Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

10 de jul de 2011

IRMÃO K - 10 de julho de 2011

Mensagem publicada em 12 de julho, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Áudio da Mensagem em Francês

Link para download: clique aqui



Irmãos e Irmãs encarnados, eu sou IRMÃO K e eu estou, novamente, com vocês.

Vamos, hoje, se efetivamente quiserem, no Amor, e no Amor da Verdade, falar do Triângulo Sagrado.

Como vocês sabem, existem, doravante, três Portas nesse sacrum: uma sobre a asa ilíaca direita, chamada REPULSÃO; uma sobre a asa ilíaca esquerda, chamada, se querem, Agora, e como eu lhes disse, NUNC, e, enfim, o ponto AQUI, na ponta desse sacrum, se preferem, HIC.

Eu deixarei a denominação HIC e NUNC ao Arcanjo ANAEL.

As funções desses Pontos, tornados Portas, foram-lhes exprimidas, que os chamam, pela própria voz do Arcanjo GABRIEL, por exemplo, a não crer em nós, uns e outros, mas a experimentar isso.

Vamos, juntos, tentar abordar esse Mistério específico que está em ressonância direta com a estratégia de confinamento.
Desenvolvemos, já, uns e outros, certo número de elementos concernentes a essas forças inscritas na matéria carbonada alterada, em ressonância com o fígado e com o baço, que privam a alma e o Espírito do próprio desenvolvimento.

Resta, agora, que essas Portas, que foram e que estarão ativas (se já não estão), alquimizem-se, de algum modo, nesse Triângulo Inferior, chamado o sacrum ou osso sacro. 

Do mesmo modo que, no final de setembro, vocês viveram, pela ativação da nova Tri-Unidade, a conexão de sua Consciência individual (separada, nesse mundo) com um conjunto muito mais amplo de Consciências (que permitiram o que se vai viver, agora, a partir do impulso do Anjo METATRON: revelação desse Cubo Metatrônico, revelação da Luz Vibral pela alma e pelo Espírito, pelo conjunto de suas estruturas), do mesmo modo, existem, portanto, três pontos de Vibração, chamadas Portas, que se situam no sacrum.

Faremos abstração do quarto que, ele, já foi amplamente desvendado, e vamos insistir nesse Triângulo, com ponta para baixo, entre HIC e NUNC e REPULSÃO.

Esse Triângulo, com ponta para baixo, é ligado, obviamente, à tripla corrente, que desce e volta a subir, agora, em ressonância com as Partículas Adamantinas, a radiação do Ultravioleta e a radiação do Espírito Santo.

Essa Tri-Unidade Vibratória, depositada, primeiramente, na cabeça e, depois, no Coração, deve, agora, vir pôr fim à Ilusão, inteiramente, permitindo-lhes juntar-se, se tal é sua Consciência, à Consciência que não será mais, jamais, separada, permitindo-lhes, como eu disse, passar do que é conhecido ao Desconhecido, e do confinamento à Liberdade e à Autonomia.

Então, é claro, o ponto REPULSÃO, como vocês viram, faz parte de um Triângulo entre o fígado (ndr: que corresponde à VISÃO) e o ponto chamado ATRAÇÃO (ndr: que corresponde ao baço).

ATRAÇÃO-VISÃO-REPULSÃO, que era, de algum modo, uma das próprias bases do confinamento no Corpo de Desejo e de uma consciência limitada, que permitiu manifestar as leis da alma, unicamente na ação/reação, mas privando o acesso da alma ao domínio do Espírito, e, portanto, da Unidade.

Esse Triângulo Sagrado foi, de algum modo, há extremamente longo tempo, o sacro da Ilusão.
Esse sacro da Ilusão foi realizado por uma Reversão que, de algum modo, separou (como, eu espero, vocês apreenderam e, talvez, já viveram) o corpo, a alma e o Espírito, fazendo com que a alma e o Espírito fossem, pouco a pouco, afastados da Consciência, fazendo com que a experimentação humana tenha sido levada a viver numa compartimentação, num confinamento, cada vez mais evidente, que restringiu, progressivamente e à medida do tempo, o acesso à Unidade, deixando apenas uma vaga lembrança de um Espírito distante, de uma alma distante.

