Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

9 de ago de 2011

PHILIPPE DE LYON – 9 de agosto de 2011


Mensagem publicada em 10 de agosto, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Meus caros Irmãos e Irmãs, eu sou Mestre Philippe de Lyon.
Vou falar-lhes, ainda uma vez, de Humildade e de Simplicidade, mas recolocando a Humildade e a Simplicidade nesse período atual, que é aberto a vocês desde alguns dias, pelo Senhor METATRON.

Eu lhes transmito, primeiramente, todas as minhas saudações, toda a minha Fraternidade.

A Humildade e a Simplicidade são, de fato, os vetores essenciais que, no período que acaba de abrir-se, vão permitir-lhes, de algum modo, pôr fim ao fogo do ego, não agindo contra o ego, mas, bem mais, agindo no Amor CRISTO e agindo, apreendendo em vocês, qual é o alcance da Humildade e da Simplicidade.

Eu ilustrarei meus propósitos (e desculpem-me se eu o faço assim, porque, para mim, não pode ser diferentemente), eu ilustrarei, portanto, esses propósitos por algumas frases que o CRISTO disse e que vão reencontrar-se, hoje, de uma atualidade gritante, eu diria, no que sua vida vai dar-lhes a viver na Dimensão em que vocês estão.

METATRON permitiu, portanto, a abertura da Porta Posterior, aquela que abre, definitivamente, a possibilidade da vinda do CRISTO, num momento em que Ele julgar adequado.

A Luz CRISTO está aí, inteiramente.
Ela deve, agora, emergir, não unicamente em cada um de vocês, mas, também, para o conjunto da Consciência humana, a totalidade de formas de consciências encarnadas sobre a Terra, humanas ou não humanas, a fim de permitir estabelecer o reino da Luz.
Certo número de mecanismos foi implementado, tanto em vocês como sobre a Terra.
Certo número de ativações ocorreu, que preparou, de algum modo, esse período.

O ego caracteriza-se por sua não humildade e sua não simplicidade.
Então, é claro, existem duas formas de ego: as que sabem, pertinentemente que pode existir inoportunos em sua plena supremacia.
Esses inoportunos são, justamente, a ausência de Humildade e a ausência de Simplicidade.
Então, esse gênero de ego vai camuflar-se por trás de uma falsa humildade, uma falsa simplicidade.

Agora, existe o que eu chamaria de aspirantes no caminho, muito mais sinceros em seu ego, que sabem, pertinentemente, que a Humildade e a Simplicidade, pelos diferentes modelos que vocês puderam observar no Oriente, no Ocidente e por toda a parte são, efetivamente, os vetores que lhes permitem aproximar-se da Verdade.

Seja como for, tanto num caso como no outro, alguns elementos foram-lhes dados (já, ontem, antes de ontem, alguns dias passados, entre os Anciões), para dar-lhes alguns elementos que lhes permitem distanciar-se, justamente, do ego, do fogo do ego.

Quando CRISTO chegar, Ele lhes repetirá o que Ele havia dito à época - e que vocês se dirão, em si mesmos - quando perguntavam a Ele por que fazia milagres tão importantes.
Ele respondia, sistematicamente: é porque Ele era o menor de vocês.

E aqueles que conheceram minha vida sabem que, em minha última encarnação, é exatamente o que eu dizia, a cada vez.

É necessário compreender, de fato, que existe, entre a consciência humana e a Consciência CRISTO, um sistema de vaso comunicante.
Esse sistema de vaso comunicante faz com que, de algum modo, se um aparece, o outro desaparece.
Os dois não podem estar presentes por demasiado tempo, de maneira concomitante.

De fato, quanto mais o CRISTO estabelece-se, quanto mais a Luz ou a Consciência da Unidade estabelece-se em vocês, mais a consciência do ego e o que se refere a esse ego vai apagar-se, de algum modo, pela majestade da Luz.

A Luz, a Unidade representa, vocês sabem, uma Graça, um estado de Alegria, um estado de Paz.
O ego vai sempre procurar reivindicar algo.

Nós todos vivemos isso: reivindicar um lugar, reivindicar um estado, reivindicar uma reação, reivindicar o que foi chamado, eu creio, uma apropriação.

Lembrem-se, também, de que não se pode lutar contra o ego, porque se se luta contra o ego, se se tenta controlar, dominar, alterar, de algum modo, suas ações, bem, sistematicamente, vai-se reforçá-lo; sistematicamente, ele vai apresentar-nos, de algum modo, uma derivação que é a mesma coisa, apresentada diferentemente.

