Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

24 de set de 2011

GEMMA GALGANI – 24 de setembro de 2011

Mensagem publicada em 25 de setembro, pelo site AUTRES DIMENSIONS.



Áudio da Mensagem em Francês

Link para download: clique aqui




Eu sou GEMMA GALGANI.
Irmãs e Irmãos encarnados, eu os saúdo.
E vivamos, primeiramente, um espaço de comunhão, antes que, neste dia, eu tente avançar, um pouco mais, com vocês, sobre a Vibração da Unidade e da Humildade, sobre esse Pilar e essa Porta, e a Estrela que eu porto, que os conduz a viver o CRISTO, a Luz Branca, a FONTE, ou qualquer outro nome que vocês queiram dar a essa Luz, para viver isso.

Comunguemos, primeiramente.

...Efusão Vibratória...

Irmãos e Irmãs, eu venho prosseguir minhas intervenções precedentes, concernentes à Humildade, e gostaria, hoje, sobretudo, de dar-lhes os elementos que, mesmo por sua compreensão ou por seu Coração, é claro, serão capazes de colocá-los, diretamente, sob a ação Vibratória da Humildade, que os conduz ao CRISTO e à Unidade.

Então, a Humildade, neste período tão específico que se abre, agora dentro de muito poucos dias, deve conduzi-los a posicionar-se nessa Humildade.

Então, vou tentar ver, com vocês, quais são os elementos, não tanto na definição da Humildade, mas, bem mais, aplicados a esse período que se abre diante de vocês e a nós, que vimos ao seu Reencontro.

Como lhes foi dito, o Canal de Comunicação com MARIA está, agora, totalmente ativado.
Muitos de vocês percebem, dele, as manifestações, outros ainda não, mas isso vai acontecer muito rapidamente agora.

Então, a Humildade, neste período específico, é, antes de tudo, reconhecer que o que vem é-lhes totalmente Desconhecido, quaisquer que sejam os esforços do mental ou mesmo da intuição para captar o que pode acontecer e o que pode ser porque, como foi dito e como Ele havia dito, Ele virá como um ladrão na noite, a fim de fazê-los viver a Passagem da Porta Estreita.

Então, vocês não têm que conhecer as modalidades disso, porque, conhecer as modalidades, não é vivê-las.
E o que vem deve ser vivido.
E, para vivê-lo, é necessário, obviamente, antes de qualquer coisa, ter a Humildade de reconhecer que vocês nada conhecem do que chega porque, se vocês o conhecessem, inteiramente, vocês não estariam mais aí onde vocês estão, mas nas Moradas da Eternidade.

Então, é necessário ter a Humildade de reconhecer que nada do que vem pode ser analisado, compreendido ou referenciado no que lhes ocorreu de experiência de vida.
Independentemente do que vocês tenham vivido, o que há para viver, estritamente, nada tem a ver, porque o processo, ainda que tenha sido chamado, efetivamente, Despertar ou Acordar (ou Consciência Turiya, como foi dito por inúmeros Anciões), leva-os, hoje, a viver um mecanismo extremamente preciso.
E esse mecanismo, para desenrolar-se sem obstrução, deve passar pela frequência da Humildade.
E a Humildade é, ao mesmo tempo, voltar a tornar-se, inteiramente, humano; voltar a tornar-se, inteiramente, o homem ou a mulher Presente nessa vida, totalmente Lúcido de si mesmo, totalmente Lúcido de toda forma de confinamento.
É, ao mesmo tempo, estar Lúcido do confinamento e estar presente, totalmente, nesse confinamento, ou seja, nesse corpo, nessa vida, mas, ao mesmo tempo, aceitar que, a um dado momento, vocês não serão mais esse corpo, vocês não serão mais essa vida, vocês não serão mais o que vocês conhecem, mas vocês penetrarão aspectos totalmente inéditos e Desconhecidos de si mesmos (para a maior parte), e que é nesse Desconhecido que se encontra a Felicidade, o Contentamento, que se encontra a Água que nutre e que rega, e que alivia qualquer sede.

A Humildade é aceitar o Desconhecido.
A Humildade, além da simples confiança na Luz, é ousar, porque é um ato de coragem, Abandonar-se à Luz e Renunciar, e num instante, a tudo o que faziam as certezas Interiores da vida até o presente.
O que não quer dizer que essa vida se vá, mas, simplesmente, que o tempo dessa Passagem deve realizar-se na Humildade a mais total, na confiança a mais absoluta na Luz e na Renúncia a mais sincera a todo véu e a toda Ilusão.

Esse princípio de aceitação ou de Abandono é, obviamente, nestes momentos específicos, um dos elementos chaves e motores do que há para viver.
Os outros, vocês os conhecem, são: o Pilar da Simplicidade, o Pilar da Transparência e o Pilar da Infância.

