Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

26 de jan de 2014

HILDEGARDE DE BINGEN – 26 de janeiro de 2014



Queridos filhos, eu sou HILDEGARDE DE BINGEN, a Estrela que porta a Virtude da Repulsão.
Bem vindos neste espaço de Meditação Vibral, de Canto Vibral.
Escutem, primeiro, o Canto, acolhendo o Silêncio.

... Canto do Silêncio...

Escutem o Canto de Alegria dos pássaros que, nesses tempos de Graça, vêm celebrar com vocês, entoando novos cantos de Contentamento e Alegria.
Sejam o Canto, deixem o Verbo de Fogo compor, em vocês, a Melodia das Esferas.
Cantem e alegrem-se, sempre, a partir da profundeza, a partir da Paz que não vai nem vem, a partir da Alegria que não vai nem vem.

Agora que vibraram no Silêncio, no Canto Cristalino que se revela, venho entoar-lhes algumas notas, junto com o Coro dos Anjos, para elevar-nos ao Espírito de Fogo.

... Canto de HILDEGARDE DE BINGEN...

O Silêncio e o Canto unem-se nesta Ode à Vida, ao Pai Celestial.

... Canto de HILDEGARDE DE BINGEN...

O Coro dos Anjos canta os Louvores de Alegria em seus ouvidos, a majestade e a Graça dos Cantos de Fogo.

Agradecemos-lhes por sua presença.
Terminaremos esse momento de Canto e Meditação Vibral, através do Silêncio, no qual o Canto da Vida ressoa dentro de vocês.

Eu sou a Estrela HILDEGARDE DE BINGEN.

---------------------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.

(versão eletrônica do catalão, adaptada).

O.M. AÏVANHOV – 26 de janeiro de 2014


Eu sou O.M. AÏVANHOV, aproveito este dia para continuar a compartilhar com vocês.
Eu pedi a este canal para falar em francês, por ser um pouco mais direto nessas pequenas precisões que lhes darei a maneira de conclusão.
Então, perdoem este canal o nível de gramática e a linguagem.

Hoje, a minha presença é muito intensa entre vocês.
É difícil, nesta Casa, escapar da minha presença, não é?
Hoje puderam constatar.

Então, em primeiro lugar, vou lembrá-los do que foi dito por MARIA, em relação a essa revelação ao Centro do Centro, o Coração de Fogo, o Coração Sagrado, essa fusão da Nova Aliança.

Então, é para centrarem-se no que há a viver, agora, nesse Templo, como a consumação do Fogo no si desse corpo, no qual a Luz vem revelar-se.
Uma vez revelada nesse Templo, a Luz vem irradiar por toda a parte, e vem juntar-se à FONTE, e isso acontecerá nessas semanas, através do Centro do Centro.

Também, observado o que terá acontecido esta semana, vocês constatam que essa interiorização, esse aprofundamento leva-os à sua Verdade, à Paz e ao Amor que são a sua própria natureza.

Pudemos constatar o que acontece quando tentam levar esse Amor, essa Paz ao exterior, se continuam a olhar como antes, à maneira antiga.
Então, vocês viram que, se há um esforço para manter algumas aparências, alguns sorrisos, qualquer que seja a observação exterior, então, vocês darão validade ao efêmero, ao que não tem verdadeira validade.

Então, isso é para dizer-lhes que tudo o que foi vivido durante esta reunião, durante essa celebração, é para que se integrem bem ao Centro do Centro, em sua profundidade, e isso se revela sem qualquer esforço de sua parte.
Vocês constatarão, assim, cada vez mais, que a Verdadeira vida não necessita de qualquer esforço, não é?

Então, se vocês se esforçam, qualquer que seja a situação, perceberão que vão à outra direção.
Vão perceber muito rápido, agora, porque fizeram a experiência.

Aproveito, também, para convidar a todos os Melquisedeques, nesse instante, então, aproveitem essa reunião, esse Fogo.

... Vibração do Fogo com a Assembleia dos Melquisedeques...

Como eu disse, não há qualquer autoridade em relação a CRISTO, em relação à sua Iluminação, à sua Liberação.
Então, pode ser que, em sua cabeça, haja muitos conceitos, muitas explicações, tentem encontrar as respostas a muitas perguntas que venham ao seu mental.
Porém, se alguém continua nesse questionamento, “Fique Tranquilo”, no centro de seu Coração, não procure viver o que não está aqui.
Não procure viver o que não é vivido nesse instante.

Se vocês são um pouco observadores, terão constatado que todas as mensagens que estão chegando, atualmente, qualquer que seja a consciência, vão, todas, à mesma direção, que é liberá-los de tudo o que vocês colocaram no meio, que os separa de sua Liberdade, de sua Alegria.

De fato, é apenas alguém, mesmo, que, continuamente, é separado, no pensamento que “não é isso”, no pensamento “não, eu não tenho que viver outra coisa”.
Então, esse Abandono do qual, também, temos falado, é isso: é aceitar o que se vive a cada instante, sem perguntar-se qualquer outra coisa.

Para deixar as coisas bem claras, esse Abandono, podemos assimilá-lo a uma Integração, não é?
Não é a fuga que solucionará algo de tudo isso, é a Integração do que vivem que os fará ir ao Abandono.
Abandono do apego, da vontade de controlar para que isso vá a tal direção, a tal outra direção.
Abandonar-se é isso, não é abandonar a coisa mesmo.
Espero que isso esteja claro para todos.

