Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

18 de set de 2012

O.M. AÏVANHOV – 18 de setembro de 2012

Mensagem publicada em 19 de setembro, pelo site AUTRES DIMENSIONS.




Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui



(GRAVAÇÃO REALIZADA A PARTIR DO TEXTO ORIGINAL FRANCÊS, SUJEITA, PORTANTO, A CORREÇÕES QUANDO DA TRANSCRIÇÃO).





Bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los.
Eu lhes transmito todas as minhas bênçãos.
Então, eu lhes deixo a palavra, e vamos trocar juntos.

Questão: ultimamente tenho sido aterrorizada e paralisada, encontrando-me na obscuridade completa, sem poder superar essa situação nem refutá-la, por quê?

Mas o escuro, cara amiga, é o que precede a chegada no Absoluto.
O que é que tem medo?
É o ego.
É a recusa do Abandono, total, do Si.

Esses mecanismos (sejam os mecanismos nos quais vocês perdem o sentido do corpo, o próprio sentido da Luz, o próprio sentido do «Eu Sou», no momento em que nada mais há) podem acompanhar-se, efetivamente, de uma muito grande angústia.

Eu a convido, para isso, a ler o testemunho de Um Amigo (ndr: suas intervenções de 15 de maio de 2010, 19 de novembro de 2011, 02 e 18 de julho de 2012, na rubrica «mensagens a ler»), porque é exatamente o que acontece.

É no momento em que nada mais há, em que nada mais há em que se segurar, que a Luz É.
Portanto, este episódio, para você, corresponde, certamente, ao Choque da Humanidade, mas ao Choque pessoal.

É nos momentos em que nada mais há em que se segurar, em que há uma espécie de angústia existencial do ego, que se realiza o Abandono do Si.
É nesses momentos que é preciso capitular, tudo Abandonar.

Questão: mas eu era, então, incapaz de fazer o que quer que fosse.

Tanto melhor.
É sempre a personalidade que quer fazer algo, nessas circunstâncias, o «eu».
Como diria BIDI: esqueça-se.

Portanto, é naquele momento que o salto se dá.
Como vocês sabem, não é um estado, não é uma passagem, mas é preciso, de qualquer forma, tentar pôr palavras, não é?
Cada um vive sua experiência de acesso a esse Absoluto, no qual não há mais qualquer marcador, não há mais corpo, não há mais espaço, não há mais identidade, não há mais Luz em lugar algum.

É isso o Abandono do Si, para muitas pessoas.
É o que deve acontecer sobre a Terra, também, é claro.

Questão: quais são os mecanismos do Céu, de que nos falou TERESA, em 03 de setembro?

Mas os mecanismos do Céu, o Arcanjo MIGUEL, MARIA, nas duas últimas intervenções, falaram-lhes profundamente (Ndr: intervenção de MIGUEL, de 18 de agosto de 2012 e de MARIA, de 21 de agosto de 2012, na rubrica «mensagens a ler»).

O que perguntou nossa amiga, antes (ndr: pergunta anterior), é um dos mecanismos do Céu.

Então, quer vocês chamem a Noite Escura da Alma, o terror, o Abandono do Si, o Abandono à Luz, a perda de todos os marcadores, a perda de toda a vida (tal como vocês a conhecem), é isso, os mecanismos do Céu.

É tudo o que nós temos dito há anos.
É o que, já, eu havia dito nos anos 2006, bem antes das Núpcias Celestes (ndr: sua intervenção de 30 de novembro de 2006, na rubrica «mensagens a ler»), concernente aos vulcões, de que eu voltei a falar, a propósito das linhas de predação, em minhas últimas intervenções (ndr: sua intervenção de 4 de setembro de 2012, na rubrica «mensagens a ler»).

É a mesma coisa.
Eu não sei como é preciso dizer.
O planeta grelha, se você prefere.

Questão: como chegar a exprimir tanto respeito em nossas relações, como vocês mesmos, entre vocês, Arcanjos, Anciões, Estrelas?

