Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

3 de jul de 2011

URIEL – 3 de julho de 2011

Mensagem publicada em 4 de julho, pelo site AUTRES DIMENSIONS.

Eu sou URIEL, Anjo da Presença e Arcanjo da Reversão.

Bem amados Filhos da Lei de Um, eu venho a vocês para fazer ressoar a Vibração de sua Essência no sentido do Um e do Amor do Um.

Juntos, vamos cantar o som da Liberdade, som da Essência, som do Espírito e da Alma, misturando-se ao som do Um, no Canto da Fonte Unificada.

Amados do Um, a hora chegou, no instante que vivemos, com vocês e ao seu lado, de viver, de aceder à sua Eternidade, de revelar seu Som, de revelar seu Canto, aquele de sua Unidade, aquele da Verdade, aquele que os põe em sincronia com o Canto do Universo, com o Canto dos multiversos, reunindo-se à Liberdade do conjunto de Consciências liberadas, criadas livres de toda a eternidade, a fim de cantar a Liberdade.

Som e Canto. 
Magia da ressonância.
Magia da Vibração.
Para além de toda a Ilusão.

Cantem o Canto de Graça, elevem o Canto da Liberdade, tornem-se o que vocês são além, para além de todo limite.

Entoem o som do Ilimitado.
Entoem o som da Verdade, aquele da Paz, aquele da Alegria, aquele em que entrave pode afetar o que vocês são em Verdade, em que nenhuma Sombra pode manchar o brilho de sua Presença, em que nenhum medo pode vir alterar o que quer que seja de sua emanação, o que quer que seja de sua Presença, o que quer que seja de sua Visão, aquela para além dos olhos, aquela para além da Ilusão.

Ver a Verdade é ser a Verdade.
Cantar o Som da Liberdade assenta-os em sua própria Eternidade, em sua própria Verdade, aquela na qual a Liberdade é a palavra mestre.

O som da alma e o som do Espírito revelam-se e põem-se em ressonância com o Canto da Terra liberada, o Canto do Céu que chega doravante até vocês pelo Anjo Metatron e pela Graça de minha Presença em sua Presença, criando, em vocês, o Fogo do Éter da Terra, acendendo o Fogo do Coração, Fogo de Alegria, ponto fim à Ilusão, ao confinamento e ao sofrimento.

Filhos da Verdade, Filhos da Unidade, juntos, nós somos o Canto.
Juntos, nós somos o Canto, o Canto da Liberdade, o Som da Verdade, o Som do Único, porque vocês são o Um na Fonte, porque vocês são únicos e nós somos únicos.
Em vocês como em nós, em nós, como em vocês.
Em toda consciência.

Cantando o som da Liberdade, vive, então, a esperança.
A esperança, não de um amanhã, não de um outro lugar, mas a esperança, a cada instante, satisfeita de ser a Eternidade.
A esperança, não de outro lugar, mas da Verdade de toda a Eternidade.

Filhos do Um, Filhos do Amor, amados e amantes, a hora chegou de elevar o Canto, aquele do som de sua ressonância ao apelo e à promessa da Fonte, revelando sua Verdade.

Escutem, escutem e ouçam o Som de sua Liberdade, o Canto de sua Liberação, o Canto de sua Expansão, aquele que os restitui ao infinito, ao conjunto dos possíveis, no qual a palavra impossível não pode ser pronunciada, nem mesmo vislumbrada, para além de todo limite, aquele do corpo, como aquele do Espírito.

Voguem, voguem conosco nos espaços ilimitados, onde canta o Amor, onde canta a Unidade, onde canta o som da Eternidade, seu som, sua ressonância, sua afinidade e, sobretudo, sua Liberdade.

A algazarra desse mundo cessa no Canto do Um da Fonte Una, no Canto da Terra, no Canto de seu Espírito liberado, chegando até seus ouvidos, revelando as trombetas da Liberdade, chamando-os, em Verdade e em Unidade, ao despertar em Cristo.
Porque Ele vem, em majestade.

