Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

14 de set de 2011

UM AMIGO – 14 de setembro de 2011

DO SITE AUTRES DIMENSIONS.

Eu sou UM AMIGO.
De meu Coração ao seu Coração, que a Paz e a Alegria reinem entre todos e entre nós.

O conjunto de Anciões pediu-me para voltar entre vocês, a fim de exprimir certo número de conceitos e de elementos concernentes ao Pilar da Transparência, que é religado à Porta Posterior do CRISTO (da Luz KI-RIS-TI ou da Luz Branca).

Vou expor-lhes o que é essa noção de Transparência.

Tornar-se um Transparente de Luz é ser Transparente à Luz, é realizar o CRISTO, é realizar, em si, o Si, o Despertar, viver a Realização.
Viver, conscientemente, aqui, nesse mundo, ao mesmo tempo estando, conscientemente, em outro lugar, presente no conjunto dos Universos, no conjunto das Dimensões, fazendo, então, tomar Consciência, em Verdade e não em ideia, do Maya desse mundo, de sua ilusão.

É claro, a Luz Branca é Amor.
É claro, para viver isso é necessária, justamente, uma Fusão com a Luz Branca, uma saída do quadro habitual da vida, tal como o concebe o humano, ao mesmo tempo continuando humano, através do Fogo do Coração, através de uma Consciência que nada mais tem a ver com a consciência comum.
Uma Consciência que se expandiu até tocar os Céus, tocar a origem e tocar o fim, degustar o néctar da Fonte e viver esse néctar, permanentemente.
É a isso que cada um é chamado, neste período específico de Transição.

Como nós todos, Anciões, dissemos, nós lhes demos um máximo de elementos, um máximo de práticas e de elementos que podem, também, permitir-lhes aproximar-se dessa Transparência.

Então, se efetivamente quiserem, vamos explorar o que é essa Transparência.

A Transparência é o que os faz sair da aparência, é o que os faz sair da ilusão de ser uma pessoa, no sentido desse mundo, e que faz com que não possa mais haver a mínima interação, nesse mundo, ligada à pessoa, mas, efetivamente, uma ação lúcida e consciente, diretamente religada à Presença do Si, da Unidade, da Verdade, da Beleza.

Tornar-se Transparente à Luz é fazer de forma a que, no interior da Consciência, não existam mais zonas de resistências.
A Luz pode, então, atravessá-los, inteiramente, sem que ela seja parada no interior da Consciência por qualquer elemento.

Tornar-se Transparente à Luz confere, é claro, o que eu já disse, confere um estado de Serenidade, um estado de Paz, um estado de Alegria, a nenhum outro similar, um estado de Serenidade e de Felicidade.

Viver a Unidade e manifestar a Unidade, tornar-se Transparente é estar para além mesmo da identificação à Luz, é tornar-se a si mesmo, em Consciência, a totalidade da Luz.
Para isso, não deve mais existir o mínimo apego da pessoa, a mínima vontade da pessoa de outra coisa que não permanecer no estabelecimento dessa Luz, nessa Transparência porque, na Transparência, quando a Luz atravessa-os, de lado a lado, e quando ela é aclimatada no interior desse corpo físico, desse veículo, então, unicamente naquele momento, a Consciência torna-se panorâmica.
Ela não está mais limitada à consciência do eu, ela não está mais limitada à pessoa, mas virá abraçar, bem além de um processo empático, o conjunto de todas as manifestações, o conjunto de todos os Universos e o conjunto de todos os Irmãos e Irmãs.
Naquele momento, o Amor é vivido como realidade transcendente e não está sujeito a qualquer lei existente nesse mundo,.

O Amor da Luz e a vivência do Amor Vibral nada tem a ver com o amor humano.
É uma transcendência do amor humano, porque esse Amor está ao oposto do amor humano: ele torna livre, ele libera e põe o outro na Alegria.
O amor humano é sempre condicional e condicionado.
Condicionado a um jogo de interações, justamente, ligado à opacidade e à ausência de Luz, com, entretanto, uma busca de Luz.

O ser que se torna transparente à Luz tornou-se, ele mesmo, Luz, bem além da identificação à Luz, mas, mais, por essa noção de Transparência.

Não existe qualquer alteração possível para a Transparência instalada.
Não existe qualquer possibilidade de descer em variações do humor, em variações de emoções ou em variações do que quer que seja.

Na Unidade e na Transparência, a Consciência está alinhada e uniforme.
Ela não tem variação outra que não o grau de intensidade da vivência da Alegria, o grau de intensidade da vivência do Amor em si.

Viver a Transparência e a Luz Branca é estar no Samadhi, isso eu lhes disse, e é, também, experimentar uma Visão, uma Visão profundamente diferente do que podem ver os olhos, do que pode dar a ver e a compreender o cérebro.
Isso foi chamado, aliás, a Visão do Coração.

A Visão do Coração vê além das aparências, porque ela vê, justamente, pela Transparência.
Ela vê, na pessoa que é vista pelos olhos, além do que dão a ver os olhos.
Ela vê a alma e, além disso, ela vê, realmente, o Espírito, que está atrás da aparência de uma pessoa que estaria à frente.

