Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

19 de set de 2012

O.M. AÏVANHOV – 19 de setembro de 2012


Mensagem publicada em 21 de setembro, pelo site AUTRES DIMENSIONS.




Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui





(GRAVAÇÃO REALIZADA A PARTIR DO TEXTO ORIGINAL FRANCÊS, SUJEITA, PORTANTO, A CORREÇÕES QUANDO DA TRANSCRIÇÃO).





Bem, caros amigos, estou novamente com vocês.

Desta vez, eu lhes transmito todas as minhas bênçãos, mas, antes de deixar-lhes a palavra, vou transmitir-lhes um pouquinho de elementos específicos.

Eu intervenho, portanto, hoje, como Comandante da Ordem dos Melquisedeques, a fim de dar-lhes certo número de elementos.

Então, o que eu poderia dizer-lhes concerne não à lagarta, não a borboleta (porque muitas coisas foram-lhes dadas em relação a isso), mas bem mais, ao período que separa a lagarta da borboleta.
Porque em muito poucos dias, vocês vão começar (e nós sabemos, já, que há muitos entre vocês começaram a perceber, sem terem muitas explicações disso, certo número de manifestações, ao nível do seu corpo e de sua consciência.

Portanto, vou falar-lhes – como isso se chama? – da crisálida, do casulo ou, se preferem, desse estado intermediário, que corresponde, se preferem, à metamorfose, à transubstanciação do que vocês são, aqui, sobre esta Terra, do que vocês São, em Verdade, bem além e bem diferentemente do que lhes aparece sobre esta Terra.

Então, é claro, a preparação, vocês a viveram de diferentes modos.
Agora, vão começar a perceber, de maneira cada vez mais clara, para vocês, que se produz certo número de processos, nesse Templo ou nesse saco (vocês chamem como quiserem), mas que esse saco é chamado a viver algo de profundamente novo.
Mas, eu repito, algumas coisas que vou dizer, muitos de vocês começaram a perceber esses efeitos.

Então, como vocês sabem, durante anos, nós temos dito que a Consciência era Vibração.
Era completamente verdadeiro.
E depois houve BIDI, que disse que, além da Consciência, havia outra coisa.

Então, palavras (Último, Absoluto, Parabrahman) haveria uma infinidade delas, que podem apenas tentar aproximar-se e dar uma ideia do que é, realmente, porque vocês podem apenas vivê-lo.
Mas, entre o momento em que vocês vivem o Si, a Unidade a Presença, e o momento em que vocês são Absoluto (alguns já viveram isso) e, como nós temos dito, há a Liberação da Terra, há eventos coletivos que concernem à Terra, que concernem ao Céu, que concernem ao Sistema Solar e ao Cosmos inteiro.

A partir da intervenção de MIGUEL (que é muito formal), vocês constatarão impulsos novos em vocês, e isso corresponde exatamente ao que vou falar-lhes, que é a instalação temporária, eu diria, de um estado de crisálida ou de casulo, ou seja, o momento em que a lagarta para de fazer tudo o que ela estava fazendo e vai tecer seu casulo, no qual a metamorfose vai produzir-se.

É exatamente a imagem que eu posso empregar, porque corresponde, verdadeiramente, ao que vai manifestar-se, mesmo na consciência comum, a vocês.
E que vocês sejam prevenidos, e que vocês não sejam, como dizer, um pouco atordoados pelo que vai viver-se.

