Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

15 de out de 2012

O.M. AÏVANHOV – 15 de outubro de 2012


Mensagem publicada em 16 de outubro, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui



Bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los.
Eu lhes transmito todas as minhas bênçãos.
Então, eu os escuto.

Questão: quando fui contatado por meu Duplo, teria sido apropriado perguntar-lhe o nome, para que eu pudesse lembrá-lo?

Na sua opinião, qual é sua resposta?
É evidente, quando um Duplo, qualquer que seja, ou quando algo chega ao seu lado, é claro, o que é importante não é a identidade: são as trocas Vibratórias.
Isso, nós sempre dissemos.

Mas o que é que o leva, a posteriori, a colocar essa questão, perguntando-se se você deveria tê-lo feito?
É para ter remorsos, é isso?
Ou arrependimentos?
Mas o que passou, passou.
É para renovar, de diferentes modos, no Canal, com as diferentes Estrelas, Anciões, Arcanjos, todos os Seres que estão, agora, verdadeiramente, ao mais próximo de vocês.

Muitos de vocês – como eu havia dito e como foi enunciado – começam a perceber Presenças (ao cair da noite, quando a luz do dia sobe, à noite, nas camas), a sentir as Vibrações e as Presenças ao seu lado.
Todos não lhes dão o nome, mas será que vocês pensam em fazer as apresentações, naquele momento?
Mas o mais importante não é o sentido das convenções, das apresentações, é, verdadeiramente, o impacto Vibratório que vai produzir-se quando desses Reencontros.

Questão: é exato que seu papel como Comandante terminou?

Sim, terminou.
A partir do instante em que a Terra foi Liberada, nós damos o toque final, se querem.
Quer dizer – como havia dito MARIA e como ela o repetirá – nós nos aproximamos de sua densidade Vibratória, ao mais próximo, o que explica que vocês sejam cada vez mais numerosos a perceber-nos, a trocar, por vezes, conosco, a comunicar-se conosco.
Em todo caso, a Vibrar conosco.

Questão: até o momento final, vocês continuarão a acompanhar Autres Dimensions?
 
Enquanto os meios modernos – eu falo de seus meios, de vocês, tecnológicos – estiverem presentes, não há qualquer preocupação.
Mas, depois, vocês se comunicarão, diretamente, conosco, como o fazem, atualmente, com MARIA, com MIGUEL, com outros, quando eles estão em seu Canal, e de maneira cada vez mais direta, eu diria, cada vez mais convincente e evidente.
Mesmo se, de momento, vocês tenham, simplesmente, ou ouvido seu nome, ou distinguido a Presença Vibratória ou, mesmo, visto a Presença Vibratória.

O efeito de surpresa é tão intenso que, geralmente, vocês são apreendidos pela Luz que está aí, mas não há o sentido de uma interrogação ou a ideia – como há pouco – de perguntar quem está aí, ou de trocar, o que for.
A troca faz-se ao nível Vibratório, mas tornar-se-á cada vez mais convincente, ou seja, para vocês, não haverá mais a mínima interrogação, uma vez que vocês trocarão como se estivessem com seu marido ou sua mulher (enfim, quando vocês trocam, efetivamente, é claro, é um mau exemplo: marido e mulher).

Eu penso que, para concluir o show, vocês sabem que há MARIA.
Mas vocês terão, também, muito pouco tempo antes, uma intervenção de «apenas um adeus» de nosso querido ORIONIS, que fará essa viagem Vibratória para vocês.

Questão: segundo o preceito do CRISTO: «quando vocês forem dois reunidos em meu Nome, eu estarei entre vocês», algumas pessoas pensam em reagrupar-se, por afinidades Vibratórias.
Isso não seria mais motivado pelo medo ou a fuga?

Tudo é possível, mas tudo depende da realidade.
Quando vocês se reúnem em nome do CRISTO, vocês não se reúnem em seu nome.
É preciso, efetivamente, fazer a diferença, justamente, de reuniões ou de reagrupamentos para preservar-se de eventos, para preservar-se de Elementos, de uma reunião porque se sofre de solidão, ou de uma reunião que seja, verdadeiramente, impulsionada em nome do CRISTO: toda a diferença está aí.

E, além disso, cada Irmão, cada Irmã tem uma situação – digamos – diferente em relação a isso.
Portanto, aí, eu não posso dar coisas gerais, nem mesmo globais, porque é, verdadeiramente, uma questão estritamente pessoal e individual que vai depender, é claro, dos tipos de impulsos que vocês têm.
Mas se vocês procuram reunir-se, reagrupar-se, agrupar-se para preservar-se do que quer que seja, vocês nada compreenderam, é claro.
E as motivações, eu repito, nem sempre são claras para todo mundo.
Mas, efetivamente, como se tem dito há alguns meses, há, cada vez mais, impulsos para reencontrar-se, ainda que apenas por momentos, para aproveitar, efetivamente, da Presença desses Seres que os acompanham, ou seja, nós.