Naquele momento, é claro, o que é amado não é a pessoa que está à frente, mas, efetivamente, o Espírito que remete ao Espírito.
Assim, o Ser que vive a Unidade não pode mais ser outra coisa que não essa Transparência.
Ele não pode mais aderir ao que quer que seja do modelo existente desse mundo.
Ele não pertence mais a um país, ele não pertence mais a uma tradição, mesmo se possa a ele referir-se, mas ele se tornou totalmente livre e totalmente liberado de todo condicionamento.

O condicionamento é, aliás, uma ausência de Transparência, porque os condicionamentos vão definir, de algum modo, os quadros que se estabelecem nos diferentes setores da vida.

Ora, a Transparência não tem mais quadro algum.
Ela se articula em torno de certo número de Pilares, que estão sendo explicados e desvendados a vocês, chamados a Infância, a Transparência, a Humildade e a Simplicidade (ver a rubrica «protocolos» de nosso site).
É apenas estabelecido ao centro desses quatro Pilares que a Irradiação da Fonte, pela Transparência total, pode aparecer, bem além das simples variações do Samadhi e da Alegria, no qual o Ser entra nessa imanência e nessa impermanência, bem além da simples pessoa humana.

Naquele momento, a Consciência está consciente de que ela habita um corpo que não é a Verdade.
A Consciência está consciente de que está além desse corpo, além desse mundo, presente no conjunto dos Universos e no conjunto de Dimensões.

Contudo, a Consciência mantém, com felicidade e com alegria, esse corpo de ilusão, não para si mesma, mas, sobretudo, para todos os outros, que são apenas uma parte dela mesma, não ainda reveladas à sua própria Verdade.

A Consciência que vive isso, nessa Transparência, não está mais sujeita, é claro, ao nível da Consciência, aos riscos das ações e reações, não está mais sujeita aos condicionamentos e não está mais sujeita, tampouco, às interações que podem existir nas relações clássicas humanas, ao mesmo tempo estando plenamente presente em toda relação, qualquer que se apresente.

É claro, o corpo não escapa, para a maioria daqueles que vivem isso, dos princípios de corrupção dessa carne.
A própria Fonte, quando dá forma a um corpo, sem passar pela encarnação, apenas pode subsistir, nesse corpo criado, certo número de anos, porque esse mundo é, efetivamente, privado de Luz, porque esse mundo é, efetivamente, privado de conexão à Luz.
Ele é atingido de amnésias.
Ele é atingido de resistências.
Ele é atingido de predações e de sofrimentos.
Tudo isso, vocês sabem.

Mas vocês sabem, também, que o impulso da Luz Vibral, realizado há certo número de anos, torna-lhes possível, de maneira muito mais fácil, o acesso a esse estado.
Mas o acesso a esse estado necessita, também, de fazê-lo perdurar e durar no tempo de sua encarnação.
Vocês devem estabilizar esse estado.

A experiência do Coração, uma vez que ela tenha sido vivida, ainda que apenas um bilionésimo de segundo, não pode, jamais, esquecer-se, porque é uma experiência transcendente, no sentido o mais transcendente, ou seja, é uma experiência que vem modificar as próprias regras de funcionamento da consciência.
Mesmo se a Transparência não está totalmente estabelecida, então, naquele momento, a Consciência estabelece-se num novo estado.
Esse novo estado foi-lhes desenvolvido; ele é chamado Turiya ou Consciência Unitária.
Isso se manifesta, como eu disse, pelo Sat-Chit-Ananda.
Isso se manifesta pelo que é chamado Chantinilaya, viver em toda consciência a Morada de Paz Suprema, na qual mais nenhuma interferência desse mundo pode interferir com aquele que é Transparente.

Em contrapartida, aquele que se tornou Transparente tem o dever de ser (mas esse dever não é um sentido moral, é uma aplicação lógica do estado de Transparência), de algum modo, um testemunho vivo desse acesso à Unidade.
É nesse sentido que os Arcanjos chamaram-nos os Testemunhos da Luz, os Ancoradores da Luz e os Semeadores da Luz.
Porque é sua função, é seu papel, é sua missão.

Aquele que encontra a Luz, aquele que vive a Luz torna-se Transparente de Luz e a Luz emana dele, irradia dele e efusiona-se dele, permanentemente.
Não pode mais haver, de qualquer forma, interrupção da onda da Luz, da onda do Amor, da onda da Vibração.

Então, é claro, a personalidade está ainda presente nessa Dimensão, nesse corpo, mas não está mais na dianteira da cena, não está mais na aparência, não está mais no eu, não está mais na sedução do que quer que seja e, sobretudo, não tem mais necessidade de compreender o que quer que seja, porque a Luz é, verdadeiramente (quando a Consciência Turiya instala-se), a nutrição absoluta, aquela que não busca mais outra coisa que não Ser, si mesmo, essa Luz.
Não há mais necessidade de resposta, porque a Luz é a resposta.
Não há mais necessidade de busca, porque a Luz estabelece-se.
Não há mais necessidade de sofrer, porque a Luz está além do sofrimento e da interação do prazer e do sofrimento.
Tudo isso, eu tento passar-lhes em palavras, através do que eu vivi em minha vida, e o que eu pude transmitir àqueles que aproximaram-se de mim, de diferentes modos.
É a isso que vocês são chamados.
É a isso que a Luz chama-os.
É nisso que as zonas de resistências que podem manifestar-se em vocês, atualmente (seja sob formas de desagrados, quaisquer que sejam, sediados na alma, sediados no que vocês chamam o mental ou as emoções ou, também, ao nível de seu próprio corpo), são, em definitivo, apenas encorajamentos para ir para essa Transparência.

