Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

9 de ago de 2010

SRI AUROBINDO – 9 de agosto de 2010

Mensagem publicada em 16 de agosto de 2010
pelo SITE AUTRES DIMENSIONS



Eu sou Sri Aurobindo.
Caras Irmãs e caros Irmãos, volto entre vocês, nesse dia, a fim de me exprimir em palavras e em Consciência e, portanto, em Vibração, relativamente ao Fogo e o Silêncio.

Vamos, inicialmente, tentar apreender o que é o Silêncio e colocá-lo na consciência e, em particular, na consciência desperta comum do humano.

Recebam toda minha amizade, todo meu Amor.

Eu os agradeço por tentar apreender, além das palavras, a Vibração que emanará muito especialmente deste instante.

O Silêncio de que quero falar-lhes não é unicamente um Silêncio de palavras ou de sentidos, se bem que faz parte.

O Silêncio de palavras e o Silêncio dos sentidos é uma prévia ao Silêncio, porque é nesse primeiro Silêncio que a consciência, não estando mais voltada numa atividade que eu qualificaria de exterior, no sentido da ilusão, pode, enfim, tentar se voltar, ou mais exatamente voltar novamente, para a Essência ou para o Ser.

Todos os processos que visam a concorrer a esses pequenos silêncios vão permitir aproximar-se do Silêncio Interior, permitindo, a seu turno, um mecanismo de acesso à sua Eternidade, sua Existência.

Não pode ali existir percepção e consciência do que vocês são, para além da ilusão, enquanto sua consciência está centrada na mencionada ilusão.

Em várias tradições, a ilusão representa apenas uma projeção do Pensamento, das Emoções, dos Sentidos, em meio a uma construção cujas características são, antes de tudo, serem efêmeras e, exatamente após, estarem em ressonância com a lei de Ação e de Reação.

Assim, portanto, os sinais em relação com esta ilusão (que esses sinais sejam ligados aos sentidos, ou mesmo a uma atividade que vocês poderiam qualificar de interior, como o mundo das emoções e o mundo do mental), são, em definitivo, apenas freios e filtros para o acesso, para a percepção, da Consciência do que é Ilimitado e eterno.

O objetivo, certamente, não é absolutamente o de se retirar da ilusão, eis que vocês ali estão para agir, mas é preciso perceber a realidade, para além do real, para poder ali conduzir uma ação mais exata, para ali empreender uma ação que não seja submissa às leis da ilusão, mas, bem mais, para ali empreender uma ação vinda do Espírito e da Verdade.

Como o disseram vários intervenientes, esses últimos dias, o período no qual vocês estão mergulhados, na ilusão, toca a seu final.

Isso se traduz por sobressaltos bem compreensíveis.
Esses sobressaltos estão apenas ligados ao que resiste ao estabelecimento da Verdade, que esses sobressaltos existam em seu Ser manifestado, em seus parentes, como no mundo ilusório, em sua totalidade.

Torna-se portanto urgente, efetivamente, fazer Silêncio no mundo exterior, fazer Silêncio em você mesmo, do que participa da ilusão, para poder desabrochar para o Eterno.

E isso é possível apenas se os sinais pertencentes irremediavelmente ao mundo da ilusão se apaguem, de maneira temporária, permitindo-lhes, neste espaço restrito (que muitos chamaram de “meditação”, mas que, de fato, é apenas isso), tocar e Vibrar na Verdade.

Muitos são aqueles (e eu faço parte) que lhes desvendaram os mecanismos de funcionamento da Luz Vibral, em oposição à luz e à energia desse mundo ilusório.

Certo número de estruturas novas que estão em suas estruturas é despertado, revelado e colocado em ação.

É nessas estruturas novas, reveladas e desvendadas, que se vive a Eternidade e a Verdade, e em nenhum outro lugar.

Nós insistimos todos sobre a realidade da Vibração da Coroa Radiante do Coração e que é na Consciência emergente, no interior mesmo desta Coroa Radiante, que se realiza o acesso à Verdade.

E, sobretudo, que o marcador deste acesso à Verdade, no mundo ilusório, é a Alegria, em seus diferentes aspectos e cuja característica essencial é ser totalmente independente de uma total satisfação vinda da ilusão.

Vocês entraram portanto nos momentos finais da ilusão, onde tudo o que não é eterno desaparece, em vocês, como no exterior de vocês, como no mundo ilusório.

Esse mecanismo de desaparecimento e de estabelecimento da Eternidade (desaparecimento do efêmero em proveito da Eternidade) pode levar diferentes nomes, mas o nome o mais adaptado (em vocês, como no que acontece no exterior, no mundo ilusório) é chamado de Fogo do Amor.

