre os Anciões, seja entre as Estrelas ou, ainda, outros Reinos que não aqueles da humanidade.
De qualquer maneira, a mensagem sempre foi, invariavelmente, a mesma: abram-se à Verdade, abram-se à Eternidade e vivam-Na.

Vivam esse Reencontro, essas diferentes Núpcias que lhes foram oferecidas e que lhes permitem, hoje, em número sempre maior, constatar, por si mesmos, a Verdade.
Não aquela de nossas palavras, nem mesmo o sentido de nossas palavras, mas, efetivamente, dessa Realiança, dessa União, de nossas próprias Comunhões, emergiu em vocês a Verdade, e essa Verdade não tem outra palavra que não a palavra Amor, que é Eternidade, o que nós somos, todos, na mesma Unidade, na mesma ausência de limites, nas Dimensões em que nós estamos estabelecidos, para sempre.
E não dimensões de passagem, com seu confinamento, como aqui, onde vocês colocam seus pés.

Eu venho a vocês, portanto, para reforçar essa Ponte de Luz que une nossos Reencontros e nossa Eternidade comum.
A humanidade, hoje, tem-se pronta para reencontrar seu destino, para que cada um de vocês esteja em seu exato lugar, no momento em que o Canto do Céu ressoa, levantando-se para todos, informados ou não, conscientes ou não, a Lembrança de sua Divindade, a Lembrança do Amor.
Para estabelecê-los no que é, para cada um de vocês, uma Nova Vida, na qual os limites não serão outros que não aqueles que vocês põem, vocês mesmos, por sua própria mestria, por sua própria Essência, e por seu próprio desejo de experiências ou de repouso, ou de Eternidade.

Há numerosas Moradas na Casa do Pai, isso já lhes havia sido dito.
Vocês constatam isso, vocês mesmos, através do conjunto de suas experiências, de suas vivências, aqui mesmo, nesse corpo perecível.
O Sopro do Espírito vivificou-os.
Nossos Reencontros reforçaram-nos.
A Luz encarnou-os, em sua Descida até o Núcleo da Terra, dando-lhes o apoio necessário ao que convém, agora, realizar.
Realização que nada tem a ver com um esforço de sua parte, mas, bem mais, com uma tranquilidade, um repouso, uma aceitação, uma aquiescência a isso.
Vocês estão, portanto, na aurora de seus Sinais do Céu.
Vocês estão na aurora das palavras pronunciadas e das quais nada pôde ser retirado nem removido, como anunciado por aquele que recebeu o testemunho daquele que foi nomeado meu Filho.
Hoje, isso está à sua fronteira, à sua margem e, para outros, enraizado em seu Coração.
Os múltiplos sinais de seu Despertar, qualquer que seja seu estágio e seu grau, tornam-se não mais, unicamente, aparentes, não mais, unicamente, evidentes, mas eu diria, mesmo, invasivos, vindo romper seus círculos, habituais e costumeiros, de sofrimento, de ação e reação, nesse mundo onde vocês andam.
O período de adaptação é mais ou menos fácil, porque essa Ressurreição – e é uma – acontece de modo mais ou menos simples, mais ou menos evidente, segundo o que resiste ou não.

Cada vez mais, inúmeros de vocês sobre a Terra vivem experiências específicas, que mostram elementos pertencentes a uma trama temporal específica, que é aquela que a Terra escolheu, para levar a efeito seu próprio Parto, um pouco como cada um de vocês o fez, em seu ritmo, ao seu modo, para conduzir, certamente, a um destino que lhes é próprio, mas, sobretudo, para adequá-los com a Eternidade.
É tempo de rememorar-se, não do passado, mas do Presente Eterno, que Canta a Liberdade, que Canta a Graça e que Canta a Leveza.
Não, vocês não estão sonhando.
Mesmo se seus sonhos sejam, por vezes, mais presentes.
Mesmo se, por vezes, suas experiências levem-nos a viver qualquer outra coisa que não aquilo a que estão habituados.
Mas, progressivamente e à medida que vocês deixam o lugar tomar-se pela Luz, progressivamente, vocês veem claramente, com seu Coração.
Segundo o sentido de todas as nossas palavras que temos pronunciado, uns e outros, segundo nossas esferas respectivas, durante esses anos, por múltiplas vozes agora, que todas convergem, para essa mesma particularidade de horizonte, que se situa para além desse espaço-tempo e que vem juntar-se ao seu espaço-tempo.

Isso lhes foi anunciado de múltiplos modos, por diferentes vozes, em diferentes épocas.
Os traços disso são inumeráveis na história desse Sistema Solar, para aqueles que, hoje, com seus meios, tiveram a ocasião de se interessar por isso.
Sem mesmo falar dessa reconexão, Total e Final, com seu Ser e sua Eternidade, que é a prova indiscutível, para cada um de vocês, em sua consciência, do que vocês São, e não mais do que creem ser.

Filhos do Céu e da Terra, nascidos do Céu e criados sobre a Terra, por vezes prisioneiro da Terra, seu trabalho elevou, eu diria, a Vibração comum do conjunto da humanidade.
Mesmo se o que lhes é dado a ver dá-lhes a aparência do inverso, e dar-lhes-á, cada vez mais.
Porque deixar esse olhar, quaisquer que sejam os aspectos dessa limitação, mostra-lhes a parte relativa entre sua Eternidade e seu corpo nesse mundo.
Não há qualquer medida comum.
Vocês sabem disso, vocês o experimentam, vocês o vivem.
Muitos de vocês têm essa sede, agora, disso, dessa Luz, desse Amor, que não conhece freio algum, limite algum, condição alguma.
Vocês o têm vivido e viverão, cada vez mais, a partir do instante em que o Céu abrir-se, de maneira clara e total, não, unicamente, para vocês que fizeram a experiência, em seus sonhos, em seus estados, mas, bem mais, mesmo na limitação da consciência confinada, de sua pessoa e de cada pessoa sobre esta Terra.