Lembrem-se de que o Senhor METATRON abriu, em vocês, a Porta Posterior do Coração, a Porta KI-RIS-TI, que permite à Luz Branca penetrar em vocês, inteiramente (ndr: o ponto KI-RIS-TI, entre as omoplatas).

Esse Pilar é um dos apoios essenciais que, se vocês o adotam, se vocês o percebem, se vocês o vivem e Vibram-no, vai conduzi-los a passar a Porta Estreita com mais facilidade porque, naquele momento, vocês terão a prova indelével que se marca na consciência comum, de que existe, efetivamente, um estado da Consciência que não é ligado à pessoa, que não é ligado à Ilusão e à projeção, vividas nesse mundo, mas que é atemporal, eterno e de um estado de Alegria e de Êxtase que nada tem a ver com a mais bela das alegrias vividas nessa vida, na ilusão.

Assim, tornar-se Transparente de Luz é aceitar que a Luz atravesse, de lado a lado, o conjunto da Consciência; é aceitar não mais desejar; é aceitar deixar-se arrebatar e despojar pela Luz, inteiramente.
É não mais interferir pela sombra dos medos.
É não mais interferir pela sombra dos apegos.
É não mais interferir pela sombra dos desejos, quaisquer que sejam, porque a Luz vem preencher o conjunto de desejos de toda alma.
Isso foi chamado, por algumas das Estrelas, consumir-se no Amor, e é exatamente isso que se produz.

É claro, os testemunhos das Estrelas foram, talvez, mais fortes do que aqueles dos Anciões.
E, aliás, entre o que são chamados os sexos, presentes na superfície desta Terra, as mulheres sempre deram testemunhos muito mais intensos e muito mais ricos de sua vivência desse estado, porque a Transparência está, de qualquer modo, inscrita, de maneira muito mais simples, na mulher, devido mesmo ao seu acolhimento da vida no interior de seu seio, coisa que o homem não pode conhecer.

A mulher é, portanto, mais facilmente, uma Criadora.
Eu não falo da criadora genital, mas, efetivamente, da Criadora de Luz, como podem sê-lo, como vocês sabem, as Estrelas de Maria ou, também, os Mestres Geneticistas de Sírius, que são, por Essência e por natureza, entidades de polaridade feminina, ainda que esse feminino não tenha mais qualquer sentido em relação à feminilidade da Terra, ela é, contudo, inscrita numa polaridade de alma e de Espírito.

Contudo, nesses tempos específicos que vêm, agora, sobre a Terra, vocês têm, todos, tanto homem como mulher, tanto criança como adulto, e como velho, a possibilidade de tornar-se um Transparente de Luz.
Mas, para isso, é necessário aceitar, como lhes disse o Arcanjo ANAEL, há extremamente muito tempo, abandonar-se, inteiramente, à Luz, aceitar ser arrebatado pela Luz, esquecer-se de si mesmo, não mais existir, não mais ser o que quer que seja nesse mundo.
Isso se chama, efetivamente, a pequena morte e, depois, o que foi chamado por outros Anciões, a noite escura da alma.
É a isso que vocês são chamados.

Vocês não podem viver em CRISTO, ao mesmo tempo vivendo na personalidade.
É um ou o outro.
E isso vai aparecer-lhes cada vez mais claramente, mesmo na consciência da personalidade.
Isso, a fim de fazê-los decidir dar esse passo que os fará cruzar a Porta da Unidade.

Assim como nós o temos demonstrado, progressivamente e à medida desses anos, a Unidade não é um conceito a aceitar intelectualmente.
É, antes de tudo, um estado de Consciência a viver que está bem além da dualidade do BEM e do MAL, que está bem além dos jogos habituais das leis de ATRAÇÃO e de REPULSÃO desse mundo, ligados à ATRAÇÃO/VISÃO do eixo falsificado da Luz.

Tudo isso foi retificado, vocês sabem também, e cada ser humano, cada pessoa, qualquer que seja o que vocês poderiam chamar seu carma, sua idade, seus sofrimentos, seus apegos é chamada, neste período final, a viver a Transparência.
Mas tornar-se Transparente e ser Transparente é aceitar deixar cair suas próprias sombras.
Aceitar cair suas próprias sombras não é combater, é aceitar vê-las, é aceitar reconhecê-las pelo que elas são e não mais ali apegar-se, e não mais dar a elas atenção, não mais dar a elas peso e, ao contrário, deixá-las aliviar-se, pelo jogo da Luz e, justamente, pela Transparência da Luz.
Isso não é um jogo intelectual, mas é uma ação real, Vibratória, que deve traduzir-se, na Consciência, após a noite escura da alma, por um alívio, cada vez mais perceptível, da própria Consciência.

A Consciência vai, de algum modo, destacar-se desse corpo, destacar-se dessa pessoa que o habita, destacar-se de todos os apegos presentes sem, contudo, desviá-los do que há a realizar, mas isso será tomado diferentemente, com um olhar diferente, que é a Visão do Coração, que nada mais tem a ver com a visão da pessoa ou a visão dos olhos.
Tudo se torna Transcendente.

A Transparência à Luz faz de vocês um Ser de Luz, no sentido o mais nobre e o mais perceptível para aqueles que se aproximam de vocês.
Mais nenhuma emoção pode vir, então, alterar o que vocês são.
As emoções fazem apenas passar; elas são dissolvidas, instantaneamente, pela Presença da Luz e por sua Transparência.
É a isso que o CRISTO vem chamá-los.
É a isso que a Luz Branca vem revelá-los.
Mas, para isso, é necessário aceitar, como Ele dizia quando esteve de passagem sobre a Terra, deixar os mortos enterrarem os mortos, aportar a eles todo o seu amor (e não uma ajuda, inscrita na dualidade).
É necessário elevar-se, para poder fazer banhar o conjunto da humanidade e o conjunto de seus próximos e o conjunto de suas relações, de suas emoções e de seus pensamentos nessa Transparência.

Assim, portanto, há uma necessidade de leveza que exprime a alma nesse momento final de Crucificação, chamado a noite escura da alma, também chamado, pelo bem amado João, o choque da humanidade.
É isso que vocês vivem, atualmente, e que muitos de vocês começaram a viver, antecipadamente, eu diria, há algumas semanas, alguns meses.

Nesses tempos extremamente reduzidos, que precedem o Anúncio de Maria, vocês serão chamados a fazer um exame de consciência, não no sentido religioso, mas no sentido de aceitar ver-se tal como vocês são.
Isso foi chamado, também, o face a face.
Não há outro modo de resolver o face a face do que tornar-se Transparente, qualquer que seja o nome que vocês deem a essa Transparência porque, efetivamente, ela pode ser chamada a Graça, mas, também, um Perdão, mas não um perdão conceitual (vivido nas emoções e no mental ou no afetivo), mas um Perdão real, que permite abandonar-se à Luz e tornar-se, realmente, Transparente.

Esse Perdão não é um perdão de circunstância ou um perdão social.
É um Perdão Vibratório, que se traduz, realmente, por um alívio real e por uma Alegria total, quando ele é realizado.
Se o Perdão não os libera e não os torna leves, não é o Perdão.
É, simplesmente, um jogo do ego e da personalidade.
Se o fato de destacar-se, pela ação da Luz, não concorre para aliviá-los, então, aí também, trata-se de um jogo da personalidade.

Lembrem-se de que eu sempre disse que a Consciência é Vibração.
A Luz Vibral é Vibração. 
O Amor Vibral é Vibração.
A Consciência da Unidade pode existir, inteiramente, apenas quando a Coroa Radiante do Coração (o Fogo do Coração) está despertada.
E aqu’Ele que vem, como um ladrão na noite, despertar o Fogo do Coração, é o CRISTO, é a Luz Branca, é o que eu, em minha tradição, chamava Brahman (a dissolução Brahmânica).
É aquela que os conduz a viver a dissolução total, quando desaparecem todos os marcadores que fazem a vida comum e o âmbito comum da vida nessa Dimensão.
É a isso que, agora, o impulso do CRISTO (que vai fazer-se cada vez mais premente) vai chamá-los: a rasgar os envelopes da consciência limitada, a fim de penetrar, diretamente e em plena lucidez, esse face a face e essa Transparência.

Então, para aqueles de vocês que ainda não viveram esse Fogo do Coração e que, talvez, estejam nas premissas ou no pleno clímax da noite escura da alma, saibam que, do outro lado, há a Luz e há a Felicidade.
Mas, para isso, vocês devem aceitar soltar.
Vocês não são seus sofrimentos.
Vocês não são seus apegos.
Vocês são, ainda menos, esse corpo e, no entanto, é dentro dele que sua Consciência está confinada.
Vocês não são, tampouco, os jogos sociais.
Vocês não são o que vocês aprenderam.
Vocês nada são da idade que vocês creem ter.
Vocês não são essa pessoa que está localizada aqui, nesse lugar.
Vocês são muito mais vastos do que isso.
Mas, para isso, é necessário aceitar soltar tudo o que vocês têm com a personalidade.
Vocês não podem penetrar o Reino dos Céus, como Ele disse, se não voltam a tornar-se uma criança e se não aceitam, apenas, morrer para si mesmos, inteiramente.

Enquanto a Crucificação não é vivida, não pode haver Ressurreição.
Para isso, a Luz Vibral vem chamá-los.
Ela os tem chamado por longo tempo, como havia dito São João, pela Coroa Radiante da cabeça, fazendo de vocês os Chamados.
Agora, se vocês querem juntar-se à Unidade, cabe a vocês decidir, cabe a vocês dar o passo, ou seja, tornar-se Transparentes de Luz.
Para isso, é necessário, sensatamente, abandonar tudo o que faz o que vocês creem ser, porque vocês nada são de tudo isso.

Como lhes dizia, também, IRMÃO K, é necessário liberar-se, inteiramente, do que é conhecido, e o que é conhecido é a personalidade, com seus defeitos, com suas inclinações, com seus apegos, com suas relações, com seus papéis, com suas funções.
Vocês devem penetrar, totalmente nus, nessa Transparência, a fim de cruzar a Porta Estreita e estabelecer-se, pela Graça da Humildade e da Simplicidade, ao centro do Coração, no ponto ER, na Irradiação da Fonte e tornarem-se, vocês mesmos, essa Fonte.