É claro, a primeira coisa que vocês constataram, é que os mecanismos Vibratórios, quaisquer que sejam (quer sejam as Coroas, quer seja o Supramental, o Manto Azul, o Canal Mariano, a Onda de Vida), conduzem, de qualquer forma, a fazê-los viver estados nos quais, por momentos, parecem-lhes desaparecer, ou seja, não há, ainda, o novo estado, se posso exprimir assim.
O antigo estado ainda está aí, mas há momentos, e que podem tomar diferentes aspectos para vocês (ou isso passa pelos pés, ou passa pela cabeça, ou passa por uma Comunhão, ao nível do Canal Mariano), mas o resultado é, frequentemente, o mesmo: ou seja, que não é, propriamente dito, um Samadhi, não é, propriamente dito, um Êxtase, mas é como uma espécie de desaparecimento, uma Dissolução, na qual vocês não estão, ainda, na Existência, não ainda no Absoluto sem uma forma, mas quando tudo o que é ligado à consciência, desaparece.
E, no entanto, para aqueles que o vivem, você sabem, pertinentemente, que isso nada tem a ver como um sono porque, quando vocês voltam, se se pode exprimir as coisas assim, vocês sentem, efetivamente, no interior de si, nesse corpo, em sua consciência, que há coisas que estão transformadas.

São espécie de idas e vindas que se produzem, geralmente, em seus Alinhamentos, em suas meditações e, também, no que vão propor-lhes MIGUEL e MARIA, que vão permitir-lhes amplificar, de maneira considerável, esse processo.
Vocês constataram, também, inúmeros de vocês, que o cérebro tem cada vez mais dificuldade para funcionar como vocês funcionavam antes, ou há momentos em que lhes parece que vocês observam seu próprio mental, que pedala a toda.
Mas vocês tomam consciência de que vocês não são o que se pensa e, isso, de maneira cada vez mais evidente.

Paralelamente a isso, alguns de vocês têm a sensação, por vezes, cada vez mais nítida, de observar um pouco esse mundo como se houvesse, não um desinteresse, é claro, não como uma negação desse mundo no qual vocês estão, mas mais como uma distância real, observando os seres, observando as situações, observando mesmo o que lhes dizem.
Há um sentimento, eu diria, de irrealidade.

Então, isso pode traduzir-se, depois, quando vocês voltam à personalidade, por um sentimento de impaciência, um sentimento de esperança, por vezes de dúvida, por vezes o que eu chamei à época, de delírio.
Mas tudo isso participa do mesmo processo, ou seja, da constituição da crisálida que vai permitir, se quiserem, renascer, viver a Ressurreição, no momento vindo.

Portanto, é, verdadeiramente, uma preparação extremamente intensa, é bem além das experiências que vocês puderam viver, é bem além das Comunhões, é bem além do Êxtase, da Onda de Vida, da Coroa do Coração ou da Cabeça.
É algo de inédito, e o corpo vai reagir.

Então, esse corpo vai reagir como?
O que acontece quando a lagarta imobiliza-se e volta-se para ela?
Pouco a pouco, há como uma espécie de Dissolução da lagarta.

Se isso ainda não se produziu para vocês, vocês vão perceber lugares de seu corpo que estão, geralmente, situados na periferia (ou seja, os membros, no alto e embaixo), vão pôr-se a, como dizer..., como que desaparecer, como se eles não existissem mais, como se vocês não os sentissem mais, como se eles estivessem entorpecidos e, para alguns outros, que ainda têm resistências, isso pode provocar mecanismos dolorosos em diferentes lugares, e que se produzem, sobretudo, eu repito, nos momentos de Alinhamento.

Mas vocês vão perceber, após essa data que lhes foi dada por MIGUEL (ndr: em 22 de setembro de 2012), após essa reunião que concerne a vocês todos no planeta, que vocês vão viver estados que eu qualificara, de momento, curiosos, ou seja, vocês vão, verdadeiramente, perceber que há essa distância entre a atividade do mental, a atividade das ideias, a atividade dos pensamentos, a atividade desse corpo, e o que vocês São.
Vocês vão considerar-se – a palavra não é demasiado forte – como estranhos a vocês mesmos.

Não será preciso inquietar-se, hein?
Não é uma dissociação, no sentido psiquiátrico.
Não é uma doença, tampouco, mesmo se, efetivamente, em alguns casos, o corpo possa apresentar anomalias, por vezes, importantes, ligadas, justamente, ao que pode acontecer no cérebro, primeiro.