A Humildade e a Simplicidade são, efetivamente, fazer-se muito pequeno aqui.
Obviamente, não é, absolutamente, a negação da vida, de sua vida, de sua Presença, mas é aceitar contextualizar a vida (e sua vida, sobretudo) em relação à perspectiva do Céu, em relação à perspectiva do Espírito e em relação à perspectiva do que é infinito.

O ego existe porque ele é finito e porque ele acabará, necessariamente, um dia, e ele não pode ser eterno.
Toda a astúcia da consciência separada é tentar fazer crer ao humano, permanentemente, que tudo é eterno.
Ora, nada é eterno no ego, seja através das afecções, seja através da vida, através do que reserva a vida humana na encarnação.
Todos os setores da vida mostram que nada pode ser eterno e que tudo faz apenas passar, tudo faz apenas aparecer, crescer e desaparecer, tanto as relações como todas as atividades.

Penetrar os espaços da Unidade, deixar-se fecundar pelo CRISTO é descobrir um lugar e um estado da Consciência no qual nunca mais pode haver sede, nunca mais pode haver interrogação e insatisfação.
Então, a ida para esse estado pode ser ajudada pelos vetores essenciais da Humildade e da Simplicidade.

A Humildade e a Simplicidade de que falo não é algo que se deva camuflar ou utilizar, mas, verdadeiramente, viver.

Então, viver a Humildade é o quê?
Viver a Humildade é, antes de tudo, considerar que a pessoa que se é, quando se está num corpo, é muito pequena, insignificante, em relação à Luz, ainda que sejamos portadores da vida, portadores dessa Centelha Divina que ainda não está revelada e que se revela, para muitos de vocês, desde alguns anos e que deve deslumbrar o conjunto da humanidade e despertá-la, inteiramente.

Então, enquanto ainda se tem uma ação nesse mundo, está-se, é claro, sujeito e submisso, de algum modo, à própria personalidade, algo como à sua própria história, às suas próprias alegrias, aos seus próprios eventos vividos e que deixaram marcas mais ou menos importantes, mais ou menos profundas, mais ou menos dolorosas ou mais ou menos felizes.

Para aqueles que já tiveram a chance de viver estados de Unidade, mesmo por experiência, naqueles momentos, é claro, a personalidade tende a apagar-se.
Então, o que vocês chamariam, hoje, alinhamentos, meditações,  em meu tempo, eu chamava, simplesmente, a oração do Coração, ou seja, eu entrava em meu Coração e falava ao CRISTO e era Ele quem agia através de mim, é claro.

Eu tinha perfeita consciência de que, ao mesmo tempo sendo um dos Porteiros do Céu na Terra, eu nada podia fazer sem Ele.
Vocês devem, de fato, conceber o conjunto de sua vida, o conjunto de suas ações como imperfeitas e incompletas enquanto vocês não agem, de algum modo, diretamente pela Luz e pelo que foi chamada a Inteligência da Luz em vocês.

Se a Inteligência da Luz trabalha em vocês, isso quer dizer, é claro, que vocês já tocaram algumas Portas, cruzaram algumas Portas e tocaram alguns estados da Consciência que os aproximam da Consciência da Luz Branca.
Então, naquele momento, torna-se, efetivamente, mais fácil conhecer os momentos em que o ego manifesta-se (o fogo do ego) e o momento em que esse Fogo do Coração, que os preenche, age através de vocês.

É claro, o ego é sempre complicado.
O conjunto do que ele vai edificar, elaborar, construir é sempre sujeito a interpretações, a projeções, a fatos de querer pesar, sopesar o que é bom, o que não é bom.
As ações que são postas pelo ego jamais são espontâneas e resultam, sempre, de uma experiência passada, sem exceção alguma.

A ação da Luz e a ação da Luz através de vocês fazem-se na Humildade, o que quer dizer que, de fato, a personalidade apaga-se para deixar agir a Luz e, nesse caso, nada do que pode manifestar-se a vocês pode ir em oposição à Luz, ainda que, é claro, alguns eventos possam parecer-lhes opostos à Luz.
Mas o que pode parecer-lhes oposto à Luz será, sempre e inevitavelmente, a visão do ego, que se interroga sobre um evento que não lhe parece ir ao sentido do que ele desejaria.

A Luz (e, isso, muitos disseram) sabe sempre aonde Ela deve ir.
Ela não tem, como eu diria, estados de alma.
Ela não tem interrogação.
Ela é a própria evidência.