Como vocês o vivem, essas manifestações específicas são cada vez mais presentes, cada vez mais intensas, cada vez mais evidentes e requerem, de sua parte, como eu o disse e como vocês o constatam, cada vez menos esforço.
Tudo se torna mais fácil no Interior, independentemente do que esse mundo dá-lhes a ver e a viver, e no que vocês têm a viver, cada um, qualquer que seja sua localização nessa vida.
Isso é completamente correto, e vocês o compreenderão, se ainda não foi feito, progressivamente e à medida que vocês deixarem essa Imensidade ser o que vocês São.

Vocês emergirão na realidade Infinita do Amor.
Vocês emergem e Renascem, após terem passado as Portas do esquecimento, em plena consciência.
Esse Renascimento, essa Ressurreição é uma grande Alegria.
Só o que é antigo, e que possa subsistir em vocês, pode dar-lhes a impressão de uma nostalgia, ou mesmo de um luto.
Isso representa, talvez, os últimos medos do Desconhecido, as últimas interrogações daquele que não é mais o mestre em vocês, ou seja, seu mental, mas que, entretanto, permite-lhes, ainda, servir-se de seus sentidos comuns nesse mundo, para ali fazer o que vocês têm a fazer, ainda, nesses tempos específicos.

Vocês se prepararam, há mais ou menos tempo, ou vocês se desviaram, há mais ou menos tempo, do que está aí agora.
Mas, para cada um de vocês, uma vez o elemento surpresa – mais ou menos importante, seja vivido, vocês constatarão que todas as interrogações, todas as dúvidas e os medos que possam subsistir serão substituídos por uma explosão de Riso, cada vez mais apaziguadora e gratificante para seu Coração.
Naqueles momentos, vocês Rirão.
Naquele momento, vocês terão se tornado o Amor.
Não haverá mais qualquer dúvida possível ou concebível.
Então, naquele momento, o que terminará nada mais é do que o sofrimento, nada mais é do que a ilusão.
E a verdadeira Vida começará, nesses aspectos que são seus, e que vocês têm se conscientizado e manifestado, mais ou menos, aqui, já, nesse mundo, o que lhes dá indicações sobre a Rota de Amor que é a sua.

A um dado momento, aquele que foi considerado como meu Filho disse: “Vigiem e orem”.
Ele disse isso em condições específicas, enquanto sabia que Sua sorte estava selada como pessoa.
Nesse momento, cada um de vocês vive os preparativos de sua própria Crucificação, no sentido de um sacrifício que os leva à sua Sacralidade.
É mais ou menos fácil, como qualquer parto, aliás, em seu mundo, mas o resultado disso é, invariavelmente, o nascimento e o grito de libertação.
Há, portanto, necessariamente, uma passagem que se faz, e essa passagem pode parecer-lhes mais ou menos próxima, mais ou menos difícil a apreender, mas lembrem-se de que tudo isso é apenas uma ilusão.
Quando vocês estiverem, realmente, desse ponto de vista que nomeiam o Outro Lado, constatarão, por si mesmos, que era a própria evidência.

O processo que se produz não requer, de vocês, sobretudo, a noção de purificar-se do que quer que seja, porque vocês são puros, de toda a Eternidade.
As únicas coisas que os retêm não vêm nem do passado nem dessa história nesse mundo, mas, simplesmente, de seu posicionamento.
Ir ao sentido da Luz é ir para o Sagrado.
É sacrificar-se à Luz, para a Luz e na Luz.
O que se sacrifica nada mais é do que o efêmero que, justamente, dá-se conta desse efêmero e que, em um último sopro, diz: “Pai, eu entrego meu Espírito entre Suas mãos para que, eu também, seja o Caminho, a Verdade e a Vida”.
Desposando CRISTO em um Casamento Místico; desposando a Presença em vocês, assim como o conjunto do Coletivo do UM, tanto nesse mundo como na Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres, quaisquer que sejam as circunstâncias, regozijem-se!
Permaneçam Centrados no Instante de sua Presença, aí, onde vocês sabem agora, por experiência, por pequenos toques sucessivos ou de maneira radical, tem-se a Verdade.
O que foi nomeado Fogo do Coração, Onda de Vida, Espírito Santo ou Shakti, tudo isso, agora, está Casado em vocês, o que lhes dá a prova dessa Transmutação, porque vocês são as testemunhas disso, onde isso se realiza.
Percebam-no.
Vejam-no.

Deixem o Amor ser o que vocês São.
Vocês constatarão, cada vez mais, que os únicos momentos, na superfície desse mundo, nos quais vocês estão menos bem, são os momentos, justamente, em que vocês se afastam de seu Centro.
Observem, também, que, se em sua vida, no curso de suas atividades, de suas ações, vocês se colocam por si mesmos ao Centro de seu Coração, então, a Leveza está aí, qualquer que seja a importância ou a dificuldade do que há a viver, para o sentido de ser uma pessoa, ainda.

Todos esses marcadores e essas experiências que vocês têm percorrido e vivido encontram, hoje, esse cumprimento nessa certeza, nesse Amor, na evidência da Luz, a evidência de nossas Presenças, a evidência do que vocês São e do que nós Somos.

Assim, eu os convido a olhar a si mesmos, segundo seus posicionamentos, segundo seus pontos de vista, o que lhes permite satisfazer o que vocês São ou o que mantêm nas resistências da ilusão.
Vejam, por si mesmos, quais são os resultados disso.
As mudanças manifestadas, tanto em vocês como nesse mundo tornam-se, cada vez mais, evidentes, e tornar-se-ão ainda mais.
Porque, efetivamente, o cenário final está plantado: aquele que assinala a Palavra, aquele que assinala a profecia, aquele que assinala o Apelo e o Despertar, a Ascensão, a Ressurreição, o Renascimento, o Retorno à Origem.
Tudo o que concerne ao seu lugar e seus lugares, no Ilimitado da Criação do Incriado.