É claro que vocês apenas podem esperar entrar em Vibração conosco, do mesmo modo que nós esperamos entrar em Comunhão com vocês, cada vez mais facilmente: é isso a multidimensionalidade.
Mas prestem atenção na Clareza de seus objetivos e de suas intenções, nesse caso.
É claro, há os que têm obrigações.
As coisas serão diferentes, quando os Elementos tiverem limpado, suficientemente, tudo isso: aí, os problemas serão colocados de maneira diferente.

Questão: MARIA, em 22 de setembro, precisou que a Terra vivia seu último trimestre.
Fatores podem modificar essa data?

Será que a data da morte de um corpo humano é fixa, mesmo quando se sabe que ele vai morrer?
Será que ele vai morrer às treze horas, às treze horas e um minuto, às treze e dez, às treze e trinta ou às vinte horas?
Nós sabemos da inevitabilidade da Ascensão e da Translação Dimensional, da Humanidade e da Terra.
Isso é um fato.
Nós sabemos que esse Renascimento (porque não é uma morte, é uma Renovação), essa Renovação, esse Nascimento está próximo.

Se querem, se se toma no outro sentido: a bolsa d’água rompeu, as contrações começaram, e vocês veem isso, todos os dias, sobre a Terra.
Acontecem coisas, cada vez mais, que haviam sido enunciadas e anunciadas, claramente, pelo Apocalipse de São João, que estão extremamente presentes, sob seus olhos, atualmente.

Quaisquer que sejam as explicações, reais, que existam para não importa o quê, o mais importante é que os sinais estão, todos, aí: os sinais do parto.
Mas será que se sabe se o bebê vai nascer às onze horas ou às dezessete horas?
Tudo isso, nós dissemos: isso depende, não mais da Terra (uma vez que ela está Liberada), isso depende, não mais de vocês, isso depende, unicamente, da chegada de Hercobulus, da chegada da Onda Galáctica, dos Alinhamentos dos Planetas, dos Alinhamentos de algumas Estrelas fixas nos sinais.
Isso depende, também, de resistências representadas por essas famosas camadas isolantes, das quais eu lhes falei.

A magnetosfera foi desagregada, já, desde 2010.
Agora, é sua ionosfera que é, totalmente, tocada: ela está cada vez mais ausente.
E a heliosfera foi iniciada, ela já foi devastada, essa heliosfera.
Portanto, a última camada isolante, a mais próxima, é a ionosfera, que corresponde ao seu corpo etéreo, que estava confinado.
O que explica que, mesmo sem a Onda de Vida, há cada vez mais pessoas que têm sensações não habituais sob os pés: é o Éter da Terra que é despertado.
Isso, vocês sabem.

Agora, tudo isso está em curso, mas o parto (ou o último sopro, chamem a isso como quiserem, isso nada muda, porque é uma Ressurreição e uma Translação Dimensional), como vocês querem que se diga a data?
Tudo o que vocês têm como marcador, e tudo o que nós temos como marcador é no momento em que os Sons do Céu e da Terra serão ouvidos, de toda parte e de maneira permanente: três dias após, vocês terão o Apelo de MARIA e, três dias após, vocês terão certo número de eventos ligados à estase.
Aí está.

Então, é claro, eu disse – parece-me, há dois ou três anos – que a data, que vocês conhecem tão bem quanto nós, é essa data de 21 de dezembro de 2012.
Mas eu os lembro de que o avanço do Sistema Solar para o Centro Galáctico, a aproximação e a curva que vai fazer Hercobulus nesse Sistema Solar é uma penetração de Luz que se faz, é claro, de acordo com as resistências encontradas no caminho.
E a progressão é mais ou menos desacelerada ou facilitada, até um limiar, que é o limiar de ruptura, que é a estase.
Disso, eu já falei.

Mas, se vocês se fixam em uma data, nos dois sentidos, vocês arriscam enganar-se.
Por quê?
Porque se a data sobrevém antes, e vocês consideram que é mais tarde, será que vocês estarão, verdadeiramente, prontos naquele momento?
Por outro lado se, estritamente, nada acontece (não é possível, dado o que acontece sobre a Terra), que não haja mecanismo de nascimento – o primeiro sopro ou o último sopro – que se produza naquele dia, e se isso sobrevém no dia seguinte, o que vocês vão fazer?
Será que sua Vida e o que vocês São, são baseados em uma data ou em um tempo?