Nesse afastamento, é claro, vocês não estiveram sós, porque aquele que os manteve, ele mesmo criou leis, progressivamente, que os afastou sempre mais.
A primeira dessas leis (além de tê-los cortado, de algum modo, de sua Fonte e de sua Unidade) é a de tê-los feito crer que vocês encontrariam a Luz buscando-a, e que, de qualquer modo, a Luz não era desse mundo, mas que vocês a encontrariam morrendo, e acedendo, então (segundo as religiões, segundo as crenças), a um além perfeitamente luminoso, que os Liberaria dos horrores da encarnação.

Mesmo as frases de CRISTO foram exploradas nesse sentido.
Ele dizia: «Meu reino não é desse mundo», para fazê-los dizer que não podia existir qualquer luz aqui, mas que era necessário esperar, num outro tempo, do outro lado do véu, reencontrar essa Luz.

Então, é claro, era muito mais fácil para aqueles que não acreditavam (e que suprimiram, de suas crenças e de sua vivência, o próprio princípio da reencarnação), então, crer que essa vida era única e inscrevia-se num corpo e numa alma.
E que a Liberação viria por um ser exterior, e, sobretudo, não desse lado do véu, mas do outro lado do véu.

Vocês devem aceitar que esse outro lado do véu pertence, sempre, ao mesmo véu, mas não os libera, de modo algum, do véu.
A consciência, aliás, separada, rapidamente construiu, ela também, suposições, sonhos, crenças, que vão ao sentido do que foi enunciado.

Para aqueles dentre os humanos que tinham mais curiosidade, certo número de movimentos foi revelado do mesmo modo, que permite crer numa reencarnação, e, sobretudo, na possibilidade de escapar dessas reencarnações, justamente reencarnando-se, e aliviando, de algum modo, o carma; purificando um carma e permitindo-lhes, quando esse carma estivesse purificado, sair, enfim, da Ilusão.

Enfim, outras religiões mais recentes (na trama, aliás, e seguindo outras religiões mais antigas) falaram de um deus vingador e de certo número de regras a observar nesse mundo, para encontrar a Liberdade, aí também, mas, sobretudo, não nesse mundo; em outro mundo, que não é outro, mas apenas o outro lado do véu, e que é sempre, é claro, o mesmo mundo, uma vez que, mesmo do outro lado do véu, não é possível aceder à Liberação e à Luz.

Assim construiu-se uma forma de jogo, através da Atração e da Repulsão, do Bem e do Mal, do carma.
Um conjunto de crenças que fala da luz e que pode ver certa luz, mesmo ao nível do terceiro olho.
Uma luz astral, que era apenas um reflexo, de qualquer forma, da verdadeira Luz, que não é, efetivamente, desse mundo e que, no entanto, é preciso Revelar, desvendar e estender nesse mundo.
Assim, como o CRISTO havia dito: «O que está ligado no Céu, será desligado na Terra, o que está ligado aqui, será desligado de lá»

De qual Céu Ele falava?
De qual tempo, e de qual espaço?

É claro, enquanto vocês não têm acesso, por si mesmos, em sua própria experiência, à Liberação (e eu entendo por Liberação, não unicamente viver experiências da Unidade na Coroa Radiante do Coração, mas, realmente, viver a experiência por vocês mesmos da Liberação, que os conduz, primeiramente, a penetrar o Sol, a ver-se em outros lugares além desse corpo e em outros lugares além desse outro lado do véu).

Naquele momento, vocês poderão começar a viver um estado da Consciência, específico, chamado Turiya, no qual o conjunto de tudo o que constituiu esse mundo, em suas identificações, em suas construções, vai permitir extraírem-se dele, inteiramente.

Então, é claro, isso não e faz num instante.
E, como vocês sabem, os momentos que vocês vivem foram preparados bem antes da encarnação de CRISTO, desde extremamente longo tempo.

De fato, não basta falar da Unidade; não basta viver um Fogo do Coração.
Ainda é preciso extrair-se, totalmente, de todos os apegos que fazem a própria sedução desse mundo, a sedução dessa Ilusão, na qual inúmeras almas confinaram-se, elas mesmas, numa paródia de liberação.

Assim, tudo o que pertence a esse mundo, sem exceção, mesmo nas esferas astrais as mais elevadas, é apenas um reflexo da verdadeira Luz e da Vibração da Unidade, da Realização do Si.
É claro, as estratégias daquele que os manteve nessa canga (pela mão dele, que os tinha firmemente) construíram, progressivamente, nesse mundo, em todo caso, na história desse mundo, os elementos que permitem buscar, tornar-se pesquisadores; que os faz crer que havia algo a buscar no exterior (ou, em todo caso, num sistema de crenças, ou num sistema de experiências limitadas), que não lhes permitem, jamais, de fato, realizar a Consciência do Si.

