Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

16 de set de 2011

SRI AUROBINDO – 16 de setembro de 2011

Mensagem publicada em 18 de setembro, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Eu sou Sri Aurobindo.
Irmãos e Irmãs encarnados, recebam todas as minhas saudações.

Eu venho a vocês, hoje, como Melquisedeque do Ar, falar-lhes do Triângulo elementar da água e, também, de seu pilar correspondente ao nível do corpo que é, portanto, a Simplicidade.

Eu escolhi ilustrar essa Simplicidade através de uma expressão a que chamei: «quando a vida flui da fonte».
A Simplicidade é ligada ao estabelecimento, em qualidades da alma, de um processo dinâmico que faz com que a alma não esteja mais voltada para a vida da personalidade, mas para a vida do Espírito, ou seja, da Unidade.

Naquele momento, quando desse mecanismo (que permite estabelecer uma alma voltada para a totalidade do Espírito), realiza-se certo número de elementos que vão conscientizar-se, manifestar-se em sua vida por mecanismos diferentes daqueles que regem a vida na personalidade.
Naquele momento, certo número de elementos vai instaurar-se.
Esses elementos são chamados, primeiramente, de mecanismos de sincronia, mecanismos que podem ser chamados, também, a Graça e mecanismos, finalmente, que conduzem a uma forma de fluidez específica, chamada a Fluidez da Unidade e que permitem à vida, à sua vida, desenrolar-se sem resistência (e em zonas que eu chamaria de menor resistência), com facilidade, com simplicidade.

O ser humano tem por hábito, em todas as diligências da personalidade, provocar ações.
Essas ações não são, como todos nós sabemos, sempre fáceis.
É necessário, de fato, ganhar a vida; é necessário, de fato, ganhar o afeto dos próximos ou exercer a autoridade paternal ou profissional.

Assim, portanto, a vida na personalidade, como lhes disse Irmão K, apresenta certo número de regras, certo número de leis, chamadas ação-reação.

Os mecanismos da alma, quando conduzem a alma a deixar-se, de algum modo, embebida pela energia do Espírito, vai mudar completamente o desenrolar da vida.
Isso quer dizer que, naquele momento, qualquer que tenha sido, antes, sua vida (mesmo, eu falo, em sua vida comum), muitas coisas vão transformar-se.
A primeira das coisas que vai aparecer-lhes (é que o que lhes parecia, antes, difícil a obter) e vai manifestar-se em sua vida, de modo mais evidente, mais simples, sem luta e sem resistência; outros, no Ocidente, chamariam isso, mais facilmente, a Divina Providência.
Basta exprimir não uma aspiração ou um desejo, mas pensar, por exemplo, numa situação de vida que seria boa para vocês, para que essa situação de vida se apresente por si, sem que haja busca, sem que haja luta para obtê-la.

A simplicidade faz parte, inegavelmente, desse processo, o que significa, em corolário que, se sua vida manifesta elementos que lhes pareçam extremamente difíceis, ou isso pode significar que vocês ainda não viveram essa Simplicidade e essa Reversão da alma, ou sua vida é ainda difícil porque os mecanismos que instalam a Fluidez da Unidade não estão ainda plenamente ativos.

Entretanto, convém aceitar que, quaisquer que sejam os elementos de sua vida na personalidade, progressivamente e à medida em que a alma desvia-se da personalidade e deixa-se infundir pelo Espírito, então, naquele momento, seu olhar (mesmo Interior) sobre os eventos de sua vida, vai mudar.
As circunstâncias dessa vida vão mudar, mas, também, o modo pelo qual vocês apreendem uma problemática, qualquer que seja, vai tornar-se profundamente diferente.
Isso quer dizer, por exemplo, que, em face de uma problemática que existiria desde extremamente longo tempo, esta não vai mais apresentar-lhes o mesmo impacto em sua consciência.

Algumas situações, de fato, não podem transformar-se, devido à implicação de sua vida num elemento, seja ele, por exemplo, paternal, educativo ou outro.
Então, naquele momento, a vida vai simplificar-lhes, também, as coisas, tornando esse peso – em todo caso, vivido como tal em sua vida – muito mais fácil para viver, fazendo com que a vida flua da fonte e com que sua consciência, não podendo modificar um elemento que não pode desaparecer de sua vida, vá encontrar-se consideravelmente aliviada (do ponto de vista de sua consciência e das implicações quanto à sua consciência).
De uma maneira como de outra, a Simplicidade é a própria característica da vida estabelecida na Unidade.
Tudo se torna extremamente simples, porque a consciência torna-se, ela mesma, simples, mas porque, também, as circunstâncias da vida da personalidade vão tender a simplificar-se por si, pela inteligência da Luz.

Então, nesse estado específico que a humanidade vive, tudo é feito para prepará-los para essa Unidade, tudo é feito para facilitar-lhes a tarefa, mesmo se, num primeiro tempo, algo que possa aparecer como profundamente desestabilizador – seja em seu corpo, em seu ambiente – vai, num segundo tempo, aparecer-lhes em toda sua inteligência que é, de fato, a Inteligência da Luz.

Ser simples é, também, lembrem-se – ainda que algumas circunstâncias possam aparecer, sob o olho da personalidade, como difíceis – aceitar que, em definitivo, elas desembocarão, necessariamente, numa simplificação quanto ao olho de sua consciência e quanto à vivência de sua consciência em relação a esse evento (qualquer que seja o setor que é referido em sua vida).

Então, estamos, também, num processo que, no Ocidente, foi chamado a fé ou a confiança.
Vocês não podem, efetivamente, ter a fé na Luz e querer agir, por si mesmos, contra o que a Luz estabelece para vocês, porque, naquele momento, vocês vão desgastar-se no falso e afastar de vocês o princípio de Simplicidade (o Pilar da Simplicidade) e vão afastar-se do instante presente.

