Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

21 de mai de 2012

SRI AUROBINDO – 21 de maio de 2012

Mensagem publicada em 23 de maio, pelo site AUTRES DIMENSIONS.



Eu sou SRI AUROBINDO.
Irmãos e Irmãs na Humanidade, que o Amor e a Paz estejam com vocês.

Eu volto a exprimir-me entre vocês, como Melquisedeque do Ar, e desejaria falar-lhes da consciência e dos elementos que podem ali sobrevir.

Desde numerosos anos nós temos falado a vocês da consciência, de seus diferentes estados, e eu falei-lhes, há mais de um ano, do Choque da Humanidade (ndr: ver, em especial, a intervenção de SRI AUROBINDO, de 17 de outubro de 2010), e de diferentes consciências que podem manifestar-se.

Um interveniente, recente, fala-lhes de algo que está além da consciência (ndr: trata-se de BIDI).
É importante tentar ir mais adiante, falar do que é possível falar, concernente à consciência.

Em todas as culturas e em todas as tradições, inúmeros seres humanos evocaram experiências, estados não comuns, não habituais da consciência.
Numerosos ensinamentos, antigos e mais recentes, tentaram, de algum modo, analisar essa consciência e defini-la, ao mais próximo, de suas manifestações.
Elementos novos, na época que vocês vivem, levaram, certamente, eu penso, a uma compreensão mais ampla e mais explicativa do que é a Consciência.

Nós temos insistido, também, longamente, no fato de que a Consciência era Vibração.
Muitos de vocês tiveram a oportunidade de viver essas manifestações da Vibração, Vibrações acopladas a Consciências não comuns, seja por experimentação, por meditação ou de maneira mais estabelecida, eu diria.

Nós temos insistido, longamente, sobre o Coração.
Não o coração, tal como o ensinaram as regras morais, sociais ou espirituais ou religiosas, mas, efetivamente, o Coração Vibral, que determina e condiciona a própria Consciência, em suas relações ao que é chamado o outro, e ao que é chamado o ambiente.

Em minha última encarnação coloquei, em forma poética e escrita, um número importante de elementos concernentes a experiências que eu havia vivido, assim como as aplicações dessas experiências – eu diria – na vida comum, que chegam até a preconizar o estabelecimento de novas regras de vida, em novos lugares de vida, que alguns seguiram desde essa época.

O ser humano é um ser que eu qualificaria de social.
Isso quer dizer que é indispensável, para ele, estabelecer relações.
Eu não prejulgo, absolutamente, a qualidade dessas relações e de sua implicação e de sua resultante.
A relação – seja consigo mesmo, com o outro ou com o mundo, de uma maneira geral – é uma parte da consciência, uma vez que é pelo jogo dessas relações e dessas interações que se estabelece uma consciência precisa, ao invés de outra.

É claro, a consciência exprimir-se-á, sempre, em relação ao que pode ser conhecido, em relação ao que pode ser experimentado, também, em relação ao que foi vivido.
Essa consciência é inscrita em uma forma de linearidade, inscrita em um tempo, e é capaz de perceber – ou de vislumbrar – elementos do passado e, eventualmente, projetar-se em um futuro, sempre linear.

Nós fomos numerosos a dizer, também, que a meditação era o meio privilegiado de modificar a consciência, de algum modo, de abri-la a outros espaços de percepção, a outros espaços de relação.
Isso, todos aqueles que se interessam, entre os Irmãos e as Irmãs, pela espiritualidade, experimentaram, no mínimo, uma vez, se não, regularmente.

A consciência é tributária da experiência, ela é tributária do que os sentidos dão a perceber, do que o pensamento dá a perceber dele mesmo, assim como as emoções, quaisquer que sejam.
Essa consciência linear pode, em algumas circunstâncias, extrair-se da linearidade e aceder a espaços, que eu qualificaria de mais amplos, de mais estendidos, que dão acesso a informações e relações novas, aí também, quer seja consigo mesmos, em outros estágios, ou, também, com respeito às suas próprias relações no mundo.

O próprio princípio da consciência é, portanto, o de apoiar na cognição, ou no conhecimento de si, o conhecimento do mundo, não só do que é percebido, diretamente (pelos sentidos, pela experiência), mas, também, pela reflexão.

Inúmeras consciências foram-lhes definidas, eu não voltarei a isso, simplesmente, para nomeá-las: consciência de despertar/consciência de vigília, consciência de sono, consciência de sonho e, enfim, um quarto estado da consciência, que havia sido nomeado Turiya.
Cada uma dessas consciências é portadora de certo número de elementos, elementos que se situam tanto na vivência como na experiência ou como no estabelecimento dessa consciência e que vem, portanto, de algum modo, substituir a consciência dita comum, de vigília.

A grande novidade e a grande característica do que acontece sobre a Terra, há uma geração, é que existem testemunhos, cada vez mais numerosos, que falam de uma Consciência de Despertar, uma Consciência na qual o mundo não aparece mais tal como ele aparece ao comum dos mortais, mas parece mais amplo, mais animado, maior, o que desemboca numa necessidade de ali instalar-se e, também, de concretizar (de algum modo) essa Consciência nessa linearidade, nesse desdobramento do tempo que vem de um passado e que se dirige para um futuro.
Eu mesmo explicitei e vivi isso, por ter criado certo número de estruturas, em minha vida.

Quaisquer que sejam as experiências, quer sejam ligadas à meditação ou a experiências que vocês nomeiam de aproximação da morte (ou experiências de morte iminente), ou que isso se revele de maneira completamente inesperada e espontânea (sem pedido algum e sem meditação), o resultado é sensivelmente o mesmo, quanto ao que é descrito.
Mesmo se cada experiência permaneça profundamente diferente, mesmo se cada transformação (e estabelecimento em uma nova Consciência) seja profundamente diferente, para cada Irmão e cada Irmã que a vive nessa linearidade temporal.