A Humildade está em ressonância com a Vibração da Unidade, porque a Unidade é, também, aceitar ser o menor aqui embaixo, sobre esta Terra, nada mais ser, para poder ser Tudo.
E, enquanto vocês pensam ser algo sobre esta Terra, enquanto vocês não tiverem encontrado o núcleo da Eternidade, vocês reivindicam, é claro, uma existência nesse mundo.

Viver a Humildade é aceitar o princípio de ser apenas o pó e de retornar ao pó sobre esse mundo.
E, para que o Espírito nasça, é necessário que o pó desapareça.
E, para que o Espírito nasça, é necessário que tudo se apague, que tudo seja pequeno, cada vez menor.

A Humildade é, simplesmente, isso.
É, antes de tudo, em relação a si mesmo, reconhecer a evidência: a evidência do efêmero, a evidência de todas as ilusões que conduzem a vida e que, no entanto, permitiram reconhecer a vida na vida falsificada.

A Humildade é reconhecer que, em face da Luz, a inteligência humana é, efetivamente, limitada, e que ela não pode monopolizar qualquer das características do que não é desse mundo e que, no entanto, vem sobre esse mundo.

Ser Humilde, enfim, é participar do estabelecimento do silêncio mental, do estabelecimento de uma Vacuidade Interior, na qual se pode depositar a Luz e preenchê-los, totalmente, a fim de torná-los Transparentes.
Porque tornar-se Transparente é, também, fazer ato de Humildade.
E o ato de Humildade é reconhecer e aceitar fazer-se o menor possível aqui, onde vocês estão.
Um pouco como vasos comunicantes, nos quais um lado não pode estar alto se o outro está alto, ao mesmo tempo.
Há, efetivamente, esse princípio que se aplica e que vai aplicar-se quando do Retorno da Luz.

Aceitar tornar-se Transparente é aceitar tornar-se como a Luz, e Ser a Luz.
E Ser a Luz não pode obstruir-se de qualquer aspereza da personalidade, de qualquer Sombra que viria manifestar um medo ou o medo do que quer que fosse.
A Luz vem, portanto, colocá-los, de algum modo, no desafio.
No desafio de ser como Ela, porque é sua natureza e sua Essência.
No desafio de deixar-se abrasar, inteiramente, pelo Amor Vibral da Luz e aceitar, em face d’Ela, para que Ela se torne vocês, ser o menor possível nesse mundo.

A Unidade é, também, uma Humildade.
Os dois termos (mesmo se a origem não seja a mesma) vão ao mesmo sentido, no plano Vibratório e no plano da Consciência, porque a Unidade é um estado de Humildade.

A Unidade é um estado no qual não pode existir qualquer reivindicação concernente a si mesmo, no qual a vida, tal como nós a vivíamos quando estávamos encarnados, nós também, não nos pertencia mais: nós havíamos feito doação de nossa vida à Luz para tornarmo-nos a Luz.
Como algumas de minhas Irmãs o disseram, nós desposamos, então, o CRISTO.

Hoje, Ele vem pedir seu Coração, para ser como Ele, Ser Ele, porque a Luz não faz diferença entre as Luzes que a constituem: mesmo os estados Vibratórios, no entanto, diferentes, não estão, de modo algum, separados nem confinados, eles estão, todos, em comunicação e abertos.

A Humildade é, também, estar aberto à Luz, sem colocar questões, sem querer fazer seu o que quer que seja, sem ter outro desejo que não o de tornar-se, a si mesmo, esse estado e isso.

A Humildade é, enfim, aceitar que, durante este período, como foi dito pelo Ancião UM AMIGO (ndr: ver canalização de UM AMIGO, de 24 de setembro, na rubrica «mensagens a ler» de nosso site), durante este período, vocês não dominam, absolutamente, qualquer elemento de suas vidas, de seu ambiente ou da Luz, ou da sociedade, ou da Terra e do Céu, porque são esses elementos que verão a influência da Luz agir sobre eles e transformar, completamente, as circunstâncias do que vocês chamam sua vida.

É um momento, efetivamente, no qual nada sobre a Terra, onde quer que esteja, poderá ignorar o Canto do Céu e da Terra nem nossa Presença.

O Canal de Comunicação aberto por MARIA, à sua esquerda, é um desses sinais.
Outros sinais, é claro, aparecem nesse momento, tanto sobre a Terra como nos Céus, como em vocês.
O conjunto desses sinais traduz, para vocês, em termos terrestres e horários, a iminência dessa revolução, que é uma Revelação da Luz Una.