Vocês sabem (alguns de vocês, mesmo muitos) que há, por vezes, manifestações extremamente potentes da Luz Vibral, ao nível de setores da Coroa Radiante da Cabeça, em ressonância e em relação com um dos Elementos sobre o qual há um trabalho que se faz.
Porque é um trabalho, mas não são vocês que decidem fazê-lo.

Então, vocês vão sentir, talvez, um dia, dores muito vivas, pressões muito vivas no Triângulo da Água, outro dia, no Triângulo da Terra.
Tudo isso, eu creio que as Estrelas já explicaram o que significava, em relação aos Elementos, parece-me, sobretudo SNOW, não é?
Tudo isso vai amplificar-se.

Vocês vão constatar, paralelamente à manifestação no Eixo Central (por vezes muito mais Vibrante ou muito mais presente), que partes do seu corpo tornam-se, ou hiperálgicas, ou elas desaparecem.
Elas desaparecem, verdadeiramente.
É, efetivamente, o que está acontecendo porque, quaisquer que sejam as expressões que eu tenha podido empregar há numerosos anos, o Planeta Grelha, o que é?
É a Luz Vibral, que desceu, a partir da Liberação do Sol, em quantidade cada vez mais importante, que vai tornar-se cada vez mais sensível, cada vez mais percuciente, eu diria.

Ora, a Luz Vibral dissolve a sombra, ela dissolve as resistências.
Aí, não é mais um trabalho de sua consciência, não é mais um trabalho de exercícios que vocês fazem, nem mesmo de Alinhamentos.
Isso vai cair-lhes por cima, assim, cada vez mais frequentemente.

Então, eu sei que nós havíamos chamado isso (há alguns meses e no ano passado) o Apelo da Luz, mas aí, não é mais o Apelo da Luz, hein?
É a Luz que vai empurrar.
E ela vai empurrar cada vez mais forte
Mas ela vai empurrar o quê?
Ela vai empurrar a sombra, ou seja, tudo o que é resistência e que é construído segundo o princípio de ação/reação e que concerne, é claro, a esse corpo, para além das Portas, dos Novos Corpos, das Estrelas, e para além dos Triângulos Elementares.

Eu os lembro de que a Onda de Vida ou a Coroa Radiante provoca uma lateralização, uma amplificação do processo Vibratório que, paradoxalmente, vai, ao nível periférico, não mais dar Vibrações, mas ou espécies de nevralgias ou, diretamente, vocês terão a impressão de que há uma parte do corpo que não está mais aí.
Mas não será preciso inquietar-se, é perfeitamente normal.

Então, é claro, se vocês estão em circunstâncias nas quais têm necessidade de servir-se de suas pernas ou de seus braços, isso não vai, a priori, impedi-los de fazer o que vocês estão fazendo com suas pernas e seus pés.
Geralmente, isso começará por um membro superior e, sobretudo, aí onde há o Canal Mariano (que é no alto, à esquerda, eu os lembro, e que se apoia sobre o ombro).
O Manto Azul da Graça, Vibratoriamente, também, apoia-se sobre os ombros.
E, portanto, vocês vão observar, ou pela manhã, ao acordar, ou quando vocês meditam (e, efetivamente, em alguns momentos), esse aparecimento de nevralgias em segmentos, nas extremidades, nos membros superiores.

Não é, absolutamente, inquietante.
Isso corresponde, verdadeiramente, à crisálida que está se constituindo e que dá, ao nível da consciência, por vezes, a impressão bizarra, eu posso dizer, de perguntar-lhes o que vocês fazem ali.
Não como uma rejeição do mundo, mas para observar esse mundo como um filme que se desenrola, no qual vocês não tomam mais parte porque há, justamente, essa espécie de afastamento da Dimensão dissociada na qual vocês estão.

A Luz é uma Transparência.
A Luz Vibral (a melhor imagem que eu posso tomar, para além da lagarta e da borboleta), vocês imaginam: é como se vocês estivessem em um filme e que, de repente, houvesse uma borracha da Luz que viria apagar algumas zonas.
Isso pode traduzir-se ao nível de seus olhos, aliás, pela percepção fugaz (que vai tornar-se cada vez mais tangível), de coisas que passam diante de seu campo de visão.

Então, podem ser rostos, podem ser Presenças (de repente, vocês percebem um ser que está aí, e vocês querem olhá-lo e, depois ele não está mais aí).
Então, são os amigos Vegalianos ou seres que estão em relação com suas Linhagens Estelares, com sua Origem Estelar, que vêm surpreendê-los.
Bom, é claro, isso pode dar medo, nas primeiras vezes, para aqueles que não têm o hábito disso, mas, assim que o medo volta, isso desaparece.

Portanto, isso será, em um primeiro tempo, extremamente fugaz.
Vocês se perguntam se não sonharam mesmo.
E depois vocês constatarão, também (disso MIGUEL havia falado), que os sinais do Céu vão tornar-se extremamente numerosos.
Esses sinais do Céu, são tanto meteoritos, objetos que passam no Céu, como, é claro, Embarcações, Embarcações de todas as espécies.
Vocês os verão cada vez mais.
Vocês verão, cada vez mais, fenômenos luminosos, não mais, unicamente, como Partículas Adamantinas, mas, verdadeiramente, formas, que vão estruturar-se.

Vocês podem mesmo esperar ver formas extremamente brilhantes no Céu, que representam a interpenetração de sua Dimensão dissociada (devido à ruptura das camadas isolantes), com nossas Dimensões.
Quer dizer que o que era, de algum modo, invisível e não perceptível, vai aparecer-lhes.
Então, isso pode, em um primeiro tempo, desencadear reflexos, é claro, porque tudo o que é desconhecido, e que chega assim, pode desencadear um sentimento bizarro.

Mas eu os tranquilizo, vocês se habituarão a isso muito rapidamente.
Muito rapidamente, vocês acharão isso extremamente natural.
Vocês se perguntarão mesmo (ao fim de um tempo, que é variável para cada um), como não podiam ver isso.
Essa visão não é uma visão Etérea, não é, mesmo, a Visão do Coração: isso aparecerá, diretamente, aos seus olhos de carne, porque as gamas de frequências nas quais vocês estavam confinados tornar-se-ão permeáveis.

Então, vocês terão, mesmo, a impressão, por vezes, quando constatarem que há essas Presenças (no Céu ou em sua cama ou outro lugar), que há como uma névoa de Luz, como se houvesse, realmente, névoa na qual os objetos que estavam nessa névoa, por vezes, vocês mesmos, vão desaparecer.
Mas vocês não desaparecem: simplesmente, vocês mudam de banda de frequências, e isso vai tornar-se, verdadeiramente, cada vez mais tangível.
Ao mesmo tempo, aqueles que vivem a Onda de Vida, vocês vão viver mecanismos que são a nenhum outro comparáveis, mesmo para aqueles que viveram os Êxtases da Onda de Vida, durante os primeiros tempos da Liberação da Terra.

A Onda de Vida vai tornar-se extremamente invasiva.
Vocês vão se aperceber disso, de maneira cada vez mais precisa, sobretudo, na posição deitada.
É, aliás (é, aliás, prático, porque se isso lhes acontecesse em pé, colocaria problemas), é nessa posição deitada que vocês constatarão que os mecanismos de desaparecimento de algumas partes do corpo tornar-se-ão cada vez mais importantes.

Ao mesmo tempo estando conscientes, vocês não saberão mais onde está seu braço, não saberão mais onde vocês estão, não saberão mais em qual ambiente vocês estão.
Vocês estão em seu quarto, estão deitados, tranquilamente, na natureza e, de repente, isso desaparece.
Então, tudo isso vai fazer-se em seu ritmo.
Considerem – e é a imagem que eu dou – que são frequências novas que dão a ver coisas que vocês não viam anteriormente, que dão a viver coisas que, por vezes, podem fazer parecer isso a uma doença, mas nada tem a ver.
Porque vocês verão, realmente, a Luz, e vocês verão seu braço, sua perna, sua cama, seu leito, seu companheiro, que desaparecem na Luz.