Se vocês vivem a Infinita Presença, se o Absoluto é o que vocês São, o que é que vem fazer uma data aí?
Uma vez que tudo se desenrola, verdadeiramente, agora.
Seria preciso, verdadeiramente, ser uma rã que se deixa cozinhar em sua água para não se aperceber de que a temperatura da água subiu.
E ela mais do que subiu: informem-se.

MIGUEL havia dito que havia os meteoritos: há cada vez mais deles.
Nós temos falado, ele e eu, de Linhas de Predação: elas foram rompidas, no dia em que SERETE veio, no instante preciso em que ele veio (ndr: intervenção de SERETI, de 30 de setembro de 2012).
Tudo isso é dos mecanismos de sincronia, porque são marcadores extremamente precisos.

Agora, a Translação final, a Ascensão, a estase, então, vocês vão dizer-me: «mas não se vai esperar dez anos».
Não, não serão dez anos, nem mesmo um ano, é extremamente próximo, como nós o dizemos a cada vez.
Mas o único modo de não ser tomado de surpresa é o de estar Alinhado no Instante Presente e esperar, Tranquilamente, como nós sempre temos dito, os sinais do Céu e da Terra, antes do Apelo de MARIA.
Não se pode dizer-lhes melhor.

Agora, se você espera isso para saber se deve pagar isso ou aquilo, é um muito mau cálculo.

O que eu posso dizer, também (eu termino nisso): não contem com a Translação Dimensional final do conjunto da humanidade e desse Sistema Solar para viver sua Translação.
Sua Translação é vivida pela Onda de Vida ou pelo Manto Azul da Graça, ou pelo Coração Ascensional, ou pelo Canal mariano, ou pelos Duplos: mas é isso, a Ascensão.

A partir do instante em que vocês restabelecem a comunicação e a Comunhão (com o CRISTO, com MARIA, conosco, com as Outras Dimensões), vocês são Liberados.
O que pode fazer-lhes o dia da Liberação?
Não esperem a Liberação da Terra para serem Livres, vocês arriscariam ter surpresas, não ao nível da não Liberação, mas ao nível de resistências.

Ora, procurar uma data, de maneira tão importante, é uma resistência: é entregar-se a um fenômeno coletivo para vivê-lo no mesmo momento, é afrouxar a própria Tensão para o Abandono, o que é preciso, sobretudo, não fazer.

O que é o mais importante para vocês, hoje?
A data do fim desse Sistema Solar e o Nascimento dele ou seu próprio Nascimento a vocês?
Se vocês trabalham em si e em seu Nascimento, em sua Ressurreição, nas Vibrações, nos contatos que vocês estabelecem, nas Comunhões (cada vez mais intensas), se vocês escutam o que lhes pede a Luz, mas, em momento algum, a mínima data pode tocá-los.
Mas a data, ela é agora.

Questão: poderia desenvolver sobre a compaixão?

Quando vocês são Amor, a questão da Compaixão, do carisma, da fraternidade não se coloca, absolutamente.
Porque, quando vocês despertaram as Coroas Radiantes, quando a Onda de Vida subiu ou se o Manto Azul recobriu-os, ou se as Presenças estão aí, o que isso quer dizer?
Isso quer dizer que vocês puseram fim, vocês mesmos, de algum modo, à sua própria separação e às separações múltiplas que existem nesse mundo.
Portanto, mesmo se vocês vivam apenas por experiência um estado de Fogo do Coração, um estado de Êxtase ou de Alegria, é claro que vocês estarão na Compaixão.
Mesmo se vocês tenham, ainda, aspectos pessoais que possam manifestar-se, como cóleras, emoções, mas eles são cada vez menos frequentes e a Compaixão torna-se – eu diria – seu modo de expressão natural.

Não é preciso que a compaixão – assim como a devoção ou qualquer outra coisa – seja uma disciplina que decorra de um engajamento, por exemplo, de dizer-se: «vou fazer o bem, porque sei que é o que é preciso fazer».
Então, é claro, para os místicos, isso foi um elemento motor, mas, para a maior parte de Irmãos e de Irmãs, hoje, a Compaixão decorre, diretamente, de seu estado Vibratório.

Não é uma atitude mental, não é um hábito da personalidade, mas é o que acompanha seu estado de Ser.
Portanto, a Compaixão deve manifestar-se naturalmente.
E se ela não se manifesta naturalmente, o que isso quer dizer?
Isso quer dizer que o Amor não é vivido (se vocês não experimentam essa Compaixão, mas sem atuar os salvadores).