Então, como o CRISTO havia dito, era necessário preparar a casa.
Será que preparar a casa significava, simplesmente, compreender a vida, sua vida, ou, simplesmente, o lugar nessa casa, para Ele?
Aí está toda a diferença entre aquele que quer agir por si mesmo e aquele que não age por si mesmo, mas, simplesmente, para acolhê-Lo, a Ele, porque Ele vem perguntar-lhes, e o que vem perguntar-lhes a Luz será, sempre, a mesma coisa: «você quer desposar-me?», ou seja: «você quer tornar-se o que você É, em Verdade?».

Esse Reencontro, esse Face a Face, vocês sabem, é inevitável e inexorável no plano de Liberação da Terra, porque cada alma, como vocês sabem, deve ser Liberada.
E, para ser Liberado, é necessário reconhecer a Luz, qualquer que seja a distância ou a coincidência que possa existir entre Ela e cada Consciência.
Esse Reencontro com a Luz é o elemento essencial que permitirá, nós o esperamos, a muitos seres humanos, retornar a essa Luz em toda Liberdade e em todo Conhecimento da Luz.

Para isso, e como lhes foi dito, vocês devem entrar nessa Humildade, ou seja, aceitar tudo o que a vida vai propor-lhes, sem qualquer restrição, sem qualquer limitação e sem qualquer limite.

Penetrar a Luz, deixar-se penetrar pela Luz e tornar-se Ela não pode adaptar-se a qualquer condição, qualquer medo, qualquer emoção.
Tornar-se Transparente à Luz, tornar-se a si mesmo essa Transparência é Vibrar na Alegria do CRISTO; é esquecer, o espaço desse instante, todos os sofrimentos, todos os condicionamentos da sociedade e mesmo os condicionamentos de crenças espirituais.
É apresentar-se como uma criança, voltar a tornar-se essa criança, a fim de que a ação conjunta dos Quatro Pilares gere, ao mesmo tempo, a Flor do CRISTO, a Rosa Cruz, aquela que nasce no meio do peito e que permite a Passagem Dimensional.
É reunir CRISTO, MIGUEL e MARIA; é reunir a Fusão da Tri-Unidade da Luz numa única Unidade.
Os três termos podem, enfim, casar-se em sua Consciência e no que vocês São.

Viver essa Humildade é fonte de um grande contentamento e de uma grande Alegria, porque a Humildade concorre para estabelecer a Alegria.
Uma Alegria que, é claro, não depende, de modo algum, de uma circunstância exterior, e uma Alegria, é claro, que nenhuma circunstância exterior pode vir alterar.

A Humildade confere a Grandeza, mas a Grandeza do Espírito.
A Humildade mostra, enfim, que a personalidade aceitou tornar-se Una com a Existência.
Naquele momento, o olhar muda.

Muitos sinais aparecem nesse Corpo que é seu e em sua consciência.
Então, naquele momento, revela-se a Luz.
Como havia sido anunciado, revela-se em vocês, pelo Impulso Metatrônico, a Porta do CRISTO, e vocês podem, então, responder à pergunta do CRISTO, à pergunta da Luz.

Então, eu teria, também, vontade de dizer-lhes: a Humildade é, também, não atrasar-se no alarido do mundo, porque o alarido do mundo, tal como ele vai aparecer, nada mais é do que a recusa da Luz, e vocês sabem que devem aceitar a recusa da Luz por aqueles que não querem viver, porque é a Liberdade deles a mais absoluta e a mais íntima não ir para isso.

A Humildade é respeitar as escolhas de cada um.
A Humildade é jamais impor-se e nada impor.
A Humildade, se é praticada assim, neste período, conduzi-los-á, ainda mais facilmente, a viver a Unidade e a Alegria, porque a Humildade é uma verdadeira satisfação e uma verdadeira Alegria.
É o momento, de algum modo, no qual as reivindicações do ego, seja aquele da personalidade simples ou do ego espiritual, enfim, soltaram em sua consciência.
É, verdadeiramente, o momento em que vocês podem reencontrar-se e reencontrar o CRISTO.

A Humildade é aquiescer e dizer sim àqu’Ele que vem, à Luz que se estabelece e ao Anúncio de MARIA.

Inúmeras Estrelas trabalham ao lado de vocês nesse momento.
Alguns de vocês percebem a realidade de nossa Presença.
Todas as Estrelas que lhes são conhecidas são suscetíveis de intervir ao lado de vocês, em Consciência e em Lucidez.
Suas noites, também, são profundamente diferentes, e isso vocês sabem.
Os Anjos do Senhor terminam suas intervenções naqueles que ainda não estão suficientemente preparados para a vinda deles e para seu contato, e que devem reencontrá-los.

Tudo se instaura e, quanto mais vocês vão para a Humildade, mais as coisas tornar-se-ão simples nessa instauração, tanto para vocês como ao redor de vocês.