Esse Fogo do Amor apenas pode se revelar se há Silêncio, efetivamente.
Esse Silêncio deve ser, prioritariamente, estabelecido em vocês, a fim de se traduzir, progressivamente, no mundo ilusório.

O silêncio é portanto um instante e um momento, observável na consciência, onde a interrupção dos sinais exteriores vai tornar possíveis os mecanismos Vibratórios no Coração e, agora, na Dupla Coroa da Cabeça, permitindo-lhes, por esses dois vieses, penetrar a Eternidade, em toda Lucidez e em toda Consciência e transfigurar a Verdade da Luz Vibral quando de seu retorno na ilusão.

De fato, ainda não é chegado o tempo exato de seu retorno definitivo na Eternidade, mesmo se alguns de vocês escolham esse caminho.
Não é o caminho mais habitual numa mudança desta Dimensão.

O indicador que vai estabelecer uma comunicação e uma conexão definitiva com a Verdade é bem o que acontece em suas estruturas físicas chamadas de chacras.
Quando esses chacras tornam-se ativos, eles são chamados de Coroa Radiante.

Quando o trabalho de reunificação está quase terminado, ativa-se em vocês, então, a Roda na Roda, em sua cabeça, e despertam-se então as Doze Virtudes.

Essas Doze Virtudes que foram chamadas por Maria de Doze Estrelas, serão objeto de um desenvolvimento mais intenso por Um Amigo.

De minha parte, vou insistir ainda mais sobre essas noções de Fogo e de Silêncio.

Aqueles que não conhecem o Fogo têm tendência a conceituar ou imaginar um fogo que queima, como o fogo da ilusão.

Esse Fogo não é um fogo efêmero.
Ele é uma qualidade Vibratória, existente nos Mundos Unificados, levado pela Tripla Irradiação da Unidade, existente nas partículas tanto do Ultravioleta como em outras partículas mais difíceis de encontrar na ilusão, mas que, todas, têm a particularidade de se estabelecer no Fogo primordial manifestado em todas as Dimensões e chamado de Fogo do Amor.

Esse Fogo tem por vocação consumir a ilusão a fim de emergir Eterno.

Assim como vários visionários descreveram, o mundo ilusório desaparecerá no Fogo, no Fogo do Sol, no Fogo da Onda Galáctica e no Fogo da Terra.

Se vocês estiverem colocados em sua eternidade, isso deve já evocar em vocês uma grande Alegria.

Se restarem ainda pedaços de personalidade, eu concebo também que vocês possam chamar isso de “Terror”.

Mas o Fogo do Amor que se instala vai aclimatá-los, eu diria, no lapso de tempo que resta, para estabelecê-los, em Consciência, nesse Fogo e, portanto, para experimentar, cada vez mais profundamente, a Verdade da Alegria Interior e a capacidade, atribuída cada vez mais generosamente por sua própria Vibração, para penetrar, em toda lucidez, seu corpo de Eternidade presente no Sol.

O conjunto de corpos de Eternidade deve, obviamente, chegar a entrar em contato com seus corpos efêmeros.

O que eu descrevi, há muito tempo, no Apocalipse que eu os convido, como no ano passado, a ler e reler, não intelectualmente, não para buscar um significado, mas, bem mais, para uma vivência Interior em sua própria Vibração.
Aí está a Chave Vibratória.

Nos dias de seu tempo Terrestre que vêm, até o derramamento final do Arcanjo Metatron, as vibrações de sua Eternidade, nesta estrutura física, vão aumentar-se grandemente, podendo desencadear mecanismos que vocês chamariam de «dolorosos», mas cuja tradução se faz por uma modificação, nítida e intensa, da consciência do efêmero, evocando, para esta consciência limitada, um fenômeno bem real de dissolução, tanto pela dificuldade para pensar como pela dificuldade mesmo para viver emoções que lhes eram no entanto habituais nesse mundo.

Esse processo concorre para a instalação das Chaves Metatrônicas e é diretamente, também, procedente dessas mesmas Chaves Metatrônicas.

É durante esta etapa que o reencontro com o Cristo Interior vai se realizar e é nesta consciência específica, intermediária (que não é nem da vigília, nem do sono), que se realizará o Anúncio de Maria.

Todos os seres que se consideram no caminho para sua Eternidade deverão aproveitar dos instantes em que a Vibração se faz mais intensa, para se voltar, ainda mais, se voltar para seu Ser verdadeiro.
Porque, quanto melhor vocês tiverem vivido as Vibrações nas Coroas Radiantes e no despertar do Sacrum, melhor terão interiorizado a Vibração nesses momentos, melhor vocês viverão este período intermediário, entre o limitado e o Ilimitado.