Isso nos leva a colocar-nos a questão de: por que o que era extremamente limitado torna-se cada vez mais corrente?
Isso, nós, os Anciões, assim como as Estrelas e os Arcanjos, dissertamos, longamente, sobre as circunstâncias específicas desse mundo, nesta época.
O que eu, aliás, antecipei, falando de Descida do Supramental e de Nova Humanidade, que eu situei, é claro, na mesma linearidade de tempo e em uma transformação da consciência, que põe fim à Idade Sombria.

Pelas experiências vividas (sejam aquelas de todos os nossos Irmãos e Irmãs que tocam esses estados de consciência ou por mim mesmo e muitos outros, mais antigos), nós fomos levados a conscientizar-nos de que o Amor era, certamente, esse espaço de Consciência e de Vibração que era o mais gratificante, o mais satisfatório e o mais capaz de mudar o humano para um Supra-humano (como eu o havia nomeado).
E, no entanto, como a história mostrou até recentemente, esse princípio de Amor – inscrito tanto na compaixão Búdica como nos princípios ditos Crísticos – jamais, infelizmente, pôde emergir, até o presente, de maneira significativa, uma vez que, obviamente, vocês sabem, ainda hoje, a humanidade está em guerra contra ela mesma e, isso, de maneira quase permanente (quer essa guerra concirna à relação entre os indivíduos, entre os grupos sociais, entre países, entre religiões), por um princípio bem conhecido, que é chamado a competição.

O Amor, qualquer que seja a aceitação desse termo, viria pôr fim a uma forma de competição, e estabeleceria o que eu chamarei de relações harmoniosas, equilibradas, desprovidas de competição e desprovidas de predação.
Isso é um ideal, tal como eu tentei transmiti-lo, e tal como tentaram transmiti-lo inúmeros profetas, inúmeras religiões.
E, no entanto, o resultado é o que nós vemos, hoje, de onde estamos, e que vocês, é claro, vivem, hoje, mais do que nunca: esse sentimento de separação, esse sentimento de divisão, esse sentimento de competição, que foi empurrado ao extremo, conduzindo a situações insustentáveis.

É claro, independentemente dessas circunstâncias visíveis, inúmeros elementos (através da revelação da Luz Supramental e, mais recentemente, da Onda de Vida) levaram-nos, talvez, a viver estados que nada mais têm a ver com a linearidade: o conjunto de elementos que foi nomeado Fusão, Deslocalização, Comunhão, Existência, o conjunto de elementos que lhes foi comunicado quanto à origem do homem, à origem desse mundo e à origem de certa forma de alteração de seu equilíbrio normal (quer concirna a vai-e-vem da consciência, de um estado de relação a outro estado de relação).
Contudo, como vocês constatam, o que é vivido, a título individual, por cada vez mais seres humanos, aí tampouco, não bastou para estabelecer uma transformação radical da consciência para ir para esse Amor específico, essa relação diferente do que era vivido nas relações até o presente.

A consciência transforma-se.
Ela está em perpétuo movimento, ela se adapta, permanentemente.
E eis que, há pouco tempo, para muitos de vocês, começam a fazer irrupção elementos novos.
Esses elementos novos recorrem a noções de não consciência, a noções de não Si, a noções que podem parecer estranhas à própria consciência, uma vez que esse estado específico, que é o Último estado, a nada corresponde de apreensível, a nada de conhecido.
E escapa, de algum modo, de toda linearidade e, portanto, de toda continuidade, tal como uma Consciência, mesmo Desperta, mesmo Turiya, poderia conceber.

Quaisquer que sejam as experiências que vocês efetuam, quaisquer que sejam os Samadhis, mais ou menos pronunciados, que lhes são dados a viver e a experimentar, vocês constatam que a humanidade está muito longe de instalar-se nesse Samadhi e nessa própria Consciência do Amor, Relação harmoniosa que põe fim às alterações da relação (quaisquer que sejam as causas disso: religiosas, sociais, espirituais, mesmo).

Ninguém pode, entretanto, negar (aqueles que se interessam por isso) que existe, realmente, um processo de Despertar específico, vivido ou de modo espontâneo, ou de modo acidental, ou pela busca nomeada espiritual.
Qualquer que seja o número desses seres que foi atingido, e que abriram, neles, algumas Portas (e que ali se estabeleceram, alguns), o olhar objetivo, linear da consciência comum não encontra, necessariamente, grandes mudanças, bem ao contrário.

Isso pode levar a consciência a colocar-se questões, para um indivíduo, ou um determinado grupo de indivíduos que vive essa transformação da consciência e sua inserção em um modelo que eles consideram prescrito e que, no entanto, persiste no tempo.

Eu insisti, à época, sobre o princípio da Liberação do Sol, da Liberação da Terra, da Fusão dos Éteres, do aparecimento da multidimensionalidade, assim como de um processo chamado o Choque da Humanidade.
Eu os remeto, para isso, ao que eu disse nessas épocas diferentes, para não sobrecarregar o que eu tenho a dizer-lhes (ndr: ver, notadamente, as seguintes intervenções de SRI AUROBINDO: 2 de novembro de 2010 – Liberação do Sol e do núcleo cristalino da Terra –, 21 de novembro de 2010 – mutação planetária –, 13 de abril de 2011 – Fusão dos Éteres –, 28 de outubro de 2011 – Fusão dos Éteres da Alma para o Espírito – na rubrica «mensagens a ler» de nosso site).

A consciência inscreve-se, sempre, em uma linearidade, mesmo quando dela sai, uma vez que a consciência é suportada e portada por um corpo, portada por limites.
O Ilimitado, de fato, não corresponde mais à consciência, uma vez que ele corresponde à não consciência (como lhes foi explicado e narrado).
A consciência da humanidade é tributária de certo número de elementos, que vocês podem nomear de diferentes modos: quer concirna à educação, quer concirna aos sistemas de subjugação do humano, quer sejam as crenças, as religiões e o sistema social em seu conjunto, que empurram a consciência a não afastar-se demasiado dessa linearidade e, eu diria, da massa de consciência da humanidade.