Toda situação que lhes é apresentada, qualquer que seja, nesses tempos específicos, é, inegavelmente, a ação da Luz, mesmo se vocês não o percebam no instante em que vocês a vivem.
É necessário, portanto, ter a Humildade e a Simplicidade de aceitar o evento que lhes é proposto, ao mesmo tempo sabendo que, a termo, ele concorrerá para permitir e para facilitar-lhes o acesso ao Reencontro com o Cristo.

Assim, não reclamem, jamais, durante este período, contra o que pode parecer-lhes pesado ou contrário, a priori, ao que vocês chamariam a Unidade ou a Simplicidade.

Se vocês mesmos tornam-se simples, em relação a um evento que lhes apareça como complexo, vocês constatarão, nesse Pilar específico da Simplicidade (que é, também, eu os lembro, ao nível da cabeça, ligado ao Triângulo elementar da Água), vocês descobrirão, então, que, vivendo nesse instante presente do Agora, tudo se esclarece e que não há mais possibilidade, para a personalidade, de interferir em relação ao que se manifesta.

Eu repito: em relação a isso, não é questão, como dizia Irmão K, de submeter-se, mas, efetivamente, de acolher um evento, qualquer que seja, vivido na personalidade, como um elemento que vem estimulá-los quanto ao acesso de seu Coração.
Mesmo se esse evento possa parecer-lhes insuperável, num primeiro tempo, o que é insuperável situa-se, de maneira formal, unicamente ao nível do ego, mas, certamente não, ao nível do Espírito.

Assim, portanto, a Simplicidade consiste, naquele momento, em aceitar um evento e em deixá-lo desenrolar-se.
Saibam, também, que as ações efetuadas na personalidade, durante este período, vão levá-los a um conjunto de consequências que poderão aparecer-lhes cada vez mais complicadas, enquanto, justamente, o estabelecimento na Unidade manifestar-se-á, sempre, em sua vida, por elementos de simplificação e de simplicidade.

Retenham a lei de Atração, a lei de Graça, o princípio de similinum, que vai fazê-los viver, muito exatamente, o que é necessário para estabelecê-los na Simplicidade.
E o elemento que lhes será apresentado – quer concirna a uma pessoa ou a uma situação, qualquer que seja – vai, necessariamente, desembocar, se vocês o aceitam, naquele momento, diretamente num mecanismo de simplificação de sua vida, que concorre para estabelecer a Simplicidade e para estabelecer o Pilar da Simplicidade.
É apenas naquele momento que vocês poderão verificar, por si mesmos, que a vida, sua vida, flui da fonte e que essa vida, que flui da fonte, nada mais tem a ver, nem pode apresentar qualquer aspereza com o que vai apresentar-lhes a vida em seu conjunto, ao nível coletivo, ou seja, ao nível da sociedade, das condições físicas de vida e das condições cósmicas de vida sobre a Terra para as semanas que vêm.

A Simplicidade vai concorrer, de algum modo, para favorecer seu florescimento no Abandono à Luz; vai, de algum modo, favorecer o estabelecimento dessa Simplicidade do Coração e concorrer, de algum modo, para o estabelecimento do Fogo do Coração.

Apenas através de sua capacidade, de algum modo, para demonstrar sua Unidade e a aceitação dos Pilares da Unidade é que a Unidade poderá instalar-se.
Assim, a simplificação e a Simplicidade participam, de maneira inegável, do estabelecimento em sua própria Unidade, permitindo, então, o cruzamento da Porta estreita e, ao impulso Cristo posterior, penetrar em seu peito.

A Simplicidade é, por vezes, extremamente difícil para a personalidade conceber, integrar e manifestar.
De fato, a personalidade, desde o primeiro dia, quando dessa encarnação, é habituada a manifestar certo número de ações-reações, desde os primeiros gestos no berço da criança, como chorar para ter o que comer.
Há, desde as primeiras tomadas de respiração nesse mundo, a instalação dessa famosa lei chamada ação-reação, que corresponde à sua prisão e, como lhes disse Irmão K, vocês não podem transcendê-la enquanto não a tenham aceitado, inteiramente.

A Humildade era um dos elementos que lhes foi desenvolvido.
O elemento que é totalmente associado e complementar a ela é, certamente, a Simplicidade.
Então, o melhor modo para sua personalidade aceitar essa Simplicidade é, já, ir para uma forma de simplificação de sua vida e aceitar (e compreender) que, se algo não lhes aparece como fluido e fácil, então, necessariamente, é a personalidade que age e não o Si ou a Unidade em vocês.

Tudo o que é da ordem da Unidade vai simplificar sua vida e pô-los nessa fluidez da Unidade, na qual o conjunto de eventos vai desenrolar-se sob a ação da Graça e não mais sob a influência da ação-reação.

Frequentemente, foi-lhes dito para nada desejarem, efetivamente, porque quem deseja é a personalidade.
Em contrapartida, se vocês têm confiança e se vocês têm um acesso a essa confiança, pelo Abandono, de sua personalidade, a essa Existência, então, naquele momento, as circunstâncias serão preenchidas pela simplificação de sua vida, pela ação da Divina Providência e da ação de Graça, a fim de que tudo o que é necessário ao estabelecimento de sua Consciência nessa Unidade que é o Si seja realizado.
Em outros termos, vocês vão encontrar-se confrontados, de modo sistemático, a oposições e confrontações, por vezes cada vez mais intensas, durante esse período específico que é, como vocês sabem, um período de justaposição e de confrontação entre a Lei da Dualidade (ação-reação) e a Lei da Unidade (ou ação de Graça).
E esses dois princípios buscam, de uma maneira como de outra, consciente ou não, estabelecer, em vocês, sua preeminência.