Lembrem-se também que essa passagem, essa reversão, acompanham-se de um mecanismo que estabiliza, em vocês, a Alegria.

Lembrem-se também que seu corpo é um ressonador suficiente, por ele mesmo, para justificar as inumeráveis formas de Yoga que existiram na Índia, ou ainda as diferentes formas de movimentos energéticos que existiram no resto do mundo.

Hoje, mais do que nunca, a Luz se infiltra.
A Luz Vibral penetrou esse mundo, o Fogo da Terra que ali responde é também desperto e desperta a Terra e você mesmo, nos três estágios de seu Ser, físico como espiritual.

Resta-lhes portanto acolher, abandonar-se, para esperar levar a efeito o final: estabelecer-se no Fogo do Coração, no Fogo do Amor.
E isso não pode existir, de nenhuma maneira, no mundo ilusório, de nenhuma maneira, em suas concepções, em seus pensamentos, em suas crenças, de nenhuma maneira em suas emoções, em seus afetos, em seus apegos, em suas relações.

Isso apenas se pode viver Só, em Si mesmo.

Apenas tocando a Eternidade que vocês poderão então realizar o caminho que resta a fazer nesta Dimensão, na Paz e na Serenidade, porque, naquele momento, vocês não crerão mais, mas vocês viverão o Fogo do Amor.

Isso lhes permitirá passar os mecanismos de resistências, por vezes violentos, que aqueles que recusam ainda a Luz serão obrigados a viver.

Isso se refere aos humanos, isso se refere às egrégoras, isso se refere às entidades não pertencentes à Luz, isso se refere aos Países, aos Continentes, em meio ao despertar do conjunto de elementos.

Esse movimento, que começou lentamente, desde mais de um ano, encontra agora um cumprimento importante, devido mesmo ao derramamento da Luz Metatrônica.

Cabe-lhe portanto acompanhar este crescimento da Vibração, este crescimento da conexão e da comunicação com sua Eternidade.
Ninguém além de você pode fazê-lo.
Nenhum ser exterior não pode ali conduzi-lo.

Apenas a Vibração, ela mesma, pode conduzi-lo, dissolvendo-o, você mesmo, na Vibração, até tornar-se esta Vibração do Fogo.

A ignição das duas Coroas, resultante da fusão da Coroa Radiante do Coração e da Cabeça, em sua Cabeça, a ignição das doze Estrelas, vai permitir-lhe estabelecer esta conexão.

Um Fogo ainda maior vai assim penetrar nesta estrutura física, como em seu Espírito e como em todas as suas estruturas ilusórias, dissolvendo-as, de maneira por vezes violenta e brutal, conduzindo-o a ver claramente e a ver a Verdade.

Quanto menos vocês resistirem, melhor vocês viverão esta etapa, até se identificarem ao Fogo do Amor, porque é o que vocês são, como Filhos da Luz, Sementes de estrelas e Filhos da Lei de Um.
Nós somos todos, sem exceção, esse Fogo do Coração e do Amor.

É preciso portanto ousar se olhar, não para ali aderir, não para tentar se melhorar, não é mais tempo disso.
É tempo simplesmente de aquiescer e aceitar que essas zonas de Sombra, que existem em todo humano, sejam purificadas pelo Fogo do Amor, permitindo, assim, dissolver os últimos apegos que vocês têm, uns e outros, não para fugir, mas, bem ao contrário, para ser Livre e trabalhar nesta Liberdade.

O Fogo é isso.
Ele é destruição, efetivamente, mas destruição do que era efêmero, do que não é Verdadeiro.
Ele forja, ao contrário, e torna transparente, o que é Verdadeiro, o que é do Domínio da Eternidade.

Esta alquimia do Fogo, vocês são chamados a realizá-la, a estabelecê-la inteiramente em sua vida, nesse mundo, ainda, qualquer que seja o tempo que lhe reste.

Mas, tendo tocado o Fogo do Amor e o Fogo do Coração, quando as duas Coroas Radiantes estiverem ativadas em sua Cabeça, você não poderá mais se identificar ao ilusório, de nenhuma maneira.
Você poderá apenas concorrer ao estabelecimento da nova Dimensão, em você como ao seu redor, estabelecer a Paz em meio à guerra, desse mundo que morre.

Nós voluntariamente empregamos expressões como lagarta e borboleta, ou Luz Vibral, a fim de desconectá-lo das ilusões da luz não Vibral.

Se retomamos, como exemplo, a Meditação.
Muitas técnicas, muitas pessoas os incitaram a meditar, para ver, e muitos seres ficam muito contentes, meditando, quando vêem, mas esta visão pertence tanto à ilusão como o que vocês vêem com seus olhos abertos, porque esta visão toca apenas o mundo astral, emocional, de projeção.