Lembrem-se, os Arcanjos, primeiro, há a Unidade.
Isso é um fato.
E há, também, a organização de uma estrutura temporária, transitória, que se chama as Estrelas, os Anciões, o Conclave Arcangélico, o Conclave das Estrelas, o Conclave dos Anciões, em, como dizer..., uma organização Vibratória, que permite retransmitir até vocês um mínimo de coerência, não é?

Mas é evidente que, quando há um Melquisedeque de Fogo que se dirige a um Melquisedeque do Ar, isso pode reforçar o Fogo, não é?
E é lógico, é lógico, é perfeitamente normal.

Há, para equilibrar tudo isso, os Melquisedeques da Água e da Terra, que são muito mais, não centrados, isso nada quer dizer, mas cuja Vibração (mesmo como em vocês, aliás, ao nível dos Elementos) é muito mais estabilizante.

Vocês sabem muito bem que o Fogo é impetuoso, que a Terra é um Elemento mais fixo (entre aspas).
Tudo isso se encontra em nossa arquitetura de organização  (temporária, para esse trabalho).

Enquanto vocês, até prova em contrário, estavam sós em seu canto, ou conhecem alguns seres entre vocês (ou entre vocês, nas famílias), que vivem a mesma coisa.
Mas vocês têm, ainda, um elemento de personalidade, que os impedem de perceber o sentido do que vocês vivem.
E isso explica a diferença.
Vocês estão em um meio no qual tudo é resistência, no qual tudo é atrito: é a característica, mesmo, da 3D.
E é nessa resistência que vocês devem elevar suas Vibrações, elevar a Luz, acolher a Luz, tornar-se essa Luz.
Mas vocês não se tornaram, ainda, Transparentes (mesmo se as Portas da Transparência tornaram-se mais sensíveis, para vocês).
Mesmo quando vocês são, como diria BIDI, Absoluto com uma forma, resta uma forma, e essa forma é muito mais fixa do que a nossa.

Portanto, ela é, ainda, mais submissa às leis de resistência, tanto em vocês, como nas relações e nas interações entre vocês.
Porque há coisas que vocês sentem (as energias, as Vibrações), mas há, também, componentes da personalidade com algumas doses, como eu explicava, de Fogo, de Terra ou de Água.

O Fogo e a Água vão (entre aspas) não aniquilar-se, mas equilibrar-se.
Mas imaginem uma relação entre alguém que é, verdadeiramente, muito Fogo, e alguém que é muito Ar: isso vai nutrir o Fogo.
É normal.

Os Elementos são os mesmos, aqui, sobre a Terra, até o mais alto, ou seja, os Hayoth Há Kodesh (que cercam o trono da FONTE).
É preciso, efetivamente, apreender que há interações que lhes escapam, que não são ligadas às palavras que vocês dizem, que não são ligadas aos conflitos que vocês têm, mas que são, de algum modo, ligadas à ação dos Elementos no Interior de vocês.
E que não passam, necessariamente, por um aspecto totalmente consciente.
E isso vocês nada podem, ali.
É isso que dá essa aparência.

Questão: Arcanjos, Estrelas, Anciões, por que vocês escolheram exprimir-se através de um canal francófano, enquanto o francês não é a língua a mais falada no mundo?

O francês é o que vocês nomeiam a língua dos pássaros, ou seja, a pronunciação das sílabas francesas tem uma ação muito mais precisa no cérebro.
Nós já explicamos que o aspecto Vibral exprime-se através do francês, e isso é extremamente importante.

Vocês, talvez, saibam, que há pessoas que nos escutam em francês e elas vivem as Vibrações muito melhor do que quando escutam, simplesmente, uma tradução.
É normal, é perfeitamente lógico.

As zonas cerebrais ativas, as zonas dos chacras, das Coroas, do próprio Kundalini, são muito mais sensíveis ao que se chama língua Vibral, que é o «Gina Abdul» (ou seja, o sumério original), que é a língua que se aproxima mais da língua dos pássaros.