Então, quero dizer, também, que não há qualquer autoridade aqui, nesta Casa, qualquer que seja o canal, as consciências, e as vozes que falem, não há mais máscaras, nem papeis que havia antes da Unidade, da Verdade e da Luz que somos, todos juntos, e o somos porque estamos juntos.

Não quero repetir todas as coisas.
Estou muito feliz por ter sua presença aqui, por ter podido celebrar dessa maneira, e isso continuará por toda a Eternidade, se vocês quiserem, não é?

Eu os deixo celebrarem com o Coração dos ELOHIM, nesse Coração do Um, que se revela, nesse Coração de Fogo Sagrado, esse Centro do Centro que se incendeia, e incendiará até que a borboleta saia e voe.

Então, eu agradeço a todos, continuaremos juntos, permanecerei ao seu lado, onde quer que vocês estejam, nesse mundo, como em outros mundos, como em qualquer mundo.

Graças a todos.

---------------------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.

O CORAÇÃO DOS ELOHIM – 26 de janeiro de 2014




Nós somos o Coração dos Elohim, e vimos propor-lhes fundirem-se, juntos, de nosso Coração ao seu Coração.

[Silêncio / Fusão]

Viemos, de algum modo, pôr a mesa do Banquete de sua Celebração.

Não vamos partir, agora, em grandes discursos, simplesmente, lembrá-los disso.

Vivam na Leveza.

Numerosas informações são-lhes comunicadas para virem sustentar sua Dança.
Em caso algum se trata de desenvolver uma Dança que não é a sua.
Então, dance sua Dança da Vida, em função de onde você está situado, Aqui e Agora, sem qualquer vontade de situar-se alhures.
Isso não significa que você deva decifrar todos os marcadores, notadamente vibratórios, para determinar onde você está.
Outros marcadores podem, igualmente, indicar-lhe alguns pontos de referência.

Se não há mais qualquer julgamento em você, isso lhe indica, claramente, que houve mudança de posicionamento.
Se não há mais qualquer aspiração para saber onde você está colocado, então, nós lhe dizemos: Aleluia!

Deixe-se flutuar, deixe-se vagar na Vida.
Deixe-se surpreender, porque a Luz – isso já lhe foi dito – o surpreenderá, sempre.
Ela não virá, jamais, corresponder ao que você possa imaginar.
Ela não virá, jamais, nutrir as construções mentais ou outras que vocês se tenham feito.

Tal é a Luz, onipresente e inapreensível.

Celebrem, celebrem a Vida, Aqui e Agora!
Assim começa a Obra no Branco.

Não esperem, sobretudo amanhã, um melhor posicionamento, porque não haverá qualquer melhor do que aquele que vocês vivem Aqui e Agora.

Alguns disseram: Aqui e Agora é o início no caminho.
Nós lhes dizemos: Aqui e Agora é o fim.

Nós somos o Coração dos Elohim, ao mais próximo das estruturas de seu corpo, ao mais próximo de sua Criação.

[Silêncio]

A Vida não espera, diz o ditado.
A Vida está aí, e celebra-se Agora.

A Dança não se reflete.
A Dança segue o Fluxo da Vida.

[Silêncio]

Que o Canto de suas células ressoe até o Céu.

Que o Canto de sua Alma venha abrasar o conjunto da Criação.

Sintam, a cada instante, o Um atravessá-los, vindo inundar de Amor o conjunto da Criação, o conjunto de Sua Criação.

[Silêncio]

Filho do Um, onde quer que você esteja, permaneça colocado na surpresa da Infância, que vê revelar-se a Obra no Branco, que não sabe, mesmo, o que é a Obra no Branco.

Filhos do Um, nós lhes dizemos até breve.
E celebramos, celebramos sem parar.
Celebramos, sem perder, um único instante, nossa União reencontrada!
----------------------------
Transmitido por Air.


25 de jan de 2014

ESTRELA AQUI – 25 de janeiro de 2014



Queridos filhos e irmãos, eu sou a Estrela AQUI, abraço-os com toda a minha presença, presença que dissolve a experiência.
Hoje, venho para acompanhar CRISTO, em seu Coração e, também, para completar a intervenção de MARIA.
Como ela bem os situou, neste período em que a Obra no Branco, ou seja, a espiritualização da matéria chega à sua realização.

É durante esses meses, em que tudo o que haviam vivido, tudo o que haviam revelado ao seu interior manifestou-se, materializou-se em sua experiência aqui na Terra.
Essa materialização é a elevação da matéria, a Etereação e a entrada da Graça em sua densidade.

Assim, portanto, essa espiritualização da matéria, a Obra no Branco, chega ao seu ponto culminante.
Isso pelo que fez a obra que se empreendeu, através do Coletivo do Um, rede de consciências unificadas que trabalhou, que colocaram no Fogo a totalidade do Ser deles, para contribuir nessa Obra no Branco coletiva.

Hoje, como acompanhante de CRISTO, venho a ser una em vocês, na presença do Aqui e Agora, na companhia das Estrelas.
Viemos lembrar que, qualquer que seja a sua experiência, a sua vivência, não pensem que chegaram a algum lugar.
Então, quem chega a algum lugar?