Esses mecanismos podem durar um milionésimo de segundo e para durar, em definitivo, cada vez mais longo tempo.
Portanto, tudo isso é extremamente importante.
Haverá, aliás, nesses momentos, coisas a fazer, mas eu deixarei, é claro, MARIA exprimir sobre isso, uma vez que, eu creio, que ela deve exprimir-se no momento em que MIGUEL pediu-lhes uma Comunhão intensa às 22 horas, no mesmo dia [hora francesa].
Mas MARIA, ela falará às 17 horas [hora francesa], justamente, em relação a isso.

Vocês constatarão, por si mesmos que, passado o primeiro momento de surpresa, estarão agradavelmente felizes: ou seja, ver isso e viver isso, passado o momento de surpresa, dará a vocês uma espécie de Alegria indizível no Coração, porque vocês reencontram o que vocês São, em Verdade.

Então, é claro, haverá inúmeros Irmãos e Irmãs que não viverão isso, e que não poderão compreender, até o momento em que haverá uma noção de limiar na qual aí, para eles, será o Planeta Grelha, não é?
Mas tudo isso vai desenrolar-se, passados os primeiros momentos de surpresa, em uma muito grande suavidade, e essa suavidade é ligada, justamente, a todos os trabalhos que nós efetuamos juntos, em todos esses anos, que permitem suavizar esse Planeta Grelha, em todo caso, para um número de Irmãos e de Irmãs que é, a cada dia, maior.

Então aí está o que vai acontecer.
Eu tentei descrever, tanto quanto posso, com palavras, muito exatamente, o que alguns de vocês começam a viver, mas isso vai (em seu ritmo, para cada um) tornar-se cada vez mais invasivo.
Tranquilizem-se: mesmo se há uma dor que se produza no corpo (porque há uma resistência, por exemplo, do lado do Canal Mariano, com dores nos membros), vocês constatarão, com surpresa, que a dor está aí, mas que, para vocês, não é uma dor.
É difícil de explicar com palavras, mas vocês o viverão.
Portanto, tudo isso vai reforçá-los (e, sobretudo, no que lhes dirá MARIA) para perceber, naquele momento, que os mecanismos de Dissolução serão ajudados, ao mesmo tempo, por uma das Estrelas, por um Ancião, talvez, por um Arcanjo, ou por Seres de suas próprias Linhagens Estelares.

Tudo isso é perfeitamente normal, e, aliás, a palavra «normal», uma vez passada a surpresa, como eu disse, aparecerá a vocês como muito evidente.
Mas haverá momentos, também, é claro, nos quais vocês terão uma espécie, talvez, de apreensão porque, paralelamente a esses estados maravilhosos do casulo, da crisálida, que vai instalar-se, vocês verão que, sobre o mundo não é tão rosa, não é?
Porque, é claro, quando a Luz tornar-se cada vez mais intensa, e quanto mais vocês vão aproximar-se da visibilidade do que há no Céu, quanto mais vocês vão aproximar-se do Alinhamento com Alcyone, mais isso vai tornar-se convincente e evidente.
Para vocês, mas para os outros, também.

Os Irmãos e as Irmãs que não estão prontos para viver isso, isso será, verdadeiramente, algo que pode ser terrível.
Tanto mais que as circunstâncias terminais desse mundo, é claro, como eu disse há muito tempo, são circunstâncias nas quais o vulcanismo vai tornar-se algo de terrível, nas quais os meteoritos vão tornar-se cada vez mais importantes, nas quais os movimentos da Terra vão tornar-se extremos, e nas quais, também, os movimentos do Ar vão tornar-se importantes.