Questão: como superar o medo arquetípico da morte?

Mas isso é inscrito junto a todo ser humano, uma vez que há exercícios que lhes foram dados, justamente, para superar esse medo, porque ele é inscrito a partir do nascimento (ndr: ver a rubrica «protocolos a praticar», do site).
É o paradoxo.

Olhem, por exemplo, os seres, os Irmãos e as Irmãs, que fizeram experiências de morte iminente.
Eles saíram, como eu disse, do primeiro frasco, eles aterrissaram no segundo frasco, eles não têm mais medo de perder o primeiro frasco.

O único modo de resolver, de maneira definitiva, o medo da morte (que é inscrito nas estruturas desse corpo, desse saco, como diria BIDI), é o Absoluto, não há outro, uma vez que, mesmo vocês tiveram testemunhos: falou-se de UM AMIGO, há pouco, mas há IRMÃO K (ndr: suas intervenções de 12 e 15 de setembro de 2011, de 5 de novembro de 2011, de 10 de abril de 2012, na rubrica «mensagens a ler»).
Há as Estrelas que lhes falaram disso.

É nos momentos em que esse medo da morte torna-se terrível, que eles descobrem o Si ou o Absoluto.
Portanto, isso faz parte de estruturas, isso faz parte do que vocês têm a enfrentar.
A cada morte nós enfrentamos isso, todos.

Mas, da qualidade de que nós temos consciência e de que nós temos a vivência Real, ou do segundo frasco (e, ainda, isso não basta para enfrentar a morte), ou do Absoluto (ou seja, do que há por trás do segundo frasco), o medo da morte está sempre aí.

Todas as preparações que têm sido efetuadas, ao nível Vibratório, para a Unidade, para o Si, visam apenas suavizar, como foi dito por SRI, esse Choque da Humanidade (ndr: intervenção de SRI AUROBINDO, de 17 de outubro de 2010, na rubrica «mensagens a ler»).

Portanto, todo mundo tem isso.
Não há exceção, exceto aqueles que viveram, que existiam, como se diz, fora do primeiro frasco e fora do segundo frasco, ou seja, o que BIDI chama os Liberados Vivos, porque é a Verdade.

Mas todos os outros, vocês acreditam que vão desembaraçar-se, apesar de tudo o que fazem, do medo da morte, assim?
É impossível, exceto quando ele está aí.
Há, sempre, uma apreensão.
Há, sempre (apesar da Luz que vocês têm acolhido, apesar das experiências que foram vividas), esse medo da morte: ele é inscrito na própria estrutura do mental.
O mental faz tudo para evitar encontrar-se confrontado à sua própria extinção.

Tudo o que vocês realizaram, tudo o que nós realizamos com vocês é uma preparação para esta Transmutação Final.
Então, não é uma morte, mas vão dizer isso à personalidade, e vão dizer isso ao mental.
Ele não vai acreditar em vocês.

Portanto, nada mais há do que tudo o que vocês têm feito com a Vibração, com os exercícios, com a Nova Aliança, com a ativação das Coroas, com a Onda de Vida.

Apenas no caso em que a Onda de Vida percorreu completamente o corpo e o ser, não unicamente saiu desse corpo (porque é fácil), mas ele se tornou, realmente, Absoluto.
O que vocês querem, para alguém que é Absoluto, a morte desse saco, mude o que quer que seja, no que ele É?

O que não é a mesma coisa quando vocês ainda estão instalados na personalidade, que acolheu a Luz, ou seja, realizou o Si, ou ainda, talvez, a Infinita Presença, ou Última Presença, essa etapa final, possa traduzir-se por uma capacidade maior para viver, no momento em que isso vem, um esquecimento desse corpo, dessa pessoa que vocês creem ser.
Mas até o último sopro, se vocês não viveram a Onda de Vida, inteiramente, vocês estão submissos a isso.