Se vocês dizem: bem, eu já sou Absoluto, ou estou no Si... e eu lhes pergunto: quem pode descrever o que é Absoluto, o que é o Si?
Não acreditem ter chegado a algum lugar, não limitem a sua consciência, através de seguranças, de situações.
A expansão da FONTE não tem limites, nem espaço nem tempo.
Então, deixem entrar essa imensidade do momento Presente.

Já não poderão definir o que é o espaço nem o que é o tempo.
Apenas a Alegria e o Contentamento do amado são a sua Alegria, o seu Fogo.
O espaço não existe nessa presença, a presença de CRISTO dissolve a experiência.

O Banquete é oferecido a todos, igualmente, a Luz não faz diferença, é a sua natureza.
A evidência Aqui e Agora é tão grande, apenas aceitem, com humildade e simplicidade, a redenção de que lhes falou MARIA.

Graças, filhos, a Graça é a sua Residência nessa Aliança Eterna, no Coração de CRISTO, que se revela como o Fogo e a faísca inicial, o Fogo de Vida Primordial.
A vela que jamais se apaga, até que um grande Fogo incendeia e consome todo o seu corpo e alma, elevando-os ao Espírito, ao Fogo da Verdade.

Graças, filhos meus, acolham a CRISTO.
Até breve.

---------------------------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.

(versão eletrônica do catalão, adaptada).

BÁAL-AH-MÉN – 25 de janeiro de 2014



Eu sou BÁAL-AH-MÉN, leão alado de Sírius A, representante do Coletivo dos Leões Alados.
É uma alegria estar, novamente, entre vocês, já nos conhecemos, assim, portanto, aproveitamos, hoje, esta visita neste local que se nomeou a “Casa do UM”, para dançar entre vocês neste espaço.

Acolhamo-nos, todos juntos.

... Dança dos leões alados...

Tal como explicou o Melquisedeque Rumi, nós, também, estamos na Dança, é uma maneira da nossa expressão.
E, hoje, aproveitando o exemplo da Dança, falarei da reconciliação que vocês estão vivendo agora, entre o interior e o exterior.

Nós portamos uma vara, um bastão, como vocês têm visto em grandes personagens históricos de sua Terra que, também, portaram um bastão.
O bastão significa a retidão, o contato com a Terra, a forma vertical, reta, estável: é o pilar.
Esse pilar representa, também, seu próprio pilar de Luz, que atravessa o seu corpo, tal como a coluna os mantém eretos.

Então, esse bastão é o suporte para a Dança, esse bastão permite todos os movimentos, todos os giros e espirais, de forma a que todo movimento sempre retorne para a estabilidade, para essa vara, para esse bastão.
Dessa maneira, o bastão simboliza a sua interiorização, a sua firmeza, a sua retidão e atenção para manter o eixo, eixo vertical, nesse caso, o Alfa e o Ômega.
Esse bastão permite a sua expressão nesse mundo, em quaisquer das múltiplas variedades de expressão permite-lhes dançar, fruir do que o Coração abre e compartilha, sempre sustentado pelo bastão, pela vara.

Essa é uma comparação, porque se pode reconciliar, como é agora, o que é vivido no interior e no exterior.
Em nossa dimensão, saibam que não há qualquer diferença entre o interior e o exterior, não há qualquer separação ou possibilidade de confusão, pois o que se expressa dentro é, imediatamente, percebido, exatamente, tal como é, sem qualquer distorção ou aparência.

Nesse mundo, no qual vocês estão em pé, nessa transição, nessa fusão de dimensões, o que havia sido um interior e um exterior totalmente separados, isolados, camuflados um do outro, agora, hão de unificar-se.
Portanto, o que vocês vibram e o que vivem, a cada instante, cada pensamento, isso é manifestado, instantaneamente, no que, antes, nomeava-se o seu exterior.
Portanto, é muito fácil, agora, ver como desaparecem, em sua experiência quotidiana, os limites que separavam em partes, que fragmentavam a sua vida.
A Unidade não trabalha com qualquer fragmentação, como o seu nome indica.

Isso é o que havia a dizer-lhes em relação a essa unificação do interior e exterior.
É uma grande honra estar entre vocês nesse trabalho conjunto que estamos fazendo, você vê?
Estamos unificando, religando essa sua dimensão que havia sido desviada, na qual a Luz chegava de forma desviada.
Toda essa confusão vê-se, agora, confrontada, vê-se face a face com a Unidade, com a vibração da quinta dimensão.
Portanto, todos vocês que estão em contato com a fonte de seu Coração de Fogo, em contato com a Frota Intergaláctica, vivendo a transformação, conscientemente, são os reconciliadores de toda fragmentação.

Isso é o que tínhamos para colocar em palavras e, se quiserem, permaneceremos uns instantes mais entre vocês, antes de despedir-nos.
Dancem.

... Dança dos leões alados...