A personalidade, portanto, observa, de maneira extremamente consciente, o que se joga.
O que é proposto pela personalidade será, sempre, do domínio do difícil, do domínio do não realizável ou do domínio do conflituoso, enquanto o que se estabelece na Unidade, pela lei da ação de Graça, será sempre fácil, extremamente simples e extremamente gratificante no sentido da alma e do Espírito.
O que é exatamente o inverso, quando vocês vivem, efetivamente, uma frustração da personalidade quando, por exemplo, foi programado um evento ou um reencontro ou qualquer outro evento da vida comum.
Se esse evento da vida comum não se realiza, isso quer dizer, simplesmente, que não está em acordo com a lei da Unidade, a lei de Graça e a Fluidez da Unidade.
Isso quer dizer, simplesmente, que vocês estão em face de um desejo da personalidade.

Assim, alguns seres vão, por exemplo, experimentar os impulsos da alma ou do Espírito para mudar de lugar.
Esse é um impulso, real, do Espírito, que pode, mesmo nesses tempos extremamente reduzidos, realizar-se por vocês (eu tomo um exemplo, eu os lembro, que não é a Verdade, longe disso, para todo o mundo).
Então, naquele momento, a vida, a Divina Providência, a fluidez da Unidade vai pô-los na realização desse objetivo, sem que haja qualquer esforço a fornecer.
Em contrapartida, se esse impulso vem de vocês mesmos, num desejo da personalidade, a lei de Fluidez vai opor-se, inteiramente, pela própria ação de seu Espírito, na alma, a que se realize essa mudança (ou essa remoção, no caso, no exemplo do qual eu lhes falo).

Convém, portanto, estar perfeitamente lúcidos e, de algum modo, como lhes foi dito, ser perfeitos observadores das próprias circunstâncias de sua vida, atualmente, porque a Luz fala-lhes, quer vocês saibam reconhecê-la ou não.

Como nós o dissemos, a Luz Adamantina está cada vez mais presente; sua Inteligência faz-se cada vez mais sentir, vindo pôr, de algum modo, um termo aos comportamentos ligados à Ilusão e a tudo o que é ligado à ação-reação.
Isso acontece, é claro, na humanidade, nas sociedades, em todos os sistemas construídos pelo humano e, obviamente, mesmo em sua própria vida.
É a vocês, portanto, que cabe ver claramente em relação a essa Simplicidade que lhes propõe a Inteligência da Luz.

Então, é claro, se vocês estão colocados nos Quatro Pilares, vocês constatarão, por si mesmos, que o conjunto de eventos que vão desenrolar-se (que concirna à sua vida, em seus diferentes setores), vai fazer-se segundo um princípio da Inteligência da Luz.
Mas, como lhes disse o Arcanjo Anael desde extremamente longo tempo, enquanto vocês não tenham se soltado, em relação à personalidade, enquanto vocês não estejam abandonados à Luz, vocês, dificilmente, podem conscientizar-se e manifestar, em sua vida, o princípio da Fluidez da Unidade e da facilidade e da Simplicidade.

Em resumo, pode-se dizer que, progressivamente e à medida em que sua consciência aproxima-se da Porta Estreita, progressivamente e à medida em que vocês se aproximam do instante e do momento em que vocês vão entrar, plenamente, no instante presente, no Hic e Nunc, naquele momento, vocês constatarão a Inteligência da Luz em ação em sua vida (tanto nas circunstâncias de sua vida como no conjunto de suas relações).

Tudo o que lhes for apresentado em sua consciência não será mais, jamais, o mesmo.
E o que, contudo, deve permanecer em sua consciência (por obrigação, por responsabilidade) não tomará mais o mesmo relevo, não terá mais a mesma densidade nem o mesmo peso em relação ao que vocês têm a resolver, em relação a esse elemento.

Assim, portanto, a Simplicidade permite-lhes levar sua vida de modo incomparavelmente mais leve.
Quando a alma volta-se para o Espírito não há mais atração ligada à alma; não há mais desejos no corpo de desejo, e tudo se torna extremamente simples, porque tudo se torna extremamente claro.

Tudo o que se desenrola, naquele momento, faz-se pela Inteligência da Luz, sem manifestar qualquer vontade ou qualquer desejo.
É naquele momento – e unicamente naquele momento – que vocês podem dar-se conta da Inteligência da Luz.

Não é, portanto, questão, simplesmente, de aceitar um princípio ou um conceito, mas, efetivamente, de implementá-lo em sua vida.

Os momentos atuais, que se inscrevem num tempo extremamente reduzido (que vocês vivem sobre a Terra e que eu anunciei, há vários meses, e desenvolvi), são, agora, a ocasião, eu diria, sonhada, de implementar essa Simplicidade de sua vida e de ver se a vida flui da fonte, para vocês, ou não.
Mas, mesmo se ela não flui da fonte, não é por isso que é necessário desesperar-se ou dizer que ali não se chegará, mas, bem mais, aceitar, naquele momento, vocês mesmos, colocar-se na Simplicidade em relação a esse evento (fosse ele o mais difícil a viver) para manifestar, então, desta vez, de sua própria Interioridade, essa Simplicidade.
E vocês constatarão, então, real e concretamente, que sua consciência, que tem a viver esse evento (fosse ele o mais doloroso), será vivida com uma forma de desapego correspondente, aí também, à ação da Inteligência da Luz.
E isso concerne, mesmo, ao desaparecimento eventual de seu corpo, através de uma doença ou de algo que desaparece de sua vida, porque isso faz parte de seu acesso, privilegiado, à Luz.