Toda a Ilusão é construída nisso, é edificada nisso.
E é isso que foi desconstruído, em particular pela intervenção dos Casamentos Celestes, que permitiram, pouco a pouco, desconstruir, pacientemente, toda a trama astral coletiva que os isolava da verdadeira Luz.

Eu não voltarei sobre os jogos da alma, voltados para a personalidade, para o conjunto de manifestações do Corpo de Desejo na consciência inferior, limitada, fragmentada.
Mas eu venho, sobretudo, falar desse Triângulo Sagrado e das três Portas finais que ali se encontram, de algum modo, que existem entre HIC e NUNC, e REPULSÃO.

A movimentação da revelação da alma e do Espírito inverteu, portanto, de algum modo, e Reverteu ao seu bom sentido, as polaridades existentes no Corpo de Desejo, o que lhes permite encontrar um exato equilíbrio entre a Atração e a Repulsão, mas que não é nem a manifestação de uma, nem a manifestação da outra, nesse sentido, que lhes permite abrir-se à última Verdade.
A última Verdade é a Realização desta Consciência Turiya, na qual toda identificação, ao que quer que seja que pertença a essa matriz, é chamada a desaparecer, inteiramente.

Assim, viver o Aqui e Agora, chamados HIC e NUNC, na REPULSÃO, vai movimentar as últimas Vibrações necessárias para permitir-lhes realizar sua Etereação, realizar sua saída total da compartimentação.
E é aqui que isso deve acontecer.
Isso não pode acontecer em qualquer outro lugar que não aqui, porque, efetivamente, se vocês aceitam (simplesmente, mesmo sem fazer a experiência) que vocês estão do outro lado do véu, ao mesmo temo estando prisioneiros aqui, é evidente que, mesmo do outro lado do véu, vocês estão na mesma prisão e na mesma incapacidade total de experimentar o Samadhi.

De fato, é muito mais fácil manifestar alguns estados de Paz através de uma meditação, mesmo com apoios que não tocam a Verdade, que os fecham num ego que vai, de maneira provisória, não mais ser afetado por qualquer influência mental ou emocional, que permite fazer, de algum modo, um vazio.
E muitos ensinamentos, aliás, insistiram na meditação como um meio privilegiado de alcançar (o que é perfeitamente verdadeiro) a calma mental e a calma emocional.
Mas isso não basta.

Isso pode permitir ativar a Coroa Radiante da Cabeça, ativar a Coroa Radiante do Coração, fazê-los passar nas etapas específicas de Samadhi, de experimentação da Paz.
E isso, muitos de vocês começaram a viver, em graus diversos.
Resta, agora, estabelecer o que foi chamado Sat Chit Ananda, que apenas se realiza, aí, efetivamente, quando vocês tocam e Vibram, ao nível do Coração, além da Paz, além das primeiras etapas (eu diria) da Coroa Radiante do Coração.
E realizando a revelação da alma e do Espírito, como isso é realizado agora, e possível agora, pela revelação da Luz Branca e pela chegada de CRISTO.

Assim, portanto, a tarefa será facilitada.
Existe, portanto, no processo de Etereação e de Ascensão da Consciência, uma alquimia específica que vai realizar-se, que já se realiza, entre HIC e NUNC (Aqui e Agora) e REPULSÃO.
Quando se associa a esse estado específico (que se aproxima de Turiya) o elemento REPULSÃO (e quando existe uma alquimia nessas três Portas), então, naquele momento, a Consciência Ilimitada (o Desconhecido, como eu chamei), vai revelar-se.

O que vai acontecer?
Naquele momento, não existe unicamente uma desidentificação (de um papel, de uma função, de um corpo).
Vocês não estão mais limitados a esse corpo.
Vocês não estão mais limitados a uma luz que é captada.
Mas vocês se tornam, inteiramente, o Tudo.

Naquele momento, vocês podem dizer (como o disseram aqueles que o realizaram): vocês são ao mesmo tempo o CRISTO, vocês são ao mesmo tempo A FONTE.
Vocês podem dizer, também, como CRISTO: «Eu e meu Pai somos Um».
Vocês podem estar fora de qualquer espécie de localização (a uma entidade, a uma forma, a um sujeito, a um objeto).
Vocês não são mesmo mais, sequer, o observador, nem o observado.
Vocês se tornam a Consciência no estado puro.