Então, eu os convido a verificar, por si mesmos, esse Silêncio e essa Dança.
Eu os convido a viver, por si mesmos, em seu Ser Íntimo, todos esses Reencontros, todas essas Reuniões, porque é uma Festa.
No Coração, isso pode apenas ser isso, o que quer que digam os sentidos, o que quer que mostre o céu, o que quer que mostrem os homens.
Vocês poderão dizer, naquele momento, quaisquer que sejam as circunstâncias – porque isso será a evidência e não um perdão, qualquer que seja, a vocês mesmos ou a qualquer outro, mas, simplesmente, a evidencia –: “Pai, perdoe-os, eles não sabem o que fazem” porque, além do perdão, é o reconhecimento do que se joga no outro, através de sua própria vivência, porque vocês constatam, e verão, cada vez mais facilmente, o Abandono ou a Resistência, tanto em vocês como nesse mundo.

Deixem cada um ser o que ele crê ser seu caminho porque, para ele, é sua verdade.
Ela não sofre qualquer discussão.
Mesmo se, de onde vocês estão, isso possa parecer ilusão ou jogo estéril, mas aquele que não o vive, não o sabe, ainda.
Do mesmo modo que vocês, talvez, ontem, não sabiam, porque vocês não o tinham experimentado e vivido.

Vocês têm a chance, hoje, para muitos de vocês, de instalá-lo, enraizá-lo, cada vez mais profundamente, em vocês.
Então, sejam Amor.
No Amor há a indulgência.
No Amor há o perdão.
No Amor há, também, sobretudo, o Reconhecimento de cada outro, que nada mais é do que você e eu, e nós todos, em outro momento, em outro jogo.

O Amor é a Chave.
O Silêncio e a Dança são a expressão dele.
A Plenitude é o resultado.
Essa Plenitude não pode ser-lhes aportada por absolutamente nada desse mundo.
Disso vocês sabem agora.
O Reino dos Céus está em vocês.
Vocês dirão, então: “Eu e meu Pai somos UM”.
Não como um credo, mas como a Verdade de sua vivência.
Daí irradia e manifesta a Luz Autêntica, a Luz que é Fonte, de todas as coisas, para cada coisa, aqui e alhures.

Então, sejam, Simplesmente e Humildemente.
Aceitem o que está aí, porque há Libertação.
São vocês que o vivem, com a evidência.
Nós os Acolhemos, todas e todos, nessa Nova Ronda.
Além das danças da encarnação, mas, bem mais, na Dança da Alegria e do Espírito.
Vocês serão, também, cada vez mais numerosos a Receber o que é bom para vocês, por sua Voz Interior, pela Voz de Uma ou de Um de nós, por múltiplas Vozes.
Cabe a vocês experimentar e Viver!

Permaneçamos, agora, no Silêncio de nossa Comunhão, nesse espaço em que nada resiste, em que o Contentamento é a evidência, que se sobrepõe e restitui-os a si mesmos.
No Amor Infinito e Eterno, eu saúdo o que vocês São e entro em Comunhão, cada vez mais íntima e evidente, em cada um de vocês.
Eu sou MARIA, Rainha dos Céus e da Terra.
Eu permaneço com vocês e em vocês, nessa Comunhão.
Eu não lhes digo mais “até breve”, porque minha Presença é Eterna, como a sua.

---------------------
Transmitido por: Coletivo do Um
Transcrição no francês por: Marie-Louise Gaston



Maria e a Frota Mariana – 30 de outubro de 2013



Queridos filhos da Terra, queridos filhos de Luz, eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.
Nós viemos em grande número nesta noite tão especial, essa reunião de Amor que demos, para viver a Comunhão de coração a coração, com ainda mais profundidade, viver a Unidade, ainda mais intensamente, queridos filhos.

Mas, primeiro, eu gostaria de propor-lhes um pequeno tempo de Comunhão com cada um de vocês, no coração do Coração.
Os Melquisedeques da Terra, do Ar, do Fogo e da Água juntam-se a nós, igualmente, para essa reunião e para essa Comunhão.
Nós os convidamos, portanto, para começar, em um pequeno tempo de Silêncio.

(Comunhão – Silêncio)

Minhas doze Estrelas juntam-se a mim nessa Dança, essa Dança de Amor, de Fogo e de Água, de Ar, de Terra e de Éter, para anunciar-lhes grandes mudanças interiores e exteriores para os tempos que vêm, conforme o que já havíamos anunciado.
Saibam que o tempo do Amor está aí, verdadeiramente aí, o tempo da Dança, o tempo da Fusão.
A Fusão de nossos corações e de nossos corpos de Existência está em curso, queridos filhos.
Então, deixem fazer e acolham esse Fogo, Brémisskayan, sem apreensão alguma.
Deixem fazer, porque tudo está perfeito.

Nós trabalhamos, aí, em grande número, a partir de nossas embarcações e, notadamente, aí, hoje, nesse momento específico, a partir da Frota Intergaláctica dos Mundos Livres e Unificados, no que vocês nomeiam a Frota Mariana.
E, hoje, eu gostaria, eu, sua Mãe, de convidá-los a partilhar um momento de Amor e de Fusão, no coração dessas Vibrações que se aproximam, cada vez mais, de vocês, para habituá-los, ainda mais, à nossa Presença que é, também, sua Presença, para facilitar, nós diríamos, a Fusão de nossos corações nesse Fogo, esse Fogo de Amor Unitário que nós somos, em Verdade.

Juntos, sejamos esse Fogo.
Nesse instante, nós os acolhemos nas Vibrações dessa embarcação Mariana que, de algum modo, está em vocês.
E nós somos tão numerosos, tão numerosos a acolhê-los nesse espaço de Amor Livre, que vocês já conhecem e ao qual alguns, e cada vez mais numerosos de seus irmãos e irmãs, vêm juntar-se, vêm visitar, durante seus momentos de Comunhão, de Alinhamentos ou durante suas noites.