São os Quatro Cavaleiros do Apocalipse que vão tornar-se cada vez mais visíveis a vocês, de tal maneira que, a um dado momento, mesmo querendo pôr a cabeça em um buraco, como um avestruz, vocês não poderão evitar ver o que está aí.
Mas lembrem-se, tudo isso é papel machê, e vocês tomarão, cada vez mais, consciência disso, progressivamente e à medida que a Luz começar essa transmutação, essa metamorfose.
Isso aparecerá a vocês, cada vez mais evidente.

Aí estão as algumas palavras que eu tinha a dizer em relação a isso.
Se vocês têm questões mais precisas em relação ao que acabo de exprimir, então, agora, eu os escuto.

Questão: como viver a crisálida uma vez que alguns a viverão e outros não?

Eles são, efetivamente, obrigados a vivê-la a um dado momento.
Todo mundo vai vivê-lo, uma vez que vocês são Liberados.

Simplesmente, através do que eu disse, eu me exprimo, sobretudo, para os Ancoradores de Luz, os Semeadores de Luz e àqueles que são os Liberados, como ele diz (ndr: BIDI), os Liberados Vivos.
Não há condição.
É sem condição e é irremediável.

Questão: vai-se para mais reagrupamentos, ou não, forçosamente?

Há pessoas que se reencontram.
Aliás, foi-lhes pedido para reencontrar-se, se possível, ao menos em dois ou em três, no dia 22, ao invés de estarem sozinhos.
Vocês sabem, as primeiras coisas novas, como essas, quando vocês estão sozinhos, isso pode parecer bizarro, não é?, para aqueles que ainda não o viveram.
Mas vocês não têm que antecipar, por uma decisão mental, dizer: «hei, eu vou a tal lugar porque é no alto», «hei, eu vou a tal lugar, porque aqui eu estarei protegido».

Lembrem-se do que dizia Cristo: «Aqueles que quiserem salvar a vida, perdê-la-ão».
Portanto, fiquem tranquilos.

O que vocês chamam reuniões, reagrupamentos, produzir-se-ão por si mesmos.
Vocês não têm que se procurar o que quer que seja.
Seria um erro.
Mas é verdade que é mais agradável ver-se desaparecer, ao mesmo tempo em que se vê desaparecer o outro.
Isso pode dar um Choque.

Imaginem que vocês estão na natureza, vocês veem uma árvore e, de repente, ela desaparece.
Ao passo que, se vocês estão acompanhados, é mais fácil, vocês não têm necessidade de beliscar-se para saber se é verdade, porque é verdade.

Questão: um Liberado pode ser levado a estar isolado, enquanto seria necessário que ele irradiasse?

Mas você pode tocar o mais de mundo possível, do outro lado do planeta, na Austrália.
Você não tem necessidade de estar presente, fisicamente, uma vez que você se torna Multidimensional.
É uma heresia dizer que vocês vão – como dizer – irradiar, assim, de próximo em próximo.
A Luz sim: vocês vão vê-la.
Mas vocês, é a multidimensionalidade que aparece, portanto, não há necessidade de presença.

Agora, nesses momentos privilegiados, como essa data que lhes foi dada, é importante.
Depois, isso nada muda.

Questão: como os animais vão viver isso?

Muito bem.
Muito mais facilmente do que vocês.

Questão: convém permanecer nas cidades?

Eu repito a frase que eu disse: «aquele que quiser salvar a vida, perdê-la-á».
As circunstâncias não têm qualquer importância.
Se a duração das tribulações, se as Núpcias Celestes não tivessem sido eficazes, obviamente que vocês teriam recebido impulsos para estarem em lugares privilegiados.
Mas não é mais o caso.
Aquele que quiser, por exemplo, partir de tal lugar para ir a outro, isso quereria dizer o quê?
Que ele espera preservar sua pequena carcaça, esse saco de alimento, é tudo.