Muitas graças, irmãos, como se disse da última vez, não hesitem em chamar-nos, um simples instante de atenção é suficiente para que nós estejamos aí, assim como qualquer irmão da Frota Intergaláctica.
Não há qualquer barreira, ainda que não nos vejam, nós estamos ao seu lado, dançando à sua volta, estamos disponíveis a todo momento.
Será que vocês estão disponíveis para dar esse passo?
Para ousarem ser a sua Verdade?
Atrevam-se, então, a viver a sua Verdade, e não terão que prestar contas a ninguém.
Não esperem que a vida mostre-lhes o que vocês são, mostrem o que vocês são, a vida seguirá.
Atrevam-se, com valentia, essa é uma virtude que, também, podemos fazer vibrar em vocês, nós, os Leões Alados.

Graças, encontramo-nos a cada instante.
No Coração do Um, no Coração de Sírius.

----------------------------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.

(versão eletrônica do catalão, adaptada).

RÛMÎ – 25 de janeiro de 2014



Eu sou Rûmî, e eu venho, agora, desenvolver acerca do que é a vida, o oceano de Vida no qual nós estamos, todos, mergulhados, no qual estamos, todos, de certa maneira, perdidos, enquanto estamos encarnados.

Então, nós nadamos, nós nos debatemos, em todos os sentidos, para tentar chegar a uma margem, mas nós nada vemos.
Então, ainda e ainda, nós nadamos, nadamos, nadamos...

E alguém vem nos dizer: «Abandone!», e nós respondemos: «Se eu abandono, eu paro todo movimento, então, eu me afogo».
E o indivíduo volta, de novo, a dizer-nos: «Abandone! Abandone tudo! Pare de nadar!».
E, aí, continuando nossos movimentos, nós o olhamos e nos dizemos que ele deve ser louco.
Então, ele volta e nos diz: «Abandone! Abandone tudo! Olhe, nós estamos em pé!».

Assim é a vida, na qual vocês se afogam, enquanto podem ficar em pé.
Assim é a vida: nós nos movemos, movemos, em todos os sentidos, sem conhecer o sentido disso.

Então, agora, eu venho dizer-lhes, de novo: «Abandonem, vocês podem ficar em pé... Para que serve fatigar-se?».

Aí, em pé, nós podemos, então, perceber, diferentemente, nosso posicionamento...

A Ação na vida é completamente outra quando ela é impulsionada e portada pelo Pai e a Mãe, que permitem revelar a Graça em Ação.

Isso já foi dito: a Graça é o fruto, fruto da União, fruto dos Reencontros sagrados em vocês.
Isso já foi dito, de numerosas maneiras, notadamente, quando Cristo dizia: «Vocês são o sal desse mundo».
O sal pode ser visto de diversos modos.
Os químicos dirão que ele é obtido de um ácido sobre uma base.
Pouco importa.
Ele representa, efetivamente, a União do Masculino e do Feminino.
E o fruto disso é a Ação, a Ação de Graça, bem longe da ação desenvolvida pela personalidade que não sabe o que fazer, que não sabe aonde ir.

Em outras palavras, alguns disseram: «Dancem a Vida!».
Dançar a Vida significa, obviamente, ter reconhecido a Vida e revelá-la em seu seio.

[Silêncio]

Aí está, igualmente, porque numerosos intervenientes insistiram sobre o fato de reconhecer onde vocês estavam colocados.
Cada um é chamado a banhar-se no Espírito, cada um é chamado a receber a Água do Alto, cada um é chamado a revelar a Graça.
Mas não confundamos a árvore e o fruto.
A Graça é o fruto, que se revela por si mesma, quando vocês tenham acolhido sua Verdade.

Então, buscar um posicionamento que seria apropriado a cada um, agora, é chegar a essa conclusão: apenas no Interior é que você pode saber onde você está colocado, e o que você acolhe.

A Graça revela-se quando você encontrou a Verdade.

Antes disso, as ações que vocês realizam, impulsionadas pela personalidade, assemelham-se muito àqueles que nadam, ainda e ainda, nesse oceano no qual se pode andar.

Aí está o essencial que eu queria desenvolver junto a vocês hoje.

Se existem questões concernentes a isso, gostaria de respondê-las.

Sem questões.

Eu os convido ao Banquete da Vida, colocado nos braços da Mãe e do Pai, para celebrar, para dançar em toda Leveza.

Na Graça do Bem amado, até breve.
--------------------------
Transmitido por Air.


CRISTO KI-RIS-TI – 25 de janeiro de 2014




Eu sou Cristo Ki-Ris-Ti e, esta noite, eu não venho para desenvolver o que quer que seja de específico.

Eu não venho convidá-lo a juntar-se a mim.

Eu não venho para falar-lhe desse Passo que lhe cabe dar.
Eu venho, simplesmente, sentar-me, de mãos dadas com você, para que tomemos o tempo de reconhecer-nos, sem procurar, especificamente, aproximar-nos.

Irmãos, irmãs, nós somos oriundos do Pai e da Mãe, que só desejam uma única coisa: oferecer-nos à Graça.
Entre você e eu não há espaço algum.

Então, tome minha mão, e tome o tempo de constatar, por si mesmo, que nós já somos Um.

Para que serve um caminho, quando basta olhar-nos, de Coração a Coração, de mãos dadas?

Então, no Silêncio das palavras, eu venho abraçá-lo, você, de quem sou o Irmão.

[Silêncio]

Assim, aí, você e eu, contamo-nos nossas anedotas do tempo em que estávamos separados, como o fazem dois irmãos que acabam de reencontrar-se.