Certo número de coisas transformou-se, em relação aos elementos que eu lhes citei e que vocês encontrarão no que eu pude dizer desde mais de dois anos.
Hoje, elementos, até o presente, para além do aspecto consciência ou não consciência, vêm fazer irrupção na realidade comum da humanidade.
Isso concerne, igualmente, a eventos que vocês possam procurar, concernentes tanto ao Céu como à Terra, em seus aspectos geofísicos, sonoros, e em seus aspectos de transformação.
Existe, também, aliás, uma possibilidade, real e bem maior, além do estado Turiya, de reencontrar outras Relações que não recorrem mais a essa linearidade do tempo, mas que se inscrevem no que é chamado um contato multidimensional.
Aliás, certo número de processos está no trabalho há trinta anos e, se vocês me escutam, é que, obviamente, vocês ali estão interessados.

Um número considerável e cada vez maior de seres humanos entra em contato com outra coisa que não a linearidade.
Há uma espécie de relação que se estabelece, entre a consciência desse humano e outros Planos Dimensionais, que dá e emite certo número de informações concernentes tanto à própria consciência como a outros Planos Dimensionais ou, ainda, o que vocês poderiam nomear de extraterrestres ou Seres das Estrelas, ou Seres multidimensionais.

Por pouco que vocês se interessem por tudo o que é emitido (independentemente do fato, inegável, de que há comunicações, se se pode dizê-lo, cada vez mais numerosas, com cada vez mais Consciências presentes na superfície desse mundo), vocês não podem ignorar que existem numerosas linhas divergentes e numerosos estados de transformação em curso, que devem conduzir a estados ulteriores profundamente diferentes.

Diante disso, vocês podem ser levados a posicionar-se, seja através do intelecto, seja através de seus sentires ou através de suas percepções, mesmo, a aderir ou a não aderir, a viver ou a não viver o que é dado.
E, portanto, isso requer, inevitavelmente, a noção de verdade.
Vocês devem começar a apreender que a verdade não está em um único nível, que ela é relativa.
E que ela pode conduzir – através da vivência, da experiência de cada um – a viver verdades que são profundamente diferentes, e que não se enquadram, verdadeiramente, com um esquema evolutivo – ou transformador – comum, para o conjunto da humanidade.

Nós falamos, obviamente, de seres que se interessam por essa Consciência, e que se interessam pela vida, não, simplesmente, em suas atividades usuais e condicionadas, e condicionantes, da maior parte de Irmãos e Irmãs que estão – se se pode dizê-lo – ainda, adormecidos e instalados na personalidade e na vida dessa personalidade.

Lembrem-se de que é a escolha deles, e a Liberdade deles, a mais estrita.

Quanto à evolução, nomeada espiritual, ou à chegada de uma nova consciência concernente ao conjunto da humanidade, vocês observam, pertinentemente, que, tanto as crenças de uns como de outros, como a vivência de uns e de outros é sem medida comum.
Que existem diferenças significativas de interesse, de relações, mesmo, e de posicionamento nessas transformações de consciência, que concernem àqueles que ali se interessam.

A Verdade é que, de fato, aí onde vocês se situam, ser-lhes-á, sempre, proposto o que é adaptado ao seu estado, à sua consciência, às suas aspirações, às suas projeções e ao futuro – qualquer que seja – que vocês vislumbram.

É claro, os elementos Energéticos e Vibratórios são essenciais, porque aqueles de nossos Irmãos e Irmãs que não vivem a percepção da Energia não podem aderir sua consciência, por exemplo, ao que nós temos anunciado através deste Canal.
Aqueles que o vivem, é claro, estão perfeitamente conscientes das transformações que vivem.
Mesmo se a consciência não dá a viver estados ou experiências diferentes, de momento, o sentir Vibratório, a percepção Vibratória e Energética não podem, em caso algum, ser negados.
Tanto mais que a maior parte desses elementos coincide, se se pode dizer, com os ensinamentos os mais tradicionais e os mais antigos, que vocês encontram, sobretudo, no Oriente (seja do lado da Índia ou do lado da China ou, ainda, no Tibet).
Essa vivência não pode ser negada.
E, contudo, qualquer que seja essa vivência, inúmeros de vocês não escapam dessa linearidade temporal da encarnação, não têm ideia alguma, visão alguma do que se transforma no interior de si, que corresponde a essa transformação exterior.

É evidente que nós temos dado, progressivamente, elementos de localização, de diferentes modos, concernentes a uma transformação final desta Terra, chamada Ascensão.
O elemento novo, que faz irrupção há pouco tempo, é, portanto, a possibilidade, para aqueles que vivem essas transformações, de entrar em Relação.
Essa entrada em Relação é possível apenas se, realmente, os Canais permitem essa Comunicação e essa Relação esteja ativa.
O corolário é que existe uma possibilidade, enorme, de ser enganado e de ser manipulado, por elementos que entram na relação com a consciência comum não despertada e que dão a crer o que é visto, o que é ouvido, sem que se manifeste, de modo algum, por aquele que se intitule Canal, a mínima modificação Vibratória ou Energética.
O que quer dizer que essa pessoa não vive qualquer dos processos Vibratórios concernentes à transformação da consciência, permitindo, justamente, estabelecer essa Relação nova, essa Transcomunicação.
É, portanto, legítimo colocar-se a questão da veracidade do que é emitido como informação, a partir do instante em que vocês mesmos não têm a possibilidade de perceber, de outro modo que não pelo mental e pelas palavras, o que é transmitido.
Do mesmo modo que aquele que estaria em relação com esses níveis específicos, chamados astrais, faria apenas transmitir os desejos, as projeções dele ou, em todo caso, estabeleceria uma relação com esferas intermediárias, que não aportariam qualquer energia, qualquer Consciência, mas cujo objetivo é o de fazê-los aderir a crenças, quaisquer que sejam.