Existe uma necessidade de despolarizar-se, de algum modo, do ponto de vista da personalidade e do corpo de desejo para penetrar a Existência.
Isso poderia ser chamado, em outros termos, sair da visão da lagarta para penetrar a visão da borboleta.
Mesmo se as circunstâncias da lagarta não possam mudar, porque isso faz parte de seu projeto de vida, vocês constatarão que sua consciência transferir-se-á, pouco a pouco, a essa visão de borboleta e tornar-se-á, ela mesma, a borboleta.

Assim, o que lhes é proposto será de duas ordens.
Devido, também, às modificações de condições ambientais profundas da vida do ser humano, quaisquer que sejam esses eventos, se vocês os aceitam, vocês viverão a Simplicidade e a facilidade.
Se vocês os recusam, tornar-se-á, para vocês, cada vez mais difícil manter um equilíbrio na Unidade.
Agora, vocês têm a possibilidade, a partir de agora e antecipadamente, de colocar-se sob essa lei de Simplicidade, no Hic e Nunc, e acolher essa Simplicidade e aceitar que a Divina Providência aja em seu lugar.
Quando a Luz age, Ela age, sempre, de maneira simples em sua vida, e vai pô-los diante de um evento novo, para muitos de vocês, que é a rapidez.
Essa noção de rapidez, mesmo no espaço-tempo que vocês vivem, vai aparecer-lhes cada vez mais claramente.

Um evento que age sob a Inteligência da Luz será extremamente rápido e colocar-se-á em sua vida, e imiscuir-se-á em sua vida de maneira extremamente rápida e fácil, enquanto um evento que é oriundo do desejo da personalidade não se instalará, jamais, tão rapidamente, mas tomará certo tempo no peso, a fim de obrigá-los a estabelecer-se na Simplicidade Interior.

Assim, a Simplicidade não é, unicamente, um mecanismo da Consciência Interior, mas é, também, um mecanismo exterior.
Vocês compreenderam: os dois agem e agirão, de maneira cada vez mais evidente, de maneira sincrônica, em suas vidas e em sua consciência.
Assim, um evento – fosse ele extremamente difícil – que se manifesta em sua vida, se vocês aceitam que ele se desenrole, é dedicado, unicamente, a fazê-los viver a Unidade, vocês verão, naquele momento, que vocês aceitam esse evento com um destacamento e uma Simplicidade Interior cada vez maior.
E isso atenuará o impacto da Consciência, o impacto desse evento na consciência, no corpo do desejo e na personalidade, porque vocês não viverão mais esse evento na personalidade, vocês o viverão, diretamente, ao nível do Coração.

Haverá, portanto, uma espécie de visão diferente, uma consciência diferente que lhes permitirá não mais serem afetados por um evento que, anteriormente, teria parecido insuperável.
Isso concerne tanto à perda de um parente como à irrupção, em sua vida, de um evento, qualquer que seja.
Há, portanto, uma dupla simplicidade para levar a efeito: a Simplicidade da Inteligência da Luz, na condição de ali submeter-se, na condição de aceitar viver esse desconhecido da Luz, mas, também, em face de um evento, qualquer que seja, concernente à sua vida ou ao conjunto de vidas que os circundam vai levá-los, aí também, à sua maneira, a estabelecerem-se na Simplicidade e na Consciência do Coração.

Existe, portanto, uma dupla dinâmica que se implementa, atualmente, que concerne à sua vida Interior e ao conjunto de manifestações de sua vida exterior.
A Simplicidade, a Reversão da alma, a Reversão do Triângulo, chamado Luciferiano, ao nível do Triângulo do Fogo, desta vez, acompanha-se, também, da modificação das Águas.

Como vocês sabem, existem Águas do alto e Águas de baixo: as Águas da Matriz e as Águas Celestes.
As Águas da Matriz são, atualmente, infundidas pelas partículas Adamantinas (Agni Deva ou partículas de Fogo da Luz Adamantina), que penetram, também, é claro, não unicamente o ar, mas, também, a água, fazendo com que a água matricial confinada transforme-se numa água lustral (ou água do batismo), que vem revelar-lhes, de algum modo, e desviá-los da personalidade, se vocês aceitam, a fim de fazê-los viver o Fogo do Espírito, o Fogo do Coração e a Simplicidade.

Humildade e Simplicidade são o casal que, ao nível do Coração, permitem-lhes aproximar-se dessa Porta Estreita, em toda facilidade.
Eu repito: mesmo se esse período seja vivido, por vocês, como uma noite escura da alma, lembrem-se de que não há que lutar contra uma noite escura da alma, quaisquer que sejam as manifestações, mas, simplesmente, aceitar olhá-las com Humildade, com Simplicidade e, naquele momento, vocês constatarão, por si mesmos, que a Luz vai modificar, totalmente, sua consciência.
Vocês vão, portanto, extrair-se do jogo e da personalidade.
Vocês vão cruzar a Porta Estreita, acolhendo o que se apresenta a vocês e viver, naquele momento, a dimensão do Fogo do Coração: viver a Humildade e a Simplicidade.