Quando vocês veem algumas cenas, quando vocês vêm em ajuda a alguém, é preciso que isso se torne e que isso seja totalmente natural, mas não ditado por uma regra moral ou por um engajamento filosófico ou espiritual, mesmo.
Vocês tiveram muito, muito belas coisas que lhes foram ditas e que devem fazê-los diferenciar, cada vez mais fácil e claramente, o amor como projeção – ao nível humano – e o Amor Consciência, o Amor estado Vibratório, o Fogo do Coração, a Liberação (ndr: ver, notadamente, sobre esse tema, as intervenções de PHILIPPE DE LYON, de 28 de agosto de 2012, e de MA ANANDA MOYI, de 1 de outubro de 2012).
E quando vocês vivem esses estados, essas experiências (mesmo quando isso não está instalado de maneira definitiva, porque vocês oscilam), é claro, vocês se dão conta da diferença, vocês se dão conta de instantes nos quais vocês estão na compaixão, porque é algo que se exprime naturalmente, devido ao estado da Consciência, devido ao estado das Vibrações ou da ausência de Vibrações na a-consciência (como diz BIDI).

Mas é isso que vai permitir-lhes – não por decisão ou por escolha – estar na compaixão: vocês São o Amor, portanto, São a Compaixão.
Não é uma atitude de projeção, porque a compaixão projetada aproxima-se, terrivelmente, da noção daquele que se crê superior, como salvador, para ajudar, em um plano ou em outro, alguém.
É preciso que isso seja natural.
E é natural, a partir do instante em que vocês tenham vivido uma das Coroas Radiantes.
Mesmo se não seja um estado permanente.

Nem todo mundo tem essa Humildade extraordinária da Estrela TERESA (ndr: de LISIEUX) ou GEMMA (ndr: GALGANI).
Vocês têm fortes personalidades.
Essa personalidade, quando desaparece do outro lado (enquanto nós permanecemos no ambiente Terrestre, de uma maneira ou de outra, para a missão que temos, nós também, com vocês), é evidente que permanecem traços.
Mas não são traços de personalidade, é – eu diria – o componente Elementar que é o mais forte em vocês.
Se vocês são uma personalidade de Fogo, há todas as chances de que, abaixo disso, haja uma alma forjada pelo Fogo e uma Linhagem de Fogo muito mais intensa do que outros Elementos ou outras Linhagens.

A partir daquele momento, não há mais problema de compaixão ou não compaixão, de Amor ou não Amor, porque é sua natureza. É nossa natureza, de Todos.

Então, é claro, quando os elementos interagem em outras dimensões (como, por exemplo, onde nós estamos), como eu sempre disse, há um consenso Vibratório, que não decorre de um mental ou de uma ambição pessoal de algo: é a própria expressão de nossos componentes Elementares que cria essa alquimia.
E isso é uma forma de Compaixão, também.
É uma troca – se se pode empregar essa frase – na qual vocês são, ambos, ganhadores.
O que não é, geralmente, o caso na compaixão exprimida de modo, mesmo, real, nos atos, mas que vêm do intelecto.

Questão: meu ambiente fica, por vezes, preocupado com meus momentos de ausência.
Que dizer a eles?

Do ponto de vista deles, eles têm razão.
Então, como eu já disse (em outros setores que não esses momentos de ausência), como vocês querem fazer partilhar o que vocês vivem?
Nenhuma palavra, nenhuma explicação pode dar conta do que vocês vivem.

Em contrapartida, aqueles que não o vivem vão achá-los cada vez mais bizarros.
É normal, mas isso faz parte, também, desse Choque da Humanidade que acontece, não, unicamente, na escala da humanidade inteira, mas, também, em suas relações, entre aqueles Irmãos e Irmãs que dormem e aqueles que estão Despertados.

Então, é engraçado, porque aqueles que estão Despertados, eles adormecem.
Vejam vocês, para eles, eles nada compreenderam: como eles estão invertidos, eles são persuadidos de que adormecer ou estar ausente é um sinal de doença.
Mas vocês nada podem fazer.
E isso sempre lhes foi dito: instalar-se nesse estado basta para irradiar essa Luz.

Mas lembrem-se de que aqueles que ainda estão adormecidos ou em contradição violenta com a Luz Vibral, o que é que vocês querem que eles façam?
Vocês vão dizer-lhes que vocês não conseguem mais fazer isso e, várias horas por dia ou vários momentos por dia: eles vão ver vocês como uma espécie de zumbi.
Para eles, é uma doença.
Isso não pode existir, uma vez que eles estão instalados na personalidade.