Mas há diferentes modos de estar submisso: pode-se estar submisso com uma intensidade desmesurada e angústias terríveis, ou ali estar submisso como algo que os limpa [queima], mas não mais do que isso.

Portanto, é perfeitamente normal.
Não é por acaso que eu disse: «o que a lagarta chama a morte, a borboleta chama o nascimento».
Mas a lagarta continuará a chamar de morte até o final.
Apenas quando vocês são borboleta é que vocês sabem que a lagarta nada é, absolutamente.
Mas não antes, qualquer que seja a Luz que vocês tenham recebido, quaisquer que sejam as experiências que vocês tenham vivido.

É nesse sentido que as Núpcias Celestes e tudo o que tem sido realizado há trinta anos (desde as primeiras efusões do Espírito Santo), tiveram apenas um único objetivo, porque se há um medo que se torna demasiado importante, o que é que acontece?
Há uma retração da energia vital, da Luz Vibral, da alma e do Espírito, que os prende e que mantém o confinamento, mesmo se o confinamento da Terra não exista mais.

Portanto, é tudo isso que tem sido preparado, há quase trinta anos, agora.
E é por isso que eu lhes digo, a cada vez: agradeçam à Luz que tudo aconteça bem, ainda, de momento, para vocês, no Ocidente.
Mas há países nos quais eles não dizem isso, já, hein?
É uma preparação que vocês têm efetuado, todos.

Questão: a que correspondem bloqueios ao nível dos pulsos?

Simplesmente, os bloqueios dos tornozelos impediam-nos de partir, ou na Existência, ou ser confrontados, de maneira brutal, à Onda de Vida, porque, vocês se lembram, quando a Onda de Vida sobe, ela encontra todos os medos que estão inscritos nos dois primeiros chacras.
É normal.

Mas, uma vez que a Onda de Vida tenha chegado ao nível do Coração, ela se revela lateralmente.
Assim, tudo isso foi explicado, eu creio, por UM AMIGO, com os diferentes circuitos que se juntam aos chacras de enraizamento da Alma e do Espírito, com KI-RIS-TI, mas, também, com os braços (ndr: suas intervenções de 17 de março e 7 de maio de 2012, na rubrica «mensagens a ler»).

Aliás, há muitos, entre vocês, que constatam que nos alinhamentos, nas meditações e nas noites, acontecem coisas bizarras no braço esquerdo, como, às vezes, dores, como um entorpecimento, como se ele não respondesse mais: é a ativação do Canal Mariano que começa (já, pelos processos de Comunhão, de Fusão, de Dissolução) a trabalhar ao nível de estruturas cerebrais, do outro lado, e que vão criar, por vezes, o sentimento de paralisia mesmo.
Portanto, os pulsos, os laços nos pulsos evitam, em alguns seres, que eles sejam confrontados, demasiado cedo, a isso, ou de maneira um pouco anárquica.

Isso faz parte de processos que vocês chamaram a movimentação da estase, os três dias de trevas etc., ao nível individual (como há pouco, com a primeira questão, é a mesma coisa).

Mas aí, isso não concerne ao acesso à Existência, à saída do primeiro e do segundo frasco.
Isso concerne, simplesmente, à integridade desse corpo físico, para o que é necessário, para cada um de vocês, em relação ao seu modo de Ascensão.

Questão: eu sinto o Canal Mariano e a Coroa da Cabeça, mas não as Portas do peito.

É o mesmo processo.
Há os que sentem o Kundalini, outros que jamais o sentiram.
Há os que começam a viver a Onda de Vida, sem jamais terem percebido a Coroa Radiante do Coração.

Aí, também, isso dá (e eu não posso dar-lhes, agora) orientações sobre o seu mecanismo Ascensional.
Já se falou disso: há vários modos de ascensionar.
Com esse corpo físico, de maneira temporária, sem esse corpo físico.
E há, ainda, outros modos, mas não é ainda o momento de falar disso.

Mas isso explica porque alguns vivem o Canal Mariano, enquanto não viveram, por exemplo, a Merkabah Interdimensional, ao nível da Tri-Unidade do Coração.
Outros vivem o Kundalini, sem terem vivido a Onda de Vida.
Alguns vivem a Coroa Radiante da Cabeça, e outros nada vivem, ainda.
É perfeitamente lógico.
Isso depende, unicamente, como dizer..., de seu caminho de Ascensão.

Aí está o que eu posso dizer disso.

Questão: esse caminho de Ascensão já está fixado para cada um de nós?

Ele não é fixado, mas é traçado, pode-se dizer.

É claro, uma vez que, como eu disse, desde o ano passado, ao nível individual, tudo estava consumado.
Faltava o último elemento (que apareceu no mês de fevereiro), que era a Onda de Vida, a Liberação da Terra e sua Liberação.

Questão: poderia definir o que é Infinita Presença e o que é a Última Presença?

Seria uma perda de tempo reexplicar o que foi explicado, porque aí, isso foi amplamente explicado, seja de modo poético, por URIEL, seja por HILDEGARDE DE BINGEN, seja por IRMÃO K, por UM AMIGO, tudo isso foi explicado.

Mas, eu repito, a explicação não é a vivência.
Não é porque você terá a explicação, que isso vai reforçá-lo.
Agora, se é para situar-se, para você ver o que vive como Vibração e como Consciência.
Portanto, para a Infinita Presença, a Última Presença, eu o remeto, em prioridade, a todas as noções de Reversão e de basculamento, que foram exprimidas, de diferentes modos, por URIEL, por UM AMIGO etc., mas isso já foi dito.

É esse famoso momento no qual o Si e o que é chamado o Samadhi (os Samadhi, os mais profundos), desaparece, de repente.
Não é um limiar.
É o momento no qual se pode perceber, com a consciência, que a própria consciência desaparece.
É a experiência que foi descrita quando da primeira questão.

Mas esse processo é, também, o que foi nomeado, pela Fonte, o Juramento e a Promessa, a Lembrança do que vocês São, na Eternidade, para além desse corpo, para além desse mundo, para além de todas as suas vidas passadas aqui.
É esse momento.

E a distância que pode existir entre a consciência que vocês têm no momento em que isso acontece e sua consciência habitual, eu diria (as experiências que vocês efetuaram), e o estabelecimento no Si ou, então, no Liberado Vivo, vai colorir sua experiência de múltiplos modos.

Aquele que é Liberado Vivo é como (como vocês dizem) uma carta no correio: é uma formalidade.
Aquele que está apegado ao seu Si, isso vai ser um pouco mais difícil.

Mas aquele que nada conhece (para a maioria dos seres, exceto aqueles que foram obrigados a esperar até o fim, caso contrário eles teriam partido há muito tempo), a Luz Vibral, em sua totalidade (o retorno à Eternidade), é um drama, porque é a perda da personalidade, é a perda do primeiro frasco e de segundo frasco.
Imaginem um peixe que conhece apenas seu frasco, e retira-se ele do frasco.
Ele não sabe o que é o segundo frasco.
Ele nada viveu do segundo frasco.
O que ele vai tornar-se?

É claro que ele será Liberado, mas as circunstâncias, como foi dito, da Liberação, não são as mesmas.
Conforme a intensidade das emoções, do mental, dos medos que podem apresentar-se, ele arriscaria ter um reconfinamento em um sistema fechado.
Aí, não é mais possível, vocês sabem.
Mas foi preciso que houvesse Ancoradores de Luz, Semeadores de Luz e, agora, Liberadores (porque eles mesmos são Liberados) para, de algum modo (e é uma imagem), contrabalançar, eu diria, esse famoso Choque da Humanidade.

Aquele que está no segundo frasco sofre quando vem ao primeiro frasco: é o nascimento e a queda na encarnação.
E aquele que está no primeiro frasco, quando sai para o segundo frasco, sofre, também, porque não há continuidade da consciência.

Foi preciso restabelecer essa continuidade da consciência, para o Sistema Solar, para o Planeta, para o Sistema de Controle do Mental Humano, para que não seja demasiado comprimido, novamente.
Foi necessário liberar a Terra, e foi necessário, sobre a Terra, que houvesse alguns seres Liberados.

A Liberação não é fugir desse mundo, não é fugir da vida, é ser capaz de encaixar o Choque.
E que houvesse suficientemente seres capazes de terem vivido a totalidade da Onda de Vida, para suavizar aquele que vai encontrar-se, de um dia para o outro, em seu corpo, em sua pequena pessoa, que em nada mais crê, que jamais viveu nada mais, que está em uma sociedade na qual ele consome (metrô, trabalho, sono) e, de repente, ele vai encontrar-se confrontado à Eternidade.

Mas, para essas pessoas, coloquem-se no lugar delas (exceto aqueles que esperam esse último momento, mas a grande maioria não): eles não imaginam, um segundo, porque eles estão, também, confinados, eles mesmos, no medo.
Não unicamente no Sistema Solar, mas eles se confinaram, porque esse mundo é um mundo de medo.
Eles não têm qualquer conexão à Luz.
Eles não têm qualquer conexão à Verdade.
Eles não têm qualquer experiência, nem astral, nem de Existência, e ainda menos, do Absoluto.

Como vocês querem que essas pessoas, de um dia para o outro, consigam passar, se não houvesse seres que tivessem, pacientemente, Ancorado e Semeado a Luz, se a Terra não tivesse sido Liberada, pacientemente?
Isso seria impossível.

Vão dizer ao peixe, que está no primeiro frasco que, quando seu frasco desaparecer e o segundo frasco desaparecer, ele será infinito, ele será todos os peixes possíveis, todos os mundos possíveis e todos os daphnies que lhe dão a comer possíveis?
É inconcebível.
É inimaginável.
É isso que é preciso aceitar.

Os Elementos da Terra (como Snow disse, há alguns meses), os Cavaleiros, estão soltos: vocês os veem todos os dias, sobre a Terra.
Não vocês, na França, aí onde vocês estão, mas por toda a parte, em outros lugares.

Saibam mais.
Olhem o numero de terras que estão sob as águas.
Olhem os buracos na Terra.
Olhem os vulcões.
Olhem as tempestades.
Tudo isso, eu havia dito há anos.

Mas uma coisa é saber disso, é outra coisa vivê-lo.
E aqueles que foram Liberados (desde fevereiro, ou nesse momento), são aqueles que vão permitir, justamente, aos outros, sustentar-se nesta Consciência.
É extremamente importante.

Imaginem alguém que em nada crê, que nada viveu, e há um Ser de Luz que chega e diz: «bem-vindo junto a você, você deixa tudo isso».
Vocês acreditam que isso vai acontecer bem?
E é lógico.

Alguém, cuja consciência tem medo, alguém, cuja consciência é tributária desse corpo, que não crê na Luz (e mesmo se crê, se não a viveu), alguém que está inserido em projetos para o futuro, em um mundo melhor, uma Era de Ouro, de algo que vai ser magnífico aqui, nesse plano, isso vai ser-lhe muito engraçado, não é?

Qual era o melhor modo de preparar isso?
É o que vocês conduziram, e que nós conduzimos com vocês.
Não há outro.

Não se esqueçam de que vocês estavam confinados, vocês estavam na prisão.
Mas aquele que conhece apenas a prisão, não pode imaginar que haja outra coisa.
É como o pássaro que jamais esteve fora de sua gaiola: vocês podem abrir-lhe a porta, ele não sairá, exceto os mais intrépidos.

Questão: as ondas de forma podem ser liberadoras e ser, também, confinantes?

É com ondas de forma que vocês foram confinados.
Eu falei de linhas de predação.
Eu fiz a relação entre as ondas de forma e o sistema de predação.
Eu fiz a relação entre as ondas de forma que guiam a Luz e que expulsam essas Linhas de predação.
Não são as mesmas formas.