Não há o que se atrasar no que é visto, mas na Vibração que, sozinha, lhes permite ver além do que é visto, ver na Verdadeira Visão e não na ilusão.

Enorme número de seres humanos se faz enganar por esta visão astral ou pelos poderes do ego.

Recordem que no Fogo do Coração, há exatamente o Ser.
Não há lugar para as perguntas, não há lugar para as respostas, não há qualquer poder, exceto aquele de ser na Alegria, na Paz e na Eternidade.

Ir até o final, é, certamente, agora e mais do que nunca, recusar o que pertence à ilusão, mesmo em suas meditações.

Ir à Vibração mais pura e levar a sua Consciência sobre a Vibração, aquela percebida na Coroa Radiante do Coração ou ainda na dupla Coroa da Cabeça, para ali estabelecer-se.
E quando você ali se estabelece, há Silêncio Interior, desta vez.
Silêncio de tudo o que não é a Eternidade.
Não há, por conseguinte, mais imagem, não há, por conseguinte, mais vozes.
Há exatamente: Ser.

Aí está o objetivo, aí está a porta.
É apenas passando por aqui que você acede à Eternidade e não em tudo o que está à frente, que o afasta, mesmo no processo de meditação, de seu próprio objetivo.

Apreenda efetivamente isso, porque no derrame das Chaves Metatrônicas, alguns correm o risco de ser seduzidos por imagens, por projeções.

Retenham efetivamente que se vocês são Justos e Verdadeiros, as Vibrações permanecem e intensificam-se até fazê-los viver a Alegria.

Se afastam-se de sua precisão e de sua Verdade, nesse momento, as Vibrações afastar-se-ão de vocês e vocês se afastarão da Alegria.

O que lhes digo é primordial, para o derrame das Chaves Metatrônicas e para a sequência.
Devo dizer também, particularmente neste período que vai de agora ao final, vocês devem sair, o mais rapidamente possível, de todo fechamento e, em especial, ao nível espiritual, de toda crença, de toda escola que os uniria a uma egrégora e que os privaria da sua liberdade.

Vocês devem sair, o mais rapidamente possível, do que não é justo, do que não é verdadeiro, na sua estrada, mesmo na ilusão.

Isso representará, em pouco tempo, obstáculos essenciais a seu acesso à Existência.

Você não pode pretender, de modo algum, alimentar a Matriz e alimentar a Unidade.
É uma, ou outra.

Os níveis de Consciência e de Energia que vão tocar não permitirão que possam ainda alimentar a ilusão, de qualquer maneira, sem se destruírem, da mesma maneira.

A Unidade e o Fogo do Amor são a esse preço, a esta lucidez e a esta Consciência.

Vocês serão ajudados nas escolhas, nas decisões, pela própria Vibração, por sua intensificação ou sua rarefação, que os guiarão, mas, desta vez, em uma intensidade jamais igualada.

Vigie para manter seu Templo limpo, suas lâmpadas acesas, despertadas e conscientes, vibrantes na Unidade, para, aí também, terminar sua obra de dissolução da ilusão.

Vigie para ser livre, vigie para ser autêntico e, sobretudo, para ser cada vez mais humilde, a falta de humildade traduzindo simplesmente uma personalidade que tenta se impor face à Luz.

Retenha também que, mesmo no que você é, para além de qualquer visão, falsa, na Vibração, existe um elemento importante que é sua própria respiração e seu próprio batimento cardíaco, que podem aumentar o Fogo do Amor e o Fogo do Coração, o Fogo do Coração nutrindo-se, literalmente, de sua respiração, de seu sopro e de seu batimento cardíaco.

Esta alquimia, existente em suas estruturas, é real.
Ela pode ajudá-lo a permanecer no Fogo do Coração.
O importante sendo manter a conexão e a comunicação, pela Coroa Radiante do Coração e, se possível, pela Dupla Coroa, com a Unidade, a fim de não ser tocado, de uma maneira ou de outra, pela Dualidade, que se desmorona nesse mundo, como em vocês.

Assim como Maria disse, nós nos aproximamos, cada dia, pela Luz, pela Consciência e pela Vibração.

Cada dia é um passo a mais para sua Unificação e nosso reencontro.

Nós também, nós traçamos uma Ponte de Luz para Cristo.

Aí estão alguns elementos que, hoje, eu quis lhes dar, pelas Palavras e pela Vibração.

Eu lhes transmito o Fogo.

Que a Unidade esteja com vocês e em vocês.

Até muito breve.

______________________________
Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: www.autresdimensions.com.
Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário