Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

31 de dez de 2013

O.M. AÏVANHOV – 31 de dezembro de 2013


Queridos amigos, saúda-os O.M. AÏVANHOV.
Recebam todo o meu Amor, todas as minhas bênçãos.

Hoje, neste dia em que termina esse calendário que vocês utilizam, eu estou aqui para acender o Fogo entre vocês, portanto, a Luz não tira férias, hein?
Quem gostaria de sair de férias quando está na Eterna Alegria e Contentamento, na Unidade e na Graça Divina, hein?

Como vimos neste ano, a Fraternidade Branca, o Coletivo do Um desenhou-se aqui na Terra, aproximando os irmãos, trabalhando, plenamente, na chegada da FONTE.
O aspecto Eterno do Coletivo do Um unificou-se com vocês, representantes, agora, da Fraternidade aqui na Terra.

Encarnados, que recebem e vibram com as Novas Frequências, com os cinco Novos Corpos, na frequência da Quinta Dimensão.
Esse é o trabalho que, agora, podemos ver, foi concluído e está chegando ao seu ponto mais festivo – podemos dizer – isso é, a vir nessas próximas semanas.

Assim, portanto, celebrem, reúnam e glorifiquem a presença do Amor em vocês, a volta de CRISTO em vocês.
A presença de toda a Fraternidade Branca Universal e de todos os irmãos da Confederação Intergaláctica é para celebrar com vocês, também, e é bem sabido que, antes de poder portar a Terra à sua nova localização, as frequências devem ser enraizadas na Terra, a Fraternidade de Luz deve ser ressuscitada na Terra.
E esse é o trabalho que, agora, está sendo concluído, ao nível coletivo, nas diversas reuniões e efusões que permitem e permitirão fazer chegar, totalmente, a presença dos Conselhos de Luz entre vocês.

Esse é um trabalho que, por muito tempo, tem sido o mais importante para a Terra, tem-se podido fazer com mais ou menos facilidade, porém, sempre tentado, qualquer que fosse o coletivo na Terra, se ligado à Luz Vibral, que pudesse ser um transmissor das vibrações da Fraternidade Branca Galáctica, que pode reconectar e renovar os velhos padrões e modelos energéticos, nas Frequências de Luz ascendentes, em ciclos de evolução Divina até o Trono.

Assim, aproveitando dessa desculpa de seu calendário, encorajamos vocês a lançarem-se, totalmente, ao serviço, totalmente, ao acolhimento da Luz, descartando tudo o que os faz olhar para trás, duvidar no passo, hesitar.
Portanto, esses são os tempos para a doação, para a Luz e na Luz, na Obra que se conclui para além de sua vontade.
Simplesmente, com a sua Presença e Alegria, com o seu Coração Aberto, todo o trabalho da Luz e da Fraternidade acontece, espontaneamente, através de vocês: através de um olhar, de um sorriso, através de sua Presença de Fogo, silenciosa, interna, desfraldam-se as forças da Fraternidade que atuam a níveis, talvez, agora, incompreensíveis para vocês.
Mas, uma vez feita a experiência, não resta dúvida da União e do trabalho conjunto que todos estamos levando a termo.

Como se tem observado e anunciado, repetidas vezes, o Fogo do Céu chega com mais e mais força, o Fogo da Terra segue pujante em pressão.
Portanto, fiquem tranquilos pois, de momento, a Obra da Luz ainda tem de completar alguns aspectos na Terra; não se fala de mais tempo, mas qual é o tempo?
Ainda se perguntam sobre o tempo?
Sobre o sucesso dessa Transição?
Transição evidente, para os que a estão vivendo, Tempos Dissolvidos para os que estão em CRISTO, Tempos Esgotados, para os que estão na Eternidade.

Essa é a minha pequena saudação, que começa nessa etapa de reencontros e de celebração dentro da Grande Família Universal, a Grande Família que, reunida, recupera o seu estado Eterno, a Família que retorna à Casa de numerosas Moradas.

Recebam todo o meu Amor e que a Graça de CRISTO esteja presente a cada instante, a cada inspiração.

Até muito em breve, irmãos, fiquem bem!

---------------------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.


(Versão eletrônica, adaptada).

22 de dez de 2013

YVONNE AMADA DE MALESTROIT – 22 de dezembro de 2013




Irmãos e irmãs bem amados, eu sou Yvonne, Yvonne Amada de Malestroit e eu venho, nesta noite, celebrar o Amor com vocês, em vocês, ao seu lado, em um único e mesmo Coração, acompanhada por minhas irmãs Estrelas e por Maria, nossa Mãe, e vimos, todas juntas, render-lhes Graças.
Nós estamos na Alegria de saudá-los, nesses tempos de Reencontros, nesses tempos de Festa e, hoje, gostaríamos de partilhar com vocês alguns passos de dança, no Silêncio de nossas palavras, no Silêncio, através de um Banho de Amor, na Linguagem Vibral Original.

Essa será, para nós, a ocasião de acompanhá-los e de oferecer-lhes todo o nosso Amor, toda a nossa Ternura e toda a Graça do Coração da Mãe e das Estrelas.
Assim, todos juntos, tomemos esse tempo de Comunhão e de Dança, em um único e mesmo Coração, para festejar e celebrar esses Reencontros.

(Banho de Amor em linguagem Vibral)

Brémisskayan, Filhos do Um, Filhos do Amor, nós estamos na Alegria, na Alegria desses Reencontros.
E eu, Yvonne Amada, eu venho abraçá-los e convidá-los à Dança, à Dança do Amor Cristo, e a reencontrar o que vocês São, de toda a Eternidade, esse Fogo de Amor, esse abrasamento.
É o que vocês são, é o que nós somos.

Então, sejam essa Alegria, sejam esse Banho de Amor, esse Fogo que vocês São, porque nada mais há, nada mais que não o Amor.
Juntem-se ao Baile ao qual nós os convidamos, nós os convidamos a girar no Coração da Felicidade, na Paz e no Silêncio de nosso Amor.

Cristo está aí, em vocês, cada vez mais, e nasce no Coração de cada um que Lhe abre a porta.
Então, abram, deixem todo o lugar.

(comunhão silenciosa)

Seu Fogo de Alegria está aí, crepitando, queimando, nesse Coração do Um.
É sua natureza, reencontre-a.
Retornem ao Baile da Eternidade, Filhos bem amados, irmãos e irmãs do Um, que tanto trabalharam para esse dia, esse dia de Reencontros, que está aí, a cada instante, em seu coração, revelando-se, cada vez mais.

Os Melquisedeques, os Arcanjos, e tantos e tantos irmãos intergalácticos estão aí, a convidá-los, convidá-los ao Baile do Eterno.
Então, sim, nós estamos na Alegria, nos somos a Alegria, e é, também, o que vocês são... Brémieskayan...
Então, mais do que nunca, esqueçam-se, esqueçam-se de toda sua humanidade, seu lado terrestre, humano, tudo o que, até o presente, limitava-os, porque não existe qualquer limite.
O fim lembra-os.
O Silêncio é o que vocês são.

Eu sou Yvonne Amada de Malestroit, e eu os acompanho a cada instante.
Eu lhes ofereço toda a ternura de irmã e todo o Amor em Cristo que eu porto.
Vocês são meus bem amados, vocês são o que eu sou, e eu lhes Rendo Graças.
Eu permaneço em vocês e ao seu lado, pelo caminho que lhes resta a realizar para juntar-se ao Silêncio, no qual não existe qualquer caminho, qualquer passo, Aqui, simplesmente.

Então, aproveitem desses instantes no qual a Luz revela-se, nesses tempos de Festa, nesse fim de ano, para abrirem-se mais, abrirem-se mais ao Amor que está aí, e que é sua natureza.
E eu estou aí, com vocês, em vocês, para isso.
Então, agradecidos, irmãos e irmãs, todos nós aplaudimos seu caminho e rendemos-lhes Graças.

Até sempre, até cada instante, eu os abraço, meus queridos amados, Brémisskayan.

Obrigada por seu acolhimento e por seu abandono.

Até breve.
Recebam todo o meu Amor e todo o Amor das Estrelas, esta noite.
----------------------
Transmitido por Séverine,


UM AMIGO – 22 de dezembro de 2013



Eu sou Um Amigo.
De meu Coração ao seu Coração, eu venho, esta noite, em seu período de Celebração, para celebrar sua Liberdade.
Eu não celebro sua Liberdade reencontrada ou sua Liberdade a vir, mas sua Liberdade que sempre esteve aí.
Então, se querem, eu lhes proponho tomar o tempo de um passeio entre Amigos, para acolher a Verdade do que sempre foi.

Esse passeio, que vamos fazer juntos, começa onde você está, nesse instante preciso, no qual nós abraçamos, para celebrar a Liberdade.
Então, talvez você acredite que eu faça poesia, talvez, você acredite que eu falo a outro que não você.
Mas há apenas você, que me recebe agora.
Então, se você duvida, ainda, de estar Liberado, comecemos, se efetivamente quiser, esse passeio.

Para isso, eu lhe pedirei, simplesmente, para engajar-se apenas se estiver bem determinado a vir comigo, observar a Liberdade.
Eu o convido a não deixar-se distrair pelo que quer que seja, a não deixar-se subtrair por qualquer estratégia que seja, que lhe diga que isso é para breve, mas que, esta noite, não é possível.
Então, se você está pronto, se está determinado, comecemos, juntos, esse passeio, para que você possa verificar, por si mesmo, que a Liberdade que nós celebramos é, efetivamente, sua própria Liberdade, que sempre esteve aí, e que emerge em sua Verdade.

Observemos, juntos, o que pôde parecer-lhe ser o que você era.

Talvez, você tenha acreditado, ou acredite, ainda, ser esse corpo.
Talvez, ao mesmo tempo, você tenha acreditado que continuaria a viver além da morte.
Então, eu lhe pergunto: onde está a coerência?
Você não pode ser, ao mesmo tempo, esse corpo e, ao mesmo tempo, viver além do corpo.

Talvez, você tenha acreditado, durante um tempo, ser suas emoções, mas, quando a emoção termina sua influência, você se apercebe, então, de que ela estava bem longe de você.
Então, aí também, você não pode, ao mesmo tempo, pensar ser suas emoções e reconhecer que o que acontece naquele momento supera você como, por exemplo, a raiva, que pode fazê-lo dizer ou agir bem além do que você faria.

Então, talvez, você pense estar situado em seu mental, em parte, pelo menos.
Se não me engano, seu mental é ligado ao seu corpo, porque ele emerge em seu cérebro.
Há pouco, nós vimos, juntos, que você não podia ser esse corpo, exceto se considerar que sua vida para na morte.
E se esse não é o caso, então, como você poderia ser o mental?
Eu nada digo, aí, de extraordinário, eu passeio, simplesmente, com você, em você, para procurá-lo, para encontrá-lo, de mãos dadas, sem qualquer violência, sem qualquer brincadeira: um olhar claro, para encontrarmos, juntos, a Verdade.

Então, onde podemos procurar, nesse corpo, o que poderia ser você?
Procuremos juntos...
Se você nada encontra que poderia ser você, então, ver mais longe, talvez, ao nível da Alma.
Mas você vê a Alma?
Porque, enfim, está claro que você não pode estar separado do que você é.
Então, se você não a vê, é, talvez, porque ali não está.
Se você a vê, observemos juntos...
A Alma vem percorrer uma vida, depois outra, e assim por diante, mas, observando isso, está claro que você ainda está bem além, porque, se você vê o percurso da Alma, você vê, também, que você ali não está.

Nós podemos procurar no Espírito, podemos procurar na Fonte..., mas eu não vejo qualquer traço de você.
Você vê um?
Então, se você vê um, verifique bem que ele não está em contradição com outra visão de si mesmo que você poderia ter.
E, se você não vê, se, em si, você nada vê que se assemelhe a alguém, você sente como isso não incomoda em nada?
Você sente como é perfeitamente suave observar essa Ausência, aí, onde nós sempre acreditamos na Presença?
Deixando, sempre, com flexibilidade e determinação, a observação prolongar-se,não para procurar o alguém.
Se você não o encontrou, tendo percorrido tudo o que você acreditava ser você, não há necessidade de fatigar-se ainda mais, há, simplesmente, que continuar a observar em si, em seu corpo essa Ausência que, acredito, não é, em nada, estressante, não é inquietante, porque você constata que tudo o que funcionava na pessoa continua aí, apesar de isso não ser você.

Então, talvez, você se diga que você é aquele que observa.
Nesse caso, verifiquemos, juntos: você é capaz de parar a observação, de deixar-se flutuar?
Não mais preocupar-se com o que pode advir nesse corpo e além?

Talvez, você seja capaz de soltar, completamente, o corpo, completamente, o Ser, e deixar-se flutuar...

Constatamos, simplesmente, que tudo isso era uma miragem.
Miragem nascida de uma crença, miragem nascida do fato de colar junto peças do que você não é, o que o fez crer que esse monte fosse o que você era.
Mas você jamais foi esse corpo, jamais foi as emoções que o percorrem, jamais foi esse mental, jamais foi o Ser, jamais foi essa consciência...

Então, tomemos o tempo, não nos precipitemos.

[Silêncio]

Porque, se você pôde realizar esse passeio ao meu lado, não resta mais do que a quietude, do que a Simplicidade.
Agora que a máscara caiu, agora que a pessoa evaporou-se. Não há qualquer necessidade de preencher esse vazio, porque , se isso ainda não foi feito, você reconhecerá, em breve, que você é o vazio, que você é o pleno, que você é o Silêncio, como você é o barulho.
Mas, sobretudo, você é bem além da Criação.
Você é o Criado, como você é o Incriado.

Então, agora, a Evidência aparece, a Liberdade sempre esteve aí: você jamais nasceu, você está além do tempo, além do espaço, você é a vida, você é a Verdade.
Então, esse corpo vazio de qualquer pessoa pode continuar a funcionar, pode continuar sua estrada.
Porque, agora, você sabe: o que você pensava ser você era apenas um programa – nós poderíamos dizer, um programa automático – que o faz sonhar uma separação.

O programa continua, mas não há mais ninguém para sofrer com ele.
O lugar está, então, disponível para que a Criação possa alegrar-se em seu seio, celebrando o fluxo de Amor permanente, celebrando o Êxtase.
Você é bem além de tudo isso.
Mas viver o Amor, Amor do Um permanente é, acima de tudo, uma experiência simples que pode interessar-lhe algum tempo.

Mas permaneçamos, se quiser, em sua Verdade, na Liberdade, e festejemos, juntos, o que você é.

Eu sou um Amigo.
Estou feliz de poder andar ao seu lado, para encontrá-lo.

Então, agora, eu posso dizê-lo: de meu Coração ao seu Coração, há apenas um Coração.

Que a sequência nesse mundo seja uma Celebração permanente, vazia do alguém, plena do Amor.

Boa Celebração em sua Verdade!

Até breve.
-----------------------------
Transmitido por Ar.


ALTARAËL – 22 de dezembro de 2013


...Altaïr...Ra-El-Im...

... Altaïr... Ra-El-Im...

Eu sou ALTARAËL, acompanhado pelo Conselho das doze Águias de Altaïr.
Queridos Filhos do Um, queridas Sementes de Estrelas, hoje, estamos alegres de estar entre vocês, nessa festa dos reencontros entre todos nós, Filhos do Um, que participam da Obra da Graça.

Eu venho fazer vibrar o Ar, trabalhar, especificamente, no Triângulo do Ar, zona que contém o que se nomeou o Canal Mariano.
O Ar vem retirar todo o resto de conteúdo, em vocês, que deve ser queimado; o Ar vem reanimar o Verbo Criador.

Assim, em um primeiro instante, ofereço-lhes um banho de Ar.
Acolham.

... Acolhida do Hayot Ha Kodesh do Ar...

Nestes dias, a Luz da FONTE chegou, em toda Presença, ao seu Coração, que Ressuscita a Chama Eterna, a Chama de sua Liberdade como Filhos do Um, para trabalhar na Ação de Graças nos Louvores Eternos, em sua magnitude.

Nós lhes portamos a vibração do Hayot Ha Kodesh do Ar, emanação que provém do Trono Um, que se funde com o resto dos elementos agora, também, em pleno funcionamento em vocês, o que permite ao Centro do Centro, ao Coração dos Corações, ao ponto em que os quatro elementos unificam-se, reconstruírem, em vocês, o que é, de toda a Eternidade.

A vibração do Ar vem limpar e portar o Silêncio, portá-los para além do que vocês viveram como experiência na Terra, como um despertar da sua Alma, do seu Espírito.
O Ar vem entregar-lhes a Leveza, que supera qualquer quadro, qualquer referência, que lhes aporta sua Verdade Absoluta.

Assim, a consciência do Absoluto, tal como se revelou a vocês, causou uma desconstrução em todos os esquemas que haviam sido construídos, tanto em seu aspecto da personalidade como do Ser.

O Absoluto é a Verdade para além de toda experiência ou evolução.
Alguns se referiram como o Incriado ou o vazio; as águas de que a própria FONTE bebe para dar vida e dança à experiência da Criação.
Portanto, esse estado que se revelou a vocês, que pode, talvez, causar um choque, é, verdadeiramente, a base da Criação, da qual nenhum aspecto da manifestação da FONTE pode escapar.
É um estado natural, do qual não se pode falar, que representa, como tem sido dito, a Paz Suprema.

Alegria e Contentamento são as graças do momento, a celebração na Terra e no Céu, nesse Casamento, nessas Núpcias da Terra e do Céu.
Todos nós, o Coletivo de Altaïr e as Consciências Originais das Águias, abraçamos vocês com nossas Presenças.

Nossos caminhos unem-se, novamente; damos graças por seu trabalho aqui na Terra, por sua proclamação da Verdade, que é Amor Eterno.
Esses tempos vêm colocar à prova a sua Verdade, a sua Autenticidade.
Vocês vibram onde dizem, onde pensam?
Estes tempos são a Verdade, a Autenticidade, e cada um de vocês poderá dar o seu Coração em Alegria e Contentamento, como uma oferenda para toda a Vida, para toda a Eternidade.

Eu sou ALTARAËL e o Conselho das doze Águias de Altaïr.
Recebam todo o nosso Amor e todo o nosso Ar fresco e leveza que se instalará em vocês, por toda a Eternidade.

Graças, Filhos do Um, até muito em breve.

----------------------------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.
(Versão eletrônica, adaptada).


16 de dez de 2013

O.M. AÏVANHOV e ARCANJO METATRON - 16 de dezembro de 2013



Queridos irmãos, saúda-os O.M AÏVANHOV.
Recebam um caloroso abraço da parte do Comandante dos Anciões e de todo o conjunto de Melquisedeques.
Completamos uma semana importante quanto à descida da Luz.
Descida da Luz em vocês, descida da Luz no Coletivo do Um, encarnado e presente nestes momentos tão excitantes para a Terra.

Numerosas presenças participaram nestes dias, desde meus companheiros, passando pelas Estrelas, os Arcanjos e, principalmente, pela presença de CRISTO e, também, de MARIA, que vieram, nestes dias, acender e semear a Nova Aliança que, agora, vibra em plena potência.

CRISTO é o Fogo Eterno, é o Fogo que vem consumir, cada vez de forma mais quente, cada vez de forma mais potente.
CRISTO, que chegou ao seu Coração nesse Sistema Solar, cumpre certo calendário astronômico que vê sua resolução nesses tempos.

Hoje é um dia especial no que tange a ativação dos Portais desta Terra.
Como foi comunicado pelos irmãos do Intraterra, alguns pontos que se ativam hoje permitem a entrada das novas frequências ao nível do Núcleo Terrestre.

A presença de CRISTO e as doze novas frequências – ou Chaves Metatrônicas – foram dadas a alguns de vocês já há algumas semanas, também a presença de CRISTO, para alguns de vocês, já há algumas semanas, que está aí, muito perto, a cada instante.
Portanto, hoje, assinalamos essa chegada das doze Chaves, que se instalam ao nível da Terra, a um nível mais coletivo, e isso será mais perceptível em todo o conjunto de grupos de almas que estejam trabalhando, bem mais do que trabalhando, celebrando, glorificando a Obra da Luz e a majestade da Graça.

Hoje, venho acompanhado do ARCANJO METATRON, que lhes oferecerá um momento vibral para acolher, em si, essas novas Chaves, se ainda não é o caso e se é o caso fazê-las vibrar, fazê-las cada vez mais presentes e ativando cada código, cada vibração.

Assim, portanto, tomem alguns instantes para receber a presença do ARCANJO METATRON.

--------------------------------

... Ehieh Asher Ehieh...

Eu sou o ARCANJO METATRON.
Filhos do Um, Filhos da FONTE, acolham as doze Chaves Metatrônicas que, hoje, venho fazer vibrar em vocês, venho fazer vibrar no Núcleo da Terra.

Essas doze frequências representam a totalidade da informação e códigos que devem ser entregues para levar a termo o estabelecimento da nova dimensão, para levar a termo a Ascensão, semeando e permitindo os novos espaços frequenciais de vida.

Assim, portanto, nós nos dispomos a fazer vibrar as doze Chaves Metatrônicas.
Acolham, no centro de seu Coração.

... Elevação vibratória das doze Chaves Metatrônicas...

Esse é o pacote frequencial das doze Novas Chaves.
Não busquem qualquer definição, simplesmente, integrem a vibração.
As portas estão abertas para a Luz da FONTE.
CRISTO vem finalizar a Obra no Branco, paralelamente à chegada das doze Chaves.

Eu sou o ARCANJO METATRON, fiel portador da Luz da FONTE aos mundos da Criação.

Filhos do Um, fiquem na Paz, a minha Presença virá acender seu Fogo, fazer vibrar as doze Novas Chaves.
Acolham, portanto, a Luz Branca que eu lhes aporto.

... Ehieh Asher Ehieh...

--------------------------------

Assim, portanto, como acaba de dizer o Arcanjo que porta a Luz do Pai, da FONTE, recebam, sem qualquer tipo de pergunta nem dúvida, a vibração que chega, de maneira intensa, que vem abrir cada Porta em vocês.
Podemos ver como o trabalho que vocês estão fazendo está gerando uma grande Luz, está facilitando a nossa chegada a todos os irmãos, levantando os véus que separavam o nosso contato.

Assim, e como sempre, ultimamente, dizemos, muitas graças por sua celebração, por suas conexões, cada vez mais intensas e estáveis com a Verdade que vocês São, com a Verdade que nós Somos, e com a conexão da consciência da humanidade com a consciência Una, que vem juntar-se, novamente, para fecundar essa maravilhosa Terra, esse planeta que recupera sua sacralidade, mas nunca perdeu, hein?, mas passou um tempo sob os laços da opressão.

Nestes dias, o Céu enche-se da Luz Branca, enche-se de Fogo, assim como nós os acompanhamos, bem de perto, nesse acolhimento.

Vamos nos reencontrar muito em breve.
Um forte abraço de Fogo e um abraço de CRISTO, CRISTO que é a Luz em vocês.
Até muito em breve.

-------------------------------------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.
(versão eletrônica do catalão, adaptada).

----------------------
Por favor, considere esse pedido de CONTRIBUIÇÃO, agora também pelo PAYPAL.


15 de dez de 2013

MEVLANA RÛMI – 15 de dezembro de 2013



Em sua história, eu fui Rûmi.
Na verdade, eu sou o Um, como você é o Um.
Eu me instalo em você, para transmitir a mensagem que eu venho portar-lhe.

Eu me dirijo a essa assembleia, aqui reunida, a essa assembleia reunida por sua tecnologia, assim como a todos aqueles que se juntarão a nós na sequência.

Eu sou Melquisedeque do Ar.
Em sua assembleia, talvez, vocês me conheçam pouco.
Então, eu me apresento.

Quando eu fui Rûmi, eu portava uma mensagem muito simples: Acolher a morte é acolher Deus.
Então, é claro, eu falava da morte da pessoa, da ilusão de ser uma pessoa.
A dança que eu instituí vinha refletir isso (ndr: dança giratória sagrada dos dervixes rodopiantes, designados sob o nome de Samā‘).

Dança da morte, dança de luto.
Separar-se da pessoa apenas pode levá-lo à Verdade.
Você tem procurado, procurado, procurado encontrar a Verdade na pessoa.
E o que você encontrou?
Caminho sem saída e volta ao ponto de partida: a ignorância.

Então, se você é autêntico em sua busca, pode, talvez, aceitar a ideia de deixar morrer a personalidade, para ver o Um emergir.
Então, essa era a minha mensagem.
Mas você deve vivê-lo.

Eu poderia dizer-lhe, igualmente:
Seja grande e sólido como a montanha, para ajudar e amar o conjunto da humanidade.
Seja o oceano que acolhe a vida em seu seio, sem julgamento.
Seja a terra, que aceita, com humildade, ser pisada, permanentemente.
Seja a água da fonte, para que a transparência regue o mundo.

Eu poderia dizer-lhe tudo isso e poderia desenvolver isso durante horas.
Ou eu poderia propor-lhe outra coisa: Seja você mesmo.

Quer você ande, quer você dance, quer você cante, quer você permaneça no silêncio, o que é que isso muda, se você é fiel à sua Verdade?
Você quer olhar a chegada do Um revelar-se nesse mundo ou quer vê-lo realizar-se em você?
E o Um apenas pode estar presente em sua Verdade.
Então, por que procurar alhures algo de maior?

Nada é maior do que o Um, em cada gota d’água.
Em você, em sua verdade, mantém-se ali, o Um.

Se você procura o Um em outro lugar que não em sua Verdade, se você o olha através das manifestações exteriores, então, encontrará as manifestações exteriores.
Se você procura ajudar o mundo, querer apoiá-lo, então, você encontrará suficiente sofrimento a sustentar em seu caminho.

Se você procura a Verdade, Verdade de sua própria experiência, Verdade sem concessão, Verdade que não se apoia em qualquer crença, em qualquer esquema de seu mental, então, aí, você encontrará a Verdade, Verdade do Um que se apresenta a você.

Diga-me o que você procura, e eu lhe direi o que encontrará.

A Luz encontra-se apenas na Verdade.
Então, juntos, giremos, para embriagar a pessoa, festejemos seu desaparecimento, deixando lugar ao Um.

O mundo que se desenrola sob os seus pés é oriundo de sua busca.
Cabe apenas a você transformá-lo, procurando a Simplicidade.
Simplicidade da Verdade, que não pode permitir-se qualquer compromisso com o conjunto de regras estabelecidas em seu mundo.

Busque a Verdade, em cada instante.
O que ela tem?
Você não poderá descobrir outra coisa que não o Um, o Amor.

Buscar a morte da personalidade ou procurar o Amor é a mesma coisa.

Então, eu volto a perguntar-lhe, outra vez, o que você quer ser.
Você quer ser a imensidade ou quer ser o que você É?
E eu volto a perguntar: O que você quer procurar?
O que há de mais importante do que procurar a Verdade?

Então, seja o que você É, de toda a Eternidade.
Isso começa no que você É, para além da personalidade.
E aceita apenas a Verdade.

Os compromissos podem apenas arrastá-lo à ilusão.

Eu lhe proponho, no Silêncio, que giremos, juntos, você em seu seio, e eu, que sou você.
No Silêncio, busquemos a Verdade.
Sem pensamento, sem construção de qualquer espécie, acolha o que você É, no Silêncio.

[Silêncio / Efusão]

Se há interrogações em relação ao que eu acabo de desenvolver, ficarei contente de poder ali aportar alguns elementos de resposta.

Não há questão.

Eu escuto, em seu Coração, o Silêncio.

E eu terminarei nisso.
Viver a Verdade do Instante não necessita de um posicionamento específico, nem necessita que você renuncie a tal ou tal atividade.
Só a resposta em sua Verdade indicará o que É, verdadeiramente.

Que o Ar que eu porto venha sustentar seu Fogo.

Na Verdade, no Um, eu os espero.
Nós os esperamos.

Recebam todos os meus encorajamentos.
Recebam todo o meu Amor.

---------------------------------
Transmitido por Ar.

MARIA – 15 de dezembro de 2013



MEDITAÇÃO VIBRAL


Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.

Meus queridos filhos, eu venho, esta manhã, reencontrá-los no Silêncio, Silêncio sustentado pelo Arcanjo Uriel.
Nesse Silêncio, no qual tudo se apaga, no qual tudo retoma seu lugar, eu venho portar em seu Coração o meu Pilar da Nova Aliança, Aliança de carne em minha carne, Aliança do Espírito no Pai.

A Nova Aliança constrói-se por si mesma.
Nada há a reivindicar, nada há a elevar, nada há a realizar.
É no momento em que vocês param toda reivindicação que se eleva a União, Celebração do Amor no Fogo da Luz.

Então, eu os convido a parar toda busca, para reencontrarem-se.
Aquele que se coloca na busca cria seu próprio caminho.
Aquele que para toda busca, que se posiciona na recepção da Verdade do Instante, encontra a Verdade do Um.

[Silêncio / Efusão]

A Verdade que eu venho aportar-lhe vive-se instantaneamente.
Se você procura desenvolver uma verdade mais completa na sequência desse momento, então, toda Verdade desaparece.
Vivamos o instante, esqueçamos o tempo.

[Silêncio / Efusão]

Meu Coração de Mãe vem ressoar em cada uma de suas células.
Então, olhe, não procure o que você deveria viver, olhe o que é agora, e reconheça-me.
Qualquer que seja o sinal, qualquer que seja o lugar, eu venho lembrá-lo do conjunto do corpo, do conjunto de seus corpos, nossa Filiação.

Quer você me reconheça no Coração, quer você me reconheça ao nível do Sacrum, das pernas, do dedão do pé, ao nível dos braços ou da cabeça, isso nada muda.
O que está aí está aí, e eu estou aí.

Então, retiremos, juntos, a maneira pela qual você sonhava nossos reencontros, para deles viver a realidade, a Verdade do Instante, Instante Eterno.

O Apelo de uma Mãe sente-se em cada célula, em cada poro, em cada espaço.
Se você me recebe, eu venho envolvê-lo em meu Manto Azul da Graça.
Se você me recebe, eu venho construir um casulo de Luz, para recebê-lo, novamente, em meu seio.