Se vocês vão para o complicado, se vocês se tornam complicados, os conflitos tornar-se-ão cada vez mais intensos.
Não como uma punição, mas como uma incitação para recentrarem-se em sua própria Unidade e em sua própria Humildade.
O mundo, em todos os seus aspectos ditos exteriores a vocês (que é, eu os lembro, apenas outra parte de vocês), vai procurar, por todos os meios, alcançá-los, fazê-los reagir.
A Humildade é, justamente, também, aceitar não reagir.
O que não quer dizer nada fazer, mas Ser, primeiro e, em seguida, agir.

A cinética e a ordem na qual isso se desenrola não tem, de modo algum, as mesmas incidências sobre a consciência, sobre a alma e sobre o Espírito.
A Humildade vem, portanto, bater à sua Porta.
Retenham, também, que a Luz será, sempre, cada vez mais Simples, que a ação da Luz é de uma Simplicidade infantil e temível.
Assim que vocês mesmos entram nos meandros de seus pensamentos, assim que algo (tanto em vocês como no exterior de vocês) aparece-lhes como complicado, estejam seguros de que, naquele momento, não é a Luz que age.

Eu repito: tenham a Humildade de não julgar, mas adaptar-se a isso, a fim de demonstrar sua capacidade para gerar a Humildade e a Simplicidade.
É o melhor modo de prepararem-se para a Passagem da Porta Estreita.
É o melhor modo de prepararem-se para essas Núpcias específicas (sobre as quais MARIA voltará), que são não mais Casamentos Celestes, tampouco Núpcias Terrestres, mas Núpcias de Luz, inteiramente.

Logo que a Fusão da Tri-Unidade for realizada, logo que o conjunto de Forças da Luz Unificada intervier, dentro de muito poucos dias, então, vocês terão a possibilidade, vocês também, de Fusionar a Tri-Unidade e de percorrer os Mundos da Unidade, os Mundos da Transparência.

Durante um período, que não pode ser estabelecido e calculado, vocês viverão os dois aspectos: vocês viverão, ao mesmo tempo, nesse corpo e nessa ilusão, e vocês viverão, cada vez mais conscientemente, mais ou menos aspectos da Unidade, desde a Alegria, desde a simples Presença ao seu lado, que vem apoiá-los sobre os ombros ou acariciá-los na face, passando pelo acesso, completo e radical, à Existência.

O conjunto dessas sobreposições não é feito para dar-lhes medo, longe disso, mas, bem mais, para demonstrar-lhes e fazê-los viver a Verdade da Unidade.
Ninguém, naquele momento, e nas semanas que vêm, poderá dizer que não sabia.
O Face a Face da Luz é total, e manifestar-se-á pelos modos que acabo de falar, mas de múltiplos outros modos: a Sincronia, o Estado de Graça, o Samadhi tornar-se-ão componentes – para aqueles que ainda não os vivem – integralmente, de suas vidas.

Pouco a pouco vocês se aperceberão, então, de acordo com o tempo do calendário que resta a consumar que, finalmente, aquilo em que vocês pensavam nessa vida – que é seu corpo e o que vocês construíram – é, de fato, apenas um sonho, e que vocês vão despertar desse sonho.
Que sua vida tenha sido um sonho maravilhoso ou que, nesse momento, seja, antes, um pesadelo, vocês vão acordar desse sonho e desse pesadelo e penetrar a Verdade.
Isso vai durar algum tempo.

Esses tempos são aqueles do aprendizado.
Outros deverão viver um aprendizado muito mais intenso da Luz, não tanto através da vivência – que se fará instantaneamente – mas através das capacidades Vibratórias da Luz.
Tudo isso vocês receberão, de maneira individual.

Vocês não terão mais necessidade de passar por outros canais além de vocês mesmos, porque vocês terão, vocês mesmos, tornado-se canal de Transparência.
E, mesmo se vocês não estão nessa Transparência, vocês não poderão ignorar as Presenças ou a Presença que estará ao seu lado.
Vocês perceberão, cada vez mais, defasagem entre a consciência que eu chamaria comum e essa Supraconsciência, aquela da Unidade.

Lembrem-se, nesses momentos que vocês vão viver, que a Humildade é uma das chaves essenciais para permitir-lhes reforçar sua Unidade e, portanto, passar essa Porta Estreita.

Lembrem-se de que, nos momentos que podem parecer-lhes, por vezes, os mais difíceis a viver, a provar ou a experimentar, encontra-se a maior das Luzes.
Basta, simplesmente, aceitá-la e desviarem-se de sua problemática do momento para tornarem-se essa Luz.

E a Graça, então, agirá, inteiramente.
Não pode ser de outro modo.
A Luz agirá a partir do instante em que vocês se tornarem, inteiramente, Transparentes a Ela.
A Luz agirá a partir do instante em que a Humildade e a Simplicidade forem as garantias de seu alinhamento.

Lembrem-se, também, a cada minuto, de que, o que quer que se desenrole em sua vida quando desse Reencontro com a Luz ou quando de eventos exteriores do mundo, apenas o Instante de sua Presença é seu guard-rail.
Se o mental escapa num medo ou numa projeção, ou se a emoção aparece, ela os afasta desse nó do Presente no qual se encontra o CRISTO.
Lembrem-se disso, naqueles momentos.

Qualquer que seja a força e a intensidade do que a Luz proponha-lhes, individual e coletivamente, lembrem-se de que o que vem é apenas a Luz.
Quaisquer que sejam as reações da Sombra, nós não nos importamos com o que não existe.
A Luz não vem combater qualquer Sombra, Ela vem apenas estabelecer o Reino dela, que é o reino de vocês.

Cabe a vocês, agora, provar, a si mesmos (provar-se, de algum modo), sua própria Transparência, sua própria Humildade e Simplicidade.
Então, nessas condições, não existirá qualquer limite, qualquer freio à sua Passagem de Porta que os conduzirá a essas Núpcias de Luz.

As Núpcias de Luz que virão, simplesmente, perguntar-lhe: você quer Ressuscitar na Luz?
Você quer voltar a tornar-se o que você sempre foi?
Você quer sair, totalmente, da Ilusão ou você quer ali permanecer?

Você é Livre, porque você é amado e o Amor é Liberdade, e nada mais.
Ter a Humildade de reconhecer isso é dar um grande passo para a Passagem da Porta e a Transparência.

Retenham que, durante este período em que nós estamos ao mais próximo de vocês, que vocês jamais estão sós e que vocês jamais estiveram.
Mas, que o único modo de passar a Porta, é fazê-lo sozinho.
Vocês não podem e não devem contar com nada mais e com ninguém mais além de si mesmos.

Olhando-se face a face, nessa Humildade e nessa Simplicidade, vocês se aperceberão e ver-se-ão como um Ser de pura Luz, totalmente Transparentes.
Não há ninguém que possa ajudá-los a realizar isso, mas nós estamos ao seu lado.

É um trabalho que se faz, justamente, nada mais fazendo, aceitando nada mais ser, para ser Tudo, aceitando não mais agir ou reagir ou interagir nesse mundo.
Isso não necessita, é claro – e isso foi dito pelos Anciões –, de uma renúncia ou tornar-se eremita, bem ao contrário, porque é estando Presente, inteiramente, nesse corpo e nessa prisão é que vocês poderão, realmente, sair da prisão.

Não é, portanto, questão de ir ao alto de uma montanha ou de fugir do que os cerca, o que quer que seja.
É questão, simplesmente, de permanecer afirmado e firme no Interior de si, na Humildade e na Simplicidade.
E a Luz agirá, inteiramente, para fazê-los viver o que vocês São.

Lembrem-se da preparação, de que tudo isso acontece Aqui e Agora, de que não há outro lugar além do Aqui e Agora, porque, aliás, sair da prisão é possível apenas parando o tempo, o tempo que deve ser parado, tanto sobre a Terra como em vocês, de diferentes modos.
Aí tampouco, não se coloquem questões.
Vão, com confiança, para o que vocês São, porque é sua natureza.

Os programas de medos que foram inscritos no humano não são vocês.
Isso, os Anciões falaram.
É preciso Transcender o medo para ir para a Unidade.
É preciso compreender que esses medos, quaisquer que sejam, mesmo os mais íntimos, não são seus medos, mas os medos desse corpo que não é seu corpo, mesmo se ele seja um Templo, porque é aí que se vivem as Núpcias de Luz com o CRISTO.

Essas palavras simples, eu espero que permaneçam gravadas em vocês, no que a vida vai dar-lhes a viver, onde quer que vocês estejam, quaisquer que sejam as circunstâncias nas quais vocês se encontram.
Lembrem-se de que a melhor das preparações será, sempre, Interior, não escutar o que vai dizer-lhes sua personalidade, dizer e afirmar que vocês não São isso porque, como vocês querem escutar o que lhes diz a personalidade e Ser, ao mesmo tempo, a Unidade e a Humildade?

CRISTO os quer inteiros.
A Luz os quer inteiramente e na totalidade.
Não há compromisso possível nem comprometimento, nem para vocês, nem para a Luz.

Lembrem-se de que a Luz é sua Essência e sua natureza a mais profunda e a mais íntima.
Lembrem-se do que lhes dá a vida a viver, é isso que deve ser o mais importante, e absolutamente nada mais, porque onde vocês põem sua importância é onde vocês Criarão seu futuro.
Esse futuro que ainda não nasceu e que, no entanto, inscreve-se no Presente Eterno.
Lembrem-se de que vocês não podem projetar o que quer que seja na Luz, porque a Luz projeta-se por si mesma, em todo ponto do espaço, em toda Dimensão, em toda direção e em todo o Tempo.
E vocês são isso.
Resta, apenas e simplesmente, vivê-lo e Conscientizar-se disso, inteiramente.