Não é questão de discernimento, porque o discernimento ou a intuição apenas vão levá-los ao que vocês julgam bom para vocês, e ao que vocês validaram em relação a um sentido da atração que lhes é próprio: que corresponde à sua verdade relativa, mas não pode, em caso algum, corresponder a uma Verdade Absoluta.
O que vem sobre a Terra é uma Verdade Absoluta.
E isso se chama a Luz, e isso se chama o Fogo de Amor.
Esse Fogo de Amor não é, de modo algum, compatível com o princípio de vida que os anima, nesse mundo e sobre esse mundo.
Há, portanto, um paradoxo.

Aí onde alguns veem e recebem as informações, de certa linearidade e de certa continuidade, nós lhes damos, há vários anos, por intermédio de Vibrações vividas, reais e transformadoras, a possibilidade de viver uma transformação Interior, uma transformação da consciência que se apoia numa vivência.
Enquanto a vivência concerne apenas a imagens, enquanto a vivência concerne apenas a uma projeção linear da consciência, não pode haver, obviamente, qualquer mudança da própria consciência.
A consciência continua, portanto, confinada, por informações que não abrem, que mantêm um status quo, que mantêm uma evolução linear e um retorno da Luz que não se acompanha de qualquer desequilíbrio, de qualquer transformação, real e perceptível, de outro modo que não pela vontade de bem, diferentemente que não pela projeção em um mundo melhor.

Aqueles que, entre vocês, percebem e vivem alguns dos elementos que nós temos dado, ao nível Vibral, como informações concernentes a essa Luz atuante, podem, obviamente, apenas colocar-se a questão do que é anunciado por muito numerosos ensinamentos (que, como a cada ano, vocês sabem, invadem muitas coisas).

A Consciência é Vibração: nós sempre dissemos, e, expressamente, insistimos nesse fato, e que, para poder entrar em Relação com as outras Dimensões pertencentes à Luz Vibral, é indispensável que os Canais de Luz Vibral estejam ativados em vocês.

Hoje (e desde a instalação do Manto Azul da Graça, resultante da Fusão dos Éteres, de que eu lhes havia falado, há mais de dois anos, e manifestada, no ano anterior, pela Fusão dos Éteres, ao nível da Terra), tornou-se possível, para inúmeros de vocês, perceber e sentir esse contato com as outras Dimensões.
Além da percepção Vibratória dos chacras, além da percepção Vibratória do Supramental ou da Onda de Vida, inúmeros de vocês desenvolveram – ou são chamados a desenvolver –, além desse aspecto Vibral, um Canal de Comunicação preferencial, chamado Canal Mariano, com as outras Dimensões.
Isso concerne tanto aos seus Irmãos e Irmãs encarnados sobre esta Terra como ao que foi nomeado o Duplo, como ao CRISTO ou como a qualquer Entidade espiritual que evolua, de maneira real, desde as Dimensões Unificadas até o Absoluto.

A realidade dessa percepção Vibratória, que se inscreve do lado esquerdo do corpo, dar-lhes-á a viver, de maneira concreta, real e pessoal, esse tipo de Relação nova, que chama e resulta de uma consciência em via de transformação, para uma Supraconsciência ou para um Absoluto.
Fora disso e, sobretudo, a partir de agora, toda veleidade de contato com outros Planos Dimensionais, que não se acompanhem dessa percepção Vibratória da Consciência, que não se acompanhem da percepção de outra Consciência que penetra seus campos, do lado esquerdo, preferencialmente (mas, também, isso foi visto, por trás, ao nível de KI-RIS-TI), faz apenas traduzir a aproximação de sua consciência de forças opostas à Liberação da consciência.

Nós os engajamos a manter, firmemente, sua vigilância.
Não para rejeitar, não para recair em qualquer Dualidade, mas, bem mais, para estar na Relação a mais exata, a mais autêntica, e a mais nutritiva para vocês.
A Luz Vibral nutre-os.
A Luz Vibral transforma-os, ocasionando uma transformação, tanto de suas percepções Vibratórias como de sua própria consciência, o que conduz ao que foi descrito como modificações fisiológicas, perfeitamente lógicas e perfeitamente normais.

Inúmeros seres humanos, entre os Irmãos e as Irmãs que não estão, ainda, Despertados à Luz Vibral (o que significa, dito em outros termos, que eles não abriram o que vocês nomeiam os chacras superiores, ou o chacra do Coração, porque não têm nele qualquer percepção Vibratória), serão levados, eles também, a entrar em relação.
Mas essa relação não será da mesma ordem que aquela que vocês vivem, com Aquela que está à sua esquerda.
Isso vai provocar um processo de confusão, no qual inúmeros desses Irmãos e Irmãs vão entrar e ver-se em mecanismos visuais, que os chamam a alguns comportamentos, a algumas ações, que, estritamente, nada têm a ver com a Luz Vibral.

Se a percepção Vibratória de uma das Coroas, se o Canal Mariano não está ativado, nós lhes pedimos, vigorosamente, para não atribuir fé ou crédito ao que poderão ver ou ouvir.

A condição sine qua non para entrar em Relação com os Planos Multidimensionais da Luz Vibral autêntica, como com a Confederação Intergaláctica de Luz (que, como vocês sabem, está cada vez mais próxima, em Consciência, de vocês) apenas pode realizar-se, nesse momento (antes de alguns momentos que eu qualificaria de finais), se a Coroa Radiante da Cabeça e/ou o conjunto das outras Coroas, assim como o Canal Mariano estiver constituído, dando-lhes a perceber e a viver – seja em suas noites, seja em seus Alinhamentos, seja em seu sono – contatos cada vez mais aproximados e cada vez mais tangíveis com outras realidades.