Enquanto isso permanece nas ideias, enquanto permanece nos conceitos, sua pessoa, no sentido da personalidade, vai apropriar-se disso.
Então, é necessário tudo restituir.
Vocês não podem penetrar a Transparência da Luz e tornar-se Transparente de Luz enquanto existe a mínima zona de sombra.
As zonas de sombra são apenas medos projetados ao exterior.
As zonas de sombra são apenas sofrimentos que não foram curados.
Mas vocês não têm mais o tempo de curar esses sofrimentos, ali aplicando o bálsamo da personalidade.
Vocês não têm mais o tempo de curar os sofrimentos, ali aplicando o bálsamo da compreensão.
Hoje, o único bálsamo possível é aquele da Luz Vibral e, para que ela aja, basta, simplesmente, deixá-la agir, inteiramente.
E, para isso, não é mais necessário interagir com a Luz, não é mais necessário buscá-la, não é mais necessário pedi-la, é necessário sê-la e encarná-la, inteiramente.
E isso apenas pode realizar-se se, justamente, vocês param, de maneira deliberada, todo pensamento, de maneira deliberada, toda emoção e, também, toda vontade e todo pedido.
É o momento em que vocês aceitam, como teria dito, talvez, a Estrela TERESA, estritamente, nada mais ser, penetrar na HUMILDADE (que não é uma negação da vida, mas a negação da ilusão desse mundo), a fim de fazer-se penetrar, em Verdade, a Verdadeira Vida, que é aquela da Eternidade, da Transparência da Luz.

Naquele momento, vocês não serão mais o testemunho desse apelo da Luz, mas vocês se tornarão o testemunho da própria Luz, porque vocês se tornarão Transparentes.

Tornar-se Transparente é, também, Vibrar, para além de todas as problemáticas nesse mundo, não desviando-se delas, mas, simplesmente, porque, progressivamente e à medida de seu Abandono, elas vão desaparecer por si, pela ação da Luz.

Lembrem-se de que a Luz não luta, jamais; de que a Luz não se impõe, jamais.
A Luz tem, apenas, que se deixá-la agir.
A Luz tem, apenas, ao nível do que vocês são, que se deixar transparecer, ou seja, ir além do que parece, além da aparência, a fim de que tudo se torne claro, de que tudo se torne límpido, de que tudo se torne leve.

A Luz chama-os para um Amor indizível.
Nenhum amor humano, qualquer que seja, nenhuma projeção de um amor exterior pode rivalizar, de maneira alguma, com esse Amor.
É por isso que muito numerosos e numerosas místicos falaram dessa consumação de Amor.
É exatamente para isso que vocês são chamados.
Os estados que vivia, por exemplo, MA ANANDA MOYI, vocês podem, hoje, completamente, vivê-los. 

Progressivamente e à medida que vocês deixam a Transparência estabelecer-se, progressivamente e à medida que vocês deixam a Luz agir e trabalhar em vocês, vocês viverão isso, com cada vez mais clareza e limpidez.

É necessário, também, compreender e aceitar que o que muitos de vocês veem no céu, na Luz Adamantina reforçar-se e tornar-se cada vez mais denso vai, um belo dia, invadir o conjunto desse mundo e, naquele momento, haverá apenas duas soluções: ou vocês mantiveram as resistências, ou vocês se tornaram, totalmente, Transparentes.

É muito mais fácil tornar-se Transparente durante este período final, mas vocês não poderão mais tornar-se Transparentes no momento final.
É agora que é necessário fazer isso.

Aí está o sentido de minha intervenção: era o de mostrar-lhes e tentar fazê-los viver, ao mais próximo do Coração, o que é essa noção de Transparência de Luz.

Quando o CRISTO vier bater à Porta (não mais em sua Porta individual, mas na escala do mundo inteiro), Ele lhes perguntará, naquele momento, se vocês estão Transparentes.
Ele não lhes perguntará com palavras.
Ele lhes mostrará, em relação ao que vocês São.
E, da distância que pode existir, ou da coincidência que se estabelecerá entre o que vocês creem ser e o que vocês São, realmente, então, estabelecer-se-á a Unidade.
E isso se desenrolará num instante, sem qualquer perda, sem qualquer sofrimento, sem qualquer medo, qualquer que seja.

Isso será, obviamente, profundamente diferente, se vocês ainda não tiverem passado a noite escura da alma.
E, para isso, lembrem-se, vocês devem Abandonar-se.
Isso foi repetido de múltiplos modos: essa tensão para o Abandono, de que falava HILDEGARDE VON BINGEN, corresponde, realmente, ao que vocês têm a Ser.
Nada há a fazer nesse estado de Ser.
Há, justamente, que desfazer.
Há, justamente, que não mais querer.
Há, justamente, que não mais ser identificado ao que quer que seja desse mundo, ao que quer que seja desse corpo, ao que quer que seja dessa personalidade, ao mesmo tempo estando consciente de que vocês estão, também, nisso, mas que vocês não são isso.

Aí está o que vem pedir-lhes o impulso do CRISTO.
Aí está o que o Senhor METATRON abriu, o que MARIA anuncia como Estrela que anuncia a Estrela.
Tudo isso está inscrito em sua vivência, tudo isso está inscrito no que vocês têm a viver, nesse pouco tempo dessas algumas semanas, que vocês têm a transmutar em vocês.

O mundo transmutar-se-á, de qualquer modo.
A liberação da Terra e sua Ascensão está inscrita e realizada, como vocês sabem, em outros planos.
Resta-lhes, na consciência individual que é a sua, nessa consciência limitada, manifestá-lo, concretizá-lo, conscientizar-se disso e vivê-lo.