Lembrem-se, nos momentos que vão oferecer-lhes a vida, dessas palavras muito simples, porque a Luz é de uma Simplicidade total.
A Luz não conhece qualquer distância, qualquer oposição, qualquer jogo de ação/reação, qualquer carma, qualquer confinamento.
Basta-lhes lembrar-se disso: «eu não sou o confinamento», «eu não sou o medo», «eu não sou o que diz minha cabeça», «eu não sou o que diz meu corpo».
Eu sou a Eternidade.

Naquele momento, a Luz os ouvirá.
Muito mais do que se vocês pedem a Luz, muito mais do que se vocês oram à Luz porque, se vocês oram à Luz, vocês põem uma distância entre vocês e Ela; porque, se vocês pedem a Luz, vocês consideram que não são Ela.

Em contrapartida, se vocês afirmam a Luz, não como uma afirmação positiva, mas como uma realidade intangível de seu Ser, se vocês rejeitam para longe de vocês tudo o que não é essa Luz, então, vocês se estabelecerão com a maior das firmezas e a maior das suavidades no que vocês São.
E vocês se afastarão do alarido do mundo, vocês se afastarão do alarido daqueles que não querem a Luz.
E lembrem-se: eles são tão luminosos como vocês, mesmo se não estejam prontos, de momento, para viverem e para reconhecerem isso.

Abstenham-se, neste período, tanto de julgarem-se como de julgarem qualquer ser.
Abstenham-se, durante este período, de fazer coisas que iriam ao sentido da personalidade: os jogos dos desejos, das seduções, os jogos de imagens (quaisquer que sejam) estão ao oposto da Humildade, da Unidade e da Simplicidade.

De qualquer modo, para muitos de vocês, alguns se apercebem de que vivem momentos específicos, tanto nos alinhamentos como fora deles, momentos em que o apelo da Luz impede qualquer outra atividade, em que a Consciência está como que apreendida pela Vibração da Luz.
Quer isso se localize na cabeça, no Coração ou em todo o corpo, há momentos de apelo da Luz que lhes são próprios e que lhes demandam, naquele momento, responder a esse apelo, sem colocar-se questão, sem perguntar-se se é a hora ou não é a hora, sem perguntar-se se é exato fazer isso ou não.
A Luz não pode transigir com o que quer que seja.
Cabe a vocês saber o que vocês querem, em Verdade.

Lembrem-se, também, da Humildade e da Simplicidade que estão, de algum modo, em ressonância com Aqui e Agora porque, se vocês estão instalados no Aqui, a Humildade está, necessariamente, presente, porque Aqui não pode existir ontem; porque Aqui não pode ser questão de lá embaixo.
Aqui é Aqui.
E a Consciência da Unidade define-se assim, ela preenche-se do Instante e da Eternidade do Instante, mas não vai procurar qualquer preenchimento numa opinião exterior, numa ajuda exterior.

Busquem, primeiro, o Reino dos Céus e Realizem-no: todo o resto ser-lhes-á dado em acréscimo.
Mas não façam o inverso, não ponham, nesses tempos reduzidos, a carroça adiante dos bois, porque isso, estritamente, para nada serviria e retardá-los-ia nesse processo que vai, efetivamente, desenrolar-se num tempo que é, agora, extremamente reduzido.

A Luz vem conduzi-los na Luz, lembrem-se disso.
E, para isso, é necessário parar o tempo, o tempo que a Humildade e a Simplicidade estabelecem-se.

Aí está o que minhas Irmãs pediram-me para transmitir-lhes.
Muitos, durante esta etapa de Alinhamentos, percebem as Presenças à sua esquerda.
Nós, efetivamente, estamos aí, e totalmente aí.
Isso lhes aparecerá, se não é o caso, cada vez mais claramente, agora, dentro de muito poucos dias.

Se, em sua Consciência, emerge uma interrogação concernente a esse processo de Luz e de Humildade, nesse lapso de tempo, nós poderemos ouvi-la e ali aportar, se possível, uma Luz a mais.

Questão: a que pode corresponder a experiência de viver uma doença?
 
É muito simples.
Toda doença traduz o medo da doença.
Toda doença vai traduzir a cristalização de uma problemática.
Essa cristalização não é uma punição, mas é, efetivamente (como isso lhes foi dito, aliás, há quase um ano, pelo Arcanjo URIEL, quando da Passagem da Garganta e Abertura da Boca), a consciência que se desembaraça, como pode, do que não pôde evacuar-se de outro modo que não pela consciência.
E o corpo é um dos meios de saída, e vocês não são esse corpo.