Esse mesmo processo, que não concerne ao mesmo tipo de relação, vai tornar-se uma constante, que se traduz, para a humanidade, pela abertura a percepções não habituais, das quais a maior parte não pode vir da Luz Vibral, enquanto os Canais de Luz Vibral não estão ativos.

Esse período de confusão será, muito rapidamente, resolvido, a partir do instante em que o anúncio de MARIA for, obviamente, válido para toda a humanidade.
Enquanto isso, é-lhes solicitado para alinharem-se e centrarem-se, o que quer que vocês vivam ou o que quer que não vivam.

Retenham que o importante e o essencial é perceber a Vibração das Coroas, assim como, para os mais avançados de vocês, efetivamente, apreender que a relação que se estabelece com vocês é apenas de natureza Vibral, na condição de que seu Canal Mariano e a percepção à sua esquerda do corpo, de outra Consciência que não a sua, penetre-lhes, exclusivamente, por esse lugar, não desencadeando qualquer visão, desencadeando, apenas, um Amor, uma Plenitude, qualquer que seja o modo de comunicação.

Naquele momento, vocês podem estar seguros e certos, porque o sentirão e não o imaginarão, simplesmente, de que estão em contato com um dos emissários da Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres.
Qualquer outro modo de contato que recorra ao que é visto ou projetado ao nível do terceiro olho, como o que pode ser ouvido, mas sem percepção nenhuma de Luz Vibral, corresponde apenas a Planos Intermediários, que estão em ressonância, unicamente, com o que nós nomeamos as egrégoras e o Astral.

Vocês não poderão convencer ninguém do que quer que seja em relação ao que ele vive, mas, se vocês têm a chance de estar a par, se têm a chance de Vibrar, se sua Consciência Vibra, qualquer que seja a experiência, qualquer que seja o estado, qualquer que seja o contato, vocês saberão, de maneira definitiva, com o que vocês estão em contato.

A Luz Vibral, em suas relações novas, que se instalam para muitos de vocês, não pode deixar pairar qualquer dúvida pela qualidade Vibratória, porque vocês a percebem, porque o que é aportado, que, absolutamente, nada lhes promete concernente a qualquer Visão, qualquer evacuação em massa ou qualquer demanda que vise transformar sua vida.
Qualquer que seja a demanda, a Luz Vibral doravante, está aí para fazê-los Ascensionar, não para fazê-los deixar o que quer que seja.
A Ascensão concerne à mudança da própria Consciência, assim como a mudança desse corpo, quer ele continue ou não.
O período que se abre e que os conduz – como disseram MARIA e ANAEL, Arcanjo – a viver o que vocês têm a viver vai estabelecê-los, de maneira cada vez mais flagrante e evidente, na Consciência que vocês despertaram, hoje.

Não pode existir Consciência Despertada à Luz Vibral sem percepção da Luz Vibral, que, eu repito, estritamente, nada tem a ver com o que é nomeada energia que, esta, está em relação com o complexo inferior, etéreo e astral.

Seu etéreo transforma-se.
Existe, como disse UM AMIGO, uma Transubstanciação desse corpo etéreo, que dá conta da possibilidade da Consciência ser cada vez menos limitada.
O conjunto desses processos traduz-se pelo que foi descrito na própria Vibração, em sua localização, em sua Presença, em Pontos precisos do corpo.
Se isso não existe (dito em outros termos: se não existe qualquer percepção Vibral), o conjunto de contatos que poderá querer entrar em relação com vocês não pode ter, de perto ou de longe, qualquer ressonância e afiliação à Luz Vibral.

O período que se abre é, portanto, como foi dito, um período de intensidade Vibratória cada vez mais intensa.
Apreendam que essa intensidade Vibratória (ligada tanto a ALCYONE, ao Sol, como a irradiações cósmicas) tem por objetivo romper, definitivamente, as camadas isolantes.
Essas camadas isolantes – chamadas ionosfera, magnetosfera e heliosfera – tinham por vocação separar os Planos Dimensionais.

Devido, mesmo, à ação da Luz Vibral na dissolução final dessas camadas, é, efetivamente, evidente que os habitantes dos Planos Intermediários, não pertencentes à Luz Vibral, mas à Luz fragmentária, vão, obviamente, tentar entrar em relação com vocês.
Isso não é feito para gerar qualquer medo, não é feito para chamá-los a um discernimento ou um julgamento, mas, simplesmente, para estarem lúcidos do que se manifestará, em vocês e ao seu redor, durante este período.

A partir do instante em que uma das Coroas Radiantes – e, em especial, aquela do Coração – estiver ativa, a partir do instante em que a Onda de Vida tiver percorrido vocês, é evidente que, para vocês, nenhuma manifestação, que eu qualificaria de parasita ou de intermediária ou inferior, poderá nem tocá-los, nem contatá-los.

Não será o mesmo para o conjunto de Irmãos e de Irmãs na Humanidade não despertado ao Vibral.
Estes serão contatados, obviamente, pelos centros que estão abertos.
Os centros abertos não são mais as Coroas Radiantes, para esses seres, mas o Plexo Solar e o que é chamado, classicamente, o terceiro olho, que dá, então, percepções diferentes daquelas que vocês vivem e viverão.
Esses seres, em nada, são responsáveis por isso.
Simplesmente, o trabalho da Luz, neles, por uma razão que é própria a eles, não lhes permitiu, de momento, constituir o Canal Mariano e, ainda menos, perceber a Vibração do Coração ou da Cabeça ou do Sacrum e, ainda menos, a Onda de Vida.

Vocês podem imaginar que existirá um antagonismo profundo e, o mais frequente, indissolúvel, entre aqueles de vocês que vivem a Luz Vibral e aqueles que apenas viverão a Luz Astral.
A diferença faz-se pela Vibração, pela localização da Consciência que se aproxima de vocês.
Esses elementos não sofrem qualquer exceção.
Além disso, a resultante não é, absolutamente, a mesma.