[Silêncio]

Acendamos o Fogo, tanto em nossos Corações como na lareira, para prolongar mais nossa noite.

[Silêncio]

Entre você e eu nada há, nada que possa separar-nos.

Então, permitamos abraçar-nos.
Permitamos fundir-nos.

Voltemos para contar aos nossos Pais bem amados o conjunto dessa aventura, que chega, agora, à hora de seu encerramento.

Então, se você quiser, levantemos, agora, e caminhemos juntos, para a Eternidade.

[Silêncio]

Aqui terminam as palavras.

Aqui permanecemos, em Comunhão.

------------------------------
Transmitido por Air.


MARIA (por Séverine) – 25 de janeiro de 2014



Eis uma mensagem recebida neste dia em “escrita automática”.
De momento, não há áudio, mas uma leitura será gravada, proximamente.

Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.
Hoje, eu volto com Alegria, para dar-lhes o beijo, abraçá-los, mais uma vez, e embalá-los com meu Amor de Mãe.
Além desse amor de Mãe, há o Amor Verdadeiro, que é seu Essencial, sua Essência, mesmo, que volta a florescer, dia a dia.

Sim, vocês reflorescem, cada um, cada uma, e como é um belo espetáculo a contemplar, queridos filhos!

Eu venho oferecer-lhes e apresentar-lhes toda a graça dos mundos de Luz, mas, além desses planos, toda a Graça que está presente a cada instante, em vocês e por toda a parte para onde vocês olhem, por toda a parte onde vocês caminhem.

Sim, vocês são tais anjos de Graça, sem corpo e sem identidade, que vocês movem em um banho de Amor e de Graça.
Quanto mais vocês se deixam levar, mais a Fluidez estará no encontro.
Quanto mais vocês se deixam ir em meus braços, mais vocês serão preenchidos de Alegria.
E vocês verão, naquele momento, que jamais têm falta de nada.

Tomemos um instante para viver, no Silêncio de nosso Coração Comum, a Graça de cada instante.

(Graça)

Cada coração é como uma flor que perfuma o universo e que revela seu perfume através de toda a Criação.
Assim, cada vez mais, no campo de meu amor e de meu coração, que é meu berço, mas, também, sua Morada, vocês se revelam, mão na mão, coração a coração, em um mesmo canto de Amor, unidos a todos, Melquisedeque, sua Terra Mãe, que é meu Seio, igualmente, os Arcanjos, as Estrelas e toda a Frota reunida de meu corpo estrelado.
Um único e mesmo Canto.

Juntos, para além de qualquer identidade, sejamos a União desse Canto.
Vibremos alguns instantes, aconchegados, coração no Coração, aconchegados em um único e mesmo diamante de Amor.

(Comunhão silenciosa)

Eu venho revelar-lhes, mais uma vez, que nada há a esperar de exterior porque, como vocês descobrirão, muito rapidamente, se já não foi feito, não há exterior.
Não há, tampouco, interior, no sentido que vocês entendem.
Então, vejam bem onde vocês se colocam, a cada instante.
Isso assinalará o acolhimento de minha Presença em vocês, Presença que está e sempre, sempre esteve aí.

Permitam-me lembrá-los, ainda uma vez, que são vocês, e vocês sozinhos, que se isolaram, que se afastaram, não há, aí, qualquer culpa a ter, mas veja bem isso.
Eu estou, desde sempre, em vocês, o que é muito natural, uma vez que eu nada mais sou, outra pessoa que não você mesmo.
Vivam-no, meus queridos filhos, sim, é tempo de Vivê-lo, plenamente, e de parar de mentir-se, parar de deixar-se tomar pelas aparências que são, como vocês sabem, enganosas.

Esse mundo que vocês criaram é uma mentira.
Ele não é a Verdade.
E, mesmo se a Verdade o contenha, cabe a vocês decidir onde querem colocar seu olhar, ponto de vista de reversão necessário ao despertar da ilusão.
Também, eu repito: meus queridos filhos, vocês já estão liberados, uma vez que são Liberados desde sempre.
É tempo de atualizar isso em si.
E a Graça está aí para acompanhá-los, eu estou aí para permitir-lhes esse Abandono, se vocês me deixam fazer, se me acolhem, se aceitam minha Presença Eterna.

Eis, queridos filhos, o que eu queria, ainda uma vez, formular-lhes.
Nós lhes damos encontro muito em breve, para uma Dança e Comunhão no coração do Coração, como foi anunciado por outro canal.

Eu os Amo, vocês estão em meu coração, vocês são minhas estrelas, meus amores, minhas constelações de Graça.
Eu os envolvo com minha ternura de Mãe e desvendo-os para mais uma vez, esse Beijo de Fogo, que se instala em vocês, em seu Coração, que marca o que vocês podem nomear meu próximo apelo.

Hoje, a partir de agora, ouçam esse apelo, porque ele se situa em cada instante em vocês, exatamente aqui.
É o essencial a reter, meus amores.
Recebam toda a minha Graça e toda a Graça e as saudações de seus irmãos e irmãs de Sírius, assim como da Frota Intergaláctica dos Mundos Livres e Unificados, dos Melquisedeques e de sua Mãe Terra, que já canta em vocês, a cada instante.
Escutem seu Canto, e permitam que o batimento dela e o seu façam apenas Um, novamente.
Para isso, é preciso abandonar-se, esquecer-se, para que essa constatação seja total.