Ninguém pode compreender isso.
Apenas se vocês o vivem, realmente, é que vocês sabem a que isso corresponde.
Mas, enquanto vocês não o vivem, mesmo se saibam a que isso corresponde, intelectualmente, isso não lhes concerne.

Há cada vez mais seres que vivem a descida do Espírito Santo, agora, pela ativação – isso lhes foi dito – do Canal Mariano, de algum modo, coletivo.
Há cada vez mais seres humanos, mesmo que estavam adormecidos, que começam a ter Sons nos ouvidos.
Eles não têm qualquer meio, ainda, até o Anúncio de MARIA, de fazer a ligação com o que eles vivem, como essas manifestações, novas para eles, e de fazer a ligação, por exemplo, para aqueles que seguiram tudo o que nós temos dado, e que se aperceberam de que, quando nós descrevemos processos Vibratórios, bem, eles os vivem, também, sem terem, jamais, lido nada: era a prova, e a garantia de que era um processo coletivo e Vibratório, e não um processo patológico.

Vocês podem contar tudo o que quiserem: aquele que não está pronto para ouvir, aquele que não quer ver, não verá.
Do mesmo modo que, através dos sinais do Céu e dos sinais da Terra (que estão, mas em número incalculável, sobre a Terra), aquele que não quer ver não verá.
Isso se chama o princípio da negação, porque, aceitar esses sinais, isso quer dizer o quê?
É aceitar, efetivamente, que vocês vão para um processo específico, do ponto de vista da personalidade.

Mas, vocês que Vibram, vocês sabem que isso não tem importância alguma, porque vocês são Eternos.
Mas aquele que é persuadido de existir apenas entre o nascimento e a morte, que não há reencarnação, que nada há, absoltamente, após, como vocês querem que ele enfrente, de algum modo, isso?
Não há qualquer meio intelectual para enfrentar isso.
Portanto, a única solução que encontrou a personalidade, ao nível coletivo, para não ter resposta, de algum modo, é dizer que isso não é verdade, é a negação.
Não há outra solução para a personalidade e para o cérebro.

A única solução está no Coração.
E, aliás, a estratégia de defesa dessas pessoas que nada vivem, de momento, é dizer-se: tudo isso é psicossomático e, de qualquer modo, não se pode abandonar a cabeça, porque é com a razão que se sai disso, na vida.
E elas vão empregar todas as expressões, dizendo-lhes que não têm suficientemente força de espírito, que são pessoas que estão desenraizadas da Terra, são pessoas que estão na new age, são pessoas que estão no lado evanescente, que não têm qualquer encarnação.
Mas elas não o vivem, o que é que vocês querem que elas digam mais?
Elas apenas podem negar o que vocês vivem.

E, mesmo no mundo espiritual, aqueles que não vivem os mecanismos Vibratórios, o que é que eles vão dizer?
Eles vão dizer, se eles leram livros, que a Unidade, que o Absoluto não tem necessidade de Vibrações.
Eles creem, na cabeça deles, mentalmente, que basta aderir a um conceito para viver o conceito.
Eles se enganam, totalmente, mas o que vocês podem fazer aí?
Nada.
Sobretudo se são, também, seres que seguem um caminho espiritual.
Eles não podem permitir-se aderir, mesmo na ideia deles, a esse gênero de processo que vocês vivem.

Vocês apenas aderem ao que vocês vivem porque vocês o vivem: é uma afirmação do óbvio, mas é a verdade.
Para vocês, é uma prova absoluta, suficiente e necessária.
É completamente verdadeiro, mas para vocês.
Aquele que nada viveria da energia, de Vibrações, o que é que vocês querem que ele seja concernido?
É impossível.
E nós sempre dissemos que o melhor modo de ter – se querem – algo a mostrar, não é querer mostrar: é sendo si mesmo, cada vez mais interiorizado, cada vez mais Alinhado, cada vez mais na Alegria, no Êxtase, no Samadhi, que vocês vão irradiar essa Luz, porque vocês se tornaram Transparentes.
Mas vocês sabem muito bem que, se entram nas explicações, nas palavras, na necessidade de explicar, de justificar, vocês se enganam.
E vocês enganam, também, o outro.
Porque o outro, quaisquer que sejam as palavras que vocês possam dizer a ele, se ele nada vive do que vocês vivem, ele não é concernido.
E ele tem razão.
Ele tem, totalmente, razão, do ponto de vista dele.

As coisas serão diferentes quando as Trombetas forem permanentes e quando MARIA tiver motivado.
Mas vocês entram nos momentos nos quais, mesmo ao seu redor, a Luz coloca-os, precisamente (e isso foi dito não há muito tempo), muito exatamente, em face do que vocês têm a viver.
MARIA repetiu-o (ndr: sua intervenção de 3 de outubro de 2012).