A arquitetura dos mundos, mesmo nas Dimensões as mais elevadas (exceto o Absoluto), são ligadas a formas, ou seja, tomadas de formas, que são formas, das mais simples às mais complexas.
Algumas formas são confinantes, algumas formas são liberadoras, em escalas de tempo que nada têm a ver com a vida humana.

O hexágono é uma forma liberadora.
O círculo é uma forma confinante.
O cubo é uma forma liberadora.

Questão: eu não tinha mais desejo e, ultimamente, eles reaparecem. Por quê?

Lembre-se de que a Onda de Vida, quando encontra os dois primeiros chacras, vai despertar todos os demônios que estavam colocados sob a parede, sob o tapete e que não eram vistos.
Mas aí, eles não são unicamente vistos, eles são ativados.

Cada um encontra-se, quando a Onda de Vida chega ao nível dos dois primeiros chacras, a tudo o que é inscrito em si, em relação à morte, em relação à sexualidade.
Tudo isso é inscrito nesses dois primeiros chacras: os reflexos de sobrevida.
E segundo sua história pessoal, vocês vão reencontrar o que está nesse nível.

É por isso que, para alguns seres que viveram este Despertar, era muito importante que os Duplos (Monádicos, Crísticos, MARIA) estivessem, justamente, quando vocês tivessem transposto esses obstáculos: que isso não estivesse mais ativo.

Lembrem-se de que a predação (através do Sistema de Controle do Mental Humano, as linhas de predação) são, também, inscritos nos dois primeiros chacras.
Qualquer que seja a expressão, isso supera, amplamente, a sobrevida, a sexualidade: é tudo o que é ligado aos medos.
A predação, é claro, resulta do medo.

O que quer dizer, com isso, que quando a Onda de Vida vem despertar os dois primeiros chacras, há uma espécie de inversão.
Como houve uma inversão da alma, ao nível do Triângulo Luciferiano, como houve uma inversão da alma ao nível da Porta Visão, do mesmo modo, ao nível desses dois primeiros chacras, há uma inversão de fluxo e essa inversão de fluxo vai, efetivamente, fazer manifestar, tanto estados de Êxtase, extremamente potentes, como tudo o que não foi, inteiramente, purificado e que vai subir na cara.
E é nesse nível que pode haver alguns perigos.

É por isso, que nesse nível, para esses seres que viveram essa subida da Onda de Vida, até aí, o Canal Mariano apareceu muito rapidamente, para permitir estabilizar, de algum modo (ou com o Duplo Monádico, ou com MARIA, ou com KI-RIS-TI), para transcender, totalmente, o que estava nesse nível.
Porque nos mundos Unificados (carbonados mesmo), mesmo quando não há atividade dita sexual nem de procriação, há, de qualquer forma, um êxtase, mas o êxtase é conectado ao Coração, ele não é conectado à manifestação de qualquer poder ou de ascendência sobre quem quer que seja.

Vocês, a conexão, entre a Onda de Vida e seus chacras inferiores, estava cortada, e quando isto se destranca, pode ser extremamente violento, extremamente potente.

Questão: se o círculo é uma forma geométrica confinante, o que é, então, que se chamam os Círculos de Fogo, que vão participar de nossa Liberação?

Mas isso não é um círculo.
São hexágonos, em círculo, que geram uma energia de Fogo.

Os hexágonos são dispostos em círculos.
Eles estão em círculo, e escalonados, e eles estão em seis camadas, porque é a forma geométrica a mais adaptada à Liberação do confinamento ligado ao círculo, simplesmente.

Mas o círculo é uma forma redonda.
Quando eu falo de círculo, seria preciso que fosse um círculo uniforme de pedras.

Vocês têm outras estruturas confinantes.
Lembrem-se: nós havíamos dito que os Círculos de Fogo são hexágonos de pedras.
Vocês veem apenas a parte visível deles.
Concordam?

Os Círculos de Fogo são conectados, diretamente, ao Intraterra, mas eles não são conectados por círculos.
Disso, nós jamais falamos.