Assim, portanto, cabe-lhes não reclamar contra as circunstâncias de sua vida e acolher as circunstâncias (tanto as mais leves como as mais pesadas) com o mesmo humor, a mesma Humildade, a mesma Simplicidade, porque, tanto uma como a outra são, muito exatamente, o que vocês necessitam para manifestar e viver o Fogo do Coração.
O importante não é resolver o problema, mas o importante é viver, de maneira leve, o problema.
Se vocês têm a chance, em contrapartida, de viver uma Fluidez da Unidade (e se o conjunto de circunstâncias de sua vida manifesta-se segundo essa lei de Simplicidade), então, isso os reforçará no estabelecimento de sua Simplicidade.
Tornar-se-lhes-á cada vez mais evidente que, se vocês agem com as personalidades, quaisquer que sejam, tudo se tornará extremamente pesado.
Em contrapartida, se vocês deixam agir a Luz e se vocês se colocam, de maneira forte, em sua Humildade e em sua Simplicidade, vocês constatarão que sua vida conduzi-los-á, exatamente, ao que é necessário para manter sua consciência na Unidade.

A simplicidade é, portanto, um elemento motor do que vai permitir à Fonte estabelecer-se em vocês, bater à Porta e magnificar sua vida, permitindo a última Passagem à Existência.
As condições prévias são, muito exatamente, as condições prévias que nós descrevemos, em relação aos Quatro Pilares (ndr: Humildade, Simplicidade, Transparência, Infância).
Esses Quatro Pilares são as garantias da estabilidade do Coração, do estabelecimento no Coração.
A Humildade e a Simplicidade são um eixo, de algum modo, horizontal, que vai permitir à Porta estreita ser cruzada, ser passada, sob a influência e a ação direta da Luz Cristo, que vem em suas costas.

Assim, portanto, vocês poderão constatar, por si mesmos, tanto em sua vida como em seu ambiente que, quaisquer que sejam as circunstâncias de seu ambiente, vocês se tornarão cada vez mais distantes delas, não numa forma de distanciamento ou de negação, como dizia Irmão K, mas, bem mais, na transcendência do que lhes propõe a viver sua vida.
Apenas naquele momento é que vocês poderão penetrar o santuário do Coração, inteiramente.

Lembrem-se de minhas palavras.
Qualquer que seja a dureza aparente de um evento que acontece em sua vida, o Abandono à Luz deverá provar-se, naquele momento.
Quando eu digo dar a prova do Abandono à Luz, o evento que lhes é proposto tem apenas esse último e único objetivo.
Não vejam ali qualquer sofrimento; não vejam ali qualquer retribuição, mas, efetivamente, para vocês, a ocasião de provar-se, a si mesmos e à Luz, que vocês estão Abandonados à Luz.

Lembrem-se de que vocês estão em tempos específicos, que são finais, concernentes à possibilidade do acesso à Existência.
Assim, portanto, ou vocês se colocam, vocês mesmos, sob a lei de Fluidez, ou seja, sob a ação da Simplicidade, tornando-se humildes e simples, e a Unidade estabelecer-se-á, ou vocês estão ainda (por razões que lhes são próprias) confinados nas leis e no desejo da personalidade e a vida apresentar-lhes-á, muito precisamente, o evento que convém para permitir-lhes encontrar a Fluidez, a Unidade, a Graça e a Unidade.

Isso foi chamado, como eu o disse, a noite escura da alma.
Assim, se alguns de vocês vivem a noite escura da alma, não vejam ali uma punição ou um fechamento de Porta, mas, bem mais, uma Porta que se abre ainda mais para vocês.

Tudo depende de mecanismos de consciência que vocês adotarem, naquele momento.
Ou vocês se identificam ao que lhes parece ser terrível e escuro, ou vocês se elevam.
E a Luz vem elevá-los, Ela não vem rebaixá-los.
O que se rebaixa será, sempre, o ego.

Assim, portanto, se vocês vivem e aceitam a Humildade, a Simplicidade, em relação ao que sua vida propõe-lhes, vocês viverão a Unidade.
Se vocês já estão estabelecidos na Unidade, sua vida vai escoar-se de maneira a mais fluida e a mais fácil, progressivamente e à medida dos dias que vão escoar-se.
Vocês nada terão a temer; vocês nada terão a esperar, porque vocês se inserirão, cada vez mais, na realidade do Coração e na Alegria do Coração, vivendo, então, Samadhi cada vez mais intensos, Alegrias cada vez mais intensas, que lhes permitirão passar esse período, quaisquer que sejam os eventos exteriores (de sua vida ou desse mundo) na maior das facilidades.

Eu não lhes escondo que, ao redor de vocês, no que vocês chamam seus parentes, encontram-se não seus inimigos, mas os maiores inimigos de sua Unidade.
É claro, como vocês sabem e como vocês experimentam, todos os seres humanos não chegaram ao mesmo nível Vibratório ao mesmo momento.
Isso, também, há que aceitar, que aquiescer e que integrar.
É necessário deixar livre cada um e é, justamente, deixando livre cada um que vocês demonstrarão, aí também, sua capacidade para estabelecer-se no Coração, na Unidade, na Simplicidade e na Humildade.

Vocês devem, portanto, como dizia Irmão K, ontem, e confirmado por minhas próprias palavras, não mais buscar compreender o conjunto de situações às quais vocês são confrontados, mas, efetivamente, compreender a lei primária da ação-reação, em oposição à lei primária da ação de Graça.

Uma é facilidade.
A outra é dificuldade.
Uma é Alegria.
A outra é sofrimento.
Uma é Luz do Espírito.
A outra é noite escura da alma.
Entre as duas não há mais lugar.
E entre as duas haverá cada vez menos lugar.
Isso, eu repito, não é nem uma punição nem uma retribuição, mas, simplesmente, elementos e mecanismos que são destinados, para cada humano, para cada Irmão, cada Irmã (onde quer que esteja, que tenha lido ou que nada tenha lido, que tenha vivido ou que nada tenha vivido), viver segundo as circunstâncias da Luz ou segundo as circunstâncias da carne.
E cada um verá, claramente, para onde o levam suas próprias escolhas e suas próprias decisões.