Nós dissemos que alguns de vocês, que já vivem o Fogo do Coração, tinham laços; que esses laços (nos punhos, nos tornozelos) haviam sido tirados, mas que vocês são mantidos, ainda, na superfície desse mundo, porque vocês sabiam que tinham que agir na superfície desse mundo.
Muito em breve isso lhes aparecerá, não mais como uma obrigação, não mais como um saber, porque a Vibração da Luz tornar-se-á tão intensa sobre esta Terra, que os fenômenos chamados Ascensão corresponderão à imersão na Luz, à imersão em sua natureza, mas na condição de que, daqui até lá, se tal é sua escolha, vocês tenham realizado essa natureza que vocês são, de toda a Eternidade.

Seja como for, guardem presente no espírito (e, aí, eu me dirijo ao conjunto a humanidade e não unicamente àqueles que Vibraram e viveram numa das Coroas Radiantes ou no conjunto das Três Lâmpadas): cada ser humano, cada Irmão, cada Irmã será liberado do confinamento, e isso passa pela reconexão à Luz.
Mesmo se há uma distância entre a consciência ainda confinada e a Luz, cada um reconhecerá a Luz pelo que ela É e irá, portanto, como nós o dissemos, em função, estritamente, de seu próprio estado de consciência, ou seja, de sua própria Vibração.

Então, não há qualquer temor a acrescentar a isso.
Certamente, o que há para viver é um momento que, como qualquer passagem, pode apresentar alguns relevos, alguma dificuldades, mas, se vocês antecipam essa passagem, no sentido coletivo, ela se passará, para vocês, de maneira a mais simples, de maneira a mais evidente e a mais feliz, porque vocês terão aprendido a tornar-se Transparentes e não resistirão mais ao impacto final da Luz que vem estabelecer seu Reino.

Naquele momento, vocês se tornarão totalmente permeáveis, e tudo o que faz a ilusão desse mundo desaparecerá sob seus olhos, sem qualquer problema, e vocês se tornarão, vocês mesmos, então, o que vocês São, de toda a Eternidade, esquecendo essa passagem na ilusão e no esquecimento.

Tudo será restaurado, na Eternidade.
Sua Consciência, também, inteiramente.

Se, contudo, vocês não estão prontos, se, contudo, sua alma decidiu prosseguir nos mundos densos, vocês não serão mais, jamais, cortados, vocês estarão, permanentemente, reconectados, mesmo se um sentimento de peso obrigue-os a manter certa forma de densidade, não é similar viver no esquecimento, viver, mesmo, na densidade, com a consciência da reconexão.

O que vem após o choque é, é claro, uma reconexão total à Fonte, na qual nunca mais a separação poderá existir, na qual nunca mais o sofrimento poderá existir, qualquer que seja sua evolução Vibratória.
Mas lembrem-se: é agora que é necessário tornar-se Transparente de Luz, antes que a Transparência da Luz estabeleça-se, definitivamente, fazendo bascular a Consciência desse Sistema Solar em sua nova Dimensão de vida.

Aí estão as algumas palavras que os Anciões pediram-me para transmitir-lhes em relação, efetivamente, à minha própria percepção e à minha própria vivência, quando de minha última encarnação, dessa noção de Transparência e da vivência de minha Transparência, desde minha mais jovem idade até meu último dia sobre esta Terra.

Permaneçamos num momento de Comunhão e, após, se há em vocês interrogações sobre essa Transparência, então, se eu puder fazê-los avançar, ainda mais, sobre essa Porta Estreita, eu o farei.

Mas, primeiramente, de meu Coração ao seu Coração, em Comunhão e na Luz Branca, vivamos.

... Efusão Vibratória...

Irmãos e Irmãs na carne, nesse corpo, se existe em vocês questionamentos em relação ao que acabo de exprimir, eu os escuto. 

Questão: o que você chama comunicação de Espírito a Espírito? Você evoca a telepatia?

Cara Irmã, absolutamente não.
A comunicação de Espírito a Espírito é, simplesmente, ver além a aparência.
É quando os olhos do Coração estão abertos e eles veem além da pessoa que está à frente, ou que está na relação.
É ver o Espírito, é ver a alma, que está atrás da aparência.

Portanto, sendo Transparente de Luz, o outro torna-se a você, também, totalmente Transparente, mesmo se ele não possa apreendê-lo, compreendê-lo ou vivê-lo.
Você tem acesso, naquele momento, à alma e ao Espírito.
Você vê o outro sem qualquer julgamento, com o olho do Coração, porque ele é você.
Isso excede, amplamente o quadro da telepatia, isso excede, amplamente, o quadro da compaixão ou da empatia.

Naquele momento, é percebido, na Consciência da Transparência de Luz e da Unidade, o que é, realmente, a vivência da Unidade na Consciência.

Quando nós exprimimos, como eu exprimi em minha vida, que tudo é Um, isso não é uma visão do espírito, é a Verdade do Espírito.
Nada é separado nos Mundos Unificados.
Não pode existir a mínima separação, enquanto, nesse mundo, tudo é separação.
Seu corpo não é o corpo do vizinho, mas o Espírito que está atrás desse corpo é o mesmo Espírito que o meu.
A Consciência Turiya vive isso a cada instante.