Essa Consciência no estado puro é o objetivo, que eu qualificaria de final.
E é isso que o Anjo METATRON, se vocês aceitam essa revelação e esse Abandono, vai realizar em vocês.
E lembrem-se, efetivamente, de que são unicamente vocês que o realizam, ainda que o impulso esteja ligado a um mecanismo (como vocês sabem), ao mesmo tempo planetário, ao mesmo tempo particular, ao nível de ciclos astronômicos.

É claro, os fenômenos que a lagarta poderia chamar uma extinção total da vida são, de fato, apenas uma Ressurreição.
Mas, é claro, para a lagarta, enquanto ela está identificada, um pouco, a esse corpo, a essa personalidade (mesmo se os desejos são Transcendidos, realmente e em Verdade, e não forçados e desviados), isso não basta para estabelecer-se, em definitivo, na Existência.

A passagem à Existência é, efetivamente, a morte da lagarta, a Ressurreição: a passagem dessa última Porta.
E essa alquimia realiza-se nesse Triângulo.

Eu os lembro que existem três Triângulos.
O Triângulo do fogo Luciferiano, encarnado e manifestado pelo terceiro olho (o confinamento no BEM, no MAL e em AL): é o que foi explicado, ao nível da revelação das Portas, e não mais das Estrelas, como sendo a Ilusão Luciferiana, na qual a alma é inteiramente voltada para a personalidade, e não mais para o Espírito.
A Reversão desse Triângulo restituiu a ordem.
Isso quer dizer que o sacro da Ilusão toma fim.

E ele toma fim concluindo-se no sacrum, permitindo, naquele momento, pôr fim ao sacro da Ilusão e viver o sacro do Sagrado, porque aquele que os manteve intitulou-se, a ele mesmo, o coroado, ou seja, o criador, ou, se preferem, aquele que reinava ao nível de Kether, a coroa.
Mas essa coroa, obviamente, sendo cortada da verdadeira Vida, uma vez que ele havia afirmado, notado, ele mesmo, que o reino era domínio dele, e não seu domínio, provocando, com isso, um afastamento, que teve o belo jogo de chamar uma queda, que os afastava sempre mais da Verdade, de HIC e NUNC, e das leis da REPULSÃO que ele havia criado, ao confinar essa REPULSÃO como, de fato (vocês compreenderam, como isso foi dito) uma repulsão do Espírito.

Assim, portanto, essa primeira Reversão, que ocorreu no final do seu mês de setembro do ano precedente, permitiu, pouco a pouco, Reverter, progressivamente, pela intervenção de sua própria Consciência, certo número de elementos da Ilusão.
Essa progressão da Luz Vibral pôde ser feita ao nível de diferentes Cruzes (chamadas da Redenção, Cruzes Mutáveis e do Último Cruzamento / Reversão, em suas Estrelas) e, para alguns de vocês, no Triângulo da Tri-Unidade, revelado naquela ocasião.
Nova Tri-Unidade inscrita entre, justamente, o chacra do Coração, o chacra dito de Enraizamento da alma, e o chacra dito de Enraizamento do Espírito.

Hoje, a etapa final da revelação da Luz é a revelação, vocês compreenderam, da totalidade da alma e do Espírito nesse corpo, no Aqui e Agora, que põe fim à repulsão alterada e permite à alma Reverter-se para o Espírito, a fim de que o Espírito torne-se o Espírito de Verdade manifestado aqui.

Esse trabalho apenas pode ser feito nessa matéria, porque o grau de identificação a essa matéria e a esse corpo tornou-se tal que, ainda que o Espírito fusionasse, inteiramente, ao nível da alma, a alma recusaria o Espírito, simplesmente porque ela não acredita mais.
E ela não vive mais a conexão.

É, portanto, essa conexão que se restabelece e que transborda, agora, inteiramente, que permite pôr fim ao sacro da Ilusão e do Confinamento e permite viver o sacro do Sagrado, que é, de fato, a não separação dos diferentes Planos, permitindo à Consciência experimentar e viver a Verdade da Unidade, e, portanto, do Espírito.
Assim, penetrar Turiya, e tornar-se Turiya, pode fazer-se, ao nível da humanidade, apenas quando esse processo de Última Reversão estiver concluído e Despertado em sua estrutura.