A Luz Vibral convida-os à interioridade, ela os convida a estabelecerem-se no Si ou no Não Si, independentemente de qualquer referência temporal, independentemente de qualquer visão de qualquer futuro.
Ademais, a Luz Vibral modifica sua fisiologia e aporta-lhes um excedente de Consciência e de Luz, qualquer que seja a reação desse corpo.

O que é ligado aos Planos Intermediários vai traduzir-se, essencialmente, por subidas de emoção e, essencialmente, também, por mecanismos visuais ou podem aparecer imagens, extremamente bem construídas, tanto desta Terra como desses contatos, mesmo, que se transformam à vontade no que eles querem.
Vocês são, portanto, convidados a verificar, por si mesmos, a ativação de suas Coroas, e isso não pode enganá-los, porque é percebido ou não é percebido.
E, em seguida, nos momentos de relação, que levam a consciência a outra Consciência, por esses contatos Transdimensionais, verificarem, por si mesmos, se o Nada ou Canto da alma é ouvido, caso em que nenhuma entidade de um Plano qualquer, intermediário, pode, mesmo, penetrar no Interior do que vocês São.

Pode-se dizer, de algum modo, que a Vibração das Coroas Radiantes (e, para aqueles que não a têm, pela Vibração da Onda de Vida) permite gerar um Campo Vibratório e um campo auditivo que preserva esses seres de qualquer contato com os Planos Intermediários.

Assim, caso seja uma consciência, mesmo humana (de homem a homem e de mulher a mulher, e de homem a mulher e de mulher a homem, e de um grupo social a outro grupo social), essa relação será muito mais evidente.
Do mesmo modo que o que eu acabo de explicar, para um indivíduo, poderá produzir-se de um grupo a outro, qualquer que seja.

A percepção do Som da alma, a percepção das Vibrações da Onda de Vida ou do Supramental são as garantias da autenticidade Vibral de toda relação estabelecida de um grupo a outro.
Se isso não existe, é claro, naquele momento, será necessário estar nessa lucidez do que representa esse contato, que se traduz pela ausência de Vibração, mas, bem mais, por mecanismos visuais que os levam para bem longe da Luz Vibral.

Quer seja NO EYES, quer seja MA ANANDA MOYI e muito numerosas Estrelas, elas lhes disseram e afirmaram, assim como os Anciões, que a visão fazia-se sem os olhos, que a visão era independente de uma visão ocular ou do que é nomeado o terceiro olho.
A Visão é a Visão do Coração ou, eventualmente, a Visão Etérea, mas nada tem a ver com qualquer visão astral ou qualquer comunicação nomeada astral.
É a vocês que cabe determinar-se, em sua Consciência e em suas relações que vocês estabelecerem.
Isso é válido no Transdimensional.

Lembrem-se: de um indivíduo a outro, de um grupo a outro, mas, também, em suas relações entre encarnados, vocês constatarão, cada vez mais facilmente, que o aspecto de relação, de ressonância, entra em conta, independentemente de todo aspecto visual, independentemente de toda linguagem.

Haverá seres próximos, como menos próximos, com os quais se estabelecerá a vibração.
Haverá seres com os quais a Vibração que vocês portam, seja a Onda de Vida ou os Chacras, apagar-se-á.
Cabe a vocês daí tirar as consequências e as conclusões.
Ninguém que não vocês mesmos pode concluir o que convém fazer aí.

Eu atraio, simplesmente, sua lucidez sobre a realidade da Vibração, sobre a realidade da energia e sobre o que ela pode traduzir, nas relações verticais ou horizontais, que vocês estabelecerão, de maneira cada vez mais fácil, nos tempos que se instalam a partir de agora.

Cabe a vocês ser lógicos: o que quer a Vibração?
Se a Vibração amplifica-se, seja através da Onda de Vida, seja através do Canal Mariano, seja através da percepção Vibratória dos Chacras ou dos Novos Corpos, isso não colocará qualquer problema.
Se um reencontro ou uma relação, quer concirna ao Transdimensional ou outro Irmão e Irmã, faz desaparecer suas Vibrações, naquele momento, será desejável determinar a conduta a mais adaptada.
Isso é importante, durante este período, em que o conjunto de camadas isolantes do Planeta estão em curso de Dissolução, pela ação da própria Luz.

Isso permite perceber, e começar a perceber, de diferente maneira, os Mundos chamados Invisíveis.
Esses Mundos Invisíveis, até o presente, para vocês, são, como vocês sabem, de diferentes densidades.
Algumas densidades elevam-nos e levam-nos à Luz Vibral.
Outras densidades, bem mais próximas que a sua, dessa Dimensão na qual vocês estão, abaixam-nos e levam-nos a outra coisa que não a Luz Vibral.

Quaisquer que sejam as palavras, quaisquer que sejam as imagens, quaisquer que sejam as projeções, a diferença faz-se, para aquele que é portador do Som da alma, justamente, pela evolução desse Som, pela localização do próprio contato, no interior de seus campos e no interior de seu corpo físico.

Esses elementos, esses contatos, essas relações de Consciência a Consciência começam a traduzir o que eu havia chamado o Choque da Humanidade, que lhes dá a perceber, de diferentes maneiras, o que eu acabo de nomear as dimensões Invisíveis.
Essa é uma realidade comum ao conjunto da Humanidade.

O conjunto desses contatos conduzirá a uma modificação da consciência, ainda mais ampla, cujo resultado será, obviamente, profundamente diferente, conforme com o que vocês estão em relação.
Não cabe a ninguém julgar ninguém.
Ser-lhes-á feito, como foi dito, muito exatamente, segundo sua Vibração.

Nada temam, porque nada há a temer.
Há apenas, simplesmente, que exercer essa lucidez e, estejam certos de que, se vocês permanecem centrados em seus quatro Pilares (quer vocês sejam portadores da Vibração de uma Coroa ou da Onda de Vida), para vocês, tudo ficará, sempre, bem, porque nenhuma relação de natureza inversa à Luz pode estabelecer o que quer que seja com vocês.
Não é, portanto, questão de proteger-se do que quer que seja, eu repito.