Questão: dizer «eu sou a Luz» e tentar viver essa Vibração, permite atingir o estado de Transparência?

Não, isso não basta.
É necessário ser Crucificado, inteiramente.
A melhor frase a dizer (porque a frase que é dita, para vocês, será, sempre, ao nível da personalidade) seria: «eu nada sou».

Isso se chama a Humildade e a Simplicidade.
Para poder estar vivo é necessário aceitar estar morto aqui.
E aceitar estar morto aqui é acolher a Vida, não a ilusão.

Assim, dizer: «eu sou a Luz», a fim de tornar-se Transparente é, geralmente, uma projeção de uma intenção.
A Luz não será, jamais, um fazer, nem um desejo.
Ela é um estado.
E o estado não se importa com qualquer afirmação.

Vocês sabem muito bem que, quaisquer que sejam os povos sobre esta Terra, encarnados, houve, por toda a parte, pessoas que oraram, durante milênios.
No entanto, eles encontraram a Unidade?
Não.

Vocês podem repetir milhares de vezes a mesma frase, isso não substituirá a Transparência.
A Transparência apenas pode viver-se no momento em que vocês aceitam cruzar a Porta Estreita do segundo Pilar, ou seja, ser Crucificado (ndr: ponto OD da ponta do esterno).
E isso apenas pode fazer-se através da noite escura da alma.

Se vocês olham, seja no Ocidente ou no Oriente ou em qualquer outra tradição, os seres que puseram por escrito o que eles viveram: essa passagem é uma passagem estreita, porque é a noite escura da alma, é a Porta Estreita, é o momento em que, efetivamente, é necessário aquiescer ao fato de nada ser, completamente, provando, com isso, que vocês são o Tudo.
E isso não se fará, jamais, por uma afirmação; isso não se realizará, jamais (e isso lhes foi significado), mesmo pelo mais puro dos yogas que eu lhes dei.
Tudo isso é apenas uma preparação para viver essa última etapa.

Questão: que significa, hoje, ser Ancorador de Luz, sabendo que poucos entre os Ancoradores de Luz adquiriram essa Transparência da Luz?

Muitos estão vivendo isso.
Pela ativação da Porta posterior do Coração, por uma vivência Vibratória que prefigura (se isso já não foi vivido) o Fogo do Coração.
Vocês são muito numerosos.
Apenas aqueles que resistem não o vivem, ainda.

Agora, ancorar a Luz corresponde a ser chamado pela Luz.
São João havia dito: no sentido da Unidade, «haverá muitos chamados e poucos escolhidos».
Mas retenham que vocês estão, todos, liberados, sem qualquer exceção.
Mas o escolhido é aquele que se junta ao CRISTO, ou seja, à Transparência da Luz.
É aquele que aceita sua crucificação e sua Ressurreição.

Agora, ancorar a Luz e irradiar a Luz fazia-se, até o presente, pela Coroa Radiante da cabeça.
O que é pedido, agora, é cruzar a última Porta.

Questão: por que as fases de acesso à Luz, à Unidade, vivem-se durante o sono?

Minha Irmã, eu penso que você fala para você.
Você não pode falar para o conjunto de seus Irmãos e de suas Irmãs, porque muitos, eu repito, vivem-no em plena consciência e em pleno dia.

O fato de vivê-lo à noite traduz, simplesmente, que, durante o dia, no que é chamada a consciência de vigília, as resistências são muito, demasiado fortes.
Aceitar ver suas próprias resistências já é um passo enorme para a Transparência.
Negar suas próprias resistências é negar a evidência, é afastar-se da Transparência.

A única explicação, a única razão, a única lógica é, sempre, Interior a você mesma e não depende, jamais, e não dependerá, jamais, de qualquer projeção exterior.

Questão: há algumas semanas, ANAEL esclareceu que, em 26 de setembro, uma Porta fechar-se-ia, definitivamente. Poderia precisar do que se trata?

É, muito exatamente, a Porta de que acabo de falar, que é a Porta posterior do CRISTO porque, quando o CRISTO chegou, a Porta não existe mais.

Questão: como chegar à Transparência, enquanto o mental continua aí e ele pode levar a viver a noite escura da alma?

Isso é impossível.
É necessário que o mental não esteja aí.
Há uma oposição, total e formal, com o mental: aquele que mente a AL, aquele que mente à alma e ao Espírito.
O mental pertence, de maneira irremediável e definitiva, à ilusão desse mundo.
É apenas uma construção lógica, criada para aprender a ação-reação.
A Transparência é a Graça, na qual a ação-reação não tem mais curso.
Isso fez parte de todos os ensinamentos, tanto do Oriente como do Ocidente.
Enquanto existe a mínima atividade mental, enquanto existe a mínima emoção, vocês não podem penetrar as esferas da Unidade.
Uma vez a Unidade Vivida (e a Transparência), o mental pode manifestar-se, mas ele não é mais um obstáculo, porque ele foi, ele também, transcendido por essa Transparência de Luz e pela Luz Branca.
Isso faz parte de todos os ensinamentos, quaisquer que sejam as escolas, se se pode dizê-lo.

O mental é o que se opõe, o mais ferozmente possível, ao seu próprio desaparecimento.
E isso esteve presente em todas as épocas.