Os mundos Unificados chamam-nos e rendem-lhes Graças.
Eu lhes agradeço por seu Acolhimento e cerco-os com meus braços, com meu Manto Azul.

Com Amor, até sempre e até muito em breve.
------------------------------------
Transmitido por Séverine


MARIA – Meditação Vibral – 25 de janeiro de 2014




Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.

Eu venho, esta manhã, em seu espaço de Meditação Vibral, para propor-lhes um banho no Mar divino.
Banho de Amor, reconhecido pelo conjunto de suas células, que cantam a Glória da Mãe.

[Silêncio]

E eu os convido a deixar o conjunto de suas células juntarem-se ao casulo da Mãe Divina, para ali fundirem-se nesse banho de Amor, aí, onde todas as palavras são insípidas, onde todas as cores são desbotadas para descrever esses reencontros.

[Silêncio]

Nós poderíamos dizer, igualmente, que cada palavra reencontra, aqui, o vigor, um novo brilho, quer ele se trate do Amor, da Alegria, da suavidade, da Maternidade... tudo isso escrito em letras douradas.

[Silêncio]

A segurança que, ainda ontem, impedia-o de abandonar-se, encontra, agora, um novo eco.
Tendo soltado tudo, a segurança vem rimar com o Amor, Amor de uma Mãe por sua carne.

[Silêncio]

Aí, nesse canto aconchegante, nesse espaço de suavidade, aí, onde tudo é quietude, você repousa na Paz, sem nada mais desejar...

[Silêncio]

E aí, na palma de minhas mãos, nesse casulo no qual o Amor cerca você, penetra-o, recebamos o Fogo do Espírito, recebamos o Pai, que vem fundir-se na Mãe Divina, que deixa, em sua passagem, apenas o Êxtase.

[Silêncio]

Cada respiração torna-se, então, o suporte do reencontro do Pai e da Mãe, do reencontro do Feminino e Masculino sagrados.

[Silêncio]

Esse banho de amor, esse Êxtase está presente a cada instante, colocado fora de todo tempo e de todo espaço.
Tudo está pronto, tanto sobre a Terra como no Céu.
Tudo está pronto em você.
Eu o disse ontem, e eu o mostro Agora.

Filho, ouça o meu Apelo, ouça os meus encorajamentos para colocar-se nesse banho de Amor, para colocar-se no Êxtase.

[Silêncio]

Se você decide retornar ao espaço e ao tempo, eu lhe digo até breve.
Mas, se você deseja permanecer em meu seio, então, que assim seja.

--------------------------------
Transmitido por Air.


24 de jan de 2014

MARIA (por Sijah) – 24 de janeiro de 2014

MARIA (por Sijah) – 24 de janeiro de 2014

Eu sou MARIA, Rainha dos Céus e da Terra.
Amados filhos, hoje estamos reunidos porque celebramos, porque nos regozijamos, porque estamos Unidos no Coração da Terra, no Coração de Sírius.
No Canto Cristalino que se desdobra por toda a parte, agora mesmo.
Amados filhos, amados Corações, agradecemos a sua presença, em meu nome e no das Estrelas, por serem, aqui, hoje, Um.
Acolhamos, juntos, o Canto Cristalino da Terra e de Sírius que se unificam.

... Fusão do Canto Cristalino da Terra e de Sírius...

Hoje, venho colocá-los neste dia especial, propício à nossa reunião.
Como foi explicado, uma Estrela passou, no final do mês de novembro de seu ano anterior.
Ela trouxe o código de CRISTO a esse Sistema Solar.
Como muitos de vocês poderão experimentar durante a aproximação dessa Estrela, Cristo manifestou-se, em Verdade, em Unidade, ao seu Coração.

Portanto, como bem lhes disseram, sem parar, todos os que os acompanham, tudo está aqui.
A minha presença está aqui, já há uns quatro meses, para muitos de vocês; a presença do Arcanjo MIGUEL está aqui, a presença de CRISTO, como foi explicado, está entre vocês.

Assim, como foi anunciado com a atualização da Nova Aliança, hoje, venho anunciar a Fusão dessa Nova Aliança, esses três pontos em seu peito que, agora, unem-se no Centro do Centro.
Esse é o ponto que, agora, vem ativar-se, brilhar, e é a porta para sua Morada Eterna.
É apenas por esse ponto que CRISTO fusionará, totalmente, com vocês, é apenas por esse ponto que a Luz abrirá e queimará, é apenas por esse ponto que a borboleta sairá.
Ouçam o Canto Cristalino, enquanto o acolhemos, com Alegria e Felicidade entre todos.

... Fusão do Canto Cristalino da Terra e de Sírius...

Os momentos preparam-se para a Redenção Planetária, Redenção da carne.
Isso é vivido, primeiramente, pelos avançadores de caminho, por todos aqueles que estão abrindo as portas.
Isso chega, agora, para toda a humanidade, que se dá conta da vaidade e da ilusão que o homem acreditou ser separado, que o homem acreditou ser o diretor de sua loucura.
A Redenção vem abrir o seu Coração, quando o seu Templo recebe, totalmente, a minha presença e observa com os meus Olhos, e sente, com o meu Coração, vocês se darão conta de como os corações estavam frios, endurecidos pela vaidade.