Cantem aos seus ouvidos e em seu Coração o apelo à Liberdade, o apelo para tornarem-se o que vocês são, em Verdade.

Filhos amados do Um, Filhos Cristo revelados na Presença e na Alegria.
Cantem o som da Liberdade e da Alegria.
Cantem o som do retorno do Cristo, que chega como um ladrão na noite, em seu Templo, em sua Consciência, para além de todo limite, para além de toda condição de idade, para além de toda condição de país, para além de qualquer condição.

Tornem-se os Seres descondicionados que saem da Ilusão da Matriz e penetram as esferas de sua Eternidade, nas quais se revela o Canto da Verdade, o Canto da Luz, o Canto da Fonte que é seu som, seu Canto e sua Eternidade.

Filhos do Um, escutem.
Escutem e ouçam.
Cantem conosco o som da Liberdade, aquele de seu Coração que jamais cessou de bater, mesmo na Ilusão, revelando-se hoje, chamando-os à Unidade, chamando-os à sua Liberdade, chamando-os à Liberação de todas as Ilusões, chamando-os para viver, enfim, do Sopro da Verdade.
Para viver, enfim, do Sopro da Liberdade reencontrada, a Liberdade do Coração, aquela de ser o Amor, não voltado para uma coisa, mas em sua Essência.

Filhos do Um.
Vibrem, juntos, minha Presença em sua Presença.
Voltemo-nos para Ele, como Ele se volta para vocês, a fim de fazê-los sair do que não é a Vida.
A fim de fazê-los penetrar o mistério da vida, em Consciência, em Unidade, em Verdade.

Ouçam.
Ouçam o apelo da Presença.
Ouçam o apelo da revelação da Luz, revelando, tal como uma flor, o Espírito, permitindo ao Espírito reconhecer-se em si mesmo e tornar-se o que ele sempre foi, a fim de pôr fim à restrição e à privação.

Ouçam.
Ouçam o som da Liberdade.
Ouçam o apelo do Cristo.
O Sol vem a vocês, em breve, a fim de permitir-lhes renascer nessa Ressurreição no Canto da Eternidade, a fim de participar da ronda dos mundos, de tornarem-se vocês mesmos a ronda dos mundos, aquela que não conhece qualquer limite, qualquer confinamento, em que tudo é Liberdade, em que tudo é Graça.

Vocês são a Graça.
Escutem e ouçam o som da Graça, que não é outro além do som da Liberdade.
Tornem-se a Liberdade.
Tornem-se a Graça.
Elevem sua Vibração.
Elevem a consciência na Luz Vibral, que é som.

Escutem.
Escutem e ouçam a pulsação da Unidade chamando-os para vibrar na Eternidade e na Infinidade dos tempos, na Infinidade dos mundos, criadores para sempre de sua própria Realidade, de sua própria Verdade, não dependendo de qualquer condição nem de qualquer condicionamento.
De modo algum dominados, enfim liberados, enfim livres.

Escutem.
Escutem e ouçam, para ressoar e cantar o som da Liberdade, aquele que seus ouvidos percebem para além do som da Terra, para além do som do Céu.
Vibrem em vocês o som da Liberdade, aquele que unifica o conjunto de sons num som de Graça, Canto do Universo e Canto de Amor proclamado ao mais alto dos Céus, ao mais alto das Dimensões, como ao mais profundo das Dimensões.

Filhos do Um, despertem.
O momento chegou de sair na Verdade.
Ouçam.
Ouçam o apelo, ouçam o Canto.
Tornem-se o Canto.
Tornem-se o apelo.
Inclinem-se para Ele, como Ele se inclina para vocês, abandonando-se a Ele, como Ele se abandona a vocês.