A Fonte Una, Fonte Mãe de Luz, de Amor está aí, igualmente, nesse Coração, nessa noite especial, e convida-os a abandonar-se ao que vocês são, a abrir-se a esse Coração de Fogo, a esse Coração de Amor, de Alegria e de Felicidade que nós somos, todos, em Unidade, desde sempre e para sempre.

(Silêncio)

A Dança da Onda de Vida instala-se, cada vez mais, em cada um de meus filhos, para restituí-los à sua Eternidade.
Então, juntos, sejamos UM, novamente, nesse banho de Amor, nesse oceano, oceano de Vida, oceano de Paz e de Silêncio, para que a Dança instale-se e expanda-se a partir desse solo, em todo o seu corpo e bem além, bem além.

Então, nesse instante, eu, sua Mãe, convido-os a abrir-se, tal uma flor, e a acolher essas mudanças, a aceitar todos esses eventos que já ocorreram, para alguns de vocês, em sua vida tridimensional, diríamos, mas, igualmente, nesse mundo, por tudo o que vocês podem ver ao nível do planeta.

Comunguemos, alguns instantes, novamente, filhos bem amados, Brémisskayan.

(Silêncio – Comunhão)

Que a Dança do Silêncio manifeste-se em cada coração, cada coração que esteja pronto a acolher-me, que esteja pronto a aceitar sua verdadeira Natureza.

Vocês vivem o tempo da Fusão, Fusão de todos os corações.
Não há palavras diante de tal esplendor.
Não há palavras para descrever a Alegria do que se desenrola, como a Alegria que vocês são, na Eternidade.

(Silêncio)

Nesse instante, agora, Brémisskayan, nós os convidamos a viver, para além de toda Comunhão, a Fusão do coração cristalino da Fonte Una com o coração cristalino da Terra-Mãe e seu coração cristalino que é, também, nosso coração cristalino, para dar-lhes conta, se posso dizer, que há apenas um único Coração, apenas uma única melodia, apenas um único canto de amor que se eleva e que dança, que gira, acariciando cada elemento da Criação de que faz parte.

Hoje, meus queridos filhos, eu venho envolvê-los com meu Amor, eu venho, cada vez mais, revelar-me a vocês, para acompanhar o Despertar da humanidade à sua mais gloriosa Natureza, ao Amor Verdadeiro que é Absoluto.
É o que vocês são, Brémisskayan, é de uma única voz, de um único coração, o que nós somos, de toda a Eternidade.
E isso se instala na maior evidência e na Fluidez, cada vez mais, para todos os filhos que me acolhem e aceitam abandonar-se em meus braços e aquiescer à Promessa.

Há, entre os irmãos intergalácticos dos mundos unificados que me cercam, que os cercam e que acompanham esse Renascimento, muita alegria, muita ternura para cada um de vocês.
Os Anjos do Senhor estão aí, ao seu lado, com muito Amor.
Abram-se à Presença deles, igualmente, abram-se, abram para eles seu coração, porque vocês são apenas um único e mesmo coração.

O Silêncio do Amor eleva-se a partir do coração de Gaia Terra-Mãe, embarcação de meu coração e berço dessa nova humanidade que nasce, pouco a pouco.
Sejam, cada um e cada uma, agradecidos por suas doações, por seu abandono, por esse acompanhamento de coração a coração, em simbiose com sua Mãe, a Terra, que não é outra senão meu coração manifestado nesse Plano.
Então, vocês veem que nós somos UM, de toda a Eternidade.
Não há nem início nem fim, nenhum ciclo, há apenas o Infinito.

E, hoje, eu os convido, como todos, a juntar-se a esse Centro, no coração desse oito do Infinito, que representa mundos unificados e mundos manifestados no coração, para viver essa reversão, essa Fusão do Criado e do Criador, se posso dizer, Fusão dos criadores e de sua projeção.
As palavras em seu mundo não podem descrever o que se desenrola nesses instantes, nesses tempos finais.
Então, é no Silêncio de nosso Amor que eu os convido a vibrar e a irradiar toda a Verdade de sua Natureza profunda.

(Linguagem Vibral)

Eu deposito, em cada um de vocês, a totalidade de meu Manto de Graça e de Amor, que os convida a fundir-se com minha Presença e meu coração de Fogo, porque eu não sou, unicamente, rainha dos Céus, mas eu sou, de algum modo, igualmente, rainha do Fogo.
Fogo do Amor, Fogo da Criação, Fogo da Liberdade.

Vivamos, juntos, esse tempo de Comunhão e de Fusão de coração a coração e de Presença a Presença para ajudá-los a redescobrir sua Presença de Eternidade e a acolhê-la, plenamente.

(Silêncio – Comunhão)

Eu os amo, Brémisskayan.
Reencontramo-nos, a cada noite, às 19 horas, para essa Fusão, de coração a coração, de Presença a Presença, e eu lhes peço, além desse horário específico, para acolher-me durante seus dias, abrir-se não, unicamente, à minha Presença, mas, igualmente, à sua Presença, sua Presença Cristo, sua Presença Miguel, sua Presença IS-IS, sua Presença Eterna.
Abram-se, tal um oceano de Amor, para acolher todos os seus irmãos e irmãs, seus irmãos e irmãs intergalácticos que estão aí e que vêm a vocês e que, por sua vez, acolhem-nos e guiam-nos com tanto Amor.

Haverá numerosos contatos, cada vez mais encontros, seja entre vocês, irmãos e irmãs dessa humanidade, mas, também, com seus irmãos e irmãs intergalácticos, como os Anjos do Senhor, que estão ainda mais próximos de vocês para esses tempos finais, quer sejam encontros físicos, mas, igualmente, encontros nos planos mais sutis, de Presença a Presença e de coração a coração.

Estejam na Alegria desses contatos, acolham, deixem fazer porque, desses encontros, decorrerão sua abertura ainda mais profunda, ainda maior à sua Eternidade.
E eu, Maria, sua Mãe, agradeço-lhes, agora e já, por seu acolhimento e esse abandono, ao que vocês são.