Então se, hoje, vocês são confrontados a resistências de seus próximos, que lhes dizem: «mas você está cada vez mais ausente», isso traduz, também, um questionamento no interior de vocês.
Não de querer convencer o outro, ou demonstrar o que quer que seja, mas de instalar-se, cada vez mais, no que vocês São.

A Luz é Inteligente.
Vocês não têm qualquer meio entendimento.
Lembrem-se: nós nos aproximamos de vocês, vocês se aproximam de nós.
Uma realidade desaparece, outra aparece.
Vocês mudam de limiar.
Vocês mudam de estado.
Mas esse estado não é nem uma morte, nem um nascimento (chama-se Ressurreição, Translação, Ascensão).
O que havia antes, desaparece.
O que ainda não havia, aparece.
E vocês deslizam no Corpo de Existência, na Nova Terra ou em outros mecanismos Ascensionais, por esse viés: algo aparece e outras coisas desaparecem.
É, exatamente, o que vocês vão constatar, cada vez mais.

As coisas irreais vão parecer-lhes cada vez mais reais.
E as coisas reais vão parecer-lhes cada vez mais irreais (de seu ponto de vista, aí, onde vocês estão).
Do mesmo modo que quando a Terra não estava Liberada, havia Irmãos e Irmãs que morriam e que não sabiam que eles estavam mortos: eles continuavam a trabalhar, eles continuavam a construir suas casas, eles continuavam a fazer compras de alimentos, na cabeça deles, de algum modo, nas quimeras deles.
Eles se criavam o próprio mundo.
E é exatamente isso: quando todos os ensinamentos dizem-lhes que vocês criam sua realidade, é completamente verdadeiro.

Como vocês mudam de realidade, os outros não estão prontos para mudar a deles.
Portanto, como vocês saem da realidade deles, é claro, isso faz colocar questões.
Então, vocês sabem, pertinentemente, por vivê-lo, e por viver essas Passagens de um ao outro, que são eles que estão adormecidos (mesmo se vocês adormeçam para eles).
Quando vocês têm um Irmão ou uma Irmã que está suficientemente esclerosado e fechado no próprio ego, mesmo se se venha chamá-lo, mesmo quando ele ouvir MARIA, ele dirá que ele teve uma alucinação, mesmo se ele reconheça, realmente, pela Vibração, a Mãe.
Ele vai dizer: «não é verdade, eu sonhei».
Mas ele terá ouvido, ele estará em face de suas próprias escolhas.
Mas vocês nada podem ali.
É como se você quisesse ir de férias no sol e que (não se vai dizer o marido) seu irmão ou sua irmã diga-lhe: «não, eu quero ir à montanha».
Ele jamais viu o mar, ele não quer ouvir falar disso.

O que é que vocês fazem?
Cada um é Livre, lembrem-se.
A Liberação é restabelecer – nós sempre o dissemos – a comunicação com nossos Planos para não mais estar separado, dividido e cortado.
Mas aquele que não quer essa comunicação, que quer permanecer confinado em sua pequena pessoa, e em seus pequenos sonhos, em suas pequenas ilusões e em seus pequenos objetivos, ele é Livre, não?
Então, a ele será feito segundo sua Liberdade e segundo suas escolhas.

Não se pode forçar ninguém a ser Livre, mas pode-se mostrar-lhe e lembrá-lo de que ele é um Ser Livre.

Questão: se vivemos esses fenômenos, mas não nossos próximos, que fazer?

Sinceramente, o que você quer fazer?
Agora, o caso vai produzir-se cada vez mais, nas famílias, nos grupos: há os que não podem mais trabalhar, que passam o tempo como débeis profundos, com um sorriso amarelo, em um canto.
O que se pode fazer com isso?
Cada um tem sua realidade.
E os objetivos não são os mesmos.
Vocês veem isso, cada vez mais, hoje.

Há os que vão, seguramente, e em toda consciência, para uma 3D Unificada e, outros, seguramente, que já são Absolutos.
E, outros, que têm necessidade de reencontrar a própria Família Estelar.

Vocês são todos Liberados, mas têm, todos, um Destino diferente.
Então, é claro, na etapa de sobreposição (que já existe há muito tempo, mas que se reforçou desde a Liberação da Terra e do aparecimento da Onda de Vida e do Manto Azul da Graça), cada vez mais, nas famílias, nas amizades, vocês veem, claramente, mesmo nos casais, pessoas, Irmãos, Irmãs que não têm, absolutamente, o mesmo objetivo de vida, aqui, de momento, mas, também, nem o mesmo Destino.
Nada se pode fazer: isso faz parte da Liberdade de cada um.