Através desse enfraquecimento, através desse choque da doença, seres, consciências poderão descobrir, mais facilmente, as outras Dimensões, e entrar em contato consciente com outros Planos, coisa que não era possível anteriormente, porque as resistências eram demasiado fortes.
Essas resistências nada mais são do que medos.
Então, se uma doença chega, ela não é uma punição, aí também, ela é um fator de superação e de Transcendência que os chama a ainda mais Humildade e Abandono.
É, por vezes – mesmo se isso possa parecer difícil a viver para uma alma – mais fácil ter uma doença grave do que enfrentar outra pessoa ou sua própria Consciência.

Então, a Luz age assim para permitir a vocês Liberarem-se mais facilmente.
Enquanto vocês creem e aderem ao princípio de que seu corpo seja indispensável para a Luz, é apenas o ego que fala assim.
Eu repito, e dito em outros termos, como lhes disse UM AMIGO: a Luz não se importa com o efêmero, a Luz é Eterna.
E o que é Eterno é a própria Consciência e, certamente, não o corpo e, ainda menos, essa personalidade.

Assim, cara Irmã, eu a engajo a rever o que dizia o bem amado João (ndr: SRI AUROBINDO), há quase um ano, concernente ao Choque da Humanidade e às etapas que deviam passar (ndr: ver sobre esse tema a canalização de SRI AUROBINDO, de 17 de outubro de 2010).
Esse Choque da Humanidade, é claro, inscreve-se no Choque de cada um, doravante.

Vocês apenas podem estar em face, tanto de vocês como no exterior de vocês, exclusivamente, do que vocês Criaram.
Lembrem-se, como dizem nossos amigos, os Anciões, orientais: esse mundo é uma Ilusão total.
Unicamente, houve uma densidade que deu peso e corpo.
Houve uma densidade na qual a consciência acomodou-se dessa densidade e ali encontrou certo número de leis às quais aderiu e submeteu-se.
Mas essas leis não são as Leis da Liberdade e, ainda menos, as Leis do Amor.

Questão: quando um Espírito quer experimentar um Sistema Solar, na hipótese de que ele se renda, primeiro, ao Sol desse sistema, qual é, em seguida, o processo?

Essa hipótese é falsa.
A experiência desenrola-se de maneira totalmente Livre, em todos os Mundos e em todos os Universos.
A experiência, como vocês a nomeiam, pode desenrolar-se, de maneira simultânea e concomitante, em todas as Dimensões, ao mesmo tempo, exceto nesse Sistema Solar e nos sistemas solares que foram confinados.

A regra desse mundo não é a regra dos Mundos.
As regras dessa carne não são as regras do Espírito, de modo algum.
A maior das falsificações consistiu em fazê-los crer que as leis que vocês experimentavam nesse mundo eram válidas no Espírito, o que é falso, porque nenhum de vocês, absolutamente nenhum de vocês sabe o que há atrás do Sol.
Porque nenhum de vocês, mesmo os Anciões que haviam vivido a Unidade e o Despertar, inteiramente, até tempos extremamente recentes, não podiam experimentar outra coisa que não a Dissolução, em Cristo ou na Luz Branca.
Mas ninguém, absolutamente ninguém sobre esse mundo foi capaz de descrever outra coisa além da matriz astral.

Apenas muito recentemente – desde menos de uma geração – é que esse processo lhes é aberto.
As Leis do Espírito são a deslocalização da Consciência, que não é mais tributária de uma forma, que não é mais tributária de um tempo e que não está mais localizada em algum lugar, em algum tempo que seja.

A partir desse princípio, não há experiência, porque tudo se desenrola ao mesmo tempo.
A única experiência é aquela do confinamento, que concerne a esse mundo e absolutamente não ao Espírito, e ainda menos ao Corpo de Existência.

Questão: por que a Passagem deve, necessariamente, realizar-se a partir desse apoio, esse Templo que é o corpo físico?

Tudo acontece nesse corpo físico e não em outro lugar.
É por isso que ele é o Templo no qual se realiza a alquimia da Luz Branca e as Núpcias de Luz.
Isso se chama a Transmutação desse corpo.

A alma é parte integrante, e a alma não pode voltar-se para o Espírito enquanto é parte do corpo.
Nós não podemos, em outros termos, extrair a alma para o Espírito.
Haveria, naquele momento, violação da Liberdade da alma e do Espírito, o que seria contrário à Unidade.
A Unidade não combate.

Cabe, portanto, à própria Consciência tornar-se Unitária, e não à Unidade vir extrair uma Consciência, contra sua vontade.