[Silêncio / Efusão]

Nesses últimos tempos, nós temos insistido sobre seu posicionamento, pois nós lançamos o convite para deixar o lugar.
E aí, eu digo: faça Um com tudo o que vem, faça UM com esse Instante.

[Silêncio / Efusão]

Meu Coração de Mãe inflama-se, crepita de Alegria por nosso reencontro.
Eu não lhe peço para acreditar em mim, eu o convido, simplesmente, a ver em sua morada a Verdade do momento, Verdade que emerge do Silêncio.

[Silêncio / Efusão]

Sejam gentis, sejam fortes, sejam determinados para acolher cada Instante.
Sejam flexíveis.
Sejam pilares de Luz.
Sejam grandes, sejam muito pequenos.

Sejam sábios, sejam felizes.
Dancem, cantem, meditem, façam o que quiserem, mas façam-no na Verdade, Verdade do Instante e, assim, vivam, celebrem, rendam Graças pelo simples fato de estarem presentes no Presente, de estarem aí, Aqui e Agora, e bem além, no Silêncio.

[Silêncio / Efusão]

O Amor de uma Mãe ressoa em você.
Não procure reconhecê-lo: viva-o, simplesmente.

Meus queridos filhos, eu estou aí, a cada instante, pronta para apoiar seus passos, pronta para fazer-me reconhecer, no Silêncio.

[Silêncio / Efusão]

Recebam as minhas bênçãos e toda a minha afeição de Mãe.

Até breve, até sempre, no Amor.

----------------------------------
Transmitido por Ar.

14 de dez de 2013

MARIA – 14 de dezembro de 2013



Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.

Meus filhos bem amados, eu venho, como Miguel veio, depois Cristo, trazer em seu seio o Pilar da Nova Aliança que eu porto.
A Nova Aliança assinala suas Núpcias com a Luz.
A Nova Aliança porta-os à sua Eternidade.
Então, vocês querem tornar-se os companheiros da Luz, caminhando, assim, ao lado de Ki-Ris-Ti?

Filhos do Um, meus queridos filhos, minhas palavras são as palavras de uma Mãe que vem encorajar, que vem tranquilizar.
Sua Eternidade está aí, a partir de Agora.
Neste espaço em que nos encontramos, eu venho reacender sua Chama de Eternidade, Aliança de Fogo, Aliança de Amor, que vem irradiar o mundo sobre o qual vocês colocam seus pés.

Eu o levo à minha Morada, Morada do Céu, Morada em seu Coração, porque o Céu e seu Coração não fazem mais do que Um.

Eu venho acompanhar meu Filho às Suas Núpcias.

Na Obra no Branco, viemos celebrar a União sagrada, a União que o leva à sua Eternidade, que o coloca no Um.

Então, meu filho, eu lhe proponho acompanhá-lo até o altar, para marcar este dia de Festa no qual você vem fundir-se na Luz do Um.

Nova Aliança, que leva a realizar a Nova Eucaristia, que se torna o Corpo de Cristo, irrigado com Seu sangue, Corpo de Amor irrigado de Amor.
Então, por que hesitar?

Meu filho, jogue para trás de si suas vestes usadas, e vista esse Manto de Luz que eu venho colocar sobre seus ombros.

[Silêncio / Efusão]

Prove o brilho, o crepitar de cada uma de suas células, que reconhecem a Alegria de sua Filiação reencontrada.
Celebremos, juntos, a partir de Agora, seu retorno ao Reino do Pai.
Você jamais saiu dele, Ele não o esqueceu.
Ele lhe fez esse Juramento e essa Promessa.
Nós a portamos até você, e nós esperamos...

A Luz vem trazer a Transparência, isso vocês veem emergir por toda a parte sobre sua Terra.
Não se deixem sugar pelas revelações que se sucedem e que se sucederão, que mostram, de maneira cada vez mais gritante, onde a falta de Amor esteve presente, onde crimes contra o Amor são instalados.
Não julguem, permaneçam em seu Coração, permaneçam na Luz do Um, e tudo será suave.

Nada há a condenar.
Condenar é, frequentemente, um ataque do Amor, contra o Amor.

A Luz vem cortar o que não é Amor.
Isso pode ser interpretado como um julgamento ou uma condenação da Luz, mas não é: A Luz acolhe, incondicionalmente.
A Luz corta pelo Amor, para o Amor.

Então, noivo (a), vem diante do altar, noivo (a), esqueça-se das tribulações do mundo que o cerca, e deixe-se levar pelo Amor.

Eu voltarei, amanhã de manhã, para apresentar, novamente, o Pilar que eu porto e, como Miguel e Cristo antes de mim, estarei presente ao seu lado até lá.

Filho, receba o Amor de uma Mãe que o chama, que o espera em seus braços.

Até amanhã.

-------------------------
Transmitido por Ar.

CRISTO KI-RIS-TI – 14 de dezembro de 2013



MEDITAÇÃO VIBRAL

Eu sou Cristo KI-RIS-TI, portador do Fogo solar em seu Coração.

Como anunciado, eu venho fazer eco à minha intervenção de ontem, no fim de seu dia, para vir portar, novamente, em seu seio, o Pilar da Nova Aliança que eu porto.

Eu venho propor-lhes instalá-lo em cada um de vocês.