A Evidência que se instala e que dança, tal uma chama de amor, está aí para consumir tudo o que não é de sua Eternidade.
Então, deixem esse Fogo instalar-se e vir queimar tudo o que não tem mais lugar de ser, quaisquer que sejam os eventos exteriores, quaisquer que sejam os sintomas e as dores, acolham.
Acolham a Vida, acolham a Alegria, acolham esses encontros e esses reencontros divinos, que alguns de vocês e cada vez mais de vocês vivem.

Então, sejam Gratidão, por tudo o que está aí para vocês no instante, e vivam cada um desses instantes de sua vida com intensidade, no Fervor de Cristo e no abandono o mais total.
É nosso pedido.

Foi-lhes dito, muito recentemente, para deixar-se levar pelo vento, tal uma folha morta, tal um peixe na água, diríamos, igualmente, deixem-se conduzir, deixem-se guiar, porque só a Vida sabe melhor do que vocês.

Deem seu coração e sua vida toda, inteira, à divina Presença Ki-Ris-Ti, à Fonte Uma, para que ela seja o motor do que há a viver nesse mundo, nesse fim dos tempos ilusórios.

Assim, vivam a Festa, porque vocês são a Festa.
Vivam a Dança, porque vocês são a Dança.

Recebam, queridos filhos, nesse instante, todo o meu Amor, todo o nosso Amor.
Nós somos um único canto, enquanto esse canto eleva-se, através de vocês e através do coração dessa humanidade, para o núcleo terrestre que se abre e desfralda-se à Evidência e à Felicidade.

Vivamos, juntos, a União final do alto e de baixo, da Terra e do Sol, do Divino e do Unitário e do ilusório e do falsificado, para que tudo se cumpra.

Nós os amamos em Unidade e em Verdade.
Nós somos numerosos a render-lhes Graças, então, juntem-se a nós, no coração do Coração, aí, onde não há mais corpo, não há mais cenário, há apenas um único Coração de Amor, de Alegria, de Felicidade, que é apenas Graça.

Que a Graça revele-se em cada um dos corações de meus filhos.
Eu os amo para sempre, e eu estou em vocês, para sempre.
Eu os abraço, eu estou aí e venho, pela revelação da Presença em seu coração, colhê-los, para que a Verdade instale-se, inteiramente.

Sejam abençoados.
Graças, queridos filhos.
Gratidão, brémisskayan.
Até sempre e até cada instante e até cada dia, às 19 horas, para viver essa Fusão.
Graças a vocês.
Graças, SOHAN brémisskan.
---------
Transmitido por Séverine, do Coletivo dos filhos da lei de UM.

MARIA – 30 de outubro de 2013


Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.
Amados Filhos do Um, amadas Chamas Eternas, hoje, todos reunidos para celebrar a Fusão, cada vez mais intensa, com o que vocês são, de toda a Eternidade.
Hoje, podemos dizer que é uma festa, podemos observar as suas chamas acenderem-se e unificando-se por toda a superfície de sua Terra.

Hoje se realiza esse período de construção e desconstrução de um novo estado vibratório.
Momento em que um bom número de vocês já completou sua ascensão pessoal, sua fusão com o Corpo Etéreo de Fogo.
Isso se produziu para um grande número de vocês, nesses últimos meses, e, hoje, coletivamente, graças ao trabalho de elevação efetuado por todos nós, que abrimos a porta à Reversão coletiva, para a fusão total na presença, aqui e agora, de seu Corpo de Fogo, de sua consciência Absoluta.

Nestes momentos de Alegria, de lágrimas de alegria, em que a leveza explode dentro de si, mostra-lhes que todo o peso que tinham portado até agora não era mais do que uma ilusão, era apenas o peso ao qual haviam dado permissão, credibilidade, poder sobre vocês.
Porém, agora, vocês descobrem, de forma brutal, que estão além de toda contenção, de todo limite.

Assim, portanto, acolham, por uns instantes, a fusão de seu corpo físico com seu Corpo de Luz.
Acolham o Fogo que vem ressuscitar cada célula e cada parcela dessa dimensão.
Acolham.

... Fusão com o Corpo de Luz...

As manifestações que aparecem em seu corpo chegam, agora, ao seu ponto máximo de adaptação e ajuste às novas frequências das doze chaves vibratórias entregues pelo Arcanjo METATRON.
Percepções que levam sua consciência para além de todo limite, de todo confinamento.
O corpo pode mostrar vibrações extremas, em sua totalidade, nas extremidades, assim como, principalmente, na zona torácica.
O ponto ER do peito e o ponto KI-RIS-TI de suas costas acendem-se e conectam-se da frente para trás, perfurando os últimos envoltórios de seu Coração de Fogo.

Como vai nomear o Comandante dos Anciões, vocês entram em um estado de ebulição, tanto ao nível da Terra como em seu corpo, o que lhes indica que o momento está pronto.
Graças ao seu trabalho, graças à sua receptividade e acolhida, ao seu Coração aberto, hoje, tudo está consumado ao nível pessoal, para muitos de vocês, e à boa parte que despertará e fusionará nos próximos dias e semanas que vêm, com seu Corpo de Fogo.

A Estrela que vem brilhar em seu céu é, também, vocês mesmos.
A Semente de Estrelas que vocês são enraizou-se e cresceu e, agora, dá suas flores.
Portanto, a Estrela que vem brilhar dentro de si brilhará, por toda a Terra.

Filhos do Um, acolham o Fogo do Céu que chega, cada vez mais diretamente, na superfície da Terra, invadindo seu Céu com os sinais do Arcanjo MIGUEL.
Acolham, uma segunda vez, a fusão do corpo físico com seu Corpo de Luz.

... Fusão com o Corpo de Luz...

Filhos da Eternidade e da Luz, nada mais há a esperar, todos estão aqui.
Somos numerosos à sua volta, permanentemente, em seu Canal Mariano, sussurrando-lhes a canção que os leva ao seu Centro, à sua transparência total para a Luz.