Eles são conectados por cubos.
É por isso que Autres Dimensions tem um cubo com um círculo dentro.
E a inversão vinha do círculo com o cubo no interior.

Tudo isso são movimentos geométricos e ondas de forma, como vocês dizem.
As ondas de forma atuam em espaços de tempo que são incomensuravelmente mais longos do que a vida humana, tal como vocês a conhecem.
Isso atua em milhares de anos.

A própria Terra ressoa com essas ondas de forma, com gradientes elétricos.
Há isso nas pirâmides.

Questão: o que explica as diferenças entre os caminhos ascensionais?

É múltiplo.
Isso nada tem a ver com as vidas passadas.
Estritamente, nada a ver.

Isto apenas tem a ver com a estrutura da personalidade que vocês têm, hoje, e sobretudo, a ver com suas Linhagens Estelares e sua Origem Estelar.

Questão: como superar os medos quando a Onda de Vida permanece no segundo chacra?

Esqueça-se.
Abandone o Si.
Desapareça.
Não há alternativa.

Se a Onda de Vida permanece bloqueada nos dois primeiros chacras, é que você se tem à sua pequena pessoa, portanto, naquele momento, não há qualquer meio de sair da personalidade e do Si, fora morrer para si mesma.

Enquanto você não passa a Porta Estreita, você não pode ser Liberada.
Enquanto você se tem à sua pessoa, enquanto você acredita ser uma pessoa que vive essa vida, que está casada com tal pessoa, que tem tal trabalho, que habita em tal lugar, você não pode ser Liberada.
Não é questão de exercício do que quer que seja.
Você pode fazer milhares de exercícios, isso nada mudará.

E tudo isso, eu creio que BIDI gritou-lhes de milhares de modos.

Agora, se vocês não conseguem apreender o sentido do que foi dito, isso prova, efetivamente, que vocês não estão na medida, de momento, de Abandonar o Si.
Vocês têm medo da morte.

Aliás, todos os sonhos de projeção de uma Era de Ouro, nessa Dimensão, são ligados, exclusivamente, ao medo da morte.

Lembrem-se: BIDI dizia que a personalidade acredita-se imortal.
E enquanto você adere à sua pequena pessoa, você não é Livre.
Vocês nada emanam.

A borboleta não pode levar a lagarta.
Lembrem-se disso.
Enquanto vocês creem que a lagarta vai permanecer lagarta, de algum modo, tornando-se borboleta, vocês se enganam.

É preciso aceitar olhar as coisas de frente (não no medo, porque se há medo, você vai identificar-se a ele), mas de algum modo, realmente, colocar-se essa questão: «quem são vocês? ».

Quando BIDI diz: lembrem-se de quem vocês eram antes.
O que você era antes, você não o conhece.
Enquanto você permanece no conhecido, como ele diz, você vai experimentar o medo.
É inevitável.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Então, caros amigos, eu lhes transmito todas as minhas Bênçãos, todo o meu Amor.

_______________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

3 comentários:

  1. A MSG realça sobretudo o quão excepcional foi a preparação realizada para pôr fim ao confinamento da Terra, em todos os seus níveis, mormente na consciência humana, onde o ceticismo nesta questão é de todo predominante. O desfecho desta liberação, nas condições mais favoráveis possíveis, é colocado, mais do que nunca, como que em total iminência, mesmo dentro do nosso velho conhecido tempo linear.

    ResponderExcluir
  2. Aïvanhov:

    Belíssima mensagem, 'tira-dúvidas'. Prático, sintético, bem humorado. Vale a pena ouvir de novo.
    Noemia

    ResponderExcluir
  3. 1 - É no momento em que nada mais há, em que nada mais há em que se segurar, que a Luz É. 2 - A Liberação não é fugir desse mundo, não é fugir da vida, é ser capaz de encaixar o Choque. 3 - A borboleta não pode levar a lagarta. Lembrem-se disso.

    ResponderExcluir