Questão: como permanecer centrado na Luz se se está cercado de violência?

Ah, mas se você é, você mesmo, Luz, tudo o que é violento ao seu redor, desaparece.
Coloque-se, antes, a questão de você.

É demasiado fácil dizer: «Ah, bem, sim, há barulho, portanto, eu não posso estar na Luz»".
«Ah, sim, há pessoas ao redor de mim que são violentas, portanto, eu não posso estar na Luz».

Um: quem é que gera essas circunstâncias?
Dois: quem é que faz, em você, que você se sinta afetado?

Isso remete, inexoravelmente à dualidade.
Aquele que está imerso no Êxtase, no Samadhi e na Luz, um leão pode vir comê-lo, ele não se moverá.
Sobretudo, com a intensidade das Partículas Adamantinas, do Supramental e da Onda de Vida, que chega.

Questão: a partir de 22 de setembro, convém prosseguir a vida tal como era?

Isso será diferente para cada um: segundo, justamente, a dose de Luz que os penetra, que vocês São.
Mas, para nada serve antecipar o Apelo.
Não vale a pena colocar-se no leito e esperar.
Tanto mais que, lembrem-se: os Cavaleiros do Apocalipse não estão presentes, do mesmo modo, em todos os países: há países, desde esse verão, que foram marcados pelo Fogo, outros, que são marcados pela Água, outros, que são marcados pelo Ar.

O que é que acontece na França?
Nada.

Será completamente diferente, após 22 de setembro.
Não para a França, mas de uma maneira geral, segundo o lugar onde vocês estão.

E, além dos países, a um metro de distância ou a alguns metros de distância, o efeito dos Elementos não será o mesmo.

Aliás, SNOW disse-lhes isso: os Elementos nada podem contra vocês.
Aquele que está Abandonado à Luz, que está Transparente à Luz e que vive essas mudanças de frequência, os Elementos (tais como eles são percebidos, em sua ação de Dissolução) não terão qualquer efeito sobre vocês: é a Luz que os dissolve.

Questão: se uma árvore apaga-se, outra coisa aparecerá no lugar dessa árvore?

Bem, não, é apagada.
Ela fará como em um filme: ela cintila, ela desaparece, ela volta, ela volta, ela desaparece,  depois, de repente, pluf!, nada mais.
Mas isso não é para imediatamente.
Mas é iminente, de qualquer forma.

Questão: qual é a escala de tempo, a partir de 22, na qual tudo isso vai desenrolar-se?

Nós esperamos, o mais rapidamente possível.
Mas, como vocês sabem, há eventos astronômicos.
Um ciclo conclui-se, como havia dito SERETI, entre julho de 2005 e julho de 2012 (ndr: ver a rubrica «mensagens a ler», do site).

A instalação do novo ciclo (embora não seja um ciclo), a instalação da Liberação, da Liberdade, se preferem, pode fazer-se, a priori, em algumas semanas, alguns meses, mas, não mais.

Questão: pode-se, ainda agora, balançar entre as duas humanidades?

Todos aqueles que não realizaram a Última Presença ou o Absoluto.
Mas vocês o veem, efetivamente, vocês mesmos, em sua vida, entre os momentos em que vocês se Abandonam, em que Abandonam o Si, em parte, e os momentos em que vocês resistem (independentemente, mesmo, dos medos).
O que dá, por vezes, o que eu expliquei, essa espécie de agitação do mental.

Questão: por que ter sentido essa espera de tudo isso, desde a juventude?

Vocês são muitos, entre as Sementes de Estrelas, a ter essa nostalgia do que vocês São, verdadeiramente.
Muitos de vocês (que seguiram as Núpcias Celestes, eu não sei a proporção) estavam prontos para ouvir o que nós lhes dizíamos, porque vocês reencontravam, de algum modo, sua Pátria.
Mesmo se vocês levaram sua vida, se tiveram uma vida dita normal, para muitos de vocês, restava, atrás, lá no fundo (mesmo se era um pouco confuso), a nostalgia do que vocês São.