Filhos da Alegria, nada mais há a projetar ou a temer em seu mental, em suas emoções.
Tudo está perfeitamente preparado para vocês.
Cada instante, cada situação é o presente que a Luz dá a vocês, nesses momentos de resolução planetária da Ascensão.

A cada dia que passa, seu corpo será capaz de aceitar e irradiar essa fusão com o Corpo Eterno mais claramente.
Cada momento que os aproxima do instante de meu Anúncio aproximá-los-á do que vocês São, com toda consciência, à sua consciência multidimensional.

À medida que os últimos eventos a nível planetário são desenvolvidos, sua Alegria e sua Graça serão totalmente impermeáveis a quaisquer dos estados e reações observáveis ao nível de seu ambiente, ao nível da sociedade.
Nada do que seja anunciado, e os medos que se filtraram através dos meios de comunicação, através dos irmãos que desconhecem o processo que se está levando a termo agora, na Terra, poderá afetá-los.
Sempre lhes dissemos que seria o medo ou o Amor.

Portanto, vocês são a garantia da Eternidade manifestada, aqui e agora, nesta Terra.
Acolham todos os eventos próximos ou mundiais que se produzirão a partir de sua Paz, a partir de sua Estância de Eternidade.
Assim, vocês facilitarão para a Terra e para os irmãos que acabaram de fundir-se com o Corpo de Luz sua Reversão Final.
Reversão Final para a Morada de Paz e Alegria, Reversão Final para o interior do que vocês São, o que sempre Foram e que esperou no Sol, durante toda essa experiência.

Nossa presença é efetiva no Sol, na Terra, em todo esse Sistema Solar que se vê, agora, atravessado e perfurado pela Luz Vibral, a Luz não desviada.
Estamos com vocês, na chegada do Fogo do Céu, dos sinais maiores que, como vocês sabem, chegam, agora, de forma iminente.
Acolham, então, pela terceira vez, a fusão do corpo físico com o Corpo de Luz, fusão do Coração de Fogo com o Coração da Terra, com o Coração de Sírius.
Acolham.

... Fusão com o Corpo de Luz...

Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.
Eu lhes entrego a sua Coroa.
Todas as minhas Estrelas, as minhas Virtudes são as suas doze Estrelas.
Reconheçam-se, vocês são Filhos da Alegria, Filhos da Eternidade.

Graças, amados Filhos, hoje, nossa União é Eterna.
Eu lhes dou a minha Paz, a minha Graça, que é a sua Paz, a sua Graça.
Que a Estrela que vocês São brilhe, por toda a Eternidade.

Aishalem, Iskylien, ISIS.
----------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.

25 de out de 2013

Convite de Maria para quarta-feira, 30 de outubro.



MARIA, a Mãe Divina, convida-os para um alinhamento e comunhão quarta-feira, dia 30 de outubro, às 21 horas (Hora de Paris, Barcelona...).

Uma comunhão vibratória para todos os irmãos do Um que sentem o chamado.
A duração do alinhamento será a que cada um sinta, em recepção e acolhimento, no silêncio ou com as palavras que Maria oferece.
Para facilitar, a nível coletivo, a Reversão Final, a Fusão do corpo físico com o corpo de Luz, e consolidar a conexão interior do Coração de Fogo ao Coração da Terra e ao Coração de Sírius.

ISIS
---------------

23 de out de 2013

O CORAÇÃO DOS ELOHIM – 23 de outubro de 2013


Nós somos o Coração dos Elohim.

Estamos animados de vir ao seu encontro esta noite, e estamos animados por seu acolhimento.

Nós desenvolvemos, há algum tempo, certo número de informações vibratórias, para permitir-lhes aproximar-se de nós, para que nós possamos, juntos, juntarmo-nos à fusão da Criação.

Nosso papel, na Criação de seu mundo, é de importância.
A cada nascimento, nós estamos aí.
Vocês são, portanto, marcados, desde seu nascimento, por nosso selo e, isso, quem quer que vocês sejam.
Nós não nos dirigimos, particularmente, aos Elohim em encarnação, mesmo se nossa vibração ressoe, particularmente, para aqueles de vocês que vibram, de toda a Eternidade, no Coração dos Elohim.

Viemos, esta noite, propor-lhes um espaço para permitir ao seu Corpo de Existência fundir-se com seu corpo de carne, o Divino que se junta ao humano, o humano Divino de toda a Eternidade.

Para isso, é preciso que você solte todo pertencimento à sua humanidade, todo pertencimento que faz de você um humano isolado do Divino.
Esse jamais foi o caso.
Só seu retiro deu-lhe a ilusão de fragilidade, a ilusão de dever entregar-se ao maior, mais poderoso do que você.

Observe esse posicionamento interior, se ele existe, ainda, em você, porque é isso que o mantém distante de sua Eternidade.
Isso pode manifestar-se por uma sensação de poder junto aos seus irmãos e irmãs, mas, se você se junta à sua Divindade, sua Eternidade, você não exerce mais qualquer poder.
Compreenda isso, para que você possa acolher sua Eternidade nesse mundo.
Não há qualquer incompatibilidade, não há qualquer façanha, essa é sua natureza, e sempre foi.
Só seu «trabalho», se se pode dizer, consiste e consistiu em sair desse papel de humano, pequeno ser perdido no meio do Universo, porque você é o Universo, se isso não vem inflar seu ego.

Nós, Coração dos Elohim, vamos, agora, iniciar a Fusão dos Corpos, no Silêncio.

[Silêncio / Fusão]

Ainda uma vez, nós insistimos no fato de que vocês são Seres Divinos, e que, em caso algum, não são os Arcanjos, Elohim, os Anciões ou a Fonte que liberam seu Corpo de Existência.
Esse Corpo é o seu, assim que vocês renunciam viver no medo e aceitam sua grandeza, em toda Humildade.
Não pode haver orgulho em ser o que nós somos, de toda Eternidade.
E é isso, simplesmente.