No que concerne às relações ditas de Irmãos a Irmãs e de Irmãs a Irmãos, na encarnação, que eu nomeei de relação horizontal, aí também, os testemunhos e os marcadores, Vibratórios e sonoros, serão essenciais.
Não o que poderá ser dito, não o que poderá ser visto ou dado a ver, mas, efetivamente, na própria evolução da Vibração.

O problema colocar-se-á, ainda menos, para aqueles de vocês que tiverem aceitado Abandonar-se à Luz e Abandonar o próprio Si para estabelecer-se no Absoluto.
Esses seres, esses Irmãos e essas Irmãs são, de algum modo, aqueles que os precedem nos caminhos do Absoluto.
Eles não podem ser, em caso algum, nem alterados, nem falsificados, de maneira alguma, pelos Planos Intermediários ditos astrais.

Aí estão os elementos que eu tinha a portar-lhes.
Eles chegam antes do período que lhes foi dado por MARIA e que vai correr, como lhes disse o Arcanjo Anael, no mínimo, até 20 de junho.
É durante este período que o conjunto desses contatos vai manifestar-se a vocês.

Então, aproveitem das indicações que eu lhes dei e, sobretudo, verifiquem, por si mesmos, o que vai acontecer.

Se existe, em vocês, e exclusivamente em relação ao que eu acabo de enunciar, da parte dos Anciões, questionamentos, eu os escuto.

Questão: fundir-se na ressonância, na evolução, prepara ao Face a Face, ao Reencontro?

Se isso se produz do lado esquerdo do corpo, sim.
Não há, mesmo, que se colocar a questão, em função do que eu acabo de dizer.

Questão: se a Onda de Vida começa a subir, está-se, portanto, protegido de algumas entidades?

A resposta é Sim.
A Onda de Vida, assim que ela nasceu, cria essa espécie de imunidade em relação aos Planos Intermediários.

Questão: um incômodo na orelha direita, que se difunde em toda a orelha direita, corresponde ao desenvolvimento de Vibrações tal como isso foi descrito?

Não.
Eu, efetivamente, falei de desenvolvimento Vibratório concernente a Uma das Coroas ou a Onda de vida, o Supramental ou a Onda de Vida.

O que aparece, depois, no Canal Mariano, o que quer que aconteça na orelha direita, aparece ao nível da orelha esquerda, no pavilhão da orelha esquerda, na frente da orelha esquerda, ao nível do ombro esquerdo, na parte superior do campo energético situado entre o ombro e a cabeça.

Questão: como manter as percepções do Canal Mariano na vida quotidiana?

Não há que mantê-lo.
O Canal Mariano estabelece-se espontaneamente.
Ele não é função de seus estados meditativos, nem mesmo de seus alinhamentos.
Ele se torna perceptível, o que quer que se faça, o que quer que vocês façam, a partir do instante em que ele é constituído.
O reforço de sua percepção faz, muito exatamente, parte do que foi anunciado por MARIA, e não é, absolutamente, dependente da circunstância do lugar ou do que vocês fazem.

Questão: podemos pedir a Presença, nesse Canal Mariano, de Seres de Luz?

Por qual milagre?
Enquanto as vibrações não ativaram os circuitos, é a Luz Vibral ou a Onda de Vida que ativa os circuitos, e não um pedido.

A Onda de Vida nasce a partir do instante em que vocês a deixam nascer, a partir do instante em que a necessidade de controlar a personalidade não existe.
Vêm, em seguida, é claro, outras etapas, ligadas às dúvidas e aos medos inscritos nos dois primeiros chacras.
Isso lhes foi explicado.

Se a Coroa Radiante da Cabeça ou do Coração está ativa, não há que colocar-se a questão do Canal Mariano, quer haja ou não Presença no interior desse Canal.
Ela vai aparecer.
O Canal Mariano é a resultante da ativação do que é nomeado Antakarana.
Antakarana ligado, ele mesmo, à ativação dos chacras superiores, ao nível da cabeça.
Essa ampola da Clariaudiência constitui o Antakarana.
Antakarana que se duplica de Partículas Adamantinas.
É um processo que nada tem a ver com um pedido ou com uma oração ou com qualquer coisa outra que não a própria Vibração.

No momento Final, em que os Sons do Céu e da Terra tornar-se-ão permanentes, obviamente, naquele momento, e unicamente naquele momento, para o conjunto da Humanidade, o Canal Mariano será criado para o Anúncio de Maria.
Mas, até lá, ou a Onda de Vida subiu ou nasceu, ou o Supramental ativou-se em suas estruturas.

Questão: uma vez esse Canal constituído, é possível recorrer a um Ser de Luz?

A Presença intervirá por si mesma, mas vocês podem fazê-lo.

Questão: se o Som ou as Coroas baixam de intensidade, o que convém fazer, uma vez que se é suposto de nada fazer?

Se vocês são supostos de nada fazer, nada há a fazer.
Simplesmente, estar lúcido do que vocês estão em relação como consciência.
Vocês de nada têm a fugir, porque, aí também, como eu o disse, o fato de ser portador do Nada ou Canto da alma, o fato de ser portador de uma Coroa Radiante ou da Onda de Vida põe-nos à parte de qualquer anomalia.

Mas, simplesmente, estar lúcido de com o que ou com quem vocês entram em relação.

Questão: isso significa que, mesmo se se tem Coroas ativadas ou se o Som está presente como se disse, pode-se, apesar de tudo, entrar em contato com entidades?

Ao nível horizontal, vocês são cercados de 90% de humanos, entre os adultos, que não estão abertos.
Eu falava, efetivamente, de nível horizontal, e não vertical.
O nível horizontal não é Transdimensional, mas concerne à sua Dimensão.

Questão: as Coroas ativadas, não se tem, portanto, que desconfiar de nada, ao nível vertical?