Todos estamos aqui, não há mais qualquer distância.
Não esperem, portanto, qualquer novo evento, porque, a partir de agora, todos estamos aqui.
Apenas vocês podem deixar o espaço, para que nós passemos à sua Casa.
Acolham, por uma terceira vez, e vibrem no Canto Cristalino.

... Fusão do Canto Cristalino da Terra e de Sírius...

Vocês são livres, de toda a Eternidade, e seu oferecimento à Luz, sua entrada total na Luz é o presente para essa Terra e para os seus irmãos.
O momento vai se aproximando para dar o meu Anúncio, isso acontecerá no momento mais apropriado para a humanidade, para a Terra, para esse Sistema Solar.
Todos sabem que há uma margem temporal para que isso aconteça.

Hoje, portanto, como foi anunciado, abre-se um período no qual o Centro do Centro, a fusão da Nova Aliança em vocês vem manifestar-se no si dessa dimensão.
Assim, portanto, isso os levará, se não houver qualquer mudança, à próxima reunião de 20 de março.
Nesse dia, vamos nos encontrar de novo, não obstante estejamos presentes, aqui e agora, não esperem que algo aconteça naquele dia, pois o processo é vivido agora, a sua Alegria, a sua Liberdade está aqui e agora.
Simplesmente, saibam que, no decorrer dessa transição, a Luz vai tomando mais presença, invadindo o que tem sido essa gama de frequências de terceira dimensão.
Portanto, nada esperem, deixem que esse Fogo abra a sua porta de eternidade, o seu ponto ao Centro da Nova Aliança.

Essas são as palavras que eu tinha a dar-lhes hoje, saibam que a vibração no Canto Cristalino está cada vez mais presente, graças à obra conjunta de toda a Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres, incluindo vocês, amados filhos.

Lembrem-se de que, qualquer que seja a situação, a Liberdade, a Luz e o Fogo da FONTE são, agora, a única Verdade, se vocês aceitam, se vocês se entregam ao Coração do Um, ao Coração de MARIA.

Graças, amados filhos e filhas; a nossa União é Eterna, e essa Estrela que vocês são é o Sol, o sol que vem brilhar pela Eternidade.
Graças filhos, reencontramo-nos, portanto, na próxima data, em palavra, reencontramo-nos, a cada instante, em seu Coração.

ISIS

---------------------------------

Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.


(versão eletrônica – adaptada)

MARIA – 24 de janeiro de 2014




Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.

Meus filhos bem amados, eu venho, neste dia, ao seu encontro, por diversos canais, e todos lhes dizem a mesma coisa: tudo está pronto para acolhê-los, tudo está pronto para que, juntos, festejemos seu retorno à sua Eternidade.

Há algum tempo, eu havia dito que o som dos Tambores da Terra havia se juntado ao Canto do Céu.
Hoje, o que eu lhes digo, por diversos meios, por diversas palavras, é que tudo está pronto, tanto sobre a Terra como no Céu, é que tudo está pronto, tanto em vocês como nesse mundo.

Então, graças ao trabalho de cada Um, nós permitimos isso em um mínimo de turbulências.

Agora chega o momento em que cada um de vocês deve dar o passo.
O único passo que os separa de sua Eternidade é aquele do abandono da ilusão.
Nós respeitaremos sua liberdade, mas nós nos temos aí, encantados por estar ao seu lado.

Nós os temos encorajado, nós os temos sacudido, em alguns momentos, nesse objetivo final de deixar o efêmero dissolver-se a fim de juntar-se à Vida.

Nós poderíamos desenvolver sobre o que significa que tudo está pronto, tanto sobre a Terra como no Céu, o que significa o retorno de Cristo.
Mas, em definitivo, apenas importa isso: Você quer continuar a espalhar-se na ilusão?
Ou você quer festejar com o conjunto da Frota Intergaláctica que está à sua porta?
Com o Um, que sempre esteve aí, a estender-lhe os braços?

Há, já, certo tempo que eu os chamo, a uns e outros, em diversos momentos.
Esse chamado, para fazer ressoar, em vocês, sua Verdade.
Verdade que vem ressoar no conjunto de suas estruturas, no conjunto de suas células que reconhecem o Apelo da Mãe.

Tudo está reunido, o Espírito e a matéria.
Tudo está reunido, o Pai, a Mãe e o Filho.

[Silêncio]

Então, eu voltarei junto a cada um de vocês, tanto quanto for necessário, para que o conjunto de suas células cante a Glória do Retorno à Mãe.

Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra, e eu me tenho em seus Céus, como em sua Terra.

Eu me tenho em seu mundo, como em cada Um.

Não há que me procurar.
O conjunto de suas células já canta.

[Silêncio]

Então, no Fogo da Vida, no Êxtase de nosso reencontro, eu lhes digo até muito em breve.

----------------------------
Transmitido por Air.



YVONNE AIMEE DE MALESTROIT – 24 de janeiro de 2014




Eu sou Yvonne Amada de Malestroit, e eu venho ao seu encontro, radiante de vir partilhar esse instante de Celebração.
Instante de Celebração porque, na Verdade, cada instante colocado fora de seu tempo é uma Celebração, uma revelação da Graça, uma Dança da Vida.