Nós instalamos, agora, um segundo espaço vibratório.

[Silêncio / Fusão]

O Despertar soou.
O esquecimento vem, deixando lugar para a Verdade.

A ativação de seus diferentes Corpos pode criar algumas sensações de perdas de equilíbrio ou de rodopios em um sentido ou no outro, ou mesmo em todos os sentidos ao mesmo tempo.
Não se alarmem com isso, porque tudo isso se reequilibrará muito rapidamente, com o hábito.

Nós lhes propomos um novo espaço vibratório.

[Silêncio / Fusão]

Nós somos o Coração dos Elohim, e nós os acompanhamos da maneira a mais próxima possível, tendo, mesmo, enviado nossos representantes à sua humanidade, nesses tempos específicos.
Poderíamos dizer que, nisso, nós contribuímos na famosa «equipe de solo» que, frequentemente, foi evocada.

É-lhe, portanto, possível fundir-se com nossas vibrações, qualquer que seja sua localização atual.

É possível que, nos próximos dias, vocês vejam aparecer novas circulações em seus corpos.
Talvez, vocês já tenham observado isso.

Para ajudar uma dessas circulações, que concerne à sua respiração, nós os convidamos a exercer pequenas massagens ou pressões, de cada lado da base de suas narinas, o que permite abrir dois novos canais em torno de seu canal central de circulação do ar.
Não há necessidade de dizer-lhes mais, isso será flagrante quando vocês o viverem.
Saibam, simplesmente, que essa respiração permite fazer circular os Elementos entre as diferentes dimensões nas quais vocês estão localizados.

Tomemos, uma última vez, se quiserem, o tempo de uma Comunhão, de uma fusão, no Silêncio.

[Silêncio / Fusão]

Ativemos, juntos, todos os marcadores que nós deixamos, nós, Elohim, em suas estruturas, o que nós chamamos os Crânios de Cristal, quando de nossas últimas intervenções.

Queridos irmãos e irmãs na Ronda Divina, nós lhes agradecemos pelo acolhimento que vocês nos reservaram.
Nós já vemos, de onde estamos, inúmeros movimentos iniciarem, o que significa que vocês nos acolheram, perfeitamente.

Nós lhes dizemos até muito em breve.

-----------------------
Transmitido por Ar.

21 de out de 2013

Maria – 21 de outubro de 2013




Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.
Queridos filhos de Amor, eu venho, neste dia, embalá-los, e dirigir-lhes uma mensagem especial.
Contudo, antes de começar, eu os convido a viver um instante de Comunhão, no Silêncio, no coração do Coração.

(Silêncio – Comunhão)

Os Melquisedeques juntam-se a mim, igualmente, assim como minhas Estrelas de Amor estão aí, acompanhando os Arcanjos e muitos e muitos irmãos e irmãs intergalácticos que estão aí, tão presentes, ao seu lado, para viver essa reversão final que se revela e que vocês vivem, cada vez mais, cada um em seu ritmo, cada um ao seu modo.

Queridos filhos de amor, gostaria de dizer-lhes em qual ponto estou presente, nesses tempos, junto de vocês e em seu coração.
Eu estou desde a eternidade das eternidades, mas, hoje, minha Presença manifesta-se, cada vez mais, em cada um de vocês, no coração de meus irmãos e irmãs que ousam acolher-me, que aceitam abrir-se à minha Presença.

Sim, o momento chegou de recuperar o Berço da Vida que nós somos.
E cada vez mais, minha Presença se junta à morada, se posso dizer, morada que é esse templo e esse coração de cada um de meus filhos.
Então, ousem abrir-se à minha Presença.
Sim, eu lhes peço, queridos filhos de amor, para abrir-me seu coração e acolher minha Presença, porque seu corpo, seu coração é minha morada.
E é tempo, para cada um e cada uma, de abrir-se, totalmente, à minha Presença, à Graça que vocês são e que nós somos.

Em cada um e cada uma de vocês eu deposito esse Manto azul de Graça, de Felicidade, de Amor infinito, para permitir-lhes reencontrar toda a sua Natureza, queridos filhos.
Então, acolham-no, acolham-me, permitam a ele revelar-se tal um pássaro de amor, que vem restituí-los à sua Eternidade, que vem depositar toda a Graça em seu coração.

Então, eu lhes peço, sejam transparentes, sejam totalmente transparentes, para que a Graça instale-se e desfralde-se através de vocês, para fazê-los penetrar nesse oceano de Amor.
Oceano de amor longe de ondas, longe da espuma de seu efêmero.
Aí, no Silêncio, penetrem o Coração desse oceano de Graça.
Ele sempre esteve aí, ele jamais os deixou.
É sua Natureza.

Também, eu os convido, hoje, e mais do que nunca, a Abandonar-se, a Abrir-se, inteiramente, e a Acolher minha Presença de Mãe, a acolher sua Eternidade, a acolher esse Fogo, esse Fogo de Amor, que transcende tudo o que vocês puderam conhecer nesse mundo, tudo o que vocês creem ser, mas que, entretanto, jamais o foi.

Juntos, tomemos alguns instantes de Silêncio nesse Coração de Amor que formamos, para viver esse acolhimento, essa abertura para sua Eternidade, queridos filhos.

(Silêncio – Comunhão)

Meu Manto de Graça vem aconchegá-los, vem espalhar-se e recobrir esse mundo, iluminado por minhas doze Estrelas tão amadas que, cada uma em seu lugar, faz o trabalho, sua Obra de Amor, sua Obra de Graça.
Tal um perfume de amor, ele se espalha em seu coração.
Então, por sua vez, abram-se para que, tal uma flor que se abre em face do Sol deixa, assim, a abelha ou a borboleta que virá colher seu Néctar de amor e que, na Graça, seu perfume gracioso espalha-se através de toda a Criação.