O mental e a emoção não os conduzem, jamais, à Luz, contrariamente (eu repito, e como lhes disse IRMÃO K) ao que alguns ensinamentos quiseram fazê-los crer, que os conduzem a quimeras e ilusões.

CRISTO, efetivamente, havia dito: «seu Reino não é desse mundo».
Aqueles que creram fazer, desse mundo, seu Reino, bem, vejam vocês o que isso dá, nesse final de era chamado o Kali Yuga.

Questão: o fato de que a Porta KI-RIS-TI seja fechada em 26 de setembro significa que aqueles que não tiverem realizado a Unidade, daqui até lá, não poderão ascensionar?

A palavra Ascensão tem dupla proposta.
A humanidade é Liberada: aí está a palavra a mais importante.
Então, ter medo de não ascensionar nada quer dizer, a não ser uma projeção, aí também, do ego, porque ser-lhes-á feito, a cada um, segundo sua Vibração.
E são vocês mesmos, por sua Vibração, que criam as condições de sua vida e de sua Consciência.

Como poderia ser de outro modo?
Então, a Ascensão é um processo coletivo, mas que não tem a mesma finalidade nem a mesma destinação.
Enquanto há medo há obstáculo e não Abandono.

O prazo de tempo nada tem a ver aí, porque é sempre o mental que vai apropriar-se disso e o mental impede a Consciência Livre de eclodir.

Há realidades Vibratórias que concernem ao conjunto desse Sistema Solar e das quais vocês não podem escapar.
Essa realidade é aquela do solo da Terra e do Sol desse Sistema Solar e da Estrela, e, nisso, vocês nada podem.

O tempo desse mundo não pertence à Eternidade.
O tempo de sua vida inscreve-se num âmbito, muito preciso, chamado o nascimento e a morte.
A personalidade inscreve-se, ela também, nesse âmbito.
O mental também.
E tudo isso é uma ilusão.

É necessário, agora, ir além do soltar.
É necessário ir bem além da vontade.
É necessário aceitar, para viver o Abandono, a Crucificação e a Ressurreição.

O que é absolutamente formal é que cada Consciência reencontrar-se-á, muito exatamente, no que ela criou, por si mesma.
A partir daquele momento, qual medo pode existir, a não ser a projeção, sempre, do mental?

Questão: o estado de Transparência é o estado de 3D Unificado?

O estado de Transparência está presente em todos os Mundos Unificados, sem qualquer exceção.

Questão: na frase: «haverá muitos Chamados e poucos Escolhidos»...

Poder-se-ia acrescentar que haverá muito ranger de dentes, mas é nossa culpa?

Questão: ... não há, aí, uma noção de julgamento de valor?

Eu disse, justamente, que não havia qualquer julgamento e qualquer valor.
Agora, minha Irmã, se seu mental quer jogar com isso, que ele jogue, mas sem mim.
Não há qualquer julgamento de valor nessa frase.

Apenas o mental e o ego creem e veem julgamento de valor, uma vez que será feito, muito exatamente, a cada um, segundo sua Vibração.

Um ser que está na resistência não pode penetrar o Reino dos Céus, nos Mundos Unitários.
É uma questão Vibratória e não de julgamento ou, então, a Vibração é o julgamento.
Mas quem é responsável por sua própria Vibração?
É você mesmo que julga você mesmo.
Portanto, não há julgamento.

Não temos mais perguntas. Agradecemos.

Irmãos e Irmãs na humanidade, de meu Coração ao seu Coração, eu rendo Graças por sua Presença.
___________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

Um comentário:

  1. A MSG se aprofunda intensamente no que seja o Pilar da Transparência. É certo que a Transparência deste Pilar não se refere ao que se possa exigir de alguém, mas que seria, na verdade, a própria ausência deste alguém. Como poderia, na presença sagrada da Luz, admitir qualquer outra presença, que não fosse a própria Luz? Muitos foram os trechos da MSG que ilustraram a grandeza desta Consciente Transparência, dentre os quais temos estas maravilhas: "Tornar-se Transparente à Luz é fazer de forma a que, no interior da Consciência, não existam mais zonas de resistências. A Luz pode, então, atravessá-los, inteiramente, sem que ela seja parada no interior da Consciência por qualquer elemento <> Tornar-se Transparente à Luz confere, é claro, o que eu já disse, confere um estado de Serenidade, um estado de Paz, um estado de Alegria, a nenhum outro similar <> A Consciência vai, de algum modo, destacar-se desse corpo, destacar-se dessa pessoa que o habita, destacar-se de todos os apegos presentes sem, contudo, desviá-los do que há a realizar, mas isso será tomado diferentemente, com um olhar diferente, que é a Visão do Coração, que nada mais tem a ver com a visão da pessoa ou a visão dos olhos <> Para isso, é necessário, sensatamente, abandonar tudo o que faz o que vocês creem ser, porque vocês nada são de tudo isso <> É muito mais fácil tornar-se Transparente durante este período final, mas vocês não poderão mais tornar-se Transparentes no momento final <> O que você chama comunicação de Espírito a Espírito, evoca a telepatia? Absolutamente não <> Dizer «eu sou a Luz» e tentar viver essa Vibração, permite atingir o estado de Transparência? Não, isso não basta. É necessário ser Crucificado, inteiramente. A melhor frase a dizer (porque a frase que é dita, para vocês, será, sempre, ao nível da personalidade) seria: «eu nada sou»".

    ResponderExcluir