Reencontrem a Fonte porque, nesse Canto, tudo escoa da Fonte, na Verdade da Unidade revelada e desvendada, em que nenhum obstáculo pode apresentar-se, em que nenhum muro pode parar o som da imensidade, em que nenhuma presença pode interferir com a Presença Una, Presença do Canto, Presença do Som que assinala, enfim, a Unidade reencontrada.

Amados do Um, vocês são a Unidade.
Amados da Fonte, vocês são a Fonte.

Saiam.
Saiam de seus limites.
Saiam do confinamento pela Graça da ressonância do Canto do Um, vindo até vocês, em seu Templo, em seus ouvidos, vindo inundar sua consciência limitada, vindo regá-los à Fonte da Liberdade.

Cantem.
Cantem o Canto de Verdade.
Cantem o Canto dos Universos.

Filhos, sejam.
Sejam o que vocês são.
Saiam da Ilusão.

O Canto de Vida desce em seu Templo, assinalando a Presença d’Ele, assinalando a revelação d’Ele, assim como sua presença e sua revelação.

Tudo se reverteu.
Nada mais há a reverter, a não ser vocês reverterem-se à sua Essência, mas tudo está realizado nesse mundo e na Ilusão, pondo fim a esta, permitindo tomar o mar aberto, aquele do vento da Liberdade, chamando-os para mais Verdade, para mais Canto, para mais som.

Escutem e ouçam, porque é isso que vocês se tornam agora, o som e o Canto da Verdade, aquele que proclama e aclama o Cristo, de toda a Eternidade.

Vocês são os Filhos do Um.
Vocês são os Filhos da Verdade.
Vocês são a Fonte.
Vibrem.
Juntos.
Por minha Presença em seu Templo, por minha Presença em seu Coração, acolhamos, juntos, a Luz Branca, aquela do retorno da Verdade, aquela do retorno do Cristo, em Unidade e em Verdade, em sua Unidade e em sua Verdade.

Abramos.
Abramos as válvulas.
Abrimo-nos com vocês, para o Infinito da Presença d’Ele, pondo fim a todo sofrimento, pondo fim a tudo o que não é Ele, pondo fim a tudo o que não é vocês, para além da Ilusão.

Sejam.
Sejam a Verdade.
Sejam o Canto.
Sejam a Unidade.
Sejam a beleza, porque é o que vocês são, vocês nada mais são do que tudo isso.
Vocês nada mais são do que o conjunto da Verdade, em vocês, revelada para sempre.

Escutem.
Escutem e ouçam a revelação da Onda do Amor vindo bater à porta de seu Templo, vindo bater à porta da Terra, abrindo-a, tal um fruto maduro, tal uma flor revelando-se sob a carícia do sol.

Abram-se à Fonte que canta em vocês.
Abram-se ao som que vem ressoar.

Revelem o Cubo, a fim de tornar-se a promessa de sua Liberdade.
Vocês são a Liberdade.
Vocês são a Verdade.
Vocês são a Vida, assim como Ele lhes disse, assim como Ele lhes prometeu.

Bem amados Filhos da Verdade, a hora do Coração, enfim, chegou.
A hora de Liberdade, hora de Graça e hora de Glória, cujo Canto retumba em vocês como nesse Universo, como nesse Sistema Solar.

Venham a nós, porque nós viemos a vocês, acompanhá-los no limiar de sua Liberdade.
Nós lhes estendemos o Coração, para que vocês estendam o seu, para nos reunificarmos.

Venham.
Venham a vocês mesmos.
Venham a Ele.

Sejam.
Sejam a Liberdade, sejam a Verdade.
Tornem-se a Vibração da Unidade.

Escutem.
Escutem e ouçam, e cantem o Verbo e o louvor da criação dos mundos.

Saiam da linguagem.
Tornem-se a criação.
Saiam da Ilusão de um criador, porque não há criação, exceto a Unidade de toda a Eternidade.

Vocês são a Verdade.
Vocês são a Unidade.
Vocês são a Vida, o Canto da Vida que se revela doravante em seu Templo Interior, em sua Consciência.
Sigam o som.
Cantem o som, porque o som é Liberdade, o som é Liberação.
E o Cristo canta em vocês, em breve, vindo como o ladrão na noite, abrir o que deve ser, a fim de penetrar o mistério de sua Eternidade.

O Anjo Uriel, assim como o conjunto dos Arcanjos, anuncia a notícia da vinda do Cristo em vocês.
O Cristo do Éter torna-se o Cristo de seu Coração, a fim de que o Fogo do Coração seja o único Fogo que os anima com seu Canto, com sua queimadura que é uma carícia.

Queimadura do Espírito, carícia do Espírito, chamando-os para elevarem-se e para expandirem-se cada vez mais em sua Verdade, na qual não pode existir qualquer limite, na qual não pode existir qualquer limitação.
Na qual tudo é beleza.
Na qual tudo é Verdade, na qual nenhuma Sombra pode persistir.

Escutem.
Escutem e ouçam o Canto.
Cantem em ressonância ao Interior de seu Ser, o Canto da Liberdade.

Escutem.
Juntos.
Juntos, vibramos no espaço sagrado de seu Templo, no espaço sagrado dos Universos, para sempre reunidos e livres, para sempre, enfim, liberados.

Bem amados, bem amadas Sementes do Um, aquelas da Estrela de Verdade, vocês são a Luz.
Saiam do que não é vocês.
Abram as válvulas e ouçam o Canto de seu próprio Coração, cantando em uníssono do Cristo.
Ele se revela.
Eu venho anunciá-Lo a vocês.

A hora da Pomba, a hora da Liberdade, o retorno de Yérushalaïm.
Abram as portas.
Abram as válvulas.
Revelem em vocês a Luz.
Revelem o que vocês são.
Abram e cantem.
Escutem esse Canto que se instala em vocês, porque ele é sua Presença e a Presença d’Ele no mesmo espaço, no mesmo tempo, para além de todo limite, de tempo e de espaço.

Acolham.
Acolham a Presença d’Ele, após terem acolhido a Luz d’Ele e a Verdade d’Ele.

Acolham a Presença d’Ele, a fim de tornarem-se o que vocês são: Luz e Verdade.
Fogo.
Sacrifício sagrado elevando-os pelo Canto do Um às portas da Eternidade.
Essas portas, presentes mesmo nessa Ilusão, permitindo-lhes abrir as válvulas ao Amor e ao que vocês são, ou seja, o Amor.

Canto de Eternidade para escutar, para ouvir e para cantar.
No mesmo espaço, no mesmo tempo, aquele da Liberdade.

Escutem.
Escutem a Graça, aquela que preenche e que se escoa sem jamais esvaziar-se, preenchendo-se a cada instante.

Fogo.
Fogo ardente de sua Verdade, da Presença d’Ele.
Eu O anuncio a vocês, eu, Arcanjo Uriel, participando da liberação dos mundos.

Eu venho em Alegria, eu venho na Graça, revelar sua Alegria, revelar sua Graça se, contudo, vocês me acolhem.

Agora.
Preparando assim o Canto e o som finais da última trombeta, aquela da Verdade, aquela de sua Eternidade.

Juntos.
A ronda Arcangélica, o conjunto de Consciências apressando-se junto à sua Consciência, a fim de vê-los eclodir nas esferas da Unidade, cantará com vocês o Canto da Liberdade.

Ouçam o som.
Escutem.
Escutem a Vibração.
O Fogo do Coração vem, tal um bálsamo, tudo apagar do que não é verdadeiro.
Eu o anuncio a vocês.
No Canto de minha Presença.

Filhos, criados no Um.
Escutem.
Escutem e ouçam.
Não na cabeça, mas no conjunto do Ser, no coração do ser.
O Coração, que é o Ser, vibra em uníssono e ressoa ao apelo do Cristo, ao apelo do Sol.

Abram e acolhamos.
Cantemos o louvor do Espírito.
Espírito de Liberdade.

... Efusão Vibratória...

A trombeta de Metatron abrirá em vocês as últimas portas e selará a porta da Ilusão, conduzindo-os à Verdade, para a infinidade dos tempos, para a Eternidade dos tempos, para a infinidade dos espaços e dos tempos, se tal é sua Vibração, se tal é sua Presença.

Amados do Um, abram.
Abram-se ao Canto do Universo, como ele se abre a vocês.
Acolham o Canto, a fim de se tornarem o som, vocês mesmos, da Liberdade.
A Luz da Paz e da Alegria, aquela da Eternidade que jamais se apaga, em que nenhuma Sombra pode aparecer.
Ele os convida a viver.
Ele os convida à Verdade.
Ele os convida a ser, a fim de não mais parecer.
Ele os convida a cantar, a participar do coro dos Anjos, do coro dos Universos.
Som da criação criada de toda a Eternidade, para além de um ponto de partida, para além de um ponto de fim.

Cantemos e vibremos, porque a Luz vibra e canta, como o Sol, como os planetas livres e liberados.
Abramos, juntos, a porta de sua Passagem, que voltará a fechar a mesma porta sobre toda zona de Sombra privada de Luz, porque ela não existe.

Eu sou o Arcanjo Uriel e eu lhes anuncio Ele, e eu lhes digo isso, e eu lhes vibro isso, porque nós cantamos juntos o Canto do Anúncio d’Ele, porque nós cantamos juntos o som da Vibração da Presença d’Ele, em que tudo é apenas Amor.

Juntos.
Vibração e Presença.
Juntos.
Vamos, juntos, acolher, alinhados, na Embarcação de Luz, em sua Embarcação, em seu Templo, preparando, assim, o Canto final, o Canto do retorno.

A Luz Vibral chama-os, como Cristo chama-os.
A Fonte, nomeando-os «meu Amigo, meu Amado», vem recordar-lhes o juramento dela e a sua promessa, para sempre selados em vocês, mesmo nas Sombras desse mundo.

Abram.
O Canto do cristal, aquele da Fonte, ressoa em vocês e ressoará cada vez mais, fazendo eco ao apelo d’Ela, para que o apelo d’Ela torne-se o seu apelo.

Ressurreição.
Nascimento que é verdadeiro Nascimento e não renascimento na Ilusão.
Juntos.
Vamos viver no Aqui e Agora a revelação de nossa Presença comum, unificada.

Unifiquemo-nos na Liberdade e no Cristo.

O Anjo Uriel faz silêncio, para que o som do Canto revele-se, em vocês e em mim, que estou com vocês.
Agora.
Acolhamos, juntos, as bênçãos e a Graça.
Agora.
... Efusão Vibratória…

___________________________

Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com/

2 comentários:

  1. Certamente que o Arcanjo Uriel tem usado o ápice das melhores palavras; sempre no intuito de nos dizer o quão grandiosos somos nós, em realidade, e que o momento é chegado para que tomemos consciência dessa nossa grandeza. É certo que se trata de uma tentativa de dizer o indizível. É certo também que se trata de algo bem além do nosso velho entendimento; contudo, como sempre diz a MSG, ESCUTEM E OUÇAM, tornando-se, por vezes, o próprio SOM. O Cristo também teria dito, dentre as suas maiores máximas: "Quem tem ouvido de ouvir, que ouça". Enfim, o que nos parece é que o encanto da vida, em especial, se deve ao seu canto; e por isto mesmo, o intenso chamado para percebê-lo.

    ResponderExcluir
  2. Tudo que eu posso dizer é: Eu acolho a te Uriel, eu acolho a te Cristo, em Alegria, em Unidade e em Verdade.

    ResponderExcluir