Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

27 de fev de 2014

HILDEGARDE DE BINGEN – 23 de fevereiro de 2014

(publicada em 27 de fevereiro)



Amados filhos, eu sou HILDEGARDE DE BINGEN.
Eu sou a Estrela que porta a Virtude da Repulsão.
Eu venho para celebrar com o Canto da Alegria, com o Canto de Fogo.
Acolham as letras e as sílabas do Fogo Primordial, do Fogo Criador.
Acolham o Canto do Silêncio.

… Acolhimento do Canto do Silêncio...

A partir do Silêncio desdobra-se a Ode à Vida, a Harmonia das esferas.
Assim, acolhamos, juntos, o Canto da Alegria, os Louvores ao Eterno, as letras do Fogo Primordial que fecundam a Mãe, a Mãe Terra.

... Canto Vibral de Hildegarde...

Cantem a Vida, e ela os abraçará com o seu Canto.
Ela os fará bailar nesses louvores de Fogo ao Eterno.

Muitas graças, amados filhos.
Permaneçam alguns instantes, se quiserem, no Silêncio.

-----------------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.

(versão eletrônica do catalão, adaptada).

23 de fev de 2014

ANAEL – 23 de fevereiro de 2014





Eu sou Anael, Arcanjo.
Eu venho a vocês para abrir o espaço da Celebração.
A Celebração é reconhecer que a Liberdade sempre esteve aí, vocês tinham apenas que acolhê-la.
A Celebração é reconhecer que a Paz sempre esteve aí, e que vocês podem, a partir de agora, fazer dela sua morada.
A Celebração é reconhecer que sua natureza é o Amor e a Sabedoria.
A Celebração é reconhecer que, entre o Um e vocês, nada há que não o Um, que os coloca, assim, na Unidade.
A Unidade, reconhecimento do Um pelo Um, que sempre esteve aí e que não para de ser celebrada.

Celebração, ainda, do reconhecimento de que o outro nada é que não o Um.
Reconhecer, igualmente, que, entre vocês e nós, vocês pensavam que havia uma distância, mas que, em definitivo, nada há.
Nós somos vocês, como vocês são nós, não no corpo de carne, não em qualquer manifestação, mas o que vocês são por essência, nós o somos.

Então, a Celebração convida-nos a acolher o Um.
Tanto nesse mundo como no Céu há apenas Um, que nós somos.
A Celebração é enterrar o que jamais foi Verdade, e que vocês podem verificar por si mesmos.
É enterrar com as consequências da crença de viver isolado, separado.
Porque, como o Um poderia ser separado do Um?

O Um reencontrado, Celebração da Unidade, Celebração da Paz, porque não há que se assegurar, não há mais guerra a fazer.
Isso vocês veem, essa é sua Verdade.

Então, tudo é leve, tudo é Humildade porque, como o Um poderia ver-se maior do que o Um?
Tudo é Simplicidade, porque o Um não pode complicar-se a Vida.
Tudo é Transparência, porque o Um reconhece-se no jogo dos espelhos, no Jogo da Criação.
Tudo é Infância, porque o Um maravilha-se do Um.
Ele acolhe todos esses espelhos com Alegria, admiração e Amor.

Então, o que vocês querem esperar?
O fim de uma ilusão que jamais foi Verdade?
O que vocês querem esperar, enquanto a Verdade sempre esteve aí, esperando o fim de sua experimentação da ilusão?

O Um fez o Juramento e a Promessa de reconhecer-se.
E isso apenas pode ser Agora, porque, tão verdadeiro como o passado jamais existiu, nenhum futuro pode apresentar-se.

A Celebração coloca-se no Eterno presente, Canto de Glória, Dança da Vida.
Aí está não o que lhes é prometido, mas o que está aí, assim que o lugar é dado ao Um.
Não que ele tenha partido, mas, simplesmente, que ele brincou de esquecer-se.
Mas, qualquer que seja a máscara que vocês tenham portado, o Um sempre esteve colocado exatamente aí, atrás, a olhar brincar o esquecimento.

Cabe a vocês – e essa é sua liberdade, liberdade que sempre esteve aí – retirar a máscara ou continuar a portá-la.
Vocês querem, ainda, guerrear contra si mesmos, contra a Vida?
Ou vocês querem celebrar?
O Banquete está pronto, ele sempre esteve.
Cabe a vocês decidir.

Essa é nossa Fraternidade, Fraternidade do Um, que jamais parou.
Qualquer que seja a máscara que tenha sido usada, sempre a Fraternidade ressoou.
Então, se tal é seu desejo, nós os esperamos no Banquete da Vida.

Até já, no Amor.

---------------------------
Transmitido por Air


O.M. AÏVANHOV (Por: Sijah Sirius) – 23 de fevereiro de 2014



Caros irmãos e irmãs, eu sou O.M AÏVANHOV.
Eu volto entre vocês, neste fim de semana temática, para tentar, com vocês, reconciliar, um pouco, tudo o que foi desenvolvido nestes dias.

Então, eu convido o conclave dos Melquisedeques a comungar, agora, aqui.
Então, vamos nos banhar com o conclave dos Melquisedeques.

… Comunhão com os Melquisedeques...

O que quer que vocês façam, se não há o Amor, se não há esse calor, isso para nada serve.
Todas essas ferramentas utilizamos nestes dias são destinadas, unicamente, a aproximá-los de seu Coração Vibral, desse conhecimento interior, esse Silêncio, que foram exprimidos por Uriel e Jofiel.
Então, eu lhes digo isso para que vocês não se enganem [ndt: tradução livre de “ne preniez pas des pommes pour des bananes”], hein?

Essa coerência que nós desenvolvemos é em relação a isso.
Essa coerência quer dizer que cada coisa está em seu lugar.
Quando cada coisa está em seu lugar, tudo se banha, tudo é facilitado, a Alegria revela-se.

Assim, todas essas ferramentas que utilizamos, seja a investigação, sejam os Seres de Luz que vêm fundir-se com vocês, sejam os Satsangs, é o que vai dar-lhes a experiência a mais direta de seu Coração.
Então, isso quer dizer que essa ferramenta funciona muito bem para vocês.
Talvez, para alguns de vocês, a investigação leve-os a desconstruir, pois facilita essa vacuidade, através da desidentificação ao efêmero, enquanto que, para outros, isso nada fará, isso os fará cair, ainda mais, no mental.
Então, sejam corretos com sua experiência com todas essas ferramentas, para utilizar o que os leva, mais diretamente, ao seu Coração, nesse calor, nessa Liberdade.

Se nós insistimos que vocês não são esse corpo, nem esse mental, nem essas emoções, isso não é para negá-los, mas é para descolar o que foi colado como a única realidade, durante anos.
Há tanta identificação a essa experiência que, agora, nós insistimos, insistimos para soltar tudo isso, para que vocês se deem conta de que tudo isso é apenas a história que passa.

Então, a Liberdade é poder viver essas histórias na Leveza, na Alegria.
Porque, quando nós lhes falamos da Ilusão, não é que esse mundo não seja verdadeiro, mesmo se ele seja efêmero, é que, por ter sido cortado da Fonte, provocou essa experiência de dualidade e tudo o que foi provocado nessa dimensão, mas essa Terra é sua embarcação agora, sua raiz.
Então, essa Liberação vem liberá-los desse apego à experiência.
Não é uma negação da experiência, é para pôr cada coisa em seu lugar, com essa coerência.

Vamos tomar um pequeno banho com vibrações de Miguel, das quais eu sou portador, também...

… Banho de vibrações Micaélicas...

Quando vocês tocam o Centro, o Coração Vibral, mesmo o Coração Ascensional, que foi desenvolvido por SRI AUROBINDO, então, todas essas ferramentas que estão aí, elas se tornam, elas fazem um acompanhamento ao que se revela em vocês, ao que se desenvolve em vocês.
Será, sempre, a experiência para além de qualquer conceito ou palavra, que vai instalá-los no Fogo, nesse calor.
A partir daí, tudo é evidência, tudo é resposta, não há mais questões.
Quando vocês tiverem experimentado isso, então, não se percam, novamente, nos ensinamentos exteriores.
Permaneçam nessa Verdade experimental, Verdade.

Uma vez que esse Coração Ascensional se revele, o Amor está aí, a Alegria está aí.
Vocês podem fazer o que lhes agrade, porque tudo o que vocês fazem, colocando-se no Coração, será partilhado, de Coração a Coração, para levá-los a constatar que há um único Coração.

Eu lhes agradeço, a todos, por seu acolhimento muito suave, muito amoroso.
Instalem-se em sua Verdade, que não se exprime com palavras.
Ela é uma constatação instantânea do que é a Eternidade.
É muito evidente, é muito clara.

Então, nesses tempos tão vibrantes, tão intensos, nós os convidamos a celebrar os Reencontros, a celebrar o Abandono, Abandono que é a Doação do Pai.
Se vocês se lembram como CRISTO nomeava o Pai, Ele o nomeava ABBA.
Então, o Abandono, seu Abandono do que não existe instala, em vocês, a Graça, a Doação do Pai.

Eu os lembro, se vocês se esqueceram, de que todos os Irmãos Galácticos estão aí, toda a Família Galáctica está aqui, ao redor da Terra, dentro da Terra, em vocês.
O que vocês esperam?
Nós estamos aqui.
Então, nós temos muita paciência.

Eu lhes agradeço, a todos, por esta semana, por sua participação, por seu calor.
Eu lhes desejo boa Graça, a todos.
Eu lhes digo até breve.

-----------------------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um (em francês).


22 de fev de 2014

URIEL – 22 de fevereiro de 2014





Eu sou Uriel, Anjo da Presença, Arcanjo da Reversão.
Eu volto, como combinado, após seu dia de Silêncio.

Deixem-me começar, para vir apoiar seu Silêncio interior, para posicionar-me com vocês, no Silêncio.

[Silêncio]

Silêncio das palavras, esse é o mais fácil.
Silêncio dos pensamentos que vêm ilustrar a presença de um «eu», a presença de uma pessoa.
Nesse lugar, durante esta semana, vocês puderam constatar, os pensamentos cessam assim que não haja mais adesão à crença de uma pessoa.
Todos os outros pensamentos daí decorrem.

Silêncio das emoções que sobrevém, sem dificuldade, assim que os pensamentos tenham sido apaziguados.
Silêncio, quando vocês recebem informações que provêm dos sentidos, que os chamam para a ilusão.
Silêncio, ainda, de toda reação que os arrasta a montar estratégias nesse mundo.

Silêncio, assim que não haja mais ninguém para julgar, que não haja, tampouco, qualquer papel desempenhado.
Silêncio, enfim, quando vocês param de alimentar o buscador, para deixar lugar à Verdade.

Acolhamos, juntos, a densidade do Silêncio.

[Silêncio]

O Fogo está aí, e vem permitir-lhes dissolver os véus e permanecer no Silêncio.
Mas, se sua escolha é a de sustentar a existência ilusória do «eu», se sua escolha é a de sustentar a dualidade, então, o Fogo virá testá-los.
Isso não é um castigo, é a natureza do Fogo, que porta o Amor, que porta a Unidade, que vem, portanto, sacudir a dualidade.

No Silêncio, tudo é dissolvido, todo conceito, toda oposição.
Cabe a vocês ver onde desejam colocar-se.
Porque o Silêncio não vem procurá-los.
O Silêncio está aí, sob os seus pés, que os espera, a cada instante, que espera que vocês queiram colocar-se, que vocês queiram cessar o barulho da dualidade, para desvendar-se a vocês.

Se vocês escolhem juntar-se ao Silêncio, então, eu os convido a ter uma vigilância específica pela manhã, ao acordar.
Porque, como vocês viram, quando desse Encontro, é pela manhã, ao acordar, que desperta a pessoa, que desperta o «eu», e, com ela, o conjunto da ilusão revela-se.

Então, antes de abrir os olhos, observem se há alguém.
E, no Silêncio, no Vazio, no Nada, deixem apagar-se o pensamento que vem dizer-lhes «eu existo», «eu existo nesse corpo, desenvolvo-me nesse mundo».
Se esse pensamento não tem a oportunidade de implantar-se, então, nenhum outro seguirá.

Antes de deixar-nos, eu lhes proponho um novo banho no Silêncio.

[Silêncio]

Na imensidade do Silêncio, eu me retiro, e eu lhes digo até breve.
------------------
Transmitido por Air


OSHO – 22 de fevereiro de 2014

(publicada em 25 de fevereiro)


Eu sou aquele que vocês nomeiam OSHO, eu sou, também, cada um de vocês, eu sou a Dança e, hoje, juntamente com o irmão RÛMI, venho dançar com vocês, convidá-los à Dança, Dança da Unidade, Dança do Êxtase.

O bailarino está separado, é diferente da Dança?
Observem isso claramente.
Há alguma diferença entre o bailarino e a Dança?
Não, nenhuma.
É, precisamente, quando não resta ninguém em vocês, que a Dança converte-se em sua Dança, é quando vocês entram na Dança.

Se vocês observam esse baile que empreendemos juntos, verão que, durante muito tempo, vocês decidiram permanecer sentados.
Sentados, observando seus próprios limites, sentados, observando, talvez, a Dança que alguns decidiram bailar.
Sentados dessa maneira, vocês acreditaram conservar sua segurança, sua zona de conforto.
Porém, como bem lhes expliquei, não há qualquer segurança no efêmero, no que nasce e no que morre.
A única segurança, se se pode dizer assim, é a Dança.
Dança que vem para levá-los para além do que vocês acreditam ser, para além de todas as barreiras que os impediram de ser Um com a Dança.

A Dança engloba todos e cada um dos níveis de experiência.
Há alguma diferença quando vocês Dançam nesse corpo?
Quando dançam em outro corpo?
Quer vocês dancem nesse espaço-tempo, em outro espaço-tempo ou em qualquer espaço tempo, a Dança permanece, sempre, idêntica, portanto, essa é a Dança da Unidade, é o baile da Vida.

Ar e Fogo, Fogo e Ar acendem, em vocês, a Chama que Dança.
Dança e tome seu vôo, que não é seu, mas de toda a Vida, de toda a Criação.
Nós os convidamos à Dança da Unidade.
Dança na qual nada pode ser escondido, em que nada pode ser preservado.
Preservado de quê?
Preservado de um perigo?
De um medo?
De uma situação, qualquer que seja?
A Dança libera-os da própria prisão.

Levantem-se da cadeira!
Comecem os passos dessa Dança, bailem sem olhar para trás, sem olhar para frente.
Bailem, assim, essa coreografia se desenrola sem vocês, desenrola-se sem qualquer esforço.
O único esforço será o de resistir à Dança, então sim, a resistência ocupará o espaço da Dança.
Porém, se vocês deixam esse templo preencher-se do Ar e do Fogo, sem perguntar-se como isso acontecerá, o que vocês acreditavam ser desaparecerá, e aparecerá o que sempre É, em toda dimensão de vida: a Eternidade, o Baile e a Dança de Fogo, da Alegria.

Esse Fogo e esse Ar intensificam a entrega à Dança, entreguem à Vida as pequenas maletas que vocês ainda mantêm.
A Dança os convida a abandonar, totalmente, em confiança, o seu Espírito à FONTE, para que seja o diretor da Dança da Unidade.

Nada pode restar nesse Fogo que não seja a Alegria e o Contentamento.
Nada pode restar nesse Fogo que os impeça de dançar.

Levantem-se da cadeira!
Venham dançar conosco, para que não haja mais um momento no qual a Dança seja parada, apenas houve um instante na Eternidade no qual se acreditou, pela adesão a ferramentas efêmeras dessa dimensão, que vocês não eram parte da Dança da Unidade.

Levantem-se da cadeira e dancem!

Dancem com o irmão RÛMI, que vem continuar esse convite à Dança.

Esse que lhes fala diz até breve.

------------------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.

(versão eletrônica do catalão, adaptada).

ARCANJO JOFIEL – 22 de fevereiro de 2014

(publicada em 1-3-14).

Amados Filhos do Um, eu sou o Arcanjo JOFIEL, Arcanjo da Luz Dourada e Arcanjo do Conhecimento.
Hoje, venho para acompanhá-los nesse convite ao Silêncio.
Silêncio do exterior, da projeção, que faz aparecer o verdadeiro conhecimento, o conhecimento do Coração.

... Façamos a comunhão, juntos, na Luz Dourada...

Durante milênios, a humanidade, nesta terra, por causa das forças de confinamento, viveu uma experiência exteriorizada, uma experiência que se viveu através dos sentidos.
Os sentidos físicos que vocês conhecem têm sido a única possibilidade de percepção, por causa da experiência do desvio da Luz nesse Sistema Solar.

Essa experiência, perpetuada através dos ciclos, fez com que a projeção se tornasse uma nova projeção, no si de sua era final dessa etapa tecnológica, na qual se exteriorizou tudo o que o homem não pôde encontrar no interior.

No momento do Retorno da Luz, da Verdadeira Luz do Coração, projeção após projeção vai-se recolhendo, interiorizando, em uma viagem que não vai mais à exteriorização, mas que volta a entrar na profundidade, que atravessa véu após véu.
Esse é o passo, nessa transição.

A Vida Eterna encontra-se no interior.
Ali, onde parecia que nada havia, está toda a Vida, está o Tudo e o Nada.

Toda apropriação de conhecimento exterior, quer seja um pensamento ou ensinamentos, espirituais ou de qualquer tipo que seja, todo conhecimento exterior do qual se apropriem, querendo prender-se a uma verdade externa, afasta-os do verdadeiro conhecimento, afasta-os de seu Coração Vibral.

É o mesmo com a apropriação de sua experiência no despertar da Luz.
Quando vocês se apropriam de alguma vivência, seja a vibração de alguma porta, a ativação de algum canal ou a experiência de partilhar a Luz no exterior, qualquer tentativa de apropriação, de controle de uma verdade exterior afastá-los-á, permanentemente, do conhecimento interior, do conhecimento do Coração.

Tudo o que podemos dizer-lhes, em suas palavras, vem para desmontar sua estrutura mental, sua ilusão de separação.
Porque, através de nossa presença em vibração, e a desconstrução desse conhecimento exterior, que lhes mostra a evidência de que é uma ilusão, fazem-nos entrar, então, através do Abandono, no seu Coração dos Corações, no qual o nascimento do verdadeiro conhecimento produz-se, no qual a FONTE floresce por si mesma, o que permite a cada gota percorrer seu caminho.

Nesse momento, o Silêncio instala-se, a Paz instala-se, o Êxtase instala-se.
Momento em que tudo é evidência, e a Verdade é Viva, como um Fogo que queima em seu Coração.

Talvez, vocês não consigam colocar, ali, palavras, através de seu vocabulário, e melhor assim.
Então, o conhecimento do Coração aporta a Eternidade, a capitulação de toda apropriação do conhecimento exterior da Luz, da experiência da Luz, deixa-lhes o espaço, instantaneamente, para poder Unificar, para poder revelar o que sempre esteve por trás da projeção.
Por trás de todas as telas e véus que se construíram na dualidade.

Assim, vocês chegam nus, como uma Criança que se entrega à profundidade dos braços da Vida, na qual a Verdade é a sua Presença.

Graças, irmãos, por partilhar o Silêncio e abrir seu Coração, interiorizando-se ao seu Centro.
Agradeço, também, a Presença do Arcanjo URIEL, nesse Silêncio em que se revela o Verdadeiro Conhecimento do Coração.
Conhecimento que é Evidência, que é Fogo e Paz.

Estou com vocês sempre que quiserem.
Quando seu Coração render as armas, permite, através da interiorização e do despertar da faísca de Fogo, abrir os olhos para a Verdade Viva, a Morada de Paz Suprema.

Graças, amados Filhos.

--------------------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.

(Versão eletrônica do catalão – adaptada).

RÛMÎ – 22 de fevereiro de 2014




Bem Amado, estou aí, diante de você, eu o reconheço.
Mas você, você me reconhece?

Eu o reconheci bem antes que seu corpo aparecesse nesse mundo.
Eu o reconhecerei, ainda, bem depois que todo traço desse corpo tenha desaparecido.

Mas você, você me reconhece?

Eu olho as estrelas, e eu o reconheço.
Em cada grão de areia, cada pó, Bem Amado, eu o reconheço.

Mas você, você me reconhece?

No vento, como nas folhas que se agitam, eu o reconheço.
Na gota d’água, como no oceano, eu o reconheço.

Mas você, você me reconhece?

Bem Amado, de toda a Eternidade, eu sou você, como você é eu!
Então, você me reconhece?
Pouco importa o nome do qual fui portador.
Pouco importa o nome que você usou.
Nós somos Um.
Nós somos, tanto um como o outro, o Um.
Nós não somos um pedaço dele, nós não somos um fragmento dele, nós o somos, na totalidade.

Então, Bem Amado, nessa flor, eu o reconheço.

Mas você, você me reconhece?

No Sol, como na noite, eu vejo apenas você.
Mas você, o que você vê?

Dançar a Vida, dançar a Unidade reencontrada é, primeiro, reencontrar-se.

Bem Amado, nós somos o Um.
Para além do véu, para além do barulho, isso é evidência.
Mas, aí, agora, você vê uma pessoa?
Você vê uma história desfilar?
Ou você vive o Silêncio, o Um reencontrado, que dança sua Glória?

Bem Amado, eu estou aí, diante de você.
Eu estou aí, à sua direita, como à sua esquerda.
Eu estou aí, eu o apoio.
Eu estou aí, elevando o Céu para você.
Eu estou aí, em você, como você está em mim.
Essa é a Unidade reencontrada.
Essa é a base que deixa a Dança desenrolar-se.

Então, Bem Amado, você me vê em sua morada?
Você me vê em cada um que se apresenta diante de você?
Você me vê na montanha?
Você me vê na Luz?

Bem Amado, se você procura sua Verdade, nenhuma necessidade de continuar pelo esforço, nenhuma necessidade de instalar-se nessa morada, que é aquela do buscador.
A Verdade encontra-se quando o buscador aceita, ele também, dissolver-se.
E aí aparece o que sempre esteve aí, Bem Amado: o que nós somos, tanto você como eu.
E aí, no Silêncio, quem é você?
O buscador ou aquele que se deixa tomar?

[Silêncio]

Bem amado, eu sei tudo de você.
Eu lhe ofereço tudo de mim.

Então, você me reconhece?
Em nossa Dança de Eternidade, eu não o convido, porque você sempre esteve aí.
Há apenas você, que brincou de esquecer.

Então, Bem Amado, receba o Amor do Bem Amado.
Acolha sua Dança, cante sua Glória.

Até breve, até sempre, em nossa Eternidade.
---------------
Transmitido por Air


21 de fev de 2014

URIEL – 21 de fevereiro de 2014




Eu sou Uriel, Anjo da Presença e Arcanjo da Reversão.

Eu venho, hoje, lembrá-los do Silêncio e, de certa maneira, mostrar-se a relação entre o Fogo e o Silêncio.

Quando vocês se juntam ao Espírito – alguns já puderam constatá-lo – os pensamentos desaparecem, reduzem-se, de maneira considerável, o que os leva, então, a extrair-se de toda noção de uma pessoa.
Para aqueles que resistem à vinda do Fogo, é, então, exatamente o contrário que se manifesta: mais pensamentos, mais reações, mais emoções.

Aí está porque, já há muito tempo, nós insistimos sobre a noção do Silêncio.
O Silêncio não é o Silêncio das palavras.
O Silêncio não é, unicamente, o Silêncio dos pensamentos.
O Silêncio é aquele da ilusão de ser uma pessoa.

Então, é claro, quando desaparece a ilusão de ser uma pessoa, os pensamentos desaparecem e as palavras, igualmente.
Eles continuam disponíveis como ferramentas, mas não é mais o barulho que dirige sua vida.

Compreendam, efetivamente, que é essa noção de uma pessoa que permite ao outro existir, que permite à separação implantar-se.
Se o mito de uma pessoa desaparece, então, a ilusão faz Silêncio.
Ela perdeu aquilo sobre o que é construída.

O Tempo do Fogo é, igualmente, o Tempo do Silêncio.
Eu os convido, portanto, a deixar passar o que passa, a deixar passar o que nasce e o que morre, a deixar passar todo efêmero, para que os gritos do efêmero deixem lugar ao Silêncio da Eternidade.

Então, estejam vigilantes no momento em que se revela a pessoa, no momento em que vocês deixam revelar-se a ilusão.
Uma vez colocado na Unidade, uma vez o Um reencontrado, então, tudo o que vocês veem é o Um, tudo o que veem não está, em caso algum, separado do que vocês são.

Deixar dissolver-se o tempo, deixar dissolver-se o espaço... e ver emergir o Um em meio ao Silêncio...

Aí está o que avança para vocês, aí está o que já está aí.
Numerosos são aqueles que testemunham isso.
Nenhuma necessidade de crer neles, basta-lhes vivê-lo.

Então, tomemos o tempo fora do tempo para acolher o Silêncio, ser o Silêncio, ser o Fogo, ser a Vida.

[Silêncio]

Como vocês, eu sou o Um.
Como vocês, eu me banho na Vida.

Acolhamos o que nós somos, acolhamos nosso Reconhecimento.

Então, para aqueles presentes neste lugar e para todos aqueles que, em outros lugares, desejam, igualmente, preparar-se para minha proposição, eu lhes proponho, a partir de agora e até o fim de seu dia de amanhã, portar uma atenção especial no Silêncio, Silêncio das palavras, Silêncio da adesão de ser uma pessoa, Silêncio da adesão ao tempo e ao espaço.

Eu voltarei amanhã à noite, para terminar minha intervenção, no Silêncio.

Enquanto isso, eu lhes desejo acolher o Fogo, acolher o Silêncio, e ser a Vida.

Até amanhã.

----------------
Transmitido por Air


ARCANJO MIGUEL – 21 de fevereiro de 2014



Eu sou MIGUEL, Príncipe e Regente das Milícias Celestes.
Amados trabalhadores da Luz, e Sementes de Estrelas, hoje, eu intervenho, juntamente com o Arcanjo URIEL, para acender e manter a Chama Eterna no Centro da Nova Aliança.
Meu Manto Azul, juntamente com o Manto de MARIA, vem recobri-los, inteiramente, da cabeça aos pés, o que permite sua instalação no Fogo da Vida, no Fogo da Eternidade.

Tomem alguns instantes para que me acolham em seu Centro.

... Acolhida do Arcanjo MIGUEL...

Após as intervenções que se realizaram, pelos Arcanjos, durante esses anos, agora, a nossa ação combina-se, para finalizar o que há a finalizar nessa instalação do Fogo.
Isso implica a ação conjunta do Arcanjo MIGUEL, Arcanjo URIEL e Arcanjo METATRON.

A Ação Micaélica, a Obra Micaélica toma, agora, a vertente ao nível pessoal, ou seja, o que há a resolver ao nível de cada um de vocês.
Durante esse tempo, chamem-me, pois estou totalmente disponível para fundir, em vocês, para ativar a sua frequência Micaélica.
Durante esse período, é importante que se estabeleça, permanentemente, em seu Coração do Coração.

Assim, portanto, na resolução dessas linhas de predação pessoais, venho atuar ao seu lado, em vocês, para afirmar e estabilizar o Fogo da Vida.

O Fogo do Céu aproxima-se e chega à superfície da Terra.
As manifestações de Fogo, em todos os níveis, não fazem mais do que acentuar-se e intensificar-se, no que foi nomeado, pelos grandes profetas desta Terra, como o “Batismo de Fogo”.
Fogo que se manifesta na Terra, através da ativação visível dos recentes vulcões, da explosão, cada vez mais extraordinária, do Fogo que se eleva a partir do interior da Terra.
Assim mesmo, o Fogo que desce a partir do Céu é o Fogo da Eternidade, o Fogo que vem fecundar tudo o que havia sido privado da Luz Vibral, da Liberdade e da Eternidade.

A minha presença está em cada um de vocês.
É – e como se repete a cada um – aceitar, de maneira interna, ser um recipiente desse Fogo, ser portador da Chama da Verdade.
Para isso, e nesses momentos de intensificação do Fogo em suas estruturas de terceira dimensão, venho acompanhá-los.

As manifestações interiores em vocês acentuam-se, preenchem toda a sua estrutura desse Fogo da Vida, o que provoca, talvez, manifestações muito potentes ao nível físico.
Prossigam com humildade e simplicidade, diante do que a Luz vem revelar em vocês.
Aceitem a evidência e a simplicidade desse “Batismo de Fogo”, dessa Ressurreição da Carne.

Assim, portanto, selo, em vocês, na reunificação da Nova Aliança, o Fogo da Vida e a Promessa do Pai, da FONTE.

Acolham a Espada de MIGUEL.

... Acolhida da Espada de MIGUEL...

Eu estou em vocês, para sustentar esse Fogo, para instalar a Verdade em vocês e nesse mundo, agora, e mais do que nunca, quando as últimas resistências e sombras, ao nível coletivo, veem-se encurraladas pela Verdade do Amor e do Fogo.
Eu estou em vocês para que não se desequilibrem, para manter reto o Pilar da Luz que vocês São, para que a Verdade, a Revelação da Luz leve-se a termo, da maneira mais suave e segura possível.

Assim, portanto, eu os chamarei por seu nome, e estarei ao seu lado, para completar a Obra no Branco, que prepara a cada um de vocês e ao nível da Terra para viver o que há a viver, a partir de agora, e, sobretudo, a partir do final do mês de março.

Vocês são a Verdade e o Amor, a Liberdade, de toda a Eternidade.
Isso é uma evidência, agora, para todos.
Assim, portanto, com a Eternidade Revelada, acompanhemos a Terra, acompanhemos toda a humanidade, nesse processo de Ascensão, que leva a Terra e esse Sistema Solar, de novo, à sua reconexão com os Mundos Unificados, com o Centro Galáctico e com a FONTE.

Recebam todo o Amor e todo o Fogo dos Arcanjos que têm trabalhado nesse processo, aos quais se adicionam, agora, cinco Arcanjos, completando o 7 ao 12, o que permite a implantação da Nova Dimensão.

Os véus que nos separavam estão, agora, praticamente inexistentes, o que faz com que nossos encontros sejam mais próximos do que nunca.
Estamos em vocês, permanentemente, nós estamos entre vocês, todos somos UM.

Graças, Trabalhadores da Luz e Sementes de Estrelas, deixo-lhes o Arcanjo URIEL, para prosseguir com essa intervenção.

O Fogo da Vida está, desde sempre, em seu Coração do Coração, nós celebramos, a partir da Retidão e da Profundeza dos Reencontros da Eternidade.

Graças.
------------------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.


(versão eletrônica do catalão, adaptada).

SRI AUROBINDO – 21 de fevereiro de 2014



Eu sou SRI AUROBINDO, Melquisedeque do Ar.
Recebam todo o Amor e todos os abraços do Conselho dos Melquisedeques, assim como, também, do Coletivo das Águias de Altair.

Hoje, minha intervenção desenvolver-se-á em duas partes: a primeira, falará dos processos atuais que vocês estão vivendo nesse processo de Transmutação.
Em seguida, oferecerei uma pequena meditação que trabalha os pontos que juntam seu corpo físico com o Corpo de Fogo, os pontos situados em seu peito e que se unem, agora, ativando sua Merkabah, ativando o que se nomeou o Coração Ascensional.

Tomem alguns instantes para acolher-nos mutuamente.

... Fusão com SRI AUROBINDO...

Hoje, como sabem, teremos a intervenção do Arcanjo MIGUEL.
Ele vem para acompanhar na introdução do trabalho que está sendo realizado em vocês durante este período.
A Ação Micaélica, iniciada nesta Terra através da desconstrução e da resolução das linhas de predação, chega paralelamente à finalização da Obra no Branco, para acabar de cortar, em vocês, as linhas de predação individuais.
Dessa maneira, e como lhes será explicado por MIGUEL, é agora o momento, através da Retidão, através da resolução dessas linhas de predação ao nível coletivo e ao nível individual, que mantêm a consciência identificada ao efêmero, à ilusão, é o momento, portanto, de enfrentar, através desse Fogo, o Face a Face consigo mesmos, com as linhas que, por um motivo ou outro, ainda estavam resistindo.

É necessário, nesse Face a Face, apresentar-se totalmente nu, fora de todo quadro ou referência do que faz sua história.
Observem, nesse Face a Face com o Coração, com o Amor, como a simples observação instantânea do que vocês São, aporta uma evidência.
Uma evidência que não vem do mental, mas uma evidência que vem de sua Verdade, de sua Essência.
Essa Verdade é a única referência nesses momentos de Face a Face.