A transmutação, assim (como disse SRI AUROBINDO em sua vida, quando ele foi João), é, realmente, uma Transmutação total, celular, que permite estabelecer, de algum modo, um novo plano, totalmente Livre e totalmente Liberado, da Vida, em corpos de estruturas diferentes, nos quais o Espírito está totalmente presente, desvendado e consciente.
Isso passa por este estado de Turiya, no qual mais nenhuma identificação pode existir.

É, certamente, evidente que muitos de vocês, seguindo esse caminho específico e real, do Despertar ao Si, estão ainda, apesar das experiências, submissos a leis.
Essas leis, todos vocês as conhecem, são as leis da necessidade do corpo da personalidade, essas necessidades que se exprimem, além mesmo de qualquer desejo, pelas funções fisiológicas do corpo.
Isso, também, deve ser Transmutado à Luz do Espírito e deve desaparecer.
É exatamente o que vai realizar, num tempo, em termos terrestres, muito curto, o Anjo METATRON e sua Última Reversão, sua Ressurreição.
É essa etapa que, doravante, vai manifestar-se, e vai prepará-los, realmente, para estabelecê-los no Si, para estabelecê-los na Verdade, em CRISTO, voltando a tornar-se, então, inteiramente, KI-RIS-TI, ou seja, os Filhos Ardentes do Sol.
E é aí que vocês constatarão, por si mesmos, que esse mundo, essa projeção Ilusória, esse confinamento Ilusório, vai, totalmente, desaparecer.
Eu repito: isso apenas pode ser realizado parando, de algum modo, o tempo; parando de serem submissos às influências do passado e do futuro, Ilusórias, elas também, que vocês penetrarão o Eterno Presente, como isso foi chamado.
E que é neste Eterno Presente, no qual nada mais existe pertencente a qualquer identificação, que o Triângulo Radiante, se se pode dizer, existente no sacrum, pode reencontrar seu verdadeiro lugar, de Sacralização, ou seja, de retorno à Unidade.

Naquele momento, não pode mais existir diferença, nas Portas de seu sacrum que, à imagem do que aconteceu para os pontos da nova Tri-Unidade (inscrita ao nível dos chacras de Enraizamento da alma e do Espírito, nos quais uma permuta entre CRISTO e MIGUEL, fez com que MIGUEL, que era CRISTO-MIGUEL), realiza-se do mesmo modo em seu sacrum.

Naquele momento, realizando, entre HIC e NUNC, a integração da REPULSÃO, essa integração da REPULSÃO afasta-os, definitivamente, das leis da atração e da visão do eixo Falsificado, e os faz reintegrar o ALFA e o ÔMEGA.
Naquele momento, vocês não são nem o ALFA, nem o ÔMEGA, mas a totalidade do ALFA e do ÔMEGA, ou, naquele momento, a Consciência vai experimentar o que é o Espírito, inteiramente.

Viver o Espírito é, portanto, realmente, sair de toda identificação.

Existe um momento, como foi dito, em que a revelação da Luz (no que nós explicamos, ao longo desses dias) deverá fazer cessar, também, todo jogo e todo papel, a fim de fazê-los penetrar, em realidade e em Verdade, inteiramente, no que vocês são.
Não mais como uma abordagem, mas, efetivamente, uma desidentificação, uma desconstrução, uma desincrustação, normal e lógica, na qual nada se faz por outra coisa que a Inteligência da Luz, e para a Luz, e por seu próprio Abandono.
E é isso que realiza essa última etapa, que põe fim ao sacro da Ilusão e permite-lhes sair, inteiramente, da Ilusão, porque, naquele momento, vocês percebem, não no mental ou numa aspiração, mas na Verdade, tudo o que nós lhes dissemos: que é, realmente, uma Ilusão.
Enquanto vocês não o vivem em Consciência, é claro, vocês não podem aceitá-lo, uma vez que isso permanece exterior ao que vocês vivem.