Queridos filhos, juntos, sejamos esse Perfume, juntos, nós somos esse Néctar de Amor, esse Néctar Divino, enquanto a flor que vocês são nesse mundo ilusório não seja mais afetada por qualquer efêmero que seja, pelo mental ou por uma crença.
Não se esqueçam de que sua verdadeira Natureza não é a flor, mas o Perfume.
Sim, queridos filhos, nós somos Perfume de Amor, Oceano de Graça, de Felicidade.
E todos nós os convidamos a juntar-se ao coração do Coração, ao coração da flor.
Bem além, reencontrem, voltem a mergulhar no Néctar Divino.
Esqueçam-se das pétalas, esqueçam-se da vida das folhas, esqueçam-se da carícia do vento, que pode vir balançar a flor e, enfim, em toda tranquilidade e em toda humildade, penetrem esse ninho acolhedor que é o Silêncio, para além de todo ninho, para além de qualquer confinamento, juntem-se à Vacuidade que nós somos, em Verdade e na Eternidade.
Assim colocada, o coração do Coração, a vida da flor pode fluir, em toda tranquilidade e em toda Fluidez.

Meus queridos filhos, vocês são, todos, como milhares de flores no coração de um campo, e revelam seu canto de amor, nosso canto comum, que é Onda de Graça, melodia de Alegria eterna e de Felicidade.

Eu os Amo, Brémisskaya, de todo meu Amor de Mãe, de todo meu Coração, desse mesmo coração que é UM, que é o que vocês são, desde sempre.
Nenhum de meus filhos está só, porque jamais eu os deixei e, mesmo se hoje eu retomo meu lugar, eu me junto à minha morada, nós somos Um.

Então, certamente, meus queridos filhos, é-lhes pedido, hoje, acolher o que vocês são, no Silêncio, em face de si mesmos.
Apenas em face de si mesmos, porque, de algum modo, é na solidão e no silêncio que vocês podem reencontrar-se, reverter-se.
E nessa reversão em face de si mesmos, no coração do Coração, vocês descobrirão que a solidão existe apenas nesse sonho coletivo, apenas em suas projeções.

O Amor Final espalha-se em cada um de seus corações, e chama-os à última reversão, reversão final, que os restituirá a si mesmos, à sua Eternidade.
Porque é a hora, é a hora, queridos filhos, para a reversão final.
Ousem esse face a face, mesmo que isso signifique perder a cabeça, perder sua vida efêmera, essa vida ilusória que vocês fabricaram, mas que não tem qualquer consistência em face de seu Eterno.

Então, acolham, acolham a minha Presença, acolham esse Desconhecido que vem bater à sua porta.
Abram-se, tenham Fé, Fé total na Vida, na Graça, no Final que se apresenta e que os convida a abandonar-se.
Então, tal um filho nos braços de sua Mãe, tenham confiança, deixem-se levar, deixem-se embalar, tal uma flor sob a carícia de um vento solar, deixem-se inundar de Amor, sem se preocupar com o que poderia acontecer, sem se inquietar com qualquer hipotético amanhã, porque só o Instante os faz penetrar o presente eterno além de qualquer tempo.
E, tal uma jovem esposa nos braços de seu marido, abandonem-se a esse Desconhecido, a esse Fogo de Amor, que se revela e que vem retomar todo o lugar dele.

Fiquem vazios, totalmente vazios de Silêncio, para entrar na Dança, para que a cadência do Amor revele-se ao ritmo do Eterno.

O Coro dos Anjos acompanha-os, assim como o meu.
Nós somos um único e mesmo Coração... Silêncio... Vacuidade... Eterno, enfim, reencontrado.

Acolham nossa Presença, porque ela não é outra senão sua Presença.
Esqueçam-se de tudo o que vocês aprenderam, estejam prontos para tudo perder, para tudo reencontrar.

O momento é agora, queridos filhos.
Sob o firmamento do Eterno Amor que nós somos, ousem brilhar com todo seu brilho, porque o Amor está aí.
Também eu lhes peço, não tenham medo desse Fogo que vem queimar todo seu efêmero, porque o Fogo do Amor não pode queimar o que vocês são na Eternidade, uma vez que vocês são esse Fogo.

Neste dia e no Eterno, meus queridos filhos, eu os chamo ao retorno final para sua Eternidade.
Brémisskaya, juntem-se à sua Morada, enquanto eu venho juntar-me à minha, e nós nos reencontramos nesse ponto, esse ponto além do tempo e do espaço, no coração do Coração, para que a sinfonia do Amor desdobre-se e revele-se, em uma explosão de Alegria e de Felicidade.

Queridos filhos, hoje, e mais do que nunca, eu venho a vocês.
Então, estejam prontos para acolher-me, inteiramente, e a abrir-se à minha Presença, que não é outra senão vocês mesmos.

A cada um, cada uma, eu ofereço minhas carícias de amor, eu os abraço, de coração a coração.
Recebam esse Beijo imaculado que marca, assim, o selo de sua Liberação e nossos Reencontros finais.

Os Melquisedeques saúdam-nos, assim como minha Armada de Amor, que está aí e que se revela ao seu lado. Nesse tempo, nesse fim de tempo, para acompanhá-los.
Nós todos, da Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres e Unificados, rendemos Graças a vocês.
Nós lhes rendemos Graças por todo o trabalho que foi realizado, por seu Acolhimento e seu Abandono.

Nós somos UM.
Então, assim, hoje, que o UM revele-se em cada um.

Eu os abraço, meus eternos amores; eu os abraço e rendo-lhes Graças, na eterna Vacuidade que é nossa Natureza.

Eu lhes agradeço por seu Acolhimento e digo-lhes até muito em breve, até muito em breve, no coração do Coração, para o Banquete final, para a grande Festa que está aí, que está aí.

Graças a vocês, até sempre e até cada instante.

-------------------------

Transmitido por Séverine, do Coletivo dos Filhos da Lei de UM.
Obrigado por partilhar essa mensagem em sua integralidade.

-----------------