Como tem sido dito, nada de externo virá para assegurar o que já é seguro, de toda a Eternidade, e essa é sua Verdade, a sua Essência Eterna de Fogo.

Assim mesmo, e devido aos processos em curso na Terra, o que havia sido nomeado de separação de duas humanidades toma, durante este período, um novo passo.
Não em qualquer separação ou divisão, mas, simplesmente, adaptando e unido os devires vibratórios de cada um.

É importante abandonar todo conceito de superioridade ou inferioridade em relação a essa separação das humanidades.
Simplesmente, estejam firmes e certos à sua Verdade, para poderem instalar-se, plenamente, em seu Trono, em sua Essência.
Ninguém mais pode dar esse passo por vocês, e assim, pedimos a vocês, a partir do Coletivo dos Melquisedeques, que definam o que há a definir em vocês, o que ainda pode restar para definir, interiormente, em vocês.

Assim, vocês permitirão à Luz atuar, e revelar sua Verdade, nesses momentos especiais e concretos de resolução de Ciclos Planetários.

Além disso, e durante essas semanas que os levam à próxima intervenção de MARIA, aproveitem da Ação Micaélica para fazer essa resolução, esse Face a Face.
Face a Face entre o efêmero e o Eterno, entre a escravidão e a liberdade.
Não há qualquer posição, agora, melhor ou pior, simplesmente, a qualidade de seu Face a Face, sua honestidade, sua clareza serão os facilitadores dessa Revelação.

Assim mesmo, a Luz pede-lhes uma total entrega e abandono.
Abandono de seu corpo, de seu mental e de seu emocional para poder realizar a Obra no plano físico.
A Obra da reunião e da reunificação da Grande Fraternidade Branca Universal nesta Terra, antes de acolher os acontecimentos finais que iniciam a Liberação deste Planeta.
Deixarei o Arcanjo MIGUEL explicar-lhes mais concretamente sua obra no momento atual.

Agora, eu lhes oferecerei esse passeio nos pontos que integram o Coração Ascensional.
Ao modo simbólico de conclusão de todos os pontos que lhes foram dados durante esses anos.

Assim, todos juntos, começaremos primeiro.

Pelo ponto de MARIA da Nova Tri-Unidade, ponto situado no chacra do Coração.
...
O ponto de MARIA une-se com o ponto de CRISTO, situado no ombro esquerdo da Nova Tri-Unidade.
...
O ponto de CRISTO une-se, horizontalmente, com o ponto de MIGUEL, situado no ombro direito da Nova Tri-Unidade.

...
O ponto de MIGUEL une-se, novamente, ao ponto de MARIA, situado em seu chacra do Coração, instalando o triângulo que forma a Nova Aliança.

...
Logo em seguida, passamos ao ponto Ki-ris-ti, entre as suas omoplatas, nas costas.
...
O ponto Ki-ris-ti une-se ao ponto de MARIA da Nova Tri-Unidade, unificando a parte de trás com a parte da frente do corpo.
...
A partir do ponto de MARIA, verticalmente, unimos ao ponto criado no Centro exato desse triângulo da Nova Tri-Unidade, acendendo e reunificando os três pontos nesse Centro, formando o tetraedro.
Acolham o Centro da Nova Tri-Unidade.

...

Finalmente, a partir do Centro da Nova Tri-Unidade, verticalmente, une-se o Centro com o ponto ER.
Ponto situado na linha horizontal que une os pontos CRISTO-MIGUEL.
Ponto de irradiação do Espírito, da Divindade.

Essa é a implantação do Coração Ascensional, de sua Merkabah individual, que se sincroniza à Merkabah Coletiva.
Lembrem-se, sempre, de que a Luz é doação, a Luz é entrega, a Luz não apropria, a Luz irradia por toda a parte.

A Água da Vida, a Árvore da Vida estão aqui na Terra.
Não fará falta qualquer experiência de morte ou qualquer experiência extraordinária para observar a Luz Branca, a Luz que dá a Vida Eterna.

Dou graças a todos vocês por seu acolhimento, por participarem nesse Canto de Graça, nessa Elevação e, também, nessa Descida do Espírito.

SRI AUROBINDO e o Coletivo dos Melquisedeques, assim como o Coletivo das Águias de Altair abraçam-nos e acolhem-nos, permanentemente, a partir de onde estamos, a partir de seu Coração, a partir de onde vocês estão nesses momentos de Revelação Planetária.

Que a Paz seja sua Morada, permanentemente.
 



--------------------
Transmitido por Sijah Sirius, do Coletivo do Um.

Imagens por "Autres Dimensions" e Pierre Diaz


(versão eletrônica do catalão, adaptada).