O conjunto de preparações efetuadas (para alguns de vocês, desde algum tempo; para outros, desde tempos mais antigos) tinha por vocação extraí-los, Aqui e Agora, e não em outros lugares, porque, lembrem-se de que, mesmo se vocês pensam que em outros lugares, ou seja, do outro lado do véu, vocês são Liberados, é uma Ilusão muito tenaz, devido, em particular, a alguns ensinamentos que os fizeram enganar-se grosseiramente [tradução livre da expressão francesa utilizada aqui: prendre des vessies pour des lanternes].
Ou, se preferem, que os fez tomar o Fohat (o fogo elétrico) como o Fogo final do Espírito, o que, como eu lhes expliquei, e eu espero, mostrei, é uma total heresia e aberração.
Então, agora, resta, efetivamente, realizar esta Última Passagem.
Realizá-la, de fato, faz-se Aqui e Agora, o que permite, dela aproximando-se e vivendo-a, compreender que toda busca, sem exceção, é vã, e que resta apenas estabelecer-se nessa Verdade.
Mas este mecanismo, eu repito, pode, excepcionalmente, realizar-se, apenas por alguns seres.
Como foi o caso, por exemplo, para nosso Comandante (ndr: O.M. AÏVANHOV), ou, ainda, para UM AMIGO, ou, ainda, para SRI AUROBINDO, ou para mim mesmo, ou para tantos outros.

Hoje, o processo é um processo, vocês compreenderam, que é, antes de tudo, coletivo, mesmo se, eu repito, o grau de realização de Turiya não sofre alternância com a consciência de vigília, ou com a consciência de sono.

Tornar-se Consciente e Um pode realizar-se apenas quando vocês cessam todos os males, todas as identificações, todas as projeções.
Mas, além disso, mesmo se o mental está calado, e as emoções estão caladas, e mesmo se os desejos estão calados, resta, efetivamente, esse Último Abandono.

Eu os lembraria, para isso, a frase do CRISTO na cruz: «Eli, Eli lama sabachthani? Meu Pai, por que me abandonastes? », até o momento em que Ele se dá conta de que, se Ele se Abandona, naquele momento, Ele Ressuscita.
É exatamente o mesmo processo, se se pode dizer, que vocês são doravante chamados a manifestar e a encarnar, inteiramente, HIC e NUNC, ou seja, Aqui e Agora.

A palavra Agora pode ser empregada em minha boca, mas, efetivamente, Aqui e Agora permite-lhes realizar a REPULSÃO, e o papel desta REPULSÃO.
Isso quer dizer, não mais serem identificados a Ahriman ou a Lúcifer, ou seja, não serem identificados às leis, na Ilusão, da projeção, mas tornarem-se a Lei, ou seja, vocês mesmos, Filhos da Lei de Um, e tornarem-se, vocês mesmos, a Unidade.

A Unidade não é um combate, nem uma negação da Dualidade.
A Unidade não é uma integração da Dualidade.
A Unidade é um estado Vibratório, no qual a Consciência não é mais, de modo algum, identificada ao que quer que seja: nem a um papel, nem a um corpo, nem mesmo a qualquer lembrança de ter sido esse corpo, ou esses corpos, ou essas vidas.

Há, portanto, literalmente, por intermédio deste sacro do Sagrado, uma saída total da Ilusão, um desaparecimento total da Ilusão, como descreveram alguns seres, tentando aproximar-se o mais exatamente possível nas palavras empregadas (ou no que eles foram capazes de veicular, por sua irradiação de Luz), dessa Verdade, ao mesmo tempo insistindo, aliás, no fato de que jamais as palavras que eles pronunciavam seriam a experiência, mas que, enquanto vocês não fazem, vocês mesmos, a experiência e a vivência, isso permanecerá como palavras, extremamente sedutoras, mas que não têm qualquer aplicação na realidade de sua Consciência, e somente de sua Consciência.

Assim, portanto, como o revelará o Anjo METATRON, esta noite, isso lhes permitirá, eu o espero, transferirem-se, o mais rapidamente possível, ao seu estado de Unidade e tornarem-se o que vocês São, de toda a Eternidade, esquecendo o mental, esquecendo o ego, esquecendo o desejo, esquecendo as necessidades.
Vocês sacrificam a si mesmos, na Luz e na Eternidade.

Eu devo insistir, contudo, sobre dois elementos que, obviamente, as lagartas vão rejeitar, mas que fazem parte, aliás, da trágica Ilusão do desvio, de algum modo, da Criação original.

A sociedade (se nós saímos, agora, do indivíduo) é baseada nessa lei de ação/reação e, ao nível do corpo social, é baseada no que vocês observam, cada um, a cada dia, no princípio do cérebro Luciferiano, ou de mamífero, que os confina na competição, na predação e, sobretudo, na necessidade de apropriação.
Essa apropriação é um consumo, porque é preciso consumir: consumir alimentos, consumir imagens, consumir, para estar vivo.
E, eu diria mesmo, para persistir nessa vida, porque, obviamente, se vocês não comem, se vocês não trabalham, se vocês não se casam, vocês se sentem incompletos.