Não poderá haver, como dizer..., ambiguidade, no que vocês manifestarão como decisões e a consequência dessas escolhas e dessas decisões.
Isso lhes aparecerá em lapsos de tempos extremamente curtos, eu diria, quase imediatos.

Até o presente, o ser humano evoluía num espaço/tempo que era, de qualquer forma, diferente.
Vocês não provavam imediatamente as reações de suas próprias ações.
Era necessário, por vezes, esperar meses, anos, ou mesmo ciclos inteiros, antes de ver aparecerem as consequências de seus atos.
Hoje, isso é instantâneo.

Então, é claro, para alguns Irmãos e Irmãs, isso pode dar a impressão de que tudo vai muito rapidamente ou de que tudo vai demasiado rápido.
Mas, justamente, se tudo vai muito rapidamente, é justamente para dar-lhes a oportunidade de situar-se e de colocar-se ou segundo a lei de ação-reação ou segundo a lei de Unidade.
E, naquele momento, sua vida tornar-se-á ou simples ou complicada, quaisquer que sejam os elementos de seu humor, quaisquer que sejam os elementos de seu mental, quaisquer que sejam os elementos de seus comportamentos, diversos e variados, o que quer que vocês manifestem em suas ocupações, quaisquer que sejam.
É justamente nessas atividades, nessas ocupações que vai apresentar-se a vocês esse princípio de escolha que é, verdadeiramente, decidir, em lucidez e em consciência, se vocês vão para a Simplicidade ou para a dificuldade, sabendo, ao mesmo tempo, pertinentemente, que, o que quer que vocês vivam, o conjunto de circunstâncias conduz apenas a uma única coisa: fazê-los viver o reencontro com a Luz, que é prometida para todos.

Aí está.
Portanto, vocês vão estabelecer-se ou em algo que flui da fonte, ou em algo que não flui da fonte, tanto em sua vida como em seu ambiente.
Para nada serve, aí tampouco, portar uma acusação sobre uma pessoa ou sobre uma situação porque, como vocês sabem, tudo o que vocês veem no exterior é apenas uma projeção, total, do que existe em seu Interior.
Não há, portanto, nem algoz, nem vítima, nem salvador.
Há, simplesmente, o papel que vocês aceitam desempenhar e que vocês projetaram ao exterior de si.
Se vocês fazem cessar toda projeção, então vocês entrarão na Humildade, na Simplicidade, ou seja, no Fogo do Coração.
É nesse período específico, nesses tempos que são chamados reduzidos, em que o tempo é descontado de maneira cada vez mais rápida, que lhes são dadas mais oportunidades de viver o acesso à Unidade.
Não é por acaso.
De um lado, porque a quantidade de partículas Adamantinas e de Luz é cada vez mais densa; de outro lado – como nós o dissemos – porque nós nos aproximamos, no plano Dimensional.
Nós estamos na orla de sua Dimensão.
A separação entre os planos e o período de desagregação da trama astral e da matiz astral está quase concluída, inteiramente, dando-lhes a viver o que há para viver, hoje, com, por vezes, uma vivência na consciência comum como uma aceleração do tempo, de circunstâncias, de eventos, que sobrevêm, tanto em sua vida como na Terra.

Esse turbilhão não é feito para perder-se; é, justamente, destinado a permitir-lhes encontrar-se.
Como foi dito, se as circunstâncias de sua vida não podem mais ser controladas nem dominadas, o que resta?
Simplesmente: o Ser Interior (voltar-se para esse Ser Interior, para o Si ou não).
Mas vocês o farão em toda consciência.

De fato, a supressão de elementos de vida, tal como a Terra prepara-se a viver, é destinada a apenas uma única coisa: fazê-los viver o Si.
Não há qualquer punição; não há qualquer retribuição.
Há apenas o estabelecimento da Luz, que vai permitir-lhes estabelecer-se na Luz ou não, segundo sua liberdade.
Se vocês querem ir para a Luz, retenham que devem permanecer na Humildade e na Simplicidade, tornar-se cada vez mais transparentes em suas ações, ou seja, aceitar ir para o que lhes propõe a Luz, ir, sem julgamento, enfrentar e viver o que lhes propõe a vida, sua vida, sem qualquer exceção.

Não existe qualquer circunstância (de seu corpo, de suas relações, de sua família, de sua profissão, de suas atividades, de um acidente, qualquer que seja ou de uma grande Graça, qualquer que seja) que não seja destinada a fazê-los viver a Luz, sem exceção alguma.
Só a personalidade pode crer o inverso e fazê-los viver o inverso.

A vocês cabe, portanto, ainda uma vez, e como sempre, escolher.
A vocês, portanto, cabe cruzar essa Porta Estreita, sabendo que as circunstâncias da vida, chamadas Crucificação e Ressurreição, não vão ao mesmo sentido, não no mesmo lapso de tempo e na mesma intensidade, para cada Irmão e cada Irmã.

Alguns vão viver a Crucificação, de maneira extremamente rápida, sem mesmo lembrar-se dela.
Outros vão demorar-se na Crucificação, porque eles não pensam poder aceder à Ressurreição.
Mas, tanto num caso como no outro, a Ressurreição será real.

Aí estão os elementos que eu tinha a dar-lhes, em relação à Simplicidade.
Inúmeras coisas já foram desenvolvidas, seja por algumas Estrelas ou por alguns outros Anciões, em particular por Mestre Philippe de Lyon, Melquisedeque da Terra.