Portanto, mesmo um evento que lhes pareça oposto à Luz, se vocês estão na Luz, ele não pode ser de outro modo.
E, a partir do instante em que vocês se fazem esse gênero de perguntas, é claro, vocês recaem, inexoravelmente, no princípio da Dualidade e na análise de uma problemática ou de um elemento que sobreveio em sua vida.
O ego é isso também.
Se há confiança na Luz, não há razão alguma para que essa confiança desapareça assim que um evento manifeste-se.

CRISTO dizia: «o pássaro preocupa-se com o que ele vai comer amanhã?».
Ele dizia também: «deixe os mortos enterrar os mortos».
Isso quer dizer que vocês não podem seguir a Luz e seguir a morte; vocês não podem seguir o que pertence à Dualidade, tudo o que está alterado, perturbado na vida e seguir a própria vida.
Vocês podem apenas estar vivos ou mortos.

O ego, lembrem-se, ainda que seja sedutor, ainda que pareça protegê-los, leva-os, inexoravelmente, para a morte, uma vez que ele mesmo deve morrer.
Enquanto CRISTO, a Luz Branca leva-os para a Vida Eterna, para a Ressurreição, para tempos da Consciência nos quais não pode mais existir a mínima sede, a mínima interrogação, a mínima pergunta.

O impulso do CRISTO é, hoje, o de favorecer esse acesso, na condição de que vocês aceitem depositar, eu diria, todas as suas bagagens, quaisquer que sejam.
Vocês podem, também, dizer-se que, a partir do instante em que um humor manifesta-se, que seja contrário à Alegria, bem, é claro, é unicamente seu ego que o manifesta e jamais o CRISTO em vocês, é impossível.

O CRISTO, nesse período específico que vocês vivem, se Ele está em vocês, não pode jamais induzir uma tristeza, o que quer que viva o corpo, fosse ele esmagado, fosse ele derrubado por uma dor.
A Alegria não pode desaparecer.
Se ela desaparece ou se ela tende a atenuar-se quer dizer, naquele momento, que o ego toma a dianteira sobre a Luz.
Isso pode parecer, efetivamente, para aquele que não vive totalmente a Unidade, algo de impossível porque, como aceitar um evento que aterroriza?
Como aceitar algo que faz mal, com a mesma Consciência?
E, no entanto, eu lhes asseguro que isso é perfeitamente possível, perfeitamente realizável e mesmo desejável no que se abre a vocês agora.

O ego vai sempre querer reagir a tudo o que vai apresentar-se.
O ego vai sempre querer pôr seu grão de sal, decidir.

Numerosos Arcanjos falaram-lhes dessa Presença, desse Abandono à Luz, dessa capitulação do ego, de algum modo.
A Humildade é, verdadeiramente, o único meio de deixar a Luz trabalhar em vocês, com cada vez mais força, cada vez mais evidência e certeza Interior.

O ego não estará, jamais, seguro.
Ele vai, sempre, colocar-se questões; ele vai, sempre, interrogar-se a si mesmo sobre as coisas, as decisões.
Ele vai, sempre, duvidar, permanentemente.

É raro que um ego esteja na mesma convicção e na mesma certeza Interior, porque, necessariamente, ele será confrontado a elementos, pelo próprio princípio da Lei de Dualidade, de ação/reação que virão, de algum modo, submetê-lo à dúvida, submetê-lo a: «é verdadeiro/não é verdadeiro».
Enquanto, quando vocês se instalam na Humildade e deixam o Fogo do Espírito invadi-los, vocês entram, verdadeiramente, no que muitos de vocês começam a experimentar, por vezes, com interrogação porque, efetivamente, o fato de encontrar-se numa espécie de vacuidade, o fato de encontrar-se numa espécie de Luz e não mais saber quem ser, o que fazer, não mais saber o que vocês faziam dois minutos antes pode parecer-lhes, efetivamente, desconcertante, ou mesmo dar-lhes medo.
E, no entanto, não há outros modos, para a Luz Branca, de instalar-se em vocês e de extraí-los, de algum modo, da Ilusão.
Apenas desse modo é que se realizará a Ascensão.

Vocês não podem manter uma identidade e viver a Ascensão.
Vocês não podem manter o que quer que seja desse mundo e viver a Ascensão.
O único modo de não mais manter o que quer que seja é ter a humildade de reconhecê-lo, é ter a humildade de vivê-lo e, sobretudo, ir para o outro termo essencial desse Fogo do Espírito, que é a simplicidade.

Em sua vida, assim que algo não seja simples, digam, efetivamente, que é sempre o ego que ali se mistura, jamais o Espírito.
O Espírito, a Luz CRISTO irão sempre para mais simplicidade e os levarão a viver a Simplicidade.
Essa confiança inabalável é a ação da própria Luz.

A partir do instante em que não seja simples (seja em vocês, em seus mecanismos de pensamento, em suas interrogações, em seu mental), assim que algo se torna complicado, vocês podem estar certos de que, naquele momento, a Simplicidade não está presente e a Luz ainda menos.

A Luz é extremamente simples.
Ela os põe em estados de Alegria, de Paz, isso lhes foi dito.
Mas, mesmo em sua vida comum, Ela vai colocá-los em estados nos quais vocês se aperceberão, vocês mesmos, como observadores, que poderão viver um evento, qualquer que seja, sem ser afetado de maneira alguma.

De fato, o CRISTO vem chamá-los; Ele vem permitir essa preparação final dessa Ascensão, dessa Ressurreição e vocês não podem ressuscitar, é claro, estando apegados ao que quer que seja desse mundo.
Isso foi dito de muito numerosos modos.

É claro, aquele que está no ego vai compreender isso como a necessidade de renunciar a todos os setores de sua vida e este, certamente, nada terá compreendido.
É exatamente o que o ego vai sugerir-lhes: fazê-los crer que, se vocês soltarem isso, aquilo ou ainda aquilo, vocês reencontrarão o CRISTO mais facilmente.

Essa Renúncia não é uma renúncia, é claro, à sua vida, uma vez que vocês devem estar plenamente vivos para viver o CRISTO.
Ser humilde e simples não é renunciar à sua própria vida, mas é renunciar aos componentes da vida que foram construídos e que impedem, justamente, de Abandonar-se, totalmente, à Luz.

Muitos de vocês viveram experiências, entre aqueles que se abriram (durante os anos passados ou ainda agora), que os levaram a soltar, que os levaram a formas de reflexão: por que o sofrimento?
Por que eu perco um cônjuge, um trabalho?
Por que tudo muda?

O porquê será sempre oriundo do ego.
Em contrapartida, a resposta virá, sempre, do Espírito.
É o momento em que, justamente, não há mais porquês.

Isso pode parecer paradoxal, mas a Luz é uma compreensão total.
Mas é uma compreensão, é o conhecimento Interior, que nada tem a ver com uma sequência lógica, tal como o ego concebe-a.
Por exemplo, se vocês têm dor em algum lugar, vocês procuram compreender (física, energética ou psicologicamente), conforme seu grau de abertura, por que vocês têm dor e por que vocês manifestam essa dor ou essa doença.
E é lógico.

O ego humano é assim feito: ele quer sempre explicar, compreender, apreender-se de uma sequência lógica.
Mas a sequência lógica, na encarnação e na dualidade, nada tem a ver com a lógica do Espírito e da Luz.

Assim, portanto, a mesma dor, a mesma doença, a mesma perturbação vivida pelo ego e vivida pelo Espírito não dá, de modo algum, o mesmo resultado.
O que é vivido no ego vai traduzir-se por uma interrogação, um mal-estar, uma perda de alegria e nós todos vivemos isso, através de uma dor, de uma perda, de uma doença.

Em contrapartida, assim que o Espírito vivifica-os, assim que o CRISTO começa a trabalhar em vocês, a primeira coisa que Ele vai dizer-lhes, ainda que não seja em palavras, é, exatamente, essa frase: «deixe os mortos enterrarem os mortos e siga-me».
Ele vai dizer-lhes, também: «os mortos não são exteriores a vocês», que esses mortos estão, também, em vocês.

É tudo o que vocês arrastam (de sua história, de seu passado) que os impede e nos impediu, a todos, de estarmos, totalmente, no instante presente.
Aí também, inúmeros Arcanjos, inúmeras Irmãs e Anciões falaram de tudo isso, através das Estrelas, dos Atalhos, dos Eixos, de tudo o que lhes foi dado viver e assimilar pela Luz em vocês.

O que eu quero dizer, hoje, é que é tempo, agora, mesmo para isso, de superar tudo isso e de entrar na Consciência pura, ou seja, verdadeiramente, nessa fé total na Luz, que vai conduzir ao que vocês são, para além de qualquer limite, para além de qualquer veleidade de ação ou de reação nesse mundo.

Eu quero falar-lhes de tudo isso, sobretudo em relação a essa época porque, é claro, os tempos que se abrem a vocês são tempos que eu qualificaria de extremamente conflituosos para a Terra e, em todo caso, para tudo o que pode resistir, opor-se à Luz Vibral, ao CRISTO.

Mas, como vocês sabem, tudo o que acontece fora, acontece, exatamente do mesmo modo, em vocês.
Nada há que vocês possam chamar de «exterior».
Como já foi dito, mesmo pelos Anjos, Arcanjos e por outros: quando a asa de uma borboleta quebra-se, é todo o Universo que treme.

Efetivamente, na Consciência Una, em CRISTO, vocês não podem permanecer insensíveis e é, aliás, uma das características um pouco paradoxais: falam-lhes de desapego, de Abandono à Luz, de Humildade, de Simplicidade, mas não lhes falam de insensibilidade.
Simplesmente, a sensibilidade do Espírito não tem mais tomada no corpo, não tem mais tomada na alma e vive-se em Consciência e, simplesmente, na Consciência, mas não mais através de um afeto de uma emoção ou do mental.

É nesse sentido que tudo o que acontece no Universo, tudo o que acontece no Sol (e, talvez, vocês já sentiram) repercute, instantaneamente, em vocês.
O que acontecerá, agora, no outro extremo do planeta, na Consciência do CRISTO: quando um ser humano sofrer, é claro, esse sofrimento está em vocês.
É além da compaixão, é além de querer sentir a dor, mas isso está em vocês, também.
Mas a diferença é que, quando a Luz CRISTO está aí, bem, esse sofrimento, essa dor (a sua, como aquela do outro extremo do planeta) é metabolizada, de algum modo, transcendida, imediatamente, pela Consciência CRISTO em vocês.

Assim, portanto, esse é um modo de viver a Unidade da Consciência, a Consciência Unificada, de aproximar-se de CRISTO, ou seja, como Ele dizia: «O que vocês fazem ao menor de vocês, é a mim que vocês o fazem».
Vocês poderão dizer, também, essa frase: «O que é feito ao menor de vocês, é a você mesmo que é feito».
E, no entanto, não há, nessa frase, qualquer veleidade, qualquer vontade de julgamento, de condenação do que quer que seja porque, naquele momento, o que é julgado como exterior, o que é condenado, é também condenado em vocês.
Não é um jogo de palavras, é a realidade Vibratória do Espírito, da Lei de Um, da Graça.

Então, é claro, enquanto não há humildade, simplicidade, ou vocês estão indiferentes, ou vocês estão insensíveis, ou estão na distância fragmentada, como diria o Irmão K.
E o que é fragmentado, é claro, não se comunica em seus diferentes fragmentos.

A Unificação da Consciência, o retorno do CRISTO chama-os a expandir sua Consciência até os confins dos Universos, a fim de não mais estar separada.
E, para isso, é necessário respeitar a Humildade e a Simplicidade, porque, se vocês querem apropriar-se da Luz, se vocês querem manifestar qualquer veleidade de posse dessa Luz (e não ser a Luz, mas possuir a Luz), naquele momento, vocês entrarão, imediatamente, na Dualidade.

Isso vai necessitar, ainda uma vez, de um aprendizado, mas extremamente rápido porque, agora, vocês podem observar-se a si mesmos.
Observar-se, não para desidentificar-se pelo ego, mas, simplesmente, porque a Consciência da Unidade está presente (em parte, pequena ou grande, em vocês) e é essa parte que lhes permite, justamente, observar como se desenrola sua própria Consciência.

Assim, portanto, vocês poderão reajustar-se, com mais ou menos felicidade, nos primeiros tempos.
Esse reajuste será tanto mais fácil se vocês guardam no Espírito essa Humildade e essa Simplicidade, já, de dizer-se que, o que quer que lhes aconteça, não é sua culpa nem a culpa do outro; que, se vocês aceitam a Unidade e vivem a Unidade, o que acontece tem sempre um sentido e uma função: é de permitir-lhes ir para mais Simplicidade e para mais Humildade.

A partir desse princípio, nada há a condenar, nem em vocês nem no exterior; nada há a julgar; não há qualquer infâmia a manifestar, qualquer emoção e qualquer atividade mental.
Se vocês resistem, de algum modo, em Consciência, vocês se aperceberão, então que, muito rapidamente, vocês penetrarão outros estados de sua consciência nos quais a Paz vai poder instalar-se, nos quais vocês poderão manter-se em seus quatro Pilares, como foi dito, e poderão, sobretudo, escapar do que o bem amado João disse, ou seja, desse Choque da Humanidade, que é agora chegado.

É claro, o ser humano sempre teve tendência (e isso lhes foi dito), em sua vida, a precaver-se.
Precaver-se de tudo, vigiar para antecipar muitas coisas, seja para a nutrição, seja para o dinheiro, seja para o afetivo, seja para o amanhã.
Enquanto a Consciência CRISTO vem dizer-lhes que o amanhã não existe, que o ontem não existe.

E, é claro, é muito difícil para o ser humano (mesmo se ele o aceita intelectualmente) estabelecer-se, totalmente, fazer como o pássaro, que não se preocupa com o amanhã.
Mas, é claro, se vocês querem voar, se querem tornar-se borboleta, como diria nosso Comandante, vocês não podem continuar lagarta.

O comportamento deve mudar, irremediavelmente.
O impulso do CRISTO e o CRISTO, que vem bater à sua porta vai, agora, chamá-los para mostrar e demonstrar o que vocês realizaram: que vocês fizeram de sua vida?
Que fizeram do que vocês conhecem da Luz?
Que fizeram do que viveram da Luz?
Chamando-os, não a um julgamento, não a uma condenação nem a uma responsabilidade, mas, efetivamente, um domínio, em seu sentido o mais nobre, do que pode a Luz em vocês, se aceitam que seja Ela quem conduza sua vida, do mesmo modo se vocês aceitam juntar-se à sua Dimensão de CRISTO.
Sua Dimensão de CRISTO, estritamente, nada tem a ver com sua condição limitada nesse mundo.

Então, a chance que vocês têm, porque é uma chance, é que, em meu tempo, era muito mais difícil.
É claro, nós éramos ajudados, do mesmo modo que vocês.
CRISTO estava aí, para alguns.
Os Anjos estavam aí e acompanhavam-me, também, em minha ação, mas eles estão aí, também, para vocês, hoje, de maneira muito mais patente.
Vocês têm a chance de sentir a presença deles; vocês têm a chance de poder ressoar com eles, como eles lhes disseram.
Nós estamos, todos, em vocês; nada é exterior.
Quando nós dizemos isso, não é uma frase que é bonita, é, verdadeiramente, a estrita verdade da Consciência Unificada.

Foi-lhes dito que o conjunto da vida é uma projeção.
Então, é claro, quando vocês têm dor, é fácil dizer que é apenas uma projeção.
Sim, isso pode ser extremamente difícil a viver enquanto vocês estão no ego.
Mas se vocês se abandonam ao CRISTO, vocês verão que, qualquer que seja o sofrimento, a doença, qualquer que seja o inconveniente da vida, isso não tem mais qualquer sentido e será transcendido pelo Amor e pelo CRISTO.

Olhem, olhem ao redor de vocês e interessem-se pela vida de algumas das Estrelas.
Eu penso, em especial, em Gemma Galgani, em Santa Theresa de Lisieux; eu penso na Irmã Yvonne Amada de Malestroit.
Olhem a vida delas.
Vocês verão que, quaisquer que fossem os elementos, os eventos que elas suportaram (e a mulher é muito mais sólida do que o homem para isso), bem, essas mulheres mantiveram a capacidade, mantiveram sua conexão ao CRISTO e viveram, qualquer que fosse o que viveu o corpo, o que viveu a personalidade, não uma fé, mas uma vivência real e uma conexão permanente à Luz Branca, ao CRISTO.

Hoje, todos vocês são chamados a tornarem-se Irmã Yvonne Amada de Malestroit; vocês todos são chamados a tornarem-se Gemma Galgani, sem exceção alguma.
Isso quer dizer que as circunstâncias da vida que se abrem a vocês agora serão extremamente perigosas, exteriormente.
E esse perigo exterior será vivido, também, em vocês.
Vocês viverão revelações finais em que a Luz irá enxotar as últimas Sombras que vocês tenham desejado esconder; irá enxotar os últimos medos que vocês não tenham ousado enfrentar.
É imperativo.

Vocês devem tornar-se totalmente transparentes e não podem tornar-se transparentes, totalmente, enquanto existirem o mínimo medo, a mínima zona de sombra, a mínima lembrança ou a mínima projeção.
Vocês devem tornar-se nus, totalmente nus.
Vocês devem tornar-se totalmente humildes, totalmente simples.

É nessa condição final que vocês viverão esse Choque da Humanidade que se revela agora, com uma serenidade e uma Alegria, a mais importante.
Paradoxalmente (e isso foi dito), é nessas zonas de turbulências que o ser humano descobre sua humanidade.
E essa zona de turbulências não lhes concerne individualmente, ela concerne, é claro, à totalidade da Terra.