Tudo isso, é claro, vocês compreenderam, está ligado aos apegos, induzidos pelas forças que trabalham em concerto, as forças Ahrimanianas, que os mantêm, literalmente, numa Ilusão, sem qualquer possibilidade de dela sair, enquanto vocês não tenham percebido a Ilusão de tudo isso, ou seja, Turiya.

Assim, portanto, a própria sociedade de consumo é levada a um estágio absurdo, no qual ela vai ser obrigada a autoconsumir-se e, portanto, a consumir-se a ela mesma.
Isso foi chamado, progressivamente e à medida dos ciclos (sobre os quais, aliás, o demiurgo baseou sua dominação), quer dizer: recomeça-se, consome-se tudo, recomeça-se, mas sempre no mesmo confinamento.
Mas, desta vez, não existirá mais novo confinamento, uma vez que as forças de confinamento foram dissolvidas, de maneira definitiva, ao nível da sociedade.
Vejam, portanto, o absurdo das diferentes civilizações que os precederam.
Quer vocês nisso acreditem ou não, a vida está presente desde extremamente longo tempo sobre esta Terra, em diferentes ciclos.
Alguns ciclos eram livres, outros ciclos foram, para o humano, confinantes, desde 300.000 anos.

Mas Aqui e Agora (ou, se preferem, IM e IS), que correspondem a HIC e NUNC, ao nível do Triângulo do Ar e da Água, situados de um lado e do outro de sua cabeça, ao nível das Estrelas, revelam-se, num primeiro tempo, ao nível do chacra de Enraizamento da alma e do Espírito, chamados CRISTO, MARIA e MIGUEL (para o ponto chamado MARIA, que faz a junção).

Assim, portanto, ao nível da Porta que se abre, realiza-se a alquimia que nós evocamos e revelamos, diante de vocês, no olho de sua Consciência, mesmo fechada, a fim de fazê-los aderir (mas isso não basta) e, sobretudo, viver a experiência do final da Ilusão.
O sacro do Sagrado é, de algum modo, o que põe fim, inteiramente, tanto na Consciência como no corpo social (em seu sentido o mais amplo), ao que vocês chamam de egrégoras astrais e mentais, aos princípios da Ilusão, Luciferianas e Ahrimanianas.

Esses princípios existem unicamente nessa matriz , dado que, na Unidade e na Consciência Unificada, não existe qualquer separação, e não pode existir qualquer distância entre todo o Criado, todos os potenciais, todas as Dimensões, todos os Universos e todos os Multiversos.
Mas, obviamente, isso não pode apreender-se, compreender-se, com a consciência fragmentada.
É uma passagem que apenas pode ser feita quando vocês são Crucificados, inteiramente.
Esse elemento que foi percebido de diferentes modos, por numerosos profetas, com, por vezes colorações de Julgamento Final e de Apocalipse dramáticos.
Sim, é um drama para o ego.
Mas não é, absolutamente, um drama para o Espírito, de fato.
Então, aí também, juntando ao que dizia o Comandante: Qual ponto de vista e qual olhar vocês irão adotar?
Onde vocês vão situar-se?
No efêmero e no Ilusório da lagarta, que deseja persistir eternamente?
O que é, certamente impossível, uma vez que todo consumo conduz ao consumo, e a lagarta (como vocês a veem sobre a Terra), torna-se, um dia ou outro, borboleta, devido ao fim do confinamento, e à não reprodução do encapsulamento das forças isolantes desse Sistema Solar.

O nascimento da borboleta será inevitável e inexorável.
As circunstâncias desse nascimento far-se-ão em função de sua capacidade para Abandonar-se à Luz, nesta fase final, ou seja, para viver HIC e NUNC (e eu deixarei o Arcanjo ANAEL exprimir-se sobre isso).
HIC e NUNC, que não é o confinamento do ego, simplesmente, no silêncio mental e no silêncio das emoções, mas bem além, transcender mesmo esse silêncio do ego, pela Revelação da Plenitude da Existência, do estado de Turiya, incorporando, então, o Fogo do Coração, revelando, além da Fusão das três Lareiras em cada uma de suas células, em cada um dos átomos deste corpo e dessa Consciência, a Totalidade da Unidade.
E, portanto, viver Turiya.