É exatamente o que eu disse.
A desconfiança, para aqueles que ativaram as Coroas, faz voltar a descer à dualidade.
Naquele momento, seriam vocês mesmos os responsáveis por seu rebaixamento, se eu posso dizê-lo assim, Vibratório.

Questão: se se tem um rebaixamento Vibratório, como voltar a subir o nível Vibratório?

Sejamos claros: quando eu falo de Vibração, eu falo, especificamente, da Luz Vibral.
Eu não falo de seu nível de energia, que nada tem a ver.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Irmãos e Irmãs na Humanidade, meu Coração abre-se a vocês.
Eu saúdo, em vocês, a Luz e a Eternidade.

Até breve.
________________________________________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

2 comentários:

  1. O que vem sobre a Terra é uma Verdade Absoluta. E isso se chama a Luz, e isso se chama o Fogo de Amor. Esse Fogo de Amor não é, de modo algum, compatível com o princípio de vida que os anima, nesse mundo e sobre esse mundo <> Nada temam, porque nada há a temer. Há apenas, simplesmente, que exercer essa lucidez e, estejam certos de que, se vocês permanecem centrados em seus quatro Pilares (quer vocês sejam portadores da Vibração de uma Coroa ou da Onda de Vida), para vocês, tudo ficará, sempre, bem, porque nenhuma relação de natureza inversa à Luz pode estabelecer o que quer que seja com vocês <> O problema colocar-se-á, ainda menos, para aqueles de vocês que tiverem aceitado Abandonar-se à Luz e Abandonar o próprio Si para estabelecer-se no Absoluto. Esses seres, esses Irmãos e essas Irmãs são, de algum modo, aqueles que os precedem nos caminhos do Absoluto <> No momento Final, em que os Sons do Céu e da Terra tornar-se-ão permanentes, obviamente, naquele momento, e unicamente naquele momento, para o conjunto da Humanidade, o Canal Mariano será criado para o Anúncio de Maria.

    ResponderExcluir
  2. Uma mensagem mola, alavanca, impulsionando a consciência sempre a ir além. Alguns ítens:

    "Elementos novos, na época que vocês vivem, levaram, certamente, eu penso, a uma compreensão mais ampla e mais explicativa do que é a Consciência.

    A relação – seja consigo mesmo, com o outro ou com o mundo, de uma maneira geral – é uma parte da consciência, uma vez que é pelo jogo dessas relações e dessas interações que se estabelece uma consciência precisa, ao invés de outra.

    E, no entanto, como a história mostrou até recentemente, esse princípio de Amor – inscrito tanto na compaixão Búdica como nos princípios ditos Crísticos – jamais, infelizmente, pôde emergir, até o presente, de maneira significativa, uma vez que, obviamente, vocês sabem, ainda hoje, a humanidade está em guerra contra ela mesma e, isso, de maneira quase permanente...

    A consciência transforma-se.

    A consciência da humanidade é tributária de certo número de elementos, que vocês podem nomear de diferentes modos: quer concirna à educação, quer concirna aos sistemas de subjugação do humano, quer sejam as crenças, as religiões e o sistema social em seu conjunto, que empurram a consciência a não afastar-se demasiado dessa linearidade e, eu diria, da massa de consciência da humanidade.

    Um número considerável e cada vez maior de seres humanos entra em contato com outra coisa que não a linearidade.

    O corolário é que existe uma possibilidade, enorme, de ser enganado e de ser manipulado, por elementos que entram na relação com a consciência comum não despertada e que dão a crer o que é visto, o que é ouvido, sem que se manifeste, de modo algum, por aquele que se intitule Canal, a mínima modificação Vibratória ou Energética.

    O que vem sobre a Terra é uma Verdade Absoluta.
    E isso se chama a Luz, e isso se chama o Fogo de Amor.
    Esse Fogo de Amor não é, de modo algum, compatível com o princípio de vida que os anima, nesse mundo e sobre esse mundo.
    Há, portanto, um paradoxo.

    A Consciência é Vibração: nós sempre dissemos, e, expressamente, insistimos nesse fato, e que, para poder entrar em Relação com as outras Dimensões pertencentes à Luz Vibral, é indispensável que os Canais de Luz Vibral estejam ativados em vocês.

    ...além desse aspecto Vibral, um Canal de Comunicação preferencial, chamado Canal Mariano, com as outras Dimensões.

    A realidade dessa percepção Vibratória, que se inscreve do lado esquerdo do corpo, dar-lhes-á a viver, de maneira concreta, real e pessoal, esse tipo de Relação nova, que chama e resulta de uma consciência em via de transformação, para uma Supraconsciência ou para um Absoluto.

    Nós os engajamos a manter, firmemente, sua vigilância.
    Não para rejeitar, não para recair em qualquer Dualidade, mas, bem mais, para estar na Relação a mais exata, a mais autêntica, e a mais nutritiva para vocês.
    A Luz Vibral nutre-os.

    Se a percepção Vibratória de uma das Coroas, se o Canal Mariano não está ativado, nós lhes pedimos, vigorosamente, para não atribuir fé ou crédito ao que poderão ver ou ouvir.

    Esse período de confusão será, muito rapidamente, resolvido, a partir do instante em que o anúncio de MARIA for, obviamente, válido para toda a humanidade.

    Qualquer que seja a demanda, a Luz Vibral doravante, está aí para fazê-los Ascensionar,...

    ... para estarem lúcidos do que se manifestará, em vocês e ao seu redor, durante este período.

    Não é, portanto, questão de proteger-se do que quer que seja, eu repito."


    Antigamente dizia-se: Meu Deus... Agora, mais do que nunca: controle da personalidade e pelo estado vibracional, ser invadido pela Luz Vibral, Onda de Vida, Canal Mariano,....
    É uma mensagem, que está além do Top. Arrebatadora. Contaminante. Mais uma Graça.

    Vamos aguardar o desfecho.

    Noemia

    ResponderExcluir