[Silêncio / Efusão]

Por meu Fogo, eu venho propor-lhe dissolver o usurpador que se instalou eu seu Trono.

Para isso, você tem apenas um passo a dar, apenas uma palavra a dizer, pronunciada no Coração, no Silêncio.
Uma palavra que significa, para mim, que você rende as armas da personalidade, do ego, entregando as chaves ao Um.
Então, tudo poderá consumar-se, na Leveza, na Verdade.

Caros irmãos e irmãs, o retorno à Luz, o retorno ao Reino do Um é Simplicidade.
Isso nós lhes dissemos.
Basta-lhes, em Verdade, afirmar sua escolha, não no ego, mas no Coração, e todo o resto, absolutamente tudo, todas as Graças virão por si mesmas preencher sua Morada.

Não procurem o que devam realizar de grande para receber-me, porque, em Verdade, é tornando-se muito pequeno, é acolhendo a Transparência que vocês preparam o meu Retorno.

Então, você está pronto para transformar o caminho árduo da busca de si mesmo em um caminho de Simplicidade, tão simples que você não pode, mesmo, aperceber-se dessa Simplicidade através do filtro complicado do ego?

Queridos irmãos, queridas irmãs, juntem-se, se tal é sua escolha, na margem da Simplicidade, e eu estarei aí, para tudo revelar: revelação do Fogo, revelação do Amor, revelação do Um, que vêm instalar-se em seu Trono.

Eu sou seu Pastor, e eu digo às suas ovelhas perdidas, aos seus cordeiros perdidos: «Parem de ter medo e de correr em todos os sentidos; sentem-se; abandonem a busca; abandonem o medo e deixem-se tomar pelo que vem, deixem-se tomar pelo Amor».

Vocês querem salvar uma existência efêmera, repleta de sofrimento, ou vocês estão prontos a arriscar juntar-se à sua Eternidade e ali viver a felicidade e o Amor a cada instante?
Para isso, vocês nada têm a fazer; para isso, vocês não têm, mesmo, que desaparecer: vocês têm, simplesmente, que deixar desaparecer o que vocês não são.

Amigos, irmãos e irmãs, eu venho, com minha Espada de Verdade, cortar tudo o que vocês aceitam soltar.
De um único golpe de minha Espada, eu posso restituí-los à sua Eternidade, eu posso liberá-los.
Cabe apenas a vocês saber o que estão prontos a soltar e o que querem conservar.

Na Glória do Um, eu lhes porto o meu Fogo, eu canto seus louvores, cantando aqueles do Pai.

Até breve.

------------------------------
Transmitido por Ar.


SRI AUROBINDO – 14 de dezembro de 2013


 Áudio

Queridos irmãos, eu sou SRI AUROBINDO.
Hoje, eu venho como representante à frente da Consciência das Águias de Altair, hoje eu venho a pedido, a pedido de sua Mãe Divina.
Como um cavalheiro que apresenta sua dama para acolher, neste espaço, a presença de MARIA.
Essa senhora, que eu descrevi na Revelação.
Essa senhora, vestida de Sol, com a Lua sob os seus pés, com a Coroa de doze Estrelas.
Essa senhora, que eu lhes descrevi, é a presença triunfante de sua Mãe Divina.

A Lua sob os seus pés significa que ela venceu todas as energias de controle, de limitação que têm oprimido, principalmente, a energia feminina em seu mundo.
Ela porta a Coroa de doze Estrelas; Ela vem com todas as suas Virtudes, que representam, também, as doze novas Chaves Frequenciais, os doze Arcanjos que sustentam a Criação para além da terceira dimensão.

MARIA vem, portanto, para instalar, na coluna central, o seu Pilar.
Pilar que reúne os que já foram ativados por MIGUEL e por CRISTO.

A presença de MARIA em seu Céu, acompanhada da Frota Mariana, aproxima-se, o mais possível, da superfície terrestre.
Fiquem, portanto, atentos aos sinais que, pessoalmente, chegarão a vocês de seu Céu e do Céu desta Terra, chamando-os, a partir de agora, a reunirem-se com a sua filiação, com a sua Família Estelar.
Esse chamado far-se-á cada vez mais potente, para que todos os Filhos do Um recebam o conforto e a Alegria de sentir a presença de toda a Família Galáctica.

Da mesma maneira, a Nova Jerusalém, essa Embarcação de Luz, está aqui para selar a sua Eternidade.
Essa Embarcação que vem, ciclicamente, à Terra, desta vez, para liberá-la, definitivamente, de seu confinamento.

Do Coletivo de Consciências de Altair, nós lhes agradecemos e felicitamos por sua Alegria, por sua Celebração do retorno do Amado.

Eu lhes dou todo o meu Amor, toda a minha Luz Branca, acompanhando, então, MARIA e todos vocês, na instalação e elevação da Nova Aliança.

Graças, amigos e irmãos, por esse trabalho de Glorificação à Unidade, ao Pai, à FONTE.
Entoem os Cânticos de Glória!
Entoem os Cânticos de Graça!
Porque CRISTO está aqui.
Novamente, agradecemos-lhes e desejamos-lhes uma boa instalação de sua Eternidade.

Graças.

------------------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.

(versão eletrônica, adaptada).