Aí estão alguns elementos que eu tinha para mostrar, de alguma forma, concernentes à passagem do sacro da Ilusão ao sacro do Sagrado.

É claro, o impulso Vibratório, que se produzirá dentro de algumas horas, virá confirmar-lhes, pela vivência, que poderá ser fulminante para alguns de vocês, ou, para outros, de maneira mais progressiva, mas que ocorrerá, de qualquer modo, o mais tardar, após o que são chamados os três Dias.

Eu os lembro que CRISTO havia dito: «destrua esse Templo, em três dias, eu o reconstruirei».
Ele falava exatamente disso, ou seja, dessa terceira passagem, que os leva a viver a Ressurreição.
E isso deve acontecer Aqui e Agora, HIC e NUNC, através da REPULSÃO.

Aí está o sentido, em parte desvendado, do que significa isso.
E, sobretudo, do que deve ser vivido, para além de todo significado.

Elementos importantes foram-lhes dados por outro Ancião, Mestre Philippe (ndr: PHILIPPE DE LYON), concernentes à Humildade e à Simplicidade.
Vocês não podem pretender ser o que quer que seja aqui, e Ser o Tudo.
Vocês não podem pretender ser esse corpo, essa identidade, este carma, essa vida, e Ser a Vida, porque a Vida não pode ser limitada a um corpo, a uma identidade ou a uma personalidade.

É isso que vocês são chamados a Criar.
O que é chamada a Co-criação Consciente, que ocorre no Novo Mundo, na Nova Terra, de sua nova vida, que é, de fato, a Verdadeira Vida.

Aí estão as algumas palavras que eu tinha para dar-lhes.

Irmãos e Irmãs, se vocês se colocam perguntas, dá-me um prazer, seu eu tenho tempo, responder-lhes.
Sabendo que, dentro de algumas horas, ou dentro de muito pouco tempo, vocês terão todas as respostas pela vivência de Turiya.

Não temos perguntas, agradecemos.

Irmãos e Irmãs em CRISTO, e em Unidade, permitam-me abençoá-los.
Eu lhes digo até breve.
Certamente que vocês terão ainda o que fazer por mim, na Unidade.
Acolhamos juntos.

... Efusão Vibratória...

Até Breve.

_______________________

Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

3 comentários:

  1. Depois de abordagens tão ricas e providenciais sobre estas 12 portas de consciência, com participação prevalente do Irmão K, por sinal, fica difícil não ser levado a abandonar, definitivamente, as tais atrações/repulsões baseadas no fogo do ego, falsificado que é: de visão, precisão e profundidade. Depois disso, significando sobretudo o fim dos combates confinantes de ação/reação, numa dualidade sem trégua entre os supostos bem e mal, sempre buscando apropriar-se de todas as formas, eis enfim, a possibilidade de se entrar na misteriosa e sagrada porta estreita do Coração. Como brinde, ainda se pode deleitar-se com estes dizeres dos mais expressivos, realçados no final desta mais que auspiciosa e útil MSG: "Vocês não podem pretender ser o que quer que seja aqui, e Ser o Tudo. Vocês não podem pretender ser esse corpo, essa identidade, este carma, essa vida, e Ser a Vida, porque a Vida não pode ser limitada a um corpo, a uma identidade ou a uma personalidade".

    ResponderExcluir
  2. "Hoje, a etapa final da revelação da Luz é a revelação, vocês compreenderam, da totalidade da alma e do Espírito nesse corpo, no Aqui e Agora, que põe fim à repulsão alterada e permite à alma Reverter-se para o Espírito, a fim de que o Espírito torne-se o Espírito de Verdade manifestado aqui."
    "O NASCIMENTO DA BORBOLETA será INEVITÁVEL e INEXORÁVEL."

    Gratidão Irmão K, por sua grandiosa mensagem e participação nesse trabalho de preparação e reconfiguração da nossa consciência, para a percepção da Verdade do que Somos e para a vivência do Espírito e da Unidade.

    ResponderExcluir
  3. E só ressaltando o que Manoel Egídio disse, não se pode ter a verdadeira autonomia, a verdadeira liberdade estando preso a um corpo fragmentado e efêmero, não se pode chegar ao desconhecido sendo uma consciência fixa em um corpo, cada um de nós é o todo, e esse direito foi tirado de nós, mas por pouco tempo. Um abraço a todos.

    ResponderExcluir