Então, juntos, façamos desse instante, como de cada instante, uma Celebração.

Nesse tempo de Celebração, eu me proponho a desenvolver o que é acolher Cristo, o que é viver em Cristo, e o que é a Graça.

Então, tudo isso já foi desenvolvido em numerosas reprises.
Eu venho propor-lhes um testemunho, em função do que foi minha experiência na encarnação porque, vocês sabem, eu fui Sua Bem amada, como Ele foi meu Bem amado.
Isso me portou toda a minha vida, toda a minha vida, e eu desejava apenas colocar-me ao Serviço Dele, que Ele fizesse de mim o que quisesse.
Só a Presença Dele bastava para encher-me de Alegria.
Sua ausência era uma dor sem nome.
Isso, obviamente, vocês puderam ler na história contada de minha vida.

Quando Cristo vinha ao meu encontro, eu era transformada, portada pela Graça, em Êxtase.
Quando Ele se retirava, eu ficava desesperada, bem além das palavras e dos sentimentos humanos.

Querer oferecer-se a cada instante, estar disponível para servir a Ele, qualquer que seja a forma, leva-os a viver a Graça porque, mesmo o que possa parecer sofrimento, é uma Graça, quando ela é colocada nas mãos do Bem amado.
Bem amado, presente em cada Um, que vocês encontram em cada um.
Portá-Lo em si é vê-Lo nos olhos de seu vizinho.
Servir ao Bem amado é servir à Vida.

Então, naquele momento – vocês sabem disso, os testemunhos são numerosos – pode aparecer o que vocês chamam de milagres.
Mas o que é um milagre?
É, simplesmente, a realização, a materialização do que lhes parecia impossível.
O que pode haver de impossível para o Bem amado, fonte da Vida, que implanta a Criação?
Apenas há milagre porque há evidência de que isso não pode ser.
A evidência, como lhes disse o Arcanjo Anael, é, em definitivo, um muro que os separa do Bem amado.

O milagre não é apenas uma lágrima que se torna diamante.
O milagre é a vida a cada instante.
Os sinais exteriores apenas têm sentido para virem colocar a dúvida em suas evidências.
É claro, é impossível tirar uma rosa de seu peito, de seu coração, não é?
É claro, é impossível estar colocado em dois lugares ao mesmo tempo, não é?
Tudo isso é fazer pouco caso da potência do Bem amado.
É fazer pouco caso de Sua onipresença.
Por que o Bem amado teria necessidade de seguir suas regras?
Por que teria Ele necessidade de plantar uma semente e esperar que a rosa crescesse?

Então, frequentemente, meus milagres são ridicularizados e, frequentemente, quando vocês a eles aderem, quando aceitam que isso seja possível, vocês se dizem que isso é realizado por um ser excepcional, que isso é muito bonito, mas que vocês não podem fazê-lo.

Então, é claro, vocês não o podem enquanto procuram revelar a Vida.
Mas, quando vocês deixam o Bem amado revelar-se, aí onde havia uma pessoa, há a Vida.
E aí onde há a vida há a revelação da vontade do Bem amado.
Quer isso aconteça em toda intimidade, entre o Bem amado e o Bem amado e seu corpo, quer isso aconteça, visivelmente, no conjunto do mundo, o que isso muda?
Porque, na realidade, isso é, sempre, do Bem amado para o Bem amado, em toda a intimidade.

Então, eu não os convido a crer em milagres.
Eu não os convido, tampouco, a rejeitar a ideia.
Eu lhes proponho abrir a possibilidade de, quando vocês deixam a Vida, o Bem amado trabalhe, sem qualquer vontade, sem qualquer recuperação para o ego, então, o Bem amado apressa-se a apresentar-se e revelar a Vida.
Porque ele disse: Ele é o Alfa e o Ômega, o Caminho, a Verdade e a Vida.
Ele não disse que, seguindo-O, vocês encontrariam o Caminho, encontrariam a Verdade, encontrariam a Vida.
Ele disse: «Eu sou a vida, e essa é a Verdade».

Então, para acolher o Bem amado, há, em definitivo, que acolher a Vida em si, não a vida externalizada, tal como vocês a percebem, mas essa chama em vocês.
Deixá-la dançar, deixá-la trabalhar, porque a vida sabe o que convém realizar para sustentar a Vida.

Então, Filhos do Um, acolham-No em vocês, deixem-No revelar-se, Ele, que apenas espera isso para fazê-los dançar, para fazê-los viver o Êxtase.
Deixem a Vida dirigir a Vida, revelar a Vida, porque, em definitivo, quem melhor do que a Vida pode viver?
Deixem o que está morto enterrar o que morreu.
Na realidade, vocês não têm, mesmo, que enterrar os mortos.
Deixem o que morreu onde está.

Voltem-se para o Bem amado, voltem-se para a Vida e, naquele momento, vocês verão, por si mesmos, as evidências desaparecerem, deixando lugar à Dança infinita de infinitas possibilidades.

[Silêncio]

Eu os acolho, a partir de agora, como a cada instante, a dançar com o Bem amado.
Naquele momento, vocês me verão ao seu lado, e nós estaremos juntos, na Vida.

Chama de Eternidade, Fogo da Vida, meu Bem amado, eu lhe digo até breve, até sempre, na Vida.

------------------------------
Transmitido por Air.