Então, efetivamente, em alguns casos, isso pode colocar problema.
Mas, é claro, isso cria dissonâncias, isso cria dificuldades (relacionais, de comunicação, de compreensão, mesmo), mas isso é por toda a parte sobre a Terra, atualmente, para todo mundo.

A mudança necessita de uma grande energia.
Ela necessita de um momento de força ou de Abandono importante (é a mesma coisa, em definitivo).
Isso é em uma pessoa, mas há o mesmo gênero de coisa em pessoas que vivem próximas ou juntas (ligação de amizade, profissional, afetiva), nas quais vocês constatam, efetivamente, que, de qualquer modo, seus filhos, seus pais não têm o mesmo caráter, não têm, necessariamente, as mesmas crenças.

O que é que vocês querem fazer?
Ou vocês apoiam, ou aquele que nada vive irrita-se, ou aquele que vive algo se irrita.
Mas, aí também, é diferente para cada um.

A Inteligência da Luz pode decidir que vocês devem manter essa situação, porque o outro, à força de ser pressionado por aquele que está em Êxtase, no canto dele, vai, talvez, abrir-se.
Mas aquele que está aberto não pode voltar a fechar-se, é impossível.
Portanto, se há um que deva mudar (não porque se queira que ele mude), é, efetivamente, aquele que está fechado.
Mas vocês nada podem fazer para que ele se abra: a decisão vem dele.
Mas, talvez que, à força de ser confrontado a pessoas em Êxtase ou na Paz, isso vai fazê-lo não refletir, mas colocar-se, talvez, as boas questões.

Para outros há, verdadeiramente, incompatibilidade total, no entanto, pode haver, entre esses seres, um amor, mas onde se situa o amor, quando há um que Vibra e o outro que não Vibra?
Será que é um amor, como dizia TERESA, projetado? (ndr: sua intervenção de 15 de outubro de 2012).
Ou será que é o Amor Vibral?

O Amor Vibral é a Vibração do Coração.
Vocês já conseguiram sentir essa Vibração do Coração, com um Irmão ou uma Irmã encarnada que está na materialidade a mais total ou na negação total de tudo o que é espiritual?
É impossível.
Enquanto vocês sabem, muito bem, que podem estabelecer Comunhões de Irmãos a Irmãs que vivem as mesmas coisas, sem qualquer dificuldade.
Cabe a vocês tirar as conclusões disso.

Questão: experiências Vibratórias que me confirmariam processos de abertura atenuaram-se, levando-me a duvidar.
O que acontece?

Isso faz parte do io-iô normal.
Viver uma experiência ou um estado de abertura não é estar estabilizado e aberto, permanentemente: o que você diz é a prova.
É tudo.

Nada mais há a observar a não ser observar isso.
E saber, já, que você não É o que está aberto, nem o que está fechado.
Que tanto um como o outro são jogos, são ilusões, etapas, quimeras (chame como quiser).

Não é preciso identificar-se ao que se abre, não é preciso identificar-se ao que se fecha.
É muito simples: você se coloca fora disso, como diria BIDI, do observador.
Você não É o que vive a abertura.
Você não É o que vive o fechamento.
Você É, efetivamente, alguém que observa isso, não?

Portanto, assim que você compreende isso, você sai dessa dualidade, você sai de estados de experiência, você se estabiliza em outra coisa.
É aí que intervém o Abandono do Si.
É preciso lembrar-se de que a pessoa, o ego encarnado quer, sempre, apropriar-se do que é vivido.
Mas se você observa o que é vivido, você daí conclui que o que foi vivido um dia (que era perfeito) e outro dia (que era um fechamento, como você diz) não lhe concerne, uma vez que você continua aí, para observá-lo: é a você que cabe mudar de olhar.
É isso não ser implicado em uma experiência, tanto agradável como desagradável.

Todo o problema, como dizia BIDI, é sua identificação ao que é vivido.
Era importante – nós sempre dissemos – em relação às Vibrações que deviam instalar-se em zonas precisas desse Templo (ou desse saco, como diria BIDI).
É a mesma coisa: um saco é algo que contém.
Um Templo é algo que contém.
O que é Sagrado não é nem o saco, nem o Templo: é o que está dentro.

O que é que está dentro, fora você?
Enquanto vocês são identificados às experiências – no entanto, necessárias – que foram vividas, vocês não são Livres, tampouco, de modo algum.
A Liberdade – e isso foi exprimido em diferentes reprises – é em momentos privilegiados nos quais vocês têm Comunhões, com um Irmão ou uma Irmã, conosco, no Canal Mariano, quando a Onda de Vida sobe, quando o Coração Ascensional revela-se.
Porque, aí, vocês conseguem distanciar-se, sem querer, de toda pessoa.
Portanto, não é mais uma experiência: naquele momento, o observador dissolve-se.