Seus Irmãos e suas Irmãs, que não estiverem nessa Humildade, não estiverem nessa Simplicidade viverão, efetivamente, um fogo do ego que será extremamente importante.
Mas vocês, se vocês se estabelecem nesse Fogo do Espírito, vocês amortecerão, em vocês, esse fogo do ego e no conjunto da humanidade.

É claro, vocês compreenderam, esses dois Fogos estão em oposição, em contradição, mesmo se lhes foi dito que a consciência do ego e a Consciência do CRISTO são totalmente opostas, contraditórias, mas que elas devem, de algum modo, resolver-se juntas, solucionar-se juntas.
Do mesmo modo que o conjunto da Terra deve solucionar, junto, no mesmo banho (e sim, vocês estão, todos, no mesmo banho, a partir do instante em que vocês estão encarnados).
E o que vocês têm a viver, nesse banho, é o banho da Luz.
Esse banho de Luz, esse retorno do CRISTO, esse retorno da Luz Branca.
Se, entre vocês, vocês não querem ouvir falar de CRISTO, isso não tem qualquer importância.
É a mesma coisa que chega para todo o mundo.
E, é claro, os comportamentos que forem procedentes desse banho não são, obviamente – vocês podem imaginar – absolutamente os mesmos para aquele que é capaz de alinhar-se e para aquele que jamais, mesmo, ousou imaginar que esse tipo de coisas fosse possível.
É exatamente isso que se revela agora; é exatamente isso que permitiu ao METATRON e que vai permitir ao conjunto da Luz o que se revela agora.

Então, é claro, a Humildade, a Simplicidade serão seus guard-rails.
A ausência de reação, a capacidade para não reagir no instante vai permitir-lhes estabelecer, cada vez mais, na Eternidade do Instante presente.

Cabe a vocês fazer, disso, a experiência e compreender, por si mesmos que, quanto mais vocês estão nessa atitude de Espírito, mais isso se tornará fácil.
Mas se vocês dão, vocês mesmos, pesos a um sofrimento; se vocês dão, vocês mesmos, peso àquele que estará na reação diante de vocês, bem, vocês recairão, instantaneamente, nessa Dualidade e vocês terão apenas uma vontade: a de voltar à Unidade.
E, para isso, a rampa é a Humildade e a Simplicidade.
Isso pareceria, talvez, infantil, mas é importante que se deem os elementos porque, é claro, nos primeiros banhos de Luz total da humanidade, vocês, efetivamente, podem imaginar que aqueles que jamais viveram ou imaginaram que isso pudesse existir não vão, verdadeiramente, chamar a isso de Luz.
E, no entanto, é a Luz.

O ego chamará a isso de o terror.
O ego chamará a isso de diferentes modos, mas, certamente não, a Luz Branca, porque ele está tão no confinamento, tão no medo (uma vez que o confinamento é ligado ao medo) e aquele que manifesta, vocês compreenderam, um poder, qualquer que seja, será sempre, em definitivo, presa de seus próprios medos.
E ele projeta, portanto, esse poder ao exterior, para evitar encontrar-se confrontado ao seu medo.

É claro, algumas cabeças fortes dirão: «mesmo nada de dor, mesmo nada de medo».
Mas eu lhes asseguro que, no interior, o medo será colossal, mesmo se há uma negação porque, obviamente, a negação é um elemento importante.
Negar que aquele que está no outro extremo do planeta e que morre de fome não faz parte de você é muito fácil do alto de sua torre de marfim, cercada de dinheiro, mas isso se torna completamente outra coisa quando o CRISTO chega, creiam-me.
E o CRISTO chega.

Assim, portanto, existirá, é claro, sobre esta Terra, uma mistura de emoções, uma mistura de ondas, uma mistura de mecanismos importantes de eliminação ou de tomadas de consciência.
Tudo isso não se faz na paz para todo o mundo, mas, é claro, a conclusão será a paz para todo o mundo.

Sejam humildes, dignos e humildes.
Sejam simples, dignos e simples.
Sejam fortes na Luz.
Sejam fortes em Cristo e não em sua pequena presença.
Sejam fortes na vida e não nessa vida.
Se vocês respeitam isso, se vocês têm na memória minhas palavras e se vocês são capazes, além de seus espaços ditos de Alinhamento, de oração, de recentrar-se, naquele momento, quando vocês forem confrontados a esse gênero de coisas, vocês se aperceberão de que tudo acontecerá na Alegria.
Não é uma vã palavra.