Quanto a mim, eu vim contextualizá-los nesse elemento da Água.
Lembrem-se: a água infiltra-se por toda a parte e a água é simples.
A água escoa-se, sempre, para o ponto mais baixo.
A água (tal como vocês a veem sobre esse mundo) não vai de baixo para cima.
Ela vai de cima para baixo.
É a vocês, em sua consciência, que cabe penetrar em suas profundezas, no que eu chamaria as Águas de seu inconsciente, não para explorá-las, mas para deixá-las transmutar-se, pela Graça e pela Inteligência da Luz.

Assim, portanto, através do que lhes é proposto em todos os setores de suas vidas, vocês têm – hoje e nas semanas que vêm – os melhores meios de aceder à Unidade, de aceder ao Fogo do Coração.

Quaisquer que sejam essas circunstâncias, quer elas lhes sejam próprias ou coletivas, não existe melhor oportunidade do que o que lhes é proposto viver nesse mundo.

Aí estão, meus Irmãos e minhas Irmãs, as simples palavras que eu tinha a pronunciar sobre essa Unidade, essa Simplicidade, essa Humildade, essa Simplicidade, esse Agora que vocês devem viver, porque, efetivamente, para muitos de vocês, um evento chamado traumatizante, na acepção da personalidade, é o que vai chamar sua consciência a portar-se, inteiramente, no instante presente, no Hic e Nunc, não para ali reagir, mas para apreciar o choque em si mesmo, que pode ser, para cada um de vocês, a salvação de sua Eternidade.

Assim apresentado, vocês vão compreender muito melhor esse período final do Apocalipse, da Revelação, tal como eu o havia apresentado quando fui São João.
É, muito exatamente, o que já se revela, desde certo número de semanas, sobre a Terra.

Lembrem-se de que as circunstâncias do país em que vocês estão são muito mais leves do que aquelas que há a viver, de momento, em outros países.
Mas que, aí também, o lugar em que vocês estão é condicionado, é claro, pelo que é, para vocês, o mais facilitador, para viver o Abandono à Luz.

Aí está o que eu tinha a dizer.
Eu permaneço com vocês, ainda um momento, para ver se vocês têm interrogações, questionamentos, concernentes a essa Simplicidade, a fim de que sua vida flua da fonte.

Para prosseguir, esperando suas questões, o fato de vocês mesmos, em sua personalidade, de adotar essa Simplicidade, vai induzir, mecanicamente, ao nível da alma, um desvio da energia da alma para a personalidade, para o Espírito.
E participa, portanto, de maneira indiscutível, de sua própria Reversão e, portanto, da passagem da última Porta.

Questão: há uma relação entre a Simplicidade, a Humildade e o fechamento da porta Ki-Ris-Ti?

São-lhes dados, durante este período, os elementos de que acabo de falar, ou seja, de fornecer-lhes, durante esse lapso de tempo, o conjunto de circunstâncias necessárias para estabelecerem-se na Unidade.

Os Pilares, tais como foram explicados, são os quatro elementos mais importantes que permitem reunificar, em vocês, os quatro elementos, ou seja, restituí-los ao ponto ER, ou seja, ao Coração, ou seja, ao Si.

De sua faculdade para viver (ou para não viver) o que lhes é proposto, vocês se estabelecem (ou não) no centro do ponto ER.

Nós podemos dizer que, durante este período, a maioria das almas vive os mecanismos mais importantes de sua vida, ou porque a Unidade já está aí e a Simplicidade revela sua Graça a cada minuto, a cada sopro e, portanto, a vivência do Samadhi, quaisquer que sejam as circunstâncias, ou as resistências tornam-se atritos e dão-lhes a compreender e a viver o que bloqueia, não para compreendê-lo (como buscar uma solução no exterior de si), mas para decidir, lúcida e conscientemente, cruzar a Porta Estreita.

A data que foi dada é, simplesmente, uma data de intervenção de alguns princípios, de algumas forças, tanto sobre esta Terra como em seu céu e, portanto, em vocês.

Questão: é correto ou não responder às interrogações de uma pessoa, propondo-lhe um ponto de vista que ela não teria visto?

A Unidade impede de falar?
Eu continuo a não apreender o alcance desta interrogação.
A Unidade não está nas palavras.
A Unidade não está numa opinião dada a alguém.
A Unidade é um estado.
Eu não vejo em que esse estado poderia contradizer o que quer que seja como palavra.
Porque, a partir do momento em que vocês estão estabelecidos na Unidade, no Coração, tudo se estabelece segundo a Simplicidade.

Portanto, às vezes, vocês podem muito bem imaginar que frases saem de vocês sem que vocês tenham pensado.
Se essas palavras são oriundas da Unidade, aqueles a quem elas se dirigem (essas palavras) traduzirão a manifestação da lei de Graça ou, ao contrário, a resistência.

Questão: prolongar a duração dos períodos de meditação facilita o acesso à Unidade?

Como foi explicado, há poucos dias, é necessário, a um dado momento, parar de fazer, para Ser.
Agora, há pessoas que podem parar de fazer, durante milênios, sem nada Ser.
As circunstâncias atuais são, contudo, profundamente diferentes.
Não é questão de nada mais fazer, mas é questão, primeiro, de encontrar o ser para fazer em seguida.
E isso se fará, naquele momento, sob a ação da Graça e da fluidez.
Enquanto, anteriormente, enquanto o Ser não é encontrado, nesse período, vocês farão tudo na resistência, ou seja, na personalidade.
E a personalidade opor-se-á sempre (e de maneira cada vez mais frontal, eu diria) à Unidade.

Assim, é a vocês que convém observar o que desencadeiam suas ações, o que desencadeiam suas declarações.
Será que elas inscrevem-se numa simplificação ou será que elas induzem uma resistência?
E isso lhes aparecerá claramente, em seus pensamentos, em seus atos, em suas relações.
Qualquer que seja a situação.