Questão: que fazer para partilhar o que se vive?

Você nada pode fazer.
É por isso que eu sempre disse: evitem falar.
A Luz é perigosa para a Sombra, para aquele que recusa ver a Luz, porque ela ilumina o que não quer ver-se iluminado, por ignorância, por medo, por dependência.
Eu lhes disse que, mesmo com o Anúncio de MARIA, mesmo com o Retorno da Luz e da estase, há uma grande parte da humanidade que será Liberada (porque a comunicação, a Comunhão, a conexão será restabelecida), mas que não quererá essa Liberdade.
Porque ele colocou tantas camadas isolantes, através das encarnações, tantas estruturas de confinamento, de medo, mas que você não pode retirar assim.
Mesmo a Luz não o pode, senão, o que é que nós teríamos feito?

Será que vocês acreditam que nós teríamos esperado Ciclos precisos para Liberar a Terra?
Não, há leis, no confinamento, e enquanto vocês se submetem, vocês mesmos, às leis de confinamento, nada se pode fazer.
Nem vocês, nem a Luz, nem a Terra.
Mesmo o fim do mundo nada pode por eles e, no entanto, eles serão Liberados.
Isso faz parte da Evolução Vibratória, é o que nós explicamos quando de nossas últimas conversas.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Bem, caros amigos, eu lhes transmito todas as minhas bênçãos, todo o meu Amor, e vivam o que vocês têm a viver.
Eu lhes digo até muito em breve.
Todo o meu Amor está com vocês.
Até breve.
_______________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

3 comentários:

  1. 1 - Eu penso que, para concluir o show, vocês sabem que há MARIA. Mas vocês terão, também, muito pouco tempo antes, uma intervenção de «apenas um adeus» de nosso querido ORIONIS, que fará essa viagem Vibratória para vocês. 2 - Eu lhes disse que, mesmo com o Anúncio de MARIA, mesmo com o Retorno da Luz e da estase, há uma grande parte da humanidade que será Liberada (porque a comunicação, a Comunhão, a conexão será restabelecida), mas que não quererá essa Liberdade.

    ResponderExcluir
  2. Mensagem Tira- Tira Dúvidas, mas de uma forma, tão especial, didática, que fica impossível, não vivencia-la. A elasticidade do tempo final, é muito importante, afinal o 'show', está quase terminando.

    Paz!
    Noemia

    ResponderExcluir
  3. "Então, é claro, eu disse que a data, que vocês conhecem tão bem quanto nós, é essa data de 21 de dezembro de 2012.
    "Mas, se vocês se fixam em uma data, vocês arriscam enganar-se. Por que? Porque se a data sobrevém antes, e vocês consideram que é mais tarde, será que vocês estarão, Verdadeiramente, Prontos naquele momento?
    "Será que sua Vida e o que vocês São, são baseados em uma data ou em um tempo? Se vocês vivem a Infinita Presença, se o Absoluto é o que vocês São, o que é que vem fazer uma data aí? Uma vez que tudo se desenrola, verdadeiramente, agora.

    "Mas o único modo de não ser tomado de surpresa é o de estar Alinhado no Instante Presente e esperar, Tranquilamente, como nós sempre temos dito, os sinais do Céu e da Terra, antes do Apelo de MARIA. Não se pode dizer-lhes melhor.
    "O que eu posso dizer, também: não contem com a Translação Dimensional Final do conjunto da humanidade e desse Sistema Solar para viver sua Translação. Sua Translação é vivida pela Onda de Vida ou pelo Manto Azul da Graça, ou pelo Coração Ascensional, ou pelo Canal Mariano, ou pelos Duplos:
    Mas é Isso, a Ascensão.
    "Ora, procurar uma data, de maneira tão importante, é uma resistência: é entregar-se a um fenômeno coletivo para vivê-lo no mesmo momento, é afrouxar a própria Tensão para o Abandono, o que é preciso, sobretudo, não fazer.

    "O que é o mais importante para vocês, hoje? A data do fim desse Sistema Solar e o Nascimento dele ou seu próprio Nascimento a vocês?
    Se vocês trabalham em si e em seu Nascimento, em sua Ressurreição, nas Vibrações, nos contatos que vocês estabelecem, nas Comunhões, se vocês escutam o que lhes pede a Luz, mas, em momento algum, a mínima data pode tocá-los.

    "Mas a data, ela é agora."

    ResponderExcluir