Vocês descobrirão essa Paz, o que foi chamado Sat Chit Ananda, no Oriente, esse estado de Felicidade, de Alegria no qual, o que quer que aconteça (eu digo, efetivamente, o que quer que aconteça), vocês manterão essa Alegria e essa Consciência Unificada.

É tudo o que posso desejar-lhes.
É a melhor das coisas que pode advir à sua Consciência, manter essa Alegria, essa Unidade e não mais ser afetado pelo que quer que seja que se desenrole em seu corpo, não mais ser afetado pelo que quer que seja que se desenrole em sua cabeça ou em sua vida ou na vida do planeta, ou seja, permanecer no Coração e nessa Unidade.

A Humildade e a Simplicidade são os guard-rails, as rampas que lhes permitem manter os quatro Pilares e, sobretudo, beneficiar-se da Inteligência do CRISTO em vocês, e conduzirem-se no ser humano digno desse nome e, sobretudo, no ser de Espírito puro.

Aí está o que eu tinha a dizer-lhes.
É claro, se há em vocês questões, temos ainda um pouco de tempo antes de deixar o lugar ao Arcanjo MIGUEL, num instante.

Eu gostaria de continuar a avançar com vocês sobre o que eu lhes falei.
Enquanto vocês estão identificados a uma dor, enquanto estão identificados a uma emoção, enquanto estão identificados a um pensamento, vocês não estão no CRISTO, porque, se vocês estão no CRISTO, então, naquele momento, não há nem emoção nem pensamento nem dor.
Qualquer que seja a dor que esteja presente, qualquer que seja a emoção que esteja presente, qualquer que seja o pensamento que esteja presente, vocês tomam consciência e vivem que vocês nada são de tudo isso.
Essa não é uma visão do Espírito, não é uma ilusão, mas é, verdadeiramente, o que vocês são chamados a viver, em CRISTO.

E é agora.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Então, meus Irmãos e minhas Irmãs, como Melquisedeque da Terra, é-me dada a possibilidade de comungar com vocês, em sua carne e na Luz CRISTO.
Esse será meu modo de saudá-los e de amá-los.

Eu lhes digo, certamente, até mais tarde.

Preparemo-nos.

... Efusão Vibratória...

Eu sou Mestre Philippe e eu lhes digo, então, até mais tarde.
_______________________

Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

2 comentários:

  1. No início da MSG, são reconfirmadas as ativações e preparações, já realizadas, no sentido do Despertar da Consciência Planetária; o que demonstra a inequívoca situação jamais tão privilegiada, tal como esta em que vivemos, neste Agora. Depois, fala da excludência entre consciência humana e Consciência Cristo, onde, à medida que uma é fortalecida, a outra se reduz. Fala do quanto o ego não reconhece as suas limitações de existência, procurando sempre apropriar-se do oposto à humildade, mesmo esta sendo a única realidade que lhe caberia. Diz também, sobre o ego, que ele sempre vai se postar intrometendo-se e decidindo; negando, portanto, a rendição necessária ao Abandono à Luz. O ego se inquieta nas suas dúvidas, enquanto que a Real Consciência não se turba, mesmo imersa em todo tipo de vazio, caso lhe ocorra. Ainda são situadas inúmeras outras vivências egoicas, tais como: "Quando não existe simplicidade <> fazê-los crer que, se vocês soltarem isso, aquilo ou ainda aquilo, vocês reencontrarão o CRISTO mais facilmente <> Procurar possuir a Luz, e não ser a Luz <> Resguardar-se, sobre tudo e por tudo". Por fim, realça aspectos gerais que integrarão estes momentos vindouros, compondo o próprio mecanismo da Ascensão, quais sejam: "1 - Os tempos que se abrem a vocês são tempos que eu qualificaria de extremamente conflituosos para a Terra e, em todo caso, para tudo o que pode resistir, opor-se à Luz Vibral, ao CRISTO. 2 - Vocês viverão revelações finais em que a Luz irá enxotar as últimas Sombras que vocês tenham desejado esconder; irá enxotar os últimos medos que vocês não tenham ousado enfrentar. 3 - Sejam fortes em Cristo e não em sua pequena presença. 4 - Sejam fortes na vida e não nessa vida".

    ResponderExcluir
  2. Incrivelmente belo, como nos sentimos reforçados diante de tal leitura. Com uma convicção do'TUDO'ou "TODO" agindo em nós.Noemia

    ResponderExcluir