Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

29 de mar de 2010

SOFRIMENTO, MANIPULAÇÃO E CURA

Publicado em 28 de março de 2010.

Aqueles que sofrem são geralmente manipuladores, porque não abordam sua verdade interior. O que quer dizer manipular aqui? Tomar um caminho desviado, obstruir, ocultar.

Quando há sofrimento, há um nó que bloqueia a circulação energética e, em consequência, a energia vai seguir um caminho destorcido, complexo, sinuoso. Ela se sobrecarrega por isso, ela falha por aí.

Isso significa que no plano humano, em suas relações com os outros, o mesmo processo vai se produzir, porque o que está ao alto é a imagem do que está abaixo, é essa a verdade de Deus.

Não se pode se esconder a si mesmo eternamente, não se pode mentir a si mesmo; pode-se adotar uma certa aparência um certo tempo, cobrir para esconder, mas cedo ou tarde a verdade se revela numa passagem de patamar de consciência.

O patamar de consciência está aí para abordar a verdade, é a parte divina que chama à ordem a ordem a reencontrar.

Curar é desembaraçar a fim de recolocar a ordem numa circulação energética e retirar a barragem para deixar correr a energia livremente. Nada mais.

Como recolocar a ordem? Não há outras soluções que a de voltar sobre a barragem, o nó, por conseguinte revelar-se a origem do nó e desfazê-lo e deixar ir.

É nosso ego que desembaraça e que traz sobre a bandeja o problema, é nosso ser divino que ilumina e cicatriza.

Existe um princípio fundamental em nossa evolução: não se monta com um motor (o motor do ego, por exemplo), eleva-se utilizando as forças e as leis universais, ou sobe-se como num aerostato que se alivia das cargas, aliviando-nos e deixando as forças nos levar. Para retirar uma carga, descer na raíz onde o nó se produziu.

Que acontece se nos elevamos com uma carga pesada por um motor do ego? Na ascensão, a carga vai nos chamar à ordem, isso vai nos dar medo e nos fazer cair feio, porque de mais alto.

É necessário, quando temos muitas camadas de ilusão em nossas cargas que não haja nada mais a fazer do que experimentar um choque para recomeçar a colocar a ordem.

Em outros termos, a mentira é muito prejudicial não no plano moral, mas naquele da evolução de nosso ser. Aquele que mente, mente de fato aos princípios divinos e nossa divindade vai nos chamar à ordem. Esta é a Lei.

É quando de uma passagem que o julgamento chega. O julgamento não é um princípio moral, é seu ego face a sua divindade. É o ego que faz o trabalho de ir à raiz, mas é a divindade que cura.

Aí está porque a escola do deixar ir é o ensinamento o mais forte. Deixar ir para suas sombras, seus medos e seus sofrimentos para se envolver sem problema como num aerostato.

Que acontece frequentemente com a espiritualidade?
Aquele que vibra alto irradia sobre o outro, ele eleva a frequência do outro agindo sobre sua divindade. Ele permite assim despertar-lhe sua divindade.

Mas a divindade não é nem o bom nem o mau, é Deus, a Luz e, por esse princípio, pouco importa uma queda, porque é um princípio, uma lei, não um personagem numa decoração.

Se aquele que vibra alto se retira quando o outro cai se tem uma carga, é a carga que faz cair.

É bom ver um ser humano como uma árvore. A árvore tem ramos que giram a cabeça para o céu, mas também raízes que mergulham na terra. Se as raízes são atacadas então as folhas se arruinam.

Que vêem os anjos do céu ? Provavelmente que a parte superior da árvore, a raiz pouco importa porque está ligada à Terra.

O ser humano deve olhar também sua raiz, porque ele é Homem e evolui por suas sombras antes de passar para uma outra dimensão, aquela dos Seres de luz que trabalham com os anjos.

Amar o outro é ajudá-lo a se despertar a si mesmo.
Antes de se ascender para a luz, revelar suas sombras para uma ascensão de sua consciência. Dar ao outro a força de abordar suas sombras em si lembra que lhe é preciso uma sagrada dose de amor para si mesmo, uma sagrada dose de estima de si para abordar suas sombras, em particular algumas obstinadas.

Aquele que revela as sombras obstinadas, consciente ou inconscientemente, àquele que não quer vê-las geralmente se faz enlamear. Se aquele que recebe projeções não está suficientemente ancorado em si mesmo e não conhece essas leis, então ele sofre do sentimento de injustiça, ele duvida também frente ao ego manipulador que muito experimentou nesse jogo e que criou mesmo desarmonias, por vezes profundas.

