Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

21 de fev de 2014

TERESA – 21 de fevereiro de 2014




Eu sou Teresa, a pequena Teresa.

Irmãos e irmãs, eu venho desenvolver, junto a vocês, uma noção que poderia parecer-lhes nova, mas que é apenas o Abandono.
Essa noção é a Oferenda, oferecer tudo o que vocês são à Vida.
Eu poderia dizer-lhes oferecer tudo o que vocês são à Luz ou oferecer tudo o que vocês são ao Um, isso daria no mesmo, mas o oferecer à Vida permite não se projetar em conceitos do Um ou da Luz.

Se vocês vivem seu Retorno à Unidade, se veem o Um trabalhar em seu Templo, o Um trabalhar em cada um, o Um desenvolver-se no conjunto da Vida, então, vocês sabem, o Um é a Vida.
Em numerosas tradições é costume fazer oferendas às divindades.
Isso, frequentemente, quando é efetuado, coloca-os em uma noção separada, em uma noção de oferecer para receber.

A Oferenda à Vida não se importa em receber.
Abandonar-se à Vida, abandonar-se à Luz, abandonar-se ao Um é oferecer-se, inteiramente, nada manter para si.

Você não pode oferecer-se pela metade.
Você não pode oferecer-se em um objetivo de gratificação.
Quando você se oferece, pouco importa que o Um o tome, que o Um leve-o a sofrer, que o Um leve-o à Paz.
Você se entrega, inteiramente, nas mãos dele, e pouco lhe importa, mesmo, que ele se digne a inclinar-se sobre você ou não.

Oferecer-se é um posicionamento interior, que nada pode ansiar, nada esperar, nada reivindicar.
Quando você oferece, então, aquele que recebe é livre para pegar ou largar.
Aí está o Abandono total.
Você oferece tudo, quer seja o que você crê ser ou quer seja o que você sabe que não é.
Quer você creia ser esse corpo ou que você viva não ser esse corpo, pouco importa, ofereça-o à Vida.
Deixe a vida fazer dele o que bom pareça a ela.
Aí está a Humildade, aí está o reconhecimento de que apenas a Vida, apenas o Um pode dar à experiência de sua Vida o sentido, a Verdade.

Se seu corpo, se seus pensamentos pudessem levá-lo até a Verdade, você não acha que isso já teria sido feito?
O que você pode avaliar, até mesmo porque você não conhece a Verdade?
Aliás, a Verdade não se conhece, a Verdade vive-se.
Ela não entra no funcionamento de sua pessoa.
Você já sabe disso porque, se você continua na pessoa, você vê, efetivamente, que não vê a Verdade.
Você pensa vê-la à direita, corre para ali; você pensa vê-la à esquerda, corre para ali, mas, jamais, você a encontra.

Então, por vezes, você é levado a gritar o que você crê, pensando que, se há adesão, isso será, então, uma verdade.
Mas a Verdade vive-se em seu face a face com o Um, em toda Humildade, em toda Simplicidade.

Então, eu volto à Oferenda, a Oferenda do que, de certa maneira, é perdido, para deixar aparecer a Vida.

Vocês sabem, eu me ofereci, inteira, aceitando os sofrimentos, as intimidações, os trabalhos de todas as espécies, porque eu via ali apenas a Oferenda à Vida.
Não havia a possibilidade de julgar, de avaliar o que se desenrolava, havia apenas a possibilidade de vivê-lo.

Eu estava pronta para desaparecer para Ele, eu estava pronta para sofrer.
Eu o fiz, eu fui muito pequena.
Eu nada mais fui do que um oceano de Amor no Um.

Então, eu não lhe digo para oferecer-se a fim de tornar-se grande no Um porque, naquele momento, você não se oferece, você instaura uma estratégia.
Ofereça-se e veja, veja por si mesmo, o que lhe traz a Vida.
Não avaliando os eventos, porque quem quer que se ofereça nada mais avalia, mas olha-a fluir, como uma criança, maravilhando-se de tudo, acolhendo, acolhendo a Vida, sob todas as suas formas.

Isso, eu sei, pode parecer-lhe um esforço, pode parecer-lhe complicado.
Mas é de extrema Simplicidade.
Abandone o controle e você verá, por si mesmo: você ficará atônito, como uma criança que olha esse mundo.

Na Criação, o Um oferece-se ao Um, a cada instante.
As linhas de predação, tal como foram chamadas, transformaram a Oferenda em tomada: tomada de poder, relações de força, imposições, que os levam a tentar proteger o que podem, agora, oferecer ao Um.

Então, eu não lhes peço para acreditar-me nas palavras.
Vivam o Abandono total e constatem, por si mesmos, a Paz na qual vocês se banharão, a cada instante.

A Alma voltou-se para o Espírito, ela abandonou a Matéria, ela se abandonou.
E, agora, ela se oferece.
Oferenda ao Espírito, Oferenda à Vida, que leva a Dança a revelar-se.

Se existem interrogações em relação ao que eu acabo de desenvolver, posso responder.

Q: Qual é a diferença entre «viver a Vida» e «ser a Vida»?