Questão: nessa divisão em duas humanidades, como se situam aqueles que não têm acesso a esse gênero de informação?

Mas nenhuma importância, a informação.
Porque há seres humanos que vivem as transformações, que jamais ouviram falar de Autres Dimensions, de energia, ou outro.

Eu não vejo a ligação que você pode fazer.
Porque, para você, a transformação é ligada à informação?
Mas a informação jamais foi uma transformação: é o Coração que decide.
Não é o acesso à informação, é o acesso ao seu Coração.

Há pessoas que têm zumbidos no ouvido esquerdo há vinte anos e que começam a compreender o que é, mesmo se eles não possam pôr palavras, se eles chamem de Nada, se eles chamem de Canal Mariano.
Mas, agora, a concretização, para essas pessoas, do que elas vivem, é uma confirmação: elas não têm necessidade da informação.
A informação não é a transformação: é preciso não confundir as duas.

Como eu dizia em minha vida encarnada: o Sol brilha para todo mundo, não é?
A Luz desce para todo mundo.
Há aqueles que a aceitam e há aqueles que a recusam.
E isso não passa, absolutamente, por uma compreensão intelectual: vocês são permeáveis à Luz, ou vocês não o são.
Vocês são Transparentes à Luz, ou vocês não o são.

Questão: enquanto não se tem a vivência, pode-se, portanto, apenas estar na crença?

Mas ninguém lhes pede para estar na crença.
Parecia-me que IRMÃO K havia falado e havia dito para jamais crer em nada.
Eu não lhes peço para crer em mim.
Se você crê em mim e você não o vive, o que isso muda pra você?
Explique-me um pouco?
Nada, absolutamente: você permanece na ilusão.

Aquele que não vive isso, para nada serve crer nisso.
Não é a crença que desencadeia os processos.
Não é porque você sabe que há esse mecanismo (que eu chamei de Planeta Grelha), que faz com que você vá vivê-lo serenamente.
Isso seria demasiado fácil.

Vocês sabem, todos, que são mortais, sobre essa Terra.
Será que, contudo, a morte acontece bem?
Bem, não, porque é apenas uma crença.
Apenas no momento em que isso acontece, é que vocês podem saber se superaram a crença.
Não antes.
Isso é uma verdade, é afirmar o óbvio, não é?
É a mesma coisa, para o que chega.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Então, caros amigos, eu lhes transmito, novamente, todas as minhas Bênçãos.

Até breve.

_______________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

3 comentários:

  1. O Aïvanhov jamais foi tão enfático e preciso na abordagem do que vem vindo. Agora fica difícil, para os ainda meio céticos (embora cientes deste conteúdo), não acreditarem que nos encontramos, mesmo, nos tempos proféticos. A MSG, em si, dedica-se, mais em detalhe, quanto à formação da nossa crisálida, onde começaremos a viver, já a partir desta próxima e última apresentação Micaélica, a mais intrigante das metamorfoses, em curto espaço de tempo (não superior a alguns meses).

    ResponderExcluir
  2. Aïvanhov:

    Tudo o que de estranho acontecer, acolher como normal. É o trabalho da Onda de Vida e do Manto Azul. Prepararmos para os 'desaparecimentos'. Vamos entrar na etapa da crisálida.
    Noemia

    ResponderExcluir
  3. 1 - Não é porque você sabe que há esse mecanismo (que eu chamei de Planeta Grelha), que faz com que você vá vivê-lo serenamente. Isso seria demasiado fácil. 2 - Vocês sabem, todos, que são mortais, sobre essa Terra. Será que, contudo, a morte acontece bem? Bem, não, porque é apenas uma crença. 3 - Apenas no momento em que isso acontece, é que vocês podem saber se superaram a crença. Não antes. 4 - Isso é uma verdade, é afirmar o óbvio, não é? É a mesma coisa, para o que chega.

    ResponderExcluir