Vamos tomar uma situação: imaginem que haja um problema.
Vocês querem tomar esse problema nos braços para resolvê-lo.
E isso vai tornar-se cada vez mais difícil, cada vez mais na resistência e cada vez menos fácil.
Vocês podem estar certos de que, naquele momento, é a personalidade que age.

Agora, vocês estão em face do mesmo problema e colocam-se sob a Inteligência da Luz, na fluidez da Unidade e sob o princípio da ação de Graça.
Que vai acontecer?
Ou o problema é resolvido, sem sua intervenção, ou ele não é resolvido, mas, de qualquer forma, sua consciência não será mais centrada, focada ou alterada por esse problema.

A resultante é, portanto, que sua consciência estabelece-se no Si, quer esse problema desapareça ou não, quer esse corpo desapareça ou não.
Não é uma ginástica do espírito, mas é, diretamente, a experiência de sua vida, nesses tempos e nesses dias, que vai demonstrar-lhes se vocês são simples ou não.

Questão: há uma relação entre viver o instante presente e viver a Simplicidade?

Sim, porque o instante presente é portador de uma informação Luz.
A Luz, nós o dissemos, está presente apenas no instante presente.
Ela é onipresente, nesse presente.

Se vocês mesmos colocam sua consciência no instante presente, ou seja, se vocês não reagem, a Luz vai, então, naquele momento, penetrá-los.
E a Inteligência dela vai agir, sem que haja a mínima vontade ou o mínimo desejo de suprimir um problema ou de resolvê-lo, porque a Inteligência da Luz não pode, de maneira alguma, deixá-los confrontar-se a coisas que seriam contrárias à Luz.
Se algo lhes parece contrário à Luz, é o ponto de vista da personalidade, mesmo se isso concirna à sua própria morte.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Irmãos e Irmãs na humanidade, espero ter-lhes trazido, através dessas simples palavras, elementos importantes para o que vocês vão viver.

Lembrem-se de que o que eu disse inscreve-se nesse tempo específico que há para viver.
Não é, certamente, aplicável a tudo o que vocês puderam viver anteriormente, mas é, verdadeiramente, específico de circunstâncias especiais da Luz, que são para viver atualmente.
Assim, lembrem-se: se vocês vão para a Simplicidade, sua vida será simples.
Se vocês aceitam a Humildade e a Simplicidade, vocês terão tanto mais facilidade para penetrar e viver o Si e para estabelecer-se no Fogo do Coração.

Assim, nessas palavras, eu lhes transmito todo o meu Amor e toda a minha Luz Azul em nosso espaço de comunhão, agora.

E eu lhes digo, certamente, até uma próxima vez.

... Efusão Vibratória...
___________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

3 comentários:

  1. É incrível como este maravilhoso conteúdo consegue ir muito além do modo convencional de se falar sobre a importância do "Agora". São inúmeras reprises num aprofundamento inconteste. As sinonímias são abundantes no sentido de tornar mais próximo e familiar tão fundamental estado de consciência. Existe também a fantástica correlação envolvendo a fisiologia humana, onde se obtém, no mínimo, um deslocamento facilitado do mental. É claro que os sintomas, bem reais, constatados nos pontos energéticos do corpo físico, potencializa sobremaneira a compreensão e confiabilidade na vivência do processo, embora toda a sua sutileza apriori. Estas Mensagens, pois, neste atrelamento à percepção corpórea, traz um diferencial tão utilíssimo quão inigualável. Esta MSG em particular, discorre sobre a simplicidade, fluidez, facilitação, sincronia, ... Como simples efeito do posicionamento da alma voltada para o Espírito, e não mais à personalidade, cujos ditames e contextos são marcadamente complexos. Mais um conteúdo lindíssimo, extraordinário, indescritível...

    ResponderExcluir
  2. Pessoal,
    estive em depressão, tipo "noite escura da alma" e alguém me mandou os vídeos de Eckhard Tolle que muito me ajudaram a entender o que é estar na presença, no Agora, no instante presente, no aqui, tão necessário para acessarmos a Unidade. Assisti a todos e vejam, a LUZ está no Instante presente, então o que há de mais importante do q viver o "agora"? a Presença? ele explica de maneira simples e complementa as msgs de maneira espetacular, pelo menos para mim, o foi:

    Questão: há uma relação entre viver o instante presente e viver a Simplicidade?

    Sim, porque o instante presente é portador de uma informação Luz.
    A Luz, nós o dissemos, está presente apenas no instante presente.
    Ela é onipresente, nesse presente.

    Se vocês mesmos colocam sua consciência no instante presente, ou seja, se vocês não reagem, a Luz vai, então, naquele momento, penetrá-los.
    E a Inteligência dela vai agir, sem que haja a mínima vontade ou o mínimo desejo de suprimir um problema ou de resolvê-lo, porque a Inteligência da Luz não pode, de maneira alguma, deixá-los confrontar-se a coisas que seriam contrárias à Luz.
    Se algo lhes parece contrário à Luz, é o ponto de vista da personalidade, mesmo se isso concirna à sua própria morte.
    Irmão, também já fiz os protocolos e posso dizer-lhes que estou em estado de "graça" na Paz e na Alegria do UM.
    Simplicidade, Humildade, Infância e Transparência. E assim É!

    ResponderExcluir
  3. A MSG de Sri Aurobindo mostra que cada pessoa ou fica no face a face com a personalidade ou fica no face com o Espírito (UNIDADE). Quero dizer também que o Irineu pediu DESCULPAS em maiúsculo mesmo (MSG de Maria 9 de setembro). Acho que ele conseguiu se aportar na LUZ. Um abraço a todos.

    ResponderExcluir