Assim como Ele lhes disse: «será feito, a cada um, segundo sua Fé; será feito a cada um segundo sua Vibração, e será feito a cada um segundo, muito exatamente, o que ele É».
Isso não é uma lei de retribuição, no sentido cármico, mas, efetivamente, a ação da Luz na Graça.
Como poderia ser diferentemente?

Questão: a Humildade é um processo que gera a doçura?

Sim, seria a carícia de uma pluma e do Amor, e da Alegria.
Vocês devem aceitar que inúmeros seres humanos estão perfeitamente inseridos nessa realidade tridimensional, seja porque são muito jovens na encarnação e foram precipitados há pouco tempo, seja porque têm ainda coisas – e aí, efetivamente, isso se chama experiência – coisas a experimentar nessa matriz.
Mas essa matriz deve ser Liberada.

Todo aquele que descobre e aceita a Luz não pode ir a outro lugar que não para a Luz.
Porque é a natureza, eu os lembro, de cada Espírito.
Apenas a personalidade, a carne, é que não conhece o Espírito.
Porque, se vocês conhecessem o Espírito, inteiramente, a partir de agora, vocês não estariam mais na carne e, no entanto, isso deve acontecer na carne.

Questão: se a alma não acompanha o processo de Ascensão a outras Dimensões...

A alma é tributária da terceira Dimensão.
A alma é um intermediário entre o corpo e o Espírito.
A alma não é Eterna.
O Espírito é Eterno.
A alma é efêmera, mas numa outra escala de tempo que o que pode conceber um corpo.

A alma é criada para as necessidades da densificação na matéria, chamada carbonada, falsificada ou não.
A alma não é Eterna.
A alma é uma coloração.
A alma vai arrastá-los a viver experiências específicas.
A Dissolução no Espírito passa pela Dissolução da alma e do corpo.

Questão: ... por que há pouco foi evocado o fato de que não podia haver violação da alma no processo?

Porque a alma está presa a um corpo, porque a alma não se Reverteu para o Espírito.
Como intermediária, a alma tem, necessariamente, a necessidade de Reverter-se do Eixo ATRAÇÃO-VISÃO, a fim de Reverter-se para o Eixo chamado HUMILDADE-SIMPLICIDADE (ou, se preferem, UNIDADE e AL, que são os dois Pontos em ressonância com o chacra de Enraizamento da alma e do Espírito).

A alma é apenas uma das características temporárias, existentes enquanto o Fogo do Amor não elevar, na Luz do CRISTO, uma Consciência.

Agora, não há qualquer julgamento, nem de valor nem de hierarquia: àqueles que têm necessidade de uma alma, ser-lhes-á feito segundo sua Fé, aí também.
Não pode haver, nesta época e na Inteligência da Luz que vem, qualquer erro de sinalização, nenhuma alteração de Destino.
Tudo é perfeitamente medido pela Luz.

Irmãos e Irmãs, vou, portanto, permanecer com vocês, ao seu lado e em vocês, nesse momento e na Comunhão.

...Efusão Vibratória...

Irmãos e Irmãs na humanidade, vou deixá-los concluir seu Alinhamento.

Eu rendo Graças por sua Presença.
Eu rendo Graças por seu acolhimento.

Até breve.
___________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

Um comentário:

  1. Decorrente da minha própria vivência, tenho considerado que o reconhecer-se, enquanto personalidade, como uma consciência absolutamente iludida e irreal, é a coisa mais importante para o Despertar. O conteúdo do Autres Dimensions é igualmente peremptório nesta assertiva. Acontece que esta presente MSG da Gemma Galgani consegue ir ainda mais profundamente nesta premissa tão basilar. Seria óbvio demais dizer o quanto deleitei-me com todas as nuances da totalidade do texto. Eis aqui algumas destas maravilhas de afirmações que esta magnífica Gemma nos trouxe: "Humildade é renunciar a tudo o que faziam as certezas Interiores da vida até o presente <> Humildade é reconhecer a evidência do efêmero, a evidência de todas as ilusões <> A Humildade é uma verdadeira satisfação e uma verdadeira Alegria, dado que é o momento em que as reivindicações do ego soltaram-se em sua consciência <> Humildade é aceitar o Desconhecido <> A Humildade confere a Grandeza, mas a Grandeza do Espírito <> Lembrem-se: «não sou o confinamento», «não sou o medo», «não sou o que diz minha cabeça», «não sou o que diz meu corpo». Eu sou a Eternidade <> A Humildade é, enfim, aceitar que, durante este período, vocês não dominam, absolutamente, qualquer elemento de suas vidas, de seu ambiente ou da Luz, ou da sociedade, ou da Terra e do Céu, porque são esses elementos que verão a influência da Luz agir sobre eles e transformar, completamente, as circunstâncias do que vocês chamam sua vida".

    ResponderExcluir