Então, é preciso bem compreender isso.
Nós tentamos, com suas palavras, descrever-lhes a Verdade.
Mas suas palavras são concebidas para funcionarem na Ilusão.
Então, o que eu colocaria como diferença entre «viver a Vida» e «ser a Vida» tem, na realidade, apenas muito pouca importância.

A Vida é o que você é, em função do que você põe por trás do conceito Vida.
Aí está porque eu digo para abandonar-se, oferecer-se à Vida, oferecer-se à Luz, oferecer-se ao Um.
Porque eu sei, por ter vivido nessa humanidade, que é muito fácil deixar-se levar por uma concepção do que é a Vida, do que é o Um, do que é a Luz.
E cada uma dessas concepções apenas o arrastará ao oposto da Vida, da Luz e do Um.

Pilhas de livros falam da Luz.
Será que isso levou a viver a Luz?
Não.
Para algumas pessoas, sim, para outras, não.
Isso deu a elas uma noção, um conceito; elas fizeram disso uma crença, e cada vez que a Luz vem para elas, elas dizem: «Oh! Isso não é a Luz, porque não corresponde ao conceito que tenho dela.».

Também, é-me complicado, sem que definissemos, juntos, os termos «viver a Vida» e «ser a Vida», responder com precisão a essa questão.
Talvez, você faça referência, igualmente, a outra mensagem que você teria recebido...

Sim.
Talvez, você possa precisar-me essa mensagem, para que eu tente informar-me...

Q: Disseram-me: «Não viva mais sua vida, mas seja a Vida».

Isso vem, certamente, devido a que você se distancia da Vida.
Naquele momento, «ser a Vida» significa «fazer Um com a Vida».

Sem mais questões.

Nesse caso, concluirei minha intervenção, dizendo-lhes, novamente: ofereçam-se, abandonem tudo, deixem-se acolher no Um.

Com todo o meu Amor de Irmã, eu lhes digo até breve.

-------------------------------

Transmitido por Air


5 comentários:

  1. Se seu corpo, se seus pensamentos pudessem levá-lo até a Verdade, você não acha que isso já teria sido feito?

    Pilhas de livros falam da Luz. Será que isso levou a viver a Luz? Não.

    ResponderExcluir
  2. Pilhas de livros falam da Luz. Será que isso levou a viver a Luz? Não.


    Venha! Olhe nos meus olhos!
    Eu sou o infinito amor;
    Venha! Sinta o meu ardor;
    Como um iceberg a deriva;
    Derreta-se em meus lábios;
    Evapore-se em meu peito,
    Tu és o meu eterno amante;
    Venha! Esqueça todo o pudor;
    Abandone tuas experiências;
    Abandone os teus mestres;
    Não tenha medo agora;
    Aprecie a loucura de se estar vazio,
    Vazio de seu mundo efêmero,
    Vazio de seus pensamentos efêmeros;
    Tu sabes o quanto eu te amo;
    Enamore-me, enlace-me e ceda-me;
    Permita-se morrer em meus braços;
    E tu renascerás das cinzas e levantarás vôo;
    Venha! Viva esse momento aqui no teu coração;
    Unicamente aqui eu estou, Fonte de sua Fonte;
    Ser do teu Ser e além de todo o Ser;
    Beba-me neste cálice que contem a Água da Vida,
    E seja a Verdade que tu és de toda a eternidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "E tu Renascerás das cinzas e Levantarás Vôo.
      "Fonte de sua Fonte; Ser do teu Ser e além de todo Ser;
      "Seja a Verdade que tu és de toda a Eternidade."

      Graças!

      Excluir
  3. Quanta doçura... A pequena, Grande Teresa, reforçou: ​"​Oferenda ao Espírito, Oferenda à Vida, que leva a Dança a revelar-se."

    Assim Seja!!!

    ResponderExcluir
  4. "Abandono. Essa noção é a Oferenda, oferecer tudo o que vocês são à Vida. Eu poderia dizer-lhes oferecer tudo o que vocês são à Luz ou oferecer tudo o que vocês são ao Um.
    "Oferenda do que, de certa maneira, é perdido, para deixar aparecer a Vida.

    "Oferecer-se é um Posicionamento Interior, que nada pode ansiar, nada esperar, nada reivindicar.
    "Ofereça-se e veja, veja por si mesmo, o que lhe traz a Vida. Não avaliando os eventos, porque quem quer que se ofereça nada mais avalia, mas Olha-a Fluir, como uma criança, maravilhando-se de tudo, Acolhendo, Acolhendo a Vida, sob todas as suas formas.

    "Abandone o controle e você verá, por si mesmo: você ficará atônito, como uma criança que olha esse mundo.
    "Vivam o Abandono Total e constatem, por si mesmos, a Paz na qual vocês se banharão, a cada instante.

    "A Alma voltou-se para o Espírito, ela Abandonou a matéria, ela se Abandonou. E, agora, ela se Oferece. Oferenda ao Espírito, Oferenda à Vida, que leva a Dança a Revelar-se.

    "Ser a Vida significa fazer Um com a Vida.
    "Ofereçam-se, Abandonem tudo, deixem-se Acolher no Um."

    ResponderExcluir