Permanecer firme com esse gênero de ego, mas sem julgar aquele que sofre; isso é que é difícil. Se ele chega verdadeiramente a isso, então ele verdadeiramente ajuda, porque ajuda ao outro a descer em sua raiz para retirar a pedra que bloqueia o desenvolvimento radical. A verdade é luz.

A importância permanente em seu ser é de uma importância vital para evoluir em sua consciência.

Amar-se, amar-se e ainda amar-se antes de amar os outros, porque o outro, mesmo se é um ser de luz, não resolverá a questão da raiz, porque é justamente esta raiz que é nosso teste de evolução aqui embaixo, pelos ramos e as folhas que são a cereja sobre o bolo.

A iniciação é apenas isso. Ir lá onde não há quase nada mais de luz para iluminar. Você não pode mais mentir a si, você não pode mais escapar, é o momento da verdade.

Se você aprende a espiritualidade nas palavras, nos rituais, você pode se iludir. Você cultiva um ego espiritual pelo conhecimento que mascara a necessidade de mergular na raiz.

Porque quando você desce na raiz, isso te ensina a humildade, e é bem normal, porque é frequentemente doloroso, sobretudo se se mente a si demasiadamente longo tempo.

Mente-se a si geralmente muito tempo quando se tem relacionamentos com sofrimentos inaceitáveis, tabus que resumem tudo o que confronta o homem em sua parte mais animal.

Para ajudar o outro a descer em sua raiz, soltar-se totalmente da emoção, sobretudo não se deixar influenciar por seu emocional que vai estar muito ativo nesse momento, porque é uma ferida emocional que se impregnou em sua alma.

No momento da revelação do nó e de seu desenlace, estar presente para lembrar-lhe que ele é um ser de luz, a fim de que ele não se deixe embarcar no turbilhão emocional que pode durar extremamente muito tempo.

O mental mente através do ego que esconde o que deveria ser revelado, seja porque tem medo, seja porque lhe falta coragem, seja porque não quer crescer, seja porque tem vergonha, em resumo, há « n » razões que explicam a manipulação do ego em sofrimento.

Cada ser humano desse mundo tem uma raiz, um tronco e ramos. Não há mistério.

Ajuda-se de dois modos: revelando as partes de sombra e ajudando os outros a se revelarem a sua divindade. Esses dois movimentos (descida e subida) são absolutamente indispensáveis.

Por vezes uma luz é tão pura, a irradiação tão cristalina, que o movimento se faz simultaneamente, são portanto curas « miraculosas », curas imediatas como aquelas que fazia Jesus, ou aqueles de Groening aparentemente.

Quando se acompanha nas raízes da árvore é bom tomar o controle do emocional, senão envolve-se pela manipulação do ego em sofrimento; é bom também estar em permanente ligação com sua luz, senão, duvida-se; é bom aprender a se rearmonizar, porque um ser em sofrimento bomba de energia porque seu nó bloqueia seu acesso a sua divindade, portanto, ele toma a energia do outro para se conectar à sua.

Enfim, é essencial amar-se incondicionalmente para não ceder no plano vibratório pelo ego em sofrimento.

Quando se olha um irmão em sofrimento, toma-se o olhar inicialmente ao estado das raízes porque a ordem é primeiro descer, antes de subir novamente. Uma árvore cresce primeiro pelo desenvolvimento das raízes.
Se as raízes são colocadas sobre uma pedra, a árvore vai crescer, porque a energia do céu é tão forte, mas atrofiará. A árvore deve encontrar boa terra para suas raízes, as raízes devem destruir as pedras.

As interferências geralmente fazem parte do jogo de manipulação do ego em sofrimento. O ego vai procurar mascarar o que ele não quer ver e vai utilizar o jogo sutil da divisão. Se se entra nesse jogo, então não há cura possível.

Nesta terceira dimensão, o emocional é a corda que faz ouvir o som do outro. O emocional é a pele do tam-tam, ele sente a vibração do outro.

Não apague seu emocional, canalize-o porque nesta dimensão, é uma ferramenta preciosa de compreensão (de si e dos outros), portanto, da evolução.

Isso dito, a emoção sentida não deve sair em parafuso. O emocional sai em parafuso quando um medo se infiltrou. Recentre-se e deixe decantar a água. O emocional age também por vezes na urgência. Recentre-se e apazigue-se.

Aquele que nasceu com um emocional muito sensível nasceu para aprender a canalizá-lo. É-lhe preciso cair muito, antes de compreender que o emocional canalizado torna-se amor universal

______________________________
Abril de 2009.
por aliceaupaysdesmerveilles
Fonte: http://www.choix-realite.org/?10516-souffrance-manipulation-et-guerison

Versão para o português : Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário