Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

9 de mai de 2012

RAM – 9 de maio de 2012

Mensagem publicada em 10 de maio, pelo site AUTRES DIMENSIONS.

Eu sou RAM.
Irmãos e Irmãs aqui presentes, eu lhes dou minha Paz, eu lhes dou minha Alegria.
Eu me regozijo por reencontrá-los.

É-me solicitado, pelo Conselho dos Anciões, para vir exprimir-me, como Melquisedeque do Ar, certo número de elementos concernentes ao Sopro novo e ao Silêncio novo.

Fiel aos meus hábitos entre vocês, o que exprimirei será tanto pelas palavras como pela Vibração, como pelo Silêncio, que lhes dá a viver uma percepção, mais íntima e mais direta, do que eu lhes comunico.

O nascimento, sobre a Terra – ou o renascimento, mais exatamente – do que nós nomeamos (como Anciões) Onda de Vida ou Onda do Éter, acompanha-se – como, talvez, vocês tenham percebido – por modificações sensíveis de suas percepções.

Há alguns anos foi desenvolvida – por outro Melquisedeque do Ar – a transformação do sopro, que passa pelos pulmões, em uma forma de respiração cardíaca, que acompanha o que foi nomeado o Switch da Consciência.
Isso representou o meio de aproximá-los e de viver o Si, a Unidade.

A Onda de Vida leva-os, doravante, a uma fase final, que os conduz a perceber, nessas estruturas (tanto físicas como sutis), a instalação de mecanismos novos (ou, em todo caso, desconhecidos de vocês), que vêm modificar o Som, a Vibração e, também, a qualidade do Silêncio.

Um Éter novo nasceu no homem encarnado.
Esse Éter novo (que foi facilitado, em sua indução, pelo Manto Azul da Graça) modificou a qualidade e a quantidade de prana, como de Partículas Adamantinas que penetram em suas estruturas.

A Luz Supramental representou, desde uma geração humana, uma aproximação progressiva de uma qualidade de irradiações (que foi implementada pelas Núpcias Celestes) por outras qualidades de irradiações, mas que tomam, sempre, o mesmo circuito.
Esse circuito e essa descida (porque se tratava, efetivamente, de uma descida) permitiram constituir, progressivamente, pacientemente, o Canal do Éter (em outro tempo chamado Sushumna ou Canal Mediano da coluna vertebral), que está forrado – por essa descida de Luz em sua tripla composição – de Partículas Adamantinas.

Essa irradiação, essas partículas trabalharam em vocês, acendendo (se se pode dizê-lo), sucessivamente, seus chacras, descendo, progressivamente, ao longo desse Canal Mediano, despertando as Novas Frequências, chamadas Novos Corpos.
Despertando e pondo em Vibração pontos nomeados Estrelas (pontos de Vibração ao nível da cabeça), que correspondem ao retorno à Verdade, de múltiplos modos, e despertando, em sua estrutura cerebral e energética, o que havia sido ocultado e fechado.

Esse movimento descendente permitiu realizar, no tempo, certo número de elementos, dos quais, o mais importante, ao nível coletivo, foi a concretização da Merkabah Interdimensional Coletiva, a construção do Antakaranah (ou Ponte de Luz), que permite realizar, pela adição de Partículas Adamantinas, o que foi nomeado o Canal Mariano.
Canal Mariano que representa uma primeira possibilidade – nova para vocês – de contatos interdimensionais e que permite, no momento vindo, realizar o Anúncio de MARIA.

Essa conclusão da descida produziu, em ressonância (tanto na Terra como em vocês), o nascimento de outra qualidade de Vibração de Partículas, nomeado Canal da Onda de Vida.
A Onda de Vida nasce no ponto o mais baixo do corpo, sobe, tomando circuitos preexistentes que se juntam na base da coluna vertebral, tomando o que havia sido aberto no Canal do Éter, estabelecendo, de algum modo, uma junção entre a parte superior e a inferior.

Paralelamente a isso, essa Onda de Vida pôde, também, progredir na frente do corpo, liberando certo número de elementos nos dois primeiros chacras, nomeados Muladhara e Swadistana.
Desde então, a Onda de Vida pôde – ou poderá – lançar-se para o alto, por um circuito anterior central e por dois circuitos anteriores laterais, dos quais lhes falou UM AMIGO (ndr: rubrica «Mensagens a ler», de nosso site – UM AMIGO, de 7 de maio de 2012).

Duas correntes – uma descendente, uma ascendente – reencontram-se em três pontos do corpo: zona ligada ao primeiro chacra, zona ligada ao quarto chacra e, enfim, zona ligada ao sétimo chacra, realizam um triplo giro, reproduzido no Caduceu de Hermes, reativando as Asas do Caduceu de Hermes, permitindo, então, juntar seu veículo de Eternidade – acima de sua cabeça – chamado o Bindu (o Vajra, a Fonte de Cristal, o décimo terceiro Corpo).
Essa tripla junção põe em ação a totalidade do que havia sido nomeada, por MIGUEL, há alguns anos, a Lemniscata Sagrada, símbolo da Vida, símbolo da Multidimensionalidade, da Unicidade da Vida, da Unicidade da Criação como do Incriado.

A implementação dessas estruturas (e, sobretudo, de circulações de algumas qualidades Vibratórias) tem por única função, por único objetivo, permitir-lhes estabelecer-se no que é nomeada a Liberação, que os restitui à sua Multidimensionalidade.

O Manto Azul da Graça modificou certo número de elementos fisiológicos ligados à circulação da Energia Vital.
Essa Energia Vital circulava, até o presente, preferencialmente, entrando, sendo absorvida do exterior, pelo que é nomeado o chacra do baço, em adequação com a Porta ATRAÇÃO.
O Manto da Graça agiu de maneira simétrica no que é nomeado o chacra do fígado.

Eu não voltarei ao simbolismo do baço e do fígado, amplamente desenvolvido, há um ano, por IRMÃO K (ndr: intervenções de IRMÃO K, de 6 e 7 de julho de 2011, na rubrica «Mensagens a ler»).
Vou, sobretudo, estudar, com vocês, as consequências, sobre a Energia Vital, da ativação dessa nova circulação do Prana.

A Liberação é a saída da Ilusão, a capacidade da consciência e do corpo para evoluir, de maneira nova: sem ser separado, nem dividido, nem fragmentado.
A adição do Manto Azul da Graça permitiu aumentar a entrada desse prana – em suas estruturas etéreas e emocionais – pelo chacra do fígado, dando-lhes a viver (para alguns de vocês) modificações de seu ponto de equilíbrio extremamente importantes, que se traduzem por uma modificação, em primeiro lugar, de inúmeras de suas funções fisiológicas, entre as quais: o sono e a alimentação (para as mais flagrantes delas).

As necessidades fisiológicas e o funcionamento fisiológico encontraram-se modificados, preparando-os, ao seu modo (que depende de sua fisiologia), ao que se vive – ou viver-se-á – doravante.
A adição da Onda de Vida, o reencontro e a alquimia, produzidos em vocês, entre a Onda de Vida e as Partículas Adamantinas (que descem do Cosmos, do Sol e de Alcyone) produziram, em vocês (e aumentaram), esses reajustes e essas modificações prânicas.

Paralelamente a isso, seu sopro (sua respiração) é chamado a modificar-se.
A passagem do ar (dos pulmões ao coração) é, hoje, uma passagem não unicamente dos pulmões ao coração, mas, diretamente, ao nível do que pode ser chamada a respiração celular.
A respiração celular, de fato, vai tornar-se perceptível, não unicamente ao nível fisiológico (biológico, molecular), mas, efetivamente, como sentir.
Esse sentir traduz-se (ou traduzir-se-á), para vocês, por um sentimento de estremecimentos permanentes, arrepios, que partem da caixa torácica e ganham, progressivamente, ao seu ritmo, o conjunto do corpo.
A respiração tornar-se-á, portanto, celular, provocando percepções de estremecimentos interiores e arrepios Interiores.

Do mesmo modo que, levando a consciência à respiração, vocês permitiram, há alguns anos, ao Sopro penetrar o Coração, do mesmo modo, hoje, levando sua consciência à respiração, vocês vão constatar, por si mesmos, o aparecimento – ou o crescimento – da Vibração, estremecendo e arrepiando a escala do corpo inteiro.

As modificações que sobrevêm e, em especial, a subida da Onda de Vida até o Bindu, traduz-se – se já não é o caso – por uma modificação consequente do Som, chamado Nada (Canto da Alma), manifestado ao nível do Antakaranah, que dá a viver não mais os sete Sons correspondentes aos sete Samadhi, mas, efetivamente, um Som que eu qualificaria de invasivo.
Esse Som invasivo corresponde ao Canto do Universo, descrito, sobre esta Terra, como o Canto do Céu e o Canto da Terra.
Levar sua consciência ao Som torná-los-á mais permeáveis ao Som do Cosmos e ao Apelo de MARIA.

Há uma correlação perfeita entre a nova qualidade percebida (Vibrante e arrepiante) e o próprio Som.
Os dois parecem agir – ou parecerão agir – em concerto.
Vocês constatarão, facilmente, que, quando a Vibração e o estremecimento aparecem na caixa torácica, o Som amplifica-se (torna-se mais agudo, torna-se ultrassônico) e permite-lhes, naquele momento, viver os mecanismos da consciência no Si e na Existência, de sua Presença e de sua capacidade para modificar a localização de sua consciência, não sendo mais tributários desse corpo, desse veículo, como desse mundo, percebem – como foi dito – a realidade da Ascensão.

Inúmeras coisas são chamadas a modificar-se (além da alimentação, além dos ritmos do sono, além dos sonhos) em sua consciência, assim como sua interação com as outras consciências (tanto nesse mundo como em outras dimensões), o que prefigura, de algum modo, uma etapa de Comunhão, de Fusão, de Dissolução, de Deslocalização, de Multilocalização da Consciência, que pode conduzir à perda do que é nomeada a consciência e estabelecer-se no que é nomeado Absoluto (ou Parabrahman).

Durante o ano de 2009, eu evoquei, diante de vocês, essa noção de Absoluto, mesmo se, naquele momento, isso lhes parecia muito distante.
Hoje, isso está muito próximo.

A capacidade para emitir, sem qualquer vontade, a Irradiação do Coração Unificado, assim com o triplo giro do Caduceu de Hermes, ativa a zona KI-RIS-TI (já perfurada pela ação Vibratória Metatrônica), permitindo realizar o aparecimento de Asas Etéreas, que prefiguram a Borboleta.
Vocês estão, portanto, na fase de constituição do que eu poderia nomear, por analogia, a crisálida da lagarta, o que explica e dá conta de modificações de funcionamento de certo número de hábitos de sua vida, além mesmo da fisiologia.

Alguns de vocês provam a necessidade de dormir, outros, de não dormir.
Acontecem-lhes mecanismos específicos, que eu nomearia obliteração da consciência, como se, de repente, vocês se tornassem vazios, perdem o sentido ou o fio de seu pensamento.
A memória pode encontrar-se alterada.
Tudo isso concorre para criar a crisálida.
Tudo isso concorre para preparar o Vôo da Borboleta.

As manifestações ligadas aos novos Nadis (ou circuitos de Energia exteriores ao corpo) podem provocar reajustes penosos ao nível da estrutura física.
Isso é apenas transitório, e não requer, de sua parte, uma atenção especial.

Do mesmo modo que a Onda de Vida não tem necessidade de vocês para nascer e estabelecer-se, do mesmo modo, os sinais produzem-se, tanto nesse corpo como em seus comportamentos, como em seu ritmo fisiológico não requerem, de sua parte, qualquer inquietação, qualquer interesse.
O mais sábio é deixar desenrolar-se a construção da crisálida.
Suas estruturas físicas, suas estruturas sutis darão a sentir e a perceber, assim que sua crisálida estiver constituída, um sentimento novo.
Um Sopro novo circulará em vocês.
Um Silêncio novo surgirá.
Esse Silêncio aparece bem além do silêncio de palavras, devido ao Canto do Cosmos percebido nos ouvidos, que lhes dá e prepara-os a viver a vacuidade: passagem da consciência à não consciência, do Ser ao não Ser.

Vocês não podem desejar, do mesmo modo, o não Ser.
Ele se estabelecerá naturalmente, espontaneamente (como a Onda de Vida), a partir do instante em que vocês não o desejarem, em que vocês não o quiserem.
Esse é um processo natural e espontâneo.

A refutação do que vocês não são, o conjunto do que é efêmero vai ajudar, também, a aproximá-los dessa vacuidade.
Vocês se aproximarão dessa vacuidade pela Vibração estremecedora e arrepiante do peito, pela circulação da Onda de Vida, pela modificação do Som (ou do Nada), pela perda de percepções de seu corpo em seus espaços de Alinhamento, em seus espaços de meditação e, por vezes, não importa quando.

A lagarta está desaparecendo.
Isso não requer, de sua parte, qualquer ação.
Nesse sentido, alguns Anciões e uma Consciência específica (que intervém há pouco), nomeada BIDI, pediram-lhes para deixar fazer, ficar tranquilos.
O melhor modo de deixar fazer e de ficar tranquilo é continuar a viver de acordo com o que sua vida pede-lhes, sem procurar, hoje, modificar o que quer que seja por qualquer vontade.

Vocês estão, estrita e exatamente, no bom lugar.
Vocês nada têm a empreender a mais.
Vocês nada têm a suprimir.
Vocês têm, apenas, que estar lúcidos e presentes ao que vocês vivem.
Não para agir (ou trabalhar) no que se desenrola, mas, efetivamente, mais, para acompanhá-lo.
Sem dúvidas, sem medos, sem questionamentos.

Vocês observarão (se já não o fizeram), por si mesmos que, se vocês aceitam não manifestar dúvidas e medos, se vocês se entregam, mais do que nunca, à ação da Luz (pelo Abandono à Luz), se o Si capitula (pelo Abandono do Si), então, a inteligência (o programa, se se pode dizer) de estabelecimento da crisálida realizar-se-á sem problemas.
As circunstancias do que vocês têm a viver, quaisquer que sejam, permitem-lhes, sem qualquer dificuldade.
Quer vocês estejam no repouso, quer estejam ativos, quer estejam sobrecarregados, quer estejam no sono permanente (ou quase permanente), nada muda no que está estabelecendo-se.

A respiração, a percepção consciente e dirigida para o novo Silêncio (que é o Som do Cosmos) é uma ajuda importante, que permite ao que deve estabelecer-se, como programa, estabelecer-se.
Vocês não têm que se misturar nisso.
Vocês têm, apenas, efetivamente, que deixar fazer, para Ser.
Que deixar fazer, para não Ser.
Todo o resto releva da consciência separada, fragmentada, que vai interrogar-se, que vai duvidar e que pode ter medo.
Superando as dúvidas e os medos, o triplo giro da Onda de Vida, misturado às Partículas Adamantinas, permite realizar a construção das Asas Etéreas.

Seu Coração e sua consciência tornar-se-ão de um humor igual, leve, que estão nesse mundo, mas não são mais implicados, ao mesmo tempo estando ativos, conforme o que sua vida pede-lhes.
Estabelecer-se-á, então, cada vez mais espontaneamente, de maneira cada vez mais frequente, cada vez mais duradoura, o processo chamado Contentamento, Êxtase e Íntase.
As manifestações corporais, assim como as manifestações da consciência (seja no Eu, no Si ou na Presença) são as mesmas, que os levam a experimentar o que é bem mais do que a Alegria, que corresponde, ao mesmo tempo, à vacuidade e à plenitude.
Esse é o ponto culminante, para vocês, da realização do Si.

Se a Onda de Vida sobe, agora, sem ter tido o que fazer com a Energia descendente, o resultado será o mesmo.
Exceto que, devido a que a Sushumna não tenha sido forrada de Partículas Adamantinas, realizar-se-á um processo nomeado Despertar do Kundalini, que lhes permite perceber o ponto KI-RIS-TI, as Asas Etéreas e, provavelmente, em suas costas, a chegada do Duplo.
Tudo isso não requer, de sua parte, qualquer ação.
Apenas a respiração, apenas a conscientização do Som e levar a consciência a esse Som novo podem ser-lhes de utilidade.

É claro, existe certo número de elementos, de práticas, comunicadas, concernentes às dúvidas e aos medos (ou seja, o apego da personalidade a ela mesma) nos quais processos de facilitação do aparecimento da Onda de Vida (que utilizam cristais) podem ser úteis durante este período, assim como os últimos gestos dados por UM AMIGO (ndr: ver rubrica «protocolos a praticar / Apego arquetípico da personalidade à personalidade / Facilitação do aparecimento da Onda de Vida»).

Saibam, contudo, que o que continua o mais importante é, efetivamente, ficar tranquilo e nada fazer em relação ao que se desenrola, porque o que se desenrola não tem, de modo algum, necessidade de sua intervenção.

Vocês preparam, ao mesmo tempo, sua Ressurreição e sua Crucificação, seu Renascimento, sua Ascensão.
Isso não requer, de vocês, nada de preciso, nada de especial e nada de geral, apenas deixar agir, deixar fazer, deixar Ser.
Continuem o que a vida dá a continuar.
Vocês observarão que, quaisquer que sejam as circunstâncias fisiológicas, vocês penetrarão, cada vez mais, nesse estado de vacuidade, de plenitude, que os conduz – para alguns – a viver o Absoluto.
Aí tampouco, sem, estritamente, nada procurar nem pedir.
A ação da Onda de Vida, como a ação das Partículas Adamantinas, da Irradiação do Espírito Santo, da Irradiação do Ultravioleta agem em concerto, independentemente de sua consciência, independentemente de sua vontade e independentemente de tudo o que vocês poderiam fazer hoje.

A Lemniscata Sagrada, em seu trajeto OD / ER (peito / cabeça), pode ser realizada, ajudando-se, por si mesmos, de seus indicadores, colocados sobre esses dois pontos.
Aí também, o mais importante é nada querer e nada desejar.
Deixar Ser, deixar agir, deixar fazer.

Se vocês respeitam esses alguns preceitos, constatarão, muito rapidamente, que sua consciência não é mais, de modo algum, a mesma.
Ela se exprimirá de maneira muito mais serena, muito mais desprendida, muito mais feliz, muito mais sorridente.
Vocês não serão mais afetados, realmente, concretamente, energeticamente, por esse mundo, porque vocês estabelecem, pela crisálida, as fundações do Novo Mundo em vocês (ou da ausência de mundo em vocês).

O que se realiza é uma alquimia profunda, que visa modificar, completamente, essa estrutura física, mas, antes de tudo, sua estrutura etérea.
Seu Corpo de Existência sintetizou-se nesse novo Éter (chamado, há um ano, a Fusão dos Éteres), porque mistura o éter rarefeito e falsificado do éter da Terra ao Éter autêntico, integral.

O que vocês têm a viver, o que têm a manifestar sê-lo-á, de maneira cada vez mais clara, cada vez mais evidente.
Isso faz parte do face a face com a Verdade, tal como desenvolvido, precedentemente, por IRMÃO K.
Inúmeras coisas, que podiam parecer-lhes, anteriormente, naquele momento, como confusas, como abstratas, como inacessíveis, tornar-se-ão evidentes para vocês.

Algumas interações de consciências (como de Ondas de Vida, como de Lemniscatas Sagradas) dar-lhes-ão a viver certo número de experiências consigo mesmos, com outros, com seu Duplo, com o Sol, que os conduzirão a aproximar-se, cada vez mais, dessa vivência Absoluta que, se tal é sua escolha, atualizar-se-á sem qualquer intervenção de sua parte, exceto, é claro, a investigação e a refutação.

A Doação da Graça, aceita e acolhida, permite ser Absoluto.
Aí, onde não existe qualquer constrangimento, qualquer antagonismo, qualquer Dualidade e, eu diria mesmo, tão pouca encarnação.
Porque, naquele momento, vocês percebem que estão vivos em outro lugar que não nesse corpo.
Esse corpo aparecer-lhes-á como pesado, denso, que não tem qualquer realidade, qualquer veracidade.
Vocês verão isso como uma Verdade Absoluta, sem esforços, sem pensar, sem criar, sem imaginar isso, mas, efetivamente, como uma evidência total, sem qualquer crença do que vocês São em Verdade.

O Trabalho que foi realizado, em vocês, segue o conjunto de Obras que haviam sido dadas (há alguns anos, paralelamente a mim) pelo Arcanjo nomeado JOFIEL (ndr: intervenção de JOFIEL, de 25 de setembro de 2008, na rubrica «Mensagens a Ler»).
Essas Obras são, efetivamente, por analogia, o conjunto de Obras a realizar no que foi nomeada alquimia.
É, muito exatamente, o que se produz em seu corpo.

O Corpo Etéreo (que era mantido em vida, mas cortado de sua Fonte) transforma-se, doravante, a toda velocidade.
É ele que lhes dá a sentir o estremecimento e o arrepio.
Ele é calcado no Corpo de Existência.
Ele é calcado na possibilidade de viver a Multidimensionalidade, o Si, a Presença e, também, de obliterá-lo, completamente, a fim de dar-lhes a viver o Absoluto.

As manifestações de tipo fogo, as manifestações de tipo frio podem alternar-se.
É claro, elas não devem ser confundidas – e não podem ser confundidas – com qualquer Presença que não seria da Luz.
Isso é evidente, porque vocês não se colocarão a questão, mas vocês terão, instantaneamente, todas as respostas Vibratórias possíveis e úteis para finalizar a crisálida que, eu repito, não tem necessidade de sua intervenção, de sua consciência.
Esse processo é totalmente natural.

Depois do aparecimento da Onda de Vida – no mês de fevereiro – e durante este mês de maio, no qual a Irradiação que atinge a Terra será – como lhes disse nosso Comandante – a mais vasta quantidade e qualidade jamais depositada desde 50.000 anos, o que há a viver é, inegavelmente, a Alegria.
O que há a viver é, inegavelmente, o Absoluto.

Não procurem estabelecer-se, por si mesmos, em algum lugar, porque o estabelecimento de sua consciência (ou de sua não consciência) faz-se, aí também, de maneira totalmente natural, espontânea.
Vocês estão na fase de regeneração total do que lhes havia sido tirado e retirado.
Tudo isso é, portanto, natural, espontâneo e extremamente feliz.

O Sopro novo é, obviamente, o Sopro que percorre esse Corpo Etéreo regenerado.
Corpo Etéreo regenerado que, para inúmeros de vocês, será seu veículo de Eternidade e de Existência misturados, que lhes dá acesso ao conjunto de Dimensões e estabelecem-nos em sua Linhagem Estelar e em sua Dimensão Estelar de origem.

Vocês não têm que procurar o que quer que seja, porque é, muito exatamente, vocês que são encontrados pela Onda de Vida e por essa alquimia.
Muitos de vocês serão levados a conscientizar-se da existência de um Duplo, onde quer que ele esteja.
Isso se traduzirá num reforço do processo alquímico, em sua intensidade, em seu desenvolvimento, em sua manifestação, mesmo em sua consciência.

Seu humor continuará igual, e nada desse mundo poderá mais, jamais, afetá-los, de maneira alguma.

Eis o que se desenrola – ou que se desenrolará – em vocês, nesta fase tão específica.

Se lhes parece existir elementos que eu omiti, nesse descritivo, se existem, em vocês, interrogações concernentes ao que acabo de estabelecer, aqui mesmo, então, eu lhes dou a palavra e eu os escuto, esperando poder ali aportar uma resposta.

Não temos perguntas, agradecemos.

O conjunto do que acabo de exprimir, pelas palavras, será exprimido, agora, pela Vibração.

Se já não o fizeram, descruzem as pernas e braços.
Fechem os olhos.
Fechem, também, a boca.
Nada façam.
Nada peçam.
Estejam, simplesmente, presentes a vocês mesmos, aqui.

... Partilhar da Doação da Graça...

Resta-nos, agora, a realizar isso pelo Silêncio: o Novo Silêncio, que é Som da Eternidade.

... Partilhar da Doação da Graça...

Resta-me, agora, dar-lhes Bênção e Graça.
Eu sou RAM.

... Partilhar da Doação da Graça...

E RAM diz-lhes até breve.
__________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

Um comentário:

  1. O Canal Mariano representa uma primeira possibilidade – nova para vocês – de contatos interdimensionais e permite, no momento vindo, realizar o Anúncio de MARIA <> A Liberação é a saída da Ilusão, a capacidade da consciência e do corpo para evoluir, de maneira nova: sem ser separado, nem dividido, nem fragmentado <> Durante o ano de 2009, eu evoquei, diante de vocês, essa noção de Absoluto, mesmo se, naquele momento, isso lhes parecia muito distante. Hoje, isso está muito próximo <> A capacidade para emitir, sem qualquer vontade, a Irradiação do Coração Unificado, assim com o triplo giro do Caduceu de Hermes, ativa a zona KI-RIS-TI (já perfurada pela ação Vibratória Metatrônica), permitindo realizar o aparecimento de Asas Etéreas, que prefiguram a Borboleta <> Do mesmo modo que a Onda de Vida não tem necessidade de vocês para nascer e estabelecer-se, do mesmo modo, os sinais produzem-se, tanto nesse corpo como em seus comportamentos, como em seu ritmo fisiológico não requerem, de sua parte, qualquer inquietação, qualquer interesse. O mais sábio é deixar desenrolar-se a construção da crisálida <> Suas estruturas físicas, suas estruturas sutis darão a sentir e a perceber, assim que sua crisálida estiver constituída, um sentimento novo. Um Sopro novo circulará em vocês. Um Silêncio novo surgirá. Esse Silêncio aparece bem além do silêncio de palavras, devido ao Canto do Cosmos percebido nos ouvidos, que lhes dá e prepara-os a viver a vacuidade: passagem da consciência à não consciência, do Ser ao não Ser <> Vocês não podem desejar, do mesmo modo, o não Ser. Ele se estabelecerá naturalmente, espontaneamente (como a Onda de Vida), a partir do instante em que vocês não o desejarem, em que vocês não o quiserem. Esse é um processo natural e espontâneo.

    ResponderExcluir